Issuu on Google+

Beatriz Costa, nยบ8 - 7ยบD


Cena XII Rei e Bobo

REI: Sabes, fiel Bobo, há muito tempo que não me sentia assim tão feliz! Nem quando eu era… EU SOU O REI DE HELÍRIA! E tinha três… não, e tive uma filha, a Violeta que me ama incondicionalmente. Um sonho afastou-nos, mas o destino voltou a juntarnos… BOBO: Meu Senhor isso já passou!!! E ainda bem, já não tínhamos idade de andar a vaguear por esses reinos… a deambular sem paradeiro certo. REI: Durante estes anos todos, tu sempre me acompanhaste, sempre me escutaste e eu nunca te dei o devido valor. Mostraste ser um bom e fiel amigo e quero agradecer-te por tudo! BOBO: (dirigindo-se ao público) Oh, vocês querem ver que vai começar tudo de novo! O meu senhor não deve estar bom da cabeça! A demonstrar tanto afeto por mim! Isto não me está a cheirar nada bem! REI: (com uma voz altiva) O que é que estás para aí a resmungar? BOBO: (disfarçando) Nada, estava a pensar alto…

Cena XIII Criado, Rei, Violeta, Felizardo, Simplício. Hortênsia e Amarílis

VIOLETA: Meu pai, está tudo bem consigo? Em que estais a pensar? REI: (com uma voz distante) Estava e lembrar-me da minha infância… Sabes, quando eu era pequeno, o meu pai contava-me histórias antes de eu adormecer, a minha preferida era a de um rei que governava um grande reino e tinha três filhas… CRIADO: (interrompendo a história do Rei) Com a vossa licença, senhora, estão duas senhoras e dois cavalheiros, na entrada do palácio, à vossa procura. VIOLETA: Não vos disseram quem são?


CRIADO: Não. (O Criado retira-se e o Rei chama a sua filha Violeta) REI: Filha, eu vou contigo receber essas visitas. VIOLETA: Não meu pai, deixai-vos estar aí, descansai. REI: Insisto, eu acompanho-vos.

Cena XIV

(Violeta e o Rei entram no salão do Palácio onde os aguardam, Hortênsia, Amarílis, Felizardo e Simplício, que observam e examinam tudo) VIOLETA: Boa tarde, a que devo a honra de tão ilustre visita? HORTÊNSIA: Viemos visitar a nossa irmã e o nosso pai! AMARÍLIS: Tivemos tantas saudades vossas! FELIZARDO: É verdade, a minha querida esposa todos dias falava de vocês, perguntava-se como é que vocês estariam? SIMPLÍCIO: Tiraste-me as palavras da boca. VIOLETA: Lamento, mas penso que as pessoas que vocês procuram não se encontram neste reino! REI: Não conheço as pessoas de quem falais. AMARÍLIS: Como é que vocês podem ser tão cruéis? Meu senhor, não vos lembrais do quanto eu vos amo? REI: Claro que lembro, eu nunca me poderia esquecer. Pena é que fosse tudo falso, tudo mentira! HORTÊNSIA: O Reino Helíria já não é mesmo… desde que partiste de lá, o povo e nós sentimos a vossa falta.


FELIZARDO: Senhor meu sogro, pense, o reino precisa de si. E eu tenho… (tirando o papel do bolso) SIMPLÍCIO: Tiraste-me as palavras da boca REI: Não voltarei, sim, é verdade que fui muito feliz no Reino de Helíria, mas já lá vai muito tempo… eu já não sou o mesmo Leandro, o Rei de Helíria. Agora sou um pobre velho que só quer viver em paz, que descobriu o verdadeiro amor, amizade e gratidão de quem sempre esteve do meu lado. Agora a minha vida parece mais simples, mas é temperada de uma forma diferente e especial!

Beatriz Freitas Costa, nº8 , 7º D Agrupamento de Escolas do Mosteiro e Cávado


Leandro, rei da helíria 2, por beatriz costa (1)