Page 1

CADÁVER ESQUISITO Se estades inspirados, axúdadenos a crear, verso a verso, un gran poema de amor colectivo. O procedemento é o do “cadáver esquisito”: alguén inicia un poema escribindo o primeiro verso… Os valentes van engadindo un a un o seu até que un poema sen autor individual vai tomando forma. Non ten que rimar, non é preciso seguir a medida do verso anterior, abonda con que non nos venza a prosa. Para iso recomendamos simplemente poñer a armadura do ritmo e da imaxe e afrontar con bo humor este desafío poético. Para surrealistas, nós.

Un cadáver esquisito  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you