Page 1

Sebastião Artur Cardoso da Gama,

poeta português, nasceu em Vila

Nogueira de Azeitão, no dia 10 de Abril de 1924. Matriculou-se, em 1942, na Faculdade de lisboa, em cuja seção de Filologia Românica veio a licenciar-se, cinco anos depois, com a classificação de 17 valores. Foi professor do Ensino Técnico Profissional, primeiro, como provisório, na Escola

Rua da Escola Técnica 2900-354 Setúbal | Tel: 265 228306 | 265 523176 | Fax:265 534357

E – mail: bibliotecaessg@gmail.com

Técnica de Setúbal, atual Escola Secundária Sebastião da Gama, a seguir estagiário, na Escola Veiga Beirão, de Lisboa, e, concluído o estágio com 18 valores, foi colocado em Estremoz, onde se conservou até à sua morte, ocorrida em Lisboa, no dia 7 de Fevereiro de 1952. Sebastião

Blogue: http:// sitiodabibliotecaessg.blogspot.pt/

BIBLIOTECA ESCOLAR Sebastião da Gama

O nosso patrono Patrono do Agrupamento Patrono da escola Sede Patrono da Biblioteca

da Gama ficou para a história pela sua dimensão humana, nomeadamente no convívio com os alunos, registado nas páginas do seu famoso Diário (iniciado em 1949). Literariamente, não esteve dependente de qualquer escola, afirmando-se pela sua temática (amor à natureza, ao ser humano) e pela candura muito pessoal que caracterizou os

Facebook: https://www.facebook.com/ biblioteca.essg

seus textos. Atingido pela tuberculose, que causaria a sua morte precoce, passou a residir no Portinho da Arrábida, com a panorâmica serra da Arrábida a alimentar o culto pela paisagem presente na sua obra. Foi, entretanto, instituído, com o seu nome, um Prémio Nacional de Poesia Colaborou, entre outras, nas revistas Aqui e Além, Atlântico, Turismo, Mundo Literário, Arvore e Távora Redonda. Realizou algumas palestras e conferências, uma delas, Lugar de Bocage na Nossa Poesia de Amor, publicada em separata, pela Revista da Faculdade de Letras de Lisboa, que deste modo prestou homenagem ao seu antigo discípulo.

SEBASTIÃO DA GAMA


SEBASTIÃO DA GAMA Referências Bibliográficas do autor: Da Gama, S. (1967), Itinerário

Em vida : Poesia Da Gama, S. (1945), Serra - Mãe. Da Gama, s. (1946). Loas a Nossa Se-

nhora da Arrábida, em colaboração com Miguel Caleiro Da Gama, S. (1947), Cabo da Boa Es-

perança.

Da Gama, S. (1969), O

paralelo.

segredo é amar.

Da Gama, S. (1994), Cartas Da Gama, S. (2003), Não

I.

morri porque can-

tei. Da Gama, S. (2004), Estevas. Da Gama, S. (2006), A

minha arca de Noé.

Associação Cultural Sebastião da Gama.

Da Gama, S. (1951), Campo Aberto.

Prosa Da Gama, S. (1949).

Região dos Três

Castelos.

Da Gama, S. (2011), Meu

caminho é por mim

fora. Vila Nogueira de Azeitão: Associação Cultural Sebastião da Gama. Da Gama, S Diário ( Coordenação de João de Deus Ribeiro)

Sobre o autor: Edições Póstumas: Da Gama, S. (1953), Pelo

Sonho é que

vamos. Da Gama, S. (1958), Diário.

Belchior, M. (1961), Sebastião

da Gama: po-

esia e vida. Viana, A. Et al (2011), Sebastião

da Gama – O

poeta e o Professor. Vila Nogueira de Azeitão: Associação Cultural Sebastião da Gama.

Pelo sonho é que vamos, comovidos e mudos. Chegamos? Não chegamos? Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos. Basta a fé no que temos, basta a esperança naquilo que talvez não teremos. Basta que a alma demos, com a mesma alegria ao que desconhecemos e ao que é do dia-a-dia. Chegamos? Não chegamos? Partimos. Vamos. Somos. Sebastião da Gama


Folheto cor impresso  

Sebastião da Gama

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you