Page 1

ANO LECTIVO 2010/2011

Nº 2

BOLETIM BE/CRE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

Razões para ler O homem constrói casas p o r qu e e s t á v i vo , m a s escreve livros porque sabe que é mortal.Vive em sociedade porque é gregário, mas lê porque se sente só. A leitura constitui para ele uma companhia que não ocupa o lugar de nenhuma outra, mas que nenhuma outra poderia substituir. Não lhe oferece nenhuma explicação definitiva acerca do seu destino, mas tece uma apertada rede de conivências entre a vida e ele. Ínfimas e secretas conivências que falam da paradoxal alegria de viver, mesmo quando referem o trágico absurdo da vida. Por isso as razões que temos para ler são tão estranhas como as que temos para viver. - Daniel Pennac

Editorial Mais um período escolar está decorrido e o final do ano lectivo espreita já. Os alunos saboreiam antecipadamente uns dias de descanso, após um período escolar de labor intenso e que esperam frutuoso em boas novas, nas pautas que irão ser afixadas. Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade. Uma festa da libertação das amarras que nos constrangem, que nos impedem de ir mais além, de obter mais sucesso, seja académico, pessoal ou espiritual. Uma celebração que nos deverá impelir a querer mais, a trabalhar mais para o conseguir, mas ao mesmo tempo, a ajudar a quem persegue o mesmo objectivo, a ser solidário com o esforço e, não menos importante, a não servir de obstáculo a quem trabalha para ser feliz. Em suma, que todos os alunos deste Agrupamento, não tenham medo de procurar a felicidade, a libertação de uma escravidão que a ignorância impõe. Termino desejando a toda a comunidade escolar uma Páscoa feliz e a continuação de 2011 cheio dos maiores sucessos pessoais e colectivos.

P’la Direcção Elisa Silva

A PÁSCOA NO MUNDO

Na China o "Ching-Ming" é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces.

Na Europa as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os mesmos, por ex., rolá-los ladeira abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.

Nos Estados Unidos a brincadeira mais tradicional ainda é a "caça ao ovo", onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa.


ACTIVIDADES MULTIMÉDIA Visionamento do

EFA - O final de mais uma etapa...

filme “O Principezinho” de Antoine de Saint – Exupéry pelas turmas do 3º, 4º e 5º anos,

como complemento das leituras

OS ALUNOS DO EFA NÍVEL SECUNDÁRIO, DE FORMA DINÂMICA, PREPARAM O SEU FUTURO BUSCANDO INFORMAÇÃO E FORMAÇÃO RELEVANTE.

Como mote para a terceira e última actividade integradora, os f o r m a n d o s d o c u r s o E FA N í v e l aulas. Secundário, turma A, a decorrer na Escola Básica Integrada de Pedras Salgadas, realizaram mais uma actividade, no âmbito do tema “Ambiente e Sustentabilidade”. O primeiro ponto desta actividade consistiu numa visita de estudo à Unidade Industrial de Pedras Salgadas (Á gua das Pedras) que decorreu no dia 16 de Março de 2011. Tal visita serviu como ponto de partida para a palestra que se realizou no dia 25 de Março de 2011 pelas 19h30 nesta escola. A palestra Decorreu nos dias 23 e 24 de t e ve c o m o o r a d o r a a E n g ª . Março a feira do liv ro na nossa Fernanda Ferreira, Engenheira do escola.Os alunos acolheram a Ambiente na Unidade Industrial feira com en tusiasmo, de Pedras Salgadas há mais de dez aproveitando para enriquecer as anos. suas leitura

realizadas nas

Feira do Livro

s.

Cláudia Freixo  e  Paula  Pimentel

NÚMERO MÁGICO 1089 é conhecido como o número mágico. Veja porquê: escolhe qualquer número de três algarismos distintos: por exemplo, 875. Agora escreve este número de trás para frente e subtrai o menor do maior: 875 - 578 = 297 Agora inverte também esse resultado e faz a soma: 297 + 792 = 1089 (o número mágico)


Leituras Partilhadas

FILANDORRA - SEMANA DA LEITURA

por Arminda Afonso

A Filandorra trouxe-nos a dramatização de 4 contos do livro "Contos de Animais com Manhas de Gente" de Alexandre Parafita

Professora Bibliotecária •••

Este projecto é um modo de promover a leitura, em articulação com os professores de Português, já que as bibliotecas podem dinamizar actividades de leitura e de escrita, incentivando os alunos a ler e a elaborar trabalhos sobre livros lidos. A iniciativa pretende sensibilizar toda a Foi uma actividade bem comunidade, em particular recebida pelos alunos que as famílias, para a pôde integrar o elenco e assim importância que este participar na dramatização desempenha na formação de leitores e na promoção de hábitos de leitura, no suporte Para além dos clubes e do alunos do jardim de Infância trabalho desenvolvido por de Sabroso, de alunos do 1º às aprendizagens. turmas, na sala de aula ou na Ciclo, e professoras das biblioteca, este trabalho deverá respectivas turmas, assim ser continuado em casa com a c o m o o s e l e m e n t o s d a família. equipa da biblioteca. Todos os D u r a n t e e s t e P e r í o d o , alunos ouviram as histórias aumentou o gosto pelas com muito entusiasmo e por “Leituras partilhadas”. Estes vezes entregaram trabalhos momentos f o r a m relacionados aos contos. dinamizados pelas: Encarregadas de Educação de

QUEM DISSE? FRASES QUE GANHARAM FAMA.

“Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.” — Charles Chaplin

“ Somos

escravos da nossa própria falta de atitude.” — Gabriel Pensador

“Lute e empurre fortemente pelo que você acredita, você ficará surpreso, você é muito mais forte do que pensa.” — Lady Gaga


FREI JOÃO SEM

Jogos Romanos

CUIDADOS

Realizaram-se várias sessões de teatro de fantoches, numa iniciativa da Semana da Leitura a decorrer no nosso agrupamento, e com a participação activa da Biblioteca Municipal de Vila Pouca de Aguiar, através de colaboradoras dessa instituição que se deslocaram à nossa escola para apresentarem uma adaptação muito bem conseguida do conto "Frei João Sem Cuidados", do nosso rico património cultural.

DOS ACAMPAMENTOS DOS SOLDADOS ROMANOS NÃO NOS CHEGAM APENAS HISTÓRIAS DE BATALHAS LEGENDÁRIAS. ALÉM DA LÍNGUA DEIXARAM TAMBÉM JOGOS DE TABULEIRO. No dia 11 de Fevereiro decorreu, na Biblioteca Municipal de Vila Pouca de Aguiar, a grande final do "I Torneio de Tabuleiros Romanos". Os vencedores desta iniciativa foram distinguidos e coroados imperador e imperatriz romanos. De destacar o vencedor do Jogo do Soldado, aluno deste Agrupamento, o Gonçalo Gonçalves do 4º B. De realçar também o bom desempenho da Érica Alves, do 3º B, que conseguiu disputar a final do Jogo do Moinho, acabando num honroso 2º lugar.


Curiosidades da História de Portugal D.Pedro, já casado com D.Constança, teve uma grande paixão por Inês de Castro, nobre castelhana de quem teve quatro filhos. O seu pai, Afonso IV, não gostava desta ligação amorosa e, quando D.Constança morreu, para evitar o casamento de D . P e d r o c o m D . I n ê s , N u n o Á l v a r e s Pe r e i ra , nasceu em 1360. Passou a mandou assassiná-la. sua juventude a treinar-se como cavaleiro. Foi o braço direito de D. João I na revolução de 1383-1385, provocando pesadas derrotas aos exércitos castelhanos. Foi Condestável do Reino, chefe supremo dos exércitos, graças ao seu talento de guerreiro e líder militar a que todos ouviam, respeitavam e gostavam de seguir. Para além de excelente estratega foi um hábil guerreiro, como aconteceu na tomada do castelo de D . P e d r o , d e s g o s t o s o e Monsaraz. enraivecido, quando herdou Era muito religioso e com a c o r o a c a s t i g o u profundo sentimento de amor à Pátria, que defendeu violentamente o s com toda a heroicidade. Já assassinos da sua amada e velho e cansado, entrou para mandou construir-lhe um a ordem dos Carmelitas, onde veio a morrer em 1431. túmulo em que na tampa Diz a lenda que, por debaixo aparece esculpida a figura do hábito de frade, muitas d e D . I n ê s c o r o a d a d e vezes, trazia vestido o arnês de combatente. rainha. No dia 26 de Abril de 2009, Á s e m e l h a n ç a d e s t e noventa anos após a sua t ú m u l o , m a n d o u f a z e r beatificação, Nuno Álvares o u t r o p a r a s i , qu e fo i Pereira, foi canonizado pelo Papa Bento XVI, às 9h33min. colocado ao lado do de D. Nuno Álvares Pereira foi D.Inês, no Mosteiro de canonizado como São Nuno de Santa Maria. Alcobaça.

Sabiam que D. Manuel I em condições nor mais nunca teria sido rei de Portugal? Na verdade, a sorte calhou a D. Manuel I p o r q u e o ú n i c o fi l h o legítimo de D. João II morreu inesperadamente.

D.Manuel I ascendeu inesperadamente ao trono em 14 9 5 , em c i r c u n s t â n c i a s excepcionais, sucedendo ao seu primo direito João II de Portugal, de quem se tornara protegido. Prosseguiu as explorações portuguesas iniciadas pelos seus antecessores, o que levou à descober ta do caminho marítimo para a Índia, do Brasil e das ambicionadas "ilhas das especiarias", as Molucas. Foi o primeiro rei a assumir o título de Senhor do Comércio, da Conquista e da Navegação da Arábia, Pérsia e Índia.


A Escola e o compromisso com a Solidariedade razões de ser solidário A ESCOLA SOLIDÁRIA A boa escola ultrapassa o sentir-se útil assistencialismo, debate as causas sociais, forma consciências, faz perceber as sentir-se valorizado conexões do mundo globalizado. É uma escola perspicaz, inteligente, bem-estar que retira dos problemas sociais estímulos para a curiosidade melhorar o mundo intelectual. Uma escola que se prepara para as acções solidárias, auto-conhecimento recebe e fornece, e que vincula a transmissão do património novas experiências cultural à formação do carácter, d a a l m a . F o r m a fi l e i r a s e sentir-se integrado encaminha o aluno para a solidariedade, para a cooperação abre novas perspectivas e não para a competição. O mundo competitivo actual gera d e fo r m a ç ã o , i n d i v i d u a l i s m o eleva a auto-estima doentio, de consequências lastimáveis. Um programa de solidariedade na escola não deve ser encarado como simples caridade. Quando a solidariedade vem de fora para dentro, além dos P L AC A R D DA B E /CRE EM aspectos de ajuda, de CO NS TA NT E AC TU AL IZ AÇ ÃO cooperação, traz, em si, NO ÁTRIO DE ENTR ADA DA também o objectivo de ESCOLA e n r i qu e c e r a s a u l a s , d e descortinar para o aluno variadas experiências, inovando e aperfeiçoando o conhecimento. A solidariedade quebra paradigmas da sociedade capitalista, que vê na remuneração, no lucro, as únicas razões de luta. No trabalho solidário, não há busca de interesses pessoais, ele estimula a articulação entre sociedade e compromisso social.

1. 2. 3. 4.

por Luís Rito e Madalena Santos •••

A boa escola é aquela que não se preocupa, exclusivamente, em preparar o aluno para o futuro mas em formá-lo para enfrentar as situações de vida. Utiliza-se do método sócio-construtivista, faz do aluno o agente da aprendizagem e coloca o professor como mediador entre o aluno e o conhecimento. Estabelece as condições cognitivas necessárias à aquisição do conhecimento e trabalha atitudes e posturas éticas, humanas, objectivando a formação do cidadão crítico, responsável, participativo. Esta escola vai além da transmissão do conhecimento, abrange a formação integral do aluno, inserindo-o no contexto social em que vive. É uma escola conectada com a comunidade, com o mundo, reduzindo a distância entre o que fala e o que faz, fazendo a diferença entre o texto e o contexto, conforme desejava o educador Paulo Freire, quando dizia: “Não sou um ser no mundo, sou um ser com o mundo”.

“O CARTAZ DA MINHA ESCOLA” Foram dois os cartazes seleccionados para participarem no concurso nacional do PNL e para comemoração do Ano Internacional da Floresta, do JI de Sabroso e do 2º A.

5. 6. 7. 8. 9.


Estatística da Utilização da Biblioteca Janeiro

Fevereiro

Março


Descobrindo Autores A Equipa da Biblioteca

•••

Neste segundo período lectivo, os alunos do 2º e 3º ciclos continuaram a sua caminhada à descoberta de novos autores. Através de trabalhos de pesquisa sobre a bibliografia dos autores, conheceu-se a vida e obra dos autores estudados nas aulas de Língua Portuguesa. É importante para qualquer estudante estudar a vida do escritor para melhor compreender a sua obra, pois nela residem marcas da entidade que a escreve. As evidências que resultaram desta actividade foram afixadas na última semana de aulas deste período, num placard próprio, no hall de entrada da nossa escola. Ainda no âmbito desta actividade, as turmas do 7ºA e do 8ºC representaram as peças de teatro «A Primavera» de Pedrosa

Arminda Afonso Madalena Santos Ferreira e «As Três Abóboras» de António Torrado, respectivamente. Todo o trabalho realizado tem como finalidade incutir nos alunos o gosto pela leitura. Sendo este um processo que vai aumentando à medida que se vai lendo e descobrindo mais e mais autores, continuaremos o nosso trabalho no próximo período, pois, como diz Bill Gates, “Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história”.

Leonor Pires Luís Rito Ermelinda Caldas Helena Dinis Assistente Operacional

Ermelinda Ferreira

Prof. Alexandra Amaral

Mensagem da Professora Bibliotecária A biblioteca   escolar,   mais   do   que   um   espaço   e   um   conjunto   de   recursos  organizados,  assume-­‐se  hoje  como   uma   estrutura  forma>va   de   aprendizagem   e   de   construção   do   conhecimento,   assente   em   novas  abordagens  pedagógicas.   Desempenha  assim  um  papel  importante  no  apoio: ✓Ao   processo   de   ensino   e   de   aprendizagem,   sustentando   as   ac>vidades  lec>vas  em  contexto  de  sala  de  aula  ou  na  biblioteca; ✓Ao   desenvolvimento  de  competências  de  informação,  tecnológicas,   de  estudo  e  de  trabalho; ✓À   promoção   e   desenvolvimento   de   competências   de   leitura,   em   ar>culação  com  o  PNL; ✓À   mudança   de   técnicas   e   prá8cas   lec8vas   que   dêem   resposta   às   necessidades  sen>das  pelos  professsores   face   às   novas  exigências  da   educação; ✓À  formação   global   dos  alunos,  dinamizando   ac>vidades   culturais   e   de  ligação  à  comunidade; ✓À   ocupação   dos   tempos   livres   através   da   livre   u>lização   da   biblioteca; A Professora Bibliotecária Arminda Afonso

Boletim BE/CRE nº 2  

Boletim da Biblioteca Escolar do AE de Pedras Salgadas

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you