Page 1

Hora do Conto Pais & Filhos

Contos a Vermelho

03.02.2018

No 1.º sábado de cada mês…Era uma vez!


2018 – Ano Europeu do Património Cultural


Título A menina de vermelho | Autor Aaron Frisch | Ilust. Roberto Innocenti Editora Kalandraka | Data 2013 A menina de vermelho é uma versão moderna do conto clássico do Capuchinho Vermelho. O texto de Aaron Frisch, que relata a acidentada viagem de Sofia num dia de tempestade, acolhe - num estilo sóbrio - os seus principais argumentos narrativos: a avó doente, a floresta sombria, o lobo malvado e a menina de capuz vermelho. As ilustrações de Roberto Innocenti, precisas até ao mais ínfimo pormenor, mostram a grande cidade como um território caótico, desigual, perigoso. E no coração desse labirinto de ruas e prédios fica «O Bosque», um lugar multiétnico repleto de cor e vida, a expressão máxima da sociedade de consumo, a comunicação e a tecnologia; com todos os seus defeitos, e aos quais se tece uma crítica contundente.


Título Capuchinho Vermelho: histórias secretas e outras menos | Autor/Ilust. Vários | Editora Bags of books | Data 2012 Neste livro onze autores de diferentes gerações e com diferentes percursos literários responderam ao desafio de, em verso ou em prosa, comporem textos originais a partir da inspiradora narrativa protagonizada pela menina do Capuchinho Vermelho, procedendo a transfigurações diversas que veiculam mensagens tão distintas quanto o seu potencial recetor. Os textos incorporam motivos do conto matriz que, passados pelo filtro da paródia ou da alusão, pressupõem e reclamam do leitor um pacto de leitura específico, simultaneamente flexível, aberto e disposto a um jogo de vaivém.


Título A verdadeira história do Capuchinho Vermelho | Autora Agnese Baruzzi | Ilust. Sandro Natalini | Editora Ambar | Data 2008 Pensas que conheces a história do Capuchinho Vermelho? Às vezes as coisas não são como parecem! Vem descobrir o que aconteceu ANTES do famoso conto começar! Este é um livro muito especial: com janelinhas, pop-ups, rodas para girar e muito, muito humor. Estamos certos que a leitura desta versão da conhecida história do Capuchinho Vermelho vai encantar tanto as crianças como os adultos. Livro recomendado pelo Plano Nacional de leitura para a Educação Pré-Escolar, destinado a leitura em voz alta.


Título O Capuchinho Vermelho: um livro em pop-up | Autores Irmãos Grimm Ilust.ª Louise Rowe | Editora Presença | Data 2010 A célebre narrativa da menina do Capuchinho Vermelho ressurge, neste belo volume, recriada plasticamente a partir da versão «apaziguadora» dos irmãos Grimm. Em tons sépia – reveladores talvez da interpretação dramática que a autora guarda do conto clássico – e numa profusão de elementos visuais, com particular incidência para os naturalistas, a ação narrada verbalmente ganha forma e volume numa estimulante construção plástica que convida ao reconto oral. Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para a Educação Pré-Escolar, destinado a leitura em voz alta.


Título O Capuchinho | Autor/Ilust. Bethan Woollvin Editora Edicare | Data 2016 Um Capuchinho Vermelho terrivelmente cómico, arrojado e original. A caminho de casa da avózinha, uma menina encontra um lobo. Ela parece saborosa e o esfomeado lobo tem uma ideia. Mas a menina também… o que é uma pena para o lobo! Esta obra venceu o Macmillan Children’s Book Prize, em 2014. Destacamos a criatividade nas ilustrações, a narrativa que se desenrola de forma diferente do conto original e o registo de humor, presente a cada página. Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para a Educação Pré-Escolar.


Título Chapeuzinho Amarelo | Autor Chico Buarque | Ilust. André Letria Editora Quasi edições | Data 2007 Chapeuzinho Amarelo, poema de Chico Buarque, é considerado um clássico da literatura infantil brasileira. Chapeuzinho é uma bela menina que sofre de um mal terrível: sente medo do medo. Enfrentando o desconhecido – o Lobo – ela supera os seus medos e inseguranças e descobre a alegria de viver. Com sensibilidade, o compositor e escritor constrói um texto em que a linguagem é um grande jogo. Uma reescritura interessante do conto clássico quase homónimo. Com bastante inventividade estimula, desafia a imaginação do espetador, ao inverter a história original.


Título A menina do Capuchinho Vermelho no século XXI | Autora Luísa Ducla Soares | Ilust.ª Helena Simas | Editora Civilização | Data 2007 Conta esta história que a Capuchinho Vermelho, com a ajuda de João, salta de um velho livro para o século XXI e descobre, entre outras coisas, que, afinal, o lobo já não é o que parecia e que até é possível apadrinhar um exemplar deste seu velho inimigo na reserva do Lobo Ibérico, na Malveira. Materializando uma das mais recorrentes tendências da atual literatura para a infância, a autora recria o conto, a partir da recuperação de elementos codificados – a visita à avó, a referência à floresta e ao “lobo mau” – e com a introdução de aspetos próprios da contemporaneidade – a televisão, a mãe que trabalha numa fábrica, a floresta que ardera no Verão, um automóvel ou uma avó com telemóvel.


Título A verdadeira história do Capuchinho | Autor A. R. Almodóvar | Ilust. Marc Taeger | Editora Kalandraka | Data 2009 Era uma vez uma menina muito bonita que vivia numa aldeia perto de um bosque. Chamavam-lhe Capuchinho Vermelho porque a sua avó lhe tinha dado uma capa dessa cor, com um capuz para o frio. Detalhes que até agora tinham passado despercebidos sobre a vida quotidiana do Capuchinho - a sua falta de jeito para a costura, a sua fama de gulosa, a sua extrema curiosidade - vêm à luz nesta obra. Fruto de um intenso labor de investigação, Almodóvar não se poupa em detalhes: conversas entre mãe e filha, entre menina e lobo, estão aqui fielmente retratadas. Assim, deslinda o plano do malvado animal para devorar a menina inocente e simultaneamente receosa, mas habilmente astuta no final do conto.


Título O Capuchinho Cinzento | Autora Matilde Rosa Araújo | Ilust. André Letria | Editora Porto editora | Data 2005 Há quem diga que os personagens dos contos infantis nunca envelhecem. Mas será isso verdade? Será que, ao contrário do que acontece connosco, o tempo não as transforma? Matilde Rosa Araújo entrou de novo no mundo do faz de conta da sua meninice e reencontrou uma das personagens mais conhecidas e amadas desse imaginário - o Capuchinho Vermelho. E, juntamente com o ilustrador André Letria, ela conta-nos aquilo que viu e ouviu. Um livro sobre a amizade cheio de sabedoria! Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o 4º ano, destinado a leitura orientada.


Título O Capuchinho Vermelho | Autor Charles Perrault | Ilust. Clementine Sourdais | Editora Edicare | Data 2015 Vencedor do Macmillan Children’s Book Prize, em 2014, este é um livro-objeto, inovador, em formato acordeão, que apresenta o texto completo original de Charles Perrault e ilustrações recortadas para ir descobrindo, à medida que vai sendo aberto e que deixam anteceder o cenário seguinte. Um livro acordeão para exibir, ler à noite ou brincar com as delicadas ilustrações de Clémentine Sourdais. Perrault foi um escritor francês, advogado ao serviço do rei Luís XIV, que o nomeou «inspetor das Obras do Rei». Paralelamente à sua atividade profissional, escreveu poesia, frequentou salões literários e registou por escrito um conjunto de contos que circulavam de boca em boca. Fê-lo com o Capuchinho Vermelho em 1697.


A menina do Capuchinho Vermelho

“Ó minha avozinha, quero saber, As tuas orelhas estão a crescer?” “Sim, minha neta, para melhor te ouvir.” “Que grandes olhos tens, querida avó”, Disse a menina cheia de dó. “São para melhor te ver”, disse o lobo E pôs-se a pensar: “Não sou nenhum bobo, Esta menina eu vou papar, Que bom petisco para o meu jantar. Vai saber-me que nem pão de ló, Não é velha nem dura como a avó.” “Mas avozinha”, disse a menina, Tens um casaco de pele tão fina.” “Não”, disse o lobo, “Deves perguntar Por que são meus dentes de espantar. Bem, digas tu o que disseres Como-te sem prato nem talheres.” A menina sorriu. Da camisola sacou de imediato uma pistola e com uma certeira pontaria Pum, pum, pum, aquele lobo morria.” Roald Dahl - Histórias em verso para meninos perversos


Sobressaindo como um dos mais conhecidos contos da tradição, O Capuchinho Vermelho viajou, desde um indefinível lugar de origem, até aos dias de hoje. Fixado pela escrita pela primeira vez pelo francês Charles Perrault (1697) foi, já no séc. XIX, que com a assinatura dos irmãos Grimm (1812), surgiu a matriz deste conto da tradição oral que veio a solidificar o referente coletivo e que, com mais frequência, tem servido de base fértil a inúmeras traduções, reinterpretações, adaptações e versões, que possuem, na maioria dos casos, a criança como destinatário preferencial. Provado está o facto de O

Capuchinho Vermelho se distinguir como uma narrativa incontornável da experiência literária coletiva, bem como do espaço da infância guardado na memória pessoal de muitos adultos, como atesta a pluralidade de referências diretas e indiretas a este texto que atravessam a literatura ocidental de vários géneros e de destinatário variado ao nível etário.”

Sara Reis da Silva in O Capuchinho Vermelho revisitado: leituras da História do Capuchinho Vermelho contada às crianças e nem por isso, de Manuel António Pina (2006), disponível em http://magnetesrvk.noip.org/casadaleitura/portalbeta/bo/abz_indices/000728_CV.pdf (Casa da leitura | Fundação Calouste Gulbenkian)


Biblioteca de Alcochete Rua Professor Leite da Cunha 2890-087 Alcochete Perguntas ou comentรกrios? Envie-nos um email para biblioteca@cm-alcochete.pt ou ligue para 21 234 97 20

Guião de leitura fevereiro 18 "Contos a Vermelho"  

Guião de leitura subordinado à atividade No 1º sábado de cada mês... Era uma vez! - Histórias de outrora... agora - Biblioteca de Alcochete

Guião de leitura fevereiro 18 "Contos a Vermelho"  

Guião de leitura subordinado à atividade No 1º sábado de cada mês... Era uma vez! - Histórias de outrora... agora - Biblioteca de Alcochete

Advertisement