Page 1

FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE - FAINOR CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

GÉSSIKA BRITO VIANA

A INFLUÊNCIA DO COMPORTAMENTO DOS LÍDERES SOBRE O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL DOS LIDERADOS

VITORIA DA CONQUISTA - BA 2012 1


GÉSSIKA BRITO VIANA

A INFLUÊNCIA DO COMPORTAMENTO DOS LÍDERES SOBRE O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL DOS LIDERADOS

Artigo científico de conclusão de curso, apresentado como requisito parcial para obtenção do título de bacharel, junto ao curso de Graduação em Administração, pela Faculdade Independente do Nordeste (FAINOR). Orientador: Prof. Msc Tayrone Felix .

VITORIA DA CONQUISTA - BA 2012 2


GÉSSIKA BRITO VIANA

A INFLUÊNCIA DO COMPORTAMENTO DOS LÍDERES SOBRE O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL DOS LIDERADOS

( ) Aprovado (a) em ___/___/2012

Banca Examinadora:

________________________________________________ Professor Orientador TAYRONE FELIX RIBEIRO:

________________________________________________ 1º Examinador- Professor (a): Instituição:

________________________________________________ 2º Examinador-Professor (a):

3


A INFLUÊNCIA DO COMPORTAMENTO DOS LÍDERES SOBRE O DESEMPENHO ORGANIZACIONAL DOS LIDERADOS Géssika Brito Viana 1 Tayrone Felix ² RESUMO: O presente estudo teve como objetivo analisar a influência do comportamento dos líderes sobre o desempenho organizacional dos liderados observando os estilos de liderança e suas influencias dentro de uma concessionária de automóveis situada em Vitoria da Conquista – Bahia. Para tanto avalia-se o comportamento dos líderes e identificando o estilo de liderança predominante na empresa. Foram aplicados questionários contendo dez perguntas para uma amostra de 25 funcionários, onde foi mensurada a influência dos líderes perante seus liderados. De acordo com os dados, pôde-se observar que a liderança da empresa influência o comportamento dos liderados por possuir algumas punições severas aos erros, por conversar eventualmente com seus liderados de forma clara e objetiva e por solicitar o auxílio dos liderados nas tomadas de decisões de forma esporádica. Diante disso, fica clara a importância de um líder dentro da organização, pois o mesmo tem a função de incentivar e motivar seus liderados com o intuito de obter resultados positivos e satisfatórios, estimulando a interação de todos dentro da organização. Palavras – chave: Liderança. Líderes. Liderados. Comportamento

ABSTRACT: This study aimed analyze the influence of the leaders behavior on the organizational performance of their team observing the styles of leadership and their influences in a car dealership set in Vitoria da Conquista – Bahia, evaluating the leaders behavior and identifying the kind of leadership predominant in the company. Questionnaires with ten questions were administered to a sample of 25 employees, in which was measured the leaders influence on their team. Based on the data, it was possible observing that the leadership influences the team behavior because of severe punishments of errors; the eventual, but clear and objective, conversation with the team; and by requesting the assistance of the team in decision making, sporadically. So, it is clear the importance of a leader in the organization, because he has the function of incentive and motivate their team aiming positives and satisfactory results, stimulating everybody’s interaction in the organization. Key-words: Leadership. Leader. Team. Behavior.

1

Graduando do curso de Administração da Faculdade Independente do Nordeste - FAINOR ² TCC orientado pelo professor Tayrone Felix

4


1. INTRODUÇÃO Nos últimos anos, as organizações têm passado por um processo de adaptação as novas tecnologias e as novas formas de administrar devido ao avanço no processo de globalização. Esse processo tende a instigar cada vez mais a concorrência entre as empresas. Com o advento da globalização e o cenário em constante evolução e extremamente competitivo, faz-se necessário à utilização de algumas ferramentas para manter a organização no mercado. Dentre elas, a liderança proporciona meios de otimizar os recursos dentro da organização, uma vez que os gestores desempenham um papel de influenciar ações no comportamento dos liderados, afetando de forma negativa ou positiva na execução das tarefas estabelecidas. Sendo assim, a liderança exerce um grau elevado de importância para o desempenho eficaz organizacional, com isso as organizações passam cada vez mais por transformações crescentes ligadas aos avanços na área científica e tecnológica, as quais levam as modificações nos processos de trabalho e na gestão de pessoas. Por conta das intensas mudanças, verifica-se nas organizações a importância de investir no capital humano e no desenvolvimento de habilidades que possam contribuir para o seu sucesso. E é através desse contexto que a figura do líder ganha destaque, pois possui a capacidade de influenciar um grupo e ajudá-lo a atingir suas metas. Para tanto, o líder precisa promover certos mecanismos que apoiam o relacionamento e o desenvolvimento da equipe de trabalho, a fim de mitigar possíveis problemas de relacionamento interpessoais, buscando conseguir um ponto de congruência com seus liderados. O líder deve colocar como foco principal a integração e a motivação da equipe de trabalho. As organizações possuem o desafio de constituir uma política motivacional visando à capacidade profissional de seus colaboradores, com o objetivo de almejar e conquistar metas. Sendo assim, o líder exercerá um papel de extrema importância para o sucesso dessa política dentro da organização, que na maioria das vezes implica-se nas atitudes do mesmo em relação aos seus liderados. Podem-se perceber essas atitudes através do tratamento entre 5


o liderado, a maneira como se comunicam e o modo como coordena sua equipe. Atualmente ocorrem transformações que impactam de forma direta a economia da organização, por isso torna-se necessário desempenhar um trabalho em conjunto, procurando estabelecer um espírito de equipe com compromisso

entre

seus

colaboradores,

essas

práticas

dependem

especificamente da liderança e da sua maneira de liderar. Com o objetivo de exigir mais dos colaboradores dentro da organização, surge a necessidade de desenvolver aptidões para o trabalho em equipe e para adaptação de mudanças em determinados tipos de atividades onde a liderança será exercida. Na maioria das vezes, os líderes demonstram algumas atitudes negativas perante seus liderados sem perceber, gerando a desmotivação dos seus liderados no ambiente de trabalho que resultará em prejuízos para a organização. Neste contexto, esse estudo tem como problema investigar quais os fatores que influenciam os líderes na mudança do comportamento com os liderados, sendo que o objetivo geral deste trabalho é avaliar como o comportamento dos líderes pode influenciar o desempenho organizacional dos liderados, e específicos: analisar o poder de influência dos líderes, a ponto de gerar mudanças no comportamento dos liderados, identificar os estilos de liderança predominante na empresa e verificar que comportamentos são gerados em função dos estilos de liderança. Segundo Gardner (1987, p.5) Não existe líder sem liderados. Tampouco é possível prever a efetividade de um líder sem levar em conta o contexto. Afinal, o processo de liderança não acontece no vácuo. Ele existe em um ambiente permeado por “necessidades, aspirações, valores, esperanças e medos compartilhados” por líder e liderados) que “determina que tipos de líderes emergirão e o que será esperado deles”

No ambiente organizacional, o líder é um dos atores que mais influencia a criatividade dos subordinados. Por sua posição de destaque, serve como modelo de comportamento para toda a organização. Por sua participação 6


na tomada de decisões, pode orientar de forma favorável a criatividade e a inovação da organização. Portanto, a equipe precisa sentir-se como parte do negócio e entender a importância do seu trabalho para alcançar a superação de metas, sendo esse um papel primordial esperado da liderança, não basta às organizações fornecer ótimas recompensas para a equipe, se essa equipe não for liderada com atitudes positivas como: ética, respeito e reconhecimento das características e das necessidades individuais (Matos, 2008). Na busca de respostas para se obter um bom relacionamento entre os líderes e os liderados dentro de uma organização, a realização do presente artigo vem proporcionar uma avaliação sobre o comportamento dos líderes perante seus liderados segundo o estilo de liderança que é exercido sobre ele, essa justificativa baseia-se na necessidade de conhecer e analisar o papel dos líderes

e

suas

influências

sobre

o

desempenho

organizacional

no

comportamento dos seus liderados, sendo o mesmo importante para identificar os fatores que caracterizam essa influência e com o propósito de permitir aos colaboradores e aos gestores, uma maior compreensão das habilidades de liderança, contribuindo assim, para uma maior interação entre indivíduo e organização, estabelecendo a partir dos conhecimentos produzidos, as informações determinantes para as políticas gerenciais e consolidação da relação líderes e liderados na empresa.

2. REVISÃO DE LITERATURA Para melhor compreender o assunto em questão, é importante refletir primeiramente sobre a definição de alguns termos relacionados que são frequentemente utilizados neste trabalho, cuja fonte utilizada é o dicionário Aurélio XXI: LÍDER: 1. Indivíduo que chefia, comanda e/ou orienta, em qualquer tipo de ação, empresa ou linha de ideias. 2. Guia chefe ou condutor que representa um grupo, uma corrente de opinião, etc. LIDERANÇA: 1. Função de líder. 2. Capacidade de liderar; espírito de chefia. 3. forma de dominação baseada no prestígio pessoal e aceita pelos dirigidos. 7


LIDERADO: 1. Aquele que está sob a liderança de outrem, que obedece a um líder.

Segundo Chiavenato (2000), a liderança é um processo-chave em toda organização e tem sido uma preocupação constante, tanto das organizações que dela necessitam como também de teóricos e pesquisadores. Os líderes causam um profundo impacto na vida das pessoas e das organizações. Por essas razões, a complexidade do assunto tem levado a uma infinidade de teorias e tentativas de explicações sobre o que é liderança. De acordo Monteiro (2010), muitos líderes ainda não sabem como liderar, têm ainda a mentalidade de chefia (liderança do passado), de tirania, e hoje sabemos que o líder tem que ser uma pessoa flexível, que saiba ouvir seus liderados, que ofereça ajuda que saiba se comunicar, entre outras características. Liderar é obter resultado através de outras pessoas, é influenciar pessoas ou grupos de pessoas para que esses desenvolvam mecanismos para atingir um objetivo comum, é a utilização de todos os recursos disponíveis para promover a motivação entre os liderados e a realização dos objetivos comuns, é controlar as emoções para poder gerenciar a própria motivação e a dos liderados (Levek; Malschitzky, 2002). A liderança envolve três elementos: líder, liderados e contexto. Pode ser definido como um processo pelo qual um indivíduo leva um grupo de indivíduos a alcançar uma meta comum (Northouse, 2007). O líder deve ter um excelente grau de preparação, autoconhecimento e uma boa maturidade, importantes para exercer papéis de gerenciamento que visam melhorar a eficiência e agilidades nos processos administrativos, isso se torna imprescindível para o sucesso das equipes. Para que a liderança traga bons resultados para o líder, liderados e organização é preciso saber liderar, ter atitudes positivas com os colaboradores. Maturidade é importante para um líder porque liderar não é simplesmente mostrar o caminho e dar ordens. Todo líder precisa ter passado pela experiência de ser um seguidor, ou seja, ter aprendido a ser dedicado, obediente, capaz de trabalhar e aprender com outras pessoas, não ser servil e sempre ser honesto. (BENNIS, 1996, p. 39) 8


De acordo Monteiro (2010), um líder é estabelecido por seu comportamento, pois suas atitudes marcam sua imagem de maneira indelével no inconsciente das pessoas, para as quais se tornam significativas. Ser um líder é uma tarefa com um nível de dificuldade semelhante a qualquer outra posição, mas se transformar em líder é um processo de aprendizagem comum a qualquer indivíduo em função de todos serem dotados com essa capacidade, pois de alguma forma qualquer pessoa já vivenciou uma situação em que teve que exercer uma liderança ainda que de forma empírica, como se estivesse em uma situação formal. A liderança instala-se pela emoção, pois existem componentes emocionais no exercício da mesma. Bennis (1996) afirma que os indivíduos capazes de se expressar plenamente e conhecendo seu eu, suas forças e fraquezas, por um ato de livre arbítrio se tornaram líderes de excelência. Os líderes são pessoas significativas para os liderados, elas possuem a capacidade de orientar em decisões importantes, apóiam em momento de fragilidade.

Teoria dos Estilos de Liderança Antigamente os estudos realizados sobre liderança, sugeriam que os líderes possuíssem características de personalidade especiais, tornando-as principais fontes facilitadoras na execução do papel de liderar, dessa forma eles iriam se destacar e se diferenciar das outras pessoas. De acordo com Stoner e Freeman (1999), “a escolha do estilo de liderança deve ser influenciada por várias forças que existem no administrador, nos subordinados e na situação de trabalho”. Quadro 1 – Teoria dos estilos de liderança ASPECTOS

LIDERANÇA AUTOCRÁTICA

LIDERANÇA DEMOCRÁTICA

LIDERANÇA LIBERAL

TOMADA DE DECISÕES

Apenas o líder decide e fixa as diretrizes, sem qualquer participação do grupo.

Total liberdade para As diretrizes são debatidas e tomada de decisões decididas pelo grupo que é grupais ou individuais, estimulado e assistido pelo com participação líder mínima do líder.

9


PROGRAMAÇÃ O DOS

TRABALHOS

DIVISÃO DO TRABALHO

PARTICIPAÇÃO

A participação do líder O próprio grupo esboça O líder determina no debate é limitada, providências e técnicas para providências para a apresentando apenas garantir o alvo com o execução das tarefas, uma alternativas ao grupo, aconselhamento técnico do por vez, na medida em que esclarecendo que líder. As tarefas ganham são necessárias e de modo poderia fornecer novos contornos com os imprevisível para o grupo. informações desde que debates solicitadas. O líder determina qual a tarefa que cada um deverá executar e qual seu companheiro de trabalho

A divisão das tarefas fica a Tanto a divisão das critério do grupo e cada tarefas como a escolha membro tem liberdade de dos colegas fica por escolher seus próprios conta do grupo. colegas Absoluta falta do líder

O líder não faz O líder é pessoal e O líder procura ser um nenhuma tentativa de dominador nos elogios e nas membro normal do grupo. É avaliar ou regular o críticas ao trabalho de cada objetivo e estimula com curso das coisas. Faz um fatos, elogios ou críticas. apenas comentários quando perguntado

Fonte: CHIAVENATO (2000, p. 213).

A teoria dos estilos de liderança citada acima é caracterizada por distintos comportamentos que se modificam de acordo a situação. Outro aspecto importante é a interação entre o liderado e o líder através de consulta informal ou formal. É necessário que cada líder conheça o seu estilo de liderança a fim de consolidar seus objetivos e suas ações, desenvolvendo um paramento entre a sua visão e a dos seus colaboradores.

Estilos de liderança e influência exercida nos liderados Na maioria dos grupos sociais sempre se destaca um líder cujas decisões irão direcionar para ações coletivas, que nem sempre terá resultados positivos, pois está relacionada ao tipo de liderança predominante. É necessário obter um conhecimento sobre o estilo de liderança e sua influencias sobre os liderados. Um dos papéis de extrema importância para o líder é a visão. Segundo Lück (2002, p.12), ao relacionar estas ideias aos líderes escolares, destaca que “Diretores eficazes têm uma visão de suas escolas e têm noção clara de que seu papel é transformar esta visão em realidade”. Para que o líder tenha um resultado almejado, ele precisa que todos colaboradores estejam enquadrados 10


na mesma visão, onde irão seguir seus comandos. Sendo assim, faz-se necessário uma boa comunicação para que os comandos sejam atendidos de forma desejada. Além da visão e comunicação é importante a maneira de liderar de cada indivíduo, pois essa maneira de liderar irá trazer malefícios ou benéficos na organização conforme a pré-disposição do líder ou do liderado em aceitar mudanças. Para Minicucci (1995) é necessário fazer uma pesquisa analisando diferentes estios de liderança, os climas socais resultantes e seus impactos. Segundo ele, existem três tipos básicos de liderança: autocrática, permissiva ou laissez-faire e a democrática. A liderança autocrática: tem por características líderes que fixam as diretrizes e que decidem sem participação do grupo, estabelece por vez as providencias para execução das tarefas na medida em que for necessário e imprevisível para o grupo. Determina qual companheiro de trabalho e qual tarefa deverá ser executada por cada um. A sua participação nas atividades é considerada dominador e radical nas criticas ao trabalho e nos elogios de cada membro do grupo. O comportamento do grupo liderado por este tipo de liderança demonstra tensão, agressividade, frustração e iniciativa, geralmente não manifesta satisfação com relação ao trabalho, só desenvolvem as atividades com a presença do líder, caso o mesmo se ausenta ou sai, às atividades pararam e os grupos chegaram a explosões de agressividade e indisciplina por causa dos sentimentos reprimidos. Esse tipo de liderança agrada aos liderados inseguros que só agem através do comando, ou daqueles que durante a infância nunca tiveram que decidir, sempre ficou a cargo dos pais. Essa liderança é considerada direta, existem situações que é necessário a este de tipo de liderança para alcançar os objetivos. A liderança permissiva ou laissez–faire: tem por características a liberdade dos liderados em tomar decisões individuais ou grupais. Onde a participação do líder é mínima, desenvolvendo alternativas variadas e esclarecendo informações a grupos desde que for solicitado. As escolhas dos colegas e a divisão das tarefas ficam a cargo do grupo, sem absoluta participação do líder. O líder não faz tentativa de regular ou avaliar o 11


andamento dos processos, só faz comentários e objeções sobre atividades quando dor solicitado. O comportamento do grupo liderado por este tipo de liderança na maioria das vezes e individualista, e os resultados não são satisfatórios porque o grupo não promove a socialização. As atividades são desenvolvidas ao acaso e com suscitações, perdendo tempo com discussões por motivos pessoais do que profissionais referentes ao trabalho. Na liderança democrática: tem por características o líder discutir as diretrizes e decidi-las. O grupo expõe as técnicas e providências para alcançar os objetivos com o acompanhamento do líder quando for necessário. As tarefas são divididas a critério dos grupos adquirindo novas perspectivas e cada colaborador tem a liberdade de escolher seu companheiro de trabalho. O líder é objetivo, atuante, consultivo e orientador, limitando-se as critica e elogios procurando se torna um membro do grupo. O comportamento do grupo liderado por este tipo de liderança demonstra uma comunicação espontânea, cordial e franca, desenvolvendo as atividades de forma segura e suave sem alterações mesmo na ausência do líder.

Este

tipo

de

liderança

oferece

uma

integração

grupal

com

comprometimento e responsabilidade, gerando um clima satisfatório dentro da organização. É preciso saber ser autocrático, democrático ou permissivo de acordo com a situação é preciso conhecer o subordinado para poder utilizar a liderança compreensivelmente. Nem todas as pessoas expressam o mesmo tipo de comportamento e a cada tipo de comportamento ou situação concomitantemente se exercerá determinado tipo de liderança. (MINICUCCI, 1995, p. 298)

Independente do estilo de liderança, o líder deve ter a consciência que seu dever é envolver seus liderados e conduzi-los à execução das tarefas em diferentes momentos e circunstâncias. “O que deve ser evidente é que a seleção do estilo adequado depende da natureza do problema, da situação, como também dos indivíduos.” (Lück, 2002, p.54).

LIDERANÇAS E SUAS INFLUÊNCIAS ORGANIZACIONAIS 12


A importância da liderança para as organizações. A liderança impulsiona os outros a quererem lutar por suas aspirações, estimulando as pessoas a desenvolverem tarefas relativamente simples ou complexas. Hoje em dia se estabelece uma liderança que possui a capacidade de moldar com agilidade o posicionamento do líder, mediante as situações do cotidiano referentes a atividades exercidas. Para Bennis (1996, p. 78), “a presença do líder é importante para a eficácia das organizações, para as frequentes turbulências e mudanças do ambiente e para a integridade das instituições”. A Liderança faz-se necessária em um ambiente em constantes modificações, pois é a força direcionadora e incentivadora que impulsiona o desenvolvimento da organização e a sua permanência nesse contexto.

[...] deverá ter um profundo conhecimento da empresa, seu pensamento sobre ela tem um tom filosófico, e influencia aqueles à sua volta a trabalharem de forma mais inovadora e decisiva. Por sua experiência de trabalho direto com tantas pessoas na empresa através dos anos, conhece-lhes as habilidades e utiliza este conhecimento direcionando recursos para onde são necessários. É um facilitador de poder que ajuda a determinar como o trabalho será realmente obtido (HELGESEN, 1996, p. 48).

A liderança é importante nas organizações por ter a capacidade de influenciar no comportamento dos colaboradores. Mais essa influência é feita por intermédio dos gerentes ou líderes, mediante as visões da realidade nas organizações. Tendo os mesmos, o objetivo de desenvolver capacitações, regras, normas, procedimentos e habilidades para que os colaboradores desenvolvam suas atividades de forma eficaz, gerando assim, resultados satisfatórios para a organização.

Impactos das atitudes negativas dos líderes sobre os liderados

Nas organizações a liderança passou a ser fundamental, podendo observar as atitudes que impactam diretamente as ações do lideres perante a

13


reação dos liderados, logo que as atitudes forem negativas podem causar conflitos nas organizações com relação aos liderados. Para que a equipe alcance e supere suas metas é necessário que a mesma se sinta como parte do negócio entendendo a sua importância no desenvolvimento do seu trabalho, sendo primordial para a liderança o desenvolvimento desse papel. Portanto, uma atitude negativa do líder dentro de uma organização pode ocasionar um impacto nas atitudes dos liderados gerando um aumento na rotatividade, uma queda na produção, insegurança, total desmotivação e desperdício. Segundo Valdemir Bueno (2011), existem algumas causas que geram atitudes negativas nos liderados: 

Medo: Gera um sentimento do pessimismo e da desonestidade O liderado deixa de demonstrar sua habilidade, potencial e de sugerir ideias por ter medo de ser punido mediante o fracasso.

Falta de Comprometimento: Ocorre quando as injustiças são causadas por arrogância e desonestidade. O liderado não se empenha e nem se envolve nas funções.

Falta de harmonia na equipe: É ocasionado pela desonestidade e agressividade, pois o ambiente de trabalho movido pela desconfiança o que acaba prejudicando o trabalho em equipe.

Autoestima baixa: É gerado pela desonestidade e arrogância. O liderado não acredita mais em si mesmo estimulando sentimos de incapacidade mediante os desafios.

Insegurança: É um sentimento da desonestidade. O liderado não tem seu lugar na organização firmado, sendo assim, não se sente parte da organização, temendo por mudanças deixando se envolver por fofocas e boatos, pois a sua autoestima está prejudicada.

14


Desmotivação:

Desenvolve

todas

as

características

negativas

existentes na liderança, pois estimula a infelicidade e a queda da motivação. O liderado acaba se transformando chegando a ponto de perder seus talentos, diminuir o faturamento da empresa e ainda passa informações para a concorrência. Portanto, as atitudes negativas dos líderes comprometem os fatores sócios, financeiros, psicológicos e pessoais dos liderados. Por conta desse impacto a vida profissional do liderado afetada de forma direta, e isto consequentemente poderá gerar a perda do rendimento ocasionado doenças ocupacionais (fadiga, stress, absenteísmo, entre outros). Sendo assim, as organizações necessitam estar atentas ao desenvolvimento dos líderes para prevenir estes tipos de doenças e fatores que venham prejudicar o liderado no seu desenvolvimento organizacional.

3. METODOLOGIA A metodologia utilizada nessa pesquisa é de caráter exploratória descritiva, realizada através de um estudo de caso. A pesquisa foi realizada em uma concessionária de automóveis situada em Vitoria da Conquista – Bahia, há 29 anos, onde a mesma tem como foco atender aos objetivos e necessidades da sua clientela no que concerne aos produtos e serviços Volkswagen. Para se obter informações sobre a influência do comportamento dos líderes sobre o desempenho organizacional dos liderados foram aplicados questionário contendo 10 perguntas para uma amostra de 25 funcionários. Mugrabi e Doxsey (2003, p. 53) afirmam que, O questionário pode ser aplicado através de entrevista individual, ou seja, com o/a entrevistador/a registrando as respostas. Também, pode ser auto preenchido, acompanhado com instruções escritas para cada item ou bateria de perguntas. [...] Laville e Dionne (1999) classificam os questionários em três categorias: instrumentos com perguntas fechadas, com perguntas abertas e os que combinam os dois tipos de perguntas. [...] Como instrumento de pesquisa o questionário tem limitações, vantagens e desvantagens. 15


Compete a nós os pesquisadores/as construir os melhores meios de coletar os dados.

Após o levantamento de dados com o auxílio dos questionários é possível analisar fatos reais da empresa com o objetivo de mensurar a influência dos lideres perante seus liderados

RESULTADOS E DISCUSÃO Com base no questionário aplicado na empresa Movel Motores e Veículos Ltda, pode-se observar claramente que a liderança da empresa influência no comportamento dos seus liderados. Este dado é comprovado mediante a análise dos gráficos abaixo: Gráfico 1 - A administração conversa francamente com os funcionários. Vitória da Conquista (BA) 2012. 12%

20%

SEMPRE QUASE SEMPRE

20%

8% EVENTUALMENTE RARAMENTE

40%

NUNCA

Fonte: Viana (2012).

Ao serem questionados se a administração conversa francamente com os funcionários, 20% responderam que sempre; 8% quase sempre; 40% eventualmente; 20% raramente e 12% nunca. Sendo assim, fica demonstrado que existe uma relação aberta e franca dos líderes com os colaboradores, para 20% dos participantes do estudo. Entretanto, para 80% isso ocorre raramente ou nunca, quantitativo que deve ser avaliado pela organização, para melhorar o canal de comunicação De acordo Bueno (2011), para que a liderança traga bons resultados para o líder, liderados e organização é preciso saber liderar, ter atitudes positivas com os colaboradores. Mas muitos líderes ainda não sabem como liderar, têm ainda a mentalidade de chefia (liderança do passado), de tirania, e hoje sabemos que 16


o líder tem que ser uma pessoa flexível, que saiba ouvir seus liderados, que ofereça ajuda que saiba se comunicar, entre outras características. Gráfico 2 - A empresa possui punições severas para os erros. Vitória da Conquista (BA) 2012. 8%

8%

0% SEMPRE QUASE SEMPRE

52%

EVENTUALMENTE RARAMENTE

32%

NUNCA

Fonte: Viana (2012).

Os colaboradores foram questionados se a empresa possui punições severas para aqueles que cometem erros; 52% responderam que sempre; 32% quase sempre; 18% eventualmente; 8% raramente e 0% nunca. Através da composição desse gráfico pode-se perceber que há um alto índice de punições para aqueles que cometem erros. Para Bueno (2011), quando um líder não apresenta todas as características necessárias podem trazer muito prejuízo para a organização, promovendo a desmotivação, a insegurança, o desequilíbrio e o terrorismo, inibindo o desenvolvimento das pessoas a sua volta. Gráfico 3 - O seu líder mostra-se interessado em solucionar os problemas e ajudar quando necessário. Vitória da Conquista (BA) 2012. 12%

0%

SEMPRE

4% QUASE SEMPRE

24%

60%

EVENTUALMENTE RARAMENTE NUNCA

Fonte: Viana (2012).

17


A abordagem feita aos colaboradores em relação aos interesses dos líderes em solucionar os problemas e ajudar quando necessário, mostrou que 60% dos funcionários responderam que sempre; 24% quase sempre; 4% eventualmente; 12% raramente e 0% nunca. Embora a maioria (88%) perceba positivamente o conjunto analisado, a empresa deve acompanhar os 12% de colaboradores que não conseguem ver, na liderança, interesse em solucionar os problemas e ajudar quando necessário. O interesse dos líderes em participarem da solução dos problemas é determinante para o equilíbrio da equipe, sendo que de acordo o exposto, há uma boa iniciativa do líder no envolvimento com os problemas e soluções dos subordinados, aspecto considerado desejável na concepção de Chiavenato (1994) e Bennis (1994). Gráfico 4 - Há espaço para os colaboradores tomarem decisões. Vitória da Conquista (BA) 2012. 20%

SEMPRE

8%

12%

QUASE SEMPRE EVENTUALMENTE

20% RARAMENTE

40%

NUNCA

Fonte: Viana (2012).

Em relação à tomada de decisões, foi perguntado se há espaço para os colaboradores tomarem decisões, 8% responderam que sempre; 12% quase sempre; 20% responderam que eventualmente, sendo que 20% responderam que nunca e 40% raramente. Por mais que haja uma boa comunicação entre líder e subordinado e que os mesmos estimulam a participação de todos no grupo, o processo de tomada de decisões parte somente da liderança, o que prejudica algumas vezes na execução de certas tarefas. Vale uma reflexão por parte da empresa para os 60% que não conseguem perceber o espaço para tomar decisões. Na concepção de alguns autores como Bateman, Snell e Bennis (1996), 18


as organizações têm muita gente com boas ideias, mas que não encontra espaço para apresentá-las. Gráfico 5 - Você recebe informações do seu líder em relação ao seu trabalho. Vitória da Conquista (BA) 2012. 13%

SEMPRE

17%

43%

QUASE SEMPRE EVENTUALMENTE RARAMENTE

7% 20%

NUNCA

Fonte: Viana (2012).

Este gráfico demonstra que 43% dos colaboradores consideram que sempre recebem informações em relação ao trabalho; 20% quase sempre; 7% eventualmente; 17% raramente e 13% nunca. Essas informações contribuem para o desenvolvimento dos colaboradores, pois através das mesmas os funcionários identificam aquilo que esta acertando ou errando. Segundo Helgesen (1996, p 48), é importante que o líder tenha conhecimento sobre a empresa, e que passe informações desse conhecimento para seus colaboradores, com o objetivo de solucionar problemas e os conflitos. Diante do exposto percebeu-se que os colaborados tem grande ideia mais se sentem inibidos para expor as mesmas, devido à limitação de oportunidades para apresentá-las. E por mais que empresa ofereça informações sobre as atividades exercidas pelos colaboradores, mesmo assim existe um alto índice de insatisfação, pois os mesmo se sentem retraídos pelo fato de não poderem tomar certas decisões no cotidiano. Desse ponto de vista é necessário que haja uma maior interação entre os líderes e os liderados no intuito de contribuir positivamente no processo de tomada de decisão. Por parte dos líderes deve ser levado em conta o entendimento do perfil de cada colaborador, já que estes determinam e representam o foco de trabalho da organização, considerando o que estes desejam, torna-se necessário ouvir opiniões e mensurar o que se faz 19


importante e que agregue valores para organização, facilitando e contribuindo para a tomada de decisão. Dessa forma, as possibilidades de sucesso do setor serão maiores e pode colaborar de forma direta para o aumento da produtividade e da qualidade dos serviços.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Através das informações coletadas por meio de questionários aplicados foi possível comprovar a importância do líder dentro da organização. De acordo com apresentação dos gráficos, destaca-se que os líderes têm o poder de influenciar no comportamento dos seus liderados e que o sucesso da organização depende de como os estilos de liderança são exercidos sobre diversos comportamentos. A liderança exercida varia de acordo com a situação. É importante que o líder converse francamente com os seus liderados expondo quais os objetivos da empresa, analisando os erros para que possam ser resolvidos e aprimorando os acertos, com o intuito de alcançar os objetivos, estimulando, assim, a participação de todos dentro da empresa. Neste contexto, os resultados representam de forma clara que os líderes influenciam no comportamento dos seus liderados, onde o estilo de liderança que mais predominou na empresa foi o autocrático, com um posicionamento que denota o comportamento de liderança centralizadora nas tomadas de decisões. Em determinadas situações manifestaram o estilo democrático, com ações que deixam transparecer a ênfase que é dada na equipe. Sendo assim, para que a organização progrida faz-se necessário uma liderança eficaz e eficiente com auxílio de um líder que tornar real os objetivos de forma positiva estando atento às diversas situações demonstrando interesse em solucionar os problemas quando necessário, para que o grupo seja motivado e que tenha comprometimento na realização das atividades para o alcance dos objetivos.

20


REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS BENNIS, Warren. A formação do líder. Tradução de Marcelo Levy. São Paulo: Atlas, 1996. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 6 ed. Rio de Janeiro; Campus, 2000. CHIAVENATO, I. Gerenciando com as pessoas: transformando o executivo em um excelente gestor de pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier Campus, 2005. NORTHOUSE, Peter. Leadership: Theory and Practice. 4a ed. Thousand Oaks: Sage, 2007 HELGESEN, Sally. Liderando pela base. In: DRUCKER, Peter Ferdinand. O líder do futuro: visões, estratégias e práticas para uma nova era. Tradução de Cynthia Azevedo. São Paulo: Futura, 1996. JUNG, Dongil; WU, Anne; CHOW, Chee. Towards understanding the direct and indirect effects of CEO´s transformational leadership on firm innovation. The Leadership Quarterly, v.19, p. 582-594, 2008. LEVEK, A. R. H. C.; MALSCHITZKY N. Liderança. In: Gestão do capital humano. Coleção Gestão Empresarial. Curitiba - PR: AFESBJ, FAE, Business School, Gazeta do Povo, 2002, pág. 33-46. LÜCK, Heloísa et al. A Escola Participativa: o trabalho do gestor escolar. 6ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. MATOS, F. G.; Ética na Gestão Empresarial: da Conscientização a Ação. São Paulo, 2008. MINICUCCI, Agostinho. Psicologia Aplicada à Administração. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 1995. MUGRABI, Edivanda; DOXSEY, Jaime. Introdução à Pesquisa educacional. Fascículo 1. NE@AD, UFES, 2003. STONER, James A. F. e FREEMAN, R. Edward. Administração. Tradução de Alves Calado 5ª ed., Rio de. Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1999. VIANA, Gessika B. Pesquisa sobre a Influência do comportamento dos líderes sobre o desempenho organizacional dos liderados realizada na empresa Movel Motores e Veículos Ltda., 2012. Artigo: BUENO, Valdemir. Impactos das atitudes negativas dos lideres sobre os liderados. Rev. Npi/Fmr. set. 2011. Disponível em: http://www.fmr.edu.br/npi.htm - pesquisado no dia 13-08-12. Artigo: Cristiana Gonçalves Monteiro. O efeito do estilo de liderança no comportamento criativo dos liderados. Janeiro – 2010 Disponível em: 21


http://www.ibmecrj.br/sub/RJ/files/dissert_mestrado/ADM_cristianamonteiro_ag o10.pdf pesquisado em 22-08-12 Artigo: Circe Mary Silva da Silva, ETAL. Metodologia da Pesquisa em Educação do Campo, 2009 - disponível em: www.inf.ufes.br/~falbo/ files/Metodologia Pesquisa-Moresi2003.pdf – pesquisado em 15-10-12. Artigo: Guerra, Antônio Irineu - Influência dos Estilos Gerenciais no Clima Organizacional – Dezembro – 2012 – Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br, pesquisado em 13-08-12

22

M01244  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you