Page 1

FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

LUCELIA DE JESUS VIEIRA

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SOBRE A ÉTICA NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO CONTÁBIL

VITÓRIA DA CONQUISTA / BA 2012


LUCELIA DE JESUS VIEIRA

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SOBRE A ÉTICA NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO CONTÁBIL

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao colegiado do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Independente do Nordeste, como requisito obrigatório para obtenção do título de Bacharel Ciências Contábeis. Orientador: Dirlêi Andrade Bonfim

VITÓRIA DA CONQUISTA / BA 2012


LUCELIA DE JESUS VIEIRA

PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SOBRE A ÉTICA NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO CONTÁBIL

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao colegiado do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Independente do Nordeste, como requisito obrigatório para obtenção do título de Bacharel Ciências Contábeis. Aprovado em: ____/____/_____.

BANCA EXAMINADORA

____________________________________ Dirlêi Andrade Bonfim, Ms - FAINOR Orientador ____________________________________ FAINOR 2º Membro ____________________________________ FAINOR 3º Membro


PERCEPÇÃO DOS ACADÊMICOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SOBRE A ÉTICA NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO CONTÁBIL Lucelia de Jesus Vieira* Dirlêi Andrade Bonfim ** RESUMO O profissional contábil exerce papel fundamental na sociedade, pois a partir das informações fornecidas por ele e pelos escritórios contábeis, que os usuários da contabilidade, no caso a clientela, tomam decisões empresariais e comerciais importantes. Diante desta concepção cabe um estudo acerca dos parâmetros éticos dentro da Contabilidade. Nesse intuito esse trabalho buscou apresentar reflexões sobre padrões e princípios inerentes à conduta ética do contador, seja em nível teórico, através de estudo bibliográfico, ou em nível prático, através de observação e análise de um questionário. Assim, o referencial teórico centra-se na ética contábil e as considerações são tecidas sobre as respostas obtidas pela manipulação de respostas obtidas nos questionários frente aos alunos do curso de ciências contábeis. Como resultado desse estudo, enumera-se que a ética deve ser vista como parâmetro indispensável para o exercício profissional da contabilidade, pois a mesma pode promover o desenvolvimento social de uma nação digna, tanto ao contador quanto a empresa crescimento, respeitabilidade, credibilidade e reconhecimento frente ao mercado e aos indivíduos que procuram os serviços da organização. Palavras-chave: Ética. Contabilidade. Sociedade. Conduta. Profissional. 1 INTRODUÇÃO Atualmente o mundo têm manifestado grande preocupação, provocada pela falta de valores éticos. Esse efeito foi provocado pela existência de um sistema econômico-financeiro,

com

bases

numa

relação

capital

trabalho,

onde

a

maximização do lucro é um objetivo que conduz indivíduos a comportamentos antiéticos no ambiente profissional. Verifica-se, neste contexto, uma degradação de alguns valores que direcionavam a sociedade nos seus posicionamentos morais básicos. Conduzindo, o indivíduo a adotar uma posição relativista em torno da vida. *

Graduanda do Curso de Ciências Contábeis, Faculdade Independente do Nordeste (FAINOR), 2012. E-mail: lugata21@hotmail.com. ** Mestre em Desenvolvimento Sustentável, UESC. Prof. da Faculdade Independente do Nordeste. Email: dirleibonfim@gmail.com


4

Devido à tipologia do seu trabalho os contabilistas também entram nesse sistema. Observa-se principalmente a partir do final do século XX e início do século XXI que o contabilista enfrenta um árduo desafio: distinguir os limites da honestidade e dignidade de seus atos. Os profissionais de contabilidade, no exercício de suas atividades, produzem informações que afetam diretamente a vida das pessoas, das entidades, do Fisco, de investidores, de clientes, de credores, de administradores e demais usuários, sem beneficiar qualquer um em particular. Ele deve saber identificar, com clareza, quais são os princípios morais que irão nortear a sua conduta, uma vez que, os princípios éticos aplicáveis a sua profissão representam a essência das intenções para viver a atuar na sociedade. Segundo Pegoraro (1999) somente o ser humano é ético ou a-ético, isto é, a partir de decisões e ações, o ser humano constrói sua imagem ao longo de sua vida, tem em suas mãos a possibilidade de escolher o caminho que deseja, sendo este o da justiça ou não. Assim, a profissão contábil e a ética precisam estar sintonizados na mais perfeita harmonia, pois um profissional que não adota a ética como bússola da sua profissão corre o grande risco de degradação da sua imagem e da sua classe. Nesse sentido, Sá (2000) aponta em sua análise sobre a ética trabalhista, que a profissão contábil pode enobrecer pela ação correta e competente, pode também ensejar a desmoralização, através da conduta inconveniente, com a quebra de princípios éticos.

Esta afirmação revela a importância do exercício profissional

dentro dos padrões de conduta ética. Como já apontado a Ética diz respeito aos princípios e valores de uma sociedade. Assim, na relação dessa com a Ciência Contábil e seus profissionais, pode-se referir que o contador deve possuir um comportamento ideal e sadio, o qual levará à credibilidade, respeito e valorização profissional perante seus clientes. Reconhecendo essa orientação, o profissional contábil estará desenvolvendo sua capacidade de exercer suas funções, de opinar livremente, enfim, de melhorar a qualidade de seus serviços. Assim, esse estudo objetivou analisar a percepção dos acadêmicos de ciências contábeis sobre a ética no exercício da profissão contábil. Especificamente, esse trabalho vem a identificar a importância da Ética no exercício da Profissão


5

Contábil, além de verificar a opinião dos acadêmicos de contabilidade sobre o código de ética no exercício da profissional contábil diante a sociedade. Perante essa evidenciação, esse trabalho vem responder a problemática seguinte: Qual a percepção dos acadêmicos de Ciências Contábeis sobre a Ética no exercício da profissão contábil? Portanto, esse trabalho vem mostrar, através de um estudo bibliográfico e uma pesquisa de campo, através da aplicação de um questionário, que os acadêmicos de ciências contábeis atribuem relação entre a ética e o exercício profissional. Sobre tal conceptualização, Sá (2000), denota que a profissão contábil consiste em um trabalho exercido habitualmente nas células sociais, com o objetivo de prestar informações e orientações baseadas na explicação dos fenômenos patrimoniais, ensejando o cumprimento de deveres sociais, legais, econômicos, tão como a tomada de decisão administrativa, além de servir de instrumentação histórica da vida da riqueza.

2 A ÉTICA

Pode então, conceituar a Ética como sendo a ciência que estuda a conduta dos seres humanos, analisando os meios que devem ser empregados para que a referida conduta se reverta sempre em favor do homem (SÁ, 2004). Segundo Sá (2007), em toda e qualquer profissão, há de se haver ética, pois é um ponto norteador no qual uma sociedade busca viver com dignidade. E a ética profissional por sua vez, é a aplicação da ética geral no campo das atividades profissionais; a pessoa tem que estar imbuída de certos princípios ou valores próprios do ser humano para vivê-los nas suas atividades de trabalho (CAMARGO, 2003). De acordo Sá (1996 apud CAMARGO, 2003 p. 32) “Cada conjunto de profissionais deve seguir uma conduta que permita a evolução harmônica do trabalho de todos, a partir da conduta de cada um, através de uma tutela no trabalho que conduza a regulação do individualismo perante o coletivo”. Afirmando a idéia do autor todos devem saber respeitar o espaço do outro com certa precisão


6

conhecendo os caminhos de que cada tem de seguir profissionalmente quando é afirmado pelo autor o individualismo perante o coletivo. A ética é condição essencial para exercício de qualquer profissão (FRANCO, 1991 apud CAMARGO, 2003). Pois, cabe a todo acadêmico desde o inicio de sua vida estudantil ser ético e ter como um dos princípios fundamentais essa condição moral como pessoal e profissional. Aquele acadêmico em período de aprendizado que não respeita ao seu próximo, burla as regras de sua instituição, logo apresentará futuramente que sua carreira profissional poderá ser promissora e que certamente agirá perante a sociedade sem nenhuma conduta moral ou ética. Afirma Silva (1994 apud CAMARGO, 2003, p. 21) “De um modo geral a ética é a ciência que tem por objetivo a finalidade da vida humana e os meios para que isto seja alcançado. Este conceito nos remete que a ética é sem dúvida a conduta na qual todo e qualquer ser humano precisa ser, ético, e ter esse objetivo perante a si e aos seus semelhantes. Por isso confirma Martins (1990 apud CAMARGO, 2003, p. 21) “Vejo a ética como caminho para a busca do aperfeiçoamento humano. A ética profissional, ou simplesmente a moral profissional, também pode ser chamada de deontologia e compreende o estudo dos conceitos do direito e do dever (FIPECAFI, 2006). Segundo Passos (2011) hoje agir com compostura e ética são umas das melhores armas que profissional contábil consegue chegar a sua realização profissional, pois os valores morais em muitas profissões assim com também na área contábil esta muito a ser desejada fazendo com que se perca o valor perante a sociedade. Assim por exemplo, a um contador não basta oferecer a seu cliente a informação sobre o movimento de sua empresa. É necessário explicar o que os dados significam e como interpretá-los. O dever não cessa com a entrega de um balanço e seus anexos, mas amplia-se ate a evidência dos riscos que corre a empresa com as ineficácias de medidas que foram ou ainda deverão ser tomadas. Para Fortes (2005) o estudo da ética e do conjunto de hábitos, costumes, atitudes e reações do ser humano diante do lugar e do meio social em que vive tem ligação estreita com o que podemos chamar de bem, mal, moral e imoral. Todo ser humano ao vir ao mundo e este mesmo passando a conviver em sociedade, começando pela família ou em outros grupos sociais, tais como escolas,


7

igrejas, orfanatos, etc, e a medida que vai crescendo vai surgindo novas formas de hábitos e costumes. Um exemplo bem comum é quando é observado o comportamento das crianças no pré, ao estarem todos ali em um grupo fora do seu que é o familiar podemos observar qual é a conduta que cada criança já traz do seu convívio domiciliar. Muitos destes apresentam logo no inicio um comportamento promissor que mais tarde fará com que sua conduta ética e moral vão ser menos importante para seu alcance profissional se é que muitos devido não trazerem consigo da de berço a importância de ser honesto não chegam nem a isto. A convivência humana é o fato gerador do comportamento ético ou antiético, sendo, portanto, os problemas das relações sociais entre as pessoas que geram as questões éticas. Por conseguinte, ninguém pode esquecer-se da lição básica vinculada à ética, ou seja, o direito de uma pessoa terminar no ponto em que inicia o direito da outra (FORTES, 2005 apud NUNES; LEITE; SOUZA, 2010, p. 3).

O ser humano demonstra em seu comportamento um conjunto de mudanças relacionado em atitudes e reações dele próprio que está diante dos fatos e do meio em que ele habita e este comportamento se da pela evolução da sociedade determinado por varias conseqüências impostas no meio social.

2.1 ÉTICA CONTÁBIL

Ética é uma reflexão sobre a moral social. Assim, ela está ligada diretamente a reflexão dos nossos atos, por mais corriqueiros que possam parecer. Na área contábil, devido a um emaranhado de variáveis e também da tensão de interesses, faz-se interessante o Contador manter uma postura vigilante, crítica e ponderada acerca das decisões que a todo o momento tem que tomar. Código de ética profissional do Contabilista, como fonte orientadora da conduta dos profissionais da classe contábil brasileira, tem por objetivo fixar a forma pela qual se devem conduzir os profissionais da contabilidade, sobretudo no exercício das suas atividades e prerrogativas profissionais estabelecidas na legislação vigente (FORTES, 2002, p. 117).

O profissional da contabilidade deve obedecer às normas técnicas bem como normas legais. Deve ter senso apurado para trabalhar o equilíbrio do que é melhor para o seu cliente.


8

A Ética que diz respeito aos princípios e valores de uma sociedade, no que tange a Ciência Contábil refere-se ao comportamento ideal e sadio que o contador deve possuir, o qual levará à credibilidade, respeito e valorização profissional perante seus clientes. Obedecendo à orientação desta ciência da moral, o profissional contábil estará desenvolvendo sua capacidade de exercer suas funções, de opinar livremente, de guardar segredos [...] enfim, de melhorar a qualidade de seus serviços (NUNES; FREITAS, 2004).

Partindo desse pressuposto, o código de ética propôs ao contabilista o procedimento correto do exercício da profissão, afim de garantir a idoneidade do profissional e, também do patrimônio do cliente. Na lei citada acima existe dois pilares fundamentais da ética, entre eles são: os princípios e as regras. O primeiro diz respeito à idoneidade do profissional já o segundo diz respeito à disciplina que o contador deve ter perante o cliente (empresário) e, também para a sociedade em geral. Sobre essa temática Silva e Speroni (1998, p. 78) afirmam que: “[...] a ética profissional tem como premissa maior o relacionamento do profissional com seus clientes e com outros profissionais, levando em conta valores como a dignidade humana, autorrealização e sociabilidade.” A figura do Contador, por muitos anos, era associada à de um manipulador de números, um alquimista capaz de transformar lucro em prejuízo e outras coisas mais. Com o avanço do Estado sobre os contribuintes, que cada vez mais se municia de armas que a tecnologia da informação dispõe, torna-se mais complicado enganar o Fisco. E o Novo Código Civil tornou a cumplicidade do Contador mais perigosa. O ápice da consciência profissional em Contabilidade encontra-se nessa imensa responsabilidade de servir a todo o social, [...] pela importância inequívoca que têm, as responsabilidades pela produção de provas, informes qualificados, análises e opiniões (SÁ, 2004, p.138).

Neste contexto observa-se que no mercado profissional de contabilidade, a transparência nas informações, torna-se um dos princípios básicos da ética, isto porque em uma visão moderna o objetivo central da contabilidade é o de prover seus usuários de informação útil para a tomada de decisão e avaliação, pois entende-se que a contabilidade busca mensurar as transações econômicas e financeiras de uma entidade. Através de informações divulgadas, cada usuário pode


9

tomar decisão ou fazer prognóstico baseando-se nas informações que entender relevante. Atualmente, o Contador bem informado é consciente da carga de responsabilidade sobre os seus atos. E talvez essas pressões possam trazer algo de positivo na medida que torna o relacionamento do mesmo com as empresas bem mais profissional, cabendo ao contabilista amparar seu trabalho na legislação vigente e ao mesmo tempo atuar como orientador e crítico dos dispositivos legais que achar excessivo - a interatividade deve ser a tônica. Diante de tais abordagens considera-se que o profissional contábil tem que ter um comportamento ético-profissional inquestionável, saber manter sigilo, ter conduta pessoal, dignidade e honra, competência e serenidade para que proporcione ao usuário uma informação com segurança e confiabilidade que ele merece, são fatores condicionantes do seu sucesso. Ao Contabilista cabe o papel de guiar os caminhos e permitir ao administrador tomar a direção correta, e orientá-lo na nossa labiríntica e anacrônica burocracia.

2.2 PROFISSÃO E EFEITOS DE SUA CONDUTA

A ética é indispensável ao profissional, porque na ação humana o fazer e o agir estão interligados. O fazer diz respeito à competência, à eficiência que todo profissional deve possuir para exercer bem a sua profissão. O agir se refere à conduta do profissional, ao conjunto de atitudes que deve assumir no desempenho de sua profissão, ou seja, ético é todo profissional que tem como meta sentir-se íntegro e pleno da alegria de viver. Convicto de que todos os demais podem se sentir assim também. Cultiva o pensamento cooperativo. Tem um profundo e inabalável respeito pelos acordos firmados. A ética baseia-se em uma filosofia de valores compatíveis com a natureza e o fim de todo ser humano, por isso, “o agir” da pessoa humana está condicionado a duas premissas consideradas básicas pela Ética: “o que é o homem e “para que vive”, logo toda capacitação científica ou técnica precisa estar em conexão com os princípios essenciais da Ética (MOTTA, 1984, p. 69)


10

Para Vieira (2009) a ética está relacionada à opção, ao desejo de realizar a vida, mantendo com os outros relações justas e aceitáveis. Via de regra está fundamentada nas ideias do bem e virtude, enquanto valores perseguidos por todo ser humano e cujo alcance se traduz numa existência plena e feliz. Hoje, mais do que nunca, a atitude dos profissionais em relação às questões éticas pode ser o seu diferencial no mercado. Hoje, mais do que nunca, a atitude dos profissionais em relação às questões éticas pode ser a diferença entre o seu sucesso e o seu fracasso. Basta um deslize, uma escorregadela, e pronto. A imagem do profissional ganha, no mercado, a mancha vermelha da desconfiança (JACOMINO, 2000, p. 38).

Sob esse prisma pode-se considerar que a postura ética constrói ou destrói a reputação de uma empresa. A adoção de um comportamento ético consagra valor à imagem da empresa. Assim, uma empresa tem que ser, obrigatoriamente, percebida como um elemento ativo do contexto social e esse fato remete a compromissos e responsabilidades que elas devam ter com a sociedade como um todo. Nesse sentido, percebe-se que a profissão contábil, deve ser direcionada sob normativas que levam o indivíduo à aquisição de hábitos e à formação do caráter, incluindo os deveres e os direitos lícitos que cada profissional possui. Sob essa ótica, Cuvillier (apud SÁ, 2004, p.135) destaca que: 1. É pela profissão que o indivíduo se destaca e se realiza plenamente, provando sua capacidade, habilidade, sabedoria e inteligência, comprovando sua personalidade para vencer obstáculos. 2. Através do exercício profissional consegue o homem elevar seu nível de moral. 3. É na profissão que o homem pode ser útil a sua comunidade e nela se eleva e destaca, na prática dessa solidariedade orgânica.

De fato Cuvillier deixa bem claro que o ser humano em si é capaz de elevar o seu nível profissional se assim estiver cercado de princípios éticos e morais. Sendo assim exercer com zelo, e responsabilidade a atividade de prestar serviços a terceiros como contador há de observar o quanto o profissional contábil produz e recebe de utilidade. Para Sá (2004, p. 136) destaca-se a profissão contábil consiste em um trabalho exercido habitualmente nas células sociais, com o objetivo de prestar informações e orientações baseados nas explicações dos fenômenos patrimoniais,


11

ensejando o comprimento de deveres sociais, legais, econômicos, tão como tomada de decisões administrativas, além de servir de instrumentação histórica da vida da riqueza. E com isso se o valor da profissão contábil destacando se por seu papel de proteção à vida das riquezas nas células sociais. Silva (2003) ressalta que dentre todas as profissões, a do Contabilista seja a que exija a todo instante do profissional, um apelo ao comportamento ético. Pois, segundo este autor, a atividade contábil é aquela que através de seus relatórios, registros, demonstrativos e responsabilidade técnica pelo serviço prestado, expõe aos dependentes e usuários da contabilidade tais informações. Frente a essa ideia acima destacada, percebe-se que o profissional contábil, tende a se apresentar na empresa e no mercado, mediante seu trabalho, baseado na produção de informações essenciais para o processo decisório e para a avaliação financeira das organizações e indivíduos, devendo, portanto, transmitir confiança para os mesmos através das virtudes desses profissionais. Portanto, um perfil ético é extremamente necessário ao profissional de contabilidade,

pois

um

trabalho

baseado

em

tais

princípios

permite

o

reconhecimento dos contadores no mercado. Para tanto, o contador deve pautarse nas Regulamentações e no Código de Ética da Profissão Contábil, documentos nos quais estão definidos as normativas direcionadas a profissão contábil se desenvolver de maneira clara e idônea.

2.3 CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO CONTADOR

O Código de Ética é um documento regulamentador da Profissão Contábil, que tem como objetivo fundamental traçar linhas e ideais éticos regendo o exercício da profissão em todos os aspectos. De modo especifico esse Código de Ética Profissional Contábil descreve os seguintes deveres do profissional de contabilidade: Art. 9. A conduta do Contabilista com relação aos colegas deve ser pautada nos princípios de consideração, respeito, apreço e solidariedade, em consonância com os postulados de harmonia da classe. Parágrafo único. O espírito de solidariedade, mesmo na condição de empregado, não induz nem justifica a participação ou convivência com


12

o erro ou com os atos infringentes de normas éticas ou legais que regem o exercício da profissão.

Desta forma, o Código de Ética Profissional deixa claro como deve ser a conduta do Profissional Contábil no exercício de sua função, não justificando erros ou atos que transgridam as normas e regras Éticas Nas palavras de Martins (1997) os princípios éticos podem existir naturalmente, por consenso na comunidade, bem como podem apresenta-se na forma escrita, o código de ética. Esse, todavia; torna os princípios éticos obrigatórios aos praticantes, tornando possível que seja assegurada sua observância. Ele ainda afirma o objetivo do código de ética para o contador é habilitar esse profissional a adotar uma atitude pessoal, de acordo com os princípios éticos conhecidos e aceitos pela sociedade. Em resumo, tais princípios dizem respeito à: a. Responsabilidade, perante a sociedade, de atuar com esmero e qualidade, adotando critério livre e imparcial; b. Lealdade, perante o contratante de sues serviços, guardando sigilo profissional e recusando tarefas que contrariem a moral; c. Responsabilidade para com os deveres da profissão mesma (aprimoramento técnico, inscrição nos órgãos de classe; d. Preservação da imagem profissional, mantendo-se atualizado em relação às novas técnicas de trabalho, adotando, igualmente, as mais altas normas profissionais de conduta. O contador deve contribuir para o desenvolvimento e difusão dos conhecimentos próprios da profissão. O respeito aos colegas deve ser sempre observados

Ressalva ai a grande importância de Eliseu Martins (1997) do conhecer e saber utilizar o código de ética na profissão contábil, ele conduz plenamente um profissional podendo o mesmo chegar com êxito ao sucesso de sua carreira. Percebe-se assim, que um dos principais ideais do Código de Ética da Contabilidade é a busca pela formação de uma consciência idônea e uma conduta fidedigna entre os profissionais e estudantes dessa área. Dessa forma, os princípios éticos aplicáveis à profissão

contábil representam a base das intenções

profissionais para viver e atuar dentro da ética.

3 METODOLOGIA

Metodologicamente esse estudo se utilizou de dois tipos de pesquisa para obtenção de dados, sendo os mesmos a pesquisa bibliográfica e a pesquisa de


13

campo, como aplicação de um questionário, composto por 07 questões objetivas, no tocante a percepção da ética na profissão contábil, frente à acadêmicos de Ciências Contábeis. Destaca-se que usou-se uma amostragem de 20 indivíduos de ambos os gêneros, sem delimitação de faixa etária e que estejam cursando regularmente o curso de Ciências Contábeis. Para a análise e busca de dados nesse trabalho, optou-se por efetivar este estudo, numa natureza qualitativa e quantitativa. Para Gil (2007) a pesquisa quantitativa pode ser quantificável, o que define a tradução em números, opiniões e informações afim de classificá-las e analisá-las. Já Oliveira (2000) afirma que a abordagem quantitativa deve quantificar opiniões, dados, formas de coleta de informações, empregando recursos e técnicas estatísticas desde as mais simples, como porcentagem, média, moda, mediana e desvio padrão, até as de usos mais complexos. Segundo Richardson e cols. (1999) a pesquisa qualitativa como uma pesquisa que pode descrever a complexidade do problema, analisar a interação das variáveis e compreender e classificar processos vividos por grupos sociais. Ele também relata que as técnicas estatísticas da pesquisa quantitativa podem contribuir para verificar informações e reinterpretar observações qualitativas. Além desse estudo qualitativo e quantitativo, utilizou-se uma abordagem exploratória e descritiva sobre a temática descrita. Para Gil (2007), as pesquisas exploratórias têm como objetivo disponibilizar maior intimidade com o problema, buscando torná-lo mais específico ou formar hipóteses. Já as pesquisas descritivas têm como objetivo principal é a definição das características de certa população ou fenômeno, ou então, a afirmação de afinidade entre variáveis. A pesquisa bibliográfica, foi realizada para dar sustentabilidade aos resultados obtidos, formando assim o arcabouço teórico do trabalho. Segundo Cruz (2009), se constitui em uma etapa inicial de um processo de pesquisa seja qual for o problema em questão, com o objetivo de se ter um conhecimento prévio da situação em que se encontra um assunto na literatura da área. Destaca-se que pesquisa bibliográfica procura explicar um problema a partir de referências teóricas publicadas em artigos, livros, dissertações e teses.


14

Para Gil (2007) o instrumento de pesquisa, é classificada como estudo de campo, quando se estuda um determinado grupo ou comunidade em termos de suas estruturas sociais, ou seja, destaca a relação entre seus elementos. Como uma das principais ferramentas do estudo de campo temos os questionários. Segundo Marconi e Lakatos (2010) o questionário é um roteiro de perguntas enunciadas pelo entrevistador e preenchidas por ele com a resposta do pesquisado. Através desse questionário obtêm-se descrições tanto qualitativas quanto quantitativas do objeto de estudo.

4 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Esse estudo teve como foco analisar a percepção dos acadêmicos de Ciências Contábeis sobre a Ética do profissional contábil. Para tanto, denota-se que foram aplicados questionários, compostos por 07 questões objetivas, à uma amostra de 20 estudantes do curso de Ciências Contábeis, oriundos de diversas instituições de ensino superior. Assim o resultado dessa pesquisa de campo e as discussões sobre as informações obtidas com o mesmo vem a contribuir para analisar a influência das questões Éticas no exercício profissional dos futuros contadores no mercado de trabalho, além de promover um reconhecimento dessa temática na atual conjuntura do Curso de Ciências Contábeis. A primeira abordagem vem analisar a concordância do futuro contador quanto a contribuição da posição ética para o exercício de sua profissão. A pesquisa revela que 100% da amostra concordam que, o trabalho ético é um diferencial para o exercício da profissão contábil (Figura 1). E, cabe ao profissional exercer sua ética profissional para contribuir decisivamente para o desenvolvimento das instituições na qual o mesmos esteja desempenhando funções. Nesse sentido, Lima (2010), aborda que agir com ética é um dever elementar que jamais deverá ser esquecido pelos profissionais que militam na contabilidade, como em qualquer outra profissão, pois sua tarefa implica além do caráter moral, seus atos têm implicações sobre o patrimônio de terceiros.


15

Figura 1 - Você concorda que ser ético contribui para o exercício de sua profissão? 0

Sim Não 100%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.

O segundo questionamento realizado frente aos indivíduos participantes da pesquisa foi sobre a ideia de que agir agir com ética devidamente aplicada fará com que você seja um profissional bem sucedido. sucedido. Sobre essa indagação 90% da amostra apontou que sim, e outros 10% demarcaram que não. Figura 2 - Agir com ética devidamente aplicada fará com que você seja um profissional bem sucedido?

10%

SIM NÃO

90%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.


16

Esses dados obtidos, mostram que os futuros contadores estão preocupados com a sua imagem ética, pois acreditam que esse tipo de comportamento podem lhes render melhores oportunidades de sucesso e crescimento profissional. Segundo Fortes (2002) (2002 o profissional contábil, pela própria ópria natureza do seu trabalho,

está

vinculado

à

intimidade

da

empresa,

estando

sujeito

a

questionamentos éticos, especialmente sobre o sigilo das informações, sendo assim, o contador é a peça fundamental para a sobrevivência das empresas, subsidiando as tomadas omadas de decisões, por isso, deve valorizar sua profissão aplicando os princípios éticos, não como uma imposição legal ou organizacional, mas como instrumento fundamental de conduta. A terceira indagação gação vem apontar a opinião do participante da pesquisa quanto a ética ser uma preocupação atual para as áreas profissionais. profissionais Nessa ótica a pesquisa revela que 80% da amostra concordam que, o trabalho ético é uma característica importante em qualquer profissão. profissão Também foi verificado que 20% dos indivíduos pesquisados, pesquisados abordam que a ética ainda não é colocada como preocupação profissional. Figura 3 - Em sua opinião a ética é uma preocupação atual para as áreas profissionais?

20%

SIM NÃO

80%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.


17

Dessa forma, mediante tais resultados é evidente que atualmente a grande maioria

das

organizações

necessitam

estar

atentas

não

as

suas

responsabilidades econômicas e legais, sendo importante desenvolver também as suas responsabilidades éticas, morais sociais. Nesse contexto Silva (2003, p. 58), assevera que “a ética vem sendo colocada como requisito imponderável para a sobrevivência das organizações”, verificando-se ser de extrema importância que o estudo e abordagem sobre a ética, no processo ocesso de formação profissional seja aplicado de forma mais ativa, experimentada, por toda a graduação, constituindo um alicerce para o exercício profissional. A quarta abordagem do questionário, pergunta a amostra analisada se os mesmos conseguem imaginar alguma justificativa para que a ética não seja aplicada no seu dia a dia.. Essa abordagem mostra que 30% dos entrevistados apontam que sim, ou seja, que existem motivos para um trabalho profissional aético na contabilidade, outros 70% apontam que não conseguem conseguem destacar motivos para não aplicar a ética no ambiente profissional. profissional Figura 4 - Você consegue imaginar alguma justificativa para que a ética não seja aplicada no seu dia a dia?

30%

SIM

70%

NÃO

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.

Mediante esse resultado apresentado, percebe-se percebe se que o profissionalismo contábil aético ainda é vislumbrado no mercado e também é reconhecido pelos


18

futuros contadores. No entanto, a grande maioria dos estudantes de Ciências Contábeis considera que o profissionalismo ético está presente no dia a dia das organizações e do mercado. Nesse sentido, cabe destacar que a contabilidade pode ser usada e manipulada para satisfazer objetivos escusos, expressos no repúdio social. Segundo Nye (1967), a corrupção é um comportamento que se desvia dos deveres legais e formais de uma função devido a interesses privados (pessoas, familiares, grupo fechado), de natureza pecuniária ou não. Porém, da mesma forma que a contabilidade pode ser usada com instrumento para satisfazer necessidades obscuras, divergindo de suas finalidades, também pode ser usada como prevenção, no combate à corrupção. Para tanto, o profissionalismo aético não pode ser observado como caminho rápido e menos complicado para auferir lucros, sendo necessário para isso, uma formação e uma atuação contábil ética. Nessa ótica, Nakagawa (1993), aponta que a maior importância para a formação e atuação profissional do contador que, compreendendo o seu verdadeiro papel no contexto social, político e econômico brasileiro deveria ser o promotor da aplicação do conceito contábil de “accountability”, como antídoto da corrupção no Brasil. A quinta pergunta dessa pesquisa está voltada a percepção da amostra quanto a qualificação de escritórios contábeis que ao estabelecerem serviços mais em conta, burlam as leis. Nessa abordagem, 100% dos pesquisados apontaram que essas organizações não podem ser denominadas de éticas, pois ao realizar serviços que contradizem as determinações contábeis, elas acabam se tornado antiéticas, denominação que também se aplica aos profissionais de contabilidade que realizam tais ações.


19

Figura 5 - Em sua opinião, escritórios contábeis ao estabelecer serviços mais em conta, e que burlam as leis podem se qualificar como éticos?

SIM NÃO

100%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.

Com base nessas respostas, percebe-se percebe se que as organizações que realizam atividades aéticas, são consideradas prejudicais para o profissionalismo contábil, deixando uma má impressão dos trabalhos desenvolvidos pelos contadores. Dessa forma, R. Filho, Oliveira e Teodoro (2005) consagra ser necessária a elevação nos níveis de capacitação profissional, que mesmo após a graduação, o contador esteja em contínua educação, produzindo informação informação contábil quantitativa e qualitativamente, como forma de combate à corrupção. A penúltima pergunta do questionário vem abordar a existência, no ambiente de trabalho dos indivíduos componentes da amostra, de algum tipo de debate sobre a ética profissional. Nessa abordagem verificou-se verificou se que 60% dos pesquisados apontam existir um debate sobre essa temática no âmbito de trabalho, e os outros 40% denotam que esse debate não faz parte do cotidiano da organização onde o mesmo desenvolve seu trabalho.


20

Figura 6 - No dia a dia em seu ambiente de trabalho você debate o assunto ética?

40% Sim Não 60%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.

Esse resultado mostra que a ética ainda não se configura como temática dentro das empresas.. Dessa forma, R. Filho, Oliveira e Teodoro (2005) admitem a premissa de que o profissional solícito deve estar preparado a aprender a aprender, optar e não corroborar com comportamentos espúrios refletindo numa conduta profissional a ser acompanhada. Desta ta maneira, acredita-se acredita se que profissionais capacitados terão um nível ético e técnico mais elevado, resultando na transparência das informações, num trabalho qualitativo. Pois que, além de conhecimentos e habilidades existe uma responsabilidade pública. São os profissionais que fazem a profissão, por isso o dever da conscientização da responsabilidade social torna-se se imprescindível (R. FILHO; OLIVEIRA; TEODORO, 2005). A última indagação, vem diagnosticar se em algum momento do período acadêmico,, o pesquisado já foi antiético em alguma situação na qual lhe fosse favorável.. Nesse questionamento nenhum dos indivíduos componentes da amostra demarcou que sim, sendo que todos os pesquisados marcaram que nunca tiveram comportamento aético durante a sua formação.


21

Figura 7 - Em algum momento no seu período acadêmico e como discente você já foi antiético em alguma situação na qual lhe fosse favorável?

SIM NÃO

100%

Fonte: Dados coletados pelo pesquisador. Vitória da Conquista-Bahia, 2012.

Esse resultado mostrou que a maioria dos estudantes tem princípios éticos frente ao seu futuro como profissional contábil. Assim, revela-se revela se a necessidade de desenvolvimento de virtudes, como a ética, elencadas por Lisboa (1997), como indispensáveis para o trabalho contábil. Dessa forma, ao se analisar os motivos da falta de ética profissional, Ash (1965), aponta que a decadência moral da sociedade capitalista é a consequência de um sistema econômico que não pode absorver os valores que são capazes de produzir, e julga lucrativo desviar desviar o esforço humano para a produção de objetos efêmeros e daninhos, desperdiçando com isso a capacidade natural do homem. Portanto, a questão ética na contabilidade, deve ser ressaltada com muito mais frequência no processo formador desse profissional, pois como destaca Vazquez (apud FREIRE, FREIRE 1989) não são estas mudanças que transformarão a sociedade, mas a consciência do homem de ser sujeito da história que o levará a intervir na transformação de acordo com as condições reais existentes na sociedade.


22

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considera-se

que

a

Contabilidade

é

um

sistema

de

informação,

gerenciamento e avaliação destinado a prover seus usuários com demonstrações e análises de natureza econômica, financeira, física e de produtividade, com relação a entidade objeto de contabilização. Nesse sentido, quando analisamos a ética aplicada à contabilidade procura-se determinar os limites da moral dominante em dada sociedade, e também na medida em que os fenômenos econômicos colocam problemas morais no cotidiano das pessoas. A influência prática da ética no mercado profissional de contabilidade traz uma

grande

valorização

da

profissão

contábil,

pois

como

enunciado

anteriormente, ao exercitar a ética o contabilista terá como resultado do seu trabalho o reconhecimento, respeito, credibilidade e confiança de seus usuários internos e externos, e da sociedade na qual ele é peça essencial para desenvolvimento de uma nação digna sendo estes pontos fundamentais nos dias atuais para o crescimento e até continuidade da ciência contábil. Assim, a busca do conhecimento ético e profissional são ferramentas fundamentais para que o contabilista exerça a ética plenamente, uma vez que, em uma sociedade onde a concorrência é cada vez maior, faz-se necessário que os profissionais de contabilidade busquem a atualização constante, pois gerar conhecimento será uma das maneiras de exercer a ética perante o mercado de trabalho. Dessa forma, faz-se necessário que se desenvolva programas contínuos, com o propósito de conscientizar e difundir a ética como ciência do comportamento humano, exercendo o papel de agente multiplicador dos valores morais que norteiam a conduta pessoal e profissional, tanto dos contabilistas já inseridos no mercado de trabalho, bem como, dos estudantes. PERCEPTION OF SCIENCE STUDENTS ON ETHICS IN ACCOUNTING FINANCIAL ACCOUNTING PROFESSION ABSTRACT The professional accounting plays a fundamental role in society, because from the information provided by him and by accounting offices, that users of accounting in


23

case the customers, corporate decision makers and important business. Faced with this design fits a study about the ethical parameters within Accounting. To that end this paper seeks to present reflections on standards and principles inherent in the ethical conduct of the counter is at a theoretical level, the study seeks, or practical level, through observation and analysis of a questionnaire. Thus, the theoretical framework focuses on accounting and ethical considerations are made about the responses obtained by manipulation of answers from the questionnaire compared to students of accounting sciences. As a result of this study, lists that ethics should be seen as essential parameter for professional accounting, because it can promote social development of a nation worthy, so as to counter the growing company, respectability, credibility and recognition opposite the market and individuals seeking the services of the organization. Keywords: Ethics. Accounting. Law. Practice. Training.

REFERÊNCIAS ASH, W. Marxismo e moral. Tradução Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1965. CAMARGO, M. Fundamentos de ética geral e profissional. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. CRUZ, V. A. G. da. Metodologia da pesquisa cientifica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009. FIPECAFI. Ética geral e profissional em contabilidade. São Paulo: Atlas, 2006. FORTES. J. C. Ética e responsabilidade profissional do contabilista. Fortaleza: Fortes, 2002. FORTES, J. C. Manual do Contabilista: Uma Abordagem Teório-Prática da Profissão Contábil. Saraiva: São Paulo, 2005 FREIRE, J. C. Ética e psicologia: uma crítica a teoria e a prática psicológicas. Educação em Debate, Fortaleza, CE, v.17-18, 1989. GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2007. JACOMINO, D. Você é um profissional ético? Revista Você, São Paulo: Abril, ed. 25, ano 3, p. 28-36, jul. 2000. LIMA, A. G. C. A importância da ética no exercício da profissão contábil. Publicado em 2010. Disponível em: <http://www.webartigos.com /artigos/aimportancia-da-etica-no-exercicio-da-profissao-contabil/36656/#ixzz2 CIo5S6VL>. Acesso em: 10 nov. 2012. LISBOA, L. P. Ética geral e profissional em contabilidade. Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis Atuariais e Financeiras. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.


24

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia cientifica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010. MARTINS, E. Globalização de mercados e harmonização das práticas contábeis. Revista Brasileira de Contabilidade, Brasília, 1997. MOTTA, N. de S. Ética e vida profissional. Rio de Janeiro: Âmbito Cultural, 1984. NAKAGAWA, M. Introdução a controladoria: conceitos, sistemas e implementação. São Paulo: Atlas, 1993. NUNES, J. D. S.; FREITAS, L. Q. de. A importância da informação contábil de acordo com os parâmetros éticos. In: ENCONTRO NACIONAL DOS ESTUDANTES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Minas Gerais: Prêmio FENECI, 2004. NUNES, R. R. B.; LEITE, T. R. T.; SOUZA, E. X. Ética contábil: a percepção dos alunos do curso de ci~encias contábil da Universidade Federal de Alagoas. In: SEMINÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO, 13., 2010. Anais… ISSN 2177-3866. NYE, J. Corruption and political development: a cost-benefit analysis. American Political Science Review, n. 51, p.417-429, jun. 1967. OLIVEIRA, S. L. Tratado de metodologia científica: projetos de pesquisa, monografia, dissertação e teses. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 2000. Passos, E. Ética nas organizações. 1. ed. 7. reimpr. São Paulo: Atlas, 2011. PEGORARO, O. Ética é justiça. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. R. FILHO, J. F.; OLIVEIRA, A. F. de; TEODORO, J. C. Análise do ensino de ética contábil em IES do Nordeste do Brasil. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL SOBRE GESTIÓN UNIVERSITARIA EM AMÉRICA DEL SUR, 5., 2005. Mar del Plata, 8 à 10 de dezembro de 2005. RICHARDSON, R. J. e Cols. Pesquisa social – métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999. SÁ, A. L. de. Ética profissional. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000. SÁ, A. L. de. Ética profissional. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2004. SÁ, A. L. de. Ética profissional. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2007. SILVA, J. L. R. Ética – algumas considerações sobre o tema. Revista do CRC-RS, n. 114, out. 2003. SILVA, T. M. da; SPERONI, V. Os princípios éticos e a ética profissional. Revista Brasileira de Contabilidade, Brasília: Conselho Federal de Contabilidade, ano 27, n. 113, set./out.1998. VIEIRA, M. das g. Ética na profissão contábil. São Paulo: IOB Thompson, 2009.


25

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA BORGES, E.; MEDEIROS, C. Comprometimento e ética profissional: um estudo de suas relações junto aos contabilistas. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo. BRASIL. Código de ética do profissional contabilista, Resolução n° 803, de 10 de outubro de 1996. Dispõe sobre o Código de 1996. SILVA, A. C. R. et.al. Abordagens éticas para o profissional contábil. Brasília: CFC, 2003. Disponível em: <http://www.cfc.org.br/uparq/livro_ abord_eticapdf.pdf>. Acesso em: 20 out. 2012.


26

APÊNDICE


27

APÊNDICE A – Modelo de questionário Faculdade Independente do Nordeste – FAINOR Discente: Lucélia de Jesus Vieira Disciplina: TCC Professora: Luciana Reis Orientador: Dirlei Bonfim Tema: Percepção dos acadêmicos de Ciências Contábeis sobre a Ética do profissional contábil. 1) Você concorda que ser ético contribui para o exercício de sua profissão? ( ) Sim ( ) Não 2) Agir com ética devidamente aplicada fará com que você seja um profissional bem sucedido? ( ) Sim ( ) Não 3) Em sua opinião a ética é uma preocupação atual para as áreas profissionais? ( ) Sim ( ) Não 4) Você consegue imaginar alguma justificativa para que a ética não seja aplicada no seu dia a dia? ( ) Sim ( ) Não 5) Em sua opinião, escritórios contábeis ao estabelecer serviços mais em conta, e que burlam as leis podem se qualificar como éticos? ( ) Sim ( ) Não 6) No dia a dia em seu ambiente de trabalho você debate o assunto ética? ( ) Sim ( ) Não 7) Em algum momento no seu período acadêmico e como discente você já foi antiético em alguma situação na qual lhe fosse favorável? ( ) Sim ( ) Não

M01213  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you