Issuu on Google+

AS PALAVRAS São como um cristal, as palavras. Algumas, um punhal, um incêndio. Outras, orvalho apenas. Secretas vêm, cheias de memória. Inseguras navegam: barcos ou beijos, as águas estremecem. Desamparadas, inocentes, leves. Tecidas são de luz e são a noite. E mesmo pálidas verdes paraísos lembram ainda. Quem as escuta? Quem as recolhe, assim, cruéis, desfeitas, nas suas conchas puras? Eugénio de Andrade

«BOAS PALAVRAS CUSTAM POUCO E VALEM MUITO».

A MAIS BELA PALAVRA DA LÍNGUA PORTUGUESA

George Bernanos (escritor francês, sec. XX)

Biblioteca


A MAIS BELA PALAVRA DA LÍNGUA PORTUGUESA A ORIGEM E A IMPORTÂNCIA DAS PALAVRAS

PALAVRA: (S.F.) - unidade linguística dotada de sentido, constituída por fonemas organizados numa determinada ordem, que pertence a uma (ou mais) categorias sintácticas e que, na escrita, é delimitada por espaços em branco Inspirada numa crónica da TSF que propunha aos seus ouvintes a escolha da mais bela palavra da língua portuguesa, a Equipa da Biblioteca lançou o mesmo desafio a toda a comunidade escolar, propondo a escolha de uma palavra e respectiva justificação. Participaram nesta selecção inicial cerca de 300 alunos de todos os níveis de ensino, professores e assistentes operacionais, tendo sido escolhidas as 20 palavras mais referenciadas, a que se seguiu uma votação on-line, através da blogue da biblioteca. Nesta votação on-line, foram registados cerca de 900 votos, tendo-se chegado ao seguinte resultado final : Resultados da votação no online 1.

MÃE (41%, 366 Votos)

2.

SAUDADE (31%, 277 Votos)

3.

ALMA (12%, 112 Votos)

4.

LIBERDADE(6%, 56 Votos)

5.

CÉU (2%, 21 Votos)

6.

MAR (2%, 15 Votos)

7.

FOGO (1%, 13 Votos)

8.

SORRISO (1%, 9 Votos)

9.

AMOR (1%, 6 Votos)

As palavras podem ser comparadas a partes de uma máquina de grande porte que é a língua, com suas bielas e manivelas (ambas do francês, bielle e manivelle) e outras peças vitais. Cada palavra em seu sítio, com seu significado, para que responda aos desígnios para que foi criada. Nessa grande máquina as palavras agrupam-se em conjuntos, a que denominamos famílias, porque têm todas o mesmo radical, uma raiz comum. Como nas nossas famílias, transformamse, desenvolvem-se, originando novas palavras. A língua é um organismo vivo recebendo constantes contributos para o seu engrandecimento, fortalecendo-se. Apesar destas sinergias e relacionamentos, a língua portuguesa tem a sua independência, a sua maneira de ser própria, exclusiva. A lógica de cada palavra tem quase tudo a ver com o seu étimo, isto é, com o vocábulo que está na sua origem. Essa lógica perde-se nos tempos, mas é fascinante desvendar o que são quase mistérios, tão habituados andamos, no dia a dia, a utilizar as palavras sem nunca nos questionarmos de onde vêm. (…) Deslindar a origem das palavras pode ser um bom passatempo, passear, sem rumo certo pela nossa língua através das palavras, folheando um dicionário e, para isso, nada melhor do que ter um à mesa de cabeceira. Uma pessoa diverte-se e aprende enquanto não lhe dá sono. E como é delicioso cochilar (do quimbundo KuKoxila, dormitar) depois de termos deambulado pelas palavras. António Loja Neves Revista Única(11-09-2010), Expresso


PALAVRA: Todos JUSTIFICAÇÃO: Gosto da palavra pela sua grafia e pela sua ideia. A grafia lembra-me uma corrente, uma união entre os altos e os baixos que se dão a mão. Daniela Sofia da Silva Morais , 10º CT4 PALAVRA: SOL

JUSTIFICAÇÃO: A luz da vida que desabrocha toda a natureza numa explosão de cor e alegria. Goreti Cunha Frutuoso PALAVRA: MOVIMENTO

JUSTIFICAÇÃO: Movimento é a imagem da dinâmica da vida, da variação no espaço e no tempo, da mudança, enfim, da busca da perfeição e da plenitude. Antero Gandra

PALAVRA: FADO

JUSTIFICAÇÃO: Símbolo da nossa nacionalidade, e de todos os portugueses e género musical português mundialmente conhecido. Paula Cristina Silva PALAVRA: POESIA

JUSTIFICAÇÃO: Em si encerra tudo o que é belo e sublime, síntese perfeita da harmonia. Anónimo PALAVRAS INESPERADAS Algumas escolhas foram consideradas, no mínimo, inesperadas para serem consideradas como “a mais bela palavra da língua portuguesa”. Mas, pelo seu carácter inusitado, damos a conhecer algumas dessas propostas: Ana, basquetebol, bola, bolos, cadeira, computador, carta de conduzir, decorar, fotografia, motociclo, olá, picante, telemóvel, voleibol, vício ...

Ao escolher a palavra na votação inicial, era necessário apresentar uma justificação para essa escolha. De seguida apresentamos algumas dessas justificações que merecem ser divulgadas: PALAVRA: MÃE JUSTIFICAÇÃO: É uma palavrinha tão pequena, mas tão incrível, tão cheia de significado. Mãe só há uma e é insubstituível. A nossa mãe gerou-nos no seu ventre, viu-nos nascer, ensinou-nos a falar, a andar, a ser quem somos. Tudo o que hoje sou, o devo a ela. É a minha melhor amiga, a minha confidente, a minha companhia dos bons e maus momentos. À minha mãe agradeço a sua amizade, o seu carinho, o seu amor, a sua dedicação e o seu grande apoio de sempre. Com a sua mão ela ampara-me e guia-me. Sem a sua presença, o que seria de mim? A mãe é a pessoa que mais tempo da sua vida nos dedica. Sem o seu amor incondicional não seríamos nada ou … seríamos somente mais um livro em branco sem uma história para contar. Depois de tudo, será possível dizer que “Mãe” é a mais bela palavra da nossa língua mãe – a Língua Portuguesa. Com três letrinhas apenas, se desenrola o mais grandioso amor na vida de todos nós – o amor de Mãe!

Ana Cláudia Maia Trocado, 11ºCT2 PALAVRA: MÃE

JUSTIFICAÇÃO: Perguntei à minha filha (6 anos) Qual era a palavra mais bonita para ela e ela respondeu-me que era MÃE. Depois desta resposta fiquei sem palavras. Ermelinda Lima PALAVRA: SAUDADE JUSTIFICAÇÃO: Porque é a mais portuguesa das palavras, porque

encerra em si todo o sentimento português, toda a sua génese, desde os descobrimentos ao saudosismo de Pascoaes. Sentimento abrangente, de melancolia e solidão ao amor. Carlos Manuel Leitão Marques


PALAVRA: ALMA JUSTIFICAÇÃO:

PALAVRA: AMOR

ALMA: palavra indefinida por definir. Procuramos por ela, mesmo sendo inatingível. Atingimos, sem atingir. É tudo e ao mesmo tempo é nada. É algo simples e complexo Algo que nem a ciência conhece apenas visível aos nossos olhos, pois estes são o espelho da ALMA.

JUSTIFICAÇÃO: Porque é uma palavra forte que faz lembrar tristeza e alegria, mas onde é predominante a alegria. O Amor é um sentimento bonito que mos permite “ir à lua” sem sairmos do lugar e nos faz sentir muito bem. Mariana Ramos, 7º E PALAVRA: DESCOBRIR

Ricardo Silva, 10º LH2 PALAVRA: LIBERDADE

JUSTIFICAÇÃO: Todo o ser vivo tem necessidade de descobrir para poder sobreviver, conquistar, amar e aventurar. Partir à descoberta fortalece-nos como personalidade e permite aprender o real sentido da responsabilidade. Tiago Vaz Maia Vieira, 9º B

JUSTIFICAÇÃO:

Liberdade de escolha. Liberdade de opinião, Liberdade pessoal. Luta pela tua liberdade! Sê livre!

PALAVRA: RECÍPROCO

Carlos Gonçalves, 10º CT4

JUSTIFICAÇÃO: Justifico a minha escolha porque acho uma palavra fora do normal e acima de tudo gosto do seu significado «correspondido, ambas as partes estão envolvidas». Eduardo Fernandes, EFA,S4

PALAVRA: SORRISO JUSTIFICAÇÃO: Ao

contrário do que define o dicionário, um sorriso não é apenas uma contracção muscular facial, é algo que não se ensina e algo que todos necessitam. De tantos existentes, o melhor de todos é aquele que é verdadeiro e sentido por quem o recebe, essa é a verdadeira força da palavra. Por vezes o que torna as nossas vidas tão monótonas é a falta dessa contracção muscular facial. Sorrir vale sempre a pena! Patrícia Alexandra Silva Ferreira, 10º CT1

PALAVRA: HARMONIA

JUSTIFICAÇÃO: Porque o Universo é harmonia: o mundo com ela funciona melhor, as relações com ela são muito melhores; a música com ela soa melhor. Experimente pronunciá-la em voz alta! Ana Margarida Gonçalves Vilaça, 10º CT5

PALAVRA: MAR JUSTIFICAÇÃO: O sítio onde nos apetece ir todos os dias. Um

PALAVRA: SORRISO

JUSTIFICAÇÃO: Porque apenas um sorriso basta para movimentar palavras, expressar ideias e provocar sentimentos Rosa Estrela

lugar onde podemos fazer as mais divertidas coisas, desde nadar a sonhar, desde mergulhar a imaginar ou apenas contemplar a sua beleza e força. Por que será que ele existe? Pedro Ramos, 10º CT4


Boletim de palavras