Page 1

Projeto SOBE – Oficina de Escrita

O COLUTÓRIO MÁGICO

5º Ano – Turma E


Era uma vez uma linda fada dos dentes, pequenina e muito bondosa, que vivia num magnífico palácio no alto de uma colina. Esta fada, de nome Leonor, era adorada por todos os habitantes da aldeia. Ela era muito bonita, tinha os cabelos loiros como raios de sol e uns olhos azuis como safiras. Esta fada adorava ajudar todas as pessoas e todos os animais da aldeia. Era ela que todas as noites recolhia os dentinhos de leite que os meninos colocavam debaixo da almofada, na esperança de que a fada lhes trouxesse uma prendinha. Leonor vivia atormentada por uma grande segredo, é que um monstro muito feio, perigoso e com mau hálito, lhe roubara um tesouro muito precioso que pertencia à sua família. Angustiada com essa situação, ela decidiu que tinha de encontrar e derrotar o monstro para recuperar o seu precioso tesouro. De repente, ela teve uma grande ideia: - Vou procurar o meu amigo Escovix e vou pedir a sua ajuda. Resolveu, então, viajar para procurar o seu grande amigo de infância, que era um grande cientista que passava os seus dias a inventar produtos que ajudavam todas as criaturas a ter os dentes branquinhos e sem bactérias. Ele inventava pasta dos dentes de vários sabores, escovas mágicas que se movimentam sozinhas e fios dentários muito resistentes. Mas a sua primordial invenção era o colutório mágico. Este colutório tinha o poder de eliminar o mau hálito e tornar as pessoas mais simpáticas e amigas umas das outras. O seu amigo vivia do outro lado da colina, por isso, a fada teve de se apressar para chegar lá antes do anoitecer.


Ao reencontrar a sua amiga de longa data, Escovix ficou muito contente e passaram horas a conversar. Depois de ter ouvido a história da Leonor, ele decidiu logo ajudá-la e combinaram partir mal amanhecesse. No dia seguinte seguiram viagem, mas durante o trajeto aconteceu algo extraordinário, ouviram o som de uma gargalhada vinda do interior de uma gruta muito escura e fedorenta. Os dois amigos decidiram ir ver o que se passava na gruta secreta. Quando entraram, ficaram muito admirados, pois viram o monstro a tentar abrir a arca do tesouro que tinha sido roubada à fada. Eles ouviram o monstro comentar: - Agora que tenho muito ouro vou ter o respeito de toda a gente e vou ter muitos amigos. Ao ouvir estas palavras, Escovix ganhou coragem e entrou na gruta e disse-lhe: - Não é com ouro que podes comprar amigos. A amizade verdadeira não se compra, conquista-se. O monstro ficou furioso e ameaçou-o: - Vou-te prender e nunca mais daqui sairás!! - Eu não te quero fazer mal, só te quero ajudar! – exclamou Escovix. A fada, nesse momento, apareceu e propôs ao monstro um acordo: - Devolve-me o meu tesouro que eu e o meu amigo te ajudaremos a ser uma criatura melhor, mais limpa e cheirosa e desta forma farás muitos amigos. O monstro ficou pensativo, não acreditava que isso fosse possível, pois ele tinha muito mau hálito e todos os habitantes da aldeia se afastavam dele, por isso é que ele se tornara mau e muito perigoso. Com


muita paciência, Escovix explicou-lhe os efeitos milagrosos do colutório mágico e o monstro decidiu aceitar o acordo. Ele foi para a lagoa mais próxima tomar um belo banho, escovar os seus dentes e bochechar com o colutório mágico. Quando regressou à gruta, o monstro estava completamente diferente, estava muito cheiroso e fresquinho e tinha um hálito muito agradável, ele sentia-se muito bem. Como prometido, entregou o tesouro à fada e agradeceu a ajuda. Leonor explicou ao monstro que o que ela tinha na arca não era ouro nem joias valiosas, mas sim os presentinhos que deixava debaixo da almofada dos meninos, em troca dos seus dentinhos de leite. A partir desse dia, o monstro fez muitos amigos e até encontrou uma namorada de nome Clotilde, com quem se casou e teve muitos monstrinhos limpinhos e cheirosinhos.


Fim

O colutório mágico  

Narrativa 5º E