Page 1

Março 2010

iPad is out: What now? White Paper – impacto dos tablets para publishers

Novo horizonte para publishers Uma luz no fim do túnel ou o golpe de misericórdia para publicações impressas? Steve Jobs conseguiu de novo, os iPads estão chegando e mais uma vez indústrias maduras são convidadas a repensar seu futuro, aproveitando as novas tecnologias Na verdade, os tablets são apenas mais um passo na transformação que os MIDs (mobile internet devices) estão já provocando na vida dos consumidores e na cadeia de valor de inúmeras indústrias.

Este é o grande momento na história da tecnologia para que os “movers and shakers” consigam se reposicionar dentro dessa nova ordem e tomar conta do seu futuro, ao invés de ficar assistindo essa transformação de forma passiva Especialmente para publishers, este pode ser um momento importantíssimo e estratégico que pode mudar o curso da indústria de jornais, revistas, livros, portais e publicações em geral

cont.

Internet móvel boom Celulares tipo iPhone e Android estão finalmente criando uma explosão no tráfego da intrenet móvel e suas aplicações.

Pag.2

Publicidade digital

Key issues?

Chegamos ao tipping point?

Que grandes perguntas se colocam aos líderes de publicações nesse momento

Pag.3

4

Pag.5


Lorem Ipsum Dolor

Março 2010

A hora a a vez da internet móvel

Era móvel Google:mobile first As décadas que estão por vir serão mais revolucionárias em tecnologia que as décadas anteriores. E Eric Schmidt do Google no Mobile World Congress explicou porque: o mobile é a intersecção digital dar três maiores tendências dos últimos anos (os 3C’s:) cloud, computing power e connectivity. Ele disse que a mobilidade aliada aos 3C’s traz para as pessoas como que super poderes, mudando o alcance e as funcionalidade da tecnologia.

Há mais de uma década se fala que a internet móvel revolucionará o futuro de muitas indústrias e o dia-a-dia das pessoas. Ainda assim, em muitas áreas, parecia ainda uma promessa distante ou ainda o anúncio de uma próxima bolha. Até 2008, quando se falava em dados móveis para as operadoras de Telecom, grande parte do tráfecgo se resumia a mensagens de texto (SMS) e Wap e as aplicações para publicidade, games, notícias, e outras continuavam limitadíssimas e e pouco user friendly. A chegada do Blackberry trouxe uma luz, com um melhor serviço de e-mail, mas…

… foi somente com a chegada do iPhone que as inúmeras possibilidades de aplicativos, games e serviços começaram a aflorar. Pouco mais de dois anos após o seu lançamento a App Store já conta com cerca de 150 mil aplicativos e criou o padrão para os demais concorrentes. Hoje, quase 35 milhões de iPhones abriram a estrada para soluções também muito interessantes do Android (Google) e Windows 7 (Microsoft) que devem estimular fortemente a disseminação de soluções e aplicativos nas mais variadas categorias.

Internet móvel em forte expansão liderado pela Apple e Google (via Admob)

Não à toa os números vem mostrando que parece termos passado de um ponto de inflexão indicando o inicio de uma explosão da internet móvel, liderada principalmente por Apple e Google. Google tem vendido mais de 60 mil aparelhos com Andoid no mundo, tem chegado a 3% no share de aparelhos, mas já com 11% de share de tráfego móvel. 2


Lorem Ipsum Dolor

Março 2010

Massa crítica na publicidade digital Tipping point: o ponto sem retorno e de grandes transformações O mundo vem assistindo ano após ano um crescimento de dois dígitos na publicidade digital. Ainda assim, para nossa posição no Brasil que a penetração digital no bolo publicitário total permanence inferior a 5%, nosso dia-a-dia seguia ainda em grande parte direcionado pelos grandes números. Muito rapidamente, porém, esse sentimento vem se alterando. Assistimos aos casos da Escandinávia e Inglaterra, onde o digital já ultrapassa os investimentos publicitários em TV aberta. As grandes multinacionais também, influenciadas por seus exemplos internacionais, vem forçando suas subsidiárias a repensar o real retorno sobre investimento nas suas campanhas tradicionais.

Além disso, ações de mobilidade e redes sociais ainda permaneciam limitadas a algumas experiências e pilotos dada a baixa penetração das novas mídias na população brasileira. Pois bem, dizem que quando uma nova mídia atinge 50% de penetração, essa grande transformação começa finalmente a ocorrer. Alcança-se aí o tipping point ou ponto de inflexão, após o qual a transformação se acelera. Estamos portanto com a internet móvel começando a caminhar a passos largos para alcançar um novo patamar de penetração. Em menos de 2 anos com 3G, o números de acessos de banda larga móvel deverá passar em 2010, os 15 milhões de acessos fixos. E aí?... 3


Lorem Ipsum Dolor

Março 2010

Pois bem, não é de hoje que toda essa trasformação vem ocorrendo. Não é somente com a chegada dos iPads que os publishers terão a oportunidade de repensar seu futuro. Estamos porém chegando a um momento histórico e emblemático em que a tecnologia finalmente estará trazendo a solução para uma necessidade latente.

Agora, com devices mais adequados (iPods, tablets, Apple TVs) a indústria de conteúdo está ressurgindo com novos modelos pagos. Estudos recentes mostram que 2009 foi o primeiro ano em muitos que a receita total de vendas de música na Inglaterra aumentou, graças ao crescimento dos downloads legais de música.

Alguns movimentos importantíssimos vem ganhando força e culminarão para que um redesenho na indústria de publicações ocorra. Entre esses movimentos além da expansão forte na internet móvel e o surgimento dos tablets e eletronicpapers, tambêm exercerá uma grande pressão o amadurecimento ecológico global com a pressão para redução da utilização do papel, redução do tráfego de caminhões de distribuição nas cidades, entre outros.

É também fato que as redes de TVs americanas tem aumentado sua receita de venda de conteúdo com series como Lost, Heroes distibuidos mundialmente via iTunes e assistidos em Apple TVs, ou simplesmente com iPhones e iPods conectados a TVs.

Além disso, trata-se de uma questão estratégica, que tem relação com o modelo de negócio dos publishers. Na última onda tecnológica da internet, os publishers foram quase que levados a despejar uma imensidão de conteúdos grátis na rede. Promessas inúmeras de modelos de negócio foram vislumbradas, mas somente 15 anos depois é que a publicidade começa aparecer de forma mais vigorosa, mas ainda assim não suficiente.

Isso sem contar a indústria de games que ganhou com a Apple Store e os devices um novo competidor de peso, bem como a nova indústria de aplicativos que não esxistia há dois anos e já existem estudos que em 2012, devem ser um negócio de bilhões, maior que o mercado de CDs. Obviamente não só a Apple fará parte dessa transformção. O caminho traçado pela Apple pavimentou todo um novo padrão que está sendo seguido e melhorado em várias partes dessa cadeia de valor por Google, Sony, HP, Microsoft e inúmeros startups. Bolha ou não, o ambiente lembra em parte a euforia dos tempos de internet.

Com tudo isso acontecendo, não é uma missão fácil estar sentado em um board de uma empresa de publicações. Empresas centenárias e conservadoras primam pela correteza, ética, valores, mas nem sempre posssuem a agilidade de mercado necessária nos tempo de hoje, principalmente quando o mercado de hoje entre empresas de mídia, telecom e tecnologia possui mais zonas cinza do que claras para qualquer dos lados. Sabendo que não existem respostas certas, e que quando esse trabalho acabar de ser escrito, provavelmente já estará desatualizado, o momento atual determina uma necessidade pro-ativa de se posicionar. Líderes devem buscar essa nova descontinuidade no mercado e posicionar-se para catalizar essa transformação. Não se trata, no entando de criar um iPad App rapidamente. Isso também, mas importante é ter uma clara visão e explorar algums questões estratégicas desse momento: -

Free ou pago? Parceria ou competição com teles e tecnologia? Novos formatos? Expansão geográfica? E o portal?

Independente das respostas, existe sim uma forte luz no fundo do túnel. Esta na hora de posicionar-se e “shape the future”.

Continuação da capa 4


Lorem Ipsum Dolor

Março 2010

Sed risus pede, laoreet laoreet, scelerisque vel, eleifend a, enim. Praesent eu urna. Vestibulum sit amet magna in erat varius volutpat. Proin sodales, felis nec bibendum pharetra, sem arcu bibendum diam, quis pellentesque elit lectus eu velit. Maecenas pretium cursus nulla. Sed tincidunt cursus diam. Proin dapibus,

erat eu fringilla gravida, neque mi pretium massa, ac varius sem orci eu lorem. Nam tempor. Praesent urna metus, ultrices in, viverra eget, rhoncus a, arcu. Vivamus mi

Key issues‌pag.5 5


Marรงo 2010

Strategy, Interim Executive, Advisory bianchiassociates@gmail.com www.facebook.com/pirim +55 11 9315 1379

iPad is Out: What Now? - Publishers  

(portuguese only) Uma nova onda de euforia avança com o crescimneto da internet móvel e emergência dos tablets. Publishers terão um momento...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you