Issuu on Google+

parceiros

BI4ALL

BI para gestão de performances É imperativo simplificar, racionalizar e aumentar a eficiência de processos de forma a melhorar a capacidade de resposta das organizações orientadas para o mercado. Por XXxxxxx, XXXxxxxxx

A

Para mais informação www.bi4all.pt

função financeira desempenha um papel crucial no seio da empresa, sendo aí que naturalmente se concentra uma grande parte das análises realizadas. Esta é por

sua vez uma actividade que obriga à recolha e processamento de uma quantidade considerável de dados, consumindo por vezes demasiados recursos em tarefas de rotina (relatórios mensais trimestrais, anuais...). Finalmente, a maioria destas análises centram-se em aspectos exclusivamente financeiros quando sabemos que, muitas vezes, a explicação de certos efeitos só pode ser feita por variáveis extra financeiras. A gestão da informação desempenha assim um papel crucial, onde os progressos nas novas tecnologias de informação, designadamente na área de gestão de grandes bases de dados, afiguram-se como instrumentos determinantes na reinvenção da actividade financeira tradicional. Sistemas de apoio à decisão, eficientes e adaptados à empresa e ao tipo de negócio, podem contribuir para incrementar a eficiência da função do gestor moderno, diminuindo o tempo necessário para efectuar tarefas de rotina, melhorar a qualidade da informação produzida e distribuída aos outros gestores, deixando mais tempo disponível para actividades de análise, controlo e planeamento. Dessa forma o gestor torna-se um gestor no centro dos resultados, contribuindo activamente para a gestão integrada da empresa, contribuindo não só pela análise da actividade passada, como pela visão objectiva do negócio para o futuro. Uma dimensão multidimensional do gestor financeiro. Os analistas de tecnologia Business Intelligence não são tímidos em focar a tecnologia BI como as ferramentas que melhor suportam a análise de rentabilidade. Contudo, quando executadas 34

directamente de encontro aos dados transaccionais, não produzem o resultado expectável já que os dados transaccionais necessitam de ser processados mais e mais para suportar a análise de rentabilidade. Por exemplo, a rentabilidade do cliente não pode ser calculada até que todos os custos de prestação de serviços de manutenção estejam relacionados ao rendimento que esse cliente gera. Muitos gestores teóricos recomendam agora o uso das “técnicas ABC” (Activity Based Costing) para suportar verdadeiramente a rentabilidade. A rentabilidade do cliente pode também ter os aspectos específicos da indústria, os quais só serão identificados em aplicações especializadas, tais como cálculos do valor da vida do cliente. O reaparecimento das métricas baseadas exclusivamente em dados financeiros foi questionado por algum tempo. As diferenças entre padrões globais de contabilidade e a capacidade de profissionais que usavam uma contabilidade criativa, levaram a que muitos analistas e comentadores exigissem novas maneiras de medir as performances das empresas. Os anos 90 viram o emergir de diversas metodologias de gestão que aumentam, ou em alguns casos substituem, as métricas financeiras puras para medir as performances das empresas. O Balance Scorecard dita as leis e aumenta controlo de gestão através da monitorização de métricas financeiras, processo do negócio, aprendizagem interna e perspectivas do crescimento.

Business Intelligence As aplicações de Business Intelligence oferecem os seguintes vectores de informação: • Informação Estratégica. Quem – Lideres Estratégicos; O Quê – formule a estratégia e monitorize as performances da empresa; Exemplos – Balance Scorecard, Planeamento Estratégico, Simulações de Negócio. • Informação Operacional. Quem – Gestores Operacionais; O Quê – execução da estratégia de encontro aos objectivos: Exemplos – Orçamentação; ABC (Activity Based Costing); Previsão de Vendas. • Informação Analítica. Quem – Analistas; Knowledge Workers; O Quê – Análises Ad-Hoc; Exemplos – Analises Financeiras; Análises da força de trabalho.

As tecnologias necessárias ao suporte desta nova forma de agir e pensar no mundo empresarial já existem. O que não existe ainda é a consciência, por parte de alguns executivos, das oportunidades que estas tecnologias representam e podem criar. As empresas devem desafiar a sua estratégia tradicional publicando informação existente para procurar oportunidades de criar vantagem competitiva. A implementação de um projecto de Business Intelligence é hoje uma decisão crítica e complexa, que deve ser gerida com o máximo rigor, desde que se estudam as necessidades e a justificação de implementação até à escolha da tecnologia e da empresa implementadora da solução, pois é ai que o seu projecto irá fazer a diferença dos outros. 

ligações úteis • BI4ALL: www.bi4all.pt • Microsoft Business Intelligence: www.microsoft.com/portugal/bi/default.mspx


bi4all Business Intelligence para gestão de performances