Page 1

Relatรณrio Anual 2018


Sumรกrio


Relatório Anual 2018

4

Mensagem do Presidente

6

A VLI

14

Integridade

18

2018: ano de desafios

30

Transformação Digital

34

Indicadores e ações operacionais

56

Mercado e Resultados Econômicos

66

Finanças

70

Gestão de Pessoas

82

Saúde e Segurança

90

Sustentabilidade

98

Desempenho Ambiental

108 Prêmios

i

Clique nos títulos ao lado para acessar o capítulo correspondente


Mensagem do Presidente

4


Relatório Anual 2018

E

m 2018, encerramos um ciclo de investimentos que trouxe grandes resultados, como a ampliação do nosso negócio e o crescimento do volume transportado. No acumulado do ano, alcançamos R$ 2,15 bilhões de EBITIDA e R$ 413 milhões de lucro líquido, representando um aumento de 19% e 32%, respectivamente, em comparação com 2017. Essa evolução não deixa dúvidas: seguimos na busca por resultados de forma persistente e consistente, gerando valor para todos os nossos stakeholders. E, para continuar crescendo, estamos investindo cada vez mais em inovação, com foco na mudança de mentalidade do nosso time e em novos processos para os clientes. Nessa jornada de transformação digital, permanecemos sempre de olho nas tendências do mercado e dispostos a mudar de rota sempre que necessário para atingirmos nossos resultados. Além disso, também trabalhamos continuamente para implantar uma cultura de exposição de problemas, incentivando o empoderamento do time para encontrar soluções rápidas, eficazes e simples. Mas, nada disso seria possível sem o nosso time. Valorizamos o trabalho, a dedicação e,

principalmente, a vida de cada empregado. Por isso, segurança aqui é praticada além do discurso e, em 2018, conseguimos reduzir em 3% a taxa de acidentes, consequência de uma atuação forte de conscientização sobre a importância do cuidado genuíno, da adoção de hábitos seguros dentro e fora da empresa, entre outros. Mais do que uma empresa capaz de entregar soluções aos clientes e resultados aos acionistas, estamos 100% comprometidos em ser uma empresa que se dedica a desenvolver e a valorizar as pessoas. E estamos no caminho certo, tanto que ficamos, pela quarta vez consecutiva, entre as 150 Melhores Empresas Para Você Trabalhar e, pela primeira vez, como uma das 45 Melhores Empresas Para Começar a Carreira, pela Revista Você S/A. Por fim, 2018 também representou o começo de um novo desafio: a consolidação e aceleração do retorno sobre o nosso investimento. E estamos preparados para subir mais um degrau e colocar a VLI à frente do mercado, de forma sustentável, inovadora, ética e segura. Marcello Magistrini Spinelli

5


A VLI

Terminal Carregamento

EFC

EFV

6


Relatório Anual 2018

C

om a missão de oferecer soluções logísticas que integram portos, ferrovias e terminais e a visão de transformar a logística do Brasil, a VLI trabalha para atender com eficiência a demanda dos principais players que movimentam a economia do país. No dia a dia, a companhia atua sempre com o máximo de transparência, disponibilizando soluções e alternativas que unem flexibilidade e eficiência, otimizando custos e gerando resultados para os clientes. O atendimento da VLI é focado em três segmentos: agricultura, industrializados e siderurgia e construção.

CE

Terminal Integrador

C - Estrada de Ferro Caraj‡s

Porto Pr—prio

Porto de Terceiros

FCA - Ferrovia Centro-Atl‰ntica

VM - Estrada de Ferro Vit—ria a Minas ALL

Presente em 300 municípios de 10 estados brasileiros com uma cadeia logística integrada composta por 8 mil quilômetros de ferrovia, 8 terminais integradores e operação em 7 portos, sendo 3 próprios

FNS - Ferrovia Norte Sul MRS

7


Missão

Visão

Oferecer soluções logísticas integradas ao negócio de nossos clientes.

Transformar a logística do Brasil.

Valores • Pessoas diferenciadas em relação à SEGURANÇA. • Buscar RESULTADOS de forma persistente e consistente. • PESSOAS integradas e valorizadas multiplicam resultados. • EMPREENDER, criar e melhorar com paixão. • RESPEITO às pessoas sempre. • Nossas ações fazem diferença para o CLIENTE. • Pessoas inconformadas, com ATITUDE CERTA para resolver. • Fazer mais com menos, com SIMPLICIDADE.

8


Relatório Anual 2018

Governança Corporativa A VLI é uma empresa de capital fechado, com controle compartilhado por quatro acionistas.

37,6% Umas das maiores mineradoras do mundo, com grande conhecimento da VLI, de operações ferroviárias e portuárias do Brasil.

26,5% Fundo de Investimentos canadense com participação em empresas de vários países nos setores de infraestrutura, incorporação, private equility, energia, dentre outros.

20,0% Empresa de investimentos japonesa com forte presença no Brasil, sendo acionista em empresas como Vale, Multigrain, VLI e MRC Capital, entre outras.

15,9% Fundo de investimentos FGTS com participação em empresas de infraestrutura de rodovias, portos, hidrovias, ferrovias, energia e saneamento.

9


Em sua estrutura de Governança, a VLI S.A. conta com um Conselho de Administração, uma Diretoria Executiva, Comitês de Assessoramento do Conselho (Financeiro, Investimentos, Pessoas e Governança, Estratégia e Auditoria), e áreas de controle, como: Integridade (Gestão de Riscos e Ética), Auditoria Externa e Auditoria Interna, ligada diretamente ao Conselho de Administração. O Conselho de Administração é composto por sete membros e respectivos suplentes, eleitos pela Assembleia Geral, com mandato de um ano, até a Assembleia Geral Ordinária de 2019.

Conselho de Administração VLI

10

Participantes

Acionistas

Cargo

Luciano Siani Pires

Vale

Titular

Ivan Fadel

Vale

Suplente

Márcio Felipe Milheiro Aigner

Vale

Titular

Vitor Vieira

Vale

Suplente

Giane Luza Zimmer Freitas

Vale

Titular

Carla Brandão Tarré Carvalho de Oliveira

Vale

Suplente

Flávio Eduardo Arakaki

FI-FGTS

Titular

Leonardo Calderaro da Graça Caseiro

FI-FGTS

Suplente

Marcos Pinto Almeida

Brookfield

Titular

Fernando Bernardes Boniolo Ziziotti

Brookfield

Suplente

Luiz Ricardo Cursino de Moura Santos

Brookfield

Titular

Fernando Martinez Caro

Brookfield

Suplente

Michihiro Nose

Mitsui

Titular

Daisuke Hori

Mitsui

Suplente

Mitsuhiko Okubo

Mitsui

Representante Titular


Relatório Anual 2018

A Diretoria Executiva foi reeleita pelo Conselho de Administração em 2018, com mandato de dois anos, encerrando-se em novembro de 2020. Marcello Magistrini Spinelli (Diretor Presidente) Fabiano Bodanezi Lorenzi Gustavo Serrão Chaves Marcus Vinicius de Faria Penteado Rodrigo Saba Ruggiero

11


Membros dos Comitês de Assessoramento ao Conselho de Administração: Comitê Financeiro: Fernando Gomes Saidel Herbst (FI-FGTS) Mitsuhiko Okubo (Mitsui) Guilherme Ignez (Mitsui) Marcos Pinto Almeida (Brookfield) Luiz Ricardo Cursino de Moura Santos (Brookfield) Carla Brandão Tarré C. de Oliveira (Vale) Vitor Vieira (Vale) Comitê de Investimentos: André Borges (Brookfield) Adriano Mansk (Vale) Cristian Eustaquio Fernandes Lourenço (Vale) Takunori Kaminuma (Mitsui) Luciano Miyauti (Mitsui) Comitê de Pessoas e Governança: Luciano Siani Pires (Vale) Marcos Pinto Almeida (Brookfield) Daisuke Hori (Mitsui) Flávio Eduardo Arakaki (FI-FIGTS) Comitê de Estratégia: Giane Luza Zimmer Freitas (Vale) Marcos Pinto Almeida (Brookfield) Daisuke Hori (Mitsui) Flávio Eduardo Arakaki (FI-FGTS) Comitê de Auditoria: Bruno Mendes de Moraes (Vale) Melissa Barroso (Vale) Kenji Chikaraishi (Mitsui) Hisao Ogawa (Mitsui) Vinicius Ernesto Ferreira (FI-FGTS) Marcello Davis (Brookfield) Joana Marsillac (Brookfield)

12


Relatório Anual 2018

A VLI é uma empresa privada que possui no seu escopo ativos de ferrovias e portos regulados pelo governo. Nesse sentido, a atuação da companhia nas tratativas de normas, audiências, consultas públicas e tomadas de subsídios é fundamental para contribuir de maneira efetiva com a evolução do ambiente regulatório no país.

13


14


Relatório Anual 2018

Integridade C

om o objetivo de garantir mais eficiência e sinergia nos processos, a VLI uniu, em outubro de 2018, as áreas de Riscos, Segurança Empresarial e Ética e Conformidade. Agora, os três setores respondem à Diretoria de Integridade.

Ética A VLI preocupa-se continuamente em manter os padrões mais elevados de Ética e Conformidade em todas as atividades do negócio, pois acredita ser esse o único caminho para criar valor para toda a sua cadeia de relacionamento (clientes, empregados, acionistas, parceiros e comunidades). Em 2018, o tema ganhou ainda mais importância e foi alçado a uma das três Condições de Contorno do negócio, ocupando papel-chave e orientador de todas as ações e tomadas de decisões estratégicas. Nessa Jornada Ética, registramos importantes avanços, incluindo a mobilização de todas as unidades da empresa em torno de uma campanha de conscientização sobre respeito às pessoas e combate a fraudes e corrupção. Além disso, os empregados foram convidados a celebrar um pacto, no qual se comprometeram a serem protagonistas na promoção dos nossos valores. A participação chegou a 90%, evidenciando o engajamento de cada um para fazermos da VLI uma empresa de que todos se orgulhem.

Junto com Ética e Compliance, Segurança e Sustentabilidade formam as três Condições de Contorno definidas pela VLI em 2018 para o novo ciclo do planejamento estratégico (2019-2023). Esses pilares fazem parte da nova estratégia da companhia, pautado pela busca por consolidação e crescimento com base nos atributos de valor percebidos pelo cliente, acelerando o retorno sobre o investimento.

15


Confira as demais ações Diálogos da liderança em campo, feitos em conjunto com a Diretoria de Integridade, para reforçar o propósito da VLI.

Criação do Alerta de Integridade, que consiste em desdobrar e disseminar os aprendizados de casos de fraude, assédio e outras inconformidades materializadas na empresa.

Realização do Risk Assessment de Compliance, com a implantação de tecnologias para aumentar a profundidade e a abrangência dos controles e monitoramentos de gerenciamento e prevenção de riscos. •

Canal de Ética A VLI possui um Canal de Ética que visa fomentar a confiança e a transparência nas relações de trabalho, promovendo um ambiente de elevado padrão ético e preservando a idoneidade da empresa. Por meio dele, qualquer pessoa que tenha conhecimento de violação dos valores e políticas da companhia ou da legislação vigente pode fazer o seu relato, de forma confidencial. Basta acessar: canaldeetica.com.br/vli ou ligar em 0800 721-0782 (de segunda-feira a sábado, das 10h às 18h, com atendimento pessoal).

16


Relatório Anual 2018

Riscos O gerenciamento de riscos na companhia atingiu um novo patamar em 2018. O ano marcou a conclusão da segunda etapa da implantação da gestão da área, que teve início em 2017, com o levantamento de riscos em toda a empresa. A implementação deve ser concluída em 2020, com a identificação e planejamento de mitigação dos riscos. Nessa fase, o setor analisou e definiu, de forma crítica, os riscos prioritários – aqueles que podem afetar as estratégias e o crescimento da companhia. Com o envolvimento dos diretores, foram mapeados 257 riscos e, desses, 32 seguiram para a lista de prioridades. Para o próximo ciclo, a área pretende reunir esses itens em macrotemas, que servirão como direcionadores das ações de mitigação. O objetivo é facilitar o acompanhamento e o controle desses riscos, possibilitando a aplicação correta de investimentos, iniciativas e projetos

estratégicos, de modo a fortalecer o crescimento do negócio. Em 2018, também começaram a ser construídos os indicadores de classificação dos riscos, que servirão para diminuir a potencialidade e aumentar o controle de cada um deles. Dessa forma, estamos cada vez mais aderentes às melhores práticas de mercado, ao considerar, dentro das metas corporativas, a tratativa e a mitigação das ameaças que permeiam questões ambientais, de segurança da informação, de processos operacionais, financeiros, de fraude e corrupção e de saúde e segurança. Hoje, pode-se dizer que a gestão de riscos é parte fundamental do compromisso da empresa e a resposta às exposições já se tornou – formalmente – parte integrante das rotinas das diretorias executivas e das gerências.

17


2018: ano de desafios

18


Relatório Anual 2018

O

ano de 2018 trouxe muitos desafios para a VLI, com destaque para a greve rodoviária, a guerra comercial entre Estados Unidos e China, a quebra da safra de milho em nossa área de influência e a nova dinâmica do mercado de açúcar (competição no mercado interno entre a produção de açúcar para exportação e a produção de etanol). Esses fatores fizeram com que a curva de volume estimada para 2018 fosse revista, em julho, passando de 44,6 MKTU para 37,8 MKTU. Apesar disso, conseguimos cumprir o plano de vendas e alcançar o crescimento do EBITDA e do lucro líquido, com incrementos de 19% e 32%, respectivamente, em comparação com o ano anterior. Alcançamos R$ 1,2 bilhão em investimentos com destaques para a entrega da Oficina de Paulínia (SP), a ampliação do pátio de manobras e a construção da nova Oficina Centralizadora de Vagões em Ribeirão Preto (SP), para atender a necessidade de entrada de ativos no corredor Centro-Sudeste. Realizamos, ainda, a renovação de 45 quilômetros de Via Permanente no corredor Centro-Sudeste, com a aplicação de 78 mil dormentes de concreto e 6.800 toneladas de trilhos. Para o corredor CentroNorte, adquirimos 240 vagões do tipo HFT e 50 do tipo TCT, inauguramos a Oficina de Vagões e Locomotivas de Imperatriz, um posto de abastecimento e ampliamos as linhas férreas, com o intuito de sustentar o aumento de volume transportado na região.

19


Transformações e cultura As transformações tecnológicas que estão mudando os mercados e a sociedade tiveram grande relevância na VLI em 2018. Além do kick off do sistema SAP, que conferiu mais velocidade e confiabilidade às apurações financeiras e contábeis da empresa, estruturamos a área de Transformação Digital e Inovação – criada em 2018 –, trazendo para a empresa as novidades do mundo digital e uma nova forma de pensar os processos e iniciativas operacionais e administrativos. Essa virada de chave é essencial para a imersão da VLI em um novo contexto mercadológico, mais dinâmico e concorrido, pois acrescenta velocidade à identificação de problemas e correções de rotas e nos aproxima ainda mais das necessidades dos nossos clientes. Com isso, queremos preparar o nosso caminho na busca de um sistema logístico que seja cada vez mais a primeira escolha do cliente.

20


Relatório Anual 2018

Também em 2018, revisitamos a nossa cultura e decidimos encarar de frente os nossos desafios, sem melindres, com times integrados e empoderados em busca das melhores soluções para os clientes e dos resultados pactuados. Fizemos tudo com foco em segurança, trabalhando arduamente pelo acidente zero e para a disseminação de políticas em todas as nossas unidades, sejam elas operacionais ou administrativas.

21


Números de 2018 EBITDA: Crescimento de em relação a 2017

19%

R$1,2 bilhão de investimento (capital e corrente)

Lucro Líquido:

32%

superior ao de 2017

Recorde de volume em portos (6,4% a mais que 2017)

Volume ferrovias:

22

38,5 Bi TKU


Relatรณrio Anual 2018

23


Desafios superados, resultados alcançados Apesar de todos os desafios de 2018, a VLI se superou e encerrou o ano com um recorde no resultado operacional, atingindo margem EBITDA de 43,4% e EBITDA de R$ 2,15 bilhões (melhora de 19% em comparação ao ano anterior, equivalente a R$ 349 milhões em valores absolutos). Esse resultado está associado ao maior volume que já fizemos nos portos – 38,5 milhões TU, um au-

24

mento de 6% – e a menores custos operacionais. Nas ferrovias, alcançamos o volume de 59,2 milhões TU (38,5 Bi TKU), leve aumento em relação ao ano anterior, quando atingimos 57,2 milhões TU (38,2 Bi TKU). O lucro líquido fechou em R$ 413 milhões, 32% acima do obtido em 2017, com menor depreciação, melhor resultado financeiro e menor IRPJ/CSLL.


Relatório Anual 2018

Indicadores econômicos e operacionais Principais Indicadores 2013

2014

2015

2016

2017

2018

Evolução 2017/2018 (%)

Receita Bruta (Milhões de R$)

3.096

3.669

4.060

4.163

5.135

5.668

10%

Receita Líquida (Milhões de R$)

2.629

3.210

3.491

3.554

4.499

4.953

10%

EBITDA (Milhões de R$)

638

1.075

1.354

1.471

1.800

2.149

19%

Resultado Exercício (Milhões de R$)

326

295

431

294

314

413

32%

Volume Ferrovia (Milhões de TKU)

29.732

32.157

34.850

32.212

38.184

38.477

1%

Volume Ferrovia (Mil de TU)

46.429

48.862

50.020

48.115

57.167

59.188

4%

Volume Porto (Mil de TU)

24.592

27.415

29.016

25.540

36.328

38.512

6%

Dívida Líquida (Milhões de R$)

0

0

2.147

3.998

4.290

5.714

33%

Margem EBITDA

24,3%

33,5%

38,8%

41,4%

40,0%

43,4%

+3,4 p.p

Margem Líquida

12,4%

9,2%

12,3%

8,3%

7,0%

8,3%

+1,3 p.p

Dívida Líquida / EBITDA (Milhões de R$)

0,00

0,00

1,59

2,72

2,38

2,66

12%

25


Desempenho dos corredores Centro-Leste Continua sendo o principal corredor da VLI, representando 40% do volume total de 2018. Volume 2018: 16,9 bi TKU Volume 2017: 17,1 bi TKU Comparação: queda de 1,9%

Agricultura: 9,3 bi TKU (-1,6%) Industrializados: 1,3 bi TKU (+14,7%) Siderurgia e Construção: 6,3 bi TKU (-5,1%)

Centro-Norte Maior crescimento de Margem EBITDA da VLI (24% a mais que em 2017). Volume 2018: 8,9 bi TKU Volume 2017: 8,3 bi TKU Comparação: aumento de 6,6%

26

Agricultura: 6,3 bi TKU (+13%) Industrializados: 2,2 bi TKU (-6,76%) Siderurgia e Construção: 0,3 bi TKU (-6,15%)


Relatório Anual 2018

Centro-Sudeste

Maior crescimento absoluto de EBITDA (aumento de 55% em comparação com 2017). Volume 2018: 10,3 bi TKU Volume 2017: 10,2 bi TKU Comparação: aumento de 0,7%

Agricultura: 8,8 bi TKU (+0,3%) Industrializados: 1,4 bi TKU (+7,6%) Siderurgia e Construção: 0,9 bi TKU (-32%)

(Impulsionada especialmente pelo resultado do Tiplam que chegou a 9,6 milhões de toneladas em 2018, cerca de 2,3 milhões a mais que em 2017)

Minas-Rio e Minas-Bahia

Volume 2018: 2,4 bi TKU Volume 2017: 2,5 bi TKU Comparação: queda de 0,5%

Agricultura: 0,4 bi TKU (+19%) Industrializados: 1,9 bi TKU (-3,7%) Siderurgia e Construção: 0,2 bi TKU (-20,4%)

(Os corredores demonstraram recuperação no EBITDA, passando de –R$ 14 milhões, em 2017, para –R$ 9milhões no Minas-Bahia e de –R$ 15milhões para -R$ 3milhões no Minas-Rio)

27


Desempenho dos corredores 2017

Principais Indicadores Econômicos e Operacionais por Corredor

2018

Volume Ferrovia (Milhões de TKU)

Volume Porto (Mil de TU)

Receita Líquida (Milhões de R$)

EBTIDA (Milhões de R$)

Margem EBTIDA

Centro-Norte 10.000

8.326 8.878

10.099 10.685

1.015 1.114

571

709

56,3%

63,7%

5.000 0 Centro-Leste 20.000 15.000

17.212 16.888

18.340 17.632

1.982 2.064 1.045 1.123 52,8% 54,4%

10.000 5.000 0 Centro-Sudeste

10.000

10.185 10.261

7.355

9.617

1.213 1.435 330

17,5% 23,0%

-14

-9

-7,6% -4,1%

-15

-3

-2,8%

212

5.000 0 Minas-Bahia 5.000 0

1.294 1.400

179 534

224

579

Minas-Rio 5.000 0

1.167

1.049

0

0

111

116

-13,2%

28


Relatório Anual 2018

Segurança além do discurso Mesmo buscando incansavelmente um resultado econômico desafiador, a VLI manteve o seu foco em segurança, praticando-a para além do discurso e realizando grandes ações em relação ao tema.

Saiba mais sobre o compromisso da VLI com a segurança:

Voltamos nosso olhar para as ocorrências com grande potencial de danos, criando o Programa de Prevenção de Riscos de Fatalidade, com o mapeamento de áreas críticas das operações e atuação imediata para eliminação dos riscos encontrados. Desenvolvemos ainda um trabalho de transformação cultural, por meio do Programa Site Seguro e da Escola de Saúde e Segurança, no qual alinhamos os conceitos da área com direcionamento estratégico, envolvendo toda a cadeia (liderança, staff e família). As atividades visavam encorajar o aprendizado e a prática segura, promovendo a conscientização de que as pessoas são capazes de identificar riscos e desempenhar, de fato, o papel de preservar vidas. Além disso, reduzimos ainda em 3% o indicador de taxa de frequência de acidentes.

Redução de taxas de acidente em

3%

29


Transformação digital

30


Relatório Anual 2018

A

tenta às tendências do mercado, a VLI ingressou fortemente em um novo percurso em 2018: a Jornada Digital.

O movimento foi marcado pela criação da área de Transformação Digital, cuja missão é trazer tecnologias e soluções inovadoras capazes de garantir a sustentabilidade do nosso negócio. Mais do que isso: os temas Transformação Digital e Inovação foram incluídos na última revisão do planejamento da companhia, passando a ser um dos viabilizadores para a execução da nossa estratégia. Assim, buscamos mais criatividade para superar os desafios, agilidade nos processos e alternativas simples e customizadas, para aprimorar fluxos internos e também aqueles voltados ao cliente. Uma das primeiras atividades foi mapear as iniciativas digitais em curso na VLI. Esse mapeamento foi a base para a elaboração de um planejamento de ações para envolver toda a companhia na transformação digital, a partir de diagnósticos e metas de curto e médio prazos. Como resultado, foram implementadas 16 iniciativas pela área e outras 40 por outros times, sempre orientados pela equipe de Transformação Digital.

Pilares da Jornada Digital - Paixão pelo problema e não pela solução (foco em simplicidade para enfrentar desafios internos e externos). - Experimentação (abertura para novas ideias e tentativas, pensamento diferente). - Incremento contínuo de valor (metodologia do produto mínimo viável).

O movimento de Transformação Digital conta com o envolvimento de toda a companhia

Implementação de 56 iniciativas na VLI

31


Saiba mais no site:

Inova VLI Aproximar-se das startups e do ecossistema de inovação tem sido cada vez mais importante para as empresas — não importa o setor. De olho neste cenário a VLI lançou o Inova VLI, no final de 2017. O programa de inovação aberta acontece de forma contínua, com o lançamento de desafios relacionados às diversas áreas da empresa. Ao longo de 2018, foram realizados cinco Startup Days, no qual startups pré-selecionadas mostraram, para executivos das áreas de negócios da VLI, soluções para resolver as dores da empresa. Ao todo, foram mais de 250 instituições conectadas (40 se apresentaram presencialmente na VLI e oito foram contratadas para a realização dos projetos pilotos). Além disso, também promovemos cinco workshops de inovação, dentro e fora das unidades da companhia e dois Hackatons, em Uberlândia e em Belo Horizonte (MG), e participamos de eventos externos, com foco na sensibilização dos empregados sobre o tema. Patrocinamos ainda dois eventos — Open Innovation Brasil, em Brasília (DF), e o Startup Weekend, em Uberaba (MG) — e criamos um espaço exclusivo de inovação, no 3º andar da sede da VLI, em Belo Horizonte (MG).

Hackatons são maratonas de programação feitas com o intuito de promover interação e descobertas de soluções inovadoras. Nos dois eventos, a VLI recebeu 244 inscritos, contando com 72 participantes e 19 soluções, das quais seis foram selecionadas.

32


Relatório Anual 2018

Conexão com mais de

250 startups 5 Startup Days Criação de um espaço de

inovação, na sede da VLI 33


Indicadores e açþes operacionais

34


Relatório Anual 2018

Ferrovia

E

m 2018, três pilares subsidiaram as ações do time de Engenharia Ferroviária: aprofundamento das práticas de produtividade de empresas americanas (Benchmarking Americano), aplicação da filosofia TPS (saiba mais na página 52) – como alavanca para buscar resultados, padronização e segurança operacional – e a implantação de soluções cada vez mais digitais e modernas. A equipe vem promovendo ainda um melhor aproveitamento do seu quadro de tração, atingindo um ganho na relação entre o peso do vagão e a potência da locomotiva. Em resumo, conseguimos transportar um volume maior (cerca de 8% a mais) em cada trem e, consequentemente, diminuímos o gasto energético.

Resultado possível graças ao trabalho em conjunto com os terminais e ferrovias, que desenvolvem processos para adequação das cargas e aperfeiçoamento do transporte

8%

Aumento de cerca de no volume médio de cada trem

35


Disponibilidade de ativos No ano de 2018, tivemos perdas na disponibilidade física de locomotivas (1,33%) e de vagões (0,2%) em relação ao ano anterior.

Disponibilidade Física de Locomotivas 2014

2015

2016

2017

2018

VLI

77,51%

81,95%

84,76%

83,03%

81,70%

FCA

77,51%

80,35%

84,64%

83,10%

81,82%

FNS

NA

90,61%

89,67%

82,09%

80,90%

No FNS, a queda de disponibilidade física de locomotivas é justificada, principalmente, pelo período de adaptação das operações na nova Oficina de Imperatriz (MA). Já na Ferrovia Centro-Atlântica, o impacto foi resultado de dois acidentes no mês de fevereiro e de falhas prematuras de componentes ocorridas principalmente com ativos da nova frota de locomotivas.

Disponibilidade Física de Vagões 2014

2015

2016

2017

2018

VLI

90,09%

91,06%

87,14%

85,27%

85,01%

FCA

90,09%

90,48%

85,90%

83,85%

83,58%

FNS

NA

98,33%

98,03%

95,93%

95,58%

As principais causas da perda de disponibilidade dos vagões estão relacionadas à performance da frota graneleira do corredor Centro-Leste. Ao longo de 2018, foram realizados diversos projetos para melhorar a performance dessa frota. Como consequência, reduzimos em 21% a retenção dos ativos, na comparação entre os meses de janeiro e dezembro. Esse ganho foi primordial para começar 2019 com a disponibilidade física ajustada para realização do volume previsto.

36


Relatório Anual 2018

Via Permanente Durante o ano, avançamos em etapas importantes da transformação da manutenção da Via Permanente da VLI. Esse desenvolvimento é resultado, principalmente, das iniciativas do programa de Benchmarking Americano. Dentre as iniciativas, podemos destacar os avanços na substituição mecanizada dos dormentes de madeira por concreto, com a utilização da máquina Tie Gang, e também a ampliação da extensão coberta pelo programa de Gestão Total do Atrito (GTA). Além das ações do Benchmarking, realizamos outras melhorias, como a substituição da ponte do km 813 do corredor Centro-Leste, finalizando a capacitação (para recebimento de carga) de todas as pontes dessa rota que possuem vão superior a 20 metros, conferindo mais segurança operacional e confiabilidade para os nossos ativos. No corredor CentroSudeste, construímos 10 novas passagens em nível para pedestre, oferecendo mais segurança e mobilidade para a população, com estruturas que atendem às leis e normas vigentes de trânsito urbano. E, por fim, também desenvolvemos algo inédito: o lubrificador que pode ser usado tanto para bitola mista quanto para bitola dupla, facilitando o processo de manutenção e esmerilhamento de trilhos. Com relação aos investimentos em manutenção de Via Permanente, destacam-se os 515 mil dormentes substituídos em toda a companhia e os 45 km de renovação de ferrovia no CentroSudeste e outros 37 km nos corredores CentroLeste e Minas-Rio - sendo 32 km remodelados com Tie Gang.

O programa de Benchmarking Americano tem o intuito de trazer para a companhia as melhores práticas de manutenção adotadas em ferrovias de referência dos Estados Unidos, customizando-as para a nossa realidade, com foco no aumento de produtividade, qualidade e segurança operacional. Em 2018, potencializamos ainda mais a utilização do Tie Gang, com a melhoria de equipamentos existentes e a aquisição de outros complementares. Em dois anos de operação, essa ferramenta já proporcionou a substituição de 35 mil dormentes no corredor Centro-Sudeste e outros 31 mil no Centro-Leste – iniciando o processo de mudança da matriz de dormentes desse corredor. O objetivo do GTA é aumentar a vida útil dos trilhos, garantindo mais segurança e eficiência energética. Com ele, conseguimos incluir o trecho de Belo Horizonte até Divinópolis (MG), com a instalação de 40 novos sistemas de lubrificação e modificação do atrito. A ampliação permitiu a cobertura de trechos importantes para a operação ferroviária, oferecendo trilhos com performance compatível com a nossa estratégia.

515 mil dormentes

trocados na VLI

37


Material Rodante Em 2018, realizamos importantes entregas de Material Rodante (locomotivas, vagões e oficinas), com o objetivo de aumentar a capacidade de transporte, melhorar a performance da frota e trazer estabilidade para o sistema ferroviário, sustentando o crescimento da companhia.

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Total

Vagões

1.048

254

2.824

1.572

1.650

180

482

8.021

Locomotivas

54

63

48

134

16

28

19

362

Nos últimos anos a VLI adquiriu 8.021 vagões e 362 locomotivas que dão sustentação ao crescimento de demanda da companhia previsto no plano de negócios.

38


Relatório Anual 2018

Compra de material rodante 2018:

11 locomotivas ES43BBi 8 locomotivas SD70BB 250 vagões HFT 54 vagões TCT 178 vagões PQE

As iniciativas envolveram: • Desenvolvimento de soluções customizadas para o transporte de toretes da Fibria em 178 vagões PQE, aumentando a confiabilidade e a capacidade de carga (de 46 para 50 toneladas), no corredor Centro-Leste. • Aquisição de novos vagões de descarga rápida, com acionamento único, para transporte de grãos, com truque de alta performance para inscrição em curvas e aparelho de choque e tração, com possibilidade de formação de trens com mais capacidade, no corredor Centro-Norte. • Início

do Projeto de Renovação da Frota SD40/ SD5, com substituição de 57 locomotivas antigas por 15 novas, modelo SD70BB e 11 ES43BBi, que possuem sistema de monitoramento remoto e recomendação de manutenção da fornecedora GE (EOA), acessório que liga e desliga o motor quando o ativo estiver parado, gerando uma economia de até 10% de combustível (AESS) e truques modernos que melhoram a inscrição da locomotiva em traçados mais sinuosos e reduzem o consumo de rodas e trilhos.

Instalação de equipamentos, que medem remotamente a performance dos nossos vagões e locomotivas, e as implantações do Fast Track e Track Service, para a realização de reparos leves em vagões e locomotivas, respectivamente. Investimos também em aquisição e reposição de itens de rodeiros para locomotivas e vagões (rodas, eixos, rolamentos e engrenagem), troca de tremonhas e teto dos vagões tipo Hopper, recuperação de vagões tipo gôndolas e instalação de detectores de descarrilamento em vagões. •

Inauguração de duas novas Oficinas, em Paulínia (SP) e Imperatriz (MA), com capacidade para atender a demanda de manutenção de locomotivas nos corredores Centro-Sudeste e Centro-Norte. Destaque para operacionalização da linha de manutenção de forma padronizada (usando como base a filosofia TPS) e para a instalação, em Paulínia, do torno de subsolo, com redução de R$ 3 milhões em Capex. Em Imperatriz, ressaltamos a estruturação das linhas de manutenção de locomotivas e vagões e o início do Fast Track de vagões e Casa de Rodas.

39


Eficiência Energética Comprometida com a sustentabilidade de suas operações e com a preservação dos recursos naturais, a VLI vem empreendendo esforços para aumentar a eficiência energética nas ferrovias. Em 2018, o indicador seguiu em queda, tanto como um todo quanto na FCA e FNS. A redução do consumo de óleo diesel, além de trazer ganhos operacionais, contribui significativamente com a diminuição da emissão de CO2 na atmosfera (saiba mais no capítulo de Meio Ambiente).

Resultados de Eficiência Energética (litros/KTKB) 2015

2016

2017

2018

VLI

5,388

5,165

4,798

4,694

FCA

6,335

6,142

5,929

5,884

FNS

2,129

2,072

2,015

1,972

Resultado acumulado Grande responsável pelo aumento da eficiência energética, o processo de renovação da frota em curso na companhia permitiu uma melhora significativa desse quesito quando verificamos os fluxos em que se utilizam as locomotivas novas. Conseguimos reduzir 27% do consumo de combustível (mais do que a projeção inicial, de 23%). No gráfico (ao lado), podemos ver uma evolução do resultado da renovação da frota e da implantação de tecnologias e melhorias operacionais (controles e produtividade dos trens). Esse avanço foi percebido principalmente nos corredores Centro-Leste, Centro-Norte e Centro-Sudeste.

40


Relatório Anual 2018

Curva de Evolução da Eficiência Energética (litros/KTKB)

-27%

8 6,40

Melhor

6,30 5,80

7

5,39

5,17

4,80

4,69

6

5

4

3 2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

41


Destaques de 2018 Em 2018, essa busca pela produtividade no consumo de combustível foi marcada por três momentos muito importantes, que refletem a redução do consumo específico de óleo diesel por tonelada bruta transportada na VLI.

Início do recebimento das locomotivas SD70BB (EMD) e ES43Ace (GE), referentes ao terceiro pacote de renovação de frota da empresa.

Realização do segundo projeto de renovação de frota do corredor Centro-Sudeste e aumento da capacidade dos trens do corredor.

Aprovação do próximo ciclo de implantação de (1) tecnologias para redução do consumo específico de energia (2), de rotinas de gerenciamento do indicador no nível operacional (isolamento de locomotivas, pé de rampa, entre outros) e (3) do aumento da taxa de lotação, transportando mais carga em cada trem, com maior aproveitamento da capacidade de tração.

42

+ confiabilidade + disponibilidade + economia

tecnologia de ponta


Relatório Anual 2018

Projeções Depois da aprovação da terceira fase da renovação da frota de locomotivas, em 2017, o ano de 2018 registrou movimentação intensa, com o recebimento de ativos e a alocação dos fluxos já existentes, proporcionando os primeiros resultados positivos de eficiência energética. Com previsão para terminar em 2019, essa etapa do projeto contempla a troca de 57 locomotivas de média potência e o acréscimo de outras 26, compradas dos principais fabricantes do mundo. Essa renovação abre a possibilidade para a implantação de tecnologias voltadas a aumentar ainda mais a produtividade, como o assistente de condução, o sistema de start stop do motor diesel e o sistema de condução unitária inteligente (que utiliza o melhor ponto de cada locomotiva, quando elas estão operadas em comboio). Com a implantação desses projetos a VLI terá o parque tecnológico operacional mais atualizado de toda a América Latina. Ainda por meio do projeto de Benchmarking Americano, a VLI tem outra gama de projetos em fase de estudos, testes e implantação, que vão garantir um resultado sustentável para a empresa ao longo dos próximos anos. Os projetos permeiam todas as áreas operacionais da companhia e se beneficiam de múltiplas disciplinas de engenharia, garantindo assim um estudo aprofundado

43


da captura de ganhos, com comprovação prática em ferrovias americanas, canadenses, australianas, ou mesmo, brasileiras. Baseado em estudos e projetos previstos para os próximos quatro anos, a VLI pretende reduzir o consumo total de combustível nos trens e, consequentemente, da emissão de CO2. Isso garante uma empresa cada vez mais eficiente, com custo racionalizado e ainda mais comprometida com as questões ambientais. Orientados pelo princípio da inovação, estamos aprofundando estudos relacionados à utilização de energias alternativas, menos poluentes e mais sustentáveis, o que pode gerar grandes modificações em médio prazo no setor ferroviário.

Portos e Terminais No ano de 2018, as performances operacionais das unidades não obtiveram grandes variações em comparação com 2017. Porém, sofremos alguns impactos causados por fatores externos, como a redução da escala de originação de grãos, motivada pela greve dos caminhoneiros, e o aumento do índice pluviométrico nos portos, principalmente no Tiplam (SP). Ações de melhoria rápida já estão sendo implantadas para estabilização do processo.

44

Taxa Comercial t/h

Volume ktu

Portos

Portos 2016

2017

2018

2016

2017

2018

Tiplam

467,1

464,6

465,4

Tiplam

2.783,1

7.355,1

9.616,7

PECÉM

200,8

377,0

512,6

PECÉM

1.690,0

5.720,6

6.756,2

TPSL

814,6

934,9

759,0

TPSL

3.007,5

4.428,1

3.928,5

TMIB

236,7

244,8

228,8

TMIB

673,4

663,0

578,7


Relatรณrio Anual 2018

Taxa Comercial t/h

Volume ktu

Terminais

Terminais 2016

2017

2018

TIA

956,1

1.022,7

874,7

TIGU

12,2

710,0

773,4

2016

2017

2018

TIA

5.692,4

5.178,3

5.089,7

TIGU

2.018,2

2.686,8

2.474,4

TIPI

10,3

514,6

411,6

TIPI

881,9

832,9

1.015,3

TIUB

9,5

863,0

850,6

TIUB

2.403,6

4.969,1

5.394,7

TIPN

5,0

962,7

1.084,9

TIPN

488,2

998,3

1.751,0

TIPA

8,6

1.375,1

1.176,6

TIPA

1.872,3

2.977,5

2.719,7

TISL

11,6

10,7

78,8

TISL

2.503,2

2.572,0

2.572,0

TIOP

4,3

4,4

3,9

TIOP

1.116,1

960,2

1.148,6

45


Melhorias Em 2018, a equipe de Engenharia de Portos e Terminais fez um forte trabalho de formação e estruturação da área, com o objetivo de dar suporte ao aumento das operações e reduzir a relação de custo por tonelada. Até então, o setor era dividido em duas funções: gestão e técnica. No ano de 2018, as atividades de gestão migraram para a diretoria de Planejamento e a parte técnica foi desmembrada em seis novas funções: Náutica; Investimento Corrente e Grandes Paradas; Novos Projetos; Engenharia de Manutenção; Engenharia de Operações; Qualidade e Perdas.

46


Relatório Anual 2018

As mudanças prepararam a equipe para atuar de forma cada vez mais eficiente e próxima do campo, apoiando as unidades locais na solução de gargalos, na implantação de melhorias operacionais e de segurança, na otimização de processos e no aumento das taxas comerciais. Tudo isso usando inteligência, novas tecnologias e estratégias para movimentar cada vez mais cargas, gastar menos e otimizar o ativo. E, somando esforços em busca desse aperfeiçoamento, destacamos o desenvolvimento do TPS nos terminais, ainda mais forte em 2018. A filosofia foi imprescindível para conseguirmos reduzir desperdícios, otimizar o quadro de pessoas e buscar soluções eficientes.

Ações

TI Uberaba (MG) >

projetos de melhoria de produtividade para aumento do peso médio em cada vagão (sendo replicados no TI Araguari / MG).

Resultado: aumento de 1,2 tonelada por vagão > mais rentabilidade.

Portos >

estudo de soluções para redução da emissão de particulados durante o embarque/ desembarque, implantação de tecnologias para embarque com chuva e melhorias operacionais.

Foco:

mais performance e mais capacidade de escoamento.

47


Manutenção Foram mantidos os investimentos em manutenção de ativos e segurança operacional de portos e terminais, com foco em adequações para mitigação do risco de incêndio e explosão. Entre as ações, destacam-se: implantação de controle, revitalização do sistema contra incêndios, substituição de maquinário e ampliação do sistema firefly. Em 2018, iniciamos a estratégia de centralizar o planejamento e o controle da manutenção, segundo a qual todas as diretrizes serão feitas de forma corporativa, otimizando recursos e insumos, e garantindo a uniformidade entre as unidades.

Destaques

Pecém (CE)

> revitalização da linha de carvão, com adequações de pintura, manutenções nas correias, melhorias nos descarregadores de navios, etc.

Resultado: aumento de 53% na taxa (valor) comercial do carvão.

Tiplam (SP) > melhorias no escoamento e no sistema de correias, mudanças na gestão, com um supervisor por produto. Resultado:

crescimento de 60% da capacidade para o escoamento de fertilizantes e mais foco nos desafios e busca de soluções.

48


Relatório Anual 2018

Investimentos em manutenção das operações (em milhões de R$)

2013

%

2014

%

2015

%

2016

%

2017

%

2018

%

Via Permanente

272,4

45,6%

297,7

75,4%

323,4

75,5%

330,4

74,1%

366,8

71,5%

401,7

66,3%

Material rodante

222,0

37,1%

16,8

4,3%

20,8

4,9%

20,4

4,6%

31,3

6,1%

81,2

13,4%

Ativos Ferroviários

67,3

11,3%

29,3

7,4%

28,6

6,7%

27,6

6,2%

20,6

4,0%

16,5

2,7%

Porto

29,4

4,9%

40,5

10,3%

38,6

9,0%

54,1

12,1%

80,9

15,8%

75,1

12,4%

Terminal

0,1

0,0%

3,4

0,9%

7,0

1,6%

11,7

2,6%

10,6

2,1%

15,9

2,6%

Outros

6,5

1,1%

7,1

1,8%

10,0

2,3%

1,8

0,4%

2,9

0,6%

15,8

2,6%

Total

597,6

100,0%

394,8

100,0%

428,5

100,0%

446,0 100,0%

513,2

100,0% 606,2 100,0%

49


Projetos e investimentos Em 2018, a companhia fez investimentos de R$ 1,17 bilhão, 13,5% a mais do que em 2017. O aporte foi dividido entre projetos de expansão de capacidade, com R$ 573 milhões, e manutenção, com R$ 606 milhões.

Investimentos 2018

50

(em milhões de R$)

Projetos

%

Manutenção

%

Total

%

Material Rodante

186,5

33%

81,2

13%

267,7

23%

Porto

105,7

18%

75,1

12%

180,8

15%

Via Permanente

22,8

4%

401,7

66%

424,5

36%

Terminal

2,0

0%

15,9

3%

17,9

2%

Ativos Ferroviários

142,1

25%

16,5

3%

158,7

13%

Outros

114,4

20%

15,8

3%

130,2

11%

Total

573,5

100%

606,2

100%

1.179,7

100%


Relatório Anual 2018

Programa de Ribeirão Preto (SP): ampliação do pátio (acréscimo de 7.279 metros de linha férrea, incluindo acesso à oficina), entregue para operação em abril de 2018, e construção da oficina de manutenção de vagões, com finalização prevista para 2019. Programa de Paulínia (SP): projetos de expansão do pátio finalizados em abril de 2018 e da oficina de manutenção de locomotivas, entregue para operação em dezembro do mesmo ano. Programa de Imperatriz (MA): ampliação das linhas férreas e do pátio (finalizadas em fevereiro de 2018) e construção da oficina de locomotivas e vagões, com finalização prevista para 2019, e do posto de abastecimento (obras concluídas em 2017). Pátio de Aguaí (SP): aumento de aproximadamente 450 metros de linha férrea do Pátio de Aguaí. Com um comprimento útil de 1.605 metros, o pátio foi entregue para operação em março de 2018. Outros projetos: construção de passarelas para pedestres sobre a ferrovia em Uberaba (MG), Luziânia (GO), Santa Luzia (MG) e Jaguariuna (SP), uma passagem inferior de pedestres no município de Ipameri (GO) e ampliação do pátio de Jardim do Ingá (GO). Também estão em andamento as passarelas de Mogi Guaçu (SP), Ribeirão Preto (SP) e Divinópolis (MG), com previsão de conclusão em 2019.

51


Execução de Projetos por Tipo de Ativo (em Milhões de R$)

2013

%

2014

%

2015

%

2016

%

2017

%

2018

%

Material Rodante

479,0

60%

1026,1

63%

900,3

36%

683,9

33%

11,0

2%

186,5

33%

Porto

25,2

3%

332,9

20%

893,6

36%

903,0

43%

206,8

39%

105,7

18%

Via Permanente

248,3

31%

155,4

10%

249,7

10%

163,7

8%

20,1

4%

22,8

4%

Terminal

16,6

2%

19,3

1%

386,2

15%

92,8

4%

9,4

2%

2,0

0%

Oficinas / Postos

32,5

4%

43,4

3%

24,5

1%

79,3

4%

101,7

19%

142,1

25%

Outros

0,0

0%

57,5

4%

56,0

2%

178,8

9%

177,5

34%

114,4

20%

Total

801,7

100%

1.634,7

100%

2.510,3

100%

2.101,4

100%

526,5

100%

573,5

100%

+VLI: por uma operação mais eficiente A VLI iniciou seu processo de implantação do TPS (Sistema Toyota de Produção) em 2015, por meio de capacitações e consultorias feitas pela unidade da Toyota nos Estados Unidos e visitas de benchmarking. Desde então, a companhia vem implantando ações com o intuito de aprender sobre a cultura TPS e desenvolver pessoas e processos capazes de serem referência para as demais áreas da empresa. Em 2018, a VLI consolidou 14 áreas referência, distribuídas nos corredores e em processos administrativos. O objetivo é que elas sirvam como exemplo para a empresa, facilitando a implantação do TPS em outras unidades. Cada área se desenvolveu em critérios prédefinidos, conforme a maturidade da implantação, buscando o desenvolvimento das pessoas na exposição e solução de problemas para melhoria de processos.

Clique nas imagens ao lado para assistir TPS - Oficina Divinópolis – Motor de Tração (Corredor Centro-Leste)

52

TPS – Oficina de


Relatório Anual 2018

Como exemplos de ganhos operacionais , temos três áreas pilotos:

TI Araguari (MG)

Oficina de Locomotivas, em Divinópolis (MG)

Oficina de Componentes, em Divinópolis (MG)

91 kaizens de

118 kaizens de segurança

acidentes

Ganho de produtividade (R$5,5 milhões): • Redução de 23% no tempo de ciclo de descargas rodoviárias • Redução de 37% no tempo de giro de vagões

Redução de R$3,5 milhões de estoque parado

Zero retrabalho com clientes

Aumento de 25% em confiabilidade

Redução de 75% no reprocessamento interno

Redução de 45% no tempo médio de locomotiva na oficina

Aumento de 16% na aderência à produção

segurança

e Divinópolis – Reparo Leve (Corredor Centro-Leste)

3 anos sem

TPS – Terminal Integrador Araguari – (Corredor Centro-Sudeste)

53


Além disso, em 2018: Criação de dois Centros de Capacitação, um em Divinópolis e outro em Araguari (MG).

Mais de 300 pessoas, em 48 turmas, totalizando 834 horas de treinamento Nestes eventos, além de aprender, o profissional também contribui, propondo melhorias para as áreas. Realização de Workshop VLI em conjunto com a Toyota System Support Center (TSSC), na oficina de Divinópolis (MG), com propósito de desenvolver a liderança como viabilizadora para aceleração do TPS.

53 líderes capacitados,

incluindo diretores, gerentes gerais e de área e alguns supervisores destaque

Para 2019: 8 novas áreas referência Início da fase de replicação em alguns processos. Serão:

4 Centros de Capacitação

voltados à formação de mais pessoas para a disseminação da cultura TPS na empresa 54


Relatรณrio Anual 2018

55


Mercado e resultados econĂ´micos

56


Relatório Anual 2018

S

eguindo curva de ascensão, a receita líquida da VLI continua crescendo, atingindo 10% a mais do que em 2017. Apesar dos desafios de mercado de 2018, os volumes transportados nas ferrovias e portos também aumentaram: 3,5% e 6,0%, respectivamente.

Receita Líquida VLI R$ milhões

4.953 4.499

3.120

2014

3.491

3.554

2015

2016

2017

2018

Volume Ferrovia Mil TU 57.167 48.862

50.020

48.115

2014

2015

2016

2017

59.188

2018

57


Volume Porto Mil TU 36.328

27.415

2014

58

38.512

29.016 25.540

2015

2016

2017

2018


Relatório Anual 2018

Segmentação A atuação da VLI é dividida em três segmentos: Agricultura: transporte de milhões de toneladas de produtos como grãos (milho, soja e farelo de soja), açúcar e fertilizantes. Desempenho em 2018: crescimento de 12%

Siderurgia e Construção: integração entre os principais estados produtores de aço e os consumidores de insumos siderúrgicos, como carvão mineral, calcário, gusa e minério de ferro, além do escoamento de aços planos e longos para os mercados interno e externo. Desempenho em 2018: crescimento de 3%

Industrializados: abastecimento de derivados do petróleo (diesel e gasolina), biocombustíveis, produtos florestais (celulose e madeira), além do transporte de insumos para a construção civil (bauxita, granito, clínquer, cimento, alumina, calcário, coque e escória). Desempenho em 2018: crescimento de 13%

59


Agricultura Apesar do cenário desafiador – marcado pela greve dos caminhoneiros, tabelamento de frete, guerra comercial entre Estados Unidos e China, nova dinâmica do mercado de açucar e quebra da safra de milho – o segmento da agricultura cresceu 12% em receita líquida, em comparação com 2017. O número foi puxado, especialmente, pelo grande aumento do volume de soja movimentada nos corredores Centro-Sudeste e Centro-Norte, resultado de uma exportação recorde do produto que atingiu 83,6 milhões de toneladas, no Brasil. No corredor Centro-Sudeste, destaca-se o Tiplam, que obteve um crescimento substancial de volume em relação a 2017, mostrando um avanço de 31% na carga movimentada. Esse ganho foi impulsionado pela entrada do Berço 04 e adequação do calado para os volumes destinados à exportação, o que possibilitou maior movimentação de grãos e açúcar, além de ganhos de eficiência operacional. Atrelado a essa melhora, estão os integradores de Uberaba (MG) e Guará (SP), que possibilitaram ganhos de eficiência operacional através da logística integrada ao Tiplam. Mesmo sendo o corredor mais exposto aos desafios externos de 2018, o Centro-Norte também apresentou um crescimento substancial no volume de grãos transportado, chegando a 8% de aumento em relação a 2017. Esses ganhos foram decorrentes, principalmente, da captura de oportunidades de movimentação de soja até o final do ano, além da proximidade com o Terminal de Grãos do Maranhão (TEGRAM) e a eficiência proporcionada pela integração entre os terminais de Porto Nacional e Palmeirante (TO) e o porto de São Luís (MA). No Centro-Leste, o destaque fica para o Complexo Mineral de Patrocínio, em Minas Gerais, projeto criado em conjunto com o cliente Mosaic, que apresentou um aumento de 68% do volume de matéria prima para fertilizantes transportado pela ferrovia, em comparação com 2017.

60

Entenda o cenário Em 2018, a VLI superou grandes desafios, como a greve dos caminhoneiros e o consequente tabelamento do frete rodoviário. Também podemos citar a disputa entre os Estados Unidos e a China, com rompimento da comercialização de soja entre os dois países. Nesse ponto, o Brasil conseguiu reverter o cenário, aproveitando a situação para estabelecer novos fluxos com a China, aumentando a exportação de soja para aquele país. Outra situação negativa foi a queda da comercialização do milho, causada pelo crescimento desse mercado nos Estados Unidos, que deixou a soja para ocupar toda a sua cadeia logística com esse produto. E, por último, o cenário desfavorável do mercado de açúcar, com recuo de quase 30% nas exportações do Brasil.


Relatório Anual 2018

Para driblar todos os impactos, a VLI busca continuamente monitorar o mercado, estando próxima dos clientes e das áreas de produção e sempre analisando as movimentações do setor para antecipar gargalos, quebras ou problemas na produção. É extremamente importante participar ativamente do que ocorre no campo, entendendo de perto o negócio dos nossos clientes e tudo o que envolve a nossa cadeia.

Rally da Safra Desde 2017, a VLI é patrocinadora oficial do Rally da Safra, expedição que avalia as principais lavouras de soja e milho do país há 15 anos. Em 2018, a análise foi realizada em 500 municípios, nos 13 principais estados produtores, responsáveis por 95% da área plantada de soja e por 72% de milho. A companhia acompanha de perto o programa por que ele oferece informações importantes sobre previsão de safra e problemas de produção/ colheita no campo.

Agricultura 2014

2015

2016

2017

2018

Δ

Receita Líquida (R$ milhões)

1.289

1.806

1.891

2.540

2.851

12%

Soja

61,0%

54,7%

45,5%

44,5%

53,5%

9 p.p

Milho

22,0%

21,2%

15,2%

20,3%

10,3%

-10 p.p

Fertilizantes

14,0%

11,7%

10,7%

14,6%

17,7%

3 p.p

Açúcar

8,2%

6,2%

9,8%

14,1%

13,1%

-1 p.p

Outros

8,8%

6,2%

19,6%

6,4%

5,4%

-1 p.p

Volume Ferrovia (mil TU)

15.210

20.328

18.527

27.653

29.824

8%

Soja

52,0%

46,3%

41,2%

38,3%

45,9%

8 p.p

Milho

27,0%

25,8%

21,9%

19,8%

11,3%

-9 p.p

Fertilizantes

13,0%

11,1%

12,4%

21,9%

26,7%

5 p.p

Açúcar

15,9%

13,3%

18,4%

16,8%

13,9%

-3 p.p

Outros

5,1%

3,6%

7,0%

3,2%

2,2%

-1 p.p

Volume Porto (mil TU)

11.630

15.141

12.306

18.312

20.100

10%

Soja

59,0%

50,8%

39,1%

40,0%

52,0%

12 p.p

Fertilizantes

15,0%

16,8%

20,1%

21,8%

23,1%

1 p.p

Milho

27,8%

21,6%

19,2%

20,6%

9,0%

-12 p.p

Outros

13,0%

10,8%

21,6%

17,6%

15,9%

-2 p.p

61


Industrializados A receita líquida do segmento de industrializados no ano de 2018 atingiu R$ 912 milhões, fechando 13% acima do registrado no ano anterior. Os segmentos de Combustíveis e Florestais foram os que mais contribuíram para esse avanço, sendo suportados pela gradativa recuperação da economia brasileira e pelas vantagens competitivas da indústria nacional de Papel e Celulose. Nas ferrovias, destaca-se o aumento substancial do volume no transporte de toretes no corredor Centro-Leste, em comparação com 2017. Esse ganho foi amparado pela implementação do projeto com o cliente Suzano, que promoveu a entrada de novos vagões e o desenvolvimento de melhorias importantes nas estruturas operacionais do cliente, com ampliação da capacidade de transporte do produto para o atendimento da demanda crescente. No porto, o maior avanço foi no volume movimentado de combustíveis, que cresceu 17 p.p em relação a 2017. Seguindo nessa linha, as cargas para atendimento do projeto GE, da Termoelétrica de Sergipe, também apresentaram números expressivos no TMIB (SE).

62


Relatório Anual 2018

Industrializados 2014

2015

2016

2017

2018

Δ

Receita Líquida (R$ milhões)

606

670

681

803

912

13%

Combustível

32%

32%

36%

37%

37%

0 p.p

Celulose

16%

17%

19%

26%

27%

1 p.p

Calcário

13%

14%

10%

13%

12%

-1 p.p

Outros

39%

33%

34%

23%

24%

1 p.p

Volume Ferrovia (mil TU)

11.889

11.796

11.213

12.023

11.776

-2%

Combustível

21%

21%

23%

22%

22%

0 p.p

Celulose

17%

19%

23%

33%

35%

2 p.p

Calcário

19%

23%

20%

22%

22%

-1 p.p

Outros

43%

38%

34%

23%

22%

-1 p.p

Volume Porto (mil TU)

1.278

989

595

760

715

-6%

Combustível

76%

75%

84%

73%

90%

17 p.p

Manganês

0%

0%

0%

26%

1%

-25 p.p

Outros

24%

25%

16%

0%

8%

8 p.p

63


Siderurgia e Construção A progressiva recuperação econômica do Brasil e um mercado externo favorável vêm contribuindo para a melhora no segmento de Siderurgia e Construção. Esses fatos podem ser observados no avanço da receita líquida e no volume portuário movimentado pelo setor, com destaque para as operações de coque no Terminal Praia Mole, em Vitória (ES); carvão e minério de ferro, no Pecém (CE), e o início das operações de cimento, no TMIB (SE), para atendimento ao mercado de Manaus (AM). Na ferrovia, o volume ficou em linha com o atingido em 2017, impactado por fatores externos, como a crise cambial na Argentina, que reduziu as exportações de veículos e medidas protecionistas adotadas por alguns países. A situação foi parcialmente compensada pela desvalorização do real, tornando o produto brasileiro mais atrativo no mercado externo.

64

Entenda os movimentos do mercado de siderurgia Em 2018, a indústria siderúrgica brasileira voltou a crescer. A produção nacional de aço bruto aumentou 2%, somando 35 milhões de toneladas no ano, de acordo com o Instituto Aço Brasil. Essa retomada se deve à melhora do consumo interno, puxado principalmente pela indústria automotiva. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a produção nacional cresceu 7% em 2018, na comparação com o ano anterior, contribuindo para uma alta de 5% na produção de aços laminados planos (ainda abaixo do potencial do setor, devido à crise no mercado de construção civil, que ainda persiste).


Relatório Anual 2018

Siderurgia 2014

2015

2016

2017

2018

Δ

Receita Líquida (R$ milhões)

1.020

1.015

981

1.156

1.191

3%

Carvão

35,0%

39,0%

37,0%

40,3%

41,8%

1 p.p

Produtos Siderúrgicos

18,0%

13,0%

15,0%

19,1%

18,7%

0 p.p

Minério de Ferro

12,0%

21,0%

18,0%

17,8%

14,3%

-3 p.p

Ferro Gusa

11,0%

9,0%

8,0%

6,0%

5,4%

-1 p.p

Outros

25,0%

22,0%

22,0%

16,8%

19,8%

3 p.p

Volume Ferrovia (mil TU)

19.499

17.896

18.375

17.491

17.573

0%

Carvão

21,0%

22,0%

21,0%

22,2%

20,3%

-2 p.p

Produtos Siderúrgicos

23,0%

29,0%

30,0%

28,1%

20,5%

-8 p.p

Minério de Ferro

22,0%

19,0%

22,0%

25,7%

21,3%

-4 p.p

Ferro Gusa

10,0%

9,0%

8,0%

8,1%

6,6%

-2 p.p

Outros

24,0%

20,0%

19,0%

15,8%

31,3%

15 p.p

Volume Porto (mil TU)

12.422

12.886

12.638

17.256

17.697

3%

Carvão

72,5%

81,0%

75,0%

70,8%

72,2%

1 p.p

Ferro Gusa

10,0%

8,0%

6,0%

21,4%

2,7%

-19 p.p

Minério Ferro

0,0%

0,0%

12,0%

3,0%

18,5%

16 p.p

Outros

17,5%

11,0%

7,0%

4,9%

6,6%

2 p.p

65


Finanรงas

66


Relatório Anual 2018

A

pesar dos desafios, a VLI encerrou o ano de 2018 com EBITDA de R$ 2.149 milhões e margem de 43,4% - ou seja, um crescimento de 19%, em comparação ao ano anterior, equivalente a R$ 349 milhões a mais em valores absolutos. O resultado está associado ao maior volume nos portos (+6%) e menores custos operacionais. Os volumes na ferrovia atingiram 38,5 Bi TKU, registrando leve aumento em relação ao ano anterior (38,2 Bi TKU). O resultado operacional impulsionou o lucro líquido da companhia, superando em 32% o ano de 2017, e contabilizando R$ 413 milhões no resultado do exercício. Veja mais na tabela de Indicadores Econômicos e Operacionais (página 25). Gestão de Caixa O ano foi marcado pela contínua melhoria do desempenho operacional e da gestão do financiamento, de forma a garantir a liquidez necessária para a continuidade do plano de expansão da companhia. A consolidação da política de caixa mínimo e a maior previsibilidade dos fluxos operacionais, com a maturação dos investimentos, permitiu atingirmos um saldo de caixa de R$ 1.639 milhões o que representa um incremento de 16%, em relação a 2017. Endividamento

R$ 312 milhões das linhas

Em 2018, foram captados

R$ 1.250 milhões

Finem do BNDES (operações diretas e indiretas), já contratadas em anos anteriores, e FINAME (operação direta), destinadas à aquisição de material rodante e investimentos na infraestrutura das ferrovias e portos.

R$ 375 milhões junto ao

mercado de capitais, via CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) ICVM 476 e Debênture (Infraestrutura) ICVM 476.

R$ 563 milhões no mercado bancário, com o objetivo de refinanciamento parcial dos vencimentos de dívidas de 2019.

67


Essas dívidas permitiram a realização do nosso plano de investimentos previsto para o ano de 2018 e um reforço do caixa para proteção de eventual instabilidade decorrente do processo eleitoral do país e que possa impactar negativamente nossa capacidade de financiamento.

Endividamento Em R$ milhões

2017

2018

Δ

Dívida Bruta

5.700

7.353

29%

Caixa e Equivalentes

1.411

1.639

16%

Dívida Líquida

4.290

5.714

33%

EBITDA

1.800

2.149

19%

Dívida Líquida/EBITDA

2,38

2,66

11%

Além disso, em 2018 a VLI contratou um convênio para abertura de linha de crédito rotativo no valor de U$ 50 milhões e ampliou uma outra linha de R$ 175 milhões para R$ 325 milhões. Esses convênios permitem à companhia diminuir o seu risco de liquidez por meio de uma operação que não impacta os índices de endividamento. Vale destacar que, ao longo do ano, a companhia continuou a expansão do seu relacionamento com instituições bancárias estrangeiras. Além de ampliar sua capacidade de crédito, esse movimento cria um canal de exposição da VLI no mercado internacional, reforçando nosso posicionamento como agente transformador da logística no Brasil.

68


Relatório Anual 2018

Entre as ações voltadas para o público externo, destaca-se o VLI Day, evento dedicado ao mercado de capitais, realizado no Tiplam, no dia 19 de abril de 2018. A atividade teve como objetivo fortalecer o relacionamento com esse público, conquistar novas parcerias capazes de subsidiar a estratégia de crescimento da companhia e mostrar os resultados dos investimentos dos últimos anos. Estiveram presentes 80 executivos do mercado financeiro, que representavam 30 instituições.

69


GestĂŁo de Pessoas

70


Relatório Anual 2018

E

m 2018, os processos de Gestão de Pessoas trouxeram resultados expressivos para o desenvolvimento dos nossos públicos. Um dos destaques do ano foi a inauguração da Universidade Corporativa, criada para sustentar a cultura de aprendizado contínuo da companhia. Também obtivemos um recorde em atividades de desenvolvimento (com 33.137 ações), o desdobramento do nosso Projeto de Cultura, tendo o líder como protagonista da disseminação dessa jornada, e o cumprimento da cota de Pessoas com Deficiência. Em outras palavras, realizamos um trabalho forte de consolidação das iniciativas e ações de RH, principalmente na cultura de aprendizado, sensibilização das lideranças e valorização da diversidade. Nesse sentindo, todos os projetos da área foram avaliados, sendo alguns novos incorporados e outros excluídos, permitindo a evolução de todos os processos de Gestão de Pessoas.

Projeto Cultura O ano de 2018 foi iniciado com a construção do Blueprint para a definição das crenças e comportamentos necessários para atingir a cultura desejada. Como a alta liderança é a principal fonte da mensagem cultural da companhia, o grupo foi o primeiro a iniciar essa jornada. Aplicamos a avaliação 360º, com o objetivo de conscientizar os gestores, assim como workshops para o desenvolvimento dos comportamentos prioritários do Blueprint.

O Blueprint é o direcionador da nova cultura e contém os cinco comportamentos básicos para a sua implantação.

71


Além disso, o time de cultura, composto por gerentes seniores da VLI, foi fortalecido e capacitado como guardião da cultura, tornando-se exemplo e apoio para os demais líderes. Para isso, foram realizados 17 workshops com a alta liderança, dois com a equipe de Recursos Humanos e a capacitação de 13 embaixadores da nova cultura. Ao longo de 2018, foi realizada uma pesquisa online para identificar, junto à alta liderança, a evolução de comportamentos (em comparação com 2017). Na média, 76% dos líderes perceberam a evolução cultural na VLI.

72

Nesse ponto, a equipe de Recursos Humanos também passou a ter um papel essencial, atuando como “consciência amiga” do gestor, apoiando-o na adoção dos comportamentos prioritários do cotidiano e acompanhando a sua evolução, dando feedback constante sobre a aderência deles à nova cultura. Outro ponto de destaque é a construção de um plano com iniciativas multidisciplinares que enviam mensagens de reforço para atingirmos a cultura necessária. E como forma de acompanhar e gerir o projeto, foram feitas medições periódicas.


Relatório Anual 2018

Liderança VLI A VLI acredita e investe nos seus talentos internos. A comprovação desse investimento é refletida no índice de aproveitamento dos nossos profissionais para as posições de liderança. Hoje, mais de 75% das vagas de cargos de gestão são preenchidas por pessoas identificadas no processo interno de carreira e sucessão. Dois grandes programas suportam essa estratégia e merecem destaque: Escola de Liderança Existente desde 2013, esse projeto visa capacitar e preparar os líderes que vão sustentar e construir o futuro da VLI. Pautada na temática “liderança pelo

73


exemplo”, com foco no autodesenvolvimento, na integração e troca entre os líderes, ano a ano temáticas correlacionadas à gestão de pessoas são trabalhadas com todos os gestores (433 líderes). Com diferentes metodologias educacionais e com parceiros experientes em sala de aula (Fundação Dom Cabral, por exemplo), a Escola proporciona a aceleração do desenvolvimento do líder e principalmente o alinhamento de atitudes e comportamentos para o atual momento de mudança cultural da companhia. Programa de novos líderes Com o intuito de alimentar o número de possíveis candidatos para as posições de supervisão operacional, o programa promove o desenvolvimento de analistas por meio da formação técnica e comportamental, ministrada em 108h horas de docência. Dessa forma, consolidamos a prática de aproveitamento da mão de obra interna. Áreas administrativas também participam do programa, mas em menor proporção.

Ao todo, 73% das vagas de cargos de liderança são preenchidas por profissionais internos

74


Relatório Anual 2018

Outras ações Pós-Graduação: a empresa oferece cursos de formação técnica ou gerencial, conforme necessidade, e disponibiliza cursos de especialização em Engenharia MultiModal - Ferroviária, Portos e Terminais (PUC Minas), MBA Executivo (Fundação Dom Cabral) e Gestão de Negócios, realizado pelo Instituto de Transportes e Logística (ITL), em parceria com a Fundação Dom Cabral. Em 2018, cerca de 40 empregados participaram dos cursos de pós-graduação ofertados pela companhia. Idiomas: anualmente oferecemos até 20 bolsas para o aprimoramento do idioma inglês. O benefício é concedido para profissionais que ocupam cargos estratégicos e que usam a língua inglesa no dia a dia de trabalho. Em 2018, foram ofertadas 13 bolsas. Reembolso escolar: em 2018, 474 empregados foram contemplados com bolsas de estudos em cursos de graduação e pós-graduação. O investimento chegou a R$ 2 milhões no ano. A política de reembolso envolve tempo de empresa, performance e comportamento, além de ser solicitada diretamente com a liderança.

75


Universidade VLI Em setembro de 2018, inauguramos a Universidade VLI, iniciativa estruturada pela área de Educação Corporativa com o apoio da maior escola de negócios do Brasil: a Fundação Dom Cabral. A Universidade tem como objetivo sustentar a criação de uma cultura de aprendizado contínuo, focado em resultados, alinhado intencionalmente às estratégias do negócio. Com ela, elevamos o patamar de educação da companhia, ingressando no grupo de menos de 30% de empresas brasileiras que têm sua própria Universidade. Fazemos isso por acreditar no poder que a educação tem para transformar e conectar as pessoas. Para abrigar as ações desse projeto, construímos um novo espaço físico, preparado especialmente para motivar e instigar o aprendizado de todo o time. Os participantes também têm à sua disposição uma confortável estrutura com livros, escaninhos, área de convivência e ambientes que favorecem a inovação, a integração e a troca de experiências. As capacitações presenciais e virtuais são abertas a todos os empregados e trazem temas como formação de lideranças, gestão de processos e padrões TPS, para sustentar o crescimento e a consolidação da cultura VLI.

76

Alguns cursos são transmitidos online, permitindo que empregados de outras localidades também possam participar.


Relatório Anual 2018

Universidade VLI Inauguração: setembro de 2018 Localização: sede da companhia, em Belo Horizonte (MG), na ala B do 3º andar Estrutura: 420 m², quatro salas e um auditório, que comportam, juntos, até 160 pessoas A companhia criou uma playlist no canal do youtube exclusivamente para a Universidade VLI. O objetivo é compartilhar e simplificar conteúdos sobre o mundo da logística para o nosso público externo. Além disso, também foi criado um projeto chamado Universidade Experience, com o objetivo de trazer temas de mercado para dentro da companhia por meio de palestras rápidas com transmissão simultânea pela internet (para o campo) sobre metodologias digitais, diversidade, inovação, entre outros temas. Em 2018, foram realizadas 11 debates pela Universidade Experience.

Clique aqui e assista

77


Educação Staff A Educação Staff é uma iniciativa voltada ao desenvolvimento dos empregados administrativos, que suportam tecnicamente o crescimento da VLI. As soluções educacionais combinam as modalidades presenciais e a distância, oferecendo mais flexibilidade e autonomia no processo de aprendizagem, fomentando assim o autoconhecimento e o protagonismo do nosso time. Foram realizados quatro workshops voltados para competências práticas, em 2018. Por meio de um calendário de treinamento e desenvolvimento de Staff, são encaminhados micro cursos online, semanalmente. Além disso, conteúdos complementares são disponibilizados no sistema, como videoaulas, cursos e e-books. Em 2018, foram enviados 24 micro cursos para empregados, staff e líderes (100% do públicoalvo), tratando de temas como: orientação ao negócio, criatividade e inovação, gestão da tarefa e processo de trabalho. Em 2018, também tivemos a inauguração da Escola de Saúde e Segurança e a Academia de Suprimentos, uma iniciativa que instiga a produção e o compartilhamento do conhecimento técnico entre os empregados das próprias áreas.

Programas de porta de entrada O ano também foi de destaque na atratividade de talentos junto ao mercado. Ao todo, foram mais de 38 mil inscritos para os programas de estágio, trainee, jovem aprendiz e vagas de pessoas com deficiência (PCD), que visam suprir a necessidade de posições iniciais de carreira e formar jovens para apoiar o crescimento de nossas operações no futuro. Outro programa que atende à demanda de mão de obra é o Trainee Operacional, cuja capacitação técnica é realizada por instrutores internos. O programa tem índice de aproveitamento de 91% dos jovens formados, o que demonstra o excelente retorno do investimento.

15% dos supervisores da VLI são ex-trainees

78


Relatório Anual 2018

Já o Programa Trainee (curso superior) é a principal porta de entrada para posições de liderança da companhia e tem por objetivo suprir as posições iniciais de carreira por meio da formação de jovens profissionais aderentes à cultura e aos valores da VLI. Assim, mantemos, de forma saudável e sustentável, a linha sucessória do nosso time de líderes. Em 2018, 15 trainees assumiram posições de liderança. Atualmente, 15% do quadro de supervisores são oriundos do programa (extrainees de nível superior).

79


Escola Operacional

Em 2018, foram

3.789 participações na Escola Operacional e

7.289 participações em Requisitos Legais

80

A VLI também conta com um processo de capacitação interna voltada para a operação: a Escola Operacional. Por meio dessa iniciativa, buscamos garantir a qualificação do empregado para o exercício das suas funções, bem como proporcionar o nivelamento do processo de gestão do conhecimento técnico. É conduzida por instrutores internos, dedicados às atividades de orientação e capacitação técnica. Os empregados operacionais elegíveis recebem a formação básica, complementada com os treinamentos práticos que, em 2018, passaram a ser o foco da Escola. O projeto envolve a ambientação do empregado, a capacitação técnica e em normas regulamentadoras (requisitos legais para a função).


Relatório Anual 2018

Reconhecimento Pelo 4º ano consecutivo, a VLI integra a lista das 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, e, pela primeira vez, a lista das 45 Melhores Empresas para Começar a Carreira. As premiações são concedidas pela Revista Você S/A que realiza os levantamentos em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA). Na pesquisa das Melhores Empresas para Trabalhar, que reconhece e valoriza as práticas de gestão de Recursos Humanos e clima organizacional, a VLI saiu da posição 147º para 47º no ranking, graças a iniciativas como flexibilização da jornada de trabalho, implantação da Universidade VLI e políticas de diversidade. Entre as ações da companhia, algumas ganharam destaque na pesquisa com os empregados, como: employer branding (orgulho de fazer parte da empresa), gestão de sustentabilidade e diversidade e gestão estratégica e objetivos. Já nas Melhores Empresas para Começar a Carreira, primeira e única pesquisa no mundo que busca entender as expectativas dos jovens e mapeia o que as companhias oferecem para apoiá-los, ocupamos a posição 25º. A VLI também ganhou o prêmio da Associação Brasileira de Recursos Humanos de Minas Gerais, categoria Sustentabilidade, com o trabalho “O desafio da diversidade – Lições aprendidas na implantação de um programa de pessoas com deficiência”. Por meio desse projeto, a VLI cumpre a cota com 349 pessoas com deficiência no quadro de empregados. Esse resultado é fruto de um trabalho de mudança no recrutamento, que passa a incluir a possibilidade de contratação de um PCD para qualquer vaga, e da consolidação do relacionamento da empresa com o Ministério do Trabalho.

81


Saúde e Segurança

82


Relatório Anual 2018

E

m 2018, realizamos importantes ações em Saúde e Segurança. Voltamos nosso olhar para as ocorrências com potencial de fatalidade, criando o Programa de Prevenção de Riscos de Fatalidade e fazendo o mapeamento de áreas críticas das operações, com atuação imediata para a mitigação dos riscos encontrados. Ao longo do ano, investimos ainda mais na capacitação do time de Saúde e Segurança, aperfeiçoamos as ferramentas existentes e implementamos novos programas que incentivam a mudança de comportamento e cultura. Tivemos resultados positivos que demonstram que estamos no caminho certo, para sermos cada vez mais fortes e diferenciados em relação à segurança. Fechamos 2018 com uma taxa de frequência de acidentes (TRIFR) de 1,87, reduzindo em 3% o indicador, em comparação com 2017 (taxa de 1,93). Como voltamos nosso olhar para as ocorrências críticas, fechamos o ano com uma taxa de severidade potencial crítica e catastrófica de 3,36 (números de ocorrências com potencial crítico por milhão de horas-homem de exposição ao risco). Com o aumento da taxa de potencial em 34%, foi possível aplicar tratativas que reduziram o risco de fatalidade nas áreas operacionais por meio do compartilhamento das ações de mitigação dessas ocorrências com todo o time da companhia (ou seja, maior exposição de problemas = mais foco na resolução).

Redução de 3%

no indicador de taxa de frequência de acidentes

83


Plano Diretor de S&S O Plano Diretor de Saúde e Segurança é a estratégia que direciona o desenvolvimento das ações de Saúde e Segurança na VLI. Em 2018, tivemos um foco especial em quatro macrotemas do plano: Comportamento e cultura: intensificação e manutenção do programa Guardiões em Ação e o desenvolvimento do projeto Site Seguro. O primeiro é baseado no fortalecimento do time operacional para disseminação das ações de segurança. Para isso, são escolhidos empregados, os guardiões, que servem como exemplo de boas práticas e conscientização entre os colegas. Já o Site Seguro foi uma das maiores e mais recentes ações de estímulo de práticas seguras feita com todo o time VLI. Dividido em quatro momentos (mobilização da liderança, engajamento da equipe, conscientização da família e certificação da unidade), o programa trabalha o cuidado genuíno em todos os níveis da companhia e, também, com as nossas famílias, reconhecendo as localidades que praticam a segurança além do discurso.

409 guardiões formados e 10 sites operacionais certificados, em 2018

Capacitação e Treinamento: lançamento da Escola da Saúde e Segurança, focada na capacitação das equipes técnicas da área nos 13 macrotemas do Plano Diretor. Foram criadas quatro turmas com profissionais de todas as unidades. Capacitamos 93% dos empregados e lideranças de Saúde e Segurança (próprios e terceiros).

84


Relatório Anual 2018

Gestão de riscos: mapeamento e definição de procedimentos para controle dos riscos no ambiente de trabalho, por meio do Programa de Prevenção de Riscos de Fatalidades (PRF). Antes olhávamos para todos os riscos de maneira global e, com o PRF, passamos a focar nos riscos críticos, ou seja, nas situações que podem resultar em fatalidade. Para a gestão da iniciativa, foram criados 17 Grupos de Risco. Além disso, a aplicação da filosofia TPS dentro da companhia trouxe uma mudança no processo de análise de riscos nas unidades. Antes realizada apenas com o envolvimento da área de Saúde e Segurança e lideranças, passou a contar com a participação das equipes operacionais.

A experiência de quem vivencia o dia a dia das localidades possibilitou um mapeamento mais eficiente dos riscos. Na VLI, foram 360 empregados treinados nessa metodologia de gestão de riscos conforme as diretrizes do TPS, em 2018. Sistema de Gestão de Indicadores: medição e monitoramento das ações da área. As informações coletadas são disponibilizadas para a análise das lideranças. Em 2018, tivemos como destaques o Programa de uso indevido de álcool e outras drogas e as ações relacionadas às Regras de Ouro. Realizamos 38.514 testes de álcool e drogas (195,49% superior ao ano de 2017) e aplicamos 646 Regras de Ouro na VLI (27,97% superior a 2017).

Intensificação do Programa de uso indevido de álcool e outras drogas: quase 200% de aumento nos testes realizados

85


Saúde Também trabalhamos com foco no bem-estar e na promoção da saúde dos empregados, com a continuidade do Programa BemViver (destacado pelos empregados e gestores como diferencial da companhia na premiação Melhores Empresas para Trabalhar, da Revista Você S/A), além de incentivos à prática de atividades físicas com o Gympass e a criação do Programa Vida Ativa. Atuamos ainda na Saúde Ocupacional, com grande destaque para a realização de quase 10 mil exames ocupacionais e para o Programa de Conservação Auditiva, com o qual, pela primeira vez, não tivemos crescimento do número de profissionais com perdas auditivas ocupacionais.

86


Relatório Anual 2018

Programa Bem Viver Dentro do programa, contamos com dois projetos: Programa Vida Ativa – Corredores VLI: incentiva a prática de atividade física, por meio de corridas de rua com a orientação de profissionais especializados em assessoria esportiva.

Em 2018, 495

empregados, de 10 estados e 49 municípios, participaram do programa

Gympass: a companhia fechou uma parceria com a plataforma que conta com uma rede de mais de 16 mil academias em todo o Brasil. O objetivo é facilitar a prática de atividades físicas. Em 2018, chegamos ao número de 3.940 pessoas inscritas (mais de 50% dos empregados) e tivemos 39.160 check-in nas academias.

Programa de Conservação Auditiva O Programa de Conservação Auditiva (PCA) está em seu terceiro ciclo e tem como alvo empregados que ficam expostos a ruídos. A iniciativa conta com ações educativas, como palestras, treinamentos coletivos e Diálogos de Saúde e Segurança. Em 2018, a campanha do PCA teve como tema “O Bicho de Sete Cabeças”, alcançando o recorde de 318 pessoas capacitadas. As atividades foram extremamente importantes para a estabilização da taxa de incidência de perdas auditivas dentro da companhia, passando de 8,73%, em 2017, para 8,65%, em 2018.

318 pessoas capacitadas

pelo Programa de Conservação Auditiva

87


Serviço Social Com o objetivo de atender as demandas de todos os empregados, contribuindo para o bom clima organizacional e bem-estar da saúde mental e emocional das equipes, o Serviço Social promoveu 38 palestras com foco em saúde mental e 380 atendimentos individuais e para acidentados, acompanhamento dos casos de exame positivo no programa de álcool e drogas, visitas domiciliares aos afastados do trabalho, condução de processos de reabilitação pelo INSS, entre outras ações.

Ergonomia Foram realizados mapeamentos dos riscos ergonômicos com foco no eSocial, estruturação de uma diretriz específica para guiar as ações da área em todas as operações da VLI, oferta de um contrato para operacionalização das avaliações ergonômicas do trabalho e apoio às áreas operacionais no desafio de adaptar as condições de trabalho às necessidades das pessoas. No total, a VLI possui 363 laudos ergonômicos, feitos a partir do estudo das condições de trabalho e com o objetivo único de adaptá-las às pessoas, evitando adoecimentos, acidentes e desconforto.

Segurança Operacional Em 2018, foram registradas 201 ocorrências ferroviárias (4% a mais do que em 2017). O número de acidentes com causa por terceiros aumentou 12% em relação a 2017, sendo 58% abalroamentos (acidentes envolvendo veículo rodoviário e ferroviário), 39% atropelamento de pessoas, 2% por vandalismo e 1% atropelamento de animais com impacto. Isso, apesar de um trabalho constante de conscientização realizado nas comunidades por meio de campanhas mensais e temáticas nos períodos de Carnaval, Maio Amarelo, São João e Semana Nacional de Trânsito. Para aumentar a segurança da população, melhoramos as condições de 23 passagens em nível críticas, implementando revitalizações, sinalizações e instalando lombadas. Com foco nos processos de segurança operacional, promovemos inspeções cruzadas nas áreas de Operação e Manutenção, procurando detectar e apontar oportunidades de melhoria, tratamento de desvios e disseminação de boas práticas. Essas ações foram implementadas por meio do Programa de Diagnóstico Integrado de Segurança – DIS, que percorreu todos os corredores.

88


Relatório Anual 2018

Já no final de 2018, concluímos a construção do Plano Diretor de Segurança Operacional e Continuidade de Negócio, trazendo uma visão direcionada de curto e médio prazo para os planos de manutenção ferroviária elaborados pela Engenharia, trazendo um novo direcionador para execução do planejamento estratégico da VLI. Nos portos e terminais registramos 24 ocorrências (graves, gravíssimas e catastróficas) por falhas operacionais. O número foi duas vezes menor do que em 2017, resultado de várias melhorias operacionais implementadas em 2018. Mesmo com a queda, trabalhamos no fortalecimento da cultura de tratamentos de anomalias e registros de falhas para conseguir mapear as tratativas necessárias para a implementação de melhorias.

Ocorrências Ferroviárias 2015

2016

2017

2018

185

178

193

201

Ocorrências Portuárias e Terminais 2015

2016

2017

2018

38

39

55

24

89


90


Relatório Anual 2018

Sustentabilidade A

VLI acredita que a eficiência em operações logísticas deve estar alinhada à promoção social e à criação de valor para a sociedade. Por isso, a partir de 2018, com a definição do planejamento estratégico de Sustentabilidade da companhia, passamos a direcionar nossas ações mais fortemente à abordagem de valor compartilhado, com a premissa de que negócio e impacto social positivo são indissociáveis. O objetivo é que cresçamos em volumes e resultados, em conjunto com o desenvolvimento dos municípios onde atuamos. Queremos deixar um legado de geração de valor para as comunidades, exercendo o papel de agentes de mudanças. Para isso, buscamos criar um ambiente de cooperação, no qual empresa, governo e sociedade possam estabelecer parcerias para projetos e ações. Mantivemos o investimento social realizado nos últimos anos, direcionando a nossa atuação em duas frentes: inovação e desenvolvimento local. No último ano, investimos mais de R$ 4,5 milhões em projetos de educação, cultura, esporte e promoção da saúde em comunidades que convivem com as nossas operações. Os recursos, provenientes de incentivos fiscais, beneficiaram diretamente mais de 20 mil pessoas, em 27 cidades estratégicas, espalhadas pelos nossos cinco corredores. Ainda em 2018, concluímos os projetos previstos em convênios assinados com as Prefeituras de Santos e Cubatão, na Baixada Santista. Com aporte total de R$ 6,8 milhões, realizamos investimentos estruturantes nas áreas de saúde, educação e geração de renda, que impactam mais de 120 mil moradores das duas cidades.

Inovação: uso de inovação para a criação de soluções para problemas internos e, ao mesmo tempo, para entregar propostas e ações com o intuito de maximizar a eficiência da gestão pública e o impacto social positivo. Desenvolvimento Local: processo de implementação de programas de geração de emprego e renda coerentes com a vocação econômica de cada município ou comunidade.

91


Investimentos de incentivos fiscais 20 mil pessoas beneficiadas, entre crianças,

Mais de

adultos e idosos.

Investimento de incentivos fiscais, em 2018: mais de

R$ 4,4 milhões.

R$ 1,8 milhão

Revelando o Patrimônio: investidos na restauração do casarão conscientização e incentivo à preservação da sede da extinta de cultura local em Rede Rodoviária 5 cidades mineiras, Federal, em Belo beneficiando 1.800 Horizonte (MG). professores e alunos.

92

Teatro do Kaos: promoção da cidadania e inclusão social por meio de oficinas de teatro para 102 jovens e adultos de Cubatão (SP).


Relatório Anual 2018

Conexões Criativas: fomento de atividades de artes cênicas e inclusão cultural, em Divinópolis (MG).

Programa de Fomento à Leitura e à Escrita: ações de mobilização e formação de capacidade de leitura e escrita, em Barra dos Coqueiros (SE), com 62 beneficiados.

Projetos de valorização do Esporte: promoção da inclusão social por meio da prática de atividades físicas e esportivas em Contagem, Divinópolis, Montes Claros (MG), Campinas e Santos (SP).

Valorização do esporte através do patrocínio de copas esportivas de escolas públicas em Santos (SP), com a participação de 1.800 estudantes.

Promoção da melhoria da qualidade de vida de pessoas idosas por meio do apoio a 13 instituições de longa permanência em Belo Horizonte (MG).

VLI Solidária: 27 comitês com

548 voluntários, 92 ações ao longo do ano e mais de 13 mil pessoas beneficiadas. 93


Projetos do BNDES em Santos e Cubatão Escolas que Inovam: o projeto proporcionou a implantação de núcleos tecnológicos e a modernização das bibliotecas de nove escolas da rede municipal de ensino de Santos, beneficiando mais de 8 mil estudantes. Núcleo de Educação para a Paz: viabilizou espaço apropriado para capacitações e resolução de conflitos no ambiente escolar, fortalecendo a política pública de Justiça Restaurativa estabelecida pelo município de Santos. Consultório Oftalmológico: conhecida como “oftalmóvel”, uma van equipada como consultório oftalmológico ampliou o acesso da população santista a esse tipo de serviço e vem contribuindo para reduzir a demanda por atendimento no Sistema Único de Saúde. Mensalmente, são contabilizadas cerca de 900 consultas. 94


Relatório Anual 2018

Escola das Mães: espaço estruturado em três Unidades de Saúde de Santos, onde são promovidas atividades educativas que complementam as consultas médicas e preparam as mulheres e sua rede de apoio para a maternidade. Somada a outras iniciativas do município, visa à redução da taxa de mortalidade infantil.

Unidades de Saúde: oito policlínicas de Santos receberam novos móveis, computadores e equipamentos médicohospitalares para aprimoramento dos serviços e ampliação do atendimento.

Cubatão Fábrica da Comunidade: reforma e aquisição de equipamentos para o espaço que oferece cursos de corte e costura, garantindo melhor acolhimento, aprendizagem e qualidade tanto do ensino quanto da experiência dos alunos.

95


Conheça mais sobre os projetos de Santos em:

Programa de voluntariado: VLI Solidária Beneficiados: mais de 13 mil pessoas Empregados voluntários: 548 empregados (organizados em 27 comitês).

Além do investimento social, mantemos outras ferramentas que contribuem para um relacionamento de diálogo e transparência com a sociedade. Por meio do Alô VLI, por exemplo, registramos manifestações da comunidade referentes à nossa operação. O Braços Abertos, programa de visitas, recebe frequentemente comunidade e familiares de empregados em nossas unidades operacionais. Dentro da companhia, esforço especial foi dedicado à concepção e implantação dos projetos de fomento à produção de soja e milho nos estados do Tocantins e Mato Grosso, em parceria com a Embrapa, e de novas alternativas de transporte na cadeia logística, garantindo que, além de contribuir para aumentar a competitividade da empresa, as iniciativas também promovam o desenvolvimento socioeconômico dessas regiões. Essas iniciativas são evidências de que buscamos novas formas de fazer negócio, com produtos e serviços diferenciados, ao mesmo tempo em que nos preocupamos em deixar um legado social.

96


Relatório Anual 2018

Total de R$11,3 milhões investidos em educação, cultura, esporte e geração de renda Mais de 140 mil pessoas impactadas

97


98


Relatório Anual 2018

Desempenho ambiental E

m 2018, a VLI investiu R$ 8,25 milhões em melhorias ambientais, sendo R$ 4,27 milhões para operações ferroviárias e R$ 3,97 milhões para Portos e Terminais. Em todos os seus projetos, a área de Meio Ambiente trabalha para garantir as operações da companhia e o cumprimento de todas as condicionantes e, ao mesmo tempo, impactar cada vez menos o planeta, deixando um legado de cooperação e valor compartilhado com as comunidades. Esses investimentos foram pautados pelo Plano Diretor de Meio Ambiente (2016-2020). O documento estabelece as diretrizes de um novo paradigma comportamental, capaz de incorporar, nos diferentes níveis da cultura empresarial, ações sustentáveis e estratégicas, que envolvem questões relacionadas ao meio ambiente e às operações da companhia.

Assista aqui

99


Em 2018, a VLI concluiu 96% das açþes planejadas para o ano e elaborou indicadores para avaliar metricamente a performance de todos os macrotemas da agenda ambiental da empresa.

100


Relatório Anual 2018

Macrotemas da agenda ambiental: • Licenciamento ambiental • Conformidade legal • Resíduos sólidos • Produtos perigosos • Recursos hídricos • Emissões atmosféricas, ruídos e vibrações • Energia, mudanças climáticas e inovação • Fauna • Gestão florestal • Gestão de áreas contaminadas • Emergências ambientais • Educação e cultura ambiental • Gestão ambiental de obras e manutenção de equipamentos.

Obras A VLI promoveu obras de melhorias em vários pontos: • Nas estações de tratamento de efluentes de Paulínia (SP), Uberaba e Araguari (MG), todas localizadas no corredor Centro-Sudeste. • Na drenagem de água de chuva do Terminal Marítimo Inácio Barbosa (SE). • Nos locais de armazenamento de resíduos e produtos químicos de Paulínia e Brejo Alegre (SP), Horto/Belo Horizonte e Vespasiano (MG). • No armazenamento de novos equipamentos de emergências ambientais, em Pátio Eldorado/Contagem, Uberaba e Patrocínio (MG).

Diagnóstico de Gases de Efeito Estufa (GEE) Uma das iniciativas de destaque em 2018 foi a entrega do diagnóstico de Gases de Efeito Estufa (GEE), contemplando os anos de 2015, 2016 e 2017. O estudo mediu a quantidade dos gases, emitidos pela VLI, que contribuem para o efeito estufa. A análise desses dados vai resultar em um plano de oportunidades para minimizar a emissão de GEE gerados pelas nossas atividades.

101


Ações Ambientais em Números Aumento de consumo de recursos hídricos inferior ao aumento do volume transportado (11% x 12% respectivamente). Nas operações ferroviárias, o consumo se manteve, em comparação com 2017.

Reciclagem de 55,67%, tratamento de 24,75% e destinação de 19,39% dos resíduos sólidos.

138 pontos de monitoramento e 930 laudos técnicos referentes a ruídos, vibrações e emissões.

167 ações de ocorrências, acompanhadas de 28 acidentes comunicados com impacto ambiental.

2 campanhas de monitoramento de fauna, com 722 registros. 4 campanhas de monitoramento de animais atropelados, com 63 registros.

102


Relatório Anual 2018

3 campanhas em passagens inferiores (por baixo das vias), com 512 registros de animais encontrados.

310 atividades de Educação Ambiental, envolvendo 6.913 pessoas (internas e externas).

52 diagnósticos e monitoramentos ambientais.

12 sistemas de remediação de solo e água instalados.

9.385,63 m³ de água bombeada e tratada.

524,30 litros de óleo recuperados. 58 atos autorizativos de licenciamento ambiental, 3 licenças de instalação, 4 autorizações para supressão de vegetação, 17 outorgas, dispensas e autorizações emitidas.

103


Ruídos e vibração Para atender aos compromissos assumidos com os órgãos ambientais e corrigir as atividades que possam gerar incômodo às comunidades, a companhia mede os níveis de ruídos e vibração em todos os seus corredores, ao longo da malha ferroviária, nas suas unidades de apoio, pátios, oficinas, portos e terminais. No ano de 2018, a VLI monitorou ruídos e vibrações em 138 pontos das suas operações ferroviárias e em 54 pontos nos portos e terminais. Todos os pontos de monitoramento constam na plataforma SIGA da VLI (saiba mais na página ao lado). Para isso, contamos com a parceria de órgãos fiscalizadores e da própria comunidade para buscar soluções que garantam um ambiente cada vez mais adequado.

Emissões atmosféricas Em atendimento ao programa de emissões atmosféricas, foram monitoradas de forma amostral (durante os testes de carga e autocarga) locomotivas fabricadas entre 1968 e 2014. Ao todo, foram realizados 60 monitoramentos e em 100% deles os parâmetros atenderam à legislação vigente.

Qualidade do ar A VLI possui nove estações de monitoramento da qualidade do ar, situadas ao longo da Ferrovia Centro Atlântica – e no Terminal Integrador de Araguari (MG). A diretriz para instalação dessas estações veio do inventário de emissões atmosféricas, que apontou os locais de maior criticidade em nossas operações: Horto, Imbiruçu, Azurita, Divinópolis, Arcos, Lavras, Ibiá e duas em Araguari, todas em Minas Gerais. As estruturas funcionam por meio de rede automatizada, online (3G) e medem a concentração de material particulado (partículas inaláveis) e condições meteorológicas, como temperatura, direção e velocidade do vento ao longo das 24 horas do dia. Em 2018, os monitoramentos online apontaram que estivemos, na maior parte do ano, dentro da faixa considerada boa.

Gestão de resíduos Conforme destinações previstas pela resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente – CONAMA 313, a VLI reciclou 55,67%, tratou 24,75% e destinou 19,39% dos resíduos gerados em 2018. Dessa forma, estamos reciclando mais e enviando menos resíduos para disposição em aterros.

104


Relatório Anual 2018

Integração de dados Em 2018, consolidamos e integramos as informações do Meio Ambiente em um único banco de dados geográficos (BDG) online. As informações foram ordenadas em mais de 180 matrizes, contendo, por exemplo, dados sobre projetos, estruturas, ativos, meio ambiente, recursos de emergência presentes em todo o Brasil, dentre outras. O conteúdo está disponível em um servidor que permite consulta, download e cruzamento de dados para gerar diversas análises espaciais, como o estudo de um território para a implantação de um novo projeto (alternativa locacional) ou até mesmo apoio em casos de ocorrência ferroviária. Essas informações serão úteis para toda a empresa, tanto no Planejamento Estratégico quanto na elaboração de projetos e Licenciamento Ambiental. Esses dados serão, em breve, apresentados no sistema online SIGA (Sistema Integrado de Gestão Ambiental), disponível para toda a companhia e para órgãos externos (Ibama, ANTT, contratados). O BDG e o SIGA são resultados das ações de Transformação Digital da companhia.

105


Parceria com órgãos públicos Com o objetivo de buscar soluções ambientais responsáveis e eficientes, a VLI também conta com parceria de órgãos públicos. São eles: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) – Projeto Gramados A parceria com a Embrapa consiste no desenvolvimento de gramíneas de baixo crescimento e fácil manutenção para serem disseminadas ao longo da linha férrea. O objetivo é obter uma variação que elimine a necessidade de capina química. O projeto já está em fase de testes em uma área de mil metros quadrados, no Terminal Integrador de Uberaba (MG). As plantas serão monitoradas ao longo de dois anos e, se aprovadas, serão usadas principalmente em perímetros urbanos, onde não é permitida a aplicação de herbicidas. Universidade Federal do Maranhão – Monitoramento no mar O Terminal Portuário São Luís (MA) movimenta manganês, um produto potencialmente poluidor. Para controlar os riscos decorrentes dessa operação, a VLI firmou contrato com a Universidade Federal do Maranhão para a avaliação das características físico-químicas e da presença de metais na água. O projeto contempla ainda ações de adequação da drenagem do pátio, instalação de duas bacias de contenção de chuva e dois sistemas de tratamento de efluentes. Universidade Estadual do Maranhão - Plantio Compensatório na Comunidade Murtura Com o apoio da Universidade Estadual do Maranhão, a VLI promove plantio compensatório na comunidade Murtura, em São Luís (MA). O projeto beneficia uma área degradada, na qual não é possível a restauração por regeneração natural.

Educação Ambiental Desde 2015, o Programa de Educação Ambiental alcança toda a extensão da VLI, promovendo, de forma participativa, ações de conscientização voltadas para empregados e comunidades. Em 2018, foram 310 atividades: diálogos de educação ambiental, rodas de conversa, capacitações, campanhas, treinamentos e implantação de coleta seletiva em escolas, atingindo quase sete mil empregados, alunos, professores e comunidades.

106


Relatório Anual 2018

Mobilização Em 2018, a VLI empreendeu a 1ª Campanha de Mobilização Socioambiental da Comunidade Nova Cintra, em Belo Horizonte (MG). Participaram 430 moradores, entre comerciantes, grupos culturais, religiosos, professores e alunos de escolas da região, além de agentes comunitários e associações de bairro. O projeto teve como objetivo conscientizar a população sobre o descarte irregular de lixo e a segurança ferroviária.

107


Prêmios

108


Relatório Anual 2018

As Melhores da IstoÉ Dinheiro: 1ª lugar na categoria Transportes Melhores e Maiores – Exame: 2ª na categoria Transporte Maiores e Melhores do Transporte – OTM Editora: 3º lugar com VLI Multimodal e 4º com VLI S.A, ambos na categoria Operador Logístico e Armazenagem. Empresas Mais – Estadão: 6ª na categoria Transporte e Logística e 235ª no ranking geral. Valor 1000 – Valor Econômico: 8ª no setor Transporte e Logística e 121ª no ranking geral. Época Negócios 360º: 221ª no ranking geral e 7ª em Infraestrutura (sendo a 2ª melhor em Inovação e 4ª em Visão de Futuro). Prêmio Valor Inovação Brasil: 8ª na categoria Engenharia e Infraestrutura e 158ª no ranking geral. 150 Melhores Empresas para Trabalhar – Você S/A: 47ª posição , melhor posição em quatro anos consecutivos. 45 Melhores Empresas para Iniciar Carreira Você S/A: 25º lugar. Prêmio Ser Humano – Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Seção Minas Gerais: 1º lugar na categoria Sustentabilidade com o projeto sobre o programa de inclusão de pessoas com deficiência. XXII Prêmio Minas – Desempenho Empresarial: 1ª lugar em Logística.

109


Expediente 110


Relatório Anual 2018

Publicação ANUAL da VLI Diretoria da VLI: Marcello Magistrini Spinelli, diretor-presidente; Marcus Vinicius de Faria Penteado, diretor de Novos Negócios; Rodrigo Saba Ruggiero, diretor de Integração e Planejamento; Gustavo Serrão Chaves, diretor de Operações Ferroviárias; Fabrício Rezende Oliveira, diretor de Operações de Portos e Terminais; Rute Melo Araújo, diretora de Gente e Serviços; Fabiano Bodanezi Lorenzi, diretor Comercial e de Novos Negócios; Milton Nassau Ribeiro, diretor de Integridade; Silvana Alcantara Oliveira de Souza, diretora de Comunicação, Institucional e Sustentabilidade. Coordenação: Gerência de Comunicação Corporativa e Gerência de Relacionamento com Acionistas Produção editorial, projeto gráfico, diagramação e revisão de textos: BH Press Comunicação Fotografia: Arquivo VLI, Alécio Cézar, Gustavo Andrade, Jaime Ode, Leo Lima, Marcos Peron e Target Multimídia

111


Com vocĂŞ, criamos valor.

www.vli-logistica.com.br

Profile for BH Press

VLI - Relatório Anual 2018  

VLI - Relatório Anual 2018  

Advertisement