ÁLBUM DE FAMÍLIA

Page 1


ADRIANA VAREJÃO ANNA BELLA GEIGER BILL VIOLA CANDICE BREITZ CHARIF BENHELIMA DANIEL W. COBURN DIAS & RIEDWEG FABIO MORAIS GILLIAN WEARING JONATHAS DE ANDRADE LEONORA WEISSMANN MICHEL JOURNIAC NO OLHO DA RUA RICARDO BASBAUM RICHARD BILLINGHAM ROSANA PALAZYAN ROSÂNGELA RENNÓ SANTU MOFOKENG SUE WILLIAMSON TRACEY ROSE VICTOR BURGIN ZANELE MUHOLI


álbum de Família curadoria I curator DANIELLA GÉO

1º de agosto a 19 de setembro de 2015 I August 1st to September 19th 2015


prefeitura da cidade do rio de janeiro e secretaria municipal de cultura apresentam

Exposição ÁLBUM DE FAMÍLIA Exhibition 1º de agosto a 19 de setembro de 2015 / August 1st to September 19 th

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica R. Luís de Camões 68 - Centro Rio de Janeiro - RJ, 20060-030 21 2242.1012 | 2232.4213 centrodearteheliooiticica@gmail.com

CIP-BRASIL CATALOGAÇÃO NA FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ

Álbum de Família catálogo da exposição “Álbum de Família” / curadoria Daniella Géo / tradução Ben Kohn Rio de Janeiro: Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica 60p. il. isbn 978-85-69702-00-9 Texto bilíngue, português e inglês Catálogo da exposição realizada no Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica, de 1º de agosto a 19 de setembro de 2015 CDD-709.81 Índices para catálogo sistemático: 1. Arte : Brasil : Exposições : 709.81


álbum de Família

ADRIANA VAREJÃO ANNA BELLA GEIGER BILL VIOLA CANDICE BREITZ CHARIF BENHELIMA DANIEL W. COBURN DIAS & RIEDWEG FABIO MORAIS GILLIAN WEARING JONATHAS DE ANDRADE LEONORA WEISSMANN MICHEL JOURNIAC NO OLHO DA RUA RICARDO BASBAUM RICHARD BILLInGHAM ROSANA PALAZyAN ROSâNGELA RENNÓ SANTU MOFOKENG SUE WILlIAMSON TRACEY ROSE VICTOR BURGIN ZANELE MUHOLI


Foreword We know that the traditional notion of family does not refer simply to the connection between people who have the same blood running through their veins. The traditional idea of family is related to the division of society into classes, to the right to ownership and to the constitution of the Patriarchal State. The revision of this notion, therefore, is not something isolated, but rather part of a crisis process that compromises our most deeply enrooted social structures and reveals the failure of certain models and conceptions. Contrary to the most pessimistic expectations, in my opinion this process does not lead us to a lack of values or the weakening of affective ties, but opens the possibility of acknowledging the legitimacy of other connections of love and belonging. It also, and all over, brings about other forms of organization, of work and of life, other forms of being a man, a woman, parents, sons and daughters... More than ever, it seems important to host at the Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica the exhibition “Family Album” proposed by Daniella Géo, as well as the series of debates it incorporates, sponsored by the Municipal Department of Culture. This means critically contributing to this debate as a public entity and preventing it from being diluted in its current appropriation by advertising and mass media systems. Less interested in making us reflect than in including among the consumers those who were previously excluded, because not represented, such as the poor, blacks and homosexuals, the agents of those systems look to pacify the contradictions and conflicts involved in this process, which, in the art field, is precisely what interests us. Izabela Pucu Director and Curator Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica


Apresentação Sabemos que a concepção tradicional de família não se refere simplesmente à ligação entre pessoas em cujas veias corre o mesmo sangue. A instituição familiar na sua concepção tradicional está vinculada à divisão da sociedade em classes, ao direito de propriedade e à constituição do Estado patriarcal. A revisão de tal concepção, portanto, não é algo isolado, mas parte de um processo de crise que coloca em xeque nossas estruturas sociais mais enraizadas e revela o fracasso de certos modelos e concepções. Contrariando as expectativas mais pessimistas, esse processo, a meu ver, não nos conduz à ausência de valores nem à fragilização de nossos vínculos afetivos, mas inaugura a possibilidade de reconhecermos como legítimos outros vínculos de amor e pertencimento. Faz surgir ainda, e em toda a parte, outras formas de organização, de trabalho e de vida, outras formas de sermos homens, mulheres, pais, filhos... Mais do que nunca me parece importante realizarmos no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica a exposição “Álbum de família”, proposta por Daniella Géo, assim como o ciclo de debates que a integra, com o patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura. Significa contribuirmos criticamente para esse debate como entes públicos, e impedirmos que ele seja diluído em sua atual apropriação pelos sistemas de propaganda e mídia de massa. Menos interessados em nos fazer refletir do que em incluir entre os consumidores aqueles antes excluídos, porque não representados, como os pobres, os negros, os homossexuais, os agentes desses sistemas tratam de apaziguar as contradições e os conflitos envolvidos nesse processo, os quais, no campo da arte, são justamente o que interessa. Izabela Pucu Diretora e Curadora Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica


Álbum de Família The portrait has always held a privileged position in art and the family portrait, beyond its private use, has to a great extent exercised the function of asserting values that reflect and reinforce the doctrine of the family as a pillar of the society, such as lineage, patriarchal hierarchy, family cohesion and social status. Upon the profound social transformations driven by modernity and, above all, from the second half of the 20th century onwards, with the sexual revolution, feminism, the struggle for civil and universal rights and, more recently, the retrieval and preservation of the memory of marginalized groups and minorities, the conventional family portrait has given way to myriad approaches and forms. These, by demystifying the image of the model family and its association with moral and social distinction, have favored a critical revision of this image and opened up another politics of representations, in which the very meaning of family is given to reflection. Contemporary art manifestations respond not only to the structural variation of the family and the complex relations involved therein, but also to matters that extrapolate the inner family core. The family is often seen in correlation to the world around it, suggesting we conceive it as a constituent part of diverse issues, which may be cultural or political, economic or religious, social or psychological, and so on. Hence, ‘Family Album’ is not an exhibition of traditional family portraits – whether in their constitution as art or as sentimental documents. This group show intends to present us with this other “family album”, whose unrestrictive representations confront us with both the intimate and the social system.

Daniella Géo Curator


Álbum de Família O retrato sempre ocupou lugar privilegiado na prática artística, e o retrato de família, para além de seu uso privado, serviu em grande medida para afirmar valores que refletiam e reforçavam o ideário da família pilar da sociedade, tais como linhagem, hierarquia patriarcal, coesão familiar e status social. Com as transformações sociais profundas impulsionadas pela modernidade e, sobretudo, a partir da segunda metade do século XX, com a revolução sexual, o feminismo, a luta por direitos civis e universais e, mais recentemente, com o resgate e a preservação da memória de minorias e grupos marginalizados, o retrato convencional de família deu lugar a uma multiplicidade de abordagens e formas. Essas, ao desmistificarem a imagem da família-modelo e sua associação a uma grandeza moral e social, favoreceram uma revisão crítica dessa imagem e se abriram a outra política das representações, na qual o próprio significado de família é dado à reflexão. As manifestações artísticas contemporâneas respondem não apenas à variação estrutural da família e à complexidade das relações nela envolvidas, mas também a questões que extrapolam o interior do núcleo familiar. A família, com frequência, é vista em correlação ao mundo à sua volta, o que nos propõe pensá-la como constituinte de problemáticas de ordens diversas, de culturais a políticas, de econômicas a religiosas, de sociais a psicológicas etc. Assim, “Álbum de família” não é uma exposição de retratos de famílias tradicionais – tenham eles estatuto de arte ou de documento afetivo. A coletiva pretende nos apresentar esse outro “álbum de família”, cujas representações irrestritas nos confrontam tanto com o íntimo, quanto com o sistema social. Daniella Géo Curadora


ADRIANA VAREJÃO 1964, Rio de Janeiro Vive e trabalha no / Lives and works in Rio de Janeiro A obra, concebida durante viagem ao território ianomâmi, faz referência à perspectiva cosmológica desse povo, quanto à fertilidade e ao papel ativo da natureza nesse processo, por meio de um pequeno feto em resina resguardado pela pintura de uma folha da floresta. Faz referência também a uma paixão vivida pela própria artista: a frase em ianomâmi significa “fui contaminado por você”, o equivalente a “eu te amo”. The work, conceived during a trip to the Yanomami territory, refers to their cosmological perspective, in terms of fertility and active role of nature in this process, through a small, resin fetus safeguarded by the painting of a leaf from the forest. It also makes reference to a passionate experience lived by the artist herself: the phrase in Yanomami means “I’ve been contaminated by you”, the equivalent to “I love you”.

Em Segredo / Secretly 2003 Óleo sobre tela e escultura em resina / Oil on canvas and resin sculpture 220 x 150 x 90 cm Coleção particular Private collection, Rio de Janeiro Detalhe da obra / Detail of the work



ANNA BELLA GEIGER 1933, Rio de Janeiro Vive e trabalha no / Lives and works in Rio de Janeiro Em Brasil Nativo – Brasil Alienígena, a artista reencena situações cotidianas de indígenas brasileiros de diversas etnias, retratadas em cartões-postais turísticos. Além de apontar a impossibilidade de se retornar às origens e de questionar a noção de identidade nacional, o díptico em questão, revisitado e apresentado em grande formato, faz alusão à noção de domesticidade e ao lugar da mulher, tanto no núcleo familiar, quanto na sociedade. In Brasil Nativo – Brasil Alienígena, the artist reenacts everyday situations of Brazilians Indians of various ethnicities, portrayed in touristic postcards. As well as indicating the impossibility of returning to the origins and querying the notion of national identity, the diptych in question, revisited and presented in large format, alludes to the notion of domesticity and the woman’s place, both in the family unit and in society.

Brasil Nativo – Brasil Alienígena / Native Brazil – Alien Brazil 1977 Díptico fotográfico Photographic diptych 135 x 100 cm Foto / Photo: Luis Carlos Velho Cortesia / Courtesy: a artista / the artist


...com o meu despreparo como homem primitivo.


BILL VIOLA 1951, Nova Iorque / New York Vive e trabalha na Califórnia / Lives and works in California Em reação a casos de nascimento e de morte em sua família, o artista aborda o ciclo da vida e seus extremos espirituais. Imagens noturnas e cenas submarinas retratam um mundo crepuscular que paira sobre as fronteiras da percepção humana e da consciência, nas quais as diversas vidas da mente (memória, realidade e visão) se juntam. O vídeo inclui ainda imagens do filho recém-nascido e da mãe em suas últimas horas de vida. In reaction to events of birth and death in his own family, the artist addresses the life cycle and its spiritual extremes. Nocturnal images and submarine scenes portray a crepuscular world that hovers over the borders of human perception and conscience, where several lives of the mind (memory, reality and vision) come together. The video also includes documentary images of his newborn son, and his mother in her final hours of life.

The Passing Em Memória de Wynne Lee Viola / In Memory of Wynne Lee Viola 1991 Vídeo p&b, áudio mono / black-and-white videotape, mono sound 54’ Produzido em parceria com Das kleine Fernsehspiel (ZDF), Mainz, Alemanha Produced in association with Das kleine Fernsehspiel (ZDF), Mainz, Germany Cortesia / Courtesy: Bill Viola Studio, Long Beach, Califórnia / California



CANDICE BREITZ 1972, Joanesburgo / Johannesburg Vive e trabalha em Berlim / Lives and works in Berlin A obra é composta de cenas apropriadas de filmes hollywoodianos, em que as atrizes Faye Dunaway, Diane Keaton, Shirley MacLaine, Julia Roberts, Susan Sarandon e Meryl Streep encenam papéis de mãe. Ao criar uma nova narrativa, ora coerente, ora non sense, a obra comenta criticamente a indústria cultural e os estereótipos que reforça, em particular, os vários relativos à maternidade. The work is composed of scenes appropriated from Hollywood movies in which the actresses Faye Dunaway, Diane Keaton, Shirley MacLaine, Julia Roberts, Susan Sarandon and Meryl Streep play mother roles. Creating a new narrative, now coherent, now nonsense, the work critically comments on the cultural industry and the stereotypes that it reinforces, particularly those relative to maternity.

Mother (still) / Mãe (still) 2005 Instalação de seis canais de vídeo / Six-channel video installation 13’15” Cortesia / Courtesy: White Cube, Londres / London



CHARIF BENHELIMA 1967, Bruxelas / Brussels Vive e trabalha em Antuérpia, Bélgica

Lives and works in Antwerp, Belgium De base autobiográfica, a série representa o sentimento de ser estrangeiro. Marcado pelo conhecimento restrito de sua história familiar e inexistência de um álbum de família, o artista reconstrói uma história, tanto pessoal quanto sociopolítica, através da vida de terceiros. A obra, que combina fotografias documentais do cotidiano de imigrantes, solicitantes de asilo, refugiados e crianças da primeira geração de filhos de imigrantes nascidos na Bélgica e depoimentos pessoais, decretos de lei e documentos históricos, põe em questão as noções de identidade, pertencimento, cidadania, construção familiar e social, entre outras. Of an autobiographical basis, the series represents the feeling of being a foreigner. Marked by a limited knowledge of his family history and the lack of any family album, the artist reconstructs, through the lives of others, a story which is both personal and sociopolitical. The work combines documental photographs of the everyday life of immigrants, asylum seekers, refugees and first generation children of immigrants born in Belgium, personal accounts, legal decrees and historical documents to question notions of identity, belonging, citizenship, family and social constructs, among others.

da série / from the series Welcome to Belgium / Bem-Vindos à Bélgica Child / Criança #I Child / Criança #4 1994 Ampliação em gelatina e prata em papel de fibra (folha de contato) e seis depoimentos Gelatin silver print on fiber paper (contact sheet) and six testimonials 32,5 x 26 cm Cortesia / Courtesy: o artista / the artist


I’m 8 years old. My teacher at school asks me what my parents do. I say: ‘My mother is a nurse and my father a policeman.’ I’m 12. My friends at school ask me what my parents do. I say: ‘My mother is a baroness and my father is important.’ I’m 14. I’m playing in a real soccer team and they say I’m really good. My mates ask me what my parents do. I say: ‘My mother has 7 houses and my father is a colonel.’ I’m 22. My girlfriend asks me what my parents do. I say: ‘My mother was always well dressed, spoke 5 languages and my father was an ambassador.’ I’m 28, a part-time teacher of photography at evening classes in college. My students ask me what my parents do. I say: ‘My parents passed away in a car accident.’

I’m 31 now. My mother died when I was 8 and my father was sent out of the country when I was 3. For the first time I’m not afraid to say. My mother worked in a factory and my father was a guest worker;* it’s written on my birth certificate.

*In the 1960s, Belgium campaigned in North Africa to recruit workers to move, live and work in the country.


DANIEL W. COBURN 1976, Califórnia / California Vive e trabalha em Kansas, Estados Unidos

Lives and works in Kansas, United States Situações cotidianas são encenadas por membros da família do artista. A série representa alegoricamente a história familiar ausente de seu álbum, uma história marcada por casos de suicídio, violência doméstica e abuso de entorpecentes. Ao mesmo tempo, a obra pretende se contrapor à imagem idealizada da família pelo também idealizado “sonho americano”. Everyday situations are enacted by members of Coburn’s family. The series allegorically represents the absent family history of his photo album, a history marked by cases of suicide, domestic violence and substance abuse. At the same time it aims to draw contrast with the image of the family idealized by the also idealized “American dream”.

da série / from the series The Hereditary Estate / A Condição Hereditária Place Setting / Lugares à Mesa The Calm / A Calma 2014 Impressão em pigmento mineral / Archival pigment print 40 x 50 cm Cortesia / Courtesy: o artista / the artist



DIAS & RIEDWEG 1964, Rio de Janeiro e / and 1955, Lucerna, Suíça / Lucerne, Switzerland Vivem e trabalham no / Live and work in Rio de Janeiro Os artistas revisitam e reconfiguram a obra de 1998, agora centrada em sua parte performativa, cujo vídeo é projetado sobre fotografia de seu making of. No vídeo, vários homens do Nordeste do Brasil e chamados Raimundo, Severino ou Francisco reencenam situações cotidianas em uma réplica – construídas por eles mesmos e pelos artistas – da moradia-padrão de zeladores em edifícios das metrópoles do país. A obra, além de seu aspecto de metalinguagem e de comentar a hierarquização social na arquitetura, alude à imigração e à criação de uma família simbólica, assim como às noções de exclusão e pertencimento, de identidade cultural e regional. The artist revisit and reconfigure their 1998 work, now focused on its performative part, the video of which is projected over a photograph of its making of. In the video, several men from the northeast of Brazil with typical names from this region, like Raimundo, Severino or Francisco, reenact everyday situations inside a replica – built by the men themselves and the artists – of a standard abode for caretakers of buildings in the big cities of Brazil. The work, as well as its aspect of metalanguage and comment on social hierarchy in the architecture, alludes to immigration and the creation of a symbolic family, in addition to notions of exclusion and belonging, cultural and regional identity, among others.

Os Raimundos, os Severinos e os Franciscos (making of) Raimundos, Severinos and Franciscos (making of) 1998 Projeção de vídeo sobre fotografia em jato de tinta sobre papel autocolante Video projection on inkjet photographic print on self-adhesive paper 4’ 295 x 550 cm Cortesia / Courtesy: Galeria Vermelho, São Paulo



FABIO MORAIS 1975, São Paulo / Sao Paulo Vive e trabalha em São Paulo / Lives and works in Sao Paulo Na série, o artista se apropria, reproduz e aplica fotografias de diversos álbuns de família sobre livros também apropriados. Por meio de uma ponta-seca, o artista escava a imagem de uma das pessoas retratadas, adentrando as páginas do livro e relacionando dois regimes temporais, o do instante fixo da fotografia e o distentido da escrita. O vazio deixado pela escultura em negativo alude à ausência, perda, história interrompida e memória. In the series, the artist appropriates, reproduces and applies photographs from various family albums to books that he also appropriates. Using a drypoint, the artist digs out the image of one of the portrayed people, penetrating into the pages of the book and relating two temporal regimes: the fixed instant of the photograph and the extended time of the writing. The void left by the indented sculpture alludes to absence, loss, interrupted history and memory.

da série / from the series Foto...bio...grafia / Photo...bio...graphy Sem título / Untitled 2002 Ponta-seca sobre papel sensibilizado por luz solar colado sobre livro Drypoint on light-sensitised paper pasted on book 18 x 22 cm Coleção / Collection: Marcelo Valente, São Paulo



GILLIAN WEARING 1963, Birmingham, Inglaterra / England Vive e trabalha em Londres / Lives and works in London Trauma traz depoimentos sobre abusos psicológicos, físicos e/ou sexuais, acontecidos no núcleo familiar. O vídeo é apresentado em uma microssala que, ao favorecer a relação um a um, faz alusão a um confessionário. Trauma brings personal accounts about cases of psychological, physical and/or sexual abuse within the family unit. The video is presented in a small room which, propitious for a one-on-one encounter, alludes to a confessional.

Trauma 2000 Vídeo, cor, som / Video, colour, sound 30’ Cortesia / Courtesy: Maureen Paley, Londres / London



JONATHAS DE ANDRADE 1982, Maceió Vive e trabalha no / Lives and works in Recife A obra parte do princípio de que uma moral conservadora sustenta os relacionamentos da classe média e atravessa gerações, que absorvem as mudanças de costumes apenas como consumo e discurso. O título faz referência ao livro de Fritz Kahn, Amor e Felicidade no Casamento (1960), de cujas páginas Andrade se apropria e coloca em relação ao que aparentemente seriam fotografias retiradas de álbum de família da época. Usado como elemento de linguagem, o mofo corrói as imagens, nas quais um homem e uma mulher personificam um casal, e coloca em questão o casamento como instituição e as noções de amor e felicidade atreladas a ele. The work draws on the idea that a conservative moral sustains middle class relationships and runs through generations, that absorb changes in customs only in terms of consumption and discourse. The title refers to the book Love and Happiness in Marriage, 1960, by Fritz Kahn,from which Andrade appropriates pages and places them in relation with what seem to be photographs taken from a family album of the time. Used as an element of language, the mold corrodes the pictures, in which a man and a woman personify a couple, and question marriage as an institution as well as the notions of love and happiness bound to it.

Amor e Felicidade no Casamento / Love and Happiness in Marriage 2007 49 impressões em papel fotográfico fosco e 36 páginas do livro Amor e Felicidade no Casamento, de Fritz Kahn 49 prints on matte photographic paper and 36 pages of the book Love and Happiness in Marriage by Fritz Kahn Vista da instalação / Installation view: foto / photo Orestes Locatel Detalhe da obra / Detail of the work Coleção / Collection: Susana e / and Ricardo Steinbruch, São Paulo



LEONORA WEISSMANN 1982, Belo Horizonte Vive e trabalha em / Lives and works in Belo Horizonte A família, os laços afetivos, o íntimo e a paisagem natural são recorrentes na obra da artista. No autorretrato com seu filho ainda bebê e a gruta, ela faz referência ao feminino, à casa, ao sagrado, além de aludir à origem, tanto de nossa existência quanto da própria pintura. The family, emotional ties, the intimate and the natural landscape are recurrent themes in the artist’s work. In the self-portrait with her son when still a baby and the grotto, the artist makes reference to the feminine, the home, the sacred and alludes to the origin of both our existence and painting itself.

Eu, Theo e a Gruta / Me, Theo and the Grotto 2012 Acrílica, vinílica e colagem sobre tela / Acrylic, vinyl paint and collage on canvas 200 x 180 cm Cortesia / Courtesy: a artista / the artist



MICHEL JOURNIAC 1935 – 1995, Paris O artista, que dizia não haver corpo de forma absoluta, já que dependente de seu contexto, de sua indumentária etc., aparece travestido como seu pai e como sua mãe, em referência ao complexo de Édipo de Freud. Journiac, entretanto, o faz ironicamente, por acreditar que Freud reduzira a sexualidade e o desejo a uma determinante de ordem familiar. The artist, who denied the existence of a body in an absolute form, as it depends on its context, its clothing etc. appears cross-dressed as his father and as his mother, in reference to Freud’s Oedipus complex. The artist, however, does this ironically, believing that Freud had reduced sexuality and desire to a determinant factor of family order.

Hommage à Freud – Constat critique d’une Mythologie travestie Homenagem a Freud – Certidão Crítica de uma Mitologia Travestida Homage to Freud – Critical Statement of a Transvestite Mythology 1972 Impressão fotográfica em papel jornal (facsímile) Photographic print on newsprint (facsimile) 34 x 24 cm Cortesia / Courtesy: Galerie Patricia Dorfmann, Paris



NO OLHO DA RUA Julian Germain, Murilo Godoy, Patricia Azevedo e jovens que vivem nas ruas de Belo Horizonte / and homeless youth from Belo Horizonte 1962, Londres / London Vive e trabalha em Hexham, Inglaterra / Lives and works in Hexham, England 1962, Belo Horizonte 1964, Recife Vivem e trabalham em / Live and work in Belo Horizonte Experiência colaborativa entre o trio de artistas e jovens que vivem nas ruas de Belo Horizonte. A proposta é emprestar câmeras, gravadores, papel e caneta para os jovens e, a partir daí, criar uma experiência de compartilhamento de ideias, conversas, escritos e imagens. O resultado é levado às ruas, por meio de lambe-lambes, jornais e cartões-postais. O trabalho se configura não apenas nos objetos produzidos, mas também nos processos, nas relações e circuitos que se estabelecem. A collaborative experience by a trio of artists and youngsters who live on the streets of Belo Horizonte. The proposal is to lend cameras, voice recorders, paper and pens to the youths in order to create an experience for sharing ideas, conversations, writing and images. The result is taken to the streets by means of flyposters, newspapers and postcards. The work is configured not only in the objects produced, but also in the processes, relationships and circuits that are established.

NO OLHO DA RUA 1995 - 2015 Papel jornal 50g / Newsprint 50g 42 x 30 cm 16 páginas / pages Lambe-lambe / Fly posters 150 x 110 cm Vista da intervenção pública, Centro do Rio de Janeiro View of the public intervention, Rio de Janeiro’s City Center Foto / Photo: Orestes Locatel Cortesia / Courtesy: os artistas / the artists



RICARDO BASBAUM 1961, São Paulo Vive e trabalha no / Lives and works in Rio de Janeiro Feita especialmente para a exposição, a instalação sonora apresenta uma cama de casal e um poema falado, resultante de uma oficina em que um grupo de participantes convidados discute o familiar e o estrangeiro e diversos aspectos advindos da noção de família, transitando do íntimo ao âmbito sociopolítico. Made especially for the exhibition, this sound installation presents a double bed and spoken poem, which resulted from a workshop in which a group of guest participants discussed the familiar and the foreign and several aspects stemming from the notion of family, ranging between the intimate and the sociopolitical sphere.

conversa-coletiva (além do familiar) collective-conversation (beyond the familiar) 2015 Ferro pintado, tecido, espuma, mp3, áudio, fones de ouvido, roteiro coletivo Painted iron, cloth, foam, mp3, sound, headphones, collective script cama / bed: 250 x 200 x 45 cm áudio / sound: 8’34” vozes / voices: Nathan Gomes Luana Fonseca Ariane Silva Joyce Delfim Débora Seger Ricardo Basbaum Gravado e mixado no / Recorded and mixed at: Haikal Studio, Rio de Janeiro Vista da instalação / Installation view: foto / photo Orestes Locatel Cortesia / Courtesy: o artista e Luciana Brito Galeria / the artist and Luciana Brito Galeria, São Paulo



RICHARD BILLINGHAM 1970, West Midlands, Inglaterra / England Vive e trabalha em Sawnsea, País de Gales

Lives and works in Sawnsea, Wales A obra, encenada por atores com grande semelhança física aos personagens reais, revisita o cotidiano do pai do artista, Ray, ditado por um contexto de vício, solidão, controle e alienação. The work enacted by actors who bear great physical resemblance to the real characters, revisits the everyday life of the artist’s father, Ray, governed by a context of addiction, loneliness, control and alienation.

Ray 2015 16 mm passado para tela única de vídeo HD digital, som, loop 16 mm transferred to single screen digital HD video, sound, looped 33’ Diretor / Director: Richard Billingham Produtor / Producer: Jacqui Davies Diretor de Fotografia / Director of Photography: Daniel Landin BSC Elenco / Cast Ray: Patrick Romer Liz: Deirdre Kelly Sid: Richard Ashton Ray foi patrocinado pelo / Ray is supported by Arts Council Wales, Arts Council England, agnès b, FIDLab & Panavision, University of Gloucestershire & Glynn Vivian Art Gallery Produzido por / Produced by: Jacqui Davies Cortesia / Courtesy: Anthony Reynolds Gallery, Londres / London



ROSANA PALAZYAN 1963, Rio de Janeiro Vive e trabalha no / Lives and works in Rio de Janeiro A série foi realizada a partir de relatos de adolescentes em conflito com a lei, internos em instituição no Rio de Janeiro, que abordam histórias cotidianas, vividas em um contexto de violência urbana e/ou doméstica e de desestruturação familiar. O trabalho é resultado de vários encontros durante os três anos em que a artista visitou a instituição. The series was produced from accounts given by teenagers at odds with the law confined at a correctional facility in Rio de Janeiro, which address everyday stories experienced in a setting of urban and/or domestic violence and a broken family structure. The work is the result of numerous encounters spanning three years during which the artist visited the institution.

da série / from the series “... uma história que você nunca mais esqueceu?” “... a story you will never forget?” 2000/2002 “... antes eu só pensava em maconha e roupa de marca. Mas vi minha mãe indo presa junto comigo. Agora quero parar...” * “... before I could only think of marijuana and brand clothes. But I saw my mother being arrested with me. Now I want to stop...” * 2001 Desenho: nanquim sobre papel / Drawing: Indian ink on paper 24 x 17 cm Cortesia / Courtesy: a artista / the artist *Com base nos depoimentos de adolescentes (12 a 17 anos) internados em instituição por infringirem as leis durante os anos de 2000 a 2003. * Based on the testimony of teenagers (12–17-year-olds) sentenced to a correctional facility for breaking the law during the years 2000 and 2003.



ROSÂNGELA RENNÓ 1962, Belo Horizonte Vive e trabalha no / Lives and works in Rio de Janeiro A série se serve de imagens fotográficas apropriadas da imprensa, nas quais pessoas seguram fotografias de entes queridos vítimas da violência. Apresentadas em grande formato, por vezes em negativo, e em materialidade altamente refletiva, as imagens se tornam, dependendo da posição do espectador e da incidência da luz, invisíveis, em alusão não apenas ao esquecimento dos desaparecidos ou vítimas fatais, lembrados apenas como contagem estatística, mas também dos próprios familiares, cujas vidas são gravemente afetadas. The series makes use of photographic images appropriated from the press in which people are holding photos of beloved ones who have been victims of violence. Presented in large-scale format, at times in negative, and in a highly reflective material, the images, depending on the spectator’s position and the incidence of light, turn invisible, in allusion not only to the forgetting of missing people or fatal victims, remembered only in the statistics, but also of the relatives themselves, whose lives are seriously affected.

da série / from the series Corpo da Alma (prata) / The Body of Souls (silver) 2008 Rio de Janeiro (foto Custódio Coimbra, Agência O Globo) Vinil autoadesivo sobre parede / self-adhesive vinyl on wall 170 x 118 cm Cortesia / Courtesy: a artista / the artist



SANTU MOFOKENG 1956, Joanesburgo / Johannesburg Vive e trabalha em Joanesburgo / Lives and works in Johannesburg A projeção apresenta a série de fotografias apropriadas de álbuns de famílias negras prósperas na África do Sul, do fim do século XIX e início do XX. O período não foi escolhido aleatoriamente: enquanto o resto do planeta se envolvia em duas guerras mundiais, a África do Sul começava a forjar seu sistema segregacionista e a história autorizada apenas produzia e reproduzia imagens em que pessoas negras eram retratadas como objetos de estudo, tais como com a fauna e a flora. The projection shows a series of photos appropriated from the albums of prosperous black, South African families in the late 19th and early 20th century. The period was not chosen at random: while the rest of the planet was involved in two World Wars, South Africa started to forge its segregationist system and authorized history books only produced and reproduced images in which black people were portrayed as objects of study, such as flora and fauna.

da série / from the series The Black Photo Album / Look at me: 1890–1950 O Álbum de Fotos Negro / Olhe para mim: 1890–1950 1997 Slide 79 Slide 52 Instalação de projeção de slide p&b / Black-and-white slide-projection installation Cortesia / Courtesy: Lunetta Bartz, MAKER, Joanesburgo / Johannesburg



SUE WILLIAMSON 1941, Lichfield, Inglaterra / England Vive e trabalha na Cidade do Cabo / Lives and works in Cape Town Imigrantes africanos que tiveram de deixar suas famílias para trás em busca de uma vida melhor na Cidade do Cabo, África do Sul, aparecem vestidos com suas melhores roupas, posando como se estivessem numa sessão de fotografia. O filme capta seus movimentos e mudanças sutis de expressão, enquanto escutam suas vozes em off, contando sobre suas experiências de deslocamento e de lar longe da família. African immigrants who had to leave their families behind in search of a better life in Cape Town, South Africa, appear dressed in their best clothes as if they were posing in a photo shoot. The film captures their subtle movements and changes of expression, while their voices can be heard off screen recounting their experiences of displacement and having one’s home far from the family.

Better Lives / Vidas Melhores: Deka Ysuf Farrh e/and Nisa Cynthia Gabrielle Albert e/and Isabelle Ngandu 2003 Filme 35mm passado para DVD / 35mm film transferred to DVD 3’5” Cortesia / Courtesy: a artista e Goodman Gallery, Cidade do Cabo the artist and Goodman Gallery, Cape Town



TRACEY ROSE 1974, Durban, África do Sul / South Africa Vive e trabalha em Joanesburgo / Lives and works in Johannesburg Crianças usando adereços como tiaras de princesa e plumas encenam intuitivamente, como em uma brincadeira, seu cotidiano em família. Em vez de reproduzirem situações familiares idealizadas, as crianças fazem referência a experiências de violência doméstica, abuso, alcoolismo, intervenção estatal pela via policial e pela assistência social. O título faz referência a uma das obras mais famosas da pop art inglesa, Just What Is It That Makes Today’s Homes So Different, So Appealing? (1956), de Richard Hamilton – colagem que ironiza a imagem de lar perfeito vendida pelos meios de comunicação. Children wearing accessories like princess tiaras and feathers intuitively enact, as if as a game, their everyday family life. Instead of reproducing idealized family situations, the children make reference to experiences of domestic violence, abuse, alcoholism, state intervention through police and social welfare services. The title refers to one of the most famous works of English Pop Art, Richard Hamilton’s Just What Is It That Makes Today’s Homes, So Different, So Appealing?, from 1956 – a collage that satirizes the image of the perfect home sold by the media.

Just What Is It That Makes Today´s Children So Different, So Appealing? O que Será que Torna as Crianças de Hoje Tão Diferentes, Tão Atraentes? 2006 Projeção de vídeo / Video projection 18’58” Vista da instalação na / Installation view at the Johannesburg Art Gallery, 2011 Cortesia / Courtesy: a artista e Goodman Gallery, Cidade do Cabo, Joanesburgo e Dan Gunn, Berlim the artist and Goodman Gallery, Cape Town, Johannesburg and Dan Gunn, Berlin



VICTOR BURGIN 1941, Sheffield, Inglaterra / England Vive e trabalha em Somerset, Inglaterra / England Em seu livro de artista de 1977, Burgin trata de como o modelo capitalista afetou e transformou tanto os meios de produção, as relações de trabalho e o consumo, quanto a vida em família, a noção de vida pessoal e os laços familiares. In his artist’s book of 1977, the artist addresses how the capitalist model has affected and transformed both the means of production, work relations and consumption, and family life, the notion of a personal life and family ties.

Family / Família 1977 Livro de artista / Artist’s book Impresso por LAPP Princess Press, LTD em associação com Printed Matter, Inc. Printed by LAPP Princess Press, LTD in association with Printed Matter, Inc. 12 páginas / pages Coleção particular / Private collection, Rio de Janeiro



ZANELE MUHOLI 1972, Durban, África do Sul / South Africa Vive e trabalha em Joanesburgo /Lives and works in Johannesburg A série documenta casais gays formados por mulheres negras na África do Sul. Desde a escravidão e o período colonial, imagens de mulheres africanas têm sido usadas para reproduzir ideais de heterossexualidade e do patriarcado branco. Ao representar ambos – existência e resistência –, o trabalho busca romper com esse padrão estabelecido por um sistema de poder. The series documents gay couples formed by black women in South Africa. Since slavery and the colonial period, images of African women have been used to reproduce ideas of heterosexuality and of white patriarchy. Representing both existence and resistance, the work seeks to break away from this pattern established by a power system.

da série / from the series Being / Ser Katlego Mashiloane e/and Nosipho Lavuta, Ext. 2, Lakeside Joanesburgo / Johannesburg Apinda Mpako e/and Ayanda Magudulela, Parktown Joanesburgo / Johannesburg 2007 Impressão Lambda / Lambda print 86,5 x 86,5 cm Cortesia / Courtesy: STEVENSON, Cidade do Cabo / Cape Town



LISTA DE OBRAS ADRIANA VAREJÃO Filho Bastardo (estudo) Bastard Son (study) 1991 Óleo sobre madeira Oil on wood 40 x 49,5 cm Coleção / Collection: Paulo Roberto Santi, Rio de Janeiro

Em Segredo Secretly 2003 Óleo sobre tela e escultura em resina / Oil on canvas and resin sculpture 220 x 150 x 90 cm Coleção particular / Private collection, Rio de Janeiro

Mendes Wood / the artist and Mendes Wood, São Paulo

Bill Viola The Passing / Em Memória de Wynne Lee Viola / In Memory of Wynne Lee Viola 1991 Vídeo p&b, áudio mono / black-and-white videotape,

Produzido em parceria com Das kleine Fernsehspiel (ZDF), Mainz, Alemanha / Produced in association with Das kleine Fernsehspiel (ZDF), Mainz, Germany Cortesia / Courtesy:

Anna Bella Geiger Blonde & Brunette Indian & Indian Loira & Morena Índia & Índia 2014

Bill Viola Studio, Long Beach, Califórnia, California

Impressão a jato de tinta

Candice Breitz Mother (still) Mãe (still) 2005

Inkjet print

Instalação de seis canais de

70 x 50 cm

vídeo / Six-channel video

Cortesia / Courtesy:

installation

Clube de Colecionadores

13’15”

de Gravura, Fotografia,

Cortesia / Courtesy:

Design MAM, São Paulo

White Cube, Londres / London

Brasil Nativo – Brasil Alienígena / Native Brazil – Alien Brazil 1977

Luis Carlos Velho

Charif Benhelima da série / from the series Welcome to Belgium / Bem-Vindos à Bélgica Child / Criança # I, #2, #3, #4 1994

Cortesia / Courtesy:

Ampliação em gelatina

a artista / the artist

e prata em papel de fibra

Díptico fotográfico Photographic diptych 135 x 100 cm Foto / Photo:

Semites: The Album Semitas: O Álbum 2011 Livro de artista / Artist’s book

Projeção de vídeo sobre

Publicado pela MER. Paper

photographic print on

Kunsthalle / Published by MER.

self-adhesive paper

Paper Kunsthalle

4’

2 x 96 páginas / pages

295 x 550 cm

25,5 x 20,5 cm

Cortesia / Courtesy:

Cortesia / Courtesy:

Galeria Vermelho, São Paulo

Daniel W. Coburn da série / from the series The Hereditary Estate / A Condição Hereditária 2014 Convection Convecção n Fare for the Ferryman Pagamento para o Barqueiro n Lovers Embrace O Abraço dos Amantes n Osmosis Osmose n Panoptic Stain Mancha Panóptica n Place Setting Lugares à Mesa n Resurrection Ressurreição n Taker of Tolls Cobrador de Pedágio n The Calm A Calma n

depoimentos

Caderno de artista / Artist’s

and six testimonials

sketchbook

32,5 x 26 cm

17 x 11 cm

Cortesia / Courtesy:

Cortesia / Courtesy: a artista e

o artista / the artist

Gelatin silver print on fiber paper (contact sheet)

sobre papel autocolante Video projection on inkjet

Fabio Morais da série / from the series Foto...bio...grafia Photo...bio...graphy Sem título / Untitled 2002 Ponta-seca sobre papel sensibilizado por luz solar colado sobre livro / Drypoint on light-sensitised paper pasted on book 18 x 22 cm Coleção / Collection: Marcelo Valente, São Paulo

Gillian Wearing Trauma 2000 Vídeo, cor, som Video, colour, sound 30’ Cortesia / Courtesy: Maureen Paley, Londres / London

40 x 50 cm

Jonathas de Andrade Amor e Felicidade no Casamento / Love and Happiness in Marriage 2007

Cortesia / Courtesy:

49 impressões em papel

o artista / the artist

fotográfico fosco e 36 páginas

Impressão em pigmento mineral / Archival pigment print

do livro Amor e Felicidade no

(folha contato) e seis

Encontros de A a Z Encounters from A to Z 1974

fotografia em jato de tinta

o artista / the artist

mono sound 54’

LIST OF WORKS

Casamento, de Fritz Kahn /

Dias & Riedweg Os Raimundos, os Severinos e os Franciscos (making of) Raimundos, Severinos and Franciscos (making of), 1998

49 prints on matte photographic paper and 36 pages of the book Love and Happiness in Marriage by Fritz Kahn Coleção / Collection: Susana e / and Ricardo Steinbruch, São Paulo


Leonora Weissmann Eu, Theo e a Gruta Me, Theo and the Grotto 2012 Acrílica, vinílica e colagem sobre tela / Acrylic, vinyl paint and collage on canvas 200 x 180 cm Cortesia / Courtesy: a artista / the artist

da série / from the series Florestas Encantadas the Enchanted Forests Gruta para Mamãe Grotto for Mother 2010 Acrílica e vinílica sobre tela Acrylic, vinyl paint and collage on canvas 250 x 160 cm Coleção / Collection: Ricardo Akagawa, Belo Horizonte

Michel Journiac Hommage à Freud – Constat critique d’une Mythologie travestie Homenagem a Freud – Certidão Crítica de uma Mitologia Travestida Homage to Freud – Critical Statement of a Transvestite Mythology 1972

Mother-Lover Son-BoyLover Son-Voyeur Mère-amante Fils-filleamante Filsvoyeur / Mãe-Amante Filho-Menina-Amante Filho-Voyeur / Mother-Lover Son-GirlLover Son-Voyeur

n

Père-amant Fils-filleamante Fils-voyeur / Pai-Amante Filho-Menina-Amante Filho-Voyeur / Father-Lover Son-GirlLover Son-Voyeur

n

collective-conversation (beyond the familiar) 2015

Produzido por / Produced by:

Ferro pintado, tecido, espuma,

Reynolds Gallery, Londres /

mp3, áudio, fones de ouvido,

London

cloth, foam, mp3, sound, headphones, collective script cama / bed: 250 x 200 x 45 cm áudio / sound: 8’34” vozes / voices: Nathan Gomes Luana Fonseca Ariane Silva Joyce Delfim Débora Seger Ricardo Basbaum

Ação fotográfica (facsímile)

São Paulo

Gravado e mixado no / Recorded and mixed at: Haikal Studio, Rio de Janeiro Cortesia / Courtesy: o artista e Luciana Brito Galeria / the artist and Luciana Brito Galeria,

Photographic action (facsimile) 50 x 80 cm Cortesia / Courtesy Galerie Patricia Dorfmann, Paris

Richard Billingham Ray 2015 16 mm passado para tela única de vídeo HD digital, som, loop

newsprint (facsimile)

NO OLHO DA RUA Julian Germain, Murilo Godoy, Patricia Azevedo e jovens que vivem nas ruas de Belo Horizonte / and homeless youth from Belo Horizonte 1995 - 2015

34 x 24 cm

Papel jornal 50g

Diretor de Fotografia / Director

Cortesia / Courtesy:

Newsprint 50g

of Photography:

Galerie Patricia Dorfmann, Paris

42 x 30 cm

Daniel Landin BSC

16 páginas / pages

Elenco / Cast

Lambe-lambe / Fly posters

Ray: Patrick Romer

150 x 110 cm

Liz: Deirdre Kelly

Cortesia / Courtesy:

Sid: Richard Ashton

os artistas / the artists

Ray foi patrocinado pelo / Ray

Impressão fotográfica em papel jornal (facsímile) Photographic print on

L’inceste O Incesto The Incest Mère-amante Filsgarçon-amant Filsvoyeur / Mãe-Amante Filho-Menino-Amante Filho-Voyeur /

16 mm transferred to single screen digital HD video, sound, looped 33’ Diretor / Director: Richard Billingham Produtor / Producer: Jacqui Davies

is supported by Arts Council

n

Wales, Arts Council England,

Ricardo Basbaum conversa-coletiva (além do familiar)

Cortesia / Courtesy: Anthony

roteiro coletivo / Painted iron,

Père-amant Filsgarçon-amant Fils-voyeur / PaiAmante Filho-MeninoAmante Filho-Voyeur / Father-Lover Son-BoyLover Son-Voyeur 1975

n

Jacqui Davies

Rosana Palazyan da série / from the series “... uma história que você nunca mais esqueceu?” “... a story you will never forget?” 2000/2002 “... eu tinha onze anos quando mataram minha mãe e eu entrei para o crime...”*

n

“... I was eleven years old when my mother was killed and I began a life of crime...”* 2000 “... ter filho pra quê? Um dia vou morrer e deixar ele sozinho...”*

n

“... why having children? One day I will die and leave them alone...”* 2000 “... antes eu só pensava em maconha e roupa de marca. Mas vi minha mãe indo presa junto comigo. Agora quero parar...” *

n

“... before I could only think of marijuana and brand clothes. But I saw my mother being arrested with me. Now I want to stop...” * 2001

agnès b, FIDLab & Panavision, University of Gloucestershire & Glynn Vivian Art Gallery

“... eu ia matar meu pai, aí ele teve

n


LISTA DE OBRAS que sair de casa. Não arrependo, dou minha vida pela minha mãe...”* “I was going to kill my father, but then he had to leave home. I do not regret, I would give my life for my mother...”* 2001

Rosângela Rennó Rio de Janeiro (foto Camilla Maia, Agência O Globo) 2003 da série Corpo da Alma from the Body of Souls series, 2003-2009 Gravação sobre aço inoxidável Engraving on stainless steel

“... mas eu adoro minha mãe. Queria que ela me tirasse do fundo do poço que eu tô...”* “... but I love my mother. I would like her to help me rise up from rock bottom...”* 2001 “... meu amigo morreu no meu lugar, nessa vida tenho que ser sozinho. Andou comigo mesmo se não for bandido, tá morto...”*

n

“... my friend died instead of me; in this life I must walk alone. Walk with me, even if you’re not a criminal, and your dead...”* 2001

Joanesburgo / Johannesburg

Paulo Kuczynski, São Paulo

Victor Burgin Family / Família 1977 Livro de artista / Artist’s book

Sue Williamson Better Lives Vidas Melhores:

Impresso por LAPP Princess Press, LTD em associação com Printed Matter, Inc. Printed by LAPP Princess Press,

Deka Ysuf Farrh e /and Nisa

n

165 x 110 x 3 cm Coleção / Collection

n

Lunetta Bartz, MAKER,

LIST OF WORKS

LTD in association with Printed Matter, Inc. 12 páginas / pages

Albert e /and Isabelle Ngandu

n

Coleção particular Private collection, Rio de Janeiro

Rio de Janeiro (foto Aníbal Philot, Agência O Globo) / da série Corpo da Alma (prata) / from the Body of Souls (silver) series 2008

Francois Banguarambona

n

n

Cynthia Gabrielle

n

Richard Belalufu

self-adhesive vinyl on wall 170 x 118 cm

Filme 35mm passado para

Cortesia / Courtesy:

DVD / 35mm film transferred

a artista / the artist

to DVD

n

3’5”

Rio de Janeiro (foto Custódio Coimbra, Agência O Globo) / da série Corpo da Alma (prata) / from the Body of Souls (silver) series 2008 Vinil autoadesivo sobre parede self-adhesive vinyl on wall 170 x 118 cm

Desenho: nanquim sobre papel

Cortesia / Courtesy:

Drawing: Indian ink on paper

a artista / the artist

24 x 17 cm Cortesia / Courtesy:

Katlego Mashiloane e /and Nosipho Lavuta, Ext. 2, Lakeside, Joanesburgo / Johannesburg

n

Nelson Manuel 2003

Vinil autoadesivo sobre parede

Zanele Muholi da série / from the series Being / Ser

Cortesia / Courtesy: a artista e Goodman Gallery, Cidade do Cabo the artist and Goodman Gallery,

Apinda Mpako e/and Ayanda Magudulela, Parktown, Joanesburgo / Johannesburg

n

Cape Town

Nomsa Mazibuko and Fondo, outside the Hope Unity Metropolitan Community Church, a gay church, during Good Friday. Mayfair, Johannesburg / Nomsa Mazibuko e Fondo, do lado de fora da Hope Unity Metropolitan Community Church, uma igreja gay, na Sexta-Feira Santa. Mayfair, Joanesburgo 2007

n

Tracey Rose Just What Is It That Makes Today´s Children So Different, So Appealing? O que Será que Torna as Crianças de Hoje Tão Diferentes, Tão Atraentes? 2006

* Based on the testimony of

Santu Mofokeng The Black Photo Album / Look at me: 1890–1950 O Álbum de Fotos Negro / Olhe para mim: 1890–1950 1997

Cidade do Cabo, Joanesburgo

Impressão Lambda / Lambda print

teenagers (12–17-year-olds)

Instalação de projeção de slide

e Dan Gunn, Berlim

86,5 x 86,5 cm

sentenced to a correctional

p&b / Black-and-white slide-

the artist and Goodman Gallery,

Cortesia / Courtesy:

facility for breaking the law during

projection installation

Cape Town, Johannesburg

STEVENSON,

the years 2000 and 2003.

Cortesia / Courtesy:

and Dan Gunn, Berlin

Cidade do Cabo / Cape Town

a artista / the artist *Com base nos depoimentos de adolescentes (12 a 17 anos) internados em instituição por infringirem as leis durante os anos de 2000 a 2003.

Projeção de vídeo Video projection 18’58” Cortesia / Courtesy: a artista e Goodman Gallery,


seminário

seminar

25.08.2015 terça-feira Família, conceitos e novos papéis 14h Daniella Géo Curadora, pesquisadora, doutora em Estudos Cinematográficos e Audiovisuais, Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3 Introdução

as práticas artísticas como possibilidade de atuação no processo de reconstrução dos vínculos afetivos e familiares dessas pessoas, e as maneiras pelas quais esse tipo de ação nos coloca diante de outro sentido para aquilo que entendemos como arte.

14h15 Izabela Pucu Pesquisadora e curadora. Diretora do Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

14h45 Bárbara Copque Antropóloga, doutora em Ciências Sociais pelo PPCIS-Uerj

Circulando e fazendo circular Uma reflexão sobre o trabalho realizado pela equipe do Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, vinculado à Secretaria Municipal de Cultura, inserido no Projeto Circulando, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, com objetivo de vincular os equipamentos culturais da cidade no processo de reinserção social dos clientes dos abrigos municipais. Tomaremos como ponto de partida o laboratório para troca de experiências e invenção de novas metodologias desenvolvido junto com a equipe multidisciplinar da Unidade de Acolhimento Raul Seixas. A partir dessa experiência, discutiremos

Família é bom pra passar o final de semana O envolvimento e o entusiasmo de meninos em situação de rua na produção e na interpretação das imagens nos permitiram desvendar a forma como eles se constroem como sujeitos no espaço da rua e suas relações familiares. 15h15 Jeanne Lima Doutora em Ciências na área de Violência e Saúde, assistente social da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e professora de Serviço Social da Universidade Cândido Mendes

A potencialidade do profissional de Saúde para mediar conflitos intrafamiliares Pretendo introduzir a atuação dos profissionais de Saúde na atenção primária diante das diferentes configurações familiares e quando eles se deparam com situações de conflito e/ou violência intrafamiliar. Finalizo refletindo sobre as atitudes, ações/práticas, condições e obstáculos segundo a ótica de profissionais atuantes nesse processo. 15h45 INTERVALO 16h Marcos Nascimento Psicólogo, doutor em Saúde Coletiva, pesquisador do Instituto Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz Homens, Sexualidades e Paternidades: rearranjos de gênero na contemporaneidade? Partindo dos debates contemporâneos sobre gênero e masculinidades, propomos uma reflexão sobre o tema da


seminário paternidade. Em que medida discutimos as diferentes formas de expressão da sexualidade e da masculinidade quando falamos sobre paternidade? De que forma os rearranjos de gênero e da sexualidade têm influenciado as discussões sobre paternidade? Essas são algumas das perguntas que pretendemos levantar durante a nossa apresentação. 16h30 Eder Fernandes Professor da Faculdade de Direito e do Programa

seminar

de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense O DIREITO E A FAMÍLIA: mecanismos de controle e descontrole e os pânicos morais Entendendo o Direito como meio linguístico de operacionalização da vivência política da sociedade, parte-se da pressuposição de que os instrumentos normativos controlam sentidos e possibilidades de entendimento

do conceito de família, bem como operam mecanismos de controle da moralidade dominante por meio de argumentos de defesa de um sentido normalizado de família, segundo padrões dados pelos sistemas religiosos, econômicos, políticos e sociais. 17h Mesa-Redonda (com os palestrantes) Mediador: Eduardo Souza Lima (jornalista)

26.08.2015 quarta-feira Parte 1: Família, envelhecimento e memória 15h30 Daniel Groisman Psicólogo, mestre em Saúde Coletiva e doutor em Serviço Social, professor-pesquisador da EPSJV-Fiocruz Envelhecimento, cuidados e transformações na família Uma breve discussão sobre o “problema” dos cuidados na sociedade contemporânea, os desafios representados pelo processo de envelhecimento e as transformações na família.

16h Teresa Bastos Professora doutora da Escola de Comunicação da UFRJ Por parte de mãe: reflexões (auto)biográficas Uma carta de natureza autobiográfica, com 317 páginas, escrita por meu avô materno no final de sua vida e algumas fotografias de família são o ponto de partida para se refletir sobre memória, imagem e arquivo no contexto

das escritas de si. Esse texto epistolar e os retratos são analisados na perspectiva contemporânea dos estudos biográficos legitimadora dos discursos situados à margem dos cânones literários. 16h30 Mesa-Redonda (com os palestrantes) Mediador: Eduardo Souza Lima (jornalista) INTERVALO


Parte 2: Família e violência 17h30 Leila Linhares Barsted Coordenadora executiva da Cepia (Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação) Família e Violência A proposta desta apresentação é permitir uma reflexão sobre a magnitude da violência contra as mulheres no âmbito das relações domésticas e familiares. Esse fenômeno, que aparece nos dados estatísticos disponíveis e no noticiário da grande imprensa, tem merecido atenção do Estado através de politicas públicas e, desde 2006, essa forma de violência é tratada especificamente pela Lei Maria da Penha, voltada para prevenir e coibir a violência doméstica contra as mulheres. 18h Dayse Miranda Socióloga e pesquisadora

do Laboratório de Análise da Violência (LAV/Uerj) Quem são as Vítimas Ocultas na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro? A palestra propõe apresentar as vítimas secundárias da violência na Polícia Militar do Rio de Janeiro. Um estudo recente (2007) revelou que pessoas que perderam familiares e amigos por suicídio, acidentes e homicídios, na cidade do Rio de Janeiro, sofrem muito e sozinhas. E na Polícia Militar carioca? Quem são os parentes e amigos de policiais mortos de forma violenta? Em números, quantos são? O que eles pensam? O que fazem para superar as suas dores? Não sabemos quem são e, muito menos, como reagem e sentem a perda de seus entes queridos. Sem essas informações, nada podemos sugerir e, por isso, pouco pode ser feito ou cobrado

aos nossos governantes. A reflexão proposta visa mostrar a gravidade desse problema. 18h30 Bárbara Copque Antropóloga, doutora em Ciências Sociais pelo PPCIS-Uerj Inscrições corporais da violência O presente estudo se concentra, fotograficamente, no ato de exame de corpo de delito, que, diante da denúncia de violência doméstica­ _ aqui compreendida como uma reação e uma recusa à condição de passividade _, os sujeitos vivenciam a condição de vítimas e protagonistas. 19h Mesa-Redonda (com os palestrantes) Mediador: Eduardo Souza Lima (jornalista)

27.08.2015 quinta-feira Família, deslocamentos e identidade cultural 14h15 Ana Paula Conde Professora da PUC-Rio, mestre em Ciência Política pela UFF e doutora em

História, Política e Bens Culturais, pelo Cepdoc/FGV Diásporas: famílias expandidas ou

outra forma de dizer nós O conceito de família se transforma no contexto daqueles que se sentem


seminário parte de uma diáspora. O que une as pessoas são os laços formados a partir do pertencimento, reforçado no exterior, a uma cultura, a uma mesma língua e a festas comuns. Relações marcadas ainda por um ideal de retorno, real ou imaginário, a um outro espaço físico. Além do conforto espiritual, esses laços fortalecem o grupo, em geral marcado por estigmas, tornando-o mais visível e, quem sabe, o fortalecendo politicamente. 14h45 Marcelo Campos Professor adjunto do Departamento de Teoria e História da Arte, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Artes do Instituto de Artes, Uerj Fora do lugar: agregações e desagregações identitárias O lugar identitário e as relações familiares não se configuram em sintonia naturalizada. O álbum de família servira, também, para marcar tradições coloniais impositivas, poderes autoritários. Em muitos exemplos, retratados necessitaram estabelecer relações extemporâneas.

seminar

15h15 Dias & Riedweg Artistas Família como decorrência entre pertencimento e exclusão A partir da exibição de seu vídeo Água de chuva no mar, 2012, ainda inédito no Rio de Janeiro, Dias & Riedweg propõem uma leitura do conceito de família, como a criação e continuação de um encontro, não necessariamente por efeitos biológicos, mas como uma consequência direta derivada dos processos de pertencimento e exclusão que podemos, todos, criar no convívio cotidiano. Vídeo 18 minutos e fala de 7 minutos. 15h45 INTERVALO 16h Guilherme Gutman Psicanalista, professor da PUC-Rio, curador independente e crítico de arte Viver Junto A proposta é a de investigarmos e discutirmos juntos (com o auxílio luxuoso de Platão, Freud e Barthes) os

amores e as condições e modalidades de um “viver junto”, não necessariamente numa conjugalidade mais convencional, mas tanto em experimentos afetivos quanto no viver junto em uma mesma família, em uma mesma cidade, em uma mesma comunidade, em uma mesma instituição, espaço e tempo. 16h30 Ricardo Basbaum Artista Débora Seger Psicóloga, pesquisadora de História da Arte Nathan Gomes Pesquisador de História da Arte conversa-coletiva (além do famIliar) As conversas-coletivas como método de trabalho para o desenvolvimento de peças sonoras e orquestração de vozes: o caso Álbum de Família – movendo-se para além da família e do familiar. 17h Mesa-Redonda (com os palestrantes) Mediador: Eduardo Souza Lima (jornalista)


PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

CENTRO MUNICIPAL DE ARTE HÉLIO OITICICA

PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO I Mayor Eduardo Paes

DIRETORA E CURADORA I Director and Curator Izabela Pucu

VICE-PREFEITO I Vice Mayor Adilson Pires

ASSESSOR EXECUTIVO I Executive Adviser Antonio Manuel Neves

SECRETÁRIO MUNICIPAL DE CULTURA Municipal Culture Secretary Marcelo Calero

ASSESSORA DE RECURSOS HUMANOS Human Resources Adviser Lenice Fernandes

CHEFE DE GABINETE Chief of Staff Flávia Piana

COORDENADORA DE PESQUISA E PÚBLICO Research and Audience Engagement Coordinator Daniele Machado

SUBSECRETÁRIA DE CULTURA I Deputy Secretary of Culture Danielle Barreto Nigromonte

COORDENADOR DE PRODUÇÃO I Production Coordinator Alessandro Costa

SUBSECRETÁRIO DE GESTÃO Management Subsecretary Carlos Corrêa Costa

COORDENADOR OPERACIONAL Maintenance Operations Coordinator Cristiano Ruiz Israel Farias (Assistente I Assistant)

COORDENADORA DE EQUIPAMENTOS CULTURAIS Coordinator of Cultural Facilities Luciana Adão de Paula Andrade Richard GERENTE DE CENTROS CULTURAIS Cultural Centers Manager Robson Camilo

COORDENADORA ADMINISTRATIVA I Administrative Coordinator Neyla Quaresma RECEPCIONISTA ESPECIALIZADA I Specialized Receptionist Luísa do Valle

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO Communications Adviser Andreia Lopes ASSESORIA DE IMPRENSA I Press Office Rafael Sento Sé

AGRADECIMENTOS ACKNOWLEDGEMENTS

Os artistas/ The artists, os palestrantes/ the lecturers, Ana Luiza Dantas Borges, André Martins, Ateliê da Imagem, Camila Torzecki, Clarisse Stephan, Eduardo Souza Lima, Giselle Macedo, Grupo Rio Scenarium, Loane Malheiros, Martha Pagy, Marian Starosta, Mauro Saraiva, Nara Reis, Noni Geiger, Patricia Gouvêa, Plínio Froes, Renata Martínez, Yoko Nishio


EXPOSIÇÃO

CATÁLOGO

EXHIBITION Curadoria I Curator Daniella Géo Produção Executiva Executive Producer Adriana Salomão Produção I Production Gabriela Maciel Lívia Martins Ferraz

Assistentes de Produção Production Assistants Mariana Moraes da Silva Rodrigo Leitão Castagni Identidade Visual e Projeto Gráfico Visual Identity and Graphic Design Luísa Bousada Luiz Berri Arquitetura I Architecture Arqui Arqui - Lilian Sampaio Iluminação I Lighting Júlio Katona Cenografia I Exhibition Design Camuflagem Cenografia Montagem Audiovisual Audiovisual Editing Play Projeções

CATALOGUE Documentação Fotográfica Photographic Documentation Orestes Locatel Gestão Financeira Financial Management Clarice Magalhães

SEMINÁRIO 25, 26 e 27 de agosto de 2015 August 25th, 26th and 27th 2015

Texto I Text Daniella Géo Izabela Pucu

Curadoria I Curator Daniella Géo Produção Executiva Executive Producer Adriana Salomão Produção e Assistente de Curadoria Producer and Curator’s Assistant Luísa Diniz

Transporte I Transport Alves Tegam

Mediador I Mediator Eduardo Souza Lima

Assessoria de Imprensa Press Office CW&A

Documentação Videográfica Video Documentation Kiko Cabral

Tradução I Translation Ben Kohn

Identidade Visual e Projeto Gráfico Visual Identity and Graphic Design Luísa Bousada Luiz Berri Obras I Works Os artistas / The artists

Revisão de texto I Proofreading Rosalina Gouveia

Museografia I Museography Ângela Freitas – SP Grupo Oficina do Restauro – BH Viviane Teixeira, Libra Cultural - RJ

Produção Executiva Executive Producer Adriana Salomão

SEMINAR

Palestrantes I Speakers Ana Paula Conde Bárbara Copque Daniel Groisman Dayse Miranda Dias & Riedweg Eder Fernandes Guilherme Gutman Izabela Pucu Jeanne Lima Leila Linhares Barsted Marcelo Campos Marcos Nascimento Ricardo Basbaum + Débora Seger + Nathan Gomes Teresa Bastos

Montagem das Obras Exhibition Set Up Vitor Lorenzetto Monteiro Rafael Corrêa

Edição I Editor Daniella Géo

realização:

organisation:

Revisão de texto (português) Proofreading (Portuguese) Rosalina Gouveia Tradução I Translation Ben Kohn Revisão geral I General Revisor Rosalina Gouveia Tratamento de imagem Image treatment Aliomar Gandra Ricardo Gandra Fotos das obras na exposição Photos of the works in the exhibition Orestes Locatel Produção gráfica I Graphic Production Sidnei Balbino Impressão I Printing Conta-fios Gráfica © Imagens I Images os artistas / the artists Exceto I Except Michel Journiac, Hommage à Freud: © Jacques Miège e/ and Patricia Dorfmann © Publicação I Publication Patuá Produções Artísticas ISBN 978-85-69702-00-9



ADRIANA VAREJÃO Rio de Janeiro. Vive e trabalha no Rio de Janeiro, Brasil Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Fusce vitae lorem odio. Aliquam viverra tempus sollicitudin. Nullam nec dictum leo. Etiam non dui sit amet per conubia nostra, per inceptos himenaeos. Cras bibendum euismod feugiat. Aliquam at finibus nulla, nec tincidunt velit. Nulla facilisi. Donec sed faucibus nisl. Morbi eros leo, dapibus vitae porta vitae, luctus non ex. Sed sit amet aliquet felis, in lobortis leo. Pellentesque ultrices auctor orci, sit amet rutrum leo facilisis at. Praesent sed blandit ipsum, venenatis aliquam orci. Sed auctor erat sollicitudin consectetur vulputate. Curabitur sed dui nec libero commodo metus est id est. Suspendisse augue neque, hendrerit elementum lectus bibendum, dignissim viverra nulla. Nullam aliquet lorem nibh, vel lacinia nunc egestas in. Sed id fringilla nisl, eu gravida tellus. Sed eleifend porta felis, sed convallis tortor Mauris suscipit, leo sed sodales pretium, arcu lectus egestas turpis, at fringilla l

aPoio:L’inceste, 1975 O Incesto PaTroCÍNio:

Mãe-amante Filho-menino-amante ProDUção:: Filho-voyeur Mère-amante Fils-garçon-amant Fils-voyeur 1975 Ação fotográfica / Action photographique (fac simile) 50 x 80 cm Cortesia / Courtesy Galerie Patricia Dorfmann, Paris


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.