Page 1


Ficha técnica

Autores:

Turma do 3ºB da escola EB1 de Olhos de Água

Elaboração:

Equipa da BE/CRE:

Carla Ferreira e Paula Cunha

Capa:

Expressão Plástica: Célia Nobre

Data de edição: ano lectivo 2007/2008


INTRODUÇÃO

Na sequência do projecto “O Meu Diário é um Livro”, apresentado no início do ano lectivo a todas as turmas, os alunos começaram por entregar textos que descreviam um dia especial ou um acontecimento marcante. A adesão foi tão positiva que resolvemos envolver todos os alunos de todas as turmas e assim criar um Diário para cada uma delas. Este foi o resultado...


Um dia na neve Fui com os meus pais, primos e tios à Serra da Estrela. Tinha muita vontade de ver neve e tocar na neve. Quando cheguei à Serra, esta estava coberta de neve, tinha bastante. Saí do carro e corri para cima da neve. Muito contente, tirei as luvas e fiz algumas bolas de neve e atirei aos meus primos e eles a mim. Depois o meu pai foi buscar o trenó para escorregarmos pela Serra e assim passámos o dia. Foi um dos dias mais divertidos que eu tive. Alexandre Feijó


Eu na Guia a ver o Mickael Carreira Eu e a minha irmã fomos à Guia ver o Mickael Carreira. Ficámos a espera que o concerto começasse. As meninas foram ensaiar, elas chamavam-se Ana, Beatriz e Jéssica. Depois puseram um homem a cantar, mas cantava muito mal. A seguir três senhores foram ao palco. Depois o Mickael Carreira subiu ao palco e foi cantar. Depois do concerto a minha irmã comprou, numa barraquinha, uma blusa, duas fotografias e uma caneta para ele assinar. Fomos para a fila dos autógrafos. Quando terminou viemos para casa. Ana Patricia Santos.


O passeio de bicicleta Num dia de sol, eu e o meu irmão decidimos ir aprender a andar de bicicleta. O meu avô disse-me: - Catarina, anda aprender a andar de bicicleta. Eu comecei a andar devagarinho e depois consegui andar e o meu avô disse ao Tiago: - Anda aprender a andar de bicicleta como mana. O Tiago foi e começou a andar com os pés no ar, depois também conseguiu. Eu e o meu mano agora vamos andar ao pé da escola e a nossa família fica muito contente. Catarina Coelho


Isla Mágica O ano passado em Agosto, fui à Isla Mágica em Sevilha. Fui com a minha mãe, o meu pai, a minha irmã, a minha prima Beatriz, duas amigas a Laura e a Isabel e os pais delas. Andámos de carrocel, de crocodilo, de roda gigante, etc. A meio do dia comemos e depois de fazermos a digestão fomos andar de camelo, Também andámos numa árvore que girava devagar, em joaninhas, num barco e na boca do dragão. À hora do lanche comemos batatas fritas e gelados de vários sabores, morango, maçã e laranja. Depois fomos andar de comboio e num barco que quando descia, a água vinha toda para cima de nós. Andámos em muitas diversões, por fim jogámos um jogo em que tínhamos de acertar num boneco com uma pistola que tinha um laser vermelho e assim ganhávamos pontos. Eu gostei muito desse dia. Catarina Martins


A casa dos meus avós A casa do meu avô é muito bonita. Fica situada numa aldeia que se chama Ponte de Tôr no meio da Serra Algarvia, tem uma paisagem muito bonita, de onde se vê uma ribeira, uma ponte romana e muita vegetação. A casa do meu avô é onde eu mais gosto de estar e é lá que eu passo as minhas férias. A casa é grande, tem muito espaço para brincar, tem muitas plantas, muitas flores, muitas árvores que dão frutos muito bons. Também lá estão quatro gatos e dois cães, muito meus amigos e que gostam de brincar. Diogo Tomé


As minhas férias de Natal As minhas férias de Natal foram muito divertidas. Eu vesti-me de Pai Natal, porque o meu irmão tem medo e gosta dele. Eu recebi muitas prendas e gostei muito do meu Natal. Houve uma vez que eu e o meu primo estávamos a brincar com o castelo dele, depois atirámos bolas e tivemos que apanhar aquilo tudo. Eu e o meu primo fizemos uma partida ao meu avô e escondemo-nos no armário e de repente Bum!! E foi assim que as minhas férias acabaram. Eduardo Pereira


Eu no circo Quando eu entrei no circo vi um palhaço que estava sempre a apitar com um apito. Eu vi um homem a pôr uma espada na boca. Depois passou o espectáculo dos leões, dos cães, etc. O palhaço chamou-me para fazer um teatro. Eu fiz de ladrão. Foi uma tarde em grande com a minha mãe. Fábio Santos


Meu avô Foi um dia muito triste na minha vida! O meu avô que se chamava Manuel, era muito querido e amado por toda a família, era especial: alegre, brincalhão e muito carinhoso. Mas uma doença muito grave levou o meu avô, até ao céu. Eu estou muito triste e rezo todas as noites por ele antes de dormir. Giulia Reis


Um dia engraçado Um dia eu fui a casa do meu melhor amigo, que tem um cão de raça pequena chamado Kiko. Ele é muito engraçado. A coisa mais engraçada é que o Kiko só faz chichi nos tapetes. O Kiko quando não me vê durante muito tempo tem saudades minhas. Quando me vê, ele lambe-me todo, para demonstrar as saudades. Giuseppe Alessandria


A minha viagem a Marrocos Eu fui a Marrocos com a minha mãe e a minha tia. Nós fomos de carro, atravessámos de barco até Tânger. Quando íamos de barco eu vi muitos peixes a saltar. Em Tânger estavam muitos barcos. Depois fomos para Casablanca onde está a minha família. Lá, eu joguei com os meus amigos à bola e às escondidas. Casablanca é uma cidade muito grande e com muito movimento. É também uma cidade muito suja. A comida também era um pouco diferente daqui. Eu gostei muito de ir a Marrocos. Ismael Pires


O Safari Em Outubro fui com os meus pais e o meu irmão a Sines, fomos ver o Badoca Parque, que é um lugar lindo. É um parque natural onde vivem vários animais, como por exemplo leões, cabras, girafas e muitos mais. Mas o animal que achei mais engraçado, foi a avestruz, porque nos fez rir bastante. Quando estávamos no jipe do safari a avestruz chegou-se ao pé de nós e queria-nos bicar, eu achei muito engraçado e fartei-me de rir com a situação. Foi então que eu perguntei aos meus pais porque é que ela fazia isso. Os meus pais disseram-me que era por causa dos meus botões dos corsários que brilhavam. Foi um dia muito giro e muito bom. Jessica Reigado


O gatinho Xianmi Um dia eu fui passear no jardim. No jardim eu vi um gatinho. Ele é branco, amarelo e com algum castanho. Eu levei-o para casa. Depois o meu irmão mais velho e o meu irmão mais novo sairam do quarto, viram o gatinho e perguntaram: -Esse gatinho é de quem? E eu respondi: -Esse gatinho não é de ninguém, fui eu que o encontrei no jardim e trouxe para casa. -É verdade? - perguntam eles. -Sim é verdade. - Respondi. -Então como se chama? - perguntaram eles. -Ele chama-se Xianmi – Respondi. -Ah! esse nome é bonito. - disseram eles. O gatinho Xianmi gosta de se esconder debaixo do sofá e gosta de beber leite. Mas a minha mãe não gosta de gatos, nem gatinhos. Um dia a minha mãe levou o gatinho à rua e eu pensei que ela gostava do gato. Quando a minha mãe voltou para casa eu não vi o gatinho e perguntei à minha mãe: -Mãe, onde está o gatinho Xianmi? Ela respondeu-me: -Dei a outra pessoa. Quando ouvi a minha mãe dizer “dei a outra pessoa”, fui para o meu quarto chorar. Fiquei a chorar 10 ou 15 minutos e perguntava-me, porquê que a minha mãe deu o gatinho a outra pessoa. Mas agora eu sei que Xianmi ficou muito bem. Já tem filhotes. E eu estou muito feliz. Jinjin Zhu


A minha viagem a Espanha Quando eu fui a Espanha, gostei muito. Fiz uma viagem muito longa, fui de carro. Eu fui com a minha mãe e com o Valter. Nós passamos pelo café para comer. Fomos ao IKEA almoçar e depois de almoçar fomos ver as coisas para a casa. À tarde fomos lanchar. Quando íamos embora passámos no supermercado. Foi um dia, uma tarde e um bocado da noite em grande. João Pedro Rodrigues


O golo da Marta Num dia de sol, eu fui para o campo de futebol e estavam lá os meus amigos. Eles convidaram-me para jogar à bola. Estavam todos a ver-me... Começou o jogo. Dez minutos depois marcámos golo e vinte minutos depois marcaram eles. Depois foi intervalo. Nos últimos minutos do jogo eu marquei golo e a minha equipa ganhou. A vitória foi nossa! Marta Condeço


Eu e os meus amigos Eu vou falar do Peppe, um dos meus melhores amigos. O primeiro dia que nos conhecemos foi o meu amigo Edir que nos apresentou e fomos logo brincar. Mas eu e o Peppe ficĂĄmos a olhar um para o outro. Nunca pensei que o Peppe fosse um dos meus melhores amigos. Desde aquele dia somos amigos, atĂŠ agora. Melodino Sanches


Em casa sozinho Quando eu estava em casa com o meu pai e a minha irmã, o meu pai queria ir ao supermercado e disse-me: -Miguel, anda, temos de ir ao supermercado Eu perguntei: -Pai posso ficar em casa? Por favor! -Está bem, mas não abras a porta a ninguém, se abrires a porta a alguém, esse alguém pode levar-te. Então vou-me embora. E eu fiquei em casa a ver televisão. Miguel Guerreiro


O passeio de bicicleta Foi num domingo em que havia muito sol. Eu, as minhas amigas Nádia e Celine e os meus pais, fomos dar um grande passeio de bicicleta. O passeio foi realmente grande e quase no fim é que foi engraçado. Estavam todos com um bocado de medo de fazer duas grandes subidas, menos eu a minha mãe e os pais das minhas amigas. O meu pai foi de camioneta com a minha nana e as minhas amigas voltaram para casa com o meu pai na camioneta. A seguir fomos todos para casa. Nicolas Ferreira


O meu cão morreu Eu tinha um cão branco com manchas pretas e manchas castanhas. Ele era muito pequenino nem me chegava aos joelhos. Eu brincava muito com ele e gostava muito dele. Nós tínhamos uma vizinha chamada Sandra, ela tinha oito anos e também gostava muito do Manchas (o nosso cão). Houve um dia em que a minha irmã caiu e se aleijou nas costas, fez um corte muito grande. Nesse mesmo dia à tarde tínhamos combinado com a Sandra. Quando estávamos a conversar apareceu o Manchas e uns minutos depois apareceu um cão labrador preto, que na linguagem de cão provocou o Manchas (estava a ladrar), o nosso cão foi atrás dele e foi atropelado. Nunca mais me esqueci. Nouchka Ramalho


Uma situação em casa Quando eu tinha três anos, gostava muito de brincar com chaves. Certo dia, estava eu nas minhas brincadeiras. Fiz uma partida à minha mãe e à minha irmã. Estavam as duas no quarto da minha mãe, eu espreitei, vi que estavam distraídas e nem pensei mais. fechei a porta à chave. Elas ficaram muito aflitas porque não conseguiam abrir a porta. Mas de repente a minha mãe lembrou-se de me chamar: -Ricardo, abre a porta, vem cá ver o Pai Natal que está ali na janela com muitos presentes. Eu abri a porta e disse: -Então meninas, estavam com medo? E elas disseram: Não, nós não estamos com medo. A partir desse dia a minha mãe escondeu todas as chaves lá de casa. Ricardo Simões


Uma cena engraçada Um dia, à noite em casa, estávamos todos à mesa a jantar, eu o meu pai, a minha mãe e o meu mano. Eu, nesse dia, tinha-me portado mal e o meu pai à mesa chamou-me à atenção e disse: -Sandra portaste-te mal! Vê lá se queres começar a levar castigos, não te compro mais roupa nenhuma, hás-de ir para a escola com a roupa toda velha e toda rota. E eu respondi: -Mas eu não tenho dessa roupa! E o meu pai e o meu mano, fartaram-se de rir. Acharam graça ao que eu disse, porque eu estava-me a referir à minha roupa que não era nem velha, nem estava rota. Eu nessa altura tinha 5 anos e nunca mais me esqueci. Sandra Pinto


O meu Diário é um Livro - 3ºB  

Autores: Turma do 3ºB da escola Capa: Expressão Plástica: Célia Nobre Carla Ferreira e Paula Cunha EB1 de Olhos de Água Data de edição: ano...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you