Issuu on Google+

A coluna da Velha Juventude !

Concerto Sinfônico em 15 de novembro de 1911

N

esta segunda parte que também extraio trechos do Documento Histórico nº 02 da SAMI, sobre o seu Centenário, de autoria do seu secretário Aneor Peres Gusmão : ... Na terceira gestão municipal, a do prefeito, Padre Caetano Jovino (15/01/1911 a 15/01/1914), ainda segundo o livro “Apontamentos Históricos de Itararé”, de Adriano Queiróz Pimentel, a Banda de Música “Lira Itarareense”, constituída por elementos da nossa sociedade, foi reorganizada em 1911, pelo Maestro José

A

Melillo – um italiano que tocava bombardino –, contratado especialmente pela Câmara para ser regente. Antes, o Maestro Melillo foi regente da Banda Musical “Euterpe Faxinense”, premiada em concurso de bandas em São Paulo em 1909, com uma medalha de ouro e uma batuta. Também, segundo a mesma fonte supracitada, São Pedro de Itararé foi palco de dois Grandes Concertos Sinfônicos organizados pelo Maestro José Melillo, com a participação de pianistas e músicos de Itararé e Faxina (Itapeva), realizado nos dias 14 e 15 de novembro de 1911, em comemoração a data que assinala a Proclamação da República, que constituíram uma página de alto relevo artístico para a cultura musical das duas cidades. O fotógrafo Palmyro Pichhi de Tatuí ilustrou o grande evento ficando registrado nos anais da nossa cidade esse fato auspicioso. egundo a retrospectiva histórica do livro do jornalista Hélio Porto “116 anos, um a um”, publicado em 2009 pela Editora Guarani Artes Gráficas Itararé Ltda, a Banda “Lira Itarareense”, sob a regência do

S

Benedito Mariano Gaia

Maestro José Melillo foi organizada no dia 21 de dezembro de 1913. E, já num concurso ocorrido na capital paulista, nossa banda conquista o 12° lugar com medalha de ouro. Há, portanto, uma controvérsia entre o livro supracitado e o livro de Adriano Pimentel: a organização da banda se deu em 2011 ou 2013? Quem está certo ? Diante do impasse, e considerando que no livro de Adriano Pimentel não há uma data precisa (só o ano!) e que a data de aniversário da Banda Municipal já há muito tempo é comemorada no dia 21 de dezembro, a Associação de Aprendizado Musical de Itararé - SAMI optou pelo registro histórico do livro do jornalista Helio Porto. A data de 21 de dezembro de 2013 é considerada então como data de fundação e o marco inicial da contagem do tempo para a comemoração do centenário da Corporação Musical de Itararé. Pois, é nessa época, que a nossa pequena Banda se encontra transformada, com músicos altamente qualificados para grandes concertos musicais ...

Apresentação em 30 de novembro de 2013

mais brilhante continuidade desta instituição musical está estampada nesta foto de Natália Subtil de Almeida, de apenas três aninhos e meio que é literalmente “FILHA DA BANDA”. Seu pai, Everton Rodrigues de Almeida, faz parte da corporação há 13 anos, tocando no momento bombardino, tal e qual o Maestro Melillo em 1911, e começou a namorar Evelise Subtil de Almeida, quando ela também ingressou

na banda há 10 anos e ainda permanece tocando saxofone tenor. Pois quis a prodigalidade divina que, esta criança e seus progenitores que pertencem a uma rara casta de autênticos músicos, participassem dos ensaios e apresentações até 10 dias antes dela nascer. E assim ela continua, não só comparecendo em todos os ensaios e também se apresentando com toda encontros musicais da Banda Municipal graça as suas evoluções como a mais Maestro José Carmine Melillo, como bela “Baliza Mirim”. PARABÉNS !

“ Artistas de Itararé - Zunir de Andrade “

cartório da minha família, músico auto didata, trabalhou também com o meu primo e pai de criação Lauro Loureiro de Mello, formou-se em educação física e aposentou-se pelo Banco do Brasil, era carinhosamente assim chamado no diminutivo porque tinha o Zunir Pai, também musicista que faz parte da história musical de Itararé. Brinco com ele lhe dizendo que descobriu a magia de pintar graças às inspirações eu amigo de longas datas vindas do bel prazer de saborear bons “Zunirzinho” que apesar da altura, vinhos e assim, quanto mais envelhecido jogador de basquete, trabalhou anos no melhor. Segue suas próprias palavras

M

enviadas por e-mail : “ O título da obra é Lavadeiras. Utilizo a técnica óleo sobre tela e gosto muito dos temas sociais. É um dos trabalhos que comporão a minha mostra , que terá a sua abertura neste sábado, no Teatro Sylvio Machado . A partir de segunda-feira e até o dia 20,, os trabalhos poderão ser vistos no saguão da Prefeitura Municipal, Estou levando para este evento, 10 trabalhos, sendo 4 paisagens, 3 marinhas, 2 com o tema lavadeiras e uma natureza-morta. Convido a todos os amigos e apreciadores de arte a me darem a honra da visita.


Edição 34