Page 1

Agrupamento de Escolas Paulo Quintela

Política de Desenvolvimento da Colecção das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Índice Geral 1.

Objectivos do documento da Política de Desenvolvimento da Colecção ............................. 4

2.

Caracterização da Comunidade Escolar ................................................................................ 4

2.1 2.1.1

Alunos ............................................................................................................................ 6 Alunos com necessidades educativas especiais ........................................................ 7

2.2

Pessoal docente ............................................................................................................ 8

2.3

Pessoal não docente ..................................................................................................... 8

2.4

Associação de Pais ......................................................................................................... 8

3.

Missão das Bibliotecas Escolares .......................................................................................... 9

4.

Caracterização das Bibliotecas Escolares ............................................................................ 10

5.

6.

4.1

Biblioteca Álvaro Gomes ............................................................................................. 10

4.2

Biblioteca da EB1 Nº9 – Mãe-d’água .......................................................................... 11

4.3

Biblioteca da EB1 Nº10 – Campo Redondo ................................................................. 11

Caracterização da Colecção................................................................................................. 12

5.1

A colecção da Biblioteca Álvaro Gomes ...................................................................... 13

5.2

A colecção da Biblioteca nº 9 – Mãe-d’água ............................................................... 17

5.3

A colecção da Biblioteca nº 10 – Campo Redondo ..................................................... 20

Critérios para a gestão e desenvolvimento da colecção ..................................................... 22

6.1

Critérios gerais para selecção...................................................................................... 23

6.2

Critérios específicos para a selecção ........................................................................... 24

Documentos impressos – Obras de Ficção, Não Ficção, Publicações Periódicas................ 24 Documentos Não Impressos – Documentos Áudio, Documentos Vídeo, Documentos Multimédia (CD-ROM, DVD-ROM), Recursos On-line e Jogos ............................................ 25

7.

6.3

Critérios para Doações/ Ofertas .................................................................................. 26

6.4

Critérios para Desbaste ............................................................................................... 27

Plano de Actuação a curto e médio prazo .......................................................................... 27

2 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


8.

Empréstimo entre Bibliotecas e no Agrupamento.............................................................. 29

9.

Acesso.................................................................................................................................. 29

10. Comunicação / Difusão da Informação ............................................................................... 29

11. Formação............................................................................................................................. 30

12. Implementação da Política, Avaliação e Revisão ................................................................ 30

3 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


1. Objectivos do documento da Política de Desenvolvimento da Colecção Este documento pretende traçar as linhas gerais que devem balizar a actuação do professor-bibliotecário

e

da

equipa

da

biblioteca,

no

que

concerne

ao

desenvolvimento da colecção que integra e venha a integrar o acervo das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela. A definição de uma Política de Desenvolvimento da Colecção é essencial para sustentar um crescimento que vise a satisfação do universo dos seus utentes, no que diz respeito a aquisições, doações e abate de documentos. Pretende-se, também, estabelecer uma relação coerente e transparente entre as verbas disponíveis e as prioridades nas aquisições, reduzindo, o mais possível, a possibilidade de actuações pontuais, aleatórias e ditadas por impulsos ou vontades particulares. Com este documento visa-se:  Estabelecer prioridades e orientar a Equipa da Biblioteca Escolar acerca da selecção, abate, aquisição, organização, preservação e manutenção dos materiais da BE;  Informar a comunidade educativa dos princípios que orientam a gestão e desenvolvimento da colecção;  Constituir uma declaração pública da BE acerca dos princípios de liberdade de acesso às ideias e informação e da variedade de pontos de vista que podem ser encontrados nos materiais da BE.

2. Caracterização da Comunidade Escolar Situada num dos pontos mais altos de Bragança – Avenida Bragança Paulista – a Escola Sede do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela iniciou a sua actividade no ano lectivo de 1983/84, como Escola Preparatória, leccionando apenas os 5º e 6º anos de escolaridade. Em 1991/92 a sua actividade foi alargada ao 7º ano e, no dia 1 de Setembro de 1997, passou a EB2,3 estendendo-se a sua actividade lectiva ao 9º ano. A partir do ano lectivo 2007/2008 passou à tipologia de EB1,2,3. 4 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Por Despacho do Senhor Director Regional de Educação do Norte, proferido em 26 de Março de 2003, foi criado o Agrupamento de Escolas Paulo Quintela e assim em 1 de Setembro de 2003 começou a funcionar como Agrupamento de Escolas, englobando 26 escolas do 1º ciclo e 3 Jardins de Infância, com uma organização administrativa e pedagógicas comuns. Na Escola sede foi executado um projecto de ampliação e remodelação que terminou em Dezembro de 2003. Na generalidade as escolas do 1º Ciclo estão em estado razoável de conservação, necessitando de reparações e equipamentos. No entanto, havia necessidade da construção do prometido Centro Escolar, anexo à escola sede e capaz de oferecer a qualidade educativa que também se deseja para todos os alunos do 1º ciclo, podendo, deste modo, usufruir de espaços de qualidade para a prática desportiva e de lazer que a escola sede já possui. Em consequência do envelhecimento da população e da desertificação do meio rural, as escolas do 1º Ciclo do Agrupamento têm vindo a concentrar-se no meio urbano (Bragança). São as seguintes as escolas do 1º ciclo, na cidade: EB1 n.º 3 – Beatas, EB1 n.º 4 – Loreto, EB1 n.º 7 – Cantarias, EB1 n.º 9 – Mãe d´Água, EB1 n.º 10 – Campo Redondo, EB1 n.º 11 – Formarigos. Existem, ainda, duas turmas a funcionar na escola sede. Desde o ano lectivo 2007/08 apenas quatro escolas do 1º ciclo continuam a funcionar em meio rural: Espinhosela, Rebordãos, Santa Comba de Rossas e Zoio. O Agrupamento dispõe de três Jardins-de-infância: dois do meio rural e um do meio urbano. Um funciona nas instalações cedidas pela Junta de Freguesia de Santa Comba de Rossas, outro no Centro Escolar de Rebordãos, inaugurado no dia 4 de Janeiro de 2010 e o terceiro num edifício na cidade, que é novo e se localiza no bairro de S. Tiago; este último iniciou a sua actividade em Fevereiro de 2003. Dispõe ainda da modalidade de Educação Pré-Escolar Itinerante. É significativo também que apenas existam três Jardins de Infância em todo o Agrupamento, o que vai contra a filosofia da Lei de Bases do Sistema Educativo, que aponta para uma maior aposta no Ensino Pré-Escolar como etapa fundamental para o desenvolvimento integral da criança. A abertura do novo Centro Escolar da Sé deverá resolver este problema. 5 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


2.1

Alunos

Em termos de população discente o Agrupamento de Escolas Paulo Quintela integra, no ano lectivo 2008/09 e 2009/2010 alunos distribuídos pelos seguintes estabelecimentos de ensino: Jardins-de-infância Código

Designação

Nº Turmas

Nº Alunos

2008/2009

2009/2010

2008/2009

2009/2010

643397 JI Santiago

3

3

75

70

627392 JI Rebordãos

1

1

13

10

629273 JI S. Comba de Rossas

2

1

30

11

Total

6

5

118

91

Escolas do 1º Ciclo Código

Designação

Nº Turmas 2008/2009

Nº Alunos

2009/2010

2008/2009

2009/2010

250594 Bragança nº 3 – Beatas

4

4

56

52

252323 Bragança nº 4 – Loreto

3

3

49

49

250060 Bragança nº 7 – Cantarias

3

3

50

49

254617 Bragança nº 9 – Mãe D’Água

4

4

71

68

8

8

17

17

287945 Bragança nº 11 – Formarigos

3

3

51

44

220762 Espinhosela

2

1

18

15

268604 Rebordãos

2

2

19

18

276765 Sta Comba de Rossas

2

2

34

36

286035 Zoio

1

1

9

10

342543 EB1,2,3 Paulo Quintela

1

2

18

37

33

33

54

55

242664 Bragança nº 10 – Campo Redondo

Total

4

5

9

3 6

Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Escola EB 1, 2,3 Paulo Quintela Código

Nº Turmas

Designação

2008/2009

342543 342543

2º e 3º Ciclos CEF+ PIEF Total

Nº Alunos

2009/2010

2008/2009

27 1 28

565 48 613

23 2+1 26

2009/2010

585 10 595

Ensino Recorrente – Alfabetização de Adultos Nº Turmas Código

2008/2009

287945 342543

Nº Alunos

Designação Curso de Alfabetização – Formarigos Português para Imigrantes Total

2009/2010 2008/2009

2009/2010

1

1

22

24

1 2

1

26 48

24

EFA – Educação e Formação de Adultos Nº Turmas Código

Designação 2008/2009

342543 268604 276765 286035

Nº Alunos

EFA – NS PQ EFA – NS Rebordãos EFA – NS Santa Comba de Rossas EFA – B3/ NS Zoio Total

2009/2010

2 2 1 1 6

2008/2009

2009/2010

22 22 12 1 1

8 64

10 10

2.1.1 Alunos com necessidades educativas especiais 2006/2007

Jardins-de-infância Escolas do 1º Ciclo Escola E. B. 2,3 Escola EB1,2,3 – CEF’s Ensino Recorrente EFA’s TOTAL

4 26 35 2 ------------------67

Nº DE ALUNOS 2007/2008 2008/2009

1 29 29 8 ------------------67

---------23 20 ---------------------------43

2009/2010

1 23 17 ----------------------------41

7 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


2.2

Pessoal docente

O corpo docente é constituído por 175 docentes repartidos do seguinte modo: 1.º Ciclo 67 professores; Ensino Especial 7 professores; 2.º Ciclo e 3.º Ciclo 85 professores e 16 Educadores de Infância. A maioria dos professores/educadores pertencem ao Quadro de Escola. Deste modo pode referir-se o factor de estabilidade do corpo docente que poderá permitir, a partir deste ano lectivo, um trabalho de continuidade e da organização articulada de respostas educativas.

2.3

Pessoal não docente

O Pessoal não Docente que integra o Agrupamento distribui-se por Pessoal TécnicoSuperior (ASE), Pessoal Administrativo, Pessoal Técnico e Pessoal Auxiliar de Acção Educativa, este subdividido entre pessoal do quadro e pessoal contratado a termo certo. PESSOAL NÃO DOCENTE EM EXERCÍCIO NO AGRUPAMENTO Assistentes Técnicos Assistentes Operacionais 14 15

2.4

Associação de Pais

Existe uma Associação de Pais que constitui um importante elo de ligação entre o meio e a escola. Está representada no Conselho Pedagógico e no Conselho Geral. São vários os contributos que podem ser dados no domínio da educação: 

Na política educativa (definição do perfil de cidadão a formar, estabelecendo prioridades na formação);

Colaborando na determinação de componentes curriculares regionais;

Participando na discussão de critérios e métodos de avaliação a adoptar;

Na orientação e acompanhamento dos alunos;

Nas actividades de extensão educativa e difusão cultural.

8 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


3. Missão das Bibliotecas Escolares As Bibliotecas Escolares do Agrupamento estão integradas na Rede de Bibliotecas Escolares e seguem as directrizes por ela emanadas, nomeadamente, as que são referidas no Manifesto da Biblioteca Escolar, aprovado pela UNESCO, na sua Conferência Geral em Novembro de 1999. Assim, a missão da Biblioteca Escolar, será a de “disponibilizar serviços de aprendizagem, livros e recursos que permitam a todos os membros da comunidade escolar tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efectivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação”. As funções a desempenhar pela Biblioteca Escolar, segundo a Declaração Política da IASL, remetem para o papel vital, no processo educativo que a Biblioteca Escolar desempenha, não podendo esta ser encarada como uma entidade separada e isolada da globalidade da escola, mas sim envolvida no processo de ensino e aprendizagem. Podemos identificar as seguintes funções: 

Informativa

Fornecer informação de confiança, rápido acesso e transferência de informação; a biblioteca escolar deverá ser parte das redes regionais e nacionais de informação; 

Educativa

Promover educação contínua e ao longo da vida através de provisão de instalações e de atmosfera para aprendizagem; orientação na localização, selecção e utilização de materiais e treino em destreza de informação, através da integração com os ensinamentos da aula e a promoção da liberdade intelectual; 

Cultural

Melhorar a qualidade de vida, através da apresentação e apoio da experiência estética, orientação na apreciação de artes, encorajamento da criatividade e desenvolvimento de relações humanas positivas; 

Recreativa

Manter e aumentar uma vida equilibrada e enriquecida e encorajar a utilização útil do tempo de descanso, através do fornecimento de informação recreativa, de materiais e de programas de valor recreativo e da orientação no uso do tempo de lazer. A biblioteca escolar cumpre estas funções desenvolvendo políticas e serviços, seleccionando e adquirindo recursos, proporcionando acesso material e intelectual a

9 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


fontes de informação apropriadas, disponibilizando equipamentos e dispondo de pessoal qualificado.

4. Caracterização das Bibliotecas Escolares

4.1

Biblioteca Álvaro Gomes

A Biblioteca Álvaro Gomes (BAG) adoptou este nome em 2008, quando Álvaro Gomes, escritor e filólogo, acedeu a tornar-se patrono da BE. No entanto, a biblioteca já existe desde 1983 e foi-se lentamente desenvolvendo, tendo em 2003 integrado o Programa Rede de Bibliotecas Escolares. A BAG situa-se no Bloco central da Escola, local privilegiado na medida em que serve facilmente alunos e professores. Uma das zonas da BAG é dedicada à leitura informal, onde se podem encontrar bandas desenhadas, jornais e revistas diversas. Um outro espaço está organizado para servir os alunos na realização de trabalhos de grupo. A área mais ampla destina-se à consulta e leitura presencial e os alunos usam-na de forma silenciosa, respeitando um ambiente próprio para a leitura individual. No espaço da documentação áudio, vídeo e multimédia, os discentes têm à sua disposição auscultadores, evitando interferências mútuas. No espaço multimédia é de realçar o acesso disponível à Internet. A Biblioteca Álvaro Gomes tem software normalizado “Porbase 5” para proceder ao circuito do documento. Todos os materiais livro e não livro se encontram registados, catalogados e classificados de acordo com as tabelas de classificação oficiais. Relativamente à indexação o trabalho ainda não está totalmente terminado. É usado o módulo Usewin para a circulação de livros e o módulo Estatísticas para a produção de estatísticas de circulação. A Biblioteca disponibiliza o catálogo, em todos os computadores da biblioteca, para a consulta dos utilizadores.

10 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


4.2

Biblioteca da EB1 Nº9 – Mãe-d’água

A Biblioteca desta escola foi integrada na Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) do Ministério da Educação no ano lectivo de 1999/2000. Entrou em funcionamento após um processo de instalação que implicou obras de adaptação das instalações, aquisição de mobiliário e do fundo documental e organização de materiais. Tem uma área de 62 m2 e abrange um universo de 69 alunos do 1º CEB. Organiza-se da seguinte forma: Zona de Atendimento - Zona destinada ao atendimento e ao serviço de empréstimo. Zona de Consulta de Documentação - Zona equipada com estantes duplas de livros (classificados segundo a Classificação Decimal Universal), mesas para trabalho de grupo e estantes para expor e consultar o material não livro (áudio/vídeo/DVD/ CDROM). Zona de Leitura Informal - Zona com pufs e uma caixa de álbuns. É um espaço para leitura informal de revistas, jornais e álbuns. Está organizada de forma atractiva e relaxante, podendo proporcionar a leitura de outras obras num clima calmo e tranquilo. Tem duas estantes com jogos didácticos e manuais escolares. Localizada ao fundo da BE, esta zona funciona como um convite à utilização da biblioteca pois proporciona a leitura de obras de ficção, a leitura colectiva de textos ou o conto e reconto de histórias, num ambiente mais descontraído. Inclui ainda um espaço para leitura vídeo e áudio. Zona de Consulta/Produção Multimédia - Localizada do lado direito, em frente às estantes, tem algumas secretárias para computador (obsoletos). Não têm ligação à Internet.

4.3

Biblioteca da EB1 Nº10 – Campo Redondo

A Biblioteca desta escola foi integrada na Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) do Ministério da Educação no ano lectivo 2000/2001. Entrou em funcionamento após um processo de instalação que implicou obras de adaptação e ampliação das instalações, aquisição de mobiliário e do fundo documental e organização de materiais. Tem uma área de 69 m2 e abrange um universo de 170 alunos do 1º CEB. Organiza-se da seguinte forma:

11 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Zona de Atendimento - Zona destinada ao atendimento e ao serviço de empréstimo. Inclui uma área específica na entrada com uma secretária, uma cadeira, um expositor de novidades e um armário fechado. Zona de Consulta/Produção Multimédia - Localizada do lado esquerdo, ao lado das estantes, tem algumas secretárias para computador com impressoras multifunções. Zona de Consulta de Documentação - Zona equipada com estantes duplas de livros, (classificados segundo a Classificação Decimal Universal), diferentes mesas, bem como estantes para expor e consultar o material não livro (áudio/vídeo/DVD/ CDs-Rom) e um armário fechado. Inclui ainda um espaço para leitura vídeo. Zona de Leitura Informal - É um espaço para leitura informal de revistas, jornais e livros. Possui 5 pufs e encontra-se organizada de forma aprazível e acolhedora, podendo propiciar a leitura de outras obras num ambiente mais descontraído. Tem duas estantes com jogos didácticos e manuais escolares. Localizada ao fundo da BE, esta área funciona como um convite à utilização da biblioteca. É o local também destinado à Hora do Conto.

5. Caracterização da Colecção Destinadas a uma comunidade escolar heterogénea, as bibliotecas procuram oferecer recursos que promovam a leitura, diligenciando ainda disponibilizar fundos, em diferentes suportes, quer para apoio ao currículo (áreas curriculares disciplinares e não disciplinares), quer para resposta a interesses individuais e aspectos lúdicos da população, atendendo a que as BEs são muito usadas pelos alunos para ocupação de tempos livres. As Bibliotecas Escolares têm também procurado responder às necessidades dos professores, provendo a sua colecção sobretudo de obras nas áreas da educação e de suporte às várias áreas curriculares.

12 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


5.1

A colecção da Biblioteca Álvaro Gomes

Com o investimento proveniente da RBE, do PNL, da própria escola, ofertas de editoras, de professores e de alunos, o fundo documental foi substancialmente enriquecido. No quadro que a seguir se apresenta podemos observar o número de exemplares adquiridos nos anos lectivos de 2003/2004 a 2009/2010:

Material Livro Anos lectivos 2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 2008/09 2009/10 Acumulações 3683 4321 4583 4800 5068 5561 5867 Aquisições 638 262 217 268 493 306

Material Livro 8000 6000 4000

3683

4321

4583

4800

5068

5561

5867

2000

0

13 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Material Não Livro Anos lectivos 2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 2008/09 2009/10 Acumulações 378 480 504 587 685 712 712 Aquisições 102 24 83 98 27 0

Material Não Livro 800 600 400

378

480

504

685

587

712

712

200 0

A colecção da Biblioteca Álvaro Gomes é, actualmente, composta por material impresso e não impresso e que se distribui da seguinte forma: 

Por área da CDU (só serão considerados os títulos):

CDU

Quantidade Percentagem

Classe 0 Generalidades

489

7,3 %

Classe 1 Filosofia. Psicologia

85

1,3%

Classe 2 Religião

55

0,8%

Classe 3 Ciências Sociais

638

9,6%

Classe 5 Ciências Exactas

676

10,1%

Classe 6 Ciências Aplicadas

400

6,0%

Classe 7 Arte. Desporto

568

8,5%

Classe 8 Língua. Literatura

2993

44,9%

Classe 9 História. Geografia. Biografia

760

11,4%

Total

6664

100,0% 14

Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Por suporte

Suporte

Quantidade

Monografia

4948

Obra de Referência

930

Publicação em série

100

VHS

172

DVD

107

CD áudio

69

CD Rom

338

Total Parcial

6664

Jornais e Revistas (assinaturas)

5

Dossiers Temáticos

50

Materiais manipuláveis

31

Total

6750

A parte mais substancial da colecção é constituída por monografias cobrindo a totalidade das divisões da CDU. A classe 1 (Filosofia. Psicologia) e 2 (Religião. Teologia) são as menos consistentes. A classe 8 (Língua. Linguística. Literatura) é a que tem um número de títulos e exemplares mais significativo. Os dossiers temáticos são, essencialmente, constituídos por artigos retirados de jornais e revistas, nomeadamente aqueles que se referem ao estudo do património local e temas de actualidade permanente: Ambiente, Saúde, Biografias, etc. O acervo de material não livro é bastante diversificado. Contudo, para muitos dos documentos faltam dispositivos adequados de armazenamento.

Quanto à proporcionalidade de suportes (75% livro - 25% não livro) Ponto fraco

Material Livro – 89% Material Não Livro – 10,8%

15 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Quanto ao equilíbrio e proporcionalidade entre as áreas temáticas % recomendada Ponto fraco

Ponto forte

Classe 2 – fundo de 0,8%

3a5%

Classe 3 – fundo de 9,6%

4 a 6%

Classe 9 – fundo de 11,4%

3 a 5%

Classe 0 – fundo de 7,3%

5a8%

Classe 1 – fundo de 1,3%

1 a 3%

Classe 5 – fundo de 10,1%

6 a 8%

Classe 6 – fundo de 6%

6 a 8%

Classe 7 – fundo de 8,5%

6 a 8%

Classe 8 – fundo de 44,9 %

40 a 50%

Nota: na generalidade, nota-se algum equilíbrio entre as áreas temáticas.

Quanto ao n.º mínimo de itens recomendado por aluno (10 livros por aluno) Ponto forte

Com cerca de 613 alunos, o número mínimo de itens recomendado seria de 6130. O fundo documental conta com 6664 exemplares, excluindo os dossiers temáticos, os materiais manipuláveis e as assinaturas de periódicos.

16 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


5.2

A colecção da Biblioteca nº 9 – Mãe-d’água

No quadro que a seguir se apresenta podemos observar o número de exemplares adquiridos nos anos lectivos de 2003/2004; a 2009/2010: Material Livro

Crescimento da colecção 2003-2004

25

2004-2005

102

2005-2006

95

2006-2007

17

2007-2008

12

2008-2009

31

2009-2010

0

Material Livro 120

102

100

95

80 60 40 20

25

31 17

12 0

0

17 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


A colecção da Biblioteca nº 9 – Mãe-d’água é, actualmente, composta por material impresso e não impresso e que se distribui da seguinte forma: 

Por suporte

Suporte

Quantidade

Monografia

748

Obra de Referência

15

Jornais e Revistas (assinaturas)

3

VHS

48

DVD

19

CD áudio

32

CD Rom

58

Dossiers Temáticos

0

Materiais manipuláveis

30

Total

953

Por área da CDU (só serão considerados os títulos):

CDU Classe 0 Generalidades Classe 1 Filo, Psicologia Classe 2 Religião Classe 3 Ciências Sociais Classe 5 Ciências Exactas Classe 6 Ciências Aplicadas Classe 7 Arte, Desporto Classe 8 Língua, Literatura Classe 9 História, Geografia, Biografia Total

Quantidade 31 7 9 14 50 46 18 689 56 920

Percentagem 3,4 0,8 1,0 1,5 5,4 5,0 2,0 74,9 6,1 100

A parte mais substancial da colecção da Biblioteca nº 9 – Mãe-d’água é constituída por monografias cobrindo a totalidade das divisões da CDU. A classe 1 (Filosofia. Psicologia) e 2 (Religião. Teologia) são as menos consistentes, embora se denotem falhas em outras classes. A classe 8 (Língua. Linguística. Literatura) é a que tem um número de títulos e exemplares mais significativo.

18 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


O acervo de material não livro é bastante diversificado. Contudo, para muitos dos documentos faltam dispositivos adequados de armazenamento.

Quanto à proporcionalidade de suportes (75% livro - 25% não livro) Ponto fraco

Material Livro – 82,9% Material Não Livro – 17%

Quanto ao equilíbrio e proporcionalidade entre as áreas temáticas Classes

% existente

% recomendada

0

3,4%

5a8%

1

0,8%

1 a 3%

2

1,0%

3a5%

3

1,5%

4 a 6%

5

5,4%

6 a 8%

6

5,0%

6 a 8%

7

2,0%

6 a 8%

8

74,9%

40% a 50%

9

6,1%

3a5%

Ponto fraco

Verificamos que há uma notória falta de documentos em todas as classes, excepto nas classes 8 e 9, onde existe um excesso de materiais.

Quanto ao n.º mínimo de itens recomendado por aluno (10 livros por aluno) Ponto Forte

Com cerca de 67 alunos, o número mínimo de itens recomendado seria de 670 de fundo documental. Conta com 920 exemplares, incluindo os materiais manipuláveis e as assinaturas de periódicos.

19 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


5.3

A colecção da Biblioteca nº 10 – Campo Redondo

No quadro que a seguir se apresenta podemos observar o número de exemplares adquiridos nos anos lectivos de 2003/2004; a 2009/2010:

Crescimento da colecção

Material Livro

2003-2004

144

2004-2005

47

2005-2006

101

2006-2007

327

2007-2008

217

2008-2009

123

2009-2010

0

Material Livro 327

350 300

250 200 150 100 50

217 144 101

123

47

0

0

A colecção da Biblioteca nº 10 – Campo Redondo é, actualmente, composta por material impresso e não impresso e que se distribui da seguinte forma:

20 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Por suporte:

Suporte

Quantidade

Monografia

1066

Obra de Referência

14

Publicação em série

0

Jornais e Revistas (assinaturas)

3

VHS

18

DVD

18

CD áudio

49

CD Rom

53

Dossiers Temáticos

0

Materiais manipuláveis

35

Total 

1256

Por área da CDU (só serão considerados os títulos):

CDU Classe 0 Generalidades Classe 1 Filo, Psicologia Classe 2 Religião Classe 3 Ciências Sociais Classe 5 Ciências Exactas Classe 6 Ciências Aplicadas Classe 7 Arte, Desporto Classe 8 Língua, Literatura Classe 9 História, Geog, Biografia Total

Quantidade 64 12 8 20 69 90 23 978 19 1218

Percentagem 5,3 1,0 0,7 1,6 5,7 7,4 1,9 80,3 1,6 100,0

A parte mais substancial da colecção é constituída por monografias cobrindo a totalidade das divisões da CDU. A classe 1 (Filosofia. Psicologia) e 2 (Religião. Teologia) são as menos consistentes. A classe 8 (Língua. Linguística. Literatura) é a que tem um número de títulos e exemplares mais significativa. O acervo de material não livro é bastante diversificado. Contudo, para muitos dos documentos faltam dispositivos adequados de armazenamento.

21 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Quanto à proporcionalidade de suportes (75% livro - 25% não livro) Ponto fraco

Material Livro – 88,75% Material Não Livro – 11,2%

Quanto ao equilíbrio e proporcionalidade entre as áreas temáticas Classes

% existente

% recomendada

0

5,3

5a8%

1

1,0

1 a 3%

2

0,7

3a5%

3

1,6

4 a 6%

5

5,7

6 a 8%

6

7,4

6 a 8%

7

1,9

6 a 8%

8

80,3

40% a 50%

9

1,6

3a5%

Ponto fraco

Verificamos que há uma notória falta nas classes 2, 3, 5, 7 e 9 e um excesso de materiais na classe 8.

Quanto ao n.º mínimo de itens recomendado por aluno (10 livros por aluno) Ponto fraco

Com cerca de 170 alunos, o número mínimo de itens recomendado seria de 170O de fundo documental. Conta com 1218 exemplares, incluindo os materiais manipuláveis e as assinaturas de periódicos.

6. Critérios para a gestão e desenvolvimento da colecção Segundo o Manifesto da Biblioteca Escolar “o acesso aos fundos documentais deve orientar-se pela Declaração Universal dos Direitos e Liberdades do Homem, aprovada pelas Nações Unidas, e não deverá ser sujeito a nenhuma forma de censura ideológica, política ou religiosa ou pressões comerciais.” 22 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Seguindo estes princípios, as Bibliotecas terão uma política de colecção baseada nos princípios de liberdade intelectual, liberdade e igualdade de acesso. As Bibliotecas procurarão ter uma colecção que apresente diversos pontos de vista sobre a generalidade dos assuntos oferecendo formatos que possibilitem distintas formas de aprendizagem e também o uso recreativo.

6.1 Critérios gerais para selecção O responsável pela selecção dos materiais deve ter em atenção alguns critérios gerais: 

O Currículo Nacional;

O Projecto Educativo e o Projecto Curricular da Escola;

O justo equilíbrio entre os ciclos de ensino servidos pela biblioteca escolar;

As necessidades educativas especiais

As origens multiculturais dos alunos;

O justo equilíbrio entre as áreas curriculares, extracurricular e as lúdicas;

O justo equilíbrio entre todos os suportes, que de uma maneira geral deve respeitar a proporcionalidade de 75% – 25% relativamente ao material livro e não livro;

O justo equilíbrio entre todas as áreas do saber, tendo em consideração as áreas disciplinares/temáticas e de referência e o número de alunos que as frequentam;

O intuito de garantir um fundo global mínimo equivalente a 10 vezes o número de alunos.

Para a implementação da política de gestão documental deve ainda, avaliar a colecção existente: •

definindo lacunas mais evidentes;

identificando obras deterioradas e cujo conteúdo perdeu actualidade;

conhecendo as necessidades de informação dos utilizadores;

seleccionando materiais que despertem o interesse do utilizador, pelo seu carácter inovador e de qualidade;

analisando/consultando guias, bibliografias e catálogos temáticos preparados por especialistas. 23

Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


6.2

Critérios específicos para a selecção

Documentos impressos – Obras de Ficção, Não Ficção, Publicações Periódicas

Na selecção de Obras de Ficção, atender-se-á a: 

qualidade do texto e das ilustrações;

utilização de linguagem adequada ao tipo de utilizadores;

inclusão de obras de autores clássicos, contemporâneos, autores portugueses e novos autores;

consideração de obras em línguas estrangeiras que integrem o currículo;

consideração dos diversos géneros literários;

estrutura etária dos utilizadores;

consideração de obras na língua dos grupos de utilizadores de diferentes origens.

No tocante às Obras de Não Ficção, ter-se-á em conta os seguintes aspectos: 

conteúdo com informação cientificamente correcta;

actualidade, reflectindo investigação recente nessa área do saber;

relevância para aprofundar o currículo;

adequação da linguagem e estrutura aos níveis etários ;

potencial utilização;

precisão e acuidade;

apresentação e design;

organização do índice.

No que diz respeito às Publicações Periódicas, ter-se-á em atenção a: 

exactidão e correcção das informações veiculadas;

objectivos, âmbito e público-alvo da publicação periódica;

qualidade gráfica e o conteúdo;

procura por parte dos utilizadores.

24 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Documentos Não Impressos – Documentos Áudio, Documentos Vídeo, Documentos Multimédia (CD-ROM, DVD-ROM), Recursos On-line e Jogos

Na selecção dos Documentos Áudio serão tidos em conta: 

itens representativos da evolução da história da música, tendo em atenção os vários géneros musicais;

títulos de qualidade referenciada;

adequação da colecção áudio aos objectivos da Biblioteca;

qualidade da gravação.

Quanto aos Documentos Vídeo, na selecção serão considerados os seguintes critérios: 

qualidade dos documentos vídeo de entretenimento, atendendo aos vários géneros de cinema;

articulação do conteúdo do documento com os conteúdos curriculares;

público-alvo;

qualidade da imagem e do som;

duração do documento, sendo passível a sua utilização no espaço aula.

Relativamente aos Documentos Multimédia (CD-ROM, DVD-ROM …), os princípios de selecção prevêem: 

os critérios gerais de selecção de documentos impressos de ficção e não ficção;

a verificação se o documento electrónico possui informação retrospectiva (geralmente não incluem informação anterior aos anos 70/80);

a frequência e actualização da informação;

o modo como o recurso pode ser disponibilizado ao utilizador (quantas máquinas lhe permitem o acesso …)

a simplicidade da interface de utilização;

a compatibilidade do produto com o hardware existente;

a relação qualidade/preço.

Nos Recursos On-Line, os critérios a considerar serão:

25 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


a apreciação e selecção cuidada, pela equipa da Biblioteca, das páginas da Internet, tendo em conta os critérios definidos para os materiais impressos (autoridade, correcção científica, qualidade de conteúdo ...);

a actualidade da página, quanto à data de criação e a sua actualização regular;

o objectivo informativo, formativo e educativo da informação;

o carácter lúdico – formativo;

a ligação com outras páginas de interesse na temática;

a parcialidade e independência da informação veiculada;

o público-alvo ao qual se destina a página WEB;

a organização e o design utilizado na concepção do SITE;

a estabilidade da URL.

Em relação aos Jogos considerar-se-ão os seguintes princípios: 

o carácter educativo e a sua relação com o currículo;

os vários tipos de suporte;

a pertinência da informação que é transmitida.

6.3

Critérios para Doações/ Ofertas

Com a aceitação de ofertas/ doações, a Biblioteca poderá aumentar a sua colecção. Contudo, tal como na selecção e nas aquisições, é necessário estabelecer critérios e estes são os seguintes: 

atender às necessidades e interesses dos utilizadores;

atender às lacunas existentes na colecção;

atender ao estado de conservação dos documentos;

atender à actualização dos documentos (não serão aceites se a Biblioteca possuir documentos mais recentes);

estar de acordo com os princípios gerais de selecção e missão da Biblioteca definidos neste documento.

26 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


6.4

Critérios para Desbaste

A tarefa de desbaste da colecção tem como objectivos: facilitar o acesso à informação, eliminando o excesso de materiais obsoletos; melhorar a eficiência e reduzir custos, nomeadamente pela economia de espaço que se recupera para tornar outros documentos mais acessíveis, dado que a Biblioteca Escolar tem um espaço limitado. Assim, devem ser retirados da colecção: 

materiais obsoletos ou desactualizados;

documentos fisicamente danificados;

documentos duplicados, em excesso;

documentos que já não respondem às necessidades dos utilizadores;

documentos que não correspondem aos objectivos institucionais devido, por exemplo, a alterações curriculares;

documentos que raramente são usados, servindo como critério nenhuma requisição domiciliária em cinco anos civis consecutivos;

ofertas não solicitadas e não desejadas.

7. Plano de Actuação a curto e médio prazo 

Manter as áreas consideradas fortes na avaliação da colecção, através da renovação do fundo e aquisição de novidades editoriais.

Estabelecer uma política de aquisições e ofertas tendentes a superar os pontos fracos da colecção identificados, de acordo com as seguintes prioridades: o Aumentar o número de exemplares, de modo a cumprir o preconizado pela Rede de Bibliotecas Escolares; o Estas aquisições e ofertas deverão ser efectuadas, preferencialmente, em formato não livro, de modo a cumprir a proporcionalidade 75%-25%; o Proceder a aquisições e aceitar ofertas de modo a promover o equilíbrio, na colecção, entre as distintas áreas do saber. Deste modo deverão ser privilegiadas, áreas do campo do saber compatíveis com o currículo nacional. De um modo especial, para a Biblioteca Álvaro Gomes aquisições sobretudo na classe 2 – Religião, mas também na classe1 – Filosofia, na 8 – 27

Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


Língua e Literatura e na classe 6 – Ciências Aplicadas; para a Biblioteca do Campo Redondo e para a da Mãe d’Água aquisições para todas as classes, excepto a 8-Língua e Literatura; o Dotar a colecção de obras adequadas à satisfação das necessidades de alunos com necessidades educativas especiais; o Proceder à renovação e desbaste da colecção de acordo com os critérios estabelecidos neste documento; 

Elaborar (no caso do 1º ciclo) e continuar (no caso do 2º e 3º ciclos) um programa integrando os recursos da biblioteca, para a Literacia da Informação e formação de utilizadores de modo a que os alunos e professores possam conhecer a colecção existente e a melhor forma dela tirar partido;

Manter e reforçar a análise estatística das requisições domiciliárias e para sala de aula, de modo a poder avaliar, de forma mais sustentada as necessidades dos utilizadores e colecção existente, e agir de forma mais rápida na rectificação das falhas;

No caso do 1º ciclo proceder ao tratamento técnico (efectuar novo registo, agora informatizado, classificar e catalogar todos os materiais) e apostar na utilização do software “Porbase 5”, permitindo futuramente a disponibilização do Catálogo Online;

Iniciar (no 1º ciclo) ou continuar (no 2º e 3º ciclos) a indexação de todos os materiais;

Fomentar um plano de marketing e promoção dos recursos das BEs, disponibilizando o catálogo da BAG noutras zonas da Escola, para além da Biblioteca, do blog e da página Web da BE;

Divulgar este documento de modo a estimular o aparecimento de mecenas e doações de acordo com as necessidades da colecção.

28 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


8. Empréstimo entre Bibliotecas e no Agrupamento Os fundos que constituem as Bibliotecas Escolares do Agrupamento serão alvo de partilha entre as Bibliotecas e/ ou as Escolas do Agrupamento, sempre que professores, alunos ou outros membros da comunidade educativa manifestem interesse nesse sentido. Para a partilha entre Bibliotecas serão tidos em conta os parâmetros definidos no Regimento da Biblioteca, mediante requisição formal (em suporte papel, no caso das EB 1 ou no programa de Empréstimo, Porbase, na EB 2, 3). As requisições para os restantes utilizadores far-se-ão igualmente mediante requisição, de acordo com o Regimento da Biblioteca. Relativamente à circulação dos Baús, Projecto “Baús de Leitura”, estes circulam nas e entre as Escolas do 1º CEB e os Jardins-de-Infância.

9. Acesso As condições de acesso e de utilização da colecção da Biblioteca encontram-se definidas no respectivo Regimento, bem como nos parâmetros definidos no programa de Empréstimo –Porbase - do fundo documental da BE.

10.Comunicação / Difusão da Informação Após discussão e aprovação em Conselho Pedagógico, o documento sobre a Política de Desenvolvimento da Colecção das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela será divulgado junto da comunidade de utilizadores, nomeadamente em versão impressa nas respectivas Bibliotecas e em formato digital online na página web da Escola/ Biblioteca Escolar e na plataforma moodle.

29 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela


11.Formação A Biblioteca continuará a realizar actividades de formação dos utilizadores no que concerne à compreensão da organização da BE (CDU) e à utilização do catálogo digital, através de visitas guiadas, acções de formação e actividades de carácter lúdico. A equipa da Biblioteca tem consciência de que não basta existirem recursos para que os mesmos sejam utilizados, tanto pelos alunos como pelos professores. Por isso, compromete-se a desenvolver acções no sentido de promover o pleno uso da colecção e construir, a partir e com base na mesma, verdadeiras experiências de aprendizagem.

12.Implementação da Política, Avaliação e Revisão Esta Política de Desenvolvimento da Colecção é um documento aberto e em processo, que será revisto dentro de 2 anos, após uma avaliação das colecções, dos utilizadores e das suas necessidades, tendo por base as orientações da RBE (Rede de Bibliotecas Escolares).

A Coordenadora das Bibliotecas Escolares, __________________________________________________ (Anabela da Conceição Afonso Rodrigues)

O Director, __________________________________________________ (Luís Miguel Pereira Freitas)

Aprovado em Conselho Pedagógico de 28 de Junho de 2010

30 Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela

Profile for Anabela Rodrigues

Política da Desenvolvimento da Colecção das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela  

Documento PDC

Política da Desenvolvimento da Colecção das Bibliotecas do Agrupamento de Escolas Paulo Quintela  

Documento PDC

Profile for bela610
Advertisement