Issuu on Google+

´

~

E scola Secundaria joao de Deus Junho 2011 Número 60 0,50 euros

Festa de Fim de Ano Dia 8 de Junho

Aparece!

Três alunos da nossa escola, dois deputados, João Patrício e JoanGlória, uma jornalista Inês Metelo e a professora de Filosofia Ana Lúcia Correia dirigiramse a Lisboa para a sessão nacional do Parlamento dos Jovens.

Págs: 6 e 7

Boa s Fé r i a s ! !

Parlamento dos Jovens Sessão Nacional

João Tordo

Conversa com... págs. 8 e 9


EDITORIAL

Passou mais um ano!

Ana Mafalda Sarmento

N

as últimas edições temos mostrado quais as grandes alterações a nível das obras do Parque Escolar e a evolução do projecto Parlamento de Jovens. Nesta nova e última edição do ano lectivo de 2010/2011 continuamos a dar notícias acerca das obras e do Parlamento de Jovens e inovamos com a entrevista ao jovem e talentoso escritor João Tordo que nos visitou neste 3º período. Contamos também com alguns artigos que nos informam acerca das várias iniciativas que os departamentos têm realizado, são elas a Conferência sobre a actual crise económica, as Mostras de Física e de Química e a Quinzena da Filosofia. Para além de todos os artigos referidos, esta edição conta ainda com o hilariante Horóscopo e as imperdíveis novidades da Área de Projecto. Não queríamos deixar de agradecer ao escritor João Tordo por nos ter concedido tempo para a nossa entrevista e pela visita que fez ao Liceu. Também não nos queremos esquecer de referir a presença dos nossos deputados, Joana Glória e João Patrício, na Sessão Nacional do Parlamento dos Jovens, realizada a 30 e 31 de Maio na Assembleia da República. Agora é tempo de festa de encerramento das aulas mas é sobretudo tempo de estudo, porque os exames estão à porta e não podemos perder o ritmo! Desejamos a todos umas boas férias de Verão e até ao próximo ano! Preto no Branco, mais comunicação na escola.

2

Escola

João Tordo na ESJD

N

o dia 11 de Maio de 2011, a Escola Secundária João de Deus recebeu a visita do escritor João Tordo. No auditório da escola, pelas 13.30h, os alunos presentes tiveram a oportunidade de colocar várias questões acerca dos livros do autor, as quais foram respondidas com uma simpatia e boa disposição que contagiou a audiência. Após esclarecer as dúvidas colocadas pelos participantes, o escritor realizou uma sessão de autógrafos num ambiente informal, onde os alunos puderam trocar mais algumas palavras e registar o momento com fotografias. O escritor concordou, ainda, em ser entrevistado para o jornal escolar, Preto no Branco, e quatro alunas conduziram a entrevista.


Escola

Livros para férias As escolhas de Godinho “Porque é Que os Gatos Ronronam e as Pessoas Falam Tanto?” de Robert Mathews “A Rapariga das Laranjas” de Jostein Gaarner “Romance de uma conspiração” de João Paulo Guerra “Instalação para duas cadeiras e um bacalhau da Noruega ou Para que é que ainda serve um homem? “de Catarina Fonseca

Alunos belgas na nossa Escola Projecto Comenius por bgfgh

N

o dia 27 de Março a Escola Secundária João de Deus recebeu 11 alunos belgas acompanhados por dois professores. Estes deslocaram-se até ao Instituto Português da Juventude , onde ficaram alojados. No decorrer dos 11 dias, os belgas em conjunto com os alunos da nossa escola, do curso de Francês, participaram em diversas actividades organizadas pela Profª Rosária Irene . Destas constaram, no dia 29 de Março uma visita guiada á cidade velha , incluindo a Igreja da Sé, onde os alunos puderam observar a belíssima paisagem da Ria Formosa. No dia seguinte partiram às 10 Horas da manhã para S.Brás de Alportel, tendo como objectivo a visita á fábrica da cortiça, onde os alunos puderamtomar con-

hecimento com as etapas de formação das rolhas, e levaram algumas amostras. Um dos alunos Belgas , até usou essas amostras como brincos. Posteriormente almoçaram na Escola Secundária. À uma da tarde continuamos a nossa visita mas desta vez por Vilamoura, visto que os alunos belgas encontravam-se no curso de hotelaria, visitaram dois hotéis, Hotel Vila Galé e Hotel Dom Pedro, onde tiveram a oportunidade de conhecer as cozinhas e falar com os gerentes destes mesmo hotéis. No dia 31 de Março , os alunos participaram nas ultimas actividades deste Projecto, que decorreram na Praia de Faro, realizaram actividades como windsurf e canoagem. Para além de todas estas actividades,

como os alunos permaneceram cá 11 dias , também entraram em contacto com os jogos tradicionais Portugueses, através do Peddypaper, elaborado pelos alunos do 12º ano da nossa Escola. Em todas estas actividades , foram acompanhados pelos alunos do curso de francês e pelos professores da nossa Escola, entre os quais a professora Rosária Irene que se encontrava à frente do Projecto.

3


Escola

FEIRA DAS CIÊNCIAS

N

o passado dia 7 de Maio os alunos Dimitry Shelepenko, Carlota Sousa e Nuno Sousa da turma 11ºE, acompanhados pelo Professor Rui Poeira, participaram na Etapa Regional das Olimpíadas de Física, escalão B, que decorreram no CAMPUS do Instituto Superior Técnico no TAGUSPARK em Oeiras. Estes alunos foram seleccionados em provas organizadas na nossa Escola pelo Grupo de Recrutamento de Física e Química. As Olimpíadas de Física têm por objectivo incentivar e desenvolver o gosto pela Física nos alunos dos Ensinos Básico e Secundário, são organizadas pela Sociedade Portuguesa de Física. Os alunos, além de realizarem as provas, teórica e prática, tiveram a oportunidade de conhecer as instalações do Campus do IST e de confrater-

nizarem com outros alunos de diferentes escolas, assim como de participar nas actividades propostas . Todos os alunos tiveram um comportamento e participação excelente.

O

s alunos das turmas A e B do 12º ano participaram na Feira das Ciências, nos dias 6 e 7 de Maio, no contexto do projecto “Química, Luz e Cor” realizado no âmbito do Ano Internacional da Química. Esta Feira teve lugar no espaço livre do Mercado Municipal, onde alunos de várias escolas apresentavam experiências aos visitantes.

Mostra de Física e Química N o dia 23 de Maio realizaram-se as Mostras de Física e Química com experiências interactivas para os alunos visitantes. É de realçar o entusiasmo com que os alunos de Química do 12º ano apresentaram as experiências aos colegas. Também foi inaugurada uma Tabela Periódica “gigante” e trabalhos realizados pelos alunos do 10º ano.

4


Escola

Visita ao parque da Ria Formosa por Sara Dores

N

o dia 23 de Fevereiro de 2011 no âmbito do projecto “Ao encontro da Ria” as turmas 12-C , 12-2, 12-3, deslocaram-se ao Parque Natural da Ria Formosa com o objectivo de sensibilizar para o risco em que a Ria se encontra e dar a conhecer o objectivo do Parque Natural da Ria Formosa às turmas em cima referidas. Para esta visita se realizar alugámos um autocarro que nos transportou até ao Parque Natural da Ria Formosa; chegados ao local fizemos uma visita guiada só para a turma do 12-C com a colaboração da Dra. Paula Martins que nos explicou a história da Ria Formosa e do próprio Parque, alertando-nos para o nosso dever de o proteger, de modo a que nos levou ao Moinho da Maré e ao observatório

de aves. As outras duas turmas (12-2 e 12-3) ficaram a fotografar o Parque Natural da Ria Formosa para o concurso a realizar na escola. O grupo organiza-

dor obteve um resultado positivo conseguindo o seu objectivo e esclarecer as suas dúvidas e ainda sensibilizar as turmas envolvidas para o risco em que a Ria Formosa se encontra.

Concurso "Faro Cidade Criativa”

O

s alunos da nossa Escola que desenvolveram os projectos “Agricultura Vertical e urbana” e “Projecto Diferentes Porquê” apresentaram a concurso os seus projectos, no dia 7 de Junho no IPJ. O grupo de trabalho que desenvolveu o tema “Agricultura Vertical e Urbana” constitutído por Adriana Rosa, Emanuel Seiça e Jorge Santo, ficaram em 2º lugar e o grupo “PDP” constituído por Filipa Luz, Ana Margarida Silva, Beatriz Soares, João Laranjo e João Gonçalves, ficaram em 3º lugar no concurso. O concurso “Faro Cidade Criativa” é uma iniciativa da Câmara Municipal de Faro e tinha como objectivo motivar os alunos das 3 escolas secundárias de Faro a desenvolverem projectos no âmbito da cidadania.

Projecto Diferentes Porquê

5


Escola

Quinzena da FILOSOFIA

D

e 23 de Maio a 3 de Junho decorreu a Quinzena da Filosofia na Escola. Foram expostos trabalhos realizados pelos alunos de Filosofia e de Psicologia, obras filosóficas e revistas de divulgação em língua francesa. “Argumentação e publicidade” foi um dos temas em destaque nos posters realizados e expostos pelos alunos. Nas aulas ocorreram apresentações de trabalhos, tanto do 10º como do 11º anos, estes subordinados aos temas-problemas do mundo contemporâneo e da cultura científicotecnológica.

JOÃO DE DEUS REPRESENTA

ALGARVE por Inês Metelo

N

os passados dias 30 e 31 de Maio três alunos da nossa escola, dois deputados, João Patrício e Joana Glória, uma jornalista Inês Metelo e a professora de Filosofia Ana Lúcia Correia dirigiram-se a Lisboa para a sessão nacional do Parlamento dos Jovens. No primeiro dia decorreram vários debates dos diversos Projectos de Recomendação anteriormente aprovados nas sessões regionais e distritais e muitos assistiram ainda ao concerto da Orquestra de Violinos do Conservatório Regional de Setúbal – Os Paganinus. Após o jantar no Palácio de S. Bento, deputados, professores e jornalistas dirigiram-se para os seus devidos alojamentos, o círculo de Faro ficou hospedado no Inatel de Oeiras. O segundo dia, decorreu na Sala do Senado. Foi o Presidente da Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, Luiz Fagundes Duarte, que deu início ao Plenário, e que também encerrou esta sessão nacional. Neste dia os deputados procederam ao debate e votação da Recomendação, que já pode ser consultada no site oficial do Parlamento dos Jovens.

6


Escola

NO PARLAMENTO

DIA DA EUROPA por Ana Mafalda Sarmento

N

Parla

ment

o de J ovens

o passado dia 9 de Maio, dez alunos da Escola Secundária João de Deus, Rita Engrácia, José Carlos Teixeira, Ana Bota, Ivânia Tavares, Catarina Silva, Eva Silva, Mónica Gonçalves, Francisco Calado, Carolina Roque e Inês Metelo deslocaram-se até à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional – CCDR Algarve, no âmbito das comemorações do Dia da Europa. Durante 90 minutos, em conjunto com os alunos da Escola Pinheiro e

o aluno aceite esta oportunidade, terá de frequentar, durante as férias, aulas fornecidas pela escola sendo o objectivo dar a conhecer a língua, a cultura e as tradições do país de acolhimento de modo a que o aluno tenha a sua adaptação facilitada. - 2º Medida - Em todas as escolas, deverá haver cursos de línguas nas férias para permitir aos alunos continuarem a melhorar as suas capacidades linguísticas. - 3º Medida - As escolas de ensi-

Rosa, discutiram temas referentes “ A Educação e a Mobilidade na Europa” segundo o modelo do Parlamento de Jovens. As medidas propostas pela nossa escola foram as seguintes: - 1º Medida - Em todas as escolas secundárias, serão escolhidos os 2 melhores alunos de cada área. Esta escolha será baseada na média, avaliação do comportamento por parte de professores e o número de faltas injustificadas dadas. Ao escolher-se os 2 melhores alunos de cada área para ir estudar 1 ano no estrangeiro fomenta-se o espírito de se ser o melhor e de se esforçar na escola de modo a obter os melhores resultados. Caso

no secundário em conjunto com o Ministério da Educação, o Estado português e os Estados constituintes da União Europeia deverão criar uma associação para os alunos que pretendam realizar intercâmbios nos 10º, 11º e 12º anos. Isto consistirá numa associação europeia com membros de vários países constituintes a dar novas oportunidades e a ajudar a orientar as escolas que pretendam em conjunto com os alunos aderir a tais projectos, com maior facilidade de conhecimento, comunicação, de custos e de estudos. Todo e qualquer aluno, desde que tenha um comprovativo válido da escola poderá inscrever-se num dos projectos.

7


À conversa com

JOÃO TORDO, um escritor

que veio da filosofia e que passou pelo jornalismo Entrevista ao escritor João Tordo por Ines Metelo, Ana Mafalda sarmento, Rita Engrácia e Catarina Gamboa

N

o passado dia 11 de Maio o galardoado escritor João Tordo veio á nossa escola. Muitos alunos tiveram o privilégio de assistir á palestra que este deu e colocar as questões que desejassem. Posteriormente houve uma sessão se autógrafos com direito a bolo e seguidamente o jornal Preto no Branco esteve á conversa com o escritor. Preto no Branco – Com que idade é que lhe surgiu a paixão pela escrita? João Tordo – Era novo, tinha 7 ou 8 anos, começou por algo mais simples como a banda-desenhada, mas a paixão pela escrita mesmo, como eu escrevo hoje já foi mais tarde 20 e tal anos, mas sempre fui escrevendo pequenos contos, escrevi uma peça de teatro quando tinha 17 ou 18 anos que nunca deu em nada mas foi desde muito novo, é uma coisa que tu sentes que tens jeito para fazer, começou muito novo mas só mais tarde é que me senti em condições de escrever um romance. PB - Quais são as personalidades em que se inspira quando escreve? JT – Tenho vários escritores dos quais gosto muito e aos quais vou buscar inspiração ás vezes, o americano Paul Auster, um espanhol que é o Javier Cercas que é muito próximo daquilo que eu faço, ou sou muito próximo daquilo que ele faz, e um que eu gosto muito que é Edgar Allan Poe que tem muito a ver com o fantástico, com as coisas mais sobrenaturais, e é algo que eu acho muita piada. Mas eu a escrever não penso

8

neles certamente mas como foram escritores que me foram influenciando. PB – O quê que o levou a ingressar na área de jornalismo? JT – Eu queria ser jornalista, quando acabei o curso de filosofia não sabia exactamente o que iria fazer com aquilo, com filosofia pode-se fazer tudo desde ser professor a conduzir um táxi, não há um curso que seja ser filósofo, não é como tirar advocacia e passar a ser advogado, então quando acabei o curso pensei que tinha de fazer alguma coisa relacionada com a escrita mas não podia ser disparado, quer dizer acabei o curso tinha 21 anos então achei que ser jornalista era a melhor maneira de poder escrever regularmente mas como não tinha formação fui fazer um mestrado para Londres em jornalismo e depois comecei a trabalhar como jornalista cerca de 10 anos e depois comecei a escrever romances e pouco a pouco fui deixando o jornalismo e centreime na ficção que era aquilo que eu gostava mesmo. PB – Temos conhecimento que estudou em Londres e Nova Iorque, o quê que o levou a escolher essas cidades? JT – Era saber falar inglês, foi em Nova Iorque que eu fui aprendendo desde miúdo, fui para o Instituto Britânico quando tinha 5 ou 6 anos, estudei inglês a minha vida toda. E fui para Londres porque achei que era uma cidade intrigada que eu queria conhecer porque muitos dos livros que eu gostava de ler e muitos dos autores que eu gostava de ler eram especialmente ingleses e americanos,

e como a América é um sitio mais distante e tirar um curso na América é uma coisa muito mais cara eu optei por Londres porque me pareceu o sitio ideal e depois os Estados Unidos foi uma consequência disso, nessa altura já estava a pensar que o jornalismo não era exactamente o que eu queria fazer. PB – Quanto tempo é que permaneceu em Nova Iorque e em Londres? JT – Em Londres fui lá em 98 e vim de lá em 2002, em Nova Iorque tive lá 2 anos e meio tive lá até meados de 2004. PB – Considera que foi benéfico estudar no estrangeiro em vez de Portugal? JT – Sim sim, não são sobretudo os estudos que me interessassem tanto, talvez fossem numa primeira análise porque eu não era formado em jornalismo e trabalhava como jornalista, mas acho que foi mais importante para a minha formação enquanto escritor ter vivido naquelas cidades, foram todas essas experiências de enraizamento, ou seja de sair de Portugal e ir para sítios que eu conhecia mal que me inspiraram para muitas histórias, eu me levaram a conhecer certos lugares, que me levaram a passar por certas situações sem as quais eu não seria o escritor que sou hoje ou o género de escritor que sou hoje. PB – Ao longo da sua vida qual foi o livro que mais o marcou? JT – São dois, um que se chama a triologia de Nova Iorque do Paul Auster eo outro é um livro que se chama soldados de Salamina do Javier Cercas.


À conversa com

São os dois livros como referências mais próximas daquilo que eu faço, se pudesse haver uma mistura entre esses dois, tipo cozinhado seria entre um e o outro. PB – Com qual dos seus livros é que mais se identifica? JT – Com o que escrevi agora mas não posso estar a falar muito sobre ele ainda. PB – Os seus pais sempre apoiaram a sua decisão de se tornar jornalista? JT – Sim os meus pais perceberam que eu não era uma pessoa que fosse ter um emprego das 9 ás 5, nunca quis uma vida que a mim que parecesse um pouco chata, monótona, não quer dizer que as pessoas que têm um emprego das 9 às 5 tenham uma vida chata, há pessoas que têm esses empregos e que estão muitos bem com eles, e que assim vivem felizes, para mim a felicidade passa por outras coisas, passa por ser o dono do meu próprio tempo e se houver uma profissão como aquela que eu tenho que é ser escritor é a que eu posso comandar o meu próprio tempo, por exemplo se eu tivesse um emprego das 9 às 5 não poderia estar aqui agora e os meus pais apoiaram-me sempre, desde já a minha mãe tem mais 6 filhos,

somo muitos e o meu pai também se casou mais duas vezes e eu tenho uma série de irmãos com os quais eles podem ocupar o seu tempo portanto não sou necessariamente uma prioridade, ao mesmo tempo sempre tive um sentido realista de ter de ganhar a vida, nunca fui nenhum vagabundo, nenhuma bandalho, mas eles sempre me apoiaram. PB – Já estava á espera de receber o prémio Saramago de 2009? JT – Eu queria muito receber o prémio porque ainda por cima estava na altura, o prémio é só entregue até aos 35 anos e eu quando recebi já tinha 34 então estava na altura certa, havia cerca de 60 candidatos a concurso, por acaso ganhei mas tive um livro anteriormente que tinha chegado aos últimos três, que foi o primeiro, o Livro dos Homens sem luz, depois já não pude concorrer com o segundo porque saiu numa altura em que já não dava por causa do prazo do prémio e o terceiro pensei, se chegar de facto aos últimos três talvez haja alguma hipótese e de facto cheguei. PB – Para quando está previsto o lançamento do próximo livro? JT – Em Outubro deste ano. PB – Muitos alunos desta escola pre-

tendem ingressar na área de jornalismo. Como jornalista que conselho pode dar a esses alunos? JT – Se tiverem a oportunidade de fazer uma especialização fora ou mesmo que seja o programa Erasmus que há nas Faculdades façam porque o jornalismo aqui em Portugal a nível de Faculdades não sei como está hoje em dia mas eu estava na Faculdade era extremamente pobre, acho que há Faculdades melhores agora mas arranjares um emprego agora aqui em jornalismo passas por uma série de estágios normalmente, são coisas um bocado chatas, para já tens de te mudar para um sitio onde possas tirar jornalismo, não me parece que Faro seja o lugar, porque as noticias são todas convergidas para Lisboa, Porto, sítios mais centrais, se puderem estudar em Lisboa melhor e se puderem fazer uma especialização fora façam porque acho que é fundamental porque o pais esta cheio de jornalistas medíocres mas depois há uma espécie de baixa que são bons jornalistas mas são tudo pessoas que estudaram fora, ou seja para tu seres um bom jornalista tens de ter uma perspectiva do mundo muito mais aberta do que só aqui em Portugal.

9


À conversa com

SONO EM DIA, ESTUDO COM ANTECEDÊNCIA E CONFIANÇA – a receita para combater o stress dos EXAMES NACIONAIS Entrevista ao Psicólogo Luís Miguel Neves de Ana Mafalda Sarmento, Rita Engrácia, Catarina Gâmboa e Inês Metelo P/B: Em que é que consiste o SPO? Psic. Luís Neves: O Serviço de Psicologia e Orientação destina-se a alunos, professores, funcionários, pais, encarregados de educação e outros elementos da comunidade escolar não esquecendo os que trabalham em parceria com a escola, necessitando de algum tipo de apoio, esclarecimento ou acompanhamento numa das seguintes áreas: apoio psicopedagógico ou acompanhamento clínico, orientação escolar e profissional, apoio ao desenvolvimento do sistema de relações da comunidade educativa, a mediação de conflitos que muita das vezes não acontecem só entre alunos mas entre aluno e professores ou funcionários e alunos. O Gabinete de Psicologia tenta colocar os alunos como no centro da resolução, ou seja, não seja o psicólogo a resolvê-los mas seja o próprio aluno a encontrar a resolução e que ele possa fazer o papel de agente de mediação do próprio conflito , dele e dos seus colegas. No fundo o Serviço de Psicologia e Orientação é como o próprio nome indica um gabinete que se destina a apoiar não só psicologicamente os alunos não só a nível das suas dificuldades educativa especiais mas também ao nível da orientação, como é exemplo a orientação escolar e profissional aos alunos do 12º ano ou de um dos cursos profissionais de final de curso quando pretendem prosseguir estudos. P/B: De que modo se articula SPO com o Gabinete de Apoio ao Adolescente? LN: O SPO, Serviço de Psicologia

10

e Orientação e o Gabinete de Apoio ao Adolescente são entidades parceiras. O Serviço de Psicologia e Orientação é um serviço distinto, criado através de uma lei, e essa lei atribui competências e funções especificas ao papel do psicólogo da escola. Essas competências não se misturam mas interligam-se ,com aquelas que são as competências de um Gabinete de Apoio ao Adolescente. Se a psicologia está interligada á saúde , um gabinete de apoio ao adolescente também estará. Muitas vezes sabemos que o gabinete em parceria connosco , desenvolve muitas iniciativas orientadas para a prevenção das drogas, para hábitos saudáveis ao nível da alimentação, ao nível do desporto, da saúde física. O Serviço de Psicologia tenta fazer aqui uma ligação de proximidade e inter-ajuda , ás vezes, que acaba por acontecer melhor outra vezes menos bem, o que é certo é que trabalhamos todos para o mesmo objectivo. P/B: Que actividades ocorrem no SPO? LN: Eu passo a explicar, o SPO , é algo que nos deixa contentes, o psicólogo desta escola é um sujeito que circula pela escola em proximidade com os alunos e não está propriamente fechado no gabinete, eu não tenho um estilo muito próprio de psicólogo de gabinete, prefiro estar em proximidade com os alunos, e nesta abordagem de mais interligação, porque só assim é que se desmistifica o papel da psicologia que há uns anos era visto como quem vai ao psicólogo é maluco para que as pessoas entendam que ir ao

psicólogo é apenas uma ajuda mental. Relativamente ás actividades, o Serviço de Psicologia tem muitas actividades. Nós levamos as turmas inteiras de 12º ano á Futurália , que é a Feira de Emprego e Juventude e Formação, nós tivemos também presentes no Informer em Loulé, tivemos a divulgar a nossa escola. Nós em conjunto com a Direcção, corremos as escolas EB 2,3 do concelho de Faro que são 6 e mais o Colégio do Alto , que é uma escola privada, divulgando os cursos Científico- Humanísticos e o Cursos Profissionais. Recebemos os jovens, os vossos colegas, que têm necessidades educativas especiais , no Gabinete, e colaboramos no programa educativo individual exemplos dislexias, imperatividades com défice de atenção , síndrome d’ Asperger. P/B: O que é que aconselha aos alunos para combater o stress dos exames? LN: Eu não posso esquecer que não estou sozinho no SPO , para além de mim existe a Drª Teresa, que também lá está, e tenho também duas estagiárias a Drª Susana e a Drª Lúcia que estão à minha responsabilidade. E não me posso esquecer de uma peça fundamental, da Professora Ana Mar-


À conversa com

reiros, que é professora de Educação Especial desta escola. Relativamente ao stress. Como é óbvio muitas vezes o stress é reflexo da ansiedade, do sistema nervoso , em função das expectativas que se tem, acabam por ficar ansiosos, nervosos e muitas vezes acabam por ter aquelas “brancas” que acontecem nos exames nacionais. Primeiro começar por estudar com alguma antecedência, porque o aluno que estudar só na véspera vai sentir que não está bem preparado , e será um motivo para a ansiedade. Outra situação é tentar nos dias que antecedem o exame estar em locais mais descontraídos e ter boas noites de sono, ou seja , é preciso que descansem, não devem só estudar no dia anterior, se estudarem um pouco todos os dias, vão conseguir obter melhor resultados, porque primeiro não nos podemos esquecer que o stress também é um resultado do desgaste mental, não é só do desgaste físico, sentimo-nos cansados , e o cansaço não é só físico é algo que a nossa mente também nos traduz. É necessário também que os nosso pais em casa nos dêem confiança, porque no fundo se nós sentirmos que alguém nos protege vamo-nos sentir mais preparados. P/B: Como podemos recorrer ao SPO? LN:através do Director de Turma Este serviço dispõe de um espaço de atendimento, junto ao auditório da escola, sendo o horário de funcionamento o seguinte : 09:00 às 12:30 ; 14:00 às 17:30 - através de contacto telefónico - 289 822030 - via e-mail

projecto comenius na Polónia por Raquel Afonso

C

hamo-me Raquel Afonso e sou aluna do curso de Técnico de Multimédia do 11ºano, turma 5. A viagem à Polónia foi a minha primeira experiência num projecto Coemnius e gostaria de dizer que foi uma oportunidade incrível, superou todas as minhas expectativas que já antes da partida eram muito elevadas. Gostei muito da minha família de acolhimento, ao início foi um pouco difícil devido as dificuldades de comunicação na língua inglesa, porém tornou esta “aventura” muito mais interessante. Tive oportunidade de conhecer

diferentes partes do país, as visitas a Cracóvia e Varsóvia foram muito interessantes mas para mim o ponto alto foi a ida ao campo de concentração de Auschwitz. Auschwitz foi um misto de emoções devido a toda a sua história, a visita do museu foi algo de mágico, embora triste ao mesmo tempo pois não é fácil lá estar sabendo tudo o que aconteceu. Esta ida a Polónia suscitou-me curiosidade para mais tarde quando estiver na Universidade participar num Erasmus, e provavelmente para regressar a este país fantástico pois é muito grande e gostaria de o conhecer melhor.

Ficamos muito contentes que existam alunos da nossa escola como vocês que se preocupam com a comunidade e que possam no fundo dar a conhecer a escola aos vossos colegas. No fundo e é nisto que a Psicologia acredita. Vocês é que são parte da mudança.

11


Cultura

Concertos de Verão Cartaz Optimus Alive 2011 Dia 6 de Julho

Palco Optimus ColdPlay Blondie Grouplove The Twilight Singers Palco Super Bock Example Patrick Wolf These New Puritans Anna Calvi James Blake Mona Avi Buffalo The Naked and Famous Dia 7 de Julho Palco Optimus Foo Fighters Iggy & The Stooges Xutos e Pontapés My Chemical Romance Jimmy Eat World Palco Super Bock Bloody Beetroots Death Crew77 Teratron Kele Os Golpes Primal Scream Screamdelica Live Bombay Bicycle Club Seasick Steve Everything Everything Crocodiles

Digitalism Thievery Corporation Grinderman Fleet Foxes Angus & Julia Stone Friendly Fires Dia 9 de Julho Palco Optimus Duck Sauce Jane´s Addiction Paramore Kaiser Chiefs White Lies Palco Super Bock A-Trak Fake Blood Orelha Negra Dizzee Rascal TV On The Radio Foals Linda Martini WU LYF Stereopack

Super Bock Super Rock 2011 14 de Julho Arctic Monkeys Beirut The Kooks The Walkmen Sean Riley & The Slowriders

Dia 8 de Julho

15 de Julho Arcade Fire Portishead The Gift Rodrigo Leão & Cinema Ensemble

Palco Optimus The Chemical Brothers Thirty Seconds to Mars The Pretty Reckless Klepht Palco Super Bock

16 de Julho The Strokes Slash Brandon Flowers Elbow X-Wife

12

Sudoeste TMN 2011 Amy Winehouse Janelle Monáe Raphael Saadiq Eliza Doolittle 5 de Agosto Underworld Patrice Deolinda Marcelo Camelo 6 de Agosto David Guetta Scissor Sisters The Script 7 de Agosto Swedish House Mafia Interpol The National


Escola

Sarau Cultural... 2º periodo

O

Sarau Cultural realizou-se, no passado dia 6 de Abril de 2011, pelas 14.00h. O 2º Sarau Cultural deste ano lectivo teve lugar no auditório da escola e contou com uma vasta assistência de alunos e outros membros da comunidade escolar. O evento contou com a participação de diversos alunos, que apresentaram actuações em áreas distintas. A música esteve bem presente no sarau, nomeadamente nos números de canto, piano, guitarra, bateria e beatbox. A dança interpretativa e o malabarismo foram também uma presença muito apreciada pelo público. Este evento teve como objectivo servir como um último momento de contacto entre os alunos antes do final do 2º período, ao mesmo tempo

que permite que estes mostrem o seu talento em diversas áreas artísticas. O auditório encontrava-se completo, havendo até muitos alunos sentados nos degraus, o que demonstra uma grande adesão. A organização esteve a cargo da Prof. Maria João Seruca, Prof. Paula Pereira e Viviane, numa actividade dinamizada pela Biblioteca Escolar.

Propriedade: Escola Secundária João de Deus Direcção Ana Mafalda Sarmento

Autor do logotipo Ingo Martins

Redactores Ana Sarmento Inês Metelo Carolina Roque Rita Engrácia Sahuanny Mattos Miriam Garrido Catarina Gamboa

Raquel Afonso Anabella Vaz Sara Dores Yara Weng Diana Cadete Sara Machado Laura Barbara

Maria Cruz Gabriela Madureira Adriana Mestre Mafalda Vicente

Bibliotecas no Fórum

O

Fórum Algarve recebeu entre sábado e segunda-feira, dias 2 a 4 de Abril, a Mostra de Bibliotecas Escolares da Rede Concelhia de Faro, “As Imagens têm Texto”, no âmbito do Mês da Leitura.

Esta actividade foi dinamizada pela Direcção Regional de Educação do Algarve, Fórum Algarve, Biblioteca Municipal de Faro e grupo de trabalho da Rede de Bibliotecas escolares do Concelho de Faro, com o objectivo de divulgar esta rede, sensibilizando a comunidade, em particular as famílias, para a importância que este programa desempenha no suporte às aprendizagens, no desenvolvimento de competências de informação, na formação de leitores e na promoção de hábitos de leitura. A Escola Secundária João de Deus esteve presente no dia 2, Sábado, entre as 18h e as 22h e realizou várias actividades com as crianças que visitaram o espaço. Colagens, desenhos, elaboração de postais e pequenos textos inspirados em imagens foram algumas das actividades desenvolvidas durante o período em que a ESJD esteve representada. O conteúdo das actividades foi, claramente, adequado à idade dos participantes, na sua maioria préescolar. Foram também apresentados alguns vídeos, um deles realizado por um grupo de alunos, incidindo na temática da promoção da leitura. Todas as escolas do grupo de Bibliotecas Escolares do concelho de Faro estiveram representadas na Mostra, e cada uma delas desenvolveu actividades com os participantes, incidindo no tema “As Imagens têm Texto”.

13


Escola

“União Europeia - Euro Crise económica actual” Diana Cadete e Sara Machado - 12.º I Laura Barbara, Maria Cruz, Gabriela Madureira e Adriana Mestre - 10.º H

N

o dia 24 de Março de 2011, o Professor Doutor António Covas, professor catedrático da Universidade do Algarve, esteve presente na nossa Escola, onde proferiu uma palestra que versou as temáticas “União Europeia - Euro - Crise económica actual”.

O evento foi programado pela professora de História Margarida Martins e o professor de Economia Carlos Silva e nele participaram as turmas 12.º I, 12.º H e 10.º A. O conferencista deu ênfase às etapas mais relevantes da construção da União Europeia e, num segundo momento, fez um apanhado dos ciclos políticos e económicos do nosso país contextualizando-as com os acontecimentos que de forma relevante marcaram então o mundo. No âmbito da crise económica portu-

14

guesa informou dos pedidos de auxílio e dos “Acordos de estabilização conjuntural” negociados com o FMI, uma instituição internacional de que tanto se fala no momento, que já disponibilizou ajuda financeira a Portugal no passado, mais concretamente em 1977 e 1983, da utilidade e racionalidade do recurso a este organismo bem com ao Fundo de estabilização financeira da UE. Ao longo da sua dissertação o professor António Covas partilhou com a assembleia e/ou discutiu com os participantes algumas ideias que de seguida se sintetizam: no contexto de quase insolvência económica do nosso país, poderão não estar garantidos os direitos sociais previstos nos princípios da Constituição da República Portuguesa; não é economicamente viável um Estado que consome mais do que produz e poupa; a crise financeira global, sentida a partir de 2007, levou muitos países europeus a endividar-se para travar efeitos nefastos na economia, mas esse endividamento fragilizou o Euro, a moeda comum da UE. No que ao actual quadro económico português mais directamente res-

peita, a conferencista deixou a sua análise: até 2015 não haverá crescimento económico, devido aos nossos pesados compromissos financeiros com o exterior; de 2015 a 2020 se a economia portuguesa não crescer o país torna-se insolvente. Referiu ainda, a importância da mudança de mentalidades que deve ocorrer nas escolas para um espirito empreendedor, gerador de negócios e emprego. Deverá Portugal sair da Zona Euro? Para o Conferencista, seria a bancarrota nacional, não uma solução. Em jeito de despedida, o Professor António Covas deixou alguns conselhos aos alunos: “Não sejam

cidadão distraídos”; “Sejam livres em termos de pensamento”; “Sejam responsáveis, não se deixem levar pela propaganda política; pensem por vocês; sejam homens e mulheres decentes; é o nosso recurso mais precioso.”


Escola

Voluntariado Ambiental para a Qualidade da Água por Yara v. d. Weg e Professora Anabella Vaz

D

este conta que decorreu o Concurso “Água Jovem”? Nós participámos neste concurso! Somos seis alunos do 11ºC e do 12ºI desta escola e fazemos parte do projecto Voluntariado Ambiental para a Qualidade da Água (ver site: www. arhalgarve.pt) desde o ano lectivo passado. Este projecto visa o estudo da qualidade dos nossos recursos hídricos por parte de qualquer voluntário seguindo um protocolo científico, acessível ao público. A nossa escola participou no concurso acima referido tendo ganho até alguns prémios (1º prémio do nível secundário: Pedro Portada e Rui Jerónimo com uma música e letra alusiva ao tema). Nós, Tiago Romana, Joana Cavaco, Sarah Virgi, Eunice Costa, Leonor Rodrigues e eu, Yara Weg colaborámos com a instituição organizadora – ARH (Administração Regional Hidrográfica) como facilitadores, ou seja, recebemos os jovens participantes no concurso, acompanhámos um passeio de barco pela Ria Formosa, monitorizámos jogos didácticos, preparámos as conclusões tiradas a partir dos jogos e apresentámo-las na sessão de atribuição de prémios realizada no Museu de Faro. Nós, os alunos do 12º ano já não estaremos cá para dar continuidade ao projecto. Desejamos que todos os jovens desta escola preocupados com esta causa se inscrevam juntamente com os vossos professores e participem neste interessante projecto.

15


À conversa com

AS NOVIDADES ACERCA DAS OBRAS Entrevista ao Engenheiro da obra de Rita Engrácia e Catarina Gâmboa P/B: Que mudanças podemos esperar no inicio das aulas do ano lectivo de 2011/2012? Poderão encontrar melhores condições, uma escola renovada e com melhores condições térmicas. Basicamente poderão encontrar uma escola nova, uma escola de luxo. Também irão ter ar condicionado. P/B: Quando é que podemos visitar a sala modelo? Tem estrado? Tem computador? A sala modelo já está construída por isso podem visitá-la quando quiserem e tiverem autorização da Parque Escolar. Não tem estrado nem computador. P/B: Quando é que os livros passam para a biblioteca?

16

Quando a biblioteca estiver pronta, a meio de Agosto em principio. P/B: Na última vez que cá estivemos havia um atraso da obra de duas semanas. E agora? Mantêm-se P/B: A nossa professora de educação física falou-nos da sua preocupação em relação ao pavimento do campo coberto visto que não esta de acordo com a lei. Que medidas vão ser tomadas? O pavimento do campo coberto irá ter uma base em resina (asfalto), microgranulado de borracha e uma camada final de resina soft vermelha. Não estamos informados se isso está de acordo ou não com a lei visto que é uma decisão da Parque Escolar e

nós aqui simplesmente cumprimos os planos que nos são dados. P/B: Quando é que vão deitar abaixo o auditório? Na segunda fase, em Outubro, depois de começarem as aulas. P/B: E a escadaria principal? Já há uma decisão? Qual é? Já, em princípio vão-se manter as escadas. P/B: A escola irá ter uma politica de cartões electrónicos? Normalmente quando há obras em escolas que já seguem essa norma mantêm-se. Neste caso visto que a escola não segue essa politica passa a ser uma decisão da escola a instalação ou não desse sistema. A vossa escola optou por não instalar.


Ă€ conversa com

17


Amigos – Com a chegada do Verão vêm novas amizades. Escola – Os astros só estarão alinhados em Julho, portanto não esperes grandes notas. Saúde – O calor requere mais cuidados higiénicos:usa desodorizante. Amor – Repito, usa desodorizante. Amigos – Eh... nem tanto... Escola – Os exames vão ser a tua desgraça. Saúde – Alergias, imensas alergias. Amor – Este é o teu campo: bastante amor, pelo que as cartas dizem, amor internacional. Amigos – Prepara-te para os festivais de Verão. Escola – Esperate uma boa média. Saúde – Fumar mata. Amor – O alinhamento de Marte e Júpiter permitirá a chegada da tua cara-metade. Amigos – Precisas de socializar mais, sai de casa! Escola – é que nem vale a pena veres a pauta… Saúde – ..mental? Nenhuma, efeito do álcool. Amor – Dizemme que morrerás solteiro(a).

18

Amigos – As cartas dizem-me que tens apenas um… Escola – Estudar, conheces? Saúde – Um assunto sensível… acne. Nas costas. Amor – És uma fera. Amigos – Chats é para meninos. Escola – Bastantes faltas… Saúde – Descobri agora que não és vacinado. Isso explica muita coisa… Amor – Lamento, mas não é o teu campo. Deverias considerar uma vida focada em Deus.

Horóscopo

Amigos – Bastante social. Escola – O estudo está a dar resultado, só falta aparecer nos testes. Saúde – A semana académica foi agressiva… Amor – Tens que aceitar um Não. Ou vários. Amigos – Ninguém gosta de ti! Escola – Vê lá, não te canses tanto… Saúde – Aconselhava-te a pôr mais alguma roupa. Amor – Podes sempre ficar para tio(a).

Amigos – Confraternizar com família só, não conta. Escola – Inglês precisa de melhorias… Saúde – Se andas a ver fadas, não é bom sinal. Amor – Nada de sorte.

Amigos – Larga o telemóvel, as pessoas não querem falar contigo. Escola – As cartas não auguram nada de bom… Saúde – Irás morrer jovem. Amor – Os deuses acham que ficam fofinhos.

Amigos – Poucas amizades, dizemme as cartas… Escola – Acordar de manhã faz parte da vida escolar. Saúde – Saúde de ferro! Amor – Não persigas as pessoas!

Amigos – Algumas, nada de relevante… Escola – Este período matou-te. Saúde – O único problema é o teu humor matinal. Amor – Vénus diz-me que é o amor da tua vida.


Escola

Receitas

Roq ue

muito gostosas

COMENIUS - READING AND LITERACY

aro lina

PROMOTION THROUGH ICT

de C

U de Sahuanny Mattos

Receita de MilkShake para refrescar =D Ingredientes:

Horóscopo

Balanço final

2 chávenas de leite frio 2 bolas de gelado de chocolate… 4 colheres de chocolate em pó 2 morango para decorar Topping de chocolate ou morango ou caramelo

ma aventura Europeia gratificante e enriquecedora para toda a comunidade educativa em particular para todos os alunos, professores e funcionários envolvidos. De um modo geral os alunos consideraram a sua participação muito positiva e fundamental para falarem melhor a língua Inglesa, bem como enriquecedora permitindo conhecer novas pessoas e culturas. Tratou-se, sem dúvida, de um projecto multicultural. Oito países, quatro Latinos, dois Eslávicos um da Europa Central e outro Oriental; duas religiões diferentes, cristã e muçulmana; dentro da Igreja Cristã, a católica, a protestante e a ortodoxa; dois alfabetos diferentes, o latino e o cirílico. Um mosaico de pessoas e culturas que reflecte bem o espírito de um projecto Comenius: tornar-nos cidadãos do mundo. Para conhecer as actividades realizadas podes consultar o Blog do projecto: http://comenius-reading-promotion.blogspot.com e o seu site em: http://www.wix.com/becreesjd/comeniusproject

Preparação: 1º passo - bata no liquidificador o leite bem frio, o gelado e o chocolate em pó. 2º passo - coloque nos copos o topping em volta do copo e decore com morangos. Servindo! Rendimento: 2 porções

Boas férias e um óptimo verão.

19


Cultura

Rio Delta

Nuno Matias, Pedro Catulo e Miguel Dinis

Por entre curvas e árvores, O rio corre melancolicamente Num ritmo sonolente, Que abraça os navios que caem num tempo esquecido. Um tempo antigo, aquecido pelo forte Sol

Fra

Que afaga o Rio milenar, nas suas centenas de anos corridos. Vê-se então no presente,

Um passado inalterado, pelo tempo, pelo mundo. Descobre-se a nostalgia num rio acariciado, Por um Sol aveludado e por uma brisa que não corre. É o Rio Delta que nos pára. E na luz da sua água, hidratamos a alma, De uma melancolia duradoura, agradável. O fim aproxima-se, nem sinal de tempestade, como sempre. Não queremos, e sem surpresa aceitamos.

ncis

co A

fon

so R

ita

Pico de Neve

Impera a calma controlada,

A raiva apagada na luz da neve. Ergue-se o palácio misterioso, belo. Que por entre as pedras frias, Mostra a beleza do lugar ideal. Tranquilo, isolado, retiro do bem que esconde o mal, Do sítio tal, que é bonito, E que por trás é maldito. Esconde alguém. Quem puxa as cordas à marioneta, Que puxa as cordas ao resto. O tirano controlador não passa do seu grande mistério. O palácio é lugar de bem, Cantinho do salvamento, Onde aquele que é correcto se abriga. Mas difícil de encontrar, Caminho escondido por entre os bosques, Que cobertos por neve, cobrem as montanhas. Paisagem linda. Realidade aparente, copo quase a transbordar.

André Ramos 20

Não se passa nada até uma gota se derramar.


Preto no Branco nº60