Issuu on Google+

Nicéia

Jornal Comunitário do Bairro Jardim Nicéia

Bauru

Luciana Arraes/Voz do Nicéia

Edição nº8 Novembro de 2011

Associação caminha para regularização Vitor Moura/Voz do Nicéia

Dia das crianças alegra a comunidade (p.4)

Ano III

Associação dos moradores do Nicéia participa de congresso na OAB com mais 21 associações da cidade e está a cada dia mais perto da legalização. Advogados e empregados da prefeitura deram auxilio aos moradores (p.3)

Conheça cursos gratuitos oferecidos pela UNESP

cursinhoprimeirodemaio.com.br

A UNESP oferece diversos cursos gratuitos abertos para toda a comunidade bauruense. Com aulas que vão desde cursinhos pré-vestibulares até Artes marciais. Saiba como participar (p.6)

Ainda nesta edição: a relação dos moradores do Nicéia com os condomínios (p.7)


2 Out/Nov 2011

Voz do Nicéia

Voz do Nicéia

Editorial Nesta edição temos as crianças e os jovens como protagonistas. O dia das crianças chegou e foi com grande satisfação que a equipe do jornal “Voz do Nicéia” ajudou como pôde nos dois dias de festa que aconteceram no bairro. A matéria principal está recheada de brincadeiras, alegrias e solidariedade. Mais um motivo para comemorar é a regulamentação da associação dos moradores, que está mais próxima a cada dia que passa. Outro assunto importante nesta edição é o tema do “Fala Morador”, que procurou mostrar como é a relação dos moradores do Jardim Nicéia com os condomínios fechados existentes em seu entorno. Também falamos sobre o ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, que é de grande importância para todos os jovens do Brasil. Sempre lembrando que todos os problemas comuns levantados pelo jornal só serão resolvidos com a colaboração e acompanhamento dos moradores. Bem como as conquistas, que são mérito de todos. Esperamos sempre contar com o apoio e contribuição dos moradores para conseguirmos produzir um jornal de qualidade, honrando nosso objetivo de ser realmente a “voz” de toda a comunidade e ajudando, assim, a gerar um ambiente mais saudável e próspero a todos. Boa Leitura!

Equipe Voz do Nicéia UNIP/MAKRO – Horário de saída de Unip/Makro Dia útil 06:12 06:48 07:29 08:11 08:45 09:27 10:02 10:46 11:23 12:09 12:47 13:33 14:10 14:55 15:29 16:11 16:41 17:25 17:58 18:41 19:16 19:48 20:20 20:50 22:03 22:30 23:05 Sábado 05:56 06:20 06:59 07:30 08:04 08:39 09:12 09:48 10:21 11:02 11:42 12:15 12:52 13:26 14:06 14:40 15:54 17:08 18:22 19:36 20:46 21:56 23:06

Anúncios

Domingo/Feriado 06:50 07:58 09:06 10:14 11:22 12:30 13:38 14:46 15:54 17:02 18:10 19:18 20:26 21:34

Câmpus /CTI: Dia útil - Período de aula Horários saída: Campus - CTI 06:20 06:40 07:20 07:40 08:20 08:40 09:02 09:39 10:00 10:30 11:00 11:20 12:16 12:36 12:56 13:16 13:33 13:56 14:26 14:56 15:26 16:20 16:26 17:16 17:36 18:00 18:22 18:36 18:56 19:36 20:00 20:36 21:00 21:26 22:00 22:27 23:05 Sábado Horário saída: Câmpus - CTI 06:25 07:17 07:45 08:10 08:35 09:30 10:20 11:15 12:32 13:00 13:25 14:17 15:10 16:02 18:40 19:33 20:25 21:18 23:03

Projeto de Extensão Universitária Expedição Jornalista responsável Angelo Sottovia Aranha MTB-12870 Reportagem Adriana Salgado Beatriz Haga Cinthia Quadrado Carolina Seiko Giovani Vieira Henrique Gasparino João Paulo Monteiro Letícia Mendonça Luis Fernando Araujo Thais Perregil Vitor Moura Vitor Soares Edição Ana Navarrete Luciana Arraes Fotografia João Paulo Monteiro Luciana Arraes Vitor Moura Edição de Arte João Paulo Monteiro Diagramação João Paulo Monteiro Edição Geral Angelo Sottovia Aranha Coordenação do projeto Ana Navarrete

Válter Marques SERVIÇO DE CARRETO Rua 2, 2-45 Tel: 3203-1743

FAAC - Unesp Bauru Departamento de Comunicação Social Endereço: Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01 Vargem Limpa - Bauru/SP CEP: 17033-360 Telefone: 3103-6063 E-mail para contato: jornal.vozdoniceia@gmail.com

(somente nos finais de semana)

Ednow Ferreira DISK-MARMITEX 9184-0284

Jornal comunitário bimestral do bairro Jardim Nicéia, em Bauru-SP

Dona Benê - DIARISTA Tel: 9163-3244

Tiragem: 1000 exemplares Impresão: Fullgraphics Distribuição Gratuita


Voz do Nicéia

Out/Nov 2011

3

Associação de moradores a um passo da legalização Congresso em Bauru mostra a importância da regulamentação

Aconteceu no último sábado, dia 22 de outubro, o 2° Congresso das Associações de Moradores de Bauru. O evento, sediado no auditório da OAB de Bauru, contou com a participação de 21 associações comunitárias, das mais de 100 existentes no município. O assunto em pauta, dessa vez, foi a questão da regulamentação dessas associações. Representantes da prefeitura e da OAB montaram uma mesa visando prestar esclarecimentos sobre o processo de regulamentação e seus benefícios. “Hoje o congresso foi para prestar informação, auxiliar, fazer parcerias, órgãos de competência para atender essas associações”, explica o Dr. Fabio Augusto Simonetti, coordenador da Comissão de Assuntos Comunitários da OAB de Bauru. Ele estima que das mais de 100 associações de moradores de Bauru apenas 80 são devidamente regulamenta-

das. “Visamos regularizar a situação dessas organizações para que a prefeitura possa desenvolver os projetos que elas tanto sonham”, afirma o Secretário das Administrações Regionais (SEAR), Sidnei Rodrigues. Ele também revela que a falta de regulamentação dificulta a atuação da prefeitura; “o nosso maior problema é que eles acabam fazendo solicitações e nós não temos como atendê-los”. Quando a associação é regulamentada, a prefeitura consegue ter acesso a recursos dos governos estadual e federal que serão utilizados no desenvolvimento de projetos sociais dentro dos próprios bairros. O diretor do departamento de comunicação da prefeitura de Bauru, Chico Maia, um dos responsáveis pela captação de recursos para a cidade, explica que “em regra geral, a captação começa com o envio da documentação dessas associações. O critério de seleção é a documentação. O órgão que vai disponibilizar o recurso quer Vitor Moura/Voz do Nicéia

Cerca de 140 pessoas foram ao congresso na OAB de Bauru

Vitor Moura/Voz do Nicéia

Vitor Moura

Entre 8h e 15h da manhã, representantes da prefeitura e da OAB prestaram esclarecimentos e tiraram dúvidas

saber qual a situação tributária, a situação eleitoral dessa instituição, vínculo ao governo federal, INSS. Se não estiver tudo certo, o processo já não passa para o próximo estágio”. A gerente regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Egiane Vaz, está auxiliando de forma voluntária Joana Miguel da Silva, presidente da associação de moradores do Jardim Nicéia, no processo de regulamentação. “Ele já foi registrado em cartório, o CNPJ já foi requerido via internet, num processo bem simples, agora dentro de 10 a 15 dias, no máximo, sai o número efetivo. Assim, a associação fica regularizada”, detalha Egiane. Ela acredita que existem motivos para se comemorar. “Hoje serviu para mostrar que as oportunidades para melhorar o bairro são grandes. Porém, eu

percebo que falta ainda não só transmitir informação, mas ensinar como fazer”, revela. No bairro do Ferradura Mirim, cuja associação de moradores está regulamentada já há dois anos, Gisele Moretti, que representava o bairro no evento, confessa que houveram muitos benefícios ao local. “Quando a associação tem CNPJ, as empresas que têm interesse em fazer doação podem ajudar. É uma questão de credibilidade, isso facilita”, relata. Ela ainda diz que sabe bem quais são as dificuldades de quando não existe a regulamentação. “Existia uma outra associação que ficou inadimplente por dez anos. Depois de dez anos que você não declara isenção na Receita Federal, automaticamente ela se exclui. Por isso, nós criamos uma nova”, explica.


4 Out/Nov 2011

Voz do Nicéia

Dia das crianças

Bairro surpreende os morado

Henrique Gasparino Vitor Soares

Conhecido como o mês das crianças, outubro normalmente é marcado por festas e comemorações para elas. O Jardim Nicéia não ficou fora e promoveu um grande evento para os pequenos (e os grandes) da comunidade. Este ano, as crianças pu-

deram celebrar o seu dia duas vezes. A primeira festa aconteceu no sábado antes do feriado (8/10) e a segunda na quarta (12/10), as duas com muitas gincanas, brincadeiras e comidas. No primeiro dia, vários brinquedos alegraram a manhã. Camas-elásticas, castelo inflável e escorregador foram levados pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Bauru (Se-

Luciana Arraes/Voz do Nicéia

Luciana Arraes/Voz do Nicéia

Escorregador, cama elástica e castelo inflável divertiram as crianças

Crianças participaram de brincadeiras recreativas durante toda a tarde

mel). Davi Honário, que presta serviços à Semel, relembrou que eventos desse porte acontecem com frequência no bairro; “aqui no bairro já é o quinto evento que a gente vem. Sempre trazemos esses brinquedos, até em outras datas além do dia das crianças”. Além da Semel, a Associação Bauru pela Diversidade (ABD) e a ONG Periferia Legal con-

tribuiram com pipoca, algodão doce e balas. As crianças puderam, ainda, participar de gincanas, como a brincadeira das bexigas e do ovo, organizadas pelos voluntários do projeto Escola da Família, que ajudaram na organização do evento ao lado da comunidade. As crianças ainda tiveram seus rostos pintados com a ajuda de voluntários.


Voz do Nicéia

Out/Nov 2011

5

duplo e completo

res e realiza dois dias de festa

Na quarta-feira (12/10), as crianças que estavam em uma excursão no primeiro dia de festa também puderam se divertir. Nesse dia, o que se viu foi muita colaboração por parte dos próprios moradores. Eles arrecadaram alimentos e doces para deixar o Dia das Crianças mais completo. A partir do meio dia, foi servido almoço com refrigerante

para toda a criançada. Em seguida, o colaborador Marcílio Brosque trouxe bolo para a sobremesa. Depois disso, muita música foi ouvida, pinturas foram feitas e gincanas foram realizadas. A cada brincadeira era possível ver a alegria de cada um, tanto por parte das crianças, quanto por parte dos organizadores e realizadores. Elke Mariano, mãe da Laura de 9 anos,

Luciana Arraes/Voz do Nicéia

Luciana Arraes/Voz do Nicéia

Refrigerante e bolo são oferecidos gratuitamente

Distribuição de algodão doce faz fila na porta da casa da Dona Terezinha

opinou sobre a festa: “Está muito legal, cada ano está melhorando. O almoço estava muito gostoso. Além disso é bom que eles (crianças) fiquem ocupados o tempo todo”. Mais tarde, a ABD chegou e trouxe muitos brinquedos: “A gente vem aqui trazer lazer para as crianças, seja Dia das Crianças, Páscoa ou Natal. A gente sempre procura oferecer uma ação de ci-

dadania”, falou um dos presidentes da ABD, Rick Ferreira. Cada criança foi embora para sua casa com um brinquedo e um sorriso no rosto, depois de dois dias intensos. Para todos que participaram, tanto na realização quanto na organização, ficou um gosto de satisfação misturado com uma certa ansiedade para o próximo grande evento no Jardim Nicéia.


6 Out/Nov 2011

Voz do Nicéia

UNESP oferece cursos gratuitos

Há oportunidades em cursos técnicos, cursos pré-vestibular e também atividades físicas cursinhoprimeirodemaio.com.br

Estudantes se preparam para o vestibular Adriana Salgado Thaís Perregil

Moraes, ex-professor, “o projeto é muito bom. Dá chance aos alunos, que não teriam condições de pagar um cursinho particular se preparem para o vestibular”. Além disso, segundo Luís, “por o cursinho ser na UNESP, já ajuda a criar um ambiente acadêmico

comunesp.com

É bom ficar atento às oportunidades e aproveitar para melhorar suas habilidades e ganhar conhecimentos. A Unesp oferece diversos cursos gratuitos para a comunidade bauruense em diferentes áreas. A maioria deles são realizados pelos próprios alunos da universidade, mas com suporte dos professores que sempre dão auxílio e fiscalizam para garantir que não aconteçam erros. Isso traz mais qualidade ao curso e faz com que o aluno-professor tenha mais confiança. Para quem vai começar o Ensino Médio e também quer ter uma profissão, uma opção é o Colégio Técnico Industrial “Isaac Portal Roldán”. Administrado pela Unesp, o CTI oferece o ensino médio com cursos profis-

sionalizantes de eletrônica, mecânica e informática. O ingresso do aluno ocorre por meio de um vestibulinho para as primeiras séries de cada habilitação. As inscrições para os processos seletivos de 2012 vão até o dia 8 de novembro e podem ser realizadas através do site http://www.cti. feb.unesp.br/index.php . Já para quem está se preparando para entrar em uma universidade, a UNESP oferece cursos pré-vestibular. Os cursinhos Primeiro de Maio e Principia auxiliam pessoas que não podem pagar por um cursinho particular. É oferecido todo o material necessário ao aluno; material didático, biblioteca, acompanhamento pedagógico e atividades extracurriculares. As aulas acontecem todos os dias e são ministradas por alunos graduandos da UNESP. Para Luís Felipe

diferente para os alunos”, ressalta. Os alunos são escolhidos por meio de processo seletivo que acontece em duas etapas; a primeira com uma prova de conhecimentos gerais e a segunda com uma avaliação socioecômica, as inscrições acontecem no início do ano. São oferecidos também cursos que visam a prática de exercícios físicos. Além de contribuir para uma melhor qualidade de vida, a atividade física é importante para a inclusão social, desenvolvimento da auto-estima e também para a diminuição do estresse. A UNESP oferece aulas de atletismo, handebol, vôlei para jovens e adultos, escola de futebol para crianças de 7 a 14 anos e também aulas de lutas como karatê e aikidô. Há também uma academia aberta à comunidade. As aulas são gratuitas, os interessados podem procurar o departamento de Educação Física da UNESP que fica na avenida José Sandrín, próximo ao IPMET.

Diferentes idades e classes sociais se misturam em aula de Aikidô


Voz do Nicéia

7

Out/Nov 2011 João Paulo Monteiro

O Jardim Nicéia começou com famílias vindas de outras cidades dos estados de São Paulo, Paraná e Pernambuco. Hoje, já com aproximadamente 40 anos, o bairro é vizinho de três condomínios fechados. A equipe do Voz do Nicéia foi às ruas e perguntou:

“Como é a relação dos moradores com os condomínios que ficam nos arredores do bairro?” João Paulo Monteiro/Voz do Nicéia

“O bairro aqui é bom, as pessoas são boas e não tem violência. O problema é que a gente é pobre e não temos casas boas, então chamam de favela. Mas, na verdade, é um lugar calmo, com muita paz. Aqui é nota 10. Faço de tudo para não sair daqui, se fosse ruim, já teria saído há muito tempo”. Heraldo Monteiro, 50 anos, vigilante

?

Tira-dúvida

Nos dias 22 e 23 de outubro, foi realizado o Enem 2011. Com cerca de 6 milhões de inscritos, segundo o Ministério da Educação. A prova, que é baseada em questões de lógica e raciocínio, é separada em áreas do conhecimento. São elas: Ciências Humanas e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Matemática; e Redação. O exame pretende avaliar o desempenho do estudante ao fim da escola-

“Todos veem aqui como favela. Só porque não temos casas boas nem asfalto, é favela. Se o prefeito contribuir com obras e infraestrutura, e o povo daqui do bairro colaborar, não jogando lixo nas ruas, por exemplo, ia mudar muita coisa. Mas existe, sim, um certo preconceito quanto a nós moradores aqui do bairro. Quem é de fora acha que aqui ainda é uma favela”. Maria de Lourdes, 32 anos, faxineira “O bairro aqui é visto como sossegado. Em outros lugares, as pessoas invadem e roubam, mas aqui no bairro não. Antigamente aqui era pior, éramos vistos como favela. Há muitos bairros piores, onde “nego” rouba mesmo, mas aqui no Nicéia, se acontece um roubo, como acontece em todo lugar, a vila toda fica mal vista”. Regivaldo da Silva, 37 anos, pedreiro

João Paulo Monteiro/Voz do

“As pessoas do condomínio sentem receio e até mesmo medo. Falta instrução para os próprios moradores do Nicéia, porque eles próprios denigrem a imagem do bairro, já que um pequeno grupo de moradores vem aqui no condomínio, quebram o muro, ficam do lado de fora gritando e querendo entrar. Mesmo sendo um só grupo, pois todo o resto do bairro reúne pessoas boas, as atitudes desse pequeno grupo mancham a imagem do bairro inteiro e de seus moradores”. Ezequiel Pereira Goulart, 47 anos, porteiro do Residencial Sauípe

“Aqui a relação é de respeito, nunca houve nenhum problema entre os moradores do condomínio e os do Nicéia. Até mesmo as crianças são “na delas” quando, por exemplo, cai uma pipa aqui dentro, eles pedem”. Carlos dos Santos, 30 anos, porteiro da Chácara Odete

Carolina Seiko Cinthia Quadrado

Enem 2011

Uma grande oportunidade para entrar na faculdade

ridade básica. Podem participar alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio. Sandra Boconcelo, coordenadora do Colégio Dinâmico Vestibulares de Bauru, fala mais sobre o Enem e seus pontos mais importantes: Voz do Nicéia: O que é preciso para os alunos terem bom desempenho nas provas do Enem, e em outras avaliações de vestibular? Sandra Boconcelo: “O aluno

tem que ter cuidado na hora de ler as perguntas, além de estar concentrado. No caso do Enem, as questões podem ser longas, já que ele é muito interpretativo, assim, os alunos devem ter agilidade na hora de ler. Em muitos casos não é preciso ler por inteira a questão, então o aluno já pode ir até a resposta de olho nos dados do texto. Em relação às questões de outras provas, também é indispensável paciência na leitura e cuidado com o tempo para utilizar mais tempo nas questões mais

difíceis, como as de matemática”. Voz do Nicéia: Quais são as universidades que utilizam o Enem como prova? Sandra Boconcelo: “A Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) está sendo muito procurada por adotar apenas o Enem como avaliação. Mas outra que também utiliza a prova única é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Já as estaduais, como a UNESP, vão usar o Enem na composição da nota total dos alunos”.


8 Out/Nov 2011

Perfil

Voz do Nicéia

Mateus Ferreira Arquivo da família

Beatriz Haga Giovani Vieira

Não tem como duvidar: o esporte é uma paixão nacional. Quem nunca viu um campinho improvisado cheio de garotos imitando os passos dos craques do time de coração? Desde a infância, grande parte dos brasileiros sonha representar o seu país da mesma forma que seus

ídolos do futebol, do atletismo, do vôlei, etc. Com Mateus Silva Ferreira de 13 anos, morador do Jardim Nicéia, não é diferente. O esporte sempre esteve presente na vida do filho de Alexandra Santos Silva, a Dona Sandrinha. Influenciado pelo pai quando tinha três anos de idade, o garoto teve contato com o futebol; esporte que lhe renderia algumas premiações anos mais tarde. Foi nas brincadeiras de bola com os amigos na Rua 1, onde a família morava antes de se mudar para a Rua 4, que a vontade de se tornar jogador profissional aumentou. Corintiano de carteirinha, tem como inspiração Ronaldinho Gaúcho e o ídolo da torcida, Ronaldo Fenômeno. Pequeno e habilidoso; con-

seguiu se destacar não só no futebol, mas também em outros esportes cuja principal característica é a agilidade. Resolveu praticar atletismo e sua primeira medalha foi conquistada aos seis anos em uma competição de salto à distância. Logo perceberam que o menino poderia ter um futuro promissor. Começou a treinar com os amigos do bairro e formou algumas equipes para as disputas na escola e competições da cidade. Não é difícil perceber que Mateus é querido pela família e, assim como todo garoto, o jovem atleta sonha alto. Sua expectativa é ser um craque de um grande time de futebol, fazer muitos gols e ajudar suas três irmãs e sua mãe. Com algumas fotos nas mãos e mostrando as medalhas e troféus, Dona

Sandrinha fala do jovem com entusiasmo. “Eu tenho orgulho do meu filho. Ele é responsável, trabalhador e organizado. O Mateus é interessado em aprender e corre atrás dos seus sonhos”, comenta a mãe coruja. Ela também revela que o filho adora assistir a jogos de futebol na televisão e passa horas acompanhando a rodada da semana. Ganhar medalhas é o desejo de todo bom competidor, mas saber que nem sempre é possível conquistá-las é importante. Apesar de ficar triste quando perde ou quando seu time não está bem, Mateus considera a derrota um aprendizado. Como um verdadeiro atleta, ele sabe que precisa correr mais rápido, saltar mais longe e driblar obstáculos para realizar de seus sonhos. Ester Gabriele Mel

lo, 12 anos

Letícia Mendonça Juliana Santos

s,

ia Soare

Vitór Stéfani 10 anos

Pedro Rya

n, 7 anos

Vitória Ferreira, 9 anos


Voz do Nicéia - Novembro 2011