Issuu on Google+

A Flor Amarelinha

Nome: André Filipe Fernandes Esteves Nº: 2 Turma: 6º B


- Mas como é que vou conhecer o mar e a praia, se nem um pequeno passo consigo dar? – perguntou a Flor Amarelinha um pouco confusa. - Vais ver que num belo dia, em que não haja nem uma nuvem no céu, irás conhecer o mundo – respondeu o vento desaparecendo numa suave brisa quente.


Então, a Flor Amarelinha lá passou a noite um pouco assustada com o que disse o vento, mas também um pouco ansiosa. A partir dessa noite, a Flor Amarelinha olhava todos os dias, de manhã, para o céu para ver se havia alguma nuvem. Até que chegou aquele dia tão esperado. De manhã, a Flor olhou para o céu e não observou nenhuma nuvem, apenas se via o sol radiante, que gritava:


- Chegou o dia! A Flor Amarelinha, muito ansiosa, olhava para o céu, à espera do vento, até que de repente ele aparece e diz-lhe: - Este é o dia em que vais conhecer o mundo. Fecha os olhos e verás o que vai acontecer.


Então, a Flor fechou os olhos e qual foi o seu espanto quando os abriu. Ela estava a voar com o vento, como um pássaro. Amarelinha e o vento voaram por França, onde sobrevoaram a “torre Eiffel” e até conheceram um francês chamado Estevan. Voaram também por Nova York, onde participaram num espetáculo no “broadway” e até chegaram ao Brasil, onde dançaram e se divertiram no sambódromo no Rio de Janeiro. Por fim sobrevoaram a praia e o mar onde puderam ver e apreciar peixes magníficos a saltar. Finalmente, voltaram a Portugal e descansaram daquele belo dia.


No dia seguinte, a Flor Amarelinha sabia que se lutasse pelos seus sonhos iria realizรก-los.


andre