Issuu on Google+

A linda Gatinha e o gato arpão A linda gatinha É branca como a farinha. É muito fofinha Porque está sempre quietinha. O gato arpão É preto como o carvão. É muito agitado E está sempre pasmado. A dona da linda gatinha, Diz que ela está sempre a dormir. E diz que o gato arpão Está sempre a fugir. Um dia a linda gatinha ficou grávida Grávida dos gatinhos do gato arpão. O melhor é que os gatinhas Nasceram brancos como a mãe E os gatinhos Nasceram pretos como o pai. Ficaram todos felizes Felizes para sempre A dona cuidou dos gatinhos Mas os pais não foram embora.

Adriana Dias nº1

6º F


A Menina Curiosa Era uma vez uma menina que se chamava Beatriz, ela tinha tranças louras, olhos azuis curiosos e também pequenas sardas na cara. Gostava muito de “bisbilhotar” e mentir. Certo dia algo aconteceu. Vamos voltar ao início da história para ver como tudo começou. A Beatriz fez hoje 10 anos e anda cada vez mais mentirosa, só hoje já disse três mentiras e zero verdades: 1º Mãe, o cão mordeu-me! 2º Pai, deixaste a torneira aberta! 3º Mãe, a Matilde (maninha bebé) Arrancou as cortinas do meu quarto. A Beatriz estava a passar das marcas, a mãe, o pai, a sua irmãzinha, até o cão e o gato não estavam a achar graça ás suas brincadeiras. A menina que por acaso vivia numa quinta, foi levar as ovelhas a pastar e a gozar começou a gritar: - Socorro, socorro, um lobo, um lobo e vai atacar o rebanho! Mas afinal não ia nada atacar, nem sequer havia lobo! Os aldeões foram a correr para a Beatriz e ficaram muito zangados quando viram a menina sentada numa rocha a rir às gargalhadas. Ela repetiu isto três vezes, mas á quarta o lobo apareceu mesmo e a Beatriz fartou-se de gritar, mas os aldeões disseram: - Ah, não vamos ligar àquela pirralha, já nos mentiu muitas vezes. A Beatriz estava a chorar sentada numa pedra, sem o seu rebanho e arrependida do que fez. A partir daquele dia a menina nunca mais mentiu.

Jéssica Liliana nº 13

6ºF


A minha vida A minha vida É um livro aberto Onde tu foste descoberto. Não sei o que dizer Não sei o que pensar A minha vida em páginas em branco Que grande espanto. Na minha infância aprendi Que devia amar e respeitar Mas as páginas do meu livro Só dizem para voar. Agora ando no 6º ano Onde tenho muitos amigos No meu coração Que sempre estarão. Agora sei que o meu livro Não está em branco Mas sim, muito colorido Graças a vocês: Margarida M.; Daniela P.; Rodrigo; Daniela M.; M. Carolina; A. Carolina…. Adoro-vos

Shirley Nália Cumaio Andrade nº21 6ªF


Casos da vida

Neste momento é complicado de comer Sem dinheiro não se sabe o que fazer Há mulheres que têm vida dura Há até quem fique mesmo na loucura.

Há pais que abandonam os filhos Por causa do dinheiro Tudo culpa do Sócrates e do Passos Coelho Há miúdos que vão para a cadeia Sem ter qualquer ideia

Do que fez para o merecer Mas no final é a mãe que vai sofrer Também há rapazes que se metem na droga Pensando que é o seu mundo Mas eles estão a morrer a cada segundo.

Há raparigas que moram com a mãe pois não casaram Mas quando a mãe adoece e morre ficam na solidão Eu não desejo isto a ninguém Espero que me façam um dia também.

Carlos

nº9

6º F


Não tenho ideias

Não tenho nada para escrever Nem nada para comemorar, Não sei o que estou para aqui a fazer, É melhor descansar!

Só de pensar na nota que vou ter! O Não Satisfaz que vou ver, A humilhação que vou sofrer, O que é que a minha professora irá fazer?

Na quarta-feira tenho teste. Não me apetece estudar. Vou ligar o computador e vou Para o “Facebook” gostar, comentar e partilhar.

Se ligar a televisão, Vou ouvir falar de crise, Ou da manifestação E da falta de dinheiro para o pão.

Gonçalo

nº 12

6º F


Não tenho tema

Não consigo pensar O que vou fazer Não consigo trabalhar Assim vou ceder

Vou passear Ou ver televisão Talvez consiga arranjar Uma solução

É complicado arranjar um tema Isto começa a ser dilema Não vou reclamar Nem me vou chatear.

Pensando nisto tudo Tinha a solução na frente “ não tenho tema “ É o que me vai ficar na mente.

João Carvalho Castro

nº14

6º F


O meu animal

R é do Ramboré Quando mia já sei quem é.

A de antigo Quando brinco é meu amigo.

M de malandro Não faz nada do que eu mando.

B de bonito Foge quando eu grito.

O

de ouvido

Está sempre deitado ao comprido.

R

de rir

Volta e meia está a dormir.

E de encher O que ele mais gosta é de comer.

Ana Raquel Pedrosa Sousa nº 7

6º F


Poema sobre a Amizade

A amizade significa AMOR Pelas nossas amigas Que sempre Nos deram valor

A amizade é um sentimento Que sinto por muita gente Que está no meu coração Até mais não

A amizade é para durar Nos nossos corações Ela anda no ar Nós a iremos apanhar

Quando estamos tristes Os amigos vêm-nos contentar Para bons momentos recordar

Ana Eduarda

nº 4

6º F


T

é de Theo, ele come bolachas oreo

E

é de engraçado ele está sempre ao meu lado

O

é de oculto ele ainda é puto

D

é de dedos, eu fui á casa dos segredos

I

é de inteligente eu tenho mente

N

é de ninguém eu sou alguém

I

é de ilha no meu corpo tenho uma pilha

S

é de ser eu gosto de escrever.

João Dinis Peixoto Ferreira

nº 15

6º F


Textos do 6º F