Issuu on Google+

DisponĂ­vel em www.eb23-sever-vouga.rcts.pt


2

Editorial

E o segundo período chegou ao fim… Ficou marcado por acontecimentos de vária ordem, na escola, na vida, na sociedade e no mundo. Esperámos o bom tempo, o sol, a tão aguardada Primavera. Esta última começara já, mas o sol apenas apareceu algumas vezes, poucas. Deixou-nos a chuva abundante, que teima em não parar. Por outro lado, timidamente, a Natureza vai pintando a terra de todas as cores. No ar, andam num corrupio de voos rasteiros, os pássaros que entretanto chegaram de terras mais quentes. Apressam-se na construção e edificação dos ninhos, da vida nova e renovada que palpita por todo o lado. Toda a terra se prepara para atingir o seu esplendor, de cores, de vida de produtividade. O tempo é de Páscoa, de doces, de presentes, de tradições que se avivam e renovam nas nossas terras e aldeias. Também é tempo de pausa, de descanso, de reparar forças para enfrentar o próximo período que é mesmo o último. Sem querer antecipar os acontecimentos, expressamos aqui votos e desejos de um bom descanso. Boa Páscoa e Boas Férias A equipa do Jornal

Nesta edição:

Editorial

2

Mensagem da Direcção Executiva

2

O Baú das Histórias

3

Desporto Escolar

4

Visita de estudo ao Visionarium

5

Uma Aventura com o Tony...

5

CEF

6

Visita de Estudo ao “Moinho da Carvalha Gorda”

7

Se tivesse uma vassoura mágica…

7

A vassoura mágica…

7

Parlamento dos Jovens

8

Dia do Pai

9

Auto da Barca do Inferno

9

Semana do Teatro Desfile de Carnaval

10 11 e 12

Oficina de Artes e Educação Tecnológica

13

Dia de S. Valentim

14

Importância do pequeno – almoço e refeições intermédias/rotulagem

15

Dia do Pi

15

Venda de Plantas

15

“Vamos reciclar… plantar…cuidar…para as crianças no jardim brincarem.”

16

Jardim de Orquídeas

17

Biblioteca

18 e 19

Poesia

20 e 21

Mensagem da Direcção Executiva Numa sociedade plural e multifacetada, cada vez mais se apresentam à escola, novos desafios, outros trabalhos e outras preocupações. Estamos conscientes dos nossos deveres e esforçamo-nos na procura incessante de respostas e soluções para os problemas sentidos e que vão surgindo no dia-a-dia. É nossa preocupação dar à sociedade cidadãos conscientes, responsáveis, com capacidade de intervenção e sobretudo com espírito crítico. Apostamos na formação e valorização do jovem, enquanto pessoa com direitos, com deveres, mas também com conhecimentos e valores. Contudo, a tarefa é árdua e cada vez mais nos consciencializamos de que a educação e formação dos jovens carece necessariamente de um trabalho conjunto, onde entra o preponderante e fundamental papel da família, porque esta é e continua a ser a grande transmissora de normas, valores, conceitos e ensinamentos. É na família que tudo começa. O afecto, o carinho, a convivência, os hábitos, as regras, enfim, as orientações para a vida. Apesar de estarmos em plena era da imagem, onde imperam os meios de comunicação social e que têm necessariamente a sua influência nos jovens, dado o seu poder sedutor e atractivo, nada pode superar os modelos e sobretudo as palavras afectuosas transmitidas pelo pai, pela mãe, pelo avô, pela avó, enfim por quem quer que seja, no contexto de um lar. É um facto que as profundas alterações da sociedade, da vida em comum e do ritmo agitado que é imposto a cada um de nós dificultam, a aproximação e o estar em família. São muitas as solicitações e respostas exigidas a qualquer agregado familiar. O trabalho, as formas de ocupação dos filhos, os também necessários divertimentos e outros, impedem o estar em conjunto. Apesar do esforço, sabemos que muitas vezes, falta tempo para o necessário e proveitoso diálogo. Contudo, não nos podemos esquecer que na família e em família as palavras têm efeitos preciosos, quando carregadas de afecto, de confiança e de valor. Serão com certeza uma referência e irão marcar e perdurar para a vida. A um outro nível, de nada servirá preocuparmo-nos com a formação académica dos nossos jovens, se descurarmos a sua formação humana, isto é, enquanto pessoas. Aqui, reforçase o papel activo e efectivo de todos os intervenientes, sem demissão ou delegação de quem, ou do que quer que seja e sempre numa perspectiva de construção de uma sociedade melhor, mais justa e solidária. Assume especial importância, a prática e cultura de valores, como o respeito mútuo, a inter e entreajuda, o espírito de camaradagem, de civismo e, sobretudo a amizade. Ainda que as sociedades evoluam, pois somos e estamos abertos à mudança, à evolução e sempre para melhor, os jovens devem aprender e saber ser e estar, sobretudo a sentiremse firmes e estabelecer uma perfeita harmonia entre carácter e personalidade, trabalho este que depende de todos e essencialmente da família. Vamos então dar as mãos e unir esforços! A DIRECÇÃO EXECUTIVA


O Baú das Histórias

3

Com o objectivo de promover e fomentar o gosto pelo livro e pela leitura desde a primeira idade e de sensibilizar os pais e encarregados de educação para a importância do livro e da leitura no desenvolvimento da criança, as educadoras de infância do Jardim de Infância de Pessegueiro do Vouga, em reunião de pais propuseram, com o apoio das famílias, organizar o Baú das Histórias. Solicitámos aos pais que cada criança trouxesse para o Jardim de Infância um livro em bom estado de conservação. Adquirimos os baús e colocámos os livros que as crianças trouxeram, bem como livros do Jardim de Infância, livros das educadoras e requisitámos outros na biblioteca do agrupamento de escolas e fizemos assim dois baús, um para cada grupo de crianças. Estes baús mensalmente circulam por cada sala. Elaborámos um protocolo que foi assinado por todos os intervenientes, criança, encarregado de educação, educadora e assistente operacional. Este teve como objectivo responsabilizar os pais e as crianças pela conservação dos livros, devendo cuidar deles como seus amigos. Elaborámos também uma folha de registo que acompanha sempre a criança, e tem como finalidade registar os livros que a criança leva para casa e assinalar se gostou ou não do livro. No Jardim de Infância, as educadoras de infância têm também um dossier com fichas organizadas, onde fazem igualmente o registo dos livros que as crianças levam para casa. Esta requisição funciona do seguinte modo: cada criança escolhe um livro que leva para casa à quinta-feira e traz para o jardim-de-infância à segunda -feira. O livro que a criança leva deve ser lido e explorado em casa com a família, mãe, pai, irmãos e outros familiares que tenham junto a si, podendo fazer um registo do mesmo e levá-lo para dar a conhecer para o Jardim de Infância. Temos também uma agenda de registos em que semanalmente uma criança leva para casa e com a família regista o que quiser sobre os livros, o livro que levou, o que fez com os pais com o seu livro… Este projecto está a ter muito sucesso, podemos desde já evidenciar o envolvimento dos pais que fizeram sacos para as crianças transportarem os livros e que, semanalmente, participam nesta iniciativa. As crianças sentem-se felizes por os pais lhes lerem os livros que levam.

Jardim de Infância de Pessegueiro do Vouga


Desporto Escolar

4

BTT No dia 11 de Março realizou-se o 1º DownSchool EB de Sever do Vouga incluído no campeonato distrital do Desporto Escolar. A prova contou com a presença de 30 alunos das Escolas EB de Sever do Vouga, EB da Branca e Sec. da Mealhada. Classificações: Inf.A 1ºJoão Graça; Inf.B 1ºSérgio Jesus, 2ºGonçalo Simões, 3ºRafael Gonçalves; Inic. 1ºMarco Bastos, 2ºAlberto Ferreira, 3ºNuno Nogueira; Juv. 1ºMiguel Almeida, 2ºHenrique Gordo. As próximas provas irão ser realizadas na Branca e na Mealhada durante o 2º período. Os treinos desta modalidade realizam-se às quartas-feiras das 14:30-16:45 e estão abertos a toda a comunidade escolar.

Futsal

Ténis de Mesa

A nossa equipa disputou o Quadro Competitivo

O grupo Equipa de Ténis de Mesa treina regularmente às quartas-feiras das 14.25 às 16.50, fazendo parte deste grupo alunos da Escola Básica nº2 de Sever do Vouga e da Escola Secundária de Sever do Vouga. Ao nível de escalões etários, temos alunos nos escalões de Infantis B até ao escalão de Juniores, de ambos os sexos. O grupo-equipa de Ténis de Mesa realizou 3 concentrações: Em cada uma destas concentrações participaram doze alunos, destacando-se:

com as equipas da EB Fernando Caldeira -

I N F A N T I S

Águeda e EB de Albergaria tendo disputado 4 jogos e obtido 4 vitórias , marcado 53 golos e sofrido apenas 5,ficando em primeiro lugar do Grupo e assim, apurada para disputar as finais distritais que ocorrerão no dia 5 de Maio em Escola e local a designar . Os Atletas-(António Cabral, Carlos Duarte, Eduardo Nogueira, Fábio Lacerda, Francisco Albuquerque, José Bastos, Leandro Ribeiro, Mário Silva, Nuno Matos, Rúben Rodrigues, Rui Dias e Tiago Francisco) Os nossos atletas disputaram o quadro Competitivo com as Equipas da EB da Branca e EB de São João de Loure tendo disputado quatro jogos e obtido 2 vitórias e 2 empates ,marcado 24 golos e sofrido 22 evidenciando um ataque concretizador e uma defesa pouco concentrada que

I N I C I A D O S

comprometeu o apuramento. Ficando classificados em primeiro lugar com os mesmos pontos que a Escola da Branca. Tendo uma diferença entre os golos marcados e os sofridos menor que esta, iremos em princípio disputar a fase dos segundos no dia 4 de Maio em local e Escola a designar. Os Atletas-(André Lucas, André Martins, André Santos, Bruno Soares, Davide Silva, Duarte Fernandes ,Fábio Castro, Francisco Correia, Gonçalo Carvalho , Henrique Santos, Hugo Santos, Leonardo Martins, Miguel Costa, Pedro Tavares, Rafael Coutinho, Roberto Silva e Rodrigo Pinho.)

1ª concentração - Instituto Duarte Lemos Infantil B - masculino - Fábio Veiga - 1 Ponto Infantil B - masculino - Lucas Bastos - 1 Ponto Infantil B - masculino - Filipe Pais - 1 Ponto Infantil B – masculino - Guilherme Pereira - 1 Ponto Iniciado – feminino - Patrícia Tavares - 6 Pontos Iniciado – masculino - Daniel Ferreira - 5 Pontos Iniciado - masculino - Telmo Matos - 1 Ponto Iniciado - masculino - Miguel Martins - 1 Ponto Iniciado – masculino - Bruno Silva - 1 Ponto Juvenil - masculino - Nuno Marques - 4 Pontos Júnior - masculino - Tiago Sabino - 6 Pontos 2ª concentração - EB 2,3 de Valongo do Vouga Infantis B Masculinos Iniciados Femininos 9º classificado - Fábio Veiga - 2 pontos 2º Patrícia Tavares - 5 pontos 10ºclassificado - Filipe Pais - 1 ponto Juvenis Masculinos 10ºclassificado - Lucas Bastos - 1 ponto 1º Nuno Marques - 10 pontos Iniciados Masculinos Juniores Masculinos 6º Luís Neves - 5 pontos 1º Tiago Sabino - 6 pontos 8º Miguel Martins - 3 pontos 10º Nuno Batista - 1 ponto 3ª concentração Colégio S. João de Bosco – Competição por equipas A nossa escola participou com duas equipas, sendo que uma delas era mista, não tendo no entanto se qualificado para a fase EAE. Foram apurados para Fase Final EAE, a realizar na EB Dr. João Rocha Pai (Pavilhão Municipal de Vagos), no dia 13 de Abril, os seguintes alunos da nossa Escola: Apurados: Iniciados Femininos - Patrícia Tavares Iniciados masculinos - Daniel Ferreira Iniciados masculinos - Luís Neves Juvenis Masculinos - Nuno Marques


5 No passado dia 1 de Março de 2010, realizou-se uma visita de estudo com as turmas do 8ºA e 8ºB, ao Visionarium - Centro de Ciência Viva, de Santa Maria da Feira. A visita realizou-se no âmbito das disciplinas de Ciências FísicoQuímicas, Ciências Naturais e Ciências da Vida e do Ambiente. Com esta visita pretendeu-se promover a cultura científica, fazendo com que os alunos ganhassem um maior gosto pela ciência. O espaço do Visionarium constituiu uma surpresa total: desde jardins, lagos e um parque com muitas diversões… Mas era a hora de almoçar e a fome apertava, cada um de nós foi tirando o que tinha trazido na mochila e partilhamos com os amigos mais chegados. Havia uma guia que nos ia explicando todas aquelas experiências interactivas. Ficámos fascinados com as descobertas que fizemos. A tarde já estava longa, de regresso, cansados de tanta euforia, mas ainda com forças de continuar a diversão. Gostamos muito da visita de estudo e gostaríamos de voltar ao Visionarium. Sara Bastos e Vera Rodrigues 8ºA

Uma Aventura com o Tony... No Verão de 2008, João, Diogo, Guilherme e David decidiram ir fazer campismo para o Algarve. E o grupo era o seguinte: João, o brincalhão ; Diogo, o esperto; Guilherme, o aventureiro e, por fim, David, o mais forte e com jeito para lutar. Eles pediram aos seus pais para ir ao Algarve. Os pais ao início não autorizaram, mas os rapazes logo os convenceram. No dia em que apanharam o comboio, o João disse: -Vá rapazes, bora lá, antes que percamos o comboio. Vá!!!!!! A meio da viagem, eles encontraram o Tony Carreira, mas os seguranças não deixavam ninguém ir para a carruagem da frente onde se encontrava o artista. O Diogo falou com o segurança, convencendo-o e, de imediato, os quatro rapazes foram falar com o Tony. O Guilherme perguntou ao Tony: -P’ra onde vai? Pode dar-me um autógrafo? É que eu sou um grande fã seu! -Olá, eu vou para Sines perto de um parque de campismo. E podes-me chegar um papel e caneta para o autógrafo? – respondeu o Tony. -Nós vamos para esse parque - acrescentou o David. Durante essa viagem, não se passou mais nada. Os rapazes convidaram o Tony para ir para o parque com eles. E ele recusou, e foi para sua casa. Tony levara com ele uma pérola preciosa valiosíssima! Nesse dia, à noite apareceram umas pessoas na vivenda do cantor, apontaram-lhe uma arma à cabeça e pediram-lhe a pérola. Tony assim fez e eles, logo a seguir, amarraram-no. No dia seguinte, os rapazes, curiosos, foram lá à vivenda para conversar um pouco com o Tony Carreira, e encontraram o artista amarrado e muito desanimado com o que lhe tinha acontecido. De imediato, desamarraram-no e perguntaram-lhe quem lhe tinha feito aquilo. Ele respondeu que não conhecia os assaltantes e que lhe levaram a pérola. E tinha ouvido que iam vendê-la a Sever do Vouga, porque havia nessa vila, umas pessoas donas de uma ourivesaria, que seriam possíveis compradores. Os jovens logo comentaram que eram de Sever do Vouga e assim seria mais fácil de encontrar o comprador e os ladrões. O cantor perguntou-lhes se poderiam ir com ele para Sever. De imediato, lhe responderam que sim. Quando chegaram àquele concelho, Tony reconheceu um dos ladrões, mas nesse dia ainda não o seguiram pois todos os cinco estavam extremamente cansados!!… Foram todos dormir a casa do Diogo e do Guilherme. De manhã, bem cedinho, foram todos eles pela vila procurar os ladrões, mas disfarçados , para ninguém reconhecer o artista. Eles cruzaram-se com os ladrões e seguiram-nos até uma ourivesaria, mas não entraram para não os apanharem. Viram os assaltantes a vender a pérola por milhares de notas de 500 euros. De imediato, seguiram os assaltantes até à casa deles. Aí entraram e tentaram amarrá-los, mas não conseguiram pois os bandidos tinham armas. Mas como David tinha jeito para a luta, então mandou um pontapé na pistola de um deles e agarrou-a e conseguiu com a ajuda dos amigos, então amarrar os ladrões. Chamaram a polícia que veio rapidamente, prendendo os assaltantes. Entretanto o Tony e os rapazes foram à ourivesaria e entraram como possíveis compradores. E viram a pérola e como estavam muito atentos àquela preciosidade, os donos da ourivesaria apontaram uma pistola ao Guilherme, ao David, ao Tony e ao Diogo enquanto o João fora apanhado. Diogo, como é o esperto e estava livre, arranjou um plano para salvar o João e apanhar os compradores. Eles entraram na ourivesaria sem ninguém perceber, salvaram o João e agarraram numa pistola que estava lá e apontaram aos compradores. Logo de seguida, os compradores tentaram fugir, mas não conseguiram, e os rapazes amarraram-nos e chamaram a polícia. Tony recuperou a pérola. No dia seguinte, o cantor deu um cheque de 500 euros a cada um, para comprarem qualquer coisa… Diogo Costa, 5ºA Nº6


6

A Escola Básica n.º 2 de Sever do Vouga abriu este ano lectivo um Curso de Educação e Formação (CEF) - tipo 2 - de Serralharia Mecânica. O referido curso dá equivalência ao 9.º ano de escolaridade e tem a duração de 2 anos lectivos. Os formandos inscritos frequentam as disciplinas de Matemática, Português, Inglês, Físico-Química, Cidadania e Mundo Actual, Higiene Saúde e Segurança no Trabalho, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na Escola. A formação prática e tecnológica funciona na empresa metalomecânica A. Silva Matos, em Sever do Vouga, a segunda-feira durante todo o dia a quinta e sexta-feira durante o período da tarde. Neste momento, os formandos já aprenderam a soldar recorrendo a várias processos técnicos. Os conhecimentos e competências que estão a adquirir têm-nos motivado. Por outro lado, sentem que esta formação os está a aproximar do mundo do trabalho, da vida activa, e, por outro lado, da conclusão da escolaridade obrigatória. A aposta da escola neste tipo de curso é muito importante na medida em que permite a preparação de jovens para uma actividade profissional. Torna-se assim desejável que os formandos e as suas famílias valorizem e aproveitem este tipo de formação.

Jantar Convívio No dia 26 de Março, no Restaurante Quintas, os Formadores das disciplinas práticas, organizaram um Jantar/Convívio, com a presença da Directora de Recursos Humanos da A. Silva Matos, Dr.ª Sofia Guerra, das chefias, Srs. Marcelino e José Manuel, dos Formadores e dos alunos. Como é natural, a Vitela acompanhada de Arroz de Forno, foi o prato preferido dos presentes.

Trabalhos Realizados pelos alunos nas Aulas da Componente Prática

N

o decorrer do 2.º período cada aluno executou, ao longo das aulas da Componente

Prática, duas churrasqueiras, de modelos diferentes, sendo estas em aço carbono e aço inoxidável. Gentilmente, a Administração da Empresa A. Silva Matos, ofereceu as mesmas aos alunos.


7 No âmbito do Projecto “Nós Reciclamos” e tendo em conta o Plano Anual de Actividades, as EB1 da Remolha e da Vala, realizaram uma visita de Estudo ao Moinho da Carvalha Gorda (Campia – Vouzela) a 12 de Março. As turmas do 1º e 4º anos da Remolha apresentam os seguintes trabalhos relativos à visita em questão:

Visita de Estudo ao “Moinho da Carvalha Gorda” No dia 12 de Março de 2010, fomos visitar no autocarro da Câmara Municipal de Sever do Vouga, o Moinho da Carvalha Gorda. Ao chegar, fomos recebidos pela dona Susana que nos explicou a origem do papel dizendo que este foi inventado por um chinês de nome Ts´ai Lun há 2000 anos. Explicou-nos também que a matéria-prima daquele papel é o algodão que o torna mais resistente. Ficámos a saber que esta fábrica é amiga do ambiente pois não cortam árvores e aproveita roupas velhas. Assim, A partir de trapos de algodão produzem papel. Primeiro os trapos são cortados em pedaços muito pequenos pela guilhotina e colocados numa espécie duma tina (pilha holandesa) com água onde são "amassados". A fibra dos tecidos forma uma pasta que é depois utilizada para produzir o papel. Esta pasta é despejada num tanque onde se encontrava o senhor Zé Manel que nos mostrou os vários tamanhos de papel (A4, A3 e em forma de cartolinas). Com uns quadros de madeira (os filtros) retiram a pasta da água. Esta depois é prensada e seca formando folhas. As folhas depois de secas na estufa são laminadas para ficarem mais finas. Aprendemos também que este papel pode ser decorado com serrim, barbas de milho, borras de café, entre outros e também pode ser perfumado com cheirinho a rosas, a morango; aquele que nós mais gostámos foi o cheirinho a chocolate! No final da nossa visita estivemos numa pequenina loja onde podíamos comprar blocos, álbuns, diários, agendas e envelopes tudo feito com papel de algodão. Por fim, despedimo-nos da dona Susana e do senhor Zé Manel e voltámos para a escola muito contentes.

Se tivesse uma vassoura mágica… Se tivesse uma vassoura mágica, queria que ela me levasse ao céu. Lá podia ver as estrelas e as quatro luas: lua Nova, Lua Cheia, Quarto Crescente e Quarto Minguante. Também poderia ver as nuvens; como chove; se são fofas e como o sol brilha tanto! Mas não é só isto, também gostava de ir ao Gana, ver como aquelas pobres crianças vivem naquela parte do mundo. Gostava de as ajudar, dar-lhes de comer e beber; dormir e aquecer do frio; deixarem de ser escravas. Gostaria que tivessem uma vida normal como a nossa. Depois de isto tudo, gostava de ir para o Algarve, refrescar-me naquele ar quente e na areia profunda daquela praia de águas límpidas. Mesmo para acabar, gostava de ir para a minha casa, descansar e pensar nisto tudo. Vanessa Gomes, 5.ºE n.º 25

A vassoura mágica Eu, Marcelo, se tivesse uma vassoura mágica, queria voar, voar, voar… sem parar, até um sítio especial que quero muito visitar que é a cidade de Roma. Não sei porquê, mas sinto uma admiração extra para com esta cidade. Talvez seja pelos grandes monumentos ou então pela cultura italiana, que eu aprecio muito. Em Roma também se situa um grande estádio de futebol, onde se realizou a final de uma Champions League. Sou uma pessoa muito ligada ao futebol, por isso é que eu também gostava de ter a oportunidade de ir a Roma para poder apreciar todas estas coisas. Itália é um país muito bonito, e para mim destaca-se a capital, Roma. Com a vassoura mágica, poderia concretizar o meu sonho… Marcelo Dias, 5.ºE. n.º 15


8

Parlamento dos Jovens

A Equipa do Programa de Promoção e Educação para a Saúde (PES) do Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga continuou a desenvolver, junto dos alunos, as etapas relativas a este processo. No passado dia vinte de Janeiro decorreu, no Salão Nobre da Câmara Municipal, a Sessão Escolar, com a eleição de três “deputados”, dos trinta e um eleitos pelos alunos da Escola Básica Nº2, representantes das cinco listas candidatas. Para esta sessão foram convidados os ex-deputados da Assembleia da República, Armelim Amaral e Juvenal Costa; o Presidente da Câmara Municipal de Sever do Vouga; a Coordenadora de Directores de Turma e a Presidente da Associação de Pais da Escola Básica Nº2; a Presidente do Conselho Geral e a Directora Executiva do Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga. A mesma foi presidida por Armelim Amaral, que deu início aos trabalhos fazendo uma breve alusão às regras de funcionamento deste Órgão; de seguida os “deputados”, que revelaram atitudes/comportamentos louváveis e um desempenho notório que foi reconhecido tanto pelos convidados como pela equipa organizadora, apresentaram as respectivas Propostas de Recomendação sobre o tema, tendo sido aprovada aquela que melhor representaria os interesses do Agrupamento na sessão distrital. Foram eleitos t rês “j o v en s deputados”, como efectivos os alunos André Filho e Ana Carvalheira e suplente Carina Silva. Esta, decorreu no Cine Teatro de Águeda, no dia 9 de Março. Estes alunos defenderam com “garra” as medidas constantes na proposta; responderam com segurança às questões que lhes foram colocadas e questionaram com pertinência algumas recomendações apresentadas por outras escolas. Na votação final, apesar de terem obtido votos, estes não foram suficientes para participarem na sessão nacional. Os nossos alunos representaram condignamente o nosso Agrupamento, pelo que estão de parabéns. Equipa do PES


Dia do Pai

9

Festejar ocasiões especiais que apontam para a cidadania, baseada na aquisição de um espírito crítico e da interiorização de valores, foi um dos objectivos ao elaborar a prenda para o pai. Sendo assim a criança empenhou-se na realização da mesma, utilizando várias técnicas de expressão plástica.

Jardim de Infância de Talhadas

Auto da Barca do Inferno

Personagem da actualidade

Entra um membro do governo e dirige-se à barca do Diabo: M. Gov. - Eu vou!! Eu vou!!

Que traíste a nação…

Ganhar as eleições…

Entrai, não terás salvação!

Anjo - Um homem dedicado?! O povo foi enganado,

Diab. - Quem vem i, Tão animado?

O governo foi ladrão,

M. - Não entrarei!

E tu não terás perdão!

O que fiz, só eu sei.

A cantar assi Há-de ficar destroçado.

Diab. - Nós sabemos tudo,

(O membro do governo regressa

Não terás salvação!

à barca do Diabo)

M. - Eleito deputado, Dono da nação,

M. - Então e as missas que paguei?

Homem dedicado

Vou é à outra barca!

à sua profissão!

M. - O meu destino tenho de (Dirigiu-se à barca do Anjo)

Diab. - Homem dedicado?!

aceitar: Vivi a meu belo prazer

M. - Houlá! M. - Si !!! Si!!!

Diab. - Mudais de ideias…?

E acabei por pecar.

Poderei entrar nesta santa barca?

Ministro do governo…

Diab. - Então, entrai! Anjo - Aqui, nunca entrarás!

Diab. - Povo atraiçoado! País aldrabado,

M. - Sou um homem dedicado,

Estás condenado.

homem muito bem formado!

A barca irá viajar Com mais um passageiro Para carregar...

Entrai, ladrão, Patrícia Tavares - 9ºA in Ficha de Aval. L.P. Março 10


10

Semana do Teatro

De 23 a 26 de Março decorreu a 8ª edição da Semana de Teatro “ Um Cheirinho a Teatro”. A semana decorreu com bastante animação e alegria. Foi com grande satisfação, que este ano vimos subir ao palco do CAE muitos “actores de palmo e meio, meninos e meninas do ensino Pré-escolar, criando uma grande paleta de estilos, cor e fantasia. Honraram-nos com a sua presença os Jardins de Sever do Vouga, Silva Escura e Talhadas, com encenações muito criativas das peças: “ Qui,quiri,qui,qui”, “ O Coelhinho Branco” e o Macaco do Rabo Cortado”, respectivamente. Também as equipas das Unidades de Multideficiência de Silva Escura e da escola sede, EB23, marcaram a sua presença de forma admirável. O Clube de Teatro da nossa escola, levou à cena a primeira parte de “ Pinóquio”. A segunda parte do trabalho, será desenvolvida durante o terceiro período. No final do ano lectivo serão todos convidados a assistir ao trabalho por completo. Em virtude do Clube estar este ano de parabéns, pelo seu décimo ano de existência, durante o terceiro período irão ser levadas a cabo algumas iniciativas de comemoração, culminando numa soiré de teatro e convívio entre todos aqueles que ao longo destes 10 anos, integraram e enriqueceram este clube. Enriquecendo a iniciativa da Semana do Teatro, participaram também quatro escolas convidadas, a Escola EB23 da Branca, EB23 de São Roque, EB23 de Cucujães e EB23 do Pinheiro da Bemposta, às quais muito agradecemos. Como Coordenadora do Clube de Teatro, sinto que devo agradecer em primeiro lugar aos alunos que voluntariamente e dispondo do seu tempo livre, integram o Clube. Mostraram grande dedicação e empenho, entusiasmo e alegria. Em segundo lugar, quero agradecer a toda a população escolar, pela receptividade com que acolhem a iniciativa, alunos, docentes, auxiliares educativos e Direcção Executiva. Desejo ainda expressar o meu sincero agradecimento, aos docentes e alunos das turmas de Percursos Curriculares Alternativos, pela preciosa ajuda na elaboração dos adereços e cenários do “Pinóquio”.

Silva-Escura JI Silva

A Coordenadora do Clube de Teatro. Maria José Aguiar As Educadoras do Jardim de Infância de Silva Escura participaram no Projecto “Cheirinho a Teatro” com a apresentação da peça “O coelhinho Branco”, história tradicional portuguesa contada em forma de lenga-lenga. O nosso objectivo é promover o gosto pela leitura, apoiando iniciativas como o PNL (onde as crianças fizeram o reconto áudio desta história), bem como aproximar as crianças do teatro dando-lhes a conhecer os vários processos de construção de um espectáculo teatral: escolha da história, ensaio, colocação da voz , postura corporal, guarda roupa, cenários, personagens, figurantes, luzes, microfones, ensaio geral, enfim, o que está por detrás do pano. Foi um trabalho positivo que no nosso entender é visível as aprendizagens das crianças no que respeita ao teatro e á construção do espectáculo. Não podemos terminar a notícia sem um agradecimento especial à professora Maria José pelo apoio prestado na maquilhagem e guarda-roupa.


11

Os alunos da Escola Básica N.º2 de Sever do Vouga participaram num desfile de Carnaval, no dia 12 de Fevereiro, nas ruas de vila. Como habitualmente, o desfile de Carnaval foi organizado em conjunto pela Câmara Municipal, pelo Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga e pelas IPSS do concelho. Apesar do forte frio e vento que se fizeram sentir, o desfile correu bem, com animação e muita alegria. Participaram no corso as turmas dos diversos ciclos, desde as crianças do ensino pré-escolar, até aos alunos finalistas do 9.ºano e do curso de educação e formação de Serralharia Mecânica. Os alunos mais novos desfilaram com fatos alusivos à temática da ecologia, das energias renováveis e da protecção do meio ambiente. Os disfarces foram elaborados pelos alunos com a ajuda dos respectivos professores e testemunharam uma forte criatividade e beleza. Os alunos do terceiro ciclo participaram como elementos do staff. Os formandos do CEF animaram o cortejo transportando um conjunto de cabeçudos que muito agradou ao público que assistiu ao desfile com muito entusiasmo. Os espectadores encheram a artéria principal de vila para assistir ao corso e, no final do espectáculo, regressaram a suas casas satisfeitos com a criatividade e entusiasmo demonstrarados pelos alunos. Ficou, desde logo, assumido por todos o compromisso de que no próximo ano o espectáculo será ainda melhor. CEF


12


13


14


15

Oficina de Artes e Educação Tecnológica

«Mãos que fazem» Na Biblioteca da nossa Escola estão expostos, durante todo o mês de Março, os trabalhos desenvolvidos pelas turmas do 7ºB, 7ºC e 8ºA no âmbito das disciplinas de Oficina de Artes e Educação Tecnológica. Ora, explorando a linha com forte expressão geométrica, ora definindo a forma através da acentuação do contorno de um objecto, e utilizando a cor na organização dos elementos e na criação de mancha, foram as pinturas que resultaram do trabalho desenvolvido em Oficina de Artes. Com outro objectivo, o da exploração de materiais desperdício na elaboração de livros antigos e a criação de um brinquedo em madeira com movimento, em Educação Tecnológica, percebemos a importância do «saber fazer».

Os professores, Luísa, Paula, Clara e Angélico

Se eu fosse rico... Se eu fosse rico, doava parte do meu dinheiro para várias Instituições. Contudo, continuava a fazer a minha vida normal, podia gastar mais dinheiro numa coisa ou outra, mas continuava a fazer tudo o que faço. Se pudesse seguia a minha vida no futebol, mas se não fosse possível… Depois plantava jardins a toda a volta do mundo, plantava flores de todos os tipos. Sem me esquecer das árvores, porque nos dão oxigénio! Tentava fazer de tudo para termos um mundo melhor, mas também não podia deixar que o dinheiro me subisse à cabeça. Porque, se isso acontecesse, tornava-me mais arrogante e com muita mania… O dinheiro é uma coisa muito boa, mas temos de o gastar com juízo! Mais tarde, criava uma Instituição para pessoas sem lar e com problemas físicos e psicológicos. Com essa Instituição ficava muito feliz a ver todas aquelas pessoas contentes e com um lar. Aqui está um pequeno resumo do que eu faria se fosse rico! Marcelo Ribeiro 5.ºD

N.º11


16

Apesar de este dia ter coincidido com um domingo, a Equipa do Programa de Promoção e Educação para a Saúde (PES) do Agrupamento, não querendo esquecer a sua comemoração e tendo em conta a importância dos afectos na Comunidade Escolar, propôs aos alunos do Curso CEF a realização de postais alusivos ao tema, que foram vendidos pelos mesmos, no dia 11 de Fevereiro. Foram afixados, em vários locais da Escola Sede, cartazes com poemas, mensagens e ilustrações relativas a esta comemoração. Disponibilizaram-se ainda cartazes com ilustração e um poema a ser analisado e debatido com crianças da Educação Pré-Escolar e alunos do 1º Ciclo, consoante a solicitação dos Educadores / Professores. Os alunos do 2º e 3º Ciclos tiveram a oportunidade de analisar o poema, com o Director de Turma, na aula de Formação Cívica. De referir que havia vários poemas, consoante a faixa etária a que se destinavam.

Se eu fosse rico... Se eu fosse rico, primeiro ordenava alguém para arranjar melhor a escola (Está em péssimo estado...). Comprava uma nova casa com “ jacuzzi “ e massagens. E já agora, com piscina! Para mim, já era bom um “ Xbox “ ou uma “ Wii “. Fazia uma viagem com todos os meus colegas de turma, os meus professores (bem o merecem!) e claro, com a minha família. Também desejava conhecer o Sr. Presidente Cavaco Silva. Depois ia à melhor loja do mundo comprar um Air Bud (É aquela raça de cães inteligentes!) Viajava até ao espaço. Tenho curiosidade em saber o que lá existe. Concorria a programas em que as crianças respondem a perguntas. Também questionaria os melhores cientistas do mundo sobre determinados assuntos, como por exemplo, porque é que só existem o sexo masculino e feminino? Por fim, desejava ser um grande espião, para poder espionar toda a gente, na escola e em casa!

Francisco Martins 5.º D N.º 7


Sessão de Sensibilização para Pais/Enc. Educação

17

Importância do pequeno – almoço e refeições intermédias/rotulagem A Equipa do Programa de Promoção e Educação para a Saúde (PES), em colaboração com a Comissão Local de Desenvolvimento Social (CLDS), planificou uma sessão de esclarecimento para os pais e Encarregados de Educação, no passado dia 12 de Março, que decorreu nas instalações da Escola Sede e foi dinamizada pela nutricionista Dra. Ângela Henriques. Esta sessão foi antecedida pela auscultação da disponibilidade dos Encarregados de Educação em participarem na mesma, notando-se uma baixa adesão inicial, registando-se a presença de 17 participantes. A sessão foi aberta pela Directora do Agrupamento, seguindo-se a distribuição de um inquérito, cujo objectivo era testar os conhecimentos existentes sobre o tema, o qual foi preenchido pelos presentes. Após a exposição e exploração dos materiais apresentados pela oradora, verificou-se por parte dos presentes interacção no sentido de manifestarem algumas das suas preocupações e esclarecerem eventuais dúvidas. No final da sessão foi preenchido novamente o inquérito, com o intuito de comparar os conhecimentos antes e após a realização desta. Consideramos que, apesar da fraca adesão, mas tendo em conta a opinião manifestada pelos presentes, o balanço foi positivo. A Equipa do PES

Dia do No dia catorze de Março comemora-se o Dia Internacional do Pi (π). Tendo o referido dia coincidido com o fim-de-semana (mais precisamente num Domingo) este dia foi lembrado, na nossa Escola, no dia dezasseis de Março, o qual teve os seguintes objectivos: aquisição de informação, conhecimento e experiência em Matemática; estimular o espírito crítico, a criatividade, a iniciativa, a autonomia e a solidariedade; promover experiências novas; fomentar o diálogo e convívio entre alunos/alunos, alunos/professores, professores/professores e pessoal docente/não docente; promover o gosto pelo saber científico de um modo lúdico e desenvolver atitudes positivas face à Matemática e a capacidade de apreciar esta ciência. Foram feitos cartazes alusivos com a história do número e algumas curiosidades sobre o mesmo. No corredor central foi colocado um símbolo em metal e outro na Biblioteca, feitos pelos alunos do Curso CEF. Foi ainda afixada uma pequena amostra da parte inteira do número e das casas decimais do mesmo. Foram elaborados marcadores de página, alusivos a esta comemoração, os quais, em parceria com a Biblioteca da nossa escola, foram oferecidos aos alunos que requisitaram livros naquele dia. Foram, também, vendidos no bar, biscoitos com a forma do Pi, cuja adesão por parte dos alunos, foi bastante significativa. Feito o balanço final, consideramos que os objectivos a nos propusemos foram amplamente alcançados. O Departamento de Matemática e Ciências Experimentais

Venda de Plantas No âmbito da comemoração do Dia Mundial da Árvore / Floresta, o Departamento de Matemática e Ciências Experimentais, promoveu na última semana de aulas do segundo período, uma venda de plantas com o objectivo de sensibilizar a Escola e o Meio Envolvente para a importância da preservação da Floresta e mobilizar a Comunidade Educativa e Local para a importância do Reino Vegetal e sua protecção. Estiveram também disponíveis, além de plantas ornamentais, arbustos e ervas aromáticas, as quais contribuem para a confecção de refeições mais saudáveis. Esta iniciativa foi divulgada através da Caderneta do Aluno, nos 2º e 3º Ciclos, por e-mail para os Educadores da Educação Pré- Escolar e Professores do 1º CEB e de Cartazes que foram afixados na Escola Sede, Câmara Municipal, Centro de Saúde, Escola Secundária Com 3º Ciclo e noutros locais públicos ligados à restauração. Feito um balanço final desta actividade e considerando a grande adesão, quer por parte da Comunidade Educativa, quer por parte da Comunidade Local, à qual foi alargada, pode-se afirmar que a mesma foi, positiva, tendo-se atingindo os objectivos propostos.

O Departamento de Matemática e Ciências Experimentais


18

Este é o lema da comunidade educativa do Jardim de Infância de Pessegueiro do Vouga que, desta forma, vai ao encontro dos diversos projectos que dinamizamos no Jardim de Infância a designar Projecto Eco-Escolas, Planeta Azul, Saber Viver e uma Viagem pela Ciência. No âmbito do Projecto Eco-Escolas, e de acordo com o plano de acção que definimos, no tema espaços exteriores e após diagnosticarmos que os mesmos estavam totalmente degradados e desmazelados, delineámos os seguintes objectivos a atingir: sensibilizar as crianças e famílias para o embelezamento dos espaços exteriores do Jardim de Infância e promovermos um espaço acolhedor e de bem-estar para todos. Com estes propósitos pretendemos também alertar as crianças e suas famílias para a preservação da natureza. Estes objectivos vão ao encontro de outros definidos nos projectos já mencionados uma vez que todos eles pretendem promover a educação para a defesa do ambiente, promovendo hábitos de vida saudável, bem como, contribuir para a formação de crianças críticas, capazes do exercício de uma cidadania participativa, esclarecida e informada, envolvendo-as na procura de soluções concretas para alguns problemas ambientais identificados. Neste projecto é basilar trabalhar com as famílias e com a comunidade. Promover o intercâmbio entre o jardim de infância e a família é fundamental, pois só assim conseguiremos atingir os objectivos propostos. No nosso Jardim de Infância as famílias participam activamente em todos os projectos, são uma mais valia para a sua concretização. É de referir que todas as primeiras segundas feiras de cada mês, no Jardim de Infância de Pessegueiro de Vouga é realizada a recolha de óleo usado, pilhas, tampinhas, tinteiros e papel. São as crianças e suas famílias que trazem estes resíduos. Não podemos deixar de dar os parabéns publicamente a todos os pais e encarregados de educação pela participação, sendo de evidenciar que no mês de Março entregámos na fábrica de papel 850Kg de papel que vai ser trocado por papel reciclado para as crianças utilizarem no jardim de infância. Obrigada à Câmara Municipal e Junta de Freguesia que também são nossos parceiros activos. PARABÈNS E OBRIGADA A TODOS!!!!

Jardim de Infância de Pessegueiro do Vouga


19

Ao princípio estranha-se e depois entranha-se… como disse o poeta. Epidendrum denticulatum, oncidium nanun, cattleya velutina entre outros híbridos de orquídea deslumbraram de sobremaneira todos os que tiveram oportunidade de desfrutar da exposição de orquídeas realizada no passado dia 8 de Março no Salão Polivalente do Jardim de Infância de Sever do Vouga. Graças à generosa delicadeza dos participantes foi possível apreciar da beleza e adquirir conhecimento sobre muitas das subespécies presentes. Palavras como habitat, inflorescência, rizoma, agentes polinizadores, fazem agora parte do nosso património cognoscitivo. Não é possível desligar a memória e os afectos dos cheiros e sabores da nossa infância, a propósito, no próximo número do jornal faremos referência ao nosso património gastronómico que tão gostosamente preservamos através das receitas testadas no fogão da nossa cozinha… pão tradicional, sopa de espinafres, doce de abóbora com frutos secos, filhós em flor, bilharacos… folar. Um registo fotográfico evocativo do arranjo preparativo JI de Sever do Vouga para a exposição…

SOLIDARIEDADE EM ACÇÃO Os alunos do 6º C, em Área de Projecto, no primeiro período, elaboraram artigos com materiais reciclados, organizaram a “Feira Solidária” e ao produto da venda, juntaram mais algum dinheiro, para conseguir oitenta €uros. O dinheiro foi enviado para Moçambique e agora eis a foto da criança que apadrinhamos:

Sádia Momade A Sádia é uma menina de 9 anos, e que ingressou este ano na 5ª Classe. É órfã de pai e vive com a sua mãe Rabia e os seus 3 irmãos (2 rapazes com 6 e 20 anos; 1 menina com 14 anos) no bairro da Namutequeliua, onde se situa o nosso Centro Educativo. A mãe encontra-se sem emprego, cuidando da casa e dos filhos. A ajuda de um padrinho/uma madrinha será por isso uma ajuda preciosa na continuidade dos seus estudos e na procura de um futuro mais risonho. Assim com o vosso gesto ela ficou com muitos padrinhos e madrinhas D. N. 08.04.2000 Nota: fotografia tirada no Centro Educativo das Irmãs da Apresentação de Maria A acompanhar este documento veio uma carta da Directora do Centro Educativo a agradecer o nosso gesto e a explicar a grande necessidade de ajudar estas crianças. OBRIGADA A TODOS OS QUE COLABORARAM! Área de Projecto – 6º C

Corta-Mato A aluna Patrícia Tavares, nº 12 do 9.º A, representou a Escola, no âmbito do Deporto Escolar, nas provas de Corta-Mato. Na fase distrital a Patrícia obteve o 6.º lugar na prova realizada em Vagos. A 13 de Março de 2010 no Corta-Mato - fase nacional ficou classificada nos primeiros trinta lugares. Parabéns!


20

No segundo período lectivo a Biblioteca/Centro de Recursos Professora Luísa Lima do Agrupamento de Escolas de Sever do Vouga continuou a dar cumprimento ao seu Plano Anual de Actividades, promovendo e colaborando na dinamização de várias actividades. Destaca-se a continuação do trabalho em parceria com a Biblioteca Municipal de Sever do Vouga, tendo se realizado regularmente reuniões de trabalho concelhio. Neste âmbito, conjuntamente realizaram a sua Candidatura RBE 2010 dirigida a escolas do 1º Ciclo/ Centros Escolares com ou sem Jardim de Infância, não integradas no Programa RBE (Rede de Bibliotecas Escolares) e constituídas em Agrupamento. Esta candidatura justificou-se em termos de criação de uma rede concelhia de bibliotecas escolares apresentada conjuntamente pela autarquia e Agrupamento de Escolas. Na Biblioteca continuou-se o trabalho diário na literacia da informação, concretamente na orientação dos alunos na pesquisa, selecção e tratamento da informação e na realização de tarefas de carácter curricular e/ou projectos. No decorrer deste trabalho a equipa deparouse, mais uma vez, com a persistência (generalizada à maioria dos alunos das varadas faixas etárias) de dificuldades nas competências relacionadas com a realização autónoma de pequenos trabalhos individuais e/ou em grupo de pesquisa. Os alunos continuam a apresentar muitas reticências na utilização e consulta de materiais em suporte papel, preferindo a Internet por considerarem que é um meio mais simples e menos trabalhoso de obtenção da informação. Contudo, ao utilizarem a Internet não sabem (apesar de considerarem o contrário) utilizá-la como mio de obtenção de informação, não sabem fazer selecção e tratamento da informação, por vezes nem sequer conseguem seleccionar as suas fontes de trabalho. Neste sentido, a equipa da Biblioteca em parceria com a Equipa do Plano Tecnológico propuseram aos Directores de Turma da Escola sede realizarem sessões/acções de formação e sensibilização dos alunos para a pesquisa, selecção e tratamento da informação de uma forma autónoma, rentabilizando os recursos educativos e humanos ao seu dispor existentes na Biblioteca. A inscrição nestas sessões, por uma questão de calendarização e prioridade na acção, foram, primeiramente, destinadas aos alunos do 5º ano de escolaridade. A Biblioteca espera começar a realizar estas sessões, às 4ª feiras à tarde logo no início do 3º período lectivo. A propósito, lembra-se que esta proposta foi também extensível às Escolas do 1º Ciclo com a possibilidade de deslocação às suas instalações de elementos das duas equipas. Ao longo do período a Biblioteca colheu exposições temáticas periódicas que animaram e enriqueceram o seu espaço. Semana da Leitura (22 a 26 de Março) extensível a todo o Agrupamento. Esta semana, da responsabilidade da Biblioteca, contou com várias actividades que estiveram (como o próprio nome da actividade indica) sempre relacionadas com a leitura e a importância dos livros. De todas as actividades realizadas ao longo desta semana ressalvam-se as seguintes: “Clube de Leitura” as alunas responsáveis pela dinamização deste Clube fizeram a leitura de histórias e declamação de poesia (até porque se integrou a comemoração do Dia Mundial da Poesia); “ Perlimpimpim, inventem vocês o fim” actividade em que uma história foi propositadamente contada só até meio para que, os alunos pudessem depois recriar, reinventar, imaginar o seu fim ou, pelo menos, um fim alternativo. “ Um Mundo de Fantasia” - a turma F, do quinto ano de escolaridade, apresentou o resultado do trabalho desenvolvido na área curricular não disciplinar de Área de Projecto. Assim, fantasiados de personagens de contos infantis escolhidas por si (Jasmim, Aladino, Bruxas Mimis, Harry Potter) receberam e honraram com a sua presença lendo uma história infantil às crianças das creches e jardim -de-infância. A história escolhida pela turma foi “Alice no País das Maravilhas”. Nesta Semana estiveram presentes as Creches da APCDI (Sever do Vouga), da Fundação Bernardo Barbosa dos Quadros (Rocas do Vouga), do Centro Social Maria da Glória (Silva Escura) e o Jardim de Infância de Sever do Vouga. Para estes últimos a turma dinamizou, ainda, uma pequena, mas divertida, caça ao ovo dentro do espaço da Biblioteca. A Equipa da Biblioteca aproveita para informar que este género de actividade está também a ser desenvolvido em Área de Projecto, em mais duas turmas do quinto ano de escolaridade (turmas C e D) e que, no terceiro período lectivo, as três turmas realizarão, na Biblioteca, varias sessões destinadas às Escolas do primeiro Ciclo e Jardins de Infância do Agrupamento que se inscreveram até ao Carnaval.


21

“Chá com Livros” realizada a meio da semana (4ª feira), direccionou-se para os membros adultos (pessoal docente e não docente) da comunidade educativa. Foi uma amena e agradável conversa à volta dos livros “da vida” dos presentes, do seu gosto pela leitura, acompanhada de um chá. “Encontro com … Fernando Pinto do Amaral”, professor universitário, poeta e actual Comissário do Plano Nacional de Leitura, com raízes familiares no nosso concelho. Esta actividade foi programada em parceria com a Biblioteca Municipal, realizouse nas suas instalações e direccionou-se para os alunos do 3º Ciclo e Secundário das Escolas Básica nº 2 e Secundária com 3º Ciclo de Sever do Vouga. “ Trivial na Biblioteca”as turmas da Escola sede do Agrupamento interessadas em participar neste jogo do conhecimento à volta da Língua Portuguesa, dos livros e do prazer da leitura, constituíram equipas de 4 alunos. Na próxima edição divulgaremos o nome das equipas melhor classificadas que receberam, como prémio de participação um certificado e um “miminho doce”, alusivo à festividade cristã que estamos a viver. No último dia da semana, da parte da tarde, expuseram-se fotografias respeitantes às actividades desenvolvidas ao longo da semana, como balanço e retrospectiva da actividade. É ainda importante referir que esta Semana da Leitura, propositadamente coincidiu com a realização da Semana do Teatro - “Cheirinho a Teatro” - porque a equipa da Biblioteca considerou importante associar-se a este evento que é também um hino aos livros e aos autores que servem de inspiração, de matéria-prima, ao trabalho das escolas participantes e dos jovens actores. Por outro lado, considerou a Biblioteca ser esta uma forma de singelamente homenagear o trabalho que nos últimos dez anos tem sido desenvolvido pelo Clube de Teatro da Escola sede, trabalho que tem também sido desenvolvido em parceria com a Biblioteca. A Semana da Leitura coincidiu também com o prazo de entrega dos trabalhos das Escolas do 1º Ciclo e Jardins de Infância do Agrupamento que decidiram participar no concurso “Conta-nos uma História” – Podcast na Educação, promovido no âmbito do Plano Tecnológico da Educação (PTE), através da DGI e DGIDC, do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e do Plano Nacional de Leitura (PNL). Este concurso implicou a concepção e desenvolvimento de recursos digitais áudio, que resultaram da produção colaborativa ou do reconto de histórias já existentes (contos, fábulas, lendas, entre outros). Os objectivos do projecto relacionaram-se com o incentivo e promoção da utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), em especial das tecnologias de gravação digital áudio, nas Escolas do 1º Ciclo e Jardins de Infância. Para a gravação digital audio final foi solicitada a colaboração da Equipa da Biblioteca e Equipa PTE, por inexistência nos estabelecimentos de ensino dos recursos adequados. Assim, ao longo desta semana a professora bibliotecária e a coordenadora da Equipa PTE deslocaram-se a todas as escolas que solicitaram o seu apoio para fazerem os registos digitais áudio. As Escolas do 1º Ciclo e Jardins de Infância que participaram neste concurso foram: Jardins de Infância de Silva Escura (2 turmas), de Rocas (1 turma) e de Sever do Vouga (1 turma). Escolas Básicas do 1º Ciclo de Sever do Vouga (3 turmas), da Remolha (2 turmas), da Vala (2 turmas) e Dornelas (1 turma). Equipa da Biblioteca

No dia 15 de Janeiro de 2010, os alunos da Escola e Jardim-de-infância de Dornelas foram fazer uma visita de estudo à Fábrica da Ciência em Aveiro. Saímos de Dornelas às 9 horas e quando lá chegamos fomos lanchar. Os alunos foram divididos em dois grupos. Enquanto os mais velhos participaram numa experiência com ímanes «Atracção Fatal», viram brinquedos indianos e ouviram uma história sentados na manta. O grupo dos mais novos foi participar noutras experiências relacionadas com os órgãos dos sentidos e outras actividades mais adequadas à sua idade. Foi uma «experiência» que todos gostariam de repetir.


22

Dando lugar à Poesia... “No jardim do 5.ºA”

NO CORAÇÃO No coração Há uma gaveta Chamada emoção Pessoas sensíveis Abrem essa gaveta com facilidade. As lágrimas a cair E a gaveta A abrir cada vez mais. Também existe uma gaveta Da perda, quando se perde Alguém, essa gaveta vai-se Embora durante algum tempo, Por isso se diz que o nosso Coração tem várias gavetas Com os nossos sentimentos Alguns corações deixam as gavetas saírem com facilidade E outros quase nunca Se abrem deixando sair As gavetas. Mas quase todos os corações são bonitos e amigos solidários

No nosso jardim tão verde Nada temos a temer Respiramos ar tão puro Que temos saúde a valer. Mesmo que não aprecies O jardim do 5.ºA Jardins e espaços verdes Sem trabalho é que não há. Nesse jardim florido Onde qualquer planta cresce Nada tem de poluído E o ambiente agradece.

Neste carnaval de 2010 Há uma grande alegria Com o nosso jardim florido Sem lixo nem porcaria

Adriana Gomes, 5.º A, n.º 1 Gestores, cuidem com carinho Do nosso jardim, acolhedor Onde não me sinto sozinho Pois é onde estudo com fervor.

Luís Florindo, 5.ºA, n.º 13 Diogo Barbosa, 5.º A, n.º 7

Nós vamos lá brincar, E, ao mesmo tempo, limpar. Não faças um frenesim À volta do nosso jardim! Diogo Costa, 5.ºA, n.º 6

Convite EB1/JI de CEDRIM

Mariana Matos, nº19, 6ºD

FEIRA DO LIVRO e Chá com letras 19 a 23 de Abril 2010 (feira do livro) dia 23 de Abril (chá com letras - 21 horas)

A Primavera Chega de melancolia Toca a animar A Primavera é harmonia Vamos lá todos cantar. As flores a crescerem As árvores a renascerem Depois de um Inverno a chover Que chegue a Primavera para vencer. Tua alegria e magia Teus pássaros a cantar Traz-me sol e fantasia Para meu coração alegrar. E se o bom tempo chegar Cá estou eu para o receber Pois chega de fins-de-semana Em que nada pude fazer.

As Meninas Sofia Apanhava uma afia. Clara Brincava com a Sara. Andreia Brincava na areia. Maria Inês Fala chinês. Catarina Calçou uma sabrina. Teresa Teve uma surpresa. No fim foram todas brincar E a seguir passear.

Diana Nº7, 6ºC Beatriz Nº2, 6ºC

Jogo das rimas O Pedro João Foi passear o cão; Encontrou a Inês Que tinha um amigo chinês. A Maria Inês Foi jogar xadrez, Contou até três E falou Japonês.

Beatriz Nº2, 6ºC

C de Catarina Catarina com suas cartas Catarina com seus cavalos Seus camaleões castanhos Suas cadeiras de cobre Seus comandantes Sua capa cinzenta Catarina com seus castelos de cristal É a mais bela de Portugal. Catarina Nº6, 6ºC


23 Imaginar o que o vento e o mar teriam segredado ao menino sentado no cais, foi o desafio lançado pela professora nas aulas de Língua Portuguesa, após leitura do belíssimo poema: “Menino no Cais”, de Sebastião da Gama. Eis algumas das melhores estrofes. Vai, menino vai, À procura do teu sonho! Sai, menino sai, Em busca do teu caminho! Deixa essa margem, Em busca do teu destino! Márcia Duarte O mar que segreda Viagens e tormentos, Com tantas histórias Trazidas pelos ventos. Um barco ancorado Devido às marés, Menino sentado, Com futuro a seus pés. Helena Cristina O vento e o mar Segredam-me ao ouvido: O mundo é espaço Para se conquistar, Sem armas nem aço A Harmonia e a Paz. O caminho é longo, Mas tu és capaz! Andreia Morgado O vento segreda-me Para nunca desistir Dos meus sonhos de paz. Nunca admitir Que não serei capaz De conquistar mares, Ver novos lugares António Gorm Que me diz o vento, Que me diz o mar? Dizem-me palavras difíceis: Não as sei interpretar. Fábio Matos O mar segredou-me Ninguém sabe o que ele diz, Mas a mim disse-me, Para ser feliz. João Gonçalo Pergunto ao vento, Mas nada me diz Para ele de nada valho Não sabe o que fiz. José Gonçalo

O vento sopra mansinho Segredando para o mar Parece quererem dizer-me: “Amigo, nunca te vou deixar!” Domingos Roberto O vento segreda Que sonha nadar O mar segreda Que sonha voar. Sara Domingues Segreda o vento, Segreda o mar, Para os meus sonhos Ir concretizar. Carina Silva O vento e o mar Dizem-me que é tempo de mudar: Mudar de vida, Mudar de lugar! Ana Santos O vento e o mar Segredam-me para seguir Seguir os meus sonhos, A minha vontade de ir Ana Cláudia Quero seguir os meus sonhos Naquele barco navegar, Que escondes tu, vento? Que escondes tu, mar? Ana Silva O vento segreda-me ao ouvido, Traz-me esperança para lutar No barco está o meu sonho Para um dia realizar. Jessica Coutinho Segreda tristeza de perder quem ama Segreda sonhos De um dia a vida ser eterna. Amanda Rodrigues O vento segreda Coisas de encantar, Muito parecidas Com as que segreda o mar. Raquel Rodrigues

Visita ao Museu Marítimo de Ílhavo No dia 19 de Março a EB1/JI de Cedrim visitou o Museu Marítimo de Ílhavo. No museu vimos barcos e instrumentos de trabalho ligados às actividades agro-marítimas da nossa Ria de Aveiro – a pesca, a apanha do moliço, as salinas e o transporte de pessoas e de animais. Algumas destas actividades já se encontram em desuso. Actualmente, os barcos moliceiros e saleiros são utilizados para o turismo. Com esta visita ficámos a conhecer melhor a nossa região e o seu passado. Para além do museu, o 1º ciclo também visitou o Barco Santo André e foi a São Jacinto de lancha. Vivemos momentos de alegria, de aventura e de conhecimento. Texto colectivo dos alunos da EB1/JI de Cedrim


24

Boa Pรกscoa!


Jornal do Agrupamento