Page 39

O ESTIGMA DE QUE INVESTIR EM SUSTENTABILIDADE É GASTAR EM UM VALOR INTANGÍVEL COMEÇA A PERDER CREDIBILIDADE DIANTE DOS BENEFÍCIOS GERADOS: FACILIDADE NA HORA DE CAPTAR RECURSOS, ABRIR CAPITAL, CONTRATAR FORNECEDORES, PROSPECTAR FUSÕES, ENTRE OUTROS Inseridas em uma lógica paradoxal, as instituições de saúde, criadas para tratar, prevenir e curar doenças, também são responsáveis por graves danos sociais e ambientais, afinal, lidam com grandes quantidades de lixo, substâncias químicas, resíduos tóxicos, alto consumo de energia e de água, além de interferirem em comunidades locais, entre outros fatores. Ignorar os impactos do setor e não investir em medidas para minimizá-los é escolher o caminho da insustentabilidade. Esta foi a conclusão evidente do IT Mídia Debate sobre “Responsabilidade Social Empresarial” que reuniu, além de uma plateia ativa, o consultor da Lanakaná Princípios Sustentáveis, Rodrigo

Henriques; o diretor clínico do Hospital Santa Paula, Otavio Gebara; e o presidente do Conselho Consultivo do Projeto Hospitais Saudáveis, Vital de Oliveira. Mesmo que lentamente, quando comparada aos setores financeiro e de energia, a Saúde já começa a entender a importância de olhar para os pilares econômico, social e ambiental de forma integrada. “Há dez anos praticamente não existia uma área ambiental em nenhum hospital. Agora encontra-se com certa frequência em instituições mais estruturadas”, diz Oliveira, lembrando que o engajamento de profissionais da área cresceu com os problemas decorrentes do lixo hospitalar. Assim, diante do interesse

por um comprometimento efetivo com a sociedade e o meio ambiente, os caminhos parecem estar melhor delineados. O Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) é exemplo disso, pois dedica-se a transformar o setor de Saúde em um exemplo sustentável, colocando o ser humano no centro da questão por meio de pesquisas, desenvolvimento e divulgação de tecnologias, práticas e informações setoriais, articulando-se junto a profissionais e empresas, e avaliando e prevendo riscos. A entidade representa no Brasil a coalização internacional Saúde Sem Dano e dentre suas ações prioritárias está a Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis (HVS), composta por 40 organizações dedicadas a reduzir seu impacto ecológico e promover a saúde pública.

39

lay_panorama_Debate.indd 39

10/09/13 11:30

Fh 215  

revista Médica

Fh 215  

revista Médica

Advertisement