Issuu on Google+

SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 6ª Reflexão: A SANTIDADE NA HORIZONTAL TEXTO: Efésios 4.25-32 1. INTRODUÇÃO Viver a santidade na horizontal implica em despojar do velho homem que existe dentro de nós e revestir do novo homem que o Espírito Santo deseja implantar em nós. - O processo de santificação só se desenvolve quando tomamos a decisão de nos despojar da velha vida caracterizada pela ignorância, vaidade e engano, impureza e concupiscência. No lugar dessas velhas roupas devemos nos revestir do novo homem, que significa um novo modo de viver, caracterizado pela retidão e justiça. - Esta transformação só começa a acontecer quando decidimos quais atitudes pecaminosas devem ser despojadas de nossas vidas e quais qualidades positivas ou tipos de ações cristãs devem ocupar este lugar que ficou vago em nossas vidas. Sempre pensamos na santidade na vertical, ou seja, apenas em nosso relacionamento para com Deus. - Crescemos dentro da igreja associando o termo santidade ao nosso relacionamento com Deus, ou seja, em coisas que devemos abandonar e coisas devemos praticar para agradar a Deus. Dificilmente pensamos em santidade na horizontal, ou seja, em nossos relacionamentos interpessoais. - No modelo de igreja que estamos vivendo até hoje, dissociamos, consciente ou inconscientemente, a santidade que devemos expressar em nosso relacionamento com Deus da santidade que devemos expressar em nossos relacionamentos familiares, de amizade, profissionais, sociais, etc. Mas a santidade bíblica contempla igualmente nosso relacionamento vertical e nossos relacionamentos horizontais. - A santidade não é uma condição mística experimentada em relação a Deus, isolada dos seres humanos. Ninguém pode ser bom apenas “teoricamente”. - Nossa bondade precisa ter expressão no mundo real em que vivemos e deve nos levar sempre à harmonia social. - Por outro lado, os males que devemos evitar, contrários à santidade, são todos destruidores da harmonia social. A santidade bíblica não implica apenas em evitar as atitudes negativas. - A santidade bíblica vai além, ela nos leva a substituir definitivamente as atitudes negativas pelas atitudes positivas. Para sermos santos não basta despir dos velhos farrapos que herdamos da nossa natureza humana. - Para sermos santos devemos vestir roupas novas, preparadas sob medida para cada um de nós, pelo grande estilista de todos os tempos, chamado Jesus Cristo. Para sermos santos não basta deixar de mentir e de furtar e de perder o nosso autocontrole. - Para sermos santos precisamos também começar a falar a verdade, a trabalhar honestamente e a sermos bondosos uns com os outros. A igreja dos nossos sonhos esta totalmente comprometida com a santidade na vertical, ou seja, em seu relacionamento para com Deus. - Mas a igreja dos nossos sonhos também esta totalmente comprometida com a santidade na vertical, ou seja, em seu relacionamento pessoal: uns com os outros.

1


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 2. DESENVOLVIMENTO 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. “Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros” (v. 25) Mentira é falar do que não é verdadeiro. - A palavra grega traduzida por mentira refere-se, com toda probabilidade, ao falar do que não é verdadeiro. A mentira ocorre de modo particular, embora não único, na mente. - Quem mente ao outros, mente primeiro a si mesmo. No lugar dessa falsidade que caracterizava nossa vida sem Cristo, temos o dever, como cristãos, de falar somente a verdade com o nosso próximo. - O costume da mentira tem que ser abolido de nossas vidas, porque uma vida moldada segundo a semelhança de Deus fala somente a verdade. Quais as razões bíblicas, pelas quais temos que abolir a mentira da nova viva que vivemos com Cristo? a) Porque a mentira é condenada por Deus desde o tempo do Velho Testamento: - “Eis as coisas que deveis fazer: falai a verdade cada um com o seu próximo; executai juízo de verdade e de paz nas vossas portas” (Zacarias 8:16). b) Porque a pessoa que não honra sua própria palavra provoca o rompimento da comunhão cristã. A prática da mentira leva a desconfiança e a suspeita, inviabilizando a vida comunitária que deve existir no Corpo de Cristo. - Romanos 12.5 afirma: “Assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente membros uns dos outros”. Sempre que tentamos enganar uns aos outros, estamos rompendo os laços de amor e comunhão a que fomos trazidos em Cristo Jesus. - Quando você mente para o seu cônjuge, para o seu filho(a), para o seu pai/mãe, para o seu irmão na fé está negando sua comunhão com Deus. - Você está rompendo este laço de comunhão, de amor que existe entre você, Deus e esta pessoa, através da ação do Espírito Santo. Nós pertencemos uns aos outros como membros do corpo de Cristo. - Por isso, devemos ser totalmente honestos uns aos outros. Crisostomos, um líder dos primórdios do cristianismo, ilustra esta verdade com muita propriedade com as seguintes interrogações: - “Se o olho vê uma serpente, ele engana o pé?”. - “Se a língua sente o gosto daquilo que é amargo, ela engana o estômago?”. Quando somos francos e temos perfeita confiança uns nos outros, o corpo trabalha em harmonia e, portanto, de forma eficiente. - Não havendo franqueza e verdade, só pode haver desunião, desordem e problemas. Recapitulando: 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. “irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” (v. 26) “nem deis lugar ao Diabo” (v. 26).

2


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 Outra característica da velha natureza é o temperamento deliberadamente mau, ou seja, a ira injustificada. - Por meio da expressão “irai-vos, e não pequeis”, o apóstolo Paulo está nos ensinando o seguinte: “Vocês podem ficar irados, senão puderem conter, mas não pequem devido a isso”. Na verdade, o apóstolo Paulo está fazendo uma citação literal do salmo 4.4: - “Irai-vos e não pequeis; consultai com o vosso coração em vosso leito, e calai-vos”. Por meio deste ensino, podemos entender que existe uma ira justa. - Jesus Cristo irou de forma justa quando expulsou do pátio do Templo aqueles que vendiam bois, ovelhas e pombas, e também os cambistas que ali se encontravam (João 2.13-17). - A sua ira nunca o levou a pecar, porque mantinha suas emoções sob perfeito controle. A ira justa é aquela que provem da justa indignação. - A ira justa não exprime apenas provocação pessoal ou orgulho ferido, mas, sobretudo, retidão e justiça. A ira justa é aquela que não possui motivos pecaminosos. - A ira justa é aquela que não traz em seu conteúdo nenhum tipo de pecado. Temos que impedir que a ira se torne em uma obsessão em nossas vidas. - Quando a ira se torna uma obsessão, o Diabo encontra brechas para manifestar sua malignidade por meio de nossas vidas. Satanás usa todas as artimanhas possíveis para prejudicar nossa boa reputação perante o meio no qual estamos inseridos. - Ele explora até mesmo as boas intenções que existem dentro de nossa alma para contaminar nossas emoções e nos levar a praticar o mal. As pessoas sábias, que conhecem suas fragilidades, não guardam conteúdos passionais contra as pessoas ou suas ações dentro de sua alma. - A alma não é um bom lugar para guardarmos nossas emoções tóxicas. - Elas podem ser transformadas no combustível perfeito, nas mãos de Satanás, para incendiar nossas vidas e enfraquecer o amor que o Espírito Santo de Deus vem implantando em nosso espírito desde o início da nossa conversão. “Não devemos deixar o sol se por sobre a nossa ira”. - Esta é uma sábia instrução prática que devemos considerar para o nosso próprio bemestar. Isto porque o sentimento que começa como “justa ira contra pecados” pode ser corrompido e adulterado dentro de nós. - Ele pode ser facilmente transformado em um amargo ressentimento voltado contra aquele que expressou uma fragilidade humana. A ira justa pode se transformar em ressentimento pessoal, quando acolhida e alimentada em nossos corações. - Isto acontece por causa dos constantes ataques da tentação da malícia e da amargura que sofremos a todo instante. Sobre este assunto os filósofos pitagóricos, seguidores de Pitágoras, tinham um lema bastante parecido. - Plutarco disse deles que, “quando atraídos ao revide irado, tinham por norma reconciliarem-se antes do pôr do sol”. Com certeza, ao dar este conselho Paulo tinha em mente a recomendação do Salmo 4:4, especialmente a parte “b” do versículo que diz: - “consultai com o vosso coração em vosso leito, e calai-vos”. - Paulo sabia que essa consulta, essa conversa, era impossível a menos que se tivesse posto a ira de lado antes de se deitar.

3


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 A expressão “não dê lugar ao Diabo” (v. 27) está intimamente ligada ao conteúdo do versículo anterior. - O perigo da ira é que ela dá lugar ou oportunidade ao Diabo. - A ira oferece uma porta meio aberta, uma oportunidade para Satanás alimentar o nosso orgulho ou ódio. A ira instintiva contra aquilo que é injusto e errado pode ser transformada por Satanás em uma ira injusta. - No primeiro momento ficamos indignados por causa de uma atitude injusta e errada praticada contra nós, contra parentes, ou terceiros. Até este momento não cometemos pecado, porque é uma ira justa. - Sofremos ou presenciamos o sofrimento de alguém de forma injusta. Agora, quando retemos esta ira e a transformamos em mágoa, com relação ao agente da atitude injusta ou errada, damos a Satanás a deixa que ele estava esperando para entrar novamente no controle de nossas vidas. - Motivado como sempre, o Maligno enche nossa mente de pensamentos e palavras inflamadas, em relação à pessoa de quem já nutrimos mágoa e de outras que têm alguma relação com o fato original. Esses conteúdos potencializam ainda mais a emoção autodestrutiva de mágoa dentro de nós. - Ela se expressa no mundo externo por meio de comportamentos duros e implacáveis de uma pessoa iracunda e irritada, contaminando por completo todos os nossos relacionamentos interpessoais. Temos que resistir ao Diabo, não dando a ele nenhum lugar de destaque em nossas vidas. - Você precisa aprender a fechar as portas da sua vida ao Diabo em todas as áreas que ela compreende: pessoal, familiar, afetiva, sexual, relacional, social, profissional, financeira, acadêmica e religiosa. - I Pedro 5.8: “Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão-se cumprindo entre os vossos irmãos no mundo”. - Tiago 4.7: “SujeitaI-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós”. Recapitulando: 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. 2.3. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM RESISTIR A TENTANÇÃO DO FURTO, FOCANDO TODOS OS ESFORÇOS NO TRABALHO HONESTO E NA LIBERALIDADE - v. 28. “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tem necessidade” (v. 28). Este texto nos incentiva a romper totalmente com os valores e atitudes de nosso passado sem Cristo. - “Aquele que furtava, não furte mais”. - A partir deste encontro com Cristo deve conquistar as coisas que deseja por meio da dignidade e não por meio da esperteza e desonestidade.

4


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 Alguns daqueles novos convertidos através do ministério de Paulo, antes de terem aceitado a Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas, tinham tido o hábito de viver de pequenos furtos. - Paulo também faz um registro sobre eles em sua carta aos irmãos da igreja de Corinto. - I Coríntios 6.10,11: Essas práticas da velha vida não devem mais existir na nova vida em Cristo Jesus. - Ao invés furtar para sobreviver, o cristão deve trabalhar com honestidade e com esforço pessoal. Aquele que furtava deve renunciar a sua antiga prática, porque agora se tornou em um novo homem em Jesus Cristo. - A nova vida em Cristo Jesus nos leva a ter uma consciência mais sensível às necessidades dos pobres, especialmente dentro da comunidade cristã. Enquanto temos oportunidade devemos fazer o bme a todos. - Gálatas 6.10: “Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé”. A palavra grega traduzida como “trabalho”, significa o trabalho vigoroso que produz fadiga. - O cristão nunca deve se envergonhar, nem temer o trabalho árduo, que é dever de todos. - I Tessalonicenses 4.11: - I Timóteo 3.10-12: Em vez de roubar o fruto do labor dos outros, o cristão deve trabalhar para seu próprio sustento e para fazer boas obras. - “... Para que tenha o que repartir com o que tem necessidade” – v. 28. O propósito do trabalho para o cristão tem uma motivação a mais do que para o não cristão. - O cristão deve trabalhar de modo a ganhar para que tenha com que acudir ao necessitado. A motivação cristã para ganhar não é ter o suficiente somente para si e para os seus. - Não é para desfrutar apenas de maior conforto e luxo. - O cristão trabalha para ter o suficiente para si e para ajudar aos necessitados. A filosofia cristã do trabalho está bem acima do pensamento acerca do que é certo ou errado no campo econômico. - É elevada a uma posição em que não há lugar para o egoísmo nem motivo para o lucro pessoal. Dar torna-se a motivação de obter. - Bem diferente da motivação que eu e você temos para trabalhar nos dias de hoje, não é mesmo? Recapitulando: 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. 2.3. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM RESISTIR A TENTANÇÃO DO FURTO, FOCANDO TODOS OS ESFORÇOS NO TRABALHO HONESTO E NA LIBERALIDADE - v. 28.

5


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 2.4. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM PARAR DE USAR NOSSA BOCA PARA O MAL E EMPREGÁ-LA TOTALMENTE EM PROL DO BEM - vs. 29-30. “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem” (v. 29). “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (v. 30). A vida santificada depende muito do que falamos, da nossa conversação. - O cristão deve evitar não somente a “mentira” e tudo o que é enganoso, mas toda “má linguagem”. A má linguagem é a palavra “podre”; é a conversa que espalha podridão. - A linguagem podre é como um mau fruto. - Além de não ter valor nutritivo, leva nossos interlocutores a pensar naquilo que não tem valor. As palavra que falamos demonstra no nosso caráter. - Mateus 12.34: - A palavra que edifica, que une as pessoas, que abençoa deve ter sempre prioridade em nossas relações interpessoais. A conversa torpe deve ser substituída “... por aquela que seja boa para a necessária edificação” v. 29. - A palavra grega “chreia”, traduzida por “necessária”, significa mais precisamente “assunto em questão”. Esta parte do versículo fica melhor traduzido do original na seguinte redação: - “... mas só a que seja boa para a edificação do assunto que estiver sendo tratado”, ou “palavras adequadas para a ocasião”. O Sábio Salomão já havia nos deixado este conselho repetido por Paulo no livro de Provérbios: - Provérbios 15.23: “O homem alegra-se em dar uma resposta adequada; e a palavra ao seu tempo quão boa é!”. Como discernir se estamos ou não com um linguajar santo? O critério é simples: As nossas palavras estão edificando o caráter de nossos ouvintes, fazendo deles pessoas melhores? As nossas palavras estão ajudando-os a satisfazer as necessidades que estão enfrentando no cotidiano? As nossas palavras estão ministrando graça, trazendo bênção, para a vida dos nossos ouvintes? O teste do linguajar puro e santo não consiste apenas no fato das minhas palavras serem verdadeiras e puras. - O linguajar é santo e puro quando nossas palavras estão sendo usadas para transmitir graça aos que ouvem. A graça das próprias palavras do Senhor, o amor e a bênção que elas transmitiam aos seus ouvintes devem também estar presentes em nossas palavras. - Lucas 4.22: - Colossenses 3.16: - Colossenses 4.6: Depois dessas instruções sobre a conversação cristã, vem a advertência: - “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus” – v. 30. Todo pecado causa tristeza ao Espírito Santo de Deus. - Eu e você precisamos nos conscientizar que todo pecado, não apenas aqueles cometidos pela língua, causam tristeza ao Espírito Santo de Deus.

6


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 - Não podemos perder de vista que fomos escolhidos e separados, através de Jesus Cristo, para expressarmos o louvor da sua glória aqui na terra. O Espírito Santo é o vínculo da vida de comunhão e a palavra torpe quebra a comunhão Deus e, consequentemente, com o próximo. - Quando ofendemos ao nosso próximo, feito à imagem e semelhança de Deus, através de uma palavra ou ato de falsidade, entristecemos o Espírito Santo de Deus, sobremaneira. A palavra tola insulta e entristece o Espírito Santo, porque ela consiste numa negação de sua presença em nossa vida. - A linguagem tola ou inadequada não é apenas um insulto para o ouvinte. - Ela entristece o Espírito Santo, ferindo-o e negando, na prática, o significado de sua presença santificadora no crente, que é uma amostra da redenção final dele. A presença do Espírito Santo em nós é o selo e a certeza da vida e da herança que possuiremos plenamente no fim deste mundo. Esta realidade tão sublime é forte o bastante para que nos rendemos a Ele, dando-lhe plena liberdade para purificar nossas vidas. Recapitulando: 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. 2.3. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM RESISTIR A TENTANÇÃO DO FURTO, FOCANDO TODOS OS ESFORÇOS NO TRABALHO HONESTO E NA LIBERALIDADE - v. 28. 2.4. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM PARAR DE USAR NOSSA BOCA PARA O MAL E EMPREGÁ-LA TOTALMENTE EM PROL DO BEM (vs. 29-30). 2.5. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM DEIXAR DE SER MAL OU AMARGO EM NOSSOS RELACIONAMENTOS, AGINDO SEMPRE PAUTADO PELA BONDADE E PELO AMOR - vs. 31,32. “Toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia” (v. 31). “Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” - v. 32. Mais uma vez o apóstolo volta a falar daqueles pecados que encontram facilidade de expressão por meio de nossa fala. - Temos que erradica-los de nosso interior, usando o antídoto fabricado pelo Espírito Santo em nosso espírito. Estes dois últimos versículos mencionam seis emoções tóxicas que devem ser expulsas da alma dos cristãos: 1. A PRIMEIRA É “AMARGURA” (Pikria), que significa um espírito azedo e uma conversa azeda. Esta palavra foi definida por Aristóteles como “o espírito ressentido que recusa reconciliação”. - É triste e deprimente identificar na alma das pessoas com quem convivemos este ponto de vista negativo e cínico sobre a vida em geral. Em seu modo típico o apóstolo diz que toda amargura deve ser retirada de nossas vidas. - Qualquer traço desta aspereza de temperamento deve ser desalojado de nossa alma, para não contaminar nosso espírito. 2. A SEGUNDA É “CÓLERA” (thymos) e denota uma fúria apaixonada.

7


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 3. A TERCEIRA É “IRA” (orgé) e significa uma hostilidade mais firmada e sombria. - É o surgimento súbito de irritação e agressividade devido a provocação pessoal. 4. A QUARTA É “GRITARIA” (kraugé) e descreve as pessoas que ficam excitadas emocionalmente. - Elas erguem a voz numa alteração crescente que em poucos minutos chega aos gritos, até mesmo aos berros umas contra as outras. - Gritaria é a reivindicação da parte de quem está irado em alta voz, fazendo com que todos ouçam sua queixa. 5. A QUINTA É “BLASFÊMIAS” (blasphêmia) cujo o significado é falar mal dos outros, especialmente pelas costas. A pessoa que blasfema desenvolve uma verdadeira compulsão por este comportamento disfuncional. - A blasfêmia se torna tão forte em sua vida, a ponto de destruir sua própria reputação. Geralmente esta palavra é usada na Bíblia para descrever a atitude daqueles que falam contra Deus. - Mas esta palavra também é usada para descrever uma acusação falsa ou abusiva contra outro ser humano. 6) A SEXTA É “TODA MALÍCIA” (kakia), isto é, “todo tipo de mal sentimento”. Toda malícia significa todo desejo, toda trama maldosa arquitetada contra as pessoas. - A malícia (mal) é a mãe da prole infeliz de termos anteriormente citados que designam querelas e contendas. - A malícia abriga em seu útero “o ressentimento silenciosamente acalentado, a explosão de indignação, a fúria que ferve, a briga pública e a zombaria caluniosa”. Em seu modo típico o apóstolo diz que todas estas atitudes devem ser retiradas de nossas vidas. - Toda amargura, cólera, ira, gritaria, blasfêmia e malícia não podem permanecer alojadas em nossa alma, pois elas contaminam nosso espírito. A erradicação das más palavras e ações depende, em última instância, da purificação do pensamento: 1. O cristão deve ser uma pessoa bondosa, benigna: A palavra grega traduzida por “bondade” é (chréstos). - Por sua óbvia assonância com o nome de Cristo (Christos), os cristãos desde o início a consideravam especialmente apropriada. Ela ocorre no Sermão da Montanha para descrever a bondade de Deus “até para com os ingratos e maus”. - Bondade é o amor na prática; - Bondade é a disposição mental que pensa nos interesses do próximo, como o faz com os seus próprios. 2. O cristão deve ser uma pessoa compassiva: Ser compassivo significa possuir ternura de coração. - A pessoa compassiva tem um coração cheio de simpatia e amor pelo próximo. A palavra pode ter um sentido mais lato de “tratar graciosamente” uns aos outros. - Mas isto inclui o perdão, que é provavelmente o pensamento dominante aqui. 3. O cristão deve ser uma pessoa sempre aberta ao perdão recíproco: A palavra no grego é (charizomenoi) e significa, literalmente, “agindo com graça”.

8


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 - Agindo com favor imerecido, uns para com os outros, assim como Deus em Cristo agiu com graça para conosco. O exemplo e o motivo supremos para todo perdão da parte do crente é o perdão do próprio Deus. - Deus nos perdoou em Jesus Cristo, conforme II Coríntios 5.19. - “Pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação”. Ele nos perdoou de uma vez por todas. - Portanto, devemos perdoar uns aos outros por amor e gratidão a Ele. Recapitulando: 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. 2.3. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM RESISTIR A TENTANÇÃO DO FURTO, FOCANDO TODOS OS ESFORÇOS NO TRABALHO HONESTO E NA LIBERALIDADE - v. 28. 2.4. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM PARAR DE USAR NOSSA BOCA PARA O MAL E EMPREGÁ-LA TOTALMENTE EM PROL DO BEM (vs. 29-30). 2.5. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM DEIXAR DE SER MAL OU AMARGO EM NOSSOS RELACIONAMENTOS, AGINDO SEMPRE PAUTADO PELA BONDADE E PELO AMOR - vs. 31,32. 6ª Reflexão: A SANTIDADE NA HORIZONTAL TEXTO: Efésios 4.25-32 1. INTRODUÇÃO Viver a santidade na horizontal implica em despojar do velho homem que existe dentro de nós e revestir do novo homem que o Espírito Santo deseja implantar em nós. 2. DESENVOLVIMENTO 2.1. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM ABOLIR A MENTIRA E FALAR SOMENTE A VERDADE EM NOSSOS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS v. 25. “Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros” (v. 25) 2.2. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM NÃO PODEMOS PERDER A CALMA E O AUTOCONTROLE EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA - Vs. 26-27. “irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” (v. 26) “nem deis lugar ao Diabo” (v. 26). 2.3. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM RESISTIR A TENTANÇÃO DO FURTO, FOCANDO TODOS OS ESFORÇOS NO TRABALHO HONESTO E NA LIBERALIDADE - v. 28. “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tem necessidade” (v. 28). 2.4. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM PARAR DE USAR NOSSA BOCA PARA O MAL E EMPREGÁ-LA TOTALMENTE EM PROL DO BEM - vs. 29-30. “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem” (v. 29).

9


SÉRIE DE ESTUDO: A IGREJA DOS NOSSOS SONHOS 6ª REFLEXÃO: A Santidade na Horizontal - 14.08.2011 “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (v. 30). 2.5. VIVER A SANTIDADE NA HORIZONTAL IMPLICA EM DEIXAR DE SER MAL OU AMARGO EM NOSSOS RELACIONAMENTOS, AGINDO SEMPRE PAUTADO PELA BONDADE E PELO AMOR - vs. 31,32. “Toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia” (v. 31). “Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” - v. 32. 1. A PRIMEIRA É “AMARGURA” (Pikria), que significa um espírito azedo e uma conversa azeda. 2. A SEGUNDA É “CÓLERA” (thymos) e denota uma fúria apaixonada. 3. A TERCEIRA É “IRA” (orgé) e significa uma hostilidade mais firmada e sombria. 4. A QUARTA É “GRITARIA” (kraugé) e descreve as pessoas que ficam excitadas emocionalmente. 5. A QUINTA É “BLASFÊMIAS” (blasphêmia) cujo o significado é falar mal dos outros, especialmente pelas costas. 6) A SEXTA É “TODA MALÍCIA” (kakia), isto é, “todo tipo de mal sentimento”. 1. O cristão deve ser uma pessoa bondosa, benigna. 2. O cristão deve ser uma pessoa compassiva: 3. O cristão deve ser uma pessoa sempre aberta ao perdão recíproco:

10


6a-reflexao-a-santidade-na-hjorizontal-14-08-2011