Issuu on Google+

APRESENTA :


Em última análise, é o mundo que deve se modelar de acordo com a subjetividade: por conseguinte eu farei concordância comigo de modo a fazer concordância com os outros. Recusar os papéis como uma trouxa de roupa suja seria o mesmo que negar a separação e cair no misticismo ou no solipsismo. Estou em terreno inimigo e o inimigo está em mim. É preciso que ele não me mate, é por isso que me abrigo dentro da carapaça dos papéis. Eu trabalho, consumo, sei ser educado e não cometo atentado aos costumes. Mas contudo é necessário destruir um mundo tão artificial, por isso é um comportamento inteligente fingir desempenhar um papel. Passar por irresponsável é a melhor maneira de ser responsável consigo mesmo. Todos os trabalhos são nojentos: façamo-los com nojo! Todos os papéis são uma mentira: deixemos que se desmintam! Minha única responsabilidade é totalmente verdadeiro com aqueles que estão do meu lado, os defensores da vida autêntica.

batatasemumbigo.blogspot.com batatasemumbigo@gmailo.com


Zine Chafurdando na Merda