Page 1

aQuadra

O JORNAL DOS JARDINS E DOS ARREDORES

VIDA DE BAIRRO

CRÔNICA

DESIGN

URBANISMO

GASTRONOMIA

CULTURA

VIAGEM

ESTILO

D I S T R I B U I Ç Ã O G R AT U I TA - D E Z E M B R O 2 0 1 8 - 0 9

O maximalismo do arquiteto Sig Bergamin é celebrado em livro

Guia refrescante: os melhores sorvetes da cidade

Ana Raia nos ensina a encontrar nossa essência verdadeira

Dupla de charme: Higienópolis e Jardins juntos nesta edição especial


EDITORIAL

O

Fotos capa: Ilustração: Fabrizio Lenci; Divulgação; Jade Gadotti; Fernando Lousa; Jess Viera @omundodejess; ilustração da letra Q: Evelyn Tannus

ano de 2019 bate à porta, com um convite de renovação, graças às fortes energias marcianas, como afirma nosso astrólogo Valderson de Sousa. Mas é tempo de celebrarmos também o ano que se encerra, marcado pela consolidação de nossos dois jornais de bairro, que se mantêm pelo carinho e apoio do público. São dois bairros, com histórias diferentes, mas plenos de charme. Daí juntá-los nessa edição de fim de ano. Reunião de pessoas e ideias, celebrando a solidariedade e o entendimento. Falar de um bairro para o outro, conectar a todos de maneira afetiva, bem de acordo com nossa filosofia. E dizer obrigado em dobro a todos que acreditaram em nós e que fornecem a força para que a equipe renove a magia a cada edição. A ela também o meu agradecimento. Que, neste próximo ano, possamos ter olhos para Marte, porém sobretudo para o nosso querido planeta Terra, tão maltratado, mas ainda assim tão resistente quanto a matéria que lhe dá o nome. Sejamos felizes, em mais essa Quadra de nossas vidas. Helena Montanarini

PADRINHOS

Cynthia Parodi Cutait Liliana e Lili Tuneu Vania Assaly


Colaboradores

4

INBOX FABRIZIO LENCI Arquiteto formado pela Escola da Cidade e sócio do estúdio Vapor 324, Fabrizio Lenci é ilustrador de primeira e sua paixão é a arquitetura. No aQuadra Higienópolis, desenhou uma ode ao bairro.

CHRISTIANA CARVALHO Quando morava com a mãe, a atriz Karin Rodrigues, a fotógrafa tinha seu próprio estúdio na casa e cuidava do jardim. Mudou-se para Higienópolis, mas voltou para fotografar uma matéria sobre a casa onde cresceu.

PAULA LOPES Após anos em grandes agências de propaganda, formou-se em cozinha e confeitaria pela Le Cordon Bleu de Paris. Para esta edição, ela dividiu com aQuadra uma receita natalina de pain perdu.

EVELYN TANNUS Ela é artista plástica formada pela Faap e cria peças em cerâmica. Dona de uma linguagem visual contemporânea e inventiva, explora grafismos e símbolos de diferentes culturas. Para este número, ilustrou o nosso Q.

FERNANDO LOUZ A É um dos grandes fotógrafos de moda do país, com mais de 500 capas e outras centenas de editoriais publicados nas melhores revistas nacionais e estrangeiras. São dele as fotos da coach Ana Raia.

PAULO GIANDALIA Fotografou para jornais, revistas, participou de exposições e, aqui, assina as casas ícones do Pacaembu selecionadas por Arthur Mattos Casas e o retrato da dama da moda Costanza Pascolato.

ELLA DURST Fotógrafa das mais conhecidas no mundo da moda e publicidade, ela fez capas para o caderno Modo de Vida do Jornal da Tarde, que pretende registrar em livro e exposição. São dela as fotos de Sig Bergamin.

ESPAÇO DE ARTE VIRGINIA SÉ Al. Franca, 1153, Jardim Paulista, SP virginiase.com.br @vsartedesign

ANDRÉ FELIPE O diretor criativo da agência de publicidade Ginga mora num predinho descolado em Higienópolis. Para a aQuadra Higienópolis, André apresentou, em texto e fotos, o charme da rua Tupi e imediações.

JADE GADOTTI Ela é artista plástica formada pela Faap, fotógrafa e restauradora. Com seu olhar sensível, clicou o retrato de Frederico Lohmann, diretor superintendente do Teatro Cultura Artística.

aQuadra é um jornal que fala sobre diferentes assuntos! Foi através dele que conheci curiosidades do meu bairro... Além de ser muito charmoso é muito informativo e não dá vontade de jogar fora! Débora Cattani Fiquei impressionado com a qualidade do papel, das imagens e das matérias. Um jornal de bairro de qualidade. Arthur Henriques

Rua Colômbia, 217, Jardim América Tel.: (11) 96901-5231 @sandrocassolari

Fotos: Jade Barbosa; Divulgação; Marão

MARCOS MAGALDI Ele trabalha com fotografia há mais de 45 anos. Começou em jornalismo, passou pela publicidade, lecionou fotojornalismo, fez exposições e, nesta edição, clicou o diretor de teatro, ópera e musicais Jorge Takla.

Fácil falar de alguma coisa com que você se identifica. O jornal me transporta a lugares lindos e me motiva a olhar com olhos curiosos para coisas e lugares que antes não despertavam minha atenção. O jornal usa uma linguagem leve e inteligente. Adoro! Amelinha Amaro


Crônica Por FREDERICO LOHMANN* Foto JADE GADOTTI

5

O passado resgatado

Que experiência fantástica para um admirador da boa arquitetura morar numa casa projetada por um ícone dessa arte. Aqui, Frederico Lohmann conta essa história e fala do esforço para restaurar a habitação

S

empre me interessei por arquitetura, não importa de que época. Um dia, passeando pelo Jardim Paulistano, reconheci um grupo de casas do João Vilanova Artigas, que conhecia de livros. Trata-se de quatro casas geminadas que ele projetou para Jayme Porchat Queiroz Mattoso. Jayme era filho do Eusébio Mattoso, carioca que veio estudar direito em São Paulo e por aqui ficou. Trabalhou no Banco do Comércio e Indústria de São Paulo, o Comind, participou da abertura da Avenida Rebouças e investiu na compra de terrenos em volta dela. Morreu em 1940, com apenas 42 anos. Em 1944, Jayme, ao completar 18 anos, encomenda esse arrojado projeto ao também jovem arquiteto. Artigas tinha apenas 29 anos quando projetou essas casas. É uma de suas primeiras obras, logo depois da “Casinha”, que projetou para si próprio como residência de veraneio no então distante bairro do Campo Belo e pouco antes de construir o famoso Edifício Louveira em 1946. Aliás, as casas do Jardim Paulistano são um marco importante na obra do arquiteto. Depois de uma fase sob a influência de Frank Lloyd Wright, essas casas com pilotis, fachada livre e grandes janelas seriam o primeiro projeto em que Artigas, em suas próprias palavras, “se reconcilia com as coisas do Corbusier”. Nunca pensei que um dia me tornaria proprietário de uma dessas casas. Isso aconteceu tempos depois, quando, passando na frente, vi a placa de “vende-se” na frente de uma delas. Mesmo com alterações sofridas, foi interessante descobrir os ambientes que já conhecia de cor da planta baixa no meu livro. A grande surpresa ficou por conta do jardim, estreito e comprido, que o livro não mostrava. Fiquei encantado com o ar de quintal de interior. Tinha até um enorme pé de uvaia. Depois de formalizada a compra, começou uma longa reflexão sobre o restauro. A biblioteca da FAU guarda todos os projetos do Artigas, incluindo 42 pranchas com projetos pormenorizados das casas do Jardim Paulistano. Foi interessante constatar ainda que os estudos preliminares previam a construção na mesma rua de pelo menos três outros blocos idênticos com quatro casas cada um. Apenas o primeiro seria construído. Além disso, dentre os desenhos havia interessantes croquis com ambientações externas

e internas. Uma das versões de fachada, por exemplo, inclui um estiloso Ford sedã estacionado na porta da garagem. Já no desenho da sala de estar, Artigas inseriu uma sugestão de ambientação com moderníssimos móveis tubulares criados pelo trio Le Corbusier-Jeanneret-Perriand no final da década de 20, mas na época ainda inéditos no Brasil. Depois de muita reflexão, acabei decidindo por restaurar a casa, mantendo o máximo de fidelidade possível ao projeto original. Uma amiga engenheira cuidou de cada detalhe.

Conseguimos encontrar tacos de perobinha do campo para completar os que faltavam e um bom serralheiro, que foi capaz de reconstituir os caixilhos de ferro, a grade de entrada e mesmo parte da balaustrada da escada que havia sido retirada. Tudo pronto, é incrível constatar que a arquitetura do Artigas, mais de 70 anos depois, permanece incrivelmente atual.

* FREDERICO LOHMANN é diretor superintendente do Teatro Cultura Artística


6

Vida de Bairro/Memória

A fênix ressurge

Em 2008, São Paulo assistia, em lágrimas, ao Teatro Cultura Artística arder em chamas. Dez anos depois, a cidade acompanha, feliz, o início da reconstrução

D

_Vidadebairro.indd 6

30/11/18 14:59

Fotos: Divulgação

No alto, a fachada do teatro, com o painel restaurado, e o novo desenho do teatro principal. Ao lado e abaixo, as poltronas da plateia e o mobiliário do foyer como eram no passado, antes do incêndio

Fotos: Divulgação

ez anos se passaram entre o incêndio e o restauro do Teatro Cultura Artística. Inaugurado em 1950, para abrigar os espetáculos da Sociedade de Cultura Artística, fundada em 1912, o espaço, projetado pelo arquiteto Rino Levi, tinha em sua fachada um painel de Di Cavalcanti, um dos raros sobreviventes do fogo. Uma das vantagens dessa espera foi a contratação, em 2011, da Theatre DNA, especializada em salas de espetáculo. “Não existe sala de espetáculo multiuso ideal”, explica Frederico Lohmann, superintendente do Cultura Artística desde 2011. “Qual uso seria mais adequado para as atividades da sociedade? Qual preservaria melhor as partes remanescentes do prédio? E como o novo Cultura Artística faria diferença na cidade?, foram as perguntas. “A resposta: uma sala de música de câmara, que representa 80% do que é a Sociedade de Cultura Artística”, diz Frederico. A primeira fase do restauro já está em curso, programada para estar pronta no final de 2019; a segunda, o resgate da arquitetura original e o diálogo com o entorno, tem prazo de entrega previsto para 2021. Fachada, foyers e auditório recuperarão suas características originais. As cores e revestimentos do piso e das colunas serão os mesmos da inauguração. As lojas nas laterais, idealizadas por Rino Levi, contarão com um café e uma livraria. O acesso ao auditório pequeno se dará pelo térreo. No foyer superior, ficará um restaurante aberto ao público e o acesso à entrada da sala de concertos, preparada para receber espetáculos de música de câmara de variados estilos. O palco terá capacidade para até 80 músicos, com espaço de coro de 45 lugares. Serão 750 poltronas, divididas entre plateia e balcão, este com entrada pelo segundo andar, onde estarão, também, quatro salas multiuso para ensaios e eventos, além de atividades educacionais, como cursos, masterclasses e palestras. Ali acontecerão as atividades do Cultura Artística Educativo, que vai concentrar e expandir os programas de difusão da música e formação de jovens músicos.


Vida de Bairro/Revitalização 7

Um novo largo para a cidade A Triptyque Architecture, empresa franco-brasileira reconhecida por seu envolvimento com a sustentabilidade das cidades, promete para 2019 a revitalização do nosso Largo do Arouche

Quando se pensa no Largo do Arouche, a imagem que vem à mente é a da banca de flores. Mas trata-se de um largo, de uso público. A Triptyque Architecture, em colaboração público-privada, decidiu se responsabilizar pela preservação e requalificação urbana do local. Pelo fato de o largo ser frequentado dia e noite, o escritório começará os trabalhos com o alargamento da praça, a instalação de um sistema de drenagem da água da chuva com a renova-

ção das evacuações, a iluminação das árvores, que farão parte de um jardim comunitário, com canteiros para uma horta coletiva. Serão instalados na praça um café, uma banca de jornais, uma área infantil e outra para animais, além de um palco e um banheiro sanitário de design premiado. O mobiliário de rua, com quiosques, bancos de concreto e madeira, foi todo desenhado pela empresa. O novo Largo do Arouche deve ser entregue ao público em 2019.

Além da banca de flores, que irá abrir para os dois lados, e de uma banca com parede verde, o novo largo ganhará um novo mobiliário urbano

Fotos: Divulgação

Fotos: Divulgação

Vamos ficar de olho?

_Vidadebairro.indd 7

A obra de um edifício na Rua Estados Unidos está parada por dois motivos: essa rua é Zona Corredor, e existe uma lógica urbanística em ter uma zona de amortecimento entre uma zona residencial muito arborizada e outra bastante adensada. Mesmo que o Plano Diretor de 2014 permita áreas adensadas próximo a corredores de ônibus ou metrô, “as diretrizes dizem que nelas não poderá haver nada além das restrições dessa imposição”, explica o Dr. Marcelo Manhães, advogado da Samorcc e da Ame Jardins. E o terreno fica na esquina de uma rua sem saída, cujo gabarito não pode ultrapassar 25 metros. Se a pretensão da BSP e da Sequóia era construir um edifício de 16 andares... O projeto não deveria ter sido aprovado, mas foi. O dr. Manhães entrou com uma ação civil pública, agora é torcer.

30/11/18 14:59


Vida de Bairro

8

Mexa-se!

Uma seleção com as marcas paulistanas que criam roupas de dança para todas as ocasiões, do palco às ruas. Conforto e leveza para quem está sempre em movimento 2PEACE2DANCE A marca é comandada por Myriam Castello Branco, Renata Marcondes e Heloisa Camargo, três apaixonadas por dança. Myriam, por exemplo, é bailarina profissional e foi integrante do antigo grupo Andança. Juntas, elas tocam a 2peace2dance. No interior da loja, você encontra leggings, collants e tops que podem ser usados tanto em uma aula de balé como na balada. “Nossas roupas são superversáteis. Eu acho que a arte nos traz muita juventude e, por isso, somos antenadas com o que acontece”, diz Myriam. Em breve, elas vão lançar uma coleção especial de carnaval.

A tendência da dança está de volta. Boa aliada do bem-estar e da consciência corporal, atrai adeptos de todos os perfis: homens, mulheres, crianças e idosos. É uma expressão plena da alma e do corpo. Até a moda foi influenciada, e a Dior abriu a semana de Paris com dança nas passarelas. A seguir, apresentamos um roteiro com boas escolas para quem quer movimentar o corpo. Do flamenco ao tango, encontre seu ritmo e comece a dançar! Studio Palladino A escola nasceu há mais de 30 anos e é famosa por organizar atividades sociais, como bailes, festas temáticas e cruzeiros marítimos. E as várias modalidades ensinadas vão do samba de gafieira ao tango. R. Joaquim Floriano, 396, Itaim Tel.: (11) 96116-6116 palladino.com.br Studio Ana Esmeralda Bailarina desde os 13 anos, foi pioneira no ensino de dança flamenca no Brasil. Em 1966, criou o Ballet Ana Esmeralda, reconhecido por formar bailarinos de excelente nível técnico. O estúdio também oferece aulas de flamenco e de castanhola, ao lado do balé clássico. Alameda Sarutaiá, 113-B, Jardins Tel.: (11) 3884-4430 studioanaesmeralda Studio 3 Espaço de Dança Ali, você encontra aulas de balé clássico profissional com professores convidados e com Aurea Ferreira, que dançava no Balé da Cidade. Há também turmas para iniciantes e intermediários,

_Vidadebairro.indd 8

além de aulas de jazz para crianças. Alameda Franca, 1206, Jardins Tel.: (11) 3898-3236 studio3-danca.com.br Dança de salão na USP O curso de dança de salão é composto pelos seguintes ritmos: forró universitário (um subgênero do forró), samba de gafieira (dança derivada do maxixe), bolero e salsa. E o mais legal é que dá para fazer aula com seu par, de casal. R. do Matão – Travessa E dancadesalaonausp.com.br Estúdio Anacã Na escola, são oferecidas aulas de mais de 40 modalidades. Uma das mais bem recomendadas é a de sapateado. Durante sequência coreografada, você mantém a frequência cardíaca alta, desenvolvendo coordenação motora e musicalidade. Av. Brasil, 649, Jardim Paulistano Tel.: (11) 3052-1383 estudioanaca.com.br Escola Paulo Aguiar Ali, eles ensinam do bolero até samba no pé e forró.

Mas o destaque é a aula de valsa, com o mestre Paulo Aguiar, que desenvolveu seu próprio método. Perfeito para quem não quer fazer feio na dança do casamento! R. Clodomiro Amazonas, 743, Sala 3, Itaim Tel.: (11) 3034-1704 pauloaguiar.com Souls Art Estúdio de Dança Bom lugar para fazer aula de tango. Para quem não sabe, o estilo evoluiu do candomblé africano, da milonga e da habañera. E é possível aprender em aulas particulares ou em grupos. Al. Itu, 167, cj. 25, Jd. Paulista Tel.: (11) 3253-1837 soulartestudiodedanca. com.br J.C. Violla Ele é bailarino, professor de dança, coreógrafo e ator. Seu estúdio de dança, na Rua Alves Guimarães, tem mais de três décadas de história, e por lá já passaram mais de 21 mil alunos. Ali, ele ministra diferentes modalidades de dança, como balé clássico, dança de salão e jazz. R. Alves Guimarães, 445 Tel.: (11) 3081-2836

Studio Pade D Na loja, você encontra uma seleção de collants, leggings e polainas para quem dança ou pratica atividade física. R. Dr. Sampaio Ferraz, 39, Jd. Paulista Tel.: (11) 2769-3628 paded.com.br @pa_de_d Balletto Athleisure Couture Na flagship da marca, há de tudo um pouco: body, shorts, polainas, saias, sapatilhas e até uma linha masculina. R. Dina, 61, Vila Nova Conceição Tel.: (11) 5524-4488 balletto.com.br @ballettoofficial

Shopping Cidade Jardim Av. Magalhães de Castro, 12000, 2.º piso Tel.: (11) 3552-1000 repetto.com Só Dança Na loja, há calçados para diversas modalidades: jazz, dança de salão, dança irlandesa, balé e sapateado. R. Augusta, 2672, Cerqueira César Tel.: (11) 3081-2755 sodanca.com.br @sodancabrasil Evolution Pirouette Diferentes artigos, como sapatilhas de ponta e meia ponta, ponteiras, meias, roupas de balé adultas e infantis, e acessórios. R. Fradique Coutinho, 1176, Vila Madalena Tel.: (11) 3814-6625 lojaevolutionpirouette.com

Repetto É a mais tradicional marca de balé. Francesa, ficou mundialmente famosa por suas sapatilhas.

BALLET STAGIUM

A academia foi fundada em 1971 por Marika Gidali e Décio Otero. Ela nasceu em Budapeste, na Hungria, mas estudou balé no Brasil e dançou no corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e no Teatro Cultura Artística de São Paulo. Ele é de Ubá, Minas Gerais, e dançou como primeiro bailarino em espetáculos como Yara e Romeu e Julieta. Em 1959, ganhou o Prêmio Bailarino Revelação, da ABCT, pela atuação no pas de deux do Cisne Negro. Juntos, comandam esse projeto, que prioriza o ensino da dança, além de promover atividades culturais, sociais e pedagógicas. A ideia é reinterpretar o passado do ponto de vista poético e apresentar ao público, por meio da dança, o patrimônio histórico e cultural brasileiro. Fazem apresentações gratuitas para todos os públicos. Ballet Stagium R. Augusta, 2985, Jd. Paulista Tel.: (11) 3062-2564 stagium.com.br

30/11/18 14:59

Fotos: Divulgação; Fernando Louza; Beleza: Rosman Braz, Salão 1838

Corpo e movimento

R. Francisco Leitão, 150, Pinheiros, tel.: (11) 2936-3409 2peace2dance.com.br @2peace2dance

Fotos: Divulgação; Paulo Giandalia

A parede da 2peace2dance é decorada com sapatilhas doadas pelos dançarinos do Balé da Cidade


Vida de Bairro 9

Ensina-me a viver

Surpresa de Natal

Stefan Behar realiza um sonho antigo de seus clientes e apresenta sua pop up de Natal no Iguatemi: a Stefan Behar Maison. O espaço abriga uma extensa linha de aproximadamente 2.000 itens. Há desde artigos de decoração natalina (árvores, enfeites e adornos) até objetos para mesa posta, papelaria e delícias gourmet. Detalhe: foi Stefan quem participou pessoalmente da curadoria e do desenvolvimento de cada item da loja-conceito.

Esse é o trabalho da coach Ana Raia, que se dedicou a estudar as ferramentas para ajudar quem quer encontrar sua essência verdadeira

F

oi-se o tempo em que fazer carreira a vida inteira em uma só empresa era sinal de capacidade e sucesso. As coisas mudaram. Quanto mais experiências, melhor. Mas nem todo mundo sabe que pode ser diferente. E, mesmo sentindo-se infelizes, muitas pessoas não têm coragem de mudar. Preferem estacionar na zona de conforto a enfrentar seus medos. Formada em publicidade, Ana Raia começou sua vida profissional como designer. Tempos depois, descobriu sua espiritualidade e mergulhou de cabeça na yoga, não só como forma de exercitar o corpo, mas de levar a vida e transmitir conhecimento. Há 11 anos, uma nova guinada conduziu a mãe de Lucas e Stella a somar todo o conhecimento adquirido durante a vida, combinar com dezenas de cursos e especializações, e passar a trabalhar como coach (treinadora) de carreira e vida. O coaching é um conjunto de técnicas, ferramentas e conhecimentos que o “treinador” utiliza para ajudar pessoas a conquistar bons resultados em sua vida profissional ou pessoal. O trabalho de Ana é levar quem a procura a desenvolver seu potencial e alcançar seus sonhos e metas. “Vivemos tempos muito acelerados, com muitas informações, comparações, modelos, o que faz com que muitas pessoas vivam no automático, tentando ser o que não são, copiando modelos que não se ajustam a elas, o que gera insatisfação

e infelicidade”, explica a coach, que lembra que as mídias sociais, quando mal utilizadas, contribuem para essa perda de referencial. “Nunca se viu tanta gente infeliz no mundo”, comenta. É essa identidade, esse “quem eu sou e o que eu quero” que Ana ajuda seus coachees a encontrar. Há anos morando e trabalhando no Jardim Paulistano, Ana curte o bairro. Faz yoga na Sampaio Vidal, frequenta o Espaço Una na Gabriel Monteiro da Silva, toma café na padaria, leva seus dois cachorros para o consultório e tem um grupo de amigos-vizinhos que se frequentam e se ajudam. “Somos uma pequena comunidade”, diz ela. raiacoaching.com.br @anaraia

Fotos: Divulgação; Fernando Louza; Beleza: Rosman Braz, Salão 1838

Fotos: Divulgação; Paulo Giandalia

Pausa pro café

_Vidadebairro.indd 9

Shopping Iguatemi Av. Faria Lima, 2232, piso térreo, Jardim Paulistano Tel.: (11) 3082-7090 iguatemi.com.br @stefanbeharsucre

Quem caminha pela Faria Lima à tarde pode ver os executivos da região tomando um bom café ou fumando um charuto no Fumo Mercantil - MokaFlor Café e Tabacaria. O charmoso espaço é comandado por Leonardo Assis, mas foi comprado pela tia dele no começo dos anos 1990. “Ela vendia vários tipos de café e, um dia, ficou com sobras de cada um. Decidiu misturar tudo e criou o nosso blend, que é um grande sucesso!”, revela Leonardo. Ali, os clientes podem escolher entre tabacos e charutos nacionais e importados. “Na Europa, é muito comum fazer um ‘cigarette break’ para aliviar a cabeça”, revela. E é essa a proposta do Fumo Mercantil, que também serve bons petiscos, como empanadas e sanduíches saborosos. “São esses raros momentos de tranquilidade que queremos preservar em São Paulo”.

Frequentado pelos executivos da região, o café comandado por Leonardo Assis serve uma seleção de bons tabacos e charutos, além de café e petiscos saborosos Fumo Mercantil Moka Flor Café e Tabacaria Av. Brigadeiro Faria Lima, 2136, Jd. Paulistano Tel.: (11) 3812-6592

30/11/18 14:59


Vida de Bairro

10

O mestre das cores

“Não sou apaixonado por casas muito coloridas. Sou mais dos tons neutros. Mas, quando vi o trabalho de Sig, senti que ele é o mestre das cores vibrantes e de elementos que coexistem em harmonia.” Essa citação, assinada por Giancarlo Giammetti, sócio e parceiro do couturier Valentino, é uma das muitas que permeiam o livro Sig Bergamin maximalism, que o arquiteto de interiores lança pela editora francesa Assouline, primeiro em São Paulo, depois em Nova York, Miami, Paris e Londres. O livro é o maximal, enorme e lindo, capa estampada em seda, somente com fotos de seus últimos trabalhos, clicadas por Bjorn Wallander (leia-se Architectural Digest), que revisitou e fotografou casas escolhidas a dedo em São Paulo, Trancoso, Nova York e Miami. Armand Limnander, colaborador da W Magazine, assina a apresentação, e Vik Muniz e James Reginato, da Vanity Fair, escreveram os prefácios. Precisa falar mais? “É a realização de um sonho”, confessa Sig Bergamin. “Sig tem o verdadeiro olhar de um colecionador”, escreveu o designer Ralph Pucci, enquanto Aerin Lauder, neta da mítica Estée Lauder, confirma que “ama o modo como Sig mistura cores e estampas”. Esse é o primeiro livro de um único arquiteto de interiores, e brasileiro, a ser editado pela Assouline. Sig Bergamin mora e trabalha no Jardim Paulistano há 28 anos. Escolheu o bairro por ser tranquilo, ter árvores, pássaros e uma luz linda. Seu portão serve de trave de gol para os moleques que jogam futebol na rua.

“Adoro o barulho da bola batendo, me lembra minha infância em Mirassol.”

_Vidadebairro.indd 10

criada em Paris, mas morou em Milão, Barcelona e Argentina e, há dois anos, vive em São Paulo. A bagagem profissional dela também impressiona. Na Europa, formou-se no Istituto Marangoni Milano, fez pós-graduação na Chambre Syndicale de la Couture Parisienne, e trabalhou para maisons de renome, como a Paco Rabanne e a Azzaro. Ainda na França, idealizou a própria marca e, no verão de 2015/2016, lançou a primeira coleção em José Inácio, no Uruguai. Desde 2017, Eugénie comanda seu ateliê em São Paulo. “Nosso DNA é lúdico e gosto de brincar com formas, cores e inspi-

rações. Crio peça por peça e, no final, estabeleço uma linguagem única”, explica. Sempre com uma atenção especial aos tecidos, Eugénie aposta em seda, chiffon, crepe, linho e organza, e brinca com apliques e transparências. O resultado? Peças que surpreendem pela fluidez e pelo caimento perfeito. Uma profusão de cores e texturas que combina a bossa brasileira com a famosa touche française! L’atribu Maison Rua João Lourenço, 683, cj. 102, Vila Nova Conceição Tel.: (11) 3062-3249 shop.latribumaison.com @latribumaison Tassì Rua Tupi, 816, Santa Cecília Tel.: (11) 3666-3724 tassibrasil.com

Eugénie Zagamé é a diretora criativa da L’atribu Maison

30/11/18 14:59

Fotos: Divulgação

Quem é recebido na charmosa L’atribu Maison, na Vila Nova Conceição, fica maravilhado com as peças desenhadas por Eugénie Zagamé, estilista, fundadora e diretora criativa da marca. No interior do espaço, híbrido de ateliê e showroom, é possível admirar os vestidos, casacos, quimonos e saias assinados pela francesa – todos muito leves, delicados e únicos. Desenvolvidas em coleções-cápsula, as peças também são vendidas na loja Tassì, em Higienópolis, e revelam a essência da criadora: feminina, antenada, apaixonada por arte e viagens. Eugénie nasceu e foi

Fotos: Paulo Giandalia; Jade Gadotti

Joie de vivre


Vida de Bairro/Viver Bem 11

Cuidados para o verão Nutróloga esclarece para aQuadra dúvidas sobre como passar o fim de ano de forma saudável

Viva mais leve O e-book Viva leve foi desenvolvido por quatro nutricionistas da We Nutri: Bruna Cutait, Heloisa Ferraz, Karina Wajchenberg e Maria Carolina. A empresa oferece produtos e serviços nas áreas de alimentação, e o livro digital traz 146 receitas práticas, leves e muito saborosas para o dia a dia. Para baixar, acesse o site. @wenutri4 wenutri.me

Os produtos de Bianca Simões são feitos sem leite, glúten, açúcar e soja. Todos são 100% naturais. Um dos nossos preferidos é o brigadeiro gourmet, feito à base de castanha de caju e cacau em pó. Cremoso e saboroso, para comer sem culpa!

biancasimoes.com.br

Jornada natural

O Hortifruti e o Natural da Terra se uniram ao @ instamission para elaborar o projeto #jornadamaisnatural. O programa tem como objetivo promover uma alimentação saudável. Para acompanhar, basta seguir os @hortifruti, @naturaldaterra_ e @instamission e acompanhar as dicas #jornadamaisnatural. Como parte da ação, o Hortifruti e o Natural da Terra sugerem semanalmente uma lista de compras naturais. É uma caixa com 2,8 kg de frutas, legumes e verduras fresquinhos que fica logo na entrada das lojas.

naturaldaterra.com.br @instamission @hortifruti

#achamosegostamos

CARE NATURAL BEAUTY Essa marca de maquiagem skincare é composta de produtos como seruns, águas termais e hidratantes. Todos supernaturais, cruelty free e orgânicos. @carenaturalbeauty www.carenb.com

BERGAMIA Esse removedor de maquiagem natural é feito a base de pepino e camomila, que limpam a pele, e de açaí e coco, que nutrem e protegem. @bergamia_cosmeticos bergamia.myshopify.com

SANTAPELE O xampu e condicionador da linha Soul Made de Açaí e Flor de Vitória-Régia promovem frescor, nutrição e maciez para o couro cabeludo e os fios. @santapeleoficial santapele.com.br

Fotos: Divulgação

Fotos: Paulo Giandalia; Jade Gadotti

O verão está chegando e muitas pessoas tentam emagrecer de maneira rápida durante essa época do ano. O que você recomenda para quem quer perder peso sem comprometer a saúde no verão? Emagrecer não é tão simples como parece. O ideal é iniciar um trabalho nutricional meses antes de o verão chegar. Dessa forma, o corpo não é submetido a medidas drásticas e dietas mirabolantes. Além disso, os resultados são mais duradouros e evita-se o indesejado “efeito sanfona”. Mas é possível evitar o ganho de peso nessa época tão cheia de tentações. Tente ingerir cerca de dois litros de água por dia; evite alimentos muito ricos em gordura saturada (embutidos e frituras) e evite o consumo excessivo de alimentos muito ricos em açúcar refinado. Dizem que o sol do verão é o nosso maior aliado na produção da vitamina D. Como você recomenda que seja feita a exposição ao sol? Nossa pele, quando em contato com as irradiações ultravioleta do sol, é capaz de produzir a vitamina D. Ana Maria Mas os raios UVB também são capa- Murbach é zes de queimar a pele, então é preciso nutróloga do dosar a carga de exposição ao sol. O Instituto Assaly melhor horário é próximo ao meio-dia (11) 2884-7612 e a exposição deve acontecer sem protetor solar, durante 15 a 20 minutos. Mas cuidado para não exceder o tempo e ficar com queimaduras na pele. Altas temperaturas podem provocar o aumento da retenção de líquidos? Como driblar esse inchaço durante o verão? Não é uma real retenção de líquido, e sim um processo de edema por dilação venosa. Vale investir na ingestão hídrica e consumir alimentos com menor nível de sódio e açúcar. E também em alimentos com baixo teor calórico e maior densidade nutritiva. Com uma alimentação mais natural e menos industrializada, o corpo fica menos propenso à inflamação crônica e é menor o índice de retenção hídrica.

Doce do bem

_Vidadebairro.indd 11

30/11/18 15:00


Vida de Bairro

12

Tá calor? Vá de gelato!

Os termômetros já estão marcando as temperaturas mais altas do ano e, para a temporada, a pedida certeira são os sorvetes artesanais, supercremosos e levinhos. Para comer na casquinha ou de colher. O verão nunca foi tão refrescante! DRI DRI Com matriz em Londres e unidades em Veneza e Dubai, a casa de Dimitri Mussard e Nicolas de Virieu promete gelatos e sorbets leves e naturais. Ali, eles são feitos com leite fresco e sem aromatizantes ou corantes. Neste verão, peça o de limão, manga ou apricot. R. Padre João Manuel, 903, Jardim Paulista Tel.: (11) 3061-9646 dridrigelato.com

LA BOTTEGHE DI LEONARDO Os gelatos aqui também são feitos sem conservantes ou qualquer outro ingrediente artificial. E o legal é que eles preservam a sazonalidade dos ingredientes, que são sempre fresquinhos. No calor, vá de iogurte com frutas do bosque, tapioca com coco ou cupuaçu (vegano). R. Oscar Freire, 42, Jardins Tel.: (11) 2528–2000 lebotteghedileonardo.com.br

caramelo salgado. R. Mateus Grou, 140, Pinheiros Tel.: (11) 3064-1480 @gelatopine.co

BACIO DI LATE A famosa rede segue as tradições e processos das genuínas gelaterias italianas. Um dos mais pedidos da casa é o de pistache, cremino e chocolate belga. Dá para curtir no copinho ou provar na ciocchino, uma casquinha com Nutella. R. Oscar Freire, 136, Jardins Tel.: (11) 3062-0819 baciodilatte.com.br

PINE CO. A casa produz gelatos artesanais legítimos, bem densos e cremosos. Mas a bossa é que eles têm sabores mais inventivos, como o milk cereal (sorvete de baunilha com sucrilhos) e pera com hibisco, muito fresh. Dentre os mais tradicionais: pistache e

GELATI ITALIA O gelato é feito com baixo teor de açúcar (orgânico) e apenas 6% da gordura natural do leite integral. Nossa dica: prove o de doce de leite argentino e o de panna cota com amarena. R. dos Pinheiros, 275,

SORVETE SAUDÁVEL DE FRUTAS VERMELHAS COM BANANA

Da chef Desiree Maistro Centro Europeu

Pinheiros Tel.: (11) 3064-1776 gelatiitalia.com.br

FRIDA E MINA Essa sorveteria é perfumada com o cheiro da casquinha recém-saída do forno. Nós adoramos o sabor de noz-pecã e o de morangos com balsâmico. R. Artur de Azevedo, 1147, Pinheiros Tel.: (11) 2579-1444 fridaemina.com.br

Ingredientes 3 bananas maduras cortadas em rodelas e congeladas 100 g de frutas vermelhas congeladas Mix de castanhas picadas Modo de preparo Em um processador ou mixer, coloque as bananas e as frutas vermelhas, e bata até formar uma massa homogênea. Sirva com as castanhas picadas. Dicas Troque frutas vermelhas congeladas por qualquer fruta firme e não muito aguada, como manga e morango (que podem ser frescos). Para fazer sorvete de chocolate, use cacau em pó. Se necessário, adoce com mel. Quanto mais congelada a fruta, melhor a textura do sorvete.

Bossa carioca

Sardina Rua Joaquim Antunes, 189, sala 2, Pinheiros Tel.: (11) 4883-2962 sardina.com.br @sardina_sardina

_Vidadebairro.indd 12

É temporário!

A loja Amoreira estreou uma pop up store temporária no Shopping Iguatemi. O espaço funciona até o dia 31 de dezembro e reúne uma curadoria de peças feita especialmente pelas sócias da loja: Fernanda Rezende e Cristina Rogozinski. Há desde objetos decorativos até móveis vintage, brinquedos e utensílios para a cozinha. Amoreira Av. Brig. Faria Lima, 2232, Jd. Paulistano Tel. (11) 3048-7344 (das 8 h às 18 h) amoreira.com.br

www.brennheisen.com

@brennheisen

Fotos: Divulgação

A Sardina, marca que faz a cabeça das mulheres cariocas, acaba de aportar em São Paulo. Supercool, a loja está sob o comando de Glória Marques, e abriga uma seleção especial de roupas, acessórios e objetos. Localizado na Rua Joaquim Antunes, o espaço também abriga as criações da Tiza Rio, um projeto de Tiza Rangel, que cria sapatos artesanais sofisticados e muito confortáveis.

30/11/18 15:00


aQuadra

O JORNAL DE HIGIENÓPOLIS E DOS ARREDORES

VIDA DE BAIRRO GENTE GASTRONOMIA ARQUITETURA COMPORTAMENTO VIVER BEM INSPIRAÇÃO D I S T R I B U I Ç Ã O G R AT U I TA / D E Z E M B R O 2 0 1 9 H 0 3

A dama da moda Costanza Pascolato, estrela de Higienópolis

Com sua arte, Fabrizio Lenci faz uma homenagem ao bairro e a seus ícones arquitetônicos

A Rua Tupi e seus segredos mais discretos


Arquitetura

14

Por MAIÁ MENDONÇA Fotos PAULO GIANDALIA

Warchavchik, Zalszupin, Artigas... ...Para Arthur Mattos Casas é no Pacaembu que ainda se encontram os melhores exemplos da arquitetura modernista brasileira

O Pacaembu ainda guarda um tesouro da arquitetura brasileira

ge Zalszupin para vender. Construída nos anos 1960, ela tem dois andares, é toda de vidro e possui uma das melhores vistas para o vale”, aponta ele, chamando em seguida a atenção para um dos melhores exemplos da arquitetura de Paulo Mendes da Rocha, na mesma rua. “Essa casa foi comprada pelo dono da Micasa, foi reformada com supervisão do Paulo Mendes da Rocha, está impecável.” Ele cita um projeto de Gregori Warchavchik, datado de 1929, que fica na Rua Itápolis, onde mora o neto também arquiteto. Mas Arthur ainda acha que o melhor exemplo do mestre é de 1932, um imóvel situado Rua Bahia e muito bem conservado. E também a casa onde morava o arquiteto Jaime Fonseca Rodrigues, que projetava residências art déco, e que o comprador manteve intocada. “É uma pena que o Pacaembu esteja vivendo um êxodo. Ele é um dos raros bairros que ainda mantém suas casas originais, de portões baixos, arquitetura à vista, o que me agrada muito, porque hoje vivemos uma arquitetura de muros. Sinal dos tempos”, conclui.

O Pacaembu guarda exemplos de casas de arquitetos que foram ícones entre os anos 1940 e 1960. Entre algumas das muitas construções que se encontram em perfeito estado estão as casas de Gregori Warchavchik, na Rua Bahia; de Jorge Zalszupin, apoiada sobre pilastras e com uma sensacional vista do Pacaembu; de Jayme Fonseca Rodrigues, estrela da Rua Ceará; e a obra de arte em concreto de Paulo Mendes da Rocha, na Rua Manoel Maria Tourinho

Fotos: Paulo Giandalia; Jhonatan Chicaroni

aspas

H

á 28 anos, o arquiteto Arthur Mattos Casas achou que era chegada a hora de projetar o lugar onde queria morar. Tinha um terreno no Morumbi e um bloqueio criativo. “O Edu Leme (da Galeria Leme) sugeriu que eu procurasse uma casa no Pacaembu, bairro com que eu não tinha nenhuma afinidade.” Depois de algumas decepções, apaixonou-se e comprou uma casa que Vilanova Artigas havia desenhado aos 28 anos, a mesma idade que ele tinha então. Ela fora construída para Rivadavia de Mendonça, em 1944. E esse é o endereço de Arthur até hoje. “O Pacaembu é um bairro que guarda exemplos de projetos da maioria dos melhores arquitetos das décadas de 1940 a 1960, uma época rica para o modernismo arquitetônico brasileiro”, conta ele sobre as joias que se encontram pelas ruas sinuosas dos dois lados do vale do Pacaembu. Impossível citar todos os exemplos, mas Arthur aponta alguns dos projetos de que mais gosta. “Na Rua Dr. Manoel Maria Tourinho, há uma casa do arquiteto Jor-


Entrevista

15

Por MAIÁ MENDONÇA

Mestre da imagem

Não é fácil escrever sobre o fotógrafo Fernando Louza. Mesmo sendo bom de papo, é um homem de imagens, não de palavras Fotógrafo desde sempre, Fernando vive em busca do ângulo e da luz perfeitos, da força da imagem, e da personalidade de cada mulher que fotografa, seja ela uma top model, uma celebridade, ou qualquer mulher. Fernando nasceu no Rio, com uma estrela. Começou no jornal O Globo com Nina Chaves, um dos grandes nomes do jornalismo de moda. Mudou-se para São Paulo e caiu nas graças do diretor de revistas femininas da Editora Abril, Thomaz Souto Corrêa, e da especialista em moda Regina Guerreiro, de quem era diretor de fotografia em sua agência Xoc. E foi acompanhando os primeiros passos da moda brasileira, as modelos nacionais que conquistaram o mundo. Pioneiro na cobertura de desfiles de moda internacionais e nacionais, morou em Paris e Nova York, sempre com a câmera na mão, imortalizando a beleza de centenas de mulheres. Seu portfólio tem mais de 500 capas de revista e outros tantos editoriais de moda

para as melhores publicações brasileiras e estrangeiras, e o prêmio Melhor Trabalho Fotográfico de 2004/2005 sobre Paris, concedido pela Comissão Europeia de Turismo, que recebeu em Berlim. Esse morador de Higienópolis, apaixonado pelo bairro, tem hábitos curiosos, que vão além do “ando muito a pé”. Católico, frequentador da igreja da Medalha Milagrosa em Paris (dedicada a São Vicente de Paulo, curiosamente nome da rua onde mora), gosta de comprar, na Delight Pães Artesanais, um challah (pão trançado judaico de massa leve e com passas) fresquinho, que come com queijo tipo Minas Sanmariana ou ricota kosher, que encontra no mercadinho Net Drinks, hábito que adotou depois de uma viagem a Tel Aviv e Jerusalém – viajar é sua segunda paixão. Com quase 50 anos de carreira, Fernando não para. Em parceria com Paulo Borges, está desenvolvendo o projeto de um livro, exposição e documentário. Mais sucesso para sua coleção.

Leonino, apreciador de tudo o que é belo, Fernando Louza tem duas paixões: a fotografia e as viagens

A dama da moda

Fotos: Paulo Giandalia; Marão; André Ligeiro

Simpática e linda, ela desfila sua elegância pelas ruas do bairro A grande expert da moda mora em Higienópolis desde 1991, para ela um dos poucos bairros de verdade. “Me agrada essa coisa de província, como das cidades pequenas da Itália, minha terra natal. Aqui, faço tudo a pé, gosto de ir à Zilana, os produtos dela são ótimos; à Drogasil da Rua Sabará; passear pela Rua Tinhorão; ver as novidades da banca da Vilaboim. E vou muito ao Sushi Papaya.” Sagrado para ela é caminhar todos os dias por pelo menos uma hora pelas ruas do bairro ou pelo Estádio do Pacaembu, principalmente onde ficam as quadras de tênis, um espaço coberto, porém aberto, especial para os dias chuvosos, onde ela se conecta aos aplicativos de meditação para caminhada que a mantêm no foco. E há anos faz aulas de Pilates. Qual a sua rotina?, pergunto. “Acordo às 7 horas, faço 40 minutos de meditação, seguida de exercícios que vão acordando as articulações. Depois de checar meus e-mails, vou me arrumar, função que me toma uma hora e meia, ouvindo as notícias na rádio Cultura. Volto para o computador para trabalhar, escrever colunas, atualizar o Instagram, prestar consultorias.” A parte da tarde é dedicada aos compromissos e eventos, que, muitas vezes, seguem noite a dentro. Não é à toa que é ágil como uma menina e se despede de mim atravessando a rua correndo.

Costanza Pascolato tem um estilo próprio de ser, de viver, de se vestir. Vive conectada a dois celulares e um tablet gigante, e passa o dia trabalhando e atualizando suas redes


Vida de Bairro

16

Mexe-mexe

Imagine um ateliê-conceito como você nunca viu, onde é possível escolher entre vários pés, tampos e bordas para seus móveis. Decidir se vai usar madeira maciça certificada, freijó ou jequitibá, em sua cor natural, ou se vai querer pintar sua criação, com uma laca especial, que aguenta atritos. Tudo isso executado por marceneiros supervisionados por Moricy Lui Chaim, arquiteta, designer de mobiliário com grande conhecimento de marcenaria, que desenvolveu uma nova forma de construir (e desconstruir) um móvel. E não é só. Acreditando que a vida é um moto-contínuo, caso você se canse de sua mobília, mude de casa, de vida, de país, na Move Móvel sua mesa de jantar pode ser transformada em mesa de centro ou lateral, seu aparador pode ter os pés e as portas trocados, a cabeceira de sua cama pode mudar... e por aí vai. Moricy gosta de trabalhar on-line, mas aceita com prazer visitas em seu ateliê escondido em um predinho de Higienópolis, com hora marcada.

“Mais cacau e menos açúcar”, essa é a bandeira da Dengo, a marca brasileira de chocolates e cafés de origem (eleita pelo prêmio “Comer & Beber”, da revista Veja São Paulo, como o melhor chocolate de 2018/2019), que tem portfólio assinado pela chocolatier Luciana Lobo. Ali, as pepitas (amêndoas de cacau drageadas), os quebra-quebras (grandes placas de chocolate recheado quebradas no formato que o cliente quiser) e bombons recheados com frutas da estação são orgânicos, naturais e têm sotaque 100% nacional: desde o visual da loja às embalagens dos panetones (novidade! recheados com cupuaçu, gotas de cacau e castanhas), feitas com chita florida e colorida. A proposta de capacitar pequenos e médios produtores, num trabalho de impacto social, foi de Estevan Sartorelli, apoiado por Guilherme Leal, fundador da Natura, e tem se mostrado bem-sucedida. A loja do Pátio Higienópolis é a quinta da rede, mas a primeira a trazer uma viagem (dirigida por Tadeu Jungle) de quatro minutos, com óculos de realidade virtual, que leva o cliente a conhecer o processo da feitura do chocolate: do cacau ao produto final.

Você escolhe os pés, o tampo, as bordas, a madeira, as cores e monta o seu móvel. Cansou? Mudou? Leva de volta e cria outra peça mais atual

Dengo Shopping Pátio Higienópolis R. Dr. Veiga Filho, 133, Piso Pacaembu Tel.: (11) 3823-2743

Move Móvel Praça Vilaboim, 160, cj. 4 Tel.: (11) 3667-0648 movemovel.com.br @movemovel

Arte no prato

Cris Azevedo Tel.: (11) 98280-1116 crisazevedo.com.br

Pouca gente imagina os segredos que Higienópolis guarda em seus apartamentos generosos. Artistas, artesãos, fotógrafos, diretores de arte trabalham em casa e realizam coisas incríveis. Formada em desenho industrial pela Faap, Cris Azevedo é uma dessas artistas que fez da mesa de jantar ateliê. Depois de passear por inúmeras expressões artísticas, do papel ao tear, finalmente apaixonou-se pela porcelana, e usa os pratos como suporte para seus desenhos feitos à mão, que se transformam em decalques que ela mesma aplica antes de mandar para queimar. Seus pratos são peças de arte, para enfeitar uma parede ou servir algum petisco especial, e sua inspiração varia entre as “emoções urbanas” (inspiradas nas cidades e na arquitetura), as “emoções rurais” (pássaros, galhos), os “pets lovers”, a “op art” , influências descobertas em viagens e outras criações que coloca em seus belos trabalhos.

Q publi

A BUTIQUE DE HIGIENÓPOLIS

No número 816 da charmosa Rua Tupi, fica a Tassì, uma butique de roupas femininas de atmosfera aconchegante. Elegante, a loja vende roupas e acessórios de destacadas marcas e designers internacionais e nacionais, dentre eles: See by Chloé, Maria Lúcia Hohan, L’ tribu por Eugénie Zagamé, Patrizia Pepe, Beth Tokitaka e Piero Figura. As fundadoras da Tassì moram em Higienópolis e desfrutam da beleza e da história do bairro durante suas caminhadas diárias até a butique. R. Tupi, 816 Tel.: (11) 3666-3724 @tassi_brasil

Fotos: Paulo Giandalia; Divulgação

E viva o nosso cacau!


Caminhada 17

Texto e fotos ANDRÉ FELIPE

Pacaembu, Santa Cecília ou... As vizinhas Tupi e Conselheiro Brotero reúnem um pouco de cada um dos tradicionais bairros paulistanos que as reivindicam como suas

U

ma caminhada pelas ruas Tupi e Conselheiro Brotero – ambas tombadas pelo patrimônio histórico da cidade – revela um pouco de cada um dos bairros cujas fronteiras se misturam nesse eixo que atravessa toda a região mais baixa de Higienópolis. Mas... a que bairro pertencem realmente? Alguns dirão que estamos em Santa Cecília, com sua variada oferta de serviços, antigos estabelecimentos tocados por gerações e botecos pé-pra-fora. Os que defendem o pertencimento das paralelas ao bairro do Pacaembu não o fazem sem razão; ainda resistem por aqui, imponentes e majestosas, as árvores centenárias. Mas afinal... tudo isso é Higienópolis também? É sim. Aqui, o aclamado charme do bairro ganha contornos mais discretos e tranquilos, com endereços que não querem ser segredo pra ninguém; estão todos lá, de portas abertas, para quem quiser chegar.

Diretor criativo e sócio da Agência Ginga, André Felipe mora na Rua Tupi desde 2002, e de lá não pretende sair tão cedo

1962 por Botti e Rubin entre os mais importantes de todo o bairro. A incrível fachada de venezianas de madeira é de cair o queixo. R. Conselheiro Brotero, 801

Fotos: Divulgação

Aikido Higienópolis O original letreiro de ferro fundido foi trocado por um display mais chamativo nesse que é, talvez, o menor e mais sério dojô de Aikido de São Paulo, fundado pelo sensei Marcio Svartman. R. Conselheiro Brotero, 680, tel.: (11) 3539-1021 Velodrome O mesmo endereço se divide entre uma LBS (local bike shop) e um simpático café, que serve no final da tarde uma pequena

e competente seleção de cervejas nacionais e importadas. R. Conselheiro Brotero, 744, tel.: (11) 2872-5852 Edifício Albina Arquitetos e urbanistas não hesitam em colocar o edifício projetado em

Edifício Tupy A antiga porta de ferro fundido e latão desse pequeno edifício da década de 50 lembra os prédios do barrio de La Recoleta, em Buenos Aires. É onde moro, com minha mulher, meus filhos e meu cachorro. R. Tupi, 171

La Bufalina Sensacionais burratas e bolas de mozzarella de comer de joelho. R. Conselheiro Brotero, 1080, tel.: (11) 3825- 8000 Rotisserie Casa das Massas Frangos acompanhados de batatas assadas e farofinha? Aos domingos cedo. R. Tupi, 496, tel.: (11) 3825-7157 Red Dog Walker Fernando Lopes, co-

nhecido como Red Dog Walker, é o adestrador preferido de dez entre dez moradores do bairro. reddogwalker.com.br SCAR O SCAR é o primeiro representante da nova leva de bares descolados para a moçada. R. Margarida, 30


Gastronomia

18

Com menu tradicional, o restaurante tem ambiente tranquilo e familiar

O sabor dos pratos se alia à divertida decoração, fazendo do Sertó uma excelente escolha

O major virou bar

Foi Domingos Sertório que mudou os nomes de vias da cidade. Suas ruas batizam pratos e drinques

E

m 1880, o major Sertório, que batiza a rua, legalizou os cortiços de São Paulo. Prato cheio para que o recém-inaugurado bar da cidade, o Sertó, decorasse sua casa de maneira divertida e caricata, instalasse uma mesa comunitária e batizasse seus pratos com nomes como Cortiço, sanduíche de carne moída cozida e bem temperada servida no miolo de um pão francês com parmesão, queijo meia-cura e maionese da casa, que pode ser acompanhado pelo Bento fritas, batatinhas sequinhas, que vão bem, também, com um dos seis hambúrgueres de receitas secretas. O bom sanduíche de mortadela não podia faltar, segundo o chef Marcelo Magaldi, que comanda há 11 anos o Buffet Fasano. Dois pesos-pesados engrossam o time do Sertó: Carolina Oda, na carta de cervejas, e Jean Ponce, na idealização dos drinques de sucesso. Sertó R. Major Sertório, 106 Tel.: (11) 3231-5422 @serto.sp

Para ratinhos

Os melhores queijos mineiros chegaram em Higienópolis pelas mãos de Guilherme de Aguiar Saponara. Natural de Pouso Alegre, ele trouxe para sua Casa do Queijo não somente os já conhecidos tipos da serra da Canastra (e de produtores como Mariza, Reinaldo e Ivair), como também os frescos e padrão das marcas Dourado e Val di Fieme, além de doces cremosos e de corte, e vários tipos de doce de leite. Mas não é só. Vale conferir.

Cucina da nonna

Em algum ponto da vida, Giuseppe Ferranese deixou Bolzano, no norte da Itália, para ensinar alemão numa fábrica em São Paulo. Passados cinco anos, decidiu conhecer o sul do Brasil antes de voltar para seu país de origem. Encantou-se por Florianópolis, onde ficou por 24 anos, cozinhando (o que mais gosta de fazer), em seu premiado Sapore di Sale. A vida o levou a fechar o restaurante, e Giuseppe e Leo desembarcaram em Higienópolis, em São Paulo, com a ideia de abrir uma trattoria, para Leo cuidar. Mas o mestre dos ingredientes, apaixonado pela alquimia dos sabores, não abandonou o fogão. Com suas mãos mágicas e olhos sábios, vai dosando pasta fresca (feita na casa) com tomates, mozzarellas, pancettas, temperos, molhos, criando pratos saborosos, feitos com a mesma emoção e amor que transmite para sua equipe, que trabalha cantando. A dupla que comanda a Trattoria Tavolino cativa os clientes. Trattoria Tavolino R. Alagoas, 124 Tel.: (11) 2389-6153

marca couture que se inspira no estilo cool e autêntico de la Parisienne !

peças únicas e atemporais itens selecionados à venda no nosso espaço

par eugenie zagame

(Vila Nova Conceição) Casa do Queijo R. Martim Francisco, 719 Tel.: 2539-0252

Visite-nos!

@latribumaison

Fotos: Paulo Giandalia; Divulgação

Rua João Lourenço, 683 cj.102


Viver B em

19

Em busca do equilíbrio Uma única sala confortável, cordas amarradas nas paredes, no teto, tijolinhos, bastões e outros acessórios que podem ser estranhos aos simples mortais, mas fazem parte da técnica e dos princípios elaborados por B. K. S. Iyengar, criador do método Iyengar, uma variante do yoga. No Studio Yoga Lila, Cristiana Yokoyama e Leandro Ribeiro ensinam o Sattva Yoga, uma vertente do Derivada do Iyengar, desenvolvida por método Iyengar, Gustavo Ponce, aluno a Sattva yoga direto do mestre por 20 busca equilíbrio, leveza e fluidez anos, que percebeu que, além do alinhamento, a prática precisava, também, de fluidez, leveza e respiração. Ele selecionou 60 posturas clássicas a serem praticadas. “Ponce notou que ninguém percebe como acorda, se mais lento ou mais agitado, e a prática é desenvolvida para equilibrar esse estado de espírito, sem o risco de se machucar”, explica Cristiana, que trabalha com apenas seis pessoas por aula de 1h15, boa parte dela dedicada à preparação do corpo para se alcançar determinada postura, que é sempre a mesma, mas parece diferente a cada nova prática. R. Alagoas, 124, sobreloja Tel.: (11) 95590-1300

A casa mágica de Papai Noel Uma viagem de quatro minutos em um trenzinho leva adultos e crianças a descobrir a magia do Natal na Casa do Papai Noel. Durante o trajeto, as cenas vão ganhando vida e o menino à janela espera pelo trenó que vem do céu. Papai Noel tenta entrar pela chaminé, um piano toca na sala de música e, no escritório, os presentes esperam para ser embalados. No alto da Casa Mágica, há uma árvore de 16 metros enfeitada, e o trenó e as renas voam em círculo levando Papai Noel, que também está sentado em seu trono imponente, onde receberá as crianças, suas cartinhas e seus pets em um troninho ao lado. Shopping Pátio Higienópolis Av. Higienópolis, 618, Vão Central, Piso Veiga Filho Tel.: (11) 3823-2347

#achamosegostamos

Saúde é nossa principal riqueza

Fotos: Paulo Giandalia; Divulgação

Pratos deliciosos como o pad thay (foto) ou purple power agora são servidos nos quiosques Urban Remedy

Essa é a máxima que norteia a Urban Remedy, que usa alimentos vivos, frescos, sem nenhum tipo de conservante ou processamento industrial, para produzir uma linha completa de alimentos deliciosos e naturalmente nutritivos e funcionais. Primeira empresa no Brasil a oferecer sucos de verduras prensados a frio, snacks desidratados e saladas coloridas com molhos funcionais, a Urban Remedy agora serve, em seus quiosques, pratos deliciosos e muito nutritivos. Urban Remedy Shopping Pátio Higienópolis, Piso Veiga Filho Tel.: (11) 96189-3716

A BAIANEIRA Restaurante com alma mineira e baiana, resgata os pratos originais das duas regiões em uma casa charmosa e genuína. R. Dona Eliza, 117 Barra Funda @abaianeira

PIVÔ ARTE E PESQUISA Espaço de arte contemporânea, autônomo e sem fins lucrativos. Com eventos e exposições de artistas em residência. Edifício Copan Av. Ipiranga, 200 @pivoartepesquisa

VIX PAULA HERMANNY Marca carioca que acaba de aterrizar no bairro. Coleção moda praia e pós-praia, chique e despojada. Pátio Higienópolis Piso Vilaboim Av. Higienópolis, 618

MANDIOCA Voltado à culinária nacional com combinações inovadoras, onde tudo leva mandioca. Opções veganas. R. Dr. Cesário Mota Jr., 187, Vila Buarque @mandioca.cozinha


Gastronomia 21

Por ISABELA GIUGNO

Conviver à mesa

#achamosegostamos

Menu sazonal com ingredientes fresquinhos e sotaque brasileiro: seja bem-vindo ao restaurante Mensa

M

esa é espaço de troca, de partilha. Foi essa a simbologia que inspirou o chef Rafael Navarini a criar o restaurante Mensa. Aqui a ideia é aproximar. Justamente por isso, o escritório Vapor 324, responsável pelo projeto arquitetônico da casa, valoriza a transparência e a integração. As geladeiras são de vidro para que os insumos sazonais possam se exibir para os comensais. No menu, são priorizados ingredientes orgânicos e locais. “Não queremos ser só mais um restaurante. Nossa ideia é movimentar uma cadeia justa de consumo”, diz Rafael, que coleciona passagens por restaurantes como o Épice e o Mocotó. O menu do Mensa é essencialmente sazonal. É enxuto, mas nem por isso menos sofisticado, tem 14 pratos, como tar-

DELÍCIA NATALINA

Fotos: Divulgação; Pedro N. Prata

Paula Passos, do Cuisine des Amis

O pain perdu (ou “pão perdido”) surgiu na França no século 15 como um prato feito apenas com ingredientes simples: pão amanhecido, ovos, leite e açúcar. Tornou-se uma tradicional sobremesa natalina. Nos Estados Unidos, é chamado de french toast e em Portugal e no Brasil, de rabanada. Aqui, a chef Paula Passos,

tellete feita de farinha de gergelim, recheada com alcachofra; tartare de carne curada com creme azedo, gema, abacate, dill e crocante de alcaparra. Para harmonizar, há os drinques criados pelo mixologista Andy. Tudo lindo. De encher os olhos, a barriga e o coração.

ISLA CAFÉ Inspirado nos sabores do Oriente Médio, o restaurante serve bons pratos, como curry vegetariano. R. Simão Álvares, 97 Pinheiros Tel.: (11) 99976-0378 @isla_cafe

KITH PINHEIROS O menu muda semanalmente. Há opções vegetarianas, como moqueca de pupunha. R. Bianchi Bertoldi, 168 Pinheiros Tel.: (11) 3032-5220 kithrestaurante.com.br

KUBO ZUSHI Pratos japoneses feitos à moda tradicional: sem cream cheese ou maionese. R. das Tabocas, 158 Vila Madalena Tel.: (11) 3814-6167 @kubosuzhi

ESCANDINAVO Raro representante da gastronomia escandinava em São Paulo. R. Dep. Lacerda Franco, 141 Pinheiros Tel.: (11) 98606-3299 @o.escandinavo

BAR BOTÂNICO Drinques clássicos com twist moderno, como o mojito com manjericão roxo. R. Deputado Lacerda Franco, 344, Pinheiros Tel.: (11) 99637-2900 @barbotanico

PADARIA ST. CHICO Panetone de levain com pasta de amêndoas ou calda de laranja. R. Fernão Dias, 461, Pinheiros Tel.: (11) 3031-5096 @st.chico

O chef Rafael Navarini comanda o Mensa, restaurante com menu sazonal, simples e sofisticado. De sotaque brasileiro, os pratos são feitos com ingredientes frescos Restaurante Mensa Rua Wisard, 88, Vila Madalena Tel.: (11) 3031-7536

formada pela Le Cordon Bleu de Paris, nos ensina uma receita deliciosa de pain perdu com compota de morango. Ingredientes 300 ml de leite 100 g de açúcar 3 ovos 1 fava de baunilha 1 colher (sopa) de rum/ conhaque 50 g de manteiga sem sal 6 fatias de brioche Açúcar e canela Modo de preparo Bata os ovos e o açúcar. Adicione a semente da baunilha e misture. Coloque o leite e o rum/conhaque. Mergulhe as fatias de pão na mistura, umedecendo ambos os lados. Retire e escorra. Derreta um pouco de manteiga em uma frigideira em fogo médio. Quando começar a espumar, coloque algumas fatias de brioche e deixe dourar dos dois lados. Repita com

todo o pão. Finalize com açúcar e canela. Sirva com a compota de morango. Compota de morango Ingredientes 30 ml de água 75 g de açúcar 45 g de manteiga sem sal, fria, cortada em cubos 300 g de morangos sem as folhas, lavados e cortados ao meio 20 ml de kirsch ou conhaque Modo de preparo Em uma frigideira média, coloque a água e o açúcar. Cozinhe em fogo médio até formar um caramelo dourado. Junte a manteiga e misture bem. Adicione o morango e, por último, o rum/conhaque. Cozinhe rapidamente até o morango amaciar. Retire do fogo e sirva. Cuisine des Amis @cuisine_des_amis

Escala em São Paulo

O famoso restaurante Nobu, do chef Nobuyuki Matsushita e do ator Robert De Niro, aportou em SP. Aqui, o espaço é chefiado pelos sócios Ester Endo, Denis Endo e Fabiano Gomes, e traz criações tradicionais da matriz, como o Black Cod Miso e o Rock Shrimp Creamy Spicy. No menu, há pratos com sotaque brasileiro.

Nobu Restaurante R. Haddock Lobo, 1573, Jardins Tel.: (11) 3846-7373 noburestaurants.com


22

Entrevista Por MAIÁ MENDONÇA Foto MARCOS MAGALDI

Ópera é paixão Jorge Takla já dirigiu teatro, dança, musicais e no momento está apaixonado pela ópera

J

orge Takla escolheu a fronteira entre os bairros Cerqueira César (conhecido também como “Alamedas”) e Jardim Paulistano como seu point em São Paulo. Esse libanês alto, elegante, de barba ligeiramente grisalha, passeia com intimidade pelo quadrilátero Melo Alves, Lorena, Padre João Manuel e Estados Unidos, cumprimentando conhecidos no trajeto entre seu apartamento e o escritório, ou rumo a seus restaurantes preferidos Rodeio, Almanara e Frevinho. Afinal, ele vive na área desde os anos 1990, e durante uma década foi responsável pelo Teatro Procópio Ferreira. Filho de pai libanês e mãe brasileira, Takla sempre gostou do Brasil, onde passou todas as férias da infância, e desejou morar em São Paulo “quando crescesse”. Sua formação começou na Escola de Belas-Artes, em Paris, onde viveu por sete anos; teve uma passagem proveitosa de três anos com Bob Wilson em Nova York, foi ator, e sempre soube que sua vida seriam as artes cênicas. Em 1977, desembarcou na cidade para ficar e trabalhar. O começo não foi fácil: sofreu preconceito, teve grandes sucessos e fracassos retumbantes, foi massacrado e endeusado pela crítica, ganhou e perdeu muito dinheiro. “A vida é feita de momentos”, diz esse diretor e encenador que passeou por todos os gêneros: dirigiu peças de teatro e espetáculos de dança, abriu o mercado para os musicais

aspas Gosto de me arriscar, me desafiar. Me sinto limitado na área de conforto no Brasil e atualmente se dedica de corpo, alma e coração à ópera. “Amo ópera”, confessa Takla, que vive à base de desafios e não se sente bem em sua área de conforto. “O que me encanta no palco é que nenhum dia é igual ao outro. Existe uma mistura de sentimentos que inclui o estado de espírito do público, dos atores, as emoções que surgem, coisa que nem a televisão nem o cinema conseguem reproduzir”, explica ele, que tem mais de 150 trabalhos no currículo e acaba de encerrar uma curtíssima temporada da ópera Sonho de uma noite de verão, versão do compositor inglês Benjamin Britten para o clássico de Shakespeare, muito contemporânea e diferente de tudo que já se viu. “Pode ser que a ópera volte aos palcos, estamos estudando. No momento, só sei que tenho um convite para um trabalho no teatro Colón, de Buenos Aires”.


Cultura/Artes 23

De página em página

Para quem quer colocar a leitura em dia ou escolher um bom presente de Natal, selecionamos os melhores lançamentos da temporada. Tem de tudo um pouco: de biografias a infanto-juvenis. Leia sem pressa! EVENTOS DO BIMESTRE

Espetáculo: O Quebra-Nozes 35 anos Local: Teatro Alfa Datas: 13 a 23 de dezembro Encenado pela Cisne Negro Cia de Dança, o balé conta a história de Clara, que se encanta por um presente de Natal. teatroalfa.com.br

Pele Esse é um projeto visual sobre autoaceitação. Mais de 160 pessoas foram fotografadas por Brunno Rangel e Marcelo Feitosa, entre famosos, como Sabrina Sato e Reynaldo Gianecchini. Pele Project peleproject.com Dezoito graus – a biografia do Palácio Capanema Com ares de romance de época, a obra traça a história do mítico Palácio Gustavo Capanema, construído no governo de Getúlio Vargas. Editora Olhares olhares.store/ Casacadabra – Cidades para brincar O livro infantil mostra as

aventuras de uma menina e sua capivara, e revela os segredos de cidades como Nova York e Amsterdã. Pistache Editorial pistacheeditorial.com.br Pequenos encontros com Deus A obra transporta o leitor para um espaço de meditação, mostrando que é possível alcançar outras esferas de vida e pensamento. livrariadagaia.com.br/ amazon.com.br Pedra: o universo escondido O livro reúne a obra mais significativa de Denise Milan. As pedras, como geodos de quartzo branco, ametistas ou fósseis de

amonitas, são o maior símbolo do trabalho da artista plástica. Editora Bei bei.com.br Lina Bo Bardi Um panorama da obra e do pensamento de Lina por meio de textos, desenhos e fotografias da arquiteta modernista. Romano Guerra Editora romanoguerra.com.br Conservatória – memórias, sons e sabores Conta a história de Conservatória, distrito do município de Valença, no Rio de Janeiro), um dos principais polos cafeeiros no século XIX. Editora Olhares olhares.store

Mamma Mia Escrito por Maria Francisco, filha de Nair Bello, o livro revela a vida da consagrada humorista brasileira. Matrix Editora livrariacultura.com.br Soldadinho da Caatinga Cristina Rappa fala sobre a Caatinga e sobre o soldadinho-do-araripe, ameaçado de extinção. Florada Editorial livrariadabok2.com.br Cinco Antônios – duas cidades Margarida Cintra Gordinho relata a história dos Silva Prado, família que participou do desenvolvimento de São Paulo. Editora Marca D’Água travessa.com.br

Exposição: Claudia Andujar: a luta Yanomami Local: IMS Data: 15/12/2018 a 7/4/2019 Retrospectiva sobre o trabalho da fotógrafa e ativista que dedicou a vida para estudar o povo indígena ameaçado de extinção. ims.com.br

Exposição: A Light Un Light Japan House Local: Japan House Data: de 6/11/2018 a 6/01/2019 Mostra do designer Kunihiko Morinaga, que combina tecnologia com elementos simples. japanhouse.jp/saopaulo

Fotos: Divulgação

Galeria Flutuante Detalhe de uma das obras que integram a mostra “Aquarela”, do artista Ucho de Carvalho

A Galeria São Paulo, da marchande Regina Boni, fez história na década de 1980 e tornou-se um ícone do circuito artístico paulistano. Agora, o espaço irá reabrir na capital em um projeto intitulado “Galeria Flutuante”. A proposta de Regina é ocupar, a cada três meses, diferentes lugares na cidade e organizar exposições. “Quero rejeitar o que tem sido feito há 20 anos para promover a arte que é ao mesmo tempo de boa qualidade e provocante. Eu entendo de beleza, delicadeza e sensibilidade”, explica. O projeto será inaugurado no interior de um predinho na Rua Estados Unidos com uma mostra do artista Ucho de Carvalho. Ele irá expor 30 aquarelas que, nas palavras da marchande, são “iconográficas, extraordinárias e inquietantes”. Rua Estados Unidos, 2000


Decoração/Estilo

24

Por MAIÁ MENDONÇA Fotos CHRISTIANA CARVALHO

Casa ou chácara?

Nem um, nem outro. Esse sobrado fica logo ali, pertinho do Ibirapuera, onde mora Karin Rodrigues. E nem pense que vai encontrar um espaço modernoso: aqui, dos móveis ao jardim, tudo tem o dedo da atriz

Nesse sobradinho que parece a casa de um sítio, cercada por duas das avenidas mais movimentadas da cidade, o barulho que se escuta é o canto dos pássaros e o vento nas árvores. Aqui, cercada por móveis garimpados, livros, objetos que ela foi colecionando em viagens e três cachorros adotados, vive a atriz Karin Rodrigues, que logo mais estará na telinha

aspas Adoro ficar em casa, cercada pelas minhas coisas, pelas minhas lembranças. Esse espaço é muito especial

K

arin Rodrigues mora em um pequeno paraíso verde encrustrado no coração do Jardim Paulista, “o primo pobre dos Jardins”, brinca a atriz, por conta do valor que pagou quando, há 40 anos, mudou-se para esse sobrado que mais parece uma chácara pinçada do meio do rural e instalada na cidade grande. “Quando mudei, era uma construção simplezinha, sem graça, pequena, cercada por um grande terreno de cimento”, relembra. A simplicidade Karin manteve intacta, mas, com o passar do tempo, ela e um mestre de obras foram adaptando um puxadinho aqui, outro ali, e a casa foi crescendo ao sabor da necessidade e do gosto de sua moradora e de seus dois filhos. Ganhou novas salas, uma de jantar, mas manteve, no segundo andar, os quatro quartos e um único banheiro, como era costume na época. O piso de cimento foi substituído por um jardim de grama, arbustos e algumas árvores frutíferas, plantadas por ela e pela filha Christiana, com a ajuda do jardineiro, num paisagismo bem pessoal e com forte sotaque natural. Karin, que viveu durante anos com o ator Paulo Autran, decorou ela mesma sua morada. “Escolhi alguns móveis em antiquários, mas a maioria descobri entre as doações do Lar Escola São Francisco ou do Exército da Salvação.” O resultado é uma casa aconchegante, simpática, com muita personalidade e com aquele jeitão gostoso das casas do interior de antigamente. Nesse meio tempo, a edícula foi transformada em uma casa-estúdio para a filha, uma construção esticada no terreno com entrada por outra rua.


Urbanismo 25

Fotos PAULO GIANDALIA

Relíquias urbanas

Obras de arte a céu aberto, os mosaicos são verdadeiros patrimônios históricos de São Paulo. Para preservar a memória desses murais, apresentamos alguns dos mais icônicos painéis da cidade

MOSAICO IMPRENSA, DI CAVALCANTI Feito de vidro, esse é um dos painéis mais visitados da cidade de São Paulo. Assinado pelo mítico artista Di Cavalcanti, foi desenvolvido em 1953 e impressiona por estar em perfeitas condições de conservação. A obra fica localizada na fachada do Novotel Jaraguá, onde antigamente funcionava a sede do Estadão, e retrata o processo de produção de um jornal. Novotel Jaraguá Rua Martins Fontes, 71, Centro

MOSAICO AV. ANGÉLICA, CLAUDIO TOZZI O artista plástico é inspirado por temas urbanos e elementos gráficos da estética pop. Elaborado em meados de 2003, esse mural foi construído na fachada lateral do Edifício Comercial Exclusive, na Avenida Angélica. Ele tem 36 metros de altura, reveste uma área de 600 m² e é composto por 1,5 milhão de pastilhas vítreas. Edifício Comercial Exclusive Avenida Angélica, 2016, Higienópolis

MOSAICO ALABARDA, CLÓVIS GRACIANO Graciano era amigo de Portinari e estudou em Paris, onde aprendeu técnicas de produção de painéis. Em São Paulo, criou várias obras com pastilhas de vidrotil. Um dos mais famosos é o Alabarda, feito de cerâmica esmaltada entre 1958 e 1959. A cena retrata quatro figuras femininas trajando vestes longas. Edifício Nações Unidas Avenida Paulista, 648 Cerqueira César


Antena

26

Por HELENA MONTANARINI Vitra Cadeira Verner Panton, em madeira @micasavolb

Vermelhô

Paixão, intensidade, coragem e iniciativa. A cor vermelha, a mais poderosa de todas, inspira uma energia vibrante para 2019

Fleur Design Arranjo natalino composto por prato, bolas e flores @_fleur.design

Orienta Vida Minnie bailarina feita à mão pela ONG Orienta Vida orientavida.org.br

Candy Brown Vestido fluido em crepe @candybrown.official

Labluz Iluminação Pendente acoplado em metal @labluz

Kitschic Óculos triangular inspirado nos anos 90 @akitschic Tom Pepper’s Camiseta infantil listrada @tom.peppers Sweet Brazil Chocolate em forma de enfeite de Natal. @sweetbrazilchocolate

Dudalina Polo em algodão Pima dudalina.com.br

Divino Espaço Copo em vidro com desenho bico de jaca @divinoespacodecor

Virginia Sé Arte Design Escultura abstrata em resina. @vsartedesign

Areaoito Bolsa de praia meia lua em palha e madeira @areaoito

Van Cleef & Arpels Pulseira em ouro, pedras e diamante, coleção Perlée vancleefarpels.com

Anna Vic Colar autoral da estilista carioca Toia Leman para Anna Vic @annavic.rio

Kitchen Aid Batedeira Stand Mixer Artisan doural.com.br

Dpot Objeto Vaso da coleção “Urbaneza”, de Nicole Tomazi @dpotobjeto

Breton Poltrona quadrada com pés de madeira. Rua Gabriel Monteiro da Silva, 820 @bretonoficial

Fotos: Divulgação

Prada Sapato em tecido jacquard e bico quadrado iguatemi.com.br


Turismo

28

Por ISABELA GIUGNO

Às margens do Tejo

Projetos arquitetônicos esculturais, lojas que apoiam artistas independentes e opções gastronômicas de dar água na boca comprovam: Lisboa é mesmo um destino e tanto!

É

verão e, lá do alto do Miradouro de Santa Luzia, consigo ver o bairro da Alfama rasgando a colina em direção ao Rio Tejo. Há um emaranhado de ruelas ocupadas por casinhas: umas brancas e outras cor-de-rosa antigo. O céu azul-pálido de fim de tarde aguarda o pôr do sol. Aqui, varais com roupas penduradas nas sacadas são a coisa mais fotogênica do mundo. Igualmente encantadoras são as ruelas sinuosas que nos levam a conhecer as tradicionais moradas lisboetas. E o que vale mesmo é desbravar a cidade a pé. Conheça a Baixa, bem no centro de Lisboa, e o Chiado, antigo polo da safra intelectual nos séculos 19 e 20. Do outro lado da moeda, há bairros novos que esboçam o processo de reinvenção da cidade. É o caso do Parque das Nações, núcleo moderno de Lisboa que abriga construções como a estação Gare do Oriente, projetada por Santiago Calatrava. Lisboa foi construída

sobre colinas. Por isso, espere encontrar muitas subidas e descidas durante o passeio pela cidade (oportunidade para queimar as calorias da boa comida lusitana). Para pedidas mais tradicionais, prove os pastéis de nata da Pastéis de Belém, e os frutos do mar da Cervejaria Ramiro. Tudo isso, é claro, acompanhado de uma taça de vinho. Agora, não me restam dúvidas: Lisboa é mesmo irresistível.

DICAS DAS INSIDERS LISBOA, Por Paula Mateus

Lisboa é puro charme. A capital portuguesa abriga casinhas tradicionais coloridas em diferentes tons pastel, do amarelo ao rosa-claro. A cidade também resguarda construções contemporâneas, como o museu Maat, assinado pela arquiteta Amanda Levete

MAAT Inaugurado às margens do Tejo, o museu de arte e tecnologia parece uma escultura. JNcQUOI O restaurante aposta em uma gastronomia que mescla sabores asiáticos com um twist moderno. HOTEL VALVERDE Clássico e elegante, o hotel lembra as townhouses londrinas. PORTO, Por Fernanda Araújo FUNDAÇÃO DE SERRALVES Veja uma exposição no museu, projetado pelo arquiteto Álvaro Siza. A coleção tem mais de 4.300 obras. BOA NOVA Reserve uma noite para jantar na Casa de Chá da Boa Nova, restaurante 1 estrela Michelin do chef Rui Paula. ARMAZÉM LUXURY HOUSING Um armazém de ferro do século XIX que deu origem a um design hotel luxuoso.

FURNAS DO GUINCHO Faça um bate e volta até Cascais para um almoço à beira do oceano no Furnas do Guincho, restaurante com ótimos pratos à base de frutos do mar. furnasdoguincho.pt

CASA PAU-BRASIL A loja foi construída no interior do Palacete Castilho e abriga criações de importantes talentos brasileiros, como Sergio Rodrigues e Hugo França. @casapaubrasil.official

BIRD ON A WIRE Loja mais cool de Lisboa, com acessórios vintage e itens contemporâneos criados por artistas independentes do mundo todo. birdonawire-studio.com @birdonawire_studio

BAIRRO DO AVILLEZ A casa do chef José Avillez serve releituras da comida lusitana, como plumas de porco preto e sanduíches de leitão com picles de algas. bairrodoavillez.pt @joseavillez

Fotos: Divulgação

#achamosegostamos


Lente 29 aQuadra registrou o estilo “dia e noite” de gente que mora, trabalha ou circula pelas ruas e pelos eventos da cidade de São Paulo

Helena Lunardelli, na flagship da Casa Almeida, da Gabriel Monteiro da Silva

Afranio Affonso Ferreira

Stefano Carta, lançamento da marca Care, no Manioca

Renato Dib expõe na Expo Design Vision Art, na Praça das Artes, no centro de São Paulo

Roberta Sudbrack, em São Paulo, nos dez anos da Vitalatte

César Giobbi e Margarida Cintra Gordinho, no lançamento de seu livro Cinco Antônios

Fernando Piva, em evento de decoração

Jeff Ares e Karina Mota, no Masp, em almoço de moda e arte

Ermenegildo Zegna e Helena Montanarini, no jantar em homenagem, a ele, na Casa Amarela de Donata Meirelles

Amelinha Amaro, em sua loja, na abertura de mesas de Natal

Visita guiada por Marcello Dantas, curador da exposição Ai Weiwei, na Oca

Clóvis França, no lançamento de seu livro Entretanto e exposição de fotos

Maria Adelaide Amaral

Adele Böger Carrazza, dançarina do balé Cisne Negro

Renata Schmulevitch, da FIT, no Masp

Gloria Kalil, na loja Amoreira, no Shopping Iguatemi Bruna Cutait, lançando seu livro virtual Viva leve

Fotos: Paulo Giandalia; Divulgação

Lívia Pedreira e Victor Ali, secretário de Infraestrutura Urbana de São Paulo, na abertura da CasaCor 2019

Camila Coelho e Joërg Zuber, criador da boneca Noonoouri

Márcio Kogan e Ricardo Gutfreund, em festa em homenagem ao arquiteto

Michel Safatle, na sua cocheira, na Hípica Paulista, no evento da Bulldog Gin


Astros

24

Por VALDERSON DE SOUZA

Astral de 2019

Colaboradores

Publisher e diretora de redação Helena Montanarini Diretora de arte Mabel Böger Editoras convidadas Isabela Giugno e Maiá Mendonça

Claudia Fidelis (tratamento de imagens), Frank de Oliveira (revisão), Jade Gadotti, Paulo Giandalia, Valderson de Souza Jornalista responsável Maiá Mendonça (MTB 20250)

Publicidade

Adriana Gorni adrianagorni@gmail.com Comercial comercial@jornalaquadra.com.br

WhatsApp: (11) 99298-1149 99975-3982

_Astros.indd 24

Teremos três fases difíceis para os negócios e as comunicações. Elas serão de 5 a 28 de março, de 7 a 31 de julho e de 31 de outubro a 27 de novembro. Nesses períodos, vale evitar fazer grandes negócios e tomar decisões importantes, pois tudo terá de ser refeito depois que eles terminarem. O meio do ano será tenso por causa de muitos planetas andando para trás. É bom programar muito bem o mês de julho para não cair nas próprias armadilhas. O segundo semestre será bem mais fácil e próspero, a economia vai melhorar muito, com grandes e positivas vitórias dentro e fora do país. Os relacionamentos vão alcançar a tão sonhada estabilidade e os amores terão uma fase de surpresas agradáveis. As viagens e as aventuras vão animar os encontros afetivos e profissionais e, de quebra, prometem diversão e muito agito para todos. A ideia é agarrar as oportunidades de felicidade, ainda que temporárias. Em dezembro, Júpiter, o planeta da boa sorte, entra no austero signo de Capricórnio e vai se juntar a Saturno e Plutão, que aí se encontram. Juntos, eles vão gerar uma energia tão forte que deixará o ano de 2020 marcado como um dos momentos mais importantes na vida de todos os habitantes do planeta Terra. Quem viver verá! Vamos aproveitar as fortes energias marcianas de 2019 para iniciarmos uma fase nova na vida pessoal e profissional. A dica é investir em atividades e direções diferentes, em campos e trabalhos que nunca antes fizemos. Assim, poderemos nos renovar em todos os sentidos, com atitude e coragem!

Financeiro Sônia Regina Carboni srcarboni@carbonifinanceiro.com.br CTP, impressão e acabamento Gráfica LogPrint www.logprint.com.br O jornal aQuadra é uma publicação bimestral da Montanarini Consultoria Editorial Ltda. - ME Rua Francisco Leitão, 653, 2o andar, conj. 22, CEP 05414-025, Pinheiros, São Paulo, SP, tel.: (11) 3898-3036 CNPJ.: 57.473.407/0001-53

aquadra@jornalaquadra.com.br producao@jornalaquadra.com.br jornalaquadra.com.br @aquadrajornal Distribuidores parceiros Livraria Freebok, Padoca do Maní, Pão de Queijo da Haddock Lobo, Loja Choix, Fabrique Pães, Sushi Papaya (Praça Vilaboim), Farmácia Buenos Aires Bancas: da Joaquim Antunes, da Sampaio Vidal, do Colégio Saint Paul’s, Banca do Bento (Rua Itambé com a Piauí), Banca da Rua Maranhão com a Sabará, Banca Curva

Foto: Divulgação

O

dono do ano será Marte, o planeta da força e da ação. Os assuntos relacionados ao trabalho, segurança e impulsos ativos estarão em alta durante todo o período, e, por isso mesmo, devemos estar muito atentos aos ataques do ego e da vontade extrema. Os conflitos podem surgir do nada, mas felizmente terminam de maneira rápida e instantânea. As mudanças estão garantidas com o ano começando com quatro planetas em seus signos originais: Marte em Áries, Júpiter em Sagitário, Saturno em Capricórnio e Netuno em Peixes. Isso significa novos investimentos, muitas aventuras, transformações do poder e revelações espirituais. Vamos sentir essas vibrações a partir do dia 6 de janeiro, com o céu andando para a frente e permanecendo positivo até 5 de março. O ano vai energizar positivamente os signos de Áries e Escorpião, que são governados pelas energias marcianas, e também os de Leão e Sagitário, que são do elemento Fogo. Os capricornianos vão ganhar muitas posições no campo profissional e serão exaltados em suas competências. Já os signos de Libra e Câncer devem ter um ano complexo, pois a harmonia libriana será um campo de duras batalhas e o sentido de família tão caro aos cancerianos pode experimentar mudanças difíceis e irreversíveis. A partir de abril, o céu começa a ficar lento e vai atrasar os planos de todas as pessoas. E não adiantará nada se mostrar ansioso e brigar com o tempo, pois ele será sempre vitorioso. Todos os signos deverão aprender as lições da paciência e da compreensão.

30/11/18 14:54


Foto: Divulgação

_Astros.indd 25

30/11/18 14:54


Jardins - Edição 09  
Jardins - Edição 09  
Advertisement