Issuu on Google+

1€

de papel ANO XXIV

Nº51

JUN. 2011

Revista escolar do Agrupamento de Escolas Domingos Capela - Espinho

ISSN 2182-1194

s i a i c o S s e eR d os p

s a r t n o c s o e rós


“Rumos” cada vez melhor

P

elo terceiro ano consecutivo, o Agrupamento Domingos Capela abre as portas a toda a comunidade local, dá a conhecer a sua oferta formativa e mostra ainda o que se faz em todos os níveis de ensino durante o ano letivo. Este ano, “Rumos” decorreu na tarde de 28 de maio (sábado), para que um grande número de visitantes pudesse tomar contacto com as diversas atividades – letivas e não letivas – de todo o Agrupamento. A novidade desta edição foi o passaporte criado para os “viajantes” poderem circular em segurança por todo o espaço (assim não falharam nada). No edifício, todos os departamentos curriculares, cursos, projetos, ateliês e clubes apresentaram o trabalho desenvolvido. No exterior, várias tendas captavam a atenção dos visitantes, sobretudo a dos crepes! Os mais novos, da pré e primeiro ciclo, encantaram com as suas atuações e sentiu-se neles já o orgulho de pertencer ao Agrupamento Domingos Capela. O ponto culminante foi a recriação histórica, dirigida por Arcelina Santiago, relativa ao papel de Carolina Beatriz Ângelo na luta pelo direito ao voto – Mulher Notável na República dos Homens, que consta da programação da CM Espinho e Museu FACE. Ricardo Coelho, 9ºC


sumário “Rumos” cada vez melhor | pág. 2 almirantado | pág. 3 Editorial - Trabalho de casa para férias

cais de embarque | pág. 4

Centro Social de Paramos promove atividades

diário de bordo | pág. 5-7 os

5 Jogos Desportivos Curt’Eventos anima tarde para crianças do 2º ciclo Equamat Jogos tradicionais na Seara

redes e linhas | pág. 8-9 Redes Sociais

escotilha aberta| pág. 10 Alunos da Marinha nas redes do FACE: Atar a rede Nem tudo o que vem à rede é peixe

marcha-à-ré | pág. 11

Viagem medieval do 5º ano em terras de Santa Maria

escotilha aberta| pág. 12

Noite intensa em serão de homenagem ao autor do Memorial

centrais | pág. 13-16

Assalto a loja de computadores

arca de noé | pág. 17

Alunos do Hedera helix na Expoflorestal 2011 Relvinhas a crescer...

linha d’água | pág. 18 Técnica do marmoreado

médico de bordo | pág. 19

A sexualidade nos jovens com deficiência “Apenas por ser quem sou”

barcaça da leitura | pág. 20-21 A Biblioteca da Domingos Capela Stop!... Vamos ler!

rumo certo | pág. 22

Canção dos meninos da Marinha representa Espinho na festa da Lipor

escotilha aberta| pág. 22-23 Projeto “As Profissões” Dia da Mãe

borda fora | pág. 24-25

5ºA em Serralves e no Pavilhão da Água 7ºA viaja no tempo 6ºC no Zoo da Maia Trip to Miami

redes à vista | pág. 26 Redes Sociais

fora de bordo | pág. 27

Ilustradora Helena Veloso encanta 5ºD PIEF 2A desvenda segredo do rio com marionetas Projeto “Cidades” em Serralves PIEF 3B assinala Ano Europeu do Voluntariado

Trabalho de casa para as férias:

Q

uando no dia 22 de junho os alunos do ensino regular gritarem “FÉRIAS”, era bom que todos nós (sim nós, pois também sou Pai) tivéssemos presente que ao longo dos meses de julho, agosto e parte de setembro, vamos ter a responsabilidade de continuar a ensinar os nossos filhos.

O Dr. Joaquim Azevedo, licenciado em História e doutorado em Ciências de Educação e director geral do GETAP, e ex-secretário de Estado do ministro da Educação Couto dos Santos, num colóquio estes dias em Espinho, afirmou que “O lugar dos Pais é em casa e não na Escola”. Claro que esta frase descontextualizada poderá ser mal interpretada. Certamente o que o Dr. Azevedo quis dizer foi que é necessário que os pais assumam a sua responsabilidade de educar os filhos em casa. É fundamental transmitir valores e princípios. Se todos nós conseguirmos ensinar em casa a diferença entre o “Certo” e o “Errado”, garanto que será muito mais fácil trabalhar depois dentro da sala de aula. No fim de cada ano civil, temos tendência a olhar para trás e analisar o ano que está prestes a terminar. Está na hora de toda a comunidade educativa fazer o mesmo em relação ao ano escolar. Todos devemos fazer esta introspeção: professores, alunos, pessoal não docente e encarregados de educação. Assim, o trabalho de casa para todos nós irá ser refletir sobre o ano letivo 2010/2011. Vamos envolver-nos mais no dia-a-dia dos nossos filhos. Se não, num futuro não muito longínquo, iremos estar a cantarolar este poema de Neimar de Barros: Sabe, meu filho, até hoje não tive tempo para brincar com você. Arranjei tempo para tudo, menos para ver você crescer. Nunca joguei dominó, dama, xadrez ou batalha naval com você. Percebo que você me rodeia, mas sabe, sou muito importante e não tenho tempo. Sou importante para números, conversas sociais, uma série de compromissos inadiáveis... E largar tudo isso para sentar no chão com você... Não, não tenho tempo! Um dia você veio com um caderno da escola para o meu lado. Não liguei, continuei lendo o jornal. Afinal, os problemas internacionais são mais sérios que os da minha casa. . Nunca vi seu boletim nem sei quem é a sua professora. Não sei nem qual foi sua primeira palavra; também, você entende... Não tenho tempo... De que adianta saber as mínimas coisas de você se eu tenho outras grandes coisas a saber? Puxa, como você cresceu! Você já passou da minha cintura, está alto! Eu não havia reparado nisso. . Aliás, não reparo em quase nada, minha vida é correr. E quando tenho tempo, prefiro usá-lo lá fora. E se o uso aqui, perco-me diante da TV.   A TV é importante e me informa muito... Sei que você se queixa, que você sente falta de uma palavra, de uma pergunta minha, de um corre-corre, de um chute na bola. Mas eu não tenho tempo... .

Sei que você sente falta do abraço e do riso, de andar a pé até a padaria, para comprar ‘guaraná’. De andar a pé até o jornaleiro para comprar “Pato Donald”. Mas, sabe, há quanto tempo não ando a pé na rua? Não tenho tempo... . Mas você entende, sou um homem importante. Tenho que dar atenção a muita gente. Dependo delas... Filho, você não entende de comércio! Na realidade, sou um homem sem tempo! Sei que você fica chateado, porque as poucas vezes que falamos é monólogo, só eu falo. E noventa por cento é bronca: quero silêncio, quero sossego! E você tem a péssima mania de vir correndo sobre a gente. Você tem mania de querer pular nos braços dos outros... Filho, não tenho tempo para abraçá-lo. . Não tenho tempo para ficar com papo-furado com criança. Filho, o que você entende de computador, comunicação, cibernética, racionalismo? Você sabe quem é Marcuse, McLuhan? Como é que vou parar para conversar com você? Sabe, filho, não tenho tempo, mas o pior de tudo, o pior de tudo é que...  Se você morresse agora, já, neste momento, eu ficaria com um peso na consciência, porque, até hoje, não arrumei tempo para brincar com você. E, na outra vida, por certo, Deus não TERÁ TEMPO de me deixar, pelo menos, vê-lo!

Desculpem o meu atrevimento, mas ouçam o poema em: http://www.youtube.com/watch?v=zPAMQBrIKuc Uma última palavra para vocês, queridos alunos: vão analisar as diversas ferramentas que a Internet nos coloca hoje à disposição. Até que ponto é que podemos reverter uma rede social como o Twitter, Facebook ou Messenger num utensílio de trabalho? Penso que a maioria já utilizou o Moodle da escola para de uma forma diferente entregar ou fazer os trabalhos de casa! Mas… será que não podem ir mais longe? O Facebook não será uma ótima maneira de pedir ou prestar auxílio? Ou será que vão continuar a colocar umas imagens, dizer umas asneiritas, jogar uns joguinhos e pouco mais? Vocês hoje têm o mundo aos vossos pés. Com um simples clique, podem partilhar informações, imagens, notícias e novidades. Será que ter um amigo(a) na Inglaterra ou França, que nos obrigue a escrever na língua estrangeira não é uma ótima forma de aprendermos um pouco mais? Inscrevam-se   no eTwinning da Escola, “conheçam” colegas vossos pela Europa fora alarguem os vossos horizontes. A todos umas boas férias e até ao próximo ano letivo. António Sá Diretor

almirantado JUNHO 2011

3

barquinho de papel


Centro Social de Paramos

promove atividades para crianças do 2º ciclo O Centro Social de Paramos tem vindo, nos últimos anos, a dinamizar de uma forma mais atrativa o seu ATL, conseguindo abranger crianças do 2º ciclo e proporcionar diversas experiências enriquecedoras para o seu crescimento.

barquinho de papel

4

JUNHO 2011

N

este ano letivo, que agora está perto do fim, várias foram as atividades dinamizadas, nomeadamente a música, o inglês, as artes plásticas e agora no último período, a educação física esteve também presente, para além do sempre solicitado apoio ao estudo. Nas interrupções letivas, as experiências têm sido mais que muitas. No Natal, a Música foi o principal tema das brincadeiras. Desde experimentar instrumentos, até uma aula de dança, tudo espevitou a curiosidade e fez aumentar os conhecimentos dos nossos jovens.

Nas férias da Páscoa, a “música foi outra” e vários foram os desportos experimentados. Desde o hóquei em patins ao hipismo, do bowling aos jogos aquáticos, muita foi a diversão e o que se aprendeu sobre as várias modalidades. Nas próximas férias, a diversão aliada à aprendizagem vai continuar, bem como no próximo ano letivo, para o qual o Centro Social de Paramos está já a preparar uma série de atividades que vão estimular as crianças e jovens que frequentam esta resposta do Centro Social. Artes (expressão plástica e expressão dramática), mú-

sica, natação, educação física, inglês, apoio ao estudo e equitação são algumas das atividades que vão estar à disposição daqueles que pretendam frequentar o CATL. Pretendemos que esta resposta vá muito para além da segurança que transmite aos pais, por saberem que os seus filhos fora do horário escolar estão entregues a uma instituição credível e com bons profissionais, fazendo com que as crianças durante este período desenvolvam atividades que para além de serem do seu agrado, promovem o seu crescimento de uma forma saudável e educativa.

cais de embarque


N

5

o passado dia 18 de Maio, os alunos do 4º ano do Agrupamento visitaram a Escola Básica e Secundária para, juntamente com alguns colegas do 5º ano, participarem na 5ª edição dos Jogos Desportivos Domingos Capela. Dinamizada pelo grupo disciplinar de Educação Física, esta atividade teve dois grandes objetivos: dar a conhecer aos alunos do 4º ano a Escola que irão frequentar no próximo ano letivo e proporcionar um convívio saudável entre os elementos da comunidade escolar, reforçando assim o espírito de Agrupamento.

os

… Quero ir estudar para a Domingos Capela!

Jogos Desportivos Domingos Capela

Durante a manhã, os alunos participaram em diversas atividades desportivas, que estiveram a cargo dos professores de Educação Física. De seguida, foi distribuído um almoço volante, a que se seguiu uma visita guiada à escola, orientada pelos alunos do CEF de Empregados de Mesa M9, que acompanharam os participantes durante todo o dia, apoiando os professores na realização desta atividade. À tarde, teve lugar a final do torneio de futebol entre as equipas da Lomba e da EBS Domingos Capela (5º ano), tendo a vitória

N

o dia 18 de Maio de 2011, fomos à escola Domingos Capela, para participar nos 5os Jogos Desportivos.

sorrido a esta última, no desempate por grandes penalidades! Seguiu-se a cerimónia de encerramento e a entrega de prémios aos participantes. As Juntas de Freguesia de Silvalde e de Paramos colaboraram mais uma vez nesta atividade, oferecendo as t-shirts e os troféus distribuídos aos participantes. O sucesso desta iniciat i v a fo i g ra n d e e p ô d e constatar-se na alegria e no entusiasmo com que os alunos participaram nas diversas atividades. Gorete Leite

A nossa escola, Marinha, devido ao número elevado de alunos, participou com duas equipas. Enquanto a equipa A jogava diversos jogos no campo exterior, a equipa B jogava futebol no pavilhão. Depois do lanche as equipas trocaram. A meio da manhã ofereceram-nos um lanche e ao meio-dia um almoço tipo lanche. Foram muitas “sandes”, mas foi bom estarmos todos juntos a fazer um mini piquenique. Depois do almoço fomos para a sala de convívio ver um filme e, de seguida, pudemos visitar toda a escola e ficar a conhecê-la melhor. Quando a visita terminou, fomos para o pavilhão desportivo, onde se juntaram todas as escolas do Agrupamento para assistir à final do torneio de futebol entre a escola da Lomba e a Domingos Capela. Foi um duelo renhido, mas a Domingos Capela acabou por vencer. Por fim, todas as escolas foram chamadas ao campo para a entrega de prémios. Ficámos todos contentes, porque entre vencedores e vencidos todos recebemos um prémio. Adorei este dia e queria repeti-lo mais vezes… acho que vou conseguir, afinal estou a um passo do 5º ano e quero ir estudar para a Domingos Capela.

diário de bordo

JUNHO 2011

Ana Rita, 4º ano EB1 Marinha

5

barquinho de papel


Curt’Eventos anima tarde de crianças do ensino básico

O

acontecimento decorreu durante a tarde, no campo de jogos da Escola Domingos Capela, e contou com a participação de 174 crianças do Ensino Básico das Escolas do Calvário e Quinta da Seara que, acompanhadas pelos seus professores, aceitaram o convite da Curt’Eventos para viverem uma tarde diferente. A organização decidiu apostar nos jogos tradicionais para proporcionar uma tarde diferente e animada às crianças, mesmo antes do final do segundo período. Vários foram os jogos preparados, como o jogo da colher, o jogo do tiro aos pinos, o jogo da farinha, o

barquinho de papel

6

JUNHO 2011

A Curt’Eventos – empresa de organização de eventos projetada pela turma do 12º ano do Curso Profissional de Técnico de Turismo – realizou mais uma atividade, desta vez dedicada aos mais pequeninos. Foi no dia 7 de abril. jogo das cadeiras, o jogo da corda, o jogo da dança da laranja, entre outros, assim como uma tenda de pinturas faciais que as crianças quiseram experimentar e adoraram. Ao som de vários temas musicais infantis, as atividades foram de grande sucesso e a satisfação estava presente no sorriso de cada criança. Para finalizar esta tarde especial, a organização preparou um lanche para as crianças, oferecido pela Pastelaria Zéfati. A Curt’Eventos contou ainda com a colaboração do Curso de Fotografia da Escola Domingos Capela que registou os momentos mais marcantes do evento.


Equamat

Matemática na Universidade de Aveiro Equamat é uma competição de matemática para alunos do 3º ciclo do Ensino Básico que integra um Projeto de Investigação e Desenvolvimento, com origem no Departamento de Matemática da Universidade de Aveiro, desde 1989. No seu início, teve como principal objetivo criar nos alunos o gosto pelas matemáticas escolares. Atualmente, considera-se um projeto de vanguarda que, ao prever a situação atual, começou desde logo a desenvolver ferramentas informáticas e conteúdos em diversas áreas do saber. É um concurso online com equipas formadas por dois elementos. Este foi o segundo ano consecutivo que a escola participou, com 28 alunos das três turmas do 9º ano, no dia 10 de Maio. É de salientar que uma das equipas chegou ao 10º nível e outra ao 12º. Tendo em conta que o nível máximo é 20, a participação foi bastante positiva. arinha na EB1/JI da M dial da Criança Matemáticas”. un M a Di ala assin e no País das Turma PIEF 3B entação de “Alic com uma repres

Jogos Tradicionais

O

dia 8 de março foi diferente na Seara, pois foi cheio de atividade física, com a realização de jogos tradicionais, organizados pelos professores no campo de futebol da Seara. Muito importante foi também a partilha de um lanche saudável na cantina da escola.

JUNHO 2011

7

barquinho de papel


S i a i c oS s e d e r

As

redes sociais na internet e a sua utilização é um grande tema da atualidade, até porque o n��mero de utilizadores cresce exponencialmente a cada minuto. Discute-se o facto de se dever ou não utilizar estas redes e, inevitavelmente, à pergunta “São seguras?” surge o debate. A sua utilização é fonte de preocupação para pais e educadores, já que os mais novos, porque mais vulneráveis e ingénuos facilmente esquecem os procedimentos de segurança para que a sua coleção de amigos cresça a par da sua popularidade. Mas tudo depende da utilização, pois as redes sociais, por si só, não são perigosas. Neste momento, as redes sociais estão a conhecer uma nova realidade em que a sua utilização é ponderada e adulta. Por outras palavras, a internet nomeadamente as redes sociais, já não são território exclusivo de geeks, adolescentes e adultos que as usam para fins como a “conquista” de outros indivíduos. Tem como utilizadores pessoas “normais”, com rotinas típicas do dia-a-dia, agora transpostas e adaptadas à Internet, que dá lugar a uma comunicação incrível. Em termos profissionais, as redes são vantajosas: uma boa rede de contactos cria valor e facilita a vida. As empresas tardam em reconhecer as capacidades ao seu dispor na web, mas há quem tire partido dos seus pontos mais positivos:

Divulgação do currículo

Num mundo de emprego em permanente mudança, com os laços entre empregador e empregado cada vez mais ténues, há a necessidade de se estar sempre a par das novidades no

barquinho de papel

8

JUNHO 2011

mercado de trabalho. Quanto maior divulgação tiverem as competências de alguém que procura trabalho, mais facilmente encontrará quem as valorize.

Receber propostas de negócios

Em função do seu currículo, da sua capacidade de relacionamento com os outros e da sua disponibilidade, torna-se mais fácil propor-lhe atividades.

Seleção de especialistas

A procura de trabalho e de talento têm nestas redes lugar de relevo. Estar nelas significa poder ser escolhido. No que se refere ao mundo escolar/académico, as redes sociais têm vindo a assumir um papel de maior relevo, pelo que poderão ser consideradas as seguintes vantagens: • o aluno passa a ter um papel mais ativo na etapa de aprendizagem; • maior colaboração e partilha de ideias entre colegas/colegas e alunos/docentes; • qualquer interveniente pode criar e enviar textos, áudio e vídeo para a Internet; • permite a ligação entre pessoas com perfis idênticos, visto que estas redes têm uma descrição dos interesses dos criadores, dos seus gostos e preferências; • a motivação dos alunos aumenta quando a sua escrita passa a ser lida por milhares de pessoas em vez de apenas algumas.

Bullying e Cyberbullying

B

ullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (ou grupo de indivíduos) com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz(es) de se defender. Neste campo, as Redes Sociais fornecem algumas ferramentas aos perseguidores uma vez que lhes dão meios para que estes levem a cabo, mais facilmente, as suas ações, tais como: • facilidade de atacar através de comentários jocosos e constantes no perfil da vítima; • facilidade em manter o anonimato, criando, por exemplo, um perfil falso; • facilidade em difundir os “ataques” num grupo específico e restrito; • “lutas” online; • envio contínuo de mensagens insultuosas; • roubo de identidade para enviar mensagens em nome da vítima; • revelação de segredos ou imagens embaraçosas online.

redes e linhas


Recomendações

Segurança nas Redes Sociais

A

s redes sociais na Internet são serviços que têm como objetivo o estabelecimento de ligações entre utilizadores que se conhecem ou que partilham interesses ou atividades, permitindo assim uma troca de experiências, vivências e conhecimentos entre os vários utilizadores. Os conteúdos de uma Rede Social podem ser armazenados ao longo do tempo por entidades terceiras, o que é um fator potencial de risco. Outro aspeto importante é o facto de os utilizadores revelarem informações pessoais que podem usadas em contextos que o utilizador não previu. Um utilizador que pretenda eliminar um perfil numa destas redes verificará que apesar de ser extremamente fácil eliminar a página do seu perfil, não conseguirá, em grande parte dos casos, eliminar os dados secundários como os comentários e mensagens enviadas aos outros utilizadores. Não é claro que a informação seja de facto apagada das bases de dados das redes. Em alguns casos depois da eliminação é enviado um email com a indicação de como recuperar o seu perfil, o que significa que os dados são, de facto, mantidos por estas.

• Limite a quantidade de informações pessoais que coloca online. • Não publique informações que o tornem vulnerável (ex: morada, horários, etc.). • Tenha cuidado com as informações que terceiros colocam sobre si online. • Lembre-se que a Internet é um “local” público. Publique apenas informação que pode ser acessível a qualquer pessoa. Esta recomendação é válida não só para as Redes Sociais, mas também para blogues e outros fóruns de discussão. A partir do momento que coloca informação online não é garantido que esta possa ser completamente removida. Por isso, tenha extremo cuidado antes de a disponibilizar. • Esteja atento aos estranhos. Nunca revele informações importantes a pessoas que não conhece verdadeiramente. • Duvide: não acredite em tudo que lê online. • Consulte as políticas de privacidade. Algumas Redes Sociais partilham e vendem as informações dos seus utilizadores a outras entidades.

Desumanização à vista?

U

ma das grandes desvantagens das Redes Sociais é limitar o contacto físico humano. Primeiro, porque a facilidade de comunicação, de criar novos amigos, de contactar com qualquer pessoa em qualquer parte do mundo é aliciante. As horas passadas em frente ao computador limitam o tempo passado em família ou entre amigos. Por vezes, acontece duas pessoas estarem juntas, numa situação real, e mais tarde, já em casa, quando abrem a sua conta acabam por “falar” de mais assuntos em modo virtual, do que o fizeram presencialmente. Cada um vai criando um mundo virtual à sua volta e, embora possa comunicar à escala global, fá-lo de modo solitário junto a um teclado.

Fornecedores apostam na segurança

C

omo forma de proteção dos seus utilizadores, dezassete redes sociais (Bebo, Facebook, Google/Youtube e Yahoo/ Europe, entre outros), assinaram um acordo europeu em Bruxelas a 10 de fevereiro de 2010, para aumentar a segurança dos menores quando usufruem destes serviços. Através deste pacto, segundo a CE (Comissão Europeia – órgão executivo da União Europeia), as principais redes sociais comprometem a sua responsabilidade e identificam potenciais riscos para os menores de dezoito anos, como o assédio pela Internet, os abusos sexuais ou a comunicação de informação particular. Para combater estes problemas, os sites decidiram colocar num lugar mais acessível um botão para informar sobre as condutas inapropriadas ou garantir que os perfis dos menores permaneçam “privados” e não possam ser procurados, o que dificultará que pessoas com más intenções tenham acesso a eles. Segundo a CE, estes tipos de sites registam mais de 41 milhões de utilizadores regulares europeus. No ano passado, o uso das Redes Sociais cresceu trinta e cinco por cento na Europa e a CE estima que o número de utilizadores aumente para cento e sete milhões até 2012.

Alguns números • O motor de busca Google foi o domínio da Internet mais acedido em Portugal em 2009, enquanto o hi5 obteve o maior número de páginas visitadas e mais tempo de acesso. • De acordo com os resultados do estudo Netpal da Marktest, em 2009, mais de quatro milhões de portugueses acederam à Internet a partir de casa, o que corresponde a 97,8% dos internautas nacionais, tendo cada utilizador passado, em média, cerca de 15 minutos por dia online. • Os sites www.google.pt e www.google.com lideraram a lista de domínios com mais utilizadores únicos, três milhões 910 mil, e três milhões 600 e trinta mil, respetivamente, seguidos da rede www.sapo.pt com três milhões e 700 mil. • Em páginas visitadas, a lista dos domínios com mais visualizações foi liderada pelo hi5 (cerca de 5,3 mil milhões de páginas), seguindo-se do google.pt (três vírgula sete mil milhões de páginas) e do google.com (cerca de um vírgula oito mil milhões de páginas); • Foi também no domínio do hi5 que os cibernautas nacionais passaram mais tempo a partir do lar (31 mil horas), seguindo-se o Youtube (24,4 milhões de horas) e o Google (20 milhões de horas); • O hi5 liderou também em tempo despendido por utilizador (10 horas e 5 minutos ao longo do ano), à frente dos sites de jogos online: www.tribalwars.com.pt (com menos 14 minutos que o líder) e www.hattrick.org (menos 2 horas e dois minutos). • Relativamente ao ano passado, a Marktest destaca a subida da rede social Facebook, o único domínio que entrou no Top 10 em 2009, ocupando o oitavo lugar na categoria de páginas visitadas e em sétimo em tempo despendido. • O Facebook em Portugal conta apenas 400 mil utilizadores. Mundialmente tem 125 milhões de registados, sendo assim a rede com mais adeptos.

um trabalho de Abel Gonçalves, Alexandre Gomes, Ana Costa, Ana Pinheiro, Catarina Nunes, Cristiana Pereira, Jéssica Pereira, José Diogo, Maria João Tavares, Oceane Alves, Ricardo Malta e Sara Vieira

JUNHO 2011

9

barquinho de papel


Aristides de Sousa Mendes

A

ristides de Sousa Mendes nasceu em Cabanas de Viriato, em 12 de julho de 1885. Foi um diplomata português, cônsul de Portugal em Bordéus, no ano da invasão da França pela Alemanha, na Segunda Guerra Mundial.

Alunos da Marinha nas redes do FACE “Atar a rede”

“Nem tudo o que vem à rede é peixe”

O

O

s alunos da turma M2, do 2º ano da Marinha tiveram ainda a oportunidade de participar noutra atividade chamada “Atar a rede” que foi orientada por um antigo pescador do bairro, o senhor Manuel, que esclareceu algumas dúvidas sobre o sistema de pesca artesanal. Mostrou, também, como se cosia a rede de forma a evitar grandes buracos por onde os peixes pudessem escapar. Os alunos puderam ainda visitar, mais uma vez, o museu e alguns tiraram fotografias ao lado de retratos de seus familiares lá expostos ligados a esta atividade.

s alunos do 1º e 2º ano visitaram o Museu Municipal de Espinho, nos dias 4 e 5 de maio, com o objetivo de participarem na atividade relacionada com Arte da Xávega. Embora tenham ido em dias diferenciados, ambos os grupos participaram na atividade “Nem tudo o que vem à rede é peixe”, onde os alunos “pescaram” imagens de algumas espécies de peixes bem conhecidas dos nossos pescadores, como por exemplo a faneca, o robalo, a sardinha, o linguado, o ruivo, o carapau e a dourada. Tiveram, também, a oportunidade de ouvir e ver as características de cada uma destas espécies com o recurso a meios audiovisuais. Turmas M1/M2 EB1/JI da Marinha

Sousa Mendes desafiou as ordens de António de Oliveira Salazar quando começa a passar alguns vistos a estrangeiros de nacionalidade indefinida e judeus. No entanto, a partir de junho de 1940, Aristides decide conceder vistos a todos os que o pedissem. Com a ajuda dos seus filhos e sobrinhos e do rabino Kruger, ele carimba passaportes, assina vistos, usando todas as folhas de papel disponíveis e assim ajuda muitos judeus que eram perseguidos. Salvou mais de 30 mil pessoas. Aos primeiros avisos de Salazar responde: «Se há que desobedecer, prefiro que seja a uma ordem dos Homens do que a uma ordem de Deus.» Salazar demite-o das funções de cônsul e envia funcionários para trazerem Aristides de regresso a Portugal. Este, mesmo assim, continua a passar vistos e lidera uma coluna de veículos de refugiados. Na fronteira espanhola impressiona os guardas fronteiriços que ainda não tinham recebido ordens de fechar as fronteiras com França e consegue que todos os refugiados cheguem a Portugal. Na sua chegada a Portugal, a 8 de julho de 1940, foi castigado pelo governo sendo demitido das suas funções e forçado a ir para a reforma com metade do salário. Para além disso, perde o direito de exercer a profissão de advogado e a licença de condução. Aristides sobrevive graças à solidariedade da comunidade judaica em Lisboa, que ajudou alguns dos seus filhos a estudarem nos Estados Unidos. Em 1945, termina a Segunda Guerra Mundial, Salazar felicitou Aristides Mendes por Portugal ter ajudado os refugiados, recusando-se, no entanto, a reintegrá-lo no corpo diplomático. Mariana Teixeira, 6ºC

Fonte www.sousamendes.com

barquinho de papel

10

JUNHO 2011

escotilha aberta


Ainda houve tempo para experimentar a esgrima medieval: foi onde lutámos com os senhores e também com os professores. Levámos tanta porrada! E ainda bem que aquilo não era uma espada a sério! Por fim, o tiro com arco.   Percebemos que era muito difícil! Puxar a seta doía!   Para ver um filme sobre o castelo e relaxar um pouco juntaram-se todas as turmas.

Luta de águias e dragões animaram a tarde

Viagem medieval do 5º ano em terras de Santa Maria

N

a visita de estudo ao Castelo de Santa Maria da Feira, no dia 27 de abril, fomos recebidos por uns senhores vestidos como naquele tempo medieval, ao som da música de gaita-de-foles e flauta. Eram a Caçadora de Veados, D. Gaitas, D. Aldrabão e D. João. Depois, fomos para a igreja do castelo e contaram-nos a sua lenda. Mais tarde, desfrutamos de um espaço com jogos medievais: labirintos, cavalo de baloiço, andas, jogos muito divertidos... 

Assistimos também a uma luta com espadas e machados entre o Sr. Aldrabão e o Sr. João. Cada um tinha uma equipa: águias e dragões. Nos machados, empataram; nas espadas, a equipa dos dragões ganhou.   A seguir chamámos pelo bobo e ele não aparecia, mas à terceira vez ele veio montado num cavalo de pau. Trazia três bolas e fazia malabarismos, primeiro com uma, depois com duas e três bolas. Ensinou-nos a dançar e a tocar música. Foi um espetáculo maravilhoso. Finalmente, fomos para o autocarro para voltar à escola. Foi uma tarde bem passada! Cristina, Luís e Ricardo, 5ºD

Curiosidades da História

A origem de certas expressões populares “A espátula Salazar” A espátula é conhecida por rapa-tachos ou salazar. Tem as seguintes características: • Cabo de madeira • Espátula em silicone ou borracha

“Jurar a pés juntos” A expressão “jurar a pés juntos” surgiu através das torturas executadas pela Santa Inquisição, nas quais o acusado de heresias tinha as mãos e os pés amarrados (juntos) e era torturado até dizer a verdade. Até hoje, o termo é empregue para expressar a veracidade de algo que se diga.

É utilizado para rapar tachos, tigelas evitando o desperdício. A espátula foi popularmente batizada com o nome do ditador António de Oliveira Salazar, que governou o país durante cerca de 40 anos; apregoava a sua pobreza, chegando a afirmar que “Um povo que tenha a coragem de ser pobre é um povo invencível”.

marcha-à-ré

JUNHO 2011

11

barquinho de papel


“Olhar Saramago”

Noite intensa em serão de homenagem ao autor do Memorial

Olhar Saramago” é a designação do intenso projeto que dinamizou todo o Agrupamento e que tinha por objetivo dar a conhecer a obra do escritor José Saramago, culminando no magnífico serão que o encerrou, no dia 6 de maio.

Da responsabilidade da professora Nelma Patela e do 12ºA (Curso de Turismo), o serão percorreu várias facetas da obra do nobel português, contando com a cumplicidade de outras turmas, professores, funcionários e muitos convidados. À semelhança dos serões já realizados, em 2009, relativo a Eça de Queirós e em 2010, relativo a Fernando Pessoa, os participantes trajaram à época, emprestando um especial colorido à ocasião. As indumentárias recriavam a época retratada no Memorial do Convento, obra de estudo obrigatório no último ano do secundário. Os alunos encenaram passagens do Memorial, leram contos, poesia e teatro do autor e foi ainda possível rever momentos do filme Ensaio sobre a Cegueira, de Fernando Meireles, que tem por base o romance homónimo de Saramago. Foi um momento assinalável no ano letivo, mostrando-se, uma vez mais, que um serão dedicado à cultura pode ser bem passado, com entusiasmo e muita alegria e servir de mote para outras descobertas.

barquinho de papel

12

JUNHO 2011


JUNHO 2011

13

barquinho de papel


barquinho de papel

14

JUNHO 2011


JUNHO 2011

15

barquinho de papel


barquinho de papel

16

JUNHO 2011


O que eles disseram… Achei mais interessante o teatro de fantoches, ver as abelhas no enxame, cantar o hino do Prosepe, etc. Aprendi que a forma hexagonal dos favos das abelhas consegue armazenar a maior quantidade de mel na menor superfície. Gostaria de dizer que as visitas do Prosepe são muito divertidas e que... ADORO O PROSEPE! Viva o Prosepe que é o maior CLUBE da Floresta do mundo! André

Alunos do Hedera helix com honras de abertura na Expoflorestal 2011

Sousa, 5ºB

O que achei mais interessante foi ver as microalgas ao microscópio e observar as abelhas a fazer o mel. Mas, em geral, gostei de tudo. Aprendi a plantar árvores e que a floresta é muito importante para a vida. Gostaria ainda de dizer que a viagem foi interessante e também que o teatro de fantoches foi espetacular tal como este Encontro. Inês Moreira, 5ºB

No Ano Internacional das Florestas, os prosepianos dos Clubes da Floresta do Distrito de Aveiro realizaram o seu Encontro Distrital na 7ª Expoflorestal, em Albergaria-a-Velha, no dia 8 de abril.

A

Expoflorestal 2011 é um evento organizado pela Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, pela Associação Florestal do Baixo Vouga e a Associação dos Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha. Conta com o apoio do Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, da Autoridade Florestal Nacional, do Governo Civil de Aveiro e do Alto Patrocínio da Comissão Europeia. O Clube Hedera helix, da Domingos Capela e “Os Azevinhos”, de uma escola de Santa Maria da Feira, deram início à sessão solene no dia dedicado às escolas, na presença de individualidades oficiais, de entre as quais o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Rui Pedro Barreiro – que presidiu ao evento – do representante da Comissão Europeia, Luiz Sá Pessoa, e do governador civil de Aveiro, José Mota, entre outros.

Gostei mais de ver os brinquedos de madeira e de darmos a volta ao mundo em 10 árvores. Gostei de saber que o pessegueiro veio da China. Adorei este Encontro Distrital! Ana Celeste, 5ºD Gostei mais do pedipaper. Aprendi que há casos em que uma flor, são mil florzinhas. Gostei muito e queria voltar. Mariana Branco, 5ºD Gostei mais dos Fantoches e das atividades da Ciência Viva. Aprendi que a Floresta é mesmo muito importante. Gostei muito. Virgínia Nunes, 5ºD Tudo o que assisti foi interessante, por isso, se tivesse que classificar a minha atividade favorita , seria impossível. Aprendi muita coisa. Gostaria de dizer que na próxima vez não vou gaguejar no discurso. Mariana Teixeira, 6ºC Gostei mais do pedipaper. Aprendi que cada vez mais temos de preservar a Natureza. Gostei da atuação das marionetas. Inês Branco, 6ºC Achei muito interessantes as atividades propostas nos ateliês. Aprendi que podemos criar eletricidade a partir de madeira. ADORO O PROSEPE!! Mariana Patela, 7ºB Gostámos de observar as microalgas ao microscópio. Aprendi a identificar árvores e de onde vêm e outras curiosidades. Devia haver outra visita. Adriano Leite, J9 e Daniela S., 9ºC Aprendi o nome de árvores e a sua origem. Foi muito giro encontrar cogumelos venenosos. Rui Nunes, 7ºA O que achei mais interessante foi o Pedipaper. Aprendi que não devo estragar nem poluir a Floresta. Foi muito divertido e gostava de repetir. Daniela Evaristo, 7ºA

Relvinhas a crescer…

N

o Jardim de Infância da Seara, o mês de maio foi dedicado às sementeiras. Semeámos relva para obtermos o “Relvinhas” e plantámos feijões. Também fizemos experiências com a batata-doce e com feijões embrulhados em algodão com água. Agora, é só esperar…

arca de noé

JUNHO 2011

17

barquinho de papel


ore ad o

m

Técnica do Mar

Trabalho desenvolvido pelos alunos do 5ºD no âmbito do projeto eTwinning “WaterRings” nas aulas de EVT dos profs. Andreia Martins e Carlos Sousa.

barquinho de papel

18

JUNHO 2011

linha d’água


“Amar é descobrir que a deficiência do próximo faz parte do perfeito mosaico humano.” Douglas Domingos Américo

“Apenas Por Ser Quem Sou” “A Sexualidade no Jovem com Deficiência”

O

s Serviços Especializados de Educação Especial/ SPO organizaram o seminário “A sexualidade no jovem com deficiência”, no âmbito do Plano Anual de Atividades, no dia 17 de março.

Foi um evento que conquistou grande sucesso: a biblioteca encheu-se de professores, técnicos, pais, e outros agentes educativos exteriores à comunidade escolar, que revelaram enorme interesse sobre a temática. Realça-se o leque de convidados/formadores que fizeram as exposições programadas, refletindo o trabalho de articulação desenvolvido entre professores, alunos e familiares dos jovens com Necessidades Educativas Especiais incluídos na Escola. Sem dúvida que a articulação que os Serviços Especializados/ SPO conseguiram promover com o envolvimento de outros grupos, departamentos e cursos de formação/profissionais evidenciaram o magnífico trabalho implementado na nossa “Escola”. E concluímos com a proposta de reflexão inicial:

“Amar é descobrir que a deficiência do próximo faz parte do perfeito mosaico humano.”

...

foi o tema trabalhado no 3º período em Área de Projeto, articulado com Ciências da Natureza, Português, Formação Cívica e o Projeto Educação para a Saúde (PES).

A partir do texto “Apenas Por Ser Quem Sou” de Lauren Payne, 1994 (“Just Because I am” é o título original), fizemos uma dramatização que foi trabalhada por vários grupos de alunos e apresentada na palestra dinamizada pela equipa do Ensino Especial, com o título “Educação Sexual nos Jovens com Deficiência”, dirigida a professores, pais/encarregados de educação e especialistas da área. Os ensaios foram acompanhados pelas professoras da turma, pela psicóloga da nossa escola, Vera Cardoso, professora Helena Barros e por outros elementos do PES (Projeto Educação para a Saúde), bem como a professora Anabela Fernandes. Levámos esta dramatização às turmas do 5º ano tendo sido avaliada positivamente pelos alunos e pelos especialistas, que elogiaram o trabalho da turma. Na dramatização participaram também os alunos Pedro Monteiro do 6ºC e a aluna Raquel Maia do 7ºB. A riqueza desta atividade residiu na articulação interdisciplinar, uma vez que envolveu Área de Projeto, Ciências da Natureza, Português, Formação Cívica e o PES.

médico de bordo

Alunos do 6ºA Professoras de Área de Projeto Ana Soares e Leonor Cristina Santos

JUNHO 2011

19

barquinho de papel


“Viver” numa biblioteca é um privilégio. É uma casa-abrigo, forrada de livros e outros materiais que encerram sabedoria, conhecimento, sonho e realidade. A nossa biblioteca escolar, plantada com vista para o mar, é uma casa viva, cujos habitantes palmilham, ora determinados, ora tateantes, o caminho do saber, que pode ser duro mas que dá bons frutos. Ancorados na vontade de bem servir e de bem encaminhar, os elementos da biblioteca escolar têm desenvolvido atividades e criado projetos variados e aglutinadores porque sonham formar cidadãos educados, conhecedores, criativos, críticos, conscientes e impulsionadores dos valores fundamentais à humanidade. Eis algumas das atividades desenvolvidas ao longo do ano: barquinho de papel

20

JUNHO 2011

a

b

p

c

o

d

n

e

m f l g k h j

i

barcaça da leitura


Stop!... Vamos ler! O livro “Feminino Singular” de Sveva Casatti Modignani fala de quatro mulheres: uma mãe e três filhas. Todas vivem as suas vidas com os filhos mas sem os maridos. Este livro fala de como as mulheres são guerreiras e conseguem viver, divertir-se, cuidar dos filhos e trabalhar sem precisar dos homens. Aconselho este livro a todas as pessoas, mas principalmente às mulheres que pensam que não podem fazer nada sozinhas. Espero que gostem!

a e p Feira do Livro 2011 em horário alargado para EE b Parceria com a Pastelaria La Traviata c Projeto KU TIVA envio de material pedagógico para Moçambique d Parceria com a Fábrica de Papel de Ponte Redonda e Sessão sobre o Empreendedorismo f Hora do Conto com uma encarregada de educação g Júri do Concurso de Poesia e Fotografia (BE e Prosepe) h História Andante por alunos Alimentação Saudável por elementos da Associação de Pais

j Semana da Leitura 2011

l Fórum de Leitura com 7ºA, 7ºB e M9 m Representação do episódio histórico de Carolina Beatriz Ângelo n Workshop de ilustração com Helena Veloso o Encontro com o escritor/ ilustrador Pedro Seromenho

A biblioteca é um espaço de silêncio; é um local muito agradável. Diogo Dias, 7ºA

Gosto muito de lá ir e de ler! O livro que estou a ler neste momento (comecei agora) é “Anjos e Demónios” de Dan Brown e espero ler de seguida o “Diário de um Banana” de Jeff Kinney. Desejo a todos boas férias e boas leituras! Inês Pais 7ºA

Cátia Gomes, 9ºB

artir da leitura de um livro.”

Thoreau

es ís Borg u “O livro é uma das possib L e g r ilidades de felicidade de que dispomos.” Jo o Hug r o t Vic ” . e m o c ão n e u q o p r o c s m p e í u q r o t i o ue não lê emagrece com e r. O m o c e bé eber

“r

Le

Requisito vários livros; o último que eu li foi “Uma Aventura nas Férias Grandes”.

A biblioteca da Domingos Capela tem livros fantásticos!

iniciaram uma no s n e m o h os va era t i u M“ na sua vida ap

i Sessão sobre Diabetes e

da Seara

Na biblioteca podemos ler, estudar, pesquisar, entre outras coisas.

Cátia Gomes, 9ºB

do 7ºA na comemoração do Dia Internacional das Bibliotecas Escolares

k Hora do Conto com o JI da Quinta

O livro “Filha do Pescador” de Nicky Pellegrino conta a história de uma mulher que se casa com o rapaz por quem sempre foi apaixonada. Após um ano de casamento, o marido fica doente e morre. Toda a gente na vila a julga culpada... O livro é uma viagem pela descoberta da felicidade da protagonista. É muito bom de se ler. Será que concordam comigo?

A nossa casa tem várias galáxias Que acolhem diferentes desejos e visitantes; Recantos confortáveis, veículo de saberes diversos; Apetece ficar, emaranhado numa teia misteriosa. Na nossa casa habitam deuses, heróis, fantasmas, Luzes, sombras, o concreto, a magia; Há gritos e sussurros, silêncios e palmas; Almas que se agigantam, abraços que se fecham. Na nossa casa há transparência e segredos; Há mãos abertas e olhos curiosos; Há colo, há regaços estendidos; E há uma árvore que se quer grande. A nossa casa espreita sempre o mar. O mar que também foi ponte para o conhecimento. É banhada pela luz do crepúsculo, E invadida pela frescura do nosso olhar. A nossa casa é a Biblioteca Escolar Domingos Capela. A equipa da biblioteca escolar agradece a todos os que participaram e apoiaram ativamente as iniciativas da biblioteca e deseja à comunidade umas férias reconfortantes na companhia de boas leituras!

JUNHO 2011

21

barquinho de papel


Articulação Escola / Família

Projeto “As Profissões” Foi uma manhã diferente e muito docinha!

Convidámos a mãe do Álvaro para nos vir ensinar a fazer bolachinhas!

Os nossos agradecimentos a esta mamã tão simpática! JI Qta. Seara

Canção dos meninos da Marinha representa Espinho na festa da LIPOR De salientar os registos feitos pelas crianças:

O

s alunos do JI da Marinha criaram a canção “Separar é preciso”, com a colaboração da professora de música Carla Estrada, das Atividades de Enriquecimento Curricular. A composição musical é alusiva ao ambiente e é uma atividade que se insere no projeto “DÓ RÉ MI” da Lipor, iniciado no ano anterior. Os músicos Safir Cristal e Samuel, técnicos da Lipor, estiveram no JI da Marinha, no dia 22 de fevereiro, para gravar a canção. As crianças participaram nos jogos de expressão corporal propostos pelos músicos, para se descontraírem e fazerem a gravação. Esta atividade decorreu de forma positiva, participativa e animada. “Separar é preciso” foi a canção selecionada para representar o município de Espinho, na festa da Lipor, no dia 19 de junho. barquinho de papel

22

JUNHO 2011

“Estivemos a fazer ginástica.” “A mexer os braços.“ “A sacudir os dedos.” “A pôr os dedos na ponta do nariz.” “A treinar…” “A bater palmas grandes.” “A espreguiçar.” “A esticar os braços.” “A saltar.” “A bater com as mãos no chão.” “A fazer que apanhávamos uma mosca e um moscão gordo.” “Enchemos um balão com o nosso ar.” “O gravador parecia um telemóvel.” “Cantámos a canção.” “Depois ouvimos a música no gravador.” “Nós gostámos muito de fazer de conta que estávamos a apanhar a mosca.” “Nós gostámos de cantar e ouvir a canção gravada.”

rumo certo

Depois de irem ao forno por breves instantes, as bolachas ficaram deliciosas! De seguida, fizemos o registo desta atividade.


A

s crianças do jardim de Infância da Marinha foram ao FACE realizar a prenda para o dia da Mãe: um espelho, reutilizando um CD, e decorar uma saquinha de tecido. Na escola elaboraram um postal para juntar à prenda. Cada criança desenhou a sua mãe em folhas pequenas e ainda num papel de cenário grande, para decorar as salas e a entrada da escola. As mães gostaram de ver os trabalhos realizados pelos seus filhos. Algumas mães demonstraram a sua alegria pegando nas crianças ao colo, abraçando-as e beijando-as. JI Marinha

Dia da Mãe na Seara

O

a d a i Mãe D

“A MÃE VEM À ESCOLA” é uma atividade integrada no Projeto Intercâmbio com a Família, que registou a visita de uma mãe e uma avó ao Jardim de Infância da Marinha. Mãe e avó contaram duas histórias: “A Panela Mágica” e “A Aldeia Cinzenta”. As duas convidadas cativaram as crianças durante a narração, fizeram perguntas e levaram-nas a participar. Esta atividade foi do agrado das crianças, que se mostraram atentas e entusiasmadas. No fim, recontaram as histórias e fizeram registos gráficos. Ainda relacionado com este projeto, os pais continuam a enviar-nos trabalhos relacionados c o m o t e m a : “A C a s a ”. O ú l t i m o r e c e b i d o fo i “A escola da Marinha”.

Dia da Mãe é muito importante para as crianças, sendo comemorado com entusiasmo pelas famílias. Como não poderíamos deixar de assinalar este dia na escola, o 2º ano da Seara empenhou-se na realização de um presente. Para a sua elaboração utilizaram-se tintas de várias cores para decorar um pequeno vaso de madeira com uma flor, na qual as crianças colocaram a sua fotografia. Também foi criado um postal, onde se escreveram breves mensagens de carinho e um poema. Foi uma atividade muito enriquecedora e inesquecível!

JUNHO 2011

23

barquinho de papel


5ºA em Serralves e no Pavilhão da Água

A

turma 5ºA realizou uma visita de estudo a Serralves, em março, que contemplou uma oficina/laboratório, que tinha por objetivo alertar para a sustentabilidade das cidades e aproveitamento dos recursos naturais. Este tema está relacionado com o projeto da turma de apresentação de uma maqueta sobre “A cidade do futuro”. A parte mais emocionante foi a entrada numa mina, onde se observaram os lençóis de água subterrânea e se sentiram as diferenças de temperatura. A seguir ao almoço, decorreu uma visita guiada ao Pavilhão da Água: a diversão foi muita com as experiências interativas. É claro que todos ficaram molhados, não só com a chuva daquele dia, mas também com tanta água do Pavilhão… Molhadinhos, mas contentes, os alunos ficaram mais alerta para preservar esse bem essencial que é a água! Alunos 5ºA

7ºA viaja no tempo

O

s alunos do 7ºA tiveram a oportunidade de viajar no tempo��� Visitaram as ruínas romanas de Conímbriga no passado dia 18 de março. É muito mais estimulante estar num local onde os romanos viveram, do que conhecer a sua civilização apenas nas aulas. À tarde, os alunos regressaram à contemporaneidade e visitaram o Museu da Ciência, em Coimbra, onde executaram várias experiências. As atividades em que participaram tinham os sugestivos nomes de “Neurónios ao ataque”, “Viagem no tempo” até ao século XVIII e XIX e “Ciência ao Vivo”. Ao final do dia foi o regresso à escola, de autocarro, parando pelo caminho numa área de serviço para lanchar. Terminou uma agradável visita que todos esperam repetir. Diogo Oliveira, 7ºA

6ºC no Zoo da Maia

F

ui ao jardim zoológico da Maia, com os professores e colegas da turma, no dia 1 de abril de 2011. Nesta visita os alunos andaram num comboio elétrico pelas ruas na cidade da Maia e depois foram passear pelo Zoo. O espetáculo dos leões-marinhos foi muito divertido, porque o leão-marinho fez brincadeiras para os alunos e cumprimentou os espectadores com um «beijo» na cara. No parque havia muitas árvores. Os alunos aproveitaram para almoçar. Foi uma visita muito divertida! Jéssica Silva, 6ºC

barquinho de papel

24

JUNHO 2011

borda fora


Grupo todo em frente ao “ The Clay Hotel”

D

uring the month of April we had the fantastic opportunity to enjoy a cultural trip to Miami and to take a semi-intensive English course in this beautiful place.

o t trip

i m a i M

Os alunos e a professora responsável pela viagem

Oceane e Sara no Hard Rock Café

There is no doubt that this week was absolutely memorable: the cultural exchange and friendship with students from other countries who were attending the same school as we were, the improvement in our English linguistic skills, the unique experience of being in a city full of youth and joy. Our mornings were spent at school improving our English and, in the afternoon, we walked through the wonderful city of Miami and its warm and colourful beaches. We refreshed ourselves at Lummus Park, admired Miami Ink Shop, strolled around Ocean Drive, visited the popular Bayside Market and the famous Hard Rock Café. We got into Jungle Island where the Everglades habitat is portrayed. We went through many different and beautiful islands till we reached Key Biscayne. Through this journey we had the pleasure of watching the clear blue waters, enjoying Bill Bags Park and visiting the old lighthouse at Cape Florida. Meanwhile we also pleasantly saw the luxurious mansions of the famous Hollywood stars. Everyday we also had the privilege to wonder ourselves with the nostalgic and charming environment of the decades 20 and 30 in the historical Art Deco District where our hotel, The Clay Hotel, was surrounded by the beautiful and flowery “Española Way”. All of this and much more than words can say transformed this week from the 16th till the 24th April in a fabulous, enriching and unforgettable experience! Sara and Oceane

- Onde fica Miami? Espinho Portugal Miami Beach Estados Unidos

Oceane e Sara no Ocean Drive

JUNHO 2011

25

barquinho de papel


er d e s à v i s t a Redes Sociais: M9 foi saber como os colegas as veem e utilizam

C

om o intuito de conhecer o que sabem os alunos da Domingos Capela sobre as redes sociais, a turma M9 desenvolveu um estudo sobre o tema, partindo de um inquérito por si elaborado, aplicado e tratado. As professoras de Português e Matemática deram uma ajuda. Este inquérito foi aplicado a 60 alunos da EB/S Domingos Capela, durante o período de aulas, de forma aleatória. Os resultados são algo surpreendentes, pois apesar da larga maioria ser utilizador, não é capaz de definir rede social. Quase todos fugiram à pergunta da definição, dando apenas exemplos de redes sociais.

Facebook e hi5 no topo das preferências As duas redes sociais mais utilizadas pelos alunos são Facebook e hi5. São estas as mais populares e talvez seja esse o motivo da opção dos alunos, já que o inquérito não previa apurar o motivo da preferência. Embora não fizesse parte do inquérito, alguns dos respondentes referiram a fácil e intuitiva utilização destas redes como uma razão válida para as escolher. Os inquiridos utilizam as redes sociais para conhecerem mais pessoas e também para manterem o contacto com familiares e amigos que vivem longe. Poucos as utilizam para fins escolares ou motivos profissionais. Outro dos pontos focados pelos inquiridos foi o facto de a utilização das redes trazer alguns riscos, apesar de não ter sido focado no questionário do inquérito. E esse é talvez um fator que cause alguma inibição no uso destas ferramentas virtuais. Turma M9

barquinho de papel

26

JUNHO 2011

PROPRIEDADE Agrupamento Domingos Capela ESPINHO

COORDENAÇÃO/EDIÇÃO/PAGINAÇÃO Manuela Correia barquinhodepapel@gmail.com

REDAÇÃO/APOIO À EDIÇÃO Cristina Costa Comunidade escolar

IMPRESSÃO Empresa Gráfica Paramos PARAMOS

TIRAGEM

1000 exemplares

ISSN

2182-1194


Ilustradora Helena Veloso encantou 5ºD

PIEF2A desvenda segredo do rio com marionetas

Projeto “Cidades” em Serralves

N

N

E

o âmbito do projeto eTwinning “WaterRings” fomos desafiados a inventar contos (Língua Portuguesa) e criar as suas ilustrações (Ed. Visual e Tecnológica), tendo por base a audição de peças musicais sobre o tema “água” (Ed. Musical).

ós, a turma do PIEF2A, apresentámos no dia 27 de maio, a peça de marionetas adaptada do conto “O Segredo do Rio” de Miguel de Sousa Tavares, no âmbito do projeto eTwinning “WaterRings”, aos utentes da Santa Casa da Misericórdia.

PIEF3B assinala Ano Europeu do Voluntariado

ste ano, o Projeto com Escolas da Fundação de Serralves lançou o tema “Cidades”. As turmas dos 5ºs e 6ºs anos dedicaram-se a este projeto nas aulas de EVT, durante o 2º período.

No dia 1 de abril de 2011 a ilustradora Helena Veloso veio à nossa escola falar da sua experiência.

Quando lá chegámos os idosos já estavam na sala de convívio preparados para nos verem atuar.

Esta artista apresentounos as suas ilustrações do livro “Planeta Azul?” e explicou-nos algumas técnicas para fazer ilustração, qual a estrutura de um livro, como se produz em série e como se comercializa.

Em pouco tempo, preparámos os cenários, as marionetas e o som.

s alunos do PIEF3B dinamizaram a atividade “Hora do Conto”, no âmbito da disciplina Cidadania e Mundo Atual, como forma de assinalar o Ano Europeu do Voluntariado.

A Lisandra, a Bruna, a Micaela e a Jénifer deram vida às marionetas, enquanto o Hélder, o Mário e o Carlos foram responsáveis pelo som, imagem e registos fotográficos.

As alunas Nádia Marques e Cassandra Maia ofereceram-se para ler as histórias “Procura-se um amigo” e “200 amigos para uma vaca” aos colegas mais novos EB1 da Marinha, durante dois dias.

As ilustrações originais do livro foram pintadas a tinta acrílica em tela de algodão num tamanho grande. Os desenhos eram muito  bonitos e coloridos, ela teve muita imaginação! Aprendemos que primeiro devemos ler muito bem a história e perceber a mensagem a transmitir. Depois de pensarmos como comunicar a mensagem fazemos vários esboços,  estudos de cor e de várias técnicas numa folha de papel em tamanho grande para depois ser reduzida e ficar com boa qualidade.

Os idosos gostaram muito da nossa prestação, a Dra. Susana elogiou as nossas marionetas e convidou-nos a voltar a participar em novos projetos. Falámos com alguns idosos e ficámos muito impressionados com um senhor que nos mostrou umas maquetas que ainda faz com os seus 70 anos! No final, passámos de atores a público ao assistir ao ensaio da peça “O Capuchinho Vermelho”, desta vez interpretada pelos idosos.

A fase seguinte é selecionar o melhor estudo e fazer a ilustração exemplar. Gostámos muito desta experiência e queremos agradecer a Helena Veloso por ter vindo à nossa escola partilhar a sua experiência que nos vai ajudar a realizar o nosso projecto! A turma 5ºD 

Esta foi uma experiência de partilha e convívio entre gerações.   Adorámos! PIEF 2A

Algumas turmas realizaram uma visita de estudo a Serralves e participaram nas oficinas temáticas.

Nas aulas, puderam pesquisar e aprofundar os seus conhecimentos no âmbito do desenho de alçados, plantas, interpretação e representação de escalas e mapas, construção de volumes e maquetas. 

O

A Escola EB1 da Marinha foi muito recetiva, acolheu os colegas mais velhos com muito carinho e as crianças adoraram a presença-surpresa da turma PIEF. Usando a criatividade, os alunos refletiram sobre a problemática da poluição nas cidades e a urgência na proteção do meio ambiente para um futuro sustentável. Andreia Martins prof. EVT

- Escrevemos para um jornal nacional...

fora de bordo

Os alunos do PIEF ofereceram puzzles por si construídos e dado que consideraram a atividade enriquecedora, pretendem dar-lhe continuidade no próximo ano letivo. PIEF 3B

...o Público!



BP51_2011