Issuu on Google+

m U

p a r e a d a T d i o C dos a


Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal de Educação e Cultura de Barcelos Carléne Barbosa, psicóloga do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal de Educação e Cultura de Barcelos 2012 © Proibida a reprodução total ou parcial


Vamos fazer de Barcelos um município acessível para todos! Ser criança é a melhor coisa do mundo. Somos livres de preocupações, podemos brincar, podemos ser quem quisermos, podemos ir até onde a nossa imaginação nos levar. No recreio da escola, em casa, ou no parque. Ser criança é não perder nunca a vontade de brincar. Mas, nas vossas brincadeiras, quantas vezes tiveram obstáculos que não conseguiram ultrapassar? Todos os dias, um pouco por toda a cidade, há pessoas que não conseguem ir, por exemplo, ao supermercado ou a uma biblioteca, porque há barreiras na rua que tornam o caminho perigoso, ou mesmo impossível. Há pessoas que têm de usar cadeira de rodas e que, se não houver rampas, não podem entrar dentro de um autocarro. Há pessoas cegas que, se não houver sinais de som nos semáforos, não podem atravessar a rua. Para os mais idosos, ou mesmo para as crianças, é muito perigoso atravessar uma rua sem passadeira. Mas nós queremos que toda a gente possa viver melhor em Barcelos. Queremos que ninguém sinta dificuldade em fazer as coisas que gosta, como brincar, só porque há barreiras que impedem. Por isso, estamos a trabalhar para descobrir quais os problemas da nossa cidade e encontrar as soluções para os resolver. E contamos com cada um de vocês para passar a palavra aos vossos pais, amigos e familiares. Com este livro de pintar queremos mostrar-vos apenas alguns dos problemas que muitas pessoas vivem no dia-a-dia. E, através destes exemplos, provar que qualquer dificuldade ou barreira pode ser ultrapassada, desde que o espaço em que vivemos seja construído e adaptado a todos os que nele vivem. É apenas um pequeno passo para alcançar o nosso grande objetivo: fazer de Barcelos um município acessível para todos.

MIGUEL COSTA GOMES

Presidente da Câmara Municipal de Barcelos


Barcelos, uma cidade educadora Com certeza que todos vocês já conheceram pessoas diferentes. Pessoas que caminham, falam ou vêem de maneira diferente. Pessoas comuns que precisam de ajuda para viver o seu dia-a-dia. Alguns de vocês até se deparam, certamente, com casos de pessoas diferentes na vossa comunidade. Devem já ter percebido, por isso, que o mundo em que nós vivemos não está construído para todos e há barreiras em todo o lado, que tornam mais difícil a vida de alguns. Isto acontece porque as ruas, as casas e outros edifícios são construídos sem que haja uma preocupação com as dificuldades de cada um de nós. Mas não são só as pessoas com cadeira de rodas, as pessoas cegas ou surdas que têm dificuldades. Os mais idosos encontram muitas vezes barreiras em sítios que, para nós, mais novos, são fáceis de contornar. Vocês próprios correm perigos nas ruas que, para os adultos, são apenas percursos fáceis e acessíveis. Este pequeno livro de pintar é apenas uma parte do Programa RAMPA que a Câmara de Barcelos decidiu adotar. Queremos sensibilizar os habitantes de Barcelos para a importância de construirmos cidades “amigas” de todos, onde ninguém, independente da sua dificuldade ou limitação, se sinta posto de parte da comunidade. Contamos convosco para nos ajudarem na nossa missão!

ARMANDINA SALEIRO

Vereadora da Educação da Câmara Municipal de Barcelos


Os nossos amigos vivem numa cidade espetacular! Chama-­se Cidade para Todos! Sabes porquê?

A P E D A D I C

Porque nesta cidade, toda a gente anda Ă  vontade!


PARA TOD OS

BARCELOS ACES SÍVE L

A Cidade para Todos está preparada para receber todas as pessoas, mesmo aquelas que têm alguma deficiência ou alguma dificuldade! A isso, chama­‐se ACESSIBILIDADE, que é quando as coisas podem ser utilizadas por todas as pessoas!


Por exemplo: Para sair da sua escola, a Mariana precisa de descer até à rua, mas na sua cadeira de rodas não pode ir pelas escadas. Então, a Mariana usa uma rampa, que foi construída para as pessoas que usam cadeira de rodas ou carrinhos de bebés.

Se não existisse esta rampa, a Mariana teria que pedir aos seus colegas e aos professores que a levassem ao colo… E isso não é justo, pois não?


A tia da Mariana também ficou feliz quando foram construídas estas rampas!

Agora, já pode ir passear com o seu bebé… e mostrar‐lhe todos os lugares bonitos que há na Cidade para Todos!


No outro dia, a Mariana foi a uma escola que ficava noutra cidade. Lá, também fizeram uma rampa, mas havia um problema… Consegues descobrir o que está errado nesta rampa?

1º 2º


É verdade! Os corrimões são muito importantes, e não servem só para as cadeiras de rodas! Também apoiam as pessoas que sentem alguma dificuldade a andar…

E, como podes ver, os corrimões podem ter várias alturas diferentes… Queres saber porquê? Porque os corrimões não servem só para as pessoas de estatura normal. Servem também para que as pessoas de alturas diferentes possam apoiar­‐se, como é o caso das pessoas que usam cadeiras de rodas, das grávidas, dos anões ou das crianças mais pequenas!


E por falar em anões, vamos conhecer a Luísa! A Luísa é anã. Isso significa que ela é mais baixinha do que as outras pessoas. A Luísa vê bem, ouve bem e anda bem. Mas, como é mais baixa, pode ser difícil chegar às coisas de que precisa… Às vezes, na Biblioteca, os livros que ela quer estão nas prateleiras lá de cima… E ela gosta tanto de ler!!!

Bem, parece que a Mariana já resolveu o seu problema, e com muita imaginação! E a Luísa também vai conseguir! Normalmente, as bibliotecas têm umas escadas muito grandes, que nós podemos usar para chegar às prateleiras mais altas! Alguém deve ter levado a escada para outro sítio! O que achas de desenhares uma escada para a Luísa? Ela vai ficar tão contente!


A Rita vive na mesma cidade que a Mariana, e também gosta muito de viver lá, porque, na sua escola, tudo está preparado para que ela consiga fazer as coisas sem ter que pedir ajuda!

Por exemplo, ela consegue saber em que sala está, porque !


Além disso, ela consegue usar o computador sozinha! Mas como, se a Rita é cega?? É um computador especial! Consegues descobrir porquê?

Muito bem! Descobriste! 1º 2º 3º


Na Cidade Para Todos, os autocarros também estão equipados para que todas as pessoas possam utilizá‐los! Todos os dias, a Mariana regressa da escola com os seus colegas!

E não é nada difícil!

Este autocarro tem portas mais

, e tem uma para a cadeira da Mariana poder sair até ao passeio!


Este autocarro é tão fixe, que até tem uns lugares especiais:

Por exemplo, se uma pessoa estiver grávida, ou for mais velhinha, ou mesmo se estiver aleijada, há lugares reservados no autocarro para essas pessoas. Têm uma placa a indicar e tudo!

E os habitantes da Cidade para Todos respeitam essa placa e sentam‐se nos outros lugares! São todos muito educados!


Lá na escola da Cidade para Todos, a Francisca tem um professor novo! Hoje, a turma vai fazer uma ficha para o professor os conhecer melhor…

O professor não sabia que a Francisca tem dificuldade em ler as letras mais pequeninas. Por isso, ela explicou­‐lhe a sua dificuldade. Então, o professor levou o teste dela e fez outro, com as letras um bocadinho A Francisca ficou muito contente! Agora sim, o professor conhece bem a turma toda!

.


A Mariana gosta muito de ir ao centro comercial, porque há elevadores onde ela tem muito espaço para a sua cadeira de rodas! No fim de semana, ela viu um senhor que queria utilizar o elevador, mas estava um pouco confuso…

O elevador está acessível para a Mariana, mas ainda não está acessível para todos! O que poderia ter este elevador para ajudar o senhor a utilizá-­lo? 1º 2º


E tu? Gostavas que Barcelos fosse uma Cidade para Todos? Assim, todas as pessoas poderão entrar em todos os sítios e fazer o que quiserem, tal como tu!

BARCELOSA CESSÍVEL

A ACESSIBILIDADE faz com que todos os sítios e todas as coisas possam ser utilizadas e visitadas por TODAS as pessoas! E toda a gente pode fazer o que precisa sem ter que pedir ajuda a ninguém. A isso chama-­se AUTONOMIA!


UM MUNICÍPIO SEM BARREIRAS

Fundo Social Europeu


"Uma Cidade para Todos"