Issuu on Google+

Diário das Cardosas Porto, 5 de Julho 2012

ONDE IR:

INTERCONTINENTAL PORTO-PALÁCIO DAS CARDOSAS

DE BICICLETA ESTAÇÃO S.BENTO • MCDONALDS Praça dos Aliados • A BRASILEIRA Rua Sá da Bandeira • TEATRO SÁ DA BANDEIRA Rua Sá da Bandeira • COLISEU Rua de Passos M anuel • MAJESTIC Rua de Santa Catarina • BOLHÃO R ua A lexandre B raga • TEATRO RIVOLI Praça D. João I • GUARANY Avenida dos A liados • ARCÁDIA Rua do A lmada • CAFÉ AVIZ Rua de Ceuta • GELATARIA Rua de Ceuta • CAFÉ CEUTA Rua de Ceuta • EDIFICIO MOÇULMANO Rua José Falcão • CAFÉ PROGRESSO Praça Carlos Alberto • CAFÉ LUSO Praça Carlos Alberto • ARMAZEM DO CHÁ Rua de Breyner • ARTES EM PARTES Rua M iguel Bombarda • CCB Rua M iguel Bombarda • PALÁCIO DE CRISTAL Rua D. M anuel II

PASSEIO DAS CARDOSAS É APRESENTADO HOJE

ENTREVISTA COM OS ARQUITECTOS ROSÁRIO RODRIGUES, NELSON DE ALMEIDA E LUÍS ALMEIDA É

hoje apresentado o andar modelo do

empreendimento

Passeio

das

C ardosas ,

fruto de uma intervenção estratégica no coração da baixa do

Já abriu o Hotel Intercontinental do Porto dando vida ao Palácio das Cardosas, um exemplar da arquitectura do século XIX da baixa da cidade, agora recuperado pela construtora Lucios. A unidade hoteleira de cinco estrelas custou cerca de 30 milhões de euros e é a primeira desta insígnia de luxo do grupo ICH, em Portugal. Com 105 quartos e suites, o Hotel conserva os tectos altos caracterizados pelo estilo clássico português, dispõe de ginásio e spa, do intimista bar Library e ainda do emblemático e agora renovado café Astória.

SABIA QUE... A

Rua das Flores foi aberta entre 1521 e 1525 no final do reinado de D. Manuel com o nome de Rua de Santa Catarina das Flores, pela devoção do bispo da altura a Santa Catarina do Monte Sinai e pelas flores que existiam nos terrenos por onde a rua foi aberta.

J

osé Francisco Trindade Coelho, juiz e escritor, escreveu e publicou em 1901 o “ABC do Povo”, livro adoptado oficialmente nas escolas públicas.

N

o local da Praça de Almeida Garrett se juntavam dois ribeiros: um, que nascia na zona do actual Marquês, e outro, nas elevações da Fontinha, e que formavam o rio da Vila (posteriormente encanado) que desaguava no Douro, junto à praça da Ribeira.

Porto.

O Passeio das Cardosas é delimitado a norte pela Praça da Liberdade, a nascente pela Praça de Almeida Garrett, a sul pela Rua das Flores e a poente pelo Largo dos Lóios e pela Rua Trindade Coelho e é composto por habitações de tipologia T0, T1 e T2 e espaços comerciais. A experiência da construtora Lúcios tem sido determinante, quer pelo know-how da empresa no que concerne a requalificação urbana, quer pelos meios técnicos e logísticos de que dispõe. Estas características são fundamentais para garantir a preservação do património arquitectónico e a riqueza cultural da cidade. O “Diário das Cardosas” falou com os arquitectos da FAA, empresa responsável pelo projecto, para saber mais sobre este verdadeiro desafio de reabilitação urbana. QUAL O OBJECTIVO QUE NORTEOU ESTA INTERVENÇÃO? rr O objectivo principal da intervenção era conferir condições de funcionalidade, salubridade, segurança e estética, reabilitando os edifícios existentes e reconstruindo o interior do quarteirão. Pretendia-se introduzir novas valências e novas actividades, aumentando a sua atractividade quer no mercado de habitação quer do comércio e serviços. A solução proposta valoriza e destaca a criação de um espaço público, daqui resultando num interior desafogado onde o edificado envolvente sai mais qualificado.

PASSEIO DAS CARDOSAS, FRUTO DE UMA INTERVENÇÃO, COMO SE CARACTERIZAVA O DENOMINADO QUARTEIRÃO DAS CARDOSAS? na Cerca de 75% da área edificada do quarteirão estava subaproveitada, estando 60% dessa área devoluta; cerca de 15% era utilizada como armazenamento dos comércios localizados no rés-do-chão e somente 6 fogos estavam habitados. Para além disso, o interior do quarteirão estava ocupado de forma completamente anárquica por construções secundárias, tendo a SRU conseguido demoli-lo integralmente. QUAIS AS NECESSIDADES A QUE SE PRETENDE DAR RESPOSTA COM ESTE TRABALHO? la Os principais desafios passam por renovar o espaço público e o edificado, fomentar novas relações urbanas com a envolvente e criar uma área residencial de qualidade. QUAIS AS PRINCIPAIS DIFICULDADES COM QUE A EQUIPA DE ARQUITECTURA TEVE QUE LIDAR? rr Como já referido, tratava-se de uma área edificada bastante complexa e anárquica, com o parcelamento das propriedades muito retalhado e prédios com frentes de dimensões exíguas. Além disso, fomos confrontados com compromissos deixados pelas construções do interior do quarteirão e com a limitação da atractividade da função residencial de qualidade, devido à ausência de estacionamento e degradação do edificado.

(entrevista continua na última página)

A cidade ganhou uma nova Praça. Entre e descanse num lugar renovado, Onde o passado espreita e nos inspira, E o futuro nos espera. O Porto é seu.

DE ELÉCTRICO PRAÇA DA BATALHA • LIVRARIA LELLO Rua dos Clérigos • CPF/ CADEIA DA RELAÇÃO Cordoaria • JARDIM DA CORDOARIA Cordoaria • ALFÂNDEGA DO PORTO Rua Nova da A lfândega • MUSEU DO CARRO ELÉCTRICO A lameda Basílio Teles • RIBEIRA

DE METRO PONTE D.LUIS Linha D • EL CORTE INGLÊS Linha D • VILA DO CONDE OUTLETS Linha B • AEROPORTO Linha E • MATOSINHOS Linha A • CASA DA MÚSICA Linhas ABCEF • ESTÁDIO DO DRAGÃO Linhas ABCEF • SERRA DO PILAR Linha D

ONDE CONVIVER: CASA DO LIVRO Rua das G alerias de Paris • CAFÉ AU LAIT Rua das Galerias de Paris • CAFÉ GALERIA DE PARIS Rua das Galerias de Paris • HARD CLUB R ua F erreira B orges • GARE São B ento • PLANO B R ua Cândido dos R eis • CAFÉ LUSITANO Rua José Falcão

CONTACTOS ÚTEIS STAND DE VENDAS

P raça A lmeida G arrett, 21 4000-069 Porto 912224073 · 222081827 www.passeiodascardosas.pt vendas@passeiodascardosas.pt


HABITAÇÃO Diário das Cardosas Porto, 5 de Julho 2012

M apa de Acabamentos das H abitações - Porta de segurança na entrada da habitação. - Paredes interiores estucadas, ou em gesso cartonado, pintadas a tinta plástica. - Pavimentos do hall, sala, quartos e corredores em madeira maciça de Irôco. - Tectos falsos em gesso cartonado. - Tectos em madeira da cobertura nos últimos pisos. - Carpintaria de portas, roupeiros, apainelados e rodapés em madeira ou MDF lacado. - Vãos exteriores em madeira lacada com vidros duplos e portadas interiores em madeira lacada. - Quartos de banho com pavimento em mosaico cerâmico Plan 60x60, paredes em azulejo de vidro 10x10 Vitrum Musivum equipados com louça sanitária suspensa da GSI, torneiras da Water Evolution série Flow, acessórios de quarto de banho da Water Evolution, e resguardos de chuveiro da Water Evolution, tudo da Padimat. - Cozinha com pavimento em cerâmica 20x20 reproduzindo o tradicional mosaico hidráulico, paredes pintadas a tinta plástica e a compacto de quartzo na zona dos móveis de cozinha, tudo da Padimat. - Cozinhas equipadas com móveis superiores e inferiores em termolaminado de 1ª qualidade com tampos em compacto de quartzo e electrodomésticos encastrados da marca AEG - placa vitrocerâmica, forno, exaustor telescópico e frigorífico combinado, tudo da Padimat. - Caldeira mural estanque da Ariston para aquecimento central e das águas sanitárias. - Aquecimento central por piso radiante a água, individualizado em todos os compartimentos. - Ventilação de quartos de banho individualizada. - Rede de distribuição de gás de cidade. - Rede de TV por cabo. - Sistema de campainhas e videoporteiro com abertura por código. - Direito de opção a lugar de estacionamento no Parque de Estacionamento das Cardosas a preço preferencial.

M apa de Acabamentos das Zonas Comuns - Pavimentos dos halls de entrada das habitações em mosaico hidráulico MY STONE com moldura em mármore vidraço. - Paredes revestidas a painéis de madeira folheados a freixo. - Tecto falso em gesso cartonado com iluminação incorporada. - Elevador de 1ª qualidade com capacidade para 6 pessoas. - Escadas de serviço em grés cerâmico com guardas em ferro pintadas e paredes rebocadas e pintadas. - Cobertura dos edifícios em telha Marselha assente sobre estrutura de madeira com isolamentos térmicos e acústicos. - Recuperação e/ou renovação das cantarias de fachada existentes com a reaplicação das guardas de varanda em ferro forjado. - Fachadas exteriores revestidas a azulejo de fabrico manual nas cores tradicionais.


COMÉRCIO Diário das Cardosas Porto, 5 de Julho 2012

M apa de Acabamentos das Lojas - Pavimento em betonilha, pronto a receber acabamento. - Paredes de pedra à vista, com juntas tratadas. - Panos de parede em alvenaria de tijolo ou bloco de cimento rebocados. - Tectos sem acabamento. - Instalação sanitária com tecto falso em gesso cartonado e pintado. - Caixilharia exterior de porta e montras em madeira lacada. - Instalação sanitária acabada com pavimento em grés porcelânico, paredes revestidas a cerâmica, louça sanitária da GSI com torneira misturadora de lavatório da Water Evolution, série Flow e espelho colado, tudo da Padimat. - Ramais de água e esgoto ligados à rede pública. - Infraestrutura de tubagem para as ligações de energia elétrica e de telecomunicações. - Nicho para a instalação de gás.

PARCELAS 1, 2, 3 e 4 COMÉRCIO L5 23,07 m2 L6 19,66 m2 L7 27,50 m2 L8 27,06 m2 L9 28,11 m2

2 frentes 1 frente 1 frente 1 frente 1 frente

HABITAÇÃO 1 T1+1 93,77 m2 2 T0 43,59 m2 3 T0 45,82 m2 2 T1 68,36 m2 1 T2 111,45 m2

PARCELAS 7, 8, 9 e 10 COMÉRCIO L10 48,01 m2 L11 51,43 m2 L12 48,19 m2 L13 71,69 m2 L14 68,86 m2 L15 52,97 m2

1 frente 1 frente 1 frente 1 frente 1 frente 1 frente

HABITAÇÃO 1 T1 63,51 m2 3 T0 57,57 m2 3 T0 58,55 m2 2 T2 112,51 m2 1 T2+1 150,99 m2

PARCELA 18 COMÉRCIO L 16 57,18 m2 1 frente HABITAÇÃO 1 T0 39,11 m2 2 T0 39,75 m2 1 T1 Dup 99,88 m2

PARCELA 20 COMÉRCIO L17 407,90 m2 Praça Central L18 403,52 m2 Praça Central L19 638,11 m2 2 frentes

PARCELA 23 HABITAÇÃO 3 T0 34,89 m2 1 T1 Dup 85,74 m2

PARCELAS 33, 34 e 35 COMÉRCIO L1 267,58 m2 2 frentes L2 123,86 m2 1 frente L3 92,08 m2 1 frente HABITAÇÃO 2 T0 63,89 m2 2 T0 63,31 m2 3 T1 104,76 m2 1 T1 97,33 m2 3 T2 154,11 m2 1 T2 151,29 m2

PARCELAS 39 e 40 COMÉRCIO L4 47,94 m2 HABITAÇÃO 3 T1 72,08 m2 3 T2 101,63 m2 1 T2 151,87 m2

1 frente


Diário das Cardosas Porto, 5 de Julho 2012

PASSEIO DAS CARDOSAS:

INTERVENÇÃO ESTRATÉGICA Antes de renascer como Passeio das Cardosas, este quarteirão tinha cerca de 75% da sua área útil edificada subaproveitada, 60% estava devoluta e cerca de 15% era utilizada como armazenamento dos estabelecimentos comerciais localizados no rés-do-chão. Além disso, apenas 6 fogos eram habitados. O interior do quarteirão era constituído por construções desordenadas que, para além de inestéticas, representavam um potencial foco de degradação e ameaça para a saúde e a segurança públicas. Assim, pela localização especial na cidade - nos limites do burgo medieval, o quarteirão faz a transição entre o centro histórico e aquele que foi até aos anos 80 o centro cívico, social e cultural da cidade -, pela importância patrimonial do edificado e pelas características da sua configuração particular e da sua proximidade das redes de transportes urbanos, este quarteirão foi considerado de intervenção prioritária pela Porto Vivo SRU que, já em 2007, elaborou o Documento Estratégico para a Unidade de Intervenção do Quarteirão das Cardosas, base da intervenção agora realizada. O quarteirão começa agora a ser devolvido à cidade, cumprindo três funções cruciais: habitação, comércio e serviços. A baixa do Porto ganha, assim, habitação e espaços comerciais de qualidade, ao lado de serviços de excelência, nomeadamente o Hotel Intercontinental, o primeiro da marca em Portugal e também o primeiro hotel de luxo internacional no centro histórico do Porto. (continuação da entrevista da primeira página)

EM TRAÇOS GERAIS COMO DESCREVE O PROJECTO? na O projecto conjuga a intervenção nas construções existentes na periferia do quarteirão e a intervenção no miolo do mesmo, conseguindo criar uma oferta comercial interessante, um parque de estacionamento, um espaço de uso público qualificado e uma área residencial de grande qualidade. Este espaço interior do quarteirão, com dimensão e proporções muito interessantes, é o ponto fulcral deste projecto, articulando todas as funções que aqui se desenvolvem e estabelecendo ligações com toda a sua envolvente. RELATIVAMENTE ÀS QUESTÕES DE ARQUITECTURA E VALOR PATRIMONIAL, QUE OPÇÕES E OPERAÇÕES DESTACA? la Todas as fachadas existentes foram recuperadas. Como premissas de projecto definiu-se uma linguagem de alçados baseada nas métricas clássicas dos vãos típicos das construções séc. XIX. Os mate-

riais eleitos para o revestimento das novas fachadas foram a pedra de granito tradicional, os azulejos artesanais e as caixilharias de madeira pintada. Embora os materiais e princípios de composição procurassem referências no passado, o projecto cria de forma inequívoca uma linguagem contemporânea em toda a nova construção. QUAL FOI A RELEVÂNCIA DO KNOWHOW DA EMPRESA EM REABILITAÇÃO NO QUE CONCERNE A PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITECTÓNICO? la Foi extremamente relevante, se não decisivo. Para além do conhecimento e da experiência em projectos semelhantes, a Lucios tem meios imprescindíveis no decurso da obra. A título de exemplo, foi na serralharia da Lucios que as caixilharias dos edifícios foram restauradas e, assim, reaproveitadas, com as vantagens daí inerentes, nomeadamente, na redução de resíduos e no respeito pelas características do património arquitectónico.

design gráfico: antonioqueirosdesign©2012 · fotografia: www.antoniochaves.com


Diário das Cardosas_5 de Julho de 2012