Issuu on Google+

Manual de Cases


Um case desenvolvido para eventos do Movimento Empresa Júnior (MEJ) é um relato sobre algum processo, projeto interno ou externo, atividades ou serviço prestado por uma empresa júnior. O maior objetivo do case está atrelado ao compartilhamento e reconhecimento de boas práticas entre a sua e outras empresas juniores. O case é a consequência de uma experiência útil e inovadora, além de fornecer auxílio para as outras empresas juniores ele traz reconhecimento, proporciona desenvolvimento pessoal no momento de construção, aperfeiçoando a escrita do produto de maneira objetiva e formalizada. 1. Estrutura dos Cases:

1.1 Título 1.2 Categoria 1.3 Temática 1.4 Resumo 1.5 Introdução 1.6 Desenvolvimento 

Identificação do problema

Desenvolvimento do projeto

1.7 Resultados 1.8 Conclusão 1.9 Anexos

2. As categorias para concorrer ao prêmio são:

2.1 Projeto Interno

Na categoria Projeto Interno serão classificados os cases de ferramentas de gestão com as áreas temáticas relacionadas às perspectivas do Sistema de Medição


de Desempenho das Empresas Juniores (SMD EJ), sucintamente descritas a seguir e sendo acrescentado o tema de Gestão Interna:

Estratégia:

Refere-se

às

práticas

de

consolidação,

disseminação

e

refinamento do planejamento estratégico da empresa, bem como a capacidade de cumprimento deste. 

Movimento Empresa Júnior (MEJ): Práticas relativas a toda forma de representatividade no movimento bem como a participação de membros em eventos e nas entidades do MEJ como federação, núcleo, confederação e outros.

Financeira: Práticas que se referem à otimização da capacidade de planejamento financeiro, bem como investimentos realizados, previsão de riscos e renda advinda de projetos externos.

Pessoas: Refere-se às práticas voltadas para a gestão dos recursos humanos, bem como aos processos de atrair, reter, motivar, movimentar e avaliar pessoas.

Sociedade: Práticas voltadas à captação de parcerias e iniciativas que direcionem para a gestão de responsabilidade social e ambiental.

Projetos: Refere-se ao controle e refinamento bem como a métodos de Gerenciamento de Projetos, além da capacidade de planejamento e práticas de acompanhamento do projeto após a entrega do relatório final.

Mercado: Práticas relacionadas à captação, satisfação e fidelização de clientes da empresa com relação a projetos externos, bem como a efetividade da negociação e a qualidade da proposta como um todo.

Gestão Interna: Práticas de melhorias na estrutura organizacional, nos processos de gestão do espaço físico da empresa (como por exemplo, programas 5S, murais), ferramentas de tecnologia da informação e práticas de aprendizado organizacional.


2.2 Projeto Externo

Na categoria Projeto Externo serão classificados os cases de projetos realizados a um cliente. São divididos em áreas temáticas relativas aos três setores da economia, descritos sucintamente a seguir:

Primeiro Setor: Caso

o projeto

tenha sido realizado para

órgãos

governamentais. 

Segundo Setor: Caso o projeto tenha sido realizado para organizações privadas.

Terceiro Setor: Caso o projeto tenha sido realizado para organizações sem fins lucrativos (Exemplos: ONGs e Empresas Juniores).

Pessoa física: Caso o projeto tenha sido realizado para pessoas físicas (Exemplos: professores, alunos de mestrado, alunos de doutorado etc.).

2.3 Prática de Formação de Membros

Nessa categoria entram atividades ou momentos em que a EJ fomentou, de alguma maneira, a formação e o desenvolvimento de seus membros. Os cases dessa categoria são divididos nas seguintes práticas:

Parcerias: parcerias, tanto entre EJs quanto com empresas sêniores públicas ou privadas, que tenham como intuito a capacitação dos membros da EJ;

Treinamentos: fornecidos tanto pela EJ quanto por terceiros;

Gestão do conhecimento: práticas em que a EJ promove a difusão do conhecimento para todos os membros;

Programa Trainee;

Avaliação e acompanhamento de desempenho;

Feedback;

Práticas de Coaching profissional;


Projetos externos: projetos realizados para um cliente com foco na capacitação dos membros da EJ.

3. Os cases devem ser elaborados da seguinte maneira:

3.1 Título: Colocar o título do case 3.2 Categoria: A categoria que está concorrendo 3.3 Temática: Colocar a temática em que o case está concorrendo

3.4 Resumo: Descrever sucintamente a problemática, o que foi feito e as conclusões obtidas. O resumo serve para o público escolher qual case ele quer ver, por isso precisa ser conciso e falar do que o case trata. Ou seja, desenvolver uma breve explicação a respeito do case, abordando os pontos principais que serão desenvolvidos nele e explicar a relação do tema com o projeto e com a empresa júnior em questão

3.5 Introdução: É a contextualização do case, mostrar qual é a problemática. É uma apresentação sintetizada do tema abordado e uma contextualização com a realidade da EJ. A introdução deve também caracterizar o tema abordado, mencionar os objetivos e os resultados do projeto, bem como a relevância do trabalho para a empresa júnior e sua necessidade de implementação.

3.6 Desenvolvimento: No desenvolvimento a EJ vai descrever todo o processo. No caso de projeto interno e externo sugere-se que utilize o método PDCA para descrever o ocorrido. O método consiste em tornar mais claro e ágil os processos envolvidos na execução de uma determinada experiência. Envolve quatro etapas:


Plan (planejamento): onde é estabelecida uma meta e há a identificação do problema, o qual impede a empresa de alcançar a sua meta. A análise do problema e a descoberta de suas causas e a elaboração de um plano de ação.

Do (execução): realizar, executar as atividades conforme o plano de ação.

Check (verificação): monitorar e avaliar periodicamente os resultados, avaliar processos de acordo com o que foi planejado, lembrando dos objetivos, especificações e estado desejado.

Act (ação): agir de acordo com o avaliado e de acordo com o resultado do monitoramento. Eventualmente determinar e confeccionar novos planos de ação, de forma a melhorar a qualidade e a eficácia, aprimorando a execução e corrigindo eventuais falhas.

No desenvolvimento é necessária a identificação do problema, onde o ambiente é contextualizado. É interessante fazer um panorama sobre a situação anterior ao projeto e o que levou a execução deste. Após esse panorama é feito o desenvolvimento da experiência, onde mostra como o projeto foi executado. É necessário citar detalhadamente todos os passos para a resolução do problema, seguir uma linha de raciocínio para que o leitor entenda como foi o processo. No desenvolvimento também estará as respostas das 5W2H perguntas. O 5W2H reúne as perguntas que irão trazer as questões necessárias para o desenvolvimento de uma determinada experiência. As perguntas são:

What – O que foi feito (etapas)

Why – Por que foi feito (justificativa)


Where – Onde foi feito (local)

When – Quando foi feito (tempo)

Who – Por quem foi feito (responsabilidade)

How – Como foi feito (método)

How much – Quanto custou para ser feito (custo)

3.7 Resultados: Na parte de resultado é interessante colocar o monitoramento da ação. Nessa etapa são apresentados os resultados quantitativos da experiência, tal como o percentual de crescimento etc. É interessante trazer o que estava na introdução, mostrar o antes e o depois. O desenvolvimento conta como foi o processo e o resultado mostra o que mudou.

 Quais foram os resultados quantitativos da ação? 

A ação influenciou algo entre os membros da EJ? E entre os clientes?

A ação atingiu outras áreas da EJ?

Como a ação influenciou os membros da empresa ou impactou a sociedade?

3.8 Conclusão: Na conclusão é feito um fechamento, nela a empresa relaciona a sua experiência com os resultados e suas consequências. Algumas perguntas que podem ser respondidas na conclusão são:

 O case da sua EJ é inovador? 

Ele pode ser aplicado em outra EJ?

Ressalte as áreas que a prática relatada no seu case abrange.

Como a prática ajudou na evolução favorável da empresa?


3.9 Anexos: São figuras, gráficos, tabelas, ilustrações ou feedbacks de clientes que dão suporte na parte de desenvolvimento do case. É importante que essa parte fique ao final do documento porque ela quebraria o ritmo da narrativa no desenvolvimento. Permite melhor visualização sobre os resultados proporcionados.

4. Formatação O limite de páginas será de 8 (oito) para todas as categorias e o mínimo será de 5 (cinco). Será permitido o envio de arquivos anexos, que poderão conter imagens, gráficos, organogramas, fotos, etc., que complementem as informações descritas no case. Esses documentos anexos deverão respeitar o limite de 2 (duas) páginas, sendo que estas serão contabilizadas juntamente com as já existentes no case. O case deve ser enviado em formato .pdf e, de acordo com a seguinte formatação:

a) Fonte: Arial; b) Tamanho da fonte: 12; c) Espaçamento entre linhas: 1,5 linha; d) Tamanho do papel: A4 (210 x 297 mm); e) Orientação: Retrato; f) Margem Superior e Inferior: 2,5 cm; g) Margem Esquerda e Direita: 3 cm; h) Texto justificado

5. Últimas dicas:  Seja claro e use linguagem formal e em terceira pessoa. 

Cases de insucesso devem apresentar o aprendizado com a prática que não deu certo e que posteriormente obteve sucesso com esse aprendizado.

Título precisa ter impacto


6. Erros comuns:  Ultrapassar o limite de páginas 

Não seguir a formatação indicada.

Citar nome da EJ. Não pode conter nas folhas o layout da organização (papel timbrado, logomarca, etc.) e não poderá conter quaisquer tipos de informações que permitam a identificação da EJ, bem como do participante, do cliente, localidade, Instituição de Ensino Superior, curso, entre outros.

Não salvar case em PDF

Escrever case em primeira pessoa

7. Exemplos:

http://ayraconsultoria.com/view/codigoaberto.php - exemplos de cases da Ayra Consultoria. Disponíveis na aba “Código Aberto”

8. Atenção para as datas: Abertura do edital do Prêmio

6 de maio

Concentro, abertura do fórum de dúvidas, disponibilização do manual de elaboração de cases e início do envio de cases Prazo para envio de cases com avisos

23 de junho às 23h59

sobre possíveis inconformidades Prazo final para o envio de cases

Prazo final para o envio de cases

Divulgação do resultado e premiação

Concentra DF 2013 (a data será divulgada posteriormente pela equipe organizadora do evento)

Envio de relatórios de feedback dos cases

Após o Concentra DF 2013


Dúvidas: 

premio@concentro.org.br


Manual de Cases