Page 1

14

editorial

Crédito descomplicado no Bandes O lançamento da linha Bandes Crédito Fácil representa um esforço para facilitar a vida do cliente que busca investir em seu negócio.

Os indicadores econômicos e sociais do Espirito Santo o colocam acima da mé­ dia em vários índices, em comparação ao cenário nacional. No PIB per capita, por exemplo, ocupamos o sexto lugar no ranking nacional, atrás do Distrito Fe­ deral, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Entretanto, por ter vizinhos com economias mais pu­ jantes, várias vezes, “importamos” mo­ delos de desenvolvimento econômico.

O Bandes tem a solução adequada de crédito para os empreendedores capixabas que desejam abrir, ampliar ou modernizar seu negócio. Isso todo mundo já sabe. Os empreendimentos de micro, pequeno e médio portes, de diversas atividades produtivas, do comércio, indústria e serviços podem financiar seu negócio em até R$ 10 milhões, com cadastro desburocratizado e fluxo simplificado.

jornal externo do bandes . ano 3 . nº 14 . junho 2013 . vitória . es

Diretoria unida a caminho do desenvolvimento

A novidade é que agora para financiamentos a PME, em até 72 meses ou para as demais empresas, em até 24 meses, os valores de R$ 16 mil a R$ 10 milhões possuem encargos fixos em 0,82% ao mês (após o bônus adimplência). Para financiamentos entre R$ 100 mil e R$ 10 milhões, com prazos superiores a 24 meses, os encargos são de 0,37% ao mês mais TJLP. Os investimentos podem ser pagos em até 72 meses, com carência de até 24 meses. Continua na página 2

Seu sucesso, nossa história Cliente de Domingos Martins mostra que a diversificação é fundamental para os negócios, inclusive no campo

3 Bandes passo a passo Você sabia que, apesar de cada empresa ser única, os erros delas costumam ser bem comuns? Veja aqui como evitá-los.

4 Impresso Especial 9912168653/2007 - DR/ES

Bandes CORREIOS

Os programas Nossocrédito e Creditar inverteram essa lógica de “importação”. Complexos em seu formato e simples em sua operacionalização, dissemina­ ram a cultura da concessão de microcré­ dito produtivo e orientado e tornaram­se referência nacional nessa modalidade de crédito. Com eles, diversos empreende­ dores capixabas encontraram na linha de financiamento a solução que precisavam para investir em seus negócios e dar um salto de qualidade de vida. Para ser modelo também em outras estratégias e segmentos, o Bandes de­ seja estar cada vez mais perto dos em­ preendedores locais, articulando com as prefeituras, empresários e entidades representativas o acesso ao crédito para investimento. Com a consolidação desse modelo, pautado na cultura do crédito, a nova Diretoria do Bandes se une para consolidar outras escalas de atuação. A intenção é identificar carências e oportu­ nidades das nossas regiões que possam ser solucionadas com a articulação junto a pequenas, médias e grandes empre­ sas em prol do desenvolvimento justo e equilibrado, seja por meio do crédito direto, seja por meio de programas de fomento a cadeias produtivas, indutoras do desenvolvimento. Guerino Balestrassi Diretor-presidente


em cena

Com isso, iniciativas de todos os portes e que fazem o Espírito Santo se desenvolver podem financiar até 100% dos seus investimentos no Bandes. Essa linha flexível reflete o novo posicionamento do banco para fomentar novos negócios no Estado, inclusive finan­ ciando empreendimentos em fase de implantação, geran­ do emprego e renda. A atratividade das taxas é outro des­ taque, já que com o bônus adimplência ela chega a 0,82% ao mês para linha fixa e dependendo do valor da TJLP, a linha variável pode atingir valor mensal ainda menor. Para o diretor de Crédito e Fomento do Bandes, Guilher­ me Henrique Pereira, as modalidades foram criadas com intuito exclusivo de facilitar a vida do cliente. “O empreen­ dedor não precisa saber se a linha ideal para ele é ‘A’ ou ‘B’. Ele precisa saber se para implantar, expandir ou mo­ dernizar seu negócio ele precisará de crédito. Se a respos­ ta for sim, ele pode procurar o banco que terá o crédito orientado, planejado e descomplicado para apoiar o seu negócio e, assim, contribuir para o desenvolvimento re­ gionalmente equilibrado do Estado”, explica. E para ser atendido, nem é preciso sair de casa. O Bandes tem uma equipe de consultores qualificados e creden­ ciados que atuam em todo o Espírito Santo. Com essa rede de consultores, as propostas de financiamento che­ gam corretamente e o atendimento ao projeto é mais ágil. Para ter acesso a todas as informações sobre finan­ ciamento basta acessar o site do banco (bandes.com.br) ou ligar no Bandes Atende (0800 283 4202).

Tem coisas que só o Bandes faz por você:

expediente diretoria executiva: Guerino Balestrassi diretor-presidente Guilherme Henrique Pereira diretor de crédito e fomento Carlos Magno Rocha de Barros diretor de adm. e finanças edição: Bárbara Deps Bonato Leonardo Fernandes Iannone Assessoria de Comunicação Social imprensa@bandes.com.br conselho editorial: Maria Emília V. da Silva Marcos Roberto Lima Bárbara Deps Bonato Maria da Consolação F. Varanda Vanessa Vaillant Beltrame Colodetti Redação: Wilson Igreja Campos Elaine Maximiniano Leonardo Fernandes Iannone Diagramação: Janio Luiz Malacarne projeto gráfico: Laboratório Comunicação e Design fotos: Assessoria de Comunicação Bandes SXC - Banco de Imagens

• Financiamento de até 100% para empresas em implantação; • Bônus adimplência com 1% de desconto na taxa de juros para pagamentos em dia; • Até dois anos para começar a pagar; • Financiamento associado para investimentos e capital de giro; • Dispensa de garantia real para micro e pequenas empresas com financiamento de até R$ 50 mil; • Capital de giro associado de até 70% de investimento em projetos de micro e pequena empresas; • Atendimento personalizado via rede de consultores; • Acompanhamento do andamento dos projetos via SMS.

/bandesonline

2 conexão


seu sucesso, nossa história

Frutos da diversificação A regra básica do mercado: diversificar os investimentos para diluir os riscos parece ter validade também no campo e essa estratégia tem se mostrado a melhor escolha para muitos clientes. Esse é o caso de Anízio Marques, de São Miguel, em Do­ mingos Martins. Ele cultiva na mesma propriedade café, banana e tangerina ponkan. Há dois anos, o produtor re­ correu ao crédito oferecido pelo Bandes para o plantio de banana e café e conta que o financiamento foi fundamen­ tal para os bons resultados que está alcançando durante a colheita. “Consegui plantar muito mais com a ajuda do crédito e, agora, estou tendo uma colheita excelente”, co­ memora. Anízio conta que já produziu 1,5 mil caixas de bananas e espera chegar às 2,5 mil caixas da fruta até o fim da co­ lheita. “O preço da banana no mercado está ótimo e, com isso, a lucratividade também é excelente, já que nesta co­ lheita, conseguimos produzir mais”, destaca o produtor rural. Como no caso do Anízio, estudo, planejamento e acesso ao crédito produtivo direcionado ao agronegócio têm con­ tribuído para expansão da fruticultura capixaba.

O investimento em fruticultura tem se mostrado uma boa alternativa para o produtor rural que deseja diversificar a produção e aumentar a rentabilidade de sua propriedade. Ao longo dos últimos três anos, o Bandes tem participado da estruturação dos polos de fruticultura capixaba, junto com outras instituições do Governo do Estado, como o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Ex­ tensão Rural (Incaper) e a Secretaria da Agricultura, Abas­ tecimento, Aquicultura e Pesca (Seag). O Estado tem, hoje, polos de abacaxi, acerola, banana, caju, coco, goiaba, laranja, mamão, manga, maracujá, mo­ rango, tangerina e uva, que, aliados ao cacau, formam os 14 polos de fruticultura do Estado, sendo que, nos quatro últimos, o banco vem financiando diretamente a estrutu­ ração de projetos. Casos como o de Anízio comprovam a importância da di­ versificação e também dos estudos, planejamento e aces­ so ao crédito produtivo direcionado ao agronegócio para expansão da fruticultura capixaba. Apenas nos primeiros quatro meses de 2013, foram R$ 1,1 milhão investido pelo Bandes na produção de frutas nos polos existentes. Em 2012, foram outros R$ 5,3 milhões investidos na implan­ tação, relocação, modernização da lavoura, melhoria da qualidade genética, racionalização, desenvolvimento tec­ nológico e controle ambiental.

conexão 3


bandes passo a passo

Cinco erros capitais que impedem que sua empresa cresça O Bandes compilou um conjunto de cinco entraves que dificultam o crescimento de qualquer empresa, especialmente as menores. Muitos empreendedores dedicam a vida a conquistar o sucesso de sua empresa. Por vezes, nem todo esse sacri­fício implica no crescimento do negócio. Muitos são os pontos que podem emperrar o desenvolvimento. Erros simples e nem sempre facilmente percebidos podem até mesmo inviabilizar o empreendimento. Pensando nisso, o Bandes pre­ parou um resumo com dicas de como superar esses obstáculos:

1. Desperdiçar oportunidades de negócio Uma venda perdida nunca é só uma venda perdida. Deixar de atender ao cliente pode prejudicar o negócio como um todo. As vendas perdidas causam um rombo, especialmen­ te nas contas das micro e pequenas empresas. Um bom in­ dicador de vendas perdidas é o “não” recebido. Fique atento à proporção entre o “não” e o “sim” e trace sempre uma boa estratégia para minimizar falhas, aumentar as respostas positivas e diminuir a proporção. 2. Não ouvir seu cliente Qualquer relação envolve ao menos dois polos. A relação de consumo não é diferente, então ouça e observe atentamente o seu cliente. Desde expressões corporais e faciais até olhares podem fornecer pistas úteis no pré, no durante e no pós-venda. A avaliação periódica de atendimento, a qualificação constante da equipe e a sensibilidade para entender o cliente são fun­ damentais para não errar nesse quesito. Se você não sabe o que seu cliente quer, nunca saberá oferecer o que ele precisa. 3. Ênfase excessiva no produto Ainda que você tenha o melhor produto ou serviço do mun­ do, seu negócio não prosperará se você não investir nas ati­ vidades de suporte. É preciso comunicar, fidelizar e adminis­ trar bem para crescer. Por isso, o foco apenas na qualidade pode, além de parecer arrogante, não surtir efeito com aque­ les clientes que buscam a satisfação em todo o processo de compra. Persuadir um cliente a comprar o seu produto mesmo quando esse não tiver utilidade para ele pode até alavancar suas vendas no curto prazo, mas no longo certa­ mente trará mais entraves que soluções para sua empresa. 4. Não investir no relacionamento Confiança é fundamental, construída ao longo do tempo. Vender é bom e manter o cliente é melhor ainda. Não perder vendas, ouvindo seu cliente e respeitando suas necessidades é só o passo inicial na construção dessa relação. É preciso se aproximar do consumidor, mas cuidado porque é uma linha fina que separa o bom relacionamento da invasão de privacidade. Acompa­ nhar com um pós-venda, oferecer garantia e respeitar seu consumidor são princípios. Mas não abuse e aproveite o momento para empurrar coisas que ele não necessita ou enviar propagandas e informativos que não interessam ao seu cliente. 5. Descumprir a lei Muitas vezes os tributos e os encargos trabalhistas pare­ cem inviabilizar o negócio. Isso cria uma tendência perigosa de desrespeito à lei, quer seja pela sonegação quer seja na falta do registro do empregado. Uma decisão precipitada nesse sentido pode custar a existência de sua empresa, em especial se ela for pequena. O “jeitinho”, por má fé ou mesmo por falta de informação, cria uma enrascada para o empreendedor que pode culminar com uma descapitaliza­ ção repentina imposta pela Justiça. Por isso, tente sempre cumprir com todas as exigências legais desde o nascimento de seu negócio.

4 conexão


jornal externo do bandes . ano 3 . nº 14 . junho 2013 . vitória . es

estagiários colaboradores

Bom para aprender, melhor para trabalhar Estagiários que tiveram excelentes experiências no Bandes se motivam para estudar e viram colaboradores. Eles conheceram o Bandes por meio do programa de estágio, quando ainda estavam na faculdade. Aprenderam, fizeram amigos e desenvolveram trabalhos que contribuíram para o conhecimento e formação acadêmica. A experiência foi tão proveitosa que, na primeira oportunidade de prestar concurso para trabalhar na instituição, eles não pensaram duas vezes e estudaram pesado. Hoje, são colaboradores do Bandes e relatam como a expe­ riência de estágio foi decisiva para a carreira no banco. Estagiei no Bandes em 2007, durante um ano e meio. Gostava muito do ambiente de trabalho e tive um acompanhamento consistente em relação às práticas administrativas. Pensava em voltar ao Bandes como colaborador, pois visualizava aqui uma ótima oportunidade. O clima organizacional foi fator fundamental na decisão de tentar o concurso de 2009. Vilker Zucolotto Pessin, da Gerência de Análise de Crédito Rural

Meu estágio aqui me motivou para o concurso. Depois de aprovada, ainda tive que esperar quase dois anos para ser chamada e reviver esse ambiente bom de trabalho e equipe. Carli Rodrigues da Silva, da Diretoria de Crédito e Fomento

Fui estagiário na Gerência Comercial de agosto de 2006 a fevereiro de 2008. O estágio contribuiu muito para meu crescimento profissional. O ambiente, o relacionamento e a satisfação no trabalho que adquiri ao longo do tempo foram fundamentais para a minha decisão de tentar o concurso do Bandes. Miguel Arreguy Porcaro Barbosa, da Gerência Comercial e de Relacionamento

Quem é?

Estagiei no Bandes de 2007 a 2008. O estágio era compatível com as atividades que eu intencionava desenvolver. Saí dizendo que retornaria, esperei o concurso e passei. Voltei porque realmente gostei do meu estágio, do ambiente de trabalho harmônico e da política institucional aqui desenvolvida. Greyce Jenniffer Martins Miranda, da Gerência Jurídica

Amante da literatura, ela é eclética e lê desde romances até manuais técnicos pelo simples prazer da leitura. Há três anos pratica Tae Kwon Do e está a apenas três graduações da faixa preta. Ela já trabalha no Bandes há vários anos. E aí? Já sabe quem é a pequena toda feliz no colo do avô?

Durante meu estágio, o que mais me chamou a atenção foi o clima organizacional e a responsabilidade atribuída a mim. Antes eu nem conhecia o banco, então, estagiar foi um ponto positivo para eu tentar o concurso mais tarde. Carolina Nunes Prado, da Gerência Financeira


baú do bandes

Café que se renova

Visão de futuro

O BIN registrou, em novembro de 2004, um encon­ tro da cafeicultu­ ra no Caparaó que discutia a renova­ ção dos pés de café para aumen­ tar a produtivida­ de das lavouras. A ideia deu certo, cresceu, obteve linha específica de financiamento aqui no Bandes e agora virou até programa de go­ verno, já que este ano o governador lançou o Programa Renova Sul Conilon.

Você sabia que o ban­ co já operou por pro­ gramas setoriais? Pois é, antes mesmo do re­ cém­lançado Programa Capixaba de Avicultu­ ra Industrial, o Bandes foi pioneiro em muitas outras áreas, lançan­ do programas como o “Pró­Campo”, de 1995. Ele tinha por objetivo financiar a pequena produção e a industria­ lização, caseira ou ru­ ral, de produtos agrí­ colas em proprieda­ des rurais capixabas. A imagem ao lado mostra o fol­ der do programa.

mural... Cafeicultura em pauta O ex­presidente do Bandes e economista Ha­ roldo Corrêa Rocha, em parceria com a douto­ ra em Economia Ângela Maria Morandi, lançou a segunda edição do livro “Cafeicultura e Gran­ de Indústria”. A obra é um relato detalhado e crítico da tran­ sição ocorrida no Espírito Santo entre os anos de 1955 e 1985, quando, em três décadas, o Estado saiu de uma produção pautada na mo­ nocultura do café para uma estrutura produti­ va bastante diversificada e predominantemen­ te industrial.

Planejar é preciso Com as metas propostas no “Caravela” alcan­ çadas, o Bandes está definindo a sua nova identidade e os desafios até 2016. A primeira etapa do planejamento estratégico identificou as condições atuais, externas e internas, e as alinhou com as diretrizes do acionista majo­ ritário, o Governo do Estado. Num segundo momento, o grupo de gestores do banco se reuniu, para mais uma rodada de discussão do novo plano estratégico que vai substituir o Caravela, pautado no modelo de gestão com Balanced Scoredcard (BSC).

Livro é lançado pelo Instituto Últi

mos Refúgios No início de junho, o Instituto Últi mos Refúgios lançou o documentário e o livro fotográfico Reserva Biológica de Duas Boc as, na sede da reserva, em Cariacica. O trabalho conta com o apoio do Bandes, por meio da Lei Rouanet, e traz imagens raras e belíssimas captadas pelo fotógrafo Leonardo Merçon. A riqueza da fau­ na e flora locais são retratadas em mais de 200 belas páginas. Detalhe: o Leonard o é filho da nossa ex­colaboradora Margare th Rocha. Já o documentário, dirigido por Alexandre Bar­ celos, tem como mensagem prin cipal a impor­ tância da preservação dos recu rsos hídricos e conta com uma estética artística . Mais infor­ mações: www.ultimosrefugios. com.br.

Quem é? Nossa amiga é a Josi Espíndula, da Gerência de Tecnologia e Informação (GETEC).

Conexão 14  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you