Issuu on Google+

Ano 8 nº 93 Curitiba - PR

novembro - 2011

Publicação mensal direcionada aos taxistas e usuários

Distribuição Dirigida

Comprometido com os interesses da categoria

Foto: André Rodrigues

Taxista: uma profissão que não discrimina

Atualmente o perfil do profissional taxista é bem variado.

Página

09

Vereadores divulgam proposta para melhoria do serviço de táxi

Página

03

Curitiba toda iluminada anuncia a chegada do Natal

Página

10

Taxistas de Paranaguá se unen para criar associação

Página

06

Conheça o taxista “mil e uma utilidades”

Página

05

Motoristas agora podem fazer curso de reciclagem em módulos

Página

13


02

Curitiba, novembro - 2011


03

Curitiba, novembro - 2011

Vereadores divulgam proposta para melhoria do serviço de táxi

Anderson Tozato

estabelecida pela lei”, explica o vereador. “Com o Censo IBGE sendo realizado a cada década, não corremos mais o risco de ficar outros 41 anos sem revisão no número de veículos licenciados”, aponta Jair Cézar. Ele também adverte sobre a adoção de novas medidas de segurança para o setor, que beneficiariam tanto o trabalhador quanto o usuário do serviço. “Os motoristas usarão crachá e uniforme. Convênios com institutos de pesquisa e universidades serão firmados, para definir novos padrões técnicos Comissão dos Táxis apresenta documento com sugestões para a modernização para a cabine dos taxistas, com do serviço em Curitiba. material blindado e outras tecnologias”, advoga o parlamentar. C omissão dos Táxis, Mudanças O vereador também adianta presidida pelo vereaDo conjunto de alterações a possibilidade de serem estador Jair Cézar (PSDB), sugeridas na proposta, o vereaapresentou a proposta ela- dor Jair Cézar (PSDB) destaca belecidos novos protocolos de borada pelos parlamentares a definição de um indicador segurança para o relacionamenpara a modernização do ser- técnico para o número de táxis to entre policiais e taxistas, que viço prestado em Curitiba. A sugestão prevê avanços na regulamentação da atividade, como o atrelamento do número de táxis ao censo demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), novas regras para as licitações, aumento nas medidas de segurança do trabalhador e a difusão da tecnologia de rádio para o conjunto dos taxistas da capital. “A nossa sugestão traz muitas novidades para o serviço de táxi da cidade”, defendeu em circulação na cidade. Se dificultem crimes contra o trabaJair Cézar, durante reunião em mantida a redação original após lhador. “Nas blitz, por exemplo, o que participaram os vereado- a tramitação do projeto, a admi- taxista identificado seria retirado res Tito Zeglin (PDT), relator, nistração municipal poderia emitir do veículo preventivamente, anAlgaci Túlio (PMDB), Pedro novas permissões até atingir a tes de ser realizada a inspeção Paulo (PT) e Serginho do Posto proporcionalidade de um veículo nos passageiros, o que facilitaria (PSDB), além de João Carlos licenciado para cada 600 habitan- a identificação de assaltos em Pereira Filho, gestor da Urbs tes. “Isto significa um aumento andamento, por exemplo,” explina área de táxis e transporte de 546 táxis na frota atual, que ca Jair Cézar. O trabalho da Comissão dos comercial. O documento com- poderia ser implantado de forma pleto foi entregue ao prefeito progressiva, ano a ano, para Táxis também apontou para a Luciano Ducci e apresentado que não haja impacto abrupto necessidade da difusão do rádioao plenário. até alcançarmos a quantidade táxi, como forma de garantir

Divulgação

A

mais eficiência ao serviço. “Uma parceria público-privada poderia, por exemplo, ser utilizada para a criação de uma central única de rádio-táxi em Curitiba. Se isto não for possível, a prefeitura poderia incentivar os motoristas que ainda não aderiram a esse sistema, que são 40% da frota, a organizarem-se em cooperativa para baratear o custo dessa operação”, diz o vereador. De acordo com a proposta, a inspeção veicular obrigatória seria realizada anualmente e a liberação de licenças obedeceria a novas regras. Ao invés de uma pessoa responder individualmente pela licença, até três candidatos assumiriam a propriedade da permissão, podendo adotar um revezamento entre si para a execução posterior do serviço. “Assim não tem patrão, todos são proprietários. O novo regramento não mexe com as antigas licenças, mas estabelece padrões atualizados para as demais”, defende Jair Cézar. A legislação também contempla a realização de campanhas de conscientização por parte da prefeitura, estimulando o uso do táxi como forma segura e eficiente de transporte coletivo. Os vereadores da Comissão dos Táxis estudam pedido de prorrogação dos trabalhos por mais 90 dias para avaliar denúncias que foram recebidas pelos parlamentares. Durante as atividades da comissão, foram relatados casos em que profissionais liberais estariam negociando irregularmente a utilização de licenças, enquanto exercem outras atividades. “Haveria gente morando no exterior que é proprietária de permissão de táxi válida em Curitiba. Precisamos investigar se essas acusações procedem”, concluiu o presidente da comissão, vereador Jair Cézar.


Curitiba, novembro - 2011 15

04 Curitiba, novembro - 2011

Aos taxistas...

Autoridades deixam mensagem especial pelo Dia do Taxista

“Um abraço aos taxistas, que são pessoas que nos ajudam no dia a dia. Que sempre, e com muita disposição, educação e elegância, nos atende e atende nossas famílias.” Gleisi Hoffman – Ministra Chefe da Casal Civil

“Grande abraço aos amigos taxistas. Sei da importância deles no transporte do cidadão." Luciano Ducci Prefeito de Curitiba (PSB)

"Prefeito de Pinhais

"Aqui em Colombo sou parceiro desta categoria que sempre me recebeu de braços abertos. Fui o autor da lei que cria o Dia do Taxista. Parabéns a todos os profissionais da boléia."

"Eu tenho um carinho muito especial com os taxistas e por este motivo eu criei a Lei n° 8607/95 que determinou o Dia do taxista. Eles são os relações publicas da nossa cidade."

Onéias Ribeiro (PT) Vereador de Colombo

Mario Celso Cunha Secretário Estadual

"Os taxistas da cidade de Curitiba são exemplos para todo o país pelo trabalho que realizam. Parabéns a todos os taxistas pelo seu dia". Beto Richa (PSDB) Governador do Estado do Paraná

saúde, paz e felicidades

Quero deixar meu abraço e comemorar junto com eles essa data.

aos amigos taxistas.

Paulo Frote Vereador de Curitiba

Luizão deseja muita

“Desejo a eles, sucesso e que Deus continue abençoando cada um dos seus dias.”

"O meu reconhecimento a todos os taxistas e parabéns pelo seu dia!” Gustavo Fruet

"Parabéns aos meus colegas taxistas pelo seu dia." Jairo Marcelino Vereador de Curitiba

Jota Camargo (PSC) Prefeito de Colombo

"Nesta data tão especial quero expressar toda a minha solidariedade a classe que represento. Parabéns motoristas de táxi.'

“Um grande abraço a todos os taxistas de Curitiba e do Paraná pelo seu dia. É uma classe muito importante porque é o portal de entrada para os turistas.”

Pedro Chalus Presidente do Sinditáxi

Ratinho Junior (PSC) Deputado Federal

E-mail: bandeiraum@jornalbandeiraum.com.br

“É uma categoria que eu tenho o maior carinho, admiro e respeito pelo trabalho que exercem. Parabéns a eles por esse dia.” Roberto Requião (PMDB) Senador do Estado do Paraná

"O trabalho dos taxistas é digno e de alta confiabilidade, meu reconhecimento a esta classe que eu respeito e tenho muito e carinho' José Carlos Gerente de Transportes da URBS

Meu respeito e carinho por esta classe tão especial que tem um papel importante em nosso estado. Meu fraterno abraço a toda classe dos taxistas pela passagem do seu dia. Deputado estadual Roberto Aciolli


Curitiba, novembro - 2011

Conheça o taxista “mil e uma utilidades”

05

Fotos: André Rodrigues Matéria: Fernando Cruz

bebidas e cigarro. Atendimento Para Bombril bom atenNasceu em Açaí, em dimento é regra. Mesmo 1944, mas foi registrado para quem trabalha só no em Itajubá (MG) em 1949. período da noite. No carro Morou em São Paulo e sempre leva revistas, jor- chegou a Curitiba em 1968, nal, balas, doces. O que fruto de uma excursão para também não pode faltar Vila Velha. são as brincadeiras e hisEntre idas e vindas no tratórias – caso conheça, te- balho do caminhão, comenha liberdade e intimidade çou a trabalhar com o táxi. Pegou gosto justamente com o passageiro. por lidar com pessoas, fazer Perfil Bombril é casado com novas amizades, ter uma Terezinha há pelo menos 39 rotina diferenciada todos os anos e pai de quatro filhos. dias. Como muitos taxistas Sempre trabalhou como que trabalham nas ruas há motorista seja no carro par- pelos 20 anos, o sonho é ter ticular do patrão, no cami- sua “plaquinha” – torce pelo Quando não está na boléia do táxi, Bombril está na boléia do fogão fazendo uma de nhão ou no táxi. Preservou projeto que vai liberar mais a saúde não se envolvendo concessões. E que comece suas receitas. em problemas nem com pelos mais antigos. ocê já ouviu fa- elogiaram a comida. Quan- e acaba ensinando uma lar do taxista “mil e do o patrão soube que era receita ou outra aos pasuma utilidades”? Ele o motorista que tinha feito, sageiros. “Frango na bolaexiste e faz parada no pon- deu o apelido: “Eu te batizo cha” já virou a mais pedito Campo Comprido. da. Seu conhecimento Boa praça e extroverde churrasqueiro de tido, Milton Vieira, 62, fim de semana, tamtem mais de 30 anos bém é aproveitado por só de boleia e ficou coamigos e conhecidos. nhecido por seu apelido Mil e uma e pelo bordão “na paz utilidades e no perigo, Bombril “Sei de tudo um pouestará contigo”. co”, destaca o taxista. O colega é o tipo Na realidade trata-se de taxista alto astral. mais de uma maneira Não é por menos que de se relacionar do que vem chamando atenrealmente cumprir tareção. Bombril até ganhou fas. No espírito de chadestaque na sessão cota, os colegas dizem “Conversa afiada”, no que vão processá-lo. jornal Gazeta do Povo. “Sou eu que conserto Bombril, que trabaseu carro”, diz Bombril lha como segundo mo- Bombril investe em cartões de visitas ao citar um colega. torista no carro 1154, para angariar novos clientes. A fama do taxisdiz que esse negócio ta sempre lhe rende de apelido começou com Milton Bombril”. convites para trabalhos, um estimado patrão. Na Os “dotes culinários” desde pintura de casa falta de uma cozinheira, são aproveitados como a um churrasquinho. Na o taxista improvisou na diferencial no serviço de melhor das hipóteses fica preparação de um almoço. táxi. No carro, enquanto só na tarefa de sugerir Até na residência ele aproveita para colocar a sua marca Todos comeram e inclusive atende, sempre conversa receitas. “Milton Bombril”.

V


06

Curitiba, novembro - 2011

Taxistas de Paranaguá se unem para criar associação algo em prol dos taxistas foram feitas de forma individual. Com a associação criada a proposta é levar e falar em nome dos taxistas, que na cidade somam em torno de 137 permissionários. Outro que vê a necessidade da organização é Adriano Faria Matozo. “É uma classe que está abandonada”, pondera. Para o taxista, a associação vem para somar e só trará benefícios para toda a classe dos taxistas. A associação terá diretorias, estatuto e taxa (mensalidade). A documentação, para iniciar as atividades, foi encaminhada e aguarda os procedimentos legais. Segundo Matozo e Adriano, a categoria viu com bons

olhos a iniciativa “Pelas reuniões e conversas com os colegas, a adesão vai ser grande”, diz. Vantagens Segundo Matozo, a associação pretende trabalhar em prol de todos os taxistas (titulares e colaboradores). Para isso vai fechar convênios e buscar parcerias que possam beneficiar toda categoria. Os beneficícios podem ser em forma de combustível mais barato, manutenção de carro, pneus, cursos voltados à capacitação do motorista, entre outros. Questão aeroporto Em relação ao aeroporto Internacional Afonso Pena de São José dos Pinhais, há sempre aquela velha discussão: quem pode e

quem não pode pegar passageiros. Até então segue a regra, ou seja, somente os taxistas de São José dos Pinhais, podem. Mas segundo Matozo, isso precisa ser debatido. O taxista presta atendimento para algumas empresas de Paranaguá, o que implica buscar as pessoas no aeroporto. Como ele fala inglês, pois é formado em Letras com habilitação na língua, conseguiu vários atendimentos agendados, principalmente para apanhar estrangeiros que vêm a trabalho. Justamente nesse sentido, ele diz que precisa ser (re) discutida a questão do embarque no aeroporto e avaliar esses casos pontuais. Fotos: André Rodrigues Matéria: Fernando Cruz

Carlos Matozo fala inglês e conseguiu clientes estrangeiros, mas está tendo dificuldades de apanhar estes passageiros no Aeroporto Afonso Pena.

T

axistas de Paranaguá, litoral do Paraná, querem ter mais força e representatividade. E para isso, alguns colegas estão se mobilizando e pretendem montar uma espécie de associação. O taxista Carlos Antonio Matozo, carro 72, é quem encabeça a iniciativa. Matozo diz que a proposta é unir a categoria e, assim, pleitear melhorias de forma coletiva para os taxistas que rodam em Paranaguá. Matozo explica que não se trata de um sindicato. Que esse tipo de

entidade, por ter um processo burocrático mais apurado, fica para segundo plano. Contudo, a associação pretende ter representatividade e discutir temas no que diz respeito à legislação do serviço. Entre elas está a alteração da tarifa e discutir sobre as regras de embarque e desembarque de passageiros no aeroporto internacional, em São José dos Pinhais. No que diz respeito ao serviço de táxi, Matozo diz que todas as tentativas e conversas com autoridades para pedir

Para os taxistas, a associação vem para somar e só trará benefícios para toda a categoria.


Curitiba, novembro - 2011

Curitiba é a capital com o melhor ensino do País nos anos iniciais, fruto da dedicação dos professores, alunos e da família também. Participar da vida escolar dos seus filhos é a melhor forma de cuidar do futuro deles. Educar em parceria é o verdadeiro caminho para formar gerações conscientes e bem preparadas. Assim, a melhor educação do País pode ficar ainda melhor.

07


08

Curitiba, novembro - 2011


09

Curitiba, novembro - 2011

Taxista: uma profissão que não discrimina

Nelson Carlos Hauptman, com seus 78 anos, foi destaque pela voz da experiência.

U

ma profissão bem passional, que varia entre momentos de alegria e tristezas, de problemas, dificuldades, soluções, altos e baixos, mas que é “viciante”, como mencionou um taxista. De repente dessa forma, poderíamos ressaltar ou destacar algo sobre essa atividade, tão importante no transporte público – uma necessidade e, diga-se de passagem, para ambas as partes. Para destacar e justamente ressaltar a importância da atividade e do profissional que faz o serviço acontecer, o dia 30 de novembro ficou consagrado como o Dia do Taxista – lei municipal criada pelo ex-vereador Mario Celso Cunha (PSDB). O serviço de táxi mudou consideravelmente em alguns aspectos, e o taxista respectivamente. A visão do motorista em relação à atividade que ele exerce também. O estereótipo da pessoa que foi trabalhar no táxi porque não tinha o que fazer, deu lugar às pessoas empreendedoras e apai-

Levi Vieira Soares, diz que com a profissão não dá para ficar rico, mas vale pelas amizades.

xonadas pelo que fazem. experiência. Experiência De certa forma, reflexo da de vida e de profissão para profissionalização. repassar aos colegas. “Em Atualmente o perfil do ta- cinco minutos de conversa xista é bem variado. Consi- a gente aprende muito (com dere perfil, dos mais jovens ele). Tem muita coisa que aos mais velhos, dos nova- eu vou passar que ele já tos aos mais experientes, passou”, frisou um colega. jovens com experiência, Na categoria iniciantes, a mais velhos novata Cincom poucos tia Canelli, dias na bocarro 1796. leia do táxi, Trocou a dos satisfeiárea de tetos aos deslecomunicontentes e cações e assim por encontrou diante. O jorno táxi sua nal Bandeira (nova) proUM nestes fissão. Desúltimos anos taca que a abordou várotina diferios profisrenciada foi sionais nas um convite diversas reà mudanportagens e ça. Casada, comprovou mãe de dois a premissa. filhos, enEm novemfrenta o trânbro de 2010, Cintia Canelli, trocou a área de sito das 7 às Nelson Car- telecomunicações e encontrou 19 horas, de l o s H a u p t - no táxi sua (nova) profissão. segunda a man, carro sábado, ge2257, com seus 78 anos, ralmente. foi destaque pela voz da Willian Robson Zene, car-

Willian Robson Zene, trabalhou como metalúrgico e encontrou no táxi a realização profissional.

ro 330, está com seus 36 anos, mas acumula 17 no táxi. Trabalhou como metalúrgico e encontrou no táxi a realização. Zene destaca que hoje o taxista é mais bem-visto de uma forma geral. E também mais qualificado. “Não esquento a cabeça”, diz ele ao ser perguntado sobre o estresse da profissão e dificuldades que encontra no dia a dia. “Não troco isso por nada.” Levi Vieira Soares, carro 1494, é o oposto do colega mencionado acima. Com 62 anos de idade, têm no táxi pouco mais de seis anos de atividade. Mas assemelhase na visão, ou seja, vê na profissão um “vício”. “A gente começa e não acha mais jeito de parar”, enfatiza. Diz que com a profissão não dá para ficar rico, mas vale pelas amizades. “Essa convivência é que faz a gente continuar”, reforça. “De todas as profissões que trabalhei, está é a que mais gostei”, diz Soares. Para esse Dia do Taxista, Soares deixa a mensagem: “Eu acho que todos os ta-

xistas devem se considerar como uma unidade. Todos precisam se respeitar e ter o hábito de se cumprimentar.” Considerações Não vamos falar das dificuldades que a categoria enfrenta como a falta de segurança na cidade, o estresse constante, a exploração dos custos, falta de banheiro, e de entendimento entre os próprios taxistas, porque o dia é para ser de comemoração. O taxista é um profissional em destaque. No atendimento diário, divulga a cidade para cada novo visitante, fomenta o turismo, a economia local – indiretamente e diretamente, pois o negócio movimenta milhões. Até ganharam o apelido de “relações-públicas". Exaltados ou odiados, é o taxista que, às vezes, nos salva no apuro do horário, na necessidade de chegar mais cedo, numa emergência, entre outras diversas situações. Parabéns! Fotos: André Rodrigues Matéria: Fernando Cruz


10

Curitiba, novembro - 2011

Foto: Divulgação

Curitiba toda iluminada anuncia a chegada do Natal

Diversos pontos da cidade serão atrações da programação de natal em Curitiba.

Uma das atrações da programação de natal em Curitiba vai ser a Galeria de Luz. Anunciada como parte da programação pelo prefeito Luciano Ducci, a galeria vai iluminar parte do calçadão da Rua XV de Novembro, entre as ruas Barão do Rio Branco e Marechal Floriano, no centro. Além da Galeria de Luz, haverá a tradicional apresentação do coral do HSBC; o Natal de Neve, espetáculo de som e luzes no Paço da Liberdade, na Praça Generoso Marques; e a partir do dia 26 de novembro, as praças Osório e Santos Andrade vão receber as feiras temáticas. Galeria de Luz A galeria é formada por diversos arcos e portais feitos com 130 mil pequenas lâmpadas coloridas. A novidade será acesa em uma festa popular às 20 horas do dia 1º de dezembro. Bailarinos e malabaristas vão passar por baixo dos arcos luminosos e apresentarão coreografias com o tema "fogo em meio ao público". A apresentação também será realizada no dia 2 (sexta-feira) e 3 (sábado) de dezembro, às 21h30. A programação segue até o dia 23

de dezembro, de terça a quinta, às 20h15, e às 21h30 nas sextasfeiras. Outros O tradicional Coral do HSBC, formado por crianças de instituições sociais, começa no dia 25 de novembro. O local é o tradicional Palácio Avenida. As apresentações serão realizadas de sexta a domingo, sempre às 20h30 e vai até o dia 18 de dezembro. O show do Paço da Liberdade será apresentado de 13 a 15 de dezembro, às 20h30. Este ano, segundo a prefeitura, o evento vai relembrar o dia em que nevou em Curitiba, em 1975. As tradicionais feiras natalinas também são uma opção à parte. Nesses o público encontra produtos da época e a gastronomia típica. As feiras vão até 23 de dezembro e é uma boa pedida para um presente diferenciado. Dica O taxista pode aproveitar os vários espetáculos e eventos natalinos em Curitiba e usar como sugestão para os passageiros, principalmente turistas. Fique à vontade!


11

Curitiba, novembro - 2011

Taxistas da cidade de Matinhos aguardam ansiosos a chegada do verão

Francisco dos Santos aproveita o tempo livre para ficar bem informado lendo o Jornal Bandeira UM.

O

burburinho de como vai ser a temporada já está na boca dos taxistas. Afinal, aproxima-se a chance de faturar a tal renda extra. Os taxistas de Matinhos, litoral do estado, aguardam ansiosos pelo melhor período do ano para trabalhar – do ano porque a temporada começa por volta do dia 15 de dezembro e segue ano seguinte adentro. O pessoal do Ponto 02, conhecido na verdade como ponto HSBC é só expectativa. “Acredito que vai ser melhor

que o ano passado”, diz Antônio Sérgio, carro 08. “Sergião”, como é conhecido, espera, inclusive, que seja uma temporada curta. “Temporada curta rende mais”, diz. Carlisto Stevan da Silva também é um taxista que acredita e espera a tal “temporada curta”. Para Stevan, a coisa vai ficar boa mesmo só depois do dia 26 de dezembro. Enquanto isso Enquanto o fim de ano não chega, vale “se virar nos trinta”, como dizem por aí. Para isso

os profissionais trabalham no melhor bom astral e atendem a qualquer solicitação. “Nós estamos aí para socorrer a turma”, ressalta Stevan, referindo-se ao atendimento à população. De acordo com o pessoal, o atendimento é feito principalmente para os moradores dos bairros. O comércio local também ajuda. As donas de casa que vão às compras também são aliadas dos taxistas. A média de corridas fica em torno de 10, mas

melhora principalmente em dias de chuva e com a divulgação do celular - além de divulgarem o número do ponto, os taxistas também divulgam o número particular e através de “amizades”, garantem algumas corridas extras. Nelson Passeiro, carro 05, lá do ponto 01, na Praça da Igreja, destaca ainda, o atendimento às principais casas e bares da cidade. Borábora, Império, BH, Bailão do Mica, estão na lista de “parceiras” dos taxistas. Ou seja, no fim

de semana as corridas duplicam, segundo o taxista. Enquanto a tão esperançosa temporada não chega, taxistas como Francisco Carlos dos Santos e Heron Cezar S c h r o e d e r, d o c a r r o 07, levam na boa e aproveitam para curtir o clima abafado da região. Enquanto esperam, vale bater um papo com o conhecido “Beleza Pura” ou dar uma lida no Jornal Bandeira UM. Fotos: André Rodrigues Matéria: Fernando Cruz

Segundo os taxistas Heron Cezar Schroeder, Antonio Sérgio e Carlisto Stevan, a praça ficará boa mesmo depois do dia 26 de dezembro.


Curitiba, novembro - 2011

12

Prefeito de Colombo se reúne com José Richa Filho

Papo de Futebol E assim segue o futebol paranaense, ou seja, dependendo de seus méritos próprios, pois vejamos...

O secretário Estadual de Infraestrutura e Logística recebeu J. Camargo nas dependências de sua Pasta em Curitiba de vias urbanas quanto rurais, através da Usina de Asfalto de Colombo. A intenção com essa parceria é atender melhor nossos munícipes e aprimorar a infraestrutura local”, disse o prefeito. Rodovia da Uva Tendo em vista os acidentes, dificuldades de acesso para moradores e comerciantes, trânsito caótico e demais transtornos que está causando a paralisação da obra na Rodovia da Uva, o prefeito também questionou o andamento da obra, que foi iniciada no primeiro semestre de 2010. “O lote dois da obra está paralisado, causando dificuldades e falta de segurança para os usuários

da Rodovia, moradores e comerciantes. Os problemas são diversos e estão visíveis para quem passa pela região” relatou. Além de verificar como está o processo do lote um, que trata de outra parte da Rodovia. “O início desse trecho ainda depende da assinatura da ordem de serviço, gostaríamos de uma previsão. Entendemos que para a realização de obras, enfrentam-se transtornos, mas o fato de estarem paralisadas as atividades dificultam ainda mais, inclusive a Sede do município. Vamos continuar acompanhando os andamentos para cobrar soluções”, relatou J. Camargo.

Foto: Elio Andrade

O

prefeito de Colombo foi recebido na Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística em Curitiba pelo secretário José Richa Filho, no último dia nove. A reunião foi marcada por J. Camargo para tratar de dois assuntos – A obra Estadual na Rodovia da Uva e o Convênio entre e a Prefeitura e Governo Estadual, para realizar pavimentações e recapeamentos no município. “Um dos assuntos que tratamos foi o Convênio entre a Prefeitura e o Governo Estadual que visa o fornecimento de insumos para a realização de novas pavimentações e recapeamentos de pavimentações antigas, tanto

Prefeito de Colombo esteve na Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística e foi recebido pelo secretário José Richa Filho.

O coritiba, está pronto para a próxima temporada, tem presidente definido e um grupo composto por cinco dirigentes, todos sob a batuta de Vilson Ribeiro de Andrade. Ele, que transformou os destinos do coxa-branca, é o que se exige de uma administração moderna voltada para a realidade dos tempos atuais. Em campo o time vem demonstrando que com um pouco mais de confiança estaria brigando por uma vaga na Libertadores; ainda existe esta chance, mas remota. O que vale para o torcedor, que começou 2011 com perguntas e vê o seu clube fechando a temporada com respostas mais do que positivas para o futuro, é o planejamento estrutural, o mínimo que se exige de uma empresa, e o alviverde do alto da glória está bem planejado para os próximos anos; agora é bola pra frente na busca de novas conquistas dentro e fora de campo. O Atletico segue seu destino incansável na luta para não ser rebaixado. O time tenta superar suas deficiências e na base da garra e raça segue nesta missão. Na política haverá bate chapa; de um lado a oposição liderada por Mário Celso Petraglia, amado por uns, contestado por outros, fez o que poucos fizeram em termos patrimoniais, no campo um futebol com altos e baixos, mas não deve ter a sua história esquecida. Do outro lado a dupla Diogo Fadel e Ênio Fornea, com a chapa da situação com um fator independente, mas seja oposição ou situação, o que a grande massa rubro-negra quer saber é como será o futebol, pois o furacão é essencialmente futebol, que depois de 1995, vem se destacando dentro do cenário nacional, mas que tem mostrado muita ineficiência nos últimos anos, por isso que vai sair faísca o pleito do dia 15 de dezembro, até lá saberemos em que divisão o Atlético estará no próximo ano. No Paraná Clube Rubens Bohlen terá a missão de reestruturar o clube, principalmente no departamento de futebol, a torcida mostra-se inconformada com o momento do time, que caiu para a segundona do paranaense e não tem mais chances de voltar à elite brasileira em 2012. O atual elenco tem valores que deve, com esforço, manter-se para o ano que vem, assim também o técnico Guilherme Macuglia, que cometeu seus equívocos, mas num todo mostrou conhecimento e reúne totais condições de comandar o elenco; resta saber se os grandes conselheiros, homens com força de apoio para ajudar o clube, pois não adianta sozinhos Rubens Bohlen, Paulo César Silva e Luiz Carlos Casagrande, mais do nunca se faz necessário que os grandes paranistas tirem o azul ou o vermelho que usam por baixo e unam novamente as cores para fazer um Paraná Clube forte, separados não tem nada, unidos podem escrever uma nova pagina na história deste grande clube. Arremate: está na hora de deixarmos os revanchismos de lado, e os três grandes da capital unir-se, enquanto vivemos esta coisa miúda, os outros estados agradecem e conquistam títulos e se fortalecem; adversários sim, mas dentro de campo, co-irmãos sempre, pois quando o Atlético, Coritiba e Paraná Clube falavam a mesma língua tínhamos os três na primeira divisão do brasileirão, e agora estamos enfraquecidos, que os próximos dirigentes tenham esta filosofia, ou seja, o velho ditado “A UNIÃO FAZ A FORÇA”. Um grande abraço e sintonize 590 e ouça o melhor do futebol com as feras de Paulo Roberto Gallo na Rádio Difusora, a parceira do povo também no esporte, até a próxima.

Flavio Rocha

reporterrocha@yahoo.com


Curitiba, novembro - 2011

13

Projeto executado em Pinhais recebe prêmio de Gestão Sustentável O projeto ‘Neutralização de Carbono' e ‘Revitalização do Rio Palmital' desenvolvido pelo

de Gestão Sustentável. A ação que recuperou um trecho de mata ciliar do Rio Palmital em Pinhais foi vencedora do prêmio na categoria Ambientalmente Correta. O prêmio CASEM é uma iniciativa da Associação Comercial do Paraná com a finalidade de reconhecer as melhores práticas sustentáveis desenvolvidas por empresas da iniciativa privada, pública ou mista, que atuam no Estado. Nesta segunda edição, a comissão julgadora, formada por profissionais de áreas relativas à premiação, analisou e O Prefeito Luizão Goulart e o Secretário de Desenvolvimento Sustentável, David Lachowski avaliou os projetos que durante o encontro. se enquadravam nas caPrefeitura de Pinhais e Instituto Ambiental do Paraná, recebeu no último mês o Prêmio CASEM

Foto: Divulgação

Shopping Palladium em parceria com a empresa Roadimex, especializada em soluções ambientais,

tegorias Economicamente Viável, Socialmente Justa e Ambientalmente Correta. O Prefeito Luizão Goulart e o Secretário de Desenvolvimento Sustentável, David Lachowski, receberam na última semana os parceiros envolvidos com o projeto. Na ocasião o Prefeito destacou a parceria bem sucedida entre o município e as empresas. "Isso demonstra como é possível realizar boas parcerias entre a iniciativa privada e pública. Espero que este prêmio sirva de incentivo para novas parcerias voltadas ao meio ambiente de nossa cidade", finalizou.

Motoristas agora podem fazer curso de reciclagem em módulos Motoristas de Curitiba com carteira de habilitação suspensa podem, a partir do último dia 7, montar a própria grade de aulas do Curso de Reciclagem de Condutores Infratores. O sistema modular desenvolvido pelo Departamento de Trânsito do Paraná (Detran), em conjunto com a Companhia Paranaense de Informática (Celepar), permite que o usuário escolha as disciplinas separadamente, nas datas e horários mais adequados aos seus compromissos. Mais atenção essa facilidade por enquanto é só para a capital, o sistema está em teste para ser ampliado para todo o Paraná até

o fim do ano. Atualmente, a capacitação de 30 horas só podia ser realizada em blocos fechados, em dias seguidos, sem ser interrompidos. A partir de agora, será possível, por exemplo, agendar aulas somente em determinado dia da semana e em horário fixo. Não haverá prazo limite para a conclusão do curso, mas mantevese a possibilidade de finalizá-lo em três dias. Quem tem mais pressa pode participar das aulas de fim de semana, acelerando ainda mais o processo. Isso vai facilitar o motorista que só pode fazer o curso uma vez na semana,

ele levará 30 dias para concluir, o mesmo prazo de suspensão da CNH. O Curso: Independente do tempo programado para o curso, todos os motoristas têm de assistir a 12 horas/aulas de Legislação de Trânsito, oito horas/aula de Direção Defensiva, quatro horas/aula de Noções de Primeiros Socorros e seis horas/aula de Relacionamento Interpessoal. As aulas pelo novo sistema estão disponíveis somente para a sede do Detran no Tarumã, em Curitiba. INSCRIÇÕES www.detran.pr.gov.br

Dra. Sonia Inglat é advogada especialista em trânsito e apresentadora do quadro “Dicas de Trânsito” do Programa 190. soniainglat@yahoo.com.br - Twitter @soniainglat


Curitiba, novembro - 2011 13

14

Ano Internacional dos Afrodescendentes é comemorado em Colombo

No último dia 10 foi realizada pelo Legislativo de Colombo, com o apoio do Executivo, sessão solene para comemorar o Ano Internacional dos Afrodescendentes, que contou com a presença de autoridades locais, representantes religiosos e culturais e famílias homenageadas desta etnia. O evento aconteceu na Câmara Municipal de Colombo. O presidente da Câmara, vereador Onéias Ribeiro, iniciou a solenidade destacando a importância que os negros têm na sociedade e o respeito que se deve a eles e, principalmente,

por fazerem parte da cidade de Colombo. "É com muita alegria e respeito que, pela primeira vez, eu vejo a merecida homenagem aos negros que tanto lutam e trabalham para construir uma sociedade mais justa e digna. Sinto-me honrado por fazer parte desta família e me tornar o primeiro presidente negro deste legislativo, ”destacou o Presidente. Durante a sonelidade o Padre Hildo Afonso Camilo Ferrarini e o Pastor Juarez Dias, vice presidente das Igrejas Assembleias de Deus, Ministerio de Colombo, proferiram

sua benção, seguidos pelo Babalorixá Jorge Kibanazambi (líder religioso do Candomblé) que proferiu sua benção e também relatou sobre o título - Ano Internacional dos Afrodescendentes. “ Hoje é dia de festa, dia de comemorar esse evento tão especial que os poderes constituídos nos fazem. Parabéns a todas as famílias negras de Colombo”, disse Babalorixa Jorge Kibanazambi. Ao fazer uso da palavra Adir de Faria, Acacio Lima de Oliveira, Coordenador Especial de Assuntos Relacionados a Igualdade Racial e Adegmar José da Silva (Candieiro), representantes culturais, falaram das grandes lutas e torturas pelas quais os negros passaram e as dificuldades que ainda enfrentam, sendo necessário projetar leis para que realmente exista o devido valor e espaço na sociedade. Adegmar (Candieiro) que é presidente do Centro Cultural Humaitá, foi quem apresentou o projeto de celebração ao presidente da casa Oneias Ribeiro, que chamou os demais grupos negros da cidade envolvidos na diversidade racial para organizarem a Sessão Solene

que resultou numa das mais belas Sessões Solenes do legislativo. O prefeito J. Camargo falou da importância da diversidade cultural dentro da cidade de Colombo. “Colombo tem uma grande história, por que quem a faz são pessoas de diferentes culturas, que trazem suas contribuições e tradições para enriquecer e enobrecer nossa cidade,” disse o Prefeito. Para todos os presentes o evento foi um grande marco e acontecimento na história da família afrodescendente que, após muitas lutas e injustiças, finalmente estão conquistando espaço e reconhecimento na sociedade, mas que ainda é preciso muita tentativa futura para o devido valor do negro. Ao realizar esse evento Colombo celebra sua maior amostra de respeito a diversidade cultural. Os vereadores: Angelo Betinardi; Eurico Braz de Bomfim; Gerson Augusto Baudy; Helder Luiz Lazarotto; Joel Melo Cordeiro; José Renato Strapasson; Rubens Gregório Marques, Severino Barbosa da Silva, e Waldirlei Bueno de Oliveira marcaram presença e prestaram homenagens às famílias

afrodescendentes. Mesa de autoridades: presidente do Legislativo, Onéias Ribeiro; o prefeito J.Camargo; vice-prefeita Rose Cavalli; da Paróquia Nossa Senhora do Rosário Padre Hildo Afonso Camilo Ferrarini, representando o Pároco Padre Leudes Aparecido de Paula; VicePresidente do Ministério da Assembléia de Deus de Colombo Pastor Juarez Dias, representando o Pastor Edilson Santos Siqueira; o Representante das religiões Matriz Africanas Babalorixá Jorge Kibanazambi; o Coordenador Especial de Assuntos Relacionados à Igualdade Racial (CEARIR) Acácio Lima de Oliveira; o Presidente do Centro Cultural Humaitá Adegmar José da Silva (Candieiro) e o Coordenador da Indústria do Conhecimento Adir de Faria. Demais autoridades presentes: Secretária Municipal do Turismo Maria Michelli Mocelin; Secretária Municipal da Fazenda Maria Amélia Camargo; Secretária Municipal da Administração Rita de Cássia Camargo Gonçalves; o Diretor do Departamento de Obras Eduardo Akio Uda.

Taxistas do Campo Comprido pedem melhorias no ponto

Carros particulares estão tomando o lugar destinado aos táxis do ponto.

Os taxistas do ponto Terminal Campo Comprido, na Rua Deputado Heitor Alencar Furtado, no bairro Campo Comprido, têm uma nova solicitação. O problema é conhecido de todos: o desrespeito à delimitação do ponto. Problema agravado pela falta de sinalização horizontal indicativa de táxi. A pintura horizontal na cor branca foi aplicada há pouco tempo, mas quem pintou se “esqueceu’ de identificar com a palavra “táxi”. O que causa transtornos, pois carros particulares estão tomando o lugar destinado aos táxis. Joaquim Luis dos Santos, carro 444, diz que a falta de identificação confunde o motorista particular, já que ele não sabe onde começa ou termina o ponto. E como o ponto é livre, sempre há muitos táxis ali. De acordo com Santos, informalmente já foi feito o pedido a Urbs para adequar a pintura. A ideia é que fique bom para taxistas e particulares. “A gente procura melhorias, mas às vezes é meio difícil”, ironiza. Outra solicitação é aumentar o limite do ponto. Santos informa que o ponto está cadastrado com 50 metros, contudo, com a grande movimentação devido ao terminal, obras e uma universidade, o volume

Fotos: André Rodrigues Matéria: Fernando Cruz

aumentou e há necessidade de mais espaço. Antigas reivindicações O ponto Terminal tem um histórico de reivindicações; problemas estruturais, entre outros, como a colocação de uma lombada elevada próximo ao ponto para facilitar a travessia de pedestres e ajudar a diminuir a velocidade dos veículos – até hoje não atendida –, recolhimento do lixo e, inclusive, o uso irregular das vagas destinadas aos portadores de necessidades especiais.

Segundo os taxistas o problema é a falta de sinalização horizontal indicativa de táxi.


Curitiba, novembro - 2011

15


16

Curitiba, novembro - 2011


Jornal Bandeira UM - nOVEMBRO/2011