Page 1

Ano 9 nº 101 Curitiba - PR

novembro - 2012

Publicação mensal direcionada aos taxistas e usuários

Distribuição Dirigida

Comprometido com os interesses da categoria

Pág. 8/9

JUMP

Foto: Divulgação

Táxi – serviço e profissão de respeito Parabéns a classe dos taxistas

Nova diretoria da Alternativa quer conquistar mais espaço em Curitiba

Página

03

Paraná oferece teste rápido e gratuito de HIV, sífilis e hepatites

Página

04

A partir de janeiro, rastreador será item obrigatório em veículos novos no Brasil

Página

05

Dia Do Taxista: Autoridades deixam mensagem especial para a categoria

Página

14

Carros particulares invadem os armazéns da família

Página

06


02

Curitiba, novembro - 2012


03

Curitiba, novembro - 2012

Nova diretoria da Alternativa quer conquistar mais espaço em Curitiba

O prédio da associação foi todo reformado pela nova diretoria.

A Rádio Táxi Alternativa resiste aos trancos do sistema e dos interesses, e se mantêm atuante. E no que depender do novo presidente, José Vilmar Tavares, pretende trabalhar por muito tempo, inclusive dar a volta por cima dos problemas e ficar em destaque. Para dar uma guinada na central vale trabalhar e usar tudo que tem à disposição, inclusive a espiritualidade. “A Alternativa está muito abaixo daquilo que eu quero como rádio táxi. Se os outros trabalharam sério, porque eu não posso desenvolver um trabalho sério, um trabalho de respeito e que possamos crescer. Por que eu não posso fazer isso?”, diz Tavares. Tavares assumiu no início do ano e diz não ter encontrado uma situação muito boa. Numa eleição realizada depois de um plebiscito, Tavares assumiu com votação modesta – 12 a 10. “Na verdade foram muitas dificuldades. Até o mês de março (2012) tivemos que fazer muitas contas para manter a central em dia”,

disse. “Depois do mês de março teve um crescimento acentuado, tanto do retorno dos associados como em termos de serviço.” De acordo com Tavares a receptividade por parte dos associados e colaboradores foi positiva. Fato devido ao seu bom relacionamento pessoal e com os demais colegas. “Muitos falaram que retornaram porque eu estava aqui, caso contrário eles não iriam retornar”, enfatiza. “Isso foi um voto de confiança muito grande que eu recebi da parte do associado.” Isso vem ajudando a solucionar o maior problema enfrentado hoje: a falta de carros e profissionais. Questão que Tavares pretende enfrentar e dar cabo com a real reestruturação da associação. “Meu problema maior é a falta de carro, porque serviço eu tenho sobrando”, afirma. “Eu tenho muitas corridas canceladas, eu perco corrida por falta de carros na associação.” Há outros problemas de infraestrutura que a gestão

precisa resolver. Tavares acredita que dá para arrumar a casa e possibilitar mais recursos para os associados e, consequentemente, a vinda de novos motoristas. Avaliação “O problema da Alternativa sempre foi administrativo”, afirma. “Eu posso garantir que enquanto estiver de presidente, a Rádio Táxi Alternativa não terá problema no administrativo.” E para resolver essa situação vale trabalhar em total conjunto com sua diretoria – Conselho Deliberativo, Fiscal e Disciplinar. Acredita que o trabalho em conjunto vai render mais frutos, inclusive com a participação do associado. Para isso, pretende realizar assembleias para que o associado participe das decisões. Otimista em relação à associação, ele diz que a Alternativa não tem por que ficar para trás. Curitiba tem muitas coisas das quais pode se orgulhar inclusive do serviço de táxi e, consequentemente, das várias

Projetos Tavares diz que tem projetos para dar uma alavancada na Alternativa. Primeiro vale apelar para a experiência. Segundo ele, é preciso fazer uma associação que seja boa para o taxista. Dessa forma já estão traçados alguns planos e objetivos que avançarão até 2013. Entre eles estão os cuidados internos, como colocar em funcionamento o sistema digital, inclusive o despacho de corridas por telemetria. Na planilha também tem a possibilidade do associado ter assistência médica, odontológica e jurídica – a jurídica já está funcionando. No que diz respeito ao treinamento e capacitação dos funcionários e taxistas, Tavares diz estar desenvolvendo uma parceria para fazer um trabalho

nesse sentido. Ou seja, aprimorar o atendimento, já que esse é e pode ser um diferencial no mercado. “O atendimento é primordial. O taxista está lá em baixo é o cartão de visita da rádio”, ilustra.

Cultos Para somar, toda ajuda é bem-vinda. Tavares, com o consentimento dos associados, deu início a uma série de cultos (evangélicos), realizados num salão anexo à central. A ideia partiu de um funcionário e de um colaborador. “Eu sempre vi a Alternativa como uma rádio táxi que tinha problemas administrativos. Então, isso foi um ponto que me chamou a atenção, porque eu não aceito que uma empresa com tantos anos esteja dessa maneira que eu peguei”, proclamou Tavares em tom profético. Os cultos são realizados no último sábado de cada mês e conta com a participação de taxistas, colaboradores, empregados e convidados. Inclusive moradores que residem próximo da central, estão participando.

Foto: André Rodrigues

Foto: André Rodrigues

rádios táxi. “Então, eu também não quero ficar atrás. Nós da Alternativa também queremos ser orgulho para Curitiba”, diz. “Esse é meu objetivo, porque eu não aceito uma rádio com tantos anos no mercado estar nessa situação.”

José Vilmar Tavares, casado, pai de três filhos. Acumula 25 anos de profissão, agora presidente da associação.


Curitiba, novembro - 2012

04

Foto: Venilton Kuchler/SESA

Paraná oferece teste rápido e gratuito de HIV, sífilis e hepatites

Campanha oferece teste rápido de HIV, sífilis e hepatites.

uma rede assistencial para tratar os casos de forma humanizada e eficiente”, afirmou Caputo Neto. O Paraná é o único estado da região Sul a participar da mobilização nacional. Estima-se que nos 10 dias de campanha serão realizados no Estado mais de 50 mil testes. Após o período, os testes rápidos de sífilis e HIV continuarão disponíveis nos postos de coleta. Os testes das hepatites B e C estarão em 35 Centros de Testagem e Acompanhamento. A previsão é que até o final de 2013 todos os tipos do teste rápido sejam implantados nos 399 municípios paranaenses. Diagnóstico Segundo o superintendente de Vigilância em

positividade, imediatamente a pessoa é encaminhada a um serviço especializado no tratamento. Números Segundo a coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids, Elisete Ribeiro, o público alvo da campanha são os jovens. “Quase metade dos casos de aids registrados no Estado são de jovens e adolescentes, com idade entre 13 e 34 anos. Esperamos que com a praticidade do teste rápido, esse público busque mais saber como está sua saúde”, afirmou. Anualmente, o Paraná registra 1,3 mil novos casos de aids, 1,5 mil novos casos de hepatite B e mil novos casos de hepatite C. Com a ampliação do diagnóstico, a tendência é que esses números aumentem gradativamente, mas os casos serão identificados mais cedo.

Saúde, Sezifredo Paz, a cada quatro pessoas infectadas com o HIV, uma ainda não sabe que tem o vírus. Embora não haja cura para a aids, é possível retardar os efeitos da doença com um tratamento adequado, garantindo qualidade de vida ao paciente. No caso do HIV, o resultado é definitivo. Para a sífilis e hepatites B e C, o teste serve como triagem para a indicação de exames mais completos. “Queremos identificar essas pessoas que vivem com o vírus. Com isso, poderemos evitar casos de transmissão vertical – aquele que ocorre, por exemplo, de mãe para filho na hora do parto”, explicou A campanha “Fique Sabendo” foi lançada em Curitiba, pelo Sezifredo Paz. secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, e será realizada Somente em 2011, afir- em 220 municípios do Estado.

E-mail: bandeiraum@jornalbandeiraum.com.br

Foto: Venilton Kuchler/SESA

Desde o dia 22 último, até o dia 1º de dezembro, 385 serviços de saúde do Paraná vão oferecer gratuitamente o teste rápido para diagnosticar doenças sexualmente transmissíveis, como a sífilis e as hepatites B e C, e também a presença do HIV (vírus da aids). A campanha “Fique Sabendo” foi lançada no dia 22, em Curitiba, pelo secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, e será realizada em 220 municípios do Estado. “O objetivo é ampliar o acesso ao teste rápido, uma ferramenta confiável e de boa adesão da população. Sabemos que uma epidemia silenciosa pode estar ocorrendo e por isso, além do diagnóstico, também estamos estruturando

mou, 19 casos de transmissão vertical de HIV e 412 de sífilis congênita foram registrados no Paraná. Com o Mãe Paranaense (programa de reforço ao atendimento a gestantes e recém- nascidos), a intenção é reduzir drasticamente esses números, visto que o teste rápido é indicado já na primeira consulta do pré-natal – tanto para a gestante, quanto para o companheiro. “Com o tratamento, as chances de transmissão vertical são nulas”, disse Sezifredo. O teste rápido necessita de apenas uma gota de sangue para análise. Antes e após todo o processo, é feito um trabalho de aconselhamento, com orientações de medidas preventivas e outras informações sobre doenças sexualmente transmissíveis. O resultado do exame sai em cerca de 30 minutos e, em caso de


Curitiba, novembro - 2012

05

Já o bloqueio deverá vir funcional, com a opção de ser acionado diretamente pelo proprietário.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) definiu as regras para a instalação do chip com sistema de bloqueio e rastreamento. A medida é obrigatória e visa todos os veículos novos produzidos no país. A questão ganhou espaço e já vem dando o que falar, pois terá impacto financeiro no bolso do motorista. Com esse sistema o motorista poderá monitorar e bloquear o carro em caso de roubo. E todos terão o sistema antifurto – a partir de janeiro de 2013, 20% de todos os automóveis e caminhões novos terão instalados os chips com o sistema de bloqueio e rastreamento. A ideia é que até agosto 100% dos veículos novos já estejam com o chip. Para as motos, o prazo de adequação para o total da frota vence em janeiro de 2014. O projeto, que é uma iniciativa federal, foi adiado várias vezes e

arrasta pelo menos cinco anos de discussão. Motivos como a indefinição da tecnologia que seria usada para manter a comunicação entre carro e central de rastreamento, qual o valor que aumentará no custo (do automóvel) questões como “invasão de privacidade” ronda o projeto. Como via funcionar Um pequeno aparelho será instalado no carro e permite que o carro seja rastreado por satélite e bloqueado a partir do momento que o dono permitir. Provavelmente será colocado na hora do emplacamento – e terá custo. Especula-se a taxa de R$ 5 a R$ 15 reais. Em relação ao serviço de rastreamento, será opção de cada proprietário decidir se vai ou não pagar para manter o serviço, que deverá ser contratado em uma empresa privada do ramo. Já o bloqueio deverá vir

funcional, com a opção de ser acionado diretamente pelo proprietário. De acordo com texto da Agência Estado (AE), cada fabricante (ou importador) de veículo terá de homologar seu modelo no Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Não há certeza quanto ao impacto que a medida trará ao preço dos carros. As empresas que oferecem esses kits os comercializam por preços que variam entre R$ 200 e R$ 500, mais cerca de R$ 50 mensais pela assinatura dos serviços de rastreamento.

dendo. De acordo com artigo do jornal Folha de São Paulo, a colocação dos chips facilita a instalação dos pedágios eletrônicos urbano. “O mesmo TAG que será usado no Siniav (Siste-

tema é ilegal, pois fere o Artigo 5 da Constituição Federal, que determina que são invioláveis a intimidade e a vida privada dos cidadãos. A entidade vai enviar um ofício ao Departamento Nacional

Positivo • Facilita a prevenção do furto do veículo; • Reprimir furtos e roubo de cargas. Negativo • A medida está sendo considerada institucional • Teme-se por ter a privacidade invadida – mas no caso do rastreador, a decisão de ativar cabe ao dono; • Valor incidirá sobre o carro e proprietário.

ma Nacional de Identificação Automática de Veículos) pode servir para a cobrança do pedágio eletrônico”, destaca o texto. Segundo matéria veiculada no jornal Extra, a Ordem dos Advogados do Brasil seccional do Rio de Janeiro (OAB-RJ) aponta que a resolução regulamentadora do sis-

de Trânsito (Denatran) pedindo a reconsideração da medida. Caso o Denatran insista com o rastreamento, a OAB pretende entrar com uma ação de inconstitucionalidade na Justiça. O Ministério Público Federal também questionou a determinação.

Polêmica O “Big Brother dos carros”, como já foi apelidada a medida, causa debate. De acordo com o jornalista Carlos Ferreira, do Zero Hora, existe polêmica porque o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) controlará uma rede com todas as informações da frota brasileira. Supervisionará o Sistema Integrado de Monitoramento e Registro Automático de Veículos (Simrav), que estabelece agosto de 2013 como limite para que todos os veículos novos tenham rastreador e bloqueador, e o Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav), de implantação a ser finalizada em junho de 2014. Na capital paulista o O “Big Brother dos carros”, como já foi apelidada a medida, tema também está ren- causa debate. Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

A partir de janeiro, rastreador será item obrigatório em veículos novos no Brasil


06

Curitiba, novembro - 2012

Carros particulares invadem os armazéns da família Taxistas pedem providências por parte da Urbs

José Carlos disse que a melhor arma contra esse tipo de prática é a denúncia. No momento da denúncia os taxistas estavam insatisfeitos, pois nenhuma

diz. E o rapaz vai além e revela que, inclusive, há negociação de pontos e local para se estacionar o carro particular. O valor chega a R$ 7 mil reais – R$ 6 mil reais à vista e duas parcelas de R$ 500,00.

medida eficiente tinha sido tomada. Restava aguardar uma solução eficaz por parte da Urbs, da Diretran, da Prefeitura Municipal e da Guarda Municipal.

ários veículos de comunicação levantaram a questão e o problema do transporte clandestino em frente aos Armazéns da Família, em Curitiba. O jornal Bandeira UM, através de denúncias de taxistas, na edição de agosto de 2009 – nº 67 – trouxe o problema à tona. Carros sem licença e motoristas sem treinamento “bancam” taxistas e cobram corridas dos moradores. O local visitado pelos jornalistas foi o Sítio Cercado. Mas, como mostrou a reportagem do Bandeira UM, o caso também ocorre em outros armazéns. O transporte e opor-

tunismo são oferecidos Coisa antiga todos os dias aos moraO fato é denunciado dores que procuram os pelos taxistas, os mais armazéns da família. prejudicados pelo falta de fiscalização, há muito Conivência tempo. O Bandeira UM A matéria mostra, inclu- conversou com taxista sive, guardas municipais que atuam no bairro do dando orientação acerca Boa Vista, que alertaram do serviço. “Pode conver- para a prática. “Esses sar com o rapaz aqui, ta”, caras ficam tirando nosdiz o guarda municipal so trabalho”, reclamou flagrado em câmera es- um taxista ouvido pela condida pelo repórter. O equipe do jornal Bandeiguarda municipal informou ra UM. até o preço da corrida – R$ Na época, o gerente da 15 reais. Área dos Serviços de Táxi e Transporte Comercial da Negócio ilegal Urbs, José Carlos, confirUm dos motoristas che- mou que o caso não acongou a revelar quanto ele tecia somente na Rua da ganha. “Tem mês que eu Cidadania do Boa Vista tirei R$ 2.500,00, tem mês e que o problema ocorre que eu tirei R$ 2.300,00”, em outros armazéns.

Motoristas são flagrados fazendo transporte clandestino de passageiros nos Armazéns da Família.

Foto: André Rodrigues

Cidadania do Boa Vista.

Foto: Reprodução RPC/TV

Foto: André Rodrigues

Posição Em nota a Secretaria de Defesa Social disse que abriu um procedimento para investigar o caso e vai afastar os guardas muMotoristas particulares, estariam oferecendo “serviço de táxi” nicipais envolvidos nesta a quem vai às compras no Armazém da Família da Rua da situação.

V

Matéria : Fernando Cruz

Taxistas que trabalham no antigo ponto da Fiat, no bairro Boa Vista reclamam da falta de fiscalização por parte da URBS aos carros piratas.

Programa Plantão da Mais Apresentação JOTA PÊ De segunda a sexta feira das 17h às 19h Ligue e participe: 3586-1718 www.radiomaisam1120.com.br

Ligue e participe 3282-1110


Curitiba, novembro - 2012

07


08

O

serviço de táxi é um reforço no transporte público em muitas cidades brasileiras e do mundo. Um meio de transporte que garante comodidade e rapidez ao usuário. O sistema e a profissão de taxista estão mais do que consolidados, tanto pelo tempo, quanto pela forma em que está estruturado, principalmente nas grandes capitais. Cada sistema segue regras municipais, tem fiscalização, sindicato, direitos e deveres, todos baseados no interesse público e da livre iniciativa. Para fazer esse sistema funcionar, há quem trabalhe dia e noite, fique sob o estresse de um companheiro diário que é o trânsito, convive com a insegurança e o medo. Afinal, a cada novo passageiro que embarca pode haver uma surpresa. Mas eles não perdem o pique na hora de levar o cliente aonde ele queira ir. Para ser taxista não basta entrar no carro e sair pegando pessoas por aí. Primeiro, porque é um serviço regulamentado e depende de licença. Além disso, o taxista precisa passar por treinamento e também receber autorização do órgão público responsável pelo gerenciamento do serviço de táxi, deve ter a CNH regularizada e conhecer bem a localidade que vai trabalhar. De forma simplória esses são alguns requisitos. O taxista trabalha duro e sem ele não há serviço ou corrida de táxi. Pois, carro não anda sozinho. Dentre esses profissionais, alguns são bem-humorados, cheios de histórias e experiências adquiridas na rotina do trabalho. Nem sempre recebem o merecido valor e respeito. Contudo, são trabalhadores, como muitos milhões de brasileiros que acordam cedo e vão à luta. E não é por menos que há um dia especial destinado a esses profissionais. A equipe do Jornal Bandeira UM conversou com alguns taxistas do Paraná e de outros estados para saber um pouco mais da rotina desses profissionais que fazem parte dessa grande profissão, comemorada nesse dia 30 de novembro. A todos eles os nossos parabéns!

Curitiba, novembro - 2012

Táxi – serviço e pr Parabéns a clas

Paraná

Experiência e simpatia atrás do volante de um táxi de Cu Nelson Carlos Hauptman, carro 2257, nada mais nada menos que 78 anos de idade, é casado e taxista associado da rádio táxi Capital. Cerca de 40 anos de boleia e ainda na ativa. Histórias e experiência não lhe faltam. Disposição para continuar no serviço, também não. Segundo Hauptman, lá em Campo Mourão, perto dos anos de 1972, especificamente no dia 14 de fevereiro daquele ano, ele adquiriu o seu primeiro táxi. Conforme ele faz questão de citar,

no dia 15 já estava na rua trabalhando e até hoje permanece. É assim que começa a história de senhor Hauptman. Nascido no interior paulista, mas criado no estado do Paraná, Curitiba foi o destino, motivado pelos estudos. A carreira foi a militar e depois a Polícia. No paralelo, o táxi foi seu investimento. E hoje, mesmo aposentado, não deixa de trabalhar. Do início da carreira, lá no interior, lembra que o táxi era um jipe, justamente por não ter asfalto.

Poesia regada à viola sertaneja em

Alguns taxistas, além de bons motoristas, tamb dades e talentos. Há profissional que descobriu ser u e virou escritor, taxista atleta, ex-jogador, entre outr ponto Guarani, em Colombo, há um taxista que mostr trânsito, mas também no gogó e violão. Juvenil dos Santos Marcondes, RT 05, velho apaix hoje divide seu tempo no táxi e no estúdio. É que o tax gravar um CD com músicas de sua autoria. Colegas de profissão já conheciam os dotes music CD intitulado “A vida traz surpresas”, Marcondes se l sua poesia, regada à viola sertaneja com um pé no g

Taxistas ansiosos a espera da Temporada em Matinhos Apesar de ansiosos com a chegada da temporada de verão, os taxistas do litoral do estado, pelo menos por enquanto, precisam se contentar com as corridas dos moradores da cidade. Trabalhando das 6h da manhã até a meia noite de segunda a segunda, o taxista João Carlos de 64 anos, há mais de 30 anos na profissão, começou no ponto no centro de Caiobá e hoje reveza durante a semana no ponto da Rodoviária de Matinhos. Uma profissão que vem passando de geração para geraçãp; além dele, também o seu irmão Albanir e o sobrinho Marcio, exercem a profissão de taxista no litoral paranaense. Segundo João, o movimento na praça começa a aumentar depois do dia 26, após o Natal, e só vai acalmar depois do carnaval de 2013. Enquanto não chega a temporada, eles precisam se contentar com as chamadas dos moradores, que não ultrapassa 3 a 4 corridas diárias.


09

Curitiba, novembro - 2012

rofissão de respeito sse dos taxista!

uritiba

m Colombo

bém escondem outras habilium bom contador de histórias ros mais. Especificamente no ra suas habilidades não só no

xonado pela música sertaneja, xista realizou um sonho antigo:

cais do taxista. E agora, com o lança na estrada da vida com gauchesco.

Natal

Fotos e matéria: Fernando Cruz / André Rodrigues

Localizado na esquina do mapa do Brasil, o Rio Grande do Norte é um Estado privilegiado pelas suas belezas naturais e por seu povo hospitaleiro. Os bairros da Cidade Alta e Ribeira guardam preciosa parte desta história, visto que foram as primeiras áreas a serem ocupadas na cidade, sendo o marco zero a Praça André de Albuquerque. Natal, hoje com cerca de 800 mil habitantes, é a porta de entrada para o visitante conhecer cerca de 420 km de litoral potiguar com belíssimas praias, dunas, lagoas, salinas e coqueirais, bem como o interior, com suas paisagens únicas de sertão, serras e sítios arqueológicos. A cidade de Natal no Rio Grande do Norte possui 1.010 táxis com uma excelente rede de serviço, com postos espalhados em todos os pontos turísticos e de circulação comercial da cidade. Os taxistas potiguaras não têm do que reclamar no que se refere a clientes, pois a cidade de Natal recebe turista o ano todo, com isso a procura pelo táxi é grande. o ex-funcionario da Petrobras, hoje taxista Fernando Xavier, 12 anos de profissão, diz sentir muito orgulho de ser taxista e rodar pelas praias de Natal . Como ponto positivo ele destaca a liberdade de horário, de não ser uma profissão monótona e o fato de não ter patrão e ainda poder curtir as belezas das praias enquanto aguarda clientes no ponto. “Você faz seu próprio salário, ou seja, quanto mais se trabalha mais se ganha”, destacou.

Rio de Janeiro

Na “Cidade Maravilhosa”, que já perdeu o encanto com tanta violência causada pelo tráfico de drogas, o táxi é pintado na cor amarela. Lá as centrais ou rádio táxi são chamadas de cooperativas, os carros também têm identificação por número, o taxímetro é com cupom e alguns taxistas cobram uma taxa pela bagagem do passageiro (R$ 1,25 por mala), e conforme informação dos taxistas, alguns roteiros têm valor pré-definido. Os principais clientes são turistas de vários pontos do país e do mundo que desembarcam nos Aeroportos Santos Dumont e Tom Jobim ( Galeão). As corridas na maioria das vezes são pré agendadas e os clientes solicitam um city tour pela cidade, buscando

conhecer os principais pontos turisticos, como o Pão de Açúcar , o Cristo Redentor, e as lindas praias cariocas, como a de Copacabana. A principal reclamação da categoria é a falta de organização e união dos taxistas. Eles denunciam a exploração do serviço por motoristas que simplesmente pintam o carro e vão para a rodoviária e aeroporto barganhar passageiros. Segundo eles, os fiscais são coniventes e não deixam derrubar sua “firma”. Esses “taxistas” são conhecidos como “piratas”. Os taxistas do Rio de Janeiro ganham em simpatia e prestatividade. Profissionais “boa praça”, amigáveis e batem um bom papo em todo trajeto. Ah, são excelentes negociadores.


10

Curitiba, novembro - 2012

Taxista carioca vira estrela do quadro trocando Figurinhas

N

Fotos: Domingão do Faustão / TV Globo

o último domingo, dia 18, o Domingão do Faustão, da Rede Globo de televisão, trouxe uma atração muito especial. Foi a estreia do quadro Trocando Figurinhas, que contou com a participação do taxista Julio Cesar, do Rio de Janeiro. A equipe do programa levou o taxista carioca para conhecer a realidade da Índia e da Inglaterra. Julio, que nunca tinha viajado de avião, teve a oportunidade de, na Índia, dirigir um tuk tuk. Apesar de toda a experiência de Julio César com o trânsito do RJ, ele acabou se envolvendo em um leve acidente de trânsito nas ruas de Nova Déli. "É, dei uma

Quanto à comida, o ca- de lá, tem muita pimenta. batidinha, mas ele que foi o barbeiro!", defendeu-se. rioca não gostou muito do Senti falta de um churrasAinda mais, levando-se pastel indiano não! "Não quinho", disse. Da confusão de Nova em conta a confusão da ci- dá não, estou fora! Tinha Déli, a equipe dade, segundo do Domingão o próprio Julio do Faustão leCesar. vou o taxista "Eu nunca Julio Cesar ditinha ido para retamente para fora do país. No Londres, cidaRio e em São de considerada Paulo não tem uma das melhotrânsito não. res do mundo Na Índia que é em estrutura de uma coisa loutáxi e transporte ca. Eu peguei público, onde a manhã do tuk Julio presenciou tuk , é fácil anuma cerimônia dar nele, o trânde graduação sito que é muito Julio Cesar se aventurou em um tuk tuk, de taxistas e deconfuso. A mão táxi tipicamente indiano. pois dirigiu, pela é ao contrário, não tem sinal.. E é can- gosto de sabão mesmo, capital inglesa, um táxi sativo. Não tem conforto daqueles que ficam na tipicamente londrino. "Na Índia passei um pia. Não gostei da comida nenhum", explicou.

Trânsito de Nova Déli.

sufoco, mas foi melhor ali. Falei um inglês só para enganar, fazer uma boa impressão e não dizerem que não falo nada!", brincou Julio Cesar. Ao ser perguntado sobre a mulherada inglesa, o casado Julio Cesar não hesitou: "Não recebi nenhuma cantada, mas se recebesse não teria interesse. O importante é qualidade, não quantidade". Para fechar a viagem, o brasileiro jogou uma peladinha com os amigos ingleses e não fez feio: marcou até gol! "Olha, gostei muito da Índia e da Inglaterra, mas gosto mesmo é do Brasil, é meu país e o lugar que eu amo", declarou Julio Cesar.

Tuk tuk em uma das ruas de Nova Déli.


11

Curitiba, novembro - 2012

Tablet no táxi? No aeroporto de Guarulhos tem! Fonte: Site Viajar e Curtir

Rachel Verano Aterrisou em Guarulhos e logo que entrou no táxi teve ume bela surpresa: uma bolsinha de neoprene presa no banco da frente (mas virada para os passageiros, no banco de trás) guardava um Samsung Galaxi de 16 GB assim, ao alcance da mão. Ela Custou a acreditar no que viu, quando o taxista lhe disse: “é para vocês, pode pegar e ficar à vontade.”

Na tela principal do tablet, o menu exibia ícones com tudo o que um passageiro-turista pode precisar: mapas de Guarulhos e São Paulo, listas de hotéis e restaurantes, sites de notícias, horários dos voos, check-in online e até tradutor para os estrangeiros. Supresa número dois: a internet voava – e era totalmente de graça, tanto para os passageiros quanto para o motorista.

A iniciativa, inédita no Brasil, foi da prefeitura de Guarulhos, que instalou o aparelho em 500 táxis (quase 70% da frota) que servem o aeroporto internacional entre agosto e setembro, ao custo de 1,3 milhão de reais (recursos do Ministério do Turismo, segundo o órgão). Em pouco tempo, os tablets devem ter ainda informações do trânsito em tempo real – o projeto já está em implan-

tação. Imagina na Copa, hein? A disponibilidade do tablet certamente agrada ao passageiro e será de grande valia, principalmente para o sistema de táxi das cidades que vão sediar eventos como a Copa do Mundo. Obviamente a Cidade também lucrará com iniciativas com essa. Cabe apenas discutir quem deve investir na disponibilidade do equipamento.

Galaxy no táxi entre Guarulhos e SP: corrida hi-tech

Campanha de Natal atenderá 100 mil crianças no Estado

Governador Beto Richa acompanhado pela Secretária da Familia e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, Prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, Presidente da Fundação de Ação Social, Marry Ducci e demais autoridades, participa da abertura do Natal do Castelo do Batel.

Beto Richa afirmou na noite do dia 20 último que o Governo do Estado, em parceria com o Programa de Voluntariado Paranaense (Provopar), fará

uma campanha de arrecadação e distribuição de brinquedos para cerca de 100 mil crianças em todo o Estado. Richa destacou que a iniciativa atenderá famílias com alto índice

de vulnerabilidade social, a partir de doações realizadas pela população. A afirmação foi feita durante a abertura oficial do Natal 2012 de Curitiba, na tradicional festa do “Natal Encantado e Solidário” realizada no Castelo do Batel. O gesto mais importante é o que simboliza a fraternidade e a solidariedade, proporcionando para as crianças mais humildes um Natal mágico e inesquecível”, afirmou Richa. As doações podem ser feitas a partir de dia 1 de dezembro, nos postos do Provopar nos municípios e em órgãos do governo estadual. A campanha que acontecerá em todo o Estado foi inspirada no modelo criado na capital

há oito anos, numa parceria entre o poder público e a iniciativa privada. "Estamos preparando uma linda festa de natal para o Estado e a partir de dezembro o Natal Encantado estará em diversos municípios, distribuindo solidariedade e carinho para centenas de famílias paranaenses", disse a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa. O evento teve a presença do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci e da presidente da Fundação de Ação Social de Curitiba, Marry Ducci; e diretorexecutivo do Castelo, Marcelo Lupion.“A expectativa de arrecadação de brinquedos é grande. uma vez que o paranaen-

se responde prontamente às campanhas promovidas pelo Governo do Estado e Provopar”, disse a presidente do Provopar, Carlise Kwiatkowski.

CURITIBA A campanha “Natal Encantado e Solidário”, que acontece pelo oitavo ano consecutivo em Curitiba, foi iniciada quando Richa era prefeito de Curitiba. “Uma experiência gratificante que deu certo e que levamos para todo o Paraná”, disse o governador. Para a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, a iniciativa promove um fim de ano especial para milhares de crianças e marca um momento de respeito e solidariedade.


Curitiba, novembro - 2012

12

Nissan testa minivan NV200 como táxi em Londres Montadora pretende testar versão elétrica a partir de 2013

Fotos: Divulgação

U

m táxi bem diferente e que seja o mais popular do mundo. Pelo menos é essa a proposta da Nissan com a minivan NV200, que começou a circular no mês de agosto em Londres, Inglaterra. A minivan é uma aposta da marca no segmento. E a Nissan informou que a NV200 foi aprovada pela London Taxi Drivers Association, e que custará “significativamente” menos que o TX4, o clássico táxi de Londres. A montadora também pretende colocar a minivan para circular no sistema de táxi de Nova Iorque (EUA). No site “Taxi of Tomorrow” (www.taxitomorrow.com) é possível

A partir de 2013, Nissan quer testar versão elétrica da NV200.

ver algumas imagens da NV200 estilizada. NV200 - O modelo é movido por um motor de 89 cavalos e leva cinco ocupantes. Consumo médio é de 22,5km/l.

Perspectiva de redução de poluentes em até 50% - de acordo com a média londrina. De acordo com o site da Nissan (Portugal), o carro tem comprimento

Nissan NV200 pode levar até 5 passageiros e oferece entrada USB.

de 4,40m e largura de 1,69m. Ótima visibilidade graça à posição de condução elevada, piso rebaixo que facilita a entrada do passageiro. Raio de viragem com 5,3m.

O carro tem a vantagem de ter acesso lateral – por portas corrediças A intenção da montadora é testar a versão elétrica da NV200 a partir de 2013.

Cidade do México aposentará seus emblemáticos FUSCAS táxis em 2012

Foto: Divulgação

O funcionário local detalhou automóveis mais modernos. A Cidade do México aposentará este ano seus emble- que, de maneira paulatina, os Atualmente, apenas mais 3.500 máticos "vochos", os fuscas "vochos" foram sendo subs- deles devem ser aposentados. Estes pequenos automóveis, que funcionam como táxis há tituídos nos últimos anos por quase meio século, confirmou o governo local. Em 2008, as autoridades desta metrópole, uma das mais povoadas e poluídas do mundo, estabeleceram uma norma ambiental para que em 2012 deixassem as ruas todos os veículos do transporte público com antiguidade de dez ou mais anos. Sendo assim, esses populares táxis "sairão de circulação por serem altamente poluentes e terem concluído sua vida útil", explicou o diretor dos serviços de táxi do Distrito Federal, VicOs "vochos", fuscas que funcionam como táxis há quase meio século, serão aposentados. tor Ramírez.

que deixaram de ser fabricados em 2003, foram a melhor opção para servir como táxi no México devido a sua alta resistência e o baixo consumo de combustível. Ramírez esclareceu que os donos destes automóveis podem trocá-los por outros com a ajuda de um programa de crédito do Governo do Distrito Federal. Pelo projeto, o "vocho" é entregue em troca de um bônus de 15 mil pesos (US$ 1.181) como crédito para a compra de um novo táxi. Na capital mexicana, onde vivem cerca de 20 milhões de habitantes se for incluída a população de sua região metropolitana, circulam diariamente 138 mil táxis.


Curitiba, novembro - 2012

13

Gustavo Fruet é eleito prefeito de Curitiba Este será o primeiro mandato do pedetista no Poder Executivo

candidato do PDT, Gustavo Fruet, foi eleito prefeito de Curitiba. Ele venceu Ratinho Jr (PSC) no segundo turno da eleição municipal, e deve assumir o cargo no ano de 2013. Ele havia sido o segundo colocado no primeiro turno do pleito, mas reverteu a vantagem do adversário, obtendo a maioria dos votos válidos. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com 100% das urnas apuradas, Gustavo Fruet recebeu 60,65% dos votos, ou 597.200 eleitores. Ratinho Jr, por sua vez, recebeu 387.483 votos, totalizando 39,35%. Questionado se a população de Curitiba compreendeu as propostas de Fruet para Curitiba, ele afirmou que sim, e que já começou a dialogar com lideranças como o atual prefeito Luciano Ducci. “Agora é agradecer a população, reafirmar o compromisso com

a cidade, e demonstrar ter a noção da responsabilidade desse momento”, disse. Sobre Gustavo Fruet - Gustavo Fruet nasceu em Curitiba no dia 18 de abril de 1963. O prefeito eleito de Curitiba se graduou em direito, com mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), exercendo posteriormente mandatos como vereador de Curitiba e deputado federal. Este será o primeiro cargo de Fruet no Poder Executivo. Ele começou a carreira política sendo eleito vereador em 1996 pelo PMDB, cadeira que ocupou por dois anos. Às vésperas das eleições de 1998 ele assumiu a candidatura do pai, o ex-prefeito de Curitiba Maurício Fruet, que faleceu enquanto concorria a deputado federal. Foi eleito com 45.929 votos. Ainda pelo PMDB, renovou o mandato em 2002 com

105.166 votos, migrando para o PSDB em 2005. Pelo novo partido foi reeleito em 2006 com a maior votação entre os deputados federais do Paraná - 210.674 votos. Fruet foi ainda candidato a uma cadeira no Senado da República em 2010, mas terminou em terceiro lugar e não se elegeu, com 2.502.805 votos. Ele trocou o PSDB pelo PDT em 2011, sob alegação de falta de espaço para construir uma candidatura do partido à Prefeitura de Curitiba. Propostas - A principal proposta defendida por Fruet durante os quatro meses de campanha foi o aumento do investimento em educação de 26% para 30% do orçamento público. Com R$ 100 milhões a mais por ano de mandato, o prefeito eleito pretende criar 15 mil novas vagas em creches, o que zeraria a fila de espera para crianças de quatro a cinco anos, além de aferir o real déficit de vagas. Para a saúde, o prefeito eleito pretende ampliar o atendimento nas unidades para o terceiro turno em todas as regiões da cidade contratando mais profissionais. Para médio e longo prazo, Fruet pretende construir cinco unidades 24 horas em Santa Felicidade, Pilarzinho, Uberaba, Tatuquara e na Matriz. A equipe do jornal Bandeira UM perguntou para alguns taxistas o que eles esperam do novo prefeito da cidade. Mais carros - Waldemar Fostinoni, 20 anos na profissão, do carro 1475, acredita que sempre que há uma mu-

Adilson de Lara.

José Alexandre.

Waldemar Fostinoni..

Gustavo Fruet comemora vitória em Curitiba.

O

Fotos e matéria: Fernando Cruz / André Rodrigues

dança de gestão, o transporte coletivo e o táxi, respectivamente, sofrem interferência. Logo, espera melhorias, principalmente no que diz respeito ao serviço de táxi e trânsito da capital. “Nós esperamos, por exemplo, com o táxi, que tenha algumas melhorias. Nos horários de pico estão faltando um pouco de táxi. Eu acho que tem necessidade sim de aumentar um pouco a frota, mas não tanto, porque senão a gente vai ficar sem trabalho.” “O trânsito anda muito ruim. A gente pega uma corrida aqui no centro, por exemplo, leva o passageiro para um bairro meio longe, a gente vai e depois não consegue voltar para o centro buscar outro passageiro. Está muito complicado!” Táxi na canaleta - Vanderlene Pereira Leite, carro 1976, com seus quatro anos na boleia, também coloca a questão das melhorias do trânsito na pauta. E de sobra já emenda a sugestão do táxi circular na canaleta e de todos o pontos serem livres. “A agilidade do nosso trabalho seria bem maior”, justifica. “E assim, também dá uma reorganizada [no sistema]. Fazem muito pouco para nós taxistas. Pra gente iria ajudar a circular melhor.” Honestidade - Edson Luis Tissot, carro 891, espera no mínimo honestidade de quem vai comandar a capital. E também um pouco de investimento na segurança. “Que faça as coisas tudo certo, porque desse jeito está feio a

coisa.”, solicitou. Em prol da classe - Adilson de Lara, carro 739, com seus 12 anos de experiência no táxi, tal como os colegas, espera que o novo prefeito e a nova administração apresentem apreço pela classe. “Espero que o Gustavo olhe pela classe, principalmente a Urbs. Mudar esse conceito que eles têm perante o taxista”, apela. “Tem que olhar mais pelo taxista. Queira ou não, somos um fruto da cidade.” Serviço não anda bem José Alexandre de Souza, carro 2319, fica enaltecido ao falar do que espera. Direto e certeiro afirma que políticos se lembram do povo apenas na hora da eleição. “Nem sindicato, nem Urbs e nenhum prefeito olhou por nós”, diz ele. É enfático ao afirmar que nos seus 38 anos de praça diz ter propriedade de causa para dizer que o serviço não vai bem. “Só teve um prefeito que foi bom para nós: Maurício Fruet – administrou Curitiba de 1983-1985. E nunca mais apareceu um que trabalhe pela nossa classe”, opina. Souza não vê com bons olhos as ultimas administrações, principalmente no que diz respeito às políticas voltadas para os profissionais e, inclusive, a última mudança na lei que rege o táxi elaborado perto das eleições. Eu espero que o Gustavo olhe para os taxistas como seu pai Mauricio olhava quando foi prefeito desta cidade.

Edson Luis Tissot.

Vanderlene Pereira Leite.


13 Curitiba, novembro - 2012

14

Aos taxistas...

Autoridades deixam mensagem especial para os taxistas

“É uma categoria que eu tenho o maior carinho, admiro e respeito pelo trabalho que exercem. Parabéns a eles por esse dia.” Roberto Requião (PMDB) Senador

“Grande abraço aos amigos taxistas. Sei da importância deles no transporte do cidadão." Luciano Ducci (PSB) Prefeito de Curitiba

"O meu reconhecimento a todos os taxistas e parabéns pelo seu dia!” Gustavo Fruet (PDT) Prefeito eleito

"Meu respeito e carinho por esta classe tão especial que tem um papel importante em nosso estado. Meu fraterno abraço a toda classe dos taxistas pela passagem do seu dia.' Roberto Aciolli (PV) Deputado Estadual

"Eu tenho um carinho muito especial com os taxistas e por este motivo eu criei a Lei n° 8607/95 que determinou o Dia do taxista. Eles são os relações publicas da nossa cidade."

"Os taxistas da cidade de Curitiba são exemplos para todo o país pelo trabalho que realizam. Parabéns a todos os taxistas pelo seu dia".

Mário Celso Cunha Secretário do Estado

Beto Richa (PSDB) Governador Paraná

“O serviço público prestado por esses profissionais é da maior relevância para o desenvolvimento econômico e melhoria da mobilidade urbana.. Quero deixar meu abraço e comemorar junto com eles essa data.”

"Parabéns aos meus colegas taxistas pelo seu dia." Jairo Marcelino (PSD) Vereador de Curitiba

“Aldinei Siqueira deseja muita saúde, paz e felicidades aos amigos taxistas.” Aldinei Siqueira (PSD)

Pref. Eleito - Alm. Tamandare

"Aqui em Colombo sou parceiro desta categoria que sempre me recebeu de braços abertos. Fui o autor da lei que cria o Dia do Taxista. Parabéns a todos os profissionais da boléia." Onéias Ribeiro (PT) Vereador de Colombo

Edemar Colpani (PSB) Vereador eleito

"O trabalho dos taxistas é digno e de alta confiabilidade, meu reconhecimento a esta classe que eu tenho um carinho e muito respeito." Cristiano Santos (PV) Vereador eleito

“Desejo a eles, sucesso e que Deus continue abençoando cada um dos seus dias.” Jota Camargo (PSC) Prefeito de Colombo

"Nesta data tão especial quero expressar toda a minha solidariedade a classe que represento. Parabéns motoristas de táxi.' Pedro Chalus Presidente do Sinditáxi

“Um grande abraço a todos os taxistas de Curitiba e do Paraná pelo seu dia. É uma classe muito importante porque é o portal de entrada para os turistas.” Ratinho Junior (PSC) Deputado Federal

“Um abraço aos taxistas, que são pessoas que nos ajudam no dia a dia. Que sempre, e com muita disposição, educação e elegância, nos atende e atende nossas famílias.” Gleisi Hoffman Chefe da Casa Civil


Curitiba, novembro - 2012

15


16

Curitiba, novembro - 2012

Jornal Bandeira UM - novembro- 2012  

comprometido com os interesses da categoria

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you