Page 1

ANO XVII Nº 922 08/04/13

Informativo do Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Teresópolis

SindBancários completa 33 anos de muita luta e conquistas ! A história do Sindicato dos Bancários de Teresópolis começou no ano de 1979, pelo reconhecimento oficial do Ministério do Trabalho, da Associação Profissional dos Bancários de Teresópolis, em 25 de fevereiro daquele ano. Antes disto, Tarciso Soares, bancário, gerente geral do antigo Banco Real S/A, assumiu em 1976 a Delegacia Sindical, criada em Teresópolis pelo Dr. Roberto Pinto (Robertão) em 1963, e que ainda pertencia ao Sindicato dos Bancários de Nova Friburgo. Persistindo na luta para a fundação do

Sindicato dos Bancários em nossa cidade, um grupo de abnegados, liderado por Tarciso Soares, conseguiu, depois de muita batalha, com a cessão do Sindicato dos Bancários de Nova Friburgo, a transformação da Associação Profissional em Sindicato dos Bancários, através da Carta Sindical, assinada pelo então Ministro do Trabalho, Sr. Murilo Macedo, em 07 de abril de 1980, O apoio dos companheiros do Sindicato dos Bancários de Nova Friburgo foi fundamental para a representação da categoria bancária em Teresópolis, até os dias de hoje. É com muito orgulho que resgatamos um pouco desta história. Como nasceu

o SindBancários Teresópolis. O inestimável valor daqueles companheiros que enfrentaram, além dos banqueiros, o período mais sombrio da história do nosso país. A resistência corajosa dos trabalhadores na luta pelos nossos direitos, pela ampliação da democracia, pelo respeito à dignidade e cidadania durante a ditadura militar. Todas as conquistas, todos os avanços e melhorias que a categoria bancária obteve ao longo dos anos, somente foram alcançadas através de muita luta, mobilização, perseverança e unidade. Jamais deixaremos de lutar! Faça parte também da história! Lute pelos seus direitos!

Alguns fatos históricos e conquistas em que o SindBancários se envolveu 1982 - unificação nacional da data-base da categoria - 1983: greve geral- e intervenções da ditadura nos sindicatos e na política salarial 27 de novembro 1983 iniciou-se o movimento das Diretas. Final da Ditadura - Greve de 1985 foi um marco na história da categoria Nas campanhas salariais de 1987, 1988 e 1989 ocorreram greves históricas da categoria em defesa de suas reivindicações Campanha salarial de 1990, greve de 13 dias e 105% de reajuste - Em 1991, pela primeira vez os bancos privados não recorrem à Justiça do Trabalho Em 1992 bancários em todo o país se mobilizam pelo impeachment do presidente Fernando Collor E veja abaixo as principais conquistas dos bancários nos últimos 20 anos: 1992 - Assinatura da primeira Convenção Coletiva de Trabalho, válida para todo o país. 1994 - Conquista do Vale-alimentação. 1995 - Bancários são a primeira categoria a conquistar a Participação nos Lucros e Resultados. Veja no final do texto a evolução da PLR desde então. 1997 - Complementação salarial para afastados por doença ou acidentes e conquista da verba de requalificação profissional na demissão. Criada a comissão permanente de saúde. 1998 - Implementação do Programa de Prevenção, Tratamento e Readaptação de LER/DORT. 2000 - Inclusão na CCT da cláusula sobre Igualdade de Oportunidades. 2003 - Primeira campanha salarial unificada. Com greve, bancários dos bancos públicos conquistam a mesma PLR dos bancos privados. 2004 - Conquista, com greve, de aumento real de 1,7% no salário e de 5,7% sobre o piso. 2005 - Após greve vitoriosa, o BB assina pela primeira vez a CCT da categoria. Bancários conquistam 0,9% de ganho real no salário. Empregados da Caixa conquistam equiparação do valor da cesta-alimentação da Fenaban. 2006 - Conquista do valor adicional de PLR e de 0,6% de aumento real.- Pela primeira vez, a Caixa assina a Convenção Coletiva de Trabalho. - Implantação de grupo de trabalho para debater assédio moral. 2007 - Conquista da 13ª cesta-alimentação e de 1,1% de ganho real. 2009 - Licença-maternidade de 180 dias. - Aumento real de 1,5%. - Mudança no modelo de cálculo e melhorias da PLR adicional. - Inclusão dos parceiros de mesmo sexo nos Planos de Saúde. Avanços na igualdade de oportunidades. 1 - 15 mil contratações no BB e na Caixa. - Programa de reabilitação profissional. - Criação de mecanismos de combate ao assédio moral. 2010 - Inclusão na CCT, pela primeira vez, de cláusula com mecanismo de combate ao assédio moral. Ganho real de 3,1% no salário e de 11,6% no piso. 2011 - Aumento real de 1,5% no salário e de 4,3% no piso. - Fim de divulgação de rankings individuais de produtividade. - Avanços no combate ao assédio moral e no PCMSO. - Aviso prévio proporcional. - Cinco mil novas contratações na Caixa. - Proibição do transporte de numerário por bancários. 2012 - Ganho real de 2% no salário e de 2,95% no piso, no auxílio-refeição, na cesta-alimentação e na 13ª cesta-alimentação. - Cláusula garantindo os salários dos bancários afastados que aguardam perícia médica. 2013- Isenção do Imposto de Renda na PLR


Bancário Cidadão Funcionários do Itaú e Bradesco definem lutas para negociações por banco Terminaram nesta quintafeira (4) os encontros nacionais dos funcionários do Itaú e do Bradesco. Desde terça (2), os participantes debateram temas importantes, como conjuntura, emprego e condições de trabalho, e definiram as pautas específicas de reivindicações dos trabalhadores dos dois bancos privados, bem como as estratégias para intensificar a mobilização, focando as negociações permanentes na busca de ampliar os avanços e as conquistas dos bancários. Os dois encontros, promovidos pela Contraf-CUT, contaram com a participação de dirigentes de sindicatos e federações de todo país. Os trabalhadores do Itaú estiveram reunidos no Rancho Silvestre (Estrada Votorantim, 700), no município de Embu das Artes (SP), e os do Bradesco, no Hotel Fazenda Hípica Atibaia (Estrada Guaxinduva, 1145), na cidade de Atibaia (SP). Os funcionários do Itaú aprovaram uma pauta específica de reivindicações que será entregue dentro de 15 dias para a direção do Itaú. "Vamos lançar

uma campanha nacional pelo fim das demissões e da rotatividade, pela defesa do emprego e pela valorização dos funcionários", destaca o empregado do Itaú e presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro. "Também vamos lutar por previdência complementar para todos os funcionários", completa.

Participaram dos encontros representando o SindBancários Teresópolis: Valter Carneiro e Cristhiano Cordeiro ( Encontro do Banco Itaú) e Ana Maria Mello Pereira (Encontro do Banco Bradesco)

Os trabalhadores do Bradesco aprovaram temas essenciais no âmbito do emprego, remuneração, saúde, condições de trabalho, entre outras importantes questões que passam por novos temas que serão levados a mesa de negociação. "Realizamos uma pauta mais intensa porque muitos problemas se acumularam devido à falta de solução do banco", afirma Elaine Cutis, diretora da Contraf-CUT e coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco. Confira no site do SindBancários os principais encaminhamentos de cada encontro: Encontro dos funcionários do Bradesco define reivindicações específicas Encontro dos funcionários do Itaú aprova pauta específica de reivindicações

Banco Santander em Teresópolis/RJ é condenado a reintegrar bancário condições contratuais havidas ao tempo da dispensa, bem como a lhe pagar, em montante a ser fixado em liquidação de sentença, com os acréscimos de lei, salários e demais verbas inerentes ao contrato, vencidos e vincendos a partir do seu afastamento, observados os termos do contrato, os direitos garantidos à categoria no período de afastamento. Julgado procedente pela 1ª Vara do Trabalho de Teresópolis, em junho de 2012, foi mantida a sentença em Sede de 2ª Instância, e não provido o recurso do reclamado Banco Santander, em 03/2013, do pedido deduzido pelo bancário Lênio Teixeira de Faria, para declarar a nulidade de sua dispensa, condenando o reclamado, a lhe reintegrar no emprego, assegurando as mesmas

A invocada estabilidade Na condição de deficiente físico, afirma o reclamante que foi dispensado sem observância , pelo reclamado, do disposto no art. 93 da Lei 8.213/1991, pretendendo sua reintegração no emprego. O referido artigo determina que a dispensa de trabalhador reabilitado ou deficiente habilitado, está condicionada à

contratação prévia de substituto de condição semelhante, bem como à observância da cota legal, no caso dos bancos, de no mínimo 5% (cinco por cento) de trabalhadores nestas condições em seus quadros. O Banco também foi condenado a realizar os depósitos do FGTS, correspondente a 8% sobre as parcelas salariais vencidas e vincendas, sob pena de responder pelo equivalente em espécie. Aguardando lavratura de acórdão RO, a decisão ainda é passível de recurso. O bancário é assistido pelo Escritório de Advocacia Dr. Jefferson Soares, conveniado ao Sindicato dos Bancários de Teresópolis.

Associe-se ao Sindicato. Visite nosso site: www.seebt.com.br

Informativo nº 922 - 08 de Abril de 2013  

SindBancários Teresópolis