Issuu on Google+

DOS

Revista Bancários Ano I - Nº 1 - Setembro de 2010

Publicada pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco

Leia as matérias completas em www.bancariospe.org.br

CAMPANHA NACIONAL

A TODO VAPOR

AS NEGOCIAÇÕES COM OS BANCOS JÁ COMEÇARAM E SETEMBRO SERÁ DECISIVO PARA OS BANCÁRIOS


Opinião Editorial

Compromisso com você

Ivaldo Bezerra/Lumen

Diretoria completa nove meses de gestão com mais transparência e democracia no Sindicato

H

á nove meses, a atual diretoria tomava posse do Sindicato com o compromisso de trazer mais transparência e democracia para a nossa entidade. Durante as eleições, apresentamos uma carta compromisso e, neste curto espaço de tempo, já cumprimos integralmente as nossas propostas. Para tirálas do papel, tivemos de reduzir o nosso mandato em cinco meses, limitamos a possibilidade de reeleição e diminuímos o teto das mensalidades em mais de 60%. E é com muito orgulho que agora a gente publica esta revista para prestar contas aos bancáJuntos, vamos rios e esquentar ampliar as nossas os trabalhadores conquistas e para a nossa camgarantir um Sindicato cada vez panha salarial, mais dos bancários que chamamos de Campanha Nacional, já que nossas reivindicações não são apenas financeiras. Por falar nisso, esta é a primeira Campanha Nacional desta diretoria, que é marcada pela renovação. Os jovens dirigentes estão cheios de empolgação para lutar pelas reivindicações dos bancários. As negociações com os bancos já começaram, estamos numa fase decisiva da Campanha e precisamos de todo o apoio dos trabalhadores nesta luta. Juntos, vamos ampliar as nossas conquistas e garantir um Sindicato cada vez mais dos bancários.

>>

A DIRETORIA 02 REVISTA DOS BANCÁRIOS

PRESSÃO: EM PERNAMBUCO, OS BANCÁRIOS ESTÃO REALIZANDO ATIVIDADES D

Negociações com os bancos entram em fase decisiva e bancários ampliam a mobilização para pressionar as instituições financeiras

Na lu mais BANCÁRIOS DE PERNAMBUCO


Campanha Nacional Primeira página

DESDE O DIA 24 DE AGOSTO PARA PRESSIONAR OS BANCOS

uta por conquistas

E

ra quase meio-dia de quarta-feira, 11 de agosto, quando os bancários entregaram a pauta de reivindicações da categoria para o presidente da Febraban, Fábio Barbosa. Entre as exigências dos trabalhadores, pontos importantes como aumento real de salários, PLR maior, mais saúde e segurança. Para conquistar as reivindicações, os bancários de Pernambuco iniciaram no dia 24 de agosto uma série de manifestações com o objetivo de pressionar os bancos. No mesmo dia, tinham início as negociações entre patrões e empregados. “Este mês de setembro será decisivo para a nossa Campanha Nacional. Vamos esquentar a mobilização dos bancários e pressionar os bancos na mesa de negociação”, ressalta a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello. Os bancários mais antigos sabem que só com pressão é possível garantir que os bancos atendam as reivindicações dos funcionários. Com 26 anos de Banco do Brasil, a bancária Hélida Pantoja conta que é sindicalizada desde que ingressou na profissão. “Participo das greves há mais de duas décadas e meia. O que eu percebi nesses anos todos é que sempre que a mobilização é boa nós conquistamos mais. E quando não demonstramos muita força os bancos cedem menos”, afirma Hélida, destacando que a greve deve ser o último recurso dos trabalhadores. “O Sindicato deve apostar sempre na mesa de negociação. E quando o diálogo com os bancos se esgotar, aí sim, devemos partir para a greve”, diz. Para a Campanha Nacional deste ano, os bancários marcaram quatro rodadas de negociação com os bancos, com dois dias de debates para cada uma (veja agenda na página 4). Segundo Jaqueline, o objetivo é garantir que as reivindicações dos bancários sejam atendidas até a última reunião marcada, em 16 de setembro. “Esperamos avançar nos debates neste período, mas caso os bancos não aceitem nossas reivindicações vamos ampliar a mobilização da categoria e não descartamos a possibilidade da greve”, afirma Jaqueline.

>>

REVISTA DOS BANCÁRIOS 03


Campanha Nacional Primeira página

<<

Bancários também têm reivindicações para os clientes

Além das reivindicações classistas, os bancários também incluíram em sua pauta uma série de questões que beneficia os clientes e toda a sociedade. É a chamada contrapartida social dos bancos, que o Brasil tanto cobra. “O sistema financeiro nacional ainda não está regulamentado e por isso não contribui para o desenvolvimento econômico e social do país. Os brasileiros precisam de mais crédito, menos juros, tarifas menores e mais bancários

para melhorar o atendimento”, enumera produtos que eu não quero. Todo mês eu Anabele Silva, secretária de Comunica- recebo do BB um cartão de crédito que ção do Sindicato. eu sempre rasgo”, declarou. Com essas reivindicações, a Campanha Nacional dos Bancários tem ganhado o apoio de muitos clientes. Para o militar da reserva, Vanderlei Rodrigues, cliente dos Banco do Brasil há mais de 40 anos, a luta dos bancários pela sociedade é muito boa. “O atendimento é muito ruim, as tarifas são exorbitantes e o banco tenta te empurrar um monte de

Calendário de negociações de setembro DATAS

TEMAS

1 e 2 de setembro

Saúde e segurança bancária

8 e 9 de setembro

Emprego e condições de trabalho

15 e 16 de setembro

Remuneração

JAQUELINE MELLO, PRESIDENTA

Participe das atividades de mobilização Para conquistar as reivindicações da Campanha Nacional 2010, o Sindicato está realizando uma série de atividades com os bancários para pressionar os bancos. Participe e converse com seus colegas de trabalho para ampliar o número de trabalhadores envolvidos nas atividades. Para ficar por dentro de tudo o que acontece nas negociações e nos atos, acesse o site do Sindicato diariamente: www.bancariospe.org.br.

CONFIRA AS PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES DOS BANCÁRIOS PARA A CAMPANHA NACIONAL 2010 REAJUSTE SALARIAL 11% (inflação do período mais 5% de aumento real) PLR Participação nos Lucros e Resultados de três salários mais R$ 4 mil para cada funcionário PISO SALARIAL Valor do salário mínimo do Dieese (R$ 2.157,88) OUTRAS VERBAS Elevação do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cestaalimentação e auxílio-creche/babá para o valor de um salário mínimo para cada item PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Fundo de pensão fechado em todos os bancos para todos os bancários EMPREGO Mais contratações, garantia de emprego, qualificação e requalificação profissional. Ampliar a contratação de mulheres, negros e pessoas com deficiência, garantindo a igualdade de oportunidades SAÚDE Fim das metas abusivas; combate ao assédio moral; proteção contra os riscos de acidente de trabalho ou doença ocupacional; Programa de Reabilitação Profissional; prevenção de adoecimento e promoção da saúde da mulher; assistência médica, hospitalar, odontológica e medicamentosa SEGURANÇA Assistência médica e psicológica às vítimas de assaltos, sequestros ou extorsões, com estabilidade provisória; ampliação dos equipamento de prevenção; adicional de risco de vida de 30% para agências, postos e tesouraria; proibição de transporte de valores e guarda das chaves pelos bancários SISTEMA FINANCEIRO Regulamentação do artigo 192 da Constituição Federal; limites na remuneração dos executivos; democratização e ampliação do Conselho Monetário Nacional (CMN); regulamentação do papel social dos bancos; fim dos correspondentes bancários

04 REVISTA DOS BANCÁRIOS


Memória Dia dos Bancários

OS BANCÁRIOS SEMPRE FORAM DE LUTA E HOJE SÃO REFERÊNCIA PARA OS DEMAIS TRABALHADORES DO BRASIL

A greve que ficou na história A campanha salarial de 1951 teve uma das mais longas greves do Brasil e desde então se comemora o Dia dos Bancários

H

á 59 anos, os bancários iniciavam uma das mais longas greves da história do Brasil. Foram 69 dias de paralisações e muitos protestos em todo o país para pressionar os bancos e garantir o atendimento das reivindicações, entre elas, reajuste de 40%, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço. A greve começou em 28 de agosto de 1951, e foi duramente reprimida pelas autoridades, que prendiam e espancavam os trabalhadores. Mas os bancários mostraram fibra, mantiveram-se irredutíveis e conquistaram grande parte das reivindicações. Para comemorar a Além de garantir um bom acordo com os bancos, as data, o Sindicato semanas de luta dos bancários tiveram um simbolismo realiza uma festa especial. As mobilizações colocaram em xeque a lei de de confraternização Greve do governo de Eurico Gaspar Dutra e foi a partir no dia 6 de da luta dos bancários que surgiu a iniciativa de criar o setembro, a Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estupartir das 21h, no dos Socioeconômicos), concretizado em 1955. Downtown Pub. A Desde então, o dia 28 de agosto entrou para sempre entrada é franca no calendário do Brasil como o Dia dos Bancários. “Em muitos países, nossos colegas comemoram o Dia dos Bancários; cada um em uma data que é especial para a categoria naquele local. Para nós, funcionários dos bancos no Brasil, a data marca uma das mais importantes greves já realizadas em nosso país”, comenta o diretor do Sindicato, Alan Patrício.

<<

REVISTA DOS BANCÁRIOS 05


Novo estatuto Mais transparência

Uma lição

POSSE DA DIRETORIA DO SINDICATO, EM DEZEMBRO PASSADO, REAFIRMOU COMPROMISSOS QUE JÁ ESTÃO SENDO CUMPRIDOS

Diretoria encurta o mandato e limita a reeleição no Sindicato, que ganha um novo estatuto com mais transparência e democracia

06 REVISTA DOS BANCÁRIOS

V

ocê com certeza conhece muitas histórias de alguém que foi eleito para um cargo importante e, ao assumir, fez de tudo para se manter no posto, inclusive mudando as regras do “jogo”. No Brasil, exemplos dessa atitude não faltam. O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, instituiu enquanto governava a possibilidade da reeleição, que não era permitida, só para ficar mais quatro anos no cargo. Afinal, como diz o ditado, o poder é o afrodisíaco mais forte. No entanto, há casos que vão na contramão da história acima, embora esses sejam raros. Foi o que aconNovo estatuto teceu no Sindicato dos Bancários de Pernambuco. A cumpre atual diretoria, para cumprir seus compromissos de compromissos campanha, mudou o estatuto da entidade e, de quebra, assumidos pela reduziu o seu mandato em cinco meses e limitou para diretoria durante apenas duas a possibilidade de reeleição que antes esa eleição do tava irrestritamente liberada. Sindicato, ocorrida Os próprios bancários ficaram surpresos com a atituno final do ano de do Sindicato, que ainda reduziu em mais de 60% o teto passado das mensalidades dos sócios. “Percorremos os bancos para explicar as mudanças no estatuto para os bancários e fomos muito bem recebidos. As pessoas nos davam parabéns pela atitude e diziam que nunca viram uma direção reduzir o próprio mandato e limitar a reeleição. Nós fizemos. Porque o nosso compromisso é com os bancários e com a luta dos trabalhadores”, conta a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello.

<<


Novo estatuto Mais transparência

de democracia Os bancários de Pernambuco aprovaram por ampla maioria as mudanças no estatuto do Sindicato propostas pelos diretores. Mais de 92% dos 639 associados que participaram da votação, ocorrida no dia 19 de agosto, disseram sim ao novo texto do estatuto. Para Jaqueline, a expressiva votação revela que os bancários estão de acordo com a linha de atuação da diretoria. “Durante a campanha eleitoral do Sindicato, realizada no final do ano passado, apresentamos nosso programa e carta compromisso. As mudanças no estatuto estão tirando as nossas promessas do papel. A nossa vitória na eleição já era um sinal de que os bancários aprovaram as propostas apresentadas. Então, nada mais justo do que cumprir nossos compromissos o mais breve possível”, comenta Jaqueline, destacando que, em menos de oito meses de gestão, a direção do Sindicato colocou

da Mulher, Sandra Trajano. O novo estatuto também criou a categoria de Sócio Aposentado do Sindicato com o objetivo de trazer para o movimento os bancários que não estão mais Mulheres e aposentados Para evitar que só os homens ou só na ativa, criando uma política específica as mulheres estejam na direção do Sin- de valorização dos aposentados. dicato, o novo estatuto prevê a adoção da Cota de Gênero, na qual nenhum dos sexos pode ter mais de 70% e menos de Confira todas as 30% de representação na diretoria. mudanças do estatuto em “Queremos equilibrar a presença de www.bancariospe.org.br/ homens e mulheres na direção, pois até campanhasalarial_aparece. hoje quem sempre dominou a diretoria asp?codigo=569 de todos os sindicatos foi o sexo masJá a redução do mandato da diretoculino. Precisamos ampliar a presença das mulheres para criarmos políticas afir- ria teve como objetivo alterar a a data mativas que acabem com a discriminação da eleição do Sindicato para que ela dentro dos bancos. Vale lembrar que o não coincidisse mais com o período da Sindicato de Pernambuco foi o primeiro Campanha Nacional dos Bancários. Asentre os bancários do Brasil a criar uma sim, a próxima eleição será antecipada secretaria voltada especificamente para a de outubro para o final de abril de 2012 mulher”, destaca a secretária de Assuntos com gestões de três anos. em prática os compromissos assumidos que tinham o objetivo de melhorar o funcionamento da entidade.

<<

REVISTA DOS BANCÁRIOS 07


Internet

Entrevista Raimundo Carrero

Consagração do tempo Em suas bodas de prata com a Literatura, o escritor Raimundo Carrero é reconhecido com mais um prêmio: melhor livro de 2009 Por Fabiana Coelho

08 REVISTA DOS BANCÁRIOS

E

m 25 anos de literatura, Raimundo Carrero tem 17 livros publicados e vários prêmios de reconhecimento nacional. Mais recentemente, seu livro “A minha alma é irmã de Deus” foi consagrado pelo Prêmio São “A literatura é Paulo de Literatura como o parte do campo das melhor livro de 2009. Todo artes que associam este reconhecimento, entreà bruxaria. As tanto, não lhe embota a simpessoas querem plicidade nem lhe dá ares de saber o que se arrogância. passa nesse Em um café, na Livraria caldeirão” da Jaqueira, ele conversou conosco sobre prêmios, reconhecimento, processo de criação, literatura... Falou, também, sobre a oficina de criação literária, que ele ministra há quase 20 anos e por onde passaram nomes como Marcelino Freire, Inah Lins, Gerusa Leal. A entrevista que se segue traz trechos desta conversa. Quem quiser um pouco mais, é só acessar o sítio eletrônico do Sindicato: www.bancariospe.org.br

<<


Entrevista Raimundo Carrero REVISTA - Você acabou de receber RAIMUNDO - Acredito em intuição, mais um prêmio. Qual o significado, que existe para uma obra literária assim para o escritor, destas premiações? como existe para tudo na vida. Mas, talvez seja a influência do jornalismo, que RAIMUNDO - São dois planos de eu sempre exerci, que exclui esta ideia significação. O primeiro é o incentivo. de inspiração e talento. Você não escreDaí a importância de escritores jovens ve quando quer. Você escreve porque é serem premiados. Serve como estímulo esse seu trabalho. para que eles mantenham esta busca. O segundo significado é a consagração do tempo. É uma resposta, um reconhecimento da intelectualidade e da sociedade ao trabalho e dedicação dos escritores veteranos. REVISTA - Existe uma dificuldade maior em obter este reconhecimento quando se trata de um autor nordestino? RAIMUNDO - Não percebo preconceito. As chances de ser premiado são as mesmas, para todos. Mas o que há é falta de visibilidade. Aqueles que estão nos centros urbanos, naturalmente, ganham uma visibilidade maior. REVISTA - Mas alguns escritores nordestinos se queixam de terem suas obras rotuladas como regionalistas...

é muito forte em suas obras. Por quê? RAIMUNDO - Minha mãe morreu quando eu tinha 12 anos. E ela foi uma presença muito forte em minha história. Além disso, eu tenho cinco irmãs, são mulheres marcantes em minha vida. REVISTA - Você acha que seus livros são bastante lidos? RAIMUNDO - É difícil saber. No Brasil, existem alguns que leem muito e compram pouco. E também o contrário. Gente que está em todas as rodas literárias, mas não lê. Às vezes, em palestras nas escolas, uma mãe me pergunta: - O que faço para meu filho ler? E eu devolvo a pergunta: - Você lê? Existem livros em sua casa? REVISTA - Mas dá pra viver da venda dos livros? RAIMUNDO - Não. Nem de longe. Às vezes, a gente consegue viver bem

<<

“Às vezes, em palestras nas escolas, uma mãe me pergunta: - O que faço para meu filho ler? E eu devolvo a pergunta: - Você lê? Existem livros em sua casa?”

RAIMUNDO - Ah! Isso é outra coisa. Mas também não acho que seja preconceito. É preguiça mesmo, falta de REVISTA - Existe algo que é comum a estudo... Alguns jornalistas e críticos todos os teus livros? acabam associando a literatura regional a uma mera questão de geografia. RAIMUNDO - A preocupação com a angústia humana. E, claro, falar REVISTA - Você é de Salgueiro, inte- sobre isso é falar, também, de minha rior de Pernambuco. Que influência tem angústia... sua terra em sua literatura? REVISTA - E de onde vem esta RAIMUNDO - Muita influência. Mas angústia? existe uma comunicação com o urbano, com o universal. RAIMUNDO - Não sei. E talvez o fato de não sabê-lo é que me faz procurá-la REVISTA - Como é teu processo de por meio da escrita. criação? Eu ouvi você falar que não acredita em talento, nem inspiração... REVISTA - A presença das mulheres

durante dois ou três meses, mas não pela venda de livros e sim pela participação em eventos. Os organizadores, finalmente, conseguiram perceber que o escritor precisa de dinheiro para viver. REVISTA - Você tem uma oficina de criação que é sucesso, há muitos anos. O que as pessoas procuram? RAIMUNDO - A Literatura faz parte do campo das artes que dá a entender que é bruxaria. As pessoas querem saber o que se passa nesse caldeirão.

REVISTA DOS BANCÁRIOS 09


Cultura Rede de Bibliotecas

e d e d Re turas i e l

rias do á t i a n mu olitan scam o c cas etrop e bu e t o M am li Bib egião rticul iedade a R da ife se na soc Rec eiros c par

I

ngrid Alice tem 11 anos e coleciona poemas em um caderninho. Dois anos atrás, sequer sabia ler. Aprendeu na Biblioteca Popular do Coque. Seu irmão, Leandro, segue os mesmos rumos e, com 8 anos, se orgulha de poder ler e escolher os próprios livros. A mãe, estimulada pelos filhos, voltou a estudar. Uma família inteira foi transformada pela leitura. As oito unidades que compõem a Rede de Bibliotecas Comunitárias da Região Metropolitana do Recife colecionam histórias como esta. Mas carecem de equipamentos e recursos para serviços básicos de infraestrutura. Resolveram, portanto, convidar a sociedade a participar. A Biblioteca Amigos da Leitura, do Alto José Bonifácio, é um exemplo das dificuldades. Até 2004, ela funcionou em uma sala do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil. Eram 2.800 livros catalogados e uma demanda tão grande que era preciso abrir até nos finais de semana. Desde 2007, entretanto, ela foi desalojada. Seu coordenador, Fábio Rogé10 REVISTA DOS BANCÁRIOS

rio, levou os livros para o pequeno terraço de sua casa e passou a receber lá mesmo os leitores. Agora, graças à participação na Rede, ele conseguiu aprovar um projeto no Funcultura, do governo estadual, que banca a contratação de pessoal para a Biblioteca. Mas é preciso alugar e reformar o espaço físico. No pequeno recinto onde funciona a Biblioteca Popular do Coque, desde 2007, também sobram dificuldades. Recentemente, vários livros se estragaram por conta das chuvas. É preciso colocar novas telhas no local e melhorar as instalações elétricas. Recursos humanos é outro problema. Na Biblioteca, apenas a coordenadora recebe pelo seu trabalho. Os outros Conheça a dois mediadores são voluntários. Também não faltam problemas Campanha “Para em Caranguejo Tabaiares. Lá, a Bi- gostar de ler, é blioteca Comunitária tem três ges- preciso bibliotecas tores e três mediadores. São jovens vivas”. Acesse: da comunidade que recebem uma rededebibliotecas pequena bolsa graças a doações de comunitarias. uma rede de amigos, no Brasil e no wordpress.com exterior, e convênio com a Secretaria de Educação. Mas, de vez em quando, ficam vários meses sem receber. “Também queremos construir nova sede, pois o espaço já não comporta nossas atividades. Às vezes, temos de mandar crianças de volta pra casa, porque não cabe mais ninguém”, conta o coordenador Reginaldo Pereira.

<<

>>


Cultura Arte e Lazer

<<

Rede de Bibliotecas do Recife é referência nacional

Oito espaços formam a Rede de Bibliotecas Comunitárias da Região Metropolitana do Recife. No princípio, em 2007, eram apenas quatro. Mas o grupo foi se fortalecendo, ampliando, conseguindo novos parceiros, como o Centro Luís Freire e o Instituto C&A. Hoje, é referência nacional. “Nós respeitamos a autonomia de cada um, mas trabalhamos de forma integrada”, explica Gabriel Santana, que coordena a Rede.

Em menos de três anos de existência, a Rede já realizou vários cursos de formação coletiva, participou ativamente da construção da Lei do Livro municipal e, na última campanha, conseguiu arrecadar mais de 2 mil livros. Inauguraram, agora, nova campanha. Intitulada “Para gostar de ler é preciso Bibliotecas Vivas!”, desta vez não se trata apenas de livros, mas de recursos e materiais. Depósitos em dinheiro

AGITE

Muda em setembro

podem ser feitos na conta da Caixa Econômica Federal, número 544-5, agência 2193, OP 003. As doações também podem vir em forma de equipamentos, como mobiliário, material de construção, DVDs, TV a cores, computadores, data show, impressoras e câmeras fotográficas. Ou mesmo em forma de trabalho voluntário. Ligue: 3244-3325 ou 8850-5507. (Leia a íntegra desta matéria em www.bancariospe.org.br)

Uma boa dica para curtir a noite é o Espaço Muda, em Santo Amaro. Em setembro, a programação inclui teatro, com a peça “O torto”, do grupo Magiluth, aos sábados, 20 horas. Inclui, também, leituras dramatizadas, nas terças, com “Noite de Reis”, de Shakespeare. E a exposição de Iza do Amparo “Luz e Movimento”.

ESPAÇO MUDA É BAR E ESPAÇO CULTURAL. FICA AO LADO DA TV JORNAL, SANTO AMARO.

Artes visuais invadem o Recife De 12 a 19 de setembro, acontece a 9ª edição do SPA das Artes Recife. Ruas, ateliês, museus e praças do Recife passam a abrigar intervenções artísticas, projeções, exposições, performances e outras atividades. Também integra a programação a exposição Territórios Recombinantes, que acontece no Mamam, em parceria com o Instituto Sérgio Motta. Na foto, o trabalho de um dos selecionados: o grupo Acidum , de Fortaleza. Em Recife, eles exibem a exposição Mundo Mulambo. Acesse a programação em: spa2010.artesvisuaisrecife.org.

Livros

RECOMENDADOS

Galiléia

O sertanejo e o urbano se unem neste livro do cearense radicado no Recife Ronaldo Correia de Brito. Vencedor do Prêmio SP de Literatura em 2009, o romance narra o confronto dos personagens com suas origens. Com eles, afloram histórias de várias gerações de uma família no Sertão.

Obax

Obax é um livro para crianças, de todas as idades. Seu autor, o recifense André Neves, já ganhou vários prêmios como ilustrador e escritor. Ambientado na África, Obax fala sobre histórias e sonhos. REVISTA DOS BANCÁRIOS 11


Eleições 2010 O futuro em jogo

Duas candidaturas para presidência da República monopolizam a atenção dos eleitores e defendem projetos completamente distintos

O

Daqui a poucos dias, os brasileiros vão às urnas para escolher o novo ou a nova presidente da República, além de governadores, senadores, deputados federais e estaduais. Para a presidência, duas candidaturas monopolizam a atenção dos eleitores e defendem projetos completamente distintos. Dilma Rousseff, do PT, representa a continuidade do governo Lula, enquanto José Serra, do PSDB, carrega o projeto de Fernando Henrique Cardoso, governo do qual fez parte. Durante a 12ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada no final de julho, a categoria discutiu as candidatura e decidiu por ampla maioria apoiar Dilma. Para o secretário-geral do Sindicato, Fabiano Félix, o apoio dos bancários à Dilma mostra que a categoria não esqueceu os oito anos de governo FHC. “A candidatura tucana de José Serra significa uma 12 REVISTA DOS BANCÁRIOS

Internet

Que país queremos?

volta ao passado, com políticas sociais e econômicas contrárias aos interesses dos trabalhadores e novas privatizações. FHC tentou privatizar o Banco do Brasil e a Caixa e só não conseguiu porque seu mandato acabou. O Serra vendeu no ano passado a Nossa Caixa em São Paulo, que era o único banco público do Estado, já que o outro, o Banespa, tinha sido privatizado pelos tucanos há mais de dez anos. Não é esse o projeto que queremos para o Brasil”, comenta. Fabiano é funcionário do Banco do Brasil e destaca que os bancários que trabalharam nos bancos públicos nos governos do PT e do PSDB podem falar com categoria das diferenças de projeto. “O FHC criou duas classes de bancários nos bancos públicos, os pré e os pós-98. Ele retirou grande parte dos direitos de quem entrou nos bancos depois de 1998, mas já conseguimos reconquistar muitos deles no governo Lula. Também foi sob o comando do PT que conseguimos fazer com que os bancos públicos cumprissem a Convenção Coletiva dos Bancários. Antes, eles se recusavam e o resultado foi um grande arrocho salarial, já que passamos quase toda a década de 1990 sem reajustes”, explica. Além das questões voltadas para os bancários, a candidatura Dilma representa a continuidade das políticas iniciadas pelo governo Lula de desenvolvimento econômico com inclusão social, geração de empregos, respeito aos trabalhadores e fortalecimento dos bancos públicos. “Foi em razão disso que a Conferência dos Bancários aprovou o apoio à Dilma. A votação no plenário foi semelhante ao resultado das consultas realizadas pelos sindicatos, nas quais 83% dos bancários disseram que o próximo governo deve ter em sua plataforma uma política contrária à privatização dos bancos públicos”, detalha Fabiano.


Eleições 2010 O voto feminino

O poder das mulheres

A

Internet

Trabalhadoras com Dilma

pós 121 anos de República, essa é a primeira vez na história do país que uma mulher tem a possibilidade real de chegar ao mais alto cargo eletivo do Brasil, a Presidência da República. Excluídas do processo eleitoral nacional por mais de quatro décadas, o direito a escolher os próprios governantes mobilizou as mulheres durante boa parte da primeira metade do século 20. A virada eleitoral feminina começou pelo Rio Grande do Norte. Em 1927, o Estado se tornou o primeiro do país a permitir que as mulheres votassem nas eleições. No mesmo ano, a professora Celina Guimarães da cidade de Mossoró Elas só tiveram se tornou a primeira brasileira a fazer o alistamento direito ao voto em eleitoral. 1932 e hoje uma Entretanto, o direito de votar nas eleições naciomulher tem chance nais só foi obtido por meio do Código Eleitoral Provireal de ser a sório, de 24 de fevereiro de 1932. Mesmo assim, a conpróxima presidente quista não foi completa. O código permitia apenas que do Brasil mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar. No ano seguinte, a médica paulista Carlota Pereira de Queiroz foi a primeira mulher a votar e ser eleita deputada federal. Ela participou dos trabalhos na Assembleia Nacional Constituinte, entre 1934 e 1935. As restrições ao pleno exercício do voto feminino, porém, só foram eliminadas no Código Eleitoral de 1934.

>>

As eleições deste ano podem ser o divisor de água do cenário político eleitoral brasileiro. Depois de se tornarem maioria entre os votantes, pelo que indicam as pesquisa de intenção de votos, Dilma Rousseff deverá ser a primeira mulher presindenta do Brasil. E, se dependesse da vontade das mulheres militantes sindicais o pleito já estaria consolidado. As manifestações de apoio não param de crescer. No último dia 17 de agosto, mais de mil mulheres, de seis centrais sindicais, entregaram à Dilma, a Agenda da Classe Trabalhadora e as Mulheres. O documento ratifica as propostas gerais da Plataforma dos Trabalhadores para as eleições 2010 e inclui reivindicações específicas das mulheres. São propostas como a universalização da educação infantil e do acesso às creches públicas, programas de atenção integral à saúde da mulher e projetos que ampliam o acesso à terra para agricultoras. O texto inclui o combate às várias formas de exclusão e discriminação, seja contra as mulheres, negros, índios, portadores de necessidades especiais ou pessoas com orientação sexual diversa. “Cobramos não apenas políticas de respeito à diversidade e aos direitos humanos, mas um compromisso de classe, que garanta uma agenda favorável aos trabalhadores”, afirma a secretária de Finanças do Sindicato, Suzineide Rodrigues, que participou do ato. REVISTA DOS BANCÁRIOS 13


Internet

COLORIDO DO ARCO-ÍRIS REPRESENTA A LUTA PELA DIVERSIDADE DE IDEIAS E PELA IGUALDADE DE DIREITOS

Diversidade Orgulho Gay

Direitos por inteiro

Em pleno século 21, orientação sexual ainda é motivo de preconceitos

governo e não sob a tutela legal do Estado. Um exemplo claro disso é a adoção de crianças por casais homoafetivos. Há casos em que um determinado juiz concede a adoção, mas há outros juízes que nas mesmas circunstâncias não concedem. O que nós queremos é que o Congresso Nacional assuma seu papel e aprove leis que garantam o pleno exercício de nossa cidadania. A união civil estável e o projeto anti-homofobia, só para citar alguns casos, são questões de extrema importância para a sociedade e que vem sendo proteladas há anos”, esclarece Wellington.

o dia 12 de setembro Recife celebra a sua 9ª Parada da Diversidade de Pernambuco. Com o tema “Direitos, queremos por inteiro e não pela metade”, os organizadores do evento esperam reunir cerca de 300 mil pessoas na avenida Boa Viagem. Além de atrações artísticas e culturais, as organizações LGBT pretendem dar visibilidade às lutas específicas do segmento. O respeito à diversidade e a cobrança pela garantia de direitos estão entre as prioridades. Segundo o presidente da ONG Leões do Norte, Wellington Medeiros, a inclusão das relações homoafetivas no censo 2010, assim como na declaração de imposto de renda e na previdência social, apesar de representar um avanço para o movimento, são na verdade subterfúgios utilizados pelo Estado para mascarar a ausência de leis que regulamentem as relações homoafetivas e promovam a garantia de direitos a este segmento social. “Na falta de leis específicas, como no caso do racismo e da violência contra a mulher, nós ficamos à mercê de políticas de

Bancários na vanguarda Enquanto os movimentos LGBT’s lutam por mudanças na legislação brasileira que contribuam para romper com o preconceito e assegurem os mesmos direitos dos héteros, o movimento sindical bancário já conquistou alguns avanços. No passado, por exemplo, a questão da diversidade foi discutida e acordada em duas cláusulas da Convenção Coletiva dos Bancários, que garantem a igualdade de oportunidade nos bancos e estendem os mesmos direitos dos cônjuges aos parceiros do mesmo sexo. Para o diretor do Sindicato Geraldo Times, é muito importante que os bancários consultem a convenção coletiva para exigir o cumprimento de seus direitos. “Além da convenção da categoria, também há pontos nos acordos específicos em alguns bancos, que ampliam as garantias aos casais homoafetivos. Por isso, é bom que estejamos atentos para gozar plenamente dessas prerrogativas. Em caso de dúvida ou violação de direitos, aconselhamos que a pessoa procure o Sindicato”, ressalta Geraldo.

N

14 REVISTA DOS BANCÁRIOS


Esporte e Lazer Qualidade de vida

Porque a vida não é só trabalho

ALÉM DAS ATIVIDADES POLÍTICAS, SINDICATO TAMBÉM ABRE ESPAÇO PARA O ESPORTE E O LAZER DOS BANCÁRIOS

P

aralelo às atividades políticas da categoria, o Sindicato também abre espaço para o desporto. O Campeonato de Futebol dos Bancários é um grande exemplo disso. Na rodada de abertura de sua 12ª edição a competição já deu provas de que vai movimentar os finais de semana do Clube de Campo com muita empolgação e uma disputa pra lá de acirrada. Quem prestigiou os jogos iniciais realizados no sábado e no domingo, dias 21 e 22 de agosto, assistiu a uma verdadeira chuva de gols. Ao todo, os artilheiros balançaram as rede 19 vezes em apenas quatro jogos. A média de gols foi de 6,3 por Estimular a prática partida, o que demonstra a fome de bola da rapaziaesportiva é uma da, como comenta o secretário de Esportes, Cultura e das prioridades Lazer do Sindicato, Adeílton Filho: “O Campeonato do Sindicato, que começou animadíssimo, muita gente compareceu ao agora vai investir Clube de Campo dos Bancários para prestigiar os jogos na realização de abertura da competição”. (Acompanhe as próximas de campeonatos rodadas na nossa página do Sindicato na internet: www. para as mulheres bancariospe.org.br). bancárias No cenário esportivo nacional o Sindicato também marcou presença em agosto. A equipe de futsal feminina, patrocinada pela entidade, disputou a 9ª edição dos Jogos da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal), realizada em Fortaleza no período 14 a 21 de agosto.

>>

Além de patrocinar o futsal feminino, a competição também contou com a participação de quatro diretores atletas do Sindicato: Carla Azevedo (que disputou as provas de nado livre, borboleta e no revezamento); Sônia Galvão (futsal, natação e tênis de mesa); Ula Franco (vôlei) e Justiniano Dias (futebol society, vôlei e natação), além da presidenta da entidade, Jaqueline Mello, que este ano não participou das competições mas foi prestigiar o evento. “Estimular a prática esportiva é uma das prioridades da nossa gestão. O Campeonato de Futebol já está consolidado na categoria bancária, mas precisamos ampliar o leque de atividades. Corrida, vôlei, e até mesmo o futebol feminino são algumas das modalidades que pretendemos estimular na categoria”, argumenta Jaqueline. REVISTA DOS BANCÁRIOS 15


Turismo Conheça Pernambuco

APARAUÁ

Q

uem já foi à praia de Ponta de Pedras não imagina que ali pertinho, pegando à direita pouco depois da entrada de Carne de Vaca, se esconde um pedaço do paraíso. Aparauá é o nome do antigo Engenho Massaranduba do Norte, transformado no lugar perfeito para relaxar ou praticar esportes de aventuras. Para quem gosta de pedalar, o local fornece os guias para trilhas. São pessoas da própria comunidade, que são formadas para, não apenas acompanhar os ciclistas,

DOS

Revista Bancários Ano I - Nº 1 - Setembro de 2010

Publicada pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco

Informativo do Sindicato dos Bancários de Pernambuco Circulação mensal Redação: Av. Manoel Borba, 564 - Boa Vista, Recife/PE - CEP 50070-00 Fone: 3316.4233 / 3316.4221 Correio eletrônico: imprensa@bancariospe.org.br Sítio na rede: www.bancariospe.org.br Presidenta: Jaqueline Mello Secretária de Comunicação: Anabele Silva Jornalista responsável: Fábio Jammal Makhoul Conselho editorial: Anabele silva, Dileã Raposo, Geraldo Times e Jaqueline Mello Redação: Fábio Jammal, Fabiana Coelho e Wellington Correia Projeto visual e diagramação: Libório Melo Foto da capa: Ivaldo Bezerra/Lumen Impressão: Gráfica Provisual Tiragem: 10.000 exemplares

como fornecer informações históricas. E o percurso inclui trilhas entre canaviais, coqueirais, restos de mata atlântica, pequenos vilarejos e paisagens fantásticas até a chegada na praia de Carne de Vaca e retorno ao ponto de origem. Difícil, no entanto, é ter disposição para encarar a pedalada quando a gente se depara com as camas e redes na beira do açude, algumas delas já dentro da água. Ou com o barzinho e restaurante, com opções de dar água na boca. Para a criançada, o parquinho infantil, assim como toda a arquitetura do lugar, aproveita os troncos, as árvores e o ambiente. Uma ponte cruza o açude e nos leva, entre fauna e flora remanescente de Mata Atlântica, a uma deliciosa bica. Quem quiser também pode ir de barco até o local. E pode, ainda, conversar com o pessoal do bar e levar para lá seu isopor com cervejas ou refrigerantes. O açude, de águas limpas e convidativas, tem seis nascentes naturais. Para quem gosta de aventuras, há espaço para práticas esportivas que variam do trekking – uma espécie de caminhada com obstáculos naturais e mountainbike – ciclismo em terrenos irregulares. Para empresas, o espaço oferece um anfiteatro no meio da mata e um centro de convenções natural. Visitações durante a semana devem ser previamente agendadas. Aos sábados e domingos, o local funciona das 9h30 às 17h. REVISTA DOS BANCÁRIOS 16

SERVIÇO Localização: Rodovia PE-49, km 20, Goiana Entrada: R$ 6 (serviços variam de R$ 3 a R$ 10) Informações: 9101.3510

Pedaço do paraíso


Revista dos Bancários 01 - set. 2010