Page 1

ANO XXVI • Nº 601 • 1º A 14 DE JULHO DE 2019 • SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE CRÉDITO NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Sindicato luta contra privatização do Banco do Nordeste

Adesão ao banco de horas é opcional para funcionários do BB p. 3

Centrais sindicais convocam Dia Nacional de Mobilização P. 6

Arraiá d@s Trabalhador@s promete muito forró p. 8

WWW.BANCARIOSPE.ORG.BR


2 EDITORIAL NENHUM DIREITO A MENOS

Chegamos ao segundo semestre de um ano turbulento com vitórias na bagagem. Diante da mobilização e resistência das trabalhadoras e dos trabalhadores, que pressionam o Congresso Nacional diuturnamente, o governo Bolsonaro não reuniu condições para votar a nefasta reforma da Previdência. O polêmico decreto de armas foi derrubado pelo Senado e o decreto que dificulta o desconto de contribuições sindicais foi derrubado na Comissão Especial na Câmara. Mas ainda é preciso intensificar a luta, pois só assim conseguiremos garantir os nossos direitos e defender o patrimônio do povo brasileiro. Em Pernambuco, articulamos uma forte rede de proteção ao Banco do Nordeste, que deverá ser ampliada com a realização de audiências públicas no Interior. O Sindicato também se prepara para participar do Dia Nacional de Mobilização, convocado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais centrais sindicais, para o dia 12 de julho, em defesa da Seguridade Social solidária. A imagem do governo Federal está fragilizada após a prisão de um militar que transportou 39 kg de cocaína em avião da FAB. O momento é propício para mais uma vez ocuparmos as ruas e em uma só voz dizermos: nenhum direito a menos! SUZINEIDE RODRIGUES Presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco

Governo regulamenta pente-fino no INSS

Peritos vão receber gratificação por cada benefício cancelado

A

Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia publicou no Diário Oficial da União do dia 25 de junho a Portaria nº 617, que regulamenta o Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade, também conhecida como operação pente-fino nos benefícios pagos pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). Com a regulamentação, o INSS deve dar início ao processo que pode cancelar milhares de auxílios, aposentadorias e pensões por doença ou invalidez de beneficiários que há mais de seis meses não passam por um perito

A Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados aprovou no dia 26 de junho, o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) nº 75/2019, de autoria do deputado Federal Carlos Veras (PT/PE), que derruba o decreto presidencial nº 9.735/2019, que impossibilita o desconto de contribuições a sindicatos e associações na folha de pagamento dos servidores, mesmo com a autorização do trabalhador. Entidades sindicais entraram com

Jornalista Responsável: Beatriz Albuquerque

Ed. 601 / Circulação quinzenal Redação: Av. Manoel Borba, 564, Boa Vista, Recife/PE Telefone: (81) 3316 4233 E-mail: comunicacao@bancariospe.org.br Site: www.bancariospe.org.br Tiragem: 6.000 exemplares

1º a 14 de julho de 2019

leceu uma gratificação de R$ 61,72 para cada perícia médica extra. O valor será pago aos peritos médicos federais que aderirem ao programa de revisão dos benefícios previdenciários e assistenciais. “Esta é mais uma forma encontrada pelo governo Bolsonaro para retirar direitos dos trabalhadores. A gratificação paga aos peritos vai fazer com que a injustiça prevaleça e milhares de aposentadorias sejam cortadas. Precisamos lutar pelos direitos conquistados e não admitir retrocessos”, destaca a presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues.

Comissão derruba decreto que dificulta desconto de contribuições sindicais

EXPEDIENTE

Informativo do Sindicato dos Bancários de Pernambuco

do INSS para fazer revisão do caso. Oficialmente, os objetivos do programa, instituído pela Lei nº 13.846, de 18 de junho deste ano, é economizar R$ 9,8 bilhões neste ano com a revisão de benefícios por incapacidade que, segundo o governo Bolsonaro, apresentam indícios de irregularidades, e instituir regras mais rígidas para concessão de auxílio-reclusão, benefício pago ao dependente do segurado recolhido à prisão. A Portaria nº 617, que disciplina o pagamento do Bônus de Desempenho Institucional por Perícia Médica em Benefícios por Incapacidade, estabe-

Conselho Editorial: Epaminondas França, Beatriz Albuquerque, Josenildo Santos, Suzineide Rodrigues, Expedito Solaney e Cândida Fernandes Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto Diagramação: Bruno Lombardi Fotos: Kevin Miguel

ações na Justiça contra o decreto que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou no Carnaval deste ano e conseguiram liminares suspendendo os efeitos da medida. Quem perdeu a causa na Justiça ou sequer entrou com ação teve de enviar boletos para as residências dos associados. De acordo com o deputado Federal Carlos Veras, “a medida governamental é uma verdadeira afronta à liberdade de livre associação sindical garantida pela Constituição”.

Agora, o parlamentar articula para que o PDL seja encaminhado ao plenário da Câmara em regime de urgência em razão da iminência da queda da Medida Provisória (MP) nº 873, que impede descontos consignados à folha de pagamentos e determina que o pagamento da contribuição seja por meio de boleto bancário. Além disso, exige autorização expressa, individual e por escrito da trabalhadora e do trabalhador.

DIRETORIA EXECUTIVA Presidenta: Suzineide Rodrigues Comunicação: Epaminondas França Cultura, Esporte e Lazer: Adeilton Filho Secretária-Geral: Sandra Trajano

Assuntos da Mulher: Eleonora Costa

Finanças: Terezinha Santiago

Saúde do Trabalhador: Andreza Camila

Administração: Geraldo Times

Formação: Adriana Correia

Assuntos Jurídicos: João Rufino

Intersindical: Rubens Nadiel

Bancos Públicos: Cândida Fernandes

Ramo Financeiro: Diana Ribeiro

Bancos Privados: Expedito Solaney

Aposentados: Maria José Leódido


3

Adesão ao banco de horas é opcional para funcionários do BB

F

uncionários do Banco do Brasil, principalmente da Plataforma de Suporte Operacional (PSO), estão sendo pressionados a aderir ao banco de horas, segundo denúncias enviadas ao Sindicato dos Bancários de Pernambuco. De acordo com a entidade, a prática é ilegal, pois a realização do banco de horas em substituição ao adicional de horas extras é opcional, conforme Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2018-2020) - Cláusula 5. A secretária-Geral do Sindicato e membro da Comissão de Organização dos Empregados (COE) BB, Sandra Trajano, ressalta que os funcionários têm a prerrogativa de alterar a opção a qualquer tempo. “A prestação de horas extraordinárias, suplementares à jornada de

Funcionários podem alterar opção a qualquer momento

trabalho, é uma opção do funcionário. O banco não pode obrigar ou exigir que o trabalhador realize

horas extras”, destaca. O Banco do Brasil, assim como os demais bancos públicos do País,

passa por uma série de reestruturações, com fechamento de agências, redução dos postos de trabalho, entre outras medidas, que enfraquecem a instituição e sobrecarregam os funcionários. Para a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues, o banco deve assumir a responsabilidade pelos efeitos das reestruturações. “Realizar Programas de Demissão Voluntária e não contratar mais funcionários é parte do projeto de desmonte do banco e o Sindicato luta diuturnamente contra essas mediadas. As consequências devem ser assumidas pelo BB e não pelos bancários”, afirma. O Sindicato reitera que o funcionário deve denunciar caso seja pressionado a fazer horas extras ou a aderir ao banco de horas.

STF suspende tramitação de processos que tratam de demissão imotivada em estatais O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a suspensão de todos os processos no País que discutem demissões imotivadas de empregado de empresa pública e de sociedade de economia mista admitido por concurso público. Na prática, a decisão tem validade até que o plenário da Corte se posicione sobre a constitucionalidade das demissões imotivadas de concursados em estatais e empresas de economia mista. A definição da matéria terá repercussão em empresas como a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Petrobrás. A decisão foi proferida em recurso de empregados demitidos em 1997 pelo Banco do Brasil. Eles tiveram recurso negado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). No recurso, os autores argumentaram que sociedades de economia mista não podem praticar a dispensa imotivada de

Falta de concurso e demissões prejudicam empregados e clientes

seus funcionários, já que obedecem aos princípios constitucionais da legalidade, da moralidade e da publicidade, do artigo 37 da Constituição Federal. Já o argumento do Banco do Brasil é de que empresas públicas estão submetidas ao regime jurídico das empresas privadas e, portanto, não precisam de motivação em seus atos administrativos. A secretária de Bancos Públicos do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Cândida Fernandes, defende o emprego e a estabilidade

dos concursados. “A dispensa de empregados de empresas públicas só pode ocorrer com motivação, caso contrário representa uma grave violação à Constituição. No caso dos bancos públicos, os empregados estão adoecendo em razão de ondas de descomissionamentos sem critérios claros. Não podemos permitir que mais uma arbitrariedade afete os trabalhadores. A pressão e o clima de medo nas agências refletem do trabalho executado e, consequentemente, impacta negativamente no

papel social desempenhado por essas empresas”, afirma. As demissões somadas a não realização de novos concursos públicos resultam na precarização das condições de trabalho. Nos últimos anos, por exemplo, a Caixa perdeu mais de 17 mil empregados, provocando aumento das metas e sobrecarga de atividades nas unidades de todo o País. A coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e diretora da Fenae, Rita Serrano, considera a suspensão importante. “Principalmente se considerarmos que há hoje nos bancos públicos forte pressão para se aderir aos PDVs. Porém, devemos ter claro que é uma suspensão temporária, que não altera nossa necessidade de somar esforços para manutenção e valorização das empresas públicas e dos direitos de seus trabalhadores”, acrescentou.

1º a 14 de julho de 2019


4

Sindicato e Contraf-CUT são contra aumento da coparticipação na Cassi

A

diretoria da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi) aprovou no início de junho novo aumento na coparticipação sobre consultas e exames. Em janeiro, a coparticipação já havia sofrido reajuste de 30% para 40% nas consultas médicas e sessões de psicoterapia e de 10% para 20% nos serviços complementares. A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou um ofício ao Conselho Deliberativo da Cassi demonstrando sua contrariedade diante da decisão da diretoria e pedindo para que os conselheiros, tanto os eleitos quanto os indicados, votem contra o aumento que prejudica os associados. A secretária-Geral do Sindicato dos Bancários de Pernambuco e funcionária do Banco do Brasil, Sandra Trajano, destaca que o aumento é injusto e visa, única e exclusivamente, prejudicar os participantes. “Esses reajustes são inaceitáveis, visto que já passamos por mudanças recentemente. Estes abusivos aumentos fogem do histórico de cobrança e

Déficit da Cassi está sendo jogado nas costas dos associados

penaliza ainda mais os associados”. A proposta de alteração no custeio e governança da Cassi não foi aprovada pelos associados. No dia seguinte ao resultado, a Contraf-CUT enviou um ofício ao Banco do Brasil solicitando reabertura das negociações da Mesa da Cassi. Quase dois meses após o envio do ofício, o BB ainda não respondeu à

solicitação da Contraf-CUT. Em seu site, a Cassi afirma que, no Plano de Associados, a coparticipação de 10% em diagnoses e terapias não-vinculadas à internação foi instituída como fator moderador na utilização de eventos médicos e hospitalares. Para presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues, o interessante a ser

feito é lutar pelo fim da coparticipação, mesmo que de forma gradativa. “O deficit da Cassi está sendo jogado nas costas dos associados. O Sindicato também defende a isenção para os associados que fazem parte do Programa Estratégia Saúde da Família, isso como forma de incentivo à integração nos programas de prevenção que a Cassi desenvolve”.

Desvio de recursos do FAT para Previdência ameaça BNDES Além de dificultar o acesso à aposentadoria, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 06/2019 do governo Bolsonaro tornou-se uma ameaça a capacidade do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de alavancar o desenvolvimento do País e de gerar emprego e renda. O texto original da PEC previa reduzir de 40% (R$ 18 bilhões, em 2018) para 28% (R$ 12,6 bilhões) o total de recursos que o FAT repassa por ano para o BDNES. Porém, o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) fez uma alteração no texto propondo zerar o repasse para o BDNES e, ao invés de propor a cobrança dos grandes devedores e sonegadores do INSS, propôs desviar 28% dos recursos do

1º a 14 de julho de 2019

PEC prejudica o País e a geração de empregos

Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para pagamento de benefícios previdenciários. A Constituição de 1988 determina que pelo menos 40% dos recursos do FAT sejam utilizados em programas de financiamento do BNDES e 60% no pagamento do seguro-desemprego

e do abono salarial do PIS/Pasep. Além disso, o FAT pode repassar ao BNDES “sobras de caixa” sob a forma de depósitos especiais. “Esses recursos são utilizados em programas aprovados pelo Conselho Deliberativo do FAT (Condefat), voltados, entre outras áreas, para agricultura

familiar e infraestrutura, impulsionando o desenvolvimento. Somos contra essa reforma da Previdência que representa o fim da aposentadoria e, agora, também do BNDES”, afirma a secretária de Bancos Públicos do Sindicato, Cândida Fernandes. O FAT repassa anualmente cerca de R$ 18 bilhões para o BNDES – o estoque hoje é de mais de R$ 270 bilhões. Esses recursos são emprestados a juros mais baixos para empresas de porte médio e também para agricultores familiares. Atualmente, o BNDES remunera o FAT pelos recursos emprestados. Entre 2009 e 2017, o BNDES pagou ao FAT R$ 16,3 bilhões em valores corrigidos pelo IPCA de dezembro de 2017.


5

Sindicato luta contra privatização do Banco do Nordeste

F

ruto da articulação do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, a Audiência Pública realizada pela Comissão de Agricultura, Pecuária e Política Rural da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no dia 25 de junho, resultou na formação de um Grupo de Trabalho (GT) que irá aprofundar o debate sobre a importância do Banco do Nordeste para o desenvolvimento regional, além da construção de uma agenda de audiências públicas e ações para barrar a privatização do banco de fomento. Além da presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, compuseram a mesa da audiência pública o deputado Estadual Doriel Barros (PT), que preside a Comissão de Agricultura; o deputado Estadual Fabrizio Ferraz (PHS); o coordenador do Comitê Nacional em Defesa do Banco do Nordeste, Tomás de Aquino; o representante da Superintendência do Banco do Nordeste, Josué Lucena; a presidenta da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Fetape), Cícera Nunes; e a presidenta da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB), Rita Josina. O GT será composto pelas entidades representativas e parlamentares presentes na mesa, além da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do deputado Federal Carlos Veras (PT-PE). A proposta é realizar, no próximo semestre, três audiências públicas no Interior do Estado e articular reuniões de apoio com a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), União dos Vereadores de Pernambuco (UVP), Governo do Estado e com o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros (PP). A presidenta do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues, enfatizou durante a audiência pública o risco de privatização/fusão do Banco do Nordeste, que foi incluí-

Sindicato vai continuar lutando contra as privatizações dos bancos públicos

Suzineide Rodrigues afirma que Banco do Nordeste é lucrativo e cumpre papel social

do na lista da Secretaria de Desestatização e Desinvestimento do Governo Bolsonaro. “O Banco do Nordeste está dando lucro e cumprindo o seu papel social. Sem bancos públicos fortes não haverá investimento em políticas sociais, infraestrutura, saúde, educação. O setor privado não tem esse compromisso com o desenvolvimento social. Precisamos debater com a sociedade, com os empresários e com os prefeitos, pois municípios serão prejudicados sem a atuação dos bancos públicos”, destaca. A pauta debatida na Alepe também foi discutida em audiências públicas nos Estados do Ceará (6/4) e na Bahia (29/4). O Comitê Nacional em Defesa do Banco do Nordeste pretende multiplicar a ação. “O nosso Banco do Nordeste, com 66 anos de história, não nos envergonhou em nenhum momento. Mesmo tendo passado algumas vezes por mãos indevidas, resistiu bravamente. E estamos cada vez mais

fortes para defender o banco e o seu papel social”, ressalta o coordenador do Comitê, Tomás de Aquino. Para o deputado Estadual Doriel Barros, a perspectiva é de construção de uma rede para fortalecer o banco de desenvolvimento. “Além de reconhecer a importância do Banco do Nordeste, queremos blindá-lo contra qualquer iniciativa que visa reduzir a sua capacidade de atuação, bem como a possibilidade de privatizá-lo. Esta audiência pública é fruto de uma proposição feita por Suzineide Rodrigues e será o ‘ponta-pé’ inicial para muitas outras ações em defesa desse patrimônio dos brasileiros, de Pernambuco e do Nordeste”, afirma. Maior financiador de crédito rural, o Banco do Nordeste, em 2018, teve lucro líquido de R$ 725,5 milhões, 1,3% maior do que o lucro líquido de 2017. O banco também foi responsável por 63% das operações de microcrédito, registrando um saldo de ativos de R$

3,3 bilhões no Crediamigo (Programa de Microcrédito Produtivo Orientado da América do Sul). “O Banco do Nordeste para nós agricultoras e agricultores familiares é um grande parceiro e nos ajuda a ser gente, viver bem na nossa Região. Temos acesso ao crédito, à terra e à alimentação de qualidade. Também gostaria de destacar que o Banco do Nordeste tem sido muito humano, pois existe uma troca de ensinamentos”, relata a presidenta da Fetape, Cícera Nunes. De acordo com os dados apresentados pelo representante da Superintendência do Banco do Nordeste, Josué Lucena, em Pernambuco, no ano de 2018, o banco realizou R$ 5 bilhões, sendo R$ 4,4 bi através do FNE e outras fontes e R$ 400 milhões pelo Crediamigo. “Nosso maior patrimônio, nosso maior ativo, são os funcionários do Banco do Nordeste. Nossa instituição é comprometida com o desenvolvimento regional e com forte atuação tem estado à frente dos desafios”, garante Josué Lucena. Para o secretário Intersindical do Sindicato e funcionário do Banco do Nordeste, Fernando Antônio (Batata), a categoria deve engajar-se na campanha em defesa do banco. “Não estamos defendendo uma bandeira, mas uma política de inclusão, uma empresa que trabalha pelo desenvolvimento. Nós somos o Banco do Nordeste”, conclui.

1º a 14 de julho de 2019


6

CUT e centrais intensificam mobilização contra a reforma da Previdência

R

eunidas em Brasília no dia 25 de junho, a CUT e demais centrais decidiram investir na mobilização para vencer a luta contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 06/2019, que trata da reforma da Previdência do governo Bolsonaro (PSL), e marcaram um Dia Nacional de Mobilização no dia 12 de julho. Em nota divulgada após a reunião, as centrais sindicais afirmaram que vão continuar a mobilização junto ao Congresso Nacional, em reuniões com parlamentares de diferentes partidos políticos, reafirmando o posicionamento contrário ao relatório substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). “A unidade de ação foi essencial para o sucesso das iniciativas até aqui coordenadas pelas Centrais Sindicais”, diz trecho da nota que conclama “as bases sindicais e os trabalhadores a intensificar e a empregar o máximo esforço para atuar junto às bases dos deputados e senadores, nos aeroportos, com material de propaganda, e marcar presença também nas mídias so-

Sindicato dos Bancários vê Reforma como inimiga dos brasileiros

ciais, exercendo pressão contrária à reforma em debate no Congresso Nacional”. No dia 28 de junho, as centrais sindicais fizeram um balanço dos trabalhos da semana, do andamento do processo legislativo na Comissão Especial e dos preparativos para a mobilização de 12 de julho. “Os pontos que foram retirados da reforma da Previdência pelo rela-

tor, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a capitalização, ainda podem voltar no Plenário. Só a nossa mobilização é que vai barrar a aprovação da proposta do governo. Por isso, no dia 12 de julho, realizaremos um Dia Nacional de Mobilização, com atos, assembleias e manifestações em todas as capitais, e com um grande ato em Brasília (DF)”, afirma o dirigente do Sindi-

Sindicato participa do lançamento da 6ª Marcha das Margaridas A Central Única dos Trabalhadores de Pernambuco (CUT-PE), através do Coletivo de Mulheres da Secretaria da Mulher Trabalhadora, realizou o lançamento da 6ª Marcha das Margaridas, no dia 18 de junho. O Sindicato dos Bancários de Pernambuco participou do evento, que aconteceu no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Informática, Processamento de Dados e Tecnologia da Informação de Pernambuco (SINDPD/PE). A secretária da Mulher do Sindicato, Eleonora Costa, reforça a luta das mulheres em defesa das conquistas históricas. “A Marcha das Margaridas é um importante mo-

1º a 14 de julho de 2019

mento de luta pelos nossos direitos e contra os retrocessos. Vamos nos unir a milhares de mulheres, fortalecendo a mobilização, na busca por visibilidade, reconhecimento social, político e cidadania plena”, afirma Eleonora. A Marcha das Margaridas é uma homenagem à Margarida Alves, liderança do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande - PB, assassinada no dia 12 de agosto de 1983, na porta da sua casa e na frente dos seus familiares, por defender a sua categoria e os direitos humanos. Desde o ano 2000, a cada quatro anos, mulheres do campo, das florestas e das águas, em parceria com

movimentos sindicais e sociais, marcham contra a exploração, a dominação e todas as formas de violência e em favor de igualdade, autonomia e liberdade para as mulheres. O Sindicato dos Bancários de Pernambuco caminhará junto com as margaridas, nos dias 13 e 14 de agosto. “A Marcha das Margaridas é a maior ação de mulheres da América Latina. Vamos marchar contra a reforma da Previdência, em defesa da soberania alimentar, pelo fim da violência sexista e pela garantia de direitos e da democracia no Brasil”, conclui a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues.

cato dos Bancários de Pernambuco e da CUT-PE, Fabiano Moura. A avaliação da bancada dos partidos de oposição ao governo é de que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), irá acelerar o processo de votação e encaminhar a proposta da reforma da Previdência ao Plenário antes do recesso parlamentar, que tem início no dia 17 de julho.

CONFERÊNCIA REGIONAL

A delegação dos bancários de Pernambuco, composta por 15 eleitos mais seis natos, participa da VIII Conferência Regional da Fetrafi-NE, nos dias 5, 6 e 7 de julho, em Fortaleza (CE). No evento que precede os congressos dos funcionários dos bancos públicos e a Conferência Nacional dos Bancários, os representantes da categoria deverão debater estratégias de luta que sejam capazes de fazer frente aos desafios que estão colocados para a classe trabalhadora e o movimento sindical.


7

Mesa Bipartite de Segurança Bancária avança com ampliação de projeto-piloto

A

Mesa Bipartite de Segurança Bancária entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), realizada no dia 26 de junho, em São Paulo, terminou com avanços para a categoria. Os bancos sinalizaram com a possibilidade de ampliação do projeto piloto de segurança, implantado em algumas cidades de Pernambuco. Os representantes dos bancários enfatizaram a importância da instalação de portas automáticas em postos de atendimentos bancários (PABs), inclusive, nas agências de negócios, que não contam com vigilantes e possuem caixas automáticos e logo do banco. O secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, João Rufino, reforça a importância da luta em defesa da

Reivindicação sobre manutenção de portas giratórias não teve respostas positivas

segurança dos bancários e clientes. “Se dependesse dos bancos, a segurança dentro das agências seria ainda mais precária. Todos os meios de segurança empregados são frutos da resistência dos sindicatos. Muito mais precisa ser feito. Esta é mais uma vitória da categoria, que continuará exigindo

melhores condições de trabalho e segurança”, afirma Rufino. A reivindicação se baseia no alto índice de ataques às agências bancárias que não possuem portas giratórias comparado às agências que contam com o item de segurança. De acordo com dados do Departamento Intersindical de

Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), houve um crescimento de 37,2% de 2017 para 2018 das saidinhas bancárias. O índice de ocorrências com vítimas fatais aumentou 22,6%. Elias Jordão, coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), lembrou que o item é previsto na lei 7102/83, assim como sistema de monitoramento e contratação de vigilantes. “Essa retirada desconstrói um processo de muitos anos de discussão, pois essa lei nos trouxe resultados positivos e permite que o bancário possa trabalhar mais tranquilo”. Em resposta, a Fenaban alegou que trabalha um novo modelo de negócio e que o mesmo não oferece riscos por não ter atividades que envolvam numerários.

Eleita delegação para 30° Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil Com formação de chapa unitária, os funcionários do Banco do Brasil elegeram a delegação que representará os bancários de Pernambuco no 30° Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, que acontece nos dias 1° e 2 de agosto, em São Paulo. Por unanimidade, foram eleitos(as) oito delegados(as), além da secretária-Geral do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Sandra Trajano, que irá como delegada nata, enquanto membro da COE Banco do Brasil. Neste ano, a pauta prioritária será a defesa do Banco do Brasil público. “Não haverá debate sobre cláusula

Congresso acontece nos dias 1° e 2 de agosto, em São Paulo

econômica, porque o acordo bianual nos assegurou ganho real para 2019. Mas precisamos discutir algo mais importante, que é a existência

CONVÊNIO

do Banco do Brasil. Precisamo sair desse Congresso com uma campanha unificada para impedirmos a privatização dos bancos públicos”,

afirma Sandra. O Congresso também deverá debater as medidas do governo que enfraquecem a instituição, os mecanismos de defesa da Cassi, a manutenção da luta contra a resolução 23 da CGPAR, o fechamento de agências e o corte de postos de trabalho. “Diante de uma conjuntura adversa, na qual o Governo Bolsonaro retira direitos das trabalhadoras e trabalhadores, os funcionários do BB terem eleito uma chapa unitária foi muito importante. O momento exige unidade para fortalecimento da luta e da resistência”, conclui a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues.

A Transworld, empresa parceira do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, está com inscrições abertas para cursos intensivos de férias: inglês, francês e espanhol. Com aulas diárias em julho, a proposta é que o aluno aprenda o conteúdo de um semestre em um único mês. A escola de idiomas também irá realizar uma Colônia de Férias, de 8 a 26 de julho, com ensino de inglês por meio de atividades lúdicas, para crianças de 4 a 12 anos. Bancários associados têm desconto para ambas atividades. Contato: (81) 3302-6120.

1º a 14 de julho de 2019


8

Arraiá d@s trabalhador@s promete muito forró no dia 13 de Julho em novo local

O

s bancários de Pernambuco já podem se preparar para arrasta-pé no dia 13 de Julho, a partir das 19h, no Arraiá d@s Trabalhador@s – Ninguém Larga Ninguém. O forró de Petrúcio Amorim promete animar a festa julhina, que neste ano será realizada no Centro de Formação e Lazer (CFL) do Sindsprev-PE, no Recife (BR 101, km 57, s/n - Guabiraba). O evento também conta com o forronejo de Alexandre Neto & Banda e vasto repertório da Orquestra Maximus. Com novo formato e atrações de peso, a festa é uma realização do Sindicato dos Bancários de Pernambuco e do Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmetal). Para celebrar a cultura regional, Petrúcio Amorim traz o autêntico forró nordestino, com canções conhecidas pelo grande público, como Tareco e Mariola, Devagar, Nem Olhou Pra Mim e Meu Cenário. “Para prestigiar a categoria bancária, convidamos um bancário de talento para ser uma das atrações da nossa festa. Vamos fazer também uma quadrilha improvisada no intervalo dos shows”, anuncia o se-

13 DE JULHO, às 19h Local:

CFL Sindsprev

BR-101, Km 57, s/n - Guabiraba, na entrada de Bola na Rede, Recife (PE)

Ingresso para não-sócios: R$10 Sócios, dependentes e crianças até 12 anos não pagam

Petrúcio Amorim

Proibido entrar com bebidas e alimentos

Realização:

Alexandre Neto & Banda Orquestra Maximus cretário de Cultura, Esporte e Lazer, Adeilton Filho. Alexandre Neto & Banda, que tem como cantor o bancário que dá nome ao grupo, mescla forró e sertanejo, enquanto a Orquestra Maximus irá tocar do forró ao POP. “A proposta é fazer uma festa democrática, que contemple um público diverso, de diferentes gerações e preferências musicais. Podem esperar um grande arraiá!”, garante a presidenta do Sindicato, Suzineide Rodrigues.

Barracas para venda de bebidas e comidas estarão disponíveis no local. O cartão de consumo pré-pago custa apenas R$ 2. Os sócios do Sindicato, dependentes e crianças até 12 anos não pagam pelo ingresso, que custará o valor simbólico de R$ 10 para os não-sócios. Os ingressos serão vendidos no local, no horário de início da festa. Neste ano, o arraiá não será realizado no Clube de Campo de Aldeia, pois o mesmo estará em reforma. Mas não há motivos para preocupa-

ção. O CFL oferece amplo espaço e infraestrutura necessária para realização do evento, fácil acesso pela BR101 e estacionamento gratuito com mais de 3 mil vagas. “Estamos preparando tudo com muita dedicação, desde a escolha das atrações até a decoração do salão. Será uma festa para todas e todos forrozarem bastante. Por isso, o tema escolhido é Ninguém Larga Ninguém”, afirma a dirigente sindical e membro do comitê de organização do Arraiá, Susana Morais.

Inscrições abertas para XXI Campeonato de Futebol dos Bancários O Sindicato dos Bancários de Pernambuco inicia, nesta segunda-feira (1º), o período de inscrições para o XXI Campeonato de Futebol dos Bancários. O cadastro dos jogadores e da equipe técnica dos times deve ser realizado na “arena virtual”, disponível no site do Sindicato, até o dia 23 de agosto. Os times devem cadastrar 22 jogadores, além de técnico, auxiliar técnico e massagista. Para cada equipe é permitida a inclusão de bancários; dependente; bancários de outras bases, desde que indicado nome e agência; e ex-bancários com até dez anos de afastamento da categoria.

1º a 14 de julho de 2019

Inscrições podem ser realizadas pelo site até dia 23/8

O XXI Campeonato de Futebol dos Bancários será realizado entre os meses de setembro e novembro,

no Clube de Campo da categoria, localizado no 14,5 Km de Aldeia, em Camaragibe. Para requalifica-

ção do gramado, o campo de futebol estará interditado a partir do dia 21 de julho. Em 2018, seis times disputaram o torneio, que teve como campeão o Bradesco e vice-campeão, o Itaú. “O Campeonato de Futebol tem o objetivo de proporcionar aos bancários, que trabalham em um ambiente muitas vezes de pressão e alto nível de estresse, uma atividade de lazer, integrativa, e de incentivo à prática esportiva. Com certeza, com a participação dos bancários, vamos fazer um grande torneio”, conclui o secretário de Esportes, Cultura e Lazer, Adeilton Filho.

Profile for Sindicato dos Bancários Pernambuco

Jornal dos Bancários - ed. 601  

de 1º a 14 de julho de 2019

Jornal dos Bancários - ed. 601  

de 1º a 14 de julho de 2019

Advertisement