Issuu on Google+

ANO XXI • Nº 469 • 16 A 30 DE NOVEMBRO DE 2013 • SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE CRÉDITO NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Saúde

A cada dia, cresce o número de bancários afastados por problemas de saúde. No ano passado, foram 21.144 bancários oficialmente afastados de suas funções pelo INSS. Mas estima-se que grande parte dos pedidos de afastamentos seja negada e que o número de bancários que adoecem possa chegar a 60 mil por ano em todo o Brasil. Para investigar as causas desse problema crônico, o Comando Nacional dos Bancários e a Federação dos Bancos (Fenaban) criaram, no último dia 7, um grupo de trabalho. A criação deste novo espaço de negociações foi conquistada na Campanha Nacional deste ano, encerrada em outubro após 23 dias de greve. No próximo dia 28, o grupo

Alaa Hamed / SXC.hu

Por que os bancários adoecem tanto?

volta a se reunir. Segundo a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, mais de 25% dos bancários afastados com problemas de saúde sofriam com estresse, depressão, síndrome de pânico e transtornos mentais – doenças relacionadas diretamente ao assédio moral. “Nossa categoria está entre as principais vítimas do assédio moral. O problema é tão grave que o Ministério Público do Trabalho decidiu agir e, desde outubro, tem realizado uma série de atos em todo o país”, diz Jaqueline.

CAMPEONATO DE FUTEBOL DOS BANCÁRIOS

No último dia 13, o ato chegou ao Recife e os números apresentados durante o evento são assustadores. Segundo pesquisa da Universidade de Brasília (UnB), todos os dias um bancário tenta suicídio no Brasil. A cada 20 dias, um deles se mata. Páginas 4 e 5

LEIA TAMBÉM

Beto Oliveira

Sindicato ajuda a levar água para comunidade carente Página 8

Projeto-piloto de segurança bancária já está implantado Página 5

Itaú é bicampeão O Itaú bateu o Bradesco por 1 a 0 e, pela segunda vez, levantou o troféu do Campeonato de Futebol dos Bancários de Pernambuco. A final foi realizada no dia 9 de novembro e agitou o Clube de Campo do Sindicato. Na partida preliminar, a equipe do pessoal da Caixa, a Apcef, não tomou conhecimento do Santander e aplicou uma goleada de 4 a 1, garantindo a terceira colocação do certame. Página 8

Sindicato participa do 3º Encontro Nacional de Mulheres Bancárias Página 3

Empregados querem receber da Caixa as horas-extras do pós-greve Página 7

Bancários exigem fim das demissões no Santander

WWW.BANCARIOSPE.ORG.BR

Página 6


2 editorial

Tema livre

Democracia racial No mês em que se celebra a Consciência Negra, aos brancos. marcada no dia 20 de novembro, os bancários do A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) país se reúnem no Rio de Janeiro para discutir a 2013 ouviu 600 mil trabalhadores nas sete regiões participação dos negros no mercado de trabalho, metropolitanas comumente aferidas pelo Dieese: com foco no sistema financeiro. Nos bancos, ape- Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, nas 3% dos trabalhadores são negros, um recorte Salvador, São Paulo e Distrito Federal ao longo que aponta para índices de discriminação racial de 2013. Constata, por exemplo, que a presença mais graves do que os que desafiam o mito da de negros em postos de direção e chefia no Grandemocracia racial no Brasil. de Recife é de 8,3% contra 18,6% de brancos. Por mais absurdo que seja, fato é que, em ple- Em São Paulo, a relação cai a um terço: 5,7% a no século 21, no país onde metade da população 18,1%, respectivamente. se autodeclara preta ou parda, A luta contra a invisibilidaa cor da pele impõe barreiras de negra no setor financeiro e Por mais absurdo para o acesso a direitos bádiscriminação racial sempre que seja, fato é que, fez parte da pauta de reivinsicos como saúde, educação, em pleno século 21, oportunidade de trabalho e dicações dos bancários. Na no país onde metade minuta da última campanha salário decente com isonoda população se mia. No setor financeiro, nacional, a demanda se manpor exemplo, os negros não autodeclara preta ou teve: a categoria pediu que apenas são minoria, como 20% das contratações nos parda, a cor da pele também ocupam os cargos da impõe barreiras para bancos fossem de negros. Os base da pirâmide funcional, bancos não aceitaram. o acesso a direitos o que reforça a discrepância Mas a pauta continua viva, básicos salarial. e pode avançar já no próximo Os bancários, entretanto, ano, caso o Congresso Narefletem o que acontece no mercado de traba- cional aprove o projeto de lei que estabelece o lho brasileiro de modo geral. Pesquisa divulgada sistema de cotas para o serviço público federal. pelo Dieese este mês, confirma o que pode pa- Destina aos negros 20% das vagas nos concursos recer inacreditável: independentemente do nível públicos do Poder Executivo. O projeto foi ende escolaridade, o negro ganha 63,8% menos viado pelo presidenta Dilma Rousseff com pedido por hora trabalhada do que o branco. E ainda de urgência. É uma brecha importante, num país que o nível salarial melhore, devido à crescente onde, apesar dos avanços dos últimos 10 anos, soformação de nível superior entre os negros, não bretudo, a democracia racial, infelizmente, ainda diminui a distância da desigualdade em relação é uma quimera, e avança a passos lentos.

Acompanhe o Sindicato nas redes sociais! twitter.com/bancariospe

facebook.com/bancariospe

DIRETORIA EXECUTIVA Presidenta: Jaqueline Mello Secretário-Geral: Fabiano Félix Comunicação: Anabele Silva Finanças: Suzineide Rodrigues Administração: Epaminondas França Assuntos Jurídicos: Justiniano Junior Bancos Privados: Geraldo Times Bancos Públicos: Daniella Almeida

Cultura, Esportes e Lazer: Adeílton Filho Saúde do Trabalhador: Wellington Trindade Secretária da Mulher: Sandra Trajano Formação: João Rufino Ramo Financeiro: Flávio Coelho Intersindical: Renato Tenório Aposentados: Luiz Freitas

16 a 30 de novembro de 2013

Terceirização é barrada

A pressão da CUT, com apoio da bancada do PT, impediu que o Senado aprovasse o PLS 87/2010 na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que também avança na terceirização, em prejuízo dos trabalhadores, bancários inclusive. Para impedir a votação, os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Suplicy (PT-SP) pediram vistas ao projeto. Uma audiência pública, em data ainda a ser marcada, será realizada para debater o projeto, por reivindicação da CUT. O PL 87 é um clone do outro projeto que tramita na Câmara dos Deputados e que só não foi votado até agora pela mobilização dos trabalhadores – o PL 4330/2004, de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO). A CUT e os sindicatos continuam de olho.

Fator

previdenciário

O 12 de novembro foi dia de luta pelo fim do fator previdenciário nas aposentadorias, pela redução das taxas de juros e pela correção da tabela do Imposto de Renda. Convocado pela CUT e demais centrais sindicais, o objetivo é pressionar o governo federal a dar respostas concretas às demandas da classe trabalhadora. O prazo de 60 dias definido pelo próprio governo, diante das mobilizações recentes, já se esgotou. Em São Paulo, Rio de Janeiro e em Minas Gerais, a mobilização levou centenas de trabalhadores às ruas. Em alguns estados, como Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Sergipe, começou de madrugada; em Minas houve bloqueio de rodovias.

Reforma

política

Mais da metade dos brasileiros (53,8%) consideram a reforma política a principal mudança institucional que o país necessita. Seguem-se as reformas jurídica (15,3%), trabalhista (14,3%) e tributária (9,4%). É o que constata pesquisa divulgada pela Confederação Nacional dos Transportes na primeira semana de novembro. O mesmo levantamento aponta para a saúde como o setor que mais precisa de melhorias, na visão de 87,4% das pessoas ouvidas. Em seguida vêm a educação (49,7%) e a segurança (34,3%). Informativo do Sindicato dos Bancários de Pernambuco Circulação semanal Redação: Av. Manoel Borba, 564, Boa Vista, Recife Telefone: 3316.4233 / 3316.4221. Correio Eletrônico: imprensa@bancariospe.org.br Sítio na rede: www.bancariospe.org.br

Jornalista responsável: Fábio Jammal Makhoul. Conselho Editorial: Jaqueline Mello, Anabele Silva, Geraldo Times e João Rufino. Redação: Fabiana Coelho, Fábio Jammal Makhoul, Sulamita Esteliam e Wellington Correia. Diagramação: Bruno Lombardi. Fotos: Beto Oliveira e Ivaldo Bezerra. Impressão: NGE Tiragem: 12.000 exemplares


3 IGUALDADE DE OPORTUNIDADES

Sindicato discute a situação das mulheres nos bancos

O

Sindicato participa, entre os dias 25 e 27 de novembro, do 3º Encontro Nacional de Mulheres Bancárias, que será realizado pela Contraf-CUT, em São Paulo. O Sindicato será representado pela presidenta Jaqueline Mello, e pelas diretoras Suzineide Rodrigues, Sandra Trajano, Azenate Albuquerque e Janaína Kunst. A diretora da Fetrafi-NE, Teresa Souza, também participa do evento. Para Jaqueline, a discriminação contra a mulher no mercado de trabalho ainda é muito grande, inclusive nos bancos. “Os homens têm muito mais facilidade na carreira que as mulheres nos bancos, ganham mais e ocupam os melhores cargos. Em média, as bancárias têm mais estudo que os bancários, mas ganham 24,10% a menos. Nas direto-

rias, só há 19,9% de mulheres”, destaca. Jaqueline ressalta que a categoria bancária tem de avançar muito mais nesta luta contra a desigualdade entre os gêneros. “Esperamos que este

Encontro ajude a fortalecer esta luta em todos os sindicatos de bancários para que a gente possa aumentar a pressão sobre os bancos e acabar com esta discriminação”, diz a presidenta,

CARAVANAS DO SINDICATO

Novo ciclo de visitas agita os bancários do interior do estado O Sindicato deu início à etapa final do calendário de visitas ao interior do estado e das áreas estendidas da Região Metropolitana do Recife em 2013. Os diretores da entidade Fernando Batata e Sérgio Guimarães, o Serjão, abriram a programação percorrendo as cidades de Agrestina, Altinho, Gameleira, Palmares, Água Preta, Catende,

Fábio Sales

Belém de Maria, Maraial, Lagoa dos Gatos, Cupira, Panelas, Jurema e Joaquim Nabuco, localizadas na Zona da Mata sul do Estado. Para Fernando Batata, o calendário periódico de visitas ao interior é um dos pontos altos da atual gestão do Sindicato e encontra, entre os trabalhadores, excelente receptividade. “Fomos muito bem recebidos. Os colegas estavam satisfeitos com o resultado de nossa campanha salarial. E estas visitas são uma maneira de aproximar a diretoria dos colegas que trabalham mais distante: ouvir seus problemas, seus relatos e suas dificuldades”, diz o dirigente. Já Serjão destacou as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores do interior. A falta de funcionários é a mais grave. “Em todos os ban-

lembrando que o Sindicato de Pernambuco é pioneiro nesta luta, sendo a primeira entidade de classe da categoria no país a criar uma Secretaria da Mulher na sua direção executiva.

SAÚDE E SEGURANÇA

cos os colegas reclamam. Mas no Santander esse problema parece ser mais gritante. Sempre que alguém adoece ou precisa se ausentar do trabalho por algum motivo, não vem ninguém para substituir e a situação fica ainda mais alarmante” denuncia. Segundo o coordenador dos trabalhos de visita ao interior, Fábio Sales, até o final de novembro serão percorridas todas as áreas assistidas pela direção do Sindicato dos Bancários de Pernambuco. “Começamos com a área de Palmares e cidades vizinhas e encerraremos, no dia 29 de novembro, com a área de Floresta e região. Este é o ciclo final da viagens ao interior este ano. Estamos cumprindo à risca o calendário com visitas ao interior a cada três meses”, afirma Fábio.

Vítimas de assalto devem registrar Comunicação de Acidente de Trabalho O Sindicato expediu Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) para vários empregados da agência do HSBC da Avenida Agamenon Magalhães, no Recife. A unidade foi assaltada no final de outubro e os trabalhadores viveram momentos de muita tensão. “É muito importante que os bancários que passam por ocorrências deste tipo procurem o Sindicato se o banco não emitir a Comunicação de Acidente de Trabalho. Caso no futuro ele venha a sofrer algum transtorno por conta do trauma, o documento vai atestar que se trata de acidente de trabalho”, explica o secretário de Saúde do Sindicato, Wellington Trindade.

16 a 30 de novembro de 2013


4

Bancários brasileiros estão entre as principais vítimas

O

assédio moral é um problema crônico que afeta trabalhadores no mundo inteiro. Mas é nos bancos que atuam no Brasil que o assédio encontra um terreno fértil e transforma a categoria bancária nas principais vítimas. O problema é tão grave que o Ministério Público do Trabalho decidiu agir e, desde outubro, tem realizado uma série de atos em todo o país. No último dia 13, o ato chegou ao Recife e contou com a participação da presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello. Os números apresentados durante o evento são assustadores. Segundo pesquisa da Universidade de Brasília (UnB), todos os dias um bancário tenta suicídio no Brasil. A cada 20 dias, um deles se mata. Dados do INSS apontam que 21.144 bancários foram afastados do trabalho no ano passado por adoecimento. Entre eles, 25,7% estava com estresse, depressão, síndrome de pânico e transtornos mentais – doenças relacionadas diretamente ao assédio moral.

Ivaldo Bezerra

Assédio moral

O assédio é tão grave que o Ministério Público do Trabalho está realizando uma série de atos em todo o país. No Recife, o evento contou com a participação da presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello

Jaqueline destacou que o assédio moral destrói a vida do trabalhador e também acaba com as relações familiares. “Temos conseguido alguns avanços na luta contra o assédio moral, mas ainda temos um longo caminho a percorrer. Em 2010, conquistamos, de forma inédita no país, a inclusão da cláusula de combate ao assédio na Convenção Coletiva de Trabalho, renovada nas campanhas de 2011, 2012 e melho-

rada em 2013. Este ano também conseguimos a garantia de que os bancos não podem enviar torpedos para o celular particular dos bancários cobrando o cumprimento de metas. Mas o assédio moral ainda é muito grande nos bancos e, por isso, aproveitamos para pedir a ajuda de todos os órgãos que participam deste ato. Precisamos criar um fórum permanente para tratar do assunto”, disse.

Jaqueline lembrou que o Sindicato dos Bancários de Pernambuco é pioneiro na luta contra o assédio moral e que, em 2003, a entidade liderou uma pesquisa nacional onde 40% dos bancários relataram que já sofreram humilhações no trabalho. O levantamento também mostrou que 61% dos trabalhadores bancários sofriam com estresse, cansaço, tristeza, insônia e outros sintomas de natureza psicológica.

CONQUISTA DA GREVE

A força da greve nacional dos bancários arrancou importantes conquistas econômicas e sociais para a categoria. Uma delas é a folga assiduidade, prevista na cláusula 24ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) de 2013/2014. Trata-se de um dia de ausência remunerada ao empregado que não tenha falta injustificada ao trabalho no período de 01/09/2012 a 31/08/2013. “É uma nova conquista dos bancários na luta pela concessão do abono assiduidade de cinco dias por ano, já garantido em acordos

coletivos assinados com vários bancos públicos. Agora, cada bancário terá pelo menos um dia de folga para resolver problemas, esticar o fim de semana ou tratar de assuntos pessoais”, destaca o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro. A folga é devida a todos os bancários com um ano de vínculo empregatício com o banco e em efetivo exercício no dia 18 de outubro deste ano, quando foi assinada a CCT. O direito precisa ser exercido

16 a 30 de novembro de 2013

até o dia 31 de agosto de 2014 e a data será definida pelo funcionário em conjunto com o gestor. Essa nova conquista não poderá ser convertida em pecúnia, não adquire caráter cumulativo e não poderá ser utilizada para compensar faltas ao serviço. O banco que já concede folgas ao empregado, como “faltas abonadas”, “abono assiduidade”, “folga de aniversário”, fica desobrigado do cumprimento desta cláusula, sempre observando a fruição dessa folga em dia útil.

Thomas Pate / SXC.hu

Folga assiduidade já pode ser usufruída


5

Grupo vai investigar causas de adoecimento dos bancários

O

Comando Nacional dos Bancários e a Federação dos Bancos (Fenaban) se reuniram no último dia 7 para a instalação oficial do grupo de trabalho que investigará as causas de adoecimento da categoria. A criação deste novo espaço de negociações foi conquistada na Campanha Nacional deste ano, encerrada em outubro após 23 dias de greve. Para o secretário de Saúde do Sindicato, Wellington Trindade, que representou os bancários do Nordeste na reunião realizada em São Paulo, a criação deste grupo de trabalho é de extrema importância para a categoria. “Vamos apostar tudo neste espaço para que ele produza efeitos práticos e proteja a saúde dos bancá-

rios”, diz Wellington. Segundo o diretor do Sindicato, a cada dia cresce o número de bancários afastados por problemas de saúde. No ano passado, foram 21.144 bancários oficialmente afastados de suas funções pelo INSS. Mas estima-se que grande parte dos pedidos de afastamentos seja negada e que o número de bancários que adoecem possa chegar a 60 mil por ano em todo o Brasil. Nessa primeira reunião o Comando Nacional reivindicou amplo acesso a dados sobre afastamentos para que possa ser feito o diagnóstico mais abrangente possível. A Fenaban se comprometeu a fornecer dados dos funcionários afastados por CID (Classificação Interna-

Wellington Trindade

cional de Doenças), gênero, idade, tempo de banco e função, por agência e departamentos. A próxima reunião acontecerá no

dia 28 de novembro, quando será discutida uma metodologia a ser adotada para a continuidade do trabalho do grupo.

Segurança bancária

Projeto-piloto já está implantado em Pernambuco, mas ainda há problemas A Contraf-CUT e o Sindicato se reuniram com os bancos, no dia 4, para a instalação oficial do grupo de trabalho que vai acompanhar o andamento do projeto-piloto de segurança bancária, implantado desde agosto em Recife, Olinda e Jaboatão. Nesta primeira reunião, os representantes dos bancários deixaram claro para os bancos que o projeto-piloto só vai funcionar de fato se o grupo de trabalho tiver transparência nas informações e a participação ativa de todos os atores envolvidos. Para isso, o Sindicato e a Contraf sugeriram a realização de uma reunião ampliada do grupo com a participação da Secretaria de Defesa Social do Governo de Pernambuco, do Comando da Polícia Militar, do Delegado Geral da Polícia Civil, do Ministério Público e das prefeituras das três cidades. Além

Beto Oliveira

Bancários e bancos criaram grupo para acompanhar o projeto-piloto

disso, os bancários solicitaram que integre o grupo um representante do BNB, já que hoje fazem parte apenas os seis maiores bancos: Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Santander, Itaú e HSBC. Pelo lado dos trabalhadores, os bancários solicitaram a participação do Sindicato dos Vigilantes. Segundo a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, de todas essas reivin-

dicações os bancos só aceitaram incluir o BNB no grupo. “Esta primeira reunião do grupo deixou a desejar. Para que o projeto-piloto funcione, de fato, precisamos envolver todas as agências e todos os órgãos que fazem parte do acordo”, diz. Alguns problemas

Nos últimos meses, o Sindicato per-

correu as agências dos três municípios e constatou que os itens previstos no projeto-piloto realmente estão implantados. Mas constatou problemas nos biombos. “Explicamos para os bancos que os biombos não estão funcionando a contento. O objetivo deste item é garantir a privacidade de quem está fazendo suas transações, a fim de coibir o chamado crime da saidinha de banco. As instituições financeiras ficaram de verificar o problema apontado pelo Sindicato para solucioná-lo”, explica o secretário de Formação do Sindicato, João Rufino, que representa o Nordeste no Coletivo Nacional de Segurança Bancária. Os representantes dos bancários solicitaram que a próxima reunião do grupo de trabalho seja marcada para a primeira semana de dezembro.

16 a 30 de novembro de 2013

Nihan Aydin / SXC.hu

Saúde


6 SANTANDER

Bancários exigem o fim das demissões no banco

O

Epaminondas Neto

Sindicato e a Contraf-CUT retomam no próximo dia 19, às 14h, as reuniões do Comitê de Relações Trabalhistas com o Santander, em São Paulo. O Comitê é um espaço de negociação permanente com o banco espanhol para discutir a melhoria das condições de trabalho. Segundo o secretário de Administração do Sindicato, Epaminondas Neto, a primeira reunião do Comitê após a Campanha Nacional vai discutir as reivindicações sobre emprego, assistência médica, homologação por prepostos

EX-BANDEPE

Associados da Bandeprev escolhem novos conselheiros fiscais no dia 10 de dezembro No próximo dia 10 de dezembro, a Bandeprev – fundo de previdência dos funcionários do antigo Bandepe – realiza eleição para os integrantes do Conselho Fiscal. As direções das principais entidades representativas dos bancários, como o Sindicato e a Asfabe (Associação dos Funcionários Aposentados do Bandepe), apoiam os candidatos Aluízio Lira, como representante do pessoal da ativa, e Albérico Branco, representante dos assistidos. Aluízio, graduado em direito, iniciou sua vida bancária no Bandepe em 1983. Hoje, está lotado na agência Igarassu do Santander e é diretor da Fetrafi-NE (Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro no Nordeste). Albérico, formado em ciências econômicas e ciências contábeis, foi admitido no Bandepe em 1965. Atualmente, é diretor financeiro da Asfabe. Am-

bos integram o conselho fiscal da Bandeprev. A votação acontece nas sedes da Bandeprev e da Asfabe e também por meio do envio das cédulas por correspondência. Para isso, os eleitores devem marcar o nome dos dois candidatos, colocar a cédula no envelope pequeno denominado porta cédula e lacrar. Depois, deve preencher e assinar a ficha de identificação e colocar, no envelope maior, o envelope pequeno, já lacrado e a

16 a 30 de novembro de 2013

ficha. Então, é só lacrar o envelope maior e entregar, até as 17h, em qualquer unidade dos Correios, que o porte já está pago. Segundo a Bandeprev, os kits eleitorais serão enviados aos associados até o dia 2 de dezembro. A sede da Bandeprev funciona na Rua do Apolo, 91, bairro do Recife. E a da Asfabe na Rua José Bonifácio, 339, Torre. A votação vai das 9h às 17h. Os resultados serão divulgados no dia 8 de janeiro.

Direção do Sindicato apoia os candidatos Aluízio Lira (ativa) e Albérico Branco (assistidos)

terceirizados e a retirada de ações ajuizadas pelo banco contra entidades sindicais. “Vamos focar na questão do emprego, pois o Santander continua demitindo milhares de pais e mães de família, mesmo tendo lucrado R$ 4,3 bilhões nos primeiros nove meses deste ano”, diz Epaminondas. Segundo o balanço divulgado pelo próprio banco, de janeiro a setembro o Santander cortou 3.414 empregos. “Se considerarmos os doze últimos meses, o Santander fechou 4.542 vagas, o que significa uma redução de 8,2% no quadro de funcionários. Vamos, não só exigir o fim das demissões, mas também queremos mais contratações”, afirma Epaminondas.

BANRISUL

Afastados por doença recebem PLR e 13ª cesta normalmente O Banrisul confirmou para o próximo dia 25 o pagamento da PLR aos funcionários afastados para tratamento de saúde, com os mesmos critérios utilizados para o benefício dos empregados da ativa, que já receberam os devidos valores. O banco também se comprometeu a pagar até o dia 30 de novembro a 13ª cesta-alimentação a todo o quadro de funcionários, inclusive para os afastados. A extensão do pagamento dessas conquistas a todos os funcionários afastados para tratamento, independente do tempo de afastamento, foi uma das conquistas das negociações específicas da Campanha Nacional 2013.


7 CAIXA

Sindicato volta a cobrar o pagamento de horas-extras

O

Sindicato enviou ofício aos superintendentes Paulo Nery e Denis Matias, da SR Recife e SR Centro-Oeste em Pernambuco, para cobrar o pagamento integral das horas-extras realizadas nos dias 14, 15 e 16 de outubro, logo após o encerramento da greve. O Sindicato fizera a mesma cobrança, no dia 15 de outubro, à diretoria do banco que respondeu, transferindo a decisão para as gestões locais. O Sindicato aguarda o retorno das superintendências. Nestes três dias de outubro, as agências da Caixa em Pernambuco abriram mais cedo para atender a demanda reprimida da população, principalmente os serviços sociais, como pagamento de

FGTS, seguro-desemprego, INSS, bolsa-família. “A jornada extraordinária foi além das duas horas permitidas por lei e o período de compensação de horas da greve ainda não tinha iniciado. Mesmo assim, os funcionários deram mostras de seu comprometimento com a empresa e com os clientes. Mas estas horas-extras devem ser pagas integralmente”, afirma a secretária de Comunicação do Sindicato, Anabele Silva, empregada da Caixa. O acordo coletivo foi assinado no dia 18 de outubro. Portanto, nos três dias em que os empregados trabalharam em horário ampliado, o programa de compensação das horas não trabalhadas durante a greve não tinha se iniciado.

Anabele Silva

BANCO DO BRASIL

Financiários

Pressão garante reclassificação de faltas ocorridas em virtude de protestos

Trabalhadores começam a receber as conquistas da campanha salarial

Depois de muita pressão dos sindicatos, o Banco do Brasil anunciou, no dia 6, a reclassificação das faltas ocorridas no primeiro semestre por causa dos protestos contra o Plano de Funções implantado pela empresa. A reclassificação das faltas não abonadas e não justificadas é uma conquista da Campanha Nacional dos Bancários, que terminou agora, em outubro, após 23 dias de greve. Os administradores do BB já receberam comunicado da direção da empresa para fazerem o acerto. O secretário-geral do Sindicato, Fabiano Félix, avisa para os bancários verificarem com seus gestores se a reclassificação foi feita. O objetivo é garantir que os créditos e acertos oriundos deste estorno ocorram ainda na folha de novembro. “Qualquer problema, o bancário

O Sindicato e a federação das financeiras (Fenacrefi) já renovaram o acordo coletivo dos trabalhadores. Com isso, os financiários recebem, agora em novembro, os valores do reajuste salarial e dos vales retroativos à data-base, que é em 1º de junho. A primeira parcela da PLR já foi creditada pelas empresas. Assim como os bancários, os trabalhadores da financeiras encerraram sua campanha salarial recheados de conquistas. A nova Convenção Coletiva, semelhante à dos bancários, foi aprovada por unanimidade pelos financiários de Pernambuco em assembleia realizada no dia 29 de outubro. Entre as principais conquistas estão o aumento real dos salários, a valorização dos pisos e da PLR e o vale-cultura. Segundo o secretário do Ramo Financeiro do Sindicato, Flávio Coelho, o acordo fechado com a Fenacrefi (federação das financeiras) atendeu as principais reivindicações dos financiários para Flávio Coelho a Campanha Salarial deste ano.

Fabiano Félix

deve procurar imediatamente o Sindicato para que a gente possa tomar as devidas providências a fim de evitar que os colegas que participaram da luta contra o plano de funções sejam prejudicados”, alerta Fabiano.

16 a 30 de novembro de 2013


8 CAMPEONATO DE FUTEBOL DOS BANCÁRIOS

Itaú derrota o Bradesco e conquista o bicampeonato

E

m partida acirrada, marcada pelo equilíbrio, o Itaú bateu o Bradesco por 1 a 0 e, pela segunda vez, levantou o troféu do Campeonato de Futebol dos Bancários de Pernambuco. A final foi realizada no dia 9 de novembro e agitou o Clube de Campo do Sindicato. Na partida preliminar, a equipe do pessoal da Caixa, a Apcef, não tomou conhecimento do Santander e aplicou uma goleada de 4 a 1, garantindo a terceira colocação do certame. “Esta final do Campeonato foi emocionante”, avaliou o secretário de Esportes, Cultura e Lazer do Sindicato, Adeílton Filho, organizador da competição. “O Itaú conseguiu

Beto Oliveira

Adeílton Filho

quebrar a hegemonia do Bradesco. Parabéns aos nossos bicampeões”, falou Adeílton. Além do titulo da temporada,

o Itaú também fez o artilheiro da competição, Daniel Lins, que balançou as redes adversárias onze vezes. Já o Santander, quarto colo-

APOSENTADOS

CIDADANIA

Sindicato contribui para levar água à comunidade carente no Agreste Uma vila de mulheres e crianças, na beira da estrada, entre os municípios de Buíque e Pedra, no Agreste Pernambucano. Os homens foram trabalhar em outras freguesias para garantir o sustento de suas famílias. A água que mata a sede, e é usada para cozinhar, lavar louças e roupa, também pode matar, ou no mínimo adoecer, quem a bebe; é barrenta e contaminada, pois é colhida do que sobrou do rio mais próximo, que não resistiu à falta de chuvas. Quando o governo socorre com carros-pipa, não há onde armazenar a água potável. Não havia. Foi nessa comunidade que o Cáritas e o Comitê Betinho da Cidadania inaugurou mais uma cisterna de placa, no último dia 10. O Sindicato é parceiro nesta ação feita em Cajazeiras. “A comunidade fica na beira da estrada, entre Buíque e

cado, recebeu o troféu Fair Play por ser a equipe mais disciplinada. Desde o início do Campeonato, dois meses atrás, dez equipes disputaram o título em 26 partidas. A presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, parabenizou os bancários que participaram do Campeonato e destacou a confraternização e o lazer como pontos importantes para os trabalhadores. “A equipe do Itaú sagrou-se campeã, mas todos estão de parabéns. Todos são campeões. É importante que os bancários continuem participando do Campeonato e das atividades de lazer do Sindicato para que a gente tenha mais momentos agradáveis como este”, ressaltou Jaqueline.

A cisterna em Cajazeiras foi a 11ª que o Sindicato dos Bancários ajuda a construir

Pedra, e nenhum dos dois municípios assume responsabilidade sobre serviços mínimos. As casas em sua maioria são de taipa, há algumas de alvenaria. A água que bebem é salobra e contaminada. Água potável só de carro-pipa, e eles não tinham como armazenar. Então, a cisterna é fundamental para minorar o sofrimento dessas pessoas, gente muito simples, excluída dos benefícios básicos. Foi

16 a 30 de novembro de 2013

recebida com muita alegria, mesmo que tenham que se cotizar para comprar água, enquanto a chuva não vem”, relata Suzineide Rodrigues, secretária de Finanças do Sindicato. Ela representou a entidade no ato, junto com os também diretores Francisco de Assis, o Chico, e Flávio Coelho. É a décima primeira cisterna que o Sindicato dos Bancários ajuda a construir dentro do projeto.

Dia 22 tem mais um café da manhã O Café da Manhã dos Aposentados está de volta no próximo dia 22, sexta-feira. Por conta da Campanha Nacional, que culminou com uma greve vitoriosa que durou 23 dias, os aposentados tiveram que passar os meses de setembro e outubro sem o seu encontro mensal. Agora em novembro, terão oportunidade de, mais uma vez, se confraternizarem, reencontrarem os amigos e botarem a conversa em dia. “Convido todos para virem ao Sindicato no dia 22 para realizarmos uma grande confraternização. Vamos retomar aquele bate-papo gostoso, aquele convívio com os nossos amigos e degustar um delicioso café-da-manhã”, reforça Maria José Leódido, diretora em exercício da Secretaria de Aposentados do Sindicato.


Jornal dos Bancários - ed. 469