Issuu on Google+

ANO XVX • Nº 398 • 01 a 15 DE JUNHO DE 2011 • SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE CRÉDITO NO ESTADO DE PERNAMBUCO

Tá na hora de construir a pauta de reivindicações Os bancários já começaram a construir a pauta de reivindicações para a Campanha Nacional 2011. Até o próximo dia 8, o Sindicato está aplicando uma pesquisa com os trabalhadores de Pernambuco para verificar quais são os principais anseios para este ano. A entidade também realizou um encontro no interior para discutir o início da Campanha Nacional. A partir de agora, as atenções do Sindicato e dos trabalhadores se voltam para este que é o mais importante embate do ano entre bancários e banqueiros. Páginas 4 e 5.

LEIA TAMBÉM Bancários de PE aprovam a criação de uma nova federação Página 3

Leia as últimas notícias sobre o seu banco Páginas 6 e 7

Sindicato prepara programação especial para o mês de São João

WWW.BANCARIOSPE.ORG.BR

Página 8


Página 2

2

EDITORIAL

Esquentando as turbinas A Campanha Nacional dos Bancários só come- papo que serve para esquentar a vontade de lutar. ça pra valer em agosto, mas o Sindicato já deu No ano passado, a mobilização dos bancários início aos preparativos para o mais importante foi muito boa. A categoria construiu uma granembate do ano contra os bancos. Há quinze dias, de greve nacional, a maior dos últimos vinte os dirigentes sindicais estão peranos, e conquistou o mecorrendo as agências e departalhor acordo já fechado com Agora é hora mentos das instituições financeias instituições financeiras ras no Recife e no interior para de arregaçar as em duas décadas. aplicar uma pesquisa que ques- mangas e começar Como se vê, a mobilitiona as principais reivindicações a preparar a luta zação é de fundamental da categoria para 2011. importância para que os para o segundo Em paralelo, a Contraf-CUT bancos atendam nossas reisemestre. Vamos, (Confederação Nacional dos vindicações. Quem entrou mais uma vez, Trabalhadores do Ramo Finanrecentemente para a carreira mostrar para os ceiro) está aplicando uma pesbancária pode pensar que as bancos a nossa quisa que tem o mesmo espírito. instituições financeiras são Juntas, elas vão balizar as dis- força e disposição “boazinhas” e concedem aos para ampliarmos as cussões do Encontro Estadual seus funcionários uma série dos Bancários e das Conferên- nossas conquistas de direitos que nenhum oucias Regionais e Nacional, que tro trabalhador no Brasil vão fechar a pauta de reivinditem. Ledo engano. Todos os cações que será entregue aos bancos. direitos que temos foram arrancados com muita Mais do que ajudar o Sindicato a construir a luta e greve. Nada veio de graça. pauta de reivindicações, a aplicação desta conPortanto, agora é hora de arregaçar as mangas sulta é o início da mobilização dos bancários e começar a preparar a luta para o segundo separa a Campanha Nacional que se avizinha. Nes- mestre. Vamos, mais uma vez, mostrar para os te momento, os trabalhadores devem conversar bancos a nossa força e disposição para ampliarcom os colegas sobre as demandas que precisam mos os nossos salários e garantirmos melhores ser atendidas pelos bancos este ano, numa bate condições de trabalho.

Humor

LIBÓRIO MELO

Tema livre Oportunidades

iguais

A Febraban anunciou pela imprensa e já colocou em seu site uma ferramenta de recrutamento online de trabalhadores. Essa é uma das nove propostas apresentadas pelo Sindicato e pela Contraf-CUT nos debates da mesa temática de igualdade de oportunidades, para democratizar o acesso aos bancos e evitar qualquer tipo de discriminação nas contratações. É uma conquista importante dos bancários, embora a Febraban tenha feito o anúncio unilateralmente e omitido que a proposta partiu do movimento sindical.

R$ 12

bilhões

Este foi o valor total que os 25 maiores bancos do país lucraram somente nos primeiros três meses do ano. Isto coloca, mais uma vez, o sistema financeiro como o segmento mais lucrativo da economia brasileira, segundo levantamento da consultoria Economatica. Os R$ 12 bi que os bancos ganharam representam uma alta de 18,2% frente ao primeiro trimestre de 2010.

Tarifas Um recente estudo do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) mostrou que as tarifas dos bancos subiram até 124% em três anos, entre 2008 e 2011.

Informativo do Sindicato dos Bancários de Pernambuco Circulação quinzenal

Redação: Av. Manoel Borba, 564, Boa Vista, Recife Telefone: 3316.4233 / 3316.4221. Correio Eletrônico: imprensa@bancariospe.org.br Sítio na rede: www.bancariospe.org.br Jornalista responsável: Fábio Jammal Makhoul Conselho Editorial: Josenildo dos Santos, Geraldo Times, Tereza Souza e Jaqueline Mello. Redação: Fabiana Coelho, Fábio Jammal Makhoul e Wellington Correia. Diagramação: Bruno Lombardi. Impressão: NGE Tiragem: 9.000 exemplares

DIRETORIA EXECUTIVA Presidenta Jaqueline Mello

Secretário-Geral Fabiano Félix Comunicação Anabele Silva

Saúde do Trabalhador João Rufino

Finanças Suzineide Rodrigues

Secretaria da Mulher Sandra Albuquerque

Administração Epaminondas França

Formação Tereza Souza

Assuntos Jurídicos Alan Patricio Bancos Privados Geraldo Times Bancos Públicos Daniella Almeida

01 a 15 de junho de 2011

Cultura, Esportes e Lazer Adeílton Filho

Ramo Financeiro Elvis Alexandre Intersindical Cleber Rocha Aposentados Luiz Freitas


Sindicato em ação

3 Organização

Bancários aprovam a criação da Fetrafi-NE

Nova Federação, aprovada pelos pernambucanos, deve reunir todos os trabalhadores do ramo financeiro do Nordeste

NOTAS

Copa 2014

Organizações Não Governamentais e movimentos sociais estão preocupados com o impacto da copa 2014 para a população, meio ambiente e gestão pública. No último dia 24, o Sindicato foi um dos participantes de uma reunião, na ONG Etapas, para tratar do tema. Segundo o diretor do Sindicato Ronaldo Batista, que participou do encontro, motivos não faltam para apreensão. Em outros países, o legado deixado por megaeventos como esse não tem sido positivo, nem para os cofres públicos nem para a população. Os movimentos se queixam da falta de transparência e cobram a realização de audiências públicas para dar lisura ao processo.

Convênios

Assembleia reuniu 139 bancários, que aprovaram a criação da Fetrafi por unanimidade

O

s bancários de Pernambuco aprovaram no último dia 27, por unanimidade, a criação da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Nordeste (Fetrafi-NE). Em assembleia realizada na sede do Sindicato, os 139 trabalhadores presentes aprovaram três pontos que estavam em pauta: a participação do Sindicato no Conselho de Fundadores da Federação; a escolha de representantes de Pernambuco no Conselho; e a aprovação da filiação do Sindicato à Fetrafi-NE. Para a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, a criação da Fetrafi-NE é um grande passo dos bancários para unificar a luta com todos os trabalhadores do ramo financeiro. “Nas últimas décadas, os bancos segmentaram seus trabalhadores, criando diversas categorias, como os financiários, promotores de vendas, securitários, especialistas em tecnologia da

informação, entre outras. Esta divisão enfraquece a luta dos bancários e deixa grande parte dos funcionários de fora da nossa categoria, com direitos e salários menores. Com a criação da Fetrafi, vamos unificar a luta para que todas as pessoas que prestam serviço para os bancos possam ter as mesmas conquistas”, diz. Jaqueline explica que a criação da Fetrafi-NE é a última etapa da adaptação do movimento sindical bancário visando representar todos os trabalhadores do ramo financeiro. A mudança estrutural começou em janeiro de 2006, com a criação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT). “O Sindicato dos Bancários de Pernambuco foi um dos primeiros do país a se adaptar a esta nova realidade e mudou seu nome para Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Crédito. Agora, os trabalhadores do

sistema financeiro do Nordeste se uniram para fundar uma nova federação, que passa a ser a nossa segunda instância de representação”, conta. Um pouco de história

Nos anos de 1980, a categoria bancária era formada por mais de 1 milhão de trabalhadores no Brasil. Hoje, o número de bancários gira em torno dos 465 mil, por conta da segmentação que os bancos fizeram no seu quadro de funcionários, criando diversas categorias. Todos esses trabalhadores, embora continuem prestando serviço para os bancos, ficaram à margem da Convenção Coletiva dos Bancários. Com muito menos direitos, esses empregados ficaram sem representatividade sindical e, separados, não só perdem o poder de pressão contra os bancos, mas também enfraquecem a categoria bancária, que acabou reduzida pela metade.

O Sindicato vai ampliar os convênios, beneficiando também os trabalhadores do interior. A entidade já entrou em contato com várias instituições, de todo o estado. Outra intenção é estender o número de dependentes, para abranger pais, irmãos e outros familiares. Quem responde por este setor é, atualmente, a diretora do Sindicato Suzana Andrade.

Formação

O Sindicato está investindo na formação de seus dirigentes. Em maio, vários seminários foram realizados sobre temas diversos. Nos dias 16 e 17, por exemplo, os diretores refletiram sobre um tema que nunca, em oitenta anos de Sindicato, havia sido discutido de forma aberta: A diversidade de orientação sexual. No dia 19, teve início um seminário de resgate do movimento sindical. Para a secretária de Formação, Teresa Souza, apesar das resistências e polêmicas sobre o assunto, a realização de um seminário para tratar da diversidade foi um passo importante para que o Sindicato possa ter uma atuação ainda mais incisiva no combate a todo tipo de discriminação.

01 a 15 de junho de 2011


Campanha Nacional

4

Sindicato inicia a construção da pauta de reivindicações Lumen Fotos

Responda a consulta até o próximo dia 8 no site www.bancariospe.org.br

Assim como no ano passado, mobilização dos bancários será fundamental para ampliar as conquistas

T

ermina no próximo dia 8 de junho o prazo para os bancários responderem a pesquisa do Sindicato que questiona sobre as principais reivindicações da categoria para a Campanha Nacional 2011. Esta consulta é o primeiro passo para a construção da pauta que será entregue aos bancos, em agosto (veja o calendário). Assim como nos anos anteriores, a resposta dos bancários vai orientar os debates no encontro estadual e nas conferências regional e nacional, que definirão a minuta de reivindicações e a estratégia para a campanha deste ano. A presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, lembra que, no ano passado, metade dos bancários de Pernambuco (49%) apontou que a solução para o problema do assédio moral e o fim das metas abusivas (58%) eram prioridades. “Com isso, jogamos peso nestas questões durante as negociações com os bancos e conseguimos conquistar um acordo

01 a 15 de junho de 2011

inédito no Brasil para combater o assédio moral dentro das instituições financeiras”, diz. No que se refere à remuneração direta, por exemplo, o aumento real era a principal demanda apontada por 75% dos bancários de Pernambuco. “Por isso, lutamos e garantimos um reajuste acima da inflação pelo sétimo ano consecutivo”, explica. Jaqueline ressalta que a estrutura de organização dos bancários, principalmente na construção da Campanha Nacional, é a mais democrática possível e serve de exemplo para os demais trabalhadores. “A consulta é o primeiro passo. E, em paralelo, a Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro) está aplicando uma pesquisa em todo o Brasil para verificar os anseios dos bancários para este ano. Depois, vamos afunilando as reivindicações comuns e dirimindo as polêmicas no Encontro Estadual e nas Confe-

rências Regional e Nacional, que é onde fechamos a pauta de reivindicações. Mas, antes que ela seja entregue aos bancos, voltamos a consultar os bancários em assembleia para verificar se a pauta é realmente a esperada pela categoria”, diz. A consulta está disponível no site do Sindicato (www.bancariospe.org.br) ou com um dos diretores da entidade. Mobilização

Segundo Jaqueline, é fundamen-

tal que os bancários participem de todas as etapas da Campanha Nacional. “Nossa orientação é para que o trabalhador discuta as reivindicações com os colegas nas agências e departamentos dos bancos e respondam a pesquisa para definirmos os rumos da campanha. É só com a participação de todos que vamos construir uma grande mobilização para sairmos, mais uma vez, vitoriosos das negociações com os bancos”, afirma Jaqueline.

pré-calendário da Campanha Nacional 2011 Até 8 de junho – Consulta com os bancários sobre a pauta de reivindicações 21 de junho – Assembleia da Caixa, BB e BNB para escolha da delegação de Pernambuco aos Congressos Nacionais 29 de junho – Assembleia para escolha da delegação pernambucana à Conferência Regional 2 de julho – Encontro Estadual dos Bancários

9 e 10 de julho – Congressos Nacionais do Banco do Brasil, da Caixa e do BNB Até 24 de julho – Conferências regionais 30 e 31 de julho – 13ª Conferência Nacional dos Bancários Até 6 de agosto – Assembleias para aprovação da pauta de reivindicações 9 ou 10 de agosto – Entrega da pauta de reivindicações à Fenaban


Campanha Nacional

5

Bancários do interior já deram início aos debates

Trabalhadores de Salgueiro e região iniciam as discussões sobre Campanha Nacional, em Encontro promovido pelo Sindicato no mês de maio

O

s bancários da região de Salgueiro já começaram os ensaios para a Campanha Nacional deste ano. No último dia 21 de maio, eles participaram do Encontro dos Bancários do Interior, promovido pelo Sindicato. Quem abriu a programação foi Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro). Ele explicou para os presentes Participação dos bancários do interior como é o passo a passo da no Encontro foi destaque do evento Campanha: encontros estaduais, regionais e nacional; falou sobre as atividades para os 80 elaboração da minuta; composição anos do Sindicato e as ações que a do Comando Nacional; negociação entidade mantém na Justiça em prol com os banqueiros. dos trabalhadores. O Sindicato aproveitou para leSegundo Jaqueline, o Sindicato var aos participantes a consulta so- também ouviu as reivindicações bre reivindicações e estratégias de dos bancários e apresentou os temas Campanha (leia mais na página 4). que serão eixos da Campanha Na“Este encontro foi muito produtivo cional 2011: emprego, remunerae importante para levarmos aos ban- ção, saúde e condições de trabalho, cários do interior todas as informa- e sistema financeiro. “A participações sobre a Campanha Nacional”, ção dos bancários foi muito boa. explica a presidenta do Sindicato, Além de trabalhadores de SalgueiJaqueline Mello, que também apre- ro, estavam presentes funcionários sentou dados sobre a Campanha aos dos bancos de outras cidades, como bancários da região de Salgueiro e Cedro e Floresta”, destaca.

Fotos: Adeilton Filho

Para o secretário de Bancos Privados do Sindicato, Geraldo Times, encontros como esse ajudam a ampliar a presença do Sindicato no interior do estado. “Desde que essa diretoria tomou posse do Sindicato, há menos de um ano e meio, o interior de Pernambuco ganhou destaque. Fazemos visitas às cidades, do sertão ao litoral, periodicamente. Agora, com o início da Campanha, estaremos mais presentes ainda no interior”, explica Geraldo. Formação

Outro momento importante foi a exibição de um vídeo sobre as lutas e conquistas da categoria no que se refere a gênero, assédio sexual e relações compartilhadas. E, finalmente, um almoço de confraternização fechou a programação, ao som do cantor e músico Régis, que é cadeirante. “A participação de Régis foi muito boa, pois durante o Encontro falamos muito sobre a importância da inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Aliás, a igualdade de oportunidades é um tema que estará presente nesta Campanha”, diz Jaqueline.

O Encontro também serviu como formação para os novos diretores do Sindicato, que puderam conhecer melhor os anseios dos bancários do interior e a estrutura da Campanha Nacional. Além de Jaqueline Mello e Geraldo Times, participaram do Encontro os diretores Adeílton Filho e Fábio Sales (da área de Salgueiro), e Alan Patrício, Sandra Trajano, Tereza Souza, Epaminondas Neto, Luiz Freitas e o diretor de base Carlos Santos, que trabalha na Caixa de Salgueiro, além dos funcionários Luizete, da subsede de Salgueiro, e Draiton, da subsede de Arcoverde.

“O Sindicato está de parabéns pela iniciativa de ouvir o pessoal do interior. E o encontro trouxe muitas informações esclarecedoras, que nos deixam mais seguras para conversar e argumentar com os colegas sobre a campanha salarial”. Josiane Leite (BB Salgueiro)

“Encontros desse tipo dão mais firmeza e segurança para nós, que estamos na base do movimento. E permitem mais acesso às informações e ao Sindicato. Espero que seja uma prática contínua”. Rubens Nadiel (BNB Floresta)

“O Encontro dos Bancários do Interior foi um momento riquíssimo de informação e, principalmente, de integração. As informações que nos foram repassadas fortalecem nossa ação nas agências”. Anadia Callou (Caixa Salgueiro)

Fotos: Adeilton Filho

O que dizem os bancários sobre o Encontro de Salgueiro

01 a 15 de junho de 2011


Seu banco

6

BNB

Com sete meses de atraso, banco assina acordo coletivo

Acordo atende as principais reivindicações dos bancários e é fruto da greve de 2010

A

pós sete meses de atraso, finalmente acabou a novela do acordo específico do ano passado do BNB. No último dia 24, o Sindicato e a Contraf-CUT assinaram com a empresa o Acordo Coletivo de Trabalho 2010/2011, que nos outros bancos públicos foi fechado em outubro do ano passado. Entre outras conquistas, o acordo prevê reajuste de 7,5% sobre todas as verbas, elevação do piso para R$ 1.600 e avanços no PCR

(Plano de Cargos e Remuneração) e na PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Para o diretor do Sindicato e representante dos bancários de Pernambuco na Comissão Nacional dos Empregados do BNB, Alan Patrício, o acordo atende as principais reivindicações dos trabalhadores. “Ele é fruto da greve de 15 dias que os bancários encamparam no final do ano passado. Ainda faltam algumas pendências, mas vamos con-

tinuar pressionando o banco nas negociações. Só é lamentável que o BNB tenha levado sete meses para assinar o acordo com os sindicatos”, comenta Alan. Contribuição assistencial

Com a assinatura do acordo, os bancários do BNB podem colaborar com os custos da campanha por meio da contribuição assistencial, que tem taxa única de R$ 13. Quem

Dia de Luta ajudou a fechar o acordo

não quiser colaborar pode solicitar o não-desconto do assistencial até o dia 9 de junho. Mais informações pelo telefone 3316-4233.

Caixa

Fenae

Bancários cobram soluções para problemas durante negociação

Presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello (dir.), questiona a Caixa durante as negociações

Representantes dos bancários e da direção da Caixa reúnem-se no próximo dia 9 de junho, em Brasília, para aprofundar as discussões sobre a promoção por mérito do novo Plano de Cargos e Salários (PCS). O objetivo dos empregados é definir as regras de avaliação de desempenho antes do término do semestre. A reunião foi definida no dia 18 de maio, durante a rodada de negociações permanentes 01 a 15 de junho de 2011

entre o Sindicato, junto com a Contraf-CUT, e o banco. Na negociação, o Sindicato defendeu a necessidade de que os novos critérios de avaliação sejam definidos ainda neste semestre. “Queremos que os empregados da Caixa conheçam antecipadamente todos os itens pelos quais estão sendo avaliados. Também cobramos que o banco faça imediatamente os ajustes que o

Sindicato já revindicou para que a avaliação seja mais justa”, explica a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, que esteve em Brasília para participar das negociações. Segundo Jaqueline, outro tema em pauta foi o Sistema de Ponto Eletrônico. “Cobramos soluções para os diversos problemas. E alertamos para que os bancários não trabalhem além da jornada sem registrar o ponto”, diz.

Sindicato pede interdição da Caixa Cais do Apolo Diante dos problemas da obra e da falta de vontade da Caixa em garantir as mínimas condições de trabalho para os bancários do prédio da Cais do Apolo, o Sindicato está apresentando uma série de denúncias ao Corpo de Bombeiros e solicitando a interdição da unidade. No último dia 23, novos problemas se somaram aos antigos, que têm tirado o sono e a saúde dos bancários. “Recebemos diversas ligações de bancários da Caixa Cais do Apolo reclamando que o cheiro de amônia estava insuportável nesta segunda-feira. Não dava para trabalhar, pois, no final de semana, os pedreiros usaram um produto químico parecido com tíner exatamente atrás da bateria de caixas. Além disso, lavaram o prédio e molharam os equipamentos e documentos. As condições de trabalho na unidade chegaram a níveis insuportáveis”, comenta o secretário de Saúde do Sindicato, João Rufino.


Seu banco

7 Itaú

Sindicato pressiona e bancários da Caxangá conseguem estacionamento Em apenas 10 dias, três funcionários sofreram assaltos violentos no local

O

Fábio Régis

Sindicato denunciou, pressionou e, finalmente, o Itaú liberou o estacionamento interno do banco para os empregados da agência Caxangá-Cordeiro. Lá, em apenas 10 dias, no início de maio, três bancários sofreram assaltos violentos na saída ou chegada. É que o Itaú publicou uma norma

que impede todos os seus funcionários no estado de colocarem os carros no estacionamento da empresa. “Mesmo que eles queiram pagar, estão impedidos pela determinação. Na agência Caxangá, os empregados estavam colocando seus veículos num local muito vulnerável a assaltos”, explica o diretor do Sindicato, Fábio Régis.

Mobilização reativa Centro de Realocação

Agência Caxangá-Cordeiro foi a primeira a liberar o estacionamento. Sindicato continua pressionando as demais unidades

A mobilização contra as demissões no Itaú Unibanco começa a surtir efeito. O banco reativou o Centro de Realocação que já está aberto e funcionando para todas as áreas da instituição. O anúncio foi feito pelo vice-presidente executivo

do banco, Zeca Rudge, durante a primeira reunião com o Sindicato e a Contraf-CUT, ocorrida no dia 23 passado, em São Paulo. Rudge negou a existência de um processo de demissões em curso, alegando que as dispensas ocorridas foram “normais”.

Banco do Brasil

Sindicato garante avanços na Sete de Setembro Depois de muita pressão do Sindicato, o Banco do Brasil finalmente aceitou migrar os caixas da agência Sete de Setembro para o primeiro andar do prédio. Atualmente, a bateria de caixas funciona no subsolo da unidade, onde não há banheiros e

nem estrutura para atender os clientes e funcionários da agência. Segundo o diretor do Sindicato, João Rufino, a luta para melhorar as condições de trabalho na agência Sete de Setembro é antiga. “O atendimento é feito num espaço pequeno

Bradesco

e sem estrutura, em total desacordo com às leis municipais. No subsolo, não há banheiros, nem bebedouros e muito menos acessibilidade para atender os clientes idosos e portadores de deficiência. A quantidade de caixas também é insuficiente para

dar conta da demanda e não há nem a diferenciação de atendimento por quantidade de serviços, como manda a lei municipal. Esta mudança, além de solucionar os problemas, resgata a dignidade dos funcionários que trabalham na agência”, explica Rufino.

Santander

Portador de doença Funcionários cobram ocupacional é reintegrado mais contratações Bruno Leonardo, do Bradesco de Escada, é mais um trabalhador que foi demitido apesar de ser portador de doença ocupacional. No final de maio, a Justiça garantiu-lhe a reintegração, mas ele permanece até o final de junho de licença médica, pelo INSS. O bancário recebeu no dia 25 de abril sua carta de demissão, quando voltava de férias. Chegou

a alegar aos gerentes geral e administrativo que tinha diagnóstico de Lesão por Esforço Repetitivo (LER), mas foi em vão. De posse dos exames, Bruno procurou o Sindicato, que preencheu sua CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) e o encaminhou ao INSS e à Justiça, que mandou o Bradesco reintegrar o bancário.

O Sindicato, junto com a Contraf-CUT, e o Santander retomaram as negociações da mesa permanente, no último dia 23, para debater a falta de condições de trabalho nas agências do banco. Durante o encontro, realizado em São Paulo, os representantes dos bancários cobraram, entre outros pontos, a contratação de mais funcionários e o fim das demissões.

“Além disso, cobramos do Santander uma política mais contundente no combate ao assédio moral. Hoje, a pressão desmedida pelo cumprimento de metas absurdas têm acabado com a saúde dos bancários. Este problema, somado à falta de funcionários, tem sobrecarregado o trabalhador e gerado muito estresse”, comenta o diretor do Sindicato, Epaminondas Neto, que é bancário do Santander. 01 a 15 de junho de 2011


Arte e lazer

8

Festa junina

Sindicato prepara um grande São João para os bancários Programação terá duas festas e sorteios de estadias no Clube de Campo dos Bancários e no Hotel Olho D´água, um dos melhores de Arcoverde

M

uita festa e diversão não vão faltar neste mês de junho para os bancá-

pessoas cada um. O pessoal da Cai-

rios. O Sindicato preparou uma

“Vai ser uma grande festa e o

sábado, a partir das 14h, no Clube

Sindicato entrou nesta parceria

de Campo dos Bancários. Haverá

extensa programação de São João,

com a Apcef para sortear convites

barracas de comidas típicas, qua-

com comes e bebes, muita música,

aos bancários que não são da Cai-

drilha, fogueira e forró pé de serra.

e sorteios. O primeiro evento será

xa”, explica a presidenta do Sindi-

A novidade deste ano será o sor-

no dia 10, com a Festa da Apcef-

cato, Jaqueline Mello, lembrando

teio de estadias gratuitas em cinco

-PE, no Clube Português. O Sin-

que o evento terá shows de Irah

chalés do Clube. Assim, os bancá-

dicato está sorteando 50 ingressos

Caldeira e Chico Bala. As inscri-

rios e sua família poderão emen-

que dão direito à entrada de duas

ções terminam no dia 8.

dar a festa com um divertido final

xa não paga nada para entrar.

Já a Festa de São João do Sindicato ocorre no dia 18 de junho,

de semana. As inscrições já estão abertas e terminam em 9 de junho. No dia seguinte, haverá um sorteio e a participação é aberta para todos os bancários sindicalizados. As estadias começam na sexta, dia 17 de junho, e vão até o domingo, 19. O Sindicato também está preparando a festa para os bancários que quiserem passar o São João em Arcoverde. A cidade é um dos principais polos desta festa em Pernambuco e o Sindicato está sorteando duas estadias para os bancários sindicalizados e seus acompanhantes no Hotel Olho D´água, um dos melhores de Arcoverde. A estadia vai do dia 23 a 26 de junho, de quinta a domingo. Os interessados podem se inscrever até o dia 10 de junho. O sorteio será no dia 13. A subsede do Sindicato em Arcoverde também estará aberta aos bancários e servirá de ponto de apoio e camarote para os sindicalizados curtirem a festa na cidade. Tanto as inscrições para o sorteio dos ingressos da festa da Apcef, como para os chalés do Clube de Campo e para o hotel em Arcoverde podem ser feitas com Vera Vasco, no Sindicato, pelo telefone (81) 3316.4226.

Agenda cultural Lançamento O poeta Samuca Santos lança, no dia 10, seu livro 7 Contos e uns trocados. O lançamento será às 18:30 horas, no Espaço Pasárgada. Haverá performances e leituras com Aline Andrade, Fernando Chile e Vinícius Vira-

01 a 15 de junho de 2011

mundos; música de Zeh Rocha; e bate-papo com o autor.

Teatro

A peça “O amor de Clotilde por um certo Leandro Dantas“, da Trupe Ensaia Aqui e Acolá, é livremente inspirada no romance “A emparedada da Rua Nova”,

de Carneiro Vilela. E no próximo dia 18 comemora um ano de temporada com apresentação no Teatro Santa Isabel, às 20 horas.

Exposição

Cinco artistas plásticos de Pernambuco, de gerações diferentes, durante meses, realizaram expe-

riências com os equipamentos de litografia (gravura sobre pedra) da antiga Oficina Guaianases, que foi fundada em Olinda na década de 1970. Os resultados são surpreendentes. Na Galeria Capibaribe, no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal.


Jornal dos Bancários - ed. 398