Issuu on Google+

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010

DINHEIRO NO BOLSO As conquistas dos bancários na Campanha Nacional deste ano vão injetar na economia brasileira cerca de R$ 6,15 bilhões no próximo ano só com o reajuste de salários e a Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Com o acordo arrancado dos bancos após a greve histórica de quinze dias, a categoria terá mais dinheiro no bolso para gastar. Este consumo vai estimular praticamente todos os setores da economia brasileira, criando mais empregos e desenvolvimento para o país, num ciclo virtuoso que melhora as condições de vida de toda a população. Páginas 4 e 5

LEIA MAIS Funcionários do BNB aprovam acordo e retomam licença-prêmio Pág. 6

Sindicato para quatro agências e denuncia Itaú por falta de segurança Pág. 7

Bancários recebem primeira parcela da Participação nos Lucros Pág. 7


TEMA LIVRE

Jornal dos Bancários

Não tem desculpa “D

esculpem pelo transtorno, mas o lucro está em primeiro lugar”. É isso que o Itaú deveria escrever nas agências do Unibanco que passaram por reformas de adaptação ao novo padrão do banco. Na prática, o presidente da instituição, Roberto Setúbal, submeteu todos os clientes e funcionários a muitos riscos. Alguns clientes chegaram a ser vítimas de acidentes devido as vergonhosas condições dessas agências, obrigadas a funcionarem em plena reforma. O banco até facilitou a vida dos assaltantes, que encontraram nessas agências um convite ao assalto. É lamentável constatar que os prepostos do banco em Pernambuco, Agnaldo e Marcos Reus, não disponham de alçada alguma para intervir em favor da razão e do bom senso. Por lei, eles não podem permitir que os funcionários e clientes estejam num ambiente tão insalubre. Agora, o Itaú divulga uma peça publicitária para informar que estão conclusas as “reformas” nas agência e lamenta o transtorno. Para o Sindicato, o banco foi e continua sendo irresponsável ao não adotar o padrão

HUMOR

de reforma que propusemos: migrar o funcionamento da agência para pontos de atendimento mais próximos e fazer a intervenção sem nenhum funcionário dentro. Isso garantiria conforto e segurança aos clientes e nenhum risco para os bancários. Porém, o Itaú optou pela via da ganância e a da irresponsabilidade. Nas últimas semanas, o Sindicato tem redobrado esforços para solucionar os problemas nas agências em

2

Por João Rufino* Encruzilhada, a desorganização da obra facilitou até a vida dos bandidos que assaltaram a unidade por duas vezes, sem nenhuma dificuldade: no dia 15 e 26 de outubro. Perguntamos: Será que o senhor Roberto Setúbal ou seus executivos aceitariam “trabalhar” em meio à poeira e ao barulho? Sentindo cheiro de tinta e de cola? Com fios energizados pendentes sobre sua cabeça ou sob seus pés? Faltando piso e sobrando buracos, sem água mineral

Na propaganda, o Itaú pede desculpas pelo transtorno nas agências em obras. Mas na verdade foi irresponsável e expôs clientes e funcionários a muitos riscos pior estado: Dom Vital, Encruzilhada, Ceasa, Afogados, Olinda e Carrefour, entre outras. O Sindicato teve de dar plantão na porta dessas unidades para que elas não funcionassem. O banco chegou a dizer que não fecharia as agências e que o Sindicato procurasse o Ministério Público do Trabalho. Foi o que fizemos. Duas agências acabaram sendo autuadas, pois sequer tinham banheiro. Na

Libório

pra beber? Para um banco que está se expandindo e crescendo ainda mais na América do Sul e Latina, isso é só detalhe. Afinal, como diz Gilberto Gil na música “Nos barracos da cidade”, “a usura dessa gente já virou um aleijão”. * João Rufino é secretário de Saúde do Sindicato e empregado do Itaú Unibanco

AGENDA FLIPORTO - Com cerca de 40 escritores convidados e 23 mesas temáticas, a Fliporto 2010 - Festa Literária de Porto de Galinhas será realizada pela primeira vez em Olinda. De 12 a 15 de novembro, estarão no local escritores como Contardo Calligaris, Moacyr Scliar, Mark Dery e Ricardo Piglia. Acompanhe em: www.fliporto.net EXPOSIÇÃO - A Galeria de Artes do Sesc Casa Amarela sedia o III Salão Universitário de Arte Contemporânea, até 17 de dezembro. Com o tema Políticas Poéticas - Atitudes políticas através da arte, a mostra reúne 12 obras de estudantes universitários, em artes plásticas, vídeo arte, instalação, performance e fotografia. Visitação de segunda a sexta, das 14 às 19 horas.

CINEMA - O Festival Janela Internacional de Cinema do Recife lança concurso de vídeo digital ligado ao meio-ambiente. Os interessados podem fazer um filme de até 1 minuto para participar, em qualquer meio de captação, incluindo câmera fotográfica e celular. A inscrição é gratuita, até 08 de novembro. Acesse: www. janeladecinema.com.br/ PERFORMANCE - Marcos Americano, RJ, performer, diretor e escritor apresenta, dias 19 e 20, o espetáculo "Dia dos Loucos", às 21 horas. O ator também realizará uma Oficina de Performance, com 12 horas de duração, de 16 a 20/11, das 17 às 20 horas. Mais informações: www.e-nave.com.br

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


SINDICATO EM AÇÃO

Jornal dos Bancários

3

Desconto assistencial: colabore e ajude a fortalecer o Sindicato Contribuição é uma taxa única de R$ 13, que será descontada na folha de pagamento

NOTAS Sindicato reduz teto das mensalidades

C

om a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho, os bancários já começam a receber direitos arrancados com muita luta na greve encerrada no último dia 15, a maior em vinte anos. Todas as conquistas deixaram o hall de reivindicações para se concretizar em direitos garantidos na Convenção. Esse é o resultado da luta e da mobilização dos bancários, mas também de organização, planejamento, estratégia, infraestrutura e investimento. Os bancários que quiserem ajudar o Sindicato com os custos da greve podem colaborar por meio do desconto assistencial. Aprovada pelos trabalhadores em assembleia no início

AJUDE o Sindicato a cobrir as despensas da greve da Campanha Nacional, a taxa única é de R$ 13, que será descontada na folha de pagamento. A secretária de Finanças do Sindicato, Suzineide Rodrigues, esclarece que os recursos do assistencial auxiliam o Sindicato na condução da greve e das lutas por melhores condições de trabalho. “Apenas uma entidade forte é capaz de conquistar vitórias como o aumento real e uma PLR

maior a cada ano”, avalia Suzi. Quem não quiser colaborar pode solicitar o nãodesconto do assistencial até o dia 5 de novembro. O bancário deve comparecer no Sindicato neste período para preencher e assinar sua oposição à contribuição assistencial. Quem mora no interior, pode solicitar o não-desconto por fax. Mais informações pelo telefone 3316-4233.

INSEGURANÇA

Bancários arrancam canal para denúncias Na quinta mediação promovida pela ProcuradoriaGeral do Trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT) no dia 19 de outubro, em Brasília, a Contraf-CUT e a Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV) obtiveram o compromisso da Febraban de implementar um canal de comunicação para receber denúncias de irregularidades sobre a segurança bancária. As denúncias já podem ser remetidas pelos sindicatos e federações de bancários para a ContrafCUT e pelas entidades

sindicais dos vigilantes para a CNTV, que farão o envio para a Febraban, que, por sua vez, fará o encaminhamento para a instituição financeira. A resposta será apresentada pela Febraban no prazo de cinco dias úteis. Mais segurança – Além do canal de denúncias, os bancários obtiveram mais duas vitórias no mês de outubro no que diz respeito à segurança nos bancos. Em Recife, a Prefeitura sancionou o projeto de lei de autoria do vereador Josenildo Sinézio, que garante a ins-

talação de portas giratórias em todas as agências, circuitos internos de televisão e mínimo de dois vigilantes em cada pavimento, entre outros pontos. Outra vitória dos bancários é resultado direto da greve. Com muita luta, a categoria conseguiu incluir na Convenção Coletiva a obrigatoriedade do registro de boletim de ocorrência, divulgação de estatística semestral do setor e atendimento psicológico no pós-assalto, além da possibilidade de realocação para outra agência ao bancário vítima de sequestro.

O novo estatuto do Sindicato entrou em vigor e muitos bancários já podem pagar uma mensalidade menor para a entidade. É que entre as alterações está a redução do teto das contribuições, que antes era de um terço do salário mínimo (R$ 170) e passou para 7% do piso dos bancários (R$ 75), reajustado anualmente pelo índice de aumento da categoria. Por um erro técnico, entretanto, as mensalidades de setembro foram cobradas sem a redução do teto. Os bancários que pagaram mais do que deviam terão seu dinheiro de volta.

Novo convênio O Sindicato firmou convênio com o Veneza Water Park, em Maria Farinha. Com isso, bancários sindicalizados e seus dependentes diretos pagarão apenas R$ 20 ou R$ 25, ao invés dos R$ 68 cobrados aos não conveniados. O valor de R$ 20 vale para os meses de setembro, novembro, dezembro e fevereiro. Nos meses de outubro e janeiro, o preço sobe para R$ 25. Nos outros meses, o parque fecha para manutenção. O Veneza Water Park é o maior parque aquático de Pernambuco com 90.000 metros quadrados de área totalmente voltados para diversão e lazer.

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


CAMPANHA NACIONAL

Conquistas da greve injeta Além dos frutos colhidos pelos bancários, a nova Convenção Coletiva vai impulsionar a economia do Brasil inteiro

A

luta dos bancários na Campanha Nacional deste ano rendeu para os trabalhadores o melhor acordo assinado com os bancos nos últimos 20 anos. Mas, além dos frutos colhidos pela categoria com os quinze dias de greve, a nova Convenção Coletiva vai impulsionar a economia do Brasil inteiro. Isso porque serão injetados no país cerca de R$ 6,15 bilhões no próximo ano só com o reajuste dos salários e a Participação nos Lucros e Resultados dos bancários. Para a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, o dinheiro injetado na economia com as conquistas dos bancários vai contribuir para o crescimento do Brasil e ajudar na geração de empregos. “Com o aumento salarial histórico que conquistamos e a valorização da PLR, os bancários terão mais dinheiro no bolso para gastar. Este consumo vai estimular pratica-

mente todos os setores da economia brasileira, criando mais empregos e desenvolvimento para o país. É um ciclo virtuoso que melhora as condições de vida de toda a população, fortalecendo o crescimento do PIB e a distribuição de renda”, comenta. Jaqueline destaca que as conquistas são fruto da maior greve realizada pelos bancários em duas décadas, que só em Pernambuco parou cerca de 60% das agências. “No Estado foram mais de 6 mil bancários que aderiram à greve numa mobilização histórica, que remonta o movimento de massa que nossa categoria fazia nos anos de 1980. Na década seguinte, com a política neo-liberal do PSDB, os bancários perderam direitos e os salários foram arrochados. Naquela época, fazíamos greve para manter o que tínhamos. Depois de 2003, com o governo do PT, retomamos o movimento de massa e ampliamos nossas conquistas todos os anos, com sucessivos aumentos reais de salários, valorização da PLR e a inclusão de mais direitos”, afirma Jaqueline.

Mais dinheiro no bolso Os bancários conquistaram na Campanha Nacional deste ano 7,5% de reajuste salarial, o que significa um ganho acima da inflação de 3,08%. Segundo cálculos do Dieese, esse acréscimo aplicado sobre o salário médio da categoria e multiplicado pelos 470 mil bancários do país signifi-

cará um incremento anual na economia brasileira de R$ 2,569 bilhões. Além disso, outros R$ 3,578 bilhões entrarão por conta da PLR dos bancários. Destes, R$ 1,329 bilhão já estão em circulação neste início de novembro com o pagamento da antecipação de parte da PLR.

BANCÁRIOS fizeram a maior greve


Jornal dos Bancários

5

am R$ 6,15 bi na economia Foto: Beto Oliveira/Lumen

Principais conquistas econômicas REAJUSTE SALARIAL 7,5% para quem ganha até R$ 5.250 (representa aumento real de 3,08%). Para quem ganha mais de R$ 5.250 nos bancos privados o reajuste é de R$ 393,75 fixos ou pelo menos 4,29%, o que for mais vantajoso. Para bancários do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e do BNB o reajuste de 7,5% será para todos os trabalhadores e sem teto. PISO SALARIAL Reajuste de 16,33%, passando a valer R$ 1.250 (representa aumento real 11,54%). No BB, reajuste de 13%, elevando dos atuais R$ 1.425 para R$ 1.600, o que representa um aumento real de 8,71%, com correção de todo o PCS. Na Caixa, elevação do piso da careira administrativa (PCS de 2008) para R$ 1.600, mediante aplicação de 10,19% sobre o valor da referência 201 de 31/08/2010. No BNB, elevação do piso salarial para R$ 1.600, o que representa um reajuste de 11,81% (aumento real de 7,52%), com correção do PCR – cargos (inclusive VCP). PLR A regra básica será de 90% do salário mais R$ 1.100,80, com teto de R$ 7.181. Caso a distribuição do lucro líquido não atinja 5% com o pagamento da regra básica, esses valores serão aumentados até chegar a 2,2 salários com teto de R$ 15.798. Adicional à PLR - Além da regra básica, os bancários receberão um valor adicional à PLR de R$ 2.400, o que significa aumento de 14,28%, em relação ao pago no ano passado. No BB, permanece a regra atual com a distribuição linear de 4% do lucro líquido semestral, mais o módulo Fenaban acrescido do módulo bônus aos comissionados. Na Caixa, além da PLR da Fenaban, os bancários recebem uma PLR Extraordinária equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos de forma linear para todos os empregados. No BNB, os funcionários também recebem a PLR da Fenaban mais Módulo PPR (Metas Sociais), que vai distribuir 3% do lucro líquido pelo atingimento das metas propostas para o Pronaf e de Inclusão Bancária.

dos últimos vinte anos e suas conquistas refletem no Brasil inteiro

OUTRAS VERBAS Auxílio-refeição: R$ 18,15. Auxílio-cesta alimentação: R$ 311,08. 13ª cesta-alimentação: 311,08. Auxílio-creche/babá: R$ 261,33 (até 71 meses). Auxílio-funeral: R$ 599,61. Requalificação profissional: R$ 893,63. Adicional tempo de serviço: R$ 17,83.

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


SEU BANCO

Jornal dos Bancários

6

Bancários do BNB aprovam acordo sobre licença-prêmio Benefício será pago para 1.724 funcionários que tinham o direito adquirido até 6 de janeiro passado

O

s bancários do BNB aprovaram no último dia 25 a proposta de acordo com o banco que garante o restabelecimento da licença-prêmio para todos os 1.724 funcionários que tiveram seu direito retirado em 1997, durante a gestão do PSDB. O direito foi recuperado depois de muita pressão do Sindicato, em negociação realizada no dia 13 de setembro. A proposta prevê que todos os trabalhadores que completaram quinquênio entre janeiro de 2005 e dezembro de 2010 farão jus a 90 dias de licença-prêmio, dos quais 55% serão indenizados e 10% serão disponibilizados para gozo. Segundo o secretário de Assuntos Jurídicos do

PRESSÃO do Sindicato foi fundamental para restabelecer a licença-prêmio Sindicato, Alan Patrício, a entidade já havia entrado com ação judicial para recuperação do direito, mas não obteve êxito na primeira e segunda instâncias e tinha recorrido ao TST. Com a proposta aprovada,

o Sindicato deverá retirar a ação da Justiça. Dívida paga - Os trabalhadores e aposentados do BNB que aderiram ao acordo sobre o passivo trabalhista receberam o va-

lor devido em outubro. As ações trabalhistas referemse à URP (1988) e Plano Bresser (1992). O acordo foi negociado entre o Sindicato e o banco em meados de julho e aprovado em assembleia.

Sindicato e BB voltam às negociações

Empregados da Caixa recebem parte da PLR

O Sindicato e os dirigentes eleitos da Previ reuniram-se com o banco no dia 18 de outubro para discutir a destinação do superávit do Plano 1 do fundo de pensão. As negociações não avançaram. “Queremos que a maior parte da reserva especial seja revertida em melhoria de benefícios. Também lutamos para resolver outras questões pendentes como o fim do voto de minerva, a volta da diretoria de Participações para os associados e o retorno dos direitos do Corpo Social”, explica o secretário-geral do Sindicato, Fabiano Félix, que é conselheiro fiscal eleito da Previ.

Os empregados da Caixa Econômica Federal receberam no último dia 29 o pagamento da antecipação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). A presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, explica que os valores da PLR tem causado dúvida nos bancários da Caixa por conta do redutor que há na regra básica para limitar seu pagamento a, no máximo, 13% do lucro líquido projetado para 2010. “Muitos bancários estão telefonando para o Sindicato para saber quanto receberão de PLR. Na verdade, o valor não será muito diferente do recebido no ano passado. Na assembleia que aprovou o acordo, explicamos a proposta detalhadamente, inclusive o redutor”, explica Jaqueline, destacando a importância de participar das assembleias para obter mais informações. Confira como é a PLR e quanto você vai receber em www.bancariospe.org.br/campanhasalarial_aparece. asp?codigo=722.

PLR - O pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos funcionários do Banco do Brasil, realizado no dia 21 de outubro, injetou R$ 635,9 milhões para as quase 110 mil famílias dos funcionários da empresa. A regra de PLR conquistada pela mobilização é considerada parâmetro para a categoria.

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


SEU BANCO

Jornal dos Bancários

7

Sindicato para quatro agências do Itaú e duas são autuadas por insegurança O Sindicato também apresentou denúncia ao Ministério Público contra o banco

Bancários já estão com a PLR no bolso

O

Sindicato parou quatro agências do Itaú no dia 18 de outubro por falta de segurança. O protesto foi centrado nas unidades da Agamenon, Casa Forte, Encruzilhada e Dom Vital. No mesmo dia, a Polícia Federal autuou as agências da Madalena e Encruzilhada, que inclusive foi assaltada no dia 15. O Sindicato também apresentou denúncia ao Ministério Público contra o Itaú. A entidade mostrou, inclusive com fotos, que nenhuma unidade do banco tem porta com detector de metais, rendeiro para o vigia e há diversas falhas graves no que se refere à segurança. “O Sindicato visitou locais em que o vigilante tinha que levar uma corrente e cadeado de sua própria casa.

Acordo Acordo com com Rural Rural garante garante aa PLR-98 PLR-98 Os 28 funcionários do Banco Rural substituídos pelo Sindicato na ação para pagamento das diferenças da PLR-98 (Participação nos Lucros e Resultados) já começaram a receber o que lhes é devido. Trata-se da segunda parcela do valor pleiteado. Pressão do Sindicato garantiu que todos pudessem receber 70% do valor reivindicado.

SINDICATO denuncia insegurança com cacos de vidro da porta do banco após assalto no Itaú Por conta desse descaso, o banco responde por quase metade de todos os assaltos registrados em Pernambuco este ano”, explica o diretor do Sindicato, João Rufino. Ambiente insalubre - Além da insegurança, outro problema tem contribuído ainda mais para pôr em risco a

saúde dos trabalhadores: a reforma nas agências para adequar ao padrão Itaú. Os bancários estão tendo que conviver com poeira, barulho, fios expostos, entre outros problemas. O Sindicato tem vistoriado as agências e fechado as unidades que não oferecem condições de trabalho.

Participantes da Bandeprev não devem assinar acordo da dívida Os bancários do Santander que trabalhavam no antigo Bandepe receberam uma carta da Bandeprev com proposta de acordo para quitação das contribuições devidas ao Plano Básico do fundo de pensão. "O Sindicato alerta que a proposta não foi negociada com os representantes os trabalhadores e orienta aos participantes do plano a não assinarem qualquer acordo", ressalta o diretor do Sindicato Epaminondas Neto.

Isonomia – O Sindicato e o Santander reúnem-se no próximo dia 9, na Justiça do Trabalho, para debater a discriminação do banco aos funcionários oriundos do antigo Bandepe. De acordo com Epaminondas, a audiência faz parte da ação que o Sindicato ingressou na Justiça para garantir aos funcionários do ex-banco do Estado de Pernambuco, incorporado ao Santander, o pagamento de dois salários para quem completou 25 anos de empresa.

Seis bancos já pagaram a primeira parcela da Participação nos Lucros e Resultados e do adicional da PLR, conquistados na Campanha Nacional deste ano após quinze dias de greve, a maior que os bancários realizaram nos últimos vinte anos. São eles: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander. Para a presidenta do Sindicato, Jaqueline Mello, agora é hora de colher os frutos da luta que mobilizou os bancários nos últimos meses. “Começamos a discutir nossa pauta de reivindicações em junho e, depois de um longo processo, encerramos mais uma Campanha Nacional com vitória, no último dia 13. Construímos uma greve muito forte e as conquistas vieram, o que prova que a luta faz a diferença”, comenta Jaqueline.

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


LAZER

Jornal dos Bancários

8

Foto: Beto Oliveira/Lumen

Chuva não tira o brilho da festa do Dia das Crianças do Sindicato Com água ou sem água, a meninada não deu tréguas à brincadeira

N

em a chuva que insistiu em cair no domingo, 24 de outubro, tirou o brilho da Festa das Crianças, promovida pelo Sindicato no Clube de Campo dos Bancários. Com água ou sem água, a meninada não deu tréguas à brincadeira: no parque aquático, na piscina de bolas, camas elásticas ou no tobogan. Quem deu sorte, ainda levou para casa presentes especiais: foram sorteadas três bicicletas e um patinete. Os demais também não saíram de mãos vazias. Ganharam pacotes com bombons e senhas para pipoca, picolé e algodão-doce. Para o secretário de Esportes, Cultura e Lazer do

CRIANÇADA pôde aproveitar o parque aquático e toda a estrutura do Clube de Campo Sindicato, Adeílton Filho, a Festa do Dia das Crianças do Sindicato já virou uma tradição. “Os filhos e parentes dos bancários adoram essa festa e se divertem muito. E o bancário não fica atrás. Com monitores que cuidam das crianças, os pais ficam tranquilos para aproveitar o dia, descansar

ou se confraternizar com os colegas da trabalho”, afirma Adeílton. Até a Chapeuzinho Vermelho e o Homem-aranha, entre outros personagens, resolveram dar uma passadinha por lá. Os recreadores, contratados pelo Sindicato, alegraram as crianças com muitas brin-

cadeiras, fizeram pinturas nos rostos e arte com bolas de sopro. Para os adultos, o grupo Som Brasil, comandou a animação. Alguns vieram preparados, com seu kit churrasco e seus petiscos. Outros optaram pelas comidas do bar e restaurante do Clube de Campo.

Decisão no Campeonato de Futebol dos Bancários Falta pouco para os bancários de Pernambuco conhecerem o vencedor do Campeonato de Futebol do Sindicato. No próximo final de semana, dias 6 e 7, quatro jogos vão definir os quatro semifinalistas da competição, que termina no final deste mês. Estão na disputa as equipes da Apcef, Santander, Bradesco Conselheiro Aguiar, DIRETORIA EXECUTIVA Presidenta: Jaqueline Mello Secretário-Geral: Fabiano Félix Comunicação: Anabele Silva Finanças: Suzineide Rodrigues Administração: Epaminondas França Assuntos Jurídicos: Alan Patricio Bancos Privados: Geraldo Times Bancos Públicos: Daniella Almeida Cultura, Esportes e Lazer: Adeílton Correia Saúde do Trabalhador: João Rufino Sec. da Mulher: Sandra Albuquerque Formação: Tereza Souza Ramo Financeiro: Elvis Alexandre Intersindical: Cleber Rocha Aposentados: Luiz Freitas

Banco do Brasil, BB/Bradesco, Itaú, Bradesco e Bradesco Marquês de Olinda. Até agora, o bancário do Itaú, Daniel de Oliveira Lins, permanece na artilharia, com nove gols. Os jogos são realizados no Clube de Campo dos Bancários e você pode acompanhar todos os resultados em www. bancariospe.org.br Informativo do Sindicato dos Bancários de Pernambuco Circulação quinzenal

Redação: Av. Manoel Borba, 564 Boa Vista, Recife/PE - CEP 50070-000 Fone: 3316.4233 / 3316.4221. Correio Eletrônico: imprensa@bancariospe.org.br Sítio na rede: www.bancariospe.org.br Jornalista responsável: Fábio Jammal Makhoul Conselho Editorial: Anabele Silva, Dileã Raposo, Geraldo Times e Jaqueline Mello. Redação: Fabiana Coelho, Fábio Jammal Makhoul e Wellington Correia. Diagramação: Libório Melo e Jairo Barbosa. Impressão: AGN Tiragem: 9.000 exemplares

Nº 386 - Ano XVIII - 1º a 15/Nov/2010


Jornal dos Bancários - ed. 386