Page 1


ÍNDICE

03 à 05

Bahia Service Tour | CNPJ 02813305/0001-48 Largo da Mariquita, n0 10. Rio Vermelho. Edifício Aidê, Sala 102. CEP: 41840-390 Telefone (71) 3330.1500 Site www.bahiadelivery.com.br Para anunciar bahiadelivery@bahiadelivery.com.br Diretor Gerente Comercial Comercial Mailing Publicidade Reportagem Fotos Capa Diagramação Ilustrações Gráfica Tiragem Periodicidade Site

Umberto Rossi Ettore Rossi Maria Carolina da Silva Jones Dias Matilda Santos Bahia Delivery Cléa Sampaio Trinet Digital Luis Barros William Leão Golgraf 70.000 exemplares 4 meses Trinet Digital

/guiabahiadelivery @bahiadelivery


ENTREVISTA

J

ulio Marcondes é um paulista que vive em Madri há 9 anos e trabalha como Chefe de Cozinha em uma rede de restaurantes de requinte na Espanha. Formado em Madrid em Gastronomia, ele chegou com seu know-how em comida brasileira, passeando por comida baiana, mineira e carioca e hoje faz sucesso com a comida espanhola. Julio é conhecido por seu talento e sempre organiza eventos no restaurante que trabalha, proporcionando encontros entre os brasileiros e espanhóis. Quando ele mesmo não prepara, sabe indicar a melhor feijoada, a melhor moqueca, o melhor churrasco que se pode encontrar na Espanha. Seu hobby predileto é cozinhar para seus amigos e se você for convidado para uma jantar em sua casa, se prepare para uma orgia gastronômica mediterrânea.

em suas receitas. A verdadeira dieta mediterrânea. BD – Há mais oportunidade para um Chefe de Cozinha em um país da Europa do que no Brasil? JM – Eu venho de São Paulo que é considerada a capital gastronômica da América Latina. Existe muitíssimo campo de trabalho em nosso país, porém eu queria dar um toque internacional em meu jeito de cozinhar, venho de uma mescla de comida oriental, mexicana e espanhola tudo isso junto as minhas raízes brasileira, o resultado é que encontrei combinações inacreditáveis e muito interessantes! Venho da nova escola onde tudo é permitido. BD – Como você vê de longe sua profissão no Brasil? Nosso país tem tido mais oportunidades que antes? JM – Há muito campo de trabalho em minha profissão no Brasil e percebia isso desde quando estava perto, ainda quando eu era da área de administração também percebia que tinha muita área de trabalho, ou seja, em linhas gerais todo o mercado de trabalho cresce

Bahia Delivery – Como você decidiu ser Chefe de Cozinha?

no Brasil. Tratando-se de gastronomia eu acho que o brasileiro de-

Julio Marcondes – Trabalhei muito tempo em São Paulo como

veria arriscar mais, migrar de uma zona para a outra, dominar mais

administrador em empresas de informática e também em turismo,

sabores, experimentar e experimentar-se. Temos um país muito

mas tudo isso não me preenchia por completo quanto profissional.

grande com uma diversidade alimentar absurda e em meu caso e

Inspirado em minha avó paterna e minha mãe, que se dedicam a

de meus companheiros de profissão, é importante ampliar os con-

arte da gastronomia há muitos anos, decidi deixar tudo para trás e

hecimento e aproveitar o que o nosso país pode nos ensinar.

recomeçar uma nova etapa em minha vida, sem naquele momento ter a certeza de que seria realmente esta minha carreira.

BD – O que diferencia o espanhol do brasileiro na mesa? Qual dos dois é mais exigente?

BD – Porque escolheu Espanha para construir sua carreira?

RI – Não há diferenças em questão de exigência, tanto o brasileiro

JM – Depois de muita pesquisa a possíveis lugares, cheguei a

quanto o espanhol são clientes que gostam de se sentir bem, ser

conclusão de que o panorama gastronômico espanhol era o

bem servido em um bom ambiente e comer bem, pagam e são

mais emergente e em seu momento interessante, com o tipo

exigentes, a diferença que noto é que o brasileiro prefere a comida

de cozinha que me atrai, que é a cozinha da terra com produtos

self service, buffet livre e os espanhóis preferem a la carte. A verdade é

naturais e com poucos produtos industrializados introduzidos

que todos são muito exigentes quando o assunto é qualidade e preço.


ENTREVISTA JM – Eu tenho especialidade em comida espanhola, oriental, mexicana e a caseira claro, brasileira (risos). BD – Que prato brasileiro você considera sua especialidade? JM – A feijoada e o virado a paulista, mas confesso que gosto muito da gastronomia mineira. BD – Com a experiência internacional que adquiriu, você pensa em voltar para o Brasil e continuar com sua profissão por lá? uma carreira internacional faz a diferença? JM – Hoje penso em replicar meus conhecimentos internacionais e sonho em montar algo tipo um gastrobar no Brasil, pois campo nós temos e muito, mas não penso em me transladar a viver no Brasil porque sou um viajante e penso em seguir meu trajeto gastronômico pelo mundo ou seja, tenho inquietudes de seguir adquirindo conhecimentos e descobrindo sabores. BD – Qual a dificuldade para uma brasileiro entrar no mercado europeu na área que você atua? JM – Na verdade há muitíssima concorrência, mas com perseverança e muito disciplina tem lugar para todos ao sol, o bom de tudo é que nós brasileiros temos uma forma especial de temperar que agrada ao resto do mundo. BD – Que tipo de comida brasileira faz mais sucesso entre os espanhóis? JM – Os espanhóis são muito de comida de colher, assim eles se definem. Como a habitual lentilha por exemplo. A feijoada aos poucos esta se tornando um prato com muito bom êxito, por eles. BD – O que seria comida de colher? JM – A Espanha tradicionalmente aprecia a comida que parte de grãos, como o cozido madrilenho que tem como constituição grão de bico, carnes de frango, porco e vaca, verduras e legumes, o Puchero com feijão vermelho, carnes e verduras e a mais conhecida pelos brasileiros que é a Fabada, uma espécie de feijoada feita com feijão branco. Tudo isso gera um rico caldo que só de colher para que se aproveite ao máximo (risos). BD – Assim como eu, há muitos brasileiros que não gostam do Gazpacho e nem do Salmorejo, que são da típica cozinha espanhola. Você concorda que estes pratos são estranhos para nós brasileiros? JM – O Gazpacho e o Salmorejo originalmente da Andaluzia, ao sul do país, são comidas de verão a base de verduras, principalmente tomate, que são servidas como primeiro prato e são servidos frios, para dar uma sensação de frescor neste calor de em média quarenta graus que faz nesta época por aqui. Para o Brasil estes pratos tem uma aparência de sopa fria e isso soa estranho para os nossos costumes alimentares. Com o tempo o paladar acostuma e passamos a apreciar estes pratos que são de fato deliciosos. (rindo e curtindo com minha cara) BD – Qual sua especialidade?

BD – O dia a dia da sua profissão é muito dura ou dá pra aproveitar da boa qualidade de vida que o europeu costuma ter? JM – Costumo dizer que há dois tipos de cozinheiros: os que trabalham na área por prazer e os que trabalham por necessidade. No meu caso me encaixo perfeitamente no primeiro tipo, trabalho por prazer, pois assim o trabalho se torna super prazeroso e produtivo, quando se atua em uma área que se gosta, tudo flui melhor. A vida de um chefe de cozinha não é fácil. São mais de 12 horas por dia de dedicação, muitas vezes trabalhando de pé, sem poder sentar, sem poder comer. A grande recompensa é quando o garçon entra e parabeniza a equipe da cozinha a pedido do cliente ou quando saímos e o cliente nos elogia satisfeito. Claro que um profissional depois de muitos anos se dedicando a essa ou qualquer outra profissão, conquista seu espaço e já começa a colher frutos; com isso vem a facilidade para organizar melhor seus horários, certas regalias a quem já tem uma estrada de experiências. Conciliar bem seu tempo e poder desfrutar de uma melhor qualidade de vida, não tenha dúvida que só faz o profissional ser melhor. BD – O que você aconselha para quem tá começando agora e tem o desejo de estudar gastronomia em outro país? JM – Antes de sair em busca de uma escola internacional, aconselho que se prepare antes no Brasil para que quando chegue em outro país já tenha uma boa base. A cada dia aparecem mais ferramentas e ingredientes novos e descobertas interessantes nunca antes imaginadas, por isso estudar sempre e não só se conformar com um título internacional, mas sim em fazer muitos outros cursos independentes, absorver informação e dar o melhor de si. www.marcelomendonça.blogspot.com Marcelo Mendonça: www.twitter.com/CeloMendo


ALIMENTOS LEVES E SAUDÁVEIS / CONGELADOS

MUITO

Com as deliciosas comidas da Sabor Congelado em apenas 10 minutos você já pode ser o(a) Cheff de cozinha de sua casa.

+ SABOR

Acesse nosso sit site e confira nosso cardápio:

www.saborcongelado.com.br w facebook.com/ facebook.com/saborcongelado2

ENTREGAMOS EM DOMICÍLIO De Segunda a Sexta

(71) 3506.5484 ‐ contato@saborcongelado.com.br 06


ALIMENTOS LEVES E SAUDÁVEIS / CONGELADOS

07


COMIDA ORIENTAL

08


COMIDA ORIENTAL

09


COMIDA ORIENTAL

10


PIZZARIA

11


PIZZARIA

12


PIZZARIA

14


PIZZARIA

15


PIZZARIA

16


PIZZARIA

17


PIZZARIA

12


PIZZARIA

11


PIZZARIA

18


RESTAURANTE

19


RESTAURANTE

20


RESTAURANTE

21


Guia Bahia Delivery - 39  

Guia de Entrega em Domicílio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you