Page 1

Vida

Publicação Municipal | Oliveira de Azeméis | N.º 4•2009 | Maio

25º Aniversário

Cidade com futuro


Vida Ficha Técnica

Editorial

Edição e propriedade Director da publicação

Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis Ápio Assunção

Coordenação editorial e redactorial

Gabinete de Comunicação e Imagem

Composição gráfica

Gabinete de Comunicação e Imagem

Fotografia

Gabinete de Comunicação e Imagem

Impressão

Norprint

Tiragem

2.000 Exemplares

Caro(a) munícipe, 25 anos de cidade. Comemorar 25 anos de elevação de Oliveira de Azeméis a cidade é sinónimo de maturidade. Essa é a minha visão como responsável político e como cidadão. Mas a data, da qual todos os oliveirenses sentem orgulho, deve ser também motivo de reflexão quanto ao futuro de um município que ostenta mais de dois séculos de história. Nesse período a cidade transformou-se, ganhou novas infra-estruturas, ganhou dimensão e posicionamento regional e nacional. A vocação industrial solidificou-se, o desporto ganhou expressão nacional, abriram-se novas vias, a cultura ganhou maior espaço e a cidade ganhou uma nova imagem. Alguns projectos assumiram-se estruturantes para o desenvolvimento do município. Não esqueço, por exemplo, a criação do ensino superior em parceria com a Universidade de Aveiro, a construção da Via do Nordeste e dos troços urbanos envolventes à cidade, a adesão do município ao projecto EDV Digital e o aparecimento de estruturas culturais e desportivas. Algumas lutas não foram fáceis mas foram vencidas na convicção de estarmos a preparar o futuro dando maior qualidade de vida aos munícipes. Quero salientar ainda os projectos da Praça da Cidade, a requalificação do centro da cidade da qual sobressai a pedonização das ruas Bento Carqueja e António Alegria, a nova biblioteca municipal Ferreira de Castro, a construção da piscina municipal e do pavilhão gimnodesportivo, o Centro de Formação da União Desportiva Oliveirense, o arquivo municipal, a criação da Escola Superior AveiroNorte e a Escola Superior de Enfermagem da Cruz Vermelha Portuguesa. A Loja Ponto Já, no apoio à juventude, e o alargamento das redes de abastecimento de água e saneamento saltam também à memória. Completadas as bodas de prata, o futuro continua a estar no centro das nossas preocupações. Tudo faremos para vencer os novos desafios mas permitam-me centrar o resto das minhas palavras no agradecimento ás forças vivas da cidade que muito contribuíram para que hoje estejamos a comemorar esta data tão importante para os oliveirenses.

Do fundo do coração «Investimos e continuaremos a investir na Educação e concretamente no ensino superior com a consciência de estarmos a preparar e a projectar o futuro de Oliveira de Azeméis», presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, Ápio Assunção, na inauguração das novas instalações da Escola Superior de Enfermagem. «Os dados existentes caminham para a viabilidade do serviço. Houve muito rigor até no cumprimento do horário», Albino Martins, vice-presidente da autarquia falando sobre a concessão dos Transportes Urbanos de Azeméis (TUAZ). «É fundamental criar uma porta para que os alunos que querem seguir o ensino vocacional da dança possam concorrer no próprio país», directora da escola de dança Ana Luísa Mendonça falando ao jornal «Correio de Azeméis» sobre a realização do Festival de Dança do Norte. «O objectivo é que o município liquide as suas dívidas aos seus fornecedores num prazo médio de 45 dias. E será isso que acontecerá assim que concluirmos o processo de reestruturação da dívida de curto prazo», presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis na última Assembleia Municipal. «Foi uma luta de vários anos, com muita persistência, mas que valeu a pena. A freguesia está mais rica», Conceição Azevedo, directora da EB1 de Palmaz, na inauguração da biblioteca escolar. «A Federação Internacional de Basquetebol esteve em Oliveira de Azeméis para aferir das condições do pavilhão Dr. Salvador Machado para a realização do Campeonato Europeu Sub16 da modalidade», jornal «Correio de Azeméis». «Um ponto de partida para avançarmos com novas propostas. É importante verificar que, num ambiente virtual, podemos escrever de forma criativa», Vereadora Gracinda Leal sobre o primeiro conto online do município.

Ápio Assunção Presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis

2


Urbanismo

A praça da cidade A cidade de Oliveira de Azeméis ganhou, nos últimos anos, traços de modernidade e qualidade de vida que a tornaram mais atractiva e com novos fluxos de centralidade.

A qualidade de intervenção urbanística da Praça da Cidade foi distinguida com o prémio «Espaço Público» da ex-Região de Turismo «Rota da Luz».

A Praça da Cidade, inaugurada em Novembro de 2008, tornou-se desde logo num espaço de referência, quer pela qualidade arquitectónica que ostenta, quer pela introdução de elementos inovadores dispostos a uma mais forte vivência da zona central da cidade. Ali se localiza um excelente espaço para gerações diferentes conviverem entre si: os mais novos por ali se situar o complexo escolar da cidade, os residentes e os que, sem se olhar à idade, procuram ali momentos de lazer, diversão e cultura. A Praça da Cidade (que sucedeu ao antigo Largo do Gemini) foi concebida nesses pressupostos: ser uma praça moderna, ampla e multifuncional em termos de fruição. Desse modo está dotada de uma galeria de arte que tem como patrono um dos nomes mais proeminentes da escultura oliveirense (Dr. Tomás Costa – 18601932), um anfiteatro com capacidade para dezenas de pessoas e pronto a receber qualquer tipo de evento, o posto de turismo de Oliveira de Azeméis e um restaurante, bar e café-concerto. Apraz registar ainda a existência de uma zona pedonal (a Alameda das Oliveiras) que proporciona mais tranquilidade aos utilizadores dos equipamentos. Também as funcionalidades do local são apoiadas por dois níveis de estacionamento. As particularidades e o modelo inovador e catalisador deste tipo de espaço, idealizado pelo arquitecto Luís Pedro, levou já a Praça da Cidade a ser referenciada numa das melhores revistas nacionais sob o título «Três num só». No exterior, um amplo anfiteatro ao ar livre torna-se apetecível para o visitante e para a realização de eventos. Quase cinco milhões de euros foi o esforço da autarquia para concretizar a requalificação do antigo Largo do Gemini.

3


Infraestruturas

Arquivo municipal aberto ao mundo A inauguração do arquivo municipal um investimento de 1,337 milhões euros, figurará para sempre na história do município ao ficar associada às comemorações do 25º aniversário de elevação de Oliveira de Azeméis a cidade. O edifício – localizado perto do hospital S. Miguel – é uma das mais importantes infra-estruturas culturais ao reunir mais de dois séculos da história do município. O espaço, equipado no valor de 133 mil euros, pretende ser um instrumento de preservação da municipalidade de Oliveira de Azeméis mas, acima de tudo, ser um espaço aberto às escolas, a historiadores e a investigadores. O edifício guarda em si as memórias do município sem esquecer, porém, a sua função de janela aberta sobre o futuro suscitando a pesquisa e a investigação. Um espaço de acesso á Internet, a funcionar ali, faz a ligação do arquivo ao resto do mundo, ou seja, alia o passado ao futuro e às novas tecnologias de comunicação e informação. Outros espaços compõem a estrutura: Área reservada ao público (recepção, sala de leitura, biblioteca, espaço Internet, sala de serviço educativo e sala de exposições), área de depósitos e área técnica (eliminação, sala de limpeza e expurgo, sala de tratamento arquivístico), sala de conservação e restauro e sala de reprodução de documentos. No arquivo pode encontrar-se documentação da autarquia entre o início do século XIX e a actualidade, documentos da administração do concelho de Pinheiro da Bemposta e outros fundos particulares. O arquivo municipal funciona no edifício conhecido por «Casa das Escadas Redondas», construído na segunda metade do século XIX. O edifício foi adquirido pela autarquia em 1979, tendo sido objecto de vários usos até que em 2001 foi decidido avançar com a sua reabilitação para arquivo municipal em parceria com o Programa de Apoio à Rede de Arquivos Municipais, do Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo.

Primeira referência ao Arquivo Acta de 18 de Janeiro de 1834

Exposição permanente «Presidentes da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis – Espaço de memória» é o título da exposição permanente contendo documentos e peças relacionadas com a actividade municipal em vários períodos da história: Antigo regime, monarquia constitucional, primeira república, ditadura militar/Estado Novo e estado democrático.

4


União Desportiva Oliveirense

Relvados sintéticos para formação A construção do Centro de Formação da União Desportiva Oliveirense (UDO), o clube mais representativo do município, foi um dos maiores investimentos desportivos da autarquia nos últimos anos, juntamente com a piscina municipal e o pavilhão gimnodesportivo.

A qualidade das instalações (para a qual contribui o Centro de Formação), o empenho dos dirigentes e a tradição desportiva do concelho são factores determinantes para que o concelho apresente ratios de prática desportiva acima da média nacional.

A infra-estrutura, que custou 700 mil euros, veio solucionar uma lacuna e reforçar a política de formação da colectividade. Os três campos sintéticos, um deles destinado a futebol de 11 e os restantes com dimensões para a prática de futebol de 7, criaram melhores condições de trabalho e treino aos atletas do clube.

Determinante para esta realidade tem sido a aposta da autarquia que continua a encarara formação, juntamente com os dirigentes, como a porta para o sucesso desportivo. O centro de Formação da UDO é, sem dúvida, um dos pilares dessa política.

Centro Lúdico

Um espaço intergeracional Nascido junto à extinta Biblioteca Gulbenkian, o Centro Lúdico de Oliveira de Azeméis está prestes a abrir as portas para fomentar o conhecimento, o divertimento e o desenvolvimento entre gerações.

objectivos, que passam pelo desenvolvimento global dos mais pequenos com o envolvimento dos pais e da interacção com os mais velhos, o edifício é composto por vários espaços distribuídos por dois pisos.

O edifício, de agradáveis linhas arquitectónicas e de espaços amplos e luminosos, resultou da aposta em dotar o concelho de uma infra-estrutura que fomentasse, através dos seus recursos (brinquedos, livros, jogos, oficinas, espectáculos, seminários, hora do conto, sábados em família), as relações entre as crianças, jovens e idosos.

No piso-1 situa-se a biblioteca, as oficinas, espaço multimédia e espaços para jogos e convívio enquanto o piso 1 inclui o átrio cultural, espaço para bebés, ludoteca, jogos de acoplagem, de regras e jogo simbólico.

O investimento total foi de 823 mil euros e o objectivo da autarquia é colocar, brevemente, o equipamento ao serviço d a c o m u n i d a d e . Pa r a a t i n g i r o s

O edifício proporciona ainda espaços exteriores agradáveis: um jardim superior (concebido para os utilizadores entre os três e os 12 anos), uma esplanada e um pátio.

5

A importância que o desporto tem na acção política do executivo está também na decisão de decretar 2009 Ano Municipal do Desporto.


Desporto

Um pavilhão para todos Até ao final do verão a Câmara Municipal vai colocar ao serviço dos clubes e da população uma das infra-estruturas desportivas mais desejadas: o pavilhão desportivo municipal. Investimento de 941 mil euros (sem se contabilizar o custo dos arranjos exteriores), a abertura do complexo reforça a política de formação dos clubes, melhora a capacidade e a performance dos atletas e passa a apoiar a prática desportiva das escolas. To d a a f o r m a ç ã o p a s s a a e s t a r concentrada ali evitando o que se passa hoje (com todos os inconvenientes e custos para os clubes) com a dispersão dos atletas por vários pavilhões existentes no concelho. O equipamento ocupa uma área total superior a três mil metros quadrados onde estão incluídas duas naves, uma

principal (área de evolução desportiva), e uma outra, secundária. Além da formação (o objectivo é que o pavilhão seja uma unidade de alto rendimento desportivo), o complexo está apto a receber eventos de alta competição, na sequência de provas internacionais já realizadas na cidade. O equipamento integra o Complexo Desportivo Municipal, bem próximo da piscina municipal, pavilhão e centro de formação da UDO e Clube de Ténis de Azeméis. A utilização de outras fontes energéticas que não as tradicionais é um dos elementos inovadores com o objectivo de racionalizar os consumos de energia no interior e exterior do edifício. As fontes utilizadas serão a energia solar e a biomassa para aquecimento de água.

Desporto

Piscinas municipais Não há data marcada mas tudo indica que as piscinas municipais abram ao público este Verão. À semelhança do pavilhão, esta infraestrutura foi encarada pelo executivo como uma lacuna estando prestes a ser colocada ao serviço da população. Com a entrada em funcionamento destes dois equipamentos o Complexo Desportivo Municipal assume, em pleno, um papel estratégico na formação e na prática desportiva. O vereador do pelouro do desporto reconhece que a piscina era uma lacuna penalizadora para a população pelo que existe uma expectativa grande quanto à afluência do público desde a classe dos bebés às pessoas idosas. O objectivo a atingir é claro: criar hábitos para a prática desta modalidade.

6

Para isso as piscinas estão equipadas com três tanques, um principal com 25 metros e oito pistas permitindo, além da natação, a prática de pólo aquático na vertente de treino. Possui ainda dois outros tanques, um de aprendizagem e um outro suplementar que, através da utilização de um sistema de cais/parede deslizante, possibilita a ampliação de duas pistas, com 50 metros, para treino de alta competição. A piscina representa um investimento de 3, 2 milhões de euros, dos quais 1,5 milhões de euros da responsabilidade da autarquia e o restante montante financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional – ON (1,411 milhões de euros) e orçamento do Estado (282 mil euros).


Requalificação

Regeneração urbana em marcha A pedonização do centro da cidade (ruas Bento Carqueja e António Alegria, numa intervenção que se estendeu até à Praça da Cidade) constituiu uma das obras mais emblemáticas da actividade autárquica. Para trás ficam traços e realidades que o oliveirense e director de «O Correio de Azeméis», António Magalhães, afirma fazerem parte da «tradição de séculos». «Com esta zona pedonal a cidade acompanha os caminhos da modernidade concedendo ao peão o lugar a que incontestavelmente tem direito», escreve o responsável pela publicação. A zona recuperou «o sossego de outrora» voltando às «primitivas características de actividade comercial, de ponto de encontro, de zona de lazer, de área de convívio». António Magalhães escreve ainda: «Só os menos jovens podem recordar o suplício que foi quando todo o trânsito da estrada Lisboa-Porto se fazia pelo centro da vila, as infindáveis bichas, os sarilhos nas rampas de mercado, em paralelo, quando o inverno cobria os pavimentos de geada». Hoje tudo mudou e os peões circulam com tranquilidade e segurança na zona histórica sem os sobressaltos da altura. As crianças ganharam o seu espaço e há poucos anos era impensável passear calmamente nas artérias principais da cidade. Oliveira de Azeméis adquiriu uma nova centralidade e uma imagem de modernidade, trabalho que terá continuidade no futuro com a implementação das medidas do estudo que a empresa «Parque Expo» irá apresentar ao executivo no âmbito do projecto da regeneração urbana do centro da cidade.

Estacionamento disciplinado Em termos de intervenção no espaço público salienta-se a reorganização do trânsito na cidade que envolveu, além de alterações na circulação, intervenções ao nível do estacionamento à superfície. A maior mudança foi a introdução de estacionamento pago, uma medida que ajudou a disciplinar esta área.

Os trabalhos de pedonização resultaram num investimento de 2,4 milhões de euros.

7


Vias estruturantes aliviam trânsito na cidade

A Câmara Municipal tem vindo a criar condições para diminuir o volume do trânsito no centro da cidade através da construção das vias estruturantes. Aceder, por exemplo, à zona industrial é, hoje, mais fácil do que no passado não sendo necessário atravessar o centro urbano para lá chegar. O mesmo acontece no tráfego em sentido inverso. Mas não é só a zona industrial a beneficiar destas infraestruturas. Outras áreas da cidade como a zona de Santo António sai beneficiada com o investimento. Tudo isso com o objectivo de proporcionar aos habitantes maior mobilidade, evitar perdas de tempo e ordenar a circulação automóvel. As melhorias viárias são visíveis procurando-se com elas desviar da cidade todo o trânsito dispensável. Nesse sentido, o investimento global investido nos troços já executados totalizou 7,1 milhões de euros, dos quais 3.6 milhões destinados à aquisição de terrenos e indemnizações. Trata-se da maior aposta estratégica na malha viária de Oliveira de Azeméis que tem sido concretizada nos últimos anos. A construção dos troços envolveu, em alguns casos, a execução de viadutos e de uma passagem inferior à linha ferroviária do Vale do Vouga.

8

Boletim vida4 2009  

Cidade com futuro

Advertisement