Page 1


1ª República Portuguesa: Uma Cronologia Cover Design AxiusDesigns Lda, Macau Graphic Design, Layout & Publishing AxiusDesigns Lda, Macau Set in Helvetica Neue Printing China, Shenzhen on Chinese Woodfree Art Paper Body 100 gsm Cover 300 gsm 1st Edition December 2011 Copyright © University of Saint Joseph 2011 ISBN 978-99937-734-4-3


1ª República Portuguesa Uma Cronologia

Fernando de Castro Brandão

3


Apresentação A narrativa histórica nasce do génio criativo. Não há documento que, do escrito às muitas oralidades, das várias imagéticas aos silêncios muitos, resista com incólume soberania à sua necessária contextualização social, política, cultural ou económica, sendo apenas o cruzamento resultante a sugerir-nos cenários mais ou menos credíveis do que poderá ter acontecido no passado. O documento, por sua vez, vale por aquilo que representa e nem sempre revela a intenção, o subterfúgio, a tensão e a estratégia que presidiu à sua produção. A história vive assim num universo de hipóteses, em que a imaginação, no dizer Einsteiniano, é mais importante que o conhecimento. Tal e qual como nas outras ciências. Alexis de Tocqueville disse uma vez que a história (...) é uma galeria de quadros em que há muitas cópias e poucos originais1. Que os historiadores não resistem à tentação de se lerem uns aos outros (conquanto, bem mais uns do que outros...), e de se citarem mutuamente com grande assiduidade e não menor credulidade, não parece suscitar dúvida. A história e as ciências tendem infelizmente a convencionalizar-se em versões oficializadas (aquilo a que apelidam de tried and proven), enquanto outras, geralmente poucas, mas muito mais problemáticas e inovadoras, comparecem consideradas como heresias científicas. Não parece haver ideia nova que resista à hereditariedade das interpretações consabidas, reiteradas, copiadas e, logo, oficializadas! A ciência, todavia, não vive das tais descobertas tried and proven, mas do muito que há por descobrir, daquilo que se puder experimentar (e alguma da ciência não é disso passível), e que se constituirá provado por prazos cada vez mais efémeros. A história emerge, assim, da conexão interdependente e complexa de acontecimentos que, entre paisagens e sociedades pretéritas, foram afinal vida e que ganham agora renovada (ou será mesmo outra?) vida. Estas glosas científicas à volta desse mesmo mote epistémico – o das complicadas dialécticas entre passado e presente – , lembram-me as minhas guerras com o tentar adivinhar as motivações do nosso D. João III em subida matéria de reforma da Universidade através da célebre instalação em Coimbra do muito humanista Colégio das Artes. A leitura dos cronistas e dos historiadores-mestres davam uma visão do homem que me parecia, por qualquer motivo, injustificada. Falando com o Autor deste livro, pergunteilhe se não tinha uma cronologia do século XVI. Claro que tinha. Tal como um aprendiz de detective tentaria reconstituir sequencialmente na andadura da diacronia os momentos desse rei para me aperceber do que poderia ter pensado. Resultou em pleno e a minha dissertação lá pôde prosseguir.

1

Tocqueville, Alexis de (1856). The old regime and the revolution. New York: Harper & Brothers, p. 88.


Fernando de Castro Brandão tem dedicado a sua vida científica aos estudos cronológicos, uma área considerada pelas historiografias apelidadas de profissionais como quase marginal apesar de ser verdadeiramente a matriz com que a Clio de Heródoto e Tucídides inventou a narrativa histórica e Leopold von Ranke a história que se queria ciência. É disso um mestre, com um grande sentido auto-crítico, uma disciplina modelar e a capacidade invejada de nos situar no dia a dia, no momento epocal das situações históricas. Não lemos os seus livros. Embrenhamo-nos neles. A pouco e pouco, a experiência transforma-se num fenómeno deliciosamente aditivo. Castro Brandão não colecciona dados e datas, mas o momento histórico que recorda surge num contexto que o recria e nos surpreende. As suas cronologias são culturalmente urbanas e com um rigor científico dissecante. John Barbour, um homem do quattrocento inglês, disse que o momento não vive no tempo – o tempo vive no momento. O entrelaçar dos momentos históricos segundo Castro Brandão traduz-nos o tempo vivo nos acontecimentos, o encadear da vida na sua diversidade necessariamente complexa, possibilitando ao leitor recriar épocas inteiras. Como uma das artes fundamentais da história, a investigação cronológica exige uma grande capacidade imaginativa, pois ela é também interpretação: a escolha do que é incluído diz talvez tanto como aquilo que é excluído. É nessa tensão dinâmica que vive a ciência, que se constrói a história e que se acena a outras histórias. O desconcerto do regime monárquico português e a sua substituição por uma república, em 1910, são quase sincrónicos do desmoronar do Império Qing e da implantação da república chinesa que, em 1911 e 1912, como a portuguesa, nos surpreende pela dinâmica da sua evolução, utopias, crises e das suas próprias revoluções. O ar comemorativo que se respira mais do que justifica a publicação deste livro de Castro Brandão por esta Universidade para sugerir uma surpreendente e original Primeira República Portuguesa: Uma Cronologia. Para além disso, impõe-se a investigação séria, o escrúpulo no saber, a harmonização integrante de contextos, o olhar que descobre o tempo, invade espaços, pessoas, eventos e lugares da memória: é o prazer de (re)fazer a história que melhor define este livro singular. Ruben de Freitas Cabral

5


Prefácio

Encerradas as comemorações do Centenário da 1.ª República Portuguesa, que deu origem a copiosas obras sobre a matéria, dir-se-ia que este trabalho vem fora de tempo. Curiosamente, entre a multiplicidade de publicações surgidas ao longo de um ano, persistiu sempre a lacuna de uma cronologia. Sabe-se quanto em Portugal o ambiente é avesso a este tipo de publicações, mormente da parte do sector editorial. Mercado escasso, sem conceder réditos imediatos, torna-se pouco ou nada atractivo em contexto de tormentosa situação financeira, afectando não poucas editoras. Iludido pelas boas intenções de uma delas, a recusar a inevitável falência à vista, retido ficou o manuscrito por quase meio ano. O suficiente para perder a voga de circunstância, que o aniversário secular prodigalizava. Resignei-me, por isso, a aguardar uma oportunidade, embora descrente de que tal viesse a acontecer. Em conversa com amigo de longa data, Magnífico Reitor da Universidade de S. José de Macau, Prof. Doutor Ruben de Freitas Cabral, veio o assunto fortuitamente à baila. E, para minha grande surpresa, logo ali se desenhou a hipótese da edição, conhecido que lhe era o trabalho embrionário sobre o tema, por mim publicado em 1991. Desta feita, revisto e aumentado para 10.500 entradas, quase o dobro do anterior. Cabe, pois, uma menção de profundo reconhecimento por quem acreditou no resultado de um labor, que se pretendeu o mais isento possível. Nunca compreendi por que razão este período historiográfico jamais merecera um estudo cronológico. A verdade é que não houve seguidores àquela minha recolha. Apesar de indefectível republicano, à falta de monarquia electiva, resisti sempre a deixar-me embalar pelos encómios que muitos devotos lhe dedicam. Em causa não estará o regime propriamente dito, mas a sua truculenta vivência que, durante 16 longos anos, ensombrou o País. Muitos dos que, ainda hoje, altivamente referem a “ética republicana”, receio não saberem muito bem do que falam. Esquecem, isso sim, a humilhante criação na Bélgica do verbo “portugaliser”. Para quem não sabe, significava introduzir o caos em toda e qualquer forma organizativa. Por outras palavras, a baderna institucionalizada,


tipificadora de uma época de tal maneira odienta, a dar lugar ao aplauso generalizado à Ditadura Militar que lhe sobreveio. Em nome de uma decantada liberdade, cometeram-se os maiores desmandos. Ao infrene partidarismo político submeteram-se alguns dos grandes e bem intencionados vultos republicanos. É que não basta alimentar desígnios probos e superiores. Sobretudo importa criar condições susceptíveis de os realizar. E essas, nunca foram achadas por entre a anarquia, o nepotismo e a ‘partidocracia’ generalizada. Esta fase da História de Portugal tem sido recentemente muito dissecada. Mister é dizer, de forma mais isenta e objectiva. Daí apontarem-se as inúmeras maleitas que a enfermaram, ao que parece sem grande exemplo para a realidade actual. Repita-se ou não a História, a verdade é que as suas lições deveriam servir para alguma coisa. No caso vertente fico descrente que assim seja, o que não diminui o afã de dar a conhecer uma 1ª República em datas e factos que, para bem ou para mal, não podem ser apagadas da memória colectiva portuguesa. Quinta da Morgadinha, Caneças, 25 de Outubro de 2011 F.C.B.

7


19 10


1910 n As forças revoltosas comandadas por Machado Santos concentram-se na Rotunda. Oficiais do Exército abandonam a Rotunda, por receio de malogro da revolução. Machado Santos permanece no local. n Às 12h00 o Governo abandona a casa do Presidente do Conselho em S. Sebastião da Pedreira, receoso dos disparos registados na Rotunda. n Entre as 12h30 e as 16h00 Paiva Couceiro ataca as forças reunidas na Rotunda, mas sem sucesso. n Passava das 14h00 quando o Rei D. Manuel II parte do Palácio das Necessidades de automóvel, apenas acompanhado pelo marquês do Faial e pelo conde de Sabugosa. n Os cruzadores “S. Rafael” e “Adamastor” iniciam o bombardeamento ao palácio das Necessidades em Lisboa. n Proclamação da República no Município de Loures. n O Marechal Hermes da Fonseca, Presidente eleito da República brasileira, de visita a Lisboa, transfere-se do Palácio de Belém para o cruzador “S. Paulo”, surto no Tejo. n Lisboa - Suicida-se o Vice-Almirante Carlos Cândido dos Reis, por julgar perdida a revolução republicana. n Segundo Teixeira de Sousa o Governo Militar de Lisboa teria 8.541 homens, enquanto os revoltosos republicanos andariam pelos 400.

Teófilo Braga

2

Os republicanos aprazam a revolução para o dia 4 à 1h00.

3

Às 20h00 realiza-se a derradeira reunião dos conspiradores republicanos na Rua da Esperança em Lisboa. n Assassinato a tiro do Dr. Miguel Bombarda, um dos próceres da revolução, por um dos seus pacientes. n D. Manuel II janta no Palácio de Belém em banquete oferecido pelo P.R. eleito do Brasil, Hermes da Fonseca.

4

A revolução republicana tem início à 1h00 da madrugada, terminando às 9h00 da manhã do dia 5:32 horas revolucionárias. n O Capitão José Afonso Palha revolta o Regimento de Artilharia n.º 1 (Campolide) em Lisboa à 1h00 da madrugada. n O Ten. José Carlos da Maia toma de assalto o cruzador “D. Carlos”. n O Ten. Tito de Morais comanda a rebelião no cruzador “S. Rafael”. n O Ten. José Mendes Cabeçadas Júnior chefia a revolta no cruzador “Adamastor”. n O Ten. António Ladislau Pereira comanda a Marinha revoltada no quartel de Alcântara. n A artilharia dos navios revoltados abre fogo logo pela manhã sobre o Palácio das Necessidades, residência real.

5

Às 11h00 da manhã Eusébio Leão anuncia, na varanda da C.M.L., sob o entusiasmo popular, a proclamação da República Portuguesa.


Outubro n D. Manuel II parte de Mafra para a Ericeira onde embarca com destino ao exílio. n Proclamação da República em Alenquer, Évora, Lagos, Santarém, Tomar e Torres Novas. n As linhas férreas são destruídas em vários pontos, paralisando todo o movimento de comboios para Lisboa. n Em Setúbal registam-se grandes tumultos populares. n Magalhães Lima, ao ter notícia da proclamação da República, faz içar a primeira bandeira republicana no estrangeiro, no Hotel Central de Paris. n Assaltos a esquadras da Polícia. n O iate D.ª Amélia fundeia em Cascais à 1h30 da madrugada. n D. Afonso de Bragança embarca no iate D.ª Amélia fundeado em Cascais. n Saído de Cascais o iate D.ª Amélia chega à Ericeira por volta das 12h00. n D.G. nº 222 - proclamação da República Portuguesa e constituição do Governo Provisório. n Constituição de um Governo Provisório, cuja presidência caberá a Teófilo Braga, professor do Curso Superior de Letras, da Universidade de Lisboa. n Nomeação do Dr. António Luís Gomes para Ministro das Obras Públicas. Exonerado em 22.11.1910. n Nomeação do Dr. Bernardino Machado para M.N.E.. Exonerado em 3.9.1911. n Nomeação do Capitão de Mar-e-Guerra Amaro de Azevedo Gomes para Ministro da Marinha. Exonerado em 3.9.1911.

n Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro do Interior. Exonerado em 3.9.1911. n Nomeação do Coronel António Xavier Correia Barreto para Ministro da Guerra. Exonerado em 3.9.1911. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro da Justiça. Exonerado em 3.9. 1911. n D.G: nº 1 - declaração do Governo Provisório de ter tomado todas as medidas necessárias, para poder garantir a segurança do monarca deposto e da família real. n Embarcam no iate D.ª Amélia, fundeado ao largo da Ericeira, o rei deposto D. Manuel II, sua mãe D.ª Amélia e a rainha D.ª Maria Pia rumo ao exílio. n Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro do Interior. Exonerado em 3.9.1911. n O Marechal Hermes da Fonseca, Presidente eleito do Brasil, deixa Lisboa já depois de desencadeada a revolução republicana. n O médico e prócere republicano Eusébio Leão é nomeado Governador Civil de Lisboa. n Manuel da Costa Veiga roda a curtametragem “Revolução de 5 de Outubro” para a Portugal-Film.

6

Na revolução republicana registaramse 70 mortos e 300 feridos. Dos mortos só 10 eram militares e 5 polícias. Houve 122 militares feridos. n A C.M.L. rebaptiza a Avenida Ressano Garcia, criador da cidade nova, como “Avenida da República”. Outras muitas alterações serão feitas na 11


1910 toponímia da capital. n Da varanda da Câmara Municipal do Porto o Dr. José Nunes da Ponte lê ao povo a proclamação da República. n Proclamação da República em Aveiro, Beja, Cantanhede, Coimbra, Elvas, Golegã, Guarda, Estremoz, Leiria, Portalegre, Viana do Castelo, Vila Real, Viseu, Faial, Cabo Verde, Catumbelo (Angola) e Inhambane (Moçambique). n Revolta na cadeia do Limoeiro em Lisboa. n D.G. nº 2 - proclamação, convidando o povo de Lisboa a cessar todas as manifestações nas ruas, susceptíveis de alterar a ordem e recomendando o máximo respeito pelas vidas e propriedades. n O jornal católico “A Palavra”, fundado em 1872, sofre uma tentativa de assalto.

7

Instruções para o Enc. Neg. do Brasil em Lisboa autorizando-o a entrar em contacto com o Governo Provisório e informar que o reconhecimento formal da República seria feito, quando houvesse a certeza de que a maioria da Nação a apoiava. n D.G. nº 3 - proclamação, convidando todos os grupos revolucionários e forças populares não militarizadas a entregar as armas. n Demite-se o governador de Moçambique, General Alfredo Freire de Andrade. n Restabelece-se em todo o País a circulação ferroviária. n Autópsia do Vice-Almirante Cândido dos Reis.

n Proclama-se a República em: Anadia, Castelo Branco, Covilhã, Loulé, Moura, Gondomar, Penafiel, Portel, Régua, Santa Comba, Funchal, Lourenço Marques, Bolama, (Guiné), Ilha do Príncipe, Luanda, Margão e Goa. n Machados Santos e os seus companheiros da Rotunda são levados triunfalmente ao Ministério na Guerra, onde o Governo os recebe. n A República nomeia novos Governadores Civis.

8

Decreta-se um novo formulário dos diplomas oficiais e a Procuradoria-Geral da Coroa passa a ser da República. n Basílio Teles entrega a Teófilo Braga um projecto com 67 decretos, que constituíam um autêntico programa de governo em ditadura, que não é adoptado. n Afonso Costa manda a Polícia prender os padres que andassem na rua, de modo a “evitar abusos”. n Proclamação da República em: Alvito, Arruda dos Vinhos, Figueiró dos Vinhos, Guimarães, Lamego, Alijó, Amares, Belmonte, Seia, Constança, Mirandela, Montalegre, Santo Tirso, Tarouca e Vila Velha de Ródão. n Dec.- D.G. nº 4 manda que continuem a vigorar, como leis da República as que, sob a Monarquia, expulsaram os jesuítas e ordenaram o encerramento dos conventos. n O matutino “O Século” afirma em título de caixa alta: “Aderiram já à República todos os Corpos Militares – a Amnistia aos implicados nas associações secretas”.


Outubro n Numeroso grupo de “cidadãos livres”, encabeçado pelo visconde da Ribeira Brava, assalta os jornais “Correio da Manhã”, “Liberal” e “Diário Ilustrado”, empastelando-lhes as edições.

9

Machado Santos recebe os cumprimentos e as homenagens do Governo pela sua bravura na revolução. n Publica-se o jornal “Povo de Guimarães” (esquerda republicana - n.d.). n Cessa a publicação “A União” (Santarém - nacionalista - n.d.). n Circular expedida aos funcionários diplomáticos e consulares portugueses no estrangeiro, informando da proclamação da República. n Cessa a publicação o jornal “Echos do Liz” (Leiria - católico - n.d.). n Grande cortejo no Porto soleniza a proclamação da República. n Proclamação da República em: Ajuda, Aguiar da Beira, Almeida, Fafe, Gouveia, Melgaço, Moncorvo, Pampilhosa, S.Pedro do Sul, Proença-a-Nova, Serpa, Vimioso, Marco de Canavezes e Ponta Delgada. n Demite-se o Comandante da Polícia de Lisboa, Coronel Morais Sarmento. n O M.N.E. Bernardino Machado comunica aos representantes diplomáticos em Portugal, que o Governo Provisório honraria todos os compromissos internacionais, estabelecidos em boa ordem. n Reabre completamente remodelada a Cozinha Económica de Alcântara em Lisboa. n São libertados todos os presos pertencentes a associações secretas. O

objectivo primordial é libertar os membros da Carbonária, organização terrorista da República. n Bandeira da República verde e vermelha é hasteada na torre direita da Igreja Matriz da Póvoa de Varzim. n D. Manuel II, a família Real e acompanhantes desembarcam do iate D. Amélia em Gibraltar, onde sabem da adesão do Porto à República. n Prisão e interrogatório do Patriarca resignatário de Lisboa, Cardeal D. José Netto. n O “Diário de Notícias” informa: “O sossego é perturbado por elementos desordeiros - tiros e petardos no Quelhas, nas Trinas, na Estrela e em outros pontos”. Proclamação da República em: Celori-

Bastos, Vila Nova de Famalicão, 10 coViladeViçosa, Arcos de Valdevez, Murça

e Macau. n Dec.-D.G. nº 14 - revoga todas as leis de excepção e da liberdade de imprensa, de 14 de Abril de 1907. n De comboio, chega a Lisboa parte da comitiva que havia acompanhado a família real ao exílio. n Regresso do iate “D.ª Amélia”, propriedade do Estado, que havia transportado a família real a Gibraltar. n Assalto popular e destruição dos jornais lisboetas “Liberal” (ex-progressista) dirigido por António Cabral, e “Portugal” (ultramontano). n À data, encontravam-se na cadeia do Limoeiro 46 padres, no forte de Caxias 82 e no Arsenal da Marinha 233 freiras. 13


1910 n Decreto de nomeação do magistrado e diplomata Francisco Couceiro da Costa para 1.º Governador-Geral da Índia do regime republicano. n Inauguração da ponte, ligando a freguesia da Ericeira à jurisdição de Sintra.

11

Em S. Vicente de Cabo Verde, o Marechal Hermes da Fonseca, Presidente eleito do Brasil, recebe as devidas honras, quando ali passa a bordo do cruzador “S. Paulo” n Proclamação da República no Leal Senado de Macau. n Proclama-se a República em: Alter do Chão, Resende, Ponte da Barca, Vila Verde e Terras do Bouro. n O Conselho dos Decanos da U.C., sob a presidência do Prof. Manuel da Costa Alemão, decide enviar uma saudação ao Governo Provisério da República. n Efectuam-se numerosas detenções em Almada, sob simples suspeita de jesuitismo. n A Companhia Transportes Marítimos “Lloyd” reinicia as carreiras marítimas entre Lisboa e o Rio de Janeiro. n Segundo o jornal “O Século” regista-se um episódio trágico nas buscas feitas ao colégio jesuítico de Campolide, com duas baixas militares e uma civil. n A revista “É Fantástico”, em cena em Lisboa, anuncia uma nova apoteose dedicada à República Portuguesa.

nota oficiosa indica-se que o Te12 Em souro Público está inteiramente habili-

tado a satisfazer todos os seus compromissos. n João de Barros é nomeado Director-Geral da Instrução Primária. n Dec .-D.G. nº 7 - manda considerar feriados os dias 1 e 31 de Janeiro, 5 de Outubro e 1 e 25 de Dezembro. n O Governo português é informado, pelo seu homólogo britânico, de que D. Manuel II seria recebido, no Reino Unido, como simples particular. n É nomeada uma comissão para estudar a organização de um Corpo de Segurança. n Proclamação da República em: Fornos de Algodres, Redondo e Moimenta da Beira. n A seu pedido, é exonerado do cargo de E.E.M.P. em Roma, o conde de Tovar, António Maria Tovar de Lemos. n Chega a Lisboa o Dr. Júlio de Mesquita, jornalista, político, jurisconsulto e director do jornal brasileiro “Estado de S. Paulo”. n Nomeação do Dr. José Relvas para Ministro das Finanças. Exonerado em 3.9. 1911. n Toma posse o 1.º Governador da Índia (interino) após a implantação da República, Francisco Couceiro da Costa, Juiz de Direito da Comarca de Salcete. n Tomás de Sousa Rosa, E.E.M.P. em França, é exonerado, a seu pedido, da chefia da respectiva Missão onde permanecera por mais de dez anos. n Na cidade da Horta, Açores, publica-se o jornal “Justiça”, republicano regionalista.


Outubro nº 8 - nomeia uma comis13 Port.-D.G. são, para proceder ao arrolamento de

todos os bens pertencentes aos palácios reais. n Dec.-D.G. nº 9 - pôe em vigor o Código Administrativo, de 6 de Maio de 1878, com algumas modificações. n Dec.-D .G. nº 9 - determina que nos selos e mais fórmulas de franquia em circulação, seja impressa a palavra “República”. n Em Lisboa inicia-se o II Congresso Nacional do Livre Pensamento, na sede da Caixa Económica Operária. n Chega ao Tejo o navio “Minas Gerais” da Lloyd Brasileira, o 1.º que vem à Europa como linha regular estabelecendo a carreira Lisboa- Rio de Janeiro. n Ascendiam a 128 os padres congreganistas presos em Caxias. n Assume como Reitor interino da U.C., até 18 seguinte, o Doutor António dos Santos Viegas, após a demissão pelo Governo do titular Alexandre Cabral Pais do Amaral. n A revista em cena em Lisboa “De Olho Alerta” anuncia “A Portuguesa”, cantada por toda a companhia. n Publica-se em Lisboa o jornal “A República Portuguesa” que defende a ditadura revolucionária e critica os “provisórios” e os “adesivos”. n O Ministro da Marinha nomeia Paiva Couceiro para presidir à comissão, encarregada de estudar a colonização de Benguela. O nomeado recusa. n Chega a Inglaterra a família real portuguesa. n Tomam-se medidas preventivas contra a cólera. n Comunicação de Afonso Costa aos

Governadores Civis determinando que todos os cultos religiosos fossem respeitados em todas as igrejas. Dec. -D.G. nº 11 - declara proscrita

sempre a família Bragança. 15 para n Dec. -D.G. n.º 11- extingue o lugar

de Bibliotecário-mor do Reino. n Dec. -D.G. nº 11 - declara abolidos os títulos nobiliárquicos, distinções honoríficas, direitos de nobreza e as antigas Ordens nobiliárquicas, excepto a Militar da Torre e Espada. n É nomeada uma comissão para apresentar um projecto da nova Bandeira Nacional republicana. n As Irmãs de Caridade são substituídas nos hospitais por enfermeiras. Morre o conde de Valenças, Luís Leite

Jardim, Prof. de Direito na U.C., 16 Pereira político e poeta.

n Proclamação solene da República em Angra do Heroísmo, Terceira, Açores. n Solenes exéquias do Dr. Miguel Bombarda e do Almirante Cândido dos Reis. António José de Almeida profere o discurso fúnebre. n Lisboa - Nasce António Queirós de Castro Caldas, Médico e Prof. universitário. Luís Pinto de Soveral, marquês do

nome, é exonerado, a seu pe17 mesmo dido, do cargo de E.E.M.P. em Londres. n Dec. -D.G. nº 11 - declara abolidos 15


1910 o Conselho do Estado e a Câmara dos Dignos Pares do Reino, demitindo todos os funcionários do Estado ao serviço da Casa Real. n Dec. -D.G. nº 11 - declara abolidos provisoriamente os lugares de reitor dos liceus. n Extinção da tipografia privativa da A.C.L.. n Cria-se uma comissão para reorganizar o Exército, cuja chefia é dada a José Estêvão de Morais Sarmento. n Na U.C., no 1.º dia de aulas, ocorrem graves acontecimentos com estudantes de “ideias avançadas”, denominados “Falange Demagógica”, apupando professores, ameaçando lentes e disparando tiros contra os retratos reais. O Núncio Apostólico Giulio Tonti,

em Sintra, regressa a Lisboa 18 estando sob guarda de um administrador. n O jornal “O Século” noticia a nomeação do Ten. Cor. José Alves Roçadas para Chefe de Estado-Maior da 4.ª Divisão Militar. n Alfredo Alcino de Castro termina as suas funções como E.E.M.P. em S. Petesburgo.

19

Toma posse o novo reitor da U.C., Manuel de Arriaga, que deixará as funções no ano seguinte quando eleito P.R.. O visconde de Santa Eulália, Cônsul

em Chicago, adere à Repúbli20 honorário ca e envia mil libras para ajuda do pa-

gamento da dívida externa. n Publica-se “Era Nova” (Barcelos democrático - n.d.). n Monsenhor Giulio Tonti, Núncio Apostólico em Lisboa, sai incógnito de Portugal. Fica a gerir a Nunciatura Monsenhor Aloisi Masella. n As bagagens de D. Manuel de Bragança são conduzidas do palácio das Necessidades para a Legação de Inglaterra.

21

Inaugura-se a Exposição Regional das Caldas da Rainha. n Portaria suspendendo o Bispo de Beja, D. Sebastião Leite de Vasconcelos, das suas funções pastorais ‘sine die’. n O Governo provisório decide confiar às Câmaras a colocação dos funcionários diplomáticos portugueses. n O jornal “O Século” noticia em 1.ª página: “Em Coimbra a alma revolucionária também penetra na Universidade - Cátedras que se abatem, praxes que desaparecem”. Dec. -D.G. n.º 16 - termina com o

da doutrina cristã nas escolas 22 ensino primárias e normais primárias.

n Instruções telegráficas para o representante diplomático brasileiro em Lisboa, José da Costa Mota, no sentido deste proceder ao reconhecimento formal (“de jure”) da República portuguesa. n Assume a Governo da Guiné o Ten. da Armada Carlos de Almeida Pereira.


Outubro - Nasce Hermínia Silva, fadista da Comissão encarregada de 23 Lisboa 25 Posse e actriz. elaborar um diploma de reforma da n Abolição dos juramentos de carácter religioso na Universidade de Coimbra. n Dec.- D.G. n.º 16 - acaba com o ponto tomado aos alunos da Universidade e declara livre todos os cursos. n A Argentina reconhece “de jure” o novo regime político português, sendo o 1.º país a fazê-lo. n O Governo reduz para Legação a Embaixada de Portugal junto ao Vaticano. n Publica-se “O Tâmega” (Chaves - republicano - n.d.). n Dec.-D.G. n.º 16 - declara facultativo o uso de capa e batina na Universidade e acaba com o foro académico. n Sidónio Pais é nomeado Vice-Reitor da U.C., tendo Manuel de Arriaga como Reitor. n Chega à Guiné o novo Governador, 2.º Ten. da Armada Carlos de Almeida Pereira. n Extinção da Faculdade de Teologia da Universidade de Coimbra. Dec.- D.G. n.º 18 - determina que o

D. Maria II se denomine Teatro 24 Teatro Nacional. n Reportagem fotográfica “Um dia de Vida com o P.R. Teófilo Braga” por Joshua Benoliel. n Naufrágio do paquete português “Lisboa”, ao Norte do cabo da Boa Esperança, registando-se 7 mortos. n O Partido Regenerador Liberal decide não se dissolver, acatando o novo regime em expectativa benévola.

administração local, presidida por José Jacinto Nunes. Solenes exéquias, na Sé Patriarcal em

por alma das vítimas da revo26 Lisboa, lução. n Oficialização da Academia das Ciências de Portugal, fundada em 1907 e cujos estatutos são aprovados. n São abolidos todos os dias santificados que passam a considerar-se dias de trabalho, à excepção do domingo. n Caetano Francisco Gonçalves assume interinamente o Governo-Geral de Angola, que lhe é entregue pelo Governador-Geral Alves Roçadas, por este não querer servir a República. n O jornal “O Povo de Aveiro” é suspenso e o seu director Homem Cristo preso. Início da publicação do matutino lis-

“Correio da Manhã”, da respon27 boeta sabilidade de jornalistas franquistas e que se assumem representantes das classes conservadoras, ditas de direita e de pendão nitidamente monárquico. n Segundo o inquérito efectuado por Celestino Steffanin a revolução republicana creditara 76 mortos (47 civis e 15 militares) e 308 feridos, (186 civis e 122 militares). Registaram-se ainda 4 assassinatos e 1 morto em desastre. n Segundo “O Século”, os sargentos implicados no movimento revolucionário de 28 de Janeiro de 1908 serão todos reintegrados no Exército, 17


1910 sendo promovidos os que estivessem presos. Lei protectora da liberdade de impren-

são proibidas “quaisquer publica28 sa: ções pornográficas ou redigidas em linguagem despejada e provocadora”. A Nicarágua reconhece “de jure” o

regime político português. 29 novo n O Teatro República inaugura a época com a peça “A 1.ª Causa”, protagonizada por Augusto Rosa, Eduardo Brazão, Adelina Abrantes e Emília de Oliveira. n Inaugura-se em Lisboa o “grandioso” salão “Chiado Terrasse”. É o 1.º edifício construído para cinema na capital, da traça do Arq. Tertuliano Lacerda Marques. Proclamação da República em Dili,

30 Timor. n Publica-se o “Notícias da Vila Real” (democrático - n.d.). n João Franco, antigo Ministro da Monarquia, é preso em Sintra. A caução que lhe é decretada elevava-se a 200 contos.

31

Reconhecimento da República pelo Uruguai. n Chegado de Paris pelo ‘Sud-Expresso é recebido em Lisboa, por grande multidão em delírio, o Grão-Mestre da Maçonaria, Sebastião de Magalhães Lima.

Outubro n O jornal “O Liberal” de Lisboa, dirigido por António Cabral, antigo Ministro do Reino, e tendencialmente monárquico, volta a publicar-se.


Novembro Grupos de activistas, sargentos, oficiais do Exército, estudantes e intelectuais invadiram a província a discursar às massas em termos de catequização republicana.

1

Em dia de finados efectuam-se romagens às campas dos regicidas no cemitério do Alto de S. João. n O príncipe húngaro, Nicolau Esterhazi, resolve dar asilo, nos seus domínios, aos jesuítas portugueses. n Dos 78 feridos da revolução, que haviam dado entrada no Hospital de S José, morrem 14, tendo alta 48. n São presos os Ministros franquistas do regime monárquico. n Abolição do grau de bacharel que ficou inerente á aprovação do último exame do curso.

2

Chega a Lisboa o sultão deposto de Marrocos Muley Abdel Aziz (Ben El Assan), hospedando-se no Hotel Central.

3

Decreto admitindo o divórcio em Portugal e a conceder à mulher o mesmo tratamento, tanto em relação aos motivos do mesmo, como aos direitos sobre os filhos. n Os jesuítas do Colégio de Campolide, devidamente protegidos por forças militares, embarcam rumo à Holanda. n O “Diário de Notícias” informa do início do sistema de anúncios pelo telefone. n No campo do Lumiar uma equipa de marinheiros ingleses vence por 3-2 o 19


1910 Sporting Clube de Portugal.

4

Decreto extinguindo o lugar de Administrador-Geral das Alfândegas. n António Machado Santos é promovido a Comissário Naval de 2.ª Classe. n Criação em Macau do Museu Luís de Camões, pela Portaria n.º 231.

5

Medidas preventivas contra a peste bubónica. n São criados os cursos livres no Curso Superior de Letras, por instâncias dos alunos.

6

Lisboa - Nasce Helena Matos, actriz. n Representa-se no Teatro República a peça homónima de Eduardo Schwalbach “Os Postiços”.

7

O Ministro do Interior António José de Almeida faz a 1.ª visita ao Norte, sendo recebido calorosamente no Porto.

9

José de Freitas Ribeiro é nomeado Governador-Geral de Moçambique.

10 a seu pedido, de Prof. da F.D.U.C..

O Doutor Rui Enes Ulrich é exonerado, n O Governo britânico reconhece “de facto” a República Portuguesa. n A França reconhece “de facto” a República Portuguesa. n A República Portuguesa é reconhecida “de facto” pela Itália. n A monarquia Espanhola reconhece

“de facto” a República Portuguesa. n Inauguração do cinematógrafo em Vila Franca de Xira. Manifestações estudantis no Liceu de

11 Faro. n Dec.-D.G. n.º 36 - extingue a Escola

Médico-Cirúrgica do Funchal. n Afonso Costa propõe a trasladação dos restos mortais do marquês de Pombal para o Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa. n Reconhecimento ”de facto” da República Portuguesa pela Rússia. n A República Portuguesa é reconhecida “de facto” pela Noruega” n Porto - Nasce Jaime Ferreira, jornalista e pintor de arte. n O Capitão-Tenente José de Freitas Ribeiro assume interinamente o Governo-Geral de Moçambique. n A Nunciatura Apostólica em Lisboa recebe um despacho telegráfico da Santa Sé em que esta aprova a lei da Separação da Igreja e do Estado, mediante determinadas condições. de D. Manuel II continu12 earãoos pessoais a ser auferidos pelo monarca deOs rendimentos da casa de Bragança

posto. n O jornalista Francisco Homem Cristo Filho regressa do Brasil, onde permanecera cerca de quatro meses a proferir conferências. n Assume o Governo de S. Tomé e Príncipe o Dr. Carlos Pimentel de Melo. n Em Roma uma junta de cardeais resolve reconhecer como “legítimo rei de


Novembro Portugal” o Senhor D. Manuel II. n Publicação do 1.º número do jornal “O Intransigente - Diário Republicano Radical”, fundado em Lisboa por Machado Santos, que se reclama órgão dos carbonários. n Primeira lei do inquilinato com a inovação do pagamento das rendas ser feito mensalmente e não por semestre ou anual. No geral o diploma é despudoradamente favorável aos inquilinos. n Lisboa - Nasce Horácio de Sá Viana Rebelo, General e Governador-Geral de Angola entre 1956/59. n O jornal “O Século” noticia a nomeação do Major de Infantaria Alfredo da Rocha Vieira para Governador da Ilha do Príncipe. O Ginásio Clube Português inaugura o

de ‘Sports’ Atléticos em Lisboa. 13 Campo n Comício dos caixeiros em Lisboa

reivindicando o descanso semanal e a jornada de trabalho.

14

Os carros eléctrico param em Lisboa com a greve dos operários da fábrica geradora de energia e a greve geral da Companhia. n No Salão “Ideal” em Lisboa estreia o documentário “Desembarque de D. Manuel e sua Mãe em Gibraltar”.

com a presença de todo o Governo. n Comício no Rossio, em Lisboa, onde se decidiu que as greves só serviam para criar hostilidade à República. Registam-se na baixa de Lisboa as primeiras cenas de pancadaria entre grevistas e republicanos. n Publica-se “O Rebelde” (Leiria - republicano - n.d.). n A Bélgica reconhece a República Portuguesa “de facto”. n A República Portuguesa é reconhecida “de facto” pela Turquia. n A Guatemala reconhece “de facto” a República Portuguesa. n Declaram-se em greve os operários sapateiros e das moagens e outras indústrias. n Em Lisboa publica-se o jornal “A Democracia”, diário republicano da manhã. Efectuam-se prisões por incitamento à

17 greve. n O Governo Provisório republicano adopta o novo hino nacional, de Alfredo Keil e Henrique Lopes de Mendonça.

18 guerra: a canhoneira “Ibo”.

É lançado ao mar um novo barco de

São expulsos de Macau os jesuítas.

15 nha da Póvoa.

Greve iniciada pelos ferroviários da lin O E.E.M.P. brasileiro, Dr. Costa Mota, entrega novas credenciais, agora ao Presidente Provisório da República

Dec.-D, G. n.º 41 - define o que são 19 nobras de arte, estabelece providências para a sua venda e proíbe a respectiva exportação.

21


1910 da ordem pública em Alter 21 Alteração do Chão. n Nomeação do Dr. Manuel de Brito Camacho para Ministro do Fomento. Exonerado em 3.9.1911. Será também reintegrado nos quadros do Exército como Capitão-médico. Regula-se a cerimónia de juramento

bandeira nos quartéis, agora com 23 deformúla republicana.

n António Luiz Gomes é nomeado Ministro Plenipotenciário de Portugal no Brasil. Deixa por isso a pasta do Fomento. n No Salão da Trindade estreia o ‘Pathé Jornal n.º 1’, que inclui o documentário “A Última Caçada do Rei D. Manuel”. n Brito Camacho integra o Governo sendo-lhe confiada a pasta do Fomento. Criará o Instituto Superior Técnico. n No porto de Leixões embarca para o Brasil no paquete “Aragon” o E.E.M.P. António Luiz Gomes

24 nho e Douro.

Greve dos ferroviários da linha do Min Magalhães Lima é nomeado para a comissão, encarregada de inquirir os serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros. n Nota Pastoral Colectiva do Episcopado Português ao clero e fiéis de Portugal. n O M.N.E. Bernardino Machado dá a 1.ª audiência ao Corpo Diplomático n Cascais - Morre o duque de Palmela, António Pina de Brederode, ocorrência que merece 1.ª página de jornais capi-

talinos completamente aderentes à jovem República. Publica-se o “Imparcial” (Guimarães -

- n.d.). 25 regenerador n Greve dos trabalhadores da Com-

panhia do Gás e Electricidade de Lisboa. n Cunha Leal funda com outros colegas militares o jornal académico “Ávante’. Funeral do duque de Palmela.

Reitor toma posse do novo edifício 26 ndoOLiceu Passos Manuel em Lisboa, cujas obras de edificação haviam sido iniciadas em 1887. n Nomeação do Governador interino de Macau: Dr. Marques Vidal, substituindo o cessante Eduardo Augusto Marques. Publica-se a “Alvorada” (Guimarães -

republicana - n.d.). 27 esquerda n Publica-se “O Carbonário” (Évora -

Partido Democrático - n.d.). n Publica-se o “Correio da Covilhã” (conservador - n.d.) n Dec.- D.G. n.º 47 - manda que as forças do Exército e da Armada não tenham intervenção, directa ou indirecta, nas solenidades religiosas, excepto quando chamadas a manter a ordem pública.


Novembro de uma exposição de bandei28 Abertura ras históricas na Sociedade de Geo-

grafia de Lisboa. n Detecta-se um surto de cólera no Funchal, Madeira. n Reúne-se na S.G.L. a Comissão encarregada dos trabalhos relativos ao monumento a erigir ao marquês de Pombal. n Toma posse do Governo de S. Tomé e Príncipe o Eng. António Miranda Guedes. n Um forte temporal fustiga Lisboa e arredores.

nomeando o Dr. Elísio de Mou29 nra Dec. Lente catedrático da Faculdade de

Greve dos telefonistas. Medicina de Coimbra.

João Marques Vidal, bacharel em Di-

assume interinamente o Governo 30 reito, de Macau.

23


1910 1

Publica-se “O Athleta” (Angra do Heroísmo - liberal - n.d.). n Inauguração da Bandeira Nacional republicana, segundo o modelo de Columbano Bordalo Pinheiro. A cerimónia integrou-se na celebração da efeméride daquele dia com programa publicado no “Diário de Notícias”. n No Porto dá-se à estampa o 1.º número da publicação “A Águia”, dirigida por Álvaro Pinto. n Greve do pessoal da Companhia de Gás e Electricidade do Porto.

2

Dec.-D.G. n.º 50 - regula a concessão de cartas de naturalização. n Francisco Grandela faz doação ao Estado dos 3 edifícios por si mandados construir para escolas primárias em Benfica (Lisboa), Tagarro e Foz do Arelho.

3

Publica-se “A Fraternidade” (Lamego democrático - n.d.).

4

D. Manuel de Bragança e sua mãe D.ª Amélia deslocam-se a Sandrigham em visita de cortesia à Rainha Alexandra, viúva de Eduardo VII. n Realiza-se no quartel de Infantaria 5 uma festa militar com a inauguração de um retrato do Dr. Teófilo Braga, cerimónia assistida por António José de Almeida.

5

O cruzador “D.ª Amélia” é crismado de “República”. n Chegam a Lisboa excursões republi-

canas de Abrantes e Loures para cumprimentar o Governo.

6

Lisboa - Morre Costa Goodolphim, grande promotor dos princípios associativistas em Portugal e poeta. n António Maria da Silva, Eng. de Minas, é nomeado Director-Geral dos Correios e Telégrafos. n Decreto de Brito Camacho reconhecendo o direito à greve e ao ‘lock-out’.

7

O Ministro do Fomento do Governo Provisório, Manuel Brito Camacho, visita as instalações da CUF no Barreiro, a convite de Alfredo da Silva. Publica-se “A Velha Guarda” (Guimarães - republicano - n.d.). n Decreto em 14 artigos regulamentando as greves. Bernardino Machado é investido no

de Presidente da Sociedade de 10 cargo Geografia de Lisboa.

n Entrega de credenciais do Ministro Plenipotenciário da Argentina, Baldonero Sagastume. n Abertura ao público da Avenida Marginal de Macau, baptizada com o nome da República. n Parte por via marítima para Paris o pintor Dórdio Gomes, para ali completar a sua formação artística.


Dezembro “A Tribuna” (Horta - regioo “Diário de Notícias” o A11 Publica-se 16 Segundo nalista - n.d.). córdão da Relação despronuncia os ministros franquistas da Monarquia.

Pastoral colectiva traçando normas

para a acção dos católicos no Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Pa12 gerais novo regime. triarca de Lisboa, é ordenado Diácono. 17 n Funda-se a Associação Humanitária n Toma posse interina do Governo de dos Bombeiros Voluntários Lisbonenses. n Decreto desdobrando o antigo Instituto de Agronomia e Veterinária em duas Escolas Superiores de Agronomia e Medicina Veterinária. n O navio escola da Marinha de Guerra Argentina “Presidente Sarmiento” fundeia no Tejo e a cuja tripulação é proporcionada calorosa recepção. Dec.-D.G. n.º 59 - regula o exercício da

13 profissão médica em Portugal.

Macau Álvaro de Melo Machado, oficial da Armada. Quatro Juízes da Relação de Lisboa

João Franco, antigo 21 despronunciam Ministro da Monarquia. n O jornal “O Século” noticia ter sido concedida a reforma ao actor Joaquim de Almeida, que fora recusada pela Monarquia. n O Ministro da Justiça Afonso Costa visita os conventos para se certificar da “melhor aplicação daqueles edifícios a fins úteis”.

Chamusca, Malveira - Nasce Beatriz

futura actriz com grande popu14 Costa, laridade.

n D. Manuel de Bragança liquida as suas dívidas aos credores da Casa Real e fixa residência em Inglaterra. n No 1.º Bairro de Lisboa celebra-se o casamento do Ministro do Interior António José de Almeida com Maria Joana Morais Queiroga.

15

Lisboa - Morre João Carlos da Horta Machado da Franca, diplomata que foi E.E.M.P. no Brasil.

A imprensa noticia os louvores e prooficiais revolucionários de 5 de Outubro e 28 de Janeiro de 1908.

por distinção aos 22 moções envolvidos nos movimentos

A actriz Palmira Bastos reaparece no

da Trindade estreando-se a o23 Teatro pereta “Amores de Príncipe”. n O jornal “O Século” noticia que o antigo monarca D. Manuel decide instalar-se na residência de Abercon em Richmond, Inglaterra.

25


1910 Pastoral colectiva que sairá a24 Carta penas em 23 de Fevereiro de 1911.

n 260 contos é o prémio da taluda do Natal, vendida em vigésimos e cautelas. n O Governo Provisório Republicano solicita ao seu homólogo helvético o ‘agrement’ para Guerra Junqueiro como E.E.M.P..

n É franqueado à imprensa e ao público o Museu da Revolução, instalado no antigo Recolhimento Jesuíta do Quelhas, em Lisboa. n Extinção das faculdades de Teologia e de Direito Canónico da U.C.. Existem em Macau 2 unidades industri-

Manifestação de aplauso em Lisboa,

aprovação da nova Lei do Inqui26 pela linato. n Os directores do Crédito Predial saem em liberdade do Tribunal da Boa Hora, sob cauções de 2.550 contos: Luciano de Castro, António Cândido, marquês de Ávila, Eduardo Burnay e outros. O Governo helvético concede o ‘agre-

a Guerra Junqueiro, reconhecen27 ment’ do simultaneamente a novel república portuguesa. n O Dr. Alexandre Braga profere no Teatro da República uma conferência sobre o tema “Bandeiras e Hinos”. Decreto proibindo a residência, durante

anos nos limites dos distritos de 28 dois Lisboa, a D. António Mendes Belo e ao Deão da Sé do Porto D. Manuel Luís Coelho. Diploma legislativo convertendo as “es-

reais” em “estradas nacionais”. 29 tradas n Lisboa - Morre Francisco de Sousa

Viterbo, médico, arqueólogo e historiador.

e 15 casas de jogo. 31 ais n Dec.-D.G. n.º 15 - cria os Tribunais de

Honra para substituir a prática do duelo. n Lourenço Marques, capital de Moçambique, tem aproximadamente 14 mil habitantes. n A produção de trigo é de 280.285 ton. e o consumo de 357 371 ton. n A exportação de conservas de sardinha é de 18.690 ton. e de atum 1.464 ton. n Total de dívida pública 137.668 libras esterlinas. n A extensão da rede telefónica é de 8.900 quilómetros. n A rede de estradas em Portugal soma 11 mil quilómetros, n A Taxa de mortalidade em Portugal, continente e ilhas, é de 20.3%. n Proibição do exercício do ensino religioso nas escolas e do uso de hábitos talares. n O total de publicações periódicas cifra-se em 543. n O número de aparelhos telefónicos ou assinaturas em Lisboa é cerca de 3500 e no Porto aproximadamente de 1500. n A população de Lisboa ascenderia a 436 mil habitantes. n O recenseamento demográfico revela que cerca de 80% da população


Dezembro activa dedica-se à agricultura. n Greves durante o ano: 85. n O Ministro de Fomento inaugura uma unidade industrial: fábrica de Chocolates Iniguez. n Número oficial de emigrantes do continente e ilhas: 39.502. n A produção anual de vinho cifra-se em 4.334.000 hectolitros. n Angola, segundo a estatística, tem 12 mil brancos, 2.900.000 negros e 9.500 mestiços. n Luanda tem cerca de 15 mil habitantes.

27


19 11


1911 n Os estudantes universitário são em número de 1.212. n São 10.640 o número de alunos no ensino secundário. n João de Barros: “A Nacionalização do Ensino”. n Maria Amália Vaz de Carvalho: “Impressões de História”. n A população portuguesa ascende a 5.960.056 habitantes. n Amadeu de Sousa Cardoso pinta o óleo sobre tela “Galgos”. n Anuário da Universidade de Coimbra 1911/1912: A.O.S. cursa o 2.º ano de Direito. n Raul Brandão publica: “O Padre”. n J. Leite de Vasconcelos publica: “Lições de Filosofia Portuguesa”. n Afonso Costa publica: “Estudos de Economia Nacional - I O Problema da Emigração”. n José de Arriaga publica: “Causas da Revolução de Outubro de 1910”. n O Prémio Valmor de Arquitectura é atribuído ao edifício da rua Alexandre Herculano, 25, da autoria de Miguel Ventura Terra. n No Rio de Janeiro Miguel Mello publica a obra “Eça de Queiroz - A Obra e o Homem”, considerada a 1.ª biografia feita do escritor. n Teófilo Braga publica “Camões - A Obra Lírica e Épica”. n Basílio Teles publica: “As Ditaduras II. O Regime Revolucionário”. n Hipólito Raposo: “Boa Gente”, (contos). n Pintura sobre tela “Cena Familiar” de Aurélia de Sousa”.

1

Inauguração, em Angra do Heroísmo, da Exposição Industrial, Comercial e Agrícola. n Publica-se “O Operário” (Beja - socialista - n.d.). n Publicação de “O Alarme” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana n.d.). n Grande manifestação de repúdio pela lei que interditava o Patriarca de Lisboa, D. António Mendes Belo, de residir na sua Diocese. n Criação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Évora.

2

Publica-se, no Porto a nova série do “Diário da Tarde”. n Primeiro número do “Eco Musical”, publicado em Lisboa.

3

No Teatro da República realiza-se a festa artística do actor Chaby Pinheiro, com a peça “O Convertido”. n O Patriarca de Lisboa D. António Mendes Belo deixa a Diocese partindo desterrado para Gouveia.

4

Lisboa - Nasce Elsa Levy, cantora. n Estreia no Teatro da Rua dos Condes, a peça “Cinco de Outubro”, original de Mário Monteiro.

5

Violento incêndio nos Armazéns Grandela, em Lisboa, provoca enorme prejuízo material. n Publica-se em Lisboa o jornal humorístico “A Troça”.


Janeiro 6

7

8

Assalto às redacções dos jornais monárquicos de Lisboa, “Liberal”, “Correio da Manhã”, e “Diário Ilustrado”. n Agostinho Fortes toma posse da cadeira de História Universal, no Curso Superior de Letras de Lisboa. n Chega a Lisboa o ex-Governador de Huíla, Angola, o Cap. João de Almeida, figura prestigiada e conhecida pelo “Herói dos Dembos”. n No Teatro Nacional de Almeida Garrett em Lisboa estreia a peça “Pena Última” de Henrique de Mendonça. O jornal “República” de Lisboa denuncia: “O fiel amigo está a peso d’oiro. Só os milionários podem comer bacalhau, transformado em acepipe raro”. n Parte para o Funchal o batalhão de Caçadores 6, a fim de reforçar os contingentes ali estacionados. n Dec.-D.G. n.º 6 - reduz os vencimentos dos médicos. n Dec.-D.G. n.º 33 - transfere para a posse da Câmara Municipal do Porto o Palácio da Bolsa e o Tribunal do Comércio. n O escritor Ferreira de Castro embarca em Belém do Pará, Brasil, de regresso a Portugal. n Ameaça de greve geral dos ferroviários reivindicando aumento de salários. A União Velocipédica Portuguesa organiza em Lisboa uma parada em honra do Governo da República com a participação de 1.200 ciclistas. n Em Lisboa são assaltadas e destruídas em pleno dia as redacções dos

jornais “Talassas” (monárquicos) “Diário Ilustrado”, “Correio da Manhã” e “O Liberal”, este último dirigido por António Cabral, antigo Ministro da Monarquia.

9

Inaugura-se em Lisboa o Liceu Passos Manuel, construído de raiz. É frequentado por 1.158 alunos, dos quais 15 do sexo feminino. n Dec.-D.G. n.º 7 - regulamenta o descanso semanal. n Na Sociedade de Geografia de Lisboa é aprovado projecto de Lopes de Mendonça para o hino nacional. Pede demissão o Ministro do Interior

José de Almeida. 10 António n Declara-se em greve o pessoal da

Companhia de Caminhos-de-Ferro Portugueses, secundado pelos ferroviários do Sul e Sudeste, Beira Alta, Minho e Douro. n Port.-D.G. n.º 8 - manda proceder a uma avaliação especial dos objectos de arte existentes no Palácio das Carrancas do Porto. n Regulamentação do descanso semanal obrigatório ao domingo. Greves da classe metalúrgica e dos

11 caixeiros.

Demissão colectiva do pessoal da Câ-

Municipal do Porto. 12 mara n Cessa a greve dos empregados de

comércio, com a duração de um dia. n São destruídas, por um incêndio, a 31


1911 redacção e oficinas do jornal “Direito” do Funchal. n Reassume funções de Ministro do Interior António José de Almeida.

13 nhia de Gás de Lisboa.

“Daily Mail”, de Londres, publica uma 17 Oentrevista a D. Manuel de Bragança, sobre a sua disponibilidade de voltar a Portugal. n Passa por Lisboa o antigo Presidente da Argentina José de Figueirôa Alcorta.

Greve dos empregados da Compan Em Viseu é assaltado o “Jornal Católico”. n Dec.-D.G. n.º 12 - cria um Consulado de carreira em Casablanca, Marrocos. António José de Almeida funda em Lis-

o jornal “República”, que se torna 15 boa mais tarde órgão do Partido Evolucionista. n Realiza-se, em Lisboa, uma parada dos Batalhões de Voluntários da República, recentemente criados sob a égide da carbonária. A manifestação é essencialmente contra as greves. n Dec.-D.G. n.º 46 - concede a pensão anual vitalícia de 600$00 reis, à filha do falecido Almirante Carlos Cândido dos Reis. n Banquete de homenagem a Afonso Costa, oferecido pelo inquilinato comercial e industrial. n Termina a greve da Companhia dos Caminhos-de-Ferro. n Na A.C.L. comemora-se o 50.º aniversário do Curso Superior de Letras, presidindo à sessão o Dr. Teófilo Braga. Restabelece-se a circulação dos com-

da linha Sul e Sueste. 16 boios n Toma posse uma Comissão Administrativa da Câmara Municipal do Porto.

Encerramento da antiga fábrica de lani-

em Alenquer, pela oposição do 18 fícios operariado a fazer serão.

n Port.-D.G. n.º 15 - nomeia uma comissão, para proceder ao estudo da reorganização das forças militares coloniais. n Greve de trabalhadores rurais no concelho da Fronteira. n Assume o cargo de Governador-Geral de Angola Manuel Maria Coelho.

19 Manuel de Lisboa.

Greve dos estudantes do Liceu Passos n Primeira apresentação, no Teatro Nacional em Lisboa, da peça “A Bi”, original de Victoriano Braga e Vasconcelos de Sá. n Dec.- D.G. n.º 42 - aprova o Regulamento Disciplinar do Exército. n Partem a bordo do vapor “Hilary” as últimas Irmãs de Caridade. Dec.-D.G. n.º 20 - cria, na Ilha da Ma-

o Laboratório Químico-Agrícola 20 deira, do Funchal. n Fundeia no Tejo o cruzador “Vasco da Gama” que havia partido de Lisboa em missão a 11 de Janeiro de 1909.


Janeiro D.G. n.º 18 - extingue o culto 21 Dec.religioso na capela da Universidade de

Coimbra e cria um Museu de Arte no mesmo edifício. n Dec.- D.G. n.º 18 - suprime o exame de licenciatura na Universidade e o de conclusões magnas, e estabelece as provas para se obter o grau de doutor. n Parte para Vigo rumo a Paris o jornalista Homem Cristo (pai), após a suspensão do jornal “Povo de Aveiro”, do qual era director, nele defendendo os seus ideais anti-republicanos. n Prossegue a greve das telefonistas do Porto. Nova greve ferroviária nos Caminhos-

22 -de-Ferro da Beira Alta.

Termina a greve dos operários da Com-

de Gás de Lisboa. 23 panhia n Publica-se, em S. Tomé, o jornal “Or-

n Junto ao Cabo Razo um barco a vapor de pesca inglês, que abalroa uma embarcação pequena de Olhão, provoca a morte de 11 tripulantes portugueses. Anúncio da venda do iate a vapor “D.ª

anteriormente utilizado pela 26 Amélia”, família real.

27

No vapor “Aragon” parte para o Brasil o 1.º E.E.M.P. da República, Dr.º António Luiz Gomes, acompanhado pelo novo Cônsul-Geral Dr. Fernando Costa. n Lisboa - Morre a actriz Maria Costa, há muito afastada da cena. n Primeira récita, no Teatro da República em Lisboa, da peça “Margarida do Monte”, de Marcelino de Mesquita. n Inauguração em Lisboa dos grandes armazéns frigorífícos junto à doca do Jardim do Tabaco.

dem e Trabalho”. Publica-se o “Revolucionário” (Angra

24

Termina a greve dos eléctricos em Lourenço Marques. n D.G. n.º 23 - Regulamento geral da Academia de Ciências de Portugal.

25 contra o regime na cidade da Praia, Registam-se acontecimentos graves

Cabo Verde. n Primeira récita da peça “Pátria Livre”, original de Ernesto do Carmo, no Teatro da Rua dos Condes, em Lisboa. n Dec.-D.G. n.º 37 - aprova o Regulamento Disciplinar da Armada.

28 don.d.).Heroísmo - esquerda republicana -

n Port. D.G. n.º 43 - aprova o regulamento do Conselho Administrativo da Escola do Exército. n Estreia, no Teatro Ginásio de Lisboa, da comédia “Scherlock” de Abreu Lima e Chagas Roquete. n Port.-D.G. n.º 24 - esclarece que os dias feriados, decretados pelo Governo da República correspondem, para todos os efeitos judiciais, aos dias santificados mandados guardar pela legislação anterior. 33


1911 n Inaugura-se em Macau um busto de Vasco da Gama, projecto de Tomás Costa. Raul Proença é nomeado bibliotecário

Biblioteca Nacional. 30 dan Promovida pelo matutino Comércio do Porto realiza-se uma homenagem a Afonso Costa.

Para as comemorações da revolta re-

de 1891 deslocam-se ao 31 publicana Porto os Ministros dos Negócios Estrangeiros, Justiça e Marinha. n O mar destrói quase toda a muralha de defesa provisória de Espinho. n Publica-se em Aljustrel o jornal “A Revolta”. n Protesto do Cônsul de Portugal em Cantão, contra a ida de soldados chineses à ilha de D. João em Macau.

Janeiro


Fevereiro Começam a circular os primeiros selos na nova moeda, o escudo.

1

Populares arrivistas invadem em Coimbra o Centro Académico da Democracia Cristã, CADC, sito na Rua dos Coutinhos, destruindo o mobiliário.

2

Tremor de terra no Alentejo e Algarve. n Reaparece (em 3.ª série) “O Dia”, dirigido por Moreira d’ Almeida. n O jornal “O Dia” de Lisboa deixa de publicar-se. n Nomeação de Daniel de Matos Júnior para Reitor da U.C., em substituição do Dr. Manuel de Arriaga. n Brito Camacho, Ministro do Fomento, apresenta em Conselho as bases do projecto que deve regular o regime sacarino da Madeira, tendendo a pôr termo à chamada “questão Hinton”.

3

São postas à venda as 120 carruagens da extinta casa real, das quais 100 em perfeito estado de conservação. n O Chefe do Governo espanhol nega qualquer envolvimento nos assuntos da República Portuguesa. n Toma posse como Reitor da U.C. Daniel de Matos Júnior, Doutorado em Matemática e Filosofia. Sucede a Manuel de Arriaga eleito para a Presidência da República.

4

Estreia, no Teatro da Avenida em Lisboa, a revista “Nem mais nem menos”, de Guedes de Oliveira.

n Dec.- D.G. n.º 43 - aprova o regulamento para a concessão da Medalha Militar.

5

São detidos passadores de notas falsas em Figueiró dos Vinhos. n Grande manifestação, no cemitério oriental de Lisboa, de homenagem aos regicidas Alfredo Costa e Manuel Buiça. n Regressa ao Tejo, proveniente de S. Tomé, o cruzador “S. Rafael”.

6

O E.E.M.P. da República, António Luiz Gomes, chega ao Rio de Janeiro, onde é acolhido com grandes manifestações de simpatia pelo governo brasileiro. n Sebastião Magalhães Lima recusa o cargo de Embaixador em Londres.

7

Dec.- D.G. n.º 31 - institui, na cidade do Porto, uma Junta Autónoma das obras da cidade.

8

Publica-se, em Ancião, o jornal “Pela Verdade”. n Dec.- D.G. n.º 39 - cria um Consulado de 3.ª classe em Badajoz, com jurisdição sobre a província da Estremadura espanhola. n Registam-se em Castelo Branco graves incidentes e tumultos por causa de uma procissão. São detidas 25 pessoas.

35


1911 9

Dec.- D.G. n.33 - estabelece a tributação das indústrias auto-motrizes. n Inaugura-se em Lisboa a sala João Chagas, no Museu da Revolução. n Dec.- D.G. n.º 33 - extingue a Direcção-Geral da Saúde e Beneficência Pública e cria a Direcção-Geral de Saúde.

10 via sido consignada para atribuição de

ao insigne clínico Dr. Júlio de Matos, na cidade do Porto.

13 ligião “hindu”.

Dec.-D.G. n.º 40 - sobre o culto da ren Nomeação de uma comissão para estudar as causas da decadência do teatro português e respectivas reformas.

O matutino “O Século” noticia que ha-

pensões ao clero a verba de 800 contos.

11 determinam buscas domiciliárias.

Acontecimentos anormais em Cascais n Suspende-se a publicação do jornal católico do Porto “Correio do Norte”. n Realiza-se no Teatro da República a festa artística de Adelina Abrantes.

14 nanças e do Fomento, os primeiros São colocados, no Ministério das Fi-

relógios de ponto das repartições públicas portuguesas. n Segundo o “Diário de Notícias” tinham morrido em Lisboa, no ano transacto, 9.970 indivíduos, dos quais 1.815 de tuberculose.

15 tor e actor de cinema.

Lisboa - Nasce Guilherme Kjolner, can-

12 Lisboa, situado e S. Sebastião da Pe-

Inaugura-se o 1.º balneário infantil em dreira. n Manifestação, na Rotunda de Lisboa, promovida pelos comerciantes contra a distribuição de “bónus” e senhas. n Publica-se “A Liberdade” (Aveiro democrático - n.d.). n Publicação de “O Concelho de Bragança” (conservador - n.d.). n Publica-se “O Barcellense” (conservador - n.d.). n Violento incêndio destrói completamente uma fábrica de velas no Funchal. n Abalo de terra em Salvaterra de Magos e Benavente. n A Associação dos Médicos do Norte de Portugal promove uma homenagem

n João Chagas demite-se da Junta Consultiva do P.R.P. n Publica-se “A Rotunda” (Évora - direita-n.d.). n Inaugura-se em Lisboa o Congresso dos Médicos Municipalistas, promovido pela Associação dos Médicos Portugueses. n Tumultos no Porto por causa de uma conferência na Associação Católica. n Suspende-se no Porto a publicação do jornal “Diário da Tarde”. n Criação de uma comissão para o estudo da reforma ortográfica.


Fevereiro lugar em Lisboa o Congresso dos 16 Tem Médico Municipais, promovido pela

Associação dos Médicos Portugueses. n Lisboa - Nasce Orlando Ribeiro, geógrafo e Professor universitário com valiosa obra publicada. n Instala-se, no Tribunal da Relação de Lisboa, o recém-criado Tribunal de Honra. n Tragédia em Lisboa, pelo desabamento de um salão no quartel da Infantaria 12, com dezenas de feridos. n O “Diário de Notícias” publica excertos do Acórdão do S.T.J. que anulou o da Relação, que havia pronunciado o Dr. João Franco. Lisboa - Acordo Comercial luso-francês.

Em Vila Nova de Gaia é apedrejado o 17 nCírculo Católico dos Operários.

n Visita Lisboa o escritor francês Phileas Lebergue, a quem Teófilo Braga concede o título de cidadão português. n Assinatura de um “Modus Vivendi” com a França. n Suspende-se a publicação no Porto do diário “A Tarde” dirigido por Sampaio Bruno. Com poucos licitantes são arrematados

a sucata vários navios de guerra 18 para no Arsenal de Lisboa.

n Dec.- D.G. n.º 41 institui o Registo Civil obrigatório. n Inauguração em Viseu, por António José de Almeida, da estátua do antigo Bispo daquela cidade, D. António Alves Martins. n São expatriados Álvaro Pinheiro Chagas e João Azevedo Coutinho, por ale-

gada conspiração contra a República. Primeiro concerto no Teatro Nacional

Garrett pela Orquestra de Lis19 Almeida boa.

Incidentes graves nos concelhos de

e de Santo Tirso, decorrentes 20 Paredes da prisão de dois padres.

n Em Lisboa iniciam-se as obras da construção da Avenida Álvares Cabral. n Dec.- D.G. n.º 43 - confirma e ratifica o “Modus Vivendi”, entre Portugal e a França. n Sidónio Pais faz a sua iniciação na Maçonaria na Loja Estrela d’ Alva, ritual escocês antigo aceite, não tendo porém, de futuro, regular actividade maçónica. Adoptou o nome simbólico de ‘Carlyle’. Chegam a Lisboa 407 trabalhadores

de Serpa e arredores, em21 alentejanos, igrantes para as ilhas Sandwich. n Port.- D.G. n.º 64 - aprova o projecto duma variante da linha férrea do Sado. n Festeja-se o levantamento da quarentena do porto do Funchal, após prolongada epidemia de cólera. n Nova Goa - Nasce Nina Marques Pereira, pianista e concertista. n Inauguração em Lisboa do Hospital de Santa Marta. Lisboa - Morre Jesuína Marques, actriz.

D.G. n.º 44 - extingue o Hospí22 ncioDec.do distrito de Coimbra e cria, nesta cidade, uma Maternidade, anexa à Fa37


1911 culdade de Medicina da Universidade. n Dec.-D.G. n.º 45 - reforma o ensino médico. Pastoral colectiva dos Bispos portu-

protestando contra as medidas 23 gueses, anticlericais do Governo.

n Estreia da revista “N’ um Rugo”, no Teatro da República em Lisboa, original de João Foca e Machado Correia. n Cessa a publicação “O Rebelde” (Leiria - republicano n.d.). n Pastoral colectiva dos Bispos portugueses, protestando contra as medidas anticlericais do Governo. n Sobe à cena no Teatro “Apolo” de Lisboa a 1.ª revista republicana “Agulha em Palheiro”, animada de grande espírito revolucionário.

25 n Dec.- D.G. n.º 251 - aprova, para ser Greve geral em Setúbal.

ratificada, a Convenção Sanitária de Paris, de 3 de Dezembro de 1903. n Proibição, pelo Ministro da Justiça, Afonso Costa, da Pastoral dos Bispos portugueses dirigida ao clero. n O E.E.M.P. no Rio de Janeiro, António Luiz Gomes, apresenta credenciais ao Marechal Hermes da Fonseca. Prisão de alguns párocos, que haviam

a pastoral dos Bispos durante a 26 lido missa.

Fevereiro descoberta, no Rio de Janeiro, uma 28 Éconspiração dos monárquicos portugueses contra a República de Portugal.


Março 1

2

3

Peste bubónica em Mormugão, Índia portuguesa. n Dec.- D.G. n.º 105 - determina que os Adidos Comerciais junto às Legações em Paris, Madrid e Berlim passem a e-xercer cumulativamente as funções consulares nas respectivas capitais. n Dec.- D.G. n.º 80 - organiza o crédito agrícola em Portugal. n O Capitão-Tenente Ramos da Costa inventa o diceraunógrafo, aparelho registador de tempestades a grande distância. n Guerra Junqueiro cede, à Academia das Belas-Artes de Lisboa, a sua colecção de 17 valiosos quadros. n Publica-se no Porto o jornal republicano “A Montanha”, órgão do Partido Democrático. Perdura até 1936. n Dec. transferindo de Coimbra o Dr. António Egas Moniz para a Faculdade de Medicina de Lisboa. n Inauguração do 1º animatógrafo da Amadora. Aveiro - Nasce Vasco Vieira da Costa, Arquitecto. n Publica-se “O Radical” (Leiria - Partido Evolucionista - n.d.). n A Câmara Municipal do Porto determina como feriado municipal o dia 24 de Junho, celebrando o S. João. n Por determinação do Ministro da Guerra Correia Barreto é publicada a Lei do Recrutamento Militar. O Ministro das Justiça Afonso Costa expede uma circular telegráfica aos Bispos portugueses informando que o

Governo nega o beneplácito à Pastoral colectiva dos prelados. n Suspende a publicação o jornal “A Capital” de Lisboa. n Em Negrelos (Santo Tirso) um incêndio destrói a maior fábrica de fiação do País, onde trabalhavam 2.800 operários, com prejuízos orçados em mais de 600 contos. n Paralisação do trabalho na CUF. n O Ministro Plenipotenciário de Inglaterra, Sir Arthur Harding, é preso em Beja como conspirador, por equívoco de um guarda da Polícia Cívica.

4

Lisboa - Morre o conhecido por Maestro Taborda, António da Cunha, regente da G.N.R. e da antiga Guarda Municipal. n Vila de Frades - Morre José Fialho de Almeida, escritor de mérito e panfletário.

5

Realiza-se na Avenida da Liberdade em Lisboa a “Festa da Árvore”, com a participação das crianças das escolas primárias. n Publica-se o “Jornal de Cascais”, semanário.

6

Intimação para que o Bispo do Porto se apresentasse no Ministério da Justiça.

7

O Bispo do Porto, D. António Barroso, é destituído das suas funções, com proibição de permanecer na área da sua jurisdição pastoral, ‘sine die’, sendo des39


1911 terrado para Cernache do Bom Jardim. n Começa a publicar-se em Paris o semanário ilustrado, “La République Portugaise”. n Constitui-se em Oakland, nos Estados Unidos da América, a Liga de Propaganda de Portugal. n Por resolução do Conselho de Ministros é demitido o Bispo de Beja, D. Sebastião Leite de Vasconcelos. n Continuam as prisões de párocos, acusados de lerem publicamente a Pastoral dos Bispos.

8

9

Inaugura-se em Coimbra o Jardim-Escola João de Deus. n Alvará - D.G. n.º 117 - concede licença para a construção de um paiol de explosivos no concelho de Vila Real. n Lisboa - Morre Augusto Maria Fuschini, Engenheiro e político monárquico. n Publica-se em Lisboa o semanário “O Negro”. n Sessão magna do Grande Oriente Lusitano Unido, na Foz do Arelho, com a presença de Afonso Costa e José Grandela. Reaparece em Lisboa, sob a direcção de Lopes de Mendonça, o “Diário Popular”. n Assina-se o “Modus Vivendi” com a Itália, sobre relações comerciais. n Decreto que concede a possibilidade dos antigos professores da Faculdade de Teologia de Coimbra ingressarem no quadro dos docentes da Faculdade de Letras.

M.N.E. da Monarquia, Dr. 10 OJoséúltimo de Azevedo Castelo Branco,

parte para o exílio no Brasil. n Transferência do Consulado no Rio Grande do Sul , Brasil, para a capital do Estado, Porto Alegre. n Realiza-se no teatro República em Lisboa a festa artística do actor Eduardo Brazão. João de Barros demite-se de Director-

da Instrução Primária. 12 -Geral n Entra em vigor a lei do descanso se-

manal. n Publica-se “A Folha de Viseu” (católico - n.d.). n Inauguração em Lisboa da nova Igreja de Nossa Senhora dos Anjos, na Avenida Almirante Reis. n Publica-se “Alma Algarvia” (Silves republicano - n.d.). Forte repressão policial exercida sobre

grevistas de Setúbal. 13 osn Cessa a publicação o “Jornal de Bragança” (esquerda - n.d.). n Marchantes, cortadores, proprietários e empregados de talhos protestam contra a elevação do preço da carne. n Os operários das fábricas de Lisboa da CUF entram em greve. No cinema Chiado Terrasse em Lisboa

a película “A Morte de Luís de 14 estreia Camões”.

n Estabelece-se o regime eleitoral misto, concedendo-se o direito de voto a todos os portugueses maiores de 21


Março anos que soubessem lêr e escrever. n Até 6 de Abril Afonso Costa é substituído no executivo por Bernardino Machado, a fim de se apresentar a concurso ao lugar de Prof. da Escola Politécnica de Lisboa. n Lisboa - Morre por suicídio José Guedes Quinhones, destacado militante anti-clerical. n Decreto determinando a escolha dos deputados através da eleição. Dec.- D.G. n.º 63 - determina que o

de Campo Maior seja consi15 castelo derado monumento nacional. O Dr. Afonso Costa submete-se a con-

para titular a cadeira de Econo16 curso mia Política da Escola Politécnica de Lisboa. n Publica-se em Lisboa o matutino republicano “O Tempo”, tendo como director António Macieira. n Dec. - D.G. n.º 96 - aprova o Código do Processo Criminal Militar. n Concerto de Luís de Freitas Branco, nas comemorações do vigésimo aniversário da Academia das Ciências de Portugal. n Cessa a publicação o “Revolucionário” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana - n.d.).

do recinto das Igrejas, sem autorização especial. Carta de Paiva Couceiro ao Governo

exigindo um plebiscito na18 Provisório, cional para a escolha entre a Monar-

quia e a República. n Abertura do concurso para o projecto do monumento ao marquês de Pombal, a edificar em Lisboa. n Dec.- D.G. n.º 67 - declara a adesão de Portugal e suas Colónias à Convenção de Berna, para a Protecção da Propriedade Literária e Artística. n Diploma referente aos prazos das operações de recenseamento eleitoral. n Exposição colectiva em Lisboa organizada pelo pintor Manuel Bentes. n O Governo português nomeia Magalhães Lima seu representante ao Congresso Universal de Raças, a efectuar em Londres. n Decreto criando o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, ANTT, e ainda a Inspecção das Bibliotecas Eruditas e Arquivos. As associações sindicais decretam uma

geral que fracassa. 20 greve n Em Setúbal soldados da guarnição da cidade confrontam-se com um destacamento da G.N.R., do que resultou 2 mortos e diversos feridos.

A carestia dos géneros atinge o peixe.

Morre o bibliógrafo Aníbal Fernandes 17 nThomaz. n Afonso Costa reitera a proibição de se realizarem cerimónias religiosas fora

Conspiração monárquica em Lamego,

pelo Major Vieira de Castro, 21 liderada com ramificações em Lisboa, Leiria e outros locais. 41


1911 n Tentativa de greve geral em Lisboa pela morte de dois operários em Setúbal, que não vinga. n Lei concedendo o nome do falecido Bispo de Viseu, D. António Alves Martins, ao liceu daquela cidade. n Lisboa - Morre Fernando Maia, actor n Abalo de terra em Murça. n Greve dos fragateiros de Lisboa.

22

Criação de um Fundo Universitário de Bolsas ou Pensões do Estado, para os estudantes distintos. n O Ministro das Finanças, José Relvas, pede demissão. n Decreto prevendo a existência de uma Faculdade de Ciências Económicas e Políticas. Só será criada em 1913 sob o nome de Faculdade de Direito de Lisboa. n Valadares - Nasce Manuel Anselmo, licenciado em Direito, diplomata e escritor. O Capitão Henrique de Paiva Couceiro

clandestinamente para Vigo. 23 parte n Nomeação de Teixeira Gomes como Ministro Plenipotenciário de Portugal em Londres. n João Chagas é nomeado para E.E.M.P. em Paris. n Augusto de Vasconcelos é nomeado Ministro Plenipotenciário em Madrid. Setúbal - Nasce Luciano Pereira dos

pintor. 25 Santos, n Cessa a publicação “A Folha de Viseu” (católico - n.d.).

Março n Concerto no S. Carlos em Lisboa pelo Orfeão Académico de Coimbra.

26 P.R.P..

Em Braga tem lugar um Congresso do

27 cano “O Heraldo”.

Publica-se em Lisboa o jornal republin Incidentes em Coimbra, a propósito da criação da Universidade do Porto e da Faculdade de Direito em Lisboa. n A 1.ª leva de presos políticos embarca para África.

29 mente, o cargo de Alto Comissário da

Dec.- D.G. n.º 73 - cria, provisoriaRepública para a Província de Moçambique. n Reabrem as fábricas da Companhia União Fabril (CUF) no Barreiro. n Dec.- D.G. n.º 73 - reorganiza os Serviços da Instrução Primária. Cria-se o ensino infantil para ambos os sexos, que não entra em vigor por falta de verba.

30 em Lisboa.

Greve dos vidreiros de Braço de Prata

de membros activos. Em 5 de 31 3.192 Outubro último era de 2.860.

A população maçónica cifra-se em


Abril O escritor Ramalho Ortigão é eleito sócio efectivo da Academia das Ciências, onde era Oficial Maior até à proclamação da República, quando se demitiu.

1

Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Cardeal Patriarca de Lisboa, é ordenado sacerdote. n Publica.-se o “Correio da Beira” (Viseu - católico - n.d.). n Em Reguengos fecha o comércio, em sinal de protesto contra a proibição do Ministério da Justiça de se realizar a Procissão dos Passos.

2

Os operários da panificação celebram em domingo a lei do descanso semanal no Terreiro do Paço em Lisboa. n Inocêncio Camacho Rodrigues (irmão de Brito Camacho) é nomeado Governador do Banco de Portugal. Manter-se-á no cargo até 30.6.1936. n São pronunciados, sem fiança, os conspiradores contra a República.

3

Dec.- D.G. nº 79 - cria, nos terrenos anexos ao palácio de Queluz, uma Escola Prática de Pomicultura, Horticultura e Jardinagem. n Publica-se “A Gazeta” (Chaves - independente - n.d.). n O Órfeão Académico de Coimbra chega a Paris para um digressão artística.

43


1911 4

Publica-se “A República” (Ponta Delgada - direita republicana - n.d.). n Chega a Lisboa o duque de Wellington, descendente do Comandante das forças luso-britânicas na Guerra Peninsular. n Afonso Costa é aprovado pelo júri para ingressar como Prof. na Escola Politécnica de Lisboa.

5

O Dr. Alves da Veiga assume a Legação em Bruxelas como E.E.M.P. n Festa de homenagem ao actor Augusto Rosa no Teatro República em Lisboa.

6

Parte para o Porto e Minho o cruzador “Adamastor”, com a missão de reprimir quaisquer perturbações da ordem pública, resultantes da aplicação da Lei de Separação do Estado das Igrejas.

9

Publica-se “O Radical” (Funchal democrático). n Publica-se “Beira Baixa” (Castelo Branco - democrático - n.d.). n Cessa a publicação “A Tribuna” (Horta - regionalista - n.d.). Termina a greve dos operários da in-

de sardinhas, em Setúbal. 10 dústria n Récita no S. Carlos, em Lisboa, com

a apresentação de “O Primeiro Beijo” de Júlio Dantas. n O ex-Governador de Cabo Verde, Marinha de Campos, chega a Lisboa e é detido para averiguações. n O novo E.E.M.P. em Londres, Manuel Teixeira Gomes, apresenta-se no Fo-reign Office, para entrega da cópia das cartas credenciais. Augusto Vasconcelos Correia toma

7

Tumúltos no Arsenal da Marinha, com vista a obrigar o Ministro da respectiva pasta a pedir demissão. n Afonso Costa é nomeado Lente substituto da Escola Politécnica de Lisboa.

8

Inaugura-se em Lisboa a 11.ª Exposição de pintura na Sociedade Silva Porto, com a presença do Ministro do Interior António José de Almeida. n São expulsos de Lourenço Marques diversas entidades acusadas de reaccionárias e desafectas à República por grupúsculos ligados à Carbonária.

11 posse como E.E.M.P. em Madrid.

Jaime Cortesão é proposto para in-

13 gressar na Maçonaria.

15 fronteira os monárquicos portugueses

O Governo espanhol manda retirar da ali refugiados. n O Governo brasileiro decreta que os estudos preparatórios feitos em Portugal, não serão válidos para a matrícula nos cursos superiores daquele País.


Abril título de toda a capa o jornal “Re16 Apública” estampa o projecto de Ventura Terra para a ponte de Lisboa sobre o Tejo, do Alto de Santa Catarina a Almada. n É publicado o manifesto eleitoral do directório do Partido Republicano Português. n Cessa a publicação “O Concelho de Bragança” (conservador - n.d.).

17 Lourenço Marques um corpo especial

Dec.- D.G. nº 96 - cria, no distrito de denominado Guarda Cívica. n É demitido do Exército o Major Henrique de Paiva Couceiro. n Aprovação do projecto de selo da República, série Ceres, da autoria do pintor Constantino Fernandes.

18 Jurídicos.

n Dec.- D.G. - nº 93 - estabelece as bases da nova Constituição Universitária, segundo a qual passam a gozar de autonomia económica e científica. n Nota oficiosa do Governo britânico, informando do envio de um navio de guerra para Lourenço Marques, em defesa dos interesses dos respectivos súbditos. n No Cabo de Boa Esperança naufraga o paquete “Lusitânea”, morrendo apenas um passageiro dos cerca de 800, que foram salvos por embarcações inglesas. n Dec.- D.G. - nº 96 - determina que os padrões protótipos de sistema métrico decimal, o metro e o quilograma, sejam padrões legais em Portugal e seus domínios. n Dec. de criação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. n Regulamento da Universidade de Lisboa.

Dec.- D.G. nº 91 - reforma os Estudos n Dec.- D.G. nº 91 - destitui das respectivas funções o Bispo de Beja, D. Sebastião Leite de Vasconcelos. n Dec.- D.G. nº 97 autoriza o Governo a contratar o estabelecimento de uma carreira de paquetes, entre o porto de Lisboa e o de New York, com escala pelos Açores. n Os accionistas da Companhia de panificação solicitam ao Ministro do Fomento que não seja abolido o decreto limitando o número de padarias.

19 Missões Ultramarinas, em Cernache

Revolta dos estudantes do Colégio das do Bonjardim.

20 após completar uma viagem de circum-

Entra no Tejo o cruzador “S. Gabriel”, navegação, que durou quase 17 meses. Saíra de Lisboa a 11 de Dezembro de 1909. n Publica-se no Porto o jornal “Educação Nacional”. n Dec.- D.G. nº 92 - estabelece a divisão dos círculos, para a eleição da Assembleia Nacional Constituinte. n Dec.- D.G. nº 92 - o Governo promulga a Lei de Separação do Estado das Igrejas, constituída por 196 artigos. n Segundo o relatório da Comissão da aplicação da Lei da Separação, entre esta data e 30.6.1913, foram aposentados 106 padres. 45


1911 da revista “É Provisório”, no 21 Estreia Teatro da Avenida em Lisboa.

n O Major Henrique de Paiva Couceiro, não querendo servir a República e já demitido do Exército, opta por um auto-exílio.

sobre a Lei da Separação. n João Chagas assume a Embaixada de Portugal em Paris. n Parte para Moçambique o Alto Comissário Dr. Azevedo e Silva, Presidente da Junta do Crédito Publico.

No Teatro Nacional de Lisboa estreia a

Afonso Costa profere, no Teatro Águia

n Afonso Costa é recebido no Porto por grande multidão. Visitará também Braga. n A escritora feminista Olga Sarmento Pimentel dá uma entrevista ao jornal “O Século”, anunciando a sua digressão pala América Latina como conferencista. n Inauguração na Rua do Condes do cinema Olympia, com salões para concertos, gabinete de leitura e sessões cinematográficas. n Colocação de uma lápide no túmulo de Elias Garcia, oferecida pelo Grémio (Maçónico) Lusitano, por ocasião dos 20 anos após a sua morte. n José Bernardino Gonçalves Teixeira assume o cargo de Director-Geral do gabinete do M.N.E., com as funções do anterior Oficial-Maior. n Na Rua da Palma em Lisboa um automóvel desgovernado provoca dois mortos e sete feridos. Os transeuntes preparavam-se para linchar o condutor por imperícia, o que a Polícia impediu.

n Reunião do Cabido da Sé de Lisboa e dos párocos da capital, para análise crítica da Lei de Separação.

“Infelicidade Legal”, de Coelho de 25 de Ouro do Porto, uma conferência so22 peça Carvalho. bre a separação do Estado das Igrejas.

No Salão Trindade em Lisboa estreia o

“Os Crimes de Diogo Alves” do 26 filme realizador João Tavares.

n Elaboração pela Casa da Moeda do projecto de um novo sistema monetário da República, apresentada ao Ministro das Finanças. A Câmara Municipal de Lisboa aprova,

feriado municipal, o dia 10 de 27 para Junho.

n Decreto reformando os hospitais da U.C. n Publica-se em Évora o semanário “A Academia”. n Dec.- D.G. nº 99 - organiza o Conselho Superior de Instrução Pública. Em Évora, o Cabido da Sé solicita a

24 n No Teatro de S. Geraldo em Braga Reaparece o diário “A Vanguarda”.

Afonso Costa profere uma conferência

da Lei de Separação do 28 remodelação Estado das Igrejas.

n O Governo Provisório marca as eleições de uma Assembleia Constitu-


Abril inte para um mês depois. Alvará D.G. nº 106 - aprova os estatu-

do Sindicato Agrícola de S. Te29 tos otónio. n Alvará - D.G. nº 107 - aprova os estatutos do Sindicato Agrícola de Alcochete. n Alvará - D.G. nº 107 - aprova os estatutos do Sindicato Agrícola de Vila Franca. n Alvará - D.G. nº 107 - aprova os estatutos do Sindicato Agrícola do Cartaxo. n Alvará - D.G. nº 107 - aprova os estatutos do Sindicato Agrícola de Vila do Conde. Manifestação de apoio a António José

Almeida pela reforma da Instrução 30 dePrimária. n Realiza-se, no Porto, o Congresso Nacional da Construção Civil. n Augusto de Vasconcelos apresenta credenciais em Madrid ao Rei Afonso XIII.

47


1911 Luz de Almeida e alguns milhares de carbonários partem para a “catequização” republicana do Norte do País. n Epidemia de febre amarela na Guiné.

1

Grande cortejo operário nas comemorações do dia do trabalhador. n Publica-se em Santarém o jornal “O Tejo”. n Dec.- D.G. nº 104 - organiza o ensino de Medicina Veterinária. n Parte para Lourenço Marques o corpo de Polícia Cívica, destinado ao Serviço de Segurança Pública daquela cidade.

2

Dec.- D.G. nº 102 - declara que Portugal aderiu à Convenção sobre Propriedade Literária e Artística, de 13 de Novembro de 1908. n Realiza-se em Lisboa o Congresso Algodoeiro com participação de várias delegações estrangeiras.

3

Dec.- D.G. nº 103 - organiza um corpo nacional de tropas, denominado Guarda Nacional Republicana, G.N.R., e extingue a Guarda Republicana de Lisboa e Porto.

4

Publica-se o semanário literário “Lisboa na Rua”. n Portaria criando o Arquivo Histórico Militar.

6

Tumultos, no concelho de Torres Novas, devidos à proibição de actos religiosos. n Protesto colectivo dos Bispos portugueses contra a promulgação da lei da separação (20.4.1911) do Estado das Igrejas.

7

Abre em Lisboa o 2.º Congresso Sindicalista, com a representação de 91 sindicatos. n Publica-se “A Democracia” (Horta conservador - n.d.). n Francisco Lázaro da Selecção Lisboa e Benfica ganha o 1.º “Cross-Country” Nacional.

9

A Faculdade de Medicina de Lisboa instala-se no edifício do Campo de Santana. n Assina-se em Lisboa um “Modus Vivendi” com a Itália. n Dec.- D.G. nº 109 - organiza o plano de estudos das Faculdades de Letras, das Universidades de Coimbra e Lisboa.

10

João Chagas afirma sobre a nova elite parlamentar: “receio que o Parlamento seja uma reedição dos nossos congressos, tantos são os insignificantes e inferiores que lá vão”. n Greve dos trabalhadores marítimos e fluviais do Porto. n O jornal “O Século” publica com relevo as importâncias recebidas pelo Rei D. Carlos a título de “adiantamentos”.


Maio a electricidade 11 Instala-se -Galega, Montijo actual.

na Aldeia-

n O Dr. Júlio de Matos obtém do Governo um decreto pelo qual era facultado a qualquer cidadão requerer o internamento de outro no manicómio, de acordo com o atestado de dois médicos e o exame do próprio Júlio de Matos. n Reconhecimento “de facto” da República Portuguesa pelos Estados Unidos da América.

teatro “Variedades” de Lisboa. 12 non novo Publica-se em Lisboa a revista de Estreia da revista “Pó de Perlimpimpim”,

anúncios e indicações úteis “Vou Ver”. n Plano geral de estudos das Faculdades de Ciências. n Inauguração do 4.º Congresso Internacional do Turismo em Lisboa, de que é presidente Bernardino Machado. n José de Freitas Ribeiro deixa o cargo de Governador-Geral de Moçambique. n Toma posse como Alto-Comissário de Moçambique o Dr. José Augusto e Silva, Juiz do Tribunal da Relação de Lisboa.

obras do Estado. n Inauguração do Museu do Palácio de Mafra. n O movimento (que não Partido) adepto dos princípios reformistas de Machado Santos lança um “Manifesto ao Eleitorado Português”. Dec.- D.G. n.º 115 - cria no Ministério

16 dorismo.Fomento uma Repartição de Tun Greve geral nas minas de Aljustrel. n Inaugura-se, na Câmara Municipal, a Exposição de Plantas Topográficas antigas da cidade de Lisboa. O paquete francês “Sant’ Anne” inau-

as carreiras de navegação, entre 17 gura Lisboa e New York.

n O Ministro Plenipotenciário da Itália faz entrega de uma medalha de ouro à Marinha de Guerra portuguesa, pela colaboração por esta prestada aquando do terramoto da Sicília. Efectuam-se inúmeras prisões em Co-

Abertura da exposição de pintura de

Bordalo Pinheiro, na Aca14 Columbano demia de Belas-Artes em Lisboa. n Jaime Leote do Rego, Oficial da Marinha, toma posse de Governador de S. Tomé e Príncipe.

15

Operários sem trabalho tentam, em manifestação no Terreiro do Paço, que o Ministro do Fomento os admita nas

(entre elas a do historiador For18 imbra tunato de Almeida) sob a acusação de conspiradores. Lisboa - Morre Francisco da Fonseca

Lente de Física e Director 19 Benevides, do Instituto Industrial. n Cessa a publicação “O Athleta” (Angra do Heroísmo - liberal - n.d.). n Inaugura-se na S.N.B.A. uma Exposição colectiva, contando entre ou49


1911 tros artistas Malhoa, Carlos Reis, Veloso Salgado e Casanova. Eleição da Assembleia Nacional Con-

por sufrágio directo. 20 stituinte, n Figueira da Foz - Nasce Cândido da Costa Pinto, pintor e caricaturista. n Funda-se em Lisboa o jornal “A República” por António José de Almeida.

21 internacional de futebol em Portugal,

profere ao dia seguinte uma conferência na S.G.L.. n O matutino de Lisboa “O Século” noticia a partida de “94 vadios e 46 indivíduos” (por crime políticos) com destino ao presídio de Luanda. n Uma equipa francesa (Bordéus) de futebol derrota a Selecção Lisboa e Benfica por 4-0. n Os prelados portugueses fazem publicar um protesto, intercedendo pelo Bispo do Porto.

Na capital efectua-se o 1.º encontro entre a Associação de Futebol de Lisboa e o Stade Bordelais, junto à igreja de Benfica. n Carta- D.G. n.º 188 - confirma e ratifica a Convenção Comercial, celebrada entre Portugal e a Suécia, em 3 de Outubro passado. n Dec.- D.G. n.º 120 - cria Escolas Normais Superiores junto às Faculdades de Letras e de Ciências, das Universidades de Coimbra e de Lisboa. n Lisboa - Morre Bernardo Correia de Melo, 1º conde de Arnoso, secretário de D. Carlos I, escritor e um dos “Vencidos da Vida”.

22

Dec.- D.G. n.º 122 - remodela o sistema monetário, substituindo o “real” pelo “escudo” n Dec.- D.G. n.º 121 - cria em Lisboa uma Escola de Arte de Representar. n Série de prisões políticas no Porto. n Greve dos trabalhadores do campo ao sul do Tejo, Aldeia Galega, (Montijo), Moita do Ribatejo, etc. n Guglielmo Marconi visita Portugal e

Afonso Costa, gravemente doente, sus-

a sua actividade política. 23 pende n Cessa a publicação o “Combate” (Braga - nacionalista - n.d.) n Expedição de uma circular aos governadores civis, para que procedam à apreensão do protesto do episcopado contra a Lei de Separação. n Por iniciativa do Ministro do Fomento Brito Camacho e tendo como 1.º Director Alfredo Bensaúde, funda-se o Instituto Superior Técnico em Lisboa.

24 n Greve dos tecelões das fábricas do Legislação reformando os C.T.T.

Porto. n Decreto estabelecendo a hora legal, segundo o princípio adoptado na Convenção de Washington. n Pio X responde à Lei da Separação entre a Igreja e o Estado com a encíclica “Jamdudum in Lusitania”.


Maio D.G. n.º 122 - reorganiza os 25 Dec.Serviços de Assistência Pública.

n Dec.- D.G- n.º 132 - reorganiza a Escola do Exército, que passa a denominar-se Escola de Guerra. n Dec.- D.G. n.º 132 - cria um lugar de Cônsul-Geral de l.ª classe em Roma. n Dec.- D.G. n.º 124 - reorganiza o Serviço de Socorros a Náufragos. n Dec.- D.G. n.º 122 - regula o exercício da profissão de dentista. n Criação de uma estampilha de 10 réis, denominada “Assistência”. n Publica-se “Democracia do Norte” (Viana do Castelo - republicano - n.d.). n Dec.- D.G. n.º 122 - reorganiza o Exército em termos de “Nação armada”. Corresponde à criação do serviço militar obrigatório. Não será aplicado. n D.L. criando o Instituto Profissional dos Pupilos do Exército de Terra e do Mar. n Extinção do Corpo de Capelães Militares.

26

Dec. reformando o ensino da Farmácia. n Dec.- D.G. n.º 126 - cria um Corpo de Saúde das Colónias. n O Museu Portuense passa a denominar-se Soares dos Reis. n Dec.- D.G. n.º 148 - confirma e ratifica o Acordo Provisório de Comércio e Navegação, entre Portugal e a Itália, celebrado em 9 do mesmo mês. n Dec.- D.G. n.º 137 - aprova o contrato relativo à iluminação eléctrica da cidade de Macau. n Dec.- D.G. n.º 148 - cria um Consulado de 3.ª classe em Verin, Espanha. n Dec.- D.G. n.º 133 - cria um lugar

de Cônsul-Geral de 1.ª classe em New York. n Dec.- D.G. n.º 133 - cria um Consulado Geral de 2.ª classe em Melbourne, Austrália. n Dec.- D.G. n.º 124 - reorganiza as Escolas de Belas-Artes de Lisboa e Porto. n Dec.- D.G. 124 - reorganiza os Serviços Artísticos e Arqueológicos de Lisboa e Porto. n Dec.- D.G. n.º 124 - organiza os Serviços de Sanidade Escolar. n Dec.- D.G. n.º 123 - eleva a Liceus Nacionais Centrais os Liceus de Bragança e Santarém. n Dec.- D.G. n.º 124 - cria escolas de Educação Física junto às Universidades de Lisboa e Coimbra. n Dec.- D.G. n.º 132 sobre a orgânica do M.N.E.: conserva o mesmo número de Direcções-Gerais da monarquia, alterando atribuições, vencimentos, emolumentos e recrutamento do quadro diplomático. n Jaime Batalha Reis é nomeado para Enc. Neg. com cartas de gabinete em S. Petesburgo António Patrício é destacado para o Vice-Consulado da Corunha para acompanhar as acções de contra-revolução dos monárquicos ali radicados. D.G. n.º 140 - aprova, para ser 27 Dec.ratificado, o Acordo Internacional de Paris, de 4 de Maio de 1910, sobre Repressão da Circulação de Publicações Obscenas. n Demissão do Exército do Capitão Raul Pinheiro Chagas, que se havia já 51


1911 expatriado. n Dec.- D.G. n.º 124 - reorganiza os serviços das Alfândegas. n Dec.- D.G. n.º 124 organiza os Serviços Agrícolas na Província de Angola. n Dec.- D.G. n.º 127 - aprova o regulamento para a pesca da baleia em Moçambique. n Aprovação do 1º Código de Estrada português. n Publica-se o 1.º regulamento do trabalho africano da República, que pouco altera o de 1899. n É decretada a liberdade de venda do pão. 50 círculos eleitorais para a As28 Dos sembleia Constituinte só houve votação em 22. A maioria dos 226 candidatos foram eleitos sem oposição: eram todos republicanos. n Magalhães Lima é eleito deputado à Assembleia Nacional Constituinte por Lisboa Ocidental. n Efectua-se a primeira votação feminina nas eleições para a Assembleia Constituinte: Carolina Beatriz Ângelo. n Cria-se a Administração Geral dos Correios e Telégrafos, tendo António Maria da Silva como 1.º Administrador-Geral. do Regulamento do Tra29 Promulgação balho Indígena nas Colónias.

Maio para director do Museu 30 Nomeação de Arte Antiga do Professor José de

Figueiredo. n O jornal de Lisboa “O Dia”, monárquico, é vítima de assalto. O jornal “O Tempo”, de Lisboa, auto-

temporariamente a sua pu31 suspende blicação.


Junho O número de sacerdotes no continente e ilhas é de cerca de 5.953, ou seja 1 para 1.001,1 habitantes.

1

Greve dos rurais de Évora. n Por exoneração do Governador de S. Tomé, Eng. Miranda Guedes, parte de Lisboa para o substituir o Cap. Ten. Leote do Rego.

2

É inaugurada, na Biblioteca Nacional de Lisboa a “Exposição Constitucional”, por iniciativa do respectivo director, Faustino da Fonseca.

3

Execução do regulamento provisório da Guarda Nacional Republicana. n Publica-se em Albergaria-a-Velha o “Correio de Angeja e Albergaria”. n Termina a greve dos rurais de Évora.

4

Instala-se a comissão de pensões ao clero do distrito de Lisboa. n Congresso Pecuário no Campo Grande em Lisboa.

5

Joaquim Judice Biker assume o Governo de Cabo Verde.

6

Machado Santos, na Sociedade de Educação Popular de Alcântara, e outros oficiais revolucionários da Marinha, verberam e põem em causa a existência do P.R. e do Senado. n Em Moimenta da Beira registam53


1911 -se incidentes durante um comício de propaganda republicana n Regressa ao Tejo, vindo de Macau, o cruzador “República”. n O “Diário de Notícias” informa da nomeação do crítico e historiador da Arte Dr. José de Figueiredo para Director do Museu de Arte Antiga. n Protestos das autoridades de Cantão sobre actos de soberania na ilha de Coloane praticados pelo Governo de Macau.

Confederação Helvética. Nisa - Nasce Manuel Lima, pintor e

10 decorador. n Cortejo cívico na capital em homenagem a Luís de Camões e récita de gala no Teatro Nacional de Almeida Garrett pela mesma efeméride. n Publica-se em Lisboa o semanário “O Rebelde”. No Coliseu dos Recreios de Lisboa

7

O sindicato agrícola de Alcácer do Sal reclama, junto ao Ministro das Finanças, contra o decreto que reduziu os direitos de importação de sal estrangeiro. n Morre o poeta Carlos Fernandes Shaw.

8

O Ministro da Justiça apresenta ao Conselho de Ministros a cedência do Paço Episcopal de Castelo Branco, para a instalação do Liceu e da escola normal.

9

O Liceu de Santarém passa a denominar-se “Sá de Bandeira”. n São roubadas as igrejas de S. João de Loures em Albergaria-a-Velha e a da Vila do Eixo em Aveiro. n Conferência em Lisboa do Dr. Manuel de Arriaga, sobre “Camões e a sua Obra”, n Revista “Sem Rei nem Roque”, no Teatro Moderno em Lisboa. n Abílio Guerra Junqueira toma posse da Legação de Portugal em Berna na

uma homenagem de consa11 realiza-se gração a Manuel de Arriaga. n Proibição geral ao clero português de responder ao questionário sobre a aplicação da Lei de Separação. n Durante a noite o Paço Episcopal da Guarda é cercado pela Polícia e pela carbonária a fim de removerem, sem êxito, o Bispo D. Manuel Vieira de Matos.

12 n Decreto convocando para o dia 19 a Termina a greve dos tecelões do Porto.

Assembleia Constituinte. n Movimento de tropas, que deriva das disposições da nova organização militar e de medidas de prevenção junto às fronteiras, decretado pelo Governo. Prisão no Porto de 15 indivíduos por

13 conspiradores. n Guerra Junqueiro apresenta credenciais como E.E.M.P. em Berna, Suíça. n O vapor “Vulcano”, a canhoneira “Beira” e dois torpedeiros, são incum-


Junho bidos de policiar o rio Guadiana. n Numerosos grupos de portugueses concentram-se na Galiza, junto à fronteira de Chaves.

em Lisboa o V Congresso 18 Realiza-se do Partido Socialista Português.

O monarca deposto, D. Manuel de Bra-

Primeira reunião da Assembleia Cons-

n Declara-se extinta a febre amarela na Guiné. n É lançado à água em Livorno o “Lince”, primeiro navio mandado construir por Portugal, desde a proclamação da República e destinado à fiscalização aduaneira.

a Assembleia Nacional dividida em Câmara do Deputados, com mandato trienal e o Senado, eleito por um sexénio. n Dec.- D.G. n.º 157 - abolindo a Monarquia e proclamando a República Portuguesa pela voz de Anselmo Braamcamp Freire. n Dec.- D.G. n.º 157 - estabelece as cores e o desenho da Bandeira Nacional. n Os EUA reconhecem formalmente (di jure) a República Portuguesa. n A Assembleia Nacional sanciona o hino nacional adoptado pelo Governo Provisório Republicano.

n 1.º Congresso Nacional de Mutualista realizado em Lisboa.

janta em Londres com Winston 19 tituinte composta de 229 membros. 14 gança, Churchill, 1.º Lorde do Almirantado. Adopta-se o sistema bicamaral, sendo

Apreensão em Espanha de armamento,

aos conspiradores monárqui15 destinado cos portugueses. Encerra-se em Lisboa a Exposição do

Columbano Bordalo Pinheiro, re16 pintor alizada no atelier do pintor.

n Cessa a publicação o “Povo de Guimarães” (esquerda republicana - n.d.). n Dec.- D.G. n.º 141 - manda proceder ao recenseamento geral da população. n Dec.- D.G. n.º 141 - abre um crédito especial, destinado ao pagamento de juros da dívida externa.

José Norton de Matos é promovido a

20 Major. n Anselmo Braamcamp Freire é eleito

Presidente da Assembleia Constituinte. n Assalto à sede da Acção Católica em Braga. n Procede-se à eleição da Comissão incumbida de elaborar o texto definitivo da Constituição Portuguesa.

Dec.- D.G. n.º 142 - eleva a Liceus Na-

Centrais os Liceus Nacionais de 17 cionais Castelo Branco, Faro, Leiria, Portalegre e Vila Real.

Magalhães Lima é eleito para a Co-

da Constituição, com José de 21 missão Castro e Correia de Lemos. n Carolina Michaelis de Vasconcelos é 55


1911 nomeada Professora ordinária de Filologia Germânica da Faculdade de Letras de Lisboa. n Relatório apresentado pelo Governo Provisório à Assembleia Constituinte, dando fim ao período considerado de “ditadura”. n São apreendidas armas e munições nas minas de S. Domingos. n Em Lisboa publica-se o jornal “Justiça”, republicano. Carlos Reis toma posse do cargo de

do Museu de Arte Contem22 director porânea e Luciano Freire é nomeado director do Museu dos Coches. n Não é enviado qualquer representante português à coroação de Jorge V, em virtude do Reino Unido não ter ainda reconhecido ‘de jure’ a República Portuguesa. um projecto de Constituição. 23 tar n Concurso de natação entre Pedrouços

Elege-se uma Comissão para apresene a Trafaria. Cessa a publicação “O Silvense” (re-

- n.d.). 24 gionalista n Publica-se em Lourenço Marques o

manifesto republicano, condenando o princípio de se fazerem concessões de terras a estrangeiros. n São detectadas em Viana do Castelo notas falsas de 5.000 réis. n Em Corcubion, Espanha, é apreendido um barco alemão com armamento para os monárquicos portugueses.

- Morre o Bispo da Diocese, D. 25 Funchal Manuel Agostinho Barreto.

26 ca de Setúbal.

Greve do pessoal de armações de pes-

27 de Lisboa.

Começa o arrolamento do tesouro da Sé n Um incêndio destrói 21 prédios em Lamego. n Cessa a publicação “Correio do Norte” (Braga - monárquico - n.d.). Dec.- D.G. n.º 151 - regula os Serviços

Ensino Primário no território sob 28 dea administração da Companhia de

Moçambique. n Cessa a publicação o “Notícias de Coimbra” (independente - n.d.). n A fim de reforçar a guarnição do Porto e evitar perturbações na fronteira, o Governo chama reservistas de infantaria. n É entregue em Lisboa, pelo respectivo Enc. de Neg., a nota de reconhecimento mexicano da República portuguesa. n Greve dos empregados da Carris do Porto. n Dec.- D.G. n.º 151 - regula a concessão de terrenos na Província da Guiné. Lisboa - Morre Endóxio César Azedo

membro activo do Partido So29 Gneco, cialista Português.

n Nomeação de D. António Manuel


Junho Pereira Ribeiro, para Vigário Capitular da Diocese do Funchal. n Afonso Costa toma posse do lugar de lente substituto da Faculdade de Ciências (ex-Escola Politécnica) de Lisboa. n A Lei da Separação é aprovada “na generalidade” pela Câmara dos Deputados. n ”Em favor dos pobres” inaugura-se em Lisboa o 1.º balneário na Rua da Esperança a expensas da Misericórdia. Cessa

a

publicação

“A

Gazeta”

- independente - n.d.). 30 (Chaves Dec.- D.G. n.º 168 - regulamenta os

serviços do Conselho Colonial. n Em Santo Tirso inaugura-se o Teatro Eduardo Brazão, de iniciativa privada.

57


1911 1

O jornal “A Capital” anuncia para o dia seguinte uma reunião da Associação Galega de Lisboa, que se dispunha a enviar uma delegação a Madrid a fim de protestar contra a alegada protecção espanhola aos realistas portugueses ali exilados. n Publica-se em Lisboa o semanário “O Agitador”, anarquista. n Entra em vigor a Lei de Separação do Estado das Igrejas. n Publica-se a “Gazeta de Coimbra” (conservador - n.d.). n O Cônsul de Portugal em Verin, Espanha, sendo provocado, desfecha um tiro de pistola contra exilados monárquicos portugueses. n O valor nominal da dívida flutuante é de 82.469 contos.

2

Por morte do seu antecessor, D. José Dias Correia de Carvalho, ascende ao Bispado de Viseu D. António Alves Ferreira. n Lisboa - Morre António de Sousa Bastos, autor e empresário teatral.

3

Rebelião de indígenas residentes além do rio Quanza, Angola n Por proposta de Magalhães Lima aprova-se no Parlamento a promoção do 2.º Ten. António Machado Santos, a Capitão de mar-e-guerra da Administração Naval, com a pensão vitalícia de 23 contos, superior ao vencimento de um ministro. n O Governo espanhol manda sair de Verin os exilados políticos portugueses. n Assassinato do grande latifundiário

em Gavião, Dr. José Pequito Rebelo, antigo deputado a várias legislaturas.

4

Aprovação do Regimento da Assembleia Constituinte. n O Presidente do Conselho espanhol declara estarem dissolvidos todos os núcleos de conspiradores na fronteira e afastados os seus cabecilhas. n No Teatro República realiza-se uma homenagem ao caricaturista Leal da Câmara.

5

Cessa a publicação o “Correio dos Açores” (Angra do Heroísmo - monárquico - n.d.). n Início no Parlamento da discussão da Constituição portuguesa. n É apreendido no Porto um manifesto, assinado por Homem Cristo, (pai) e intitulado “Às Armas”. n Stufinigi , Itália - Morre a rainha Maria Pia de Sabóia, viúva de D. Luís I. n Publica-se o “Jornal de Coimbra” (conservador - n.d.) n Os trabalhos parlamentares republicanos suspendem-se, em sinal de pesar pela morte da ex-rainha Maria Pia de Sabóia, mulher de D. Luís I. n O Governador de Cabo Verde Marinha de Campos é substituído pelo 1.º Ten. da Armada Júdice Biker.

6

Conferência, no Teatro da República em Lisboa, pelo caricaturista Leal da Câmara.


Julho 7

Os corticeiros fazem uma grande manifestação de protesto contra a proposta de exportação de cortiça em bruto. n Casamento do padre Rabaça, pároco da freguesia de Gonçalo. n O governador de Pontevedra, Espanha, ordena a expulsão dos exilados portugueses.

8

Acordo provisório de comércio e navegação entre Portugal e o Império Austro-Húngaro.

9

No Coliseu de Lisboa, a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas presta homenagem a Afonso Costa.

10

O Governo espanhol manda reforçar os destacamentos da Guarda Civil e da Polícia na Galiza, para evitar a incursão de portugueses no seu território. Após distúrbios, é encerrada a Univer-

de Coimbra, ficando o reitor, 12 sidade Daniel de Matos, demissionário. Inaugura-se, na Sociedade de Geogra-

a Universidade de Lisboa. 13 fia, n Restabelecida a ordem pública os

reservistas são licenciados. n Amnistia dos operários ferroviários do Sul e Sueste, que haviam infringido a Lei da Greve. n Deixa Lisboa o E.E.M.P. do Brasil Dr. Costa Motta.

D.G. n.º - 163 -procede à divisão 14 Dec.do País em círculos escolares. n Chama-se à fileiras os soldados da 1.ª reserva a prevenir eventual invasão monárquica. n O matutino “O Século” noticia que o antigo convento das Salésias, antes colégio de aristocratas, converte-se em casa de trabalho “n’ um refúgio de desventuradas”. Regulamentação do Instituto Superior

15 Técnico.

Comício em Lisboa contra o monopólio

peixe. 16 don Inaugura-se a Universidade do Porto e elege-se o respectivo Reitor, Gomes Teixeira.

O Cardeal Secretário de Estado da

Sé em instruções aos Bispos 17 Santa portugueses, exorta-os e a todo o clero a não solicitar nem aceitar pensões do Estado. n É exonerado da docência da F.D.U.C. o Dr. Afonso Costa, que tomara já posse do lugar de lente substituto da Faculdade de Ciências de Lisboa. 5.º Congresso Nacional do Partido So-

Português. 18 cialista n Em Cardil, Guimarães, travam-se recontros entre republicanos e monárquicos.

59


1911 em Lisboa do Museu Nacional 19 Criação de Arte Contemporânea.

n Incêndio na Câmara Municipal de Lisboa. n Visita Portugal Jean Jaurès, um dos chefes do Partido Socialista francês. Publica-se em Honolulu, Hawai, o pri-

semanário português: “O Popu20 meiro lar”. Fernando Bissaya Barreto conclui o

em Medicina com a clas21 bacharelato sificação de muito bom, 19 valores.

n O Ministro da Justiça interino, Bernardino Machado prorroga, até 15 de Agosto, o prazo para que o clero possa requerer as pensões. Francisco M. Craveiro Lopes, futuro

da República sob o Estado 22 Presidente Novo, alista-se como voluntário no Regimento de Cavalaria 2. n Vinte e cinco pessoas feridas, em resultado do incêndio a bordo de uma fragata no Barreiro.

rar, formalmente e sem restrições, os seus sentimentos para com as instituições republicanas. Circular do Exército sobre disciplina mi-

culto da Bandeira e Hino Nacional. 26 litar, n Cessa a publicação “A Revolta” (Co-

imbra - republicano - n.d.). n Um incêndio na praia do Furadouro, Ovar, destrói 20 prédios. n Afonso Costa reassume as funções de Ministro da Justiça (onde fora substituído por Bernardim Machado), e de parlamentar. n Chega a Lisboa o E.E.M.P. dos EUA, Edwin Vernon Morgan. n O neurologista Júlio de Matos é transferido por decreto da Faculdade de Medicina do Porto para a sua congénere de Lisboa, sendo nomeado director do manicómio Miguel Bombarda. n Começa o julgamento, em Conselho de Guerra, de 6 cabos e 9 soldados da Companhia de Saúde, acusados de crime de revolta, em 20 de Dezembro de 1910. Ezequiel de Campos apresenta à As-

24

Inauguração, em Lisboa, da Exposição de Caricaturas de Leal da Câmara. n Bougado (Santo Tirso) - Nasce António Cruz, historiador e Professor da F.L.U.P.

25

O Ministro Interino da Justiça, Bernardino Machado, envia uma circular aos prelados, convidando-os a decla-

Nacional, um projecto de lei 27 sembleia de utilização de terrenos incultos. n Lisboa - Morre Francisco Teixeira, caricaturista e desenhador. Lisboa - Nasce Manuel Pereira Cres-

oficial da Armada e Ministro do Es30 po, tado Novo.


Julho a Feira de Agosto 31 Inaugura-se Parque Eduardo VII em Lisboa.

no

n Partem para Beja os primeiros efectivos, da recém-criada Guarda Nacional Republicana. n Os fiscais dos impostos entregam na Assembleia Constituinte uma mensagem pedindo melhoras de situação.

61


1911 1

2 3

4

7

Passa a ser adoptado, em todas as estações da Companhia Portuguesa dos Caminhos-de-Ferro, o apito como sinal para a partida dos comboios, em vez da campainha ou sineta. Invasão da Assembleia Constituinte por elementos da Assembleia Popular de Vigilância Social, em defesa de um sistema unicameral. Registam-se prisões e feridos. O jornalista Francisco Homem Cristo (filho) é intimado a sair de Madrid pelo respectivo Alcaide, por este não poder assegurar a sua segurança. n A Câmara Municipal de Lisboa resolve mudar as nomenclaturas de 30 ruas da capital. n Edwin Morgan, novo E.E.M.P. dos EUA, entrega credenciais ao Presidente provisório Teófilo Braga. No julgamento dos soldados da G.N.R., envolvidos nos acontecimentos de Março em Setúbal, foi dado como não provado o crime de que eram acusados. n O matutino “O Século” noticia que “não excede 1.200 o número de padres que aceitaram as pensões do Estado”. Até à data apenas 217 padres tinham aceite pensões do Estado, cerca de 20% do total.

8

Derrota da emenda que atribuía ao Presidente da República o poder de dissolver a Assembleia Legislativa.

9

Medidas preventivas da defesa sanitária do País, perante a ameaça da cólera. Reabre-se, no Parlamento, a questão

11 “Hinton”. n Victor Manuel, Rei de Itália, resolve resgatar as jóias empenhadas pela ex-rainha de Portugal, D. Maria Pia de Sabóia, já falecida. n A revista “Peço a Palavra” é estreada no Teatro Variedades de Lisboa. Aprova-se a proposta de transferir

a cadeia das Mónicas, logo que 12 para desocupada, os menores presos no Limoeiro. n Apura-se a incriminação dos réus dos tumultos de Barbacena.

14 rães, em confrontos entre republicaGraves acontecimentos em Guimanos e monárquicos, de que resultam 7 presos. n Quadro a óleo do Dr. Miguel Bombarda pelo pintor Columbano Bordalo Pinheiro.

Ministro das Finanças recebe uma 15 Orepresentação de 925 habitantes da Madeira, pedindo a extinção dos monopólios e a redução dos impostos.


Agosto n.º 196 - aprova os novos 17 Alvará-D.G. estatutos da Companhia Geral de Crédito Predial Português.

A Assembleia Nacional Constituinte

em Congresso da Re18 transforma-se pública. n Dec.- D.G. - n.º 194 - aprova o regulamento das Escolas de Farmácia. n Publica-se em Lisboa o jornal “O Futuro”, republicano. da Manutenção Militar. 19 mentação n Aprovação final da Assembleia Cons-

Dec.- D.G. n.º 258 - aprova a regulatituinte. A Constituição é votada na globalidade. n Fundação, na serra da Estrela, do Clube Alpino Português. n Dec.- D.G. n.º 195 - aprova o regulamento das Faculdades de Letras, das Universidades de Lisboa. Sessão histórica das Câmaras dos

e do Senado aprova a 1.ª 21 deputados Constituição Republicana. n Dec.- D.G. n.º 195 - promulga a Constituição Política da República Portuguesa, composta por 87 artigos. n Regulamento respeitante à organização dos estudos jurídicos, no qual colaboraram os Professores Marnoco e Sousa e José Alberto Reis. Grande incêndio deflagra na fábrica de

do Caramujo, pertencente ao 22 cortiça conde de Silves.

n Dec.- D.G. n.º 197 - aprova o regulamento das Faculdades de Ciências, das Universidades de Coimbra, de Lisboa e Porto. n Porto - Morre o jornalista e escritor Alberto Braga. Publica-se “O Cidadão” (Évora - evolu-

- n.d.). 23 cionista n Dec.- D.G. n.º 197 - fixa os honorários do Presidente da República. n Dec.- D.G. n.º 197 - manda desdobrar em dois o actual Ministério da Marinha e Colónias. Do segundo será seu titular Celestino de Almeida.

24 mento das Faculdades de Medicina, Dec.- D.G. n.º 198 - aprova o regula-

das Universidades de Coimbra, Lisboa e Porto. n O representante diplomático português em Roma, Lambertini Pinto, recusa bater-se em duelo com Homem Cristo Filho. n Instala-se no Ministério dos Negócios Estrangeiros o Conselho de Comércio Externo de Portugal.

Manuel de Arriaga Bernardino Machado é candidato à presidência da República pelo Grupo Parlamentar Democrático, afonsista. Recebe 86 votos. Manuel de Arriaga é eleito com 121 votos e o apoio de camachistas e almeidistas. Dec.- D.G. n.º 198 - proclama Presi63


1911 dente da República, o cidadão Manuel de Arriaga, por 4 anos e 121 Votos. Contava 71 anos. n Inauguração, na Figueira da Foz do monumento a Manuel Fernandes Tomás.

Agosto das classes marítimas, registan30 Greve do-se graves incidentes. Emite-se o manifesto do partido So-

31 cialista. n Lisboa - Nasce Manuela de Azevedo, escritora e jornalista.

25

A França reconhece “de jure” a República Portuguesa, sendo o 1.º país europeu a fazê-lo. n Entra em vigor a nova Constituição. n Eleição do Senado. n Bernardino Machado é eleito Senador pelos seus pares da Assembleia Nacional Constituinte. n 3.000 trabalhadores rurais entram em greve na Moita.

26 Ressano Garcia, autor de projectos de Lisboa - Morre o Eng. civil Frederico grande importância para a cidade.

Realizam-se as primeiras sessões do

e da Câmara dos Deputados. 27 Senado n Nota do M.N.E. às Legações es-

trangeiras esclarecendo que a Lei da Separação das Igrejas do Estado, reconhece a liberdade de consciência e de culto aos estrangeiros. Os deputados radicais reúnem-se pa-

estabelecer uma estratégia comum 29 raconstituindo o Grupo Parlamentar Democrático. n Festa de homenagem a Trindade Coelho, em Sintra.


Setembro 1

Dec.- D.G. n.º 206 - portaria que regulamenta a reforma ortográfica. n Afonso Costa inaugura em Lisboa o 1.º Centro Republicano Democrático. n Os empresários do Real Teatro de Madrid ganham a adjudicação do funcionamento do Teatro de S. Carlos em Lisboa, à qual haviam concorrido isolados.

2

Cessa a publicação “O Radical” (Braga - esquerda republicana - n.d.).

3

Bernardino Machado deixa o Governo, por ter sido nomeado o I Ministério Constitucional da República, presidido por João Chagas. n Constitui-se o I Governo Constitucional da República, presidido por João Chagas. n Nomeação de João Chagas para Ministro do Interior. Exonerado em 12.11.1911. n Nomeação de João Chagas para M.N.E. interino. Exonerado em 12.10.1911. n Nomeação do Dr. Diogo de Melo Leote para Ministro da Justiça. Exonerado em 12.11.1911. n Nomeação do Dr. Celestino Pais de Almeida para Ministro das Colónias. Exonerado a 12.11.1911. n Nomeação do Capitão Sidónio Pais para Ministro do Fomento. Exonerado em 12.11.1911. n Nomeação de João Duarte de Meneses para Ministro da Marinha. Exonerado em 12.11.1911. n Nomeação do Dr. Duarte Leite Perei65


1911 ra da Silva para Ministro das Finanças. Exonerado em 12.11.1911. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro da Guerra. Exonerado em 8.10.1911. n O Governo Provisório nos seus 331 dias produziu 2.148 diplomas legislativos. n O M.N.E. expede instruções ao E.E.M.P. em Londres para que proceda a di-ligências, com vista a obter os bons ofícios do Governo inglês, para manifestar ao homólogo espanhol a inconveniência do apoio deste aos realistas portugueses ali exilados. n Lisboa, na “Vila Pereira” aos Prazeres, arde completamente um quarteirão de casas.

5 6

Afonso Costa em sessão parlamentar confessa nunca ter imaginado que os Padres “fizessem parede” na sua grande maioria, não aceitando a pensão. O Grão Mestre da Maçonaria Sebastião Magalhães Lima parte para Itália a fim de Participar no Congresso Maçónico Internacional em Turim. n Daniel de Matos Júnior pede a exoneração do seu cargo de Reitor da U.C.. Interinamente assume o Prof. Guilherme Alves Moreira.

8

Greve dos fragateiros, que obriga à intervenção das forças da ordem, por não cumprirem com a legislação em vigor. n Inauguração da linha-férrea do Vale do Vouga.

9

Sir Edward Grey, do Foreign Office, responde às diligências portuguesas, afirmando não acreditar que a Espanha intentasse alguma acção contra Portugal, pelo que não havia lugar a qualquer intervenção. n Cessa a publicação “A Covilhã Nova” (republicano - n.d.). n Cessa a publicação “A Velha Guarda” (Guimarães - republicano - n.d.). n Realiza-se em Lisboa o funeral da mulher do Dr. Teófilo Braga, D.ª Maria do Carmo Xavier Braga O Congresso da República adia os tra-

parlamentares, para o dia 15 de 10 balhos Novembro.

A Grã-Bretanha reconhece “de jure” a

Portuguesa, no que é acom11 República panhada pela Espanha, Alemanha, Itália e Império Austro-Húngaro. Nomeação de Augusto Vasconcelos

7

O grupo parlamentar democrático declara-se em oposição ao Governo. n Inauguração da capela-jazigo de Pedro Álvares Cabral, na Igreja da Graça em Santarém.

Médico e Prof. da Faculdade 12 Correia, de Medicina de Lisboa para M.N.E.. Exonerado em 12.11. 1911. n Manifestação popular de simpatia pela República Portuguesa, junto ao Consulado de Portugal em Vigo. n Descarrilamento grave na linha-férrea


Setembro do Douro. Suspeita-se de sabotagem. n Publica-se o decreto da reforma Ortográfica. n A Holanda reconhece “de jure” a República Portuguesa. n O iate real “D.ª Amélia” é rebaptizado com o nome de “5 de Outubro”.

são do Estado. n Decreto, autorizando a constituição, no Rio de Janeiro, de uma Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria. n Nota japonesa reconhecendo a República Portuguesa. Cessa a publicação “O Alarme” (Angra

13

Audiência longa entre o Chefe do Governo João Chagas e o E.E.M.P. espanhol, sobre as actividades dos monárquicos portugueses em Espanha. n Por Ordem do Exército, o cidadão que deixar de servir nas fileiras pagará uma taxa militar. n Reconhecimento “de jure” da República pela Suécia e Noruega.

D.ª Amélia encontra-se 14 Acomex-Rainha seu filho D. Manuel em Lucerna.

n A barca “Bonfim”, a bordo da qual a família real se transportou da praia da Ericeira para o iate “D.ª Amélia”, é oferecida pelo proprietário ao Estado português. n A China reconhece a República Portuguesa. n Luís Venâncio venceu a prova velocipédica entre Santarém e Vila Franca de Xira.

15

Reconhecimento pela Grécia da República Portuguesa.

17 don.d.).Heroísmo - esquerda republicana -

n Realizam-se dois comícios no Porto, contra a carestia dos géneros alimentícios. n São tomadas medidas contra os açambarcadores de azeite. n Em Vila Franca realiza-se um Comício Feminista promovido pela Liga Republicana das Mulheres Portuguesas. n Em sessão solene na S.G.L. é oferecido a Afonso Costa um monumental tinteiro de prata.

19 que a Empresa Nacional de Navegação

Chega a Lisboa o paquete “Angola”, mandara construir em substituição do navio “Lisboa”.

atravessam a vila de Verín, dirigin20 cos do-se para Leste rumo a Zamora. Cerca de 400 conspiradores monárquin Visita Lisboa o ex-P.R. do Brasil, Nilo Pessanha, sendo recebido com grandes demonstrações de afecto e respeito.

Fundação da “Obra do Dinheiro do

Diocesano”, para valer aos sa16 Clero cerdotes que haviam rejeitado a pen67


1911

Setembro

- Nasce Francisco Lopes Ribeide insurreição monárquica no 21 Lisboa 29 Tentativa ro (Ribeirinho), actor. Porto, conhecida pelo nome de “consn São conhecidos os resultados do concurso escultórico para o busto da República: 1.º prémio Francisco dos Santos; 2.º José Simões de Almeida (Sobrinho); 3.º Júlio Vaz Júnior.

piração do Palácio de Cristal”. n Sobre Bissau, na Guiné, passa um ciclone, provocando grandes prejuízos e vítimas. n Inaugura-se a Leitaria Higiénica da Nutricia de Lisboa.

António Arroio escreve na “Ilustração

um artigo sobre o tinteiro Por alegado envolvimento na conspi22 Portuguesa” monumental em prata que fora ofere- 30 ração monárquica do Porto, efectuamcido a Afonso Costa pelos seus a-se 130 prisões. dmiradores. n O Governo num preâmbulo justificativo de um “remédio legislativo” reconhece a incapacidade de colocar em novas bases o regime de funcionamento do Teatro de Almeida Garrett, antes D.ª Maria II. n Abolição do Conselho de Decanos da U.C. Estudantes da Escola Politécnica exi-

a redução do elevado custo das 23 gem matrículas daquele estabelecimento. n Récita, no Teatro da República em Lisboa, com a apresentação da revista “A Crise do Amor”, de André Brun. Os Ministros dos EUA, Rússia e Bél-

visitam as propriedades de José 24 gica Maria dos Santos em Rio Frio.

Praia das Maçãs - Nasce Vasco For-

26 tuna, professor e economista.

n Nota do E.E.M.P. da Rússia, J. de Thal, comunicando o reconhecimento “de jure” da República Portuguesa.


Outubro 1

Afonso Costa inaugura em Lisboa o 1.º Centro Republicano Democrático. n Assalto e incêndio do Círculo Católico do Porto, por elementos republicanos. n Tentativa, em Lisboa, de linchamento de alguns monárquicos.

2

Em Braga é incendiada a sede da Associação Católica. n Dec.- D.G. n.º 231 - abre um crédito extraordinário de 10.000$ réis, destinado a custear os festejos oficiais do primeiro aniversário da proclamação da República. n Abrantes - Nasce Luís de Matos, professor e publicista. n Chegam a Lisboa dezenas de presos políticos, alegadamente implicados na tentativa do movimento revolucionário do Norte.

3

Na região de Zamora, Espanha, procede-se à distribuição de armamento pelas forças realistas de Paiva Couceiro. Dos 950 homens apenas 250 recebem armas. n O P.R. coloca a 1.ª pedra no monumento aos Heróis da Rotunda da Avenida da Liberdade em Lisboa. Jamais será erguido. n Prisões de monárquicos em muitos pontos do País, que se estendem por quatro dias. n Morre a médica D. Carolina Beatriz Ângelo, a única mulher portuguesa, até à data, com direito a voto e relevante sufragista. n Estreia no Teatro da Rua dos Condes a revista “Vá p’la Esquerda”. 69


1911 4

As forças monárquicas de Paiva Couceiro iniciam a sua marcha e, às 11h00 da noite, alcançam a primeira povoação portuguesa: Cova da Lua.

5

Comemorações nacionais do 5 de Outubro. n Nas Aranhas e Aldeia de João Pires, duas povoações perto de Castelo Branco, proclama-se a Monarquia. n Publica-se “O Povo” (Lisboa democrático). n Uma coluna de monárquicos com cerca de 700 homens, comandada por Paiva Couceiro, entra pela fronteira transmontana, sendo contida em Vinhais por tropas do Governo. n Inauguração da rede telegráfica no Funchal.

6

Portugal deposita a ratificação da Convenção Sanitária de Paris, de 03.12.903.

7

Refregas entre as forças monárquicas de Paiva Couceiro e as republicanas, próximo de Vinhais. n Em Campolide, Lisboa, são espancados os conspiradores monárquicos procedentes de Aveiro. n Port. D.G. n.º 235 - manda proceder à amoedação de 630.000$00 em moedas de 50 centavos. n Em Lourenço marques, Moçambique, inaugura-se o tramo da linha-férrea até à praia da Polana. n Refregas entre as forças monárquicas de Paiva Couceiro e as republicanas, próximo de Vinhais. As tropas de Paiva

Couceiro reentram em Espanha.

8

Convocação extraordinária do Congresso, por força dos actos conspiratórios em todo o País. n Demissão do Ministro da Guerra, General Pimenta de Castro, por não haver assinado o decreto de convocação de tropas, para debelar as incursões monárquicas no Norte. n As forças monárquicas de Paiva Couceiro introduzem-se novamente em Portugal por Pinheiro Velho, sendo repelidas “completamente desorganizadas”. n Nomeação do Cor. Alberto da Silveira para Ministro da Guerra. Exonerado em 12.11.1911.

9

A coluna monárquica de Paiva Couceiro prossegue a marcha “esgotante”, percorrendo a fronteira norte luso-espanhola. n O jornal “Diário Popular”, de Lisboa, suspende a publicação. n O Dr. Filomeno da Câmara Melo Cabral nomeado Reitor interino da U.C.. n O escultor Francisco Santos ultima o busto oficial da República. Tumultos em Sesimbra e Coruche e

rurais em Castelo de Vide. 10 greves n Em Abrantes são retiradas e sacralizadas as imagens de algumas igrejas. n Populares assaltam a igreja de S. Paulo, em Almada, destruindo imagens sacras e arrastando outras pelas ruas. n Manuel Teixeira Gomes apresenta


Outubro credenciais, de Ministro Plenipotenciário, ao Rei Jorge V de Inglaterra. Curta-metragem “Proclamação da Re-

em Lisboa”, estreado no Salão 11 pública Trindade da capital.

n Estreia, no Teatro Apolo de Lisboa, a opereta “O Chico das Pegas”, de Eduardo Schwalbach. A bordo do cruzador “S. Gabriel” che-

a Lisboa mais 142 presos, impli12 gam cados nas sedições monárquicas do Norte. n Entram novamente em Portugal grupos de monárquicos armados, que acampam em Terrosa, próximo de Chaves. n Nomeação do Dr. Augusto Vasconcelos Correia para M.N.E.. Exonerado em 12.11.1911. Afonso Costa, Ministro da Justiça,

os jesuítas detidos no Forte de 13 visita Caxias. Nomeação

de

José

14 E.E.M.P. em Madrid.

Relvas

Costa defende “a política de 16 Afonso intransigência” com os inimigos da

República. n Acusados de actividades revolucionárias, encontram-se na cadeia do Aljube 55 presos. n Em sequência da exoneração do Reitor de Coimbra, é eleito Mendes dos Remédios como novo titular. n Reúne-se o Congresso da República. n A incursão realista no Norte do País atinge a Portela de Homem, no Gerês. n Nomeação de Alfredo de Mesquita, jornalista e escritor, para Enc. Neg. e Cônsul junto do Império Otomano. Aprova-se a constituição de um Tribunal

chamado Tribunal das Trinas. 17 Especial, n Solicitação do Governo à Câmara de Deputados, para a suspensão temporária de algumas disposições constituintes, a fim de permitir o julgamento de monárquicos. n Publica-se “A Folha de Viana”, (evolucionista - n.d.). n As forças monárquicas de Paiva Couceiro retiram de Trás-os-Montes para Espanha.

para

Sessão inaugural do ano lectivo da

Faculdade de Letras de Coimbra. 15 nova n Santiago do Cacém - Nasce Manuel da Fonseca escritor neo-realista membro do futuro P.C.P..

São demitidos, por razões políticas, os

da F.D.U.C. Teixeira de Abreu e 18 Lentes José Tavares. O primeiro só será reintegrado em 1926. n Estreia, no Teatro Avenida de Lisboa, a peça burlesca “As Botas de Napoleão”, de Sousa Rocha. n O Dr. Manuel Brito Camacho passa à situação de licença ilimitada do Exército. n Regressa do Brasil a companhia

71


1911 teatral de Palmira Bastos que ali fizera prolongada digressão. n Chega a Lisboa o Dr. António Luiz Gomes, que fora E.E.M.P. no Brasil.

n O barão de Bodman, E.E.M.P. da Alemanha, apresenta credenciais. O Governo recebe notícias da ocu-

Greve de vendedores de jornais (ardi-

em Lisboa. 19 nas) n Os carbonários manifestam-se em

Lisboa, contra os jornais “O Intransigente” e “A República”. n José Relvas assume a Embaixada de Portugal em Madrid.

20 Almeida no Rossio de Lisboa.

Carbonários sovam António José de n Naufrágio do cruzador “S. Rafael” em Vila do Conde. n Inaugura-se, na Universidade de Liége um curso de língua portuguesa.

da Lunda, Angola, e de terem 26 pação sido batidos os rebeldes Bangalas. 1.º Congresso do Partido Republicano

em Lisboa, após o 5 de 27 Português Outubro. O novo Directório é exclusivamente constituído por partidários de Afonso Costa. António José de Almeida abandona o Partido não reconhecendo o Directório. n Grande incêndio na fábrica de botões em Santa Clara, Lisboa, provoca graves prejuízos materiais. Na Praça dos Restauradores inaugura-

João Chagas ameaça deixar o Go-

21 verno. n Aprovação luso-britânica da demarcação das respectivas fronteiras na África Oriental, ao Norte e Sul do Zambeze.

22 ca Portuguesa pelo Brasil.

o cinema “Chantecler”. 28 sen Nomeação de Joaquim Mendes dos Remédios para Reitor da U.C. Efectuam-se subscrições para auxiliar

29 a compra de um navio de guerra.

Reconhecimento “de jure” da Repúbli-

24

Greve dos carroceiros: 3 mil exigem aumento de salário e outras regalias. Apresentação de credenciais do Mi-

Plenipotenciário espanhol, mar25 nistro quês de Villalobar.

30 Plenipotenciário britânico, Sir Arthur Entrega credenciais o novo Ministro

Harding. n Dec.- D.G. n.º 256 - regula o lançamento e cobrança do imposto especial, destinado ao Fundo Nacional da Assistência Pública. n Os mineiros de S. Pedro da Cova decretam novamente a greve.


Outubro D.G. n.ยบ 255 - determina que o 31 Dec.Liceu Central de Lisboa passe a denominar-se Pedro Nunes.

73


1911 Afonso Lopes Vieira, com o apoio do actor Augusto Rosa, leva à cena “O Auto da Barca do Inferno”, que tem 17 récitas em Lisboa, digressando depois pelo País. n Conclusão das obras do Liceu de Pedro Nunes em Lisboa, projecto do Arquitecto Ventura Terra.

1

Confrontos armados em Chaves entre militares de diversos quartéis. n Entrega credenciais o Ministro Plenipotenciário da Áustria-Hungria, barão Kulm von Kuhnenfeld.

2

Lisboa - Morre Júlia Mendes, actriz. n Manifestações hostis a António José de Almeida, em viagem de propaganda pelo Norte do País. n São postos em liberdade os espanhóis presos no Porto e na Régua, por suspeita de conspirarem com os realistas portugueses.

3

Publica-se “O Porto da Horta” (esquerda - n.d.). n Assegurada em S. Tomé a ordem pública, ameaçada pelo estado de indisciplina dos indígenas.

4

O Governo de Angola pede providências, para pôr termo à anarquia em que se encontram os povos de Moxico, no planalto de Benguela. n Lisboa - Morre António da Silva Pinto, escritor, panfletário e jornalista, com quem Camilo Castelo Branco travou

forte polémica. n Joaquim Mendes dos Remédios, Doutor em Teologia, toma posse de Reitor da U.C.. n Da Praça da Batalha no Porto larga a prova ciclistica entre esta cidade e Lisboa. Esta prova está na origem da futura ‘Volta a Portugal’ e é ganha por Carlos Georges.

5

O Governo em peso vai ao Coliseu para comemorar um mês de revolução republicana, ocupando o camarote real. n Publica-se “O Abrantes”, (republicano - n.d.). n Setúbal - Nasce António Lino, pintor. n Sessão no Ateneu Comercial de Lisboa e comício na Avenida Almirante Reis contra a guerra, organizados pelo Conselho Central do Partido Socialista Português. n Funda-se no Funchal, Madeira, a Associação das Mulheres Republicanas”. n Na ilha do Faial, Açores, publica-se o matutino republicano regionalista “Porto da Horta”.

6

De regresso a Lisboa António José de Ameida é recebido com manifestações hostis, em contraste com os aplausos dirigidos a Afonso Costa. n Reaparece o jornal “O Dia”, de Lisboa. n Chegam a Lisboa deputados republicanos espanhóis, que são recebidos entusiasticamente. n Manuel de Arriaga substitui a esmola por actos de beneficência social, des-


Novembro tinando anualmente um conto do seu subsídio a 6 obras de instrução, caridade e assistência. n Lisboa - Nasce Maria Helena Matos, actriz. n Em Angola as operações militares estendem-se por Benguela, Bié, Lunda e norte do Cassai. n Repetem-se diligências junto ao director-geral das Colónias, no sentido de se pôr cobro ao estado de rebelião dos indígenas de Moxico, Angola.

7

João Chagas pede a demissão colectiva do Gabinete. n Brito Camacho e António José de Almeida anunciam a criação de uma União Nacional Republicana.

8

Constituição em Lisboa de uma sociedade cooperativa denominada Banco Popular de Lisboa. n Estreia no Teatro do Ginásio, a peça “O Talassa”, de Artur Cohen e Guilherme Barbosa. n Jaime Batalha Reis toma posse da Legação em S. Petersburgo como Enc. Neg. com cartas de Gabinete. n O Ministro Plenipotenciário da Alemanha, barão de Bodman, entrega credenciais. n Manuel de Arriaga resolve obviar ao isolamento hierárquico, convidando os dois Presidentes do Congresso para o camarote presidencial, em todas as récitas dos teatros nacionais.

de Vasconcelos é encarrega10 Augusto do de formar Ministério. n Motim do povo da Ota, Alenquer, devido a uma questão de águas. Dec.- D.G. n.º 265 - autoriza o Go-

a contratar a construção de uma 11 verno linha férrea, entre Moamba e Xinavane, na Província de Moçambique. n Dec.- D.G. n. 265 - nomeia uma comissão para coligir todos os documentos que interessem à história e à administração colonial, existentes nos arquivos estatais. n Inauguração do Congresso Anarquista em Lisboa. n António Bartolomeu Ferreira apresenta credenciais na Haia como E.E.M.P..

12 Exoneração

do Ministério de João Chagas. II Governo Constitucional, de Augusto de Vasconcelos Correia. n Nomeação do Cap. Sidónio Pais para Ministro das Finanças. Exonerado em 16.6.1912. n Nomeação do Dr. Augusto Vasconcelos Correia para M.N.E.. Exonerado em 16.6.1917. n Nomeação do Dr. José Estêvão de Vasconcelos para Ministro do Fomento. Exonerado em 16.6.1912. n Nomeação do Dr. António Macieira Júnior para Ministro da Justiça. Exonerado em 16.6.1911. n Nomeação do Dr. Celestino Pais de Almeida para Ministro da Marinha. Exonerado em 16.6.1912. 75


1911 n Nomeação do Cap. de Fragata José Freitas Ribeiro para Ministro das Colónias. Exonerado em 25.1.1912 n Nomeação do Dr. Silvestre Falcão para Ministro do Interior. Exonerado em 16.6.1912. n Nomeação do Cor. Alberto Carlos da Silveira para Ministro da Guerra. Exonerado em 16.6.1912. n O Governo de João Chagas nos seus 70 dias produziu 268 diplomas legislativos. n Cessa a publicação o “Beira Baixa”, (Castelo Branco - democrático - n.d.). n Publica-se “A Democracia” (Angra do Heroísmo - republicano - n.d.) Port. D.G. n.º 267 - nomeia uma co-

para estudar a introdução de 14 missão, máquinas na indústria das conservas de peixe.

do Dr. Aresta Branco para 17 Nomeação presidente da Câmara dos Deputados. Estreia no Teatro da Rua dos Condes a

“Fandango à Maxixe. 18 revista n O Convento das Trinas em Lisboa sofre urgentes remodelações para se transformar num provisório palácio da Justiça, a fim de julgar os “traidores” monárquicos. Cessa a publicação o jornal “Demo-

do Norte” (Viana do Castelo 19 cracia republicano - n.d.).

n Cessa a publicação “O Semanário”, (Chaves - republicano - n.d.) n Publica-se “O Bejense” (Beja - direita republicana - n.d.). n Greve dos manipuladores do pão, gerando confrontos com a Polícia e a G.N.R..

Em viagem pela Europa o rei deposto,

Manuel de Bragança, celebra o seu 15 D.aniversário na aldeia tártara de Harax, perto de Ialta, na Crimeia. n São retirados os subsídios recebidos pelos pensionistas do Estado em Paris. n Lisboa – Morre Augusto Antunes, actor.

Faro - Nasce Armando Tavares Belo,

e compositor de música ligeira. 20 maestro n Abalos de terra em Benavente e Azambuja. n Publica-se no Porto o jornal “A Folha Nova”. n Delimitação das fronteiras na África Oriental, a N. e a S. do rio Zambeze, aprovada por acordo luso-britânico.

Morre o clínico Dr. António Rodrigues

16 Pinto. n Reabertura do Parlamento.

Nomeação do 1.º Ten. da Administra-

Naval Mariano Martins para Go21 ção vernador de S. Tomé e Príncipe.


Novembro em Setúbal o poeta popular, Sobe à cena, no Teatro Variedades de 22 Morre António Maria Eugénio, conhecido pelo 25 Lisboa, a revista “Pai Paulino”. “Calafate”.

n Entrega credenciais o Ministro Plenipotenciário da França, Saint-René de Taillandier.

Publica-se “A Pátria Nova” (Castelo

- republicano - n.d.). 23 Branco n O operariado manifesta-se em Lisboa sobre a lei dos acidentes de trabalho.

24

Manifestação carbonária em Lisboa de apoio ao P.R.P. e contra o Governo. n Criação do Ministério das Colónias. n Desterrado por dois anos do respectivo Distrito aplicado ao Bispo da Guarda, D. Manuel Vieira de Matos. n O matutino “O Século” noticia a abertura das primeiras aulas no novo Liceu da Lapa em Lisboa. n A Federação Radical Republicana promove tumultos em Lisboa. n O cruzador “República” zarpa de Lisboa para Nova Iorque a fim de representar Portugal na inauguração da ponte entre Key West e a Florida. n Fernando Bissaya Barreto é nomeado 2.º Assistente Provisório da 5.ª classe da Faculdade de Medicina da U.C.. n Primeira récita, no Teatro do Ginásio de Lisboa, da peça “Receita do Mourisco”, original de Leandro Navarro. n As autoridades policiais raptam as chinesas que se faziam passar por oftalmologistas, para as expulsarem do País.

Tumultos populares em Lisboa por cau-

da prisão de umas chinesas, que se 26 safaziam passar por oftalmologistas e que

deram um saldo de 45 pessoas feridas. n Inauguração do Teatro de Mangualde. n A Orquestra Sinfónica Portuguesa inicia uma série de concertos públicos no Teatro República (antes D.ª Amélia). Abalo de terra em Lisboa.

Regressa a Lisboa o Grão-Mestre 27 nSebastião Magalhães Lima no seu périplo à Europa em missão da Maçonaria. n D. António Mendes Belo, Patriarca de Lisboa é criado Cardeal “in petto” no Consistório presidido por Pio X, reservando-se a nomeação para tempo oportuno. n Funda-se em Lisboa a Associação do Fomento Nacional. n A Turquia reconhece a República Portuguesa. n Os padres da congregação do Espírito Santo são desalojados da casa de Santo Amaro em Lisboa. n São votadas no Congresso moções de confiança ao Governo, que se afirma disposto a manter a ordem com a máxima energia.

77


1911 credenciais o Ministro Plenipo28 Entrega tenciário da Itália, marquês de Paolluci di Calboli.

Realiza-se a eleição do representante

estudantes ao Senado da U.C.. 29 dos n Greve dos trabalhadores rurais alentejanos. n No Ministério do Interior reúne a Comissão encarregada de conceber a bandeira nacional, da qual fazem parte Guerra Junqueiro e Columbano Bordalo Pinheiro, aprovando-se a proposta deste último. n Cumprindo com o decreto de expulsão, parte para Tortosendo o Bispo da Guarda. n Estreia, no Teatro da República em Lisboa, da comédia “O Sr. Freitas”, de Chagas Roquette e Álvaro Lima. n Abertura, no ex-convento das Trinas, do Tribunal para julgamento dos conspiradores anti-republicanos. n Port. D.G. n.º 280 - manda proceder à amoedação, em unidades de 50 centavos, até 20 toneladas de prata. Castelo Branco, um dos últimos 30 doMinistros da Monarquia, e sobrinho do Prisão, em Alijó, do Dr. José de Azeveescritor Camilo Castelo Branco. O republicano deputado socialista es-

Pablo Iglezias chega a Lisboa, 31 panhol para proferir uma conferência no Centro Democrático Espanhol. n Extinção do cargo de Alto-Comissário da República da Província de

Novembro Moçambique. n Aprovação do programa da “União Republicana”. n Regularização Maçónica do Médico Fernando Bissaya Barreto. n O P.R. Manuel de Arriaga visita a Sociedade Protectora dos Animais.


Dezembro Revolta em Timor contra a concessão de terras, que se estende pelo ano seguinte.

1

No recenseamento realizado, a população portuguesa regista o número de 5.547.708. n No ano económico iniciado em 1910 as receitas foram de 13.599 e as despesas de 13.659 libras esterlinas. Um quase equlíbrio financeiro.

2

Começa a publicar-se, em Lisboa, o jornal republicano democrático “A Pátria”, sob a direcção de Ramada Curto.

4

O matutino “O Século” enfatiza a ideia, de há muito acalentada, de se construir uma ponte sobre o Tejo ou um túnel para a outra banda de Lisboa.

5

Depois de uma breve estadia em Lisboa o socialista espanhol Pablo Iglesias parte para Espanha.

6

Após a aprovação da Constituição surge em Lisboa o “Programa e Lei Orgânica do Agrupamento Politico Integridade Republicana”, de João Bonança.

8

Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Cardeal Patriarca, prega o seu primeiro sermão.

79


1911 9

10

Restabelece-se a ordem pública em Moxico, Angola, tendo sido presos os cabecilhas da revolta. n Em ofício ao Bispo-conde de Coimbra, o Ministro da Justiça, António Macieira, nega o beneplácito para a sua Pastoral. n Exposição de aguarelas de Roque Gameiro no antigo ‘Atelier’ de Jorge Colaço em Lisboa. n É publicado o programa da acção parlamentar dos Senadores e Deputados independentes. Dois carros eléctricos caiem ao rio Douro, morrendo 30 pessoas e deixando 31 muito feridos.

D.G. n.º 295 - aprova o regula15 Dec.mento provisório da Caixa Económica Postal. n O E.E.M.P. da Holanda entrega credenciais. Augusto Alves da Veiga apresenta cre-

em Bruxelas como E.E.M.P.. 16 denciais n Manuel de Arriaga, com o fim de

“insuflar na vida nacional o sossego, o bem-estar, a grandeza e o esplendor a que têm justas instituições democráticas”, inicia reuniões no seu palacete particular. n Conflitos com grevistas e pessoal de companhias estrangeiras, no Funchal. n Cessa a publicação do jornal “Vitalidade”, (Aveiro - monárquico - n.d.).

Funda-se a Associação dos Estudan-

do Instituto Superior Técnico. Com a chegada do aviso “Cinco de 11 tes n Tumultos no Tribunal das Trinas, du- 17 Outubro”, é restabelecida a normalidarante o julgamento de um monárquico. de no porto do Funchal. n Parte de Lourenço Marques para Macau um contingente de 100 soldados de Cavalaria a fim de ali manter a ordem entre os chineses, sublevados com a mudança de regime político em Portugal. n Marítimos do Funchal declaram-se em greve. Entrega credenciais o Ministro Plenipo-

13 tenciário da Bélgica Leghart.

Entrega de credenciais do Ministro Ple-

da Suécia, conde Herald 18 nipotenciário Stromfelt. Ferrol, Espanha - Nasce Ernesto Guer-

Prof. universitário nos EUA e 19 raumdadosCal,maiores especialistas da obra

de Eça de Queiroz. n O jornal “O Século” noticia o 1.º orçamento da República com um défice de 1966 contos, elaborado por Sidónio Pais. n Um temporal em Lisboa causa enormes prejuízos.


Dezembro n Greve da indústria de panificação em Lisboa que fica completamente sem pão.

(Castelo Branco - independente - n.d.). É posto em liberdade José de Azeve-

Exposição do pintor António Carneiro Ilustração Portuguesa

da 20 nonemSalão Lisboa.

Castelo Branco, antigo Ministro da 26 doMonarquia. n O montante (espada) de Vasco da Gama é adquirido em leilão pelo Estado e integrará as colecções nacionais no Museu de Artilharia.

Insubordinações em Braga, no quartel

29. São presos e levados 21 daparainfantaria o Porto 36 elementos da com-

panhia. n O deputado Tomaz da Fonseca defende a venda de parte das jóias da Coroa, convertendo o resultado da operação em “utilidades do País”. n Aprova-se o programa da União Nacional Republicana elaborado por António José de Almeida, Brito Camacho e António Aresta Branco.

23 Monarquia, é exonerado da docência O Prof. João Arroio, antigo Ministro na

na Universidade, por razões políticas. n Criação da Associação de Classe dos Proprietários de Hotéis e Restaurantes de Lisboa. n Publica-se “A Verdade” (Angra do Heroísmo - católico . n.d.).

27 meado Inspector das Biblioteca e ArO médico e escritor Júlio Dantas é noquivos Públicos.

Criação da Sociedade Portuguesa de

28 Química. n Decretado o desterro por 2 anos do respectivo distrito ao governador do Bispado do Porto, Deão Manuel Coelho da Silva. n Dec.- D.G. n.º 303 - proíbe o Patriarca de Lisboa, D. António Mendes Belo, de residir, durante dois anos, no respectivo distrito. Vila Franca de Xira - Nasce o escritor

29 neo-realista Alves Redol.

Cessa a publicação o jornal “A Rotun-

24

O Prémio da Taluda de Natal, no valor de 240 contos, vai para Lourenço Marques, Moçambique. n Assume o Governo de S. Tomé e Príncipe o oficial da Armada Mariano Martins. n Publica-se o “Futuro da Beira”,

30 da” (Évora - direita - n.d.). O

número

de

emigrantes

atinge

31 60.000. n A actividade industrial ocupa 21,2%

da população activa global e 23,1% da 81


1911 mão-de-obra feminina. n O comércio externo quantifica-se em 69.081 contos em importações e 34.482 em exportações. n O número de assinantes de telefones soma 1084, com uma extensão de rede de 791 Km. n São 512 os professores liceais do País. n O valor total em contos da exportação industrial portuguesa cifra-se em 3.937.000, quando no ano transacto fora de 6.259.000. n A circulação fiduciária é de 82.425 contos ou 16.980 milhares de libras ouro. n Desde o início da República registam-se 247 greves no País. n 14,9% dos homens do Reino com idades compreendidas entre 40 e 44 anos são solteiros e 20,4% das mulheres. n O número de operários no total das circunscrições é de 1.000.868. n A população portuguesa do Continente é de 5.547.708 dos quais 66.2% vive em áreas não urbanas. n A população total recenseada é de 846.801, sendo a votante de 250,000 n O número de analfabetos cifra-se em 69.7%. n A imprensa confere grande relevo à invocação do movimento republicano do Porto de 1891. n É de 1.212 o número de alunos universitários do País. n Setúbal tem 30.46 habitantes. n O Porto possui 194.009 habitantes. n A recepção de divisas provenientes da emigração portuguesa no Brasil oscilaria entre 20 e 24 mil contos, o que

corresponde quase ao défice da balança de pagamentos. n A produção de vinho é de 3.912.358 hectólitros. n O número de alunos liceais é de 9.740. n A produção de azeite cifra-se em 252.6899 hectólitros. n Lisboa tem 435.590 habitantes. n É de 32 o número de liceus existentes no País. n O valor libra-ouro em escudos é de 4$85. n É inaugurado, na Associação dos Arqueólogos em Lisboa, um busto de Francisco de Sousa Viterbo. n Inauguração, em Lisboa da Casa Sindical. n O número de oficiais das Forças Armadas é de cerca de 2.000. n O total da dívida pública é de 138.296 libras. n Publica-se em Lisboa o vespertino republicano “O Popular”.


Dezembro

83


19 12


1912 n Manuel Laranjeira: “Comigo”, o seu único livro de versos. n Inaugura-se o Sanatório de Sant’ Ana na Parede, traça do Arq. Rosendo Carvalheira. n Afonso Lopes Vieira: “Bartolomeu Marinheiro, (poesia). n A.O.S. matricula-se na FLUC na cadeira de Língua e Literatura inglesas. n M. Borges Grainha publica: “História da Maçonaria Portuguesa, 1735-1912”. n O Prémio Valmor de Arquitectura é conferido ao edifício das Linhas de Torres, 22, da autoria de Manuel Norte Júnior. n Raul Brandão publica: “El Rei Junot”. n Mário de Sá Carneiro publica: “Princípio”. n Conclui-se a publicação de “Religiões da Lusitânia” de J. Leite de Vasconcelos. n Leonardo Coimbra publica: “O Criacionis-mo e a Morte”. n Óleo sobre tela “O Castelo” de Amadeo de Souza Cardoso. n “Bacharéis e Homens Úteis”, artigo de A.O.S. no “Imparcial”. n Desenho em tinta-da-china aguada de Almada Negreiros “Five O’ Clock Tea”. n A Livraria Chardron de Lello e Irmão publica postumamente “Últimas Páginas”, de Eça de Queiroz. n A.O.S. cursa o 3º ano de Direito. n João Tavares, em adaptação do romance de Camilo Castelo Branco, realiza o filme “Carlota Ângela”. n Publica-se em Goa o 1.º volume dos “Arquivos Indo-Portugueses de Medicina e História Natural”.

O palácio Condeixa, na Rua da Horta Seca, é a residência do P.R., já que fora recusada a instalação em palácios do Estado. n Mário de Sá Carneiro, com colegas do Liceu Passos Manuel de Lisboa, funda a Sociedade de Amadores Dramáticos.

1

Começa a vigorar o decreto estabelecendo a hora nova. n Inauguração do novo edifício da Associação Comercial de Coimbra. n O “Jornal do Comércio” passa a chamar-se do “Comércio e das Colónias”. n No Funchal publica-se o “Diário da Madeira”, regionalista, tendencialmente monárquico. Perdura até 1940. n Manifestação de protesto junto ao Patriarcado de Lisboa pelas medidas anticlericais do Governo.

2

Publica-se “O Diário do Porto” (extrema-direita republicana). n Magalhães Lima promulga a nova Constituição Maçónica Portuguesa. n Port. D.G. n.º 20 - estabelece os casos em que serão pagos em ouro os vencimentos, despesas e abonos, feitos aos funcionários e comissionados do Ministério dos Estrangeiros.

3

Parte de Lisboa para Gouveia, em cumprimento do decreto governamental, o Cardeal Patriarca Mendes Belo. n Estreia da comédia de Augusto de Castro “As Nossas Amantes”, interpre-


Janeiro tada por Adelina Abranches.

4

Dá-se à estampa o 1º número do semanário “Notícias da Covilhã”.

5

A sessão do Parlamento é interrompida, no meio de grande agitação. n Publica-se em Lisboa a revista teatral “O Palco”.

tuguesa, Dr. Couceiro da Costa, que ali se deslocou para apresentar os cumprimentos da República. n Depois da saída para o desterro o Cardeal Patriarca, D. António Mendes Belo, o edifício do Patriarcado sofre o imediato arrolamento estatal dos bens constantes do Paço de S. Vicente.

12 Bento, para entregarem uma represen-

Manifestação de estudantes em S. tação-protesto sobre a Lei do Recrutamento Militar.

6

Decreto, condenando o Bispo do Algarve, D. António Barbosa Leão, a dois anos de suspensão da respectiva Diocese.

7

Entram em circulação as novas estampilhas postais. n Comício em Lisboa de protesto pelo aumento das rendas de casa, carestia da vida, etc. n Morre o actor Ricardo Salgado, há muito retirado da cena.

Dec.- D.G. n.º 13 - manda que os

de pesca de arrasto sejam 13 vapores considerados como navios de grande cabotagem.

8

São trasladados para o panteão de S. Vicente em Lisboa os restos mortais da Rainha Maria Francisca Isabel de Sabóia, mulher de D. Afonso VI e, depois, de seu irmão D. Pedro II. n O Tribunal da Marinha absolve o Comandante do cruzador “S. Rafael”, João Martins Ludovice, de responsabilidades no naufrágio de Vila do Conde, ocorrido em 20.10.1910. n Os soberanos ingleses recebem, em Bombaim, o Governador da Índia por-

É proibido de residir por dois anos,

de Viseu, perdendo todos 14 noos distrito benefícios materiais, o Bispo D. António Alves Ferreira. n Manifestações em Lisboa, promovidas pela Associação do Registo Civil, em que milhares de pessoas saúdam os membros do Ministério pela sua atitude anticlerical. n Tumultos em Gouveia, por ocasião da chegada do Cardeal Patriarca de Lisboa, para ali desterrado. n O Governador do Bispado de Coimbra, José Alves Matoso, é desterrado por dois anos do respectivo distrito.

87


1912 Ministro das Finanças apresenta à 15 OCâmara dos Deputados o Orçamento Geral do Estado, acusando um défice de 3499 contos. n Sarau, no Teatro da República de Lisboa, em homenagem a Gil Vicente, com uma palestra do poeta Lopes Vieira. n Em virtude de violentos temporais, registam-se grandes estragos no porto de Leixões. A grande obra hidráulica tende a desaparecer por completo.

Portugal no Brasil. n Parte no vapor S. Miguel o novo Governador-Geral de Moçambique, Dr. Alfredo de Magalhães.

21 Casa Sindical em Lisboa, por ocasião O Governo ordena o encerramento da

da greve geral operária. Reabrirá um mês e meio depois. n Uma comissão de senhoras realiza festas, destinadas a reunir fundos para a defesa naval.

pelo “Santinhos Migalhas”. da União Republicana, tendo 22 órgão 18 nhecido n Publica-se o “Districto de Viana” (incomo director, José Júlio Rodrigues.

Morre o actor José dos Santos, co-

Aparece em Lisboa a “Folha da Tarde”,

dependente - n.d.). n Convenção luso-belga, para estabelecer uma linha telegráfica directa até às fronteiras de Angola e do Congo. n O escultor Simões de Almeida (Sobrinho), ganha o concurso para a nova moeda da República.

n O P.R. visita o Museu Arqueológico instalado em Belém e dirigido pelo Doutor Leite de Vasconcelos. Abalos da terra no Alentejo, em Avis e

23 Évora.

Barjona de Freitas, antigo De- 24 dores rurais grevistas e a Guarda Na19 xandre putado e Par do Reino. cional Republicana, produzem um morLisboa - Morre o médico Augusto Ale-

Confrontos em Évora entre trabalha-

20 a Convenção Internacional de 11 de

to e seis feridos. n Abre-se uma crise governamental com o Ministro das Colónias demissionário, em sequência da questão do Caminho-de-Ferro de Luanda e Ambaca em Angola.

Carta D.G. n.º 63 - confirma e ratifica Outubro de 1909, sobre circulação de automóveis. n Fernando Bissaya Barreto é nomeado Assistente Provisório da 7.ª classe da Faculdade de Medicina da U.C.. n Nomeação do Prof. Doutor Bernardino Machado como Ministro de

Termina a greve dos trabalhadores ru-

em Évora. 25 rais n Declaram-se em greve os alunos do


Janeiro Liceu de Braga. n Nomeação do Dr. António Macieira Júnior para Ministro as Colónias. Exonerado em 29.1.1912. n A Liga das Mulheres Portuguesas faz entrega duma mensagem de agradecimento ao Dr. Alexandre Braga pelo seu projecto a favorecer a emancipação da mulher.

26

Recolhem presos ao Limoeiro os alegados responsáveis pelas greves rurais, acusados de crimes políticos. n Violento abalo de terra em Angra do Heroísmo. Duelo entre os Deputados Álvaro Pope

27 e Camilo Rodrigues.

Entra de prevenção uma força de 336

da Armada, na perspectiva de 28 homens uma greve de fragateiros do porto de Lisboa. n Inaugura-se no Coliseu dos Recreios a Universidade Livre de Lisboa. n Publica-se “O Republicano” (Chaves - evolucionista - n.d.). n Cessa a publicação o “Futuro da Beira” (Castelo Branco - independente - n.d.). n Inauguração em Abrantes do monumento ao actor Francisco da Silva Taborda. n Greve geral em solidariedade com os trabalhadores rurais de Évora. Declaração do estado de sítio e suspensão das garantias constitucionais.

do Cor. Joaquim Albuquer29 Nomeação que e Castro para Ministro das Colóni-

as. Exonerado 16.6.1912. n Nomeação do Cor. Alberto Carlos da Silveira para Ministro do Interior interino. Exonerado em 31.1.1912.

30 e entrega Lisboa ao comando militar.

O Governo declara o estado de sítio São suspensas as garantias individuais, encerrada a União dos Sindicatos com 620 prisões. n É novamente detido José de Azevedo Castelo Branco, antigo ministro da Monarquia. n Entrevista entre D. Manuel de Bragança e o pretendente ao trono e seu primo D. Miguel, em Dover, definindo-se a união entre os dois candidatos à Coroa portuguesa. n João Chagas apresenta credenciais de E.E.M.P. em Paris. Em Lisboa, forças militares e carbo-

tomam de assalto a União dos 31 nários Sindicatos. Os detidos são remetidos para bordo da fragata “D. Fernando” e do transporte “Pero d’ Alenquer”. n Assalto à Administração do concelho da Moita, com agressões violentas à autoridade. n Os operários corticeiros do Rossio ao Sul do Tejo entram em greve.

89


1912 1

Restabelece-se a normalidade em Lisboa. n Publica-se “A Humanidade” (Coimbra - maçonaria - n.d.). n Publica-se “A Boa Nova” (Funchal católico - n.d.).

3

Cartas credenciais de Abel Botelho, diplomata e escritor como E.E.M.P. na Argentina.

4

Lisboa - Morre Eduardo de Abreu, político e grande mentor de causas patrióticas.

5

Afonso Costa é nomeado Professor ordinário da Faculdade de Ciências de Lisboa. n No Arsenal iniciam-se os interrogatórios dos presos, implicados nos motins em Lisboa. n Cessa a publicação “A Folha da Tarde” (Lisboa - unionista). n Morre num hospital de Lisboa, dos ferimentos recebidos durante as greves e tumultos ocorridos na Moita, o respectivo administrador. n Abel Botelho, o 1.º E.E.M.P. da República nomeado para a Argentina, embarca em Lisboa. n Adesão portuguesa à Convenção Internacional relativa à circulação de automóveis, assinada em Paris a 11.10.1909.

6

Para restabelecer a ordem em Timor chega a Díli a canhoeira “Pátria”, com 200 landins e uma companhia de infantaria europeia, enviados de Moçambique.

7

Desmentem-se em Londres, por nota oficiosa, os boatos de que a Inglaterra e a Alemanha haviam negociado a divisão das colónias portuguesas de África. n Temporal violento no Ribatejo, Lisboa, Açores e em outros pontos do País, afundando grande número de fragatas no Tejo.

8

A Censura prévia é extinta. n Entram em circulação os novos bilhetes postais, com selos de um centavo.

9

Estreia em Lisboa da revista “Ponhalhe Papas”, no Teatro Variedades. Dec.- D.G. n.º 36 - eleva a povoação

Vendas Novas à categoria de vila. 10 den Toma posse o Governador-Geral de Moçambique o médico José Mendes de Magalhães. Primeira lição na Universidade Livre de

a funcionar na Caixa Económi11 Lisboa, ca Operária. n Apresenta-se à Câmara de Deputados um projecto de colonização judaica no planalto de Benguela em Angola.


Fevereiro n O mau tempo continua: “Dilúvio nos campos do Ribatejo” segundo o jornal “O Século”.

Camacho e António José de 17 Brito Almeida esclarecem que a União Re-

n Publica-se em Lisboa o jornal “A Alvorada”.

publicana não é a fusão dos seus dois grupos políticos, mas apenas uma aliança entre ambos. n Expulsão do Bispo de Portalegre da sua Diocese. n É levantado o estado de sítio na cidade de Lisboa, restabelecendo-se as garantias individuais.

Morre Augusto César Ferreira de Mes-

Lisboa - Morre o actor Valle, consagra-

Decreto, desterrando do distrito, por

anos, o Bispo de Lamego, D. 12 dois Francisco José de Vieira e Brito.

autor teatral e jornalista. 13 quita, 19 do cómico da cena portuguesa. n O jornal “República” afirma que o regime republicano não tinha procedido com tacto, “não tranquilizou o capital, não captou o operariado”.

14

O Governador-Geral da Índia declara em estado de sítio, com suspensão das garantias constitucionais, as regiões do distrito de Goa, denominadas Novas Conquistas. n Abel Botelho apresenta no Paraguai cartas credenciais de E.E.M.P. não residente. n Decreto nomeando Eusébio Leão E.E.M.P. em Roma (Quirinal), onde permanecerá até 1926. n O matutino “O Século” de Lisboa publica o Suplemento “Modas & Bordados”, sob a direcção de Isabelle Carizey de Carvalho.

Evasão de 12 conspiradores do forte

Alto Duque, em Lisboa. 21 don Realiza-se, no Porto, o 1.º Congres-

so Nacional de Deontologia e Interesses Profissionais. Assina-se com a Casa Marconi o con-

para o estabelecimento da tele22 trato grafia sem fios em Lisboa, Porto, S. Miguel, Funchal e S. Vicente de Cabo Verde. n Espinho - Suicida-se Manuel Laranjeira, poeta e escritor. n Estreia no Teatro Apolo de Lisboa a revista “Pão com Manteiga”. n Publica-se o 1.º número do semanário “O Imparcial”, órgão do CADC e dirigido pelo Padre Manuel Gonçalves Cerejeira. Nele colaborará frequentemente A.O.S..

Sobe ao palco a revista “Ao Correr da

no Teatro do Ginásio em Lisboa. 16 Fita”, n Tomam posse os novos Juízes do Supremo Tribunal de Justiça.

91


1912 do cargo de Governador 23 ÉCivilexonerado de Lisboa o Dr. Eusébio Leão. n Representação ao Presidente da República do povo de Macau, contra a extinção do Leal Senado da Câmara daquela cidade. n Publica-se o “Notícias de Bragança” (esquerda - n.d.). n Publica-se “A Pátria” (Braga - monárquico - n.d.).

Fevereiro tituição, na cidade de Ponta Delgada, de uma sociedade anónima de responsabilidade limitada, com a denominação de Banco Micaelense.

29 quartéis do Norte, é roubado num ho-

O Ministro da Guerra, de visita aos

n A Comissão Parlamentar inicia um inquérito aos actos de Freire de Andrade, como governador de Moçambique.

tel da Figueira da Foz. n O Governador da Guiné informa de que os ‘balantas’ foram severamente castigados e a ordem pública completamente restabelecida. n A Câmara Municipal de Lisboa decide municipalizar a produção eléctrica para iluminação da cidade. n Abel Botelho apresenta credenciais de E.E.M.P. em Buenos Aires, Argentina.

No Governo Civil de Lisboa, substituin-

Lisboa - Morre o Contra-Almirante Au-

n Brito Camacho funda o Partido Unionista - Partido União Republicana. n O Secretário-Geral interino do Governo de Angola, bacharel Manuel Moreira da Fonseca, assume interinamente o executivo, pela saída do Governador-Geral Manuel Maria Coelho para a Metrópole. n Bernardino Machado toma posse do cargo de Presidente da Direcção da Sociedade de Geografia de Lisboa.

sileiros (13.3.1894), incidente que provocou a suspensão das relações diplomáticas entre ambos países.

António José de Almeida funda o Par-

Republicano Evolucionista com 24 24 tido deputados.

Eusébio Leão, é nomeado o médico 30 gusto de Castilho, Comandante da flo26 doManuel Nunes de Oliveira. tilha que deu asilo aos revoltosos bra-

A canhoneira “Faro” vai a pique na barra

Alvor abalroada por um rebocador: 6 28 domortos, incluindo o Comandante.

n Dec.- D.G. n.º 50 - autoriza a cons-


Março Começam a ser dirigidas ao Parlamento representações relativas à lei do descanso semanal, sob o argumento de que o encerramento obrigatório dos estabelecimentos é antidemocrático. n Saí o 1.º volume da Revista da U.C., que se deve á iniciativa do Reitor Mendes dos Remédios. n Festa artística em homenagem ao actor Chaby Pinheiro, realizado no Teatro República em Lisboa. n Demissão do Governador-Geral de Angola, Manuel Maria Coelho.

1

É indeferido o requerimento de agravo à pronúncia, apresentado pelo Patriarca de Lisboa, D. António Mendes Belo. n Greve de estudantes do Liceu de Leiria. n Publica-se “A Folha de Setúbal” (evolucionista) - n.d.).

2

Epidemia de febre tifóide em Lisboa. n Morre a actriz Ernesta Cerri, há muito retirada de cena. n Dec.- D.G. n.º 54 - encarrega um primeiro oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros, de continuar os trabalhos de publicação da “Nova Colecção de Tratados”. n Julgamento da acção judicial, entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Companhia do Gás, por motivo da instalação, considerada nociva, de oficinas de fabrico de gás junto à Torre de Belém.

93


1912 3

5 6

O Ministro Plenipotenciário de Inglaterra, Sir Arthur Harding, é preso em Beja como conspirador, por equívoco de um guarda da Polícia Cívica. n Uma comissão, liderada pelo Presidente da República, programa várias iniciativas a favor das vítimas dos últimos temporais. n Abalroamento no Douro de uma embarcação portuguesa, por um vapor francês, com um saldo de 3 mortos. É aprovada a moção rejeitando uma proposta de amnistia. n Celorico da Beira - Nasce Joaquim da Silva Pereira, músico e chefe de orquestra. Destinada a Coimbra procede-se, nas oficinas do Arsenal do Exército, à fundição da estátua de Joaquim António de Aguiar, com técnica inovadoura. n A Companhia das Águas de Lisboa defende-se das acusações de fornecer água inquinada, favorável ao bacilo da febre tifóide. n Fundação do Orfeão Académico do Porto. n O P.R. inaugura em Lisboa uma exposição individual do escultor Júlio Vaz Júnior.

ao Lumiar em Lisboa, para doentes atacados de tifo. n Junto de Ermesinde o comboio com destino à Trofa choca com outra composição. Do acidente resultaram 1 morto e 8 feridos graves. n Assume o Governo-Geral de Angola António Romeiras de Macedo.

8

Cessa a publicação o jornal “Defesa” (Coimbra - republicano - n.d.). n Na Guiné restabelece-se a ordem pública, depois de aplicadas punições aos indígenas da região de Jobel.

9

Adapta-se a hospital o ex-convento das Trinas, para ali serem internados os tifosos. n A “Festa da Árvore” é promovida pelo periódico “O Século Agrícola”. Submissão ao governador de Huíla,

de 5 régulos da região rebelde 11 Angola, de Muenaenena-Hinga. Chega a Lisboa o Major Manuel Maria

que fora Governador-Geral de 12 Coelho Angola.

Estreia no Teatro da Rua dos Condes

7

A Câmara dos Deputados aprova a extinção dos Tribunais Marciais e do Tribunal das Trinas. n Morre Ernesto Desforges, empresário teatral e escritor dramático. n Abertura do Hospital do Repouso,

Lisboa, a revista “Ele aí está”. 13 em n Greve dos operários da fábrica de

fiação e tecidos das Devezas, em Vila Nova de Gaia.


Março que pagam dívidas”, artigo de a publicação “O Tâmega” 14 Tristezas 21 Cessa A.O.S.. publicado em ‘O Imparcial”. (Chaves- republicano - n.d.). n Visita os Hospitais Civis o P.R. Manuel de Arriaga onde contacta com os enfermos da febre tifóide.

n “Cartas a uma Mãe I” em “O Imparcial”, série de 8 cartas publicadas por A.O.S. sob o pseudónimo de Alves Silva, o nome do carpinteiro que substituiu o seu padrinho de baptismo, Dr. Boti-lheiro Perestrelo. n O quadro de Domingos Sequeira “O 2.º visconde de Santarém e Família” é exposto no Museu de Arte Antiga”, tela oferecida pelo filho do retratado.

As Legações de Portugal transmitem

desmentido à imprensa estrangei16 um ra, sobre alegados tratados de Portu-

gal com a Alemanha e Inglaterra, que ameaçassem a independência das Colónias portuguesas. n Instalação de um novo posto antropométrico no Governo Civil de Lisboa. n Decreto determinando o desterro para o Luso, por dois anos, do Bispo de Bragança, D. José Alves de Mariz.

Arde a importante fábrica de fiação de

no concelho de Vila Nova 22 Crestume, de Gaia.

23 Viseu ministra ordens de presbíteros a Na igreja dos Inglesinhos o Bispo de

17

Entram em circulação os novos selos postais de 3.5 centavos.

18 onde

Afonso Costa, regressado da Suiça estivera a receber tratamento para a tuberculose, recebe em Lisboa calorosa manifestação de apoio.

três seminaristas e de diácono a dez.

24 seu dos Recreios em Lisboa.

Homenagem a Teófilo Braga, no Colin Populares assaltam o “Jornal Notícias” do Porto, empastelando as respectivas máquinas. n São abertas ao público duas novas salas no Museu Nacional de Arte Antiga, às Janelas Verdes, em Lisboa: a de Nuno Gonçalves e a da Escola de Lisboa. n Publica-se “O Sul” (Faro - evolucionista - n.d.).

A explosão de bombas de dinamite no

causa várias vítimas e desmo19 Porto, ronamento de casas.

20 Eusébio Leão, designado E.E.M.P. no

Embarca na estação do Rossio o Dr. Quirinal, em Roma. n Entrega de credenciais do Ministro Plenipotenciário norte-americano, Cyrus Woods.

25

O jornal “Diário do Porto” é assaltado.

95


1912

Março

dos operários da Companhia “A Província” (Viseu - fran31 Publica-se 26 Greve Fabril Lisbonense. quista - n.d.). n Congresso do P.R.P. em Braga, em que é reeleito o directório afonsista n Lisboa - Nasce Manuel Barradas de Oliveira, jornalista e grande apoiante do Estado Novo. Constituição

definitiva

do

Partido

Republicana”, de Brito Cama27 “União cho, com 25 deputados.

rebeldes, em que toma parte a 28 dígenas tripulação da conhoneira “Pátria”. Combate em Timor contra as forças in-

E.E.M.P. Edward Grey confirma no

que a aliança luso-britâni29 Parlamento ca obriga a Inglaterra a defender todas as conquistas e colónias portuguesas, contra os seus inimigos.

30 em memorando, os agravos recebido O M.N.E. expõe ao Governo britânico,

do Governo espanhol, consentindo na conspiração monárquica adentro do seu território. n Cessa a publicação “O Popular” (Lisboa - monárquico). n Casamento, em Alcoentre, de um padre católico, que em seguida celebra missa, sendo alvo de manifestações de simpatia por alguns grupúsculos.


Abril Na revista “A Águia” órgão da Renascença Portuguesa, Porto, Fernando Pessoa publica o seu 1.º artigo “A Nova Poesia Portuguesa Sociologicamente Considerada”. n O monarca deposto D. Manuel de Bragança visita, no castelo de Sigmaringen, o Príncipe Guilherme de Hohenzollern, pai da sua futura mulher. n Em Coimbra tem lugar um Encontro Nacional das Juventudes Católicas Portuguesas. n O Major Norton de Matos é nomeado Governador-Geral de Angola.

1

Reproduzindo uma igreja, é inaugurada a Casa do Povo da Foz do Arelho, destinada aos registos civis, por iniciativa de Francisco Grandela, em acto presidido por Afonso Costa.

2

O Cônsul no Rio de Janeiro, Fernão Boto Machado, embarca para o seu posto.

3

Decreto proibindo o Arcebispo de Évora, D. Augusto Eduardo Nunes, de residir no distrito durante dois anos.

4

Por causa de uma procissão, registam-se desordens na Chamusca, delas resultando um morto e muitos feridos. n Manifestação contra a Guarda Fiscal de Castelo de Vide, por ter prendido 13 mulheres durante a Procissão dos Passos. n A exposição de pintura de João 97


1912 Trigoso é inaugurada pelo Chefe de Estado no Salão Bobone em Lisboa. n “Cartas a uma Mãe II” segunda da série publicada por A.O.S. em “O Imparcial”.

do Congresso Nacional. 10 Reabertura n Instalação do Conselho Teatral.

n Publica-se “O Heraldo” (Faro - democrático - n.d.). Port. D.G. n.º 97 - autoriza a cons-

5 6

9

Publica-se “A Democracia” (Chaves democrático - n.d.). n Francisco Eusébio Leão assume, como E.E.M.P., a Legação de Portugal em Roma. Chegam a Lisboa vários astrónomos ingleses, para observar o eclipse do Sol, previsto para o dia 17. n Incidentes em Braga com tiroteio entre soldados e populares. Efectuam-se várias prisões. n Abertura em Lisboa, da Exposição de Faiança da autoria de Carlos Mottta (sobrinho). Publica-se o jornal “Atlântida” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana n.d.). n Publica-se “A Província” (Coimbra evolucionista - n.d.). n Inauguração do 3.º Congresso Pedagógico, (Liga Nacional de Instrução) na Sociedade de Geografia de Lisboa. n A Associação Comercial do Porto reclama, perante o Parlamento, contra o pagamento dos direitos em ouro. n O Presidente da Companhia Petrolífera Portuguesa afirma estar comprovada a existência de petróleo na região de Torres Vedras, em condições de exploração rentável.

de uma linha férrea, entre a es11 trução tação de Aveiro e o canal de S. Roque. No Teatro Nacional em Lisboa estreia

“Flores que se Desfolham”, 12 adecomédia Vasco de Mendonça. Em Lisboa inicia a publicação o jornal

“Alma Nova”. 14 académico n Publica-se em Lisboa “O Socialista”. A comissão central da União Republi-

considera dissolvido o Partido 15 cana Republicano Histórico. n Freixo de Espada-à-Cinta - Nasce Monsenhor Manuel Teixeira, eclesiástico e prolixo publicista da História de Macau.

16 mandato.

O deputado Egas Moniz renuncia ao

Regista-se um eclipse do Sol visto em

e todo o País, que não ocorria 17 Lisboa desde 1900.

Exposição, em Lisboa, de trabalhos de

18 pintura da autoria de Alfred Keil.


Abril à espada, entre Norton de Matos Conflitos com operários em Vila Nova 19 Duelo e Egas Moniz, ficando ambos ligeira- 23 de Gaia, registando-se prisões e ferimente feridos. n Da Índia chegam ao Ministério das Colónias pedidos de reforços militares.

20 “Sado”, 60 salteadores presos na Índia

São detidos a bordo da canhoneira pelas forças portuguesas. n Prisão, no Porto, de uma família que se dedicava ao fabrico de moeda falsa. n Reunião das chamada “Juventudes Católicas Portuguesas” em Coimbra, que avançam para a constituição de uma federação. n O Ministro das Colónias oficia ao seu homólogo da Marinha, para que fosse enviado, urgentemente, um navio de guerra a Macau, em vista dos incidentes ali ocorridos com piratas chineses.

dos graves. n Greve na fábrica Mariani no Porto com rebentamento de bombas e tiroteio. n No leilão do Hotel Bragança a baixela do conde de Farrobo atinge o valor de 600 mil réis.

24 to” (extrema direita republicana).

Cessa a publicação “O Diário do Por-

1.º Congresso de Trabalhadores Rurais

Évora. 25 em n É apreendido material de guerra na Galiza, suficiente para armar mil homens.

26 tas no Porto.

Tumultos no Liceu Rodrigues de Frei-

Realiza-se o Circuito do Minho em Au-

com 20 concorrentes, ganha 21 tomóvel, por João Cândido de Almeida, percor-

n Parte para Macau uma expedição militar de 128 praças, destinada a aplacar os focos de pirataria ali existentes.

rendo 327 Km em 6h37 e consumindo 23 litros de gasolina. n Apresentação de credenciais em Roma, como E.E.M.P., de Francisco Eusébio Leão.

Português, agora chamado 27 publicano Partido Democrático.

Atribui-se a Afonso Costa a categórica

A Companhia de Fiação e Tecidos Lis-

ria extinto em duas gerações.

n São presos dois empregados da Junta do Crédito Público, suspeitos de terem cometido falsificação nos livros de escrita. n Primeiro banquete e sarau ofereci-

Congresso em Braga do Partido Re-

de que, graças à legislação 30 bonenses encerra a fábrica de Santo 22 afirmação laicista da República, o catolicismo seAmaro, despedindo todo o Pessoal.

99


1912 dos pelo Presidente da República ao Corpo Diplomático e autoridades, no Palácio de Belém. n Morre o clínico Dr. Joaquim António de Oliveira Namorado. n Eduardo Lisboa, E.E.M.P. do Brasil, apresenta credenciais ao P.R. Manuel de Arriaga.

Abril


Maio Jean Barès, um dos chefes do Partido Socialista francês, oferece ao Governo português 20.000 francos, destinados a publicações, que vulgarizem a ortografia simplificada e oficial. n Oficiais da Armada protestam, junto ao Ministro da Marinha, contra os descontos que lhe são feitos nos vencimentos, para pagamento de direitos de mercê, por condecorações que estão proibidos de usar. n Começa a publicar-se, na Suíça, o jornal português “O Patriota”.

1

2

Publica-se, em Lourenço Marques, o jornal “Diário do Comércio”. n O P.R. Manuel de Arriaga visita a Casa Pia de Lisboa. n Forma-se em Paris uma junta de literatos e artistas, presidida pelo poeta Frederico Mistral, para erigir naquela cidade um monumento a Camões. n Lei- D.G. n.º 104 - declara feriado oficial o dia 3 de Maio, alegado aniversário da descoberta do Brasil. n Parte para Moçambique um contingente militar em missão de soberania. Port.- D.G. n.º 104 - aprova o projecto do troço da linha férrea do Vale do Vouga, entre Jafafe e Viseu. n São cometidos novos desacatos na fábrica de tecidos Mariani no Porto. n “Cartas a uma Mãe III” , mais um artigo de A.O.S. da série publicado em “O Imparcial”.

3

Em Vila Nova de Azeitão é preso um suspeito de fabrico de moeda falsa. n Revolta em Lisboa dos presos da cadeia do Limoeiro. n Lisboa - Morre o actor Carlos Bayard.

4

D. Augusto Eduardo Nunes, Arcebispo de Évora, dirige um protesto ao Presidente da República, contra a pena de desterro que lhe foi imposta. n Inaugura-se em Lisboa uma Exposição de Avicultura, na Associação Central de Agricultura.

5

Graves acontecimentos registam-se na Moita do Ribatejo: soldados turbulentos agridem populares à cutilada e a tiro. n Inauguração do Instituto Ferroviário, obra dos empregados da Companhia dos Caminhos-de-Ferro.

6

No ‘Salon’ de Paris é exposto o quadro de José Malhoa: “O Fado”.

7

Decreto de criação do novo Instituto Superior do Comércio.

8

Nomeação do Prof. Queirós Veloso para Director-Geral interino do Ensino da Instrução Secundária.

9

Aresta Branco, em carta considerada como lançando o descrédito sobre o Parlamento, renuncia ao lugar de Presidente da Câmara dos Deputados. 101


1912 n Bombas lançadas em vários pontos de Valpaços, causam grandes prejuízos materiais. n É inaugurada em Lisboa, no Grémio Literário, a 1.ª Exposição de Caricarturistas Portugueses. n O Governo-Geral da Índia envia ao Ministério das Colónias uma proposta, no sentido de se restabelecer o juramento religioso naquele Estado.

10 gan, finalizando a missão, embarca pa-

nada em Berlim a 4.11.1911). No Teatro Nacional tem lugar um con-

pelo violoncelista António Sala. 13 certo n Francisco Calheiros e Meneses apresenta credenciais de E.E.M.P. em Viena, Áustria. n Iniciam-se as obras de expropriação na Rua das Portas de Santo Antão para edificar o novo Teatro Politeama.

O E.E.M.P. dos EUA em Lisboa E. Mor-

ra o Brasil, onde irá igualmente representar o seu país. n De Moçambique comunicam ao Ministro das Colónias a ocupação de Angoche e a captura e prisão de 14 régulos.

11

Publica-se o “Protesto do Bispo de Bra-

dirigido pelo prelado ao Presi14 gança”, dente da República. n Abertura da Exposição de Caricaturas de Leal da Câmara, no salão nobre do Teatro Nacional em Lisboa. O Governador Marinha de Campos re-

Vila Flor - Nasce João Miller Guerra, médico, publicista e figura da oposição ao Estado Novo. n Na Praça do Comércio em Lisboa, são expostas as novas “macas” da Cruz Vermelha, inventadas por Caetano José da Silva. Afonso Costa visita o consagrado es-

a Cabo Verde e é recebido com 15 gressa entusiasmo na cidade da Praia. n Publica-se “Os Açores” (Angra do Heroísmo - independente - n.d.). n São apreendidas na Coruña, Espanha, 200 carabinas e muitas munições, destinadas aos monárquicos exilados. Francisco Grandela pede a resignação

Bulhão Pato na sua casa do 16 do mandato como Vereador da C.M.L.. 12 critor Monte da Caparica. n Inaugura-se nos Anjos, em Lisboa, o primeiro recreatório escolar. n Alexandre Vieira, gravemente enfermo, abandona a direcção do jornal “A Batalha”. n Adesão de Portugal à Convenção franco-alemã relativa a Marrocos (assi-

Norton de Matos é iniciado “Maçon”

loja “Pátria e Liberdade”, n.º 322, 17 nade Lisboa (rito escocês).

n O poeta nicaraguense e depois prémio Nobel, Ruben Dario, visita Lisboa.


Maio as negociações para um Na Índia portuguesa o estado de sítio 18 Reatam-se Tratado de Comércio entre Portugal e 24 é ampliado, das Novas Conquistas às o Japão. n No Porto abre ao público o novo cinema “Olimpya”, na rua de Passos Manuel.

regiões do distrito de Goa, denominadas Velhas Conquistas. Declaram-se em greve os operários

“Tarde vicentina”, no atelier do escultor

19 Teixeira Lopes, em Vila Nova de Gaia.

20 a presença de D. Manuel na fronteira

De Londres, desmente-se formalmente portuguesa.

22 sem fios, Guilherme Marconi, a fim de

Chega a Lisboa o inventor da telegrafia proferir uma conferência na Sociedade de Geografia. Partirá três dias depois. n Morre o antigo bandarilheiro João da Cruz Calabaça.

do açúcar. 25 mecânicos n Lei - D.G. n.º 126 - aprova a Convenção celebrada entre Portugal e a Bélgica, para o estabelecimento de uma linha telegráfica de Angola ao Congo Belga. n Em consequência do atropelamento mortal de uma criança pelo elevador da Bica, em Lisboa, populares destroem um dos ascensores e danificam o segundo. n O Jardim Zoológico de Lisboa comemora o 28.º aniversário da sua fundação. n Em Lisboa inaugura-se a nova sede da associação “Juventud Gallaica”. n Assalto ao carro celular em que seguiam realistas, que são “barbaramente” agredidos.

Entrega credenciais o Ministro Pleni-

do Japão, Minasi Arakawa 23 potenciário com residência em Madrid. n Conferência de Teixeira de Pascoaes, no Ateneu Comercial do Porto, sobre o tema “Espírito Lusitano ou Saudosismo”. n A revista “Preto no Branco” estreia em Lisboa, no Teatro Apolo. n Embarca para a Índia um contingente militar constituído por 202 praças e 5 oficiais. n “Cartas a uma Mãe IV”, artigo publicado por A.O.S. no jornal “O Imparcial”.

Incidentes tumultuosos no julgamen-

dos implicados na conspiração de 27 toCastelo Branco. n Em Timor é tomada a montanha de Cablaque, na progressão das forças governamentais contra indígenas rebelados. Manifesto da Academia de Ciências

Portugal acerca da integridade das 28 decolónias portuguesas. n Concordando com o parecer do Con103


1912 selho de Arte e Arqueologia, o Ministro do Interior recomenda que se devem manter encimados pela coroa mural, os escudos das armas das cidades que possuam brasões. n Pelo Ministério da Justiça, relembra-se às autoridades o exacto cumprimento do decreto de 8/10/1910, proibindo a permanência em Portugal de qualquer congregação religiosa e em especial os jesuítas. n Chega a Lisboa o escritor inglês Ismael Zangwill.

29

Greve do pessoal dos eléctricos e dos cobradores da Carris de Lisboa. Prolonga-se até 24 de Junho. Novo protesto das autoridades de

para que proprietários chine30 Cantão ses em Coloane não sejam obrigados a pagar impostos ao Governo de Macau. Na resposta portuguesa reiterava-se a soberania nacional sobre a ilha.

Maio


Junho

1

2

Revista mensal “A Mulher Portuguesa” editada em Lisboa. n Francisco da Cunha Leal termina o curso de Engenharia na Escola do Exército.

6

Incidentes na cidade de Lisboa, em Santo Amaro e no Arco do Cego, com grevistas da Carris, em virtude da companhia ter aberto inscrições para admissão do pessoal.

Publica-se em Viseu o jornal “Povo Beirão”. n Norton de Matos parte de Lisboa para ocupar o lugar de Governador-Geral de Angola e Mariano Martins o de S. Tomé. n Port. D.G. n.º 129 - encarrega um subdelegado de saúde de estudar as condições sociais em que se encontra a colónia portuguesa de imigrantes, do Estado norte-americano da Califórnia.

7

No Teatro Avenida de Lisboa estreia a revista “Có-có-ró-có-có”, de André Brun. n Uma missão americana, em digressão pela Europa, propagandeando as vantagens do Canal do Panamá, é recebida na Sociedade de Geografia de Lisboa e no Palácio de Belém.

8

O Chefe de Estado preside à sessão comemorativa do Instituto de Educação das Analfabetas, fundada no ano transacto.

9

Inauguração da Universidade Popular do Porto. n Desafio de futebol entre o Sport Lisboa e Benfica e o Coruña, com a vitória deste último.

4.º Concurso Pecuário no Campo Grande, em Lisboa, promovido pela Associação Central de Agricultura. n Corrida da maratona em Lisboa, promovida pela revista “Tiro e Sport”, ficando vencedor Francisco Lázaro. n Lançamento da primeira pedra no Hospital das Caldas de Vizela. n Nova Goa, Índia – Nasce José Faure da Rosa, escritor.

Cortejo cívico de homenagem a Ca-

3

Coimbra - Nasce Luís Pinto Coelho, Prof. universitário de Direito, advogado e diplomata não de carreira.

4

A divergência parlamentar acentua-se. Demissão colectiva do Ministério. n Considera-se restabelecida a ordem em Timor.

Gera-se um conflito entre popu10 mões. lares e a Guarda Republicana, havendo correrias e espadeiradas. Um jovem é morto e 29 pessoas feridas. n Sob a presidência do poeta Jean Richepin, inaugura-se em Paris, no “boulevard” Delessert, o monumento a Camões.

105


1912 temporal abate-se sobre Lis11 Violento boa, provocando grandes prejuízos.

A Câmara dos Deputados aprova o

de Lemos para Ministro da Justiça. Exonerado em 9.1.1913. n Nomeação do Prof. Doutor Duarte Leite para Ministro do Interior. Exonerado em 9.1.1913. n Nomeação do Dr. Augusto Vasconcelos Correia para M.N.E. Exonerado em 9.1.1913 n Nomeação de António Aurélio da Costa Ferreira para Ministro do Fomento. Exonerado em 9.1.1913. n Nomeação do Cor. Joaquim de Albuquerque e Castro para Ministro das Colónias. Exonerado em 9.1.1913. n A.O.S. presta provas escritas e orais de exame singular de língua alemã, saindo aprovado com 15 valores. n O Governo de Augusto de Vasconcelos em 217 dias produziu 991 diplomas legislativos. n Rebelião indígena no planalto de Benguela, na Província de Angola. n Primeiro dia de provas do concurso hípico de Lisboa.

Assume o III Governo Constitucional,

Couceiro e de 17 de seus com17 Paiva panheiros, sendo o primeiro conde-

Cessa a publicação o jornal “Correio

Covilhã” (conservador - n.d.). 12 dan CartaD.G. n.º 175 - confirma e ratifica a Convenção de Direito Internacional Privado sobre os Direitos e os Bens dos Cônjuges. Apaziguamento do estado de insub-

dos indígenas de Angola, das 14 missão regiões de Samba, Caju e Dembos

Norte. n Chegam a Lisboa, a bordo do iate “Maria Miquelina”, 57 náufragos, pescadores do Algarve e que foram vítimas das maiores atrocidades pelos habitantes do Ferrol e Atouguia da Baleia. de colonização judaica no pla15 projecto nalto de Benguela em Angola.

Efectua-se, no Porto, o julgamento de

da República, presidido por Duar16 IVte Leite. n Nomeação do Dr. Francisco José Fernandes Costa para Ministro da Marinha. Exonerado em 1913. n Nomeação do Cor. António Correia Barreto para Ministro da Guerra. Exonerado e, 9.1.1913. n Nomeação do Cor. António Vicente Ferreira para Ministro das Finanças. Exonerado em 9.1.1913. n Nomeação do Dr. Francisco Correia

nado, à revelia, em 6 anos de prisão celular ou a 10 de degredo. n Assume o cargo de Governador-Geral de Angola o Major do Estado-Maior José Norton de Matos. Norton de Matos exonera do cargo de

do Estado-Maior do Exército de 18 Chefe Angola o Major Gomes da Costa e fálo embarcar para Lisboa. n O Presidente do Ministério Duarte


Junho Leite intervém na greve do pessoal dos eléctricos. n A Câmara dos Deputados aprova que seja nomeada uma comissão para alterar as leis, de forma a fazer-se uma mais eficaz defesa da República. n Entrevista do Ministro dos Negócios Estrangeiros sobre a situação de Portugal, nomeadamente nos aspectos económico e financeiro, ao economista francês Edmond Therry, director do “Economist Europeen”. n Na Câmara dos Deputados aprova-se a retirada da pensão à viúva de Eça de Queiroz, a pretexto de dois dos filhos do romancista terem tomado armas contra a República.

23 novo edifício do Asilo da Infância Des-

Estreia, no Teatro Infantil em Lisboa, a

Parte para o Brasil o novo Ministro

Aprovação de uma lei contra a mendi-

Os atletas que irão representar Portu-

Em Oliveira de Azeméis é inaugurado o

valida, por iniciativa privada. n Realiza-se a Conferência Nacional Operária. n Tumulto no Sabugal por causa de uma procissão, que finalmente acabou por ser permitida. É entregue ao Ministro das Colónias a

parte do relatório da comissão 24 primeira oficial, incumbida de estudar a situação do Padroado do Oriente e a reorganização das Missões Ultramarinas. n Termina a greve da Companhia Carris de Ferro de Lisboa.

de André Brun “Sonho do Mos- 25 Plenipotenciário de Portugal, Dr. Ber19 revista quito”. nardino Machado.

nos Jogos Olímpicos partem para 26 gal 20 cidade. n Proibição do fabrico de bebidas alEstocolmo. coólicas nas Colónias. n “Cartas a uma Mãe V”, artigo de A.O.S. publicado em “O Imparcial”.

22 Rio, importante comerciante da praça Lisboa - Morre Luís Quaresma Val do

de Lisboa. n Dão-se conflitos e escaramuças em Alcântara, Lisboa, com um morto. n Os ferroviários votam a greve geral.

Port.-D.G. n.º 150 - nomeia uma co-

para organizar o regulamento 27 missão sobre protecção às obras de arte e objectos arqueológicos. O Governo espanhol compromete-se a

em Cuenca e Teruel os emigra28 internar dos monárquicos portugueses, no prazo de 10 dias, o que não acontecerá. n Estreia, no Teatro da Rua dos Condes em Lisboa, a revista “Está Direi107


1912 to?”, original de Baptista Diniz. n O Palácio de Belém, nova residência do Chefe do Estado, pagará 1.200.00 réis de renda anual ao Parlamento, que o cedeu para aquele efeito. n Lei-D.G. n.º 152 - estipula o subsídio a abonar aos membros do Congresso. O Major Manuel Gomes da Costa é

29 promovido a Ten. Cor.

Segundo concurso de barcos enfei-

no Campo Grande, em Lisboa, 30 tados entre os jardineiros municipais. n Lei - D.G. - n.º 158 - concede uma pensão (retirada a Emília Eça de Queiroz) à viúva e filha de Rafael Bordalo Pinheiro. n Em Barcelos, soldados, voluntários e carbonários envolvem-se em violento confronto. n Lei- D.G. n.º 165 - modifica algumas disposições do decreto com força de lei de 26.5.1911, que reestrutura os serviços do Ministério dos Negócios Estrangeiros. n Lei - D.G. n.º 175 - retira a pensão estabelecida, por Lei de 12 de Junho de 1901, à viúva e filhas do escritor José Maria Eça de Queirós.

Junho


Julho Reorganiza-se a catalogação da Biblioteca Nacional de Lisboa, por iniciativa de Júlio Dantas, Inspector-Geral das Bibliotecas e Arquivos.

1

O Presidente da República vai habitar uma parte do Palácio de Belém.

2

Considera-se pacificado o sul do Estado da Índia. n Entrega de uma mensagem de apoio ao Chefe do Governo, pela União de Agricultura, Comércio e Indústria. n Cessa a publicação “O Aveirense” (independente e regionalista - n.d.). n Alfredo Nunes de Matos regista a marca “Invicta Film”.

3

O “Diário de Notícias” cita um artigo publicado num jornal de Viena de Áustria sobre “calotes” praticados pelo Infante D. Miguel de Bragança. n Apresentação de credenciais do Ministro Plenipotenciário da Rússia, Botkine.

4

O matutino “O Século” aventa a hipótese de um triunfo de Francisco Lázaro na maratona dos Jogos Olímpicos de Estocolmo.

5

Londres - Assinatura da Convenção Radiotelegráfica Internacional, também subscrita por Portugal.

6

Tumultos populares de carácter monárquico em Moreira de Rei e Vinhos, próximo de Fafe. Idem em Celorico de Basto, (guerrilhas do Padre Domingos) Mirandela, no distrito de Viana do Castelo e em Chaves. n Parte do Tejo para o Porto o cruzador “Vasco da Gama”. n É contratado pela empresa cervejeira Portugália o técnico belga Albert Lourtieff. n As forças monárquicas comandadas por Paiva Couceiro penetram pela 2.ª vez em Portugal, tentando tomar a praça de Valença, mas sem êxito.

7

Começa a publicar-se em Lisboa o jornal “O Socialista”. n Criação do Museu Regional de Aveiro. n No Coliseu dos Recreios de Lisboa realiza-se a sessão inaugural do Centro Evolucionista. n Ocorre violenta explosão de dinamite num prédio em Viana do Castelo, sendo presos vários suspeitos. n As colunas militares de Paiva Couceiro e de Sousa Dias dispõem-se a atacar Chaves e Vila Verde da Raia. n Lisboa - Nasce Joaquim José Rodrigo, gravador e pintor. n As forças monárquicas de Paiva Couceiro estão à vista de Chaves, que se defenderá com denodo. n Paiva Couceiro intima a povoação de Montalegre a render-se, segundo o matutino “O Século”. n Na Costa do Castelo em Lisboa um “reaccionário monarquista” encontra a morte no rebentamento da dinamite 109


1912 que escondia no seu quarto.

8

9

Nota oficial do Governo, que estima em 300 a 400 o grupo monárquico, capitaneado por Paiva Couceiro, enfrentado pela guarnição de Montalegre. n Dec.- D.G. n.º 157 - cria na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa um curso complementar de Física Geral. n Lei - D.G. n.º 159 - determina a organização de Tribunais Militares, para julgamento de crimes de rebelião. n São chamadas ao serviço extraordinário praças licenciadas e postos de prevenção alguns navios de Guerra. n Parte para o Norte o cruzador “Almirante Reis”, por força da incursão monárquica em Trás-os-Montes. n Trava-se em Chaves o combate entre as forças realistas de Paiva Couceiro e as forças governamentais republicanas. Legislação proibindo as denominadas “publicações nefastas”, nomeadamente as referentes à pornografia. n Publicação da chamada “lei garrote” permitindo o confisco e a proibição de publicações hostís, bem como a limitação do direito de reunião. n O E.E.M.P. em Madrid, por instruções do M.N.E., reclama a “expulsão” do território espanhol de todos os conspiradores monárquicos portugueses, sem distinção de categorias. n O jornal “O Século” em título de caixa alta afirma: “Couceiro derrotado.

O combate de Chaves e o heroísmo das tropas republicanas”. O chefe da incursão monárquica é preso. Cessa a publicação “A Boa Nova”

- católico - n.d.). 10 (Funchal n Lei- D.G. n.º 196 - cria a Marinha Co-

lonial e regula os respectivos serviços. n Lei- D.G. n.º 191 - aprova o contrato provisório, celebrado com a “The British Central Africa Company Limited”, para a construção e exploração de um caminho de ferro na Zambézia. n Port. D.G. n.º 162 - aprova o projecto de um lanço do Caminho de Ferro de Benguela. n Lei - D.G. n.º 171 - modifica algumas disposições da Lei de Separação do Estado das Igrejas. O art.º 3 determinava que os padres pensionistas ficariam impedidos de se deslocar das suas paróquias sem autorização do Ministro da Justiça. n Primeira récita, no Teatro da Trindade em Lisboa, do novo género de espectáculos: a “mímica”. n Sabotagem nas pontes da linha-férrea do Minho. n Extingue-se a Legação de Portugal no Vaticano, só restabelecida em 1918. Proclama-se o estado de sítio nos con-

de Chaves e Montalegre. 11 celhos n Bernardino Machado chega ao Brasil como Ministro Plenipotenciário e toma posse da Legação no Rio de Janeiro. n Para dominar o movimento monárquico partem para o Norte mais 586 oficiais


Julho e praças. n É suspenso no Funchal o jornal “Diário da Manhã”. n Nos Jogos Olímpicos de Estocolmo, Fernando Correia vence as provas do campeonato de espada.

Norte, com escala nos Açores. n Morre de insolação o corredor Francisco Lázaro, quando efectua a maratona olímpica em Estocolmo. n O matutino “O Século” em notícia de 1.ª página diz: “O País está limpo dos invasores”.

A feminista Adelaide Cabette pronuncia-

sobre o direito de voto da mulher. Dec. - D.G. n.º 167 - constitui Tribunais 12 -se n Agressões a um grupo de presos 16 Militares em Braga, Coimbra e Lisboa, realistas, quando chegavam a Lisboa. para julgamento dos crimes de reben Cessa a publicação do jornal “A Província” (Viseu - monárquico - n.d.). n Instruções aos Governadores Civis autorizando-os a outorgarem, aos administradores de Concelho, a faculdade de fazerem despejar dos presbitérios os párocos não pensionistas. n “Os restos do bando de Couceiro passa para Espanha”, título de 1.ª página de “O Século”. Descobre-se em Évora uma conjura

13 monárquica. 14

Publica-se “O Reivindicador” (Horta regionalista - n.d.). n Inauguração da nova sede do Asilo-Escola António Feliciano de Castilho, em Campo de Ourique, Lisboa. n Assume como Governador interino de Macau Aníbal Sanches de Miranda, oficial de Artilharia.

lião. São ainda criados Tribunais Especiais. n “O Dia” de Lisboa suspende temporariamente a sua publicação. Em Lamego ocorre um grande incên-

que destrói totalmente cinco casas. 17 dio Numa delas encontravam-se explosivos. Fundeia em Cascais o cruzador “Vasco

Gama”, regressado do Porto. 19 dan Sob o título “Compremos Aeroplanos” o jornal “O Século” abre uma subscrição nacional para defender “a terra portuguesa”. Lei - D.G. n.º 177 - estabelece várias

para a repressão da men20 providências dicidade e da vadiagem. Manifestação de apreço a Rodrigo So-

15

Lei - D.G. n.º 175 - autoriza o Governo a celebrar um contrato para uma linha de navegação entre Lisboa e a América do

deputado republicano espanhol, 21 riano, que chega a Lisboa.

111


1912 monárquicos passam O M.N.E. transmite ao E.E.M.P. es22 Conspiradores por Madrid, idos da fronteira portu- 25 panhol Villalobar, que as pretensões guesa.

Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Pa-

de Lisboa, conclui o curso de 23 triarca Teologia. n Manifestação de apoio ao Governo por parte da Associação de Lojistas, pela atitude tomada perante as incursões monárquicas. n Em Vale de Zebro, na Escola de Torpedos e Electricidade, ardem totalmente os depósitos de material naval e de armamento e o refeitório dos sargentos. n Aviso - D.G. n.º 174 - acerca da adesão à Convenção para Protecção de Obras Literárias e Artísticas. n Bernardino Machado, E.E.M.P. de Portugal no Brasil, apresenta credenciais ao Marechal Hermes da Fonseca. Início do Leilão de jóias e pratas, que

a D. Maria Pia, perfazendo 24 pertenceram um total de 353 lotes por 351.163$00. n Lei - D.G. n. º 175 - autoriza o Governo a identificar e separar os bens mobiliários, que constituíam propriedade particular do ex-rei D. Manuel II e de sua família, e fazer entrega a quem de direito. n A Jewish Territorial Organization decide enviar a Angola uma missão para analisar as condições de uma eventual colonização judaica no planalto de Benguela.

do Go-verno português se reduziam a que os monárquicos exilados no país vizinho, fossem transferidos para as Canárias.

26 sidente da comissão dos Monumentos Port. D.G. n.º 176 - encarrega o pre-

Nacionais, de estudar as obras de que aqueles mais urgentemente careçam. n Lei - D.G. n.º 175 - autoriza o Governo a proceder à organização das forças navais. n Portaria extinguindo as Companhias da Guarda-Fiscal e da Polícia de Damão e Diu. Criação em Lisboa de uma Agência

de Trabalho. 27 Oficial n O Tribunal Militar de Chaves condena o monárquico, D. João de Almeida, a 6 anos de prisão maior celular. Outros conspiradores são julgados no Porto e em Cabeceiras de Baixo. n Chega a Lisboa Pablo Iglézias, deputado socialista espanhol. O Governo de Madrid esclarece que

acederá ao pedido de expulsão 29 não dos exilados monárquicos, formulada pelo seu homólogo de Lisboa. De Agosto do ano transacto até à data

2.383 prisões políticas. 30 registam-se n O Governo espanhol, em resposta à pretensão portuguesa do passado


Julho dia 25, recusa categoricamente acatar a sugestão então apresentada de enviar os exilados portugueses para as Canárias.

113


1912 Os Arcebispos de Baltimore, New York e Boston dirigem ao Patriarca de Lisboa uma mensagem, em nome dos católicos norte-americanos, saudando o clero português pela sua corajosa atitude.

1

Chega à Madeira, em excursão venatória, para completar alguns estudos científicos, o príncipe do Mónaco. n Norton de Matos determina a construção acelerada de estradas em Angola, o que levaria à abertura de 15.000 kms, até 1915. n O Governo espanhol considera concluído o processo de internato dos exilados portugueses. n Termina no Banco de Portugal o leilão das jóias de D.ª Maria Pia que rendeu 351.163$00 contos, com licitações feitas também por joalheiros estrangeiros. n Chega a Lisboa o barão Friedrich von Rosen novo E.E.M.P. da Alemanha, proveniente de Bucareste.

2

Passa por Lisboa a missão israelita, que vai averiguar localmente das condições do planalto de Benguela, para uma possível colonização. n É presa no Aljube, como conspiradora, a jornalista Alice Lawrence, naturalizada inglesa.

3

Assinatura do contrato para o empréstimo de 2.400 contos, destinados à construção do Caminho-de-Ferro do Vale do Sado.

n O matutino “Século” noticia a atribuição do Prémio Valmor, concedido ao edifício da rua Alexandre Herculano da traça do Arq. Ventura Terra.

4

Parte para Vigo a banda da Guarda Nacional Republicana, a fim de tomar parte em dois concertos. n Publica-se “A Luta” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana - n.d.).

6

Cessa a publicação “O Radical” (Funchal - democrático). n Na Associação de Agricultura realiza-se uma Exposição de Dálias, organizada pela Escola Prática de Horticultura do palácio de Queluz.

7

Cento e cinquenta e cinco portugueses vindos de Cuenca, embarcam em Cadiz para o Brasil, a bordo do “Patrício Satrustegui”. n Constitui-se a União dos Sindicatos Operários de Lisboa.

8

Homenagem a Bartolomeu de Gusmão, com o descerramento de uma lápide na praça de armas do Castelo de S. Jorge, iniciativa do Aero-Clube de Portugal. n Norton de Matos funda a cidade de Huambo, em Angola, depois rebaptizada de Nova Lisboa.

9

O Governo brasileiro notifica os Ministros Plenipotenciários, português e espanhol, de que receberia no Brasil os


Agosto exilados portugueses em Espanha, aos quais facultaria colocação e passagens. A proposta será aceite. n Publica-se em Lisboa o semanário “Vida Desportiva”.

10

“Diário de Notícias”, Anselmo Bra15 No amcamp Freire faz o elogio da obra “História da Igreja” de Fortunato de Almeida.

Nomeação de Sidónio Pais como

Cessa a publicação “A Pátria” (Lisboa - democrático). n Loulé - Nasce Délio Santos, Professor catedrático de Filosofia na F.L.U.L. e grande apologista do teosofismo. n Criação no Rio de Janeiro da Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria.

11 volucionista - n.d.)

em Berlim. 17 E.E.M.P. n Publica-se em Lisboa o semanário “A Nota Ilustrada”. n Setenta conspiradores, condenados pelos Tribunais Marciais, dão entrada na Penitenciária de Lisboa. n Publica-se “O Imparcial” (Braga - esquerda democrática - n.d.).

Publica-se “ A Portuguesa” (Aveiro - en Incidente na Avenida da Liberdade em Lisboa, por alegado desrespeito de alguns indivíduos ao Hino Nacional.

12 do Porto, que tutela as competições,

Funda-se a Associação de Futebol clubes e atletas do Distrito. n Cessa a publicação “Os Açores” (Angra do Heroísmo - republicano independente - n.d.) n Emigrados portugueses, procedentes de Cadiz, embarcam em Almeria no vapor “Plata”, com destino à Argentina.

14

Lisboa - Nasce Armando Ducla Soares, médico. n Entrega credenciais o novo Ministro Plenipotenciário da Alemanha barão Friederich von Rosen.

Abrem ao público mais duas salas, no

Nacional de Arte Antiga de Lis18 Museu boa. n Homenagem, no Coliseu de Lisboa, aos “Heróis de Chaves”, vindos expressamente à capital para esse fim. n Início do funcionamento do Sanatório D. Carlos I, ao Lumiar em Lisboa.

19 Brasil Dr. Eduardo dos Santos Lisboa.

Chega a Lisboa o novo E.E.M.P. do

O Papa nomeia “Inspectore” o Cardeal

de Lisboa, querendo demons20 Patriarca trar que, não obstante a política anti-

clerical do Governo português, cumpre as obrigações da Concordata. n A casa da Moeda dá por concluída a cunhagem de 100 mil rupias destinadas ao Estado da Índia.

115


1912 - Morre Bulhão Pato, poeta. 24 Caparica n Notícias de Timor, informam da morte

de 3 mil rebeldes e de 4 mil prisioneiros feitos na pacificação daquele território.

25 Alves de Mariz, desterrado no Luso.

Morre o Bispo de Bragança D. José

Por causa de um enterro na Aldeia do

um padre assassina o regedor 26 Bispo, e é, por sua vez, linchado pela população. n Chega ao porto de Leixões o primeiro aeroplano, que irá ser montado e exposto no palácio de Cristal da cidade Invicta. Eduardo dos Santos Lisboa, novo Mi-

Plenipotenciário do Brasil, entre28 nistro ga credenciais.

30 milho, enviados pelo Governo, que ten-

Chegam ao Porto os 10 ‘vagons’ de ta minorar a falta deste cereal nos concelhos do País. n Cessa a publicação o “Atlântida” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana - n.d.). Embarcam para o Brasil 146 exilados,

se encontravam em Valência, Es31 que panha. n Põe escritos o “Hotel Central”, existente em Lisboa há mais de 60 anos e situado no Cais do Sodré.

Agosto n O jornal “O Século” publica um manifesto no qual os Padres pensionistas se declaram em n.º de 800. Esta cifra é imediatamente contestada e refutada pelos círculos católicos.


Setembro 1

Na Escola Marquês de Pombal em Lisboa inaugura-se uma Exposição de Artes Aplicadas, sendo visitada depois pelo P.R..

2

No Salão “Trindade” em Lisboa estreia “Jogos Olímpicos de Estocolmo”, onde em 15 de Julho passado morrera Francisco Lázaro na prova da maratona. n Nomeação do Dr. Augusto Vasconcelos Correia para Presidente do Ministério interino.

4

Embarcados em Vigo, a bordo do “Tucuman” e com destino ao Brasil, 62 conspiradores, alguns com as mulheres e filhos, escalam o Tejo. n Constituição da Companhia de Pesquisas Mineiras de Angola, PEMA, embrião da Companhia de Diamantes de Angola. n O Grupo Parlamentar Democrático publica o seu programa. n Sidónio Pais parte de Lisboa para Berlim como E.E.M.P.. n Lisboa sob forte canícula: 32.4º.

5

Publica-se o jornal “Oito de Julho” (Chaves - democrático - n.d.).

6

Port. D.G. n.º 212 - torna extensiva às Província Ultramarinas, a reforma ortográfica em vigor na Metrópole.

117


1912 7

Normalizam-se as relações com a Espanha. n Carta- C. G. n.º 224 - confirma e ratifica a Convenção de Arbitragem de 17 de Julho de 1909, entre Portugal e a República da Nicarágua. n Dec.- D.G. n.º 214 - estabelece várias disposições para repressão dos abusos de liberdade de imprensa nas Colónias. n Dec.- D.G. n. 216 - extingue o Liceu Nacional de Amarante. n D.L. que estende à Guiné o regime de circunscrições administrativas civis.

D.G. n.º 216 - incumbe um en12 Port. genheiro de elaborar os planos do edi-

fício destinado ao novo Manicómio de Lisboa. Estreia da revista “Sempre Fresqui-

no Teatro da Rua dos Condes 13 nho”, em Lisboa.

n Dec.- D.G. n.º 218 - eleva à categoria de vila a povoação de Chinde, na Província de Moçambique. Corrida Porto-Lisboa em bicicleta em

9

Vindo de Vigo, passa por Lisboa o paquete “Zelândia” de passagem para o Brasil, levando 118 conspiradores, entre eles o célebre guerrilheiro, Padre Domingos António Pereira, de Cabeceiras de Basto. n Inaugura-se em Genebra o Congresso Internacional de Antropologia e Arqueologia Pré-Históricas. Representa a Sociedade de Geografia de Lisboa o conde de Penha Garcia.

e 4 minutos, ganha por La15 17ranjahoras Guerra.

n Coimbra - Nasce Carlos Ramos, pintor.

17 E.E.M.P. o Major Sidónio Pais.

Assume a Legação em Berlim como

Grave conflito entre duas freguesias da

18 comarca de S. João da Pesqueira.

19 bitragem entre a Nicarágua e Portugal. Troca de ratificações do Tratado de Ar-

10

Na igreja dos Jerónimos casa uma filha do Dr. Manuel de Arriaga. n Grande crime em Arraiolos: pai, mãe e cinco filhos, entre os 2 e os 16 anos, são mortos a tiro e a golpes de navalha. n D.G. n.º 218 - legisla acerca do aproveitamento industrial das águas em rios limítrofes de Portugal e Espanha. n Publicação pela imprensa do Acordo luso-espanhol sobre os realistas portugueses.

n “Cartas a uma Mãe IV”, artigo de A.O.S. em “O Imparcial”.

Inauguração do troço de C.F. de Ben-

ligando ao Planalto de Huambo. 21 guela, n Dec.- D.G. n. 228 - determina que

todos os Funcionários Públicos possuam um cartão de identidade, fornecido pelo Ministério ou Administração a cujo serviço pertençam.


Setembro n Carta réplica do poeta Fernando Pessoa ao Dr. Adolfo Coelho. n Decreto nomeando como Cônsul Geral em Cobe, Japão, o já titular do posto Venceslau de Morais. n Decreto a nomear a representação especial de Portugal nas celebrações do Centenário das Cortes, Constituição e cerco de Cádiz em Espanha.

n Publica-se em Lisboa o diário da noite “O Éco”. n Um grande incêndio, em Lourenço Marques destrói importantes casas comerciais. Sanches de Castro é o 1.º por27 Alberto tuguês a voar sobre território nacional.

Publica-se “O Rebate” (Castelo Branco

Depois da experiência no Porto, levan-

ra, em Lisboa, realiza-se um concurso de frutas frescas.

Porto”. n Parte para Espanha a missão portuguesa, a fim de participar nas celebrações do Centenário das Cortes de Cadiz. n Início da circulação da nova moeda da República, de 50 centavos. n É colocado no jardim da Estrela em Lisboa a 1.ª estátua adquirida pelo Município, da autoria de Simões de Almeida (Sobrinho).

- n.d.). voo oficial, no hipódromo de Belém, 28 tao biplano 22 -noperário Na Associação Central de Agricultuda creche, “O Comércio do

Primeira récita no Teatro da República,

original “A Morte”, de Bento Mântua. 23 don Ordem aos Oficiais do Exército para, no prazo de 30 dias, procederem à afirmação solene das novas instituições. n Nomeação do Dr. Augusto Vasconcelos Correia para Ministro do Interior interino.

Carlos Rates, figura cimeira do futuro

24

Funeral do malogrado maratonista Francisco Lázaro, que morre nos jogos Olímpicos de Estocolmo.

percorre o Alentejo em missão 29 P.C.P., de propaganda sindicalista e de inquérito à vida associativa.

25 remessa, para o Banco de Portugal, da 30 tuguês ao Congresso Internacional da nova unidade de prata da República: Emigração realizada em Utah nos EUA. A Casa da Moeda faz a primeira

O Dr. Brito Camacho é o delegado por-

50 centavos. n Port. D.G. n.º 228 - nomeia uma comissão para estudar o plano geral das obras, a executar para o estabelecimento de um porto franco em Lisboa.

para Ministro das Finanças in31 Costa terino.

Nomeação do Dr. Francisco Fernandes

119


1912 3

Trezentos soldados europeus, juntamente com tropas locais, derrotam forças rebeldes em Macau.

4

Dec.- D.G. n.º 235 - determina que cesse o estado de sítio e sejam restabelecidas as garantias constitucionais, nos distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real. n Publica-se em Famalicão o semanário “Desafronta”. n Nas festas do 2.º aniversário da República descerram-se placas na Avenida Defensores de Chaves, comemorativas dos acontecimentos ali ocorridos.

5

Em Livorno, é lançado ao mar o novo submergível português, “Espadarte”. n Porto - Morre o senador Santos Pousada. n Norton de Matos inaugura em Luanda o Parque Municipal. n Moçambique - Morre Molungo, tio de Gugunhana.

8

Conflito entre populares e a Guarda Nacional Republicana em Silves, do qual saem dois civis gravamente feridos. n Em Moçambique, a região do Mataka, no Niassa, é ocupada por forças portuguesas de pacificação.

9

Morre o cavaleiro tauromáquico José Maria Casimiro (Monteiro). n Nomeação do Cor. Joaquim de Albuquerque e Castro para Ministro do Fomento interino. Exonerado em 9.1.1913. Morre o conde do Côvo, Gaspar de

Pamplona. 10 Meneses n Publica-se “A Rotandade” (Braga evolucionista - n.d.). No Porto, realiza-se o voo experimen-

monoplano “Boral”. 11 taln doNomeação de José Relvas para E.E.M.P. em Madrid.

Instalação definitiva, na Rua de S.

6

Portugueses residentes em S. Paulo, Brasil enviam ao Presidente da República um cheque de 1.000 libras, para aquisição de um aeroplano. n Lisboa - Morre o General João de Azevedo Coutinho.

7

Chega a Lisboa o “Avro”, primeiro aeroplano adquirido por subscrição do Directório do Partido Republicano.

em Lisboa, da Administração 12 José, Geral dos Correios e Telégrafos.

n Dec.- D.G. n.º 243 - manda cessar o serviço de empréstimo de livros, nas bibliotecas dependentes da Inspecção das Bibliotecas Eruditas e Arquivos. Lançamento, em Lisboa, da 1.ª pedra

da Voz do Operário em Lis13 daboa,sede pelo P.R.. n Cessa a publicação “O Reinvindica-


Outubro dor” (Horta - regionalista - n.d.). n O poeta Mário de Sá Carneiro parte para Paris. n Lisboa - Nasce António Vilar, actor.

14 no Exílo”, dirigido por Homem Cristo

Publica-se em Paris “O Povo de Aveiro (pai e filho), que injuriava os republicanos portugueses, incluindo o E.E.M.P. João Chagas.

Braamcamp Freire é nomeado 17 Anselmo Embaixador Extraordinário à comemo-

rações do Centenário da Constituição de Cadiz. n Em resultado de sérias avarias, cai ao Tejo, no seu 2.º voo, o biplano “República”, salvando-se o piloto e o passageiro. n Reaparece o jornal “O Dia”, em Lisboa. n Julgamento, no Tribunal Marcial de Lisboa, de implicados em contrabando de armas.

Por se não ter apresentado no Minis-

da Guerra, é banido do Exército 15 tério o Capitão do Estado-Maior, João de

Almeida. n O inglês Arthur Vleerchover promove o 1º jogo de hóquei em patins no campo do Benfica. n Carolina Michaelis de Vasconcelos e Maria Amália Vaz de Carvalho são as primeiras mulheres admitidas como membros da A.C.L.. n O directório do Partido Republicano Português entrega o biplano “República”, o primeiro dos que hão-de constituir a esquadrilha aeronáutica do Exército português. n O monoplano, pilotado por um aviador francês, efectua um voo do Porto à Póvoa de Varzim. n O jornal “O Século” alerta: “Para a defesa terrestre do País as bocas de fogo mais modernas datam de 1886. Para a defesa da costa nenhuma peça é capaz de perfurar a blindagem de um couraçado moderno”. n No n.º 36 da revista “Modas & Bordados” dedica-se larga publicidade ao embelezamento do busto feminino.

O visconde de Pernem, da Índia, ofere-

um cheque de 1.000 18 celibras,ao Governo destinado à aquisição de um aeroplano. Lisboa - Nasce Celestino Tocha, escul-

19 tor. n No Paço de S. Vicente procede-se à venda de um ‘coupé’, de um coche e de arreios pertencentes ao ex-Patriarca. O Sport Clube de Portugal inaugura as

novas instalações na estrada do 20 suas Lumiar.

21 G.N.R., em Coruche.

Ataque de populares ao posto da

22 nador-geral, Dr. Couceiro da Costa,

Rebeldes na Índia, atacam o Goverquando de Valpoy se dirigia a Pangim.

121


1912 n As actas “Apostolicae sedis” publicam uma decisão da Congregação dos Negócios Eclesiásticos Extraordinários, de condenação da Lei de Separação do Estado das Igrejas.

23 ção da linha férrea, ligando o Niassa-

Assinaturas do contrato de construland com a linha da Beira, em Moçambique. n Três mil tanoeiros do Porto declaram-se em greve. Prisão de dois passadores de moedas

24 falsas de 50 centavos da República.

O Governo português declara a neu-

no conflito, que opôs a Bul25 tralidade gária, Grécia, Montenegro e Sérvia ao Império Otomano. n Na caixa do correio de um juiz apareceu o punhal de Benevenuto Celini, furtado do palácio das Necessidade, por ocasião da revolução de 5 de Outubro. Em Vila Flor são assaltadas Reparti-

Públicas e queimados documen27 ções tos. ao Imperador Guilherme II 28 credenciais da Alemanha. Sidónio Pais, como E.E.M.P., entrega

Outubro do Partido Republicano 30 Elementos Português invadem a Câmara Munici-

pal do Porto aos gritos de “esta casa é do povo” e “viva a canalha”. n Primeira récita, no Teatro Apolo em Lisboa, da opereta-farsa “Rei chegou”, original de Arnaldo Leite e Carvalho Barbosa. n José Relvas apresenta credenciais ao monarca Afonso XIII de Espanha. n Em Paris e na decorrência de três artigos de Homem Cristo (filho), é este desafiado para um duelo por Almada Negreiros, que se realiza sem consequências. n Publica-se “A Vida Portuguesa, quinzenário de inquérito à vida nacional, tendo como director Jaime Cortesão e secretariado por Álvaro Pinto.


Novembro Na região da Lunda em Angola fazem-se as primeiras descobertas de jazidas diamantíferas.

1

Loulé - Nasce Manuel Viegas Guerreiro, professor e etnólogo. n Publica-se “O Diário” (Angra do Heroísmo - monárquico - n.d.).

2

Publica-se em Lourenço Marques o jornal “O Proletário”. n Inaugura-se o novo campo de futebol no Lumiar do Sport Clube de Portugal em jogo de beneficência com o Boavista Futebol Clube do Porto, para a taça “Visconde de Alvalade”.

3

Inauguração, no Teatro Nacional, da Exposição das Ilustrações da “Velhice do Padre Eterno”, da autoria de Leal da Câmara.

4

Abalos de terra nos Açores.

7

Inauguração na Sociedade de Geografia de Lisboa de uma mostra de produtos coloniais, na presença do Presidente da República. n Em Lisboa nomeia-se uma comissão angariadora de fundos destinadas a erguer um monumento a Camilo Castelo Branco.

123


1912 8

Estreia em Lisboa a peça “O Sonho Dourado”, de Ernesto Rodrigues, João Bastos e Félix Bermudes. n Jaime Batalha Reis assume como Enc. Neg. (com cartas de gabineta) a Embaixada de Portugal na Rússia.

9

Inauguração do ramal da linha-férrea de Penafiel à Lixa. n Dec.- D.G. n.º 265 - aprova o Código do Registo Civil do Estado da Índia. n Decreto aprovando o Regulamento da capitania dos Portos de Estado da Índia.

- Morre o escultor António Al15 Lisboa berto Mueres.

n Lisboa - Morre o actor Augusto Antunes. n Sessão solene no Teatro República em homenagem ao Brasil, com a presença da oficialidade do navio-escola brasileiro “Benjamim Constant”. João de Barros discursa. Funda-se no Porto por Joaquim Gue-

da Silva a livraria Académica, al16 des farrabista. Lisboa - Morre António Alberto Nunes,

10

Publica-se “O Montanhês do Norte” (Bragança - conservador - n.d.). n Declaram-se em greve os trabalhadores rurais de Niza. n Afonso Costa visita Santarém onde profere um importante discurso sobre o estado das finanças do País. Reaparece em Lisboa o jornal “A Pá-

do Partido Republicano Portu11 tria”, guês, sob a direcção de Estêvão de Vasconcelos.

e autor do génio da independ17 escultor ência, estátua para o monumento dos Restauradores.

18 Almeirim, Manuel Braamcamp Freire, Pombalinho - Morre o 3.º barão d’

filantropo. n Adelina Abranches reaparece na peça “O Convertido”, estreado no Teatro da República.

19 ao degredo o Major Paiva Couceiro O Tribunal Militar de Chaves condena

12 rias do Congresso Nacional.

Retomam-se as sessões extraordiná-

14 cio de protesto contra medidas finanEm Margão, Índia, realiza-se um comíceiras introduzidas.

e todos os implicados nas incursões monárquicas, à excepção do conde de Penela. n Os jornalistas Homem Cristo, pai e filho, são expulsos do território francês, por terem escrito artigos injuriosos para com figuras gradas republicanas, incluindo o Ministro de Portugal em Paris, João Chagas. Radicar-se-ão em


Novembro Inglaterra.

n Abel Botelho entrega as suas credenciais de E.E.M.P. não residente no Chile.

Abertura, no Porto, do Congresso do

Socialista Português. 22 Partido n Port. D.G. n.º 27 - nomeia o júri do concurso para a construção do monumento ao marquês de Pombal em Lisboa. n Estreia no Teatro Moderno de Lisboa da revista “Quatro Gatos”.

23

Deflagra um grande incêndio nas oficinas dos Caminhos-de-Ferro em Campanhã, com prejuízos calculados em 50 contos. n Duelo entre António Granjo e Álvaro de Castro, ficando o primeiro levemente ferido.

Nomeação do Dr. Francisco Fernandes

27 Costa para Ministro o Fomento interino.

Publica-se em Lisboa o semanário tea-

“Ó da Guarda”. 30 tral n Abertura, na capital, do novo mercado de peixe em Santos, propriedade da Sociedade Comercial de Pescadorias. Os pescadores e vendedores de pescado são contra, não havendo distribuição de peixe em Lisboa. n Em Torres Vedras inaugura-se a luz eléctrica.

Comício operário em Lisboa contra a

Oficial do Trabalho e as ca24 Agência dernetas profissionais. n Abertura da Universidade Popular de Coimbra. n Greve dos corticeiros em Silves. n Inaugura-se no Porto a Tutoria Central da Infância. Port. D.G. n.º 282 - nomeia uma co-

de estudo, para análise da 25 missão conjuntura comercial entre Portugal e o Brasil.

Zarpa de Lisboa depois de uma visita

cortesia, o navio de guerra brasileiro 26 de“Benjamin Constant”,

125


1912 1

Cessa a publicação “A Luta” (Angra do Heroísmo - esquerda republicana n.d.) n Criação da Câmara Portuguesa de Comércio de S. Paulo.

2

Declara-se nova crise política. n Uma coligação de unionistas e evolucionistas elege Macedo Pinto como Presidente da Câmara dos Deputados e Braamcamp Freire é reeleito Presidente do Senado. n No Consistório Romano, o Patriarca de Lisboa D. António Mendes Belo é eleito Cardeal.

4

O incêndio na Academia Almadense destrói completamente as instalações. n Realiza-se o funeral do militar e escritor Maximiliano d’ Azevedo.

5

“Cartas a uma Mãe VII” artigo de A.O.S. em “O Imparcial”.

6

Alfredo Mesquita toma posse da Legação na Turquia como E.E.M.P..

7

O Comandante do cruzador “Almirante Reis”, que encalhara junto de Esposende em Junho passado, é absolvido em Conselho de Guerra. n Nos escassos 7 dias de governação, na sua 3.ª edição, António Maria da Silva produz 11 diplomas legislativos.

8

Publica-se “O Beirão” (Castelo Branco - monárquico - n.d.). n Publica-se “O Trabalhador Rural” (Évora - anarquista - n.d.). n Conferência sobre a Democracia Cristã no CADC de Coimbra, por ocasião da sessão solene da respectiva inauguração. A.O.S. faz parte da direcção como 1º Secretário. Gonçalves Cerejeira e Pacheco de Amorim integram a direcção. n O jornal “O Século” denuncia: “1.700 contos gastos em dois barcos de guerra inúteis, sem nenhum valor militar!!!”.

9

Requere-se uma força militar para Alijó, a fim de manter a ordem, quando do lançamento das contribuições camarárias e do Estado. n Em Lisboa, proprietários e inquilinos confrontam-se. Na origem está a proposta de agravamento das contribuições predial e rústica. Demite-se a edilidade das Câmara Mu-

10 nicipal de Lisboa.

ratifica a Convenção Rádio 12 Portugal Telegráfica Internacional, assinada em Londres a 5.7.1912.

visita a exposição de pintura de 13 OJoãoP.R.Cabral.


Dezembro D.G. n.º 13 - aprova os estatu- Convenção luso-sueca para a 14 Alvará21 Lisboa tos da Associação Comercial de Maprotecção recíproca das marcas de fácau.

contra a guerra dos Balcans. 15 boa, n Publica-se “A União” (Castelo

brica, patentes de invenção e desenhos.

Comício na praia da Junqueira em Lis-

Branco - unionista - n.d.). n Os carpinteiros retomam o trabalho no porto do Funchal. n Ratificação portuguesa à Convenção Internacional do Ópio, assinada em Haia a 23/1/912.

18 lugar a festa artística de Augusto Rosa,

Chega a Lisboa, proveniente do es-

o Dr. António José de Almei22 trangeiro, da, vaiado e insultado por grupos afectos a Afonso Costa. n O P.R. Manuel de Arriaga visita a exposição do pintor António Carneiro Júnior no Salão da Ilustração Portuguesa. n Lisboa - Morre Maurício Bensaúde, cantor lírico.

No Teatro da República em Lisboa tem com o “Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente. n Grande explosão na fábrica de pólvora de Chelas deixa 1 morto e estragos avultados.

diluvianas inundam Lisboa du19 Chuvas rante três dias.

20

Violação da fronteira inglesa na Índia por

portuguesas. 23 tropas n A ‘taluda’ do Natal é ganha por um

apostador de Lourenço Marques, no valor de 250 contos. n O jornal “O Século” noticia uma grande vitória feminista. A Junta do Crédito Público havia admitido 15 mulheres na sua secretaria.

24 (Guimarães - regenerador - n.d.).

Cessa a publicação o jornal “Imparcial”

No ensejo da época natalícia, Manuel de Arriaga pede ao Governo indulto para o clero e a abolição do capuz dos penitenciários, quando presos políticos. Não encontra receptividade. n O Governador-Geral de Angola, Norton de Matos, proíbe os castigos corporais aos indígenas e estabelece novas regras para os contratos de trabalho. n Gaeiras - Morre Eduardo Garrido, escritor teatral.

Celebram o Natal, no porto de Leixões,

presos políticos, quando de pas25 74sagem com destino ao Brasil.

26 para as escolas preparatórias de Oficiais Port. D.G. n.º 9 - aprova o regulamento Milicianos.

127


1912 – Nasce Manuel do Nasci27 Monchique mento, escritor. O Racing Club de France vence o Car-

28 cavelos Club em futebol por 3-1.

dos restos mortais de Sou29 Trasladação sa Viterbo, para jazigo próprio, no ce-

mitério dos Prazeres, em Lisboa. n O Partido Evolucionista presta homenagem a António José de Almeida, no seu regresso do estrangeiro. n O Dr. Júlio Dantas profere na Imprensa Nacional a conferência “A degenerência nas famílias Reais Portuguesas”, assunto tratado como médico e historiógrafo e não como político. Port. D.G. n.º 1 – constitui o Tribunal

das Forças Coloniais. 30 Disciplinar n Portaria confiando às associações

culturais previstas na Lei da Separação a posse dos templos e a direcção do culto religioso. n O jornal católico “A Palavra”, fundado em 1872, é proibido de circular por “motivo de ordem pública”

31 n José Batalha de Freitas assume a LeA rede ferroviária alcança 2.974 Km.

gação em Tóquio como E.E.M.P.. n Exerciam a profissão de professoras de piano em Lisboa 8 pianistas, num total de 61.no País. n Cessa a publicação o jornal “Vida Nova” (Ponta Delgada - anarquista - n.d.). n Somam 3.980 os pedreiros-livres em

Portugal (eram 2.733 em 1907). n O número de réus condenados é de 12.603, sendo 10.288 homens e 2.315 mulheres. n Atingem 88.920 os emigrantes saídos legalmente do continente e ilhas. n No ano económico iniciado em 1911 as receitas fixam-se em 13.128 e as despesas em 14.1 libras esterlinas. n Total da dívida pública: 1.338.102 libras. n As tributações e os impostos directos arrecadam 17.311 contos. n O valor da libraouro em escudos é de 4$90.


Dezembro

129


19 13


1913 Em Lisboa cria-se o grupo “Os Tempos Novos”, de tendência anarquista.

1

Lisboa - Nasce Vasco de Lucena, pintor.

2

Estreia no Teatro da República o drama de D. João de Castro “A Desonra”.

3

Morre o médico Alfredo Schulz. n Morre o republicano José de Sousa Lascher.

4

Dec.- D.G. n.º 6 - cede à Câmara Municipal de Lisboa a parte do antigo Paço Patriarcal, necessária para ali serem instaladas algumas repartições. n Dec.- D.G. n.º 4 - aprova os estatutos do Instituto Português de Roma. n Dec.- D.G. n.º 8 - modifica os uniformes dos funcionários diplomáticos portugueses. n Crise ministerial. Demissão conjunta do ministério Duarte Leite, sendo António José de Almeida indigitado para formar novo Governo. n Morre o republicano Pedro Salema Garção, colaborador de vários jornais. n Morre o actor Marcelino Augusto Franco. n Dec.- D.G. n.º 5 - nomeia uma comissão para elaborar um projecto de lei, destinado à criação e organização da Ordem dos Advogados Portugueses.

6

Aliança dos Partidos Evolucionista e Unionista, para a constituição do Ministério. n Encerra-se em Lisboa a Exposição de pintura de Carlos Reis.

7

Por falta de apoio do grupo parlamentar independente ao programa de amnistia de António José de Almeida, este desiste de formar Ministério. n Port. D.G. n.º 12 - nomeia uma comissão para estudar a remodelação do serviço do contencioso fiscal e técnico das Províncias Ultramarinas. n Polémica em torno da criação do Ministério da Instrução Pública. n Visitam as obras na Sé de Lisboa os membros da Sociedade dos Arquitectos e Arqueólogos.

8

O conde de Penha Garcia apresenta, no palácio do Senado em Paris, o relatório sobre os Regimes Jurídicos dos Estreitos e Canais Marítimos. n Morre Eduardo Baptista Diniz, autor, actor, ensaiador e empresário.

9

Formação do IV Governo Constitucional de Afonso Costa. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro das Finanças. Exonerado em 9.2.1914. n Nomeação do Dr. António Macieira Júnior para M.N.E. Exonerado em 9.2.1914 n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro das Colónias. Exonerado em 9.2.1914.


Janeiro n Nomeação do Cap. Álvaro de Castro para Ministro da Justiça. Exonerado em 9.2.1914. n Nomeação do Eng. António Maria da Silva para Ministro do Fomento. Exonerado em 9.2.1914. n O Governo de Duarte Leite produz 1.230 diplomas legislativos durante os seus 207 dias de vigência. n Cessa a publicação o “Progresso de Aveiro” (evolucionista - n.d.).

10 cional Republicana faz descargas, fe-

Tumultos em Sesimbra: a Guarda Narindo várias pessoas.

12 Móvel Agrícola Silva Andrade.

do a renúncia rejeitada unanimamente.

14 governadores civis, incitando-os a usar

Circular do Ministério do Interior aos meios preventivos para evitar publicações nefastas.

15 Simas Machado, para presidente da

Nomeação do Tenente-Coronel José Câmara dos Deputados. n Começa a funcionar em Lisboa, no antigo convento de Quelhas, o Instituto Superior de Comércio. n O OGE apresentado no Parlamento por Afonso Costa acusa um défice de 3.435 contos.

Inauguração, em Viseu, da Escola n Publica-se “A Democracia” (Covilhã nacionalista e católico - n.d.). n Comício em Almada promovido pelos corticeiros. n Festa no Coliseu dos Recreios em Lisboa, para celebrar o 38.º aniversário do Partido Socialista Português.

13

16 o paquete inglês “Veronese”, junto à

Com mais de 455 pessoas naufraga praia da Boa Nova, em Leixões com vítimas a lamentar. n Nomeação do Dr. Daniel José Rodrigues como Governador Civil de Lisboa. Estreia, no Teatro Nacional em Lisboa a

O povo de Braga impede que sejam transferidas para Lisboa as peças do tesouro da respectiva Sé. n Inaugura-se a Exposição de Pintura de João Vaz. n Pelo Ministério do Interior são tomadas enérgicas providências para a repressão dos jogos de azar. n Victor Macedo Pinto renuncia à presidência da Câmara dos Deputados. n Anselmo Braamcamp Freire resigna do cargo de Presidente do Senado, sen-

17 peça “Gente Moça”, de Bento Mântua.

em Lisboa a empresa 18 Constitui-se “Vasco da Gama, Lda.”, para pesca

com embarcações a vapor. n Dec.- D.G. n.º 18 - autoriza o estabelecimento do serviço de Vales Telegráficos no interior da Província de Angola. n Abalo de terra em Benavente.

133


1913 das carreiras de autocarros de 19 Início Algés a Carnaxide. São transferidos 22 presos políticos do

da Trafaria para a Penitenciária de 20 forte Lisboa.

n Movimentação nos meios intelectuais contra a pretensão de instalar um sanatório no parque da Pena em Sintra.

Estados Livres”, prédio onde nasceu o 2.º visconde de Santarém, estadista e historiador. n Inocêncio Camacho, Governador do Banco de Portugal, afirma: “A situação financeira do País só se modificará criando receitas e não simplesmente reduzindo despesas”.

25 Porto, passa a chamar-se da Serra do

O Observatório da Princesa Amélia, no

21 ros e marítimos.

Greve geral dos estivadores, fragatein Constituição da Companhia de Namuli e Angoche, para a exploração das minas em Moçambique. n É lançado ao Tejo o ‘destroyer’ “Douro” fabricado no Arsenal de Lisboa. n Port. D.G. n.º 19 - determina que a declaração pontifícia, publicada nas “Acta Apostolicae Sedis”, seja repelida, por ofensiva da Lei de Separação do Estado das Igrejas.

22 treia a curta metragem “O Naufrágio do No Jardim Passos Manuel no Porto esVeronese” da Invicta Film.

Pilar. n Port. D.G. n.º 29 - manda estudar as condições em que deve estabelecer-se uma sucursal da Imprensa Nacional, na cidade do Porto. n Afonso Costa profere uma palestra, na Biblioteca Nacional de Lisboa, intitulada: “Catolicismo, Socialismo e Sindicalismo”, que suscita forte polémica.

27 lucionista - n.d.).

Publica-se “O Progresso” (Aveiro - evo-

29 rio da Justiça, a Comissão da Reforma Lei- D.G. n.º 25 - cria, junto do MinistéPenal e Prisional.

23 da série publicado por A.O.S. em “O

“Cartas a uma Mãe”, o último artigo Imparcial”.

Dec.- D.G. n.º 35 - aprova a organi-

geral dos serviços da Cruz Ver24 zação melha Portuguesa. n Descerramento de uma lápide e sessão comemorativa na “Aldeia dos

30 sobe à cena a revista “Auto... Aqui”.

No Teatro da República em Lisboa n Parte para o Porto o Presidente da República, a fim de assistir aos festejos do 1.º movimento revolucionário republicano de 1891. n “Justiça das Reclamações Universitárias”, artigo de A.O.S. publicado em “O Imparcial”.


Janeiro a publicação “ O Intransigente” 31 Cessa (Portalegre - P.R.P. - n.d.). n Inicia-se no Porto a publicação do jornal “Diário do Norte”, republicano.

135


1913 1

Publica-se em Lisboa o 1.º número da revista “Gente de Teatro”. n Toma posse a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa. n O Chefe de Estado inaugura o Museu Municipal do Porto.

da República inaugura, 10 OemPresidente Lisboa, a Exposição de Aguarelas,

3

As greves marítimas ficam solucionadas, à excepção dos fragateiros.

do CADC o artigo “Gerações Perdidas”. n Sai em Lisboa o primeiro número do semanário anarquista “Terra Livre”.

4

Primeira corrida de touros em Pau, França, com toureiros portugueses.

6

É abolido o “capuz” a 600 presos da Penitenciária de Lisboa.

8

Dec.- D.G. n.º 33 - nomeia uma comissão, para elaborar um plano de reforma da organização judiciária.

9

Cessa a publicação “A Democracia” (Covilhã - nacionalista e católico - n.d.). n Cessa a publicação do jornal “Oito de Julho” (Chaves - democrático - n.d.). n Inicia a publicação em Lisboa o semanário “Universal”. n Inauguração da nova sede dos Bombeiros Voluntários de Lisboa, com a assistência do Presidente da República. n O jornal “O Sindicalista” escrevia: “São violentas a greves? É preciso que o sejam. Elas formam o carácter do operário, estimulam os sentimentos pessoais... a sua coragem na luta e os seu valor na solidariedade”.

de Alberto de Sousa.

Inauguração da luz eléctrica em Ben-

Angola. 13 guela, n A.O.S. publica no jornal “O Imparcial”

Port. D.G. n.º 39 - nomeia uma comis-

para estudar o melhor traçado da 14 são linha férrea, entre Quelimane e o Chire,

na Província de Moçambique. n Forma-se em Lisboa a empresa industrial de pesca a vapor “A Libertadora, Lda”. n A acriz Ester Leão estreia-se na peça “Assalto”, levada à cena no Teatro República em Lisboa. Dec. - D.G. n.º 42 - aprova o regumarítima na

para a pesca 15 lamento Província de Angola.

n Port. D.G. n.º 39 - aprova o projecto de quatro viadutos do Caminho-de-Ferro do Vale do Vouga. n Lei - D.G. n.º 38 - modifica os serviços de lançamento e cobrança da contribuição predial. n Francisco Homem Cristo Filho retorna a Paris, de onde havia sido expulso no ano transacto por pressões do E.E.M.P. João Chagas.


Fevereiro ao Porto jornalistas ingleses, 16 Chegam que visitam demoradamente o País.

n Promovida pela Associação do Registo Civil realiza-se uma manifestação aos regicidas Alfredo Buiça e Manuel Costa, incorporada por milhares de pessoas que revestem de flores as campas dos criminosos. n Abre à consulta pública a Biblioteca do Palácio da Ajuda. Com a presença do P.R. inaugura-se a

de paisagens do pintor Ar19 Exposição mando de Lucena.

22 instrução primária no arquipélago de

Dec.- D.G. n.º 47 - cria três escolas de Cabo Verde. n Dec.- D.G. n.º 44 - aprova o regulamento disciplinar dos funcionários civis. Publica-se “A Democracia” (Coimbra -

23 P.R.P. - n.d.).

25 Concelho, acorda-se a promoção anuNuma reunião efectuada nos Paços do

al, em 13 de Junho, da festa de Lisboa. n Passam pelo Tejo no vapor “Frísia” com destino ao Brasil, 78 exilados políticos portugueses. Estreia no Teatro da Rua dos Condes,

revista “Ai Pá”, de Eduardo Martins e 28 aSchwalbach.

137


1913 Almada Negreiros realiza em Lisboa uma exposição individual de caricatura.

1

Inaugura-se a Exposição de Pintura de José Campos, no Salão da Ilustração Portuguesa em Lisboa. n Sai em Lisboa o 1.º exemplar da revista “Teatro”. n No Salão Olímpia abre uma mostra dos projectos para o novo Eden-Teatro a edificar na Praça dos Restauradores.

2

A Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa entrega uma representação, para proceder à construção de uma Maternidade na capital, com o nome do Dr. Alfredo da Costa.

3

O Ministro do Interior aperta a vigilância sobre a assiduidade dos funcionários, controlando os livros de ponto de todas as Direcções-gerais do Ministério.

6

Inauguração no Estoril do Instituto para invisuais “Branco Rodrigues”, com a assistência do Presidente da República. n Por ter pronunciado uma conferência na Sociedade de Geografia de Lisboa, defendendo-se dos ataques de que era vítima, é exonerado o governador-geral de Moçambique, Dr. Alfredo de Magalhães.

7

Port.- D.G. n.º 56 - nomeia uma comissão para ir ao estrangeiro estudar a organização das maternidades.

8

Início da “Semana Sportiva do Mundo” no campo do “Sporting Clube de Portugal”, ao Lumiar em Lisboa.

10

O P.R. visita a exposição do pintor José Campas. Lei considerando instituição de utilida-

4

São retiradas das capelas dos cemitérios de Lisboa todas as imagens e objectos religiosos. n Termina a greve dos fragateiros do porto de Lisboa.

5

Henrique Trindade Coelho publica o livro de prosa “Ferro em Brasa”, crónicas. n O jornal “O Século” em 1.ª página aponta: “As instalações do Museu de Arte Antiga envergonha-nos perante os estrangeiros”.

12 deboa.pública o Jardim Zoológico de Lisn Em comício público, os proprietários e lavradores do concelho de Vila do Conde protestam, energicamente, contra a lei da contribuição predial. n O Governador-Geral, Norton de Matos, isenta o milho produzido em Angola de imposto de exportação. Leite de Vasconcelos requer um inqué-

aos seus actos, como Director do 13 rito Museu Etnológico Português, em virtude das acusações que lhe foram fei-


Março tas pelo deputado Eduardo de Almeida.

14

15

Publica-se em Nova Goa o “Jornal da Índia”. n É apresentado na Câmara dos Deputados um projecto de lei, para que a igreja de Santa Engrácia, em Lisboa, se destine a Panteão Nacional. n Port. D.G. n.º 62 - nomeia o director das Escolas Normais de Lisboa, para representar Portugal no 4.º Congresso Internacional de Educação Popular em Madrid. n Realiza-se no Teatro República a festa do actor Eduardo Brazão. Inauguração em Lisboa das Exposições de óleos e aguarelas de Mily Passos e de Alice Rey Colaço, no Salão da Ilustração Portuguesa. n Port. - D.G. n.º 64 - nomeia um professor da Universidade de Lisboa, para proceder a uma sindicância ao Museu Etnológico Português. n Dec.- D.G. n.º 66 - aprova o regulamento do serviço de exportação, para a Alemanha, de vinhos, mostos, uvas e azeite. n São recebidos no Porto, sob insultos e apupos, o Dr. António José de Almeida e os seus correlegionários. n Chega a Lisboa o deputado republicano espanhol Rodrigo Soriano. n Os Bispos portuguese em carta ao P.R. Manuel de Arriaga reafirmam ao sua condenação ao tipo de tratamento infligido à Igreja católica.

no concelho de Famali16 Inauguração, cão, de uma Escola Agrícola Móvel,

doada por um benemérito. n Em Abrantes e Braga os sindicatos agrícolas protestam contra a nova lei da contribuição predial.

17 interino de Moçambique o juiz da Re-

Toma posse como Governador-Geral lação de Lisboa Dr. Augusto Ferreira dos Santos. Entrega de credenciais do novo Minis-

Plenipotenciário do Sião, príncipe 18 tro de Charoon, de nome Rickmann. n O escritor André Brun publica o livro “Sem Pés Nem Cabeça”. Inauguração da Exposição de Carica-

de José de Almada Negreiros. 19 turas n A duquesa de Bedford, membro da

Associação Filantrópica Howard e da Associação Internacional de Penitenciárias, visita os presos políticos do Limoeiro, do Aljube e da Penitenciária, em Lisboa. Negociações luso-alemães para a par-

amigável das Ilhas de Rovuma em 20 tilha Moçambique.

n A actriz Lucinda Simões reaparece na cena teatral com a peça “A Conspiradora” no Teatro do Ginásio.

139


1913

Março

D.G. n.º 72 - aprova o novo reLisboa sem peixe. As vendedeiras am22 Dec.gulamento da Caixa de Aposentações 27 bulantes reclamam, do Governo e do e Socorros do Pessoal dos Caminhos de Ferro do Estado. n No Teatro Nacional em Lisboa, sobe à cena a peça de Ramada Curto, “Segundas Núpcias”. n Dec.- D.G. n. 75 - autoriza a constituição de uma Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria na cidade do Recife, Brasil e aprova os respectivos estatutos.

23

A Sociedade de Instrução Militar Preparatória n.º 1 inaugura a sua nova sede. n O matutino “O Século” anuncia para breve a construção no Porto do Liceu Alexandre Herculano. O actor Costinha estreia-se em palco

revista “Quadros Vivos”, em cena 25 nano Rocio-Palace de Lisboa. n Estreia da peça “A Conspiradora”, de Vasco Mendonça Alves, no Teatro do Ginásio em Lisboa. n Morre a actriz Georgina Vieira. n O M.N.E. informa sobre a lei de proibição à entrada de imigrantes na América do Norte, a menores de 14 anos e de todos os que não mostrem falar e escrever a língua inglesa. n A equipa inglesa dos “New Cruzaders” vence o Sport Clube de Portugal por 12-0 em futebol. Norton de Matos, Governador-Geral de

proíbe a venda de bebidas al26 Angola, coólicas aos trabalhadores indígenas.

Parlamento, a reabertura do mercado de Santos.

28 do diferendo entre peixeiros e a co-

Lisboa continua sem peixe por causa mercialização do peixe.

Dec.- D.G. n.º 75 - manda abrir o con-

para a construção da linha férrea 29 curso de Portalegre.

Regressa a Lisboa o Dr. António José

após a sua deslocação ao 30 denorteAlmeida, do País.

n Publica-se “A Cidade” (Portalegre Humanista - n.d.). n Cessa a publicação “O Carbonário” (Évora - Partido Democrático - n.d.). Inaugura-se um teatro nas minas de S.

31 Domingos. n O rei deposto D. Manuel de Bra-

gança desloca-se ao castelo de Signaringen, a visitar a sua noiva Augusta Vitoria de Hohenzollern.


Abril 1

D.ª Constança Teles da Gama é absolvida da acusação de ter conspirado contra o regime republicano. n Ratificação portuguesa da Convenção internacional para a protecção da propriedade industrial, revista em Washington a 2/6/911.

2

Lei - D.. G. n.º 81 - cria, em Cabo Verde, uma aldeia gafaria para isolamento de leprosos. n Termina a questão do peixe que opunha peixeiros ao circuito de comercialização. A C.M.L. toma posse do mercado de Santos e torna a haver peixe em Lisboa. n Em Lisboa dá-se início ao Congresso Maçónico no qual participam 106 congressistas e 116 aderentes, representando 72 lojas e 16 triângulos.

3

Por causa do horário de trabalho, registam-se confrontos em Alcântara, Lisboa. n Lei - D.G. n.º 81 - cria vinte escolas primárias no Estado da Índia. n Port. D.G. n.º 78 - nomeia um cirurgião do Hospital de S. José, para deslocar-se a França, Suíça e Itália, a fim de estudar os progressos da especialidade. n Dec.- D.G. n.º 78 - manda abrir concurso para a construção e exploração da linha férrea de Tomar à Nazaré. n Estreia, no Teatro Nacional, do acto de André Brum, “Código Penal, Artigo I…”.

141


1913 4

5

6

Hindús indignados, protestam veementemente contra o projecto relativo ao curso de sânscrito no Liceu da Índia. n No Teatro da Trindade estreia a opereta “O Sacrifício de Abraão”, de D. João de Castro. Artigos da duquesa de Bedford, no “Morning Post” de Londres, sobre a crítica situação dos presos políticos portugueses. n Audição do poema sinfónico de João Arroio no Salão da Trindade em Lisboa. n Congresso de Aveiro do Partido Republicano Português. n Em Évora realiza-se o II Congresso Nacional dos Trabalhadores Rurais. Publica-se “A Justiça” (Covilhã - republicano - n.d.). n Manifestação na praça de touros do Campo Pequeno em Lisboa, contra os cavaleiros Casimiros, que então se exibiam, acusados de conspiradores monárquicos. n Inaugura-se, em Lisboa, o 1.º Congresso da Indústria do Calçado.

7

O Congresso do Partido Republicano Português reelege Afonso Costa. n Caldas da Rainha - Nasce João de Fragoso, escultor.

8

O Dr. Teófilo Braga explica, na Câmara dos Deputados, o incidente suscitado pelas entrevistas publicadas na imprensa acerca dos diplomatas portugueses.

cidade de Macau passa a ter o 11 Aserviço de policiamento por soldados europeus.

Port. D.G. n.º 86 - aprova o programa

de encargos do concurso, 12 eparacaderno a construção e exploração da linha férrea de Tomar à Nazaré. Publica-se “Sul Democrático” (Évora -

Democrático - n.d.). 13 Partido n Dá-se início no Teatro Nacional do ciclo de conferências de Arte. É entregue ao Governo o 1.º submergí-

português, “Espadarte”, construído 15 vel em Spezia - Itália. n O jornal “O Século” destaca o balanço económio-financeiro de 1912, sublinhando o aumento dos réditos das linhas férreas, bem assim como os rendimentos do Estado.

16

D. Manuel de Bragança, o derradeiro rei de Portugal, telegrafa para sua mãe, D.ª Amélia, a comunicar ter sido decidido o seu casamento com a princesa Augusta Vitória Hohenzollern. n São mandadas encerrar as Oficinas de S. José por manter aberta ao culto a capela.

17 Direito e as Novas Teorias Jurídicas” “Questões Universitárias: os Lentes de artigo de A.O.S. publicado pelo “O Imparcial”.


Abril n O Governador de Angola Norton de Matos promulga o Regulamento das Comunicações Administrativas”, substituindo o controle militar pelos concelhos. O Príncipe Guilherme de Hohenzollern

a D.ª Amélia de Bragança par18 escreve ticipando ter-se acabado de festejar o noivado dos filhos. n Estreia a peça “As Inimigas”, de Carlos Malheiro Dias, no Teatro Almeida Garrett em Lisboa, que será censurada e suspensa. Publica-se o “Diário de Coimbra”,

19 (democrático). n O jornal “O Século” noticia a a-

quisição a França de uma obra do pintor Francisco Smith por um Museu Nacional. n Movimento reivindicativo de tanoeiros.

a Lisboa o novo 22 Chega francês Émile Daeschner.

E.E.M.P.

n À largura de toda a 1.ª página o jornal “O Século” estampa de forma bilingue o título “À Nação Inglesa - A verdade sobre a situação em Portugal e a maneira como os presos políticos são tratados pela República”. n O Ministro de Portugal em Roma, Eusébio Leão, rebate as opiniões da duquesa de Bedford, sobre o tratamento dos presos políticos em Portugal. Abertura do 1.º Congresso da Fede-

das Juventudes Católicas reali24 ração zado em Coimbra. n O novo Ministro Plenipotenciário francês Deaschmer entrega credenciais.

25 dadão nacional.

Criação do Bilhete de Identidade de ci-

Fabricantes de farinha reclamam ao

20

O Grande Oriente Lusitano concede a Afonso Costa o grau 30, de cavaleiro Kodosh, numa promoção extraordinária dentro da Ordem. n O regulamento da pesca e apanha do moliço na ria de Aveiro suscita tumultos de gravidade.

21

No Parlamento é rejeitado o projecto de regulamentação do jogo.

da falta de trigo que se ma26 Governo nifesta. n O P.R. Manuel de Arriaga e sua mulher Lucrécia oferecem um banquete aos Chefes das missões diplomáticas no Palácio de Belém. Movimento revolucionário, no quartel

5 em Lisboa, chefiado 27 depeloInfantaria Capitão Lima Dias, mas cuja inspiração é atribuída a Machado Santos, procurando aliciar vários contingentes dos corpos militares e defender a República radical. Sem sucesso o seu 143


1913 mentor é detido. Inaugura o ciclo revolucionário de republicanos contra republicanos.

28 Dia”, “A Nação”, “O Intransigente”, “O

São suspensos os jornais lisboetas “O Socialista” e “O Sindicalista”. n No cemitério inglês de Lisboa inaugura-se o monumento fúnebre aos ‘boers’ falecidos em Portugal.

29 ros inconsequentes, do que parecia o O cruzador S. Rafael dispara três ti-

início de mais um movimento revolucionário. n Segundo “O Século” prosseguem as prisões dos implicados no último movimento revolucionário. O cruzador “Almirante Reis” irá zarpar para Luanda com os revoltosos.

30 mada e de civis. Prevenção a bordo

Prisões de praças do Exército, da Ardos navios de guerra e no quartel de marinheiros. n O Brasil denuncia a Convenção com Portugal para a repressão de crimes de falsificação de moeda e papéis de crédito. n Suspende-se temporariamente o jornal “O Povo de Aveiro no Exílio” publicado em Paris sob a direcção dos Homem Cristo (pai e filho). n Decreto nomeando Assistente da F.D.U.C. o Dr. António Carneiro Pacheco, figura grada do futuro Estado Novo.

Abril


Maio Criação da chamada “formiga banca”, considerada como uma “guarda pretoriana” do P.R.. n “A Mulher e a Caridade”, é o título da conferência então proferida em Santa Comba Dão” por A.O.S..

1

Publica-se na cidade da Praia o jornal “O Futuro do Cabo Verde”. n Morre António Borges de Medeiros da Câmara e Sousa, marquês da Praia e Monforte. n Publica-se “O Liberal” (Funchal - Partido Democrático - n.d.). n Publicação de “O Intrépido” (Covilhã socialista - n.d.). n O Órfeão Académico Eborense dá um concerto no Teatro da República em Lisboa. n Chega a Lisboa o novo E.E.M.P. de Espanha marquês de Villasinda.

2

Dec.- D.G. n.º 113 - aprova o Regulamento Disciplinar do Exército. n Em sessão parlamentar Afonso Costa declara que se encontravam constituídas 140 corporações cultuais (associações laicas encarregadas do culto), o que ficava muito aquém do desejado.

3

Cessa a publicação o “Diário de Coimbra” (Democrático - n.d.).

4

Registam-se abalos de terra em Lisboa e em vários pontos do Algarve. n No Alto do Pina em Lisboa desaba

um prédio matando 3 pessoas e provocando 3 feridos. A causa é atribuída a um sismo sentido na ocasião e à péssima construção do edifício. n O médico Fernando Bissaya Barreto abandona a loja maçónica do Grande Oriente Lusitano, saída feita sem rupturas.

5

Lei - D.G. n.º 132 - aprova o Código da Contribuição Predial anexo à mesma lei. n O Capitão Lima Dias e outros implicados no movimento de 27 de Abril, são exilados para Angra do Heroísmo. n Larga do Tejo o navio “Cabo Verde” levando para os Açores dezenas de presos implicados nos momentos revolucionários mais recentes. Ali serão julgados, seguindo depois para o desterro em Angola, quando condenados.

6

Reaparecem os jornais “O Dia”, “As Novidades”, e “O Intransigente”. Entretanto, “O Socia-lista” é apreendido.

7

Lei D.G. n.º 110 - aprova a Convenção sobre Protecção Recíproca de Marcas de Fábrica e Patentes de Invenção, celebrada entre Portugal e Suíça. n Reaparecem em Lisboa os jornais “A Nação” e “O Socialista”, este apreendido na véspera. n Valada do Ribatejo - Nasce Fernando Salgueiro, cavaleiro tauromáquico. n Lei - D.G. n.º 110 - aprova as Convenções sobre Direito Comercial Marítimo, celebradas entre Portugal e 145


1913 outras nações. n Legislação autorizando o Governo a aderir à Convenção franco-alemã, relativa a Marrocos.

8

9

Villa Viçosa - Nasce Túlio Espanca, publicista. n Na reunião do Instituto Colonial Internacional em Londres, intervém o conde de Penha Garcia sobre a questão das missões religiosas e Fernando Emídio da Silva na questão da política indígena. n “O Dia” é novamente suspenso pelo Governo Civil. n Começa a publicar-se em Lisboa o “Diário da Tarde”, independente, dirigido por Pedro Fazenda. A Polícia apreende a tiragem do jornal “A Revolta”, órgão da Federação Anarquista do Sul e recebe ordens para reter o “O Sindicalista”, “Terra Livre” e “A Cambada”.

tripulação, mas o navio corre risco de perder-se. n A imprensa noticia o lançamento do livro de poesias “Criação”, da autoria de António Correia de Oliveira. n Resende - Nasce Edgar Cardoso, Eng. civil e grande especialista na construção de pontes.

12 tado entre Lisboa e Setúbal.

Inaugura-se a linha telefónica do Esn No Tribunal da comarca da Aldeia Galega (Montijo) termina o julgamento dos implicados nos acontecimentos de Janeiro de 1912, na Moita. n Adesão portuguesa à Convenção franco-alemã, relativa a Marrocos, assinada em Berlim a 4/11/911.

do Conde - Morre D. Manuel Bap13 Vila tista da Cunha, Arcebispo de Braga. n Nascimento de Pedro Navarro, actor.

14 17 sargentos, soldados, civis e maDesembarcam do navio “Cabo Verde”

10 brasileira denuncia o Tratado de ExD.G. n.º 109 - O Governo da República

tradição com Portugal e a Convenção para a Repressão do Crime de Falsificação de Moedas e Papéis. n Lisboa - Nasce João Villaret actor, declamador e encenador.

apanha do moliço na ria de Aveiro 11 Aprovoca novo conflito.

n Encalha o cruzador “Adamastor” nas águas de Hong-Kong. Salva-se a

rinheiros, destinados à prisão no castelo de Angra nos Açores. n Toma posse do Governo de S. Tomé e Príncipe Pedro Machado, Oficial do Exército.

Lisboa inaugura-se a nova sede 15 Em da Sociedade Nacional de Belas Ar-

tes (S.N.B.A.), situada na Rua Barata Salguei-ro. A abertura é celebrada com uma exposição de Arte.


Maio D.G. n.º 116 - encarrega um pro16 Port. fessor do Liceu de Passos Manuel de

coadjuvar os serviços de tradução das línguas inglesa e alemã, no Ministério dos Negócios Estrangeiros.

equipa de futebol portuguesa perde 17 Ao encontro realizado em Madrid, com a sua congénere espanhola. n Dec.- D.G. n.º 135 - estabelece os uniformes dos funcionários consulares. n Entrega credenciais o E.E.M.P. de Espanha, marquês de Villasinda. n Questões Universitárias: Os Lentes de Direito e as Novas Teorias Jurídicas”. Outra vez?”, artigo de A.O.S..

n Lei - D.G. n.º 122 - autoriza a emissão duma estampilha especial, comemorativa das festas da cidade de Lisboa. n Regista-se um grave conflito entre os estudantes e a Polícia no Teatro Académico de Coimbra. n A momentosa questão dos arrendamentos urbanos chega ao auge com os senhorios a serem acusados de gananciosos e os inquilinos de mártires. Realiza-se em Coimbra o 3.º Congres-

dos Caixeiros. 25 son Comício em Lisboa contra o aumen-

19 autoria de Pedro da Costa, no Teatro

to das rendas de casa. n Greve dos soldadores de Olhão com assalto a fábricas. n No Senado ocorre um incidente entre dois dos seus membros, em que um deles saca da pistola.

Vila do Rei - Nasce Francisco de Matos Gomes, publicista.

pianista. 26 Costa, n Publica-se em Lisboa o semanário

Estreia da peça “Paraíso Conjugal” da Ginásio de Lisboa.

Porto - Nasce Helena Moreira de Sá e

20

“A Mocidade”. Funda-se em Lisboa a companhia de

“Íris”. 21 Seguros n Dec.- D.G. n.º 119 - autoriza a im-

portação de 32.000.000 quilogramas de trigo exótico.

Lei - D.G. n.º 128 - cria um Liceu mu-

em cada das vilas de Margão e 29 nicipal Mapuça, no Estado da Índia.

Lisboa. 30 den Aviso - D.G. n.º 126 - acerca da pror-

Cessa a publicação “O Diário da Tarde”

24

Dec.- D.G. n.º 147 - aprova o Acordo Postal entre a Província de Macau e a Colónia britânica de Hong-Kong. n Dec.- D.G. n.º 124 - manda adoptar um novo modelo de Serviço de Encomendas Postais das Colónias.

rogação, por mais um ano, da Convenção de Extradição luso-uruguaia.

147


1913 2

Conflitos estudantis em Coimbra.

8

Registam-se abalos de terra em Lisboa e arredores.

Início da demolição do arco de Santo André, na cerca Fernandina do Porto. n No Tribunal Marcial de Lisboa tem início o julgamento de Júlia de Brito e Cunha e do Ten. Adalberto Sollari Allegro, entre outros, acusados de manejos e cumplicidade monárquica.

9

É demolido em Paris o monumento a Luís de Camões.

4

Lei- D.G. n.º 130 - organiza a Secretaria-Geral da Presidência da República.

5

Lei - D. G.n.º 133 - aprova as bases para a organização do Instituto Superior de Comércio. n Nas Salas do Grémio Literário em Lisboa inaugura-se a Exposição dos Humoristas. n Publica-se o Código da Contribuição Predial.

6

No Coliseu da Rua da Palma em Lisboa tem início o 6.º campeonato internacional de box (“combate de corpo a corpo”).

7

O pintor Veloso Salgado entrega, nos Paços do Concelho de Lisboa, o seu quadro comemorativo da eleição da Câmara Municipal republicana em 1908. n Dec.- D.G. n.º 134 - determina que o ano lectivo, nas escolas de instrução primária, termine em 31 de Julho.

10 bre o cortejo camoniano ao fundo da

São lançadas bombas em Lisboa soRua Nova do Carmo, em que participavam muitas crianças. n Entra em circulação a moeda de 20 centavos. n Morre o comerciante Victorino Vaz Júnior, um dos fundadores do Banco de Lisboa & Açores. n Inauguração em Paris, na Galeria Georges Petit, da exposição de pintura de Columbano Bordalo Pinheiro. n Inauguração da Livraria Sá da Costa em Lisboa. n Ofício de Venceslau de Morais, Cônsul-Geral em Kobe e Osaka, solicitando a sua demissão de funcionário consular e oficial da Armada Portuguesa. Assalto ao Teatro do Ginásio em Lis-

quando ali se realizava uma récita 11 boa, de caridade.

n A Municipalidade de Paris sanciona o nome da Avenue Camões como via pública, reservando um local para ser erguido um monumento ao vate. n Lisboa - Nasce Frederico Valério, compositor e director de orquestra.


Junho a publicação “O 12 Cessa (Lisboa - republicano).

Novidades”

n Inauguração do Congresso dos Músicos, na Sociedade de Geografia de Lisboa. n Proposta de criação de um porto franco em Lisboa. A medida não se concretizará.

da revista “De Capote e Lenço”, 20 Estreia no Teatro da República em Lisboa.

n O “Diário de Notícias” inicia uma subscrição para o novo monumento a Camões, a construir em Paris. n Inauguração da Academia de Comércio e Exportação, na sede da Associação Comercial de Lisboa.

Lei - D.G. n.º 138 - concede amnistia

Entra em circulação a nova nota de 20

província de Satarv, no Estado da Índia.

António Calixto. n Realiza-se o 6.º Congresso do Partido Socialista Português no Porto. n O Reitor da U.C. Mendes dos Remédios pede a exoneração por discordar de medidas governamentais e é substituído interinamente pelo Vice-Reitor Anselmo Ferraz de Carvalho.

os crimes por abuso de liberdade 21 mil réis ou vinte escudos. 13 para de imprensa, aquando da revolta da n Morre o jornalista e Senador Carlos

Em Algés inaugura-se o “Esplanada

para projecção de filmes. 15 Ribamar” n Cessa a publicação o jornal “Aurora do Cávado” (Barcelos - monárquico n.d.). n Dissolução da Casa Sindical de Lisboa por mandato do Governo.

O Príncipe Guilherme de Hohenzollern

Uma locomotiva desgovernada fura

parede da Estação do Rossio em 16 uma Lisboa e vem parar ao feridos ligeiros.

a Londres sua filha Augus22 acompanha ta Vitória, que visita o noivo D. Manuel de Bragança. Lei - D.G. n.º 147 - faculta, às com-

17

Porto - Nasce Pedro Augusto Ferreira, futuro abade de Miragaia, publicista, continuador de Pinho Leal na sua obra “Dicionário Portugal Antigo e Moderno”.

19

A Câmara Municipal de Lisboa resolve contribuir, com 2 mil escudos, para o monumento a Camões a erguer em Paris. n Morre José Maria dos Santos, um dos maiores vinhateiros de Portugal.

concessionárias de caminhos 23 panhias de ferro nas Colónias, emitirem obrigações para a sua construção.

24 ção Radiotelegráfica entre Portugal e Lei - D.G. n.º 146 - aprova a Convenas outras nações.

149


1913 a Lisboa o novo E.E.M.P. do 25 Chega Bra-sil, Óscar de Teffé. variante na linha férrea de Por26 detimãoumaa Lagos.

Junho daica no planalto de Benguela em Angola é aprovada, carecendo apenas da votação conjunta da duas Câmaras. A guerra interromperá o propósito.

Port. D.G. n.º 149 - aprova o projecto

n Parte para o Brasil uma equipa de futebol, a convite do clube Botafogo. Lei - D.G. n.º 149 - determina que, de

não seja feita nenhuma emissão 27 futuro, de títulos da dívida pública, sem ser

precedida do decreto fundamentado, assinado por todos os Ministros e publicado. n Lei - D.G. n.º 149 - autoriza a Junta Geral do distrito de Ponta Delgada a construir e explorar uma linha férrea, entre a cidade Ponta Delgada, o Vale das Furnas e Vila da Ribeira Brava. - republicano - n.d.). 28 bra n Com 36.º à sombra Lisboa está sem Cessa a publicação “A Tribuna” (Coim-

água. n O matutino “O Século” noticia a atribuição do Prémio Valmor ao prédio de José Cabral de Sousa na Rua Alexandre Herculano em Lisboa. Lei - D.G. - n,.º 150 - determina que

milho em grão, de produção das 29 oProvíncias portuguesas do Ultramar, importado pela Madeira, pague metade do direito estabelecido para o milho estrangeiro. n O projecto de uma colonização ju-

Dec. - D.G. n.º 189 - constitui o Con-

Superior de Instrução Pública. 30 selho n Afonso Costa apresenta as contas públicas de 1912/1913, com um pequeno saldo positivo. n Lei - D.G. n.º 151 - fixa a receita e a despesa do Estado, para o ano de 1913/1914. n Criação da Faculdade de Ciências Económicas e Políticas em Lisboa. Em 1918 tomará o nome de Faculdade de Direito, sendo seu director Afonso Costa.


Julho 1

Carta - D.G. n.º 151 - confirma e ratifica a Convenção da União de Paris, de 20 Março de 1883, para a Protecção da Propriedade Industrial, revista em Washington a 2 de Junho de 1911. n Encerramento do Parlamento. n Dec.- D.G. n.º 151 - determina que as autoridades, a quem incumbe apor vistos nos cartazes, anunciando peças originais portuguesas, só o façam perante autorização dos autores ou seus representantes. n Lei - D.G. n.º 151 - organiza a Guarda Nacional Republicana. n Port. D.G. n.º 151 - nomeia o júri dos exames da Faculdade de Direito de Coimbra, que se realizam em Lisboa. n É inaugurado em Lagos o farol da Piedade. n Uma criança de 7 anos morre na explosão de uma bomba abandonada na Rua Braamcamp em Lisboa.

3

Lei - D.G. n.º 153 - aprova o novo Código Eleitoral, crismado de Afonso Costa. n Norton de Matos proíbe em Angola a importação de armas, pólvora e munições. n Último dia do elevador da Estrela: “os horríveis maximbombos irão desaparecer”. n Lei n.º 3 atribui o direito de voto apenas aos cidadãos do sexo masculino, retirando ainda o mesmo direito aos analfabetos.

151


1913 4

Dec.- D G. n.º 151 - regula a circulação e venda de selos postais das mais antigas emissões das colónias em curso, sem a sobrecarga “República”. n Dec.- D.G. n.º 155 - regulamenta a lei que alterou a organização da Direcção-Geral da Fazenda das Colónias.

5

Lei - D.G. - n.º 155 - extingue o Fundo de Defesa Naval. n Dec.- D.G. n.º 155 - aprova o regulamento do Instituto Superior de Comércio. n Óscar de Teffé entrega credenciais como E.E.M.P. do Brasil.

7

Lei - D.G. n.º 156 - cria o Ministério da Instrução Pública. n Lei - D.G. n.º 158 - regula o exercício da caça. n Dec.- D.G. n.º 156 - autoriza o Governo a construir e explorar uma linha férrea desde Quelimane ao rio Chire, na Província de Moçambique. n Nomeação do Dr. António de Sousa Júnior para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 9.2.1914.

n Lei - D.G. n.º 162 - cria uma Legação diplomática na Guatemala e outra no Panamá. n O episcopado lança o denominado “apelo de Santarém” em Prol da união católica. n Inauguração da capela de Bartolomeu de Joanes, na Sé de Lisboa. n A Câmara Municipal de Lisboa resolve construir, em Campo de Ourique, um bairro para as classes menos favorecidas. n Abertura do Congresso Científico em Lourenço Marques, Moçambique. n Lei - D.G. n.º 159 - extingue a Legação junto do Vaticano e suprime os Consulados-Gerais de Berlim, Madrid e Roma. n Apelo do Episcopado aos católicos portugueses de Santarém convidando os crentes a associarem-se numa associação “União Católica”. Port. D.G. n.º 160 - ordena a rigorosa

dos prazos estabelecidos, 11 observância para os divorciados poderem contrair novo casamento. Port. D.G. n.º 161 - fixa as portagens

9

Publica-se no Porto o semanário académico “A Sindicância”. n Lei - D.G. n.º 167 - organiza os serviços da Direcção-Geral da Agricultura. Lei - D.G. n.º 159 - autoriza o Governo

elevar à categoria de Embaixada a 10 aLegação portuguesa no Rio de Janeiro.

D. Luís 1, entre o Porto e Vila 12 naNovaponte de Gaia. n Lei - D.G. n.º 161 - regula a concessão das patentes de introdução de novas indústrias. n Publica-se o “Diário de Coimbra” (evolucionista - n.d.). n O Presidente da República oferece um jantar de homenagem ao Governo, em sinal de congratulação pelo equilí-


Julho brio do orçamento. n O Dr. Guilherme Moreira é nomeado Reitor da U.C. n Decreto exonerando Venceslau de Morais das funções de Cônsul-Geral em Kobe e Osaka, Japão. Lei - D.G. n.º 163 - cria dois lugares de

pressão do Tráfego das Brancas. n Lei-D G. n.º 166 - aprova a Convenção Internacional do Ópio. n Lei - D.G. n.º 166 - aprova o Acordo entre Portugal e a Grã-Bretanha, sobre a Administração dos Exclusivos do Ópio em Macau e Hong-Kong. n Inauguração da Escola Móvel Agrícola de Vidago.

Lei - D.G. n.º 164 - regula o exercício

a Convenção, submetendo à arbi19 fica tragem a divergência havida sobre a

Militares junto das Legações de 15 Adidos Madrid e Berna.

Carta - D.G. n.º 196 - confirma e rati-

da baleia nas águas territo16 dariaispesca das Colónias.

delimitação das possessões portuguesas e neerlandesas da ilha de Timor. n Publica-se em Lisboa o semanário ilustrado “A Crítica Sportiva” n O E.E.M.P. de Itália Salvador Contarini entrega credenciais.

Lisboa - Morre o conde de Monsaraz,

de Macedo Papanço, poeta e 17 António antigo Par do Reino. n Lei - D.G. n.º 165 - autoriza a Câmara Municipal do Porto a contrair um empréstimo, para a construção do matadouro municipal. n Lei - D.G. n.º 165 - autoriza o Governo a abrir um crédito extraordinário, para trabalhos preparatórios da Exposição Universal de S. Francisco da Califórnia, a realizar em 1915. n Inaugura-se em Lisboa o Clube dos Brasileiros com a presença do Ministro do Brasil. Lei- D.G. n.º 166 - aprova a prorro-

20

A divisão naval portuguesa, constituída por três cruzadores, faz exercícios ao largo de Cascais. n Tentativa do assalto a vários quartéis de Lisboa, levada a cabo por elementos afectos à monarquia. n No Rio de Janeiro uma equipa representante da Associação de Lisboa ganha o desafio de futebol contra a Botafogo por 1-0. O P.R. Herrmes da Fonseca assiste ao encontro. Procede-se a ínúmeras prisões de civis

por dez anos, da Convenção 21 e militares na capital. 18 gação, de Arbitragem celebrada entre Portugal e Suíça. n Lei- D.G. n..º 166 - aprova a Convenção Internacional destinada à Re-

153


1913 abandonadas em ruas de 22 Bombas Lisboa fazem novas vítimas, entre as quais duas crianças.

Lei- D.G. n.º 170 - regula a transferên-

de funcionários civis, duma Provín23 cia cia Ultramarina para outra. n Na Câmara dos Lordes, em Londres, Lord Mayo faz severas críticas a Portugal, acerca dos alegados casos de escravatura em S. Tomé e Príncipe e Angola. n Lisboa – Nasce Patrícia Joyce, escritora.

Julho bosa e Luís Coelho. n Afonso Costa visita oficialmente o Porto acompanhado pelo Ministro do Fomento. n Sobe à cena, no Teatro da Trindade em Lisboa, a revista “Fogo de Vistas”, original de Álvaro Cabral e Nascimento Correia. Desafio de futebol em S. Paulo, Brasil,

a equipa portuguesa e a local, 27 entre com a vitória para as quinas. Estreiam-se as sessões cinematográfi-

Publica-se “O Sete de Julho” (Chaves -

- n.d.). 24 democrático n Morre em Lisboa o aviador Luís de Noronha. n Dec.- D.G. n.º 171 - cria a Guarda Republicana de Lourenço Marques. n Tentativa de assalto ao castelo de S. Jorge, em Lisboa, onde estava aquartelado o regimento da Infantaria 16 e a casa de reclusão. n Extinção da Guarda Cívica de Lourenço Marques, Moçambique, substituída pela G.N.R.. Dec.- D.G. n.º 172 - autoriza a impor-

de milho exótico, com destino à 25 tação alimentação pública.

Lei - D.G. n.º 173 - reorganiza os

das Contrastarias. 26 serviços n Estreia em Lisboa, no Teatro Avenida, a revista “O 31”, de Alberto Bar-

no Teatro da Rua dos Condes em 28 cas Lisboa.

n Dec.- D.G. n.º 174 - determina que, de futuro, nenhuma autoridade eclesiástica, faça parte do Conselho do Governo de qualquer Colónia.


Agosto Sob o pseudónimo de Mariette o Padre Amadeu de Vasconcelos lança em Paris “Os Meus Cadernos”, um dos primeiros textos portugueses a reflectir a doutrina de Charles Maurras que influencia o movimento do Integralismo Lusitano.

1

Publica-se em Lisboa o jornal “O Rebate”. n É descoberto um “complot” para assassinar o Chefe do Governo Afonso Costa, quando veraneava na Praia das Maçãs e que parte de seguida para o Porto com membros do governo, a convite da Comissão Administrativa da Câmara Municipal. n O Deputado espanhol Rodrigo Soriano inaugura, no Porto, o Centro Democrático Espanhol. n Assina-se, com os Ministros Plenipotenciários de Inglaterra, França e Espanha, o compromisso arbitral, para o Tribunal de Haia resolver questões dos imóveis pertencentes às congregações religiosas.

3

Cessa a publicação “A Democracia” (Angra do Heroísmo - republicano - n.d.). n O matutino “O Século” noticia o estado de saúde muito grave do P.R. Manuel de Arriaga.

5

Chega a Lisboa, com 76 dias de viagem, o submergível português “Espadarte”, construído em Livorno. Com avarias sucessivas nas máquina a viagem tornou-se uma tormenta. 155


1913 7

Abalo de terra em Lisboa. n Duelo entre Álvaro Reis Torgal Júnior e seu tio o conde de Monte-Real, em que este é ligeiramente ferido. n Arriba ao Tejo a fragata argentina “Presidente Sarmiento”.

de Portugal”, instituída pela 17 daUnião“TaçaVelocípeda Portuguesa e ganha

8

1.º Congresso do Partido Evolucionista em Lisboa sob a presidência de António José de Almeida. Aprova-se o respectivo programa.

pelo Sporting. n Grande tufão em Macau causa enormes prejuízos e a morte de mais de 150 pessoas. n Realiza-se a 1.ª Feira de Gado em Algés.

9

Carta - D.G. n.º 2 - confirma e ratifica a Convenção Internacional do Ópio, assinada em Haia, em 3 de Janeiro de 1912. n Reconhecimento português do novo Governo do México, presidido pelo General Victoriano Huerta. n O P.R. Manuel de Arriaga inicia o despacho, depois de longa e grave enfermidade.

11

Cessa a publicação “A Portuguesa” (Aveiro - evolucionista - n.d.).

12

S. Miguel - Nasce Numídio Bessone, escultor e medalhista. Acordo (não assinado) entre a Grã-

e a Alemanha, para a par13 -Bretanha tilha das Colónias portuguesas. Dec.- D.G. n.º 196 - determina que

Museu Etnológico Português fique 16 opedagogicamente anexado à Facul-

dade de Letras de Lisboa. Corrida de 100 kms, para a disputa

Nomeação para reitor da U.C. de Gui-

18 lherme Alves Moreira.

Dec.- D.G. n.º 194 - fixa em Lumbo a

do caminho de ferro entre a costa 20 testa de Moçambique e a fronteira do Nyassaland. Lisboa - Morre Leopoldo Carvalho,

22 actor.

23 venda e uso de acendedores portáteis.

Dec.- D.G. n.º 197 - proíbe o fabrico, n Carta - D.G. n.º 222 - confirma e ratifica a Convenção Internacional, relativa à repressão do Tráfico de Brancas. n Inauguração dos novos Paços do Concelho da Ilha do Príncipe. n Dec.- D.G. n.º 197 - aprova o Código das Execuções Fiscais.


Agosto “O Século” exulta: “Vamos 24 Oter,matutino enfim, o nosso Palácio da Justiça!”.

Será, de facto, construído, mas sob o Estado Novo. O busto de Camões, retirado do monu-

demolido em Paris, é colocado 25 mento na sala de honra da Biblioteca Mazarino do Instituto de França.

28 português e “The British South Africa

D.G. n.º 212 - Acordo entre o Governo Company”, para o recrutamento em Moçambique de trabalhadores indígenas para a Rodésia. n Dec.- D.G. n.º 201 - regula o primeiro provimento dos lugares de professor da Faculdade de Estudos Sociais e de Direito de Lisboa.

29 Fiscais.

Publicação do Código das Execuções

30 sultados gerais da gerência financeira O “Diário do Governo” publica os rede 1912/13, com saldo positivo de 111.125$10.

Cessa a publicação o “Diário de Coim-

31 bra” (evolucionista - n.d.).

157


1913 1

Publica-se no Porto o semanário monárquico “O Norte”. n Recontros em Lisboa entre populares e a Polícia.

2

D.ª Amélia de Bragança chega ao castelo de Sigmaringen para o casamento de seu filho D. Manuel com Augusta Victória. n Av.- D.G. n.º 206 - torna público que o Tratado de Comércio, entre Portugal e Espanha, terminará em 30 de Setembro de 1913.

n Dec.- D.G. n.º 210 - regula os vencimentos dos assistentes dos estabelecimentos de Ensino Superior.

9

Port. D.G. n.º 211 - modifica o modelo dos Bilhetes de Identidade.

12 profere no Porto uma conferência em O jornalista e político França Borges

que faz o ‘balanço’ de três anos de República. Cessa a publicação “A Democracia”

3

Início do concurso hípico de Lourenço Marques, Moçambique. n Em representação dos soberanos ingleses chega ao castelo de Sigmaringen o Príncipe de Gales.

4

Casamento de D. Manuel de Bragança com a princesa Augusta Vitória de Hohenzollern no castelo de Sigmaringen. n Dec.- D.G. n.º 207 - regula a organização e o funcionamento das Faculdades de Direito.

- democrático - n.d.). 13 (Chaves n Fixação dos quadros de pessoal do Ministério de Instrução Pública. n No Salão “Trindade” em Lisboa estreia o documentário “Casamento do ex-Rei D. Manuel”. Inauguração, em Alcochete, do Asilo

Samora Correia. 14 barão n Cessa a publicação “A Humanidade” (Coimbra - maçonaria - n.d.).

15 crático).

Publica-se “A Tarde” (Porto - demo-

5

Macau - Nasce Carlos Estorninho, professor e escritor. n Publica-se em Lisboa o bissemanário ilustrado “Revista Automobilista Portuguesa”.

n Em Setúbal inaugura-se o Asilo “Bocage”. A

8

Dec.- D.G. n.º 210 - agrega pedagogicamente o Museu Machado de Castro à FLUC.

caravela

em

prata,

oferta

de

dos monárquicos de Lis18 casamento boa a D. Manuel II, é apreendida na Alfândega por alegada falta de declaração prévia.


Setembro “A Revolta” 19 Publica-se anarquista - n.d.).

(Coimbra -

n Publica-se o “Dicionário de Língua Portuguesa”, da autoria de Cândido de Figueiredo.

21 polícia e populares.

Incidentes na Ajuda, Lisboa, entre a

Port. D.G. n.º 225 - autoriza a Miseri-

de Lisboa a construir um bairro 24 córdia de casas de rendas económicas. Comício do Partido Evolucionista em

se ataca o Governo de Afonso 28 que Costa. Fundeia no Tejo o navio-escola “Ben-

Constant”, da Armada do Brasil, 30 jamim que vem representar o País nas celebrações da proclamação da República.

159


1913 1

Dec.- D.G. n.º 230 - modifica a legislação vigente sobre o trabalho indígena colonial. n Fundação da Empresa Madeirense de Tabacos.

9

Nomeação do Ten. Cor. João Pereira Bastos para Ministro da Guerra. Exonerado em 9.2.1914. Nomeação do Dr. Afonso Costa para

2

Inauguração da Exposição de Artes Gráficas na Imprensa Nacional, com a presença do Presidente da República. n Assinatura do contrato, com vista a estabelecer um cabo submarino, dos Açores para a América e daquele arquipélago para a Europa.

11 M.N.E. interino.

Sindicalistas há 9 meses presos sem

formada, são transferidos da 12 culpa prisão do Limoeiro para o forte de Elvas.

16 (Chaves - democrático - n.d.).

Cessa a publicação “O Sete de Julho”

3

Dec.- D.G. n.º 259 - cria as Escolas Móveis. n Estreia no Teatro Avenida, em Lisboa, a opereta “Flor da Rua”, de Carvalho Barbosa e Arnaldo Leite.

4

Abertura da Exposição Marítima e Fluvial, no Aquário de Algés.

5

Norton de Matos inaugura em Luanda o cais de cabotagem e uma Exposição Agrícola e Pecuária. n Lançamento da 1.ª pedra do monumento ao escritor António José da Silva (o Judeu).

6

Inauguração em Viseu de um monumento a Luís de Camões.

O C.F. de Benguela, Angola, tem cerca

18 de 520 Km.

Publica-se “A Verdade” (Aveiro - inde-

19 pendente - n.d.).

20 vas liderado pelo civil Luís Ramos, “Complot” monárquico em Torres No-

contando com apoios de militares da Escola Prática de Cavalaria. n Assinatura do texto definitivo do Acordo anglo-germânico rubricado em 13.8.1913

destruídas em Lisboa as redacções 21 São dos jornais “O Dia” e a “Nação”.

n Dec.- D.G. n.º 246 - cria uma Secretaria dos Negócios Indígenas, junto do Governo-Geral de Angola. n Dec.- D.G. n.º 248 - organiza o Con-


Outubro selho de Administração dos Portos e Caminhos de Ferro Coloniais. n Novo movimento revolucionário monárquico, dirigido por João de Azevedo Coutinho. n O movimento insurreccional monárquico desta data destrói o Museu da Revolução instalado no recolhimento do Quelhas em Lisboa. n Concurso promovido pelo matutino “O Século: “Qual a mais bela figura da História de Portugal?”.

de uma Convenção para 29 Assinatura estabelecer uma linha telefónica entre

Angola e Congo Belga. n O mar invade Cascais causando grandes prejuízos. n Assalto à redacção do semanário católico “O Universal”, empastelando-se todo o tipo. n Dec.- D.G. n.º 253 - aprova o regulamento do Ministério da Instrução Pública. Os Governos de Portugal e da Holanda

23

Lisboa - Nasce Hermínia Silva, cantadeira de fados e actriz.

na Haia as memórias relati30 entregam vas à fronteira de Timor. n O Director do jornal “O Dia”, Moreira d’ Almeida é preso por razões políticas.

A companhia de seguros “A Mundial”

pioneira a explorar o ramo de 24 torna-se acidentes de trabalho.

Estatutos da Associação Médica Lusi-

ou Associação Classe dos Médi31 tana cos do Norte de Portugal.

Cessa a publicação “O Germinal”

- anarquista - n.d.). 25 (Setúbal n Penela - Nasce Salvador Dias Arnaud, médico, professor e historiador.

após a insurreição monárquica, 26 das, o conhecido capitalista “Monteiro dos Entre as numerosas prisões efectuaMilhões” é posto em liberdade. Registam-se abalos de terra no Norte

27 do País.

161


1913 1

Banquete no Avenida Palace em Lisboa, oferecido pelo Ministro da Justiça à Magistratura. n Eleva-se à qualidade de Embaixada a Legação portuguesa do Brasil que, durante quase dez anos, será a única com tal categoria. O Governo brasileiro reciprocará no ano seguinte.

2

Cessa a publicação “O Montanhês do Norte” (Bragança - conservador - n.d.). n Publica-se “O Arauto” (Horta - independente - n.d.)

4

Dec.- D.G. n.º 259 - autoriza a importação de trigo exótico, para consumo do continente e ilhas dos Açores. n Zarpa do Tejo, rumo à Madeira, a divisão naval de instrução e manobras.

5 7

8

Cessa a publicação “O Porto de Horta” (esquerda - n.d.). n Exposição de aguarelas de João Cabral, apresentada no salão da Ilustração Portuguesa. Castelo Branco, Salgueiro do Campo Nasce Maria Lalande, actriz. n Dec.- D.G. n.º 261 - aprova o regulamento para a concessão da Medalha de Serviços no Ultramar. Publica-se em Lisboa o semanário bilingue “Espanha y Portugal”.

9

Afonso Costa visita novamente o Porto, onde profere uma conferência sobre “As Contas do Estado, a Dívida Pública e a Defesa Nacional”. n Na Covilhã publica-se o jornal “O Futuro”. n Nomeação do Cap. de Fragata José de Freitas Ribeiro para Ministro da Marinha. Exonerado em 9.2.1914.

10

Coimbra - Nasce Álvaro (Barreirinhas) Cunhal, político e secretário-geral do Partido Comunista Português. Chega a Lisboa o novo E.E.M.P. inglês,

Douglas Carnegie. 11 Lancelot n Publica-se no jornal “República”

o programa do Partido Republicano Evolucionista. n Um dos presos implicados com actos de sabotagem tinha em seu poder 88 bombas. O E.E.M.P. da Noruega, barão de

apresenta creden12 Wedel--Garlsberg, ciais. Dec.- D.G. n,º 266 - aprova o regula-

da produção e do comércio dos 13 mento vinhos da Madeira. n Publica-se “A Evolução” (Vila Real evolucionista - n.d.). No Tribunal da Boa em Lisboa apre-

pela 1.ª vez, uma advogada: 14 senta-se, Dr.ª Regina Quintanilha.


Novembro - Convenção luso-sueca de 15 Estocolmo Arbitragem.

Associação dos Arqueólogos Portugueses com a presença do P.R..

ao preenchimento de 37 vagas de 24 monárquicas Carlos Malheiro Dias 16 der deputados na Câmara de Deputados, parte para o Brasil, onde se radica. Eleições suplementares, para proce-

Perseguido pelas suas convicções

que dão a vitória ao Partido Democrático, que elege 33 das 37 vagas.

n Publica-se em Lisboa o semanário “O Teatro”. n Publica-se “O Arauto” (Horta - independente). n Conferência, na Sociedade de Geografia de Lisboa, proferida pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Dr. António Macieira Júnior, sobre “Portugal e as Nações Estrangeiras”.

Publica-se em Coimbra o jornal “Alma

17 Académica”. n Em Lisboa realiza-se uma grande

manifestação de homenagem a Afonso Costa. n D. n.º 224 que institui em Angola um “regime de porta aberta”.

Regressa à Diocese, terminando o seu

Carregosa - Morre D. Manuel Cor-

de Bastos Pina, Bispo-conde de 19 reia Coimbra, que se encontrava ali com

o Bispo da Guarda D. Manuel 26 exílio, Vieira de Matos.

n Entrega credenciais o E.E.M.P. de Inglaterra Sir Lancelot Douglas Carnegie.

residência fixa. Cessa em Lisboa a publicação do jor-

21

Inaugura-se a linha do eléctrico entre a Avenida das Cortes e S. Bento em Lisboa.

28 nal “O Rebate”.

Inauguração, no edifício do Quelhas,

A Lei da Separação é aplicada ao Ul-

Português. 22 tramar n Dá o 1.º concerto a orquestra sinfónica de 95 figuras, criada no Porto por Raimundo de Macedo.

Superior de Comércio, 29 docomInstituto a assistência do Presidente da República. n Prisões em Torres Novas de alegados conspiradores monárquicos. As eleições dos corpos administrativos

23

Inauguração em Lisboa do asilo para a terceira idade “José Elias Garcia”. n Celebração do 50.º aniversário da

a vitória aos democratas, que ob30 dão tém 205 das 291 vereações, contra 68 da oposição. 163


1913 n Cessa a publicação “A Revolta” (Coimbra - anarquista - n.d.). n “Questões Universitárias: os Princípios e as Leis”, artigo de A.O.S. publicado no jornal “O Imparcial”.

Novembro


Dezembro Inaugura-se o Teatro Nacional Portuense na cidade Invicta. n A.O.S. profere uma conferência na sede da Juventude Católica em Braga. n São 77.633 os emigrantes saídos do Continente e Ilhas.

6

Representantes dos industriais do Porto e Lisboa manifestam-se contra o regime da “porta aberta” em Angola. n Entrega de credenciais do Ministro Plenipotenciário da Dinamarca, H. A. Bernhoft. n Inaugura-se em Lisboa o Teatro Politeama, na Rua das Portas de Santo Antão, com a operate “Valsa de Amor”.

9

O M.N.E. alemão, discursando no Reich-tag, torna pública a existência de negociações com a Grã-Bretanha sobre as colónias portuguesas.

Publica-se “O Defensor” (Caldas da Rainha - democrático - n.d.). n Na cidade de S. Paulo, no Brasil, inaugura-se a Câmara Portuguesa de Comércio, Indústria e Arte, com a presença do E.E.M.P. Bernardino Machado e a oficialidade do cruzador “Adamastor”. n Ruy Coelho faz reabrir o Teatro de S. Carlos para ali apresentar em récita de Gala a sua 1.ª ópera em português: ”O Serão da Infanta”, com libreto de Teófilo Braga.

Internacional Socialista. 14 2.ª n Homenagem popular em Anadia ao

2

Recomeça agitada a 3.ª legislatura da República. Machado Santos é agredido na rua, quando se dirigia ao Congresso. n Cessa a publicação “O Arauto” (Horta - independente).

conselheiro José Luciano de Castro, de onde era natural. n Na mais absoluta tranquilidade realizam-se as eleições para as Juntas de Paróquias. n Realiza-se em Macau a 1.ª eleição Municipal depois da implantação da República.

4

Altera-se o regime penitenciário dos presos políticos.

5

Port. D G. n.º 286 - determina que os três Conselhos de Arte e Arqueologia, procedam à revisão do inventário dos monumentos nacionais. n Cessa a publicação “A Democracia” (Coimbra - P.R.P. - n.d.).

1

O Partido Socialista Português adere à

Demite-se o Conselho Superior de Ins-

15 trução. n Guarda - Nasce Lopo de Carvalho Cancela de Abreu, médico e publicista. n O primeiro Conselho escolar, da recém-criada Faculdade de Direito de Lisboa, elege Afonso Costa para director. n Thomas Brich entrega credenciais de Ministro Plenipotenciário dos Estados Unidos da América.

165


1913 E.E.M.P. em Londres Teixeira Gomes Cessa a publicação “O Socialista” (Lis16 Ologra do Governo Britânico o compro- 31 boa - socialista). misso de não assinar o acordo anglo-alemão sem o requisito prévio da sua publicação. Decreto criando um Consulado-Geral

18 em Tânger.

Afonso Costa é nomeado Director da

20 Faculdade de Direito da U.L..

Rio de Janeiro - Morre o Padre José

Freitas, escritor, orador sacro, e 21 Sena biógrafo de Camilo Castelo Branco. Chegam a Lisboa os presos vindos de

do Heroísmo, que haviam esta22 Angra do implicados nos acontecimentos de 27 de Abril. A Taluda do Natal sai para Estarreja e

prémio vai para o Rio de Janeiro 25 ono2.ºBrasil. Robles Monteiro estreia-se como ac-

em “A Caixeirinha”, no Teatro da 27 tor República de Lisboa. n A crise financeira leva à falência e extinção dos Bancos Lusitano e Mercantil de Lisboa.

n Cessa a publicação “A Pátria” (Lisboa - democrático). n A emigração atinge 78.000 cidadãos n Dec. D G. n.º 305 - institui, junto da Sé de Viseu, um Museu Regional de Arte. n As contribuições e impostos directos arrecadados cifra-se em 17.125, ligeiramente inferior ao ano transacto. n Ascendem a 6.516 o número de escolas primárias oficiais. n A cortiça representa 16% do total das exportações, ocupando a sua exploração cerca de 7.000 operários. n São criadas 172 escolas móveis destinadas apenas a adultos. n Total da dívida pública: 133.656 libras n No ano económico iniciado em 1912 as receitas são de 14.247 e as despesas de 14.244 libras esterlinas. n A importação de adubos cifra-se em 104.493 ton. e a exportação em 25.857 ton. n Valor da libra ouro em escudos: 5$09. n No ano lectivo de 1912/13 frequentaram a U.C. 1264 alunos, dos quais 11 eram do sexo feminino.


Dezembro

167


19 14


1914 n Fernando Pessoa: “Pauis”, poesia publicada no n.º único da revista “A Renascensa”. n Mário de Sá Carneiro: “A Confissão de Lúcio”. n Prémio Valmor de Arquitectura concedido ao prédio da Av. Fontes Pereira de Melo, 28, da autoria de Manuel Norte Júnior. n Bento Carqueja: “O Materialismo Histórico”. n Norberto Araújo: “Democratização da Arte”. n Raul Brandão: “A Conspiração de Gomes Freires”. n Marques da Silva projecta os “Armazéns Nascimento” no Porto. n O Cor. de Artilharia José de Oliveira Duque assume o Governo da Guiné. n Assume novamente o Governo de Timor Filomeno da Câmara até 1917. n Carolina Michaelis: “A Saudade Portuguesa”. n Júlio Dantas: “Pátria Portuguesa”. Manuel Gonçalves Cerejeira é editor da revista Lusitânia do Porto. n Sai o 1.º número do Boletim Bibliográfico da Biblioteca da U.C., dirigido pelo Prof. Marnoco e Sousa. n “Ela” - crónica sentimental de A.O.S. assinada sob o pseudónimo Alves da Silva, publicada em “O Imparcial”.

1

Publica-se a “Terra Nossa” (Estremoz democrático- n.d.). n Entra em vigor, no Estado da Índia, o Código do Registo Civil. n Fundação do Clube Académico de

Futebol.

2

Nas Câmaras Municipais do País assumem as novas edilidades. n Toma posse do cargo de Vigário-Geral de Beja, D. Joaquim Pereira Seco. n Iniciam-se as operações militares na Guiné, sob o comando do Capitão Teixeira Pinto.

3

Publica-se em Lisboa o jornal “A Vanguarda”, dando continuidade ao diário “O Socialista”.

4

Inauguração, no Porto da Exposição Fotográfica de Arte Romaica, do gravador Marques Atheu. n “Questões Universitárias; ainda os princípios e as leis”, nova conferência de A.O.S. publicada em “O Imparcial”.

5

Publica-se em Lisboa a revista “Vida Mundana”, dirigida por Luís Trigueiros. n Inauguração, no Porto, do novo Teatro Apolo Terrasse, com a revista “No País do Vinho”.

7

Com a presença do Chefe de Estado inaugura-se, na Sociedade de Belas-Artes em Lisboa, uma Exposição de Aguarelas de Roque Gameiro e de pintura de José Casanova com uma conferência de Júlio Dantas. n Uma missão militar inglesa visita as linhas de Torres Vedras, local da batalha da Guerra Peninsular.


Janeiro n Decreto elevando a Legação do Brasil em Lisboa à categoria de Embaixada, cumprindo a reciprocidade.

D.G. n.º 7 - retira do culto a ba13 Dec.sílica da Estrela em Lisboa. O Chefe do Governo apresenta, na

8

Retoma a publicação em Paris o jornal “O Povo de Aveiro no Exílio”, da direcção de Homem Cristo.

9

Chega a Lisboa uma missão belga para tratar da delimitação do Congo. n No Senado João de Freitas acusa Afonso Costa de desonesto favorecimento de ex-clientes seus, como causídico. Os democráticos abandonam o hemiciclo em protesto.

dos Deputados, o Orçamento 14 Câmara Geral do Estado, para o ano económico de 1914/15, com um “superávit” de 3.392.764$72. Greve Geral dos ferroviários e empre-

da Companhia Portuguesa de 15 gados Caminhos-de-Ferro, à qual aderem 7000 trabalhadores, pelo facto da Administração não ter em conta a situação dos aposentados.

10 tugal a bordo do Paquete “Avon”, dei- 16 de Cristal no Porto. Bernardino Machado regressa a Por-

Exposição de Automóveis no palácio

xando o posto diplomático no Brasil.

11

O novo Quartel dos Sapadores Bombei-

D. António Barbosa Leão, Bispo do Algarve, regressa a Faro, após o cumprimento da pena de desterro que lhe fora aplicada. n Inauguração de um teatro na vila de Óbidos. n Publica-se “O Trabalho” (Viana do Castelo - operário - n.d.)

é inaugurado pelo P.R. Manuel de 17 ros Arriaga, na Rua Defensores de Chaves em Lisboa. n Através do paquete de uma Companhia alemã “Kleist” assegura-se a ligação entre Lisboa e Macau. Publica-se “A Defesa” (Angra do Heroís-

Publica-se em Lisboa o l.º número de sobre

notas semanais 12 “Fantoches”, acontecimentos políticos.

- unionista - n.d.). 18 mo n O conflito com os ferroviários em

greve agrava-se: dois descarrilamentos na Linha do Norte e outro na de Cascais, devidos a sabotagens dos grevistas.

171


1914 Ministros do Governo de Afon19 Os so Costa deixam de comparecer ao Senado.

José Batalha de Freitas apresenta cre-

em Pequim como E.E.M.P.. 20 denciais n Prosseguindo a greve dos ferroviários são efectuadas 140 prisões na sede do respectivo sindicato.

Janeiro n Morre o Conselheiro António Eduardo Vilaça, antigo Ministro da Monarquia. n É entregue em Livorno o vapor “Lince”, destinado à fiscalização da pesca no litoral português. n Distúrbios em Lisboa contra o Governo. n Carta programa de Manuel de Arriaga dirigida aos três chefes dos partidos. Lisboa - Nasce Fernando Silva, Arqui-

21

Tumultos em vários locais da capital, por causa da greve ferroviária. n Publica-se em Lisboa o jornal “O Cacete”. n Muitas classes de trabalhadores anunciam greves de solidariedade com os ferroviários. n Aprovação de uma moção de desconfiança no Senado ao Governo de Afonso Costa.

25 tecto.

O Governo de Afonso Costa, apesar

demissionário, solicita uma moção 26 dede confiança aprovada por 114 votos contra 93. n Uma manifestação de apoio a Afonso Costa enfrenta outra contra-manifestação promovida por Machado Santos com saldo de 1 morto e diversos feridos graves.

Estreia, no Teatro da República em Lis-

a peça “D. Francisco Manuel” de 23 boa, Rui Chianca.

n Término da greve dos ferroviários e empregados dos Caminhos-de-Ferro Portugueses. n Nota presidencial sugerindo o afastamento de Afonso Costa. Afonso Costa apresenta a demissão

Gabinete. 24 don Sessão extraordinária do Conselho

de Ministros. n Sessão tumultuosa no Congresso da República, sendo adiados os trabalhos para 6 de Fevereiro.

Estreia da revista “Paz e União”, no

30 Teatro Apolo de Lisboa.

Publica-se em Mafra o semanário “De-

31 mocracia”.


Fevereiro 1

Publica-se em Lisboa a revista teatral ilustrada “A Arte”.

2

Marco de Canaveses - Nasce Carmen Miranda, cançonetista e actriz de grande êxito no Brasil e nos EUA.

4

O Presidente da República encarrega o Dr. Bernardino Machado de formar Governo. n Nova manifestação, em Lisboa contra o Governo de Afonso Costa, promovida por Machado Santos. n Lisboa- Nasce José Navarro Hogan, pintor e gravador. n Leis - D.G. n.º 19 - abrindo um crédito para completar a subscrição pública, destinada ao monumento a erigir a Luís Camões, em Paris.

5

A Lisboa regressa do desterro o Patriarca D. António Mendes Belo. n Conclusão da Linha do Vouga com a abertura do troço entre Vouzela e Bodiosa.

6

Cessa a publicação “O Diário” (Angra do Heroísmo - monárquico - n.d.).

7

Morre José Manuel da Costa Basto, historiador, paleógrafo e antigo director do Arquivo da Torre do Tombo. n Cessa a publicação “A Verdade” (Angra do Heroísmo - católico - n.d.).

173


1914 8

Manifestação de apreço em Lisboa ao Patriarca D. António Mendes Belo. n Chega a Lisboa proveniente do Rio de Janeiro, onde estivera com Embaixador político, Bernardim Machado. n O matutino “O Século” noticia estarem concluídas as instalações das salas de pintura do Museu de Arte Antiga.

9

Constitui-se o V Governo Constitucional presidido por Bernardino Machado. n Nomeação do Prof. Doutor Bernardino Machado para Ministro do Interior. Exonerado em 23.6.1914. n Nomeação do Prof. Doutor Bernardino Machado para M.N.E. interino. Exonerado em 2.6.1916. n Nomeação do Alm. Augusto Neuparth para Ministro da Marinha. Exonerado em 23.6.1914. n Nomeação do Gen. António Pereira d’ Eça para Ministro da Guerra. Exonerado em 23.6.1914. n Nomeação do Dr. Aquiles Gonçalves Fernandes para Ministro do Fomento. Exonerado 23.6.1914. n Nomeação do Cap. Alfredo Lisboa de Lima para Ministro das Colónias. Exonerado 23.6.1914. n Nomeação do Dr. José Sobral Cid para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 23.6.1914. n Nomeação do Dr. Manuel Rodrigues Monteiro para Ministro da Justiça. Exonerado em 2.6.1914. n Nomeação do Cap. Tomás da Guarda Cabreira para Ministro das Finanças. Exonerado em 23.6.1914. n Nomeação do Cor. Alfredo Freire de

Andrade, Eng. de minas, para M.N.E.. Exonerado em 23.6.1914. n O Governo de Afonso Costa produz 1912 diplomas legislativos no decurso dos seus 396 dias no poder. n Publica-se “A Verdade” (Angra do Heroísmo - monárquico e católico). Publica-se “A Resistência” (Coimbra -

11 evolucionista - n.d.).

Publica-se “O Debate” (Coimbra - Par-

12 tido Democrático - n.d.).

Constitui-se em Lisboa a Companhia

Seguros “A Mutualidade na Cons13 detrução Civil”.

Cessa a publicação “A Rotandade”

- evolucionista - n.d.). 14 (Braga n António Cassiano Neves assume o Governo Civil de Lisboa. “Questões Universitárias: sebentas com-

e expositores”, título da confe15 pêndios rência de A.O.S. publicada em “O Imparcial”.

16 Trabalho. n Redacção de um documento, por Criação em Lisboa de uma Bolsa de

62 parlamentares, evolucionistas e unionistas, propondo a fusão dos dois Partidos.


Fevereiro o “Ecos de Bragança”, (edestruído, por um incêndio o Teatro 19 Publica-se 25 ÉPríncipe volucionista - n.d.). D. Carlos, sede do Ginásio n Proposta de lei para uma amnistia geral.

Clube da Figueira da Foz.

Publica-se “A Defesa de Santa Clara”

20

Estreia a revista “Tango Cordeal”, de Eduardo Schwalbach, no Teatro da República em Lisboa. n Regressa à Diocese, após dois anos de desterro, o Bispo de Viseu, D. António Alves Ferreira.

- democrático - n.d.). 28 (Coimbra n Dec.- D.G. n.º 31 - aprova o acordo

entre a Província de Macau e a Colónia de Hong-Kong, para a permuta de Vales de Correio.

No Teatro Politeama de Lisboa sobe à

a revista “A Era dos Afonsinos” 21 cena de Álvaro Cabral.

n Chega a Lisboa uma missão americana, para convidar Portugal a participar na Exposição Internacional Panamá-Pacífico. n Publica-se “O Povo de Braga” (evolucionista - n.d.). Lei - D.G. n.º 27 - concedendo am-ni-

aos condenados por crimes políti22 stia cos. Apenas 11 cidadão são expulsos do País. n Francisco Homem Cristo (Filho) é amnistiado pelo seu alegado envolvimento nas incursões monárquicas de Paiva Couceiro. Nova agitação nos meios ferroviários.

Fundão - Nasce Raul Chorão Ra23 nmalho, Arquitecto.

175


1914 Regressa do desterro à sua Diocese o Bispo de Lamego.

“Chuva Oblíqua”.

9

Anadia - Morre José Luciano de Castro, estadista, advogado, historiador e jornalista. Foi figura de grande proeminência na política nacional do último quartel do século XIX.

1

Inauguração solene do chafariz da Rua Vale Formoso de Cima, em Lisboa. n Abertura em Lisboa da linha de eléctricos Camões-Estrela.

2

Afonso Costa assume funções docentes e a direcção da Faculdade de Direito de Lisboa.

sobre o decreto de 20/4/1911, 10 dos, relativo à separação do Estado das I-

3

Constituição do Centro Nacional da Aviação.

grejas. Afonso Costa desmente as afirmações que lhe foram atribuídas sobre a liquidação da Igreja católica. n O E.E.M.P. Sidónio Pais oferece uma festa de gala, no Hotel de Berlim “Esplanade”, a 160 convidados.

5

Jacques Lugan solicita autorização para instalar uma fábrica de carbonato de soda na Póvoa de Santa Iria.

7

Publica-se “A Esperança” (Funchal católico - n.d.). n Publica-se em Oliveira de Frades o semanário “Mocidade de Lafões”.

8

Publicação de Coimbra do jornal monárquico “A Voz da Verdade”, por alunos da Universidade. n Lisboa - Nasce José Blanc de Portugal, poeta, escritor e meteorologista. n Cessa a publicação “A Verdade” (Aveiro - independente - n.d.). n A.O.S. publica o artigo “Questões Universitárias: a lição do aluno” em “O Imparcial”. n Fernando Pessoa diz ter escrito

Discussão, na Câmara dos Deputa-

Sobe à cena, no Teatro Nacional em

a “Farsa de Inês Pereira” de Gil 11 Lisboa, Vicente. n O novo Ministro Plenipotenciário holandês, Aert van der Goes, apresenta credenciais. Abertura do congresso Nacional Ope-

em Tomar, que cria a União Ope14 rário rária Nacional.

Lisboa - Nasce Francisco do Casal

político do Estado Novo do 16 Ribeiro, qual foi ardente apoiante.


Março D.G. n.º 41 - regulamenta a reTrasladação do mosteiro dos Jeróni18 Dec.presentação de Portugal na Exposição 25 mos para o Panteão de S. Vicente, dos Universal de S. Francisco da Califórnia.

Em Paris, no Restaurante Kelber, o jor-

Francisco Homem Cristo (Filho) 19 nalista é homenageado com um banquete presidido por Maurice Barrés, da Academia Francesa.

21 monárquico - n.d.).

Cessa a publicação “A Pátria” (Braga n Acto de sabotagem faz descarrilar uma composição na linha férrea da Beira Alta entre Gouveia e Fornos de Algodres.

restos mortais da Rainha de Inglaterra, D. Catarina de Bragança, filha de D. João IV, que fora casada com Carlos II. n Andre Brun estreia no Teatro República a sua comédia “Cavalheiro Respeitável”, tendo Chaby Pinheiro como protagonista principal. n Morre o poeta Frederico Mistral. Cessa a publicação “A União” (Castelo

- unionista - n.d.). 26 Branco n Estreia em Lisboa “As Férias do

Bispo”, no Teatro da República, com o actor Chaby Pinheiro.

27 sistência médica em Angola se estenNorton de Matos determina que a as-

22

Juntamente com o padre Cerejeira, A.O.S. participa num comício católico em frente da Sé Nova de Coimbra, que é intempestivamente interrompido por grupos de energúmenos. n Publica-se “A Tribuna” (Lamego democrático - n.d.). n Numa sala do Liceu Camilo Castelo Branco de Vila Real tem lugar a abertura da Universidade Popular. No Museu do Carmo em Lisboa in-

a Exposição Olisiponense, 24 augura-se com a presença do Presidente da República. n Estreia, no Teatro do Ginásio de Lisboa, a comédia “Deputado Independente”, de Chagas Roquette e Álvaro Lima.

da às aldeias indígenas.

28 do Porto.

Greve geral dos trabalhadores fluviais n Inauguração de uma Exposição de Pintura de Thomaz de Mello, nos Armazéns Grandela em Lisboa. n Publica-se o “Justiça” (Braga - unionista - n.d.). n O Ministro Plenipotenciário da Suécia, barão G. Falkamberg, entrega credenciais. n Lei - D.G. n.º 47 - autorizando a criação do concelho do Bombarral. n Concessão da exploração das quedas do Ródão dada ao político António Maria da Silva, que nessa qualidade não podia legalmente aceitá-la. Surge uma crise política que levará à queda 177


1914 de mais um governo. Início de uma série de audições

no Conservatório Nacional 29 históricas de Lisboa.

n Lançamento no Porto da 1.ª pedra do monumento a Guilherme Fernandes. n Artigo de A.O.S. “S. João de Almedina - Ao Sr. Ministro da Justiça” publicado em “O Imparcial”. Cessa a publicação “O Povo de Braga”

- n.d.). 30 (evolucionista n Realizam-se experiências do aparelho para dirigir torpedos com a aplicação de ondas magnéticas, invento do Capitão-engenheiro Artur Chiappa de Carvalho. O Governador-Geral de Angola, Norton

Matos, vem à Metrópole e entrega 31 dea governação a António Nogueira Mi-

moso. n Início do julgamento dos principais implicados no movimento de 27 de Abril último: Gen. Fausto Guedes, Ten. Lobo Pimentel e outros. n A União Portuguesa de Futebol é criada pelas Associações regionais de Lisboa, Portalegre e Porto. Em 1926 será o nome alterado para Federação Portuguesa de Futebol.

Março


Abril 1

Publica-se “Echos do Minho” (Braga clerical e monárquico). n Parte para Moçambique o novo Governador-Geral Joaquim José Machado.

2

Lei - D.G. n.º 50 - criando o Concelho de Alpiarça.

3

Regressa à sua Diocese o Bispo do Porto, D. António Barroso. n Publica-se “A Evolução Republicana” (Braga - evolucionista - n.d.).

4

Dec.- D.G. n.º 52 - permite a importação de milho e centeio. n Início dos encontros de futebol Porto-Lisboa.

5

Inauguração em Lisboa pelo Chefe de Estado, do lactário da Cantina Escolar de S. José.

6

Concerto histórico no Teatro da República, com obras de D. João IV à actualidade. n Abertura do Congresso Pedagógico no Porto.

8

Publica-se em Coimbra a revista “Nação Portuguesa”, órgão do Integralismo Lusitano, integrado por figuras tais como A. Sardinha, Pequito Rebelo, A. Monsaraz, Rolão Preto e Hipólito Raposo. n Parte para Macau o novo Governador Cap. Ten. João Carlos da Maia. n Deflagra um fogo na Fábrica do Grandela. O Eng. Cunha Leal é nomeado interi-

Director das Obras Públicas 10 namente de Angola.

Início dos trabalhos de construção da

11 ponte sobre o rio Sorraia.

Violento ciclone varre Porto Amélia em

7

Publica-se em Lisboa o semanário monárquico “Papagaio Real” dirigido artisticamente por Almada Negreiros. n Reunião do Congresso da República, que prorroga os trabalhos até 15 de Maio.

causando vários mor12 Moçambique, tos, devastadora destruição e avultados prejuízos materiais. O Chefe do Estado preside à abertura

Pedagógico, na Socie15 dodadeCongresso de Geografia de Lisboa. n Desenha-se em Luanda uma presumível conspiração de carácter autonomista. Na Sociedade de Belas-Artes é inau-

pelo Presidente da República, 16 gurada, uma exposição de “maquettes” para o monumento ao marquês de Pombal. n Como Governador interino de Macau, por meses apenas, é nomeado o 179


1914 oficial da Armada José Martins Pereira.

Abril à cena a opereta “Guerra aos 29 Sobe Homens”, de Avelino de Sousa, no

Teatro da Rua dos Condes, em Lisboa.

18

Regressa a Évora o Arcebispo da Diocese, D. Augusto Eduardo Nunes, depois de dois anos de desterro. n Chega a Lisboa o novo E.E.M.P. do Brasil Regis de Oliveira.

19

Morre em Lisboa o jornalista Acácio Pereira.

liceais, Dr. Ventura Faria de 21 fessores Azevedo. Morre em Lisboa o decano dos pro-

fará no Porto e em Viseu sob o tí22 que tulo “A Democracia e a Igreja”. A.O.S. data de Coimbra a conferência

n O Ministro Plenipotenciário do Brasil, Regis de Oliveira, procede à entrega das credenciais.

26 democrático).

Cessa a publicação “O Povo” (Lisboa -

Santa Maria da Feira - Nasce Henrique

de Macedo, jurista, político e 27 Veiga ministro sob o Estado Novo. n Toma posse como Governador-Geral de Moçambique, o Gen. de Engenharia Joaquim José Machado.

Tentativa de assalto ao quartel da Arti-

30 lharia 4, em Amarante. 31

Morre o marquês da Fronteira e Alorna.


Maio 1

Inauguração da carreira dos eléctricos na Avenida Almirante Reis, em Lisboa. n Duelo ao sabre, entre os oficiais da Marinha, Álvaro Nunes Ribeiro e Jaime Leote do Rego. n Manifestações do operariado em Lisboa.

2

Abertura em Lisboa, pelo Presidente da República, do 1.º Congresso Nacional das Associações Comerciais e Industriais Portuguesas. n No Porto tem lugar o 2.º Congresso da Federação das Juventudes Católicas.

3

A.O.S. profere a conferência “A Democracia e a Igreja” no Congresso da Juventude Católica do Porto. A sessão é interrompida por grupúsculos populares que invadiram a sala partindo cadeiras e estilhaçando vidros.

4

Manifestações populares no Porto, com agressões a vários sacerdotes.

6

Dec.- D.G. n.º 68 - cria o concelho do Bombarral. n Lei - D.G. n.º 68 - criando o concelho da Ribeira Brava, Açores. n Dec.- D.G. n.º 68 - cria em cada liceu um conselho administrativo.

7

Estreia da peça “Telhados de Vidro”, de Augusto de Lacerda, no Teatro Nacional em Lisboa. n Publica-se “A Restauração” (Lame181


1914 go - monárquico - n.d.). n Deixa o Governo da Guiné o Ten. da Armada Carlos de Almeida Pereira.

8

9

Inauguração em Lisboa da Exposição de Embalagens. n Lei - D.G. n.º 70 - criando o concelho de Alcanena. n Fernando Pessoa cria o heterónimo Alberto Caeiro e escreve o poema “Guardador de Rebanhos. Abílio Guerra Junqueiro termina as sua funções de E.E.M.P. político em Berna, Suiça.

a Lisboa D. João Evangelista de 11 Chega Lima Vidal, Bispo de Angola e Congo, para pedir providências que salvassem da ruína as Missões Ultramarinas. n Chega a Lisboa uma comissão de portugueses da Califórnia, para tratar da participação nacional na Exposição Panamá-Pacífico.

14 Aeronáutica.

do concurso hípico internacional, 16 Início no parque de Palhavã em Lisboa. n Congresso do Partido Democrático, (anterior P.R.P.) na Figueira da Foz. Cessa a publicação “A Resistência”

- evolucionista - n.d.). 17 (Coimbra n “A Igreja de S. João de Almedina” artigo de A.O.S. publicado em “O Imparcial”. n Grande comício reivindicativo dos caixeiros de Lisboa. do monumento ao marquês de 18 tarém, Sá da Bandeira.

Lançamento da 1.ª pedra, em San-

a cena, no Teatro Nacional, a peça 21 Vaí “A Cilada”, de Pedroso Rodrigues. n Declaram-se em greve os pescadores de Sesimbra.

O Papa torna pública a eleição da D.

Mendes Belo, 13.º Patriarca 25 António de Lisboa, como Cardeal.

Lei - D.G. n.º 74 - cria uma Escola de

15 boa, por ocasião de uma récita de cariIncidentes no Teatro Nacional em Lisdade ali realizada. n Inauguração na S.N.B.A. da exposição anual de pintura pelo Presidente da República.

26 Raul Mesnier de Ponsard, responsável Inambane, Moçambique - Morre o Eng.

por várias obras emblemáticas de construção em ferro.

27 - monárquico).

Publica-se o “Diário da Manhã” (Lisboa


Maio Parlamento o deputado Mourão 29 No apresenta a proposta de trasladação dos restos mortais de Camilo Castelo Branco para o Panteão Nacional.

Lei - D.G. n.º 86 - cria, em cada uma

cidades de Lisboa e Porto, uma 30 das escola sob a denominação de Escola de Construções, Indústria e Comércio. n Publica-se “O Democrata” (Angra do Heroísmo - P:R.P. - n.d.). n Conflitos entre estudantes e a população que levará ao encerramento da U.C.. Académicos em Coimbra atacam a

31 Polícia. n A.O.S. repete em Viseu, num sarau

literário-musical organizado pelo Circulo Católico dos Operários, a sua conferência: “A Democracia e a Igreja”.

183


1914 1

Cessa a publicação “A Esperança” (Funchal - católico - n.d.). n Port. - D.G. n.º 130 - aprova o projecto e orçamento gerais da linha de circunvalação do Porto. n Lei - D.G. n.º 87 - criando o concelho de Alportel. n Criação do Município de São Braz de Alportel.

2

Canta-se, no Coliseu dos Recreios de Lisboa, a ópera “Proserfina”, regida pelo autor Camille Saint-Saens. n Tiroteio nas ruas de Coimbra entre estudantes e a Polícia.

3

A classe dos Farmacêuticos vai ao Parlamento reivindicarem uma lei favorável aos seus interesses profissionais.

4

Desafio de futebol entre um grupo escocês e outro português, levando o primeiro a melhor.

6

Realiza-se a 1.ª audiência do Tribunal dos Acidentes de Trabalho.

7

Inauguração da cantina escolar do Campo Grande em Lisboa. n Publica-se no Porto o diário “A Liberdade”, (católico), sendo seu editor o Dr. Carneiro de Mesquita. Será um dos jornais da época de maior longevidade.

8

Chega a Lisboa o Enc. Neg. e escritor mexicano, Amado Nervo.

9

Após longa ausência no exílio regressa a Portugal o Conselheiro João Franco, antigo Ministro da Monarquia.

10 sume o Governo de Macau.

O Cap. Ten. José Carlos da Maia as-

12 Sesimbra.

Termina a greve dos pescadores de

5

Reúne o Congresso da República, prorrogando os trabalhos parlamentares até 30 do corrente. n Publica-se “O Povo de Braga” (evolucionista - n.d.). n Lei - D.G. n.º 91 - fixa o limite das águas territoriais portuguesas, para efeitos de pesca. n O matutino “O Século” dá notícia da publicação da biografia de “D. Francisco Manuel de Melo” pelo Académico e Prof. na Universidade de Mancheter, Edgar Prestage.

de Guerra - o ressurgimento 13 “Marinha naval espanhol - o de Portugal não Título de caixa alta de “O Século”: passa do papel, ou antes, de muitos papéis”. A bordo do seu barco chega ao Tejo o

norueguês Fridijo Nausen, 14 explorador (ou Nansen) que vem a Portugal fazer estudos oceanográficos.


Junho n Setúbal - Nasce Rui de Carvalho Nascimento, xadrezista. Inauguração em Coimbra do novo Tea-

Sousa Bastos, com a opereta “A 15 tro Rainha das Rosas”.

n O explorador norueguês Fridijo Nausen (ou Nansen) é recebido na Sociedade de Geografia de Lisboa. Morre António José Gomes Netto, di-

do Banco de Portugal e da Em17 rector presa de Navegação. n Lei - D.G. n.º 99 - cria o concelho de Castanheira de Pêra. (Bragança - católico - n.d.). 18 no” n Cessa a publicação “O Povo de BraPublica-se o “Legionário Transmontaga” (evolucionista - n.d.).

19 Maçónico.

No Porto dá-se início ao Congresso

(Évora - Partido Democrático - n.d.). 21 co” n Inauguram-se, na carreira de tiro de Cessa a publicação o “Sul Democráti-

Pedrouços, os Jogos Olímpicos Nacionais com a prova de tiro ao alvo. n O Chefe do Governo, Bernardino Machado, apresenta ao Presidente da República a demissão do Ministério, que é aceite.

posse o VI Governo Constitu23 Toma cional novamente presidido por Ber-

nardino Machado. n Nomeação do Dr. Alfredo Lisboa de Lima para Ministro das Colónias. Exonerado em 12.12 1914. n Nomeação do Dr. José Sobral Cid como Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 12.12.1914. n Nomeação do Cor. Alfredo Freire de Andrade para M.N.E. Exonerado em 12.12.1914. n Nomeação do Alm. Augusto Eduardo Neuparth para Ministro da Marinha. Exonerado em 12.12.1914. n Nomeação do Gen. António Pereira d’ Eça para Ministro da Guerra. Exonerado em 12.12.1914. n Nomeação do Cap. António dos Santos Lucas como Ministro das Finanças. Exonerado em 12.12.1914. n Nomeação do Prof. Doutor Bernardino Machado para Ministro da Justiça interino. Exonerado em 22.7.1914. n Nomeação do Prof. Doutor Bernardino Machado para Ministro do Interior. Exonerado em 12.12.1914. n Bernardino Machado no 1.º dos seus Governos de 134 dias produziu 498 diplomas legislativos. n Morre o pintor histórico, decorador e arquitecto Francisco Vilaça. n A Comissão encarregada de ordenar os “Papéis dos Antigos Paços Reais” apresenta o seu relatório. O matutino “O Século” noticia a con-

do palacete sito na Avenida 25 clusão Fontes Pereira de Melo, do Arq. Norte Júnior e propriedade do capitalista do 185


1914 Pará José Marta Marques. Hospeda-se no Hotel Avenida Palace

Roosevelt e sua mulher. O filho 26 Kermt do ex-Presidente americano inicia em Lisboa a viagem de núpcias.

27 Sport”.

Publica-se em Lisboa o “Jornal do

Inaugura-se o Museu de Arte Contem-

28 porânea em Lisboa.

que reconheceu a S.N.B.A. como 29 Lei ins-tituição de utilidade pública, fundada em 1901.

Alter do Chão - Nasce Joaquim Namo-

poeta. 30 rado, n Encerramento dos trabalhos parlamentares. n Chaves - Nasce Francisco da Costa Gomes, Marechal e Presidente da República no regime democrático da III República. n Por falta de importação de trigo entram em greve os operários das moagens. n Conflitos estudantis em Coimbra com a prisão de cerca de 200 estudantes. n Manuel Gomes da Costa é promovido a Coronel.

Junho


Julho Publica-se o 1.º número do Boletim da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

1

3

A dívida pública ascende a 641.517 contos. n Publica-se no Porto o jornal “O Norte”, diário democrático da tarde do P.R.P., dirigido por Jaime Cortesão. Port. D.G. n.º 108 - determina que nos passaportes dos emigrantes seja lançada uma sobrecarga em que se designe o navio, o porto de destino e a data de saída. n Estreia, no Teatro da República em Lisboa, a revista “O Pão Nosso”. n Os estudantes das Faculdades de Letras e Ciências de Lisboa, Porto, Coimbra e Évora recusam e protestam contra o orçamento do Ministério da Instrução Pública.

9

Tamengos - Nasce Afonso Queiró, Professor universitário e jurista, figura grada no Estado Novo. n Efectuam-se experiências e testes das novas carruagens postais ambulantes, para a melhoria do Serviço dos Correios. Morre o professor António dos Santos

físico e antigo Reitor da U.C.. 10 Viegas, n O jornal “O Século” noticia que, no

cemitério de Luanda, o único túmulo “de arte” ali existente pertencia ao célebre bandoleiro José do Telhado. O Padre Manuel Gonçalves Cerejeira

a direcção do jornal “O Impar12 deixa cial”, órgão oficial do CADC. n Comício do Partido Evolucionista e anarquistas contra o Governo. Manifestações no Funchal de protesto

4

Cessa a publicação “A Tarde” (Porto democrático).

5

Com pompa e circunstância o P.R. Manuel de Arriaga visita o Município de Lisboa.

15 contra o imposto de farolagem.

Lei - D.G. n.º 118 - aprova, para ser

a Convenção Sanitária Inter16 ratificada, nacional, de 17 de Janeiro de 1912. Com a presença do Chefe do Estado

7

José da Costa Carneiro assume o Consulado em Tânger com funções diplomáticas. n Lei - D.G. n.º 111 - reorganiza os serviços do Ensino Normal Primário.

à entrega, na Academia 19 procede-se das Ciências de Lisboa, dos prémios do concurso literário do centenário sobre a Guerra Peninsular. n Publica-se “A Voz do Faminto” (Viana do Castelo - anarquista - n.d). n Tumultos em Setúbal, por ocasião 187


1914 da visita ali realizada pelo Dr. António José de Almeida.

Julho Alemanha acede a assinar o acordo 28 Aanglo-alemão sobre as colónias portu-

guesas, nos termos pretendidos pela Grâ-Bretanha.

O jornalista Francisco Homem Cris-

Filho radica-se em Lisboa, assu20 tomindo a direcção do jornal de índole monárquica “A Restauração”.

22

Nomeação do Dr. Eduardo de Sousa Monteiro como Ministro da Justiça. Exonerado em 12.12.1914. Publica-se “ O Arauto” (Portimão - re-

Criação, no Porto, de uma unidade

denominada Hospital da Ci29 policlínica, dade. n Encerra-se o Parlamento, sem ter logrado a reunião do Congresso. n “A Guerra foi declarada”, título de capa de “O Século” sobre a invasão da Sérvia pelas tropas austríacas.

- n.d.). São marcadas eleições para 1 de No23 gionalista n Evolucionistas e Unionistas deixam 31 vembro próximo. de comparecer ao Congresso, paralisando os respectivos trabalhos. Exoneração do cargo de Governa-

Civil de Lisboa do Dr. António de 25 dor Cassiano Neves. Sucede-lhe António Júdice da Costa.

26

Reabertura do Parlamento.

27 - monárquico).

Publica-se o “Jornal da Noite” (Lisboa n Os empregados dos Hospitais Civis deslocam-se ao Parlamento para reivindicarem providencias do seu interesse.


Agosto 1

Viana do Castelo - Morre João Eça Leal, poeta e escritor teatral. n Dec.- D.G. n.º 131 - estabelece a circunscrição dos Consulados de Portugal no Brasil.

2

Abertura, em Setúbal, do 1.º Congresso dos Trabalhadores Marítimos e Fluviais.

3

O Governo britânico solicita que o seu homólogo português se abstenha de fazer qualquer declaração de neutralidade. n Corrida aos Bancos e ao Montepio Geral, para levantamento de depósitos. n Morre em posto o Dr. Inácio da Costa Duarte, Cônsul-Geral em Hamburgo. n Segundo Aquilino Ribeiro, que entrevista o E.E.M.P. em Paris João Chagas, este afirma-lhe: “De hoje em diante tomo a peito levar o meu País à guerra”. n Na Rua do Carmo em Lisboa abre “o mais ‘chic’ estabelecimento de Lisboa: “Au Bonheur des Dames”.

5

Lei - D.G. n.º 134 - aprova, para ser ratificada, a Convenção de 25 de Outubro de 1913, para a criação de uma Associação Internacional da Hora. n Dec.- D.G. n.º 134 - convoca extraordinariamente o Congresso da República, para o dia 7 de Agosto. n Por via das Legações portuguesas de Londres e Paris o M.N.E. toma conhecimento da declaração de guerra oficial da Inglaterra à Alemanha. 189


1914 n José da Costa Carneiro apresenta cartas de gabinete como Cônsul em Tanger, mas ambém com funções diplomáticas. n Nota do E.E.M.P. britânico, Lancelot Carnegie, na qual se reafirma a Aliança Inglesa no caso de um ataque alemão a Portugal e se solicita ao Governo português que se abstenha de proclamar a neutralidade.

6

7

A União Operária Nacional, U.O.N., reúne para definir a sua posição face à guerra europeia, sendo em princípio anti-bélica. n Reaparecem em circulação as moedas de prata de 100 réis, com a efígie de D. Manuel II. n Publica-se “O Povo do Algarve” (Tavira - republicano democrático - n.d.). n Cessa a publicação a “Era Nova” (Barcelos - democrático - n.d.). Publica-se em Lisboa o “Combate”, órgão central do Partido Socialista Português, dirigido por António Pereira e César Nogueira. n O Congresso da República concede ao Governo autorização para intervir militarmente na guerra. n Em reunião extraordinária, o Congresso da República aprova um documento de intenções sobre a condução da política externa portuguesa apresentado por Bernardino Machado.

8

Bernardino Machado declara, no Congresso, que Portugal cumprirá as suas obrigações para com a Aliança Inglesa. n L. n.º 275 permitindo ao Governo libertar-se dos condicionalismos parlamentares, face ao estado de guerra em curso. n Título de capa de “O Século”: “Dia de glória para Portugal, o de ontem - o Parlamento, em nome da Pátria, depõe nas mãos do Governo os destinos nacionais e afirma o seu respeito pela Aliança inglesa”. n Suspende-se definitivamente em Paris o jornal “O Povo de Aveiro no Exílio” no seu número 52.

9

Silves - Nasce Maria Keil do Amaral, pintora.

10 dos preços dos géneros alimentícios.

Dec.- D.G. n.º 138 - proíbe a elevação

- Tratado de Comércio e Nave12 Lisboa gação luso-britânico. Carta do Ministro britânico ao M.N.E.,

autorização para a pas13 solicitando sagem das forças inglesas através dos territórios portugueses em África. O povo da Costa da Caparica assal-

os barcos de Setúbal que ali pes14 tacavam, afunda três, mas salvando as tripulações.


Agosto - D.G. n.º 143 - Lei Orgânica de Regulamento dos Armazéns Gerais In15 Lei Administração Civil das Províncias Ul- 21 dustriais. tramarinas. n Carta do ex-monarca D. Manuel II a João de Azevedo Coutinho, informando ter-se oferecido como voluntário a Jorge V de Inglaterra, para combater na guerra em curso. n Sidónio Pais faz testamento. n O M.N.E. inglês Edward Grey continua a fazer “todo o possível” a fim de evitar envolver Portugal na Guerra, através de telegramas ao seu homólogo. Norton de Matos, Governador-Geral de

parte para a colónia depois de 16 Angola, uma estadia em serviço na Metrópole. n Publica-se em Lisboa o jornal monárquico “O Pasquim”.

n Parte para o o Patriarca de Mendes Belo. n Dec.- D.G. n.º Mercadorias nas Porto.

Conclave de Roma, Lisboa, D. António

150 - cria Bolsas de cidades de Lisboa e

24 a sua publicação, em protesto por teO jornal “O Dia”, de Lisboa, suspende

rem sido apreendidos alguns dos seus números. n Anuncia-se a estreia da revista “O Pão Nosso” com Chaby Pinheiro como actor principal. Primeiro acto de declarada hostilidade

atacando o posto de Mazina, 25 alemã, Moçambique.

Deixa de se publicar o jornal monárqui-

17 co “O Dia” de Lisboa.

Cessa a publicação “O Jornal da Noite”

- monárquico). 18 (Lisboa n Decreta-se a organização de duas

Dec.- D.G. n.º 152 - amplia a facul-

de emissão de notas de ouro do 26 dade Banco de Portugal, até ao limite de

120:000.000.$00. n Portugal é aceite provisoriamente como membro da F.I.F.A. (que se tornará definitiva só em 1923).

expedições com destino a Angola e Moçambique. A primeira comandada pelo Ten. Cor. Alves Roçadas e a segunda pelo Ten. Cor. Messano de Amorim. n Toma posse de Reitor da U.C. o Prof. Catedrático de Direito Guilherme Alves Moreira.

possessões portuguesas, em caso 27 das de ataque alemão.

Aprova-se a construção de dois con-

Inicia-se a cunhagem da moeda de 1

O Governo inglês assegura a defesa

para incrementar a Ar- 29 escudo em prata, comemorativa do 5 20 tratorpedeiros mada Portuguesa. de Outubro.

191


1914 n Augusto Vasconcelos Correia apresenta credenciais de E.E.M.P. em Madrid. n Estreia, no Teatro da República, em Lisboa, a revista “Seca e Meca”. n Apresenta credenciais em Berna como E.E.M.P. António dos Santos Bandeira. Dec. Lei n.º 332 estabelece os novos

dos trabalhadores do 31 vencimentos Telégrafo-Postal, em discordância com as promessas antes feitas pelo Ministro do Trabalho.

Agosto


Setembro Início da construção da Central (eléctrica) do Tejo.

1

Greve dos trabalhadores da empresa Correios, Telégrafos e Telefones. n Dec. 3327 determinando a mobilização de todo o pessoal dependente da Administração Geral dos Correios, Telégrafos e Telefones. n Portaria determinando que sejam considerados desertores todos os trabalhadores da empresa dos Correios, Telégrafos e Telefones que abandonassem os seus postos de trabalho.

2

Norton de Matos retorna a Angola onde chega nesta data, reassumindo a governação.

4

Constitui-se a Sociedade Agrícola de Alorna. n Incidente com a China em virtude da passagem de tropas chinesas pelo Porto Interior, sem prévio consentimento do Governo de Macau.

6

7

n Publicação da “Carta de um Velho a um Novo”, de Ramalho Ortigão dirigida a João Amaral, do movimento Integralista.

8

Morre o Conselheiro Thomás de Melo Sampaio, Presidente do Supremo Tribunal Administrativo. n Fernando Pessoa escreve a Sampaio Bruno solicitando informações e indicações sobre o “Sebastianismo”. n Castelo d’ Eu, França - Nasce a Infanta D.ª Francisca, filha de Pedro de Orleães e Bragança, que se casará com D. Duarte Nuno, seu primo e duque de Bragança. n Lisboa - Morre Pedro Brito Aranha, escritor e continuador do “Dicionário Bibliográfico Português” iniciado por Inocêncio F. da Silva. Partem de Lisboa forças expedicionári-

com destino a Angola, comandadas 11 as, pelo Tenente-coronel Alves Roçadas e para Moçambique, sob a chefia do Tenente-coronel Messano de Amorim. das funções de Embaixa12 exonerado dor no Rio de Janeiro e substituído por Bernardino Machado é oficialmente

Inauguração na Figueira da Foz do Jardim-Escola João Deus. n Chegam a Lisboa três dos contingentes da província que irão constituir as expedições militares para Angola e Moçambique. Dec.- D.G. n.º 161 - abre um crédito especial para despesas com a construção do Liceu Central Feminino de Lisboa.

Duarte Leite. Arde completamente o Teatro da

em Lisboa, antes de D.ª 13 República Amélia e actual S. Luís, em homenagem ao visconde de S. Luís de Braga. n Lisboa - Morre José Ramos Coelho, poeta, crítico e historiador. 193


1914

Setembro

na sede do Sindicato dos FerDec. - D.G. n.º 173 - cria em Lisboa 14 Reunião, roviários, em que são requeridas ao 24 uma Junta Reguladora de Câmbios. Governo urgentes medidas económicas.

Inauguração em Lisboa do Eden-Tea-

16

Dec. n.º 867 aprovando o regulamento do Instituto Superior de Agronomia.

onde fora anteriormente um peque25 tro, no teatro chamado “Variedades”.

Protestos, tumultos e assaltos a lojas e

n Norton de Matos toma providências para combater a doença do sono em Angola.

Adiamento “sine die” das eleições deter-

- unionista - n.d.). 26 (Braga n Carta - D.G. n.º 211 - confirma e ra-

do Porto e Lisboa, organiza18 armazéns dos contra a carestia da vida.

Cessa a publicação o jornal “Justiça”

por Bernardino Machado, a pre19 minada texto da crise europeia.

tifica o Acordo prorrogando, por cinco anos, a Convenção de Arbitragem de 6 de Abril de 1908, entre Portugal e os Estados Unidos da América.

Cessa a publicação o jornal “O Ope-

(Beja - socialista- n.d.). 20 rário”, n Cessa a publicação do jornal “A Cidade” (Portalegre - unionista - n,d.).

21

23

É lançado à água o contratorpedeiro “Guadiana”, construído no Arsenal da Marinha, na presença do Chefe do Estado. n O Ministro Plenipotenciário francês entrega ao Governo a Nota, enviada a todos os países, de protesto pela destruição da catedral do Reims pelos alemães. n Regressa de Roma a Lisboa o Cardeal Patriarca, D. António Mendes Belo. Abalos de terra no Ribatejo.

O Cardeal Patriarca de Lisboa faz a

entrada solene na Sé, depois 27 primeira de lhe ter sido imposto o barrete cardinalício. n Chega a Moçamedes a 1.ª expedição militar portuguesa sob o comando de Alves Roçadas (ou 1 de Outubro). O P.R. Bernardino Machado recebe em

o Almirante Comandante da 28 audiência divisão naval inglesa do Atlântico.


Outubro 1

Bula do Bento XV transferindo D. Manuel Vieira de Matos, Bispo da Guarda, para o arcebispado de Braga. n Declaram-se em greve os motoristas de praça em Lisboa.

2

Vila Viçosa - Nasce Manuel Lereno, actor. n S.S. Bento XV nomeia Bispo da Guarda, D. José Alves Matoso. n S.S. Bento XV nomeia para Bispo de Angra D. Manuel Damasceno da Costa. n Nomeação de D. António Pereira Ribeiro como Bispo do Funchal.

3

Entra em circulação a moeda de 1 escudo em prata, comemorativa da proclamação da República.

5

Audiência do P.R. ao Comandante do cruzador francês em visita oficial a Lisboa.

7

Publica-se “O Mensageiro” (Leiria católico - n.d.) O antigo Real Hospital das Caldas da

passa a denominar-se “D.ª Le10 Rainha onor”. n Viseu - Nasce Mirita Casimiro, actriz. Publica-se “A Revolta” (Coimbra - co-

e anarquista - n.d.). 11 munista n A explosão de um gasómetro na Fábrica da Boa Vista em Lisboa provoca 16 mortos e 40 feridos. 195


1914 Conselho de Ministros trata-se 13 Em da organização de um Corpo Expedi-

cionário, destinado a França. n O Ministro alemão avista-se com o M.N.E. a quem apresenta um protesto do seu Governo, em vista das atitudes hostis que Portugal tem assumido face à Alemanha. n Decreto repondo o Código Administrativo promulgado em 1878. Morre em combate o Tenente Carvalho

Comandante do draga-minas, 14 Araújo, “Augusto de Castilho” torpedeado pe-

los alemães. n Morre em posto Luís Correia da Silva, Cônsul-Geral de Portugal em Londres. n Conclui-se a concentração das forças militares no Lubango, Angola.

Naulila são avisadas da presença de tropas alemãs em território angolano. n Os directores dos estabelecimentos de ensino técnico de Lisboa são recebidos em audiência pelo P.R. Manuel Teixeira Gomes.

18

Inaugura-se a tracção eléctrica em Braga. n As tropas portuguesas partem de Lourenço Marques para Porto Amélia. n Incidentes com tropas alemãs em Naulila, na região de Cuamato, Angola n Parte para Londres a missão militar portuguesa, a fim de conferenciar sobre a eventual entrada na guerra. n Alves Roçadas toma posse do Governo da Província angolana de Huíla. Um administrador e vários soldados

15

Forças alemãs entram ilegalmente em território angolano de Naulila.

16

Entram em circulação as notas de 5$00 ouro. n Chegada a Lourenço Marques das forças expedicionárias portuguesas.

introduzidos ilegalmente na 19 alemães região de Naulila, Angola, são mortos por forças portuguesas.

António de Oliveira Salazar conclui o

de Bacharel em Direito com o e17 grau xame de Direito Internacional Privado, no qual obtém a classificação de 19 valores. n É eleito membro da Academia Brasileira de Letras o poeta, escritor e diplomata Alberto de Oliveira. n As forças portuguesas do posto de

Pronunciamento monárquico em Mafra,

pelo Major Rodrigues Noguei20 liderado ra, que se opõe à participação portuguesa na guerra. n São cortadas as comunicações telefónicas e telegráficas com o Norte do País. n Cisão na Maçonaria Portuguesa quando a Loja Pátria e Liberdade se desliga da obediência do Grande Oriente Lusitano Unido.


Outubro do jornal monárquico de Luangar em Angola, no 21 Empastelamento 30 Massacre “Notícias de Évora”. ataque alemão ao posto de comando n O jornalista Francisco Homem Cristo Filho é posto na fronteira e, pela 2.ª vez, expulso de Portugal, por alegadamente estar envolvido no movimento revolucionário do dia anterior.

22

Constituição de um Tribunal Militar Especial para julgamento dos implicados no movimento insurreccional do dia 20 anterior. n Assalto ao jornal “Vanguarda” em Lisboa.

português da área: morrem 22 militares. Dec.- D.G. n.º 202 - cria uma comis-

para análise das providências a 31 são, adoptar, sobre a situação do comércio português de exportação. n Tropas alemãs em retaliação ao incidente de Naulila (19/10) atacam e massacram a guarnição portuguesa do Porto de Quangar, Angola. n O Papa Bento XV nomeia D. Manuel Coelho da Silva como Bispo-conde de Coimbra.

Inauguração, no Jardim da Estrela em

do monumento ao actor Taborda. 24 Lisboa, n Lisboa - Nasce Francisco Lyon de Castro, editor. Assalto ao jornal “Liberdade” do Porto.

Na Biblioteca Nacional de Lisboa 26 né criado um posto de “saneamento e desinfecção de livros”. Ultramarinas, a concessão 28 Províncias do exclusivo do fabrico de produtos Dec.- D.G. n.º 199 - permite, nas

de qualquer indústria, que à data da concessão não estivesse explorada na área.

29 “modificada, embelezada e moderniReabre em Lisboa a pastelaria Benard, zada”.

197


1914 1

Forças expedicionárias portuguesas chegam a Porto Amélia, Moçambique. n Angra do Heroísmo - Nasce António Dacosta, pintor e poeta.

5

Partem tropas de reforço para Angola, um batalhão de Marinheiros, comandado pelo Cap.-Ten. Coriolano da Costa.

7 8 9

Ataques alemães a portos portugueses em Angola.

14 É

mandado fechar o Seminário da Guarda, por constar que ali se ministrava ensino religioso em contravenção das leis em vigor. n Publica-se o 1º Boletim da Associação dos Proprietários “A Propriedade Urbana”.

- Nasce 15 Portimão Fogaça, escritora.

Marisabel Xavier

conferências patrióticas 16 Realizam-se sobre a conflagração europeia, no

Faro - Nasce José Pedro Machado, professor, publicista e grande dinamizador do estudo da língua portuguesa.

Centro Solidariedade Republicana. n Convenção luso-britânica, em que se declaram em vigor os antigos Tratados de aliança.

Magalhães Lima promulga a nova Constituição Maçónica Portuguesa.

a representação de uma re17 Proíbe-se vista no Teatro da Rua dos Condes,

11 Seguem

para Ponta Delgada, com residência fixa, Machado Santos, Pimenta de Castro e outros exilados políticos.

comercial a Londres, constituí12 Missão da por elementos da Associação Co-

por oferecer um quadro desprimoroso do Exército português. n Dec.- D.G. n.º 215 - convoca extraordinariamente o Congresso da República para 23 de Novembro. n Dec.- D.G. n.º 215 - institui uma secção feminina junto a cada um dos Liceus do Porto e Coimbra.

mercial de Lisboa. n Publica-se “O Riso do Vouga” (Aveiro - independente - n.d.).

- Nasce Manuel Lapa, pintor. 19 Lisboa n Conflitos ocorridos na fronteira sul

- Morre José Ramos Coelho, 13 Lisboa conservador da B.N.L. e historiador.

de Angola, entre forças portuguesas e alemãs. n Santarém - Nasce Joaquim Luís Gomes, compositor e maestro.


Novembro 21 A bordo de um navio inglês seguem 26 Conflito entre a Companhia Carris e a para França 56 canhões de 75 mm, mas sem guarnição portuguesa. n Divisão de Portugal continental em 6 circunscrições industriais. n Parte para Cabo Verde uma expedição militar.

em Lisboa durante uma ma22 Tumultos nifestação contra o Almirante Leote do Rêgo. D.G. n.º 220 - proíbe os senho23 Dec.rios de elevarem as rendas dos prédios urbanos. É o Congelamento que danosamente perdura até agora. n O Congresso da República autoriza o Governo a “intervir militarmente” na guerra. n Discurso de António José de Almeida no Parlamento defendendo a participação portuguesa na Grande Guerra ao lado da Grã-Bretanha.

Câmara Municipal do Porto. n Dec.- D.G. n.º 222 - reorganiza a Secretaria de Estado da Justiça e dos Cultos.

desordem entre marítimos em 28 Grave Setúbal. a publicação “O Trabalho” (Vi29 Cessa ana do Castelo - operário - n.d.). n No cemitério dos Prazeres em Lisboa inaugura-se o monumento em homenagem ao socialista Azedo Gneco. proibindo a publicação de 31 Decreto notícias sobre as Forças Armadas portuguesas sem origem oficial.

24 Regressa de Londres a Missão Militar

ali enviada. n Embarca rumo ao Brasil o Dr. Duarte Leite, 2.º Representante de Portugal com a categoria de Embaixador. n “A Intervenção de Portugal no Conflito - O Congresso aprova unanimamente uma proposta do Chefe do Governo nesse sentido”, título a toda a capa de “O Século”.

199


1914 1

Inauguração em Lisboa do novo Velódromo, com a realização de corridas de bicicleta e motociclos.

2

O deputado Vitorino Machado apresenta na Câmara uma interpelação ao Governo, sobre o decreto de mobilização.

3

Novo contingente militar parte para Angola.

4

O Presidente do Ministério, Bernardino Machado, recusa responder à interpelação sobre a mobilização e abandona a Câmara dos Deputados.

5

Bernardino Machado apresenta ao Chefe de Estado a demissão do Governo. n Inauguração no Jardim Colonial de Lisboa da Exposição dos Produtos Agrícolas de Angola, que haviam sido exibidos num certame de Londres.

6

No Tribunal Militar de Mafra são condenados todos os réus do último movimento monárquico. Cessa a publicação “O Abrantes” (republicano - n.d.).

7

Entrega credenciais de E.E.M.P. da China, Tai Teh’enne Linne. n Manifestação política junto ao Palácio de Belém. n Duarte Leite assume a Embaixada

de Portugal no Rio de Janeiro, onde permanecerá por longos anos.

8

Francisco Herédia Ribeira Brava, conde do apelido, assume como Governador Civil de Lisboa. n O Batalhão de Infantaria 17 parte para África.

9

Port. D.G. n.º 231 - reconhece de utilidade pública a Sociedade de Estudos Históricos. Port. D.G. n.º 232 - declara benemérito

República o Grémio Republicano 10 daPortuguês do Rio de Janeiro. É formado o VII Governo Constitu-

presidido por Vítor Hugo de 12 cional Azevedo Coutinho. n Nomeação do Cap. Álvaro de Castro para Ministro das Finanças. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Dr. Augusto Soares para M.N.E. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Eng. Eduardo Lima Basto para Ministro do Fomento. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Dr. Augusto Soares para Ministro da Justiça. Exonerado em 21.12.1914. n Nomeação do Cor. Joaquim de Albuquerque e Castro para Ministro da Guerra. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Cap. Frederico Ferreira de Simas para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 25.1.1915.


Dezembro n Nomeação do Cap. Ten. Victor de Azevedo Coutinho para Ministro da Marinha. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Cap. Frag. Alfredo Rodrigues Gaspar para Ministro das Colónias. Exonerado em 25.1.1915. n Nomeação do Dr. Alexandre Braga para Ministro do Interior. Exonerado em 25.1.1915. n No seu 2.º mandato governamental Bernardino Machado produz 812 diplomas legislativos em 172 dias. n Confrontos acidentais entre forças portuguesas e militares alemãs no Cunene, Angola. n José Queiroz é encarregado de proceder ao inventário dos azulejos artísticos, existentes em todo o País. Apresentação ao Parlamento do pro-

n O Ministro da Educação confirma a eleição de Columbano Bordalo Pinheiro, para director do Museu de Arte Contemporânea. n Criação da União das Juventudes Socialistas.

20 lhã - republicano - n.d.).

Cessa a publicação “A Justiça” (Covi-

Nomeação do Dr. José Barbosa de

para Ministro da Justiça. 21 Magalhães Exonerado em 25.1.1915. n Entrega credenciais ao Presidente Venceslau Bráz no Rio de Janeiro, o novo Embaixador Duarte Leite. Entrega credenciais o novo Ministro

do Governo que obtém um voto 22 Plenipotenciário da Itália, Ernesto Koch. 14 grama de confiança. n Encerramento do Parlamento.

15 ligiosa.

Tumultos em Tarouca de natureza re-

A circulação do jornal de Brito Cama-

“A Luta” é proibida. 23 cho n Em Lisboa publica-se o jornal republicano “A Notícia”.

16

Dec.- D.G. n.º 237 - cria diversos cursos nocturnos móveis. Instruções telegráficas ao Ministro de

20 Deputados unionistas resignam dos

17 seus mandatos parlamentares.

em Berlim, para que apre24 Portugal sente um protesto ao Governo alemão sobre os incidentes no Sul de Angola.

Derrota das forças portuguesas em

Lisboa - Nasce José Valente Pires, mili-

praças.

em que permanece até 1971.

frente às tropas alemãs, mor- 26 tar que, no posto de Brigadeiro é no18 Naulila, rendo três oficiais e 63 sargentos e meado Governador de Timor em 1967,

201


1914 n Cessa a publicação o “Notícias da Beira” (Castelo Branco - republicano - n.d.). O Governo decreta uma nova mobili-

de 4.300 soldados para reforçar 28 zação as tropas coloniais. Proíbe-se a venda de trigo por particu-

salvo sendo para sementeiras. 30 lares, n Derradeiro número da revista “Ocidente”, publicação ilustrada de Portugal. Cessa a publicação “O Norte” (Porto -

31 P.R.P.). n As possessões

portuguesas em África totalizam 927.292 milhas quadradas com 7.734.701 habitantes, na Ásia somam 8.972 milhas quadradas com 1.001.153 habitantes. n A população de S. Tomé e Príncipe é de 63.845 habitantes, sendo 1570 europeus. n A balança comercial de Angola é deficitária: importações 5.363 contos contra 4.167 contos de exportações. n Desde 1911 tinham-se constituindo apenas 241 corporações cultuais (associações laicas encarregadas do culto). n Desde 1912 tinham-se construído cerca de 150 mil prédios em Portugal. n É de 16.868 contos as contribuições e impostos directos cobrados e Portugal. n O valor da libra-ouro em escudos é de 5$29. n O número de escolas primárias oficiais é de 6.593. n A taxa de mortalidade em Portugal é de 20,3%.

n Total de dívida pública: 128.224 libras. n No ano económico iniciado em 1913 as receitas são de 12.728 e as despesas de 11.752 libras esterlinas. n Emigram do Continente e Ilhas 25.722 portugueses.


Dezembro

203


19 15


1915 n O custo de vida regista um aumento de 12%, em comparação com o ano transacto. n Pela 2.ª vez o 1.º Ten. Médico José António de Andrade Sequeira toma posse do Governo da Guiné. n Mário de Sá Carneiro: “Céu em Fogo”. n A comunidade goesa na Índia inglesa ascende a 30 mil pessoas. n José de Campos Pereira: “A Propriedade Rústica em Portugal” n Teixeira de Pascoais: “A Arte de Ser Português”. n Ascendem a 3.073 o número de estudantes universitários do País. n J. Pimenta de Castro: “O Ditador e a Afrontosa Ditadura”. n Almada Negreiros: “Frisos, manifesto Anti-Dantas e Por Extenso”. n Edifício do Stand Fiat na Avenida da Liberdade, Lisboa, do Arq. Joaquim Fortes Júnior, Prémio Valmor.

1

Recepção de cumprimentos no Palácio de Belém, deslocando-se depois o Presidente da República ao Congresso.

militar para Angola.

5

Abertura do Parlamento. n Na Câmara dos Deputados é votado um crédito de 3 mil contos para aquisição de material de Guerra.

6

Abertura de um crédito de 800 contos para despesas com o envio de tropas para Angola e de 500 para Moçambique.

8

A Câmara dos Deputados aprova o Tratado de Comércio com a Inglaterra, do ano transacto. n Morre José Ferreira do Amaral, o maior agricultor de S. Tomé. n Junto à barra de Lisboa um cruzador inglês faz fogo sobre o vapor português “San Miguel”, prendendo depois 15 alemães que haviam embarcado na Madeira.

10 (Chaves - evolucionista - n.d).

Cessa a publicação “O Republicano”

2

A Norte de Leixões um barco de carga norueguês naufraga, perdendo 14 dos 15 elementos da tripulação.

3

Publica-se “O Facho” (Beja - socialista - n.d.).

4

Os senadores unionistas renunciam ao respectivo mandato. n Manda-se organizar nova expedição

n Inaugura-se em Lisboa as novas instalações da Associação dos Empregados de Comércio. Apresentação à Câmara, pelo Ministro

Finanças Álvaro de Castro, do Or11 das çamento Geral do Estado, prevendo-se um saldo positivo de 213.721$38. n Publicação da nova lei eleitoral que nem sequer entra em vigor.


Janeiro Congresso da República vota o adiRumores sobre um 12 Oamento dos trabalhos parlamentares 19 militar na capital.

pronunciamento

até 4 de Março.

Partida para Angola de mais forças

14

A Companhia Portuguesa de Telefones inaugura a nova estação Norte, situada na Rua Andrade Corvo em Lisboa. Registam-se em Lisboa prisões de ofi-

ditos monárquicos. 15 ciais n Reaparece em Lisboa

o jornal monárquico “O Talassa”. n Realiza-se em Lisboa o jogo de futebol Sporting-Benfica, em que os capitães das equipas são os próprios fundadores dos clubes, António Stromp e Cosme Damião.

20 militares. n Suspende-se, em Lisboa, a publi-

cação da edição da noite de “O Século”. n Registam-se alguns actos de insubordinação, entre militares de quartéis lisboetas. São feitas 64 prisões. Brito Camacho entrega um requeri-

no quartel General em Lisboa, 21 mento, pedindo para ser julgado em Conselho de Guerra.

22 da oficialidade pela demissão do Major “Movimento das Espadas”. Protesto

16 a Convenção luso-belga, de 29 de Ou-

Carta - D.G. n.º 118 - confirma e ratifica

Inauguração do novo quartel dos Sa-

João Craveiro Lopes. Machado Santos entrega a sua espada (da Rotunda) ao Presidente da República. n Lei n.º 296 fixa o período máximo de duração de trabalho diário em 10 horas para as unidades industriais e comerciais com mais de 5 trabalhadores. n O Ministro da Guerra pede demissão. n O jornal “A Luta” de Brito Camacho é encerrado por ordem governamental.

Porto - nasce o futuro Gen. de Eng.

de Castro a formar Governo. 23 menta Governo ditatorial.

tubro de 1913, para o estabelecimento de comunicações entre a Província de Angola e o Congo Belga. n Abertura do Seminário do Fundão, designado como “Internato Académico”.

Bombeiros em Lisboa, na Ave17 padores nida Defensor de Chaves.

Manuel de Arriaga convida o Gen. Pi-

de Arriaga, Governador Militar 18 Kaúlza de Moçambique, personalidade de relevo no meio castrense e político no final do Estado Novo.

n Lei - D.G. n.º 17 - aprova, para ser ratificado, o Tratado de Comércio e Navegação entre Portugal e a GrãBretanha, assinado em 12 de Agosto de 1914. 207


1915 n Estreia da revista “A Ferro e Fogo”, no Teatro Apolo de Lisboa. n O Papa concede o “Palliuna” ao Arcebispo de Braga. n Bruxelas - Nasce Christine Garnier, jornalista e escritora, que mantêve uma relação profissional e pessoal de longos anos com A.O.S., sobre quem fará um livro de sucesso “Vacances avec Salazar”.

n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro da Marinha interino. Exonerado em 28.1.1915. n Nos seus 44 dias o Governo de Azevedo Coutinho produz 142 diplomas legislativos. n É exonerado do cargo de governador civil de Lisboa o visconde da Ribeira Brava, substituído pelo Dr. Cassiano Neves. n Tentativas de assalto a vários quartéis. n O Governo pede demissão.

O Governo de Azevedo Coutinho con-

24 sidera-se demissionário.

presidido por Joaquim Pimen25 cional ta de Castro. Constitui-se o VIII Governo Constitun Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para M.N.E. interino. Exonerado em 4.2.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimental de Castro para Ministro de Instrução Pública interina. Exonerado em 28.1.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro do Fomento. Exonerado em 15.5.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro das Colónias interino. Exonerado em 28.1.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro da Justiça interino. Exonerado em 28.1.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro do Interior interino. Exonerado em 28.1.1915. n Nomeação do Gen. Joaquim Pimenta de Castro para Ministro das Finanças interino. Exonerado em 28.1.1915.

Grande temporal abate-se sobre Lis-

26 boa e outras zonas do País.

Nasce Maria Salomé, actriz.

Nota de protesto apresentada pelo 27 nMinistro alemão em Lisboa, relativamente à expulsão do Cônsul da Alemanha em Luanda.

28 oficial do exército e engenheiro, as-

José Jerónimo Rodrigues Monteiro, sume o M.N.E.. n Nomeação do Cap. Herculano Galhardo para Ministro das Finanças. Exonerado em 6.3.1915. n Nomeação de Guilherme Alves Moreira para Ministro da Justiça. Exonerado em 15.5.1915. n Nomeação do Alm. José Xavier de Brito para Ministro da Marinha. Exonerado em 15.5.1915. n Nomeação do Cor. Teófilo da Trindade para Ministro das Colónias. Exonerado em 28.1.1915. n Nomeação do Cor. Manuel Goulart


Janeiro de Medeiros para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 15.5.1915. Nomeação do Dr. José Nunes da Ponte para Ministro do Fomento. Exonerado em 15.5.1915. n Nomeação do Maj. Pedro Gomes Teixeira para Ministro do Interior. Exonerado em 15.5.1915. Publica-se “O Jornal da Noite” (Lisboa

29 -nmonárquico). Cessa a publicação “A Liberdade” (Aveiro - democrático - n.d.). n Morre José Veríssimo de Almeida, antigo director do Instituto de Agronomia. n Inauguração da exposição de pintura de Sousa Pinto na S.N.B.A. em Lisboa que o P.R. visitará. Publica-se em Lisboa “A Acção Na-

30 cional”.

209


1915 1

Assaltantes roubam valiosos objectos da S.G.L.. n Invasão do Ministério do Fomento por grupos de desempregados. n Publica-se “O Diário de Évora” (vespertino de direita).

7

Sagração de D. António Manuel Pereira Ribeiro como Bispo do Funchal. É a primeira sagração episcopal, após a implantação da República. n Publica-se, em Lisboa, o semanário “A Razão”.

2

Pimenta de Castro liberaliza o culto católico. n Lobito - Nasce Tomás Kim, poeta e professor.

8

A imprensa noticia a atribuição do 1.º prémio do concurso para o monumento de Camões em Paris, ao escultor Artur Teixeira. n Cessa a publicação “O Diário de Évora” (vespertino de direita - n.d.).

3

Ilha de Santo Antão, Cabo Verde Nasce Álvaro da Silva Tavares, futuro Governador da Guiné (1956) e Governador-Geral de Angola (1960-1961). n Partem para Angola mais contingentes expedicionários, sob o comando do Gen. Pereira d’ Eça.

Mudança nas denominações das ruas

Lisboa, decidida pela respectiva edi10 delidade. Nomeação de António de Albuquerque

4

6

Segundo o vespertino “A Capital” os restos mortais de Almeida Garrett jazem no mosteiro dos Jerónimos, aguardando ainda sepultura adequada. n Norton de Matos pede demissão do cargo de Governador-Geral de Angola, que é aceite quatro dias depois. n Nomeação do Cor. José Rodrigues Monteiro para M.N.E.. Exonerado em 15.5.1915. Publica-se “A Corja” (Coimbra - Partido Democrático - n.d.). n Lei - D.G. n.º 25 - cria a Escola Técnica Secundária de Agricultura.

como Cônsul-Geral de Portu11 egalCastro no Japão. No Teatro de S. Carlos de Lisboa, es-

a comédia de Eduardo Schwal12 treia bach, “Os Anos do Papá”. n Julgamento dos réus implicados no movimento insurreccional, que deveria ter tido lugar em 24.9.1913. n Entram no porto de Leixões nove navios de guerra ingleses, que zarpam pouco depois. Lisboa - Morre João Gil, actor.

posto à venda o livro “Documen18 ntosÉ Políticos”, contendo muita documentação encontrada nos paços reais,


Fevereiro após a proclamação da República. n Chega ao Tejo o novo contratorpedeiro “Liz”, construído em Génova. Na sede da União Cristã da Mocidade

uma sessão celebrando a 19 realiza-se inauguração da Exposição Panamá-Pacífico de S. Francisco da Califórnia, presidida pelo E.E.M.P. dos EUA, Cor. Thomas Birch. As eleições são adiadas uma vez mais

die”. 20 “sine n Terá entrado no prelo o 1.º número da revista “Orfeu”, fundada por Luís de Montalvor, Fernando Pessoa e o poeta brasileiro Ronaldo de Carvalho. n Inaugura-se em S. Francisco da Califórnia a Exposição Internacional Panamá-Pacífico, em que Portugal também participa.

eleitoral que inaugura a dita24 Decreto dura segundo a qual seria de 163 o

número de deputados a eleger em 6 de Junho, sendo 126 pela maioria e 37 pelas minorias. A nova lei eleitoral revoga a anterior e repõe a antecedente de 3.7.1913, com algumas alterações. n Portugal requisita todos os navios alemães, a fim de serem colocados ao serviço da Aliança luso-britânica. n Volta a publicar-se em Lisboa o jornal “O Dia”, que se auto-suspendera. n Iniciam-se em Coimbra as comemorações consagradas ao poeta António Nobre. No Estoril, Afonso Costa e António

de Almeida avistam-se, sepa25 José radamente, com Bernardino Machado.

tiro na Estação dos C.F. do Porto, 21 aperpetrado por um estudante que não

n D. Manuel Vieira de Matos toma posse, por procuração, do arcebispado de Braga. n O matutino “O Século” denuncia: “A nossa Justiça assenta numa base falsa que são as custas - à sua sombra fazem-se termos, autos e diligências verdadeiramente inúteis”.

logra sequer atingi-lo. n Cessa a publicação “Ecos de Abrantes” (evolucionista - n.d.). n Publica-se “O Flaviense” (Chaves Pró-Evolucionista - n.d.).

Unionista, uma moção no sentido 26 noria da não dar cumprimento a nenhum de-

Afonso Costa é vítima de um atentado

A C.M.L. aprova, contra o voto da micreto ditatorial.

Dec.- D.G. n.º 34 - proíbe a exportação

lã. Manifestação de apoio ao Governo do 23 den Dec.D.G. n.º 40 - cria, na cidade de 27 Gen. Pimenta de Castro, por 600 ofiÉvora, um Museu Regional de Obras ciais do Exército, reconhecidos por se de Arte e Arqueologia.

lhes ter restituído o direito de voto. n Formaliza-se a demissão solicitada 211


1915 por Norton de Matos do cargo de Governador-Geral de Angola. n O Ten. de Cavalaria Óscar Monteiro Torres requer a demissão do Exército, para não servir uma ditadura.

28 ga, Licenciado em Direito e político sob Cascais - Nasce António da Motta Vei-

o Estado Novo. n É assassinado o deputado pelo Porto, Henrique Cardoso, um dos principais chefes dos carbonários democráticos, junto à Rua Paiva de Andrade em Lisboa, quando se dirigia para uma reunião do Partido Democrático. n Grande festival no Teatro Avenida em Lisboa promovido pelo jornal “O Século” a favor dos nossos soldados feridos na guerra de África.

Fevereiro


Março 1

Publica-se “O Nacional” (Lisboa - monárquico). n Abrantes - Nasce António Rosa Casaco, Inspector da PIDE envolvido no assassinato de Humberto Delgado e fotógrafo de talento.

3

João Chagas, Ministro Plenipotenciário em Paris, telegrafa para Lisboa comunicando que, sendo representante de um regime de liberdade, não servia ditaduras nem ditadores, se demitia. n Afundamento pelos alemães do vapor português “Douro”. n Motins por causa do novo tabelamento do preço do pão.

4

Dissolve-se o Parlamento. n O Congresso da República reúnese secretamente em Santo António do Tojal, no palácio da Mitra. Declaram o Governo fora da lei, depois de serem impedidos de reunir em S. Bento. n O Deputado Augusto José Vieira apresenta em Juízo uma participação criminal, contra o Presidente da República e membros do Governo. n Bernardino Machado assume uma posição frontalmente antagónica ao Governo dictatorial de Pimenta de Castro.

5

Funda-se a primeira Escola de Aeronáutica Militar, em Vila Nova da Rainha. n A bordo do vapor “África”, parte para Angola o Alto-Comissário da República e Comandante em Chefe das Forças Militares, Gen. Pereira de Eça. n No Teatro de S. Carlos em Lisboa

estreia a peça “Ciúmes de Mulher” de António Carneiro.

6

O aclamado poeta brasileiro Olavo Bilac parte de Lisboa para Espanha e França, depois de uma curta estadia em Portugal. n Assaltos de populares às padarias de Lisboa em revolta contra a carestia do pão. n Constitui-se em Lisboa o Centro Monárquico D. Carlos I. n Nomeação do Cor. José Rodrigues Monteiro para Ministro das Finanças interino. Exonerado em 10.3.1915. n Nomeação de João de Magalhães Colaço, futuro jurista do Estado Novo, como Assistente da F.D.U.C..

7

Eleições Gerais.

8

Norton de Matos parte de Angola para Lisboa, a bordo do navio “Moçambique”, deixando interinamente no Governo o Secretário-Geral, bacharel Mário Teixeira Malheiros. n Londres - Nasce Rui Cinatti, poeta.

9

Operários do Arsenal de Lisboa atacam uma padaria, produzindo-se tiroteio com a Polícia. Terminam as provas do concurso, o

realizado sob a República, para 10 1.º Secretários de Legação e Cônsules do

213


1915 M.N.E. O vespertino “A Capital” afirma tratar-se da “escolha entre os homens de maior cultura e competência”. n 2.º Congresso em Lisboa do Partido Evolucionista. n Nomeação de José Teixeira Guimarães para Ministro das Colónias. Exonerado em 15.5.1915. n Nomeação do Cor. Teófilo da Trindade para M.N.E.. Exonerado em 15.5.1915. A igreja da Graça em Lisboa é entregue

do Santíssimo. 11 àn Irmandade Motins populares em Tomar e Lamego.

Na Régua, mais de 500 pessoas assal-

a estação dos C.F. e destroem as 12 tam pipas de vinho provenientes do Bombarral. n Grande festa no Politeama de Lisboa a favor dos soldados portugueses feridos na Guerra de África.

n Espinho - Nasce César Moreira Baptista, político sob o Estado Novo e publicista. n Entra na Diocese de Braga o arceBispo, D. Manuel Vieira de Matos.

15 Publica-se mocrático)

“O Povo” (Lisboa - de-

n Cessa a publicação do jornal “Pátria Nova” (Coimbra - monárquico - n.d.). n Estreia, no Teatro de S. Carlos de Lisboa a peça “Ciúmes de Mulher”, de António Carneiro. n Toma posse do Bispado de Angra, Açores, D. Manuel Damasceno da Costa. n Saí o 1.º número da “Ilustração Portuguesa” com páginas a cores.

16 democrática - n.d.).

Publica-se “A Pátria” (Beja - esquerda

Nomeação de uma Comissão encarre-

13

O poeta Camilo Pessanha profere, no Grémio Militar de Macau, uma conferência sob o título “Literatura Chinesa”.

14 testos contra o aumento do custo de Comícios em Lisboa e Almada de pro-

vida. n Manifestação do Partido Republicano Português, em protesto à anunciada construção de uma igreja espanhola em Lisboa. n Faz a sua entrada solene no Funchal o novo Bispo, D. António Manuel Pereira Ribeiro.

de coligir todos os documentos 17 gada relativos à história dos arquipélagos dos Açores e da Madeira. n A colónia espanhola de Lisboa, reunida na Associação Comercial dos Lojistas, reclama contra a eventual criação de uma igreja privada daquela nacionalidade. n A casa de Camilo Castelo Branco em S. Miguel de Seide arde quase completamente, por um incêndio de causas desconhecidas.


Março solene da igreja da Graça 18 Reabertura em Lisboa.

n Lisboa conta a partir de agora com uma “Agência Geral de Colocações”: “promoverá o emprego honesto, seguro e tanto quanto possível compensador”.

biblioteca móvel. n Desembarca em Luanda o novo Governador e Comandante militar, Gen. António da Costa Pereira d’Eça, assumindo de imediato funções. n No Politeama de Lisboa realiza-se um concerto de homenagem ao Maestro David de Sousa. n António Francisco Cordeiro, considerado a “alma mater” da CADC, preside em Coimbra à sessão de estudos, tendo como secretários Gonçalves Cerejeira e Oliveira Salazar.

O Gen. Gomes da Costa passa ao

Fundeia no Tejo o vapor italiano “Sicí-

n O Pontífice envia uma circular secreta aos prelados portugueses, proibindolhes qualquer intervenção nas eleições políticas. n O júri atribui o 1.º prémio do concurso, para o monumento ao marquês de Pombal, à “maquette”, “Glória e Progresso”, da autoria de Adães Bermudes, António do Couto e Francisco dos Santos. n Ao jornal “A Luta” José Malhoa explica como havia pintado o quadro “O Fado”.

n Morre a actriz Ema de Amorim.

n O Dr. Bernardino Machado profere uma conferência no Centro que leva o seu nome em Alcântara, Lisboa.

19 Exposição de pintura de José Campas. No Salão Bobone de Lisboa abre uma

da 2.ª divisão do Corpo Ex- 22 lia”, que inaugura a carreira regular en20 comando pedicionário Português, C.E.P.. tre os dois países.

21

É posto à venda o 1.º número da revista

fundado por Luís de Mon25 “Orpheu”, talvor, Mário de Sá Carneiro, Fernando Pessoa, Almada Negreiros e outros. Norton de Matos chega a Lisboa.

no Teatro da Rua dos Condes 26 nemEstreia Lisboa a revista “Feira da Vida”. Constituição de uma sociedade para

Na reabertura ao público do Velódromo de Lisboa realiza-se uma festa cuja receita reverte para a subscrição nacional do “Cigarro do Soldado”. n Sagração no Porto de D. Manuel Luís Coelho da Silva, como Bispo-conde de Coimbra. n Inaugura-se, em Alpiarça, a primeira

e explorar a estação de vilegi27 fundar atura do Estoril.

28 Português no Teatro Politeama em LisCongresso do Partido Republicano

boa. Afonso Costa discursa: “ataque em forma à ditadura”. 215


1915 n.º 64 nomeando Domingos 29 Decreto Fezas Vital , futuro constitucionalista do Estado Novo, para Assistente da F.D.U.C.. n Cessa a publicação “O Rebate” (Castelo Branco - operário - n.d.).

30 tejo.

Grandes temporais e cheias no Riban À entrada da barra de Lisboa naufraga uma “canoa” dos pilotos, morrendo três deles e dois moços que a tripulavam.

31 res é dado como desertor, sendo abatido

Por decreto, o Ten. Óscar Monteiro Tordo quadro militar. n Publica-se “A Tarde” (Porto - unionista).

Março


Abril 1

Publica-se “A Lanterna” (Porto - P.R.P.).

2

O Teatro Nacional reaparece com a comédia “Amor à Antiga”. n No início da semana santa nas ruas e igrejas é grande o movimento dos fiéis, segundo o jornal “O Século”. n O teatro da Rua dos Condes em Lisboa inicia a exploração cinematográfica.

3

Chegam a Lisboa os náufragos portugueses do navio “Guadalupe”, afundado pelos alemães. n O veleiro “Douro” é torpedeado pelos alemães, depois de sair de Cardiff, salvando-se a tripulação.

4

Publica-se “O Jornal” (Lisboa - Governo).

5

O jornal “O Século” noticia os grandes estragos sofridos em Moçambique pelas cheias e a destruição parcial da ponte de Pessene na Matola. n Protesto do barão de Rosen, E.E.M.P. alemão, pela passagem de tropas inglesas por território Moçambicano. n Nomeação, para Ministro Plenipotenciário em França, de António Maria Bettencourt Rodrigues.

7

n António Sardinha profere, na Liga Naval, a 1.ª conferência do Integralismo Lusitano, no ciclo ali promovido sobre “A Questão Ibérica”. n O actor Augusto Rosa lança o livro de memórias “Recordações da Cena e de Fora da Cena”.

9

A C.M.L. recusa-se a acatar os decretos da ditadura, no que é apoiada por 49 das 298 Câmaras Municipais do País.

no Teatro Politeama em Lisboa 10 alizado em que se apoia o governo actual.

Congresso do Partido Evolucionista re-

Manifestação de aplauso ao Gabinete de

Concluem-se os trabalhos de ornamentação interior do vestíbulo central da estação ferroviária de S. Bento no Porto, com azulejos de Jorge Colaço.

de Castro. Segundo “O Século” 11 Pimenta “pouca gente mas em boa ordem”. Inauguração do monumento aos Mor-

da Grande Guerra no Jardim vis12 tos conde da Luz em Cascais, obra de Simões de Almeida (Sobrinho). n Bernardino Machado profere uma conferência, no Ateneu Comercial de Lisboa, sobre “O Exército e a Nação”. n O Secretário-Geral da Presidência da República, Forbes Bessa, faz o seu depoimento contra os alegados responsáveis pelo encerramento do Parlamento. n Dec.- D.G. n.º 256 - cria, na cidade de Bragança, um Museu Regional de Obras de Arte.

217


1915 autoridades policiais procedem, na 13 AsFigueira da Foz, a diversas detenções

País, incluindo Paiva Couceiro.

de republicanos.

Cessa a publicação “O Imparcial” (Bra-

Estreia da revista “Rosa Tirana”, no

Apolo de Lisboa. 14 Teatro n A Câmara Municipal de Lisboa encomenda, ao escultor Moreira Rato, um busto de João de Deus para ser colocado na Avenida da Liberdade.

esquerda democrática - n.d.). 21 gan -Inauguração do Teatro-Circo em Braga, obra do Arq. João de Almeida d’ Eça. n Projecto da obra no porto de Macau elaborado pelo Eng. Abreu Nunes. Em Vila do Conde publica-se o jornal

15

Entra solenemente em Coimbra o Bispo-conde, D. Manuel Luís Coelho da Cunha.

22 monárquico “O Ave”.

São dissolvidas as Câmaras Munici-

O E.E.M.P. alemão barão de Rosen

pela captura de um navio ger16 protesta mânico por um cruzador inglês, em águas territoriais portuguesas.

17 - Partido Democrático - n.d.).

do Porto, Aveiro, Faro, Leiria, Ar23 pais ronches, Mafra, Torres Vedras, Portalegre e Monção. n Novo protesto do E.E.M.P. alemão pela forma desigual como eram tratados os navios alemães e ingleses no porto da Horta, Açores.

Publica-se “O Debate” (Ponta Delgada

18 ‘cantata’ de Viana da Mota

No Teatro de S. Carlos é executada a n Publica-se “O Povo de Abrantes” (democrático - n.d.). n Entra solenemente na Guarda o novo Bispo, D. José Alves Matoso. n Cortejo cívico em Santarém, homenageando a figura de Passos Manuel. Decreto de amnistia a todos os presos os ao

mercê da qual todos 20 políticos, monárquicos puderam regressar

A Sociedade da Cruz Vermelha comu-

estarem prisioneiros, em território 24 nica alemão, 64 militares portugueses. n Toma posse a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa. n São dissolvidas as Câmaras Municipais de Setúbal e Sobral do Monte Agraço. n A edilidade da Câmara Municipal de Lisboa é intimada a ceder o lugar à Comissão Administrativa. Dada a recusa, são presos os seus respectivos membros.


Abril a publicação o “Notícias do 25 Cessa Norte” (Braga - democrático - n.d.).

Municipais. n Na Escola Militar de Tancos uma grande explosão mata 6 soldados.

Dissolução da Câmara Municipal de

26 Évora.

Chega a Lisboa o exilado monárquico

de Azevedo Coutinho e à Guar27 João da, João de Almeida, ambos contemplados pela amnistia. Mirandela, Sardoal, Aguiar da 28 Cambra, Beira e Sabugal. Dissolução da Câmara de Macieira de

A torre do castelo da Feira, em emi-

situação de ruína, vai ser inter29 nente vencionada, segundo declarações do Arq. Ventura Terra. n Afonso Costa depõe, no processo por abuso do poder, contra Manuel de Arriaga e Pimenta de Castro. n Publica-se “A Opinião” (Guarda monárquico - n.d.). n Nomeação de José Teixeira Guimarães para Ministro das Finanças. n Nomeação do Alm. José Xavier de Brito para M.N.E. interino. Internacional Pró-Paz, sendo 30 gresso delegado da União Operária Nacional Em Ferrol, Espanha realiza-se o Con-

Manuel Joaquim de Sousa. n Cessa a publicação “A Tarde” (Porto - unionista). n São dissolvidas mais seis Câmaras 219


1915 1

2

Publica-se “A Evolução Republicana” (Braga - evolucionista - n.d.) n Inauguração no Porto do monumento a Guilherme Gomes Fernandes. n Publica-se “A Verdade” (Funchal conservador - n.d.). n Publica-se “A Província” (Porto - unionista).

6

Inauguração em Lisboa do Centro Monárquico D. Carlos I.

7

O Major Paiva Couceiro, agora amnistiado, passeia-se por Lisboa com sua mulher e o marquês de Ficalho, provocando alguns conflitos.

Publica-se “A Propaganda” (Vila Real regionalista - n.d.). n Eleição de nova Comissão Municipal de Lisboa, obtendo a maioria o Partido Republicano Português. n 1º Congresso da União Republicana em Lisboa, no qual é retirado o apoio ao Governo, em protesto contra o recente decreto de amnistia do passado 20 de Abril. n Manifesto do Centro Católico Português, publicado em “O Imparcial”, órgão oficial do CADC.

8

Alcobaça é elevada à categoria de vila.

9

Publica-se “O Rebate” (Braga - democrático - n.d.). n Cessa a publicação “O Beirão” (Castelo Branco - monárquico - n.d.). n Cessa a publicação “A Pátria Nova” (Bragança - direita republicana - n.d.). n Funda-se o Centro Monárquico Académico de Coimbra.

3

No Porto, Afonso Costa profere um discurso de campanha eleitoral, significativamente intitulado “Traidores”. n Estreia da peça original de Augusto de Lacerda, “Mártires do Ideal”, no Teatro Nacional em Lisboa. n Comemoração do aniversário do Descobrimento do Brasil.

5

O Governo alemão apresenta um protesto contra a autorização concedida para a passagem das forças inglesas através de Moçambique.

10 em Lisboa e Coimbra, que em alguns Grandes manifestações republicanas

locais degeneraram em confrontos e desacatos. n Publicação em Lisboa do jornal “O Boato”. n O E.E.M.P. da Alemanha protesta de novo, desta feita pela permanência excessiva e ilegal de navios ingleses em portos portugueses, 6 no Funchal e 2 na Horta. O povo de Loures impede a tomada

posse da Comissão Administrativa, 11 denomeada pelo Governo para a respectiva Câmara.


Maio n Dec.- D.G. n.º 92 - proíbe a exportação e reexportação de estanho para países estrangeiros. n Cessa a publicação “O Cidadão” (Évora - evolucionista - n.d.). n São proibidas todas as manifestações susceptíveis de alterar a ordem pública e afectar o prestígio das instituições. O Museu de Arte Antiga franqueia ao

mais três novas salas. 12 público n Teixeira Pinto desloca-se a Bissau, para organizar as forças militares contra os indígenas sublevados. n O médico Cassiano Neves, Governador Civil de Lisboa, demite-se do cargo. n Dec.- D.G. n.º 93 - regula os exames de Estado, estabelecidos pela nova reforma dos estudos jurídicos. n Encerramento das padarias. Tumultos violentos em Lisboa.

13

Constitui-se uma junta revolucionária para derrubar o Governo. Integram-na António Maria da Silva, Alfredo Sá Cardoso e Álvaro de Castro. n Ernesto da Cunha Ferraz toma posse do Governo Civil de Lisboa. n Cessa a publicação “O Nacional” (Lisboa - monárquico). “Ordem”. n Publica-se “O Alarme” (Tomar democrático - n.d.). n Derradeiro número do jornal “O Intransigente”.

ditatorial de Pimenta de Cas14 Otroregime é derrubado em Lisboa por um

movimento revolucionário constitucionalista, com as forças da Marinha. Norton de Matos dele fará parte. n O Comandante Leote do Rego assalta o cruzador “Vasco da Gama”, em cuja luta morre o respectivo Comandante. n Em Lisboa, a multidão assalta armazéns e padarias em busca de comida. n Toma posse uma Junta Revolucionária, que é exonerada no dia seguinte. n Idêntico movimento revolucionário de Lisboa eclode na cidade do Porto. n Em 109 dias de duração o Governo de Pimenta de Castro produz 397 diplomas legislativos. O movimento revolucionário terá sido

sanguinolenta que o próprio 5 de 15 mais Outubro. Estima-se em 200 mortos e cerca de 1000 feridos as vítimas da revolução. n Cessa a publicação o “Jornal da Noite” (Lisboa - monárquico). n O quartel do Carmo, em Lisboa rende-se aos revoltosos. n Os Ministros Plenipotenciários da Grâ-Bretanha, França e Espanha solicitam aos seus Governos o envio de navios de guerra, para protecção dos respectivos nacionais. n Populares assaltam a sede da Liga Naval, por ali se terem realizado as conferências de Integralismo Lusitano. n Augusto Manuel Alves da Veiga, licenciado em Direito pela Universidade 221


1915 de Coimbra e diplomata de carreira, assume o M.N.E.. Pimenta de Castro e Machado Santos

sob prisão, para bordo de va16 seguem, sos de guerra. n João Chagas é vítima de um atentado pelo senador evolucionista Dr. João de Freitas, quando se encontrava no comboio no Entrocamento, ficando cego de um olho. O criminoso é linchado no local por populares. n O P.R. Manuel de Arriaga expede uma carta ao Chefe do Governo José de Castro informando que resignava do seu mandato. n “Doutor Marnoco e Sousa. O Professor de Ciências Económicas”. Artigo de A.O.S. publicado no Boletim da F.D.U.C.. n Cessa a publicação “O Realista” (Funchal - integralista - n.d.).

para Ministro da Justiça. Exonerado em 19.6.1915 n Nomeação de Tomé de Barros Queirós para Ministro as Finanças. Exonerado em 19.6.1915. n Nomeação do Dr. Sebastião de Magalhães Lima para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 19.6.1915. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro da Guerra. Exonerado em 19.6.1915. n Assaltos a vários centros monárquicos, à Liga Naval, à Igreja d S. Paulo e ao jornal “O Dia”. n Entram no Tejo os cruzadores espanhóis “Rio de la Plata” e o “Dreadnought España”. n É morto a tiro, no Porto, Homero de Lencastre, “espia” entre os revoltosos. n Alfredo Baptista Coelho, Major de Artilharia, assume o Governo-Geral de Moçambique.

A imprensa noticia a exoneração pedida Dr. Cassiano Neves do cargo de 17 Toma posse o IX Governo Constitu- 18 pelo Governador Civil de Lisboa e a sua subscional por Dr. José Ribeiro de Castro. Exonerado em 22.7.1915. n Nomeação do Dr. Francisco Teixeira de Queirós para M.N.E.. Exonerado em 19.6.1916. n Nomeação do Eng. Manuel Rodrigues Monteiro para Ministro do Fomento. Exonerado em 19.6.1915 n Nomeação do Dr. Francisco Teixeira de Queirós para M.N.E.. Exonerado em 19.6.1916. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro do Interior interino. Exonerado em 19.6.1915. n Nomeação do Dr. Paulo José Falcão

tituição pelo Cor. Cunha Ferraz. n Portalegre - Morre D. António Moutinho, Bispo da Diocese. n Fundeia no Tejo o torpedeiro espanhol “n.º 3”. n O corpo do senador Dr. João de Freitas, morto após o atentado contra João Chagas, vai a enterrar em Torres Novas, com funeral mandado fazer pelo Administrador do Concelho, por omissão da família.


Maio a publicação “O Jornal” (Lisboa feito o 1.º protesto ao novo Governo 19 Cessa 25 Éapresentado - Governo). pelo E.E.M.P. alemão, por n Nomeação do 1.º Tenente da Administração Naval, Mariano Martins, para Governador Civil de Lisboa. n Aprovação camarária do horário de trabalho, dos empregados de comércio do concelho de Lisboa. Cessa a publicação “A Pátria Nova”

Branco - republicano - n.d.). 21 (Castelo n Nomeação do Dr. João de Barros

causa do tratamento sofrido por um Vice-Cônsul germânico em Moçamedes, Angola. Reunião extraordinária do Parlamento

por Manuel de Arriaga, que 27 convocada aprova a nova lei eleitoral. n Inauguração na S.N.B.A. da Exposição anual de pintura, escultura, artes decorativas, desenho e pastel.

para Secretário-Geral do Ministério da Instrução pública. O Congresso elege Teófilo Braga P.R.

Inauguração, na ilha da Madeira, da Ex-

de Azulejaria de Jorge Colaço. 22 posição n Morre o diplomata Jerónimo de

Almeida Câmara Manoel, investigador e homem de letras. n Lisboa - Morre em Lisboa o negociante Alberto Teodoro Pinto Bastos. n Cessa a publicação “A Revolta” (Coimbra - comunista e anarquista - n.d.). n Circ. D.G. n.º 122 - suscita o cumprimento das disposições relativas ao culto da bandeira e ao incremento da educação cívica.

98 votos. Expira o seu mandato 28 por em 5 de Outubro próximo.

Teófilo Braga D.G. n.º 100 - proclamação, 29 Dec.declarando Presidente da República

Portuguesa o cidadão Joaquim Teófilo Braga, para exercer o cargo até 5 de Outubro de 1915.

30 boa.

Canonização de Santo António de Lis-

Dec.- D.G. n.º 96 - convoca extraordi-

o Congresso da República 24 nariamente para o dia 27 de Maio.

n João Chagas envia uma carta ao Presidente da República, pedindo escusa de qualquer actividade política, em virtude do atentado de que fora vítima.

Publica-se “O Proletário” (Lamego -

- n.d.). 31 operário n Assume o Governo de S. Tomé e

Príncipe o oficial da Marinha José de Sousa e Faro.

223


1915 2

Nova lei eleitoral.

5

Lei - D.G. n.º 106 (supl.) e 107 - concede amnistia de todos os crimes, delitos e transgressões de carácter político, cometidos até 20 de Maio de 1915. n Seguem para Angola a bordo do navio “Zaire” 70 ‘chauffeurs’ e serralheiros mecânicos para apoio aos corpos expedicionários militares.

6

O Rei de Espanha Afonso XIII visita a exposição da azulejos de Jorge Colaço, realizada em Madrid e na qual constava uma composição retratando-o a cavalo. n Lisboa - Morre Isabel de Oliveira, actriz.

7

No Porto edita-se o jornal “A Liberdade”, católico-sidonista.

9

Decreto impondo a integração dos livros de registo de casamentos, baptismos e óbitos no Arquivo Nacional e nos Distritais. Inaugura-se na Rua Voz do Operário

Lisboa o “Salão Graça”, proprie10 em dade da Caixa Económica Operária. Partem para o exílio, nos Açores, o

Pimenta de Castro e Machado 11 Gen. Santos, entre outros.

n A bordo do navio “Portugal” regressa a Lisboa o Cor. Alves Roçadas, Comandante do Corpo Expedicionário de Angola. Eleições gerais, claramente favoráveis

Democrático, com 103 elei13 aotos,Partido contra 22 evolucionistas, 6 unionistas, 2 socialistas 3 católicos. n Nas eleições para a 2ª legislatura do Congresso da República a União Católica faz eleger um deputado pelo círculo de Oliveira de Azeméis, António Meireles, futuro Bispo do Porto. n Jaime Cortesão é eleito deputado pelo círculo do Porto. “Lock out” das fábricas de Setúbal.

do Dr José de Castro 14 nparaNomeação Ministro da Marinha interino. Exonerado em 14.6.1915. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro de Instrução Pública, interino. Exonerado em 19.6.1915. n Em Conselho de Ministros é decidida a demissão do Governo. Dec.- D.G. n.º 113 - autoriza as socie-

anónimas a criar e emitir acções 15 dades privilegiadas.

n Dec.- D.G. n.º 113 - aprova o regulamento destinado à construção de edifícios próprios para hotéis. n Dec.- D.G. n.º 113 - organiza o Conselho Superior de Belas-Artes. n Conclusão da linha ferroviária do Minho com a abertura do troço entre Lapela e Monção.


Junho 16 afastar os funcionário que “não dão

L. n.º 319 autorizando o Governo a uma completa garantia da sua adesão à República e à Constituição”.

chal - Partido Democrático - n.d.). Augusto Luís Vieira Soares, licenciado

Direito pela Universidade de Coim19 em bra, assume o M.N.E..

Cessa a publicação “O Liberal” (Fun-

17 chal- Partido Democrático – n.d. )

Assume o X Governo Constitucional

de José Ribeiro de Castro. Exo18 enerado em 29.11.1915.

n Nomeação do Cap. Vitorino de Carvalho Guimarães para Ministro das Finanças. Exoneração em 29.11.1915. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro da Guerra. Exonerado em 22.7.1915. n Nomeação do Major José Norton de Matos para Ministro das Colónias. Exonerado em 22.7.1915. n Nomeação do Dr. Augusto Vieira Soares para M.N.E.. Exonerado em 29.11.1915. n Nomeação do Dr. João Martins Júnior para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 29.11.1915. n Nomeação de José Ferreira da Silva para Ministro do Interior. Exonerado em 11.11.1915. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro da Marinha interino. Exonerado em 22.7.1915. n Nomeação do Eng. Manuel Rodrigues Monteiro para Ministro do Fomento. Exonerado em 29.11.1915. n José de Castro no seu 1.º Governo de 32 dias produz 157 diplomas legislativos. n Cessa a publicação “O Liberal” (Fun-

Grandiosa manifestação junto das Le-

20 gações dos Países Aliados em Lisboa. 21

Reabre de novo o Congresso.

Bucelas - Nasce Manuel João da Pal-

Carlos, Advogado e político. 24 ma n Cessa a publicação “O Proletário”

(Lamego - operário - n.d.). n Em Lisboa a equipa do Sporting Clube de Portugal vence em futebol a selecção da Galiza.

28

É posto à venda o n.º 2 da revista “Orpheu” dirigida por Fernando Pessoa e Mário de Sá Carneiro. É exonerado de Reitor da U.C. o Prof.

Moreira, por ter sido Minis29 Guilherme tro da Justiça sob a ditadura de Pimenta de Castro. Só será reintegrado após o movimento militar de 1926. Fernando Bissaya Barreto apresenta

sua tese de Doutoramento em Me30 adicina subordinada ao tema “O Sol em Cirurgia”.

225


1915 1

Cessa a publicação “A Restauração” (Lamego - monárquico - n.d.).

a publicação “O Arauto” (Por15 Cessa timão - regionalista - n.d.).

3

Afonso Costa cai de um eléctrico (ou salta de uma janela por ameaça de bomba), fracturando o crânio na queda, sendo obrigado a hospitalizar-se por longo tempo.

17 - monárquico - n.d.).

5 9

O matutino “O Século” afirma estar o Dr. Afonso Costa “em estado melindroso, mas há esperança de o salvar”. Leva de prisões em Lisboa, por suspeita de envolvimento revolucionário.

10 unionista).

Cessa a publicação “A Tarde” (Porto n Publica-se “O Liberal” (Castelo Branco - democrático - n.d.).

Publica-se “O Beirão” (Castelo Branco

Inauguração em Lisboa do Centro Re-

18 publicano Leote do Rego. 19 - monárquico).

Publica-se o “Jornal da Noite” (Lisboa n S. Martinho do Conde, Guimarães Nasce Virgínia Moura, a 1.ª mulher a formar-se em Engenharia civil, activista política do P.C.P. Manifestações em Lamego, onde pro-

14 mortes por questões rela20 vocam cionadas com o vinho do Porto.

21 prestes a ter alta do hospital. O

11

12

O jornal “República” divulga a opinião do Arquitecto Ventura Terra sobre o palácio da Justiça da Boa-Hora: “Deve ser arrazado!”. n Retorna a Paris o poeta Mário de Sá Carneiro. n Publica-se “O Transmontano” (Bragança - direita republicana - n.d.). Rendição do Sudeste alemão em África.

Dr.

Afonso

Costa

encontra-se

- n.d.). 22 vador n Nomeação do Cap. Ten. Alfredo

Publica-se “O Geste” (Elvas - conserRodrigues Gaspar para Ministro das Colónias. Exonerado em 29.11.1915. n Nomeação do Dr. José de Castro para Ministro da Marinha. Exonerado em 29.11.1915. n Nomeação do Major José Norton de Matos para Ministro da Guerra. Exonerado em 29.11.1915.


Julho dada alta hospitalar ao Dr. Afonso 24 ÉCosta. Carta - D.G. n.º 173 - confirma e ratifica

Tratado de Comércio e Navegação 25 oentre Portugal e a Inglaterra, assinado em Lisboa a 12 de Agosto de 1914. n Cessa a publicação “A Voz do Faminto” (Viana do Castelo - anarquista - n.d.).

26 professor e pintor.

Braga - Nasce Sérgio da Silva Pinto,

Publica-se em Lisboa o n.º 2 e der-

da revista “Orpheu”, já dirigida 28 radeiro por Fernando Pessoa. O poeta publica “Ode Marítima”. Início, na Câmara dos Deputados, da

do “parecer sobre arrola31 discussão mentos dos bens por efeito da lei de separação”.

227


1915 4

6

Lei - D.G. n.º 151 - autoriza o Governo a abrir dois créditos extraordinários, destinados às despesas com os contingentes de tropas expedicionárias para Angola e Moçambique. Bernardino Machado é eleito Presidente da República por 134 votos, contra 18 para o Gen. Correia Barreto e 27 listas brancas. n O cruzador “República” encalha num baixio próximo de Peniche, devido ao denso nevoeiro. n O M.N.E. é oficialmente notificado da decisão do Conselho de Ministros inglês sobre a beligerância portuguesa: não se lhe opunha, mas com tantas objecções que, na prática, a tornavam impraticável.

8

Criação do Centro Católico Português com objectivos políticos na esfera da democracia cristã.

10

Constrói-se em Portalegre um novo Teatro em estrutura de ferro para 1.200 espectadores.

de Môngua, Angola, contra 18 Combate tropas alemãs.

19 Guimarães, realizador de cinema.

Albergaria-a-Velha - Nasce Manuel n Publica-se “O Independente” (Funchal - regionalista - n.d.).

20 do Presidente da República.

Lei - D.G. n.º 165 - fixa os vencimentos n Tumultos em Lamego, promovidos pelos vinhateiros contra certas clausulas do Tratado de Comércio com a Inglaterra, de 12/8/1914.

21 Silva, militar e Engenheiro Geógrafo.

Lisboa - Morre António Baldaque da

Publica-se “O Português” (Penafiel -

22 democrático - n.d.).

Dec. - D.G. n.º 169 - cede à Câmara

a publicação o “Heraldo da Ma14 Cessa deira” (Funchal - imparcial).

15

de Bragança o antigo paço 25 Municipal episcopal daquela cidade.

n Chegam a Lisboa os oficiais e soldados que haviam ficado prisioneiros dos alemães depois do combate de Naulila em Moçambique.

26 da Alegria.

Assalto em Lisboa à esquadra da Rua

A Sociedade de Geografia de Lisboa comemora o 5.º Centenário da Tomada de Ceuta.


Agosto revolucionário monárquico 27 Movimento no Porto contra o Governo, com repercussões noutras localidades.

Cessa a publicação “O Rebate” (Braga

- n.d.). 29 -ndemocrático No Coliseu de Lisboa realiza-se uma sessão solene em honra dos combatentes (ditos heróis) de Naulila em Moçambique.

229


1915 2

Abertura da Exposição Agrícola Regional na Praia da Rocha, Algarve.

n.º 413 criando a freguesia de 10 Lei Caneças, Loures.

3

Lei - D.G. n.º 176 - aprova o Tratado de Arbitragem, assinado em 16 de Novembro de 1914, entre os Governos português e britânico. n Cessa a publicação “A Corja” (Coimbra - Partido Democrático - n.d.). n Montemor-o-Novo - Nasce António Banha de Andrade, licenciado em Ciências Históricas e filosóficas e autor de extensa obra.

Governo de Cabo Verde. 11 don João Chagas regressa ao seu posto

4

Inicia-se a análise e o estudo das bases para a reforma da organização policial. n Lei - D.G. n.º 177 - proíbe a exportação de ovos. n Cessa a publicação o “Jornal da Noite” (Lisboa - monárquico).

5

Cessa a publicação “A Folha de Setúbal” (evolucionista - n.d.).

8

Morre o escultor David Calandra.

9

Lourenço Marques - Nasce Alexandre Lobato, investigador e publicista. n Lei - D.G. n.º 181 - autoriza o Governo a celebrar um contrato com o Banco de Portugal, a fim de ser criado um fundo de amortização e reserva.

Abel Fontoura da Costa toma posse diplomático em Paris. Publica-se “A Democracia” (Vila Real -

- n.d,.). 12 democrático n Partida de contingentes militares portugueses para Angola e Moçambique em defesa dos territórios sob a mira do poder militar alemão. Greve dos operários torneiros de metal

canalizadores, contra a redução sa13 elarial.

14

Porto - Morre o fotógrafo Emílio Biel.

Lei elevando o Consulado honorário em

15 Vigo, Espanha a consulado de carreira.

Dec.- D.G. n.º 187 - cria em Angola

Junta de Trabalho e Emigração. 16 uma n Lisboa - Nasce Celestino da Costa, médico, professor e publicista. n Inauguração da nova sede dos Desportos de Benfica. n Nota portuguesa entregue ao gabinete de Londres retomando a defesa da beligerência de Portugal no conflito europeu.


Setembro - D.G. n.º 194 - eleva à categoria criadas comissões de subsistên18 São 24 Lei de Liceus Nacionais Centrais os Liceus cia em todos os Concelhos. n O jornal “República” indigna-se: “a lancha histórica ‘Bomfim’ que transportou a família real da praia da Ericeira para o iate “D.ª Amélia” apodrece no quintal do Quelhas”. n Abertura em Coimbra do Congresso dos Oficiais de Justiça. n Lei- D.G. n.º 189 - determina que os funcionários diplomáticos e consulares, impedidos pela guerra de ocuparem os seus postos no estrangeiro, passem a desempenhar funções no respectivo Ministério. n Lei n.º criando a freguesia do Estoril.

Nacionais da Guarda, Aveiro e Beja.

Com a presença do Presidente da

inaugura-se uma Exposição 26 República, de frutas e plantas, no Mosteiro de Alcobaça. Lisboa - Morre José Duarte Ramalho

escritor e um dos “vencidos 27 Ortigão, da vida”. Publica-se “A Justiça” (Setúbal -

Testamento de D. Manuel de Bragan-

derradeiro monarca de Portugal. 20 ça, n Decreto nomeando o Cap. Álvaro de

Castro Governador-Geral de Moçambique. n Um bando de “dedicados defensores” da República assalta uma série de jornais monárquicos destruindo tudo o que encontravam.

28 democrática - n.d.).

Dec.- D.G. n.º 198 - aprova o regula-

30 mento das Bibliotecas Móveis.

Lei - D.G. n.º 191 - especifica os crimes

devem ser considerados de alta 21 que traição e indica a forma do respectivo processo.

Greve dos mineiros nas minas de S.

22 Pedro da Cova, por aumentos salariais.

231


1915 1

Embarca para Moçambique um corpo expedicionário. n Morre a actriz Isaura Ferreira.

3

6.º Congresso de Partido Socialista Português na Covilhã.

9

Conflitos e recontros em Amora, entre operários e a força pública. A Administração do Governo de Angola

Bernadino Machado

da responsabilidade do Conselho 11 fica do Governo, liderado pelo Presidente do Tribunal da Relação de Luanda, Dr. Manuel do Sacramento Monteiro. No Eden-Teatro estreia a revista “Do-

5

6

7

Assume a Presidência da República Bernardino Machado. n O Governo pede demissão, que não é aceite pelo Presidente da República n Cessa a publicação “A Defesa de Santa Clara” (Coimbra - democrático - n.d.). n Por bula de S. S. Bento XV, D. José Lopes Leite de Faria, é nomeado Bispo de Bragança. n Inauguração, no Cais do Sodré em Lisboa, da estátua “Ao Leme”. n Inaugura-se em Lisboa o novo quartel de Depósito Militar Colonial, na Junqueira. Arrifes, S. Miguel - Açores - Nasce D. Humberto de Medeiros, prelado e Cardeal de Boston, (1970) nos Estados Unidos da América. n Estreia, no Teatro Ginásio em Lisboa, a comédia “Tournée Saramago”, de Chagas Roquette e André Brun. Partem para Moçambique mais contingentes militares de infantaria, cavalaria, sapadores mineiros e artilharia.

de Pereira Coelho e Alberto 12 minó”, Barbosa. Publica-se o “Vimaranense” (Guima-

- direita republicana - n.d.). 14 rães n O Conselho do Governo de Luanda entrega o poder a Fernando Utra Machado como Governador-Geral provisório de Angola.

15 duas Missões Civilizadoras.

Criação em Angola Moçambique de n Estreia, no Teatro da Trindade em Lisboa, a revista “O Dia do Juízo”, de Eduardo Schwalbach. n Regressam a Lisboa as forças expedicionárias que fizeram a reocupação dos Cuanhamas.

16 cena a revista “X,P,T.O.”, de Barbosa No Teatro Avenida de Lisboa sob a

Júnior. n Portaria determinando a colocação de bustos da República em todas as salas de audiência dos Tribunais.


Outubro virtude de carestia da vida, entram operários da construção civil aban17 Os 26 Em em greve os operários de Setúbal e donam o trabalho. n Declaram-se em greve por 48 horas os polidores de móveis.

19

Palmela. n Nomeação do Major José Norton de Matos para M.N.E. interino. Exonerado em 29.11.1915.

Greve dos soldadores de Setúbal. Resposta britânica à Nota portuguesa

Morre Manuel de Macedo Pereira

20 Coutinho, aguarelista e desenhador.

(16/9) em que reitera a sua posição: 27 dePortugal, a declarar guerra à Alema-

nha, deve fazê-lo sob sua própria responsabilidade.

Revolta em Cacilhas em função dos

21 abastecimentos. n Estreia no Teatro Ginásio de Lisboa, o episódio dramático “Soror Mariana” de Júlio Dantas. Chegam de Ponta Delgada, exilados,

Xavier de Brito e Gou22 oslartex-ministros de Medeiros. n Morre Maria Augusta Bordalo Pinheiro, pintora. n Lisboa – Nasce Constantino Esteves, realizador de cinema.

Assinatura do contrato com a casa Fiat

Itália, para aquisição de três sub28 demarinos. n Abertura do congresso Municipalista, em Évora. n Partem para Angola, a bordo do vapor “Zaire”, mais forças expedicionárias. O advogado e Cap. de Infantaria Álvaro

de Castro assume o Governo31 (Xavier) -Geral de Moçambique.

D. João Evangelista de Lima Vidal,

23 Bispo de Luanda, renuncia ao cargo.

O Cap. Ten. João Fiel Stockler é julga-

absolvido pelo encalhe do cruza25 dodore“República”, sob o seu Comando.

233


1915 1

Publica-se “A Juventude” (Portalegre académico - n.d.). n Publica-se “Alma Algarvia” (Silves republicano - n.d.). n Afonso Costa toma posse do lugar de professor do Instituto Superior do Comércio.

2

Afonso Costa viaja até à Suiça, onde o seu amigo França Borges se encontra muito doente.

3

Publica-se em Lisboa a revista “O Eco Teatral”.

5

Davos-Platz (Suíça) - Morre António França Borges, jornalista e político republicano, fundador do jornal lisboeta “O Mundo”. n Rio de Janeiro - Nasce o português Luís Martins Pena, criador da comédia brasileira.

6

Regressa de África com mais 19 oficiais o Gen. Pereira d’ Eça.

7

Chega a Porto Amélia, Moçambique o novo Governador Dr. Álvaro de Castro, com mais forças expedicionárias.

9

Morre o antigo político e grande proprietário alentejano José Vaz Monteiro.

Estado toma posse da Fábrica de 10 OAdubos e Produtos Químicos da Póvoa de Santa Iria.

É exonerado do cargo de Ministro do

o Dr. José Ferreira da Silva. 11 Interior n Greve dos operários de exploração do Porto de Lisboa. n Dec.- D.G. n.º 231 - cria, na cidade de Faro, um Museu Regional de Arte e Arqueologia. n Lisboa - Morre José Pereira de Sampaio (Bruno), escritor e jornalista. n É eleito correspondente da Academia Brasileira de Letras o diplomata e poeta António Feijó, na altura E.E.M.P. na Suécia. n Nomeação do Dr. João Catanho de Meneses para Ministro do Interior. Exonerado em 29.11.1915. Aplicação do decreto estabelecendo

horário de trabalho nas fábricas e 12 ounidades agrícolas. Sé em Lisboa e

no Porto a legislação logra ser relativamente cumprida. n O Dr. Júlio Dantas profere uma conferência, a bordo do cruzador “Almirante Reis”. n Morre o fotógrafo e gravador José Pires Marinho. Lisboa - Nasce Frederico Henrique

Arquitecto e pintor. 15 George, n Partem para África mais 650 expedicionários para a ocupação do além-Cunene. n Publica-se “O Rebate” (Braga -


Novembro democrático - n.d.). n O Dr. António Ferrão é nomeado para promover a publicação de um trabalho biográfico sobre o marquês de Pombal. Dec.- D.G. n.º 237 - proíbe a expor-

18 tação e reexportação de enxofre.

O Governo pede demissão, aceite pelo

da República. 19 Presidente n Funeral em Lisboa de França Borges, ao qual comparecem muitos vultos democráticos, tendo Afonso Costa discursado. n Na capa o jornal “O Século” questiona: “A ocupação de Angola, como ela poderia e deveria ter-se feita economicamente, se Angola não fosse, durante muito tempo, considerado um feudo dos militares”.

em Guimarães a greve ge24 Decreta-se ral, em virtude dos acontecimentos em

Pevidem. n Criação do Instituto de Professorado Primário Oficial Português destinado a proteger e educar os órfãos dos docentes daquele grau de ensino.

26 professora de dança clássica.

Lisboa - Nasce Margarida de Abreu,

Abertura em Braga do Congresso das

Católicas. 27 Juventudes n Afonso Costa é encarregado de constituir Governo. n Reabertura do Congresso Nacional. n Portaria autorizando o comércio de ópio em Macau. Inaugura-se em Coimbra o Congresso

28 Gráfico.

Porto - Nasce Madalena Moreira de Sá

violoncelista. 20 en Costa, Declaram-se em greve os alunos de várias escolas industriais de Lisboa. Greve dos estudantes liceais, por não

os cursos um pretendido carácter 22 terem geral. n Nas eleições suplementares foram eleitos pelo Partido Democrático o Dr. Catanho de Meneses e Albino Vieira da Rocha.

Afonso Costa assume a chefia do XI

Constitucional. 29 Governo n Nomeação do Major José Norton de

Matos para Ministro da Guerra. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro das Finanças. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Dr. Augusto Vieira Soares para M.N.E.. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Cap. Frag. Vitor Hugo de Azevedo Coutinho para Ministro da Marinha. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Dr. João Catanho de 235


1915 Meneses para Ministro da Justiça. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro do Interior. Exonerado em 15.3.1916. n Nomeação do Cap. Frag. Alfredo Rodrigues Gaspar para Ministro das Colónias. n Nomeação do Eng. António Maria da Silva para Ministro do Fomento. Exonerado em15.3.1916. n Nomeação do Major Frederico Ferreira de Simas para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 15.3.1916. n No seu 2.º Governo de José de Castro de 163 produziram-se 759 diplomas legislativos. n As costureiras do Porto declaram-se em greve.

Novembro


Dezembro 1

Publica-se “O Português” (Guarda Partido republicano - n.d.).

a publicação “A Justiça”, 12 Cessa (Setúbal - democrático - n.d.).

2

Apresentação do novo Governo no Parlamento.

Republicana são atacadas por 13 cional operários.

3

Toma posse do Governo Civil de Lisboa José da Costa Gonçalves.

4

Publica-se “A Revolta” (Coimbra - republicano - n.d.).

5

Concertos sinfónicos no Politeama com composições de João Arroio. n Discute-se na imprensa o traçado da nova linha-férrea para Chaves.

7

Com prejuízos avaliados em mais de 200 contos e alguns feridos, dá-se um choque de comboios na Linha do Sul e Sueste, próximo de Boliqueime.

9

Lisboa - Morre Telmo Larcher, actor. n Bula de S. S. Bento XV, nomeando D. Manuel Mendes da Conceição Santos, Bispo de Portalegre. n A fronteira entre Nagar-Aveli e o Estado de Darampur, na Índia, foi aprovada por acordo luso-inglês.

Em Pevidém as forças da Guarda Na-

14 frâmio.

Proibição da livre exportação de vol-

17 2.046, relativo à compra de três subLei - D.G. n.º 256 - ratifica o decreto n.º mergíveis.

O Chefe de Estado inaugura na S.N.B.A.

exposição de aguarelas de Helena 20 uma Roque Gameiro e outros artistas. Proibição da exportação de ouro em

ou amoedado, em defesa das 22 barra divisas portuguesas. Port. - D.G. n.º 260 - aprova o regula-

23 mento da Escola de Aeronáutica Militar. 24 fessor universitário.

Bragança - Nasce Paulo Quintela, pron Lisboa - Morre do banqueiro português José Maria do Espírito Santo Silva.

Com a assistência do P.R. realiza-se

conferência do Dr. João de Barros Alves dos Reis confessa-se culpado 10 uma no cruzador “Vasco da Gama”. grande burla do Banco Angola & 26 daMetrópole. 237


1915 em Braga o 3.º Congresso da 27 Realiza-se Federação das Juventudes Católicas. O Governo britânico solicita a requi-

dos navios alemães surtos em 30 sição portos portugueses. De acordo com o Anuário Comercial

cerca de centena e meia de 31 existiam mulheres nos serviços dos diversos

ministério. n Segundo o Anuário Comercial há em Lisboa 7 médicas exercendo clínica. n Dec.- D.G. n.º 265 - manda considerar monumentos nacionais a muralha e portas da antiga cidade de Viseu. n No ano económico iniciado em 1914 as receitas fixam-se em 11.006 e as despesas são de 14.998 libras esterlinas. n O aumento da inflação cifra-se em 11%. n São 6.700 as escolas primárias oficiais em funcionamento. n Total da dívida pública: 117.272 libras esterlinas n Os efectivos do Exército somam 135.966. n As forças armadas incorporam cerca de 2.600 oficiais. n Contrai-se para 13.073 contos o montante arrecadado em contribuições e impostos directos no País. n A frota mercante nacional soma 91.859 toneladas brutas, correspondente a 471 embarcações (número controverso). n A produção de cacau em S. Tomé cifra-se em 27.936 toneladas, colo-

cando a colónia na 4.ª posição entre as maiores produtoras do Mundo. n O número da emigração oficial do continente e ilhas é de 19.314. n O valor da libra-ouro em relação ao escudo é de 6$34.


Dezembro

239


19 16


1916 n É de 22% o aumento do custo de vida (cálculo controverso). n António Patrício publica: Pedro, o Cru”. n Óleo sobre tela de Almada Negreiros: “Mucha”. n Eugénio de Castro publica: “O Cavaleiro das Mãos Invisíveis”. n Óleo sobre tela “Janelas de Pescadores” de Amadeu de Sousa Cardoso. n Almada Negreiros publica: “Saltibancos”. n Henrique Lopes de Mendonça publica: “Sobre Afonso de Albuquerque”. n António Sérgio publica: “Considerações Histórico-Pedagógicas”. n António Cabral publica: “Eça de Queiroz”, a 1.ª biografia portuguesa do escritor. n Manuel de Arriaga publica: “Na Primeira Presidência da República Portuguesa”. n “Palace Hotel da Cúria” dos Arquitectos Deolindo Reis e Duarte Melo. n Conclusão da construção da estação dos C.F. de Lourenço Marques, Moçambique. n “Camilo Castelo Branco - Esboço Biográfico”, da autoria de Teófilo Braga. n Luís Almeida Braga publica: “Pão Alheio”. n Bento Carqueja publica: “O Povo Português”. n Prémio Valmor de Arquitectura atribuído ao edifício da Av. Luís Bivar, 2, da autoria de Miguel Nogueira Júnior.

Sete Rios em Lisboa, com equipas de Lisboa, Porto, Suíça e Espanha, saindo vitoriosa a primeira.

2

De regresso do Porto chega à capital o Chefe do Estado. n Publica-se em Lisboa o diário católico “A Ordem”. n Publica-se “Notícias da Beira” (Castelo Branco - democrático - n.d.).

3

Entram em circulação as novas notas de 100 escudos. n O Governo decide a construção e a organização de um campo para manobras militares em Tancos.

5

Motins populares em Coimbra.

7

Vai à cena, no Teatro do Ginásio em Lisboa, “O Primo Basílio”, peça baseada no romance de Eça de Queirós. n A equipa suiça de “Montriond Sport” de Lausanne perde por 3-1 contra a Selecção Lisboa Benfica em futebol.

9

Publica-se “A Rabeca” (Portalegre humorístico - n.d). Morre Bartolomeu Constantino grande

1

Estreia, no Teatro Avenida de Lisboa, da revista “Maré de Rosas”. n Torneio de futebol, no campo de

dos movimentos operários. 11 impulsionador n O Chefe de Estado inaugura uma

Exposição Bibliográfica na Academia das Ciências de Lisboa.


Janeiro Ministro das Finanças apresenta, à No Museu de Aveiro, o professor Egas 12 OCâmara dos Deputados, o Orçamento 16 Moniz profere uma conferência subordiGeral do Estado, com um défice de 3.165.769$29. n Exposição de pintura de José Campas, nos salões da Ilustração Portuguesa em Lisboa. n Crescente número de focos de tifo assinalam-se em Lisboa.

nada ao tema “Divagações sobre a Arte”. n Colocação da 1ª pedra do Casino do Estoril, iniciativa que se deve a Fausto de Figueiredo.

17

Declaram-se em greve os alunos das Faculdades de Ciências do Porto e de Coimbra.

Estreia, no Teatro Nacional em Lisboa,

peça “Coimbra Terra de Amores”, 13 aoriginal do Dr. Vicente Arnoso.

n Publica-se “A Propaganda” (Setúbal - conservador - n.d.). n Um incêndio destrói o Depósito Geral de Fardamentos em Lisboa. Suspeitas de crime, morrendo dois bombeiros no combate ao sinistro. n É aberto o túmulo de Afonso de Albuquerque, para identificação das ossadas.

A Federação Académica vota a greve

18 geral das Escolas Superiores do País.

O actor Erico Braga estreia-se no Tea-

Politeama em Lisboa na peça “A 19 tro Vida Dum Rapaz Pobre”. n Dec. n.º 2185 - organiza-se o curso comercial da Casa Pia.

Exposição de pintura de Higino de

Inauguração, na cidade da Praia, Cabo

Cor. de Artilharia Messano de Amorim para Governador de Angola.

n Exposição de pintura em Lisboa de Frederico Aires.

Inauguração

Dec. n.º 2189 - cria uma Comissão

em Lisboa. de uma Exposição Agrícola e 14 Mendonça 20 Verde, n O Senado aprova a nomeação do Pecuária.

pelo

P.R.

Bernardino

do novo Teatro República em 21 Central de Meteorologia, para o estudo 15 Machado Lisboa, destruído por um incêndio, antes e regulamentação de todos os serviços D.ª Amélia e actual S. Luís, em homenagem ao visconde de S. Luís de Braga. n A grande actriz Virgínia reaparece no Teatro Nacional na peça “Édipo” de Sófocles.

meteorológicos do País. Morre subitamente em Lisboa por

congestão cerebral o E.E.M.P. do 22 uma Brasil, Regis de Oliveira.

243


1916 n.º 476 criando a freguesia da 25 Lei Quarteira, Loulé. Greve dos operários de lanifícios da

26 Covilhã. n Dec. n.º 2196 - aprova o regulamento do serviço e do provimento das Escolas de Língua, História e Geografia portuguesas no estrangeiro.

Janeiro nardino Machado, para a celebração do 25.º aniversário do movimento revolucionário republicano de 31 de Janeiro de 1891. n As desordens em Lisboa contabilizam 67 prisões. n O jornal “O Século” denuncia: “A Companhia do Gaz explora o público. A Câmara Municipal consente, embora seja também explorada. O consumidor traz a bolsa a saque e a vida em perigo”.

Dec. n.º 2199 - determina que o

de Travanca, concelho de A27 mosteiro marante, seja considerado monumento nacional. n Na Câmara dos Deputados aprova-se o projecto das subsistências. Lisboa é abalada por um sismo

Gouveia - Nasce Virgílio Fer28 nreira,Melo,licenciado em Filologia Clássica, escritor e professor liceal. Tumultos em Évora.

Tumultos em Campo de Ourique e 29 nAlcântara, em Lisboa, por causa da carestia de vida. n Transferência da Alfândega Chinesa de Macau para a Ilha da Lapa. Greve dos trabalhadores rurais da Golegã.

Publica-se “A Resistência” (Coimbra 30 n- democrático - n.d.). n Multiplicam-se os assaltos a mercearias pela província. n Afonso Costa faz uma viagem triunfal ao Porto, acompanhado por Ber-

O movimento revolucionário de 1891 é

no Porto com a presença do 31 celebrado Chefe de Estado.


Fevereiro 1

Os jornais da tarde, à excepção de “O Paiz”, passam a vender-se a 2 centavos. n Em Lisboa explodem bombas e morre um polícia com um petardo atirado na Alfama.

2

Diploma de nomeação do Dr. Fernando Bissaya Barreto para Professor ordinário da Faculdade de Medicina da U.C. n O matutino católico “A Ordem” publica-se em Lisboa.

3

Cessa a publicação “O Alarme” (Tomar - democrático - n.d.).

4

Portaria 575 - aprova o contrato para a exploração de uma linha férrea em Moçambique, de que é concessionária a ‘Central África Railway Company, Limited.’ n Inauguram-se os trabalhos da linha-férrea de Chaves. n Em Lisboa inaugura-se nos Restauradores o cinema “Condes”, antigo Teatro da Rua dos Condes, sendo proprietário a empresa Castello Lopes.

6

Revolta-se a população de algumas freguesias limítrofes do Porto, para impedir o embarque de cereais para o Sul. Abertura oficial do Instituto do Professorado Primário Oficial. n Recusa do Governo de Lisboa à solicitação britânica para requisitar os navios alemães surtos em portos portugueses feita a 30.12.1915, por não ter sido invocada a Aliança entre os 245


1916 dois Países.

7

Cria-se uma Comissão Central de Subsistência estabelecendo um regime de preços tabelados e a penalização dos infractores.

9

O Orfeão de Condeixa apresenta-se no Teatro República em Lisboa. n Arcos de Valdevez - Nasce José da Silva Dias, Prof. universitário da U.C. investigador nos campos científicos, de Literatura, História e Direito. Cessa a publicação “O Povo” (Lisboa -

- n.d.). 12 democrático n Mobilização da Indústria em virtude

n.º 2223 - aprova o regulamento 17 Dec. para a cultura do arroz, no território continental. n “Memorandum” do Governo britânico, invocando a aliança, no sentido de induzir o executivo de Lisboa a requisitar os navios alemães surtos em portos portugueses. Cria o Arquivo dos Registos Paroquiais

18 e Registo Civil.

Cria-se em Lisboa a Companhia Agrí-

e Fabril da Guiné. 19 cola n Regressam a Lisboa a bordo do

navio “Mossamedes” várias forças expedicionárias que se haviam batido em África.

da eventual entrada de Portugal na Grande Guerra. Desafio de futebol entre o “Racing de

Assaltos a vários estabelecimentos em

Nova de Gaia. 15 Vila n Dec. n.º 2216 - regula a constituição

do Conselho do Comércio Exterior de Portugal. n O P.R. inaugura a Exposição de pintura de Higino de Mendonça no Salão da “Ilustração Portuguesa”.

16

Estreia, no Teatro da República em Lisboa, a peça “Noite de Santo António”, de Vasco Mendonça Alves. n Publicação do vespertino de Lisboa “A Opinião”, republicano, centrista e sidonista.

e o Benfica, vencendo a equi20 Madrid” pa portuguesa. n Conclui-se o projecto de reconstrução da Casa de Camilo, da autoria de arquitecto Carlos Fernando Leiturga. Morre o médico António Eduardo Costa.

n.º 592 - aprova a instalação 21 nemPortaria Lisboa, no antigo convento do Varatojo, de um asilo para indigentes do sexo feminino, com o nome de Latino Coelho. Publica-se em Lisboa a revista ilustra-

“Arqueologia Artística e Etnográfica 23 daPortuguesa”.


Fevereiro n Telegrama do M.N.E. para o Ministro de Portugal em Berlim, (Sidónio Pais) comunicando a decisão portuguesa de “requisitar” os navios alemães em portos portugueses. n O jornal “O Século” anuncia: “Arvora-se a bandeira nacional nos 36 navios alemães surtos no Tejo – Um gesto rápido e simples”.

n Protesto do E.E.M.P. alemão, barão de Rosen, pela “requisição dos navios daquela nacionalidade em portos portugueses e requerendo a sua imediata revogação”. Dec. n.º 2241 - aprova o regulamento

29 sobre substâncias explosivas.

Dec. n.º 2236 - requisita, para o serviço

Estado, vários navios alemães fun24 dodeados no porto de Lisboa. n Dec. n.º 2234 - aprova o regulamento do tiro nacional. Requisita, para o serviço do Estado, o

alemão “Vesta”, surto no Douro. 25 navio n Nota inglesa exprimindo o reconhecimento do Governo de Londres pela decisão de Portugal em “requisitar” os navios alemães em portos portugueses. Estreia a peça de André Brun “A no Teatro

de Arroios”, 26 Maluquinha República em Lisboa.

n A equipa “Fortuna” de Vigo, vence o Sport Lisboa e Benfica, em futebol. n A imprensa informa da aprovação da nova série de selos com desenho de Artur Aires Cardoso. Cessa a publicação “O Bracarense”

- católico - n.d.). 27 (Braga n Primeira audição, no

Teatro da República de Lisboa, do poema sinfónico do Dr. João Arroio. 247


1916 1

Reúnem-se as duas Casas do Congresso em sessão conjunta. n Dec. n.º 2243 - requisita os navios alemães fundeados nos portos de Ponta Delgada e Horta.

2

O Governo manda encerrar a sede a União Operária Nacional, alegadamente por falta de documentação legal para funcionar.

9

A Alemanha declara guerra a Portugal. O E.E.M.P. barão Friedrich von Rosen entrega a respectiva declaração ao M.N.E. Augusto Soares. n Entram em circulação as notas de 2$50. n Dec. n.º 2262 - convoca reservistas da Armada para se apresentarem ao serviço activo.

10 berania sobre a região de Quionga, Forças portuguesas restauram a so-

3

Cessa a publicação “A Opinião” (Guarda - democrático - n.d.).

4

Estreia, no Teatro da República, em Lisboa, a farsa “Entremês do Dr. Cupido”, de André Brun. n Dec. n.º 2253 - regula o abastecimento do País de matérias-primas e de mercadorias de primeira necessidade. n Decretos n.º s 2257 e 2258 - requisitando os barcos alemães fundeados nos portos de Mormugão, S. Vicente de Cabo Verde e Funchal.

8

Morre Libânio da Silva, tipógrafo e introdutor da cromo-tipografia. n É artilhado o castelo de S. João da Foz do Douro. n É votada a dissolução e liquidação do Banco Mercantil de Braga. n Um incêndio reduz a cinzas o chamado palácio de D. Manuel em Évora, avaliando-se os prejuízos em 50 contos.

Moçambique. n Afonso Costa pede a demissão do Ministério, com vista a constituir-se um Governo de União Nacional. n Sessão do Congresso da República, em que é lida a nota de declaração de guerra à Alemanha. n Dec. n.º 2268 - abre um crédito de 3.000.000$00, par encargos resultantes da crise cerealífera. n O E.E.M.P. da Alemanha barão von Rosen viaja em comboio especial, fornecido pelo Governo para deixar Portugal, após a declaração do estado de guerra entre os dois Países. n O Governador-Geral de Moçambique publica uma proclamação patriótica dando conhecimento aos cidadãos da declaração de guerra alemã. n Nota verbal do Ministro de Espanha em Lisboa, informando que a sua Legação ficaria encarregada dos interesses da Alemanha em Portugal. n O E.E.M.P. em Berlim, Major Sidónio Pais, termina as suas funções de E.E.M.P. na Alemanha.


Março a publicação “O Liberal” (Caste11 Cessa lo Branco - democrático -n.d.). Lei n.º 491 criando a Escola de Apli-

de Administração Militar. 12 cação n Greve operária de construção civil

de Lisboa, na luta pelas oito horas de trabalho diário. n Lei n.º 493 - autoriza o Governo a mobilizar qualquer indústria, quando assim o exigirem os interesses da defesa nacional e da economia interna. n Publica-se o “Distrito de Aveiro” (evolucionista - n.d.). n Dec. n.º 2270 - permite a apreensão de periódicos e impressos, cuja circulação seja nociva aos interesses públicos. n A.O.S. apresenta o requerimento para ser admitido ao concurso para Assistente do 2.º Grupo (Ciências Económicas) com o trabalho “A Questão Cerealifera. O Trigo”. Dec. n.º 2275 - cria a Direcção dos

13 Serviços do Estado Maior da Armada.

14 marães esquerda - republicana - n.d.).

Cessa a publicação “Alvorada” (Guin D. José Lopes Leite de Faria, Bispo de Bragança, entra solenemente na sua Diocese. XII Governo Constitucional, denomi-

de “União Sagrada”, constituí15 nado do por democratas e evolucionis-

Almeida. n Nomeação do Dr. Joaquim Pedro Martins para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 25.4.1917. n Nomeação do Dr. Augusto Vieira Soares para M.N.E.. Exonerado em 25.4.1917 n Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro das Colónias. n Nomeação do Dr. Luís Pinto Mesquita (de Carvalho) para Ministro da Justiça. Exonerado em 25.4.1917. n Nomeação do Cor. António Pereira Reis para Ministro do Interior. Exonerado em 29.5.1916. n Nomeação do Eng. António Maria da Silva para Ministro do Fomento. Exonerado em 17.3.1916. n Nomeação do Cap. Frag. Victor Hugo e Azevedo Coutinho para Ministro da Marinha. Exonerado em 25.4.1917. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro das Finanças. Exonerado em 25.4.1917. n Nomeação do Major José Norton de Matos para Ministro da Guerra. Exonerado em 25.4.1917. n Afonso Costa no seu 2.º Governo de 107 dias produz 310 diplomas legislativos. n O barão de Kuhn, E.E.M.P. do Império Austro-Húngaro, apresenta no M.N.E. a declaração de guerra do seu País a Portugal. n Todos os cidadãos de sexo masculino e de idade inferior a 45 anos, são impedidos de saír de País.

tas, presidido por António José de 249


1916 para Madrid, em comboio espeDec. n.º 2285 - autoriza a convocação 16 Parte cial, o ex-Ministro Plenipotenciário da 20 total ou parcial, para a preparação miliÁustria. n Lei n.º 494 criando o Ministério do Trabalho e Previdência Social, que fica a cargo do Eng. António Maria da Silva. n Dec. n.º 2284 C - cria em Viseu o Museu Grão Vasco. n Ascensão de Abrantes a cidade. n Publica-se “A Razão” (Aveiro - republicano - n.d.). Coimbra - Morre José Marnoco e Sou-

jurista, Prof. catedrático da F.D.U.C., 17 sa, que será substituído por A.O.S.

n Serpa - Nasce Etelvina Lopes de Almeida, jornalista e escritora. n Nomeação do Eng. António Maria da Silva para Ministro do Trabalho e Previdência Social. Exonerado em 25.4.1917. n Nomeação de Francisco Fernandes Costa para Ministro do Fomento. No Eden-Teatro de Lisboa, sobe à

a fantasia “No País do Sol”, origi18 cena nal de Avelino de Sousa e Carlos Leal. n O Major Sidónio Pais chega a Lisboa de regresso de Berlim, onde era E.E.M.P., em virtude do rompimento das relações diplomáticas. n Portaria colocando Sidónio Pais no M.N.E. “demorado em serviço”

tar das classes de licenciados.

Estreia, no Teatro da República em Lis-

o episódio “Muito Tarde”, de Ro21 boa, bles Monteiro. No Teatro Politeama de Lisboa es-

o drama “Depois da Vitória”, de 22 treia Marinha de Campos. n S. Miguel, Açores - Nasce Olivério Serpa, campeão de hóquei em patins.

23 mens de Letras do Porto protesta conA Associação dos Jornalistas e Ho-

tra a lei da censura prévia, votada no Parlamento. Dec. n.º 2297 - permite que o direito de

militar, em tempo de guerra, 24 requisição possa ser exercido sobre todo o ter-

ritório português, independentemente da mobilização geral. reconhecidos, como representan25 ser tes consulares de nações neutrais, os Dec. Supl. - determina que deixem de súbditos alemães e austríacos. Inauguração em Lisboa do Albergue

19

Pastoral do Cardeal Patriarca de Lisboa, determinando preces para a prosperidade e integridade da Pátria.

26 Israelita.


Março reunião dos Aliados em Paris, 27 Primeira com a participação de Portugal. Lei n.º 495 - manda submeter à cen-

prévia, enquanto durar o estado 28 sura de guerra, os periódicos e quaisquer outras publicações. n O poeta brasileiro Olavo Bilac é entrevistado pelo “O Século” em Lisboa. O Governo aprova o projecto de re-

da Casa de Camilo Castelo 29 construção Branco em S. Miguel de Seide.

Constituição da comissão da Cruzada

30 das Mulheres Portuguesas.

Dec. n.º 2311 - autoriza o Governador-

de Moçambique a tomar todas 31 -Geral as medidas, militares, administrativas, policiais, económicas e financeiras concernentes ao estado de guerra. n O Eng. Cunha Leal é nomeado Chefe dos Estudos dos C.F. do Estado de Angola.

251


1916 Criação pelo integralistas de um organismos autónomos da Causa Monárquica sob a égide da Chamada Junta Central do Integralismo Lusitano.

1

Estreia, no Teatro Apolo de Lisboa, o drama “A Grande Guerra”, de Henrique Roldão e Emílio Alves. n Constituição em Lisboa da Companhia de Seguros “A Compensadora”.

8

Porto - Nasce Berta de Sousa, pianista. n Constituição da Junta Patriótica do Norte.

9

Organiza-se em Coimbra a Sociedade da Cruz Branca.

10 que a 16 de Abril de 1894 havia sido Tomada de Quionga, em Moçambique,

ocupada pelos alemães, que agora abandonam o território.

2

Inauguração em Lisboa da Exposição de Pintura de José Leite.

3

O poeta brasileiro Olavo Bilac profere uma conferência no Teatro da República em Lisboa sobre as relações entre os dois países. n Abertura em Goa do 1.º Congresso Provincial da Índia Portuguesa.

4

Determina-se a construção do edifício

Dec. n.º 2313 - proíbe a entrada no território da República Portuguesa aos súbditos alemães e seus aliados. n Dec. n.º 2314 - reduz temporariamente a duração dos cursos da Escola de Guerra. n Reabertura do Museu de Arte Contemporânea em Lisboa, por iniciativa do pintor Columbano Bordalo Pinheiro, com a presença do Chefe do Estado.

Municipal do Porto. 11 dan OCâmara Chefe do Governo pede a demissão colectiva do Ministério, por motivo da proposta de lei sobra a amnistia. Manifestação popular para persuadir

José de Almeida a permane12 António cer à frente do Governo, ao que acede. n Greve dos operários da construção civil. n Chega a Lisboa o novo Ministro Plenipotenciário de Espanha, Antonio Lopez Muñoz.

14

Visita Lisboa uma missão naval inglesa.

15 boa, da peça de Eduardo Schwalbach Estreia, no Teatro da República de Lis-

5

Greve dos pintores da construção civil. n Pedro Massano de Amorim toma posse do Governo-Geral de Angola, entregue por Fernando Utra Machado.

“Poema de Amor”. n Inauguração pelo Presidente da República do Instituto do Professorado


Abril Primário Oficial Português. n Dec. Supl - autoriza a constituição no Porto do Banco Popular Português. Congresso extraordinário em Coimbra

16 do Partido Socialista Português.

Exoneração do governador civil de Lis-

Dr. José da Costa Gonçalves. Su17 boa, cede-lhe Sezinando das Chagas Franco. n Lei n.º 512 - a conceder uma ampla amnistia por diversos delitos. n Dec. n.º 2335 - autoriza um alistamento extraordinário de voluntários para o serviço da Armada. n Lei n.º 513 criando a freguesia da Amadora, Oeiras. n A Comissão Promotora de homenagem a Camilo Castelo Branco, ao adquirir por dois contos as ruínas da casa a Ana Rosa Correia, viúva de Nuno Castelo Branco, e a seus filhos, compra também os livros restantes, objectos e alguns móveis portugueses do escritor.

n.º 2343 - aprova as instruções 20 Dec. para a nomeação do pessoal a mobilizar.

n Dec. n.º 2351 - declara o estado de sítio na ilha Terceira. n Dec. n.º 2352 - manda submeter à censura toda a correspondência postal, expedida para países estrangeiros e colónias e recebida destas. Providencia igualmente quanto à censura telegráfica. Muitos súbditos alemães começam a

de Portugal, nomeadamente os 21 partir de idade militar.

23 sular da Alemanha e seus aliados e

Decreto extinguindo a actividade consequestrando os bens dos respectivos cidadãos. n Dec. n.º 2355 - determina que caduque a qualidade de cidadão português, para os filhos dos alemães nascidos em Portugal. n Ataque alemão ao posto de Namoto, Moçambique.

Deflagra um incêndio “misterioso” na Pedro Boto Machado assume o GoverNaval de Lisboa. A ‘Sala do 24 no de S. Tomé e Príncipe. 18 Escola Risco’, com um espólio precioso é totalmente destruída, nunca se apurando os responsáveis. n Apresenta as suas credenciais o E.E.M.P. de Espanha Lopez Muñoz.

25 rência, na Universidade Livre de Lis-

Parte para Paris uma comissão parla-

Paris - Suicida-se o poeta Mário de Sá

O Dr. Teófilo Braga realiza uma confeboa, sobre “Cervantes e a sua Obra”.

de comércio, para participar na 26 Carneiro. 19 mentar conferência ali realizada.

253


1916 n.º 520 - destina a Panteão Nacio29 Lei nal o antigo templo de Santa Engrácia em Lisboa. n Dec. n.º 2358 - requisita o vapor austro-húngaro “Szechenyi”. n O poeta Mário de Sá Carneiro é enterrado no cemitério de Pantin, perto de Paris.

30

Greve dos ferroviários.

Abril


Maio 1

Inauguração da 13.ª Exposição de Pintura na Sociedade de Belas-Artes em Lisboa com a presença do P.R..

7

Faz a sua entrada solene em Portalegre o novo Bispo, D. Manuel Mendes da Conceição Santos.

2

Port. n.º 663 - proíbe a exportação e reexportação de cimento e sulfato de cobre. n Publica-se “O Realista” (Funchal - integralista - n.d.). n Dec. n.º 2382 - aprova a organização do Instituto dos Pupilos do Exército.

8

3

Reconhece, como instituição de utilidade pública, a Aliança Internacional da Estrela Vermelha, para assistência aos animais nos campos de batalha. n Lei n.º 521 criando a freguesia de Vale de Paraíso, Azambuja.

Lei n.º 527 - autoriza o Governador-Geral de Moçambique a contrair um empréstimo para obras de fomento. n Dec. n.º 2374 - cede diversas dependência do Paço de S. Vicente, para instalação do Liceu de Gil Vicente em Lisboa. n Início de uma ofensiva alemã em Moçambique com ataques a vários postos militares. n António Maria da Silva é eleito Grão-Mestre da Maçonaria. Norton de Matos reentra na obediên-

4

5

Dec. n.º 2366 - cria a Intendência dos Bens dos Inimigos. n Cessa a publicação “O Leste” (Elvas - conservador - n.d.). n Estreia, no Teatro da República em Lisboa, o episódio “Saudade”, de Henrique Lopes de Mendonça. n Lei n.º 523 - autoriza o Governo a decretar o estado de sítio. Estreia, no Teatro Nacional em Lisboa, da peça “Octávio”, original de Victoriano Braga. n Lei n.º 524 - cria o lugar de Subsecretário de Estado nos Ministérios das Colónias, Finanças e Guerra.

do Grande Oriente Lusitano Unido, 12 cia filiando-se na Loja “Acácia” de Lisboa (rito francês). n Dec. n.º 2387 - reúne num só diploma as disposições legais em vigor sobre Instrução Primária. n Évora - Nasce “Perdigão Queiroga”, realizador de cinema.

13

Dec. n.º 2390 - aprova os estatutos da “The Inernational Petroleum Company, Limited”, destinada à exploração comercial, agrícola, industrial e mineira das Colónias portuguesas. Ocupação alemã em Xivinda, Moçam-

15 bique.

255


1916

Maio

Teatro da República em Lisboa, Combate no Rovuma, Moçambique, 16 No sobe à cena a peça “Raça Lusitana”, 27 entre forças portuguesas e alemãs. de Carlos Carreira n António Fragoso apresenta-se pela 1.ª vez como compositor, em concerto preenchido por obras suas na Academia de Amadores de Música.

Cessa a publicação “O Amigo do

(Coimbra - católico - n.d.). 28 Povo” n Segue para Moçambique um contingente militar sob o comando do Gen. Ferreira Gil.

Primeira representação da revista “Na-

da Púcara”, no Teatro Apolo em 17 bos Lisboa.

Nomeação do Cor. Brás Mouzinho de

para Ministro do Interior. 29 Albuquerque Exonerado em 25.4.1917.

No Teatro Avenida de Lisboa estreia o

amoroso “Conflitos de Alma”, 19 episódio de Samuel Diniz. Lei n.º 545 - confirma o decreto rela-

à fiscalização e censura da cor20 tivo respondência postal e manda abrir os créditos necessários à execução da lei. Os industriais metalúrgicos, à falta de

com os operários, resolvem 22 acordo fechar as fábricas.

n Dec. n.º 2401 - regulamento de serviço anexo à Convenção Radiotelegráfica Internacional. Afonso Costa apresenta o Orçamento

do Estado para 1916/17. 26 Geral n A espada de honra que fora oferecida ao Ten. Francisco da Cunha Aragão pelo seu desempenho e comportamento em Naulila, não foi por ele aceite e é entregue ao Colégio Militar.

Descoberta no Porto uma conspiração

30 extremista.


Junho 1

Publica-se em Lisboa “A Tarde”. n Dec. n.º 2416 - regula o funcionamento da Escola Preparatória de Oficiais Milicianos.

2

Estreia, no Teatro Nacional em Lisboa, da tragédia “Pedro, o Cruel”, de Marcelino de Mesquita.

3

Inauguração da nova estrada, entre o Funchal e Machico, na ilha da Madeira. n Dec. n.º 2429 - aprova o regulamento do Serviço Telegráfico Nacional das Colónias portuguesas.

4

Lançamento da 1.ª pedra do Sanatório Marítimo de Valadares.

5

Vila Real, Timpeira – Morre o Conselheiro António de Azevedo Castelo Branco, antigo deputado, Ministro, Par do Reino e sobrinho do escritor do mesmo apelido. n Lei n.º 555 criando a vila do Escoural, Montemor-o-Novo.

6

Lei n.º 663 - cria o Fundo das Construções Escolares, aplicável à construção de edifícios para escolas primárias.

7

Lei n.º 566 altera disposições da Lei de Recrutamento Militar.

257


1916 9

10

Chega a Roma uma missão naval portuguesa. n Congresso de Educação Física em Lisboa, inaugurada pelo Chefe do Estado. n Dec. n .º 2437 - fixa, provisoriamente, o limite da circulação fiduciária em notas de ouro do Banco de Portugal. n Dec. n.º 2438 - proíbe a exportação e reexportação de ferraduras e cravos. n Afonso Costa, o M.N.E. Augusto Soares e o Ministro das Finanças, partem para Paris a fim de participarem na Conferência dos Aliados. n Desta data até ao fim do ano registam-se 24 confrontos entre tropas portuguesas e alemãs em África.

n.º 586 - cria, na Faculdade de Le12 Lei tras da Universidade de Lisboa, uma cadeira de estudos brasileiros. n Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro das Finanças interino. n Nomeação do Major José Norton de Matos para M.N.E. interino.

13

Lisboa - Morre Luciano de Castro, actor.

Regista-se um abalo de terra em Lisboa.

Em Paris realiza-se a Conferência 14 nEconómica dos Países Aliados, com

Conferência do Dr. Júlio Dantas, no Conservatório Nacional de Lisboa, sobre o Teatro Camoniano. n Publica-se em Lisboa o número único do “10 de Junho”, em homenagem a Camões.

a participação de Afonso Costa e Augusto Soares. Estes envidam esforços para que seja restituído a Portugal o território de Quionga, Moçambique, ocupado pelos alemães desde 1894. n Lei n.º 1601 criando a cidade de Abrantes.

Braga - Nasce Guilherme Braga da

Lei n.º 603 criando a freguesia de S.

ligioso. n Publica-se “A Verdade” (Lagos - regionalista - n.d.). n Constitui-se a Sociedade dos Amigos do Jardim Zoológico de Lisboa. n Grande sucesso da “Festa da Flôr” realizada em Lisboa, a favor das vítimas da guerra, com a concorrência de 15 mil pessoas, dando cerca de 3 contos de receita.

Cristêlo, Paredes, Porto.

jurista, Prof. da F.D.U.C. e Reitor, 15 Mamede, Batalha. 11 Cruz, historiador, pedagogo e doutrinador ren Lei n.º 605 criando a freguesia de

Pela Lei n.º 616 as Universidades e

instituições de ensino superior 16 outras obtêm autonomia pedagógica e financeiras. n Lisboa - Nasce José Júlio, pintor. n Lançamento da 1.ª pedra da praça de touros em Cascais.


Junho n.º 2451 - altera o estatuto do Insexpedição militar parte de Lisboa 17 Dec. 24 Nova tituto Português de Roma. para Moçambique. n O matutino “O Século”, em capa, noticia a publicação do livro de Augusto de Castro “Fumo do meu Cigarro.

Lançamento da 1.ª pedra do novo edi-

25 fício da Câmara de Vila Nova de Gaia.

D. L. n.º 616 estabelece que as Fa-

podem conceder o grau de Registo de compra da casa de Camilo 19 culdades Doutor aos Professores ordinários e ex- 27 Castelo Branco na Conservatória de traordinários com três anos de serviço. Famalicão. A.O.S. beneficiará deste diploma.

20

O Museu de Arte Antiga adquire um precioso báculo, outrora pertencente ao Convento de S. Bento da Avé-Maria no Porto.

Nomeação do Dr. António José de para Ministro da Instrução

28 Almeida Pública.

O Bispo-conde de Coimbra institui, na

Afonso Costa parte de Paris para Lon-

a fim de negociar as condições 21 dres, da participação portuguesa na guerra.

Diocese, a “Liga da Boa Im29 respectiva prensa”, para a divulgação das publicações católicas.

n Nomeação de Arnaldo Norton de Matos para Reitor da U.C.. Grande parada militar em Montalvo, do Presidente da

a presença 22 com República.

n Dec. n.º 2465 - declara em vigor nas Colónias, várias disposições sobre censura postal e telegráfica. No Teatro República estreia a revista

Amada”. 23 “Lisbia n Lei n.º 621 - altera disposições do Código Administrativo.

259


1916 1

Segue para Moçambique mais um contingente de tropas.

2

Inaugura-se o Hospital-Asilo de Esposende.

3

Iniciam-se em Tancos os exercícios militares.

4

Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro do Interior interino. Exonerado em 17.7.1916. n Assume como Reitor da U.C. Arnaldo Norton de Matos, licenciado em Direito.

5

Forças portuguesas, transportadas pelo vapor “Moçambique”, chegam à baía de Tungue.

na Índia. n A falta de energia eléctrica em Lisboa imputada à Câmara Municipal de Lisboa, gera protestos e manifestações. Publica-se em Lisboa o jornal republi-

12 cano “Túnica”.

Tentativas de assaltos a estabeleci-

comerciais em Caldelas. 15 mentos n Dec.- D.G. n.º 142 (Supl.) - cria em Lisboa um Hospital Veterinário Militar. n Convite formal do Gabinete britânico para que Portugal aderisse à guerra europeia em curso. Estreia, no Teatro da República em Lis-

a revista “Castelos no Ar”, de E16 boa, duardo Schwalbach e Acácio de Paiva.

n Lisboa - Nasce Mário Dionísio, poeta, cronista e romancista.

6

São proibidos de circular em Lisboa os jornais estrangeiros “Il Movido”, “El Correo” e o “ABC”.

8

Por falecimento do Dr. José Marnoco e Sousa assume a direcção da F.D.U.C. o Dr. José Alberto dos Reis.

9

Cessa a publicação de “O Reclamo” (Évora - regionalista - n.d.).

10

Dec- D. G. n.º 137 - requisita, para o serviço do Estado o vapor austríaco “Vorwaertz”, fundeado em Mormugão,

Aprova o regulamento das caixas filiais

17 do Banco de Portugal.

Morre na Casa de Saúde do Telhal, Ar-

de Sá Cohen, autor de comédias. 19 tur n Chega a Lisboa uma missão militar espanhola, para assistir a exercícios em Tancos.

21 n Para observarem os exercícios do Morre o actor José Cordeiro Fialho.

Exército português em Tancos, deslocam-se a Lisboa missões militares de


Julho França e Inglaterra. Em Tancos, constitui-se o Corpo Expe-

Português, C.E.P., formado 22 dicionário por 30 mil homens, com vista à participação de Portugal na guerra. n Realiza-se em Montalvo uma grande parada e revista militar, na presença do Chefe do Estado, membros do Governo, Corpo Diplomático, etc. n Criação de uma escola de Português prático para o pessoal chinês do Comissariado da Policia de Macau. Instala-se no Jardim Zoológico de Lis-

o hipópotamo oferecido pela Com26 boa panhia do Zambézia em Moçambique Ataque alemão a Nangadi, Moçambique.

Decreto tornando a Cencura prévia 31 nextensiva às Colónias.

261


1916 3

Dec.- D.G. n.º 154 - cria uma Biblioteca Erudita em Leiria. n Inaugura-se, numa das salas do Museu das Janelas Verdes, a exposição de Cerâmica organizada por José Queirós.

5

Agitação popular contra a carestia de vida: assaltos a padarias. n Cessa a publicação “A Evolução Republicana” (Braga - evolucionista - n.d.). n Cessa a publicação “O Debate” (Ponta Delgada - democrático - n.d.).

“O Setubalense” (esquerda 10 Publica-se republicana - n.d.). n Dec.- D.G. n.º 160 - aprova os novos estatutos da Casa Pia de Beja.

12 sa, com a incumbência de saudar a Chega ao Tejo uma força naval ingle-

6

7

Criação em Lisboa da Escola Prática de Administração Militar, EPAM. n Inauguração em Lisboa do Museu Bordalo Pinheiro, no Campo Grande. n No Passeio Alegre da Foz do Douro inaugura-se uma Escola Colonial e o Sanatório Marítimo. n É inaugurado o novo edifício dos Paços do Concelho do Fundão. Reunião do Congresso, com a presença do Presidente da República, para tratar da participação portuguesa no conflito europeu, que se vê aprovada. n Portaria, autorizando a Sociedade do Jardim Zoológico a emitir obrigações no valor de 67 contos, para a aquisição do local em que se encontra instalado. n Lisboa - Nasce Óscar Acúrcio, actor e assistente de realização.

República Portuguesa.

Cessa a publicação “A Tarde”, Lisboa.

Publica-se em Lisboa o jornal mo15 nnárquico “Diário Nacional”.

16 Brasil, Dr. Gastão da Cunha.

Chega a Lisboa o novo Embaixador do

no Museu de Arte Antiga, de17 exibido pois do seu Ditector Dr. José Figuei-

O quadro de D. Nuno Álvares Pereira é

redo o ter localizado na capela do palácio de Oeiras. n No átrio do Teatro Nacional em Lisboa abre-se uma Exposição de Pintura, de temática histórica, da autoria de Roque Gameiro e Alberto de Sousa. Inaugura-se em Lisboa o novo posto

18 da Cruz Vermelha, junto à Junqueira. 19 União Republicana (Partido Unionista).

Abertura em Lisboa do 2.º Congresso da


Agosto aeroplanos do campo de aviação de a Lisboa uma missão militar 21 Dois 30 Chega Vila Nova a Rainha sobrevoam Lisboa. anglo-francesa. Aprovação ministerial, por despacho, nomeação provisória de A.O.S. regência da cadeira de Política Económica. n A canhoneira “Ibo” é atacada por um submarino alemão junto à costa portuguesa, sem consequências. n Comício patriótico a favor da intervenção de Portugal na guerra, realizado junto ao mosteiro da Batalha. n Cessa a publicação “O Riso do Vouga” (Aveiro - independente - n.d.).

24 dana

Motim de merceeiros no Porto contra o

de contrôle dos abastecimentos. 31 regime n O Parlamento vota a pena de morte em situação de guerra, provocando tumultuosa reacção. Vota-se ainda a revisão da Constituição. n Em Alcoentre é assassinado o rico proprietário Diogo de Pina Manique, dado há tempos como interdito.

É aprovada, no congresso da Repúbli-

a moção de Alexandre Braga sobre 25 ca, a revisão constitucional.

26 Brasil, Dr. Gastão da Cunha, apresenta O novo Ministro Plenipotenciário do credenciais.

Em Londres, a Câmara dos Lordes

o Tratado de Comércio Luso27 aprova -Britânico de Agosto de 1914. n Publica-se “O Dia” (Horta - independente e regionalista - n.d.). O “Diário do Governo” publica a con-

e ratificação do Tratado de 28 firmação Comércio Luso-Britânico, de Agosto de 1914.

263


1916 1

Dec.- D.G. n.º 177 cria, no Conselho de Instrução Pública, uma sessão especial para apreciação de livros escolares. n A U.C. é autorizada a contrair um empréstimo de 20 contos para a conclusão do edifício da Faculdade de Letras.

2

Aquisição de material bélico no Japão, para utilizar na Província de Macau. n Cessa a publicação “A Revolta” (Coimbra - republicano - n.d.). n Cessa a publicação “O Flaviense” (Chaves - pró-evolucionista - n.d.). n No Porto registam-se novos atentados à bomba.

3

4

Cessa a publicação “O Português” (Penafiel - democrático - n.d.). n Em Leiria inaugura-se a Exposição Agrícola e Industrial. n Publica-se “A Gazeta de Braga” (democrático - n.d.) Estreia no Teatro Avenida de Lisboa, a revista “ A Princesa Magalona”. n Dec.- D.G. n.º 179 - cria a Comissão Portuguesa de Acção Económica contra o Inimigo e regula a sua constituição e competência. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Presidente do Ministério interino. Exonerado em 5.10.1916. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro das Colónias. Exonerado em 5.10.1916.

5

Morre o Vice-Almirante Caetano de Almeida Albuquerque, ex-governador civil de Lisboa. n Manuel Ferreira da Rocha assume as funções de Governador interino de Macau, onde era Secretário-Geral do Governo. n Por doença do P.R. António José de Almeida, assume interinamente o cargo o Ministro das Finanças Afonso Costa, até 12 de Outubro.

6

Chega a Lisboa a missão de estudo do Instituto Superior do Comércio de Madrid. n No Eden-Teatro em Lisboa, estreia a revista “O Novo Mundo”, de Ernesto Rodrigues, João Bastos e Félix Fernandes. Decreto determinando que deixassem

ter curso legal as moedas de prata 11 dede 500 réis de D. Pedro V.

13

Registam-se abalos de terra no Alentejo.

Uma expedição militar portuguesa

o rio Rovuma, em Moçam19 atravessa bique, na defesa do território atacado pelos alemães contra os alemães. n A imprensa em geral começa a apresentar notícias em branco na decorrência da censura imposta pela guerra.


Setembro pelo Tenente Óscar Mon20 Pilotado teiro Torres, um aeroplano militar faz evoluções sobre Lisboa. n Dec.- D.G. n.º 191 - aprova o regulamento para a fundação dos Sindicatos de Pecuária. Começa a vigorar nos dois países o e Comércio

de Navegação 23 Tratado luso-britânico.

Abertura em Évora do 4.º congresso

24 da Federação do Livro e do Jornal.

Dec.- D.G. n.º 195 - regulamenta o

que criou as Escolas Normais 26 decreto Superiores das Universidades de Lisboa e Coimbra.

28 da República.

Lei D.G. n.º 197 - altera a Constituição

Morre o pintor António Monteiro Ramalho.

designação de Comissão Central 30 ndeASubsistências é alterada para Comissão de Abastecimentos.

265


1916 1

Cessa a publicação “A Verdade” (Lagos - regionalista - n.d.). n Abertura solene da Escola Militar de Aeronáutica em Vila Nova da Rainha.

2

Abertura no Teatro de S. Carlos do Congresso Económico Nacional, promovido pela Liga Económica Nacional.

3

O edifício do Colégio de Campolide é entregue, a título precário, à Comissão de Hospitalização da Cruzada das Mulheres Portuguesas.

6

Forças portuguesas atacam Michichina, em Moçambique, ocupada pelos alemães. n Destinados ao Exército chegam a Lisboa 5 monoplanos e 2 biplanos.

8

Novos incidentes populares no Porto que causará a morte de um agente da Polícia. Cessa a publicação “O Dia” (Horta - in-

e regionalista - n.d.). 12 dependente n Publica-se “O Rebate” (Tomar - republicano - n.d.).

4

5

Combate de Mauta, Moçambique, em que uma coluna portuguesa comandada por Liberato Pinto, é atacada por forças alemãs, sendo obrigada a retirar para o território nacional. n Récita, no Teatro Apolo de Lisboa, da revista “A Última Hora”. n Abertura em Lisboa do 3.º congresso do Livre Pensamento. n Exoneração do Governador Civil de Lisboa, Chagas Franco, substituído por Domingos Lopes Fidalgo. Publica-se o “Acção Social” (Barcelos - monárquico - n.d.). n Publica-se “A Voz do Sul” (Silves democrático - n.d.). n Inauguração, na Parede, do Internato Infantil Dr. Afonso Costa. n Inauguração da estação ferroviária de S. Bento no Porto, traça do Arquitecto Marques da Silva.

António Santos Bandeira apresenta

13 credenciais de E.E.M.P. na Haia.

Publica-se “O Liberal” (Funchal -

15 democrático).

Estreia, no Teatro Apolo em Lisboa,

opereta “Amores em Coimbra”, de 16 daSousa Rocha. Inaugura-se o troço da linha-férrea de

22 Grândola ao Marvão.

Assalto de piratas a uma embarcação

Praia Grande em Macau. 25 nan OBaíapãodapassa a ter dois tipos: o comum custa 9 cêntimos o Kg.


Outubro n.º 2691 - obrigando os produtores 26 Dec. a vender o trigo à Manutenção Militar. Estreia no Teatro da Trindade em Lis-

27 boa, a mágica “Com 600 Diabos”.

Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro

Patriarca de Lisboa, conclui o 28 Cardeal curso de Ciências Históricas e Geográficas na FLUC com a nota de 19 valores. n Decreto estabelecendo as condições em que poderão ser contratados operários portugueses para França. n Ataque português a Lubindi, em Moçambique. n Forças portuguesas atacam os alemães nos Poços de Nevala, Moçambique. Abertura em Lisboa do Congresso

29 Económico Nacional.

Chega a Lisboa a missão do Partido

Espanhol. 30 Reformista n Começam a circular as notas de

vinte escudos. n Torre de D.ª Chama - Nasce Benjamim Videira Pires, religioso jesuíta, publicista e educador.

267


1916 1

Epidemia de febre tifóide. O total de casos registados, após 5 semanas, é de 1375. n Assinala-se na Associação dos Arqueólogos Portugueses em Lisboa a morte de D. Nuno Álvares Pereira. n Morre o pintor José de Sousa Girão.

Comandante português, Major de Artilharia Leopoldo Silva.

9

O congresso da República concede a pensão anual de 600 escudos ao poeta Gomes Leal.

2

Decreto adiando as eleições administrativas.

10

4

Estreia no Teatro Apolo em Lisboa a revista “Folha Corrida”. n Em Berna apresenta credenciais de E.E.M.P. António Bartolomeu Ferreira.

Beirão, professor e publicista e 11 Veiga antigo ministro da Monarquia.

5

Forças alemãs atacam, debalde, o porto de Mauta, em Moçambique. n Publica-se “O Amigo do Povo” (Coimbra - católico - n.d.).

7

Altera-se a divisão administrativa do território da Província da Guiné. n Dec.- D.G. n.º 225 - reorganiza o corpo de Polícia Civil de Bolama e cria o de Bissau. n Criação de um corpo policial na cidade da Praia, em Cabo Verde.

8

Porto - Morre o empresário Afonso Taveira. n As eleições locais são adiadas pelo Governo. n Em Moçambique dá-se o combate de Quivambo entre uma coluna portuguesa e os alemães, sendo morto o

ÍIhavo - Nasce Euclides Vaz, escultor.

Paço de Arcos - Morre Francisco da

n Partem para França 100 operários portugueses, contratados pelo Governo de Paris. n Manuel Gonçalves Cerejeira é nomeado Assistente provisório da F.L.U.C. da Secção de Ciências Históricas e Geográficas. - democrático). 12 chal n Cessa a publicação “O Concelho de

Cessa a publicação “O Liberal” (FunViseu” (republicano - n.d.). Inaugura-se em Monção o novo edifí-

da Câmara Municipal. 15 cio n Em Lisboa publica-se o jornal “O Liberal”, monárquico tradicionalista. Estreia, no Teatro da Trindade em Lis-

a revista “Fava Rica”, original de 16 boa, Adriano de Mendonça.


Novembro D.G. n.º 234 - determina que em 20 Lei todos os Liceus Centrais de Lisboa e Porto, possa ser ministrado o curso complementar de Ciências e de Letras. n Lei D.G. n.º 234 - eleva o Liceu Nacional Central a Nacional de Angra do Heroísmo. Combate entre tropas portuguesas e

em Nevala, na África Oriental. 22 alemãs n Morre Alexandre Saldanha da Gama,

chefe do Partido Miguelista e lugarTenente em Portugal de D. Miguel de Bragança.

zação dos Correios e Telégrafos coloniais. n Decreto de criação da Biblioteca de Bragança com um Arquivo Distrital anexo.

30

Dec.- D.G. n.º 243 - especifica os crimes aos quais deve ser aplicada a pena de morte. n Dec.- D.G. n.º 256 - cria a Cruz de Guerra, destinado a galardoar os actos e feitos praticados em campanha, por militares e civis.

Nomeação de Jorge R. d’ Oliveira como

25 Cônsul de Portugal em Xangai.

Inaugura-se, na ilha de S.Tomé, um

de Bacteriologia e Análises. 26 Laboratório n Publica-se “O Notícias de Viana” (Vi-

ana do Castelo - católico e monárquico - n.d.). n Ataque geral das forças alemãs ao forte de Nevala que, após um cerco de uma semana, acaba por ser furtivamente abandonado pelos defensores. Dec.- D.G. n.º 241 - cria um subsídio,

a manutenção duma escola por28 para tuguesa em Hong-Kong. Dec.- D.G. n.º 246 - cria um Arquivo

anexo à Biblioteca Pública de 29 Distrital, Évora. n Dec. D. G n.º 242 - aprova a organi269


1916 A.O.S. publica na Imprensa da Universidade “O Ágio de Ouro Sua Natureza e Causas (1891-1915)”.

1

Inauguração da sede do clube Sport Lisboa e Benfica em Benfica. n Abertura do Congresso de Mutualidade, na Sociedade de Geografia de Lisboa.

3

Publica-se “O Imparcial” (Funchal Partido Democrático - n.d.). n Um submarino alemão ataca e afunda três embarcações fundeadas no porto do Funchal.

4

Chega a Lisboa a tripulação do navio “S. Nicolau” (anteriormente alemão), torpedeado por um submarino germânico.

5

Bento Carqueja profere uma conferência, na Sociedade de Geografia de Lisboa, intitulada “Vida Portuguesa”.

7

Cessa a publicação “O Liberal” (Funchal - Partido Democrático - n.d.).

8

Reúne-se em Coimbra o 3.º congresso dos Médicos Católicos Portugueses.

9

Publica-se “Pátria Nova” (Coimbra monárquico - n.d.)

a publicação “O Rebate” (Tomar 10 Cessa - republicano - n.d.). n Inaugura-se o edifício da Escola do Magistério Primário em Lisboa, da traça do arq. Arnaldo Adães Bermudes.

Lisboa - Morre José Maria Alpoim,

12 político progressista (dissidente).

Movimento revolucionário liderado por

Santos com apoio das tropas 13 Machado de Tomar, contra a participação de Portugal na 1.ª Guerra . n Oficiais do quartel de Infantaria 28 da Figueira da Foz tomam a unidade, em consonância com a revolta em Tomar. n Publica-se um falso número do “Diário do Governo”, com a demissão do Ministério e a nomeação de um outro, da presidência de Machado Santos. n São suspensas as garantias individuais e declarado o estado de sítio. Machado Santos sai de Tomar, à frente

umas poucas forças, em direcção 14 dea Abrantes.

15 um grupo de professores da Escola de

Chega a Lisboa, em visita de estudo, Engenharia de Madrid. n Preso em Abrantes, Machado Santos chega a Lisboa de onde é levado para o cruzador “Vasco da Gama” sob o comando de Leote do Rego. n Jaime Cortesão estreia como dramaturgo no Teatro República de Lisboa com a peça histórica “O Infante de Sagres”.


Dezembro 24.879 os portugueses que emi16 São gram oficialmente do continente e ilhas. Morre D. António Aires de Gouveia,

ingleses surtos no porto do Funchal, Ilha da Madeira. A inflação cifra-se em 22%

de Caledónia e ex-Bispo do 31 n Valor da libra em escudos: 6$88. 17 Arcebispo Algarve. n A balança comercial de S. Tomé e Publica-se “A Gazeta de Viana” (católi-

monárquico - n.d.). 18 con Oe vapor português “Cascais” (antigo alemão “Electro”), é afundado por um submarino germânico. Publica-se a 1ª lista de baixas em

ne cenário bélico francês: 2 20 combate mortos, 13 feridos, 2 prisioneiros e 27 desaparecidos. Constitui-se em Lisboa uma Comissão,

angariar fundos, destinados a erigir 21 para uma estátua a Camilo Castelo Branco. Primeira representação em Lisboa da

22 revista “O Conto do Vigário”.

Príncipe apresenta um superavide: importações 6.111.606 escudos contra 752.313 escudos de exportações. n O valor das contribuições e impostos directos cobrados em Portugal é de 13.145 contos. n A Diocese de Angola e Congo não terá prelado até 1932. n Publica-se “O Progresso” (Funchal regionalista - n.d.). n Existem cerca de 160 fábricas ou oficinas de lanificios em Portugal, sobretudo concentradas na Covilhã. n A produção de trigo cifra-se em 259.878 libras. n O número de escolas primárias oficiais é de 6.756. n No ano económico iniciado em 1915 as receitas são de 11.966 e as despesas de 17.498 libras esterlinas. n Total da dívida pública: 114.685 libras.

O Governo francês comunica ao seu

de Lisboa o interesse de 26 homólogo que fosse enviado para a guerra pessoal de Artilharia com 20 a 30 baterias pesadas. Chegam a Paris, como observadores,

militares portugueses. 30 vários n Um submarino alemão ataca navios

271


19 17


1917 n O custo de vida cresce 18%. n António Arroio publica: “Singularidades da Minha Terra”. n Prémio Valmor de Arquitectura conferido ao edifício da Rua Viriato, 5, da autoria de Ernesto Korrody. n Óleo sobre tela “Pintura” (Brut) de Amadeu de Sousa Cardoso. n Latino Coelho publica: “Garrett e Castilho”. n São introduzidas em Portugal os primeiros tractores com motores de explosão, iniciativa do Ministro Lima Basto. n Palace Hotel do Estoril, da traça do Arq. Silva Júnior n Almada Negreiros publica: “Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas”; “Engomadeira” e ”K 4 Quadrado Azul”. n Primeiro e único número da revista “Portugal Futurista” dirigida por José de Almada Negreiros. n “Sobre que valor incide a contribuição de registo por títulos onerosos”, artigo de A.O.S. publicado no Boletim n.º 28 da F.D.U.C.. n Publicação da obra de A.O.S. “Lições de Finanças”. n A.O.S. prefacia o 1.º volume do “Tratado de Economia Política” da autoria do Prof. Marnoco e Sousa. n Raul Brandão: “Húmus” n Teófilo Braga publica “O Amores de Camões”. n Carlos da Sá Ferreira assume a Governo da Guiné. n António Botto: “Trovas”. n O Arq. Raul Lino traça o projecto para a Loja Gardénia, no Chiado em Lisboa.

n Criação do Conservatório de Música do Porto por iniciativa de Moreira de Sá.

1

Macau - Nasce Ruy Jervis de Athouguia, Arquitecto. n Nos baixos do palácio Foz na Praça dos Restauradores em Lisboa inaugura-se a pastelaria Foz.

2

Revolta dos gentios além do Quanza, Angola.

3

Lisboa - assinatura de um texto diplomático luso-britânico, relativo às condições da colaboração militar portuguesa no conflito mundial. Fica acordado o envio de 56 mil soldados ao longo de 14 meses. O C.E.P. ficará subordinado à British Expeditionary Force. n Cessa a publicação “O Facho” (Beja - socialista - n.d.) n Benardino Machado e Joaquim Pedro Martins assinam o Diploma de Funções Públicas de Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Cardeal Patriarca e então Prof. na FLUC.

4

Protestos em Lisboa contra o encerramento dos estabelecimentos e da iluminação pública e particular.

7

Publica-se o “Jornal de Leiria” (republicano - n.d.). n O Governo português, acedendo à solicitação francesa de auxílio na arma de Artilharia, compromete-se a


Janeiro fornecer guarnições para 25 baterias: Dá origem ao Corpo de Artilharia Independente.

9

O cruzador “Vasco da Gama”, novamente em rebeldia, é bombardeado pelas baterias do castelo de S. Jorge, levando-o à rendição. n No Limoeiro processam-se os interrogatórios a acusados de distribuir manifestos antipatrióticos.

11

É inaugurado em Lisboa o Museu e Jardim-Escola João de Deus com a presença do P.R..

14

Começa a publicar-se em Lisboa “A Liberdade”, jornal independente, dirigido por Henrique de Carvalho.

de Fernando Tamagnini de 18 Nomeação Abreu, para Comandante do Corpo

Expedicionário Português, C.E.P. n Cessa a publicação “A Gazeta de Viana” católico e monárquico - n.d.). Um grande ciclone causa prejuízos no

21 Chinde e em Quelimane, Moçambique. É abortada uma tentativa golpista

pelo Cor. Botelho de Vascon22 liderada celos.

n O Centro Católico Português, C.C.P., é apresentado à Nação pelos Bispos, através de uma pastoral colectiva. Analisado o trabalho sobre a “Questão

Representantes dos jornais de Lisboa

O Trigo”, tese para Prof. da 23 Cerealífera. F.D.U.C., o respectivo Conselho aprova-o por unanimidade.

Os Deputados que não apoiam o Go-

com o Ministro do Interior para, 24 verno formam o “bloco” oposicionista. 15 reúnem após o restabelecimento das garantias constitucionais, se definir um critério mais justo na censura à imprensa. Dec. n.º 2938 - manda proceder à con-

do Corpo Expedicionário 17 centração Português, destinado a combater em França. n Publicação no Diário do Governo de um “Relatório acerca da participação de Portugal na Guerra Europeia”.

Teixeira Gomes, E.E.M.P. em Londres

onde fora chamado, é detido domi25 deciliariamente no Avenida Palace, onde se hospedara. O juíz Alfeu da Cruz procede a um in-

a Teixeira Gomes. 26 terrogatório n Afogam-se 12 pessoas ao passarem o rio Sabor.

275


1917 Gen. Tamagnini de Abreu, Coman27 Odante do Corpo Expedicionário Portu-

guês, pede a suspensão de quaisquer deliberações sobre aquelas forças e parte para Lisboa. n Inaugura-se em Lisboa a sucursal do jornal “El Imparcial” de Madrid. Manifestação popular e patriótica de

28 apoio ao Exército e à Marinha.

Parte para França a Brigada do Cor-

Expedicionário Português em três 30 potransportes britânicos.

Janeiro


Fevereiro 2

Cessa a publicação o “Jornal de Coimbra” (Conservador - n.d.). n Chega a Brest, França, a 1.ª Brigada do Corpo Expedicionário Português.

4

Abrantes - Nasce José Alberty Correia, Gen. de Infantaria e Govenador de Timor entre 1963 e 1967.

8

As tropas portuguesas chegam à zona de Thérouane, na Flandres francesa, local de concentração da divisão do C.E.P.

9

Notícia do matutino “O Século”: “acaba de publicar-se o livro “A Conspiração de 1817 - Gomes Freire”, da autoria de Raul Brandão.

10

Cessa a publicação “O Beirão” (Castelo Branco - monárquico - n.d.). n Embarcam tropas para a guerra no Leste Africano.

11

O matutino “O Século” prevê os prejuízo que podiam advir da proibição inglesa de importação dos vinhos portugueses, que ascenderiam a 12 mil contos.

comandante do C.E.P., propõe a elevação da Divisão a Corpo de Exército, o que é aceite.

14

Lendim, Miranda do Douro - Nasce António Mário Mourinho, sacerdote e etnógrafo. Publica-se o “Echos de Chaves”

- n.d.). 15 (monárquico n Aristides de Sousa Mendes, Cônsul em Zanzibar, recebe a 1.ª repreensão (de uma série de 7 no decurso da carreira), por ter abandonado o Posto sem a devida e prévia autorização. Publica-se “A Beira Baixa” (Castelo

- monárquico - n.d.). 17 Branco n Abastecimento de água à cidade de Macau.

12

Sucedendo à revista “Nação Portuguesa” surge em Lisboa o órgão diário intitulado “a Monarquia”, na defesa dos valores do Integralismo Lusitano. n O General Tamagnini de Abreu,

O arquitecto Carlos Fernandes Leitur-

apresenta novo projecto de recu20 gaperação da casa de Camilo Castelo Branco, mantendo os pontos basilares de edifício incendiado. No Rio Zambeze, explode a caldeira

lancha-canhoneira” Tete”, que se 22 daafunda, morrendo o Comandante e mais três tripulantes com os respectivos passageiros.

277


1917 de Lisboa o 2.º contingente do 23 Parte Corpo Expedicionário Português, com

destino a França. Partirão à média de 4000 homens por mês. n O matutino “O Século” inicia uma campanha em prol da criação de uma “Sopa dos Pobres” perante a miséria que alastra. n José Pedro da Cruz expõe no Salão da “Ilustração Portuguesa”, contando com a presença do P.R. no acto inaugural. n Edital enunciando os vinte pontos orais da prova do concurso de Economia Politica, Economia Social, de Finanças e de Estatistica, para o qual A.O.S. entregara a sua dissertação “O Ágio do Ouro, sua Natureza e suas Causas (1891-1915). O jornal “O Século” inicia as reporta-

sobre desembarque das tropas 25 gens portuguesas em França.

Restrições económicas no âmbito da

em curso, sendo a iluminação 26 guerra pública racionada em Lisboa. É reforçado, pela Guarda Nacional Republicana, o policiamento de Lisboa, perante a falta de iluminação imposta pelo Governo.

Fevereiro


Março 1

Publica-se em Lisboa o jornal republicano “A Manhã”, fundado pelos antigos redactores de “O Mundo”.

2

Publica-se “O Despertar” (Coimbra independente e conservador - n.d.). n Lançamento em Lisboa da 1.ª pedra da sede da Cooperativa Fabril Nacional.

3

O Conselho Económico e Social reúne-se pela 1.ª vez.

4

Cessa a publicação o “Terra Nossa” (Estremoz - democrático - n.d.).

5

Lisboa - Morre Manuel de Arriaga, primeiro Presidente constitucional eleito da República Portuguesa, político e escritor. n Dec. n.º 3009 - determina funerais nacionais ao Dr. Manuel de Arriaga.

a publicação “O Imparcial” (Fun11 Cessa chal - regionalista - n.d.). Dec. n.º 3027 - regula a classificação

monumentos nacionais. 14 dos n Dec. n.º 3026 - aprova o regulamen-

to do Museu Nacional de Arte Contemporânea. n Prova oral de A.O.S. subordinada ao tema “Contribuição Industrial” no concurso para assistente efectivo da F.D.U.C. Publica-se em Lisboa a Cine-Revista

1. 15 n.º n Terminam as provas de A.O.S. para

assistente efectivo, sendo aprovado por unanimidade.

6

Lisboa - Nasce Luís de Albuquerque, catedrático da Faculdade de Ciências da U.C. e autor de vasta e valiosa obra sobre os Descobrimentos Portugueses.

8

Prova escrita de A.O.S. cujo ponto sorteado versou sobre o tema “Crédito hipotecário e sociedades de seguro de vida nas suas relações com a construção de habitações operárias”. n Aprova-se uma moção de confiança ao Governo.

É fundada a empresa de Limas União

20 Tomé Feiteira Lda.

São eleitos sócios efectivos da Aca-

das Ciências de Lisboa Ber22 demia nardino Machado e Afonso Costa. Cessa a publicação o “Legionário Trans-

(Bragança - católico - n.d.). 23 montano” n Lançamento à água da canhoneira “Bengo” construída no Arsenal do Alfeite. O P.R. preside à cerimónia. Revolta dos índigenas no Barué, dis-

24 trito de Tete, Moçambique.

279


1917 Lisboa publica-se o jornal “Portu27 Em gal Republicano”.

Cessa a publicação “O Debate” (Coim-

- Partido Democrático - n.d.). 29 bra n Os rebeldes indígenas do Barué, Moçambique, ocupam Massangano.

30 da Fazenda das Colónias.

Dec. n.º 3060 - reorganiza os serviços

31 efectivo da F.D.U.C., precedendo conDecreto nomeando A.O.S. Assistente

curso. n Nomeação do Dr. António José de Almeida para Ministro das Finanças interino.

Março


Abril Discurso proferida por A.O.S. em Santa Comba na homenagem a Joaquim Alves Moreira.

1

Publica-se “A Madrugada” (Castelo Branco - independente - n.d.). n Afonso Costa desloca-se a França e Espanha, em viagem diplomática.

2

A imprensa dá notícia do torpedeamento do navio “Angola” por um submarino alemão.

4

Machado Santos agora detido no cruzador “S. Gabriel”, é feito desembarcar para dar entrada no forte de S. Julião, onde permanecerá preso. n No Teatro República em Lisboa realiza-se a ‘matinée’, que data a tumultuosa apresentação do ‘Futurismo’ ao público português. n Dá-se o primeiro ataque ao sector defendido pela 1.ª Brigada Portuguesa na Flandres do C.E.P.. n É morto o primeiro soldado português em combate na frente francesa: António Gonçalves Curado. n Na freguesia de S. Mamede em Lisboa inaugura-se uma “Sopa dos Pobres”.

5

Criação por decreto do Museu Regional de Lamego.

6

É organizada a Escola de Morteiros de Trincheira do C.E.P..

7

O espólio do Colégio de Campolide em Lisboa é entregue á Inspecção das Bibliotecas Eruditas e Arquivos. n Assaltos no Porto a vendedores de pão e hortaliças.

8

Chega a Tete, Moçambique, a lancha “Salvador”, armada em canhoneira de guerra para apoiar a sufocação da revolta de Barué.

9

Publica-se em Lisboa o jornal “O Universo”, monárquico legitimista.

11 do mercado do Porto, que ameaçam Repetem-se os ataques aos vendedores não voltar aos locais de negócio.

Cessa a publicação “O Radical” (Leiria

12 - Partido Evolucionista - n.d.).

Lei n.º 677 que regulamenta o exercício

13 da indústria de exploração de minas.

Lei n.º 678 regulando a concessão do

de exploração da indústria side14 direito rúrgica.

n Conferência Futurista “Ultimatum às Gerações Portuguesas do Século XX”, por José de Almada Negreiros, no Teatro República (hoje S. Luís) em Lisboa.

281


1917 o XIII Governo Constia publicação o “Alma Algarvia” 15 Cessa 25 Constitui-se tucional de Afonso Costa. (Silves - republicano - n.d.). Dec. n.º 3092 - cria o Conselho

Nacional. 18 Económico n A imprensa noticia a criação em Lisboa da Instituição das Madrinhas de Guerra. Publica-se “A Actualidade” (Braga -

- n.d.). 19 católico n A.O.S. toma posse como Prof. ordinário da Faculdade de Direito. Publica-se “A Resistência” (Castelo

- democrático - n.d.). 21 Branco n Lei n.º 679 - substitui as moedas de

bronze-níquel por moedas de cobreníquel e de bronze. n Com um grupo de amigos A.O.S. festeja a sua tomada de posse como Prof. ordinario da Faculdade de Direito de Coimbra.

23 Afonso Costa é encarregado de formar

Cai o Ministério da “União Sagrada”. novo Governo. n O Eng. Cunha Leal é mobilizado para a frente da guerra na Europa n É posta à venda o novo livro de Augusto de Castro “Fantoches e Manequins”. Buenos-Aires - Morre Abel Botelho

na Argentina e escritor de 24 E.E.M.P. vulto.

n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro do Interior. Exonerado em 10.12.1917. n Nomação do Dr. José Barbosa de Magalhães para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em10.12.1917. n Nomeação do Major José Norton de Matos para Ministro da Guerra. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação de Ernesto Jardim de Vilhena para Ministro das Colónias. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Cap. Ten. José Arantes Pedrosa para Ministro da Marinha. E-xonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro das Finanças. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Dr. Alexandre Braga para Ministro da Justiça. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Dr. Augusto Vieira Soares para M.N.E.. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Eng. Eduardo Lima Basto para Ministro do Trabalho e Previdência Social. Exonerado em 10.12.1917. n Nomeação do Major Herculano Jorge Galhardo para Ministro do Fomento. Exonerado em 10.12.1917. n O Governo de António José de Almeida produz 1.479 diplomas legislativos nos seus 406 dias de duração. n Dec. N.º 3108 D - proíbe a saída da moeda de prata do Estado da Índia. n Dec. n.º 3108 C aprova o regulamento de execução no Ultramar, da concessão da Companhia do Niassa,


Abril permitindo o exclusivo das industrias novas. n Dec. n.º 3108 - organiza o Conselho de Instrução Pública. n Dec. n.º 3108 B - promulga a carta orgânica de Cabo Verde.

26 mara dos Deputados.

Apresentação do novo Governo à Câ-

A.O.S. toma posse como assistente

2.º grupo, Ciência Económica, da 28 doUniversidade de Coimbra.

29 ganismos Sindicais do Sul.

Abertura em Lisboa da reunião dos Or-

30 pole 100 mil libras para os Serviços

A Província de Macau oferece à MetróHospitalares dos feridos de guerra. n Assume como Governador Civil de Lisboa Xavier de Silva. n A 2.ª Divisão do Corpo Expedicionário Português concentra-se em Fanquembergues, França. n Um dos últimos contingentes militares parte para Moçambique.

283


1917 1

Em Viseu tem lugar o 4.º Congresso da Federação das Juventudes Católicas.

2

Cessa a publicação “A Lanterna” (Porto - Partido Republicano Português).

4

Lisboa - Morre Hermenegildo Capelo, oficial da Marinha, cientista e colonizador.

6

Cessa a publicação o “Notícias da Beira” (Castelo Branco - democrático - n.d.). n Inaugura-se o Asilo Maria Pia, a 1.ª Casa de Trabalho para assistência às mulheres dos mobilizados. n No Teatro de S. Carlos tem lugar uma homenagem ao Dr. Magalhães Lima com a presença do P.R. e do Governo. O homenageado profere uma conferência.

7 9

ao dia 31 registam-se revoltas pelos 12 Até abastecimentos em Lisboa, com dezenas de mortos e centenas de feridos.

Cessa a publicação o “Pátria Nova” (Coimbra - integralista - n.d.). n A Escola de Gás do C.E.P., em Mametz, começa a funcionar.

13 pastores em Fátima.

1.ª aparição da Virgem Maria aos três

Dec. n.º 3136 - declara livre na capital

14 a entrada de pão de qualquer tipo.

15 Século” onde se confeccionam 500 li-

Inaugura-se a cozinha do jornal “O tros de sopa para 1500 pratos.

Convenção Militar luso-francesa para

utilização da artilharia pesada nas li17 anhas da frente.

n Cessa a publicação “O Português” (Guarda - Partido Democrático - n.d.).

19 Lisboa e no Porto, pela carestia da vida.

Tumultos e assaltos generalizados em n As tropas portuguesas da divisão 49 em França recebem a visita do Ministro da Guerra, Norton de Matos.

Lisboa - Nasce Inocêncio Galvão Teles, Prof. universitário, Advogado e político. Manifesto de operários da construção

Norton de Matos vai, em missão oficial,

e Inglaterra. Neste último País 10 aé França condecorado com a Grã-Cruz da Ordem de S. Miguel e S. Jorge. n Nomeação do Dr. Afonso Costa para Ministro da Guerra. Exonerado em 5.7.1917.

no parque Eduardo VII em Lisboa. 20 civil n Dec. n.º 3150 - suspende totalmente as garantias constitucionais na cidade de Lisboa e concelhos limítrofes.


Maio três dias estendem-se os motins 22 Por e assalto a mercearias e armazéns de Lisboa e Porto. Nesta última cidade ascendem a 22 mortos e muitos feridos, as vítimas dos tumultos.

24 da Hatton & Cookson, Limited, socieDec. n.º 3156 - aprova os estatutos

dade constituída em Inglaterra, para a exploração industrial e comercial na África Ocidental Portuguesa.

25 Soldados Portugueses”.

Inauguração da “Casa dos Filhos dos

26 retomado pelas forças portuguesas.

O forte de Massangano em Angola é

29 Índia Francisco Couceiro da Costa.

Exoneração do Governador-Geral da

30 visão do C.E.P. ocupa um sector na

A 1.ª brigada de Infantaria da 1.ª Difrente de batalha.

31 Orgânica da Guiné.

Dec. n.º 3168 - promulga a Carta n Publica-se em Lisboa o jornal “A Monarquia”, integralista da tarde em Lisboa, fundado por Alberto Monsaraz.

285


1917 1

Cria-se a Administração de Abastecimentos recebendo as atribuições da Manutenção Militar. n Deliberação para se criar o Conservatório de Música do Porto. n No Salão Olímpia em Lisboa realiza-se a 1.ª conferência sobre o “animatógrafo e as “artistas do écran” em que António Ferro participa com a conferência “As Grandes Trágicas do Silêncio”.

ro, Oficial da Armada, para 115.º Governador-Geral da Índia. 2.ª aparição da Virgem aos três pas-

de Fátima. 13 tores n Lei n.º 701 - extinguindo o Seminário-Liceu da cidade da Praia, em Cabo Verde. Greve geral lançada pela União Ope-

3

Festa da “Flôr” no jardim da Estrela em Lisboa: “Grande concorrência e bela receita”, segundo a imprensa.

4

1.º ataque alemão ao sector defendido pela 1.ª Brigada portuguesa comandada por Gomes da Costa.

5

Morre António Teixeira de Sousa, médico, político e derradeiro 1.º Ministro da Monarquia. n Nasce José Pinheiro de Azevedo, Almirante e PM no período democrático.

6

Início, no Porto, da reunião de trabalhos dos Organismos Sindicais do Norte.

Nacional. 16 rária n A 2.ª brigada de Infantaria ocupa o sector que lhe fora atribuído na frente da guerra. Exoneração do Governador de Macau

Carlos da Maia e nomeação de 19 José um Conselho de Governo.

21 expulso da sua Diocese.

D. António Barroso, Bispo do Porto, é n Publica-se “Então...Cheu” (Viseu regionalista - n.d.). n Assume em Macau um Conselho Governativo encabeçado pelo Juíz Américo Botelho de Sousa. n Estocolmo - Morre António de Castro Feijó , poeta e Ministro Plenipotenciário na Suécia, Dinamarca e Noruega.

Estreia no Rio de Janeiro, Brasil, a

“Amor de Perdição”, de José 11 película Viana, para a Mac’ s Film.

12

Ataque alemão às linhas do Corpo Expedicionário Português em França. n Nomeação de José de Freitas Ribei-

23 Português em Coimbra.

8.º Congresso do Partido Socialista n O navio “Cabo Verde” é afundado por um submarino alemão. Os 46 homens da tripulação salvam-se.


Junho à data registaram-se 41 mortos, 25 Até 390 feridos e 14 desaparecidos nos campos da Flandres.

É eleito membro correspondente da

Brasileira de Letras o escri28 Academia tor e dramaturgo Júlio Dantas.

287


1917 1

6.º Congresso do Partido Democrático (Republicano Português) em Lisboa no Teatro de S. Carlos.

2

Conflito entre a Companhia Carris de Ferro de Lisboa e a Câmara, por causa dos “passes” nos eléctricos.

3

Afonso Costa é reeleito membro efectivo do Directório do Partido Republicano Português, no respectivo Congresso. n O Major Norton de Matos é eleito membro efectivo do Directório para o biénio 17/19, recebendo mais três votos que Afonso Costa. n O Governo da Índia é exercido pelo Secretário-Geral Dr. Franciso Peixoto Vieira.

4

Ponta Delgada, S. Miguel, Açores é bombardeada por um submarino alemão.

7

Greve da construção civil contra a qual a G.N.R. usa de violência. n É lançada ao mar a nova canhoneira “Mandovy”. n Em virtude da revolta do gentio do Novo Redondo, comerciantes de Angola pedem a demissão do Governador-Geral. n Os comandantes do C.E.P. têm um encontro em Fanquembergues com o Rei Jorge V de Inglaterra.

8

Em reacção ao aumento dos salários e custo da mão-de-obra, registam-se grandes desordens em S. Tiago de Custóias, Matosinhos.

9

Publica-se “A Pátria” (Porto - católico).

portuguesas às embarca10 territoriais ções estrangeiras.

Lei n.º 735 - proíbe a pesca nas águas

torpedeado na barra da Figueira da 11 sido Foz.

Entra no Tejo o lugre “Ligeiro”, que tinha

n Greve dos condutores de carroças. n O rei de Inglaterra condecora o Cor. Gomes da Costa na frente das linhas em França.

12 sítio em Lisboa e concelhos limítrofes, Dec. n.º 3245 - declara o estado de

por força das constantes greves, que se estenderá até ao próximo dia 28. n Confronto entre tropas e operários da construção civil, registando-se 6 mortos.

13 em Fátima.

3.ª aparição da Virgem aos pastores n Dec. n.º 13 de Julho - Sup. - concede prémios aos autores de projectos para o monumento ao marquês de Pombal, na Rotunda de Lisboa.


Julho Parlamento é apresentada uma à ilha de S. Miguel cinco “des14 No 25 Chegam moção de desconfiança ao Governo. troyers” norte-americanos, depois do n A greve da construção civil credita já 6 mortes e 28 feridos.

forte de Ponta Delgada ter sido bombardeado por um submarino alemão.

15 (Bragança - direita republicana - n.d.). 26 n Afundados por submarinos alemães o iate “Berta” e o lugre “Venturoso”. Cessa a publicação “O Transmontano”

16

Lisboa - Nasce Maria Paula, actriz.

n Confirmação da Ordem Militar da Torre e Espada, de Valor, Lealdade e Mérito pelo Dec.-Lei n.º 3386. n Dec. n.º 3259 - aprova o regulamento para a concessão da Cruz de Guerra. n Exposição de fotografias da guerra no Salão da “Ilustração Portuguesa”, revertendo o produto das entradas a favor da “Sopa para os Pobres”.

Por ter embatido com uma mina afundase o caça-minas “Roberto Ivens”, morrendo o Comandante e 13 tripulantes. Término da greve da construção civil

cedências mútuas entre operários 18 com e empreiteiros. n Total paralisação do trabalho no Barreiro e dos operários corticeiros do Seixal e Almada. n Assume o Governo da Índia o 32.º Conselho de Governo, chefiado por Francisco Oliveira e Silva.

Dec. n.º 3266 - promulga a carta

da administração civil e finan27 orgânica ceira do Estado da Índia. Manifesto da classe dos tipógrafos so-

20

Fundação do Clube Naval da Madeira.

21

Oliveira de Azeméis - Nasce Madalena Souto, actriz. Lisboa - Nasce Fernando Garcia, reali-

de cinema. 22 zador n Um barco volta-se no rio Tejo, em Vila Franca, morrendo afogadas quatro pessoas.

28 bre a questão do papel. 31

Inauguração das novas oficinas na Cadeia Central de Lisboa. n Murtosa - Nasce António Pinto Barbosa, economista, Prof. universitário e político sob o Estado Novo, no qual foi Ministro das Finanças por quase uma década. n O contratorpedeiro “Guadiana” safa-se, com algumas avarias, de encalhar a Norte do Cabo Raso.

289


1917 1

Morre Angelina Vidal, escritora e feminista.

2

Publica-se o “Democracia Social” (Évora - democrático - n.d.). n Representação enviada ao Presidente da República pedindo que não seja aplicada pena disciplinar ao Bispo do Porto. n No Senado são aprovadas propostas de nomeação de Ferreira da Silva e Manuel Paulo de Sousa e Gentil, para governadores de Macau e Timor.

a publicação o “Echos 10 Cessa Chaves” (monárquico - n.d.).

de

n Publica-se “O Trabalho” (Angra do Heroísmo - socialista - n.d.). Dec.n.º 3285 - promulga a carta orgâni-

da Província de S. Tomé e Príncipe. 11 can Dec. n.º 3286 - cria o Arquivo Distrital, anexo à Biblioteca Pública de Braga.

Cerimónia inaugural dos trabalhos,

a construção do monumento ao 12 para marquês de Pombal.

3

Morre António Ferreira Cardoso, actor.

5

Abate parte da ponte da Trafaria, caindo ao mar cerca de 30 pessoas. n Adiado “sine die” o julgamento de Machado Santos.

francesa da frente operacional, 14 linha enfrenta novo ataque alemão.

7

Brito Camacho apresenta na Câmara dos Deputados um projecto de abolição do juramento político.

à guarda da Inspecção das Bi15 polide, bliotecas.

8

Publica-se “O Tempo” (Coimbra - inde-

13 pendente - n.d.).

Fundação do Centro Católico Português, C.C.P., em Congresso realizado em Braga. n Telegrama do Governador de Angola dando conta de uma rebelião nativa com muitos mortos e feridos entre os colonos.

O Corpo Expedicionário Português na

Criação da Biblioteca Erudita de Camn Castanheira do Alentejo - Nasce Francisco Igrejas Caeiro, radialista e actor. n Dec. n.º 3296 - determina a substituição da moeda de prata e cobre do antigo regime. Borba - Nasce João Falcato, jornalista

17 en escritor. Inauguram-se em Lisboa os traba-

lhos de construção do monumento ao


Agosto marquês de Pombal.

tirar-se da sua Diocese para Gouveia, acusado de ter infringido a “Lei da Separação”.

Chega a Aveiro o lugre “Terra Nova”,

18 torpedeado no litoral.

Nova aparição, a 4.ª, da Virgem em

19 Fátima. n Machado Santos é transferido do

Cessa a publicação o “Notícias de Bra-

30 gança” (esquerda - n.d.).

Forte de S. Julião para a Casa de Reclusão de Viseu.

22 das Águas de Lisboa.

Greve dos operários da Companhia

Dec. n.º 3309 - promulga a carta

23 orgânica de Timor.

A greve da Companhia das Águas é

com cedência da empre24 solucionada sa e a promessa de não aumentar o preço do produto. Cessa a publicação “O Heraldo” (Faro

26 - democrático - n.d.).

27 Maria de Marvila, em Santarém, monu-

Dec. classificando a igreja de Santa mento nacional.

No combate de Negomano, Moçam-

morre Alexandre Teixeira Pinto, 29 bique, militar e colonizador. n O Cardeal Patriarca é forçado a re291


1917 1

Greve dos Correios e Telégrafos. n Dec. n.º 3327 - considera mobilizado e fazendo parte do Exército em campanha, todo o pessoal dependente da Administração-Geral dos Correios e fiscalização das indústrias eléctricas. n Polémica jornalística sobre a eventual venda das Colónias, para liquidar as dívidas da guerra.

2

Rebentamento de bombas em Lisboa mata um cidadão.

3

Dec. n.º 3328 - mobiliza, para o serviço do País, as forças da Guarda Nacional Republicana e agentes dos corpos da Polícia Cívica ou Civil, enquanto permanecerem no serviço policial.

4

Intensifica-se a censura à imprensa diária.

5

São modificadas as restrições impostas à penalização de notícias, referentes aos últimos acontecimentos com os empregados dos telégrafos-postais.

6

Toma posse como Governador Civil de Lisboa José da Costa Gonçalves. n Uma delegação da União Operária Nacional é recebida por Afonso Costa, com bons resultados. n Dec. n.º 3344 - manda extinguir os foros e contribuição de tanga no Estado da Índia. n A União Operária Nacional, a Asso-

ciação de Lojistas de Lisboa e o Sindicato Ferroviário, pronunciam-se sobre as greves dos Correios, Telégrafos e Telefones.

7

O Alferes Jorge Gorgulho realiza em Moçambique o 1.º voos português em território ultramarino nacional. n Mantém-se vivo o conflito com as reclamações dos empregados dos Correios e Telégrafos.

8

Reforma do Colégio das Missões Ultramarinas e criação do Insituto das Missões Coloniais. n Greve geral decretada pela União Operária Nacional. n Os jornais não se publicam. Dec. n.º 3354 - determina que nenhuma

cinematográfica, contendo assuntos 10 fita militares ou alusões à guerra, possa ser exibida sem prévia censura militar. Dec. n.º 3357 - Autoriza o Banco Na-

Ultramarino a emitir cédulas para 11 cional circulação na Índia, Angola, Moçambique e Guiné. n Madrid - Morre António Maria Tovar de Lemos, 1.º conde de Tovar e diplomata de carreira. A União Operária Nacional emite uma

apelando ao fim da greve. 12 nota n Chega a Mocimboa da Praia a 4ª expedição militar a Moçambique, coman-


Setembro dada pelo Cor. e político Sousa Rosa.

do Goveno de Macau aprovan18 Portaria do o Regulamento do Comércio do Ópio.

13

Dec. n.º 3361 - mobiliza para serviço no País as forças da Guarda Fiscal. n 5.ºAparecimento da Virgem aos três pastores em Fátima.

comando do seu pelotão, efectua 14 noo aprisionamento de 4 alemães, os

Flandres - o aviador Óscar Monteiro

é abatido por um caça alemão, 19 Torres morrendo no acidente.

O Alferes miliciano Gomes Teixeira primeiros das tropas portuguesas.

Estreia no cinema Politeama em Lisboa

filme “Civilização” de origem norte20 o-americana, depois proibido pelo Governo Civil.

Dec. n.º 3370 C - aprova a nova or-

das Faculdades de Direito 15 ganização de Coimbra e Lisboa.

n Dec. n.º 3365 - reforma a divisão administrativa de Angola. n Termina a greve dos trabalhadores dos Correios e Telégrafos, tendo sido presos muitos dos seus mentores. n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro da Instrução Pública interina.

16

Na Flandres em guerra é fuzilado o soldado português João Ferreira de Almeida, por comprovada tentativa de deserção para as fileiras inimigas. Alvito - Morre D. José Lobo da Silveira

nonagenário, 15.º barão de 17 Quaresma, Alvito e 4.º marquês de Alvito. n Norton de Matos é promovido a Ten. Cor. e a Coronel.

Deflagra violento incêndio em Santos,

22 Lisboa, destruindo três prédios.

Dec. n.º 3384 - restabelece a Ordem

25 Militar de S. Bento de Aviz.

Dec. n.º 3410 - cria o Arquivo das Con-

destinado a recolher o es28 gregações, pólio documental pertencente às mesmas em 5 de Outubro de 1910. n Dec. n.º 3406 - cria, na cidade do Mindelo, o Museu Cabo-Verdiano. n Dec. n.º 3395 - cria o Serviço de Aviação da Armada e Escola anexa. n Dec. n.º 3392 - promulga o regulamento para a concessão da Medalha Militar. Manuel Borges Grainha é nomeado Di-

29 rector do Arquivo das Congregações.

293


1917 incêndio devora um quarteirão 30 Violento de casas em Viseu.

31 400 sindicalistas.

Encontram-se nas prisões cerca de

Setembro


Outubro Campanha da Imprensa contra o bolchevismo.

2 5

n Dec. n.º 3435 - aprova o plano orgânico da Instrução Pública em Cabo Verde. n O Liceu Nacional de Macau é elevado provisoriamente a Liceu Central.

Leça de Palmeira - Nasce Óscar Lopes, ensaísta de pendor comunista, crítico e professor. Atribuição aos funcionários públicos de subvenções extraordinárias exigidas pela carestia de vida. n Em feriado realiza-se no Campo Pequeno uma tourada à antiga portuguesa e favor da “Sopa para os Pobres”.

7

Nomeação do Dr. Alexandre Braga para M.N.E.. Exonerado em 25.10.1917.

8

Bernardino Machado parte de Lisboa, acompanhado por Afonso Costa e Augusto Soares, em visita oficial a França e a Inglaterra. n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro das Finanças interino. Exonerado em 25.10.1917. n Nomeação do Cor. José Norton de Matos para Presidente do Ministério interino. Exonerado em 25.10.1917. n Náufragos do navio torpedeado “Trafaria”, partem de Ferrol para Portugal. n É afundado por um submarino alemão, a Nordeste de Porto Santo, a mais antiga barca da marinha mercante portuguesa: “O Viajante”. n Dec. n.º 3440 - aprova a organização do crédito agrícola em Cabo Verde. n Dec. n.º 3444 G - aprova o regulamento do Colégio Militar.

9

Bernardino Machado chega a S. Sebastian, onde é aguardado pelo Rei Afonso XIII.

10 mureil-Nettaincourt, onde é recebido Bernardino Machado chega a So-

pelo Presidente Raymond Poincaré. Visita Verdun e Reims, pernoitando em Avenay (Marne). n A nota de 10 escudos entra em circulação. Bernardino Machado efectua uma

à frente das operações mili11 viagem tares portuguesas em França. Acom-

panha-o o Chefe do Governo Afonso Costa e o M.N.E.. Um Conselho de Governo assume a

de Macau. 12 gestão n Bernardino Machado visita o Quartel-General do 1.º Exército britânico. n Morre António Cordeiro, actor.

Refregas em Lisboa entre militares e

13 polícia. n Última aparição da Virgem aos três pastores em Fátima. n Dec. n.º 3458 - cria nas Colónias da África Ocidental, Índia, Macau e 295


1917 Timor, uma receita denominada “taxa de guerra”. n O jornal “O Mundo”, de Lisboa, interrompe a sua publicação. n Bernardino Machado visita o quartel-General do Corpo Expedicionário Português, onde faz entrega das primeiras cruzes de guerra a 10 oficiais, 8 sargentos e 27 cabos e soldados.

14 de Lisboa.

Fundação da Sociedade de Concertos

15

rista católico Domingos Pinto Coelho, que presenciou o fenómeno do dia 1 passado em Fátima, manifesta sérias reservas sobre o mesmo. Lisboa - Nasce Alexandre Cabral, es-

professor e grande especialista 17 critor, em estudos camilianos.

n Bernardino Machado visita St. Omer (Pas-de-Calais) e embarca em Boulogne-sur-Mer, com destino a Inglaterra. Grave questão com os Bombeiros

O jornalista de “O Século” de Lisboa, Avelino de Almeida, escreve o artigo: “Coisas espantosas. Como o Sol bailou ao meio dia em Fátima”, que promove o fenómeno ali aludido.

de Lisboa, sendo invadido 18 Municipais o respectivo quartel pela Guarda Nacional Republicana. n O Presidente Bernardino Machado é recebido em Londres pelo rei Jorge V.

16 a Cândido dos Reis e a Miguel Bom- 19 seu Português da Grande Guerra. barda, no cemitério do Alto de S. João n O Governador-Geral de Angola, PeLançamento da 1.ª pedra do mausoléu

Dec. n.º 3468 - cria em Lisboa o Mu-

em Lisboa. n Considera-se sufocada a rebelião do gentio em Angola e pacificadas as regiões de Amboim, Novo Redondo e todo o distrito do Congo. n Afundamento do lugre “Ondine” pelos alemães. n Criação da empresa “Diamang”, Companhia dos Diamantes de Angola, com sede social em Lisboa. n Em Macau o poeta e advogado Camilo Pessanha é agredido com bengaladas pelo Delegado da Comarca Dr. Alfredo Eduardo Lencastre da Veiga, por razões forenses. n No jornal “A Ordem” de Lisboa o ju-

dro Massano de Amorim, faz entrega do executivo a Jaime de Castro Morais, como Governador-Geral interino. criado por Egas Moniz, após 20 Centrista, as dissidências com o Partido EvoluPublica-se o programa do Partido

cionista e com o Partido Progressista monárquico.

21 “Diu”, afundado por um submarino na

Regressam os náufragos do vapor costa de Irlanda. n Publica-se “O Democrata” (Funchal -


Outubro Partido Republicano Português). n Bernardino Machado parte de Londres para Folkestone, aí embarcando para França. n Efectuam-se as eleições complementares em Lisboa. Apenas 15% dos eleitores comparece à urnas. n O actor Vasco Santana estreia-se no palco do Teatro Avenida em Lisboa, na figura de ‘compére’ de uma revista. Alberto I Rei da Bélgica recebe a visita

22 de Bernardino Machado.

26 Funchal - Nasce Vergílio Teixeira, actor. Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro

de Lisboa, obtém o grau de 28 Patriarca bacharel em Ciências Históricas e Geográficas. n Em Oeiras descerra-se um obelisco comemorativo do 1.º centenário da morte Gomes Freire de Andrade. n Dos 7 iniciais é retirado o último dos transportes britânicos ao serviço do C.E.P.. Os quadros do C.E.P. não serão completados nem renovados no futuro.

Porto - Nasce Júlio Resende, pintor.

Presidente da República, BernardiSublevação dos presos na cadeia da 23 nnoOMachado, desembarca na gare “D’ 29 Covilhã. Orsay” em Paris e visita o P.R. Poincaré. n Cessa a publicação “A Madrugada” (Castelo Branco - independente - n.d.). Bernardino Machado visita Hendaye,

24 partindo depois para Lisboa.

Eleições para vagas de um deputado

um senador no circulo Ocidental de 25 eLisboa. Os democráticos levaram a

O Governo português responde posi-

à nota do E.E.M.P. norte30 tivamente americano Thomas N. Birch, desta data solicitando o estabelecimento de uma base naval em Ponta Delgada e outras facilidades nos Açores. n As baixas portuguesas do C.E.P. cifram-se já em 258 mortos em combate e 94 por doença ou acidente.

melhor. n Bernardino Machado chega a Lisboa, regressando da viagem a França e a Inglaterra, em que fora acompanhado por Afonso Costa e Augusto Soares.

297


1917 Criação dos Transportes Marítimos do Estado, TME. n Número único da revista “Portugal Futurista”. Passa na censura mas é apreendida pela Polícia democrática.

1

Greve geral dos alunos dos liceus. n Desembarcam em Porto Amélia, Moçambique, as primeiras tropas inglesas que vinham colaborar com os militares portugueses no combate aos alemães. n O Grupo de Esquadrões de Cavalaria do C.E.P. é extinto e convertido em Grupo de Companhias Ciclistas.

2

São torpedeados dois paquetes brasileiros, em S. Vicente de Cabo Verde.

4

Nas eleições administrativas: os democráticos conquistam 92 Câmaras, a oposição republicana 24, os monárquicos 25 e 89 vão para os independentes. Nas eleições das Câmaras Municipais e das Juntas Gerais de Distrito, a primeira lista monárquica concorrente a uma eleição da República obtém 24% dos votos no escrutínio para a vereação de Lisboa. n Dec. n.º 3511 - reorganiza os serviços dos Ministérios do Fomento e do Trabalho e Previdência Social.

5

Estabelece o horário de trabalho das repartições públicas. n Dec. n.º 3520 - promulga a carta orgânica de Macau.

n O Corpo do Exército Português, C.E.P., só agora começa a funcionar com responsabilidade plena, no seu sector na frente da guerra. Assume o comando o Gen. Tamagnini.

6

Morre António Júlio Pereira de Eça, Gen. e estratega das campanhas de África contra os alemães.

8

A 1.ª Companhia de Infantaria 21, efectua em França um audacioso “raid”, ordenado por Gomes da Costa. n O M.N.E. Augusto Soares entrega uma nota ao E.E.M.P. norte-americano, dando aquiescência, em principio, ao estabelecimento nos Açores de uma base naval a ser utilizada durante a guerra. Assalto em Lisboa a várias padarias.

de censura são transfe10 nridosOs Serviços para a superintendência do Ministro de Guerra, por decreto nº 3534.

13 do Hospital Português de Hendaye.

Porto. n.º 1141 - aprova o regulamento

É encerrado o jornal “O Liberal” de Lis-

e expulsos do País o seu director 14 boa e redactores.

15

Dec. n.º 3553 - cria, em Leiria, um Museu Regional de Obras de Arte, Arqueologia e Numismática.


Novembro n Constitui-se um núcleo parlamentar, para se ocupar dos problemas coloniais, pondo de parte quaisquer intuitos partidários. n É afundada por um submarino a chalupa “Odemira”, a Sudoeste de Vila Nova de Milfontes. Cessa a publicação “O Povo do Algar-

(Tavira - republicano - democrático 16 ve” - n.d.).

municipais. 19 Eleições n Nomeação de Ernesto Jardim de Vi-

lhena para M.N.E. interino. n Nomeação do Dr. Artur de Almeida Ribeiro para Ministro das Finanças interino. n Nomeação do Cor. José Norton de Matos para Presidente do Ministério interino. n Afonso Costa desloca-se a Paris para tomar parte na Conferência dos Governos Aliados.

de excessos na aplicação da 21 Tomé e Príncipe, um imposto indígena 17 virtude “praxe” académica. de capitação.

18

Em Coimbra morre um estudante, em

Dec. n.º 3579 - cria, nas ilhas de S.

n Almada - Nasce Romeu Correia, publicista e dramaturgo neo-realista. n É descoberta em Barcelos uma tipografia clandestina de notas falsas. n O Governo resolve encerrar os liceus, devido à greve dos estudantes. n Amélia Rey Colaço estreia-se na peça “Marianela” de Perez Galdos, no teatro República.

n Chegam a Lisboa 260 alemães prisioneiros na África Oriental. n O Governo português dá o seu assentimento ao pedido norte-americano apresentado a 18 passado.

Rebentam bombas no Porto e em Rio Tinto, às vésperas das eleições que decorrem muito agitadas. n Inauguração em Lisboa do Instituto Superior de Agronomia, na Tapada da Ajuda. n O E.E.M.P. norte-americano apresenta o pedido para se estabelecer uma Companhia de aviação nos Açores, composta por 90 marinheiros.

Regula os serviços dos Correios Ultra-

22 marinos. n Constitui-se uma Sociedade de quotas no Porto denominada “Invicta Filme Lda”. O Infante D. Afonso, tio de D. Manuel

Bragança, comunica-lhe a decisão 23 dede casar com uma americana, (viúva e divorciada). Embora sem aprovação do ex-monarca, celebrará o matrimónio em Madrid, o que provoca a ruptura entre ambos. n A Administração dos Abastecimento publica uma nota oficiosa sobre a questão das subsistências. 299


1917 n Cessa funções 32.º Conselho Governativo da Índia.

Novembro actriz Corina Freire estreia-se na 27 Arevista “Rosas de Portugal” levada à cena no Éden-Teatro em Lisboa.

Assume a Legação de Portugal na Ar-

Francisco de Carvalho Mártens Dec. n.º 3621 - promulga a carta 24 gentina como E.E.M.P.. orgânica de Angola. 28 n Dec. n.º 3602 - aprova o regime para n Dec. n.º 3622 - regula a situação a concessão de terrenos no Estado da Índia. n É noticiada a constituição de uma associação de criminosos para explorar a imprensa, apelidada “sociedade de olho vivo”. n Assume as funções de Governador da Índia José de Freitas Ribeiro. Os alemães abandonam Nevala em

25 Moçambique. n Cessa a publicação “O Povo de Abrantes” (democrático - n.d.). n Seguem para Angra do Heroísmo os prisioneiros alemães. n As tropas alemães atravessam o rio Rovuma e internam-se em território português. É enviada ao Ministério das Colónias,

governador-geral, una nova carta da 26 pelo Província de Angola. n Casa no Consulado de Portugal de Madrid, nos termos da lei civil portuguesa, D. Afonso, duque do Porto, sem autorização nem reconhecimento do ex-monarca D. Manuel II, seu sobrinho. n Greve dos operários do Município de Lisboa.

criada pela publicação do decreto que estendeu às Colónias a Lei de Separação do Estado das Igrejas. n Parte de Lisboa uma embaixada cultural ao Brasil. n Nomeação do Dr. José Barbosa de Magalhães para Ministro da Justiça. n Na casa reedificada de Camilo Castelo Branco, em S. Miguel de Seide, é aberta uma escola primária que ocupa o r/c. Decreto expulsando da sua Diocese o

de Braga, D. Manuel Vieira 29 Arcebispo de Matos, com proibição de residência

no continente português. Não houve cumprimento por mudança governamental. n Dec. n.º 3637 - aprova o regimento do Tribunal Privativo dos Chineses de Macau. n Dec. n.º 3641 - aprova as disposições gerais para a concessão de terrenos do Estado da Guiné. Cessa a publicação “O Trabalho” (An-

30 gra do Heroísmo - socialismo - n.d.).


Dezembro 1

Inauguração do novo Hospital Militar, no antigo colégio de Campolide em Lisboa. n O Governo português autoriza as tropas inglesas a entrarem em território de Moçambique. n É libertado, após 28 dias de detenção sem culpa formada, o redactor de “O Liberal”, António Stubbs de Lacerda.

2

São afundadas minas inimigas colocadas na costa portuguesa.

3

Avançando para o interior de Moçambique os alemães atacam o ponto estratégico da Serra de Mekula, Moçambique. Dá-se o combate de M’ Cula favorável às forças germânicas. n Um submarino alemão ataca o porto de S. Vicente de Cabo Verde.

5

Eclosão em Lisboa de uma revolta, para travar o envio de tropas do C.E.P., encabeçada por Sidónio Pais. O movimento causa 100 mortos e uns 500 feridos, segundo o jornal “O Século”. n Tumultos e assaltos no Porto, Ermesinde, Rio Tinto e Gondomar, por causa das subsistências. n Destituição de Bernardino Machado da Presidência da República. n O avião de António Caseiro é abatido, ao sobrevoar o parque Eduardo VII, pelas forças Sidonistas ali estacionadas.

6

Publica-se “O Democrata” (Funchal Partido Republicano Português). n Afonso Costa, proveniente de Paris, 301


1917 onde participara na Conferência dos Aliados, reentra em Portugal e pernoita em Coimbra. n Declara-se o estado de sítio em Lisboa. Travam-se combates durante este dia e o seguinte.

n Norton de Matos e Leote do Rego refugiam-se num cruzador inglês, surto no Tejo, que os levará a Gibraltar. n No 3.º Governo de Afonso Costa produzem-se 976 diplomas legislativos ao longo dos 227 dias em que vigorou.

7

De Coimbra Afonso Costa segue para o Porto.

8

O Eng. António Maria da Silva é demitido pela Junta Revolucionária do cargo de Director-Geral dos Correios e Telégrafos. n Após a forte censura nos dias anteriores, os jornais noticiam o golpe de Estado de Sidónio Pais. n O julgamento de Machado Santos e 23 co-réus, marcado em Viseu para 10 de Dezembro, é suspenso com a chamada do mesmo para a Junta Revolucionária. n Constituição da Junta Revolucionária, chefiada por Sidónio Pais. n Proclamação da Junta Revolucionária, declarando a sua constituição e que assumia o Governo, para garantir a existência da República. n Cessa a publicação do jornal “República” (Setúbal - Partido Democrático n.d.). n Assalto ao jornal democrático “O Mundo” de Lisboa. n Tropas de cavalaria cercam o Grande Hotel do Porto, onde se encontrava Afonso Costa, que é detido. n A casa de Afonso Costa em Lisboa, esquina da Rua duque de Palmela e Braamcamp, é assaltada e saqueada.

Cessa a publicação “A Gazeta de Braga” (democrática - n.d.). n A Junta Revolucionária dissolve o Congresso da República. n A Junta Revolucionária amnistia os implicados no movimento político de 13 de Dezembro de 1916. n A Junta Revolucionária suspende a execução de decretos sobre o Ensino Secundário, manda abrir os liceus, abonar todas as faltas dadas por motivos da greve liceal e trancar os processos instaurados. n Torpedeamentos frequentes no mar da Madeira. O Funchal é bombardeado por submarinos alemães: 5 mortos e mais de 30 feridos n A Junta Revolucionária revoga a Censura prévia a anula a ordem de expulsão do território da República contra qualquer jornalista. n Por decreto anulam-se os castigos impostos a vários Bispos acusados de terem infringido a Lei da Separação.

9

Por decreto da Junta Revolucionária

demitido o Ministério presidido por 10 éAfonso Costa. n A Junta Revolucionária extingue a Divisão Naval de Defesa e Instrução. n O P.R. Bernardino Machado é feito prisioneiro no palácio de Belém às


Dezembro 4h00 da manhã, por uma comissão de oficiais. n O Cap. Frag. Tamagnini Barbosa substitui o 5.º Director-Geral dos Correios Telegrafos, Eng. António Maria da Silva.

11

Bernardino Machado é destituído do cargo do Presidente da República pela Junta Revolucionária. n Sidónio Pais assume a chefia do XIV Governo que, posteriormente, acumulará com a Presidência da República, de que toma posse em 9 de Maio de 1918. n A Junta Revolucionária restitui ao serviço efectivo todos os funcionários, civis e militares, que dele foram separados pelas leis n.º 319, 320 e 321 de 16 de Junho de 1915. n A Junta Revolucionária dá outra constituição ao Conselho Superior da Magistratura Judicial n Nomeação do Cap. José Feliciano da Costa Júnior para Ministro do Trabalho. Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Dr. António Aresta Branco para Ministro da Marinha. Exoneração em 7.3.1918. n Nomeação de Cap. João Tamagnini Barbosa para Ministro das Colónias. Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Dr. Sidónio Pais para Ministro da Guerra. Exonerado em 9.5.1918. n Nomeação do Eng. Francisco Xavier Esteves para Ministro do Comércio.

Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Cap. Mar e Guerra António Machado Santos para Ministro do Interior interino. Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Dr. Sidónio Pais para M.N.E. Exonerado em 9.5.1918. n Nomeação do Major António dos Santos Viegas para Ministro das Finanças. Exonerado em 7.3.1918. n Nomeação do Dr. Alberto de Moura Pinto para Ministro da Justiça. Exonerado em 7.3.1918. n Nota oficiosa do Partido Evolucionista, demarcando-se dos acontecimentos revolucionários. n É torpedeada a traineira de pesca “Argus” ao norte de Leixões.

12

O oficial da Armada Fernando Vieira de Matos assume interinamente o Governo de Macau. n O Diário de Governo publica a destituição do P.R. Bernardino Machado, assinado por Sidónio Pais, Machado Santos e Feliciano da Costa. n Afonso Costa e Augusto Soares seguem do Porto para Leixões sob prisão, embarcando rumo a Lisboa no vapor “Viana”.

13

Afonso Costa desembarca em Lisboa sendo levado para a prisão da Trafaria. Augusto Soares segue detido para o Forte de Elvas. n Toma posse do Governo Civil de Ponta Delgada, Açores, o Cor. Virgílio Soares de Albergaria. Exonerado em 2.2.1918 n Assume o Governo Civil do Funchal, 303


1917 Madeira o Dr. Júlio Paulo de Freitas. Exonerado em 18.12.1917. n Toma posse do Governo Civil da Angra, Açores, Francisco Vicente Ramos. Exonerado em 18.2.1919. n Toma posse do cargo de Governador Civil de Coimbra o Cap. Francisco Solano de Almeida. Exoneração em 1.8.1918. n Assume o Governo Civil do Porto o Dr. José Nunes da Ponte. Exonerado em 26.1.1918. n Um submarino alemão bombardeia a cidade do Funchal causando 5 mortes e ferimentos em mais de 30 pessoas, além de estragos materiais avultados. n Alcança os 18% a taxa de inflação. n Assume o cargo de Governador Civil de Lisboa o Alferes Henrique Forbes Bessa. Exonerado em 8.3.1918.

14

Dec. n.º 3665 - determina a readmissão, no serviço efectivo, dos funcionários, civis e militares, demitidos ou reformados compulsoriamente, após 14 de Maio de 1915. n João Chagas, E.E.M.P. em Paris, pede a exoneração dada a tomada de poder ditatorial de Sidónio Pais.

lhados”. Lisboa - Nasce Eduardo Anahory, Ar-

pintor e cenógrafo. 16 quitecto, n Em suplemento do Diário do Governo é publicado o programa do Governo de Sidónio Pais.

É fundada a Companhia Portuguesa

17 de Fornos Eléctricos.

Afonso Costa é transferido para o

da Graça, em Elvas. 18 forte n Termina a revolta indígena de Barué

em Moçambique. n Assume o Governo Civil do Funchal, Madeira, o Dr. Carlos Barata Feio. Exonerado em 15.4.1918. O

Conselho

da

F.D.U.C.

propõe

para Professor ordinário, com 20 A.O.S. dispensa de prestação de provas.

n D. António Barroso regressa à sua Diocese do Porto. Publicação no Boletim oficial de Ma-

Proclamação da Junta Revolucionária

programas e fins em vista. 15 apresentando n Bernardino Machado abandona o palácio de Belém e é obrigado a deixar Portugal, buscando exílio em França. n O Comandante Leote do Rego e o Cor. Norton de Matos refugiados num barco inglês recusam desembarcar dizendo que “não queriam ser enxova-

da nomeação como Governador 21 cau (sidonista) interino, Fernando Vieira de Matos. Cessa a publicação do jornal “A Pro-

23 paganda” (Vila Real - regionalista - n.d.).


Dezembro 1.º liceu feminino criado em Lisboa 24 O(1906), D.ª Maria Pia, é elevado à cate-

goria de Central. n Dec. n.º 3695 - confere aos liceus autonomia administrativa.

27

Dec. n.º 3701 - determina que o Presidente do Ministério (Sidónio Pais) assuma as funções de Presidente da República, enquanto este não for eleito pelo futuro Congresso. n Publica-se “O Realista” (Funchal - integralista - n.d.). n Em Cabeceiras de Basto registam-se alterações da ordem com confrontos entre republicanos e monárquicos. Port. n.º 1182 - impõe a proibição do

de jornais suspensos, 28 reaparecimento e a fundação de novos órgãos de imprensa, sem licença do Ministério do Interior. n A peça “Paulo e Lena” de António Arroio estréia no Teatro República.

29

O Governo impõe restrições à liberdade de expressão. Leiria - Nasce António José Saraiva,

em Filologia Românica, pela 31 Doutor F.L.U.L., ensaísta e escritor. n Em Lisboa execiam a profissão de professoras de piano 14 pianistas. n Existem 5.647 estabelecimentos industriais, empregando 130.095 operários dos quais cerca de 35% mulheres e mais de 15% menores.

n Em Portugal existem 231 unidades hospitalares, ou seja uma para cada 258.000 habitantes. n A rede ferroviária atinge 3.135 Km. n Cessa a publicação “A Verdade” (Angra do Heroísmo - monárquico e católico). n O número total de leitores da B.N.L. é de 54.697. n O número de oficiais a servir nas Forças Armadas é de aproximadamente 4.000. n Cifra-se em 13.375 contos as contribuições e impostos directos cobrados no País. n Ascende a 6.862 o número de escolas primárias oficiais na Metrópole. n A rede hospitalar estendia-se por 21 Distritos em Portugal continental e ilhas, contando com 231 hospitais. n Morrem de gripe 1.205 portugueses no continente e ilhas e com a pneumónica 4.455. n Valor da libra-ouro em escudos: 7$37. n Há em Portugal 414 periódicos (1 por 14.396 pessoas) dos quais 191 políticos. n Desce para 15.825 o número de emigrantes do Continente e ilhas neste ano. n Total da dívida pública é de 117.112 libras n A força militar ne Guiné é de 247 homens, dos quais 143 são de recrutamento índigena. n No ano económico iniciado em 1916 as receita foram de 11.384 e as despesas 18.283 libras esterlinas. n O comércio externo de Moçambique apresenta como valores 12.730. 496 escudos de importações e 6.704.889 escudos de importações. 305


19 18


1918 n Virgínia Vitorino: “Namorados”, (poesia). n António Correia de Oliveira: “Soldado que Vais à Guerra”. n A Ordem das Doroteias abre um Colégio na Póvoa de Varzim. n O índice de custo de vida regista um acentuado acréscimo, atingindo 81%. n Diogo Pacheco de Amorim: “A Nova Geração”. n Aquilino Ribeiro: “Terras do Demo”. n Filme “Frei Bonifácio” de Georges Pallu. n António Botto: “Cantigas de Saudade”. n Lúcio de Azevedo: “História de António Vieira”. n Aquilino Ribeiro publica “A Via Sinuosa”. n José Malhoa pinta “Outono” n Raul Lino : “A Nossa Casa”. n Luís de Freitas Branco: “Dez prelúdios para piano” dedicados a Viana da Mota. n “Recapitulação da História da Literatura Portuguesa - Os Árcades”, da autoria de Teófilo Braga. n António Patrício: “Pedro o Cru” (poemas dramáticos). n Nova publicação por A.O.S. da “Anotação de Jurisprudência Crítica” no Boletim da Faculdade de Direito de Coimbra. n “Alguns Aspectos das Crises das Subsistências” artigo de A.O.S. publicado no “Boletim da Faculdade de Direito da U.C.- IV.” n Francisco Homem Cristo Filho: “Le Portugal contre l’ Alemagne”. n Óleo sobre tela “O Tocador de Viola”, de Armando Basto.

3

Dec. n.º 3728 dissolvendo a Comissão Central de Execução da Lei da Separação.

5

Leote do Rego e Norton de Matos são dados como baixas nos efectivos da Armada e do Exército, por motivo de alegada deserção.

6

Movimento revolucionário contra o sidonismo dos marinheiros do vaso de guerra Vasco da Gama.

7

Manuel Teixeira Gomes, E.E.M.P. em Londres, é demitido pelo Governo de Sidónio Pais.

8

Termina a greve do pessoal dos tabacos. n Dec. n.º 3734 - insere várias disposições sobre registo de patentes, introdutórias de novos processos industriais. n Fracassa em Lisboa durante a noite o levantamento revolucionário, contra o Sidonismo, promovido pelo corpo de marnheiros e tripulação do cruzador “Vasco da Gama”.

9

Port. n.º 1199 - determina que os governadores civis dissolvam os centros políticos, que tenham exorbitado dos seus fins legais.


Janeiro do pessoal da empresa Val do n.º 3744 - concedendo aos alu10 Greve 12 Dec. Rio. nos das Escolas Preparatórias de Ofin Dec. n. º 3740 - abrindo um crédito especial para despesas, resultantes do movimento de tropas no País, durante os actos revolucionários do dia 5 e 8 de Dezembro de 1917. n Dec. n.º 3738 - dissolvendo todos os corpos administrativos e mandando os governadores civis nomear comissões, em substituição das respectivas juntas gerais, câmaras municipais e juntas de freguesia. n A questão do papel e a crise de imprensa são analisados pelo Governo, conjuntamente com os representantes dos jornais de Lisboa e Porto. n A Polícia encerra centros republicanos, incluindo aqueles em que funcionavam escolas. n Dec. n.º 3747 restituindo à Associação Comercial do Porto a posse e administração da Bolsa e Tribunal de Comércio.

11

Dec. n.º 3743 - criando a Direcção dos Serviços de Aeronáutica Naval e Escola Naval e Escola Anexa, com sede em Lisboa. n Demissão do Governador-Geral de Angola, Álvaro Xavier da Costa e instauração de processo penal e de justiça militar. n Sidónio Pais inicia uma visita oficial ao Norte do País, nomeadamente ao Porto.

ciais Milicianos, uma graduação militar, correspondente à sua instrução e inserindo várias disposições sobre o assunto. n Surge o jornal “A Situação”, edição nocturna de Lisboa, sidonista. Uma nota oficiosa informa de que ter-

as operações em Canhaba13 minaram que, na Guiné. n “A Revista da Semana”, do Rio de Janeiro, lança a candidatura do príncipe D. Luís de Bragança ao trono de Portugal, contra a descendência austríaca em quem D. Manuel quer abdicar.

14

Sidónio Pais visita Guimarães, seguindo depois para Braga, sob forte chuva. n Toma posse a nova Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa presidida pelo oficial de Marinha José Carlos da Maia.

15 Acção Nacional na S.G.L., cabendo a Série de conferências da Liga da António Sérgio a 1.ª sobre o tema “O Ensino como Factor de Ressurgimento Nacional”. n Dec. n.º 3752 - extingue a Escola de Arte Aplicada de Soares dos Réis, no Porto. n Bernardino Machado fixa residência em Paris. n Sidónio Pais chega a Viana do Castelo em visita oficial. n Sidónio Pais, após a visita a Viana

309


1918 do Castelo e Caminha, regressa ao Porto, onde no Grande Hotel se realiza um baile que constitui uma “verdadeira festa chic”.

21 (Castelo Branco - democrático - n.d.).

Cessa a publicação “A Resistência” n Dec. n.º 1211 determinando as condições que permitem os trabalhadores portugueses serem contratados pelo Governo francês.

Cessa a publicação “A Resistência”

- democrático n.d.) 17 (Coimbra n O P.R. Sidónio Pais é recebido apoteoticamente em Coimbra. n A Diocese de Leiria é restaurada pelo Papa Bento XV pela Bula “Quo Vehementius”. Será seu Bispo D. José Correia da Silva. n Funda-se a Fábrica de Garrafas de Gaia, Lda. n O Embaixador demissionário em Londres Manuel Teixeira Gomes é chamado a Lisboa, chegando nesta data, sendo depois detido domiciliariamente no Hotel Palace. Chega a Lisboa o P.R. Sidónio Pais

18 proveniente de Coimbra.

Bernardino Machado é convidado para

almoço, no palácio do Eliseu, pelo 19 um Presidente Raymond Poincaré.

n Port. n.º 1209 - isenta de franquia o Boletim Patriótico da Universidade Livre, destinado aos expedicionários portugueses.

20 balho.

O vespertino de Lisboa “A Capital” noti-

a situação financeira aflitiva em que 22 cia se encontrava o nosso Ec. Neg. em

S. Petersburgo, Jaime Batalha Reis, vítima das medidas de contenção financeira do Governo. n Surto de tifo no Porto. Dec. n.º 3762 - cria na Província de

o distrito de Gaza. 23 Moçambique, n Dec. n.º 3766 equiparando aos ac-

tuais bacharéis pela Faculdade de Letras, os professores diplomados pelo extinto curso de habilitação para o magistério secundário. n Dec. n.º 3768 - restabelece as três antigas circunscrições escolares de Lisboa, Porto e Coimbra. n Dec. n.º 3760 - determinando a libertação dos presos por delitos, que não resultassem de actos voluntários, previstos e punidos pelo Código Penal. n A igreja de S. Vicente em Lisboa é entregue à Irmandade do Santíssimo. n O papa Bento XV consagra a beatificação de Nuno Álvares Pereira pelo decreto Clementissimus Deus.

Eleições do Conselho Superior do TraCessa a publicação “A Propaganda”

24 (Setúbal - conservador n.d.).


Janeiro n.º 3774 - determinando que o Um submarino alemão afunda o 25 Dec. registo do trabalho nacional seja efec- 27 pesqueiro “Serra do Gerês”, no mar tuado no Ministério do Trabalho, pela respectiva Direcção-Geral. n Dec. n.º 3771 - cria o Comando Central de Defesa Marítima, para fiscalização de todos os serviços de defesa marítima do continente, ilhas adjacentes e arquipélago de Cabo Verde. n Dec. n.º 3733 - dispensando de franquia postal as publicações periódicas editadas no País. n A Associação dos Arqueólogos dá início ao processo de transferência dos restos mortais de D. Nuno Álvares Pereira, da Igreja de S. Vicente para o Mosteiro dos Jerónimos em Lisboa. n O ex-E.E.M.P. em Londres, Teixeira Gomes, permanece detido no Hotel Avenida Palace em Lisboa para interrogatórios.

das Berlengas. n Torpedeamento do vapor “Neptuno”. n Invalidam-se todos os passaportes diplomáticos que não tenham sido reconhecidos pelo Governo Sidonista. No Teatro Nacional de Almeida Garrett

sobe á cena o poema dramático de Eu28 génio de Castro “O Anel de Policrates”. n Segundo a imprensa lisboeta, por ordem judicial é aberto um cofre pertencente a Afonso Costa no Banco Lisboa & Açores, cujo conteúdo fica à ordem policial. n Manuel Teixeira Gomes, E.E.M.P. em Londres, é demitido formalmente pelo Governo por decreto publicado no Diário do Governo. n Concerto inaugural da Sociedade de Concertos de Lisboa, no Teatro República.

Afunda-se o barco de pesca “Germa-

a oeste do cabo Mondego. 26 no” n É difundida a informação, em nota oficiosa, da demissão de Teixeira Gomes, que ficaria à disposição para averiguações, até 4 e Fevereiro. n Dec. n.º 3.782 criando em Beja um Museu de Arte e Arqueologia. n Toma posse do Governo Civil do Porto o Major Guilherme Lopes de Azevedo. Exonerado em 17.3.1918. n Teixeira Gomes, ex-E.E.M.P. em Londres, é interrogado pelo juíz Alfeu da Cruz, sobre a sua conduta profissional após o golpe Sidonista de 5.12.1917.

29

Dec. n.º 3778 - extinguindo o actual corpo de marinheiros da Armada e criando, a substitui-lo, o de equipagens da Armada. n Dec. n.º 3779 - criando, a título temporário, um Hospital Militar, no edifício das Oficinas de S. José. n Encerramento pelos proprietários de 60 fábricas de conservas, de Setúbal, em consequência de um conflito laboral. n Um submarino alemão torpedeia embarcações de pesca portuguesa ao largo da costa.

311


1918 nº 3520 publicando integralmente 30 Dec. a promulgação da Carta Orgânica de Macau. n Doutora-se em Ciências Históricas e Geográficas na F.L.U.C. com a classificação de 20 valores, Manuel Gonçalves Cerejeira, futuro Cardeal Patriarca de Lisboa, com a tese “O Renascimento em Portugal – Clenardo”.


Fevereiro 1

Agitação contra-revolucionária em diversos pontos do País.

2

Dec. n.º 3797 - abrindo um crédito especial, para pagamento de “restituições de rendimentos indevidamente cobrados pelo Estado”. n Dec. n.º 3798 - determina a mobilização dos Oficiais Médicos Milicianos, que não tenham atingido os 46 anos. n O Comandante interino do Corpo Expedicionário Português, Ten.-Cor. Ferreira Martins, pede a exoneração. n Publica-se o “Justiça” (Braga - unionista - n.d.). n O P.R. Sidónio Pais recebe uma delegação monárquica. n A Igreja é autorizada a possuir estabelecimentos de assistência, nomeadamente hospitais, bem como aceitar doações, heranças e legados. n O Ten. Cor. Mário A. Teixeira assume o Governo Civil de Ponta Delgada. Exonerado em 26.11.1918.

3

No Rio de Janeiro inaugura-se o edifício neo-Manuelino do Gabinete Português de Leitura, fundado há 50 anos.

4

Segundo o vespertino “A Capital” de Lisboa, metade da população lisboeta é analfabeta. n Martinho Nobre de Melo profere na Liga Naval uma conferência sobre o actual momento político. n O ex-E.E.M.P. em Londres, Manuel Teixeira Gomes é ilibado de quaisquer suspeitas, retomando todos os direitos

e a total liberdade de movimentos, mas sem regresso ao Posto.

5

Dec. n.º 3803 - restabelecendo uma direcção única para a gerência técnica e administrativa dos Hospitais Civis de Lisboa.

6

Egas Moniz, ao inaugurar a sede do partido Centrista, propõe um regime presidencialista. n Publica-se “Jornal da Tarde” (Lisboa Governo - Partido Republicano Nacional). n As ilhas próximas de Amboim são pacificadas, através de operações militares contra os rebeldes. n D. n.º 3.814 abrindo um crédito de 20 contos para combater a epidemia de tifo exantemático.

7

Dec. n. º 3810 - providencia a aquisição de matérias-primas e de géneros de primeira necessidade, para o consumo do País.

8

Manifesto monárquico sobre a nova situação política em Portugal. n Dec. n.º 3814 - abre um crédito extraordinário para o combate da epidemia de tifo, que grassava no Porto.

9

Dec. n.º 3818 - isentando de direitos de consumo, em Lisboa, a carne de gado bovino, destinado ao abastecimento de forças militares. n Dec. n.º 3821 - autoriza o licencia313


1918 mento dos reservistas da Armada, chamados ao serviço e dos voluntários mandados alistar. n O General britânico Van Deventer assume o comando das tropas em Moçambique, incluindo as nacionais. O Gen. Tamagnini de Abreu propõe

da Guerra a elevação do 12 aoC.E.P.Ministro a Corpo do Exército.

n O matutino “O Século” informa sobre a chegada de novos submarinos construídos em Itália: “Foca”, “Golfinho” e “Hidra”.

1223 - criando o Parque Au15 Port. tomóvel Militar.

n Publica-se “O Figueirense” (Figueira da Foz - republicano - n.d.). n Dec. n.º 3838 - aprova e manda pôr em execução o Estatuto da Cooperativa Militar. n Sidónio Pais depois de visitar Évora parte para Vila Real de Santo António e Faro. Dec. n.º 3840 - estabelecendo que os

na Polícia Cívica de Lisboa pos16 cargos sam ser desempenhados por oficiais

do Exército de patentes a designar pelo Governo. Dec. n.º 3830 - fixando a quota de

das Colónias, para as 13 contribuição despesas de administração-geral e do Ministério da Marinha. n Portarias n.º 1221 e n.º 1222 - encarregando a Sociedade Portuguesa de Estudos Históricos de elaborar um ‘Vade-mecum’ do investigador histórico e de organizar a bibliografia histórica portuguesa.

Chega a Beja em visita oficial o P.R.

Pais proveniente de Portimão. 17 Sidónio n Discurso de Sidónio Pais no Paços

do Concelho de Beja, em que alude à necessidade de um grande “Partido Nacional”. n Macau - Morre D. João Paulo de Azevedo e Castro, titular da Diocese.

14 do País o P.R. Sidónio Pais, sendo re- 18 - sidonista - n.d.). cebido apoteoticamente em Évora. n Chega à Estação do Rossio o P.R. Parte de Lisboa para uma visita ao Sul

Publica-se “O Independente” (Abrantes

n Greve do pessoal da exploração do porto de Lisboa. n Decreta-se a greve nos eléctricos de Lisboa por razões salariais. A questão será resolvida e a greve desconvocada.

Sidónio Pais da sua visita oficial ao Sul do País. n Dois prisioneiros alemães feitos na frente de combate confessam à chegada ao sector da grande quantidade de artilharia acumulada. Era a preparação da ofensiva de 9 de Abril seguinte. n Libertação de presos por questões sociais.


Fevereiro Conselho da Faculdade de Direito Em récita de homenagem à actriz Al19 Odeliberou conferir o grau de Doutor aos 25 bertina de Oliveira, sobe à cena no professores ordinários e extraordinários com três anos de serviço, e ainda a individualidades eminentes dignas desse galardão.

20 de Gás e Electricidades por razões Greve dos operários das Companhias

Teatro Nacional a peça “Amor de Perdição”, de Camilo Castelo Branco. n Nos estaleiros da Figueira da Foz é lançado à água o barco “Cabo Raso”, o 2.º que utiliza para viagens de longo curso a vela e o motor simultaneamente.

salariais.

Os

21 chal - integralista - n.d.).

Cessa a publicação “O Realista” (Fun-

Ministros

Plenipotenciários

de

e da Bélgica reclamam, junto 26 França ao Ministro das Colónias, contra uma

n São abolidas as restrições ao culto, autorizando-se o ensino nos seminários, beneplácito, as vestes talares etc. n Decreto permitindo a assistência religiosa aos soldados na I Grande Guerra.

portaria do Governo da Guiné. n Dec. n.º 3862 - definindo o estatuto legal de ingresso no professorado liceal, dos alunos das Escolas Normais Superiores, aprovados no exame do Estado. n Discurso de Alfredo Pimenta defendendo o apoio dos monárquicos ao Sidonismo. n Entrega credenciais D. Alexandre Padilla, novo Ministro Plenipotenciário de Espanha.

Decreto de nomeação de A.O.S. para

Dec. n.º 3864 - criando a Farmácia

Direito de Coimbra. Posse no mesmo dia. n É exonerado o Reitor da U.C., Dr. Arnaldo Mendes Norton de Matos.

a permuta da correspondência postal, entre as Colónias portuguesas e a Metrópole.

Sidónio Pais manda publicar as altera-

à Lei da Separação do Estado e 22 ções da Igreja pelo D. n-º 3.856.

ordinário do 2º Grupo de Ci- 27 Central do Exército. 23 professor ências económicas da Faculdade de n Dec. n.º 3867 - disposições sobre

Port. n.º 1237 - encarregando a Socie-

24

A escuna “Humberto” é torpedeada e afundada pelos alemães nos mares de Tarragona, Espanha.

Portuguesa das Ciências Natu28 dade rais, de organizar a bibliografia portuguesa das Ciências Histórico-Naturais. n Dec. n.º 3887 concedendo auto315


1918 nomia administrativa à Academia das Ciências de Lisboa. n Dec. n.º 33.886 concedendo autonomia administrativa à Biblioteca Nacional de Lisboa.

Fevereiro


Março 1

O soldado n.º 633 do Regimento de Infantaria n.º 23, de Viseu, António de Oliveira Salazar, dá “baixa por incapacidade física”.

5

Crise ministerial. Saída dos três Ministros Unionistas do Governo. n Audiência concedida por Sidónio Pais à União Operária Nacional.

2

Sidónio Pais assiste à missa na Sé de Lisboa, acto considerado como de reconciliação entre o Estado e a Igreja. n Dominada a rebelião nas regiões do alto e baixo Chioco, em Angola. n O ataque alemão ao sector português de Neuve Chapelle é repelida com sucesso.

7

3

É instalado em Paris o “Lar Português”, para soldados em trânsito. n Visita a Santarém por Sidónio Pais.

4

Toma posse da Embaixada em Madrid António Egas Moniz. n Dec. n.º 3876 - inserindo disposições acerca da autorização para constituição definitiva de sociedades de seguros. n Dissolve-se a Junta Agrícola da Madeira, estabelecendo-se a Direcção das Obras Públicas do Funchal. n Greve dos caixeiros. n Dec. n.º 3875 - abrindo um crédito especial, para pagamento do transporte de indivíduos que, a bem da ordem pública, tivessem de seguir para África. n Verificam-se dissidências no Partido Unionista.

Nomeação do Dr. Sidónio Pais para a Presidência e para as pastas da Guerra e M.N.E. nesta 1.ª remodelação governamental. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para Ministro da Marinha interino. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação de Feliciano Costa para Ministro do Trabalho. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação do Major de Eng. Manuel Pinto Osório para Ministro do Comércio. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação do Major de Eng. João Tamagnini para Ministério das Colónias. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação do Dr. Martinho Nobre de Melo para Ministro da Justiça. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação do Eng. Henrique Forbes Bessa para Ministro do Interior. Exonerado em 11.5.1918. n Nomeação do Eng. Francisco Xavier Esteves para Ministro das Finanças. Exonerado e 11.5.1918. n Nomeação do Dr. José Mendes da Magalhães para Ministro da Instrução Publica. Exonerado em 11.5. 1918. n Congresso em Lisboa da União Republicana. n Dec. n.º 3891 - isentando do pagamento da contribuição de registo, as aquisições de edifícios, realizadas por Governo estrangeiro, para sede da respectiva Embaixada ou Legação, com 317


1918 reciprocidade. n Dec. n.º 3894 - determinando que aos indivíduos habilitados com todas as cadeiras de qualquer curso do Instituto Superior Técnico, seja passado o diploma de engenharia da respectiva especialidade. n Segundo “A Capital”, reportando-se às estatísticas oficiais, o C.E.P. sofreu 600 mortos e 2.037 feridos graves entre Março e 1 de Dezembro de 1917.

8

Toma posse do Governo Civil de Lisboa António de Sousa Fernandes.

9

Dec. n.º 3902 - criando o Ministério da Agricultura e o das Subsistências e Transportes. n Port. n.º 1.244 - fixa as normas a seguir na entrega às corporações religiosas dos templos e objectos do Estado, e dos corpos administrativos necessários ao culto público católico. n O Ten. Teófilo Duarte toma posse do Governo de Cabo Verde. n Nomeação do Cap. Ten. João Carlos da Maia para Secretário de Estado da Marinha. Exonerado em 15.5.1918 n Nomeação do Eng. Eduardo Fernandes de Oliveira para Secretário de Estado da Agricultura. Exonerado em 15.5.1918 n Nomeação do Cap. mar e guerra António Machado Santos para Secretário de Estado das Subsistências e Transportes.

Monárquica, em reunião ma10 AgnaCausa realizada em Lisboa, decreta o apoio

oficial dos monárquicos a Sidónio Pais. n Chega a Lisboa um navio hospital inglês trazendo 560 soldados portugueses feridos ou inutilizados na guerra. n Humpata, Angola – Nasce Fernando Peyroteo, futebolista consagrado do Sporting Clube de Portugal. Abertura ao público em Lisboa do gran-

clube moderno “O Bristol”, comple11 detamente renovado, na Rua Eugénio dos Santos. n Dec. n.º 3.907 – ampliando o sufrágio universal a todos os cidadãos masculinos maiores de 21 anos. n Regularizando os serviços de administração e arrecadação de todos os bens na posse e administração da Fazenda Nacional. n Dec. n.º 3911 - definindo as atribuições e a competência do Comandante do corpo expedicionário a Moçambique e conferindo ao governador-geral da Província maiores competências, em atenção ao estado de guerra. n Publica-se “A Voz Pública” (Porto sidonista). n Aires de Ornelas, lugar-Tenente do ex-monarca D. Manuel II desloca-se ao Palácio de Belém para informar o P.R. Sidónio Pais das deliberações aprovadas na reunião magna da véspera realizada pela causa Monárquica. Segundo o vespertino “A Capital” “nos

e nos armazéns de Lisboa 12 escritórios trabalham quase 3 mil mulheres, subs-


Março tituindo os homens com inteiras vantagens” n Dec. n.º 3916 - extinguindo a Escola Industrial e Comercial “5 de Outubro” de Lourenço Marques e criando no mesmo edifício o Liceu Nacional. Dec. n. º 3919 - substituindo vários

do decreto de 25 de Maio de 13 artigos, 1911, que reorganiza o Exército me-

tropolitano. n Dec. n.º 3920 - anulando o decreto que criou o Museu Português da Grande Guerra, e mandando passar o espólio para o Museu da Artilharia. n Port. n.º 1249 - cria um selo de franquia e bilhetes-cartas, impressos a cor verde claro e ainda bilhetes postais simples de cor amarela alaranjada. n Dec. n.º 3922 - fixando em 48 o número de Cônsules de carreira. n Dec. n.º 3921 - transfere o Consulado de Portugal em Verin para Valladolid e cria um Consulado de 4.ª classe em Sevilha. n O matutino “O Século” informa que até à data tinham morrido na guerra de África 28 oficiais e 101 soldados. A peça “Amor de Perdição” continua

representar-se em Lisboa no Teatro 14 aRepública.

n Publica-se a “Gazeta do Lima” (Viana do Castelo - integralista - n.d.). n Dec. n.º 3926 - abrindo um crédito especial, para reforço da dotação destinada à construção, conservação, melhoramentos e reparação de edifícios públicos.

n Porto - Morre Luís Braga Júnior, visconde de S. Luís Braga, grande impulsionador do Teatro em Portugal. Dec. n.º 3931 - reservando ao Gover-

de se tornar único compra16 nodoroedireito exportador de todos os minérios, que possam interessar às indústrias de guerra. n Homenagem da A.C.L. a Maria Amália Vaz de Carvalho, nas suas bodas do ouro literárias. n Dec. n.º 3936 promulgando a organização do Ministério das Subsistências e Transportes. n A 1.ª bateria do 1.º Grupo de Artilharia portuguesa do C.E.P. entra em acção. n O Prof. Egas Moniz faz entrega das sua credenciais ao Rei Afonso XIII em Madrid. n Dec. n.º 3.954 dispensando da franquia postal as publicações periódicas. n D. n.º 3.940 separando a Polícia de investigação da Polícia preventiva. Publica-se “O Minho” (Viana do Caste-

Partido Evolucionista - n.d.). 17 lon -Agricultores e comerciantes da ilha

do Príncipe pedem medidas urgentes, dado que os recursos locais estão esgotados. n Manifesto da denominada Junta de Salvação Pública que pede a suspensão dos jornais da oposição, a prisão dos boateiros e chama ao partido democrático, (P.R.P.) uma “associação de malfeitores”. n Nomeação para um segundo reito319


1918 n Port. n.º 1266 - considerando arte gráfica, a indústria de encadernação. n Dec. n.º 3959 - instruções, para a rendição do pessoal em serviço no C.E.P. n Dec. n.º 3960 - constituindo o Corpo de Tropas da Guarnição de Lisboa. n D. n.º 3.968 aumentando os vencimentos dos magistrados judiciais e do Ministério Público.

rado de Joaquim Mendes dos Remédios na U.C..

19

Manifesto aos católicos portugueses exortando-os ao voto. n Setúbal - Morre o Gen. Carlos Roma du Bocage, par do Reino e político sob a Monarquia, Presidente da S.G.L. e historiador. n Brito Camacho vê-se interrompido na sua conferência proferida no Porto, por tumultos e desordens entre a assistência. n Lisboa - Nasce António Champalimaud, o obreiro da Siderurgia Nacional, empresário, industrial, banqueiro e mecenas.

Manifestações desencontradas à che-

ao Porto do chefe do Partido Uni23 gada onista.

n Nazaré - Nasce Silvino Silvério Marques, General, Governador de Cabo Verde 19958/62 e de Angola 1962/66. Dec. n.º 4.365 determinando que Fa-

Decreto do Ministério do Interior, cri-

novas assembleias eleitorais em 25 culdades de Ciências das Universi20 ando dades tenham 3 épocas de exames: diversas freguesias. Março, Julho e Outubro.

Angra do Heroísmo - Nasce Ramiro

jornalista e publicista. Será 21 Valadão, Presidente da R.T.P. sob o Estado Novo com o vencimento de Director-Geral da Administração Pública. n Dec. nº 3952 - abrindo um crédito especial, destinado à contribuição de Portugal para o monumento a erigir ao Dr. Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.

26

Dec. n.º 3937 - regulando o comércio de oleaginosas e seus derivados. n Dec. n.º 3974 - determinando que todos os aspirantes a técnicos coloniais, terminada que seja a sua especialização no estrangeiro, sejam obrigados a seguir para as Colónias, no prazo de 6 meses. n Há notícia de melhoria na situação militar em Moçambique.

Dec. n º 3958 - aplicando sobretaxas

os preços dos bilhetes de entra22 sobre da ou assistência pessoal, a diversões ou espectáculos em quaisquer recintos ou locais na cidade e distrito do Porto.

Dec. n.º 3976 - autorizando a Comissão

da Câmara Municipal do 27 administrativa Porto, a contrair um empréstimo para a


Março construção de habitações populares. n Dec. n.º 3986 - instituindo, durante o estado de guerra, o cargo de Alto-Comissário do Governo nas ilhas dos Açores. n Dec. n.º 3983 - regula a concessão em Moçambique de terrenos do Estado. n Dec. n.º 3978 - criando, na comarca de Lisboa, o 4.º Juízo de Transgressões e Execuções. n Dec. n.º 3979 - criando em Braga um Juízo Criminal. n Assume o Governo Civil do Porto o Cap. Joaquim Martins C. Soares. Exonerado em 2.8.1918. n O C.E.P. deveria ter começado a ser rendido. Todavia, a ofensiva alemã no Somme impede a operação.

28

o Banco Nacional Ultra30 Autoriza-se marino a fazer uma nova emissão de

cédulas, a circular na Província de Moçambique. n Dec. n.º 3997 - lei eleitoral, elaborada por Martinho Nobre de Melo, com o apoio de António Sardinha e Hipólito Raposo, estabelecia o sistema presidencialista e a reformulação do Senado. n O Governo de Sidónio Pais determina que a eleição do Presidente da República, passe a processar-se por sufrágio directo. n Afonso Costa é posto em liberdade. n Manifesto de Bernardino Machado publicado em “A Capital”. O Governo manda-lhe instaurar um processo por instigação à revolta. n Criação das Sopas Económicas.

Na falta de providências para o transporte, pela comissão marítima oficial, o cacau para exportar de S. Tomé, no valor de 9 mil contos ouro, apodrece em armazém. n Dec. n.º 3992 - suprime as alçadas em matéria criminal de 1.ª e 2.ª instância em todo o Ultramar. n Dec. n.º 3995 - estabelecendo que as licenças para exportação só sejam passadas pelo Ministério das Subsistências. n Autoriza-se a publicação de jornais e reabertura dos centros políticos. n Dec. n.º 4011 criando na cidade de Braga um Museu de Arqueologia e Arte Geral, com a designação de D. Diogo de Sousa.

321


1918 1

Afonso Costa sob ameaça de radicais de vários quadrantes políticos, refugia-se em Fiães. n Dec. n.º 4005 - cria, anexo à Biblioteca da Ajuda, o Depósito Geral dos Livros do Estado. n Dec. n.º 4014 - conferindo o grau de doutor aos diplomados pelo Instituto Superior de Agronomia ou pela Escola de Medicina Veterinária, que tenham defendido tese original.

2

O livro de André Brun “Praxedes Mulher e Filhos”, alcança a sua 3.ª edição. n A crise de subsistência provoca conflitos entre populares, a polícia e soldados em Alcântara. Há feridos e prisões. n Dec. n.º 4029 - igualando os portes da correspondência com as Províncias Ultramarinas aos que se cobram, entre o continente e as ilhas adjacentes. n O matutino de Lisboa “ A Situação”, republicano sidonista inicia a sua publicação.

3

Torpedeado em águas inglesas o vapor “Índia”. n Chega ao Funchal a tripulação do iate “Rio Ave”, torpedeado a 100 milhas da ilha da Madeira.

4

A Empresa Nacional de Navegação passa a designar-se Companhia Nacional de Navegação. n Os sobreviventes da 2.ª divisão do Corpo Expedicionário Português concentram-se na zona de Somme. n Greve do pessoal municipalizado

dos eléctricos, água e gás de Coimbra. n O Governo comunica não autorizar sobretaxas para os ferroviários dos Caminhos-de-Ferro do Estado. n A 2.ª Brigada do Regimento de Infantaria 7 insubordina-se em plena frente da guerra, recusando integrar as linhas.

5

Em Março, o aumento do custo de vida, relativamente a Julho de 1914, deveria orçar, na generalidade, por 157%.

6

Dec. n.º 3637 aprovando o Regimento do Tribunal Privativo dos Chineses de Macau. n Aviso, tornando público que as moedas cunhadas no antigo regime, comemorativas dos centenários da Índia, Guerra Peninsular e marquês de Pombal, continuavam a ter curso legal em todo o País. n A 2.ª Divisão das tropas portuguesas em França passa a fazer parte do XI Corpo das forças inglesas comandadas pelo General Haking. n 1.ª reunião do Partido Nacional Republicano.

7

3.º Congresso da União Republicana em Lisboa no Teatro de S. Carlos. n O Comandante do 11.º Corpo do Exército britânico visita o Quartel-General da divisão portuguesa do C.E.P.. n Cessa a publicação “O Povo de Santa Clara” (Coimbra - republicano - n.d.).


Abril 8

9

Os Unionistas reunidos em Congresso decidem não participar nas eleições e passam para a oposição ao sidonismo. n Publica-se “O Republicano” (Chaves - evolucionista - n.d.). n Lisboa - Morre D. João Meneses, político e Presidente do Supremo Tribunal Administrativo. n Nesta noite inicia-se a rendição dos soldados da divisão portuguesa na frente de guerra francesa. n Os efectivos portugueses na frente da guerra ascendiam a 721 oficiais e de 20.350 praças.

n.º 4075 - alterando a organi12 Dec. zação, de 24 de Maio de 1911, dos

Trava-se a batalha de La Lys, na qual o C.E.P. sofre mais de mil baixas. A 2.ª divisão do C.E.P. deixa de existir e as restantes forças deslocam-se para a rectaguarda das tropas aliadas. n Assume novamente a Reitoria da U.C. o Doutor Joaquim Mendes dos Remédios.

dos Consulados de Portugal 16 crições nos EUA.

O comando britânico decide render a

portuguesa por duas inglesas. 10 divisão n Dec. n.º 4059 - regulando o funcionamento do Hospital Militar Português de Handaye. n Os navios “Pedro Nunes” e “Gil Eanes” repatriam 1120 combatentes do C.E.P. em França que arribam ao Tejo. É solucionado o conflito dos ferroviários

11 dos Caminhos de Ferro Portugueses.

Correios, Telégrafos e Telefones. n Dec. n.º 4076 - concedendo aos adjudicatários das Obras Públicas do Estado, que tinham sofrido prejuízos derivados da guerra, a revisão dos respectivos contratos. n D. n.º 4.084 criando no Alfeite a Escola Central de Recrutas da Armada. Restabelece-se a censura de imprensa.

14 n Leiria – Nasce Miguel Franco, actor.

D. n.º 4.123 modificando as circuns-

18 Governo pelo decreto das subvenções

Manifestações de reconhecimento ao aos funcionários públicos. n Dec. n.º 4099 - criando, no edifício das Mónicas, uma dependência das cadeias civis de Lisboa, para reclusão de mulheres. n Dec. n.º 4100 - fazendo cessar o exercício da jurisdição civil, comercial e penal dos Cônsules portugueses na zona de influência espanhola de Marrocos. n Criação em Alcobaça da Escola Agrícola Feminina de Vieira Natividade, destinada à educação doméstica e profissional de indivíduos do sexo feminino. n Decreto de nomeação de A.O.S. como Professor Ordinário.

323


1918 toma posse, como Professor 19 A.O.S. Ordinário, da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. n Ainda sobre a batalha de La Lys o jornal “O Século” escreve: “A Epopeia Portuguesa em França - como os nossos soldados se bateram contra os bárbaros”.

20

Dec. n.º 4112 - cria a freguesia da Penha de França, no 1.º bairro de Lisboa. n Dec. n.º 4113 - determinando que seja considerada afecta ao culto a capela de Nossa Senhora da Luz, no Porto. n Dec. n.º 4114 - aprovado o regulamento do registo da Propriedade Literária. n Dec. n.º 4.125 criando os Celeiros Municipais. Publica-se o jornal “Solidariedade” (El-

- esquerda - n.d.). 21 vas n Publica-se o “Notícias

da Beira” (Castelo Branco - democrático - n.d.). n Cessa a publicação “O Tempo” (Coimbra - independente - n.d.).

22

Publica-se “O Norte” (Braga - sidonista - n.d.). n Dec. nº. 4118 - pondo em vigor o decreto n.º 1645, de 15 de Junho de 1915, que autoriza as sociedades anónimas a criar e emitir acções privilegiadas. Dec. n.º 4133 - determinando que os

aduaneiros, sobre mercadorias 24 direitos importadas, fossem pagos em ouro ou

em moeda corrente. n D. n.º 4.137 promulgando várias providências destinadas a promover a construção de casas económicas. Afonso Costa a contragosto parte para

exílio em Paris, a instâncias dos seus 25 opartidários. n Dec. 4139 - criando um Sanatório para tuberculosos da Armada. Dec. n.º 4147 - criando postos de vigi-

na fronteira, dependentes do 26 lância Ministério da Guerra.

n Dec. n.º 4151 - aprovando a organização do Ministério da Agricultura. n Dec. n.º 4.170 remodelando os serviços do Notariado Português e restabelecendo o Conselho Superior do Notariado. n Dec. n.º 4.149 criando a freguesia da Serra de Santo António, Alcanena, Santarém.

27 católico - n.d.).

Publica-se “O Madeirense” (Funchal n D. n.º 4.161 melhorando os vencimentos dos funcionários diplomáticos e consulares e concedendo-lhes subvenções. Cessa a publicação “O Intrépido” (Co-

- socialista - n.d.). 28 vilhã n Afonso Costa discursa na Conferên-

cia da Paz em Paris, contra a projectada eleição de países neutros, como membros do Conselho Executivo da


Abril Sociedade das Nações. n Eleição de Sidónio Pais como Chefe de Estado no escrutínio presidencial onde se apresenta como candidato único. Ganha com 513.958 votos, 58% dos recenseados. Dec. n.º 4166 - reforma dos serviços

Criação da Direcção-Geral da 29 policiais. Segurança Pública.

n Lisboa - Morre Guilherme de Santa-Rita, pintor , introdutor do futurismo. Dec. n.º 4177 - inserindo a organi-

dos serviços da Guarda Fiscal. 30 zação n Dec. n.º 4178 - estabelecendo o

uniforme a usar pelo Presidente da República. n Dec. n.º 4174 - disposições sobre bens dos cônjuges, divórcio e casamentos de menores. n Dec. n.º 4172 - regula o funcionamento do Conselho Superior de Magistratura Judicial e cria o Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público. n Dec. n.º 4168 - inserindo várias disposições sobre o Registo Predial. n Cessa a publicação “A República” (Ponta Delgada - unionista).

325


1918 1

Dec. n.º 4186 - determina que os direitos de importação das mercadorias de luxo, sejam cobrados pelas alfândegas, em moeda corrente. n Dec. n.º 4191 - estruturando em duas secções a Repartição Técnica do Trabalho e criando a Inspecção Sanitária do Trabalho. n Publica-se “A Restauração” (Setúbal - integralista - n.d.). n Publicação no Porto do jornal “O Norte”, diário republicano da manhã.

6

Dec. n.º 4208 - determina que o Governo português nomeie um delegado, junto aos operários portugueses contratados em Inglaterra. n Port. n.º 1346 - proíbe a exportação de carnes ou derivados.

7

Dec. n.º 4209 - cria um Consulado de carreira em Singapura. n D. n.º 4.233 reorganizando a Secretaria da Presidência da República.

2

Lisboa - Morre Augusto Rosa, actor dramático.

8

3

Nomeação do Eng. Francisco Xavier Esteves para S.E. do Comércio interino.

4

Mais uma tentativa de golpe revolucionário no Porto. n Dec. n.º 4202 - aprovando as instruções regulamentares, para a arborização das estradas. n Dec. n.º 4203 - aprovando os estatutos da ‘Anglo-Portuguese (East Africa) Concessions, Lta.’ n Dec. n.º 4206 - aprovando a organização da Direcção-Geral dos Transportes Terrestres. n Dec. n.º 4.205 aprovando o regulamento dos C.F. do continente.

Dec. n.º 4112 - disposições sobre o pagamento da contribuição industrial. n Dec. n.º 4214 - cria a secção Fotográfica e Cinematográfica do Exército. n D. n.º 4.221 concedendo amnistia a crimes políticos e de abusos de liberdade de imprensa. n Confirmação de Manuel Gomes da Costa no posto de General por decreto de Sidónio Pais. n Decreto que institui a Biblioteca Nacional de Lisboa como depositária única legal. n D. n.º 4.222 considerando feriado nacional o dia 9 de Maio do ano em curso, em que o P.R., eleito por sufrágio universal directo, assume a sua funções.

5

Paralisação dos eléctricos em Lisboa.

Sidónio Pais

9

Acto de posse de Sidónio Pais como Presidente da República. n Publica-se “O Dia” (Horta - independente - n.d.). n Dec. n.º 4223 - concedendo am-


Maio nistia geral e completa para diversos crimes e delitos, nomeadamente os de natureza política. n Pacificação do Libolo. Angola. n Nomeação do Eng. Francisco Xavier Esteves para S.E. dos Negócios Estrangeiros interino. Exonerado em 15.5.1918.

Homem Cristo Filho desliga13 Francisco -se da Causa Monárquica para enfi-

leirar no regime sidonista. n Determinando que sejam declaradas afectas ao culto público católico as igrejas de S. Pedro de Caneças e a de S. Roque de Lisboa. Ponta Delgada - Morre o Gen. Pimenta

10

O Conselho da F.D.U.C., nos termos do decreto desta data, concede a A.O.S. o grau de Doutor em Direito, com prioridade sobre os Professores Fezas Vital e Magalhães Colaço. n Dec. n.º 4238 - aumentando o imposto de rendimento sobre os vencimentos dos Funcionários Públicos. n Dec. n.º 4249 - aprova a organização do Ministério da Agricultura, em substituição da que fora aprovada pelo Decreto n.º 4151, de 26 de Abril de 1918. n As ossadas de D. Nuno Álvares Pereira são confiadas à guarda da venerável Ordem Terceira do Carmo, até se resolver o seu destino definitivo. n Criação da escola de enfermagem dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Dec. n.º 4250 - cria um 3.º distrito Ju-

com sede em Coimbra, onde 11 dicial, funcionará uma Relação. n Dec. n.º 4251 - criando em Coimbra um Juizo Criminal. n No Porto é descoberta e abortada uma conspiração contra o Governo.

Castro, que se encontrava no exílio. 14 den Dec. n.º 4264 - elevando a 180 os lugares de cônsules de 1.ª classe e reduzindo a 26 os de cônsules de 2.ª. 2.ª remodelação ministerial, ficando

um novo elenco, sem 15 constituido presidência, que cabia a Sidónio País e com Secretários de Estado nas pastas ministeriais, em vez de Ministros. n Nomeação do Cap. Joaquim Mendes do Amaral para S.E. do Comércio. E-xonerado em 8.10.1918. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para S.E. da Instrução Pública. Exonerado em 23.12.1918. n Nomeação do Cap. Mar e Guerra Alexandre de Vasconcelos e Sá para S.E. das Colónias. Exoneração em 2.12.1918. n Nomeação do Eng. Eduardo Fernandes de Oliveira para S.E. da Agricultura. Exoneração 2.12.1918. n Nomeação do Cap. Ten. José Carlos da Maia para S.E. da Marinha. Exonerado em 7.9.1918. n Joaquim do Espírito Santo Lima, habilitado com o curso preparatório da Escola Politécnica para oficiais de Ar327


1918 tilharia, assume o M.N.E., como S.E. Exonerado em 8.10.1918. n Nomeação do Eng. Henrique Fortes de Bessa para S.E. do Trabalho. Exonerado em 2.11.1918. n Nomeação do Eng. Francisco Xavier Esteves para S.E. das Finanças. Exone-rado em 1.6.1918 n Nomeação do Cap. Mar e Guerra António Machado Santos para S.E. das Subsistências e Transportes. n Nomeação do Major João Tamagnini Barbosa para S.E. do Interior. Exonerado em 8.10.1918. n Realiza-se na Sé de Lisboa as solenes exéquias por alma dos soldados portugueses mortos na guerra, com a presença do P.R. Sidónio Pais. n Nomeação do Ten.-Cor. Amilcar Abreu e Mota para S.E. da Guerra. Exonerado em 18.10.1918. n Egas Moniz, Embaixador em Madrid, avista-se com o Núncio Apostólico Francesco Ragonesi, marcando a primeira aproximação em prol de um possível reatamento das relações com a Santa Sé. n Cessa a publicação “O Progresso” (Aveiro –evolucionista – n.d.).

n.º 4281 - modificando as con18 Dec. dições técnicas em vigor para a cons-

trução de estradas, a fim de beneficiar a circulação rodoviária. n Dec. n.º 4282 - estabelece as penas a aplicar a quem exportar minérios de tungsténio ou tungsténio metálico. n O Governo britânico pretende que o remanescente do Corpo Expedicionário Português, seja incorporado numa divisão inglesa. n Telegrama de Jaime Batalha Reis, derradeiro representante diplomático português no Império Russo, informando aguardar no porto de Murmansk transporte para Inglaterra. As relações bilaterais ficarão suspenas por longos anos. n Sidónio Pais visita o Porto e liberta arbitrariamente dois presos no Aljube, o que provoca viva reacção entre alguns magistrados, pelo acto extrajudicial. Cessa a publicação “O Independente”

- democrático - n.d.). 19 (Abrantes n A “Festa da Flôr” no Jardim da Es-

trela em Lisboa atraí mais de 17 mil visitantes.

O Presidente Sidónio Pais e o seu Go-

são reconhecidos pela Inglater16 verno ra, França, Espanha, Itália, Bélgica. América do Norte, Argentina, Brasil, Uruguai, Cuba, Noruega, Holanda e China.

Publica-se “A Nabância” (Tomar - inde-

21 pendente - n.d.).

Dec. n.º 4288 - aprova o regulamento

22 da lei dos acidentes no trabalho.


Maio afecta ao culto público Apresentam-se no Instituto de Socor23 Considera-se católico a igreja do antigo mosteiro da 27 ros a Náufragos os sobreviventes do Encarnação de Lisboa. n Port. n.º 1377 - determinando que, no salão do Teatro de S. Carlos, se instalem, provisoriamente, os serviços da Biblioteca Popular de Lisboa. n O P.R. Sidónio Pais oferece uma recepção ao C.D. no palácio de Belém, a 1.ª após a sua investidura.

Em Tomar é descoberto um depósito

algumas das quais explo24 dedembombas, ao serem manipuladas, fazendo

duas mortes. n Dec. n.º 4294 - autoriza o governador de Timor a adoptar as providências necessárias, para unificar o sistema monetário da Colónia. n O bacherel Américo C. Silva assume o Governo Civil do Funchal, Madeira.

vapor “Leonor”, torpedeado e metido a pique. n Manifestação operária no Terreiro do Paço, por causa da questão dos manipuladores de tabaco. n Acordo entre Portugal e Grã-Bretanha, para elevar as respectivas representações diplomáticas a nível de Embaixadas, que só terá efeito em 1923. n O P.R. Sidónio Pais inaugura na Freguesia de S. Cristóvão em Lisboa a distribuição de sopa aos pobres pela Obra de Assistência 5 de Dezembro. Port. n.º 1384 - mandando afixar nos

e salsicharias de Lisboa, a partir 28 talhos de 31 de Maio, as tabelas dos preços máximos das carnes. n O Conselho de higiene alerta para a “gripe” infecciosa, vinda de Espanha e que se alastrava a Portugal.

Decretos n.º 4298 e n.º 4299 - con-

afectas ao culto a Igreja de 25 siderando Santo António do extinto convento de Varatojo, em Torres Novas, incorporados nos bens da Fazenda Pública. n Protestos, prisões, e paralisação de todo o movimento dos carros eléctricos em Lisboa, em consequência do aumento das tarifas. n Portarias. n.º 1379 e n.º 1380 - declarando afectos ao culto a igreja do extinto convento de Santa Joana de Lisboa e a capela do palácio de Queluz.

Dec. n.º 4310 - regulamenta a forma

a exigência do depósito 29 delegalcumprir das oficinas tipográficas na Biblioteca Nacional de Lisboa. n Dec. n.º 4311 - concede autonomia administrativa ao Arquivo Nacional. n Decretos n.º 4308 e n.º 4309 - regulando a forma de admissão do público, nas salas de leitura da Biblioteca Nacional de Lisboa e os empréstimos das espécies existentes. n Dec. n.º 4312 - reorganiza as Bibliotecas Eruditas e Arquivos Nacionais.

329


1918 entre a Legação 30 Correspondência britânica e o Governo português, com

vista a acreditar os representantes dos respectivos países com a categoria de Embaixadores. A Associação Comercial de Lisboa

eficaz policiamento do Tejo e 31 pede punição dos autores de roubos, que levaram à suspensão das carreiras da Mala Real Inglesa entre Lisboa e o Brasil. n Lisboa - Nasce João Santiago, pintor surrealista e Arquitecto.

Maio


Junho 1

Publica-se “A Voz da Mocidade” (Lamego - católico - n.d.). n Nomeação do Cap. Joaquim Mendes do Amaral para S.E. das Finanças interino. Exonerado em 8.10.1918.

2

Os ferroviários decidem a paralização de todas as linhas. n Machado Santos pede a demissão do Governo. n Tomam posse os membros do Congresso.

3

Dec. n.º 4343 - estabelecendo a separação das pessoas e bens por mútuo consentimento. n Medidas rigorosas para assegurar a ordem ameaçada pela greve dos ferroviários. n Escândalo envolvendo Xavier Esteves, ex-Secretário das Finanças, numa transacção de 33.000 acções dos Caminhos-de-Ferro Portugueses.

4

Greve dos ferroviários.

5

Funchal - Nasce José Bettencourt Rodrigues, Gen. Governador da Guiné, 1973/1974, substituindo António de Spinola.

6

Publica-se “A Pátria” (Ponta Delgada Partido Democrático - n.d.). n Os ferroviários retomam o trabalho. n Chegam a Lisboa os náufragos do

vapor “Diu”, torpedeado pelos alemães. n Decretos. n.º 4358 e n.º 4359 - autoriza o Banco Nacional Ultramarino a fazer emissões de cédulas, destinadas à circulação na Província de S. Tomé e Príncipe e no Estado da Índia.

7

Dec. n.º 4368 - conferindo autonomia administrativa a várias escolas do ensino elementar, industrial e Comercial. n Machado Santos demite-se de Secretário de Estado das Subsistências.

8

É lançada ao mar a canhoneira “Quanza” no Arsenal da Marinha. n Restabelece-se lentamente a circulação ferroviária após o diferendo com os trabalhadores.

9

Lisboa - Nasce Vitorino Magalhães Godinho, professor universitário, investigador e historiador com profusa e valiosa obra editada. n Nomeação do Eng. Eduardo Fernandes de Oliveira para S.E. das Subsistências e Transportes. Exonerado em 15.7.1918. Substitui Machado Santos. Elvas - Nasce António Costa Ferreira,

autor teatral e Advogado. 10 actor, n Realizam-se repatriações de soldados do C.E.P. em França, que não são rendidos. n O Diário do Governo publica o decreto que restabelece a Legação e Portugal junto do Vaticano.

331


1918 n.º 1398 - aprovando o regula11 Port. mento do Instituto Militar de Reedu-

cação dos Mutilados da Guerra. n O Chefe de Estado inaugura em Campo de Ourique em Lisboa, a 1.ª de uma série das chamadas “Sopas de Assistência ou dos Pobres” n Nas salas das Liga Naval em Lisboa nasce a ideia da “Cruzada Nun’ Álvares”, por iniciativa do Ten. João Afonso de Miranda.

n Toma posse do Consulado de Portugal em Cantão, Amadeu da Silva. O 5.º Congresso da Federação das Ju-

Católicas realiza-se em San15 ventudes tarém. n Buscas, apreensões e prisões políticas por todo o País. Publica-se “O Rebelde” (Beja - sindi-

Dec. n.º 4387 - organiza a Companhia

Saúde Naval, regulando o seu fun12 decionamento.

n Dec. n.º 4389 - suspende a execução do Dec. n.º 4205, de 4 de Maio de 1918, que aprovou o regulamento dos Caminhos-de-Ferro do Continente. n Publica-se “O Leste” (Elvas - conservador - n.d.).

- n.d.). 16 calista n O Congresso aprova uma moção considerando irrita e nula a decisão de 11.12.1917, que demitira Bernardino Machado. Funda-se em Lisboa o embrião da Cru-

Nacional D. Nuno Álvares Pereira. 18 zada n Relatório do médico Ricardo Jorge sobre a gripe infecciosa.

D. n.º 4641 criando os Serviços Ge-

13 ológicos de Portugal.

Dec. n.º 4430 - aprovando o regula-

interno da Biblioteca Nacional 19 mento de Lisboa.

Repetem-se assaltos graves nas mar-

do rio Douro. 14 gens n Dec. nº. 4399 - redestribui as freguesias da cidade e dos concelhos do distrito de Lisboa pelas 6 conservatórias do Registo Civil. n Dec. n.º 4407 - determina que o Liceu Nacional da Horta passe a denominar-se Liceu Dr. Manuel de Arriaga. n Rigorosa prevenção da guarnição militar de Lisboa. n Eleição da direcção da comissão instaladora da cruzada Nun’ Álvares”.

Viana do Alentejo - Nasce Tomás Ri-

publicista e autor teatral. 20 bas, n Sidónio Pais visita em Elvas a Exposição de Pecuária. Dec. n.º 4440 - aprovando e mandan-

em execução o regulamento 21 doda pôr construção e venda das casas

económicas. n Submete-se à decisão de um tribunal


Junho arbitral, as dúvidas suscitadas acerca da interpretação dos contratos com a “West of India Portuguese Guaranteed Rail Way Company Limited’, com sede em Londres.

22

Raul Brandão inicia as funções de bibliotecário do Regimento de Infantaria de Guimarães. n Discurso de Sidónio Pais no Parlamento, explicando a política seguida desde a Revolução de Dezembro do ano transacto.

constituídas as Oficinas Gerais de 29 São Material Aeronáutico. n Dec. n.º 4499 - esclarecendo, modificando e ampliando as disposições que regulam os direitos e obrigações, entre senhorios e arrendatários de prédios urbanos. n Dec. n. º 4501 - organiza as bandas da Armada. n O Cap. António Adalberto Sollari Allegro assume o cargo de Comissário Geral da Polícia do Porto. Constituição dos Serviços Geológicos

Manuel Gonçalves Cerejeira é nomea-

arquivista e paleógrafo do Arquivo 26 doda U.C..

30 de Portugal.

n O Núncio em Madrid D. Fransesco Ragonesi desloca-se a Lisboa para tratar da questão do reatamento das relações entre Lisboa e o Vaticano.

27 regulamento interno da Academia de

Dec. n.º 4480 - aprova o estatuto e Ciências de Lisboa. n Dec. n.º 4465 - determinando que comissões especiais organizem o recenseamento de todos os indivíduos que não trabalhem, e as causas que justifiquem essa situação. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para S.E. da Marinha interino. Exonerado em 7.9.1919. n Monsenhor Francesco Ragonesi, Núncio em Madrid e Enviado Papal, é recebido pelo Presidente Sidónio Pais.

333


1918 1

Dec. n.º 4518 - concedendo, sob condições, amnistia geral e completa às praças do Exército e da Armada e das forças ultramarinas, transferidas por terem tomado parte em manifestações colectivas. n Dec. n.º 4523 - aprova o regulamento dos serviços da Direcção do Crédito e das Instituições Sociais Agrícolas. n Comício, em Nova Goa, contra a execução da recente Carta Orgânica do Estado da Índia. n Dec. nº 4510 - inserindo disposições relativas à indústria e comércio de tabacos. n Dec. n.º 4517 - insere disposições sobre processos, sujeitos à apreciação dos Tribunais no Ultramar. n Forças alemãs atacam tropas anglo-lusas que guarneciam um posto de Quelimane, Moçambique.

2

Dec. n.º 4529 - inserindo várias disposições sobre o Serviço de Aeronáutica Militar. n Diligências policiais, com apreensões e buscas, para esclarecer uma grande explosão ocorrida no Porto.

4

Acontecimentos graves no Centro Evolucionista de Lisboa, na sequência da conferência de Leonardo Coimbra, promovida pela Liga da Mocidade Republicana. n Port. n.º 1433 - mandando proceder ao manifesto da gasolina existente no País. n Port. n.º 1434 - proíbe a exportação da batata.

n A 1.ª Divisão do C.E.P. passa a estar subordinada ao 5.º Exército britânico. O Gen. Garcia Rosado substituí o general Tamagnini de Abreu como comandante daquele Corpo.

5

Dec. nº 4546 - fixa, em 30 anos, o tempo de serviço necessário, para os funcionários civis serem aposentados com o máximo da pensão correspondente à sua classe.

6

D. n.º 4554 que substitui o grau de “bacharel formado” pela categoria de “licenciado”. n O Grémio Literário de Lisboa condena os últimos desenvolvimentos da questão religiosa. n Dec. n.º 4554 promulgando o Estatuto Universitário que substitui a Constituição Universitário de 1911.

7

Cessa a publicação “O Dia” (Horta - independente e regionalista - n.d.). n O Governo toma medidas para contrariar a greve das classes marítimas.

9

Restabelecimento das relações diplomáticas entre Portugal e o Vaticano. n Aprova-se o novo estatuto universitário. n Machado Santos abandona intempestivamente a pasta das Subsistências, que será depois extinta. Entretanto é administrada pelo Ministério da Agricultura.


Julho a constituição das socie10 Regula-se dades anónimas.

n Dec. n.º 4557 - designa as entidades oficiais que podem adquirir bens mobiliários. n O P.R. Sidónio Pais recebe o Enviado do Papa Monsenhor Ragonesi. n Dec. n.º 4560 - insere a reorganização dos Serviços Aduaneiros.

imprensa. n Dec. n.º 4602 - insere a organização dos serviços Postais, Telegráficos, Telefónicos e de Fiscalização das Indústrias Eléctricas. n O Governo restabelece a linha férrea de Alcobaça. Abertura do Parlamento.

Dec. n.º 4562 - divide o País, continen-

e insular, em 5 circunscrições, para 11 talefeitos da fiscalização das associações agrícolas. n D. n.º 4676 permitindo às mulheres o exercício da profissão de advogado e de ajudantes de notários. Dec. n.º 4563 - reorganiza os serviços

Hospitais Civis de Lisboa. 12 dos n Dec. n.º 4566 - inserindo várias

disposições sobre a organização dos serviços dos Tribunais Comerciais. n Dec. n.º 4607 criando a freguesia de São Cristóvão, Montemor-o-Novo. O Conselho da F.D.U.C. concede o

de Doutor a Martinho Nobre de 13 grau Melo, beneficiando da Lei n.º 611 de

19.6.1916, tal como A.O.S. n Suprimindo os lugares de Subsecretários de Estado das Finanças, Guerra e Colónias, criados pela Lei n.º 524, de 5 de Maio de 1916. n Dec. n.º 4596 - cria um mensário, de propaganda pedagógica, intitulado “A Escola Primária”. n Regulando o serviço de censura à

n.º 4655 - aprova o regulamen14 nto Dec. da produção e comércio dos vinhos do Porto. n Dec. n.º 4643 - regula o serviço Secundário Particular. n Dec. n.º 4647 - estrutura a organização das Faculdades de Ciências. n Dec. n.º 4648 - reestrutura a orgânica e funcionamento das Faculdades de Direito das Universidades de Lisboa e Coimbra. n Dec. n.º 4649 - reforma a organização das Escolas Normais Superiores das Universidades de Coimbra e Lisboa. n Dec. n.º 4650 - reformando os serviços de Instrução Secundária. n Dec. n.º 4651 - altera a organização das Faculdades de Letras das Universidades de Coimbra e Lisboa. n Dec. n.º 4653 - regula o ensino oficial de Farmácia. n Dec. n.º 4636 - obriga os detentores, negociantes, lavradores, produtores ou possuidores de azeite, a manifestar as existências perante o regedor da paróquia. n Dec. n.º 4656 - regula a exportação de madeiras. n Dec. n.º 4652 - inserindo a organização geral do Ensino Médico. 335


1918 n Dec. n.º 4642 - autoriza o Governo a contrair um empréstimo, destinado à criação de escolas de instrução primária em todo o País, com cantinas para a alimentação dos alunos, gratuitas para os pobres. n Dec. n.º 4637 - modifica a organização dos celeiros municipais, regulamentando o seu funcionamento. n Dec. n.º 4634 - aprova o regulamento dos serviços de Estatística Agrícola. n Dec. n.º 4629 - regula o funcionamento do Conselho Colonial n Dec. n.º 4626 - insere a organização dos Armazéns Gerais Industriais. n Dec. n.º 4620 - assegura a manutenção da jurisprudência no Supremo Tribunal de Justiça. n Dec. n.º 4619 - inserindo disposições sobre Registo Predial. n Dec. n.º 4618 - modifica vários artigos do Código do Processo Civil. n Dec. n.º 4603 - remodela os serviços dependentes da Secretaria de Estado do Interior. n Dec. n.º 4638 - estabelece o regime comercial dos cereais, da moagem e panificação e diversas disposições relativas ao abastecimento do País. n Publica-se “A Folha de Chaves” (democrático - n.d.).

n Abertura do Parlamento sidonista n Nas eleições para a 3.ª legislatura o Centro Católico Português elege 4 deputados. Representantes dos sindicatos agríco-

protestam, junto do Governo, por 16 las falta de adubos. n Aviso ao público, pela fiscalização da Secretaria de Estado das Subsistências, contra açambarcamentos. Contra os açambarcadores: São en-

17 cerradas 243 mercearias.

por iniciativa do Capitão João 18 Pereira, Afonso de Miranda, unindo republica-

Criação da Cruzada Nuno Álvares nos, monárquicos e católicos e tendo a presidência formal de Anselmo Braamcamp Freire. n Greve dos ferroviários do Sul e Sueste. n Dec. n.º 4670 - reorganizando os serviços da Caixa Geral de Depósitos. n Dec. n.º 4675 - reestrutura os serviços da Secretaria de Estado da Instrução Pública.

o desempenho de várias 19 portuguesa dos Tabacos. 15 don Comissariado-Geral funções públicas. Dec. n.º 4666 - reorganizando Dec. n.º 4665 - remodela os serviços

Dec. n.º 4676 - permitindo à mulher

os serviços da Companhia Geral do Crédito Predial Português. n O Eng. Militar Cunha Leal inicia a sua carreira parlamentar na abertura do Congresso da República.

n Dec. n.º 4677 - regulamentando os serviços Notariais. n Augusto de Vasconcelos (Correia) apresenta credenciais de E.E.M.P. em Londres.


Julho Professores da F.D.U.C. Fezas Vital 20 Os e Magalhães Colaço recebem o grau de Doutor, beneficiando da Lei n.º 616, de 19.6.1916. n Dec. n.º 4685 - aprova a organização do Instituto Superior de Agronomia. n Dec. n.º 4686 - aprovando a organização da Escola Superior de Medicina Veterinária.

21

A frequência feminina nas Faculdades de Lisboa é a seguinte: Letras 28; Direito 3; Medicina 7; Ciências 15; Farmácia 1; Escola Normal 4, segundo o vespertino “A Capital”.

cado por D. Manuel Vieira de Matos.

26 minando novas tabelas, para as conDecretos. n.º 4699 e n.º 4700 - detertribuições industrial e sumptuária.

O Conselho da F.D.U.C. atribui a A.O.S.

propriedade a regência da cadeira 27 em de Economia Política. n João Gregório Duarte Ferreira, Oficial do Exército, assume o Governo de S. Tomé e Príncipe.

28 pital Militar D. Pedro V, no Porto.

Violento incêndio destrói parte do Hos-

Cessa a publicação “O Republicano”

- evolucionista -n.d.). 22 (Chaves n Reabertura do Congresso da República com a presença do Chefe do Estado. n Dec. n.º 4688 - cria uma repartição do Gabinete do Alto-Comissário da República nos Açores. n Dec. n.º 4689 - criando, na Guarda, uma maternidade e um dispensário. n Dec. n.º 4695 - remodela os serviços de Sanidade Escolar.

n Os alemães ocupam o Rovuma em Moçambique.

Pais inaugura mais uma “Sopa 29 Sidónio de Assistência ou dos Pobres”, desta feita em Algés.

30 Automóvel Militar.

Dec. n.º 4705 - organizando o Serviço

Monsenhor Aloísio Mazella assume,

Lisboa, as funções de Enc. Neg. 25 em da Santa Sé. n Assalto no Porto ao edifício do jornal “A Montanha”. n Assalto a estabelecimentos comerciais da Régua. n Rebentam várias bombas nas Amoreiras, em Lisboa. n Concílio Diocesano de Braga convo337


1918 1

No Parlamento, é aprovada uma proposta de inquérito sobre a organização do C.E.P. n Terminada a greve dos ferroviários, são libertados todos os detidos. n Assume o Governo Civil de Coimbra o Cap. Luís Alberto de Oliveira. Exonerado em 26.11.1918.

2

Nomeação e posse em Lisboa do Governador de Macau Artur Tamagnini Barbosa. n O Major Alberto de M. Macedo toma posse do cargo de Governador Civil do Porto. Exonerado em 3.1.1919.

3

Início dos trabalhos para aproveitamento da energia hidráulica do Tejo. n No Parlamento discute-se a paralisação, há mês e meio, do porto de Lisboa. n Debate-se a questão religiosa no Parlamento.

6

Depois de escassas e turbulentas 10 sessões encerra-se o Parlamento até 4 de Novembro.

7

Desembarcam em Nova Iorque os náufragos do navio “O Porto”. n Estabelece-se uma plataforma de entendimento entre os partidos históricos republicanos.

8

Publica-se o “Notícias de Castelo Branco” (democrático - n.d.). n É publicitado o manifesto do Partido Republicano Português, em oposição ao movimento de Dezembro.

9

O Cor. Josué de Oliveira Duque volta a sobraçar o Governo da Guiné.

10 na sequência da greve das classes Tumultos no Cais do Sodré em Lisboa, marítimas.

4

Cessa a publicação “A Tribuna” (Lamego - democrático - n.d.). n Cessa a publicação “O Sul” (Faro evolucionista - n.d.).

Nova “Sopa de assistência ou dos Po-

é inaugurada nas Mercês, Lis12 bres” boa, por Sidónio Pais. n Dec. n.º 4718 - regulando a exploração das águas minero-medicinais.

5

Em Santa Marta, Lisboa e em Sacavém são inauguradas pelo Chefe de Estado duas “Sopas de Assistência ou dos Pobres”.

Lei n.º 830 - estabelecendo que os

civis e militares, membros 14 funcionários do Congresso, possam acumular o exercício do seu cargo ou posto com o das funções parlamentares. n Conflito com os ferroviários da Com-


Agosto panhia Portuguesa na estação das Devesas, tendo sido preso a maioria do pessoal de Gaia. Grave epidemia de varíola em Por-

18 talegre.

contra-Almirante da Administração Naval. n Assume o comando do Corpo Expedicionário Português, o General Tomás A. Garcia Rosado. n Torpedeada a barca “Graciosa”, em viagem entre Newcastle e Lobito.

Dec. n.º 4730 - constituindo 5 Tribunais

Afunda-se o vapor português “Lisbo-

É torpedeado o vapor “Magalhães Lima”, frente à praia da Nazaré.

são inauguradas pelo P.R. em 26 Pobres” Chelas, Penha de França e S. Paulo,

com sede em Lisboa, Porto, 25 nense”. 19 Militares, Coimbra, Funchal e Ponta Delgada.

Mais três “Sopas de Assistência ou dos

21

Lisboa, respectivamente. Apresentam-se, no Instituto de Socor-

a Náufragos, os sobreviventes do 22 ros vapor “Ponta Delgada”, afundado na costa da Argélia. n É torpedeado, perto do cabo da Roca, o lugre “Maria Luísa”. n Publica-se o “5 de Dezembro” (Guimarães - sidonista - n.d.).

Termina o estado bélico entre portu-

28 gueses e alemães em Moçambique.

Grande descarrilamento entre o Vale

Figueira e Santarém. 29 dan Chegam a Lisboa os náufragos do

vapor “Horta”, torpedeado em viagem de Salónica para Malta. Dec. n.º 4770 - ampliando o perímetro

protecção do arvoredo da Serra de 23 deSintra. n Dec. n.º 4737 - declarando de utilidade, pública e urgente, a expropriação da fábrica de adubos e produtos químicos da Póvoa de Santa Iria.

e as repatriações o C.E.P. está re30 ções duzido a 34.695 soldados, (ou 26.800 Contando com as baixas, as desersegundo outras fontes).

31 mento com rações individuais, fixadas Estabelece-se o regime de raciona-

24

Sidónio Pais inaugura uma “Sopa de Assistência ou dos Pobres” em S. Pedro de Sintra. n Machado Santos é promovido a

a nível de Freguesia pelo regedor e pelos professores primários do ensino oficial. 339


1918 n Dec. n.º 4756 - cria, junto dos Hospitais Militares de 1.ª classe de Lisboa e Porto, Escolas de Enfermeiros Militares destinados ao Exército. n Porto - Morre D. António Barroso, Bispo da Diocese e grande missionário.

Agosto


Setembro 2

Na Mouraria abre uma “Sopa de Assistência ou dos Pobres”, inaugurada por Sidónio Pais.

4

É afundado, por alturas de Cardiff, o vapor “Brava”.

5

Dec. n.º 4775 - criando, na Escola Normal Primária de Lisboa, o Curso Prático de Psicologia Experimental n Bombardeamento do vapor “Desertas”, encalhado ao sul da praia da Costa Nova. São encerradas pelos proprietários as fábricas de conservas de Setúbal por causa dos conflitos laborais.

6

7

Apreensão de armamento e prisões são efectuadas em diversos pontos do País. n Dec. n.º 4782 - autoriza a constituição em Lisboa do Banco Industrial Português SARL destinado ao exercício de operações bancárias. Cessa a publicação “A Voz Pública” (Porto - sidonista). n Dec. n.º 4786 - aprovando o regulamento dos serviços da Secretaria de Estado da Instrução Pública. n O já contra-Almirante da Administração Naval Machado Santos é promovido a Vice-Almirante. n Nomeação do Alm. João do Canto e Castro para S.E. da Marinha. Exonerado em 15.12.1918.

8

Afundamento da traineira “Primorosa”, em relação à qual se levanta imediato inquérito. n O P.R. Sidónio Pais preside a uma festa infantil em Sintra.

9

Francisco de Carvalho Martens é nomeado E.E.M.P. em Copenhague. n Publica-se “O Atlântico” (Funchal regionalista - n.d.). n Nomeação de Alberto de Oliveira para E.E.M.P. na República Argentina. Dec. n.º 4796 - reorganizando o serviço

Contrastarias. 11 das n Chegam a Lisboa os náufragos do

lugre “Vouga”, metido ao fundo no Golfo da Biscaia. n Chegam ao Rio de Janeiro 14 náufragos do lugre “Libertador”, que fora torpedeado. São presos vários indivíduos em Lisboa,

numa conspiração contra 12 implicados o Governo. n Dec. n.º 4799 - aprova o regulamento de Instrução Secundária. São proibidos os comícios contra a

da vida, programados pela 14 carestia União Operária Nacional.

Em Carnide inaugura-se uma “Sopa de

ou dos Pobres” pelo P.R.. 15 Assistência n Sidónio Pais louva e contribui para a

subscrição nacional, em favor dos pri341


1918 sioneiros de guerra. n Toma posse do cargo de Governador-Geral de Angola, Filomeno da Câmara. Inicia-se em Lisboa o regime de se-

de consumo. 16 nhas n Dec. n.º 4805 - autorizando o Gover-

no a empregar, em trabalhos de utilidade pública fora das cadeias, durante o dia, os presos por crimes comuns, em cumprimento da pena ou detidos preventivamente. n Dec. n.º 4807 - autoriza o Governo a contrair um empréstimo da Caixa Geral dos Depósitos, destinado à construção de um edifício para a Morgue. n Dec. n.º 4808 - regulamentando os serviços do Instituto de Medicina Legal de Lisboa.

n Dec. n.º 4826 - considerando as agências e sucursais de bancos estrangeiros, como bancos com sede no País e colectando-as nessa conformidade. n A edição do jornal “O Mundo” de Lisboa é apreendida pela Polícia. Dec. n.º 4831 - aprova a organização

ensino Agrícola Móvel. 24 don Sidónio Pais visita o Norte do País, onde continua a grassar a epidemia da pneumónica. Dec. n.º 4837 - insere o regulamento

25 do Arquivo de Identificação.

26 suspensão do decreto sobre cambiais. As Associações Comerciais pedem a

Vila Franca de Xira - Nasce Alberto

Nogueira, diplomata e M.N.E. 17 Franco sob o Estado Novo, em cujas funções defende com denôdo e talentosamente a política externa de Portugal.

Dec. n.º 4845 - cria, em Lisboa, um

Comercial, junto ao Instituto 27 Museu Superior de Comércio. A partir de uma conspiração desco-

22

Em Alcoutim registam-se motins populares, em virtude do manifesto do trigo. n Cessa a publicação o jornal “Justiça” (Braga - unionista - n.d.). As senhas de consumo são adopta-

depois de Lisboa, em todo o País. 23 das, n Nova “Sopa de Assistência ou dos Pobres” é inaugurada, desta vez em Queluz, pelo Chefe de Estado.

em Lamego, a Polícia toma co28 berta nhecimento de um plano geral revolu-

cionário. n Dec. n.º 4852 - criando, em Angola, o serviço de Telegrafia sem fios. n Dec. n.º 4849 - autorizando o Governo a mandar cunhar, na Casa da Moeda, papel selado e moedas de ferro de 4, 2 e 1 centavos.


Setembro a publicação “A Província do Al29 Cessa garve” (Tavira - conservador - n.d.). n Cessa a publicação “O Progresso” (Funchal - regionalista - n.d.).

343


1918 3

Figueira da Foz - Morre David de Sousa, violoncelista e compositor. n Cessa a publicação o “Notícias de Castelo Branco” (democrático - n.d.). n Publica-se o “Correio do Minho” (Viana do Castelo - reconstituinte - n.d.). n No combate de N’hamacuna, em Angola, contra alemães, registam-se 48 mortos e 66 feridos do lado português.

4

Reabre a Bolsa de Lisboa, depois de revogados os decretos sobre os lucros da guerra. n Estreia no cinema Olímpia de Lisboa o filme”Frei Bonifácio” da obra homónima de Júlio Dinis e realizado pelo francês George Pallu.

5

Não são autorizadas as celebrações da instauração da República, a pretexto da epidemia da ‘pneumónica’. n Dec. n.º 4871 - proíbe a saída do País de todas as drogas medicamentosas. n Publica-se em Lisboa o diário republicano sidonista “O Tempo”, que perdura até 1935.

7

Dec. n.º 4872 - cria o lugar de Comissário do Governo, conferindo-lhe os precisos poderes para combater a epidemia da gripe reinante.

8

Remodelação ministerial. Nomeação do Governo sidonista. n Nomeação do Ten. Cor. Álvaro César de Mendonça para S.E. da Guerra. Exonerado em 23.12.1918.

n Nomeação do Cap. António Bernardino Correia para S.E. do Interior. Exonerado em 23.12.1918. n Nomeação do Dr. José Carneiro da Costa para S.E. da Justiça. Exonerado em 23.12.1918. n Nomeação do Dr. António Egas Moniz para S.E. dos Negócios Estrangeiros. n Nomeação do Ten.-Cor. João Tamagnini Barbosa para S.E. das Finanças. Exonerado em 23.12.1918. n Nomeação do Dr. João de Azevedo Neves para S.E. do Comércio. n Nomeação do Cap. José da Cruz Azevedo para S.E. dos Abastecimentos. Exonerado em 23.12.1918. n Dec. n.º 4874 - aprovando e mandando pôr em execução a nova organização e funcionamento das Faculdades de Direito das Universidades de Coimbra e Lisboa. n Dec. n.º 4875 - aprova o regulamento interno da Biblioteca da Ajuda.

9

Assalto e saque do Grémio Lusitano (Maçónico) no qual desapareceram arquivos e objectos litúrgicos de grande valor. n O deputado Cunha Leal afirma no Parlamento existirem nessa altura em Portugal “uns 10 mil prisioneiros políticos”. n Nomeação do Cap. José da Cruz Azevedo para S.E. dos Abastecimentos. Exonerado em 23.12.1918. n Dec. n.º 4874 - aprovando e mandando pôr em execução a nova organização e funcionamento das Faculdades de Direito das Universidades de Coimbra e Lisboa.


Outubro n.º 4879 - instituindo a Secretaria 10 Dec. de Estado dos Abastecimentos. Dec. n.º 4885 - aprova e manda pôr

execução o regulamento do Curso 11 em Superior de Bibliotecário Arquivista.

morre, quando o caça-minas “Augusto de Castilho” é afundado por um submarino alemão, com o qual travara corajosa luta. n Dec. n.º 4894 - aprovando o regulamento disciplinar da Guarda Fiscal. Levantam-se barricadas em Braço de

12

Tentativa revolucionária parlamentarista de republicanos históricos em Lisboa, Porto, Penafiel, Coimbra, Évora e Vila Real. n Dec. n.º 4891 (Suplemento) - suspendendo todas as garantias constitucionais no Continente, até ao completo restabelecimento da ordem pública. n Dec. n.º 4888 - aprovando o regulamento interno da Biblioteca Popular de Lisboa. n Dec. nº 4886 - concedendo aos mutilados e estropiados de guerra, o direito ao uso de uma insígnia. n Assume o cargo de Governador de Macau Artur Tamagnini Barbosa. n Morre em Hendaye a filha de Bernardino Machado, Maria, que o acompanhava no exílio.

Lisboa, onde os revoltosos ar15 Prata, remessaram bombas à força pública. n É assassinado o Comandante do Regimento de Cavalaria 5 em Évora.

“Leva da Morte”: ataque armado ao

de presos do levantamento do 16 cortejo dia 12, registando-se inúmeras mortes e feridos. Entre os assassinados conta-se o visconde de Ribeira Brava, indefectivel republicano do Parido Democrático e tido como um dos implicados no regicídio de 1908.

17 vítimas da pneumónica.

É lançada uma subscrição a favor das

Incidente em Naulila entre forças por-

13

Declaração do Estado de Emergência pelo Governo. n Morre António de Lima Fragoso, compositor. n Publica-se “O Proletário” (Estremoz sindicalista - n.d.).

19 tugueses e uma coluna militar alemã.

Lisboa - Morre Casimiro Freire, mece-

e filantropo na área da educação 20 nas e grande difusor do método de João de Deus.

O Governo retoma o controlo da situ-

14 ação. n O Comandante

Carvalho Araújo 345


1918 22 Porto – Morre o actor Álvaro Cabral. Espinho - Morre Amadeo de Souza

pintor. 25 Cardoso, n Dec. n.º 4907 - estabelecendo o preço da venda de petróleo e gasolina em todo o País. Cessa a publicação “O Moinho” (Viana

27 do Castelo - evolucionista - n.d.).

Dec. n.º 4914 - criando o telegrama-

28 carta.

Dec. n.º 4921 - determina a distribuição

de senhas de racionamento e 29 gratuita cartas de consumo.

Outubro


Novembro 1

Publica-se “O Nacional” (Funchal - sidonista - n.d.). n Dec. n.º 4927 - passando a censura preventiva à dependência da Secretaria de Estado da Guerra.

2

O Major Álvaro de Castro é abatido ao efectivo militar como alegado desertor.

3

Sertã - Nasce o Padre jesuíta Manuel Antunes, Professor da F.L.U.L., erudito, pedagogo e director da revista “Brotéria”.

4

Retomam-se as sessões parlamentares, que são adiadas por falta de “quórum”.

6

Assinada pelo Gen. Jaime Leitão de Castro surge o 1.º manifesto das Juntas Militares pró-monárquicas.

7

Dec. n.º 4945 - determina as disciplinas, que devem constituir as diversas secções das Faculdades de Letras das Universidades de Coimbra e Lisboa. n Dec. n.º 6205 publicando o regulamento das obras militares portuguesas.

9

Publica-se “A Concórdia” (Aveiro evolucionista - n.d.). n Cessa a publicação “O Proletário” (Estremoz - operário e sindicalista n.d.).

em Lisboa pelo Armistício, 11 Festejos que pôs fim à Primeira Grande Guerra

Mundial. n Durante a 1.ª Guerra Mundial são afundadas 80 embarcações portuguesas. n Para a guerra em França foram 57.000 combatentes e para as colónias 32.000. n Nomeação da Delegação Portuguesa à Conferência de Paz em Paris. n Balanço da guerra: 2.287 mortos na Europa; 4.811 mortos em Moçambique; 810 em Angola. Feridos e incapacitados 12.508 na Metrópole; 1592 em Angola e 68 em Moçambique (Números controversos). Greve geral convocada pela União O-

Nacional. O armistício entretan12 perária to celebrado impõe-lhe um fracasso por falta da verificada unidade. n Lisboa - Nasce Odette de Saint-Maurice, escritora. n O Gen. Gomes da Costa parte para Moçambique em mais uma comissão militar. O P.R. Sidónio Pais oferece um ban-

ao C.D. representado pelos res13 quete pectivos Embaixadores para celebrar a Paz. Aviso - relativo a um acordo concluído

os Governos português e belga, 14 entre sobre a competência dos Tribunais dos

Exércitos dos dois países, quando em operações militares. n Dec. n.º 4961 - aprova o regulamen347


1918

Novembro

to do Ensino Secundário Feminino. n Solene ‘Te Deum’ na Basílica da Estrela pela vitória dos Exércitos Aliados com a presença do Chefe de Estado Sidónio Pais.

(Guarda - Maçonaria - n.d.). n Manifestação ordeira e parada militar em Lisboa, de protesto contra a demagogia e a revolução social.

23 do C.E.P., que são aguardadas pelo

Chegada a Lisboa das primeiras tropas

16

Atentados bombistas em Lisboa. Prevenção rigorosa da Polícia. n Decretos. n.º 4969, n.º 4970 e n.º 4971 - autorizando o Banco Nacional Ultramarino a fazer uma nova emissão de cédulas, destinada à circulação nas Províncias de Cabo Verde, S. Tomé e Angola. n Dec. n.º 4972 - autoriza o Banco Nacional Ultramarino a fazer uma nova emissão de notas na sua filial de Lourenço Marques e convertíveis em ouro.

Presidente da República Sidónio Pais. n Atentados à bomba em Lisboa, por causa da greve dos ferroviários.

24

Reabertura dos trabalhos legislativos.

Cessa a publicação “O Atlântico” (Fun-

25 chal - regionalista - n.d.).

Toma posse do Governo Civil de Ponta

18

Greve dos ferroviários, pessoal de tracção e oficinas, das linhas do Sul e Sueste. Praticam-se actos de sabotagem. n Greve geral malograda contra a carestia de vida, promovida pela União Operária Nacional. n Regista-se a 1.ª ocupação selvagem conhecida de terras no Alentejo, por trabalhadores rurais, na aldeia de Vale de Santiago, Concelho de Odemira.

Açores o bacharel João Cor26 Delgada, reia da Silva Júnior. Exonerado em 18.2.1919.

Nomeação de Juízes Populares na

de Macau. 28 Província n Dec. n.º 5002 - aprovando os programas do Ensino Secundário. É retirada a autonomia concedida às

Nomeação do M.N.E. Egas Moniz para

na nomeação dos reitores, 30 escolas voltando estes a ser nomeados pelo

mas a tratar na Conferência de Paz de Paris. n Publica-se “O Cinco de Outubro”

Governo. n Sidónia Pais visita Coimbra e a Universidade, assistindo e discursando na sessão solene da abertura do ano lectivo.

da delegação portuguesa e de 20 chefe uma Comissão, para estudar os te-


Dezembro 1

Dec. n.º 5029 reforma o ensino técnico elementar. n Cessa a publicação o “Norte” (Braga - sidonista - n.d.).

3

O Congresso da República celebra o fim da 1.ª Guerra. n Dec. n.º 5021 - insere a organização da Secretaria de Estado da Justiça e dos Cultos. n Dec. n.º 5022 - fixando, em 75 anos, o limite de idade para os magistrados judiciais no activo. n Dec. n.º 5026 - concedendo um subsídio anual à disciplina de língua e literatura portuguesas, a criar na Universidade de Londres com o título “Cadeira Camões”. n No Parlamento Machado Santos invectiva o Governo pela existência de tantos presos políticos.

4

Nomeação do contra-Alm. João do Canto e Castro para S.E. dos Negócios Estrangeiros.

5

Dec. n.º 5029 - inserindo a organização do ensino Industrial e Comercial. n As sessões do Congresso tornam a ser adiadas por falta de “Quorum”. n O Dr. Egas Moniz parte para a Conferência de Paz em Paris.

6

Dec. n.º 5032 - inserindo a organização das tropas dos Caminhos-de-Ferro Militares. n Dec. n.º 5030 - restabelece as Or349


1918 dens de Cristo e de S. Tiago de Espada e remodela as Ordens Militares de Aviz e da Torre Espada de Valor, Lealdade e Mérito. n Sidónio Pais discursa na varanda da Câmara Municipal de Lisboa, logo após a 1.ª tentativa do seu assassinato. n O Presidente da República condecora os sobreviventes do caça-minas “Augusto Castilho”. É alvo de um atentado, do qual sai ileso, perpetrado por José Maria Baptista, de 19 anos, praticante de piloto ligado à maçonaria e dado como desiquilibrado.

Moniz entrevista-se com Lord 10 Egas Balfour, M.N.E. inglês. Dec. n.º 5047 - aprova a nova organi-

da Faculdade Técnica da Uni11 zação versidade do Porto. n Dec. n.º 5046 - determinando que vários edifícios sejam declarados monumentos nacionais de 1.ª categoria. Dec. n.º 5051 - insere o regulamento

12 do Conselho de Seguros.

13 Escolas de Belas-Artes de Lisboa e

Dec. n.º 5053 - remodela o ensino nas

7

Uma multidão furiosa assalta a loja maçónica “Pro-Pátria”, destruindo todo o mobiliário, em agravo pelo atentado a Sidónio Pais do dia anterior.

Porto.

O P.R. Sidónio Pais comparece às

8

D. António Mendes Belo, Patriarca de Lisboa, dirige ao Presidente da República uma mensagem sobre as injustiças e violência impostas à Igreja. n Restaura-se o feriado religioso do dia e o P.R. Sidónio Pais comparece a uma festa infantil no Jardim Zoológico.

9

Dec. n.º 5039 - cria a Direcção-Geral dos Caminhos-de-Ferro, aprovando o seu regulamento geral. n Dirige-se para o porto de embarque de Cherburgo mais um contingente de tropas do C.E.P. de regresso Pátria.

exéquias realizadas de manhã 14 solenes pelos tripulantes mortos do caça-mi-

nas “Augusto Castilho”. n Assassinato do Presidente Sidónio Pais, na estação do Rossio em Lisboa, cometido por José Julio Costa, 24 anos, empregado de comércio e natural do Garvão, Beja. n Magalhães Lima é preso, após o assassinato de Sidónio Pais, e retido no Governo Civil de Lisboa. n Lei n.º 832 - confirmando a declaração de estado de sítio, a manter até 10 de Janeiro de 1919. n O Governo de Sidónio Pais produz 1.895 diplomas legislativos durante a sua gestão de 371 dias. n No 1.º Conselho de Ministros no Governo Civil, após o assassinato de


Dezembro Sidónio Pais, fica assente que, até à eleição do P.R., Canto e Castro assumiria a chefia do Governo. n Nomeação do contra-Alm. João do Canto e Castro para Presidente do XV Governo Constitucional. Exonerado em 23.12.1918.

Canto e Castro

16

O contra-Almirante João do Canto e Castro é nomeado pelo Congresso Presidente da República. n Opta-se pelo retorno pleno à Constituição de 1911. n Lei n.º 833 - suspende artigos da Constituição e insere disposições, àcerca da eleição do Presidente da República.

17

Dec. n.º 5062 - aprova e manda pôr em execução o regulamento literário do Colégio Militar. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para S.E. da Marinha interino. Exonerado em 23.12.1918.

18

A Junta Militar do Norte faz uma proclamação ao País em favor de um governo da sua confiança.

21

Funerais nacionais do P.R. Sidónio Pais: grandiosa manifestação de pesar. Tumultos em Lisboa com 4 mortes e muitos feridos.

o XVI Governo Constitu23 Assume cional de Tamagnini Barbosa.

n Nomeação do Major José da Cruz Azevedo para Ministro dos Abastecimentos. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Eng. Eduardo Fernandes de Oliveira para Ministro da Agricultura. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Eng. Henrique Forbes de Bessa para Ministro do Trabalho. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Cor. Alfredo Baptista Coelho para Ministro das Colónias. Exonerado 7.1.1919. n Nomeação do Dr. António Egas Moniz para M.N.E.. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Cap. Frag. José de Sousa e Faro para Ministro da Marinha. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Dr. João de Azevedo Neves para Ministro do Comércio. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Ten. Cor. João Tamagnini Barbosa para Ministro do Interior. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Dr. Afonso Pinto Veloso para Ministro da Justiça. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Cap. Ventura Malheiro Reimão para Ministro das Finanças. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Cor. Luís Corte-Real para Ministro da Guerra. Exonerado em 7.1.1919. n Nomeação do Dr. João de Azevedo Neves para M.N.E. interino. n O então Cor. João de Almeida tenta 351


1918 uma surtida revolucionária em Monsanto. n O Cor. João de Almeida publica uma carta datada de 20 passado em que recusa todas as acusações, nomeadamente ambições e objectivos ocultos. Lisboa - Nasce Pedro Moutinho, locu-

25 tor e produtor de rádio e televisão.

Fundação, no Porto, da Sociedade Por-

de Antropologia e Etnologia. 26 tuguesa n Levantamento de algumas tropas monárquicas em Lisboa.

31 dos do C.E.P. regressados da Guerra Estima-se em 5 mil o número de solda-

na Flandres portadores de tuberculose. n Dec. n.º 5076 - aprova e manda pôr em execução a organização do Estado-Maior Naval. n No ano económico iniciado em 1917 as receitas foram de 11.153 e as despesas de 22.196 libras esterlinas n Morrem com gripe no Continente e Ilhas 57.780 pessoas e com pneumónica 6.730. n A produção de trigo ascende a 335.683 mil litros. n São 6.473 as escolas primárias oficiais, registando-se uma significativa redução. n O valor da libra ouro em escudos é de 7$85 n Acentua-se a redução emigratória para 11.853 saídos do Continente e Ilhas. n Total da dívida pública: 124.029 libras esterlina. n Registando acentuado decréscimo

do ano anterior o n.º de leitores da B.N.L. cifra-se em apenas 8.423. n Na Grande Guerra Portugal mobiliza cerca de 160 mil homens: 57.000 para França; 32.000 para África; 12.400 para as Ilhas e 40.000 para a Metrópole. n Os efectivos da G.N.R. atingem 4.575 elementos. n O custo de vida aumenta 80% ao longo do ano. n Os salários dos níveis baixo e médio do funcionalismo público, comparados com os anteriores a guerra, equivalem a 35,8% e 54.6%, respectivamente n É de 926 o número de marcas industriais registadas no País. n Quase inalterável mantém-se o quantitativo proveniente das contribuições e impostos directos: 13.751. n São cerca de 4500 o número de oficiais a servir nas Forças Armadas. n A inflação aumenta para 80%.


Dezembro

353


19 19


1919 n O índice do custo de vida decresce, situando-se nos 14%. n Aquilino Ribeiro: “Terras do Demo”. n Óleo sobre tela de Eduardo Viana: “O Homem das Louças”. n Liceu Rodrigues de Freitas no Porto, da traça do Arq. Marques da Silva. n Prémio Valmor de Arquitectura atribuído ao edifício da Av. Duque de Loulé, 47 (demolido em 1961), da autoria de Álvaro Machado. n Teixeira de Queirós: “A Grande Quimera”. n José Carlos Rates: “O Problema Português - Os Partidos e o Operariado”. n Retrato de Leonardo Coimbra, óleo sobre tela de Eduardo Malta. n O Arq. Marques da Silva projecta o edifício “A Nacional” na baixa portuense. n Criação do Partido Republicano Liberal, (conservador), que resulta da fusão dos Partidos Evolucionista e Unionista. n José de Campos Pereira: “Portugal Industrial” n Florbela Espanca: “Livro das Mágoas”. n Augusto Casimiro (Santos): “Nas Trincheiras da Flandres” (Memórias).” n Raul Brandão: “Memórias I”. n Filme “A Rosa de Adro” de Manuel Maria Rodrigues, realizado pelo francês Georges Pallu. n Francisco Homem Cristo: “O Bolchevismo na Rússia”. n A.O.S. retoma o tema “Alguns Aspectos da Crise de Subsistências” publicado novamente no Boletim da F.D.U.C. n Em Paris Francisco Franco esculpe “O Semeador”, que será exposto no ‘Salon’ de 1924.

n O Cap. de Infantaria Henrique de Sousa Guerra toma posse interina do Governo da Guiné. n Pela 2.ª vez o Cor. de Artilharia José de Oliveira Duque toma posse do Governo da Guiné.

1

Concerto no S. Carlos em Lisboa, em benefício da construção do monumento, a erigir a Sidónio Pais, nunca concretizado.

2

Em Lisboa é determinada a prevenção rigorosa nos quartéis. n Declaram-se em greve os telegrafistas do Porto. n O transporte “Pedro Nues” entra no Tejo trazendo 710 militares portugueses antes prisioneiros dos alemães.

3

Dec. n. º 5087 - aprova a organização das bases navais no território nacional. n Manifesto da Junta Militar do Norte, sediada no Porto, autoproclamando-se representante da herança Sidonista.

4

Dec. n.º 5114 - aprova os estatutos do Instituto Português de Roma.

5

Proibição de uma manifestação popular, de homenagem à República.

6

São dissolvidos os comandos das defesas marítimas. n Fundeia no Tejo um vapor, trans-


Janeiro portando marinheiros que haviam combatido no Norte de Moçambique.

7

Assume o XVII Governo Constitucional do Ten. Cor. João Tamagnini Babosa. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Gen. José da Silva Basto para Ministro da Guerra. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Eng. Eduardo Fernandes de Oliveira para Ministro da Agricultura. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Cap. Eurico Coelho e Sousa para Ministro do Trabalho. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Dr. José Mendes de Magalhães para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Cor. Alfredo Baptista Coelho para Ministro das Colónias. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Major José da Cruz Azevedo para Ministro dos Abastecimentos. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Dr. António Egas Moniz para M.N.E. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Dr. João de Azevedo Neves para M.N.E. interino. n Nomeação do Cap. Ventura Malheiro Reimão para Ministro das Finanças. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Dr. Francisco Joaquim Fernandes para Ministro a Justiça. Exonerado em 27.1.1919 n Nomeação do Ten. Cor. João Tamagnini Barbosa para Ministro do Interior. Exonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Dr. João de Azevedo Neves para Ministro do Comércio. E-

xonerado em 27.1.1919. n Nomeação do Alm. José de Sousa e faro para Ministro da Marinha. Exonerado em 27.1.1919. n Após as festas natalícias no Vimieiro, A.O.S. regressa a Coimbra.

8

Cessa a publicação “A Juventude” (Portalegre - académico - n.d.). n Publica-se “O Germinal” (Funchal democrático - n.d.).

9

Estreia da peça “Egas Moniz”, original de Jaime Cortesão, no Teatro de S. Luís em Lisboa. n Cessa a publicação a “Gazeta de Lima” (Viana do Castelo - integralista - n.d.). Confrontos, em Vila Real de Trás-os-

entre militares e civis. 10 -Montes n Fracassada nova tentativa revolucionária em Lisboa, Santarém e na Covilhã. n Abrantes - Nasce Henrique Martins de Carvalho, licenciado em Direito, Prof. universitário e diplomata. A Escola de Aviação de Vila Nova da da

é tomada por soldados 11 Rainha guarnição de Santarém.

n Dec. n.º 5102 - aprova o regulamento do Instituto Superior do Comércio de Lisboa. n O Eng. Henrique de Carvalho é provido definitivamente no lugar de Director-Geral de Correios e Telégrafos. 357


1919 n Os chefes revolucionários exigem do P.R. a demissão de Tamagnini Barbosa e um Governo de concentração republicana liderada por Nunes da Ponte.

grevista do pessoal dos Caminhos-de-Ferro do Sul e Sueste.

16 (Guimarães - sidonista - n.d.).

Cessa a publicação o “5 de Dezembro”

Movimento revolucionário em Santa-

chefiado pelo General Álvaro de 12 rém, Castro. A ele se juntam Cunha Leal e Jaime de Figueiredo. n Partem de Lisboa forças militares, para dominarem as tropas sublevadas em Santarém.

Sessão solene, no Teatro de S. Car-

em Lisboa, em memória do Doutor 17 los Sidónio Pais, nela participando o Presidente da República. n São declarados o estado de sítio e a suspensão das garantias individuais, no distrito de Santarém.

Publica-se em Lisboa o jornal “A

Nova”, inserindo o retrato 13 República do Doutor Sidónio Pais. n Arriba ao Tejo um navio hospital britânico, com feridos e ex-prisioneiros de guerra portugueses. n Tropas de Lisboa apossam-se do Cartaxo. n Os focos militares revolucionários em Lisboa são dominados, bem assim como os da Covilhã.

14

Rendição dos revolucionários de San-

18 tarém. n Abertura da Conferência da Paz em

Paris, com a participação de Portugal, cuja delegação é chefiada por Egas Moniz. n O jornal católico “A Liberdade” é assaltado, terminando a sua publicação. Paiva Couceiro encabeça o movimen-

Confrontos entre tropas governamentais e os revoltosos de Santarém. n Entra no Tejo uma esquadrilha inglesa de caça-minas. n Formação de um movimento pró-monárquico nas esferas militares. Dec. n.º 5100 aprovando o regulamen-

do Instituto Industrial de Lisboa. 15 ton Estreia, no Teatro da Trindade em Lisboa, a opereta “Música de Zingaros”. n Aprova-se no Barreiro o movimento

que proclama no Monte Pedral a 19 to“Monarquia do Norte”, também chama-da do “Quarteirão”, por ter durado apenas 25 dias, até 13 de Fevereiro. n Constituição da Junta Governativa do Reino: Regente Paiva Couceiro, com as pastas da Presidência, Fazenda e Subsistências; Sollari Allegro Ministro do Reino e o visconde do Banho, Ministro Eclesiástico, Justiça e Instrução; João de Almeida, Guerra, Marinha e Comunicações; M.N.E. Luís de Magalhães; Obras Públicas, Cor-


Janeiro reios e Telégrafos Artur da Silva Ramos e Agricultura, Comércio e Industria o conde de Azevedo. n Dec. n.º 5110 - declara o estado de sítio em todo o território do continente. n Meia hora antes da restauração da Monarquia no Porto, esta foi proclamada solenemente em Viseu, da janela da Câmara Municipal. n Ao fim da tarde começa a correr em Lisboa a notícia de que fora restaurada a Monarquia no Porto, tendo Braga e Viseu secundado o movimento. n Publica-se o n.º 1 do “Diário da Junta Governativa do Reino de Portugal” no Porto. n Dec. n.º 1 da Junta Governativa do Reino de Portugal que restabelece a bandeira da monárquica. n Dec. n.º 2 da Junta Governativa do Reino de Portugal decretando feriado nacional os dias 20 e 21 do mês em curso. n Decreto n.º 3 da Junta Governativa do Reino considerando revogada toda a legislação promulgada desde 5.10.1910. n No jornal “Pátria” do Porto são publicadas as primeiras disposições da Junta Governativa do Reino de Portugal, até à criação do respectivo Diário Oficial, do qual sairão 16 números. n Chega a Lisboa um paquete inglês, transportando mais 1529 ex-prisioneiros de guerra portugueses . Luís de Magalhães, encarregado dos

externos da Junta Governa20 assuntos tiva do Porto, desloca-se a Madrid, onde permanece até 10 de Fevereiro.

n Ruidosas manifestações em Lisboa protestando contra o movimento monárquico do Porto. n Dec. n.º 8 da Junta Governativa do Reino de Portugal abolindo o regime republicano e restabelecendo a Monárquia Representativa. n Em reunião havida na Universidade do Porto com Professores e alunos, decidiu-se organizar o Batalhão Académico Monárquico. n Portaria de criação do Caminho de Ferro de Mormugão, na Índia Portuguesa. n Viana do Castelo adere ao movimento monárquico. São libertos os presos envolvidos no

revolucionário de Santa21 movimento rém, provocando manifestações de apoio à República. n “O Comércio do Porto” noticia a proclamação da “Monarquia do Norte”, feita dois dias antes. n Mais manifestações em Lisboa a favor da República. n Proclama-se em Espinho a Monarquia. n Morre o Arq. Rosendo de Araújo Carvalheira. n Dec. n.º 14 da Junta Governativa do Reino de Portugal revogando a lei de 20/4/1911 que estabelece a separação das Igrejas do Estado. n Valença acata a nova ordem Monárquica. n Publica-se no Porto o 2.º número do Diário da Junta Governativa do Reino de Portugal, que restabelecia a Monarquia representativa, a dinastia de Bragança e 359


1919 a Carta Constitucional de 1836.

22

São abertas inscrições pelo Governo, para que se constituíssem em Lisboa batalhões de voluntários. n Tentativa de restauração monárquica no princípio da noite em Lisboa, comandada por Aires de Ornelas. O duque de Palmela refugia-se na Le-

americana em Lisboa. 23 gação n Em Lisboa o Governo convida todos

os militares do C.E.P., a organizarem uma coluna de defesa da República. n Tropas fiéis ao Governo tomam quartéis em Bragança. Na cidade de Viseu os monárquicos são vencidos. n O P.R. Canto e Castro refugia-se no Quartel do Carmo onde seguirá os acontecimentos revolucionários. n Dec. n.º 18 da Junta Governativa do Reino de Portugal restabelecendo o juramento com carácter religioso. n Dec. n.º 19 da Junta Governativa do Reino de Portugal mantendo provisoriamente os Celeiros Municipais. n Sai no Porto o 3.º número do Diário da Junta Governativa do Reino de Portugal. n A “Monarquia do Norte” nomeia o Cap. de Inf. Levy Augusto de Vasconcelos como Director-Geral interino dos Correios e Telégrafos. Concentração dos monárquicos no

de Monsanto, em Lisboa. 24 forte n Domina-se em Lisboa o movimento monárquico contra a República.

n Proclamação da Monarquia em Vila Real e Estarreja. n São postos em liberdade os presos políticos. n Dec. n.º 5134 - aprova o regulamento da Escola de Aplicação da Administração Militar. n Magalhães Lima é posto em liberdade. Tinha sido detido logo após o assassinato de Sidónio Pais, dado que a Maçonaria havia sido acusada de envolvimento no crime. n Recebe-se em Paris as “Instruções gerais para a Delegação Portuguesa à Conferência de Paz”, insolitamente não datadas. Publica-se o Regulamento Geral dos

de Saúde de Macau. 25 Serviços n O Governo pede demissão, aceite

pelo Chefe do Estado. n Thomas Birch, Ministro Plenipotenciário americano em Lisboa, propõe aos Aliados a criação dum protectorado sobre Portugal e, se necessário, a intervenção directa nos assuntos portugueses. Cessa a publicação “O Madeirense”

- católico - n.d.). 26 (Funchal n Cessa a publicação “O Nacional”

(Funchal - sidonista - n.d.). n Nomeação do General Alberto da Costa Ilharco para Comandante em chefe das tropas governamentais. n O Governo de Tamagnini Barbosa, que já no dia anterior pusera ante o P.R. a questão de confiança, decide demitir-se.


Janeiro n O jornal “O Mundo”, órgão do partido Democrático, longo tempo suspenso, volta a publicar-se. Assume o XVIII Governo Constituci-

do Dr. José Relvas. Exonerado 27 onal em 30.3.1919. n Nomeação do Cor. Manuel Pinto Osório para Ministro do Comércio. Exonerado em 25.2.1919. n Nomeação do Eng. Jorge de Vasconcelos Nunes para Ministro da Marinha interino. Exonerado 29.1.1919. n Nomeação do Dr. Francisco Couceiro da Costa para M.N.E. interino. n Nomeação do Dr. José Relvas para Ministro do Interior. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Dr. Francisco Couceiro da Costa para Ministro da Justiça e dos Cultos. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Ten. Cor. António de Freitas Soares para Ministro da Guerra. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Dr. João Henriques Pinheiro para Ministro dos Abastecimentos. Exonerado em 21.3.1919. n Nomeação do Cap. Frag. José Carlos da Maia para Ministro das Colónias. Exonerado em 21.3.1919. n Nomeação do Eng. Jorge de Vasconcelos Nunes para Ministro da Agricultura. Exonerado em 30.3.1919 n Nomeação de Augusto Dias da Silva para Ministro do Trabalho. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Cap. Frag. Tito de Morais para Ministro da Marinha. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Dr. António Egas

Moniz para M.N.E.. Exonerado em 30.3.1919. n Nomeação do Dr. António Paiva Gomes para Ministro das Finanças. Exonerado em 3.3.1919. n O matutino “O Comércio do Porto” publica um suplemento dedicado à proclamação da Monarquia naquela cidade. n Combate das Barreiras em Águeda, entre os realistas da “Monarquia do Norte” e as forças Republicanas. n No Governo de Canto e Castro - Tamagnini Barbosa produzem-se 44 diplomas legislativos em 44 dias. n Portugal é eleito em Paris para a comissão da S. d. N. Francisco Homem Cristo Filho aban-

o cargo de “Director de Serviço 28 dona de Informação nos Países Amigos e

Aliados” em Paris, para o qual Sidónio Pais o nomeara. n De Lisboa larga uma divisão naval para operar contra os revolucionários monárquicos do Norte. Combate de Angeja, entre tropas

e republicanas. 29 monárquicas n Dec. n.º 39 da Junta Governativa

do Reino de Portugal abolindo o sistema monetário criado por decreto de 22/5/1911. Sofrem revezes de monta os revolu-

monárquicos junto de Aveiro. 30 cionários n Termina a greve dos ferroviários do Sul e Sueste. 361


1919 n Dec. n.º 38 da Junta Governativa do Reino de Portugal permitindo a entrada no País, quando requerida, de todos os portugueses dele expulsos por motivos políticos ou religiosos. Tropas republicanas ultrapassam An-

e Albergaria-a-Velha. 31 geja n O Q.G. das forças do Governo deslocam-se para o Entroncamento.

Janeiro


Fevereiro 1

Saem de Chaves forças militares, para deterem o avanço da incursão monárquica. n Na Igreja da Lapa no Porto realizamse as exéquias solenes por alma de D. Carlos I e do Príncipe D. Luís Filipe.

2

Tropas monárquicas, comandadas por Teófilo Duarte, entram na Guarda. n As forças monárquicas atacam Mirandela, sendo repelidas. n Grande manifestação em Lisboa de apoio ao Governo e de repúdio à insurreição monárquica do Norte.

3

Dec. n-º 42 da Junta Governativa do Reino de Portugal determinando a entrada em vigor do Código Administrativo aprovado por Carta de lei de 4/5/1898. n Braga - Morre João Penha, bacharel em Direito, poeta, Advogado e antigo companheiro e amigo de Eça de Queiroz na U.C..

4

Apresentação do novo Governo ao Parlamento. n Primeira récita, no Eden-Teatro em Lisboa, da opereta inglesa “O Relógio do Cardeal”. n Partem para o Norte os Batalhões Académicos.

5

Sem qualquer relevo especial “O Comércio do Porto” insere diariamente uma local sobre a proclamação da Monarquia e suas medidas.

n Termina a greve corticeira. n Fundeia no Tejo um barco provindo de França, com mais ex-prisioneiros de guerra portugueses. n Dec. n.º 5142 aprova o regulamento do Instituto Profissional dos Pupilos do Exército.

6

Lisboa - Nasce Fernando Gusmão, actor. n Lei n.º 834 - autoriza o Governo a tomar todas as medidas, de carácter militar e financeiro, conducentes a debelar a insurreição monárquica.

7

Dec. n.º 5141 - criação do Grupo de Esquadrilhas da Aviação “República”. n No Terreiro do Paço é assassinado o ex-Capitão Jorge Veloso Camacho, companheiro de Paiva Couceiro, que vinha de Beja sob prisão.

8

É preso o Tenente monárquicoTeófilo Duarte e conduzido a bordo do cruzador “Vasco da Gama”. n Lisboa - Morre Júlio de Castilho, escritor, olisipógrafo e erudito. n Tropas republicanas atacam Lamego. As forças rebeldes são postas em debandada, segundo o matutino de Lisboa “O Século”.

9

Cessa a publicação “O Leste” (Elvas conservador - n.d.). n Carcavelos - Morre Francisco Adolfo Coelho, filólogo, dramaturgo, etnólogo e pedagogo. 363


1919 a publicação “A Pátria” (Porto 10 Cessa católico). n Forças republicanas apoderam-se de Lamego. n Morre o escritor teatral Artur Rocha. n O Q.G. republicano transfere-se para a Pampilhosa. As vilas de Estarreja e do Pinheiro da

são tomadas pelas tropas 11 Bemposta governamentais. n Nomeação de Teixeira Gomes como Ministro Plenipotenciário de Portugal em Madrid, pelo novo Governo de José Relvas. n Em Mirandela trava-se violento combate entre forças monárquicas e republicanas, sendo morto o Tenente monárquico Costa Alemão. Fundeiam no Tejo duas canhoneiras

12 francesas. n Ocupação de Oliveira de Azeméis e Ovar pelas forças republicanas. n Primeira récita, no Teatro Politeama em Lisboa, de “A Noiva do Animatópgrafo”, de M. Nancy. n Dec. n.º 66 da Junta Governativa do Reino de Portugal e derradeiro da série iniciada em 19 de Janeiro passado.

- n.d.). n Morre o actor José Rodrigues Chaves. n Instala-se na Curia o Q.G. republicano até ao próximo dia 22. Sem nenhum destaque “O Comércio

Porto” informa “N’um movimento 14 dorápido, de extraodinária e grande prest-

eza, foi ontem restaurada a República no Porto”. n Publica-se “A Voz Pública” (Porto sidonista). n Exéquias solenes, na igreja de S. Domingos em Lisboa, por alma do Presidente da República do Brasil, Dr. Rodrigues Alves. n Dec. n.º 5162 - aprova o regulamento do Instituto Comercial de Lisboa. n O P.R. Canto e Castro assina a nomeação de Manuel Teixeira Gomes para E.E.M.P. em Madrid. todos os jornais monárquicos de 15 sos Lisboa.

Por ordem governamental são suspenn O Grémio Brigantino é assaltado e saqueado por elementos ditos ‘Couceiristas’. “O Comércio do Porto” dedica toda o

13

No Porto e arredores cessa a luta monárquica contra a República. Era o fim da “Traulitânia”. n Termina a publicação “Echos do Minho” (Braga - clerical e monárquico). n Termo da publicação do jornal “A Acção Social” (Barcelos - monárquico

espaço noticioso à restauração da 16 seu República no Porto. n Comícios republicanos nos teatros da capital, Eden, Avenida e Apolo. n O jornal “O Século” estampa em capa a fotografia dos revoltosos monárquicos: Paiva Couceiro, Luís de


Fevereiro Magalhães, visconde do Banho, Cor. Silva Ramos, conde de Mangualde (filho) e padre Domingos. n Segundo “O Século” Paiva Couceiro encontra-se em fuga, bem assim como o Capitão Sollari Allegro.

17

Termina a resistência monárquica em Vila Real. n Récita de gala no Teatro de S. Carlos em Lisboa, com a presença do Chefe do Estado. n Lei n.º 835 - restabelece a liberdade de trânsito e de comércio.

18 pam Macedo de Cavaleiros.

As forças republicanas entram e ocu-

19 regresso à plena vigência da Constitu-

Dissolução do Parlamento sidonista e ição de 1911. n Rendição de outros núcleos monárquicos do Norte. As forças do Major Joaquim Rangel optam por exilar-se em Espanha, para onde se dirigem. Regressa a Lisboa o batalhão da Ma-

que havia operado no Norte do 20 rinha, País.

n Cessa a publicação “O Notícias de Viana” (Viana do Castelo - católico e monárquico - n.d.). n Segundo “O Século” Portugal irá administrar uma ex-colónia alemã de África. n O 2.º período de operações contra a Monarquia do Norte termina. Até 12

de Abril faz-se a pacificação das zonas pró-monárquicas. Comício no Coliseu de Lisboa, em prol

um novo Governo de José Relvas. 21 den Naufraga, junto a Vieira de Leiria, o

veleiro francês “Normandie”. n Sangrentos tumultos em Lisboa, envolvendo populares, polícias e marinheiros. Saldo: 7 mortos e 40 feridos. n Dec. n.º 5165 - dissolve o Congresso da República e restabelece em pleno vigor e para todos os efeitos a Constituição Política. Convoca ainda eleições para 13 de Abril seguinte. n Após intensas e complexas diligências a Delegação de Portugal à Conferência de Paris logra obter a admissão de Portugal à Comissão das Reparações. Pede demissão a Comissão Adminis-

da Câmara Municipal de Lisboa. 22 trativa n 3 mortes e 55 feridos em Lisboa, devido a confrontos entre militares, nomeadamente no castelo de S. Jorge. n São abatidos ao efectivo do Exército numerosos oficiais, participantes no movimento da “Monarquia do Norte”. Igualmente demitido o Governador Civil de Lisboa. n Dec. n.º 5171 - dissolve as corporações das Polícias de Segurança preventiva, que se haviam manifestado hostis ao Gabinete de José Relvas.

365


1919

Fevereiro

“A Batalha” (Lisboa - anarPublica-se “O Defensor da República” 23 Publica-se quista e sindicalista). Tem como redac- 27 (Setúbal - democrático - n.d.). tor principal Alexandre Vieira. n Fundeia no Tejo o cruzador americano “US Ball”. n Assume o Governo Civil de Lisboa o 2.º Tenente da Armada, Prestes Salgueiro. n O governo transitório de Domingos Pereira decreta a extinção da polícia criada sob o regime de Sidónio Pais. n Manuel Teixeira Gomes apresenta credenciais como E.E.M.P. em Madrid. n O Q.G. republicano sedia-se na Granja até 4 de Abril. Procede-se á compra de um terreno

de Lisboa em Coimbra, 24 naparaCouraça nele ser edificada a sede do Centro Académico da Democracia Cristã, CADC. n O Governo português autoriza o regresso a Portugal de Bernardino Machado. n O Major Álvaro de Castro é reintegrado nas fileiras.

25

n Nomeação do Eng. Jorge de Vasconcelos Nunes para Ministro dos Abastecimentos interino. Exonerado em 30.3.1919. n Telegrama do M.N.E. para o Chefe da Delegação Portuguesa à Conferência de Paz em Paris, Egas Moniz, dando conta da intenção de nomear o Dr. Afonso Costa e o Cor. Norton de Matos como Delegados. Por decisão do Conselho de Ministros,

de Matos é agraciado com a 28 Norton Grã-Cruz da Torre e Espada e reintegrado no Exército, com o posto de coronel do Estado-Maior. n Chegam ao Tejo, provenientes de França, ex-prisioneiros portugueses, oficiais e 1269 praças. n Dec. n.º 5188 - institui Tribunais Militares, para julgamento dos elementos das forças armadas e civis, implicadas no último movimento monárquico. Na 2.ª metade do mês o noticiário so-

Nomeação do Dr. Júlio do Patrocínio Martins para Ministro do Comércio. Exonerado em 30.3.1919.

26 tropas da guarnição de Lisboa.

Dec. n.º 5186 - dissolve o corpo de n Estreia da revista “Auto da Barriga”, no Teatro Politeama em Lisboa.

a restauração da República inserto 30 bre em “O Comércio do Porto”, ocupa bastante mais espaço do que aquele antes dedicado à restauração da Monarquia.


Março 1

Estreia, no Teatro de S. Luís em Lisboa, a revista “O Nosso Fado”. n É reintegrado no efectivo da Armada o Capitão-de-mar-e-guerra Jaime Leote do Rego. n Fundeia no Tejo uma esquadra brasileira constituida por cinco navios, que haviam tomado parte no conflito europeu. n Dec. n.º 5184 - introduz alterações à lei eleitoral. n O conde de Penha Garcia, 2.º Delegado à Conferência de Paz em Paris, depôs por telegrama, os seus plenos poderes, demitindo-se da função.

3

É reintegrado no cargo de Director-Geral dos Correios e Telégrafos o Eng. António Maria da Silva. Dias depois é exonerado do cargo o Eng. Henrique de Carvalho. n Comício operário em Évora contra a carestia da vida e falta de trabalho. n Afonso Costa dirige uma carta ao Directório do P.R.P. manifestando mágoa pela política interna do País e assumindo a renúncia à actividade política. n Nomeação do Dr. Júlio do Patrocínio Martins para Ministro do Comércio. Exonerado em 29.6.1919. n Decreto n.º 5188 permitindo a criação e regulamento do funcionamento dos Tribunais Militares para julgarem os insurrectos monárquicos.

4

No Teatro Avenida em Lisboa realiza-se uma festa de homenagem a Eduardo Brazão, grande figura da cena portuguesa. 367


1919 5

Decreto n.º 5203 que permitirá a expulsão do Exército de mais de 500 oficiais, implicados no movimento revolucionário monárquico.

6

Decreto autorizando a abertura de um crédito de 100 contos para a construção de bairros operários na margem Sul do Tejo. n Dec. n.º 5210 - abre um crédito de reforço à dotação das despesas imprevistas de ordem pública. n Parte do Tejo a esquadra brasileira.

n.º 5240 - organiza, junto à Esco10 Dec. la de Belas-Artes de Lisboa, um Museu Escolar de Escultura Comparada.

Assume nova Comissão Administrativa

7

Decreto determinando a separação dos funcionários desafectos à República.

8

Entram em circulação as novas cédulas de 10 centavos. n Grande parada militar no Porto.

9

Sessão de homenagem no Coliseu de Lisboa ao Capitão-de-Mar-e-Guerra Leote do Rego, por ocasião da entrega das insígnias da Torre e Espada. n Publica-se “A Velha Guarda” (Guimarães - republicano - n.d.). n É levantado o estado de sítio, estabelecido em consequência da revolta monárquica de Monsanto em Lisboa e da chamada ‘Traulitania’, no Porto. n Segundo “O Século” o total das despesas liquidadas de Portugal na guerra ascendeu a 280.0199.011$19.

11 da Câmara Municipal de Lisboa.

Termina com êxito a greve dos operári-

oleiros da fábrica de Sacavém. 12 osn Egas Moniz profere em Paris uma

conferência, no Círculo de Imprensa Inter-Aliada. n Afonso Costa é designado chefe da delegação portuguesa à Conferência de Paz em Paris, substituindo Egas Moniz. n O M.N.E. comunica a nomeação dos delegados à Conferência da Paz: Afonso Costa, Freire de Andrade e Teixeira Gomes. Forte tremor de terra no Porto, Braga e

do Castelo. 13 Viana n Dec. n.º 5267

- reorganiza os serviços do Ministério da Instrução Pública. n A delegação portuguesa, a que Egas Moniz preside na Conferência da Paz em Paris, conclui os seus trabalhos. n Por via telegráfica grande parte da Delegação portuguesa à Conferência da Paz em Paris é demitida, incluindo o respectivo chefe Egas Moniz.

14 is, dá-se início ao curso de Língua e

Na Faculdade da Sorbone em ParCultura portuguesas, com uma pal-


Março estra pelo prof. Egas Moniz. n Ofício do Governador Civil de Coimbra requerendo do Reitor da Universidade, Mendes dos Remédios, a abertura de um inquérito aos docentes suspeitos de desafectos à República. Incluiria A.O.S. n São suspensos vários Professores de Direito da U.C. por alegada hostilidade à República, entre os quais A.O.S.

“A Voz Socialista” (Coimbra 18 Publica-se - socialista - n.d.).

n Fundeiam no Tejo 12 caça-minas britânicos. n Dec. n.º 5278 - aprova o regulamento do Instituto do Professorado Primário. n Nomeação de novo Reitor interino da U.C., o bacharel Joaquim Coelho de Carvalho, que assume dois dias depois. Dec. n.º 5268 - autoriza os Ministros

15

O Chefe da Delegação Portuguesa à Conferência de Paz em Paris, Egas Moniz, comunica ao M.N.E. ter-se separado definitivamente dos trabalhos de que estava investido. n Publica-se os “Echos de Barcelos” (democrático - n.d.). n Entra no Tejo uma esquadra americana. n Após o assalto de que fora vítima o Grémio Lusitano entra de novo na posse do edifício na Rua da Atalaia em Lisboa. Afonso Costa assume a chefia da De-

Portuguesa às conversações 17 lagação de Paz em Paris, constituída por Auguto Soares, Norton de Matos, João Chagas e Teixeira Gomes. n Lourenço Marques, Moçambique Nasce Maria da Graça, actriz. n Tumultos na Praça da Figueira em Lisboa, de protesto pela carestia de vida.

à ordem de classificação 19 adosdesatender candidatos a cargos públicos,

toda a vez que o candidato se manifestar adverso às instituições vigentes. n Telegrama do Chefe do Governo José Relvas para Egas Moniz, já demitido de Chefe da Delegação Portuguesa à Conferência de Paris, solicitando que este continuasse a sobraçar a pasta do M.N.E.. O convidado declina. - n.d.). 20 evolucionista n Em Lisboa o Presidente da RepúbliPublica-se “A Evolução” (Vila Real -

ca coloca a 1.ª pedra da construção do Asilo dos Cegos de Santa Maria. n O Semanário de Lisboa “O Combate”, órgão do Partido Socialista Português, passa a diário. n Xavier da Silva, médico, assume o M.N.E.. Estreia, no Teatro Ginásio em Lisboa, a

americana “Príncipe da Con21 comédia chichina”. n Nomeação do Dr. Domingos Leite

369


1919 Pereira para Ministro da Instrução Pública. n Lisboa - Nasce Ruy Furtado, actor.

a publicação “A Voz da Moci27 Cessa dade” (Lamego - católico - n.d.).

n Dec. n.º 5355 - aprova o regulamento da Faculdade de Medicina de Lisboa. n Aveiro - Nasce Vasco Leónidas, agrónomo e político sob o Estado Novo. n Greve dos tipógrafos em Lisboa. n O Gabinete de José Relvas solicita a demissão

Cessa a publicação o “Correio da Bei-

(Viseu - católico - n.d.). 22 ra” n Surge a 1.ª censura militar cinematográfica documentada. No Coliseu dos Recreios em Lisboa

elementos operários, para 23 reúnem-se protestar contra a unificação dos regulamentos dos Arsenais da Marinha e do Exército.

24

Dec. n.º 5336 - aprova a organização das Escolas Móveis. n Publica-se o Decreto autorizando o regresso do exílio do Dr. Bernardino Machado, Leote do Rego e Agatão Lança. O “Diário de Notícias” enceta a publi-

semanal da “Folha Anunciadora”. 25 cação n Publica-se em Lisboa o diário “A Época”.

26

Nomeação do Juiz Vieira Lisboa, do S.T.J., para proceder á sindicância aos actos dos Professores da U.C. eventualmente considerados hostis ao regime. n 2.a Delegação Portuguesa à Conferência de Paz em Paris cujos trabalhos se prolongam até 20 de Novembro próximo.

28

Afonso Costa tem uma entrevista com Lord Balfour, M.N.E. britânico. No Coliseu de Lisboa realiza-se um

espectáculo, promovido pela 29 grandioso Federação dos Operários da Cons-

trução Civil, a favor da instalação das suas escolas de instrução primária e aulas de desenho. n Afonso Costa formaliza a candidatura de Portugal ao Conselho Executivo da S.d.N. Assume o XIX Governo Constitu-

do Dr. Domingos Leite Pereira. 30 cioal Exonerado em 29.6.1919.

n Nomeação do Dr. Luís de Brito Guimarães para Ministro dos Abastecimentos. Exonerado em 29.6.1919. n Nomeação de Augusto Dias da Silva para Ministro do Trabalho. Exonerado em 6.5.1919. n Nomeação do Dr. Leonardo Coimbra para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 29.6.1919. n Nomeação de João Lopes Soares


Março para Ministro das Colónas. Exonerado em 29.6.1919. n Nomeação do Dr. Júlio do Patrocínio Martins para Ministro da Marinha interino. Exonerado em 3.4.1919. n Nomeação do Eng. Jorge de Vasconcelos Nunes para Ministro da Guerra interino. Exonerado em 1.4.1919. n Nomeação do Dr. Amílcar Ramada Curto para Ministro das Finanças. Exonerado em 29.6.1919. n Nomeação do Dr. António Granjo para Ministro da Justiça. Exonerado em 29.6.1919. n Nomeação do Dr. Domingos Leite Pereira para Ministro do Interior. Exonerado em 26.6.1919. n Nomeação do Dr. Xavier da Silva Junior para M.N.E.. Exonerado em 29.6.1919. n São 308 diplomas legislativos os produzidos nos 62 dias de duração do Governo de José Relvas.

371


1919 Inicia-se a construção na Cova da Iria de uma pequena capela no sítio das Aparições. Nomeação do Coronel António Maria Baptista para Ministro da Guerra. Exonerado em 29.6.1919.

6

O jornal “O Imparcial”, órgão oficial do CADC de Coimbra, termina a sua publicação no n.º 344. A.O.S. têve ali ampla colaboração. n O pessoal da Companhia União Fabril do Barreiro inaugura a sua Associação de classe.

2

Publica-se “A Folha da Tarde” (Angra do Heroísmo - informativo - n.d.).

7

3

Em consequência do constante encarecimento dos géneros o povo assalta vários estabelecimentos em Coimbra. n Nomeação do Dr. Victor Macedo Pinto para Ministro da Marinha. Exonerado em 29.6.1919.

Port. n.º 1734 - regula a constituição e organização da comissão central da execução da lei de separação. n Dec. n.º 5367 - extingue a Polícia Preventiva e cria o corpo de Polícia da Segurança do Estado. n Na sequência da sindicância movida pelo Governo a alguns Professores de Coimbra, acusados de tendências monárquicas, A.O.S. entrega ao Juiz sindicante a sua defesa escrita intitulada “A Minha Resposta”.

4

Fátima - Morre Francisco Marto, um dos videntes a quem a Virgem Maria terá aparecido. n Em Angra do Heroísmo, Açores, publica-se o jornal “A Folha da Tarde”, republicano.

9

Loulé - Nasce Manuel Cristóvão Laginha, Arquitecto. n Dec. n.º 5368 confiando ao poder executivo a acção disciplinar sobre os magistrados e funcionários civis e militares.

5

“O Comércio do Porto” noticia a manifestação promovida pela Academia (estudantil) da cidade, de regozijo pelo facto da Conferência da Paz em Paris ter incluído nos seus trabalhos a restituição do território de Olivença a Portugal. n Publica-se o “Notícias de Viseu” (evolucionista - n.d.). n Jaime Cortesão é nomeado Director da Biblioteca Nacional de Lisboa.

1

Greve dos estofadores e decoradores

Lisboa. 11 den Assume interinamente o Governo-Geral de Moçambique o juiz de Direito Manuel Moreira da Fonseca. Os operários da Companhia União Fa-

do Barreiro entram em greve. 12 bril n Publica-se o “Comércio de Chaves”


Abril (independente - n.d.). n Greve dos operários corticeiros no Barreiro. n No navio “Loureço Marques” chega ao Tejo um contingente da Marinha que havia estado na África Oriental em missão de soberania. Publica-se “A Victória” (Lisboa - de-

13 mocrático). n Publica-se

o “Notícias da Beira” (Castelo Branco - democrático - n.d.). n Cessa a publicação “A Nabancia” (Tomar - independente - n.d.). n Comício do PS no Teatro Apolo em Lisboa.

14

Retomam a actividade os trabalhadores da Companhia União Fabril, CUF, do Barreiro. n Apresenta credenciais o primeiro Ministro Plenipotenciário do Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos.

15

Coimbra - Nasce Alberto José Pessoa, Arquitecto. n Condeixa - Nasce Fernando Namora, escritor e médico. n Em Viana do Castelo a falta de pão origina uma greve geral. n Chegam de França 7 oficiais e 1.300 praças do C.E.P..

Moniz. n Chega a Lisboa o Núncio Papal, Monsenhor Achilles Locatelli, sendo conselheiro Monsenhor Benedito Aloisi Masella. A nova lei do inquilinato proíbe a ele-

de rendas e a liberdade de sub17 vação locação aos inquilinos. Comício socialista no Teatro Apolo de

18 Lisboa.

19 concede o dia de 8 horas ao respec-

A Companhia de Gás e Electricidade tivo pessoal. n Relatório do Juiz sindicante ilibando A.O.S. e os restantes docentes da F.D.U.C. de todas as acusações que lhes haviam imposto a suspensão das respectivas actividades académicas.

20 de Lisboa, passa a diário dirigido por

O semanário socialista “O Combate”,

16

Alfredo Franco. n Nomeação do Cor. António Maria Bptista para Ministro do Interior. Exonerado em 28.4.1919.

23 seu - católico - n.d.).

Publica-se o jornal “Defesa Social” (Vi

Nova tentativa malograda de unificar a oposição ao partido Democrático e tentando criar um Partido Republicano Reformista, patrocinado por Egas

a greve dos estofadores e 24 Termina decoradores de Lisboa.

n Transferência de Teixeira Gomes da 373


1919 Legação em Madrid para a de Londres. n O Eng. Militar Cunha Leal é nomeado Director Geral da Estatística. n Ponta Delgada – Nasce o actor Luís Horta.

25

Início da greve geral corticeira, por aumento de salário. n Portaria do Governo revogando o despacho que suspendia A.O.S. e demais professores da F.D.U.C.. n Lançamento da 1.ª pedra para a construção do bairro social e económico do Arco do Cego. Só será concluído sob o Estado Novo.

26 correspondência postal e telegráfica,

Dec. n.º 5455 - cessa a censura na nacional e internacional. n O Gen. Alves Roçadas, antigo Comandante da 2.ª Divisão, assume a chefia do C.E.P.. n O Núncio Apostólico Aquiles Locatelli entrega credenciais. Publica-se “A União” (Viana do Castelo

e monárquico - n.d.). 27 -ncatólico Sessão inaugural em Lisboa da Universidade Popular Portuguesa com uma palestra pelo Prof. Leonardo Coimbra.

28 n Afonso Costa discursa na ConferênGreve dos metalúrgicos.

cia de Paz em Paris contra a projectada eleição dos países neutros para membros do Conselho executivo da S.d.N..

Abril Era o caso da Espanha, entre outros. A.O.S. retoma a docência após o

de suspensão que lhe fora im29 período posto pelo Governo da República, em razão de alegado monarquismo. n Irrompe uma greve do pessoal do Município de Lisboa. Lisboa - Morre Miguel Ventura Terra,

e autor de obras emblemáti30 Arquitecto cas na capital, como a recriação

do Parlamento a partir do primitivo Mosteiro de S. Bento.


Maio 1

Grande comício anarco-sindicalista no Parque Eduardo VII. Convocado pela União dos Sindicatos Operários de Lisboa, agrega 30 mil manifestantes. Saúda-se a revolução soviética e exige-se a “gradual e progressiva socialização da terra e da indústria”. n Publica-se “A Acção” (Viseu democrático - n.d.) n O jornal “A Batalha”, de Lisboa aparece graficamente remodelado e impresso em máquina rotativa. n Tumultos em Lisboa, contra o embarque para a Madeira de presos políticos. n Publica-se o “Notícias da Covilhã” (católico - n.d.). n O periódico “Eco Musical” afirma que Richard Wagner “é incontestavelmente o compositor favorito do público de Lisboa.

2

Devido a um incêndio são consumidos pelo fogo a Alfândega e o Tribunal do Comércio de Lisboa. Faltou água aos bombeiros. n Greve dos funcionários da Companhia das Águas de Lisboa. n O pessoal da Companhia Carris de Lisboa inicia uma greve. n Por decreto do Ministro da Instrução Pública Leonardo Coimbra, reformam-se os estudos universitários de Filosofia da U.C., suscitando pronta reacção do respectivo corpo docente.

3

Cessa a publicação “O Defensor da República” (Setúbal - democrático n.d.). 375


1919 n O Ministro da Guerra manda prender os grevistas da Companhia das Águas. n O Depósito de Encomendas Postais no terreiro do Paço arde, sob suspeitas de fogo posto. n Os presos deitam fogo à prisão do Limoeiro, evadindo-se alguns. Um bombeiro morre e registam-se vários feridos. Não há vítimas entre os reclusos.

4

Os trabalhadores da Companhia de Gás de Lisboa decretam a greve. n Greve dos operários metalúrgicos de Lisboa.

5

Bernardino Machado é convidado, pela Faculdade de Ciências de Coimbra, a reassumir a cátedra. n Iniciam-se em Lisboa as greves dos alfaiates, do pessoal da Companhia Nacional de Moagem e dos cesteiros. n Crise e remodelação governamental. n Seia - Nas Igreja de N.ª S.ª da Assunção baptiza-se Álvaro (Barreirinhas) Cunhal, futuro Secretário-Geral do P.C.P.

6

Afonso Costa discursa novamente em Paris, na Conferência da Paz, contra o texto do Tratado de Paz proposto, por manifestamente injusto para com Portugal. n É exonerado o director da Polícia de Segurança do Estado, por não concordar com as perseguições aos operários. n Nomeação do Eng. Jorge de Vasconcelos Nunes para Ministro do Trabalho interino. Exonerado em 29.6.1919.

8

O pessoal da Carris de Lisboa retoma o trabalho por intervenção do P.R.. n Dec. n.º 5524 - reorganiza os serviços do Ministério da Fazenda.

9

Dec. n.º 5541 - aprova a organização do Ministério do Comércio e Comunicações. Dec. n..º 5516 estabelecendo o horário

de trabalho diário e das 48 10 dehoras8 horas semanais para a função pública, comércio e indústria. n Criação das Bolsas Sociais de Trabalho. n Dec. n.º 5787-4G - cria um Consula-do-Geral em Cristiana, à época capital da Noruega. n Dec. n.º 5727 - reorganiza os Serviços de Saúde das Colónias. n Dec. n.º 5741 - cria as legações diplomáticas em Tóquio e na Península Balcânica. n Dec. n.º 5770 - desanexa da Universidade de Coimbra a Faculdade de Letras, que é colocada na Universidade do Porto e cria uma Faculdade Técnica e uma Escola de Belas-Artes em Coimbra. n Dec. n.º 5778 - cria, nos domínios coloniais portugueses, doze Missões Civilizadoras. n Dec. n.º 5786 - aprova a organização dos Serviços Postais, Telegráficos e Telefónicos. n Dec. n.º 5787 A - reorganiza o Ensino Primário. n Dec. n.º 5787 F - Funda um Instituto de Hidrologia em Lisboa e regula a exploração das águas minero-medicinais.


Maio n Dec. n.º 5677 - regula a constituição do Conselho Superior de Instrução Pública. n Dec. n.º 5787-4S - reorganiza a Guarda Nacional Republicana. n Dec. n.º 5787-4U - aprova a organização da Escola Militar. n Dec. n.º 5787 B - aprova o regulamento das Escolas Normais Superiores. n Dec. n.º 5718 - organiza os Serviços Agrícolas na Província de S. Tomé e Príncipe. n Dec. n.º 5650 - considera acto punível toda a violência exercida sobre animais. n Dec. n.º 5649 - estabelece que as mulheres possam ser nomeadas oficiais do Registo Civil e conservadoras do Registo Predial. n Dec. n.º 5627 - aprova a organização do ensino médio agrícola. n Dec. n.º 5624 - promulga disposições acerca da política emigratória nacional. n Dec. n.º 5618 - reorganiza os serviços da Biblioteca Nacional de Lisboa. n Dec. n.º 5609 - regula os serviços prisionais. n Dec. n.º 5572 - aprova a organização do Ministério das Colónias. n Dec. n.º 5725 - cria em Lisboa um Laboratório Colonial. n D. n.º 5576 que permite a deportação para o Ultramar dos presos por crimes sociais. n Dec. n.º 578-51 recriando o cargo de S.G.M.N.E., para o qual é nomeado José Bernardino Gonçalves Teixeira, já antes desempenhando funções equivalentes. n D. n.º 5637 determina a obrigatorie-

dade de seguro contra acidentes de trabalho. n Decreto de reorganização do Jardim Colonial de Lisboa. n Suprime-se a Legação de Portugal no Panamá. n O exemplar do “Diário do Governo” desta data, anexa 30 suplementos. n São criados 17.000 novos empregos públicos. n A Guarda Nacional Republicana passa a contar com artilharia. n Filomeno da Câmara, Governador-Geral de Angola, faz entrega do poder ao sucessor interino António Mimoso Guerra, (pela 2.ª vez).

11

Eleições Legislativas. Participação mínima: 83% de abstenções. Os democráticos elegem 96 deputados; os evolucionistas 38, os unionistas 17 os socialistas 8 e os católicos 1. Os analfabetos são impedidos de votar. n Publica-se “O Dever” (Covilhã - socialista - n.d.). n Os operários picheleiros do Porto obtêm a jornada de 8 horas. n O Centro Católico Português, C.C.P., propõe A.O.S. como candidato a deputado no Parlamento pelo círculo de Viana do Castelo. n O etnólogo Santos Graça é eleito deputado pelo círculo de Santo Tirso.

12

Retomam o trabalho, sob condições, os operários municipais de Lisboa.

377


1919 S. Bento XV, pela Bula “Sedis hujus Conferência dos Prelados Portugueses 14 S.apostolicae”, aprova a reforma do rito 20 do Continente. bracarense. n O Conselho da F.L.U.C. aprova uma moção de protesto ao decreto do passado dia 2. n Novo apelo do Directório do P.R.P. para que Afonso Costa não renunciasse à actividade política. n Albino de Souza Cruz assume a Direcção do Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro.

o pedido de concessão do direito 22 múla exclusivo do fabrico de cimento ‘Port-

A Empresa Sommer e Companhia forland’, até então inexistente em Portugal. n Decreto extinguindo a Faculdade de Filosofia da U.C.. n Constituição Maçónica.

23 de Letras de Coimbra, entra em greve Em resposta à extinção da Faculdade

15

Publica-se em Lisboa o n.º 1 da revista quinzenal “O FILM”. n Publica-se “A Cidade” (Braga - liberal - n.d.). n Greve dos operários do Município de Lisboa. Início dos trabalhos do Congresso do

Primário Oficial em Lisboa. 16 Professorado n Extinção do Museu Luís de Camões

em Macau, criando-se um Museu Marítimo.

Os trabalhadores rurais do País, reuni-

em Évora, protestam contra a ex18 dos clusão da sua classe, no decreto sobre o dia normal de 8 horas de trabalho. Decreto nomeando o Vice-Reitor interi-

Coelho de Carvalho titular 19 noda Joaquim Reitoria, por demissão de Mendes dos Remédios, por desacordo com a reforma dos estudos de Filosofia.

o professorado universitário. n Cessa a publicação “O Cinco de Outubro” (Guarda - Maçonaria - n.d.). n Nomeação o Dr. José Matos Cid para Ministro da Justiça. Exonerado em 30.8.1921. n Exoneração de José de Freitas Ribeiro como Governador-Geral da Índia, por este ter restringido o número de representantes populares no Conselho de Governo. n Nomeação como Governador-Geral interino de Macau do Cap. Ten. Augusto Bobela da Mota, que se encontrava no território ao comando da canhoneira “Sado”, em missão de soberania. Manuel Teixeira Gomes apresenta cre-

de E.E.M.P. em Londres pela 24 denciais 2.ª vez. n Estatuto orgânico da Missão do Padroado Português no Extremo Oriente. n Presidido pelo Ministro do Trabalho instala-se em Lisboa o Instituto de Seguros Sociais Obrigatórios.


Maio - Nasce Fernando Curado n.º 5847 A - aprova a organização 25 Lisboa 31 Dec. Ribeiro, actor, locutor e cançonetista. dos serviços de Obras Públicas. n Cessa a publicação “A Voz Socialista” (Coimbra - socialista - n.d.). n No Barreiro volta a declarar-se em greve o pessoal da Companhia União Fabril.

n Cessa a publicação “O Germinal” (Funchal - democrático - n.d).

Iniciam-se no Tribunal Miitar de Santa

em Lisboa os julgamentos dos 26 Clara revoltosos monárquicos. Francisco Couceiro da Costa apresen-

27 ta credenciais de E.E.M.P. em Madrid.

Fundeia no Tejo o aparelho norte-

“N.C. 4” após ter efectua28 -americano do a travessia aérea do Atlântico. Canto e Castro convoca para a Cida-

de Cascais o Chefe do Governo 29 dela Dr. Domingos Pereira, e apresenta-lhe a renúncia do cargo de P.R.. n Cessa a publicação “A Pátria” (Ponta Delgada - Partido Democrático - n.d.). n Publica-se “A Pátria” (Angra do Heroísmo - evolucionista - n.d.). n A Guarda Nacional Republicana, no Porto, mata a tiro dois tanoeiros. Dec. n.º 5809 - regula o regime ban-

ultramarino. 30 cário

379


1919 Na reunião conjunta das Câmaras aceita-se a renúncia do P.R. Canto e Castro, a quem se solicita que continue no cargo até à eleição do seu sucessor.

1

Magalhães Lima é homenageado no Coliseu dos Recreios, sob a presidência de António José de Almeida e recebe a Ordem da Torre e Espada. n Publica-se “A Província Transmontana” (Chaves - regionalista - n.d.). n No Porto publica-se “O Debate”, jornal católico.

2

Nas eleições para a 4.ª legislatura o Centro Católico Português apenas elege um deputado. n É constituido em Abrantes o Banco Mena & Pinto (liquidado em 26/6/1932).

3

Início da greve dos Caminhos-de-Ferro portugueses com duração de 2 meses. n No Teatro Avenida em Lisboa realiza-se uma festa da homenagem à actriz Palmira Basto.

6 8

O Governo determina o encerramento do sindicato dos ferroviários. n Dec. nº 5859 - aprova a reorganização da Direcção-Geral das Contribuições e Impostos. Cessa a publicação o “Comércio de Chaves” (independente - n.d.). n Visita Lisboa o P.R. eleito do Brasil Epitácio Pessoa.

n O industrial Alfredo da Silva decreta o ‘lock-out’ da CUF.

9

Greve dos operários marceneiros de Lisboa, por aumento de salário. n O P.R. eleito do Brasil Epitácio Pessoa visita Sintra e o Parlamento. Banquete no M.N.E. e fogo de artifício no Tejo.

do Barreiro declara-se 10 Oemproletariado greve geral, por solidariedade para com o pessoal da Companhia União Fabril, CUF. n Afonso Costa é agraciado com a Ordem Militar da Torre e Espada, partindo depois para Londres, a fim de participar novamente nos trabalhos da Conferência de Paz. Juíz Avelino Oliveira Leite assume 11 Oo Governo de S. Tomé e Príncipe. Só permanece 3 meses. n.º 5865 - aprova o regulamento 12 Dec. do Conselho Tutelar do Exército de Terra e Mar.

13 Publica-se “O Tempo” (Coimbra - inde-

pendente - n.d.). n A Polícia assalta e encerra a Federação do Mobiliário.


Junho da Silva despede grande 14 Alfredo número de operários da Companhia União Fabril.

envia uma Nota à sua congénere Checoslovaca reconhecendo o respectivo Governo independente.

A União Operária Nacional convoca

É reaberta a sede da União Operária

da Companhia União Fabril. Terá êxito parcial.

greve geral, de 48 horas, contra 23 Nacional e a da Federação da Cons16 uma trução Civil. a atitude do “patrão” (Alfredo da Silva)

17

Greve geral de 48 horas com sucesso parcial. Explodem diversas bombas.

18

O Governo manda encerrar as sedes da União Operária Nacional e do diário lisboeta “A Batalha”. n Lisboa - Nasce João Mendes, realizador de cinema.

19

Fundação do Silves Futebol Clube. Greve geral no País à qual aderem as

organizações operárias. 20 principais n Publica-se o 1º número do diário operário da tarde em Lisboa “Avante”.

Têm início no Tribunal Militar da S.

no Porto os julgamentos dos re25 Bento voltosos monárquicos. Demissão formal, a seu pedido, do Re-

da U.C., Joaquim Coelho de Car26 itor valho, na sequência de graves conflitos com o Senado Universitário. Publica-se em Lisboa “A Imprensa”.

27

Versailles - Tratado de Paz com a Ale-

assinado pela parte portu28 manha, guesa por Afonso Costa. Adopta-se o Pacto que institui a Sociedade das Nações., S.d.N.. n Dec. n.º 5930 - aprova o regulamento do Conselho Superior da Agricultura.

Publica-se em Lisboa o jornal “A Im-

21 prensa”. 22

Nomeação de Filomeno da Câmara Melo Cabral, Lente de Medicina, para Reitor da U.C.. n A Embaixada de Portugal em Paris

Assume o XX Governo Constitucio-

do Cor. Alfredo de Sá Cardoso. 29 nal Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Cor. Alfredo de Sá Cardoso para M.N.E. interino. Exonerado em 12.7.1919. 381


1919 n Nomeação do Eng. Ernesto Navarro para Ministro do Trabalho. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Dr. Joaquim José de Oliveira para Ministro da Instrução Pública. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Cap. Frag. Rego Chaves para Ministro das Finanças. Exonerado em 3.1.1920. n Nomeação do Cap. Frag. Alfredo Rodrigues Gaspar para Ministro das Colónias. Exonerado em 3.1.1920. n Nomeação do Eng. Ernesto Navarro para Ministro dos Abastecimentos interino. Exonerado em 17.9.1919. n Nomeação do Ten.-Cor. Helder dos Santos Ribeiro para Ministro da Guerra. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Dr. José Domingues dos Santos para Ministro do Trabalho. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Dr. Artur Lopes Cardoso para Ministro da Justiça. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Cor. Alfredo de Sá Cardoso para Ministro do Interior. Exonerado em 15.1.1920. n Nomeação do Cap. Frag. Alfredo Gaspar para Ministro da Marinha interino. Exonerado em 6.7.1919. n No 1.º Governo de Domingos Pereira de 91 dias produziram-se 877 diplomas legislativos. n Cessa a publicação o “Distrito de Aveiro” (evolucionista - n.d.). n Carta Apostólica de Bento XV reconhecendo a República Portuguesa.

Junho a Lisboa por via férrea o Comité 30 Chega Permanente Inter-Aliados.


Julho 2

Continua a greve dos ferroviários para exigir o direito à previdência social e subsídio familiar. Dura dois meses. n Cessa em Lisboa a publicação do jornal “A Imprensa”.

3

Reabertura do Congresso.

4

Na estação de Santa Apolónia em Lisboa são descarriladas intencionalmente locomotivas pelos grevistas, para impedir a saída dos comboios.

5

Encerramento pelo Governo do Sindicato Ferroviário de Lisboa. n Lei n.º 89 criando a freguesia da Foz do Arelho, Caldas da Rainha.

6

Nomeação do Cap. Frag. Silvério da Rocha e Cunha para Ministro da Marinha. Exonerado em 15.1.1919.

7

Lisboa - Morre Marcelino Mesquita, dramaturgo e poeta. n Recusa do Governo em tratar com os grevistas ferroviários, fazendo intervir o Exército para a condução dos comboios. Afonso Costa é eleito deputado por

não tomando posse. 10 Lisboa,

383


1919 Ten. Teófilo Duarte é condenado a Toma posse interina do Governo de 11 O4 meses de prisão militar pelo seu en- 17 Macau Joaquim Augusto dos Santos, volvimento na ‘Monarquia do Norte’, pena já cumprida, pelo que é posto em liberdade. n A greve dos ferroviários provoca já mil contos de prejuízos.

Cor. do Quadro Ultramarino. n Nasce o ensaísta e poeta José João Cachofel, do núcleo neo-realista de Coimbra.

18 Silva.

Atentado contra o industrial Alfredo da

12

Iniciam-se os julgamentos dos alegadamente envolvidos ou implicados no Corpo de Voluntárias da Segurança Pública. n Nomeação de João de Melo Barreto para M.N.E. Exonerado em 15.1.1920. n Conferência Colonial reunida em Londres em que a delegação portuguesa é dirigida por Afonso Costa.

Inicia-se na Câmara dos Deputados o

sobre a reforma constitucional. 21 debate n Toma posse de professor efectivo

do Liceu de Macau o bacharel Camilo Pessanha. Lisboa - Morre Francisco Teixeira de

13

Cessa a publicação “A Democracia” (Vila Real - democrático - n.d.). É declarada a greve geral em toda a

de móveis. 14 indústria n Realiza-se em Lisboa uma grande

parada militar comemorativa da vitória dos Aliados. n Desfila em Paris um contingente português de 150 homens pelos Campos Elísios, em participação na Festa da Vitória dos Aliados

escritor e médico. 22 Queirós, n Para evitar actos de sabotagem, o Ministro da Guerra determina que, na frente de cada comboio, fosse colocado um vagão com ferroviários grevistas. O método tinha já antecedentes. A Polícia suspende violentamente o

operário de Lisboa “Avante”. 24 diário

Toma posse do cargo de Governador-

16

Por Bula de Bento XV, D. António Barbosa Leão, Bispo do Algarve, é nomeado para a Diocese do Porto, substituindo D. António Barroso.

de Angola Francisco do Amaral 25 -Geral Reis.


Julho n.º 5974 - aprova o novo regula26 Dec. mento interno da Biblioteca Nacional de Lisboa.

Cessa a publicação “O Dever” (Covilhã

- n.d.). 27 -nsocialista Os grevistas ferroviários exigem o

pagamento dos dias de greve. A companhia recusa. n O matutino “O Século” informa das experiências em curso por Gago Coutinho para nova aplicação do sextante. A Polícia invade em Lisboa a sede da

Operária Nacional. 30 União

Cessa a publicação “A Voz Pública”

- sidonista). 31 (Porto n Cessa a publicação o “Jornal de Leiria” (republicano - n.d.). n Publica-se o jornal “República” (Setúbal - Partido Democrático - n.d.).

385


1919 1

2

Greve na indústria conserveira. n O défice do OGE calculado para 1919/20 é de 82.125.358$08. excedendo em 78.704.285$05 o do ano transacto. n Publica-se o 1.º número de “O Jornal - Órgão do partido Republicano Conservador”, afecto a Sidónio Pais, em que António Ferro colabora. n Aprovação na generalidade na Câmara dos Deputados, do projecto de reforma constitucional.

7

Publica-se o jornal “Defesa de Castelo Branco” (sidonista - n.d.). n Deflagra um grande incêndio na Serra de Sintra.

8

A greve ferroviária continua, embora alguns trabalhadores retomem o trabalho.

13 de conserva de Setúbal, lançando no Decreta-se o ‘lock-out’ em 105 fábricas desemprego mais de 5 mil operários.

Lisboa sem água por insuficiência de abastecimento pela respectiva Companhia.

4

Contrato, entre o Estado e o Banco Nacional Ultramarino, relativo ao regime bancário nas Colónias.

5

A Garagem do Parque Automóvel Militar em Lisboa fica reduzida a escombros decorrente de um incêndio.

6

Cessa a publicação o jornal “Avante” (Lisboa - anarquista e operário). n Realiza-se a eleição para a Presidência da República na sessão do Congresso; candidatos: Manuel Teixeira Gomes e António José de Almeida. Ao 3.º escrutínio este ganha com 123 contra 31 do contendor e 13 brancos.

Lisboa - Nasce Américo Taborda, pin-

e jornalista. 14 tor n Em Lisboa deflagram bombas na estação do Rossio. n No Cemitério dos Prazeres inaugura-se um monumento a Brito Aranha, escritor, jornalista e bibliógrafo. Regressa do exílio Bernardino Machado.

Aires de Ornelas é condenado em 15 n2 anos de prisão maior, por envolvi-

mento no movimento revolucionário da ‘Monarquia do Norte’. Início da greve geral promovida pela

Operária Nacional. 16 União

17 tido Popular - n.d.).

Publica-se “O Corgo” (Vila Real - Par


Agosto Lei n.º 861 - regulamenta a nomeação em Lisboa, após 7 meses 18 Reaparece de forçada suspensão, o diário inte- 27 dos reitores das Universidades e Ligralista “A Monarquia”. n Chegam do Funchal os presos políticos implicados na revolta monárquica de Monsanto, para serem apresentados a Tribunal Militar. Regressa a Lisboa da sua missão a

o Gen. Gomes da Costa. 19 Moçambique A Constituição sofre pequenas altera-

20 ções. 23

O P.R. eleito António José de Almeida embarca num vapor para uma visita ao Norte do País. n Cessa a publicação “A Concórdia” (Aveiro - evolucionista - n.d.). n O Cap. Ten. Henrique Correia da Silva toma posse do Governo de Macau.

ceus e dos directores de outros estabelecimentos de ensino. n Artigo 11 da Lei anterior criando na Universidade do Porto uma Faculdade de Letras. n Instituição do ensino de filosofia na Universidade do Porto.

28 por força da greve dos ferroviários que Registam-se grandes descarrilamentos, praticam esses actos de sabotagem.

Regulamento da exploração comercial

29 do porto de Lisboa.

Aprovação dos estatutos da Universi-

Popular Portuguesa. 24 dade n Estarreja - Nasce Filipe Themudo Barata, Cor. Governador-Geral de Timor entre 1959/63. amnistias e demandam as sol25 exigem dadas em atraso.

Os soldados reclamam por mais folgas, n Para João de Azevedo Coutinho a sentença é de absolvição, por não provadas as acusações que alegadamente o ligavam ao movimento da ‘Monarquia do Norte’. 387


1919 1

Termina a greve dos ferroviários.

2

Dec. n.º 6075 considera lícito, sob certas restrições, o comércio com a Alemanha.

3

Tumultos em Lisboa devido à destruição do passeio central do Rossio pela C.M.L.

4

José Norton de Matos é promovido a Gen. por distinção.

8

O Director da Biblioteca Nacional de Lisboa, Dr. Jaime Cortesão concede uma entrevista ao jornal “O Século” sobre a nova organização daquela entidade. n Entra solenemente no Porto o novo Bispo da Diocese, D. António Barbosa Leão.

9 10

Costa assina pela parte portuguesa.

13 gresso Operário Nacional: nascimento Realiza-se em Coimbra o 2.º Con-

Dec. n.º 6087 - regulamenta o funcionamento da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. n O escritor Ferreira de Castro regressa do Brasil a Portugal . Abre, em Coimbra, o 2.º Congresso Nacional da Indústria de Construção Civil. n Saint-Germain-en-Laye - Tratado de Paz e Amizade entre as potências aliadas e associadas e a Áustria. Afonso

da Confederação Geral dos Trabalhadores (C.G.T.), que substitui a União dos Sindicatos Operários de Lisboa (USOL). n O Novo Congresso da República, dominado pelo Partido Democrático, vota a revisão constitucional para os assuntos internos do País. Inaugura-se na Rua do Ouro n.º 175

Banco Colonial Português, tendo 14 ocomo principal accionista Cândido Sotto Maior. Dec. n.º 6099 - aprova o regulamento

15 do Instituto Industrial do Porto.

Dois representantes integralistas, Luís

Almeida Braga e Pequito Rebelo, 16 deavistam-se com D. Manuel de Bragança em Inglaterra.

Dec. n.º 6112 - aprova o regulamento

a construção dos bairros sociais. 17 para n Lei n.º 882 - extingue o Ministério dos Abastecimentos e Transportes. Joaquim Pedro Martins apresenta cre-

de E.E.M.P. junto à Santa Sé. 20 denciais


Setembro da Lei n.º 891, segundo 22 Promulgação a qual o P.R. passa a dispor do direito de dissolver as Câmaras Legislativas.

23

O jornal “O Século” noticia que o Cap. Mar e Guerra Gago Coutinho consegue desenvolver o projecto de um astrolábio de precisão. n Dec. n.º 6121 - aprova o projecto do regulamento do horário de trabalho no comércio e na indústria. n Toma posse o Comité da C.G.T.. n Fundação do Clube de Futebol “Os Belenenses” em Belém.

contrar-se com D. Manuel de Bragança. Não há acordo e dá-se a ruptura. Realiza-se, em Lisboa, o 3.º Congres-

30 so do Partido Evolucionista.

Começa a funcionar em Lisboa o Tri-

Marcial do C.E.P., absolvendo 25 bunal um Alferes acusado de extravio de dinheiro e documentos. n O território moçambicano de Quionga é restituído a Portugal, por decisão do Conselho Supremo das Potências Aliadas. n Dec. n.º 6129 - aprova o regulamento do Conservatório Nacional de Música. Abertura em Santarém do 6.º Con-

Nacional dos Caixeiros. 28 gresso n Publica-se “O Leste” (Elvas - conservador - n.d.). como E.E.M.P. Francisco de 29 colmo Carvalho Martens, (conde de Martens

Toma posse da Legação em EstoFerrão). n A delegação integralista torna a en389


1919 Alguns deputados do Partido Republicano Evolucionista, sob a chefia do médico Júlio Martins, fundam o “Grupo Parlamentar Popular”.

1

3

São aprovadas as bases de um novo Partido unindo os Evolucionistas e os Unionistas, nascendo o Partido Liberal. n Inauguração em Lisboa da carreira de tiro desportivo sito em Pedrouços. O matutino “O Século” informa: “Encargo de 200 contos tomado pelo Estado para habilitar a empresa dos C.F. a pagar as subvenções pedidas (exigidas) pelo pessoal”. n Aviadores portugueses realizam o 1.º voo Lisboa-Paris, com escalas em Bordéus e Madrid. n Dec. n.º 6146 - aprova o regulamento das Escolas de Artes e Ofícios. n Leiria - Nasce José Hermano Saraiva, professor, investigador e publicista.

4

Realiza-se na Figueira da Foz o IX Congresso do partido Socialista Português. n Dec. n.º 6180 - aprova o regulamento da Marinha Colonial.

5

Termo do mandato presidencial de Canto e Castro.

António José de Almeida

n Toma posse como Presidente da República António José de Almeida. n Publica-se o “Distrito de Leiria” (Partido Democrático - n.d.). n Morre João Miguel Rosa, padrasto do poeta Fernando Pessoa. n Início da publicação em Lisboa do periódico “A Bandeira Vermelha”, dito semanário comunista.

6

No C.F. do Monte da cidade do Funchal dá-se um acidente que provoca 4 mortes e diversos feridos. n Açores - Nasce Sidónio Serpa, campeão de hóquei em patins.

8

Apresentação na Câmara dos Deputados do grupo Parlamentar Popular, encabeçado por Júlio Martins, e do Partido Liberal.

9

Reúne nos Paços do Concelho de Lisboa o Congresso dos Funcionários Administrativos.

11 inaugura-se o cinema Salão Portugal.

Na Rua S. João da Praça em Lisboa

13

O Directório do partido Nacional Republicano decide pela sua dissolução com prévia adesão ao novo Partido conservador, o Republicano Liberal. n Convenção Internacional Reguladora da Navegação Aérea subscrita por Portugal.


Outubro da 1.ª Escola de Enfermagem semanário “A Bandeira Vermelha”, de 15 Criação 26 Oinspiração em Macau. comunista, proclama “fazer

18 imbra - evolucionista - n.d.).

Cessa a publicação “A Província” (Co

em toda a parte a apologia da Revolução Russa”. n Centristas integram-se no Partido Republicano Liberal.

19 de 1 senador e 1 deputado. Bernardi- 27 tivo do Directório do Partido RepubliEleições suplementares para os cargos

Afonso Costa é reeleito membro efec-

no Machado versus Helder Ribeiro e Ladislau Barreto versus Paes Gomes. n O Eng. militar Cunha Leal é eleito deputado pelo circulo de Angola.

cano Português, sendo o mais votado dos candidatos. Não toma posse. n O Governo, em nota oficiosa, desmente a divulgada incorporação de Moçambique à União Sul Africana. n Carlos Lopes estreia no Olimpya e Chiado Terrasse a “A Rosa do Adro”, do realizador Georges Pallu.

Inauguração do edifício da Escola Nor-

de Benfica. 20 mal n Conflito aberto entre os industriais de conservas de Setúbal e os marítimos. n O órgão integralista “A Monarquia” declara que aquele movimento se considerava desligado da obediência ao Senhor D. Manuel II e se afastava inteiramente das suas direcções políticas. O diplomata brasileiro Domício da

amigo de Eça de Queiroz em 21 Gama, Paris, passa por Lisboa. Congresso em Lisboa do Partido Re-

Português. 25 publicano n O “Diário do Governo” publica a Lei n.º 904 que promove o ex-P.R. Canto e Castro ao posto de Almirante da Armada Portuguesa.

Artístico. 29 Património

Dec. n.º 9184 - cria um Conselho do

Primeiro combate de pugilismo em entre profissionais portu-

30 Cascais gueses.

n Dec. n.º 6189 - aprova o regimento do Conselho Colonial. n Dec. n.º 6186 - cria uma medalha comemorativa Inter-Aliada chamada “Medalha da Vitória”. n Cessa a publicação “A Cidade” (Braga - liberal - n.d.). n Cessa a publicação o jornal “Defesa de Castelo Branco” (sidonista - n.d.).

31 (Angra do Heroísmo - imparcial).

Cessa a publicação “A Folha da Tarde” n Cessa a publicação “A Folha de An391


1919 gra” (Angra do Heroísmo - informativo - n.d.). n Dec. 6190 - aprova o regulamento do Conselho Superior de Instrução Pública.

Outubro


Novembro O Integralismo Lusitano lança o culto do Beato Nuno.

ográficas da Faculdade de Letras de Coimbra.

1

É assaltada pela Polícia a sede em Lisboa do semanário “A Bandeira Vermelha”, órgão de inspiração comunista. n Dec. n.º 6196 - aprova o regulamento para a fiscalização do imposto sobre objectos artísticos. n O monarca deposto, D. Manuel de Bragança, em carta a Aires de Orneias, declara-se contrário à preparação de qualquer movimento político.

6

“O Jornal”, periódico de Lisboa, tem como redactor principal António Ferro, erguendo-se como o bastião da imprensa contra o P.R.P.. n No Salão Bobone inaugura-se a exposição de pintura de José Campas. n Novo atentado contra a vida do industrial Alfredo da Silva. n Porto - Nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, poetisa.

2

Descerra-se uma lápide na casa onde faleceu o historiador Oliveira Martins, na Calçada dos Caetanos. n Lisboa - Nasce Jorge de Sena, Eng, escritor, ensaísta e professor com larga obra publicada.

7

São nomeados os membros do grande comité executivo da “Aldeia Portuguesa” na Flandres.

8

António Lino Neto é eleito para Presidente do Centro Católico Português. n Dec. n.º 6205 - aprova o regulamento das Ordens Militares Portuguesas.

3

Cessa a publicação o jornal “A Verdade” (Funchal - conservador - n.d.).

4

Em Moçambique, a Associação Comercial e Industrial da Beira protesta, junto do Ministro das Colónias, contra a desnacionalização colonial”.

5

Bernardino Machado é reintegrado como professor na Faculdade de Ciências de Coimbra, aposentando-se de seguida. n O padre Manuel Gonçalves Cerejeira é proposto para o cargo de Professor Ordinário de Ciências Histórico-Ge-

O aviador inglês F. P. Raynham realiza

11 aboa.1.ª viagem aérea entre Madrid e Lis-

n Cessa a publicação o “Jornal da Tarde” (Lisboa - Governo). n O médico naval Jaime da Castro Morais assume o Governo da Índia. n Publica-se em Lisboa o jornal “O Lusos”, republicano trabalhista.

12 tação e reexportação para as Colónias Dec. n.º 6217 - declara livre a exporde motocicletas e automóveis.

393


1919 n No Parlamento debatem-se as violências cometidas no Porto. n Dec. n.º 6219 - proíbe a exportação de paus de pinho e de castanho, em condições de serem aplicados como apoios nas linhas telegráficas e telefónicas.

n.º 6237 - declara livre, em todo o 18 Dec. País, o comércio e trânsito da batata,

arroz e feijão, bem como a importação dos mesmos produtos. n Dec. n.º 234 - revoga o decreto que mobilizou, para serviço no País, as forças da Guarda Nacional Republicana.

a importação de açúcar cristali- 19 futuro Cardeal Patriarca de Lisboa, dis13 mente zado, proibindo às refinarias do conpensado de exames públicos torna-se

15

Dec. n.º 6220 - autoriza provisoria-

O padre Manuel Gonçalves Cerejeira,

tinente o fabrico de açúcar desse tipo. n Cessa a publicação “A Evolução” (Vila Real - evolucionista - n.d.). n O Parlamento aprova o projecto sobre a atribuição de indemnizações, aos que sofreram prejuízos, em consequência de movimentos políticos durante o Sidonismo.

Prof. ordinário da cátedra de Ciências Históricas da F.L.U.C.. n O ex-Imperador Austro-Húngaro Carlos I chega ao Funchal para um exílio, cortado pela morte.

Dec. n.º 6221 - permite a condução, sob bandeira estrangeira, de produtos originários das Colónias da África Ocidental para o Continente, enquanto durar a crise de transportes marítimos. Viagem aérea de Lelo Portela, no per-

Madrid-Lisboa. 16 curso n Notas diplomáticas renovam, por 5

anos, o Acordo de Arbitragem entre a Grã-Bretanha e Portugal, assinado em Londres em 16-11-1914.

17 na cidade brasileira de S. Luís do Ma-

Doc. n.º 6225 - autoriza a construção, ranhão, de uma Câmara Portuguesa de Comércio e Indústria.

20 res de 18 anos da frequência dos Em Macau são proíbidos os meno-

lupanares, mesmo sendo cantoras. n Morre no aeródromo da Amadora o aviador Bourgeois, quando fazia acrobacias no avião “Spad”. Realiza-se em Lisboa o 1.º Congresso

Republicanos Liberais (agregado 22 dos heterogénio), dele fazendo parte António Granjo, Tomé de Barros Queirós, Egas Moniz e outros. n Reúne-se em Lisboa o II Congresso do Centro Católico Português, por ocasião das festas nacionais do Beato Nuno.

23 Real - republicano - n,d.).

Publica-se “O Povo do Norte” (Vila n Congresso das Associações Pa-


Novembro tronais, por iniciativa da Associação Comercial de Lojistas de Lisboa. Pronuncia-se contra a jornada laboral de 8 horas diárias. n Aprova-se pelo Episcopado as novas bases regulamentares do Centro Católico Português. na barra de Aveiro, da trai24 Naufrágio, neira “S. José”.

É preso o tipógrafo implicado no aten-

contra Afonso Costa. 25 tado

Dec. n.º 6245 - Torna lícito, com re-

o comércio com a Áustria, 26 strições, Alemanha, Hungria, Turquia, Ásia Menor, portos do Mar Negro e a Bulgária. n Lei n.º 910 - manda arquivar todos os processos de imprensa, desde 5 de Dezembro de 1917 até 31 de Dezembro de 1918, sobre os quais será feito perpétuo silêncio. - Tratado de Paz, 27 Neully-sur-Seinne assinado entre as potências Aliadas e a Bulgária, subscrito pela parte portuguesa por Afonso Costa.

29 uma visita oficial a Coimbra e à UniverO P.R. António José de Almeida inicia sidade.

395


1919 1

2

3

D. Manuel de Bragança em carta ao seu lugar-Tenente Aires de Ornelas, publicada no Diário de Notícias, no dia 3 seguinte, verbera o procedimento dos integralistas. Lisboa - Nasce Luís França, cantor lírico. n Dec. n.º 6263 - promulga medidas reputadas indispensáveis, para atender à chamada crise dos câmbios. n Telegrama do E.E.M.P. americano para o Departamento de Estado transmitindo o pedido de crédito português de 100 milhões de USD. Mértola - Nasce António da Silva Sebastião, Cor. e Governador de S. Tomé e Príncipe entre 1968 e 1971.

dústria, sita na Rua da Palma.

7

Cessa a publicação “O Jornal” (Lisboa - sidonista). n Martinho Homem de Brederode apresenta credenciais de E.E.M.P. em Bucareste.

8

O Embaixador inglês entrega à Aeronáutica Portuguesa o aeroplano “Vasco da Gama”, em que o britânico Raynham fizera a travessia LondresLisboa.

9

Lei n.º 915 criando a freguesia de Fazenda, Lajes das Flores, Horta. Publica-se “O Combatente” (Faro - so-

4

5 6

Publica-se “A Pátria” (Ponta Delgada Partido Democrático - n.d.). n São arremessadas pedras em S. Cosme, junto ao Porto, sobre testemunhas que tinham ido depor num julgamento político. O periódico “O Jornal” em artigo de António Ferro, presta-se homenagem a Sidónio Pais, fazendo-se um rasgado elogio á ditadura e a um chefe que a possa encabeçar. Inauguração em Lisboa da sede social da Associação de Socorros Mútuos dos Empregados de Comércio e In-

- n.d.). 11 cialista

Dec. n.º 6274 - autoriza a constituição

12 do Banco Internacional de Comércio.

Dec. n.º 6277 - aprova os estatutos da

dos Aduaneiros de Portugal. 13 União

Aviso - Nasce João Antunes Varela, ju-

Prof. Universitário e Ministro sob 15 rista, o Estado Novo, em que exerce fecunda acção legislativa. n O Bispo de Beja, homiziado na Santa Sé desde 1912, é feito pelo Papa Arcebispo titular de Damieta.


Dezembro em Lisboa uma quadrilha - Nasce Hugo Casães, cantor 17 Édedescoberta 26 Lisboa ladrões de crianças. lírico.

A Associação dos Lojistas entrega

exposição ao Governo sobre a 18 uma questão cambial.

n Bento XV, em encíclica aos prelados portugueses, aprova o apoio à fundação do C.C.P.. n Carta do Papa Bento XIV ao Cardeal Patriarca de Lisboa sugerindo a aplicação em Portugal da doutrina seguida relativamente à França, por Leão XIII. Decretos n.º s 6284, n.º 6285 e n.º

- aprova o regulamento das Es19 6286 colas Comerciais.

n Dec. n.º 6305 - organiza, no porto de Lisboa, uma esquadrilha de salvação e assistência náutica. n Afonso Costa é feito Doutor ‘Honoris Causa’ pela Universidade de Estrasburgo.

27 ctriz.

Lisboa - Nasce Carlota Calazans, a-

Bragança - Nasce o futuro Gen. António

dos Santos, Governador de Ma28 Lopes cau entre 1962 e 1966 e da Guiné entre 1970 e 1974.

30 tenciário de Cuba, D. Luís Rodolfo de

Entrega credenciais o Ministro Plenipo-

20

O jornal “O Século” afirma: “Nos hospitais Civis de Lisboa a assistência hospitalar é pouca e má - o caos administrativo - desbarato e avareza”. O Cônsul em Tanger Luís Ferreira de

toma posse também com 21 Meneses funções diplomáticas

Miranda. n Lei n.º 922 - estabelece penalidades para os comerciantes que possuírem géneros açambarcados ou em mau estado de consumo e manda julgar sumariamente os delinquentes. n Entra em greve o pessoal da Companhia Carris de Ferro de Lisboa, reclamando por maiores salários.

Dec. n.º 6322 - regulamenta o Dec. n.º

sobre a criação de Missões CiviA inflação é reduzida a 8% 24 5778, lizadoras nas Colónias. n Desde 1915 até à data Portugal re31 gista 29 assassínios políticos e mais de

25

Foz do Douro - Nasce Armando Marques Guedes, jurista, Prof. Universitário e publicista.

1.500 cidadãos mortos pelas armas em revoltas e sublevações.. n Ascende a 1.096 o número de marcas industriais registadas em Portugal. n No ano económico iniciado em 1918 397


1919 as receitas foram de 15.143 e as despesas 30.299 libras esterlinas. n Total da dívida pública é de 140.455 libras. n A emigração oficial cifra-se em 37.138 portugueses do Continente e Ilhas. n A percentagem de analfabetos é de 70,5%. n Morrem de gripe 3.097 pessoas no Continente e Ilhas e com pneumonia 3.657. n O valor da libra-ouro em escudos é de 7$54. n Mantém-se inalterável o número de oficiais nos quadros castrenses ao do ano anterior. n Ascende a 6.563 o número de escolas primárias oficiais. n A circulação fiduciária eleva-se a 370.627 contos. n A emigração para África atinge a sua maior expressão de todo o periodo da 1.ª República: 2.125.


Dezembro

399


Profile for Axius Designs

1ª República Portuguesa: Uma Cronologia (Parte 1)  

O desconcerto do regime monárquico português e a sua substituição por uma república, em 1910, são quase sincrónicos do desmoronar do Império...

1ª República Portuguesa: Uma Cronologia (Parte 1)  

O desconcerto do regime monárquico português e a sua substituição por uma república, em 1910, são quase sincrónicos do desmoronar do Império...

Advertisement