Page 1

ano VIII • no 48 • 2012

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS LOCADORAS DE AUTOMÓVEIS

Um bom ano, apesar do IPI reduzido Testamos o Hyundai HB 20 e o Toyota Etios

As várias faces de Florianópolis

As prefeituras e as locadoras


Job: Fiat-varejo-setembro -- Empresa: Leo Burnett -- Arquivo: C25878-002-Fiat-ClienteSatisfeito-Abla-21x28_pag001.pdf

Registro: 91025 -- Data: 16:20:17 12/09/2012


EXPEDIENTE

E agora José...

CONSELHO GESTOR Paulo Gaba Jr., Paulo Nemer, Emanuel Trigueiro, Simone Pino, Valmor Weiss, Aleksander Rangel, Alberto Vidigal, Alberto Faria da Silva, José Adriano Donzelli, Saulo Fróes, Nildo Pedrosa e Carlos Rigolino Jr.

E agora, Guido? A festa do IPI vai acabar, o farol do carro vai apagar, o povo já sumiu, O consumo de carros já esfriou!

CONSELHO GESTOR (Suplentes): Mauro Ribeiro, Carlos Adão Teixeira, Marcelo Fernandes, Raimundo Nonato de Castro, Reynaldo Tedesco, Paulo Miguel Jr., João Carlos de Abreu Silveira, Luiz Carlos Lang, Eládio Paniagua, Nelma Cavalcanti e Cássio Gilberto Lemmertz

E agora, Bellini? Com a chave do carro na mão quer abrir as portas, não existe ninguém para abrí-las. A inflação quer voltar, juros não vão mais cair, combustível vai subir, já passou a eleição. Dilma, e agora?

CONSELHO FISCAL: Antonio Pimentel, Paulo Bonilha Jr., Jacqueline Mello, Ricardo Gondim, Eduardo Correa e Rodrigo Roriz

Se você investisse, se você financiasse, se você não permitisse, se você não protegesse quem não precisa precisa.

CONSELHO FISCAL (Suplentes): Joades Alves de Souza, José Zuquim Militerno, Emerson Ciotto, Alberto Jorge Queiroz, Felix Peter e Marco Antonio de Almeida Lemos.

Sozinhos no escuro, sem contratos públicos para se encostar, sem cavalo pra fugir, o setor de locação marcha sem saber para onde... e MARCHA!

COMISSÃO EDITORIAL: Marco Antonio Gomes, Marcio Gonçalves, Nelma Cavalcanti e Saulo Fróes. PRESIDENTE EXECUTIVO João Claudio Bourg Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis - ABLA São Paulo: Rua Estela, 515 – Bloco A – 5º andar CEP 04011-904 – São Paulo – SP Tel.: 11.5087-4100 – Fax: 5082-1392 E-mail: abla@abla.com.br Site: www.abla.com.br Brasília: Saus Quadra 1 – Bloco J – Edifício CNT Sala 510 – 5º andar – Torre A CEP 70070-010 – Brasília – DF Tel.: 61.3325-6728 – Fax: 61.3226-0048 Revista Locação Projeto, criação e execução: MZ Comunicação & Marketing Ltda. – Tel.: 11.2385-4935 Jornalista Responsável: Lígia Alem Marcondes MTb nº 17.171-44/SP Redação: Ana Claudia Bueno de Araujo e Cristiane Vieira Bolognesi Editor de Arte: Cecil Rowlands Publicidade: Cibele Cambuí – 11.5087-4831 cibele.pqa@abla.com.br A revista Locação não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nos artigos assinados. Permitida a reprodução das matérias, desde que citada a fonte.

Para onde José... Dirceu? Que o poeta Drummond nos perdoe por plagiar seu poema sobre questionamento da vida e da morte para exemplificarmos nossa indignação. Estamos sim diante de um dilema, de um juízo, e de tomadas de decisões estratégicas “sem saber mesmo o rumo que iremos tomar”, como diria nosso outro poeta Cartola. O País passa por transformações, mas ilude o povo sobre seus benefícios e consequências. Nós locadoras de veículos somos colocados no fim da fila. Investimos sem subsídio, acreditamos no progresso do país e nele depositamos nossas economias, colocamos nossa energia em favor do Brasil sem ajuda, gerando empregos e contribuindo continuamente para a Pátria amada. E tudo que pedimos é ISONOMIA e POLÍTICA AUTOMOTIVA DURADOURA, sem surpresas e mudanças que zombem dos empresários. Baixar e subir impostos como quem levanta e abaixa a mão para chamar o garçom jamais trará investimentos de longo prazo ao Brasil, a não ser dos oportunistas. Se “nunca na história desse país” tivemos tantas oportunidades, jamais houve, desde as caravelas de Cabral, tamanho desperdício de chances. O momento histórico está passando, e não estamos saindo do lugar. O PIB pífio não pode ser justificado pela crise mundial, até porque a China também foi afetada, mas continuou crescendo, mesmo que pouco menos do que em anos anteriores. Este Governo está perdendo seu maior mérito, o de escutar a iniciativa privada. A transparência está turva e as vaidades superam os méritos. Uma política de longo prazo para o setor automotivo garantirá o crescimento das empresas locadoras, das montadoras, das concessionárias, das autopeças, das lojas de seminovos e de toda a cadeia envolvida. Que a poesia possa acalmar nossas almas ansiosas e que o Governo tenha a decência de respeitar os maiores compradores de carros do Brasil. E novamente Cartola adverte o País para ter atenção e não cair ”no abismo cavado com nossos pés”. *Paulo Gaba Jr. Presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA).

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

3


ÍNDICE

08

ENTREVISTA Horacio Pinto revela as expectativas da Toyota para o Etios, o primeiro compacto da montadora no Brasil.

FINANÇAS Se os parlamentares vencerem a disputa com o Governo Federal os empresários conseguem saldar débitos com impostos.

CAPA

22

2012 chega ao fim com muitas razões para a ABLA e as empresas associadas comemorarem. De negativo o IPI reduzido, sempre ele.

TEST DRIVE

Bourg testou e fala sobre o desempenho do Etios e do HB 20

34 18 Gestão

30

TURISMO

Os segredos e encantos de Florianópolis e cidades vizinhas

27 IPI reduzido 38 Luxo

6

12

ABLA Novembro • Dezembro 2012

29 Vida Executiva

40 Artigo

32 Estivemos Presentes

42 Opinião


out-2012-locadoras.indd 1

24/09/2012 16:54:03


ENTREVISTA

v e r t n E Horacio Eduardo de Oliveira Pinto

Toyota quer 65% do mercado de locação Por Lígia Alem Marcondes

om o recorde de 100 mil carros vendidos até novembro de 2012, a Toyota do Brasil acredita que com o lançamento do Etios vai consolidar sua posição de líder no mercado brasileiro em todas as categorias que tem modelos disponíveis no país. Para atingir este objetivo conta com o expertise do engenheiro mecânico pós graduado em administração de empresas Horacio Eduardo de Oliveira Pinto, atuante no setor automotivo desde 1995, sempre na área comercial. Com passagens pela Volkswagen do Brasil e Peugeot do Brasil - PSA Group, chegou à Toyota do Brasil em 2008 como gerente de desenvolvimento de rede de concessionários, e desde o final de 2011 assumiu a gerência nacional de vendas diretas. Nesta entrevista para LOCAÇÃO, Horacio conta os detalhes das ações que aqui serão desenvolvidas.

C 8

ABLA Novembro • Dezembro 2012


Locação: Para a Toyota Internacional, qual é a parcela do mercado brasileiro? Horacio: Nossa empresa não divulga esse tipo de informação. O que posso dizer é que durante todo o ano de 2011 vendemos 99 mil carros. Neste ano de 2012, até novembro, batemos o recorde com 100 mil unidades vendidas. Somos líderes com todos os modelos que temos no Brasil. L: Das vendas realizadas aqui, quantas são feitas pelo setor de locação de automóveis? Horacio: Números específicos do setor não temos. O que nós computamos como “vendas para empresas” engloba as locadoras de automóveis, frotas e governos. As vendas para esses segmentos representam 15% do faturamento da Toyota do Brasil.

L: Vocês têm ações específicas para conquistar e/ou fidelizar os clientes deste mercado? Quais são? Horacio: Vamos “atacar” forte o mercado de locação de automóveis. O Etios, primeiro veículo compacto com o DNA Toyota de qualidade, confiabilidade e durabilidade, desenvolvido no Brasil em nossa fábrica de Sorocaba, é o primeiro grande passo nesta direção. Nos próximos 60 dias devemos anunciar algumas condições diferenciadas para o setor. L: Que expectativa vocês têm para o Toyota Etios no mercado de locação e frotista? Horacio: É o produto ideal para este mercado. O carro tem modelos com dois tipos de carroceria, hatchback e sedã, e dois tipos de

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

9


ENTREVISTA

motorização, 1.3L e 1.5L, ambas com 16 válvulas. No Latin NCAP, braço para a América Latina do programa europeu que promove testes independentes de segurança dos automóveis, o Etios obteve quatro das cinco estrelas possíveis. Isso vai atrair o setor. Nossa rede espalhada por todo o país, custos e manutenção reduzidos, e excelente valor de revenda também são grandes atrativos. Nosso objetivo é competir no segmento de carros compactos, o maior do Brasil em volume de vendas, com aproximadamente 65% de participação no mercado interno. O Etios tem papel fundamental nos planos de expansão da marca no Brasil. A Toyota planeja vender 70 mil unidades do compacto por ano.

10

ABLA Novembro • Dezembro 2012

L: Quais são os modelos da Toyota mais procurados pelo setor de locação? Horacio: Hoje o Corolla, que é líder absoluto entre os sedãs médios, e a Hilux, primeira no ranking entre as picapes médias com motor diesel. A linha de carros da Toyota no Brasil é bem menor do que a existente em outros países. Estamos avaliando a possibilidade de mudar isso. Queremos trazer mais modelos para cá. L: Como a Toyota avalia as várias prorrogações do IPI reduzido? Horacio: Qualquer ação do governo que aumente as possibilidades de vendas é vista com bons olhos pela empresa. Mesmo quando avaliados os resultados de revenda, não tivemos grandes problemas porque nossos carros sempre alcançaram excelentes valores e são muito procurados. Novos ou usados.


FINANÇAS

REFIS DA CRISE é objeto de disputa entre governo e câmara Os empresários que têm dívidas de impostos até 30 de novembro de 2008 podem ter t mais uma oportunidade parra regularizar essa situação, porém o Governo Federal faz de tudo para que isso não n aconteça e a Câmara dos Deputados faz de tudo para a que uma medida provisória seja aprovada. É um verdadeiro cabo de guerra. g Os setores produtivos agua ardam o desfecho final. A Lei 11.941/09, conhecida como o Refis da Crise, proposta pelo então governo g do presidente Luiz Inácio Lula da Silv va para dar fôlego ao setor empresarial, em meio m à crise econômica mundial ocorrida em m 2008 e início de 2009, trata da consolidaçã ão e o parcelamento de dívidas contraídas até a 30 de novembro de 2008 por pessoas ju urídicas e físicas. Pouco divulgada – como se empre – e com inúmeras dúvidas de todas as s partes, deixou de atender a todos os interessados sados em participar do refinanciamento.

12

ABLA Novembro • Dezembro 2012


Agora, parlamentares tentam corrigir isso por meio de medida provisória. Duas já foram apresentadas e através de manobras políticas uma delas “caducou”. Nova medida foi aprovada dia 19 de dezembro de 2012 (MP n nº 578 – A, de 2012) e vai para sanção da preside presidente Dilma. empresário cabe somente Aos empresários torcer para que sej seja aprovada na íntegra. Difícil, mas não impossível de acontecer. Se apro aprovada, reabre prazo de adesão para o d dia 28 de fevereiro de 2013. “Originalmente a MP 578, trata da depreciação dos vveículos automóveis para tr transportes de mercadorias e outr outros assuntos ligados a isso, porém os de deputados incluíram no texto final a con concessão de iin nce c ntivos fiscais a diversos setores da incentivos ec e c ono on om mia ia e a reab economia reabertura do chamado R efis da aC risse ri e. Nes Refi Crise. Nessa ‘manobra’ dos parlamentares, s foi a aprovada a redação q qu e passou pela C que Câmara no primeiro tturno tu urn r o de votações com os chamados ‘c contrabandos’ e re ‘contrabandos’ rejeitada a decisão ttomada to omada pelo Senad om Senado dia 18/12/2012 de retomar a redaç de redação original enviada pelo Executivo”, ex explica Gustavo Vieira, assessor parlamen parlamentar da Federação Nacional das Empr Empresas de Serviços Contábeis – Fenac Fenacon. O objetivo da nova n Medida Provisória é que se seja aberto um novo período, para que os empresários que não aderiram ao Re Refis da Crise anteriormente o faç façam agora.

Se aprovada pelo senado e sancionada pela presidente Dilma, será uma grande oportunidade para o empresário regularizar os tributos em atraso, fato que impede muitos negócios, principalmente para empresas de pequeno e médio porte. Refinanciar os débitos permite a “limpeza” do nome e, consequentemente, a emissão de todas as certidões para poder participar de licitações, receber empréstimos, etc.. De acordo com fontes do Governo Federal, a tentativa de barrar a entrada do artigo referente ao Refis da Crise na MP ocorre por, teoricamente, incentivar as companhias com débitos tributários junto a União a simplesmente se inscrever no programa, de forma a obter a certidão negativa da dívida, e depois abandonar o programa. Porém, uma minoria faz uso desse expediente. Para Sebastião Luiz Gonçalves dos Santos, conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC SP) “a aprovação da MP é de suma importância, pois com o novo prazo do Refis, os erros cometidos poderão ser sanados, uma vez que muitos empresários não foram excluídos porque deixaram de pagar, mas sim por erros menores, frutos da complexidade e da burocracia do próprio sistema’’. Vamos aguardar o resultado. Quem sobreviver verá.

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

13


PIT STOP

Alunos do projeto “Volkswagen Viva a Dança” mostram seus talentos contemporânea, os alunos do projeto “Volkswagen Viva a Dança” se apresentaram para familiares e comunidade, que contou também com a presença da gerente executiva de Recursos Humanos montadora, Claudia Birle, e a secretária de educação de São Bernardo do Campo, Elaine Lindolfo. O projeto beneficia 120 crianças e adolescentes, com faixa etária de 6 a 12 anos, de comunidades carentes do entorno da fábrica de São Bernardo do Campo por meio de aulas de dança e aprendizado sobre cidadania e saúde. Centenas de familiares e pessoas da comunidade assistiram ao evento, que foi marcado por muita emoção. Um vídeo com depoimentos de pais e de profissionais participantes do projeto mostrou a importância que a iniciativa teve não somente na vida das crianças, mas nas vidas de todos os envolvidos. Assim como os pais, as crianças também aprovam o projeto e reconhecem seus benefícios. Para Claudia Birle, ver a transformação positiva que o projeto “Volkswagen Viva a Dança” trouxe para as crianças e suas famílias é muito recompensador.

“É um orgulho para a Volkswagen do Brasil patrocinar um projeto tão maravilhoso como esse e contribuir para que jovens possam se aproximar da arte e da cultura, além de formar cidadãos de bem”, disse a gerente. Além de oferecer oficinas gratuitas baseadas em técnicas de dança contemporânea, desenvolvendo a conscientização sobre o corpo, a coordenação motora, a criação e a improvisação, o projeto oferece aos jovens aprendizado sobre cidadania e saúde contando, para isso, com profissionais da dança e da educação e acompanhamento de psicólogas e assistentes sociais, que ministram palestras visando a melhoria da autoestima dos alunos, abordando temas indispensáveis no dia-a-dia, como saúde preventiva, nutrição, primeiros socorros, meio ambiente, sustentabilidade, postura e educação sexual, entre outros assuntos. Por meio de representantes comunitários, a seleção dos jovens foi feita com priorização às crianças e adolescentes com maior fragilidade social. As aulas têm duração de 1h30 cada uma e são ministradas duas vezes por semana. Os alunos também recebem um kit lanche nesses dias, além de uniforme e mochila.

Salão de motos de Milão ganha tons verde e amarelo O mercado brasileiro é hoje um dos mais atrativos para a indústria de duas rodas. Não por acaso, quando se falava de prospecção de mercado para 2013, o país foi tema recorrente entre as marcas expositoras do Salão de Motos de Milão, maior evento motociclístico do mundo. Realizado entre os dias 13 e 18 de novembro, o EICMA 2012 (Exposizione Internacionale del Motociclo) reuniu os maiores fabricantes de motocicletas, antecipando tendências e modelos que muito em breve estarão disponíveis para aqueles que não abrem mãos do estilo de vida sobre duas rodas. Com esse contexto favorável, o Salão Duas Rodas 2013, o maior da América Latina, tem tudo para ser a melhor entre todas as edições, associando um ambiente de negócios positivo ao que há de mais moderno no mundo das motocicletas. A divisão Motorrad da BMW, cujo presidente mundial esteve em Salão de Milão para lançar o modelo F 800 GT, reforçou que tem intenção de continuar a investir no Brasil. Para o diretor da marca no mercado brasileiro, Rolf Epp, 2012 foi um ano de consolidação da BMW Motorrad no país. “Consolidamos a rede de concessionárias,

16

ABLA Novembro • Dezembro 2012

que hoje tem 30 pontos de vendas espalhados por todo o território nacional. Anunciamos ainda a vinda oficial da Husqvarna, alcançamos o número de quase sete mil unidades BMW entregues a clientes e vimos a nossa participação de mercado em (motocicletas acima de 500 cc) passar de 12% em 2011 para 15% em 2012”. Segundo ele, tais fatores renderam a conquista da posição de quinto mercado em nível mundial para a BMW Motorrad, proporcionando excelentes perspectivas para 2013. O presidente da brasileira Dafra, Creso Franco, também esteve em Milão e antecipou que a empresa lançará no Salão Duas Rodas 2013 novos modelos de Scooters. A MV Agusta, representada pela Dafra, também prepara novidades para o mercado nacional no ano que vem. Além dos lançamentos, o público que comparecer ao Pavilhão de Exposições do Anhembi terá ainda muitas opções de entretenimento, como tarde de autógrafos com ídolos do motociclismo, shows de acrobacia e simuladores. É marcar na agenda e esperar para conferir! Serviço: 12º SALÃO DUAS RODAS Data: 8 a 13 de outubro de 2013 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi Mais informações em www.salaoduasrodas.com.br


GESTÃO

Novos serviços de terceirização dos processos de faturamento e de captura e enriquecimento de informações, garantem trabalhar com estruturas mais leves, eliminar etapas operacionais, reduzir o volume de papel, a perda de documentos e melhorar o fluxo de caixa nas locadoras de automóveis.

SERÁ O FIM DA A especialização do Grupo TX no segmento de viagens em três áreas de negócios – gestão de informação, serviços e consultoria – possibilitou a criação desses serviços direcionados às empresas locadoras de veículos. A proposta de terceirização é proporcionar aos usuários a migração de processos, alinhada ao padrão de SLA (Service Level Agreement) estabelecido. Na prática, as locadoras que optarem por este método e terceirizarem as etapas operacionais do processo de faturamento terão redução de custos fixos e 18

ABLA Novembro • Dezembro 2012

variáveis, bem como aumento de controle. Já o TXDoc, propicia a captura e o enriquecimento de informações para a locadora de veículos, quando a venda é feita por cartão corporativo virtual, eliminando as etapas operacionais do faturamento. “O processo fica mais simples, pois toda a documentação é enviada para uma única caixa postal do Grupo TX e este se incube de triar e detalhar toda a informação consistida com a transação financeira”, explica Avelino Alves, diretor executivo do Grupo TX. Os novos serviços prestados para as


“Os serviços oferecidos por nossas empresas têm perfeito entendimento destas peculiaridades, por meio de soluções desenvolvidas one-to-one, com base na gestão de variáveis específicas. Trabalhar com estruturas mais leves, eliminar processos operacionais, reduzir o volume de papel, o prazo e a perda de documentos, que roubam um tempo precioso dos negócios, são conquistas que buscamos proporcionar aos clientes. Nosso objetivo é fazer com que eles estreitem o foco no core businesss de suas respectivas atividades empresariais”, finaliza Walter Teixeira, presidente do Grupo TX. As locadoras de automóveis interessadas em conhecer os dois serviços podem participar de workshop p ministrado pelo fornecedor, ou mesmo agendar uma apresentação dos mesmos. Em tempos de especialização, vale a pena conhecer ferramentas específicas que permitam maior dedicação à atividade fim da empresa que é a locação de automóveis.

PAPELADA? locadoras de automóveis encontram referência similar no atendimento já prestado, com sucesso, as empresas clientes do grupo que utilizam hotéis independentes e redes hoteleiras. “Quando analisamos os processos nos segmentos de locação e hotelaria encontramos muita semelhança, mas existem particularidades que, se não observadas, podem gerar mais problemas do que soluções”, alerta Alves, citando como exemplo, o alto índice de rotatividade da mão de obra, que pode gerar perda de conhecimento e retrabalho. Novembro • Dezembro 2012 ABLA

19


PIT STOP

Vinícola Salton encerra 2012 com 20 prêmios Nissan atinge marca e expectativa de faturamento de 100 mil unidades de R$ 290 milhões

vendidas no Brasil

A Nissan do Brasil atingiu pela primeira vez a marca de 100 mil unidades vendidas em um único ano. O recorde anterior foi em 2011, quando a marca vendeu 67.280 veículos e se tornou a fabricante com maior crescimento de vendas. O recorde de vendas anual é mais um resultado do arrojado plano de crescimento da Nissan no Brasil, que prevê também atingir 5% de participação de mercado e saltar das já atuais 157 concessionárias para 240 até 2016. Consolidada no mercado brasileiro, a montadora atua em 83% dos segmentos do setor automotivo do país. Entre o volume de vendas, destaque para o Nissan March, compacto de entrada que representa 32% das vendas. Já o Nissan Versa tem 18%, enquanto a família Livina 15% e Frontier 17%. Família Tiida teve 9% das vendas e o sedan Sentra aparece com 8%. “Anunciar a centésima milésima unidade vendida no período de um ano representa muito para nós. Estamos muito felizes e convictos de que este é o caminho para um crescimento sustentável, que será complementado com a nossa nova fábrica no Rio de Janeiro a partir de 2014”, diz Christian Meunier, presidente da Nissan do Brasil. Além do resultado geral de vendas, a Nissan tem se destacado por possuir uma boa participação de mercado em grandes centros do país, onde a competitividade do setor é ainda mais acirrada. Em São Paulo, maior mercado da indústria, a empresa possui 4,7%. No Rio de Janeiro, 4,5%, seguida por Recife com 4,9%, Curitiba com 4,3%, Brasília com 3,9% e Porto Alegre com 3,6%.

20

ABLA Novembro • Dezembro 2012

O ano de 2012 foi frutífero para as parreiras da Salton. Ao todo somam-se 20 prêmios conquistados, resultado do trabalho constante de melhoramento de uvas e processos. Líder no mercado de espumantes nacional há seis anos consecutivos, a empresa conta com uma representatividade de 8% do mercado brasileiro de vinhos e 33% de espumantes – com perspectivas de atingir 40% ainda neste ano. Entre as medalhas e menções honrosas, o que se destaca é o reconhecimento no mercado internacional. A vitória dos produtos Salton em eventos como Concurso Effervescents Du Monde, na França, e La Mujer Elige, na Argentina, ratifica o compromisso da marca em entregar momentos de satisfação.

Entre os vitoriosos de 2012, destacam-se os tintos Salton Talento, Salton Desejo e o espumante lançamento do ano, Antonio Domenico Salton. Parte do Projeto Gerações, que homenageia os integrantes da família responsáveis pela construção da empresa nos seus primeiros 100 anos de existência, o produto é resultado de uma safra extraordinária e conta com número limitado de garrafas. Para o presidente Daniel Salton, as medalhas conquistadas são o reflexo dos investimentos realizados ao longo do ano – além dos R$ 45 milhões que serão destinados para a região de Santa do Livramento, a vinícola contou com o melhoramento de suas linhas de produção, aliando processos mais eficientes a uma economia energética de 60%. “Quando nossos produtos são reconhecidos por especialistas p de diversas p partes do mundo, a vitória não é apenas da Salton. É também de todos os nossos consumidores, que podem ter a certeza de estar brindando com os mais qualificados produtos do mercado. Queremos proporcionar um mundo de sabores a serem explorados, e esse tipo de premiação nos dá a confiança de que, cada dia mais, a Salton passa a ser sinônimo de momentos de satisfação”, comenta Daniel Salton. Com expectativa de faturar R$ 290 milhões de 2012, a Salton irá produzir 7,5 milhões de garrafas de espumantes, setor que se aquece no período de festas de Natal e Ano-Novo.


Carro forTe para o Trabalho.

some força e eConomia. e m u lT i p l i q u e p o r u m a f r o Ta . CusTo de manuTenção imbaTível: Compare e Comprove.

preço esp eC i al par a froTisTa pik up C ab i n e d up l a à visTa:

pik up Cabine si mp l e s

r$ 75.900,00

à visTa:

**

r$ 59.900,00

***

lançamenTo da linha euro-v:

motor mais leve e potente. agora Com piloTo auTomáTiCo, Trio eléTriCo, direção hidráuliCa, ar-CondiCionado, air bag e abs.

>> 4 x 4

>> diesel

>> maior espaço

>> torque

ConsulTe Condições espeCiais para froTisTas e os planos de finanCiamenTo, ConsórCio e seguros mahindra.

Consulte nossa rede de concessionárias* Tel.: 11 3060-5700 www.mahindra.com.br frotista@mahindra.com.br

Respeite os limites de velocidade.

IPI ZERO

GARANTIA

3 ANOS

TEST

ou 100.000 KM

MAH14801041-AnFrota_RevLocacao_21x28.indd 1

*Rede autorizada em todo país. Respeite a sinalização de trânsito. Consulte uma concessionária ou o site Mahindra para obter informações sobre as versões e configurações disponíveis. Imagens meramente ilustrativas. Os veículos Mahindra estão em conformidade com o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores – Proconve. **Mahindra CD 12/13, à vista a partir de R$ 75.900,00. ***Mahindra CS 12/13, à vista a partir de R$ 59.900,00 (carroceria não inclusa). Ofertas válidas apenas para frotistas e produtores rurais. Estoque limitado. Valores sugeridos a partir de 3 unidades. Garantia de três anos ou 100.000 km para pessoa jurídica, condicionada aos termos e condições estabelecidos no Manual de Garantia e Manutenção. A Mahindra reserva-se o direito de alterar as especificações de seus veículos, serviços e taxas sem prévio aviso. Promoção válida até 31/12/2012 ou enquanto durar o estoque. Cinto de segurança pode salvar vidas. Frete incluso para todo o Brasil.

11/8/12 6:32 PM


RETROSPECTIVA

Sucesso da ABLA é resulta Aos 35 anos, completados neste ano de 2012, a ABLA e o mercado brasileiro de locação de automóveis têm muito a comemorar. Consolidada como a legítima representante do setor junto ao Governo Federal ganhou voz e vez no Plano Brasil Maior; ampliou o relacionamento com o mercado internacional; realizou várias ações de qualificação; aproximou-se do meio acadêmico; fez parceria histórica com a Fenaloc; empenhou todo esforço para mostrar o mal que o IPI reduzido provisoriamente traz para o setor e para o País. Enfim, fez acontecer o que a associação tem como missão: agiu de acordo com os desejos de suas associadas. Por Lígia Alem Marcondes

ABLA, Denatran e Fenaloc juntas pela segurança no trânsito.

egundo estudos do IBGE, em 2010 a taxa de sobrevivência das empresas brasileiras após o terceiro ano de entrada no mercado foi de 48,3%. Quer dizer, quase a metade das empresas não sobreviveu ao terceiro ano. Então, pode-se concluir que uma entidade de classe que chega aos 35 anos em plena atividade, crescendo a cada ano em número de associados, agindo cada vez mais para o fortalecimento do setor, obtendo sucesso em suas empreitadas, e com grandes projetos para os próximos anos é um caso raro no Brasil. Na ABLA, como em tudo o que se faz na vida, o sucesso sempre é resultado de muito trabalho e dedicação. E, também, por duas outras razões fundamentais: conhecimento das reais demandas do setor e união de seus

líderes na entidade que representa o mercado de aluguel de veículos. Quando o objetivo é fortalecer o mercado ou superar os obstáculos - são muitos – que possam impedir ou atrasar o crescimento, o empenho é total.

S

22

ABLA Novembro • Dezembro 2012

Reconhecimento Só quem vive o dia a dia de um segmento da economia é capaz de detectar e achar a solução para seus problemas. Mais do que isso: antecipa-se aos acontecimentos e busca ultrapassar os obstáculos com muito mais serenidade. A ABLA foi definitivamente reconhecida como legitima representante do setor de locação de automóveis pelo Governo Federal quando recebeu o convite para integrar como membro titular o Plano Brasil Maior, através do Conselho de Competitividade Setorial de Serviços. “A presença da ABLA em um programa


do de trabalho e foco no setor deste porte ratifica a representatividade e também a força que o nosso setor conquistou ao longo dos anos”, avalia Paulo Gaba Jr., presidente do Conselho Nacional da ABLA. O objetivo da entidade no conselho é colaborar no sentido de buscar resultados que favoreçam a sociedade, as diversas regiões do País e também o mercado de locação de automóveis como um todo. “É isso que temos observado no âmbito da ABLA e que queremos multiplicar a partir de nossa presença no conselho de competitividade setorial de serviços”, explica Gaba Jr., que é o representante titular no conselho do Plano Brasil Maior e tem como suplente João Claudio Bourg, presidente executivo da ABLA. O Brasil Maior faz parte de uma das vertentes de atuação do governo Dilma Rousseff, que é a adoção de políticas públicas em favor do desenvolvimento, a partir de ações para fortalecer a competitividade, acelerar ganhos de produtividade, promover o adensamento produtivo e tecnológico das cadeias de valor, ampliar mercados, criar empregos de melhor qualidade e garantir um crescimento sustentável. “As reivindicações e propostas da ABLA em nome do setor de locação que surgirem no conselho, serão analisadas e poderão ser muito úteis para subsidiar a definição ações do Plano Brasil Maior”, avalia Bourg. Paulo Gaba Jr. reforça a ideia de que a criação dos conselhos de competitividade agregará valores e fomentará a

profissionalização da cadeia produtiva do País. “Pelo que pudemos ver, e por tudo o que a ABLA já realizou, tenho certeza que a nossa presença no Conselho Setorial de Serviços não ocorreu por acaso. Estamos no caminho certo”.

Tudo pela qualificação

Prioritário na associação desde 2007 quando foi criado, o Programa Nacional de Capacitação e Qualificação ABLA – PQA já atendeu mais de três mil profissionais. Em 2012, além de aumentar as opções de cursos, minicursos, seminários e palestras, o conteúdo programático do curso “Preço Certo” está à disposição das empresas associadas no site da entidade. E para atender cada vez mais e melhor as demandas, parcerias foram firmadas com órgãos de governo, como o Ministério do Turismo e o Sebrae, entidades de classe e universidades de vários estados. “O PQA nasceu da ideia de preparar a mão de obra e orientar os gestores de locadoras para melhorar a visão estratégica e fortalecer suas empresas, aumentando a qualidade dos Novembro • Dezembro 2012 ABLA

23


or

RETROSPECTIVA serviços prestados”, diz José Adriano Donzelli, coordenador do projeto e presidente da Federação Nacional das Locadoras de Automóveis – Fenaloc, entidade com quem a ABLA fechou parceria para atuar em conjunto principalmente no que diz respeito à defesa dos interesses do setor junto ao Governo Federal e partilham a mesma sede em Brasília, no edifício da Confederação Nacional dos Transportes – CNT. Já com o meio acadêmico, além de cursos presenciais e à distância para as empresas associadas, a ABLA busca a aproximação com o intuito de mostrar aos alunos o que representa o mercado de locação de veículos, as oportunidades de negócio e de trabalho no setor. Foi com esses objetivos que o presidente Paulo Gaba Jr. aceitou o convite da professora Karina Solha, da Faculdade de Lazer e Turismo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, e ministrou no 2º semestre uma palestra sobre o mercado de locação de veículos e os transportes turísticos no Brasil.

Fenaloc e os sindicatos de locadores de todos os estados. O relacionamento das entidades se estreita a cada dia e com isso estão mais fortalecidas nas reivindicações em comum. Os feitos e conquistas das diretorias da ABLA em seus 35 anos estão eternizados no livro “ABLA – 35 Anos em Movimento”. O lançamento aconteceu durante um jantar de confraternização e reuniu grande parte dos responsáveis pelo sucesso da entidade, em

Bourg, Adriano Donzelli, Kurc e Paulo Gaba

Lançamento do Anuário ABLA

História e números

Característica marcante das diversas diretorias e conselheiros da ABLA é a união em torno dos objetivos e interesses em comum. Para tornar concretas as metas, as parcerias sempre foram essenciais, e continuam sendo, como acontece com a 24

ABLA Novembro • Dezembro 2012

evento marcado por reencontros, comemorações, homenagens e muita emoção. A unanimidade ficou com os elogios para a atual diretoria por reconhecer o valor do que já foi feito e por dar continuidade aos trabalhos com muita seriedade e dedicação. “A maior conquista da ABLA nesse período de 35 anos foi a profissionalização da atividade, fruto do espírito empreendedor, dedicação e visão de futuro.


Graças à proatividade e competência dos ex-presidentes, conselheiros e diretores regionais, hoje somos reconhecidos por governo, montadoras e sociedade civil”, diz Paulo Nemer, vice-presidente do Conselho Nacional. O Anuário 2012 da ABLA é um verdadeiro raio-X do mercado brasileiro de locação. Ferramenta já tradicional, o Anuário é esperado com ansiedade por toda cadeia automobilística, pois ali encontra todos os

indicadores referentes a 2011 e análises que formam um panorama do setor de aluguéis de veículos e da frota atual. Além de ser fonte de informação indispensável aos profissionais e empresários da área, os dados são fundamentais na busca por investimentos e novos parceiros do setor. Em destaque as oportunidades, perspectivas e principais forças do setor que é um dos maiores clientes da indústria automobilística nacional. Os números do Anuário 2012 foram fornecidos pelas locadoras e também pelos departamentos de vendas diretas das montadoras, que participaram ativamente desta edição. A distribuição é feita para os associados, montadoras, agentes financeiros, trade turístico, sistemistas e todas as entidades que se relacionam direta ou indiretamente com o mercado. Os interessados em receber um exemplar devem contatar a ABLA através do site www.abla.com.br, ou pelo e-mail abla@abla.com.br Estes foram os principais eventos da ABLA em 2012. É importante ressaltar que todas as ações da entidade visam o desenvolvimento do setor e a defesa dos interesses das empresas associadas. Semear de maneira correta e cuidar da planta produz frutos de excelente qualidade, é exatamente isso o que acontece na associação. A semente, plantada em 1977 por pioneiros do setor, vem

- Lançamento do livro ABLA - 35 anos em Movimento.

15 º Encontro dos Sindlocs - Brasília - DF Novembro • Dezembro 2012 ABLA

25


RETROSPECTIVA

Lançamento Anuário 2012 Paulo Nemer, Simone Pino e Alberto Faria

Jantar de confraternização José Zuquim, Paulo Nemer, Alvani Laurindo, Peter Félix e Rissao Shimada

Conselhos e Diretorias Regionais da ABLA na Convenção de 2012

recebendo cuidados especiais de todos aqueles que aqui estiveram e estão, contribuindo decisivamente para a profissionalização do setor, levando-o a ter grande visibilidade por parte de instituições governamentais, empresas e público em geral. Os temas que preocupam o setor, como o Código de Trânsito Brasileiro, as questões fiscais e tributárias e a responsabilidade civil, 26

ABLA Novembro • Dezembro 2012

entre outras, são acompanhadas muito de perto pela entidade, que se faz representar em todas as esferas da atividade econômica. Por tudo isto, 2012 é um ano a ser comemorado. Que venha 2013. Sob o comando do Conselho Gestor, o Conselho Fiscal, a Diretoria Regional e a equipe da associação estão prontas para repetir e aprimorar os feitos.


MERCADO

IPI Reduzido transforma as locadoras em mariscos Ao estabelecer a redução do IPI dos automóveis – e reeditar a medida várias vezes – o objetivo do Governo Federal era apoiar uma importante cadeia produtiva da economia, que gera impostos e número de empregos significativos. No entanto, parece não ter pensado em outras cadeias produtivas tão importantes quanto aquela, nem nas consequências da decisão para o País. Os reflexos já se fazem sentir.

A

tender o fortíssimo lobby das montadoras de automóveis reduzindo o IPI fez muito mais estragos na economia do que gerou benefícios para o Brasil. Paulo Nemer, vice-presidente do Conselho Nacional da ABLA faz uma analogia perfeita sobre o assunto quando compara as empresas de locação de automóveis com mariscos. “O IPI reduzido nos transformou em mariscos, pois estamos presos no rochedo apanhando o tempo todo do mar. Um verdadeiro recheio de sanduíche a mercê das ações impensadas do governo e da ganância de setores privilegiados da economia”. E continua, “nosso governo é bipolar. Começa o dia de um jeito e não se sabe o que fará até o final da tarde. A redução do IPI serviu para ter números bonitos do PIB e não mediu as consequências. Não estamos tratando de um único setor, o de locação de automóveis, mas de toda a economia do Brasil. A ressaca do IPI reduzido já começou”.

Para se ter uma ideia do que o vice-presidente está falando, vários municípios estão literalmente de “pires na mão” e começam a reagir contra a atitude arbitrária do Governo Federal. Ruy Barbosa, prefeito de Bonito, em Pernambuco, foi o primeiro a ingressar na justiça contra a manutenção do IPI reduzido para automóveis, alegando que o município foi atingido com a perda da receita do Fundo de Participação dos Municípios - FPM. De acordo com Confederação Nacional dos Municípios - CNM, a estimativa é de perda de R$ 1,5 bilhão para as prefeituras desde maio. Isso porque dentro dos repasses do FPM, estão uma fatia do IPI e do Imposto de Renda e as desonerações destes tributos atingem em cheio as contas dos municípios que têm uma cota constitucional de recursos. Como a União concedeu isenção com dinheiro das prefeituras, agrediu o pacto federativo e recentemente, ministros do Supremo Tribunal Federal - STF decidiram no sentido de que a concessão de benefícios fiscais por legislação infraconstitucional não pode implicar na Novembro • Dezembro 2012 ABLA

27


diminuição do repasse de receitas tributárias constitucionalmente asseguradas aos municípios. Essas decisões reverteram posições contrárias de Tribunais Regionais e vários advogados têm agido em defesa dos municípios. Afinal, como honrar os compromissos das prefeituras se não entram recursos. “Não se pode, para atender a pressão lobista de um setor, prejudicar vários outros. No Brasil, carro é considerado bem de capital e não bem de consumo. Essa situação permite a eterna prática de enganar o povo com o pão e o circo, neste caso o imposto reduzido e o carro. Com isso, as montadoras continuam acelerando suas vendas com renda três vezes maior do que a média mundial”, diz Nemer. As vendas de carros usados despencaram após a redução do IPI, pois com preço reduzido e a enorme queda dos juros aliadas às facilidades dos financiamentos, incentivou o consumidor a comprar e, por isso, passou de todos os seus limites em busca do sonho do carro 0 km. Muitas pessoas estão endividadadas além de sua capacidade financeira, gerando o aumento da inadimplência no País. “O Governo deu um tiro certo por um lado, mas errou o alvo por outro lado. O segmento de seminovos é uma cadeia tão importante como a da venda de novos veículos. São gerados milhões de reais de impostos e de empregos diretos e indiretos na quantia enorme das agencias espalhadas pelo nosso País”, afirma Saulo Tomaz Froes, conselheiro da ABLA. Após o decreto publicado e posteriormente renovado, os empresários do setor tiveram uma perda entre 10 a 20% de seu patrimônio ativo, acrescido ainda de uma redução significativa nas vendas. Muitas empresas que trabalham alavancadas sofreram com seu fluxo de

28

ABLA Novembro • Dezembro 2012

caixa, e continuarão sofrendo por essa ação governamental. “Engana-se quem imagina que quando cessar a redução do IPI os carros usados voltarão ao seu patamar inicial. Não voltam mais. Não existe força produtiva do mercado para isso. É só ver o que aconteceu no mesmo período quando o último decreto foi instituído”, afirma Saulo. Os reflexos negativos para o setor não ficaram somente nisso, ainda existem as dificuldades das montadoras de atender aos pedidos, não somente do setor de locação de automóveis, como do público consumidor. Em agosto deste ano as montadoras bateram todos os recordes de vendas e algumas suspenderam seus faturamentos até 31 de dezembro exclusivamente para o mercado de aluguel de veículos. Não bastasse isto, ainda temos o problema da total falta de investimentos governamentais na infraestrutura em geral. A todo instante são jogados milhares de carros na cidade causando os transtornos e tragédias amplamente divulgados. “O IPI reduzido é um fator extremamente negativo para o nosso setor, mas não só para as locadoras. Atinge toda a cadeia produtiva de automóveis, exceto as montadoras, que são as únicas beneficiadas com essa ação do governo”, diz Aleksander Rodrigues Rangel, conselheiro nacional da ABLA. “Ficamos com maior patrimônio imobilizado, assim como as revendas de seminovos e os revendedores de autopeças. Só as montadoras, que estão na ponta da cadeia produtiva, são beneficiadas. O governo foi inconsequente quando decidiu por essa redução de imposto”, explica o conselheiro Aleksander. A pergunta que fica é: quem vai informar ao Governo Federal que ele está todo errado ao tomar essa decisão? A ABLA está fazendo sua parte.


VIDA EXECUTIVA

A “Lei do Sucesso”, um clássico do empreendedorismo Uma edição comentada de um dos maiores clássicos de empreendedorismo, “A Lei do Sucesso”, de Napoleon Hill está nas livrarias. A obra é fruto de intenso trabalho do filósofo e especialista em desenvolvimento pessoal, Jacob Pétry, que criou uma versão concisa e contemporânea das 16 lições criadas por Napoleon Hill. A história que resultou na filosofia da “Lei do Sucesso” é um episódio tão extraordinário quanto os próprios resultados proporcionados pelo livro. Em 1905, o jovem Napoleão Hill conseguiu uma entrevista com o industrial Andrew Carnegie, o 2º homem mais rico do mundo até hoje. Carnegie tinha uma crença: que estudando o caráter e as atitudes dos homens mais proeminentes do mundo, seria possível criar uma ciência do sucesso que poderia ser seguida por qualquer pessoa. Napoleon Hill estudou a vida de mais de 16 mil pessoas. E uma das constatações mais marcantes foi a de que 95% das pessoas que não obtiveram um bom desempenho na carreira não tinham claro o que queriam da vida. Porém, os 5% que alcançaram sucesso não apenas possuíam um propósito definido, mas também tinham um plano para executá-lo. E, além disso, parcela imensa dentre os que fracassavam estava envolvida com algum tipo de trabalho que não gostava. E foi com base nessa pesquisa que há 84 anos Hill lançou a A lei do Triufo - mais de 1000 páginas com lições reais de pessoas de sucesso, que até hoje influenciam grandes nomes em todo mundo.

Marcenaria para aliviar o stress Está mais do que comprovado: atividades manuais são um “santo remédio” para aliviar o estresse do dia a dia. Quem gosta de marcenaria, por exemplo, precisa de equipamentos ideais, que facilitem todo o trabalho, como a Multi Função, que realiza diferentes operações em uma única máquina: quina: serrar, esmerilhar, lixar, furar, fresar e tornear. Ideal para uso profissional, em residências, sítios, chácaras, construção civil e artesões, possui diversos benefícios, tais como economizar espaço; vem com Lixadeira de Cinta; Motor de 1500 Watts (mais potente); Chave elétrica com Trava de Segurança; Botão de Variação de Velocidade de 700 para 3600 rpm; Proteção Superior e Inferior da serra. A mesa de trabalho é maior, com mais espaço e agilidade durante a operação, possui transferidor de 0º a 45º para cortes retos e angulares na horizontal, protetor de cavacos transparente, e ajustável, o que oferece rece segurança e permite total visualização do nível do corte. Tudo isso dá a ela precisão de trabalho, economia e segurança e muito prazer ao ver os trabalhos prontos. Ficha Técnica Fabricante: Ferrari Equipamento: Multi Função - Preço Sugerido: R$1.467,00 $1.467,00

Novembro • Dezembro 2012

ABLA

29


TESTE DRIVE

Hyundai HB 20

impressionante

Desde que a revista Locação começou a fazer avaliações, pela primeira vez fomos surpreendidos por um veículo em vários aspectos.

O painel de instrumentos do HB 20 tem design que adota a chamada “escultura fluída” e utiliza o Supervision Cluster, projeto mais avançado e só encontrado em modelos de categoria superior, com desempenho que faz esses 128 Cv da versão 1.6 Gamma 16V, câmbio manual, transformarem o HB20 em um veículo esportivo. A faixa de torque permite utilizar somente três marchas na cidade: o condutor sai em primeira, engata a terceira e, na sequência, a quinta marcha, apenas “acariciando” o pedal do acelerador. Nas curvas de esquina, pode-se fazer uma segunda velocidade, passar para a quarta marcha com tranquilidade, que o HB 20 ganha velocidade com vigor sem precisar “pisar” fundo no acelerador. Para o setor de Locação ainda não se sabe como será o item valor residual, porém com a montadora oferece cinco anos de garantia, é possível prever que após dois anos de utilização o veículo poderá ser vendido restando ainda três anos de garantia. Isso ajudará a melhorar o valor residual. A estabilidade em curvas de alta ou baixa velocidade é muito boa, permitindo o domínio do carro até mesmo para o motorista que, sem muita prática, exagere no acelerador. A série do modelo testado já vem com ABS, ar-condicionado, airbags duplo, direção hidráulica, pintura sólida. Para o público, o preço do Hyundai HB 20, na versão 1.6 Gamma 16V - câmbio manual, é de R$ 36.995,00. 30

ABLA

Novembro • Dezembro 2012


* Por João Claudio Bourg

Presidente Executivo da Abla

Passageiros

são destaque no

Etios

Havia muita expectativa no setor de locação com o lançamento desse modelo da Toyota. No test drive, o item que mais se destacou foi o espaço que os ocupantes do banco traseiro conseguem, tanto para as pernas como para a cabeça.

Realmente o Etios era muito esperado pelo setor de locação. E essa espera se deve ao histórico da marca japonesa no aspecto de qualidade e valor residual, dois itens imprescindíveis para o negócio: carros com o menor custo operacional durante o período de utilização e o melhor valor de revenda do ativo. Pois bem, o Etios chegou e a expectativa não se concretizou nesses aspectos. Vamos aguardar para ver o que acontecerá na prática após o primeiro ciclo de utilização e vendas acontecer. Vale ressaltar que este Hatch obteve quatro estrelas no teste de colisão realizado pelo Latin NCap, instituto independente para ensaios de colisão em veículos na América Latina. Em nossa análise da versão hatchback Etios, notamos que as partes metálicas das caixas de rodas não apresentam a mesma pintura da cor externa do veículo, mas somente o fundo. O revestimento do painel de instrumentos tem um aspecto de acabamento rústico. Já o marcador de combustível, que é digital, poderia ser um pouco maior, considerando que está centralizado no painel, o que dificulta a visualização. Considerando-se as dimensões externas deste carro – 3,78 m e 2,46, (entre-eixos) –, impressionante é a “mágica” que a Toyota fez para obter o espaço que os

ocupantes do banco traseiro conseguem, tanto para as pernas como para a cabeça. O Etios se comporta como um veículo superior, sua direção é precisa, suspensão firme, oferecendo conforto com relativa estabilidade. O modelo testado vem com alarme, imobilizador, direção elétrica, ar-condicionado, air bag duplo e freios ABS. Para o público o custo é de R$ 36.190,00.

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

31


ESTIVEMOS PRESENTES

Posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Sindloc-BA

Foi concorrida a posse da diretoria executiva e conselho fiscal do Sindicato das Empresas Locadoras de Veículos do Estado da Bahia (Sindloc-Bahia) para o biênio 2012-2014, que aconteceu dia 28/12, no restaurante Lafayette, quando também houve o jantar de confraternização de final de ano. Associados, autoridades, representantes do trade turístico baiano, fornecedores e parceiros, foram levar seus

cumprimentos à diretoria reeleita constituída pelo Presidente, Jeferson Tararan (Local); 1º. Vice-Presidente, Marconi Dutra (Scala); 2º. Vice-Presidente, André Agra (LM); Diretor Secretário, Vinícius Duton (Lupa); e Diretora Financeira, Rogéria Alencar (Natural). O Conselho Fiscal é formado por Moema Pitanga (Tradekar), Lucas Benzota (Aratu) e Alberto Faria (Lupa).

Presença internacional A ABLA esteve presente em dois dos mais importantes eventos do setor de locação dos EUA: o CRS – Car Rental Summit e o Limoshow. As visitas são parte da estratégia de trazer mais parceiros internacionais para o Fórum 2013 e a internacionalização da entidade, no contexto da globalização do setor e preparação para os grandes eventos que acontecerão no Brasil nos próximos anos.

32

ABLA Novembro • Dezembro 2012


Eventos 29/10

09/11

28/11

29/11

Coquetel Volkswagen 27º Salão do Automóvel

Jantar de Aniversário de 22 anos Sindiloc-PR Curitiba - PR

Jantar de Confraternização Sindloc-PE Recife - PE

Jantar de Confraternização Sindloc-BA Salvador - BA

30/11

04/12

05/12

05/12

Jantar de Confraternização Sindiloc-ES Vitória - ES

Jantar de Confraternização Sindiloc-MG Belo Horizonte - MG

Jantar de Confraternização Sindloc-SP São Paulo - SP

19º Prêmio de Jornalismo CNT Brasília - DF

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

33


TURISMO

AS VÁRIAS FACES E ESTILOS DE

Florianópolis As opções de passeios e lazer para todos os públicos atraem cada vez mais turistas de todo o Brasil e do Exterior para Florianópolis. Praias, esportes, história e gastronomia são as atividades mais procuradas. Por ser a capital com o mais alto índice de desenvolvimento humano, a cidade também cresce em número de moradores. As estradas bem conservadas são um convite para conhecer outras cidades.

Capital do Estado de Santa Catarina, Florianópolis é uma das três ilhas-capitais do Brasil (as outras são Vitória, no Espírito Santo e São Luis, no Maranhão). As praias, obviamente, são a opção de lazer mais procurada. Segundo o governo local são 42, mas basta um passeio pelos 430 quilômetros para descobrir muitas outras. Quase uma centena, incluindo aquelas da costa continental. Algumas tão selvagens que permanecem sem nome. Além das praias, Florianópolis tem lagoas, dunas, montanhas, mangues e uma cultura 34

ABLA Novembro • Dezembro 2012


tão diversificada que atrai jovens em busca de baladas, famílias com crianças, casais românticos e a animada turma da melhor idade. Todos convivendo na mais perfeita harmonia e com o local ideal para cada grupo. A ilha ocupa 97% da capital e tem as mais lindas praias e paisagens. Pode-se escolher as movimentadas e urbanizadas no lado norte, ou

as tranquilas e as ainda não descobertas do sul, aonde existem aquelas com ondas violentas e outras de águas calmas, longas extensões de areia e verdadeiros paraísos escondidos. Mais da metade de Floripa, como é carinhosamente chamada, fica numa ilha oceânica, cujo nome oficial é Ilha de Santa Catarina. Está ligada à parte continental por três pontes, sendo uma delas, a Hercílio Luz, verdadeiro patrimônio da humanidade inaugurada em 1926 e única do gênero ainda existente no mundo. PARAÍSOS PARA TODOS As melhores praias de Florianópolis ficam na Ilha. Partindo do centro da cidade, todos os caminhos levam ao mar. Pela Avenida Beira Mar Norte, chega-se às praias do norte e do leste. Na costa leste, praias como Lagoinha do Leste, Ingleses, Santinho, Armação, Galheta e Brava, concentram o maior número de veranistas. Ingleses é praticamente uma cidade. Novembro • Dezembro 2012 ABLA

35


TURISMO Tem vida noturna própria com bares, restaurantes e danceterias sempre lotados. A praia do Santinho ficou conhecida pelo mega empreendimento Costão do Santinho, um dos maiores resortes do país. Os pescadores são a atração da Armação e Galheta foi adotada por gays e naturistas. Planejada com esmero arquitetônico, a Brava é reduto de “Vips”. As praias do norte possuem excelente infraestrutura turística e de lazer. São mais frequentadas por pessoas de classe média alta, famílias e turistas estrangeiros. Entre elas estão Jurerê, Jurerê Internacional, Canasvieiras, Ponta das Canas e Lagoinha. Nas baías calmas e protegidas dos ventos ancoram lanchas, veleiros e iates de todos os portes e procedências. Ponta de Canas, por ter mar calmo, é ideal para quem está com crianças e de fácil acesso para quem está de carro. Jurerê, que destaca-se pelo agito da beira-mar regado a champanhe e música eletrônica. O sul da ilha é a face açoriana mais autêntica de Florianópolis, com muitas curiosidades – como a passagem do escritor e aviador do correio francês, Antoine Saint Exupery, que gostava de conversar com os pescadores da praia do Campeche, para os quais o autor de “O Pequeno Príncipe” era simplesmente o “Zé Perri”. Fora do circuito dos grandes hotéis, o lado sul concentra dezenas de pousadas, muitas com decoração temática e cardápios alternativos. A praia de Pântano do Sul, pela diversidade dos frequentadores. Gente de todas as “tribos”. Do Pântano do Sul parte uma trilha até a praia da Lagoinha do Leste, que proporciona contato direto com a vegetação nativa, riachos, fauna, flora e a visão deslumbrante da praia selvagem. Com um pouco de sorte, dá até para ver as baleias nadando tranquilas na baía com seus filhotes. No lado oposto, fica um dos lugares mais encantadores: a “freguesia” do Ribeirão da Ilha, onde são cultivados as ostras e os mexilhões. Nos 30km de estrada sinuosa, sempre costeando o mar, surgem o casario açoriano, igrejas do século 18, colônia de pescadores, fazendas de ostras e mexilhões e barcos coloridos que enfeitam toda a orla. 36

ABLA Novembro • Dezembro 2012

No final do percurso, o passeio só é possível através de trilhas ou barcos alugados pelos pescadores. Mas a aventura é compensada pelo prazer de pisar nas areias finas e alvas da Praia dos Naufragados, tendo à frente a fortaleza de Araçatuba e várias ilhas menores. No centro fica a Lagoa da Conceição, um dos pontos mais agitados de Floripa. Dos esportes náuticos à pesca noturna do


camarão, da feirinha de artesanato aos shopping centers e lojas de souvenirs, dos restaurantes de frutos do mar aos barzinhos para se curtir os finais de tardes. Acontece de tudo na Lagoa, inclusive a agitação da vida noturna da Ilha. Casas com música ao vivo, restaurantes e bares descontraídos, danceterias, baladas e, principalmente, muita gente circulando até o amanhecer na alta estação. Nas proximidades estão outros encantos, como as praias da Joaquina e do Mole, com suas dunas incríveis, mar agitado, grandes ondas, surfistas e palco de campeonatos internacionais. A barra da Lagoa é bem popular e famosa pelos pagodes nos bares à beira-mar. ALÉM DAS PRAIAS Mesmo no verão Florianópolis não é só praia. Toda e qualquer modalidade de esportes radicais podem ser praticados na Ilha. Do vôo livre ao sandboard nas imensas dunas da Joaquina e Santinho. Dos esportes náuticos às trilhas dentro da mata, sobre os costões, por vilas de pescadores, cachoeiras, inscrições rupestres e paradas para observação da flora e fauna nativas. Tem também passeios de barcos ou escunas em roteiros variados que incluem fortalezas do século 17 e as ilhas onde vivem aves e animais marinhos. Sem dúvida, deve-se reservar um tempo para passeios e visitas aos museus e centros históricos, localizados em sua maioria no centro da cidade. Outra dica é aproveitar para conhecer os arredores da cidade, como as águas termais e o rafting, em Santo Amaro da Imperatriz; as primeiras colônias dos imigrantes alemães do sul do Brasil, em São Pedro de Alcântara, Angelina e São Bonifácio, comunidades que trazem a marca dos imigrantes alemães nas casas típicas estilo enxaimel ou alpino, na língua alemã falada no dia-a-dia e nos deliciosos cafés coloniais servidos nos finais de tardes.

Acesse o portal da ABLA e conheça as locadoras associadas: www.abla.com.br

Sugestões de passeios na Ilha: • Ponte Hercílio Luz do Forte Sant´Ana, na Avenida Beira-mar. • Fortalezas históricas. • Passeio de escuna saindo do Centro ou de Canasvieiras, com destino à Ilha de Anhatomirim, Ratones Grande com passagem pela Baía dos Golfinhos. • Caminhadas ecológicas na Lagoinha do Leste, Naufragados, Costa da Lagoa, Lagoa do Perí, Moçambique, Ingleses entre outras. • Mergulho, caminhadas e visita às inscrições rupestres na ilha do Campeche. • Visita ao casario colonial das localidades de Ribeirão da Ilha (Sul), Santo Antônio de Lisboa (Norte) e Lagoa da Conceição. • Degustar ostras no Ribeirão da Ilha. • Inscrições rupestres na Praia do Santinho. • Artesanato na Alfândega (Centro), Casa Açoriana (Santo Antônio de Lisboa) ou diretamente com as rendeiras de bilro, na Avenida das Rendeiras, Lagoa da Conceição. • Passeio no Centro Histórico: Praça XV, Palácio Cruz e Sousa, Catedral Metropolitana. • Mercado Público e Prédio da Alfândega. • Museu de Arte de Santa Catarina e outros museus como a casa de Victor Meireles Sugestões de passeio no centro: • Vista panorâmica dos muitos mirantes da ilha: Morro da Cruz (Centro), Morro das Pedras (Sul), Ingleses (Norte), Morro das Sete Voltas, Praia Mole e Lagoa da Conceição. Sugestões de passeios nos arredores de Florianópolis: • Santo Amaro da Imperatriz e Antonio Carlos ficam a 30 minutos de Floripa, cidadezinhas conhecidas pelo turismo rural e banhos de cachoeira. • Rafting no Rio Cubatão, em Santo Amaro. • Colônias alemãs de São Pedro de Alcântara e Santa Isabel. • Centro Histórico de São José. • Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. • Praias, contos e gastronomia de Governador Celso Ramos • Parques Aquáticos em Antônio Carlos • Bombinhas, localizada a 60 quilômetros de Florianópolis, verdadeiro paraíso ecológico, conhecida como Capital do Mergulho Ecológico • Balneário Camboriú e Blumenau, que ficam a uma hora da ilha, são opções para curtir um visual paradisíaco e têm a melhor qualidade de vida em Santa Catarina • Palhoça, a apenas 14 quilômetros da capital, tornou-se uma das cidades que mais oferecem alternativas de lazer, as praias mais procuradas são: Enseada de Brito, Guarda do Embaú, Pinheira e Praia do sonho • Porto Belo, vizinho de Bombinhas é conhecida por sua beleza selvagem que encanta os turistas interessados em desfrutar da natureza com tranquilidade.

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

37


LUXO

Para os fãs de

tecnologia O RELÓGIO INTELIGENTE DA SONY NY O SmartWatch é um acessório capaz de ok, controlar diferentes funções do smartphone. Informa as atualizações do Twitter e Facebook, sar permite checar a previsão do tempo, ou até silenciar ou recusar uma ligação sem precisar ny. tocar no seu smartphone Sony. Vários aplicativos podem ser baixados no relógio, desde a sua agenda de contatoss e els, favoritos a gerenciadores de músicas. A tela plástica com 128 x 128 pixels, ua. de 1,3 polegadas OLED, é resistente a respingos d’água. ,00 Preço sugerido: R$ 600,00

TV COM DEFINIÇÃO CINEMATOGRÁFICA A primeira TV de 84 polegadas com tecnologia Ultra HDTV (Ultra High Definition) é da LG. O modelo 84LM9600 começa a ser vendido no mercado brasileiro no início de 2013, e vem com tela LED Plus de 84 polegadas, resolução de 3840 x 2160 (HDTV), som estéreo 2.2 (dois subwoofers com 50W de potência), 240Hz, todos os aplicativos e conectividades existentes na linha Cinema 3D e a tecnologia 3D e seis pares de óculos. Para poder comparar a qualidade das imagens nessa “super TV”, a maioria das telas dos cinemas brasileiros possuem resolução de 2K. Preço sugerido: R$ 45.000,00

UM SUPER ULTRABOOK Disponível em White Gorilla® Glass 2 ou alumínio polido, o Ultrabook™ Aspire Série S7 é bonito e inteligente. Seu moni-tor Full HD sensível ao toque faz com que você ocê se socialize, execute atividades vidades e divirta-se. O teclado o se ilumina automaticamente para a o brilho perfeito, visando o uso confortável em configurações escuras, enquanto o resfriamento Acer TwinAir faz com que seja um prazer segurar este Ultrabook™. O monitor Full HD translúcido do Aspire Série S7 gera detalhes profundos e o toque de dez pontos coloca o controle em suas mãos. Capaz de abrir 180 graus, esse Ultrabook™ pode ser utilizado em ambos os lados para trabalhos em equipe. Existem dois modelos: o versátil de 13,3” ou o ultramóvel de 11,6”. Preço sugerido: R$ 6.400,00 38

ABLA Novembro • Dezembro 2012

CÂMERA FOTOGRÁFICA DIGITAL LUMIX FZ47 Para quem gosta de fotografia uma excelente opção é o modelo Lumix FZ47, da Panasonic. Com o modo manual, é possível ajustar a câmera de acordo com a preferência de cada um e ainda utilizar os recursos criativos para criar o Efeito Miniatura, deixando as fotos personalizadas e com ótima resolução. A câmera também é equipada com disparo ultrarrápido, permitindo a captura de até sete fotos por segundo, sem que a qualidade seja afetada. Para deixar as lembranças de ocasiões especiais ainda mais reais, a FZ47 filma em Full HD e conta com modo 3D para fotos. Preço sugerido: R$ 1.400,00


CELULAR SAMSUNG GALAXY SIII 4G CHEGA AO BRASIL C A Acaba de chegar ao Brasil o Samsung Galaxy SIII, smartphone ícone de inovação tecnológica e líder de vendas, por permitir conexão de dados até cinco vezes mais rápida através da rede 4G, serviço que da estará disponível em meados de 2013. es O Galaxy SIII 4G mantém o mesmo design arrojado da sua versão 3G, e possui funcionalidades para interpretar e responder às necessi3G dades dos usuários, proporcionando uma experiência mais intuitiva de da uso. O aparelho está ainda melhor com o novo Android 4.1, batizado us Jelly Bean e chega ao mercado na cor prata. Je Preço sugerido: R$ 2.400,00. P

TECNOLOGIA PARA DESPERTAR A Philips apresenta o Rádio-Relógio FM Philips AJ7030D. A proposta é propiciar um despertar perfeito e tranquilo. Para isso o volume de alarme aumenta gradativamente, de muito baixo a razoavelmente alto, despertando suavemente seus usuários. O sistema de áudio vem com dois alarmes o que permite definir horários diferentes, um para cada pessoa. Com o Timer de desligamento automático, pode-se decidir por quanto tempo se quer ouvir CD ou uma estação de rádio. Também é possível usar o MP3 enquanto iPod/iPhone é carregado. Ao conectar e encaixar, o sistema sincroniza automaticamente o relógio com o iPod/iPhone em poucos segundos. O melhor: com o AJ7030D ajustar a hora manualmente é coisa do passado. Em caso de falta de energia, ele continua indicando a hora e, mesmo que a energia não seja restabelecida, a bateria fornece energia suficiente para que o alarme dispare na hora definida, garantindo o acionamento do alarme. Preço sugerido: R$ 350,00

REFRIGERADOR ECOLÓGICO Produzido no Brasil, o refrigerador NRBB51P é o primeiro produto fabricado na planta Eco Ideas da Panasonic. Com capacidade de 423 litros, o NRBB51P é equipado com as tecnologias Econavi e Inverter, que economizam energia, fazendo com que esta seja a melhor opção para os consumidores que buscam por qualidade sem abrir mão de preservar o meio ambiente. O biodesodorizador, item de série, elimina grande parte das bactérias que retiram o frescor dos alimentos e causam mau cheiro dentro do equipamento. Com compartimentos especiais para diversos tipos de alimentos e saída de ar lateral que distribui melhor o ar frio e conserva os alimentos com mais eficiência, o NR-BB51P disponibiliza o freezer na parte de baixo e está disponível com acabamento em branco e em aço escovado. Preços sugeridos: com acabamento branco R$ 2.900,00 e com acabamento em aço escovado R$ 3.100,00.

BYE-BYE CALOR O Ar-Condicionado Portátil da TCL deixa os ambientes sempre com temperatura agradável. Compacto e potente ocupa pouquíssimo espaço e não interfere na decoração, graças ao seu formato mais estreito. Tem controle remoto com as funções timer e sleep. Além da função ar condicionado, opera também como ador. ventilador e desumidificador. Seu filtro de ar é lavável o. e não possui reservatório. Foi desenvolvido com direcionadores de ar verticais e horizontais para uma temperatura mais uniforme. Preço sugerido: R$ 2.400,00

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

39


ARTIGO ADRIANO AUGUSTO PEREIRA DE CASTRO

ÓRGÃOS MUNICIPAIS DE TRÂNSITO São muitos os interesses da indústria de locação em tema aparentemente tão abstrato como o exercício do poder de polícia de trânsito pelos municípios. Essa abstração é só aparente, pois a partir de tal exercício surgem inúmeros efeitos práticos no dia-a-dia das empresas. Dois deles – as empresas de trânsito e as guardas municipais –, são analisadas nesse artigo, sob a ótica das locadoras de veículos. Foi em 1997 que o atual Código de Trânsito Brasileiro inovou ao ampliar sensivelmente a competência dos municípios sobre essa matéria. Administrações municipais passaram a exercer diversas funções de organização do trânsito urbano, bem como a aplicar e arrecadar as multas. O exercício dessas novas competências assumiu as mais diferentes formas. Vamos aos fatos. A locação de veículos é uma atividade econômica que atende à demanda humana por mobilidade, tema em ascensão no debate público por ser essencial para garantir o pleno acesso à cidade e à efetivação de outros direitos como saúde, educação, cultura, bem como para a promoção do desenvolvimento econômico. O trânsito é uma das manifestações da mobilidade, motivo pelo qual o regular exercício do poder de polícia de trânsito é questão diretamente relacionada à própria essência da atividade de locação de veículos. Mais, a legislação estabelece a responsabilidade sem culpa do proprietário do veículo pelo pagamento das multas cometidas pelo condutor (CTB, art. 282, §3.º). As locadoras são solidariamente responsabilizadas por essas infrações, inclusive se condicionando a expedição do CRLV ao pagamento das mesmas (CTB, art. 128), redobrando a atenção da indústria

40

ABLA Novembro • Dezembro 2012

ao regular exercício desse poder de polícia de trânsito pelos municípios. Empresas de Trânsito Muitos municípios criaram “empresas de trânsito” para o exercício de suas novas competências, inclusive para a atividade de fiscalização. Essa delegação de poderes significou, na prática, a privatização do poder de polícia de trânsito. Não é preciso ser formado em Direito nem investidor na bolsa de valores para saber que as companhias são entidades dedicadas à obtenção de lucro e que não são compatíveis a finalidade empresarial e o poder de aplicar multas. O formato “empresas de trânsito” se revelou conveniente aos municípios porque lhes facilitou a contratação de funcionários e fornecedores. Além disso, evitou os custos previdenciários desses trabalhadores, pois se submetem ao regime da CLT e têm sua aposentadoria custeada pelo INSS, não pela previdência municipal. Ao mesmo tempo as “empresas de trânsito” podem atuar mais voltadas para o mercado e supostamente ser mais eficientes na gestão. O problema reside no fato de ser o “mercado” dessas empresas a própria sociedade na busca da satisfação de sua demanda por mobilidade. Um sistema de incentivos perverso foi criado, no qual o custeio dependia do volume de multas aplicadas. E isso é facilmente percebido na prática, a


despeito de manobras de contabilidade pública para teoricamente dissocia-los, pois pela lei a receita das multas vai exclusivamente para um “fundo de educação e segurança de trânsito”. Acontece que os recursos desse fundo são gastos exclusivamente pelas próprias empresas de trânsito, erodindo a necessária legitimação social de tais órgãos. Em 2009 o Superior Tribunal de Justiça entendeu ser ilegal a delegação a empresas de trânsito as funções relacionadas à fiscalização do mesmo, especialmente a aplicação de penalidades. O impacto da decisão foi muito expressivo. Toda e qualquer penalidade de trânsito aplicada por estas empresas é nula e os valores podem ser cobrados na justiça. Guardas Municipais Em reação à decisão do STJ muitos municípios migraram o exercício do poder de polícia de trânsito às guardas municipais. Tratava-se de medida paliativa para não perderem as receitas das multas e para conseguirem aproveitar sem quebra de continuidade a estrutura já existente para a continuidade da arrecadação. Essa migração também é combatida na justiça por outros motivos. Em 2010 o Supremo Tribunal Federal (STF) admitiu a “repercussão geral” do tema referente à competência da guarda municipal para lavrar auto de infração de trânsito. O processo ainda não fui julgado, porém quando o for a decisão produzirá efeitos vinculantes a todos os órgãos públicos. Ao autorizar a criação das guardas municipais a Constituição Federal determinou que suas funções ficassem restritas à proteção de bens, serviços e instalações públicas da cidade. Essa limitação expressa se destinou exatamente para evitar a possibilidade de os municípios criarem “polícias municipais”, visto que a segurança pública é questão de competência privativa dos Estados-membros a ser exercida por meio das polícias civil e militar. Isso impede o desvio de função desses órgãos. Além disso, sendo a atividade de polícia de trânsito atividade própria do estado ela só

poderá ser exercida por servidor nomeado para esse cargo após concurso público específico, sob pena de burla ao princípio constitucional de que a investidura em cargo ou emprego público se dá mediante concurso (Constituição, art. 37, II). Não é plausível juridicamente que um médico e um gari, por serem servidores civis, podem exercer a função. Podemos afiançar que essa não foi certamente a intenção do legislador, e por este motivo às guardas municipais também não podem ser delegadas as atribuições de polícia de trânsito. O STF ainda não decidiu a questão, mas caso entende inconstitucional a delegação das autoridade de trânsito às guardas municipais o efeito mais imediato será a nulidade de todas as multas aplicadas por tais órgãos, com direito dos proprietários à restituição dos respectivos valores. Conclusões A segurança e educação no trânsito são elementos fundamentais para a própria existência das locadoras de veículos. A eficácia da mobilidade e a experiência positiva do locatário só são atingidas quando presentes ambos os elementos. Por tais motivos muito interessa à indústria de locação de veículos o regular e legítimo exercício do poder de polícia de trânsito. A expansão das competências municipais em matéria de trânsito não pode se dar em prejuízo do verdadeiro interesse público a ser obtido com esse exercício, motivo pelo qual o Poder Judiciário tem coibido o emprego abusivo de determinadas estruturas administrativas – empresas de trânsito e guardas municipais – como agentes executivos de trânsito.

Adriano Augusto Pereira de Castro Advogado (OAB/MG 94.959) - (31) 3224-1292 adriano@empresarial.adv.br Assessor Jurídico da ABLA e do SINDLOC/MG. Advogado especializado na indústria de locação de veículos. Mestre e Professor de Direito na Faculdade de Direito Newton Paiva e Promove

Novembro • Dezembro 2012 ABLA

41


OPINIÃO

Hotéis e locadoras de veículos: a parceria ideal * Alexandre Sampaio

o mundo inteiro o mercado de locação de veículos tem no turismo um dos principais pilares que fortalecem a atividade e, também, propicia que hotéis, restaurantes, bares e o setor de entretenimento se beneficiem deste serviço, sem o qual teriam dificuldade para receber clientes, com bom poder de consumo, principalmente em localidades de difícil acesso pelo transporte público. No Brasil esta parceria tem crescido exponencialmente nos últimos anos, face ao aumento do poder de compra da nova classe média ascendente, que incorporou o lazer de viagens na sua cesta de gastos, bem como pela situação econômica do País, que fez crescer o aluguel de veículos leves para deslocamento do viajante de negócios, bem como no fretamento para empresas e no transporte de funcionários. Devemos atentar que o desenvolvimento da qualidade da indústria nacional automotiva, resultou em uma oferta de melhoria do padrão do produto a ser ofertado, tanto para o turista nacional quanto estrangeiro. O setor também se desenvolveu em todo o seu espectro, tanto das grandes quanto médias e pequenas empresas, dando mais qualidade de atendimento, competitividade nos preços e racionalização de custos com manutenção apropriada, garantindo confiabilidade, segurança ao usuário e pronto atendimento em caso de pane ou acidente.

N

É crucial garantir uma maior parceria entre meios de hospedagem e locadoras de automóveis. Acreditamos que isto passe necessariamente por contínua aproximação das entidades representativas de ambos os segmentos, firmando convênios de atuação conjunta em campanhas educativas para colaboradores, esclarecendo a responsabilidade da indicação de empresas formais nas recepções da hotelaria nacional, em que sempre se deve recomendar companhias com origem conhecida, de preferência que façam parte da ABLA. Outros aspectos a considerar são a sinergia de vendas de pacotes fechados entre empreendimentos hoteleiros e locadoras de automóveis, para atendimento de hóspedes que queiram se hospedar já com meios de locomoção próprios. Outrossim, não devemos esquecer que a vigência do código de defesa do consumidor, torna solidário a hotelaria na corresponsabilidade da recomendação de opção de empresas de locação de veículos para seus clientes, o que nos remete a necessidade da gerencia hoteleira acompanhar de perto quais empresas estão sendo disponibilizadas para indicação por seus prepostos no front office. Por fim achamos fundamental que as agencias de viagens percebam que a venda integrada do pernoite com o transporte individualizado, agrega valor na comercialização, denota percepção na satisfação do cliente, tornando útil e competitiva a relação com o usuário.

* Alexandre Sampaio é presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação.

42

ABLA Novembro • Dezembro 2012


www.citroen.com.br

Citroën business

Conheça quais são os canais de venda corporativa da Citroën.

Respeite a sinalização de trânsito

Revista Locação ABLA n° 48  

Revista Locação ABLA n° 48

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you