Relatório de avaliação de resultados - Projeto Jucati Sustentável

Page 1

PROJETO 15.165

BIOÁGUA, AGROECOLOGIA E NUTRIÇÃO NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

Convênio celebrado em 26 de abril de 2016

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DE RESULTADOS

Execução:

Somos rede AVSI


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

FICHA TÉCNICA

AVSI BRASIL Diretor Presidente AVSI Brasil e Regional Manager Fundação AVSI Brasil e Peru Fabrizio Pellicelli Gerente-Geral da AVSI em Pernambuco Ana Maria Bianchi Equipe técnica do Projeto 15.165 – Jucati Sustentável Coordenação do Projeto Fernanda Wanderley Coordenação Socioambiental e de Obras Adriana Gouveia Nutricionista Valquíria Medeiros

FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL Presidente da Fundação do Banco do Brasil Asclepius Ramatiz Lopes Soares Diretor Executivo da Diretoria de Desenvolvimento Social Rogério Bressan Biruel Assessoria de implementação de Programas e Projetos Eduardo Mesquita

2


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

INDICE LISTA DE GRÁFICOS ............................................................................................................... 4 LISTA DE TABELAS .................................................................................................................. 4 LISTA DE FIGURAS .................................................................................................................. 5 1 INTRODUÇÃO..................................................................................................................... 7 2 METODOLOGIA .................................................................................................................. 8 2.1 SISTEMA DE BIOÁGUA FAMILIAR ............................................................................. 9 2.2 QUINTAIS PRODUTIVOS – CULTIVO AGROECOLÓGICO ................................. 22 2.3 EDUCAÇÃO ALIMENTAR NUTRICIONAL ............................................................... 35 2.3.1 HÁBITOS ALIMENTARES DAS FAMÍLIAS ANTES E APÓS O PROJETO ..... 39 2.4 CONSIDERAÇÕES FINAIS ......................................................................................... 41

3


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1: Número de membros por domicílio ..................................................................... 10 Gráfico 2: Responsável por operar o Sistema de Bioágua Familiar ................................ 10 Gráfico 3: Gênero de quem opera o Sistema de Bioágua Familiar .................................. 10 Gráfico 4: Grau de parentesco de quem opera o Sistema ................................................ 11 Gráfico 5: Dificuldade na operação do Sistema .................................................................. 12 Gráfico 6: Tipo de dificuldade na operação do Sistema..................................................... 12 Gráfico 7: Mudança na rotina diária de trabalho após a implantação do Sistema ......... 14 Gráfico 8: Média geral de número de vezes que usa a bomba por dia ........................... 15 Gráfico 9: Número de limpeza do tanque de reuso ............................................................ 16 Gráfico 10: Média mensal geral da limpeza da caixa de gordura ..................................... 17 Gráfico 11: Número de trocas de serragem ......................................................................... 18 Gráfico 12: Média de fitas produzindo em 7 meses ............................................................ 19 Gráfico 13: Contribuição com alguma nova forma de usar e/ou manter o Sistema ...... 21 Gráfico 14: Quantas pessoas cuidam do quintal produtivo ............................................... 23 Gráfico 15: Quem cuida do quintal produtivo ....................................................................... 23 Gráfico 16: Grau de parentesco no cuidado com o quintal produtivo .............................. 23 Gráfico 17: Culturas mais produzidas depois do Bioágua e disponibilização do kit sementes ................................................................................................................................... 25 Gráfico 18: Período da primeira colheita após a implantação do Bioágua ..................... 26 Gráfico 19: Mudança na forma de cultivo após implantação do Bioágua ....................... 27 Gráfico 20: O sistema de Bioágua Familiar e os benefícios para o meio ambiente ...... 28 Gráfico 21: Tipos de benefícios para o meio ambiente com o Sistema de Bioágua Familiar....................................................................................................................................... 28 Gráfico 22: Gasto semanal em feira antes do Bioágua ...................................................... 29 Gráfico 23: Gasto semanal em feira após o Bioágua ......................................................... 29 Gráfico 24: Economia nos gastos semanais da família com feira de legumes, frutas e hortaliças.................................................................................................................................... 30 Gráfico 25: Localização das famílias interessadas no Projeto .......................................... 33 Gráfico 26: Reflexão sobre a alimentação no dia a dia ...................................................... 37 Gráfico 27: Necessidade de mudança na alimentação após as atividades do Projeto 38

LISTA DE TABELAS Tabela 1: Quadro de lista de cultivares – kit sementes ...................................................... 24 Tabela 2: Quadro síntese de avaliação do cultivo entre dezembro/2017 a maio/2017 33 Tabela 3: Hábitos alimentares das famílias antes e após o Projeto ................................ 39

4


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

LISTA DE FIGURAS Figura 1: Sistema de Bioágua Familiar. .................................................................................. 8 Figura 2: Beneficiária Rosana a frente do seu quintal produtivo com a filha. 02/06/17. . 8 Figura 3: Aplicação de instrumental de coleta de dados. Beneficiário Adenir Santos. 19/05/17. ...................................................................................................................................... 9 Figura 4: Aplicação de entrevista semiestruturada com stakeholders do Projeto. 02/06/17. ...................................................................................................................................... 9 Figura 5: Sr. José Jacinto iniciando o cultivo no quintal produtivo. Jucati/PE. 30/05/17 ..................................................................................................................................................... 11 Figura 6: Sr. José Jacinto demonstrando sua colheita de maracujá. Jucati/PE. 17/06/17. .................................................................................................................................... 11 Figura 7: 1ª oficina de uso e manutenção do sistema. 26/10/17. ..................................... 12 Figura 8: 2ª oficina de uso e manutenção do sistema. 27/05/2017.................................. 12 Figura 9: Beneficiária Erivane Alves. 30/06/17. ................................................................... 13 Figura 10: Beneficiária Rosane de Lima. 01/06/17. ............................................................ 13 Figura 11: Croquis Sistema de Bioágua Familiar ................................................................ 14 Figura 12: Croquis sistema de irrigação por gotejamento ................................................. 14 Figura 13: Detalhe de vara com marcação de centímetros utilizada para monitoramento do nível de água no tanque de reuso, Maria das Graças, Sítio Mandante - 13/01/17. ............................................................................................................... 16 Figura 14: A beneficiária Luzinete realiza manutenção na sua caixa de gordura. Sítio Buraco D’água. Jucati/PE. 06/04/17...................................................................................... 17 Figura 15: Entrega do ralo para o esposo da beneficiária Rivadalva Faustino Sítio Entupido. Jucati/PE. 15/04/17. ............................................................................................... 17 Figura 16: Substituição da serragem no filtro biológico, Sítio Mandante – 27/05/2017 18 Figura 17: Participantes da oficina final de Uso e Manutenção, Sítio Mandante – 27/05/2017 ................................................................................................................................. 18 Figura 18: Quintal com 3 fitas produzindo. Beneficiária Luciana Inácio. Sítio Curtume. Jucati/PE, 14/11/16 .................................................................................................................. 19 Figura 19: Mesmo quintal com 8 fitas produzindo. Beneficiária Luciana Inácio. Sítio Curtume. Jucati/PE. 07/06/17................................................................................................. 19 Figura 20: Registro do quintal produtivo da beneficiária Maria Sandreiva. Sítio Mandante. Jucati/PE. Março/2017......................................................................................... 20 Figura 21: Registro do mesmo quintal produtivo da beneficiária Maria Sandreiva com diversidade de insumos agroecológicos. Sítio Mandante. Jucati/PE. Maio/2017. ......... 20 Figura 22: Entrega do Kit sementes a Sra. Maria das Graças. Sitio Fama. Jucati/PE. 15/04/17. .................................................................................................................................... 26 Figura 23: Plantio das sementes. Segundo ciclo. Sr. Adenir Santos. Sítio Baixa dos Caibros. Jucati/PE. 22/06/17. ................................................................................................. 26 Figura 24: Colheita de frutíferas no quintal da esposa do beneficiário Elias Luiz. 31/05/17 ..................................................................................................................................... 27 Figura 25: Colheita de hortaliças no quintal do beneficiário Adenir Santos. 02/06/17. . 27 Figura 26: Luciana Inácio e suas três filhas em seu quintal produtivo agroecológico. 20/06/17 ..................................................................................................................................... 31 Figura 27: Luciana Inácio colhendo batatas em seu quintal agroecológico, garantindo subsistência alimentar para sua família. 03/07/17. ............................................................. 31 Figura 28: Primeira participação dos agricultores familiares da feira de Jucati para comercialização de seus excedentes. 20/06/17. ................................................................. 32

5


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Figura 29: Segunda participação dos agricultores familiares na feira de Jucati para comercialização de seus excedentes com visita da FBB. 04/07/17. ............................... 32 Figura 30: Registro do quintal ainda sem produção e o ambiente árido. Jucati/PE. Março/2017................................................................................................................................ 34 Figura 31: Registro do mesmo quintal agora com insumos e o contraste do ambiente árido para o ambiente agroecológico. Jucati/PE. Junho/2017 .......................................... 34 Figura 32: Registro da Nutricionista do Projeto utilizando os materiais pedagógicos na execução das atividades de EAN nas escolas. Jucati/PE. 03/04/17. .............................. 36 Figura 33: Detalhe das plaquetas utilizadas nas atividades de EAN nas escolas e disponibilizadas para replicabilidade da metodologia. Jucati/PE. 03/04/17. ................... 36 Figura 34: Demonstrativo do salgadinho e sua relação com as quantidades de sódio e gordura presentes no alimento Jucati/PE. 03/04/17. .......................................................... 37 Figura 35: Alimentos avaliados como bons pelos alunos e seu valor nutricional, como a manga. Jucati/PE. 03/04/17.................................................................................................... 37 Figura 36: Oficina “Mestre Cuca”. Associação dos Moradores do Sítio Fama - Jucati. Data: 14/02/2017 ...................................................................................................................... 38 Figura 37: Oficina “Mestre Cuca”. Associação dos Moradores do Sítio Fama - Jucati. Data: 14/02/2017 ...................................................................................................................... 38

6


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO PROJETO JUCATI SUSTENTÁVEL: BIOÁGUA, AGROECOLOGIA E NUTRIÇÃO NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

1 INTRODUÇÃO Para se ter uma leitura mais aprofundada dos resultados do Projeto 15.165 – Jucati Sustentável, desenvolvido no município de Jucati no Agreste de Pernambuco, foi realizado um estudo com base nas atividades de reuso de águas cinzas domiciliares para a agricultura e educação alimentar e nutricional e nos impactos advindos do Projeto executado pela AVSI Brasil com o financiamento da Fundação Banco do Brasil. As ações do Projeto Jucati Sustentável se referiram à: 

Mobilização comunitária e diagnóstico socioeconômico e das famílias;

Construção participativa de 22 Sistemas de Bioágua Familiar;

Assistência técnica de uso e manutenção do Sistema;

Assistência técnica voltada à transição agroecológica;

Oficinas com 80 famílias voltadas à Educação Alimentar e Nutricional

Campanha de Educação Alimentar e Nutricional em 14 escolas e 2000 alunos, integradas, as atividades visaram fortalecer a segurança alimentar e nutricional, através do reuso de águas cinzas para a agricultura e fomento à agroecologia e à boa nutrição.

Teve como carro chefe ações educativas e a implementação de Sistemas de Bioágua Familiar, uma tecnologia social de convivência com o semiárido desenvolvida e disponibilizada pelo Projeto Dom Hélder Câmara1, a qual reutiliza águas cinzas ou servidas (água do banho, pias, tanques, máquinas de levar, etc.), para destinação à agricultura familiar por meio de um sistema de filtragem biológica e irrigação por gotejamento (Figuras 1 e 2).

1

Projeto Dom Hélder Câmara: O Bioágua foi desenvolvido pelo Projeto Dom Hélder Câmara (vinculado ao Ministério da Agricultura com o apoio do Fundo Internacional para o Desenvolvimento da Agricultura, e a partir de dado momento, também do Global Environment Facility (GEF), em parceria com a Universidade Federal Rural do Semiárido UFERSA) e a ONG Atos. Não há registro de patente para o mesmo. A ideia é que seja difundido como uma tecnologia social, a exemplo do que ocorreu também com o biodigestor. A demonstração desta intenção de difusão, é o não patenteamento, a edição de uma publicação (com aspecto de cartilha) com orientações para sua construção, além das reportagens e vídeos disseminando a tecnologia.

7


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Figura 1: Sistema de Bioágua Familiar.

Figura 2: Beneficiária Rosana a frente do seu quintal produtivo com a filha. 02/06/17.

Assim, serão demonstrados neste documento a rotina familiar e a forma de uso e manutenção do Sistema de Bioágua, o cultivo agroecológico, o despertar de consciência sobre os hábitos alimentares principalmente os efeitos sociais, econômicos e ambientais e no desenvolvimento das famílias, após a realização das ações previstas no Projeto de julho de 2016 a julho de 2017. A avaliação servirá não apenas para indicar os reflexos das ações integradas do Projeto como também dará norte para o planejamento de novas iniciativas onde a temática de reutilização dos recursos hídricos domiciliares (águas cinzas) se apresente como alternativa de convivência com o semiárido pernambucano, promovendo a qualidade de vida das pessoas por meio de iniciativas socioambientais sustentáveis. 2 METODOLOGIA A metodologia adotada para coleta dos dados foram as pesquisas primária com análise quantitativa e qualitativa dos resultados. Para isso foi realizada entrevista presencial com as 22 famílias beneficiárias com o Sistema de Bioágua, com duração de 2 horas e meia cada (Figura 3). Foi utilizado como instrumental um questionário estruturado (Anexo 1) contendo 24 questões e subitens sobre: Sistema de Bioágua Familiar; Quintais produtivos – cultivo agroecológico e Educação Alimentar Nutricional. Para a análise qualitativa foram realizadas entrevistas semiestruturadas (Figura 4) e grupos focais2. Buscou-se envolver os stakeholders do Projeto, sendo as entrevistas realizadas com famílias beneficiárias, representante da secretaria de educação e da secretaria de agricultura, representante de conselho de desenvolvimento rural e sustentável e grupos focais com alunos e professores de escolas. 2

Grupos focais: Um grupo focal (GF) é um grupo de discussão informal e de tamanho reduzido, com o propósito de obter informações de caráter qualitativo em profundidade. Fonte:http://www.tecnologiadeprojetos.com.br/banco_objetos/%7B9FEA090E-98E9-49D2-A6386D3922787D19%7D_Tecnica%20de%20Grupos%20Focais%20pdf.pdf

8


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Os questionários foram aplicados no período de 15 de maio a 09 de junho de 2017. E a pesquisa com os grupos focais foram realizados entre os dias 31 de maio e 02 de junho de 2017. Concluído o trabalho de pesquisa direta, foi estruturado um Banco de Dados e, a partir deste, foram gerados gráficos que ajudaram a compor a análise do estudo. Em paralelo, foi feita uma análise dos questionários buscando conferir e também, completar alguns dados pendentes. Os resultados e análises dessa sistematização serão expostos nos itens a seguir.

Figura 3: Aplicação de instrumental de coleta de dados. Beneficiário Adenir Santos. 19/05/17.

Figura 4: Aplicação de entrevista semiestruturada com stakeholders do Projeto. 02/06/17.

2.1 SISTEMA DE BIOÁGUA FAMILIAR No início do Projeto foi realizado um diagnóstico com dados secundários sobre o contexto e realidade local do município de Jucati. Além disso, foi feita a identificação e pesquisa com as 22 famílias que seriam beneficiadas pelo Bioágua Familiar. Um dos dados coletados foi referente à quantidade de pessoas residentes por domicílio, sendo as famílias com maior número de integrantes (mínimo 04) mais pontuadas dentro dos critérios técnicos de desempate. Na avaliação dos resultados do Projeto esta constatação se repete. 82% das famílias beneficiadas possui de 4 até 8 membros (Gráfico 1). O quantitativo de pessoas na família é um fator importante para a implementação de Sistemas de Bioágua e sustentabilidade na produção, pois será a partir deste que se gerará uma quantidade mínima de águas cinzas a ser direcionada ao Sistema para filtragem e consequente irrigação dos quintais produtivos agroecológicos.

9


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 1: Número de membros por domicílio

9% 18% 9% 3 4 5 6 27%

8 37%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. Julho de 2017

A operacionalização do Sistema de Bioágua Familiar demanda tempo, dedicação e certa familiaridade com seus componentes construtivos. Em outubro de 2016, os beneficiários do Projeto participaram de 5 dias de oficinas de construção dos sistemas de Bioágua Familiar. Destes participantes, sempre se fazia presente o próprio beneficiário (a) ou um familiar, sendo comprovado que depois da construção dos sistemas, são estes que fazem a manutenção e manuseio constante do sistema (Gráfico 2). No recorte de gênero observa-se que os homens e mulheres dividem a responsabilidade na operacionalização do sistema (Gráfico 3). As beneficiárias geralmente ficam responsáveis pelo plantio, cuidado com o quintal e manuseio da motobomba. Os demais cuidados com a manutenção têm a ajuda do marido e dos filhos (Gráfico 4). Gráfico 2: Responsável por operar o Sistema de Bioágua Familiar

5% 9%

59%

Gráfico 3: Gênero de quem opera o Sistema de Bioágua Familiar

Beneficiário Homem

14% 27%

Beneficiário e familiar Beneficiário, familiar e outro Familiar

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

32% Homem e mulher 54%

Mulher

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

10


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 4: Grau de parentesco de quem opera o Sistema

5% 9%

esposa

18%

marido

5%

Outro

4%

esposa e marido 14%

4%

esposa, marido e filhos esposa e filhos esposa, marido, filhos e irmã

41%

filhos

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Nesta análise de grau de parentesco das pessoas que cuidam do Sistema merece destaque o caso da família do Sr. Adenir Santos. Em sua residência quem ajuda na operacionalização do Bioágua e no cuidado com os insumos do quintal produtivo é um tio de sua esposa, o Sr. José Jacinto, que veio morar com eles há 5 anos e vê no Bioágua e no quintal produtivo a oportunidade de estar em contato constante com a agricultura e melhorar sua alimentação e de toda a família (Figuras 5 e 6).

Figura 5: Sr. José Jacinto iniciando o cultivo no quintal produtivo. Jucati/PE. 30/05/17

Figura 6: Sr. José Jacinto demonstrando sua colheita de maracujá. Jucati/PE. 17/06/17.

Ainda se tratando da operacionalização do Sistema, foi observado que após as oficinas de construção e manutenção do Sistema de Bioágua Familiar realizadas pelo Projeto, 36% dos beneficiários sinalizam alguma dificuldade em sua operação (Gráfico 5). Esta

11


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

dificuldade se materializa, basicamente, no manuseio do tempo de uso da bomba (Gráfico 6). Essencialmente, esta dificuldade foi observada no início do Projeto, quando a maioria teve dificuldade para tirar o ar da bomba, impedindo seu funcionamento. Como forma de mitigar estas problemáticas, foram realizadas pelo Projeto oficinas (Figuras 7 e 8), visitas de assistência técnica em manutenção do Sistema e intercâmbios de conhecimentos verificando-se que esta dificuldade foi paulatinamente superada. Além disso, foi desenvolvido e disponibilizado aos agricultores um instrumento de consulta para maiores esclarecimentos: Manual de Uso e manutenção do Sistema (Anexo 2). Gráfico 5: Dificuldade na operação do Sistema

Gráfico 6: Tipo de dificuldade na operação do Sistema

12%

36% Não

25%

Sim 64%

63%

Controle da quantidade de água no tanque de reuso Controle do tempo de uso da bomba

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati

Sustentável. 2017

Sustentável. 2017

Figura 7: 1ª oficina de uso e manutenção do sistema. 26/10/17.

Figura 8: 2ª oficina de uso e manutenção do sistema. 27/05/2017

O Bioágua é um Sistema que requer cuidados diários, semanais e semestrais em seu uso e manutenção, tendo impacto direto na rotina de quem o recebe. Os agricultores selecionados a participarem do Projeto Jucati Sustentável já apresentavam alguma experiência com a agricultura, mas se limitavam em sua dinâmica agrícola à monocultura. Devido às condições climáticas de escassez de chuvas e a cultura de

12


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

cultivo em terreiros de sequeiros, a principal atividade agrícola se baseava no cultivo do feijão, milho e/ou mandioca, durante três meses de inverno. Com o advento do Bioágua Familiar, os agricultores começaram a identificar a necessidade de mudanças de hábitos, inclusive na dinâmica diária das atividades domésticas e de subsistência. Muitos não trabalhavam no cultivo diariamente em forma de canteiro e dividiam seu tempo entre os cuidados domésticos, cuidados com os animais e a roça de milho, macaxeira ou feijão. Agora eles, em sua maioria, avaliam que a rotina foi modificada observando a necessidade de dedicação no manuseio do sistema (Gráfico 7), cuidados nos quintais produtivos, plantio, colheita e manuseio de defensivos agroecológicos para o controle de pragas e doenças. Segundo a agricultora Erivane Alves da Silva (Figura 9), no verão, além das atividades domésticas que já fazia, pela manhã vai ao quintal produtivo (para fazer o manejo, arrancar plantas invasoras, ligar o sistema de irrigação, colocar as sementinhas para semear, fazer colheitas), tendo um trabalho que dura em torno de 40 minutos. À tarde ainda dedica entre 40 minutos a 1 hora no quintal. Essa realidade se repete na rotina da agricultora Rosane de Lima Pontes (Figura 10), que mora com o marido e três filhos, sendo um deles deficiente. Hoje, além dos afazeres domésticos (roupa, café, almoço, casa), à tarde vai cuidar dos leirões. Segundo relatou, às vezes fica a tarde toda e considera que o Bioágua, além da produção trouxe distração e diversão.

Figura 9: Beneficiária Erivane Alves. 30/06/17.

Figura 10: Beneficiária Rosane de Lima. 01/06/17.

.

13


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 7: Mudança na rotina diária de trabalho após a implantação do Sistema

18%

Não Sim 82%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Em sua composição o Bioágua é composto de: filtro biológico, tanque de reuso de água, caixa elevada e sistema de irrigação por gotejamento (Figuras 11 e 12).

Figura 11: Croquis Sistema de Bioágua Familiar

Figura 12: Croquis sistema de irrigação por gotejamento

14


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Uma das partes do Sistema é a caixa d’água elevada, um componente aperfeiçoado do Projeto original do PDHC, para otimizar o tempo útil e melhorar o desempenho da motobomba. Esta caixa d’água faz com que o sistema de gotejamento funcione de maneira mais eficaz, evitando desperdícios de água filtrada para os quintais produtivos, uma vez que a água é liberada por gravidade e controlada por chaves de registro. Quanto ao tempo médio de uso da bomba por dia, 59% dos beneficiários utilizam-na pelo ao menos 2 vezes ao dia (Gráfico 8). Conforme orientações descritas no Manual de Uso e Manutenção, o uso da bomba deve ser feito de acordo com a disponibilidade de água de reuso e a necessidade de irrigação, sendo relativo à necessidade do consumo de água de cada família. Outro fator mensurado com a implementação do Sistema e de uma motobomba foi o impacto na conta de energia. Verificou-se, entretanto, que não houve uma mudança substancial. O aumento variou entre R$1,50 e R$2,00. Apesar disso, muitos beneficiários alegam fatores externos que também pode acarretar um aumento na conta de energia, como o acréscimo de entes familiares nas residências durante o Projeto e a utilização de mais de uma bomba para abastecimento de suas casas com água para consumo humano. Gráfico 8: Média geral de número de vezes que usa a bomba por dia

41%

1 59%

2

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Quanto à limpeza do tanque de reuso a manutenção vai depender do acúmulo de água depositado no mesmo. A circulação de água é necessária também para que muriçocas e pernilongos não se reproduzam, necessitando de manutenção para que se impeça essa proliferação. Entre os beneficiários do Jucati Sustentável a maioria (55%) ainda não realizou qualquer limpeza em seus tanques de reuso (Gráfico 9). Entretanto, grande parte sinalizou que estaria prestes a realizar (junho/2017). Os que já realizaram esta limpeza alegam que a orientação técnica de monitoramento da quantidade ou a altura da água através de uma

15


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

vara de madeira (Figura 13) ajuda na avaliação da real necessidade desta limpeza e ajuda no controle de quantidade de reuso disponível para irrigação nos quintais produtivos. Gráfico 9: Número de limpeza do tanque de reuso

4% 14%

0 1

27%

55%

2 9

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Figura 13: Detalhe de vara com marcação de centímetros utilizada para monitoramento do nível de água no tanque de reuso, Maria das Graças, Sítio Mandante - 13/01/17.

Outro aspecto importante na manutenção do sistema é a limpeza da caixa de gordura (Figura 14) que é o primeiro reservatório da água cinza do sistema. Ela é responsável por reter resíduos sólidos evitando que grande parte desses resíduos atinjam a tubulação do garfo de distribuição e chegue até o filtro biológico. Levando em consideração os 7 meses de funcionamento dos sistemas de Bioágua do projeto, 59% dos beneficiários realizaram esta manutenção 4 vezes por mês, ou seja, 1 vez por semana (Gráfico 10).

16


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 10: Média mensal geral da limpeza da caixa de gordura

5%

9%

1 23%

2 3 4

59%

4%

8

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Com base nestes dados, verifica-se que esta manutenção se apresentou conforme orientações técnicas realizadas durante o Projeto e descrita no Manual, sendo realizada pelo ao menos uma vez ao mês e, de seis em seis meses, junto com a limpeza geral do sistema. Em uma das residências do beneficiário Sr. Elias Luiz da Silva, esta limpeza chegou a ser realizada até 8 vezes por mês, sendo necessária essa maior regularidade por conta do acúmulo de resíduos sólidos que estavam passando da pia de lavagem dos pratos direto para a caixa de gordura. A necessidade de adequação foi diagnosticada pela equipe técnica. Com isso, foi disponibilizado ralos com telas sendo colocadas nas saídas de água das pias e ralos dos banheiros dos beneficiários que apresentaram esta demanda (Figura 15).

Figura 14: A beneficiária Luzinete realiza manutenção na sua caixa de gordura. Sítio Buraco D’água. Jucati/PE. 06/04/17

Figura 15: Entrega do ralo para o esposo da beneficiária Rivadalva Faustino Sítio Entupido. Jucati/PE. 15/04/17.

Como manutenção obrigatória tem-se a do filtro biológico que é realizado através da troca da serragem e que deverá obedecer a periodicidade de pelo ao menos a cada 6 meses. Para aprenderem de maneira prática a realizar a referida manutenção, os

17


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

agricultores participaram de uma oficina com a troca da serragem em 1 dos sistemas de Bioágua Familiar no dia 27/04/17 no Sítio Mandante em Jucati/PE (Figuras 16 e 17). De acordo com a coleta de dados, 27% já realizaram sua primeira manutenção no filtro biológico (Gráfico 11). Os demais ainda não realizaram por não terem completado ainda os 6 meses necessários para sua manutenção. Gráfico 11: Número de trocas de serragem

27%

0 1

73%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Figura 16: Substituição da serragem no filtro biológico, Sítio Mandante – 27/05/2017

Figura 17: Participantes da oficina final de Uso e Manutenção, Sítio Mandante – 27/05/2017

No Bioágua Familiar do Sr. Elias José da Silva, esta manutenção precisou ser realizada antes do tempo recomendado, uma vez que seu Sistema recebe as águas cinzas de mais 2 casas além da sua. Esta manutenção adiantada também se justifica porque foi utilizado uma serragem mais fina em seu componente do filtro biológico e o grande fluxo

18


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

de água fez com que houvesse a necessidade de troca do húmus duas vezes em seis meses. Com relação à produção nos quintais produtivos de 150m² foi avaliado o número de fitas de irrigação por gotejamento e sua produção levando em consideração os 7 meses de funcionamento dos Sistemas de Bioágua Familiar. Mais da metade dos sistemas dos beneficiários (55%) tiveram entre 4 a 5 fitas produzindo nos leirões agroecológicos (Gráfico 12), no período de 7 meses. Apenas 4 beneficiários tiveram produção entre 8 a 9 fitas. Esta característica sinaliza para o uso mais consciente da água de reuso advindo dos sistemas de Bioágua Familiar. Observou-se que o número de fitas produzindo nos leirões foi sendo gradativamente acrescido com a disponibilidade de água, levando em consideração os meses de maio e junho como os meses mais chuvosos para a produção agroecológica (Figuras 18 e 19). Gráfico 12: Média de fitas produzindo em 7 meses

4%

9%

14%

3 4 5

9% 32%

6 7

9%

8 9 23%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Figura 18: Quintal com 3 fitas produzindo. Beneficiária Luciana Inácio. Sítio Curtume. Jucati/PE, 14/11/16

Figura 19: Mesmo quintal com 8 fitas produzindo. Beneficiária Luciana Inácio. Sítio Curtume. Jucati/PE. 07/06/17.

19


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Para identificar se a quantidade de água consumida nas residências é compatível com a capacidade máxima para funcionamento adequado do Sistema de Bioágua Familiar foi verificada uma média de consumo em litros por mês. A análise foi feita levando em consideração o período de estiagem na região, que vai de agosto a abril, e o acesso à água pelos agricultores, a partir do sistema de abastecimento que, no município, é feito, em sua maioria, por caminhões pipas da prefeitura e do Exército. A capacidade de filtragem do Sistema de Bioágua/dia é de 450 litros/dia, quantidade suficiente para um quintal de 10m X 15m, como o disponibilizado no Projeto. Esta quantidade de água de reuso filtrada/dia determinará a produção do quintal uma vez que, se houver pouca ou muita água, haverá variação da produção, podendo alterar quantidade e diversidade de insumos. Na avaliação dos 22 agricultores beneficiários do Projeto, a média mensal disponível de água de reuso (água para irrigação nos quintais produtivos) chega a pouco mais de 311litros/dia, verificando uma disponibilidade menor do que a capacidade máxima do Bioágua. Mesmo assim, pôde-se observar que, em situações específicas, nas quais a dedicação dos agricultores é mais intensa, a produção pode ser maior e mais diversificada. É o caso da beneficiária Maria Sandreiva da Silva, que tem uma média de 220litros/dia de reuso para seu quintal produtivo e uma produção com 29 tipos de culturas (Figuras 20 e 21).

Figura 20: Registro do quintal produtivo da beneficiária Maria Sandreiva. Sítio Mandante. Jucati/PE. Março/2017.

Figura 21: Registro do mesmo quintal produtivo da beneficiária Maria Sandreiva com diversidade de insumos agroecológicos. Sítio Mandante. Jucati/PE. Maio/2017.

Como o Sistema de Bioágua Familiar é uma tecnologia social em constante aperfeiçoamento, ao longo do Projeto foi estimulado que os agricultores pudessem dar contribuições com novas formas de manejo do Sistema. Neste sentido, apesar da maioria dos beneficiários (55%) avaliarem que não tinham contribuições a serem agregadas (Gráfico 13), 10 dos 22 beneficiários do projeto (45%), não só se sentiram estimulados como aplicaram estes aperfeiçoamentos em seus Sistemas. Cita-se alguns destes:

20


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

 Sr. Elias José da Silva - Inseriu uma calha ao redor do filtro biológico onde a água não deixa as formigas predadoras entrarem; adicionou serragem ao solo, melhorando a terra; colocou laje na casa da bomba e uma proteção antifurto;  Sra. Maria Sadreiva - Descobriu como lavar o garfo de distribuição de água no filtro, adaptando os canos desmontados ao registro do final da linha. Colocou um joelho no cano de saída da caixa de gordura evitando a entrada de resíduos (sifonamento);  Sr. José Cláudio - Indicou que as fitas fossem colocadas com os furos para cima evitando entupimentos;  Sr. Sandro Cordeiro de Barros - observou que se o filtro for limpo sempre, o consumo de energia é menor. Fez no canteiro de coentro o canteiro econômico com lona embaixo para economizar água;  Sra. Michely Cordeiro Sobral - Fez um regador para colocar defensivos nas plantas do sistema. Procura sempre mexer nas fitas para não deixar os furos entupir;  - Sr. Valmir Virgínio da Silva - Para limpeza da caixa de gordura utilizou um balde para transferir a borra toda de uma vez, facilitando a limpeza da caixa;  Sra. Luciana Inácio da Silva - Colocou tela no filtro para evitar a entrada de calangos;  Sra. Maria das Graças de Lima – Colocou uma estrutura de tela que protege o filtro biológico de pássaros e outros animais. Fez uma boia para medir o nível de água no tanque de reuso e uma boia para verificação da caixa d’água elevada. Fez no fundo do tanque de reuso um reservatório mais fundo na direção da haste de sucção que permite a utilização de toda a água do tanque de reuso e facilita a limpeza do tanque. Nas hastes do garfo de distribuição de água passou um furo de fora a fora no local onde percebe maior entupimento, o que facilita a limpeza. Utiliza um arame com um pano na ponta para enfiar nas hastes do garfo para limpeza. Gráfico 13: Contribuição com alguma nova forma de usar e/ou manter o Sistema

Não

45% 55%

Sim

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

21


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

2.2 QUINTAIS PRODUTIVOS – CULTIVO AGROECOLÓGICO Ao longo de 12 meses do Projeto, a equipe buscou e conseguiu garantir a 100% das 22 famílias assistência técnica agroecológica, implantando e construindo de forma participativa, estratégias de desenvolvimento rural sustentável para a agricultura familiar de transição agroecológica nos quintais produtivos, potencializando a oferta de alimentos sadios e matérias primas para promoção da segurança alimentar e nutricional. A Assistência Técnica é um componente fundamental para que as famílias consigam realizar a transição agroecológica, iniciar e manter o seu plantio. Esta é uma percepção não apenas da família, como também do poder público e sociedade civil que acompanhou o projeto e conhece a realidade dos agricultores familiares da região. Esta percepção fica bastante evidente também quando a Assessora da Secretaria de Agricultura e Presidente do Conselho de Desenvolvimento Rural e Sustentável de Jucati

Jucineide Nogueira, pontua que ficou encantada quando conheceu o Bioágua. “Quando visitou o Bioágua observava as propriedades que tinham e as que não tinham o Sistema. As propriedades sem o Bioágua não tinham nada”. Quando questionada “O que acha necessário para o Bioágua dar certo”, Jucineide sinalizou: “Para o Bioágua dar certo precisa de acompanhamento técnico, que para outras tecnologias como a cisterna calçadão, é feita a parte construtiva sem assistência técnica e a água acaba sendo usada para outras coisas como para o gado ou para o consumo doméstico”. Foram realizadas ao menos 08 visitas in loco educativas e de orientação à produção em cada família, que também pôde participar de 03 oficinas teóricas e práticas, além de intercâmbios de conhecimentos. Durante as visitas técnicas foram utilizados também instrumentais de controle e avaliação, buscando possíveis reflexos oriundos das ações desenvolvidas nas oficinas e nas visitas de assistência técnica in loco nos quintais produtivos. A seguir estão descritos os resultados colhidos ao longo do Projeto e na aplicação do questionário de avaliação.

Cuidados com o quintal produtivo Tanto o Sistema de Bioágua Familiar quanto o quintal produtivo demandam dedicação. No decorrer do Projeto, observou-se que as famílias, em sua maioria, revezam-se, estando pelo menos 2 membros comprometidos com os cuidados diários. Viu-se que enquanto um membro da família está se ocupando com os afazeres domésticos, o outro dedica seu tempo nos cuidados com o quintal e seus insumos (Gráfico 14).

22


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 14: Quantas pessoas cuidam do quintal produtivo

4%

5% 23% 1 pessoa 2 pessoas

27%

3 pessoas 4 pessoas 5 pessoas ou mais 41%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Quando este cuidado com os quintais produtivos é analisado entre os membros das famílias observa-se que em sua maioria (68%) o quintal encontra-se sob a responsabilidade do beneficiário e de um familiar (Gráfico 15). Quando se analisa o gênero e o grau de parentesco das pessoas que tomam conta deste quintal, o resultado também repete, sendo na maioria dos casos, feito pelo (a) beneficiário (a) e sua (seu) esposa (marido) (Gráfico 16). Gráfico 15: Quem cuida do quintal produtivo

Gráfico 16: Grau de parentesco no cuidado com o quintal produtivo esposa

4%

5% 27%

Beneficiário

esposa e filhos

5% 5%

9% Beneficiário e familiar

4%

14%

Familiar 68%

esposa e marido

18%

esposa, marido e filhos esposa, marido, filhos e irmã filhos

41% marido Outro

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Produção

23


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Antes do Projeto, a maioria dos agricultores ou não plantavam ou plantavam só no inverno cultivando roçados de milho, macaxeira e feijão. Dos 22 beneficiários, 10 destes praticavam algum tipo de agricultura diversificada, destacando-se: Sr. Elias Luiz, que tinha uma pequena horta e cuidava das fruteiras; a Sra. Maria José Silva, que plantava ao redor da casa regando com as águas que conseguia juntar em bacias depois do banho e da lavagem dos pratos; a Sra. Rivadalva Faustino que só plantava temperos em uma bacia ou na obra da igreja próximo à casa; o Sr. Valmir Firmino que sempre plantou de tudo, além do roçado, ele e sua família sempre gostaram de fazer mudas e muito plantio de frutíferas e a Sra. Luciana Inácio que plantava com balde aguando algumas poucas culturas como: acerola, batata inglesa, limão e couve. Além da assistência técnica e da participação em oficinas, para dar um aporte inicial à produção, entre novembro de 2016 a maio de 2017 foram realizadas as entregas dos kits sementes aos 22 beneficiários do Projeto Jucati Sustentável. Este kit foi composto por 42 espécies de diferentes culturas, detalhadas na Tabela 1: Tabela 1: Quadro de lista de cultivares – kit sementes Nº DE CULTURAS

NOME DAS ESPÉCIES

NÚMERO DE CICLOS DISPONIBILIZADO POR AGRICULTOR

1

Macaxeira - Manteiga - manivas

1

2

Feijão de Corda - 2 Kg

1

3

Milho 1051 - 1kg

1

4

Coentro Verdão - 1kg

1

5

Tomate IPA 6

2

6

Pepino Verde comprido

1

7

Quiabo Santa Cruz 47

1

8

Pimentão Verde Yolo Wonder

1

9

Couve Manteiga

2

10

Cebola Redonda Roxa

1

11

Alface Maravilha - roxa

1

12

Mamão Formosa

1

13

Maracujá Amarelo

1

14

Melancia Charleston Gray

2

15

Abóbora Caserta Italiana (abobrinha)

3

16

Tomate Cereja

1

17

Pimenta Malagueta

2

18

Abóbora Rajada Seca

1

19

Mamão Havaí

1

20

Cebola Baia Periforme

1

21

Pimenta Doce Comprida

2

22

Abóbora M. Paulista Isabela

1

23

Pimentão Rubi Gigante - vermelho

1

24

Pimentão All Big - verde

1

24


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco 25

Pimentão Amarelo - SF134

1

26

Melão Amarelo

1

27

Beterraba Mar T. T. Wolder

2

28

Repolho Roxo Mamouth RR

1

29

Abóbora Menina Vrasileira

1

30

Tomate Santa Cruz Kada Gig.

1

31

Melão Hales Best. Jumbo

1

32

Cenoura Brasília Irecê

2

33

Alface Regina

2

34

Couve Flor da 4 Estações

1

35

Pimenta Amarelo SF 134

1

36

Couve Chinesa Michihilli (acelga)

1

37

CebolinhaT.A.Ever Nebuka

1

38

Salsa Graúda Port. Nova S.

1

39

Repolho Chato do Quintal

1

40

Abóbora Moranga Coroa

1

41

Feijão Macarrão Trep. (Vagem)

1

42

Tomate Carolina

1

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Após a disponibilização do Kit Sementes, com os sistemas em funcionamento, verificouse que a grande maioria dos agricultores passaram a produzir culturas de ciclo curto, cuja colheita se faz em até aproximadamente 100 a 120 dias após o plantio (Figuras 22 e 23). As 6 culturas mais produzidas foram: coentro, abobrinha, mamão, pimentão, tomate e couve manteiga (Gráfico 17). Gráfico 17: Culturas mais produzidas depois do Bioágua e disponibilização do kit sementes 25 21 20 15

19 19

18 18

17 17 17 17

16 16 16

15 15

14 14 14

13

12 10 10

10

9 9

8

7 7 7 7 3 3

5

Coentro Abobrinha Mamão Pimentão Tomate Couve manteiga Melancia Quiabo Milho Cebolinha Abóbora Maxixe Tomate cereja Pimenta Maracujá Melão Feijão de corda Alface Repolho Cenoura Capim limão Hortelã miuda Hortelã pimenta Berinjela Acelga Salsa Manjericão Couve Flor Chuchu Feijão

0

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

25


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Figura 22: Entrega do Kit sementes a Sra. Maria das Graças. Sitio Fama. Jucati/PE. 15/04/17.

Figura 23: Plantio das sementes. Segundo ciclo. Sr. Adenir Santos. Sítio Baixa dos Caibros. Jucati/PE. 22/06/17.

Após o plantio e manejo adequado constatou-se que muitos agricultores em 2 meses já tinham culturas prontas para colheita (Gráfico 18). Mais da metade dos agricultores (54%) realizaram suas colheitas entre 2 a 4 meses após a implantação do Sistema de Bioágua Familiar. Como as famílias dos beneficiários Elias Luiz e Adenir Santos (Figuras 24 e 25) Gráfico 18: Período da primeira colheita após a implantação do Bioágua

9% 32%

2 Meses 3 Meses

23%

4 Meses 5 Meses 6 Meses 9%

14%

Todos os meses

13%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

26


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Figura 24: Colheita de frutíferas no quintal da esposa do beneficiário Elias Luiz. 31/05/17

Figura 25: Colheita de hortaliças no quintal do beneficiário Adenir Santos. 02/06/17.

Quando questionados se houve alguma modificação na forma de cultivo após a implantação dos sistemas de Bioágua Familiar, 95% responderam positivamente (Gráfico 19). Apenas 1 dos beneficiários, o Sr. José Cláudio do Sítio Buraco d’água disse que não modificou sua dinâmica de cultivo, uma vez que já mexia com irrigação e agora agregou a tecnologia de reuso de águas cinzas na sua prática. Gráfico 19: Mudança na forma de cultivo após implantação do Bioágua

5%

Não Sim

95%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Benefícios Ambientais

27


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Na percepção dos agricultores, o Bioágua é também importante para o meio ambiente (Gráfico 20), por meio da redução de contaminação no entorno de suas residências. Foram citados benefícios, devido à redução de contaminação do solo e da água, bem como dos animais (Gráfico 20). Gráfico 20: O sistema de Bioágua Familiar e os benefícios para o meio ambiente

Total

Sim

100%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Gráfico 21: Tipos de benefícios para o meio ambiente com o Sistema de Bioágua Familiar 25

22

20

22 16

17

15 8

10 5 0 Evita poluição do solo

Evita contaminação Evita contaminação Evita proliferação de das águas dos animais doenças

Outro

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Uma das melhorias ao meio ambiente bastante citadas nas entrevistas com os agricultores é a observação da ausência de uma doença bastante comum nas aves domésticas, como as galinhas, faisões, capotes e peruas: Coriza Infecciosa (Gôgo)3.,cuja transmissão ocorre, dentre outros, pela água contaminada. Agora, este

3

Coriza Infecciosa (Gôgo): A coriza infecciosa, vulgarmente denominada gôgo, é uma doença bacteriana respiratória aguda, subaguda ou crônica, altamente contagiosa, que afeta, principalmente, o trato respiratório superior das aves. Causada pela bactéria Haemophilus paragallinarum, tem nas galinhas suas hospedeiras primárias, podendo atacar, também, outras aves, como os faisões, capotes e peruas, atingindo todas as idades. Muito comum em criações de aves domésticas, comerciais e também de aves exóticas é caracterizada por corrimento nasal, espirros e edema (inchaço) da face baixa dos olhos, conjuntivite catarral (lacrimejamento) e barbelas inchadas, especialmente nos machos. Sua transmissão ocorre por meio de aerossol, principalmente por contato direto entre aves doentes; por moscas; contato das aves com fômites; ou, pela ração e água contaminadas; sendo as aves infectadas de

28


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

e outros tipos de doença de veiculação hídrica, como Dengue, Chicungunya e a Leptospirose são evitadas. A água antes descartadas in natura, sem nenhum tipo de tratamento nos quintais das casas, agora é direcionada para o Sistema de Bioágua, evitando ainda a poluição dos solos. É importante sinalizar que na opção outros benefícios ao meio ambiente, 8 agricultores apontaram como benefício a promoção da melhor qualidade alimentar. Isso demonstra amadurecimento na percepção conceitual do meio ambiente que, segundo as Nações Unidas, contempla o conjunto de componentes físicos, químicos, biológicos e sociais capazes de causar efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas, isto incluindo a promoção da qualidade alimentar e nutricional de um povo. Impactos Socioeconômicos Levando em consideração que grande parte destas famílias tinha uma renda mensal entre R$100,00 e R$300,004 ou não tinham qualquer renda, mas continuavam tendo gastos com a compra de insumos alimentícios nas feiras e estabelecimentos da cidade, com um gasto médio semanal entre R$31,00 a R$41,00 (Gráfico 22) e após o sistema, a faixa de gastos semanal da maioria das famílias situa-se entre R$16,00 a R$20,00 (Gráfico 23), pode-se inferir que houve uma economia média semanal entre R$15,00 e R$21,00. Seja esta economia sendo oportunizada pela economia na não aquisição desses insumos nas feiras ou na comercialização dos excedentes dos insumos de seus quintais com os vizinhos. Gráfico 22: Gasto semanal em feira antes do Bioágua

Gráfico 23: Gasto semanal em feira após o Bioágua

27%

23%

Mais de R$41,00

4%

Mais de R$41,00

R$1,00 a R$5,00

9% R$31,00 a R$40,00

9%

14% 5%

R$21,00 a R$30,00

R$11,00 a R$15,00 R$16,00 a R$20,00

23%

4% 14%

32%

R$16,00 a R$20,00

R$21,00 a R$30,00 36% R$31,00 a R$40,00

R$11,00 a R$15,00 R$6,00 a R$10,00

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável.

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável.

2017

2017

forma crônica e mesmo as portadoras que não apresentam os sintomas, importantes disseminadoras da bactéria. Fonte: https://www.cpt.com.br/cursos-avicultura/artigos/coriza-infecciosa-gogo 4 Fonte: Diagnóstico da realidade local com identificação das famílias e comunidades a serem beneficiadas pelo Bioágua Familiar. AVSI Brasil, 2016.

29


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Em complemento à análise dos fatores financeiros dos gastos semanais com a feira de frutas, legumes e hortaliças, 91% dos agricultores sinalizaram que tiveram economia (Gráfico 24). Gráfico 24: Economia nos gastos semanais da família com feira de legumes, frutas e hortaliças

9%

Não Sim

91%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Quando se analisa a média mensal em economia nos gastos com a compra de frutas, hortaliças e verduras nas feiras os agricultores relatam haver uma economia média mensal de R$55,48. Chegando em alguns casos, como o relatado pelo beneficiário Elias Luiz da Silva que relata uma economia mensal de até R$307,50. O impacto da tecnologia vai além da economia doméstica. A agricultora Luciana Inácio

Teixeira (Figuras 26 e 27), que mora com o marido e tem 3 filhas e tinha uma renda mensal familiar de R$402,005 antes do Projeto declarou que a motivação para ter participado do Projeto adveio da necessidade e privações que passava em casa. “Passava dificuldade. Não tinham dinheiro para comprar alimentos. Queria ter a possibilidade de comprar as coisas. Queria reaproveitar a água e não deixar (a água) contaminando o pé da porta”. Questionada “O que de melhor a tecnologia trouxe”, Luciana respondeu:

5

Renda média declarada pela beneficiária no começo do Projeto. Com esta renda média Luciana se localiza em situação de pobreza. Fonte: http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/livros/03.renda.pdf

30


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

“Um agricultor tem que ter trabalho. Passei o verão sem trabalho. E agora com o Bioágua eu tenho trabalho. Mudou que eu não tinha dinheiro para comprar insumos. Hoje deixo de comprar coentro, batata, pimentão, acerola, couve”, relatou.

Figura 26: Luciana Inácio e suas três filhas em seu quintal produtivo agroecológico. 20/06/17

Figura 27: Luciana Inácio colhendo batatas em seu quintal agroecológico, garantindo subsistência alimentar para sua família. 03/07/17.

Além da economia doméstica, pôde-se observar que muitos agricultores passaram a vender o excedente para os vizinhos e mediante participação da feira livre municipal de Jucati. Esta atividade de comercialização apesar de não estar no escopo inicial do Projeto, conseguiu ser viabilizada através de articulações institucionais entre a AVSI Brasil e o governo municipal de Jucati via Secretaria de Agricultura e a aprovação de remanejamento financeiro pela Fundação Banco do Brasil para confecção de barraca específica para os agricultores familiares apoiados pelo Projeto. Os agricultores familiares participaram nos dias 20/06/17 e 04/07/17 (Figuras 28 e 29) da feira com a comercialização de seus excedentes em uma barraca personalizada e obtiveram um lucro de R$269,00 na primeira participação e de R$157,00 na segunda participação, totalizando um lucro de R$426,00 em venda dos insumos em apenas 2 participações pontuais na feira de Jucati. Nestas 2 participações nas feiras dos 22 agricultores apoiados pelo Projeto, 6 destes tiveram excedentes de insumos de seus quintais para comercialização.

31


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Figura 28: Primeira participação dos agricultores familiares da feira de Jucati para comercialização de seus excedentes. 20/06/17.

Figura 29: Segunda participação dos agricultores familiares na feira de Jucati para comercialização de seus excedentes com visita da FBB. 04/07/17.

É importante sinalizar que esta participação ainda acontece pontualmente, levando em consideração a quantidade de insumos excedentes nos quintais produtivos agroecológicos e o interesse dos agricultores em se organizar e dar sequência às suas participações não só na feira do município de Jucati mas em outros espaços de comercialização de insumos agroecológicos da região. Devido a seus benefícios, viu-se que embora no início do Projeto, algumas famílias não acreditassem nos benefícios do Sistema de Bioágua, hoje desperta interesse na comunidade. Durante a etapa inicial do Projeto, algumas famílias que haviam sido indicadas para receber o Bioágua, desistiram. Compreende-se que este é um comportamento esperado, quando a maioria ainda desconhece as potencialidades e as dificuldades de se ter uma tecnologia social que demanda tempo e dedicação, mas que em paralelo lhe oferece real possibilidade de melhoria na qualidade de vida de sua família. Quando se indaga de onde são estas famílias interessadas no Projeto observa-se que 41% destas famílias são de outras comunidades e/ou até de outros municípios da região (Gráfico 25). Este interesse de outras comunidades e outros municípios sinaliza a potencialidade de replicação da experiência em outras regiões do semiárido pernambucano.

32


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Gráfico 25: Localização das famílias interessadas no Projeto

Da mesma comunidade 4%

9% Da mesma comunidade e outro município 41%

23%

Da mesma e outra comunidade De outra comunidade

14%

De outra comunidades e outro município

9%

De outro município Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Como forma de sintetizar os resultados concretos no que se refere à produção agroecológica dos quintais produtivos irrigados pelos Sistemas de Bioágua Familiar foi realizado um quadro resumo contendo uma avaliação sobre aspectos de cultivo observados entre os meses de dezembro/2017 a maio/2017 (Tabela 2). Tabela 2: Quadro síntese de avaliação do cultivo entre dezembro/2017 a maio/2017

Número médio de culturas

Percentual médio de consumo do que se produz (%)

Percentual médio de doação (%)

Percentual médio de perdas (%)

25

50,4%

8,6%

18,7%

Media de renda (mensal) gerada com a economia na compra dos insumos na feira + lucro da venda dos insumos na feira. (R$) R$126,48

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

Os agricultores conseguiram cultivar em média 25 tipos de culturas dos 42 tipos disponibilizados nos kits sementes, sendo possível observar que mais da metade deles estão produzindo para subsistência, com uma pequena parcela dos insumos (8,7%) sendo doados entre seus vizinhos e comunidades circunvizinhas. Este é o caso do Sr. Adão de Moura que chega a realizar doação de até 45% de sua produção, apresentando grande potencial de comercialização de seu excedente. Com relação à perda da produção, apesar de apresentar o percentual médio de 18,7% este dado reflete os episódios de aparecimento de lagartas, pragas e doenças causadas por fungos, vírus e bactérias que, após se instalarem nas plantas, ainda atraem outras

33


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

pragas, insetos e parasitas. Com o ambiente árido ao redor, os quintais produtivos tornam-se a única fonte de alimentos inclusive para as pragas (Figuras 30 e 31). Desta forma, pode-se inferir que todas estas culturas produzidas requerem maior controle no manejo adequado para o combate às pragas e doenças que se apresentaram

como

desafios

constantes.

Sendo

enfrentado

através

do

acompanhamento técnico especializado e individualizado, as oficinas teórico-práticas e a disposição dos agricultores em perseverar na promoção de uma agricultura sustentável, sendo estas ações o diferencial do Projeto Jucati Sustentável.

Figura 30: Registro do quintal ainda sem produção e o ambiente árido. Jucati/PE. Março/2017.

Figura 31: Registro do mesmo quintal agora com insumos e o contraste do ambiente árido para o ambiente agroecológico. Jucati/PE. Junho/2017

Para tentar dirimir estas perdas e manter as produções sadias e controladas, continuam sendo realizadas ações de assistência técnica e de oficinas de agroecologia com enfoque no uso de defensivos naturais. Outro dado importante observado na coleta das informações e no acompanhamento dos agricultores foi a renda média mensal obtida através da economia advinda da não compra dos insumos nas feiras livres mais o lucro gerado em apenas 2 participações na feira livre de Jucati. Levando em consideração que dos 22 agricultores apoiados pelo Projeto 6 deles levaram seus excedentes para comercialização chega-se a um lucro de R$71,00. E se somarmos este lucro com o valor médio mensal de R$55,48 gerado a partir da não compra dos insumos nas feiras, chega-se a uma economia média mensal de R$126,48. Podendo este valor ser aplicado na complementação da renda dos agricultores familiares que era no início do Projeto entre R$100,00 a R$300,00, sinalizando um incremento real de até 126% para quem tinha uma renda de R$100,00 e de 42% para quem tinha uma renda de R$300,00. Esta complementação podendo ser aplicada na compra de novos insumos para incrementar a produção de seus quintais produtivos agroecológicos.

34


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

2.3 EDUCAÇÃO ALIMENTAR NUTRICIONAL Ao final das atividades de educação alimentar e nutricional do Projeto Jucati Sustentável, foram respondidas questões específicas nos questionários de avaliação de resultados a fim de buscar os possíveis reflexos oriundos das ações desenvolvidas através das campanhas nas 14 escolas públicas do município, nas oficinas teóricopráticas com 80 famílias e na assistência técnica em educação alimentar e nutricional para as 22 famílias que receberam o Bioágua. Nestas oficinas realizadas em janeiro/2017 participaram 125 pessoas (82 mulheres e 43 homens) e nas campanhas escolares foram beneficiados 478 alunos (259 mulheres e 219 homens), incluindo 28 integrantes do corpo docente, multiplicadores do conhecimento. A importância das oficinas e campanhas em educação alimentar e nutricional pode ser observada no depoimento da Coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação do município de Jucati, Sandra Ferreira da Silva, que tem uma filha de 5 anos. Quando questionada se ela recordava da campanha e se podia descrevê-la, ela relatou: “Houve oficinas de conscientização. Eu mesma percebi como a gente se alimenta mal, como o salgadinho que foi mostrado na campanha. Eu tenho uma filha de 5 anos, meio gordinha e já estou tirando o salgadinho. Comecei a introduzir frutas, como a melancia”. Ela relata também que “além da merenda os alunos levam lanche para a escola como salgadinho, biscoito, refrigerante”. E com a explicação da nutricionista (Figura 32), ela percebeu que as crianças não queriam mais comer os alimentos industrializados. Observou que algumas crianças multiplicaram a informação. “E quando chegava na escola observava que a criança não queria mais comer salgadinho (pelo que continha) ”. Quando indagada sobre os aspectos positivos e negativos, destacou: “Como ponto positivo destaco a reeducação alimentar e a conscientização das crianças”. Como ponto negativo ela relata que “haviam escolas de grande porte, onde apenas uma turma foi contemplada”. Já a professora da Escola José Ferreira da Silva (uma das 14 escolas participantes das ações em EAN), Ana Raquel sinalizou como ponto positivo a forma lúdica de apresentação dos conteúdos: “A linguagem foi acessível”. Como também a grande adesão dos membros da comunidade escolar: “Os professores participaram, os alunos também”. Lembrou de uma professora que ao ser solicitada para escolher um lanche pegou uma coca-cola e os alunos não esqueceram, apontando isso como algo negativo. Como sugestão de aprimoramento para novas iniciativas sugere: “Os pais poderiam ser convidados a vir a escola e participar também. Existe um programa chamado família na escola. A participação deles é fundamental, pois não adianta a criança aprender se são eles quem decidem e fazem a compra de casa”.

35


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Quanto a replicação da metodologia usada nas oficinas e campanhas nas escolas todos os entrevistados avaliam que a metodologia e os materiais disponibilizados são de fácil replicabilidade. A professora Ana Raquel, ainda sugere: “Sim, é possível a replicabilidade. Na disciplina de ciências na qual se fala de alimentação. O material que veio é ótimo para reproduzir. Foram elaboradas plaquetinhas com algumas frutas (Figura 33). Os professores junto com os alunos poderiam fazer plaquetinhas de outras frutas”.

Figura 32: Registro da Nutricionista do Projeto utilizando os materiais pedagógicos na execução das atividades de EAN nas escolas. Jucati/PE. 03/04/17.

Figura 33: Detalhe das plaquetas utilizadas nas atividades de EAN nas escolas e disponibilizadas para replicabilidade da metodologia. Jucati/PE. 03/04/17.

Para enriquecimento dos dados qualitativos foi coletado através de grupos focais composto por alguns alunos das escolas que participaram das oficinas e campanhas de educação alimentar nutricional no dia 01/06/17 alguns depoimentos relatados a seguir. Os alunos do 4º ano da Escola José Vicente da Silva demonstraram lembrar-se da campanha. Citaram os alimentos que foram trabalhados durante a campanha, como os mais “maléficos” à saúde como o salgadinho (que tem “pozinho dentro” (Figura 34), suco de saquinho que tem corante, o miojo que tem um “pozinho”), lembraram das frutas que são saudáveis (manga tem vitamina e é bom para a memória). Entre os alimentos citados que gostam de lanchar na escola e em casa estão: pipoca, arroz doce, biscoito, cuscuz, macaxeira com charque, chocolate quente e suco de goiaba. Já os alunos do 5º ano da Escola José Ferreira da Silva novamente demonstraram recordar-se da Campanha. Como lembrança disseram que foi falado sobre comidas saudáveis e comidas gordurosas, sobre a quantidade de sal e gordura das comidas. Dos bons alimentos lembraram das frutas como o limão, acerola, manga e caju (Figura 35). Dos alimentos não saudáveis falaram do miojo (“é frito”), da coca-cola (tem corante e açúcar), do biscoito (tem gordura, “ao comer 6 unidades por dia, ao final do dia vai ter comido 6kg de açúcar), do salgadinho (tem óleo e corante) e do suco de saquinho (“que contém corante que dá câncer”).

36


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

A partir destes depoimentos pode-se inferir que apesar de demonstrar o conhecimento adquirido, as crianças ainda citam que gostam de coca-cola, de salgadinho, o que não invalida o cumprimento do objetivo da campanha e o impacto que causou ao possibilitar que eles pudessem ter outra visão sobre os alimentos.

Figura 34: Demonstrativo do salgadinho e sua relação com as quantidades de sódio e gordura presentes no alimento Jucati/PE. 03/04/17.

Figura 35: Alimentos avaliados como bons pelos alunos e seu valor nutricional, como a manga. Jucati/PE. 03/04/17.

A seguir são descritos os resultados destas ações de promoção da qualidade de vida através da segurança alimentar e nutricional dos agricultores e seus familiares. Quando perguntados se o Projeto as ajudou a pensar na qualidade de sua alimentação no dia a dia, 100% dos entrevistados respondeu positivamente (Gráfico 26) sinalizando a importância das atividades na reflexão sobre a qualidade alimentar e o resgate da cultura do campo nos hábitos alimentares. Gráfico 26: Reflexão sobre a alimentação no dia a dia

Sim

100%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

37


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Dentre os principais motivos referidos para esta reflexão sobre a qualidade alimentar, destacam-se maior entendimento sobre a importância dos alimentos naturais para saúde e a compreensão sobre a composição dos alimentos industrializados, além do aprendizado sobre o melhor aproveitamento dos alimentos adquiridos através das oficinas teórico-práticos em educação alimentar nutricional (Figuras 36 e 37).

Figura 36: Oficina “Mestre Cuca”. Associação dos Moradores do Sítio Fama - Jucati. Data: 14/02/2017

Figura 37: Oficina “Mestre Cuca”. Associação dos Moradores do Sítio Fama - Jucati. Data: 14/02/2017

Já quando indagados se depois das atividades em educação alimentar realizadas ainda precisam mudar alguma coisa em sua alimentação, 68% dos agricultores entrevistados responderam positivamente, enquanto 32% não demonstraram qualquer necessidade desta mudança (Gráfico 27). Gráfico 27: Necessidade de mudança na alimentação após as atividades do Projeto

32% Não Sim 68%

Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

38


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Os beneficiários que responderam negativamente sobre a necessidade de mudanças relatam que, a partir das lições aprendidas nas oficinas, assistência técnica especializada e nas campanhas escolares, antes faltava comida de qualidade em seus quintais, mas agora estão conseguindo a alimentação de subsistência por meio dos quintais produtivos, evitando alimentos com agrotóxicos, como é o caso do Sr. Sandro Cordeiro de Barros do Sítio Cachoeira. Já a beneficiária Maria das Graças Alves do Sítio Mandante relata que depois que ficou sabendo que os alimentos industrializados fazem mal nas oficinas evita a compra de refrigerante, macarrão instantâneo e sucos artificiais. A maior importância das ações de educação alimentar e nutricional é promover a possibilidade de edificar o saber referente à alimentação e nutrição e consequentemente despertar uma reflexão sobre o assunto, para que dessa forma as famílias possam tomar decisões conscientes acerca do consumo de gêneros alimentícios. Neste sentido, pode-se inferir que 100% das famílias apontaram que houve tal reflexão após as atividades. De acordo com os relatos dos familiares foi perceptível que a reflexão de uma forma geral levou a identificação de hábitos alimentares inadequados, como a supervalorização dos alimentos industrializados. 2.3.1 HÁBITOS ALIMENTARES DAS FAMÍLIAS ANTES E APÓS O PROJETO

Na Tabela 3 há uma descrição dos hábitos alimentares (frequência e intensidade de consumo) das famílias antes e após o Projeto Jucati Sustentável. Salienta-se que foram mencionadas alterações consideráveis, como menor consumo de alguns produtos industrializados e o aumento da ingestão de frutas e verduras. Os relatos quanto à tentativa de melhorias na alimentação podem estar relacionados à ampliação do conhecimento sobre os prejuízos ocasionados por uma má alimentação e a assistência técnica especializada realizada com visitas in loco proporcionando maior orientação assimilação na prática doméstica dos beneficiários. Para alguns itens identificados com grande consumo antes do Projeto, como macarrão instantâneo, refrigerante e suco artificial verificou-se pelo relato dos entrevistados grande redução no consumo após o Projeto. Tabela 3: Hábitos alimentares das famílias antes e após o Projeto

QUAIS OS HÁBITOS ALIMENTARES DAS FAMÍLIAS? ANTES DO PROJETO

DEPOIS DO PROJETO

FREQUÊNCIA DE CONSUMO

FREQUÊNCIA DE CONSUMO

GÊNEROS ALIMENTÍCIOS

NÃO

POUCA

MÉDIA

MUITA

NÃO

POUCA

MÉDIA

MUITA

Refrigerante

31,8%

45,5%

18,2%

4,5%

63,6%

0,0%

13,6%

22,7%

39


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco Suco Artificial

22,7%

54,5%

13,6%

18,2%

36,4%

9,1%

9,1%

36,4%

Suco da fruta

40,9%

45,5%

13,6%

0,0%

9,1%

81,8%

4,5%

0,0%

Achocolatado

31,8%

9,1%

18,2%

45,5%

27,3%

9,1%

4,5%

45,5%

Leite

31,8%

50,0%

9,1%

0,0%

31,8%

50,0%

4,5%

4,5%

Queijo

36,4%

18,2%

45,5%

0,0%

31,8%

13,6%

45,5%

0,0%

Salgadinho de pacote/pipoca

40,9%

18,2%

9,1%

31,8%

40,9%

0,0%

4,5%

40,9%

Bala/chiclete/pirulito/ chocolate

59,1%

13,6%

9,1%

18,2%

45,5%

9,1%

9,1%

31,8%

Macarrão instantâneo

40,9%

22,7%

22,7%

13,6%

45,5%

0,0%

4,5%

40,9%

Frutas

18,2%

59,1%

13,6%

0,0%

9,1%

72,7%

9,1%

0,0%

Verduras

0,0%

72,7%

18,2%

0,0%

4,5%

72,7%

18,2%

0,0%

Pão/Bolacha

4,5%

54,5%

31,8%

0,0%

9,1%

50,0%

31,8%

0,0%

Biscoito Recheado

40,9%

31,8%

18,2%

9,1%

36,4%

0,0%

27,3%

27,3%

Bolo

36,4%

31,8%

18,2%

4,5%

54,5%

18,2%

18,2%

4,5%

Manteiga

9,1%

4,5%

4,5%

81,8%

13,6%

9,1%

0,0%

68,2%

Margarina

36,4%

27,3%

36,4%

0,0%

50,0%

22,7%

27,3%

0,0%

Açúcar cristal

9,1%

63,6%

22,7%

0,0%

13,6%

59,1%

18,2%

0,0%

Sal

59,1%

13,6%

18,2%

0,0%

59,1%

13,6%

22,7%

0,0%

Óleo de soja

27,3%

36,4%

27,3%

4,5%

31,8%

31,8%

27,3%

4,5%

Arroz

0,0%

77,3%

18,2%

0,0%

0,0%

77,3%

18,2%

0,0%

Feijão

4,5%

77,3%

13,6%

0,0%

9,1%

81,8%

4,5%

0,0%

Temperos industrializados

54,5%

13,6%

9,1%

22,7%

54,5%

0,0%

9,1%

31,8%

Enlatados

63,6%

9,1%

13,6%

13,6%

68,2%

4,5%

4,5%

22,7%

Macarrão

31,8%

27,3%

36,4%

0,0%

31,8%

22,7%

45,5%

0,0%

Jerimum

45,5%

22,7%

18,2%

4,5%

50,0%

18,2%

18,2%

9,1%

Macaxeira

18,2%

50,0%

27,3%

0,0%

18,2%

45,5%

22,7%

4,5%

Inhame

31,8%

18,2%

4,5%

45,5%

27,3%

22,7%

9,1%

40,9%

Batata doce

13,6%

50,0%

31,8%

4,5%

18,2%

40,9%

31,8%

4,5%

Xerém

50,0%

4,5%

36,4%

4,5%

50,0%

4,5%

36,4%

4,5%

Peixe

22,7%

27,3%

50,0%

0,0%

18,2%

27,3%

45,5%

0,0%

Frango

18,2%

59,1%

13,6%

0,0%

31,8%

54,5%

9,1%

0,0%

Suco Artificial

22,7%

54,5%

13,6%

18,2%

36,4%

13,6%

40,9%

4,5%

Charque

50,0%

13,6%

36,4%

0,0%

40,9%

13,6%

36,4%

0,0%

31,8%

22,7%

22,7%

13,6%

45,5%

4,5%

18,2%

22,7%

0,0%

54,5%

40,9%

0,0%

0,0%

63,6%

31,8%

0,0%

18,2%

72,7%

9,1%

0,0%

18,2%

68,2%

9,1%

0,0%

31,8% 0,0% 4,5% 59,1% 31,8% 0,0% Fonte: AVSI Brasil. Avaliação do Projeto Jucati Sustentável. 2017

4,5%

54,5%

Salsinha/mortadela/linguiça Ovo Farinha de mandioca Farofa pronta

40


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

2.4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao final do Projeto, pode-se avaliar que todas as metas e objetivos foram cumpridos com a geração de indicadores que contribuem para a avaliação positiva dos resultados alcançados. Os sistemas de Bioágua Familiar, desde as capacitações, construção, assistência técnica para uso e manejo, aliado à formação voltada à transição agroecológica colaboram para potencializar o desenvolvimento social, econômico e ambiental. Além disso, o Bioágua traz ainda benefícios econômicos. A família deixa de comprar na feira o que colhe no seu quintal e vende o excedente de sua produção. Com relação às capacitações voltadas à Educação Alimentar e Nutricional, assim como a assistência técnica colaboraram para elevar o nível de consciência sobre a qualidade da alimentação. A partir do diagnóstico inicial do município, complementado pela anamnese em cada família, pôde-se constatar o alto consumo de alimentos industrializados, com alto teor de sódio, açúcar e gordura. Desta forma, a orientação a uma alimentação baseada no consumo de alimentos naturais, não somente contribuiu para a melhoria da saúde e o desenvolvimento social, como também potencializará os benefícios ambientais do sistema de Bioágua e do cultivo agroecológico, tendo em vista que as famílias são orientadas a se alimentar dos insumos de seus próprios quintais produtivos irrigados com água advinda do Sistema de Bioágua. Após estes resultados, espera-se que os agricultores familiares se mantenham estimulados a manter seus sistemas em condições favoráveis de manutenção e produção, como também continuem aplicando o conhecimento adquirido sobre uma alimentação saudável e natural. Apesar do componente de comercialização destes excedentes não ter feito parte do escopo do Projeto, no decorrer das atividades de assistência técnica em extensão rural (ATER) observou-se grande potencial para esta comercialização. A expectativa é que a participação dos agricultores nestas feiras de comercialização se intensifiquem contribuindo para a melhoria da renda e consequentemente para o desenvolvimento social.

41


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Anexo 1: Matriz do questionário aplicado com os 22 beneficiários do projeto Jucati Sustentável

42


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

43


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

44


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

45


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

46


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

47


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

48


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

49


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

Anexo 2: manual de Uso e manutenção do Sistema contendo instruções e recomendações aos beneficiários do Projeto

50


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

51


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

52


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

53


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

54


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

55


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

56


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

57


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

58


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

59


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

60


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

61


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

62


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

63


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

64


Relatório de Avaliação de Resultados Projeto Jucati Sustentável (15.165): Bioágua, Agroecologia e Nutrição no Agreste de Pernambuco

65