Issuu on Google+

A Voz do Rosário BOLETIM INFORMATIVO DA PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE NOVO GUARARAPES Jaboatão/PE – ANO II nº 08 – Abril de 2013

MAIO: MÊS DE MARIA!

“Fazei tudo o que Ele vos disser.” (Jo 2,5) EXPEDIENTE PAROQUIAL

Batizados: Todo último Domingo de cada mês. Confissões: Todo domingo após a missa das 7h da manhã, na Matriz.

(81) 9631.6981 – (81) 8756.6139

EXPEDIENTE Equipe: Ewerton Morais, Gracivaldo Almeida, José Ivyrson, José Luiz, Karol Lourenço, Willams Silva.

Direção: Padre Cosmo Francisco (Pároco) Produção e Edição: PASCOM Revisão de Texto: José Ivyrson Impressão: MS Gráfica e Copiadora Tiragem: 1000 exemplares Paróquia Nossa Senhora do Rosário Rua Sete de Setembro, 200 Novo Guararapes/Prazeres Jaboatão dos Guararapes/PE.

VENHA COM A GENTE LEVAR JESUS O MAIOR COMUNICADOR DA HISTÓRIA A TODOS OS POVOS! FAÇA PARTE DA PASCOM!

Estamos neste mês maravilhoso de maio, mês mariano. Nele a Igreja se une de uma maneira especial ao olhar da Virgem para celebrar o Cristo Ressuscitado. É comum nas Igrejas terem várias manifestações marianas, rezam-se o terço e a ladainha, os evangelhos levam um toque mariano, as canções são em homenagem a ela, entra outras manifestações de carinho que o povo de Deus demonstra. Mas, quem foi Maria? O que os Santos falam sobre ela? O Que Deus revelou sobre a mãe de Seu Filho? Os evangelhos mostram Maria como uma simples mulher, morando em uma das cidades mais simples de Israel, que se coloca como “a escrava do Senhor” (Lc 1, 38), que vai ao encontro de quem necessita (Lc 1, 39), a que “guarda em silêncio os ministérios de Deus no coração” (Lc 2, 51), a que experimentou a misericórdia do Senhor (Lc 1, 54), a que reconheceu a grandeza de Deus (Lc 1, 49), aquela que acreditou no Deus do impossível e se tornou a Mãe do Salvador (Lc 1, 37), a esposa fiel de São José (Lc 1, 27), a mulher usada para batizar no Espírito Santo João Batista e Santa Isabel através apenas de uma simples saudação (Lc 1, 41-44) entre outras graças que Deus lhe presenteou. Só estes pontos apresentados acima, já nos levam a refletir! Meu amigo leitor, você é um escravo do Senhor que lhe obedece em tudo como Maria foi? Você vai ao encontro de quem necessita? Procura silenciar diante das situações e guardar no coração as coisas de Deus? Você reconhece a grandeza de Deus deixando que Ele aja na tua vida como o Deus do impossível? Tem sido fiel nos teus relacionamentos? É usado para levar o Espírito Santo para os outros ou só sabe levar fofoca? Como é difícil ser que nem ela? Que exemplo! Para a nossa Igreja ela é a maior mulher de todos os tempos, mas se colou sempre como a menor, a mais pobre, enquanto isto o Senhor a enriquecia de todas as graças. Feliz comentário o de Santo Antonio: “Deus juntou todas as águas e chamou-as mar; reuniu todas as suas graças e chamou-as Maria”. Ela é a mulher que mesmo virgem foi mãe, mesmo isto já sendo extraordinário, não foi qualquer criança que estava em seu ventre, foi o menino Deus, fruto da profecia de Isaias (cf. Is 7, 14). São Luís Maria de Montfort, em seu livro: Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem – ensina algo sensacional sobre este fato: “O Espírito Santo, que era estéril em Deus, isto é, não produzia outra

pessoa divina, tornou-se fecundo em Maria. É com ela, nela e dela que Ele produziu sua obra-prima, um Deus feito homem...” Maria é aquela que ajuda os planos de Deus a se cumprirem em plenitude. Quais são os planos que Deus tem em tua vida? Deixe ela te ajudar para que eles se cumpram! Fica a dica: aproveite este mês mariano para conhecer mais aquela a quem Deus deu o título de Senhora. Que Maria, mãe da Igreja, no título de Nossa Senhora de Fátima, rogue por nós, amém! Carlos Eduardo, Grupo de Oração Maran atá

1


NOSSA SENHORA DE FÁTIMA No ano de 1917, em um cidade de Portual, chamada Fátima, a Virgem Maria apareceu a três crianças; Lúcia, que tinha na época 11 anos, Jacinta que tinha 7 anos e Francisco com 9, eles foram os três videntes de Fatimá. Tudo aconteceu no dia 13 de Maio de 1917, naquela época a Europa estava passando pelo duro período de guerras, era a primeira guerra mundial. Lúcia, Francisco e Jacinta, perto do meio dia, estavam brincando alegremente quando surgiu uma luz tão intensa, que pensaram ser um relâmpago. Pouco depois, avistaram sobre a copa de uma azinheira (árvore nativa da região), de cerca de um metro de altura, uma Senhora tão bela que Lúcia assim descreveu: "Era uma

Senhora vestida toda de branco, mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente." As Criança surpreendidas pela aparição, pararam de brincar e se aproximaram. Ficaram tão perto que a luz as envolvia, mas não lhes ofuscava os olhos. ouviram então uma senhora que lhes falava com doçura: -Não tenhas medo, Eu não vos faço mal. Lucia tomou a iniciativa de alguma coisa: -De onde é voce?

-Sou do céu. -E o que você quer? -Vim para vos pedir que venhas aqui seis meses seguidos, no dia 13, a esta hora depois vos direi quem eu sou e o que sou e o que quero. Depois venham ainda aqui uma sétima vez. -E Eu também vou para o Céu? -Sim,vais! -E a Jacinta?

-Também! -E o Francisco? -Também... Mas tem que rezar muitos terços! -Quereis oferecer-vos a Deus para suportar todos os sofrimentos que ele quizer envia-vos, em ato de reparação pelos pecados com que ele é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores? -Sim queremos! -Ide, pois tendes muitos que sofrem, mas a graça de Deus será vosso conforto. Ao pronuciar estás últimas palavras, diz Lúcia: "Nossa Senhora abriu as mãos comunicando-nos um luz intensa, como se fosse um reflexo. Delas espargia que, penetrando-nos no peito e no mais íntimo da alma fazia-nos ver a nós mesmos em Deus mais claramente do que nos vemos nos espelhos". Nesse instante, os pastorinhos, por um impulso íntimo, cairam de joelhos e repetiam intensamente: “Ó Santíssima Trindade, eu vos adoro, meu Deus, Meu Deus, Eu vos amo no Santíssimo Sacramento." Nossa Senhora continuo aparecer como havia prometido, e ela sempre fazendo o mesmo pedido continuas rezando o terço todos os dias. Em uma das aparições Nossa Senhora revelou também um segredo que foi divido em 3 partes, na última aparição, que aconteceu diante de 70 mil pessoas, o milagre do sol, que contaresmos nas próximas edições. Não perca!

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Rogai por nós! Gracivaldo Almeida, Maran atá/Pascom

Os jovens, geração JMJ agora mais ansiosos que nunca! No último dia 12 foi decretada a contagem regressiva dos 100 dias para a jornada não só a juventude mais toda nação Católica Apostólica Romana, no Brasil, estão ansiosos pela primeira visita do Papa Francisco, que será em julho de 2013. Oremos pelos nossos jovens empenhados na evangelização para que possam continuar firme no discipulado do Cristo, e para que a JMJ no Rio de Janeiro possa mostrar a cara de cada jovem comprometido com a palavra de Deus. Oremos: ó Espírito Santo, Amor do Pai e do Filho, com o esplendor da tua verdade e com o fogo do teu amor, envia tua luz sobre todos jovens para que impulsionados pela Jornada Mundial da Juventude, levem aos quatro cantos do mundo a Fé, a esperança e a caridade, tornando-se grandes construtores da cultura da vida e da paz e os protagonistas de um novo mundo. O Cristo Redentor com sua imagem no alto do corcovado acolhe todos os povos. "Ide e fazei discípulos entre todas as nações" (Mt 28,12). Suelen Barbosa, Obra de Maria/PJ

LEGIÃO DE MARIA Você sabe qual é a Finalidade da Legião de Maria? A Legião de Maria tem como fim a Glória de Deus, por meio da santificação de seus membros, pela oração e cooperação ativa, sob a direção de autoridades eclesiásticas na obra de Maria e da Igreja. O esmagamento da cabeça da serpente e a extensão do reino de Deus. (Manual da Legião Cap. 02 item. 02 Pág.11). A Legião de Maria é uma associação de católicos que, com a aprovação da Igreja e sob o poderoso comando de Maria Imaculada, medianeira de todas as graças, formosa como a lua, brilhante com o sol e para satanás e seus adeptos, terrível com um exército em ordem de batalha; O serviço legionário é uma guerra, perpetuamente travada pela Igreja contra o mal que existe no mundo, é assim que a Legião tem se dedicado para levar todas as pessoas que se encontram longe de Deus para voltar a sua casa, com a força do Espírito Santo e de Nossa Senhora, temos conseguido ganhar as batalhas. Graças a Deus em nossa paróquia temos grupos da Legião adulta e juvenil, assim como nas capelas de Pio X e de Nossa Senhora de Fátima e na Gruta de Nossa Senhora Aparecida.

Salve Maria! João Antonio, Legião de Maria

2


LITURGIA [Lex orandi, lex credendi] Os sacramentos estão ordenados à santificação dos homens, à edificação do Corpo de Cristo e, por fim, a prestar culto a Deus; como sinais, têm também a função de instruir. Não só supõem a fé, mas também a alimentam, fortificam e exprimem por meio de palavras e coisas, razão pela qual se chamam `sacramentos da fé`. (cf SC 59) A fé da Igreja manifestou-se na forma como a Igreja reza e especialmente em como ela celebra a Sagrada Eucaristia e os outros sacramentos. Existem palavras e conceitos que adquiriram um significado profundo na vida, fé e oração da Igreja ao longo dos séculos. Exemplos são pessoa, trindade, majestade divina, encarnação, paixão, ressurreição, salvação, mérito, graça, intercessão, redenção, pecado, arrependimento, perdão, propiciação, misericórdia, penitência, reconciliação, comunhão e serviço. Existem gestos e posturas que ajudam a expressar o que a Igreja acredita. Exemplos são o Sinal da Cruz, inclinar a cabeça, ajoelhar-se, sentar-se, ouvir e ir em procissão. `A fé da Igreja é anterior à fé do fiel, que é convidado a aderir a ela. Quando a Igreja celebra os sacramentos, confessa a fé recebida dos apóstolos.` (Catecismo da Igreja Católica, 1124). Esse é um argumento forte em favor do grande cuidado na formulação, nos gestos e nas normas das celebrações litúrgicas. A relação entre a fé da Igreja e sua celebração litúrgica foi encapsulada em um dito antigo, lex orandi, lex credendi (a lei da oração é a lei da fé), ou legem credendi lex statuat supplicandi (deixar a lei da oração determinar a regra da

fé). Essa afirmação da fé Católica é creditada a Prosper de Aquitaine, do 5º século (Ep. 8). Ela é citada no Indiculus ou Capítulos Pseudo-Celestinos. O Papa Celestino reinou de 422 a 432 (cf. Ds 246). A Igreja crê como ela reza. A liturgia é um elemento constitutivo da santa e viva tradição da Igreja (cf. Dei Verbum 8). É por isso que a Igreja não permite ao ministro ou à comunidade modificar ou manipular qualquer sacramental ou mesmo o rito litúrgico geral. `Mesmo a suprema autoridade da Igreja não deve mudar a liturgia arbitrariamente, mas tão somente em obediência à fé e com respeito religioso ao mistério da liturgia.` (Catecismo da Igreja Católica, 1125) A Redemptionis Sacramentum é incisiva nesse ponto: `A mesma Igreja não tem nenhum poderio sobre aquilo que tem sido estabelecido por Cristo, e que constitui a parte imutável da Liturgia. Posto que, caso seja rompido este vínculo que os sacramentos têm com o mesmo Cristo que os tem instituído e com os acontecimentos que a Igreja tem sido fundada, nada seria vantajoso aos fiéis, mas sim poderia ser gravemente danoso. De fato, a sagrada Liturgia está estreitamente ligada com os princípios doutrinais por que o uso de textos e ritos que não têm sido aprovados leva a uma diminuição ou desaparecimento do nexo necessário entre a lex orandi e a lex credendi.` (RS 10) Fonte: catequeseliturgica.com.br

Pastoral da Catequese

MARIA: A MULHER DO PENTECOSTES! A paz de Jesus, o silêncio de Maria e o fogo do Espírito Santo a todos que estão lendo esta matéria! Falar de Maria é sempre gratificante. E mais ainda sobre Maria, que é por excelência, A MULHER DE PENTECOSTES. No Livro dos Atos dos Apóstolos (At 1,14b), confirmamos que, Maria estava lá no Cenáculo dando força, encorajando os discípulos e até impondo as mãos sobre eles, pedindo o mesmo Espírito que ela já tinha experienciado pessoalmente. Mas adiante (At 2,4), Lucas faz questão de lembrar que todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. Pasmem, pois a própria Maria orava em línguas. O Espírito Santo é nosso, é nosso amigo, deixemos que esse amigo guie as nossas vidas como guiou a vida de Maria.

Como nos convida a beata Helena Guerra “católicos, voltem ao Cenáculo!”, não para lembrar de pentecostes, mas para vive-lo diariamente! Não queremos ser apenas batizados, queremos ser discípulos! Não queremos ser apenas crismados, mas apóstolos da efusão do Espírito Santo! Não queremos ser apenas eucarísticos, mas adoradores eucaristizados e eucaristizantes! Não apenas carismáticos, mas santos! Não apenas católicos, mas mártires e profetas! Que Maria, A MULHER DE PENTECOSTES, nos ajude a viver diariamente essa cultura em nossas vidas. Precisamos viver de efusão em efusão, de vento a vento, de sopro a sopro do Espírito de Deus.

Edielson, Comunidade Cenáculo

ANIVERSARIANTES DO MÊS [03/05] Alexandre João de Oliveira [03/05] Severina Faustina de Aquino [04/05] Mariane da Silva Neves [04/05] Marinete Batista da Silva [05/05] Dona Zefinha (Mãe do Padre) [07/05] Iris Maria Dias [07/05] Soldoceu

[08/05] Edilson Jorge dos Santos [08/05] Sebastião Gomes da Silva [08/05] Senhor José (Pai do Padre) [09/05] Maria de Oliveira Isídio [09/05] Vânia Ferreira da Silva [10/05] Josefa Oliveira da Silva [10/05] Sônia Raimunda dos Santos

[14/05] Sully Cifrino Silva [15/05] Lucia Maria Feitosa da Silva [15/05] Mercia Maria dos Santos [15/05] Mirian Maria dos Santos [19/05] Maria Betânia Laurentino [20/05] Gilda Ferreira da Silva [20/05] Josefa Prazeres dos Santos

[21/05] Maria José de Santana Silva [21/05] Welington Borba da Silva [24/05] Adalto* [27/05] Amara José do Nascimento [28/05] Gilvan Junior [29/05] Maria de Lurdes Nascimento [31/05] Marli Cristina Fragoso

Irmãos paroquianos procurem a Pastoral do Dízimo e a Pascom para atualizar seus dados!

3


HABEMUS PAPAM [CONHEÇA A HISTÓRIA DOS JESUÍTAS: os verdadeiros Homens de Preto!] Parte 2! Os jesuítas ainda são fiéis ao Papa?

No século XVIII, não há dúvidas de que a Companhia de Jesus era a ordem religiosa em maior evidência nos países europeus e em suas colônias. Já faziam mais de 200 anos que os jesuítas dominavam o ensino de crianças e jovens, estando à frente dos principais colégios. Tamanha projeção estava entalada na garganta dos iluministas, que ansiavam por ver varrer a influência da Igreja da sociedade. E, entre os inimigos dos jesuítas, talvez nenhum tenha sido mais feroz e danoso do que o Marquês de Pombal. Em 1755, em Portugal, como primeiroministro do Rei Dom José, Pombal fez importantes reformas econômicas, financeiras e militares no país e, de fato, levou a nação a grandes avanços. E, em 1557, ele desferiu o seu primeiro golpe contra a Companhia de Jesus. Uma parte da população armou um motim contra a empresa estatal de distribuição de vinhos – a Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro. Após reprimir seus opositores, Pombal acusou os jesuítas de terem instigado o motim. Assim, arrumou motivo para impedi-los de pregar e confessar em Lisboa. Todos no reino sabiam que Dom José mantinha um caso com a bela Teresa Leonor; ela era esposa do filho mais velho do Marquês de Távora, cuja família era uma das mais poderosas do reino. Vindo de um desses encontros, dentro de um coche, Dom José sofreu um atentado a tiros, do qual escapou ferido, mas com vida. Segundo Camilo Castelo Branco, um dos mais importantes escritores de Portugal (e também um anticlerical), quem mandou pipocar o monarca adúltero foram os Távora, buscando lavar a honra da família. Mas Pombal fez a coisa toda parecer uma grande conspiração contra o trono, um crime de motivação política. E mais: espalhou que o atentado teria sido tramado pelos jesuítas, que eram amigos dos Távora (fonte: Camilo Castelo Branco – Perfil do Marquês do Pombal, 1882). Pombal, então, emitiu um decreto contra os jesuítas, expulsando-os de Portugal e de todos os seus domínios – e isso incluía o Brasil. O padre Gabriel Malagrida, um grade missionário, penou três anos em uma masmorra, sofreu torturas terríveis e foi levado à fogueira. Curiosidade: por pouco, o nosso Frei Galvão não foi expulso do Brasil. Ele pretendia ingressar na Companhia de Jesus, mas seu pai, que era membro da Ordem Terceira Franciscana, o convenceu a entrar num seminário franciscano. Pouco depois, os jesuítas foram todos expulsos do país. E assim, a França também expulsou os jesuítas, em 1762, por ordem do Rei Luis XV. Quatro anos depois, na Espanha, o povo se revoltou e provocou distúrbios em Madri, devido à falta de produtos de primeira necessidade (por pura incompetência do governo). A culpa dos motins foi colocada na conta… adivinhem de quem? Os bens da Companhia de Jesus foram confiscados. Como desgraça pouca é bobagem, pressionado pelo Rei Carlos III, o Papa Clemente XIV determinou que a Ordem deveria ser extinta em toda a Igreja, em 1773. Alguns historiadores defendem o Papa, dizendo que ele foi obrigado a fazer isso, para evitar um cisma. A partir de então, os jesuítas só encontraram acolhida na Prússia e na Rússia, países não sujeitos à autoridade papal. Poucos anos depois, em meio à Revolução Francesa, todas as ordens religiosas seriam suprimidas na França. Somente 41 anos depois, em 1814, o Papa Pio VII restaurou a Companhia de Jesus. 1965: Os maus ventos viriam a soprar novamente sobre os filhos de Santo Inácio. Em 1965, Padre Pedro Arrupe assume o cargo de superior geral da Companhia de Jesus, posição na qual permaneceria até 1981. Arrupe deu um novo rumo para a Companhia, agora comprometida com os preceitos do Evangelho Segundo São Marx. A partir de então, os jesuítas dariam grande impulso à Teologia da Libertação, numa linha marxista; o justo conceito de inculturação passaria a ser implementado em toda a parte na forma de relativismo religioso. Os tempos de obediência irrestrita ao Papa foram para o beleléu. Por exemplo: após o Concílio Vaticano II, o Vaticano havia dado uma ordem claríssima: nenhum “ex-padre” poderia ensinar instituições da Igreja. Na década de 70, milhares de sacerdotes pediam licença de seus votos para viverem como leigos. E a grande maioria deles era de jesuítas (cerca de 8 mil). Padre Arrupe ignorou o Vaticano, e manteve todos os professores jesuítas “ex-padres” em seus postos. Por isso, vemos muitos jesuítas relativizando a doutrina da Igreja. “Condenação às práticas homossexuais? Olha, a Igreja já está revendo isso, e mudará as coisas em breve…”; “Confissão auricular? Isso fica a critério de cada sacerdote, podemos recorrer à confissão geral…”. E por aí vai. João Paulo II decidiu botar moral na Companhia de Jesus, buscando deter os seus desvios. Em 1981, ele rejeitou a eleição do Pe. O’Keefe para substituir Pe. Arrupe como Superior dos Jesuítas; em seu lugar, nomeou um cara de sua confiança, o jesuíta Paolo Dezza. Em todo o mundo, muitos jesuítas se rebelaram, e houve uma diminuição de 25% dos membros da Ordem (Fonte: blog do Padre Demétrio). Hoje sabe-se que o Papa Francisco tem fama de ter cortado as asinhas dos “arrupistas”, enquanto esteve à frente da Companhia, em Buenos Aires. E, além dele, ainda há muitos bons jesuítas, obedientes ao Papa e defensores da Sã Doutrina. Para Deus, nada é impossível. Rezemos pelos filhos do inigualável Santo Inácio de Loyola. Que deixem o vermelho do socialismo para trás, e que voltem a ser os temíveis Homens de Preto, terror de Satanás. Fonte: http://ocatequista.com.br

PATROCINADORES

“Vinde a luz que é Jesus.” 2ª Trav. Da Linha Velha, 40 Guararapes/Prazeres

3377.1825

Sou feliz por ser Católica!

Rua São Domingos, 22 Novo Guararapes

MACUNAÍMA RECICLAGEM!

3378.1686

9306.8095

Vera, Alexandre e Família!

“Feliz Páscoa! Resuscitou, Vivo está!”

Você! Linda da cabeça aos pés!

Rua da Prata, 693.

3377.2167 8767.7141 / 9702.7026

Seja um amigo do Jornal você também! Ajude-nos a anunciar a Boa-Nova a toda criatura!

Rua da Prata, 829 Guararapes/Prazeres

3377.2167 / 8838.8189 4


A Voz do Rosário Maio 2013