Issuu on Google+

V do Litoral VOZ

www.avozdolitoralsul.com.br

• Automóvel

Vendas da picape Fiat Toro disparam

Sul

Resultado de dezembro mostra que modelo tem potencial para alcançar liderança do segmento em 2017 - Pág. 7

P e r u í b e • I t a r i r i • P e d r o d e To l e d o Um Jornal com Agilidade e Atitude • Distribuição Gratuita

Jornal A VOZ do Litoral Sul • Ano IV • Número 36 • Peruíbe, fevereiro de 2017.

58

Peruíbe No dia 18 a Cidade comemora sua emancipação político-administrativa

Anos

• Esporte

Cicloturismo Cachoeira do Paraíso

Foto: Pedro Behne

Na bela manhã do último domingo (12), o Guaraú foi “invadido” por aproximadamente 150 ciclistas. Pág. 3

• Turismo

Ruínas do Abarebebê estão parcialmente fechadas - Pág. 3 • Entrevista

Cláudia Dib, bate-papo com o prefeito Luiz Maurício - Pág. 4

• Denúncia

Termoelétrica pode trazer impacto ambiental Orçado em R$ 4 bi, projeto atingirá parques estaduais, área de marinha, terras indígenas e cidades da região. Pág. 10


A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

opinião • artigo

por José Renato Nalini*

O desafio da volta às aulas Quatro milhões de alunos da rede estadual da educação paulista voltam às classes depois das férias. O que há de diferente no retorno deste ano? A preocupação com um intensivo esforço na revisão e recuperação dos conteúdos, principalmente português e matemática, nas primeiras três semanas de fevereiro. É essencial que o alunado tenha consciência de que ainda estamos longe do ideal em termos de habilidade cognitiva e que o manejo proficiente do idioma, além do domínio das operações básicas na aritmética, faz parte da solidez de uma formação adequada. São Paulo se preocupa há muitos anos com a adoção de um currículo básico, tema que só agora é seriamente enfrentado pela União. Também possui estratégia de aprendizado inteligente, com programas como o Currículo Mais (+), o Foco Aprendizagem e outras técnicas interativas. O programa intensivo prosseguirá durante todo o ano. Além disso, prossegue a cruzada pela conectividade em todas as escolas, com o intuito de tornar a tecnologia mais acessível e afinada com os objetivos pedagógicos da escola pública. Este ano se definirá a Base Nacional Comum, que não se confunde com o currículo, mas é um parâmetro, uma referência, a fim de que o conteúdo de ensinamentos oferecidos aos alunos seja implementado com autonomia pelos estados e municípios. Continua em andamento o plano de otimização da gestão das unidades escolares e tem-se plena consciência que todos os esforços da comunidade escolar, da família e da sociedade conduzirão as novas gerações para os padrões compatíveis com o investimento que se faz na educação pública. São Paulo aplica praticamente um terço de seu orçamento na educação, o que não é pouco, em que se cuidando de um ano dramático, de contínua e acentuada queda da arrecadação. Os educadores e demais profissionais da área oferecem todo o seu empenho e idealismo para que o futuro reserve aos alunos de hoje a oportunidade de uma vida que corresponda com a consistência de seu aprendizado. Afinal, a escola se destina a permitir que todos os talentos desabrochem e continuem rumo à plenitude possível, a capacitar para o exercício profissional e a qualificar para o trabalho. * José Renato Nalini, é secretário da Educação do Estado de São Paulo. Informações à imprensa: (11) 2075-4610 www.educacao.sp.gov.br | www.facebook.com/educasp www.twitter.com/educacaosp | www.flickr.com/photos/educacaosp

www.avozdolitoralsul.com.br Foto: Arquivo/A VOZ

2

...a cidade sofreu neste último governo, mas tenho certeza que daqui a quatro anos a cidade estará muito melhor! Dr. Luiz Maurício, prefeito de Peruíbe. Disse em relação ao abandono que se encontrava a Cidade. Confira a entrevista na página 6.

• Reflexão

por Bruno Caetano

As distorções do mercado ilegal Ética e honestidade são sempre bem-vindas em qualquer atividade profissional. Mas nos deparamos diariamente com exemplos que passam longe do fair play, para usar a expressão do esporte sobre jogo limpo. No mundo dos negócios, uma das mais marcantes manifestações de deslealdade está no comércio ilegal de produtos. Esse tipo de prática movimentou R$ 13,2 bilhões no Estado de São Paulo em 2015, evidenciando uma trajetória ascendente já que em 2010 o valor foi de R$ 6,71 bilhões. Os números são do “Anuário 2016: Mercados Ilícitos Transnacionais em São Paulo”, produzido pela Fiesp. O levantamento abrange nove setores: alimentos, automóveis, brinquedos, eletrônicos, higiene e perfumaria, medicamentos, químicos, tabaco e vestuário. Está incluído no estudo o comércio de produtos roubados, furtados, fruto de contrabando e pirataria. A concorrência desleal distorce o mercado e causa prejuízos a todos: de acordo com o Anuário, em 2015 deixaram de ser criados 111,6 mil empregos com carteira assinada que levariam a uma geração de renda, entre salários e lucro, de R$ 3,02 bilhões. O governo federal perdeu R$ 2,81 bilhões em arrecadação, o bastante para arcar com 1.522 escolas de ensino básico ou 1.232 hospitais, por exemplo. O comércio ilícito também afasta investimentos e acarreta custos extras para quem empreende, além de trazer prejuízos sociais por ter relação direta com a criminalidade.

Tal mercado marginal deve ser combatido sem trégua. A legislação prevê multa, apreensão da mercadoria e até prisão dos envolvidos. Apesar disso, o aumento dos valores movimentados nesse “ramo” mostra que não faltam interessados em participar. É a mentalidade condenável dos adeptos da famigerada lei de Gérson, de “levar vantagem em tudo”; eles optam por um suposto caminho mais fácil ou mais barato e apostam na impunidade. Viver na ilegalidade para burlar obrigações e tributação é um mau negócio. Por mais que existam falhas na fiscalização, o risco e a instabilidade são permanentes e mais cedo ou mais tarde a punição chega. Jogar dentro das regras é indiscutivelmente a coisa certa. Só para se ter uma ideia, pesquisa do Sebrae-SP mostra que 55% dos que se regularizaram como Microempreendedor Individual (MEI) tiveram aumento no faturamento; 52% registraram melhora no controle financeiro e 54% disseram que houve ampliação de investimentos. Claro que a burocracia e a alta carga de impostos no Brasil desestimulam e dificultam o empreendedorismo, mas não se justifica querer compensar com a ilegalidade. O Sebrae-SP trabalha por um ambiente melhor para os pequenos negócios e condena qualquer tipo de conduta ilegal. Bruno Caetano é diretor superintendente do Sebrae-SP

Jornal A VOZ do Litoral Sul

É uma publicação da viaMaker Comunicações CNPJ: 17.475.064/0001-41 Registro JUCESP Nº 35806817061 Jornalista responsável: Sidney Cley - Mtb: 45.169 Contato: 13 99643-3338 Diretora: Cláudia Dib / Contato: 13 99705-5059 avozdolitoralsul@gmail.com / www.avozdolitoralsul.com.br Periodicidade: Mensal / Tiragem: 5.000 exemplares Distribuição: Gratuita nas cidades de Itanhaém, Peruíbe, Itariri e Pedro de Toledo. / Gráfica: Metromídia As opiniões expressas e assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores.


A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

www.avozdolitoralsul.com.br

Impostos - O governo vai “tomar” até 76,66% da sua bebida!

Cada vez que um folião toma uma caipirinha, 76,66% do valor da bebida vão para o governo, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), que fez um levantamento sobre a tributação dos produtos mais consumidos no carnaval. A lista

inclui de bebidas a fantasias e spray de espuma. De acordo com a entidade, as bebidas têm a carga de impostos mais alta: além dos 76,66% da caipirinha, o chope tem 62,2% de tributação, e a lata ou garrada de cerveja, 55,6%. Leia na íntegra em nosso site.

• Turismo

• Peruíbe/Esporte

Ruínas do Abarebebê estão parcialmente fechadas

Cicloturismo destino: Cachoeira do Paraíso

Foto: Arquivo/Lelo

Segundo a prefeitura, serão realizadas obras no local, que está recebendo apenas visitas agendadas

Sítio arqueológico da Baixada Santista, as Ruínas do Abarebebê estão parcialmente fechadas para visitações. A medida foi tomada pela Prefeitura de Peruíbe que, a partir deste mês, executará obras para reforma de parte da estrutura externa ao parque histórico. Atualmente, o local está recebendo apenas visitas agendadas ou por meio da linha turística estadual Roda São Paulo. Segundo a administração, há pelo menos dois anos os banheiros estavam com problemas e causando transtornos aos visitantes. Informa ainda que já iniciou processo licitatório para efetuar as obras, que está orçada em R$ 30 mil. • Ruínas - Um dos principais pontos do sítio arqueológico é a Igreja do Abarebebê, que é considerada uma das primeiras construídas no Brasil. De acordo com historiadores, ela foi erguida na segunda metade do século 16 e tinha por fim catequizar índios tupis que viviam na região. O local também abrigou o segundo Colégio de Meninos do Brasil e no seu entorno formou-se o único aldeamento do Litoral de São Paulo e que foi chamado de Aldeamento de São João Batista. Patrimônio histórico Nacional e Paulista, as Ruínas do Abarebebê foram tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), em 1984. O sítio localiza-se a oito quilômetros do Centro de Peruíbe e o acesso é pela Avenida Padre Anchieta. O agendamento para visitas deve ser feito por meio do telefone 3455-9426.

Fotos: Pedro Behne

Carnaval Cotidiano

3

Na bela manhã do último domingo (12), o Guaraú foi “invadido” por aproximadamente 150 ciclistas. O evento foi organizado pela empresa de Cicloturismo Juréia Bikers Peruíbe, os ciclistas sairam do Guaraú com destino a Cachoeira do Paraíso, Reserva Ecológica dá Juréia. “Foi um dia de céu azul, sol forte, com direito a muitas paradas e banho de bicas. Quem não conhecia a Juréia, saiu encantado e com gosto de quero mais!” Comenta a organizadora Erci Lemos. O passeio contou com a participação de vários grupos da Baixada Santista, Litoral Sul, Litoral Norte, Vale do Ribeira, São Paulo e Interior. “Quero fazer um

agradecimento especial à equipe da Juréia Bikes, aos guias, que me acompanham ao longo desses quatro anos, e ao apoio da Prefeitura de Peruíbe.” Destaca Erci Lemos.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO BIÊNIO 2017/2019 A ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE PERUÍBE, COM SEDE A RUA GENERAL ATALIBA LEONEL, 777 – CENTRO – PERUIBE/SP – CEP 11750.000, INSCRITA NO CNPJ SOB O Nº 01.712.517.0001.76, FAZ SABER QUE NO DIA 24 DE MARÇO DE 2017, HAVERÁ ELEIÇÃO PARA A NOVA DIRETORIA QUE ADMINISTRARÁ A ENTIDADE BIÊNIO 2017/2019. AS INSCRIÇÕES DAS CHAPAS DEVERÃO SER PROTOCOLADAS, CONFORME DETERMINA O ARTIGO 84 II DO ESTATUTO SOCIAL – QUE SERÁ ATÉ O DIA 08 DE MARÇO DE 2017, NA SECRETARIA DA ENTIDADE NO HORÁRIO DAS 9:00 AS 12:00 E DAS 13:00 AS 17:00 HORAS DE SEGUNDA A SEXTA FEIRA. FICAM CONVOCADOS OS ASSOCIADOS DA AEAP QUE SE ENCONTRAREM ADIMPLENTES PARA A VOTAÇÃO, QUE OCORRERÁ NO DIA 24 DE MARÇO DE 2017, DAS 9:00 AS 17:00 HORAS NA SEDE DA ENTIDADE. PERUÍBE, 08 DE FEVEREIRO DE 2017. ALEXSANDO ALVES BETARELLI ARQUITETO E URBANISTA PRESIDENTE INTERINO

Parabéns Peruíbe pelos 58 anos de história. VEREADOR /RODRIGOSILVAVEREADOR O Jovem que Peruíbe Confia


4

A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

www.avozdolitoralsul.com.br

Bate-papo com o prefeito Cláudia Dib Luiz Maurício Passos de Carvalho Pereira, é natural de São Paulo, tem 37 anos, Pósgraduado como Gestor Municipal de Políticas Públicas, foi advogado do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público de Peruíbe e Região. Entre 2010 e 2011 ocupou o cargo de Procurador Geral do Município de Peruíbe. Prefeito, o senhor usou como slogan de campanha “Um basta para a velha política”, mas o que vemos no seu governo são os mesmos secretários, como lidar com os velhos vícios de trabalho? Luiz Maurício - Nós moramos em uma cidade pequena em que todos se conhecem, e com certeza uma ou outra pessoa já esteve em algum grupo político, então eu tento não julgar as pessoas pelo histórico político, eu dou a oportunidade de trabalhar pelo município e cobro o resultado, e os profissionais que eu escolhi todos tem competência técnica comprovada. E não tenho nenhum problema para exonerar um secretário que não atinja os resultados esperados. E tenho caso de servidores que não conseguiram bons resultados em administrações anteriores, mas, agora estão se mostrando muito competentes e alcançando os resultados esperados. Prefeito, o senhor foi combativo e apoiou os servidores na questão do aumento em 12%. E ontem (08/02) foi aprovado na Câmara o aumento de 3,67%. Qual a sua posição, como você chegou a este número? O servidor não se sentiu traído? Luiz Maurício - Veja, eu continuo apoiando qualquer pleito dos servidores, lutava com eles por 12, 10 ou 7%. Se eu pudesse dar os 12%, eu daria. A diferença

Luiz Maurício Foi vereador da Cidade entre 2012 e 2016. Em uma votação muito apertada, com diferença de apenas 205 votos, Luiz Maurício (PSDB) venceu as eleições e foi eleito prefeito de Peruíbe, com 8.020 votos, o que representa 28,5%. Confira o descontraído bate-papo com Cláudia Dib.

é que antes não se tinha um diálogo para mostrar a realidade da prefeitura. Por exemplo, a gestão passada disse não poderia dar nada e na pressão deu 7%, então podia dar os 7% e enquanto eles diziam que não poderiam dar nada, as despesas estavam só aumentando. Hoje é diferente, já na segunda semana de governo eu chamei o sindicato, o pessoal da educação e grupos de servidores de todos seguimentos para discutirmos esta questão. Segundo, todas as ações nestes 38 dias de governo, foram ações de redução de despesas, a folha por exemplo, teve uma redução de 600 mil reais em relação a dezembro de 2016 a janeiro de 2017. Não, eu não digo traído, nós buscamos um bom relacionamento, buscamos conversar e esclarecer, a realidade é outra, para dar estes 3,67%, que é pouco e eu não discordo disso, a prefeitura terá um impacto de R$3.190.000,00 (três milhões, cento e noventa mil reais) no ano. A Cidade foi assolada por contratos emergenciais de valores questionáveis, o que o senhor está fazendo a respeito? Luiz Maurício - Tenho tomado as devidas providências para que se apure as responsabilidades, os contratos estão sendo revisados, estamos analisando todos os contratos da prefeitura, seja de mil reais como os de milhões de reais. E ao demonstrar alguma

irregularidade será apontado ao Ministério Público. Nós temos uma meta de diminuição nos contratos de pelo menos 20%, ou nos valores ou na execução do contrato, desde que não prejudique a qualidade do serviço prestado. Por exemplo o serviço de monitoramento nós já conseguimos a redução do contrato com base no valor de mercado atual. Isso inclui o contrato da Litucera? A empresa executa o serviço no centro de forma razoável, mas nos bairros a prestação do serviço está péssima. E qual a previsão da instalação da balança de pesagem do lixo? Luiz Maurício - Sim, este é mais um caso que está sendo acompanhado, o serviço prestado está muito ruim, já foram notificados, se não normalizar o serviço será devidamente aplicada a multa. Hoje pagamos R$133,00 por tonelada recolhida pela empresa, 20% a menos que o valor de mercado das demais cidades, o valor que pagamos é barato, o problema deste contrato é sua execução. A balança será instalada nos próximos meses e nós poderemos fiscalizar e constatar se o que está sendo pago é de acordo com a pesagem do lixo. E detalhe, fomos informados pelo fornecedor da balança que a empresa que a balança seria retirada por falta de pagamento, estamos negociando para que isso não aconteça.

E como está a situação do aterro sanitário? Luiz Maurício - Na verdade o aterro virou um problema jurídico, pois há um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado no GAEMA (Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente) e foi feita uma reunião com todas as promotoras do GAEMA para entendermos a situação do cumprimento deste TAC, elas foram taxativas quanto ao cronograma de serviços. É o que estamos fazendo! Prefeito, em dias de maior movimento na Cidade, temos um trânsito ruim da entrada da cidade até o centro, como resolver isso? Luiz Maurício - Na verdade é preciso terminar a obra da George Popescu, esta também é uma prioridade nossa, estamos atuando junto ao governo federal, estamos liberando as certidões para poder receber a medição e liberar a obra. Em relação ao sistema viário, vamos fazer um estudo técnico para encontrar uma alternativa que diminua ou acabe com este problema. Quais os planos para a Guarda Municipal, monitoramento, fiscalização e temos nos deparado com o questionamento do destino das mercadorias apreendidas, como o senhor vê a questão de segurança pública? Luiz Maurício - A questão a guarda municipal será montada

Quero externar toda minha alegria por mais um ano de história para nossa querida Peruibe. Quero de forma especial, cumprimentar todos os munícipes que habitam essa maravilhosa cidade, jovem e encantadora. Temos o desafio de colaborar para o desenvolvimento da nossa amada cidade, promovendo inclusão social e garantindo as gerações futuras uma Peruibe melhor para se viver.

Parabéns Peruíbe!!!

Vereador

nestes quatro anos, estamos tratando com o Ministério Público, temos um inquérito tratando disso, vamos buscar recursos federal para que isso ocorra. Em relação a segurança geral, tivemos o reforço militar, com as ações no período de temporada muito elogiada pela população, operações intensificadas na entrada da cidade e na “folha” do Guaraú com resultado de zero de ocorrência no balneário. A Cidade estava realmente com a sensação de segurança. Já ar ticulamos com o governo do estado, com o Secretário da Casa Civil, Samuel Moreira, o reforço policial para o carnaval. Agora o município tem que assumir sua responsabilidade na questão de segurança, ou seja, temos a questão da Guarda e vamos investir em monitoramento ainda em 2017, aos moldes do que está sendo feito em Itanhaém e Praia Grande, com o monitoramento, inteligência e parceria com a Polícia Militar. E resolver o problema do verdadeiro “apagão”, herança deixada pela administração anterior, que é um problema muito grande e envolve acordos judiciais na questão. Mas com certeza será resolvido ainda este ano! Em relação a fiscalização, todas as apreensões são feitas mediante as Leis, e o armazenamento segue estas Leis, o Código de Postura do Município, as Legislações Municipais preveem


A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

www.avozdolitoralsul.com.br

5

Bate-papo com o prefeito

Luiz Maurício Cláudia Dib

isso e todas as pessoas que se sentirem ofendidas tem o direito de fazerem suas reclamações e reaverem seus bens apreendidos. As apreensões são feitas aos produtos de pessoas que não tem autorização para o comércio ambulante, ou aqueles que tem a autorização como ambulantes mas atuam em ponto fixo. Este é um tipo de fiscalização para colocar ordem na cidade. O Hospital Municipal é uma promessa antiga, foi iniciado na gestão da Milena Bargieri, no governo da Ana Preto nada se fez, e é realmente uma obra cara e complexa, como o senhor vai realizá-la? Luiz Maurício - Bom, vamos falar de saúde, o hospital será inaugurado no meu governo, pois está sendo construído em parceria com o governo do estado, já estamos fazendo gestão da segunda parte deste convênio, e a expectativa é que em dois anos e meio, o hospital seja entregue à população com 55 leitos, com maternidade, que é o que tínhamos antes, então o custeio

disso nós já tínhamos e vamos da. Assim teremos uma situação transferir para essa nova unida- mais tranquila, e com a inaugude, isso com uma boa gestão ração da ampliação do hospital podemos contornar. de Itanhaém, o número de leitos M a s regionais a saúde será meQuero deixar uma não é só lhor. mensagem de otimismo, o hospiE por quero frisar o nosso tal, temos falar em comprometimento com a que ver o saúde, o população!” momento que era atual, esmuito critamos com a maternidade inter- ticado e até mesmo alvo de ditada, nosso compromisso de denúncia na Câmara, é que os campanha era de reabrir em seis secretários de saúde apenas meses, e não vai dar, pois, no chancelavam os pedidos da adperíodo de transição nós pedimos ministração, como trabalha seu para a administração anterior secretário? Ele tem autonomia abrir o processo licitatório, mas a para conduzir a pasta? licitação não foi aberta e isso vai Luiz Maurício - Todos os levar de dois a três meses. Mesmo meus secretários têm a total com atraso, a maternidade será autonomia na secretaria. Eu não reaberta ainda este ano. faço ingerência, vários servidores O pronto atendimento, preci- já vieram reclamar de determinasa estar preparado para atender do secretário ou de determinada emergências, ambulâncias em situação, mas eu não atendo a pleno funcionamento, médicos esta situação, o secretário tem emergencistas, temos que estar que cuidar do seu campo de preparados para receber, estabi- trabalho, e eu quero resultados, lizar e transferir para um hospital é lógico que a prefeitura não que ofereça a internação adequa- tem uma estrutura administrativa

completa na saúde, na educação, no esporte, tudo depende de uma estrutura aqui do paço, mas, fora isso, a competência e autonomia todos os secretários têm. Nossa cidade está sofrendo economicamente, vários comércios fechando as portas. O senhor tem algum planejamento econômico para a cidade? Qual futuro você vê para Peruíbe? Luiz Maurício - Primeiro é preciso restabelecer as relações da cidade, hoje ninguém quer vender para a prefeitura, ninguém acredita no governo municipal, ninguém acredita no Poder Público/Peruíbe. No momento em que o governo restabelecer as relações com a população, com os empresários, com o governo do estado, com o governo federal e a nível regional, aí sim as coisas voltarão a andar na Cidade. Somente na hora em que o investidor sentir segurança do seu investimento, as coisas voltam a acontecer. Foi exatamente isso que aconteceu em Itanhaém, teve uma sucessão de bons governos na cidade com pessoas sérias administrando. É

exatamente o que vamos fazer! Normalmente no aniversário da Cidade há algumas inaugurações, este ano o que será entregue a população? Ultimamente não tínhamos nem a prefeita para cortar o bolo. Luiz Maurício - Sim, estarei presente! (risos) Estarei em todas as ações da prefeitura. Nós vamos inaugurar a ETEC, nós resolvemos o problema esgoto, estamos trabalhando na infraestrutura e luzes do prédio. Vamos anunciar o Wi-Fi grátis em todos os ônibus da cidade, provavelmente também terá wi-fi em três praças da cidade. A programação de aniversário está no site da prefeitura. Para finalizar, qual mensagem o senhor deixa para a população? Luiz Maurício - Quero deixar uma mensagem de otimismo, quero frisar o nosso comprometimento com a população, trabalhamos dia a dia, pela melhoria da cidade, a cidade sofreu neste último governo, mas tenho certeza que daqui a quatro anos a cidade estará muito melhor!


6

A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

Peruíbe

C

www.avozdolitoralsul.com.br

58 Anos de emancipação politico-administrativa

omo podemos observar no decorrer da história de Peruíbe desde o descobrimento do Brasil, o desenvolvimento propriamente dito de nossa Cidade, começa em meados de 1914, com a construção da Estrada de Ferro Santos-Juquiá que trouxe novos habitantes, momento este que a bananicultura se espalhou pela região. A partir dos anos 50, com a construção de rodovias para o Litoral Sul, a atividade comercial, especialmente a imobiliária, começa a crescer, sendo realizado um plebiscito para definir a emancipação política de Peruíbe, em 24 de dezembro de 1958, proposto pelo então vereador de Itanhaém, Geraldo Russomano. Em 18 de fevereiro de 1959, o distrito passou a ser um município desmembrado do território de Itanhaém. Já em 22 de Junho de 1974, Peruíbe foi reconhecida como Estância Balneária. Bom de lá, para cá, Peruíbe vem despertando centenas de turistas e visitantes que acabam se encantando com a Cidade e se transformam em cidadãos peruibenses, morando, trabalhando e investindo no Município, desta forma contribuindo para o constante crescimento da nossa Cidade. A Aldeia dos Índios Peroibe já existia desde muito antes da chegada de Mar tin Afonso de Souza. Seu principal Cacique era conhecido por Piriri Goa Ob Yg e a Aldeia situava-se no Tapiarama (Tapui-Rama), região das Aldeias ou Pátria dos Tapuias. Eram as duas únicas Aldeias do Litoral. As primeiras noticias, datam de 1532, quando Pero Correa pede a confirmação de suas terras a Martin Afonso de Souza, dizendo já estar há muito tempo nas terras que antes pertenciam a um Mestre Cosme, Bacharel de Cananeia e doava estas terras em 1553 à Companhia de Jesus, por descarrego de consciência, devido ao escravismo atuante nas praias do Guarau. Doou, também, a Fazenda na Praia de Peruíbe, para a Confraria do Menino Jesus, que passou a ser o Segundo Colégio de Meninos Órfãos do Menino Jesus. O Primeiro Colégio foi em São Vicente. Peruíbe pertencia à Capitania de Martin Afonso de Souza, por encontrar-se a 12 léguas ao Sul de São Vicente. Já existia neste local a Capela dedicada à Conceição de Nossa Senhora, quando em 1549, chegava Padre Leonardo Nunes, juntamente com outros padres, para fazer a catequese dos indígenas. O Padre Leonardo Nunes passou a ser conhecido pelos indígenas por “Abarebebe” (Padre Santo ou Padre Voador) por estar em vários locais ao mesmo tempo. Em 1554, chega na Aldeia José de Anchieta, noviço de 19 anos, recentemente aceito na Companhia de

Jesus, no auxílio à catequese. Após ter feito seu trabalho na Capitania de São Vicente, foi à Bahia como provincial e em 1584, escrevia: “Ao longo da praia, na terra firma, nove ou dez léguas da Vila de São Vicente para o Sul, tem uma vila chamada Itanhaém de Portugueses e junto dela, da outra banda do Rio, como uma légua tem duas aldeias pequenas de índios cristãos. Nesta vila tem uma Igreja de Pedra e cal na qual, quando se reedificou, o administrador deitou a primeira pedra com toda a solenidade: é a de Conceição de Nossa Senhora, onde toda a Capitania vão em romaria e a ter novenas e fazem-se nela milagres”. Tendo notícias que o Convento de Itanhaém só começou sua construção em 1640, e seu padroeiro foi São Francisco de Assis, conforme apontamento de Azevedo Marques e sua Igreja Matriz, data de 1761 e sua Padroeira de Santa Ana, conforme Benedito Calixto, não resta duvida sobre a veracidade dos fatos históricos de que a fundação da Vila da Conceição de Nossa Senhora, ocorreu na atual Ruínas do Abarebebe, conforme a afirmação de Frei Gaspar da Companhia de Madre de Deus, que diz na sua obra (Capitania de São Vicente), que até 1555, não existia nada no local chamado Itanhaém e sim Aldeias, onde Martin Afonso de Souza fez sua fundação. A Aldeia perdeu o Foro de Vila, cedendo aos Por tugueses que residiam em Itanhaém, por estarem os Jesuítas protegendo por demais os indígenas e no século XVII, em meados de 1648 foram expulsos. A

Aldeia passa a ser conhecida como Aldeia de São João Batista, a partir de 1640. A Aldeia ficou abandonada, os indígenas foram obrigados a levar as Alfaias, Castiçais e Imagens para o Convento de Itanhaém, mas devido a devoção pela Imagem da Conceição de Nossa Senhora, esconderam e só a entregaram à Confraria de São Vicente. Itanhaém passou a cabeça de Capitania por quase 150 anos, devido ao progresso de Piratininga (São Paulo), despovoando quase totalmente o litoral inclusive a velha capitania de São Vicente e, em estado de abandono, a Aldeia mais tarde, por insistência dos moradores, foi se tornando um povoado de pescadores. Ora como Freguesia, ora como Bairro, até como Vila sem nunca ter predicado para isso, o abandono foi total, mas nos mapas seiscentistas e até o Século passado, nota-se o símbolo representativo da velha igreja de Peruíbe. Em 1852, recebeu sua primeira “Cadeira Educacional”, para o sexo masculino e em 1871, para o sexo feminino, sua população sempre foi maior do que a de Itanhaém porém o censo, somente informava o total da população entre os municípios vizinhos, que pertenciam ao município de Itanhaém. No ano de 1914, vem a Estrada de Ferro e com ela os primeiros imigrantes. Na década de 50, o Povoado vê aumentar a atividade imobiliária, passando a receber novos incentivadores no comércio.


www.avozdolitoralsul.com.br

Economia Cotidiano

A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

Inflação medida pela Fipe fecha janeiro em 0,32%

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo fechou janeiro em 0,32%. Na aferição anterior, referente à terceira quadrissemana do mês o índice havia ficado em 0,58%

• Automóveis

Se a Toro não conseguiu liderar o segmento de picapes no acumulado de 2016, ela mostrou, em dezembro, potencial para ser a primeira colocada da categoria em 2017. No mês passado, o modelo teve 5.288 emplacamentos, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O número colocou a Toro à frente de todas as outras picapes do Brasil, mesmo as compactas. A segunda colocada de dezembro, Strada, também da Fiat, teve 4.975 emplacamentos. A terceira foi a Toyota Hilux (3.672), seguida pela Chevrolet S10 (2.707). A Toro já havia liderado o segmento durante alguns meses no fim de 2016, mostrando que é uma ameaça até mesmo à “irmã” menor, Strada. Lançada no início do ano, a picape intermediária recebeu, em novembro, nova versão de motor, a 2.4 Tigershark, com tecnologia flexível. Posicionada entre a 1.8 bicombustível, de entrada, e a 2.0 a diesel, essa configuração pode explicar o bom resultado obtido pelo modelo em dezembro. • Resultado no ano - No acumulado de 2016, a liderança ficou com a Strada. A Toro, porém, obteve o segundo lugar mesmo sem ter um ano completo de vendas. O modelo é produzido na fábrica da FCA em Goiana (PE), junto com Compass e Renegade, modelos da marca “irmã” Jeep. Peruas - O segmento de peruas já não está entre os mais populares do Brasil, há pouca concorrência. Ainda assim, a vantagem da Weekend foi imensa. Teve 7.302 emplacamentos, contra os 2.501 da Volkswagen SpaceFox. Conheça os campeões de venda na Fiat Salomão.

Fonte: Agencia Brasil

na terceira quadrissemana de janeiro. A maior alta foi do grupo educação (6,51%), com elevação 8,03% dos custos com cursos regulares. Os gastos com saúde tiveram aumento de 0,7%, influenciados pela alta de 0,95% nos contratos de assistência médica.

Vendas da picape Fiat Toro disparam Resultado de dezembro mostra que modelo tem potencial para alcançar liderança do segmento em 2017

7


8

A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

Saúde Cotidiano

www.avozdolitoralsul.com.br

Febre amarela: vacina deve ser tomada com 10 dias de antecedência

A febre amarela é uma doença infecciosa aguda, de curta duração (no máximo 10 dias), com gravidade variável. A única forma de evitar a doença é através da vacinação. A vacina, que deve ser tomada com 10 dias de antecedência, é indicada para as pessoas que moram em

regiões de risco ou vão viajar para essas áreas. Em São Paulo, a cidade de Jales, Barretos, Franca e São José do Rio Preto são consideradas de maior risco. Fique atento também quem vive ou vai até Araçatuba, Araraquara, Bauru e São João da Boa Vista. Fonte: SP Notícias

• Oportunidade/emprego

Professores aprovados em processos seletivos são convocados em Itanhaém As contratações são por tempo determinado, de acordo com as aulas disponíveis A Prefeitura de Itanhaém, por meio da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, está convocando os primeiros classificados nos processos seletivos de professores de Educação Básica III (Língua Portuguesa, História, Ciências e Geografia), de creche e de Educação Especial – Deficiência Mental, que atenderão a demanda da Rede Municipal de Ensino. As convocações e locais para apresentação estão disponíveis no site oficial da Prefeitura e em listas afixadas na Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, que fica na Avenida Condessa de Vimieiros, 1.131, no Centro. Os candidatos deverão comparecer à atribuição munidos do documento de identidade (RG), comprovante de habilitação profissional (original e cópia), pesquisa do PIS/ PASEP e declaração de não acumulação de cargo público; ou declaração de acumulação de cargo público, do órgão oficial com respectiva carga horária. As contratações serão efetuadas em conformidade com as disposições da Lei Municipal nº 3.258, de 22 de novem-

Foto: Divulgação/PMI

A lista está disponível no site da Prefeitura de Itanhaém

bro de 2006, por tempo determinado, para responder por aulas disponíveis e/ou em substituição temporária. Também serão preenchidas as vagas para aquelas que surgirem durante o período de validade deste processo seletivo, nas escolas da rede municipal de ensino.

• Vale do Ribeira André do Prado e prefeito de Eldorado buscam no DERSA ajuda para balsa de Batatal Com a finalidade de tratar sobre a balsa que atende os moradores dos bairros rurais de Batatal e Pedro Cubas, de Eldorado, o deputado André do Prado, ao lado do prefeito do município, Durval Adélio de Morais – Vadico, esteve com o diretor presidente do Desenvolvimento Rodoviário S/A – DERSA, Laurence Casagrande Lourenço em uma reunião em São Paulo. A travessia por embarcação é o único acesso dos dois moradores dos bairros ao centro da cidade, além disso, é o único meio para fazer o escoamento da produção de bananas e palmitos. A balsa faz a travessia de 120 metros de um lado a outro do rio e é operada desde 1966. Para o deputado André do Prado é fundamental a ajuda do Governo do Estado possa fazer este investimento primordial para população. “A embarcação existente é antiga e não oferece total segurança aos usuários. É uma grande preocupação uma vez que é o único acesso dos moradores para o centro da cidade. Precisamos, urgentemente, de uma solução para garantir a travessia segura”, argumentou. O deputado aproveitou a oportunidade para enfatizar que encaminhará a situação a Secretaria da Casa Civil do Estado a fim de buscar uma ajuda para esta questão.


10

A VOZ • Agilidade e Atitude - Ed. 36 - fevereiro de 2017.

Aumento Cotidiano

www.avozdolitoralsul.com.br

Ônibus intermunicipais e VLT já estão mais caros; confira os valores dos preços em vigor

BAIXADA SANTISTA - Os passageiros que utilizam o Veículo Leve sobtre Trilhos (VLT) e ônibus intermunicipais já estão pagando mais caro pelo tansporte. O índice médio do reajuste foi de 6,52%. A Empresa Metropolitana de Transporte Urbanos (EMTU) conse-

guiu derrubar na Justiça, em segunda instância, a liminar (decisão antecipada e provisória) que proibia o aumento nos preços das passagens. Dependendo da linha e do trajeto o valor das passagens varia de R$ 3,80 a R$ 26,05.

• Peruíbe/Meio ambiente

Termoelétrica pode trazer impacto ambiental Orçado em R$ 4 bi, projeto atingirá parques estaduais, área de marinha, terras indígenas e cidades da região A cidade de Peruíbe está com sua vasta área de preservação ambiental sob risco. Sem alarde ou conhecimento das autoridades regionais, o município poderá abrigar uma termoelétrica a gás natural, que englobará 180 hectares – o equivalente a 180 campos de futebol - e percorrerá a zona de amortecimento dos parques estaduais da Serra do Mar e Xixová-Japuí, bem como o território da Área de Proteção Ambiental (APA) Marinha do Litoral Centro. Além disso, percorrerá ainda área natural tombada e terras indígenas, pois a usina estará a aproximadamente 4,7 quilômetros da terra indígena Piaçaguera e sua linha de transmissão atingirá também a Itaóca, Guarani do Aguapeu e Rio Branco. A Fundação Nacional do Índio (Funai) não foi informada. O parecer técnico da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), foi emitido em setembro do ano p­ assado. Segundo a Cetesb já foi emitido o Termo de Referência (TR) para elaboração de Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) para o empreendimento intitulado “Projeto Atlântico Energias”, sob responsabilidade da GasTrading Comercializadora de Energias S/A. O complexo compreenderá gasodutos marítimos e terrestres de transmissão de gás natural de 10km de extensão (marítimo) e 3,6 de terrestre; uma Estação de Medição e Regulação de Pressão; uma linha de transmissão, com 90 km, que atravessará sete municípios: Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, São Vicente, Santos e Cubatão; e um Gasoduto de Distribuição, próximo de Cubatão, cujo traçado utilizará faixas de domínio das rodovias Rio-Santos (BR101) e Padre Manoel da Nóbrega (SP-055). Segundo parecer, as obras prejudicarão o Bioma Mata Atlântica, protegida por lei federal e, tanto na implantação como na operação, acarretará impactos ambientais nos meios biótico, físico e socioeconômico. Leia a matéria na íntegra em nosso site.

Que esta data, sempre muito especial, seja um marco da transformação da nossa cidade em um grande cenário de diálogos, pois somente através do diálogo é possível alcançar o progresso e desenvolvimento que o cidadão peruibense tanto deseja. Parabéns Peruibe!


viaMaker



Jornal A VOZ do Litoral Sul - Ed. 36