Issuu on Google+

DOM ORANI COMEMORA O ANIVERSÁRIO NA NOSSA COMUNIDADE

Em entrevista exclusiva ao nosso jornal, cardeal arcebispo do Rio fala da alegria de festejar o aniversário com o nosso povo e elogia o trabalho missionário do nosso pároco, padre Marcos

A VOZ DA

A VOZ DA

CIDADANIA

ADVOGADA

LUCIANA MARIA VIANNA DIREITO

DANIELA MOREIRA

ANO I - N0 3 - RIO DE JANEIRO, 17 DE JULHO DE 2013

I N F O R M A Ç Ã O

E

C I D A D A N I A

w w w.avozderioda sp ed ra s.com. br

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Jornal on-line: http://issuu.com/avozderiodaspedras

A Light também ouviu nossa voz EDITORIAL

A

corrupção até agora fez parte da vida brasileira. Na política, a exceção é agir com transparência e a honestidade. Nos dias que correm, em decorrência da comunicação em tempo real entre as pessoas, ninguém consegue esconder mais nada. Tudo é posto a olho nu. Tudo. Literalmente. A internet possibilitou o surgimento de um meio de comunicação que até então não era do conhecimento dos políticos e governantes. Eles estão fingindo que não é com eles… As reações do povo brasileiro estão sendo postas nas ruas através de manifestações pacíficas ao estilo francês, nas quais sempre se infiltram vândalos e agitadores usados por seus mentores para confundir e desqualificar o sentido real dos protestos. A Voz do Rio das Pedras é o instrumento da comunidade para apresentar suas revindicações. A ponte sobre a lagoa de Marapendi, projeto do arquiteto Lúcio Costa, interligando suas margens, caiu no esquecimento. A via expressa criada pelo arquiteto e ex-prefeito Luiz Paulo Conde foi abandonada e até desprezado um financiamentos do Banco Mundial. De um dia para o outro os serviços de transportes através de vans, úteis à nossa comunidade, mas malditos para políticos a serviço do cartel dos ônibus, foi posto no rol do banditismo. Agora, a nossa comunidade - que é maior do que a grande maioria das cidades brasileiras - está aguardando sua transformação em bairro. De forma ordeira, espera o sinal verde das autoridades municipais e estaduais, únicas responsáveis pelo acantonamento favelado numa das regiões mais ricas de nossa cidade. São quase 100 mil brasileiros que, unidos em Rio das Pedras, formam também uma classe média emergente, recém-saídos da opressão da pobreza. São cidadãos que merecem um tratamento digno e à altura da contribuição que, com o seu trabalho, têm dado ao progresso da nossa cidade.

DIVULGAÇÃO

A VOZ DAS RUAS

Em resposta à carta dos moradores, publicada na edição anterior, o presidente da Light, Paulo Roberto Pinto, acendeu uma luz no fim de túnel, ao enumerar as providências que a empresa vem tomando para melhorar o fornecimento de energia elétrica para Rio das Pedras e os projetos elaborados para atender aos pleitos da comunidade, que convive PÁGINA 3 com alta incidência dos chamados “gatos”. CLAUDIA GONZAGA / DIVULGAÇÃO

CONHEÇA AS LOJAS ONDE ENCONTRAR NOSSO JORNAL

Pará, o “rei do tempero”, vende 480 tipos de ervas do Nordeste

RIO DAS PEDRAS TEM A AUTÊNTICA FEIRA NORDESTINA O sorridente Philippe Medeiros, de quatro anos,-que estuda no Jardim CE Favo de Me l não escondeu a alegria de exibir nosso jornal, que apanhou no aramado em frente à sede do Núcleo de Cidadania, na Rua Nova.

São 140 barracas que vendem de tudo do Nordeste e também produtos sofisticados, como roupas e bolsas de grife e até lagostas, salmão e camarões graúdos

PÁGINA 6

Curta nosso jornal no Facebook - https://www.facebook.com/pages/A-Voz-de-Rio-das-Pedras/465363200200592?fref=ts


Na área cível, o Ministério Público participa dos processos de usucapião e ações que envolvam interesses de incapazes.

A VOZ

DOS LEITORES

O presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), jornalista Maurício Azêdo, em mensagem à nossa direção, manifestou alegria pelo surgimento do nosso jornal, ao qual desejou vida longa. Eis, na íntegra, a mensagem: “O aparecimento de um novo veículo é sempre motivo de alegria para a Associação Brasileira de Imprensa, que há 105 anos se empenha no estímulo à criação de formas jornalísticas de comunicação. Este contentamento é maior quando o veículo surge numa comunidade popular, como se dá agora com o aparecimento de "A Voz de Rio das Pedras", órgão criado pelos jornalistas Aziz Ahmed, Laerte Gomes e Ricardo Gomes para retratar o dia-a-dia da uma área onde vivem mais de 110 mil pessoas, que agora encontram um meio eficaz de relatar como vivem e expor suas esperanças e suas aspirações. Com uma técnica jornalística apurada, visível na amplitude, na variedade e na sensibilidade de sua pauta e uma aprese ntação gráfica criativa e dinâmica. "A Voz do Rio das Pedras" tem tudo para crescer e se firmar como expressão do povo a que se dirige. Vida longa, pois, é o que lhe deseja a Associação Brasileira de Imprensa (ABI)” (a) Maurício Azêdo, Presidente."

A diretora-geral do Caic Euclides da Cunha, Josefa Castro Guimarães, enviou à seguinte mensagem: “Enquanto Diretora Geral desta unidade de ensino, cabe-me alguns esclarecimentos acerca da publicação da reportagem do dia 21/06/2013. Esta unidade de ensino está subordinada à Secretaria de Estado de Educação e não à Prefeitura, como na citada matéria. As atividades oferecidas à comunidade estão suspensa temporariamente porque a gestão anterior não co mprovou as despesas efetuadas num determinado período.A gestão atual já providenciou o desbloqueio da verba federal. Quanto "chove dentro das salas de aula", o problema não é do telhado mas sim das calhas entupidas, pois nunca foram limpas. No mais, colocome ao inteiro dispor para todos os esclarecimentos que se façam necessários."

A moradora Marta Mariano pede socorro: "Sei que depois do jornal "A Voz de Rio das Pedras" muita coisa está s e resolvendo na comunidade. Então, deixo aqui o meu pedido de socorro: na estrada de Jacarepaguá, na altura do numero 3533, próximo ao bar da Tina, há uma cratera e hoje quase fui atropelada. Minha neta e mais três crianças na calçada. O cara, para não passar no buraco, jogou o carro para calçada. Está um perigo, tirando que ainda fica tudo engarrafado."

Nosso jornal recebe as boas-vindas da ABI, de leitores, e ganha registros e elogios na imprensa.

2 RIO, 17 DE JULHO DE 2013

A ATUAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO NA ÁREA CIVIL A VOZ DA

O

visa a incrementar Ministério Púa atuação extrajublico do Estado dicial do MP por do Rio atua em meio do levantamuitos casos comento, em cada mo fiscal da lei. comarca, das pesNa área cível, por exemplo, ele soas que têm seu participa dos processos de registro civil inusucapião e ações que envolcompleto, a fim de vam interesses de incapazes. adotar as medidas No âmbito de família, o MP necessárias à reguatua nas ações de divórcio, de larização do regisreconhecimento ou de dissolutro de nascimento ção de união estável, investigadas crianças e tórias e negatórias de adolescentes. paternidade, de guarda, de viAlém disso, positação e de pensões alimentíLUCIANA MARIA VIANNA DIREITO* de promover a incias. terdição nos casos Também atua na erradicaque a lei prevê, bem ção do subregistro paterno, lecomo aplicar medidas protetivas, nos casos vando o projeto “Em nome do pai”, que

CIDADANIA

de situação de risco envolvendo deficientes físicos e mentais, incluindo os adictos. Para esclarecer dúvidas, enviar reclamações, críticas, sugestões ou denúncias sobre os serviços oferecidos pelo MPRJ ou pelo estado, entre em contato com a Ouvidoria. O atendimento é realizado de segunda a sextafeira, das 8h às 20h, na sede do órgão, situado à avenida marechal câmara, 370 – Centro. As comunicações também são recebidas pelo número 127 ou pelo site www.mprj.mp.br. *Luciana Maria Vianna Direito é promotora de Justiça, coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça Cíveis. Este espaço está reservado para o Ministério Público do Estado orientar a Comunidade de Rio das Pedras sobre seus direitos e como pode ser amparada por aquele orgão.

BENEFÍCIO ASSISTENCIAL PARA O IDOSO E O PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FISICA

O

Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social – também conhecido como LOAS - é um benefício da assistência social, integrante da Seguridade Social pago pelo governo federal. Sua manutenção e concessão é de competência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e assegurado por lei, que permite o acesso de idosos e pessoas com deficiência às condições mínimas de uma vida digna.

A VOZ DA

verá também ser avaliada se a sua deficiência o incapacita para a vida independente e para o trabalho, e esta avaliação é realizada pelo Serviço Social e pela Pericia Médica do INSS. Como requerer o benefício: agendamento no 135, preenchimento dos formulários para DANIELA MOREIRA * requerimento do O que é preciso ser feito para: benefício assistencial, identida쏅 LOAS IDOSO - de ambos os sexos, dede, CPF, comprovante de residência em verão comprovar que possuem 65 anos de nome do beneficiário e certidão de nasciidade ou mais, que não recebem nenhum mento/casamento, todos devem estar legíbenefício previdenciário ou de outro regiveis e laudo médico atualizado . me de previdência, e que a renda mensal Por não ser um benefício previdenciáfamiliar per capita seja inferior a ¼ do sario, isto é, aquele pelo qual o segurado palário mínimo vigente. Como requerer o gou para ter direito, e, sim assistencial, benefício: agendamento no 135, preeneste benefício, principalmente no que chimento dos formulários para requeritange à pessoa portadora de deficiência, é mento do benefício assistencial, muito mais difícil de ser concedido. No identidade, CPF, comprova nte de residêncaso da pessoa portadora de deficiência, a cia em nome do beneficiário e certidão de lesão tem de ser extrema gravidade, que o nascimento/casamento, todos legíveis. impossibilite para atos comuns da vida 쏅 LOAS DEFICIENTE - deverá comprovar cotidiana. Caso contrário, o pedido é inque a renda mensal do grupo familiar per cadeferido. pita seja inferior a ¼ do salário mínimo. DePara o cálculo da renda familiar per ca-

A leitora Emily Portela escreveu para informar o seguinte: "O nome correto da igreja que estava assistindo ao Clayton e a Jaqueline (que moravam na barraca azul na Rua Velha) é Igreja Evangélica do Avivamento. Espero que na próxima edição possam co rrigir este pequeno erro. Desde ja agradeço.”

ADVOGADA

pita é considerado o conjunto de pessoas composto pelo requerente e todas as residentes na casa do mesmo. Essa renda per capita de ¼ de salário minímo está sendo discutida nas altas cortes de Justiça (STJ e STF), em virtude de a Constituição Federal determinar o salário minímo nacional como referência miníma. Logo, a lei não poderia estipular referencial inferior ao minímo. O benefício assistencial pode ser pago a mais de um membro da família, desde que comprovadas todas a condições exigidas. Uma inovação da Justiça fez com que o INSS não computasse como renda o valor do benefício concedido anteriormente. Deste modo, dois idosos residentes na mesma casa poderão ser beneficiados pelo LOAS Idoso. O benefício deixará de ser pago quando houver superação das condições que deram origem à sua concessão ou pelo falecimento do beneficiário. O benefício assistencial é intransferível e, portanto, não gera pensão por morte aos dependentes. - Mande perguntas para esta coluna para o e-mail do jornal. Teremos imenso prazer em respondê-las e tirar suas dúvidas.

* Daniela Moreira de Lima Neves (163.436 OAB-RJ) é advogada especialista em Direito Previdenciário é moradora e tem escritório na Estrada de Jacarepaguá nº 3145 A rua 5, nº 4, Conjunto São Bartolomeu, Rio das Pedras, telefone: 3139-4784.

NOSSO JORNAL REPERCUTE NA IMPRENSA

Por e-mail, o jornalista Paulo Vitor Andrade Ferreira parabenizou nossa equipe: “Ideia sensacional. Há muito tempo, as comunidades precisavam de uma iniciativa, de um projeto fabuloso como esse. Além da representatividade para a própria cidade e para o próprio estado do Rio de Janeiro, Rio das Pedras mostra a herança nordestina dentro do Sudeste brasileiro. Enfim, um veículo é criado para informar o povo e não para aliená-lo. Enfim, as comunidades começam a ter VOZ. Uma voz que clama por justiça e melhores condições de vida. Parabéns ao pioneirismo genial dessa equipe de profissionais de Comunicação. O verdadeiro jornalismo é esse. O jornalista deve servir à população.”

RICARDO BOECHAT

Do jornalista Mauricio Azevedo recebemos a seguinte mensagem: “Vi os dois exemplares. Receba meus parabéns extensivos a toda equipe. Jornal popular é isso. Moradores em foco são um ótimo caminho. Feliz ideia de capricharem nas fotos de gente. Mídias de bairro podem ser o futuro, como sugerem alguns textos de profissionais que andam sendo publicados por aí. Produto com todas características de vendável. Longa vida ao A Voz de Rio das Pedras.” 쐀 Cartas para a redação de A Voz de Rio das Pedras, a/c do Núcleo

“O jornalista Ricardo Boechat foi o primeiro a dar as boas-vindas ao nosso jornal, em seu programa na rádio Bandnews FM. Ele ressaltou a grandeza da comunidade e a importância de Rio das Pedras ter um veículo para soltar a voz. Amigo dos editores, Boechat elogiou a equipe e a energia que a reportagem deste jornal tem demonstrado na defesa dos interesses dos moradores, fazendo algumas observações pessoais sobre a linha editorial escolhida por nós e que ele considera apropriada e legítima no contexto da comunidade”

de Cidadania, Rua Nova n0105, loja 2. e -mails para contato@avozderiodaspedras.com.br

EXPEDIENTE

www.avozderiodaspedras.com.br

EDITOR-CHEFE

EDITOR EXECUTIVO DE ARTE

Aziz Ahmed

Laerte Gomes

(Reg. 10.863 - MTPS) azizahmed@avozderiodaspedras.com.br

laertegomes@avozderiodaspedras.com.br

CONSULTORES

FOTOGRAFIA

TRATAMENTO DE IMAGENS

Cláudia Franco Corrêa Irineu Soares

Fábio Costa

Eduardo Jardim

Publicação mensal Tiragem: 20 mil exemplares

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Impresso na Gráfica e Editora Jornal do Commercio

Uma publicação da Livraria e Editora Citibooks Ltda. CNPJ: 05.236.806/0001-5 Rua Jardim Botânico, 710, CEP 22.460-000 para a Associação Comercial do Rio das Pedras (em organização). Rua Nova 105 – Loja, Rio das Pedras

CLASSIFICADOS GRÁTIS! A partir dos próximos números, este jornal vai reservar espaço para que você, morador ou comerciante de Rio das Pedras, possa anunciar bens, serviços ou produtos que esteja disposto a alugar, vender ou, simplesmente, doar. Basta que seja um texto curto e grosso, que vamos publicar de graça. Se quiser "vender seu peixe", encaminhe o anúncio para o setor de classificados para o e-mail contato@avozderiodaspedras.com.br. APROVEITE!


72% da energia fornecida a Rio das Pedras é consumida em ligações clandestinas, os chamados “gatos”.

3

Moradora Maria das Graças aplaude providência da empresa, regitrada pelo jornal na edição anterior

RIO, 17 DE JULHO DE 2013

LIGHT RESPONDE À VOZ DOS NOSSOS MORADORES A

Light ouviu a nossa voz. Em resposta à carta publicada na edição anterior deste jornal, o presidente da empresa, Paulo Roberto Pinto, enviou mensagem à nossa redação esclarecendo os questionamentos feitos pelos moradores e acendendo uma luz no fim do túnel. O executivo resumiu o trabalho executado pela empresa no estado e listou alguns projetos de curto prazo, especificando algumas iniciativas que atendem os interesses da nossa comunidade. O que os nossos moradores pedem, basicamente, é que a concessionária instale marcadores de luz em suas casas e o direito de pagar uma tarifa social pelo consumo da energia. Eis, na íntegra, a carta-resposta do presidente da Light: “Parabenizo o renomado jornalista Aziz Ahmed e os editores Laerte Gomes e Ricardo Gomes pela criação e execução do novo jornal “A Voz de Rio das Pedras”, publicação que, sem dúvida, se tornará um importante veículo de comunicação para a população deste bairro e adjacências. Assim como Rio das Pedras, o Rio de Janeiro, nos últimos anos, vem apresentando elevado crescimento econômico, devido, principalmente, à volta de investimentos de grandes empresas e aos eventos esportivos, sociais e religiosos. Em paralelo e para atender a esta demanda, a Light executa pesadas ações para dar maior confiabilidade ao seu sistema elétrico, que atende a 4 milhões de consumidores em 31 municípios do Estado do Rio de Janeiro. A Light está empenhada em aumentar o nível de qualidade dos serviços prestados, fator que recebe absoluta atenção da administração da empresa. São realizadas diversas atividades, como a que fizemos, recentemente, nas Ruas da Paz e Goiás e relatada na edição nº 2 deste jornal. Entre elas, estão a substituição de equipamentos por outros, de maior capacidade; a implantação de cabos mais robustos; a poda de galhos de árvores que interferem na rede elétrica; atendimento personalizado e atuação diferenciada por meio do projeto Light Legal e ações específicas em comunidades, como o Projeto Comunidade Eficiente. A companhia de energia tem interesse em expandir essas atividades para outras comunidades, como Rio das Pedras, sempre seguindo o trabalho de pacificação executado pela União, Estado e Município do Rio de Janeiro. A Light, inclusive, já está em entendimento com o Governo Estadual no sentido de realizar uma série de investimentos em Rio das Pedras, que compreende um grande trabalho relacionado à rede elétrica da companhia neste bairro.

DIVULGAÇÃO

O Projeto Comunidade Eficiente, por exemplo, promove a educação para o uso

PRESIDENTE DA EMPRESA, PAULO ROBERTO PINTO, REVELA OS PROJETOS DE INTERESSE DA NOSSA COMUNIDADE consciente da energia e é realizado desde 2003. Na cidade do Rio, comunidades como Cantagalo, Santa Marta, Cidade de Deus, Babilônia, Batan, Complexo do Alemão, Morro dos Cabritos, Complexo do Borel, Chácara do Céu, Cosmos, Andaraí, Macacos, São Carlos, Santa Teresa e Rocinha estão entre as beneficiadas pela ação. Ao longo desses 10 anos, foram atendidas 509 comunidades e executadas reformas em mais de 9 mil instalações elétricas de residências com risco elétrico.Cerca de 360 mil visitas educativas e mais de 1,2 mil eventos foram r ealizados no período. A Light ainda promove, nesses locais, a troca de lâmpadas incandescentes por fluorescentes e a substituição de geladeiras antigas por novas, com selo Procel. Nesse período, foram trocadas cerca de 1,5 milhão de lâmpadas e substituídas quase 54 mil geladeiras antigas por novas. É importante esclarecer à população de Rio das Pedras que, desde 2011, as ações de eficiência energética passaram a ser destinadas a famílias cadastradas na Tarifa Social de Energia Elétrica, inscritas no NIS (Número de Inscrição Social). Com este benefício, é possível obter desconto de até 65% na conta de energia e qualquer cliente, que disponha do NIS, pode obter essa redução. Por outro lado, vale ressaltar que a Light possui um dos maiores índices de furto de energia entre todas as concessionárias de energia do Brasil e, em 2013, investirá mais de R$ 130 milhões em ações de recuperação de Energia. O Rio de Janeiro é a capital com o maior volume de fraudes de energia do país, em valor absoluto (aproximadamente 6 mil GWh), o que compromete o fornecimento de energia e onera a conta de todos os clientes em 17%. A Light atua na repressão ao furto de energia, em toda a sua área de concessão, onde há a presença do Estado, mas em alguns locais, ainda é difícil o acesso, o que impede a operação da concessionária e faz com que as perdas comerciais atingem patamares elevados.

No primeiro trimestre desse ano, o furto de energia correspondeu a 16,4% sobre a carga fio, o equivalente ao suprimento de energia para todo o estado do Espírito Santo durante um ano. Rio das Pedras é um dos bairros que mais sofrem com esse problema: ele apresenta um elevado índice de perda de energia, chegando a 72%, isto é, a cada 100 KW fornecidos, 72 KW são furtados. Em um processo de aproximação com os clientes e visando também combater as ligações clandestinas, a Light executa ações como o Light Legal, que consiste em fixar equipes, com dedicação exclusiva, em determinada área geográfica, responsáveis por fazer serviços como avaliação de toda a rede elétrica, dicas de economia de energia e segurança, verificação de medidores, normalização de clientes, atualização cadastral, negociação de débitos e eliminação de irregularidades. Até hoje, 17 áreas foram colocadas em operação, abrangendo cerca de 240 mil clientes. A meta para 2013 é alcançar um total de 30 dessas áreas, representando aproximadamente 400 mil clientes. Nas primeiras áreas de atuação, o índice de furto de energia, que antes apresentava uma média de 45% da carga, teve uma redução média de mais de 20 pontos percentuais. O projeto já está presente, por exemplo, em Cosmos (Campo Grande), Caxias, Sepetiba, Vigário Geral, Nova Iguaçu, Nilópolis, Belford Roxo, Ricardo de Albuquerque, Curicica, Mesquita Realengo, Coelho da Rocha, Batan, Cabritos, Tabajaras, Chapéu Mangueira, Babilônia, Tomazinho, Cidade de Deus e Complexo do Alemão, e em breve estará em outras localidades. Por tudo isso, a Light é uma empresa comprometida com a sustentabilidade e com o crescimento do Rio de Janeiro e quer ser uma protagonista na retomada do desenvolvimento do estado, realizando investimentos para atender a esta nova demanda, principalmente em comunidades como Rio das Pedras. Sendo uma empresa centenária, a Light aplica recursos em geração, comercialização e distribuição de energia elétrica e no desenvolvimento de soluções para o setor, com vistas ao desenvolvimento urbano, econômico e social do Brasil. (a) Paulo Roberto Pinto, Presidente da Light.”

UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL A moradora MARIA DAS GRAÇAS (foto) fez questão de posar mostrando a página 2 da edição anterior para dizer que estava vendo, nela, uma luz (da Light) no fim do túnel. Ela destacou a matéria sobre o “Antes” e “Depois”, na qual mostramos como era antes o emaranhado de fios que infernizava os moradores na esquina das ruas da Paz e Goíás, e depois de a Light substituir tais equipamentos por outros, de maior capacidade, como explica o presidente da concessionária, Paulo Roberto Pinto, em depoimento publicado nesta página. A moradora mostrava o exemplar para a vizinhança, comemorando a providência tomada e dizendo que já não aguentava mais o desconforto de ter de passar aba ixada pelo local todos os dias, para não bater com a cabeça na parafernália de fios pendurados no meio da rua. Ela elogiou o nosso jornal pela iniciativa de fazer o registro naquela edição, registro este que também reproduzimos (foto) para o leitor ter uma melhor compreensão.


Foi uma grande alegria comemorar meu aniversário natalício junto a esse querido povo, que me acolheu com tanto carinho..

4

Foi um momento de comunhão fraterna com a nossa Arquidiocese do Rio de Janeiro, que se prepara para celebrar a Jornada Mundial da Juventude.

Voltaremos com a espiritualidade fortalecida para enfrentar novos desafios.

Arraiá reuniu 1.500 pessoas, teve barracas de comidas típicas e foi animado por danças tradicionais

5

RIO, 17 DE JULHO DE 2013

RIO, 17 DE JULHO DE 2013 FOTOS DE JÚLIO VIEIRA

D

e uma família de imigrantes italianos, Dom João Orani Tempesta nasceu no dia 23 de julho de 1950 na pequena São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, uma cidade predominantemente católica (81,31% dos habitantes, segundo o IBGE). Coroinha na infância, abraçou a carreira religiosa com devoção e antenado na rotina das comunidades, notadamente as mais carentes. Com este espírito despojado, foi justamente aqui em Rio das Pedras, na nossa paróquia dedicada a São João Batista, que, recebido pelo pároco Marcos Vinício, o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro comemorou, na véspera do Dia de São João, seus 63 anos de vida. À reportagem do nosso jornal, ele confessou estar em estado de graça por festejar a data natalícia “junto a esta comunidade”. Num clima fraterno e festivo, depois da missa celebrada com a igreja lotada, mais de 1.500 pessoas cantaram parabéns e fizeram até uma música em ritmo nordestino para homenagear o aniversário de Dom Orani, a quem os paroquianos ofereceram um bolo bem incrementado, adocicando o sabor da festa, que entra para a história de Rio das Pedras como um acontecimento memorável de religiosidade e fé cristã. Responsável por trazer para a nossa cidade um dos encontros mais importantes realizados pelo Vaticano, a Jornada Mundial da Juventude, Dom Orani enalteceu a liderança do padre Marco Vinício na ação de mobilização da nossa comunidade, constatada pelo sucesso que obteve ao inscrever 510 famílias para acolher mais de 2.000 peregrinos durante a jornada. Especialista em comunicação e caminhando à frente do seu tempo, Dom Orani concedeu ao nosso jornal a seguinte entrevista:

NOSSA FESTA PARA DOM ORANI

PARÓQUIA SÃO JOÃO BATISTA CELEBRA O PADROEIRO RUMO À JMJ

E

EM ENTREVISTA AO NOSSO JORNAL, CARDEAL ARCEBISPO DO RIO FALA DA ALEGRIA DE HAVER COMEMORADO SEU 630 ANIVERSÁRIO COM O NOSSO POVO

Dom Orani - Foi para mim uma grande alegria comemorar meu aniversário natalício junto a esse querido povo, que me acolheu com tanto carinho. As distâncias geográficas são superadas pela unidade com cada parcela do rebanho do Rio de Janeiro, e a ocasião da minha visita foi uma oportunidade para fortalecer essa unidade. Agradeço a todo o carinho demonstrado pelo querido povo e desejo que os passos que estão dando tanto na construção como no trabalho de formar rede de comunidades siga sempre com mais entusiasmo.

- A mobilização das famílias em favor da hospedagem dos peregrinos é um gesto de grande generosidade, que reflete de forma concreta o entusiasmo de todos pela JMJ e a índole acolhedora do povo carioca. Desejo testemunhar minha gratidão a todas as famílias que têm colaborado neste sentido. Esse gesto reflete o povo aberto ao outro, que sempre acolhe os irmãos e irmãs. É uma grande riqueza

e um grande dom que, tenho certeza trará ao povo da paróquia e do bairro uma riqueza humana intensa.

a Paróquia São João Batista já se revela muito atuante, graças à motivação e liderança de seu pároco e à participação dos paroquianos. E o trabalho realizado na formação do povo, junto com a continuação da construção da matriz e o desafio de ter presença de pequenas comunidades em cada rua é um belo e importante sinal de seu trabalho incansável.

- Que procurem receber os peregrinos com aquilo que os cariocas têm de melhor, que são o acolhimento e a alegria. Em se tratando do povo de Deus, temos a missão de promover a unidade e formar laços que consolidem a união fraterna entre todos os povos. Que recebam os peregrinos como irmãos e irmãs fazendo parte de nossas famílias. Esse sinal será importante para a mudança de mentalidade ao nosso redor. Aprendemos com a sociedade de hoje a nos fechar ao outro. Com a jornada aprenderemos a nos abrir ao outro como irmão e irmã.

- Acompanho o trabalho de todos os párocos, meus estimados colaboradores na condução do rebanho de Jesus Cristo no Rio de Janeiro e sou muito grato ao Pe. Marcos pelo intenso trabalho missionário que vem desenvolvendo na Paróquia São João Batista. E é claro que conheço, até mesmo antes de vir para o Rio das Pedras. Quando foi para escolher o primeiro pároco da nova paróquia fui busca-lo porque conhecia o seu trabalho e sua capacidade de liderança. Agradeço a Deus pela missão que ele desempenha e peço ao Senhor que o assista sempre mais.

- É muito importante que se recupere entre os católicos o verdadeiro sentido de paróquia, isto é, de comunidade que, encontra na convivência e no apoio mútuo a força para crescer na fé e trilhar os caminhos do discípulo-missionário. Além disso, procurar participar ativamente das atividades e preocupações da paróquia. Sentir com a Igreja, sentir a Igreja como sua, se responsabilizar pela igreja, caminhar unido como igreja.

- Apesar de ser uma das mais novas paróquias de nossa Arquidiocese,

- A atuação da mídia em nossos dias, sob todas as formas, é impres-

cindível a qualquer iniciativa de cunho social e também ao anúncio do Evangelho. Neste sentido, o jornal tem uma valiosa tarefa a cumprir, principalmente como divulgação de cunho popular, atingindo inclusive as pessoas que não têm acesso às mídias eletrônicas. A informação ajuda a comunidade a perceber os passos que vão sendo dados na caminhada paroquial e a conhecer também os trabalhos em âmbito social que a comunidade desenvolver, assim como saber das necessidades que existem ao nosso redor. A verdadeira notícia nos faz crescer e nos desafia a caminhar melhor em nossa vida humana.

- Creio que uma atmosfera de conscientização popular, desde que conduzida de forma ordeira e pacífica, pode contribuir como cenário positivo para que a Igreja também se mobilize no anúncio da Verdade, como resposta a tantos anseios suscitados no momento presente. Na oração oficial da JMJ pedimos que o impulso desse momento leve os jovens a serem construtores de um mundo novo. Tenho certeza de que jovens verdadeiramente cristãos farão a diferença no hoje e no amanhã do mundo.

- Deixo aos estimados paroquianos de Rio das Pedras uma mensagem de estímulo à sua caminhada pessoal e comunitária. Que a vida de oração seja intensa e se manifeste no amor aos irmãos, fundamento propício para a Palavra de Deus seja semeada com autenticidade e coerência. Assim, os frutos não tardarão a se manifestar. Aproveito para dedicar a todos, com zelo pastoral, a minha bênção. Que o Senhor conduza padres e povo a uma caminhada de unidade na diversidade e os levem a experimentar com alegria a certeza de que o Senhor nos conduz.

Na sequência ao lado, flagrantes da manhã de domingo na qual Dom Oran foi recebido pelo padre Marcos, rezou missa e almoçou na paróquia, e recebeu o carinho e as homenagens dos nossos moradores, com direito a bolo comemorativo pelo seu 630 aniversário

m nossa comunidade de Rio das Pedras, a Paróquia São João Batista celebrou com muita festa e animação o dia de seu padroeiro e, de modo especial, o aniversário da paróquia, com a inauguração da quinta etapa das obras da Igreja matriz, dedicada a São João Batista. Com a presença, no dia 23 de junho último, do Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, aconteceu o encerramento da novena dedicada a São João Batista, e também a inauguração de mais uma etapa das obras da construção da nova Igreja. Também em clima de festa, foi celebrado o aniversário natalício de Dom Orani, com a presença de mais de mil e quinhentas pessoas, que durante a celebração cantaram parabéns e fizeram até uma música em sua homenagem em ritmo nordestino. Sem dúvida nenhuma, foi um momento de comunhão fraterna com a nossa Arquidiocese do Rio de Janeiro, que se prepara para celebrar a Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá de 23 a 28 deste mês de julho, com a presença do Papa Francisco no Rio de Janeiro. Em sua mensagem durante a missa, Dom Orani conclamou a toda comunidade de Rio das Pedras para acolher os peregrinos que virão de várias partes do mundo e também do Brasil. Em nossa Paróquia de São João Batista iremos acolher mais de dois mil jovens e teremos vários eventos para celebrar este momento, sendo que, no dia 18, teremos às 17h, na Matriz, a chegada dos símbolos da Jornada Mundial: a Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora. E, já no dia 21, um teatro com a presença de vários atores profissionais, às 19h, na Igreja, cujo tema será: “As Sete Dores de Maria”. Para esse evento, cada um é convidado a trazer 1 quilo de alimento não perecível. Tudo isso, em preparação à JMJ 2013. Que o bom Deus nos abençoe nesta preparação da Jornada Mundial da Juventude e acolhimento aos jovens peregrinos. *Pe. Marcos Vinício Miranda Vieira é o pároco da igreja da nossa comunidade

FOTOS DE MÁRCIO BATISTA E JOCIELLE LIMA

PARÓQUIA REALIZA UM ARRAIÁ ARRETADO A Paróquia São João Batista no Rio das Pedras reproduziu, no fim de semana dos dias 22 e 23 de junho último, véspera de São João, um ambiente festivo bem conhecido da grande maioria dos nossos moradores: um arraiá arretado, que reuniu em torno de 1.500 pessoas percorrendo as barracas de comidas típicas sob o som de muita música, animada com a apresentação de danças tradicionais pelos grupos da comunidade. A paróquia São João Batista também foi agitada, nesse mesmo fim de semana, por outras importantes celebrações religiosas,

uma delas a missa celebrada pelo Bispo Dom Paulo César, que iniciou a festa agradecendo a todas as famílias que estão mobilizadas para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Ele dirigiu um agradecimento especial às 510 famílias que irão acolher dois mil peregrinos em Rio das Pedras, ressaltando: - Este ato é sublime, pois assim como Jesus, nos viemos para servir. Para rolar a festa, a igreja recebeu, logo pela manhã de domingo (23), o cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, que comemorou conosco seus 63 anos de idade, com direito a bolo e muito carinho dos paroquianos. Dom Orani agradeceu especialmente ao pároco Marcos

Vinicius pela recepção e também pelo empenho de todos para a construção da igreja. O evento foi encerrado com uma missa celebrada por frei Leonardo, que, aos 31 anos de idade, estava comemorando um ano de sacerdócio. Aos fiéis, frei Leonardo disse estar muito feliz e convidou todos os jovens que se sentem tocados a iniciar a caminhada do serviço religioso. Ao convocar a todos para que não deixem de se expressar na JMJ, lembrou: - É um chamado irrecusável e com grandes aprendizados. * Marcella Araújo é coordenadora pastoral da juventude da Paróquia de Rio das Pedras e estudante de Comunicação Social

RIO DAS PEDRAS RECEBE PEREGRINOS HÚNGAROS No âmbito da JMJ, a paroquia São João Batista recebeu um grupo de 12 jovens peregrinos húngaros (fotos ), que fazem parte do movimento “Regnum Christi”, coordenado pelo padre Michael Duffy, que é irlandês, mas está há três anos na Hungria. O grupo veio para ajudar comunidades carentes, e, com essa missão, chegou em Rio das Pedras disposto a reformar o Centro Pastoral. Conversamos com alguns deles para saber o que esperam levar de aprendizado desse trabalho. André, pai de quatro filhos, disse levar a experiência e o dever de passar para os filhos as necessidades de uma comunidade carente: - Também voltaremos com a espiritualidade fortalecida para enfrentar novos desafios. Sobre como estavam se sentindo na nossa comunidade, Vicent não economizou elogios: - Jamais imaginei tão generoso acolhimento. Esses peregrinos acreditam que a JMJ será um tempo de fortalecimento e aprendizado, e garantem que o número de jovens católicos será muito maior depois da JMJ. Seis deles participaram da última jornada em Madrid e afirmaram que é uma experiência para toda uma vida. (Marcella Araíjo).


Nossa associação de moradores (Amarp) promove o 10 Campeonato de Futebol society das Comunidades, com 20 equipes inscritas.

Nosso jornal já pode ser encontrado em vários pontos da comunidade (veja o mapa abaixo) e a distribuição é gratuita.

6 RIO, 17 DE JULHO DE 2013

COMERCIANTES AJUDAM NA DISTRIBUIÇÃO DA NOSSA “A VOZ DE RIO DAS PEDRAS” VEJA ONDE ENCONTRAR O NOSSO JORNAL 쏅 BAIRRO - CENTRO DE RIO DAS PEDRAS 1) Núcleo de Cidadania de Rio das Pedras - NUCIRP Rua Nova nº 105, loja 2. 2) Casa do Norte Rua do Amparo nº 13. 3) Pastelaria Rio das Pedras Rua Velha nº 182. 4) Bar da Rua Bareta Rua Bareta nº 28. 5) Mercado Brasil Portugal Rua Velha nº 156. 6) Açougue São Jorge Rua Almira nº17, loja A. 7) Acarajé da Gil Estrada de Jacarepaguá nº 3.599 (ao lado do Castelo das Pedras).

Nº 08 - Bar do Zeca

8) Bar do Zeca Rua Nova nº 111.

쏅 BAIRRO - PINHEIRO 9) Barbearia do Luizinho Estrada de Jacarepaguá nº 3.502, lote 10 (ao lado do Baião de dois). 10) Santos Material de Construção Estrada de Jacarepaguá nº 3.502, lote 28. 11) Bar e Restaurante Serra Grande Rua Enoque Bezerra nº2.

쏅 BAIRRO - RIO DAS FLORES / RIO NOVO 12) Pizzaria Segredo Rua Nova, Quadra 5. 13) Hortifruti Vitória Rua Nova, Quadra 3, nº 13.

MORADORES CURTEM NOSSO JORNAL

19) Peter Cell Rua Luiz Carlos da Conceição nº 33. (Referência: esquina com a Rua dos Lírios) 20) Lanchonete da Telma Rua Leonel Brizola nº 32. (Referência: esquina com a Rua dos Lírios)

Nº 21 - Hortifruti JR

21) Hortifruti JR Rua Luiz Carlos da Conceição nº 62. (Referência: esquina com a Rua das Violetas) 22) Bar e Boteco Papa-tudo Rua Leonel Brizola nº 55. (Referência: esquina com a Rua das Violetas) 23) Padaria do Souza Rua Luiz Carlos da Conceição nº 100. (Referência: esquina com a Rua Palmeiras) 24) Bar do Jorge Rua Leonel Brizola nº 97 (Referência: esquina com a Rua Palmeiras) 25) Mercearia União Paraná Rua Luiz Carlos da Conceição nº 132. (Referência: esquina com a Rua dos Betumes) 26) Neide Modas Rua Leonel Brizola nº 134. (Referência: esquina com a Rua dos Betumes)

쏅 BAIRRO - AREINHA 27) Mercadinho Lourdes e Renato Avenida Areinha nº 17. (Referência: esquina com a Avenida Pantanal) 28) Clínica Médica e Odontológica Santa Clara Avenida Areinha nº 42 – A. (Referência: esquina com a Rua do Meio)

쏅 BAIRRO - AREAL 2

Nº 29 - AÇOUGUE E SACOLÃO 5 ESTRELAS

Nº 14 - Bar do Wildo

14) Bar do Wildo Rua 19, nº 1. (Referência: Bar na entrada do Areal 2)

쏅 BAIRRO - AREAL 1

Allan Werneck, vice presidente da Amarp

Patricia e o filho Philippe Medeiros

15) Lotérica de Rio das Pedras Engenheiro Souza Filho nº 1.192. (Referência: perto do CAIC em frente à Rua do S) 16) Novo Milênio Laticínios Engenheiro Souza Filho nº 1.192. (Referência: esquina com a Rua José Carlos da Silva)

Maria e Raphael Santos

Nº 17 - Lanchonete Central

Pará, o “rei do tempero” (acima) e outros feirantes (ao lado) curtem a leitura do nosso jornal

VAMOS REALIZAR O 10 CAMPEONATO DE FUTEBOL DE COMUNIDADES

C

oordenadora pedagógica, diretora social e esportiva da Associação de Moradores e Amigos de Rio das Pedras, a pedagoga e estudante de Direito Neimar Aragão (foto), de 41 anos, tem nome de craque, mas também bate um bolão no campo social. Com uma ideia na cabeça, deu o pontapé inicial na organização do 10 Campeonato de Futebol Society de Comunidades, que começa agora no dia 22 e vai até o dia 4 de agosto, com 20 times disputando. O primeiro título já está conquistado: Rio das Pedras leva o troféu de pioneira na realização dessa modalidade de projeto social, que, segundo a Amarp, visa, principalmente, a união das escolinhas de futebol das comunidades carentes da cidade. Com a bagagem de quem já organizou eventos como “Garota da Barra”, “Garota de Jacarepaguá” e o concurso “Top Mirim da Barra”, Neimar tirou a orga-

nização desse evento de letra. - A receptividade foi ótima. A procura tão grande que não tivemos estrutura para aceitar a inscrição de mais de 20 comunidades. Superou todas as nossas expectativas – disse Neimar, explicando que, para se inscrever, o menino precisa residir em comunidade carente, ter de 12 a 14 anos, estar matriculado na escola e apto a realizar atividades físicas. Outra condição é não estar vinculado a um clube ou inscrito em qualquer Federação ou Liga de futebol, acrescenta Neimar, que tem a colaboração de Jorge Luiz e Roberto Silva na organização. Ela conclui: - O campeonato objetiva promover a paz e a cidadania, a valorização da solidariedade e a integração das comunidades, a fim de estimular a criatividade e contribuir para a formação moral da criança. O evento procura, também, ajudar na diminuição da discriminação e da rejeição.

17) Lanchonete Central Rua Pinheiro nº 12. (Referência: esquina com a Rua Luiz Carlos da Conceição) 18) Pastelaria Zhao Rua Pinheiro nº 14. (Referência: esquina com a Rua Leonel Brizola)

29) Açougue e Sacolão 5 Estrelas Avenida Areinha nº 66. (Referência: esquina com a Avenida Central) 30) Mercado Multimenos do Russo Avenida Areinha nº 95. (Referência: esquina com a Rua das Uvas)

쏅 BAIRRO - SÃO BARTOLOMEU 31) Escritório de Advocacia Daniela Moreira Estrada de Jacarepaguá nº 3.145 – A, Rua Cinco, nº 4.

쏅 ENTORNO DE RIO DAS PEDRAS 32) Supermercado Multimarket Estrada de Jacarepaguá S/N. 33) Fluzão Materiais de Construção Avenida Engenheiro Souza Filho, nº 1000 - Loja A. 34) Martelão Materiais de Construção Avenida Engenheiro Souza Filho, nº 1000. 35) Ricardo Eletro Estrada de Jacarepaguá, 3500. 36) Barralar Móveis Estrada de Jacarepaguá. (Referência: esquina com a Rua Velha) 37) Clínica da Família Otto Alves de Carvalho Avenida Engenheiro Souza Filho S/N. 38) Bar e Restaurante 2001 Avenida Engenheiro Souza Filho nº 645.


Modalidade olímpica ajuda na coordenação motora, dá mais mobilidade, rapidez nos movimentos, e torna a pessoa mais humilde e confiante.

Nascido em 2005 e apoiado pelo Instituto Amigos da Saúde, o projeto Kebra Tabú é coordenado por Soly, moradora da nossa comunidade

7 RIO, 17 DE JULHO DE 2013

TAMBÉM FAZEMOS CAMPEÕES ENTREVISTA COM SOLY

A TOCADORA DAS OBRAS SOCIAIS DO KEBRA TABU

E

la é magrinha, baixinha, mas torna-se uma gigante quando é desafiada a tocar projetos sociais. O nome dela é Solineide Ângela Lopes, tem 43 anos, mas aqui na nossa comunidade, onde essa carioca vive há 23 anos, é conhecida como Soly. Formada em brigada socorrista no Corpo de Bombeiros do Estado do Rio, desde 1998 dedica-se, de manhã à noite, a uma militância gratificante: é coordenadora de projetos sociais, ajudando pessoas carentes no aprendizado de esporte, dança, arte e artesanato. A partir de 2005, apoiada pelo Instituto Amigos da Saúde, criou o projeto Kebra Tabu, que oferece modalidades esportivas, como capoeira e taekwondo, além de futebol e ginástica para senhoras, num espaço que está em reforma. Como tudo começou ela conta nesta entrevista:

PROJETO SOCIAL ENSINA TAEKWONDO ÀS CRIANÇAS E JOVENS DA NOSSA COMUNIDADE

S

ete da noite, segunda-feira. No salão da sede do Instituto Amigos da Saúde, na Muzema, mestre José Davi, de 33 anos, prepara uma turma de meninos e adolescentes para iniciar uma tarefa voluntária que há 20 anos preenche uma rotina que enche sua alma de orgulho e satisfação. Sob os olhares atentos de Soly, coordenadora do projeto Kebra Tabú, postado rende a uma das paredes do salão, ele comanda mais de 30 alunos numa aula frenética e animada de taekwondo. Faixa-preta no 60 Dan, esse diretor de eventos mostra à reportagem, com brilho radiante nos olhos, os alunos promissores, como Lucas, de 17 anos e que há nove batalha para ser atleta nacional. Apresenta também Ismael Nicolas, de 15 anos, que está de malas prontas para disputar o Campeonato Brasileiro. Faz uma pausa e explica as vantagens do esporte: - Ajuda na coordenação motora, dá mais mobilidade, rapidez nos movimentos, torna a pessoa mais humilde e confiante. E é um esporte olímpico. Faz a pessoa respeitar o preparo físico e a si mesmo – ensina mestre José Davi. Na linha de frente, Ismael, que cursa Ensino Fundamental, pensa em participar da Olimpíada, desejo que também acalenta o sonho de Maria Mariah, de dez anos, faixapreta 10 Dan e que vai disputar o Campeonato Brasileiro no Piauí. Ela não se faz de rogada, enche o peito e diz confiante: - Meu objetivo é ser campeã brasileira, depois sul-americana e mundial. E ter um ouro olímpico, claro. Já Cláudio Silva, de 23 anos e que está entrando na Faculdade, não tem essas pretensões. Acha que já passou da idade. Ele explica que a sua vocação para o esporte vem de berço, está no DNA da família, desde o tempo do avô. - Meu objetivo é poder competir. Cheguei atrasado e, na minha idade, não dá para correr atrás de objetivos profissionais, de competições oficiais. Mas gosto do que faço e quero me divertir competindo em eventos não oficiais – admite Cláudio. Outra promessa é Vanessa Soares, de 12

anos, também faixa-preta e outra aposta do professor José Davi. - Atualmente luto para manter a forma física e me desenvolver tecnicamente – diz Vanessa. Num cantinho, três meninos e uma menina fazem coro ao proclamar a alegria de participar da turma: Leo, de sete anos, Francisco, de oito, Beatriz, de 11, e Kaique, também de oito anos, este último escalado pelos outros três para interpretar a opinião do grupo. Firme, ele conta por que frequenta as aulas: - Quero ser lutador e aprender a me defender. Leo completa, otimista, completa botando banca: - Vamos ser profissionais e ganhar algumas competições. Pode apostar. Mais velhos da turma, Wellington e Doila se empenham à exaustão. Eles não estão ali para disputar campeonatos, porque, embora jovens, já passaram da idade, mas têm um objetivo também nobre, como explicou Wellington: - Estamos fazendo o curso para ganhar condicionamento físico reflexivo. Nosso objetivo é trabalhar em segurança privada. Aqui está uma parte do nosso preparo. Do lado de fora, numa pequena sala contígua, um grupo de mães corujas aguarda a filharada batendo papo descontraído e alegre. Uma delas, a paraibana Eunice, mãe de Vanessa, diz que não só acompanha como fica incentivando a filha. E explica por quê: - Acho legal ela praticar taekwondo. Mas fico em cima. Se eu não der força, ela desiste. Já Lucilene, orgulhosa mãe de Ismael e Maria Mariah, também acha legal os filhos praticarem o esporte. - Meus filhos começaram cedo e vêm avançando muito. É importante ocupá-los numa atividade física. Todas as mães querem tirar as crianças das ruas e afastá-las do perigo de se envolverem com drogas e outras coisas ruins – afirma Lucilene, enquanto espera pelos dois na salinha de fora. Natural do Rio Grande do Norte, Francisca, mãe de Lucas, é entusiasta do trabalho desenvolvido pelo projeto: - É uma coisa de que ele gosta e eu aceito. É melhor aqui do que fazendo besteira na rua.

O que é o projeto Nascido em 2005 e apoiado pelo Instituto Amigos da Saúde, o projeto Kebra Tabu, coordenado por Soly, oferece modalidades esportivas como capoeira e taekwondo, além de futebol e ginástica para senhoras. Atende 105 pessoas na faixa etária de cinco a 75 anos na comunidade e adjacências. Outro foco de atenção nas ações do projeto são as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Todos os meses são realizadas palestras de convidados da área de saúde e distribuídos três mil preservativos por um camelô educativo nas praças, pontos de ônibus, casas de show, igrejas, nas residências dos integrantes do projeto e no próprio instituto. Ao todo, essa ação social, que objetiva levar informação às pessoas e fazer delas multiplicadores das informações adquiridas, conta com 10 multiplicadores voluntários, A próxima palestra contra DSTs será dia 25 agora, às 15h, na Av. Engenheiro Souza Filho, 574

Kaique

Dona Lucilene

Maria Mariah

Mestre José David

Lucas

Soly – O amor que tenho pela Justiça. Acredito que a nossa política possa melhorar, mas tenho ojeriza por injustiça, seja ela qual for.

- Não. Foi difícil.

- Porque o meu herói, que era o meu pai, faleceu quando eu tinha apenas sete anos de idade. A figura dele era marcante. Ele era muito presente na minha educação.

- Era mecânico. Tinha uma oficina no quintal da nossa casa. Éramos dez irmãos e era assim que ele nos criava.

-Ela sempre foi do lar. O fato de ele ter morrido forçou que ela fosse trabalhar em casa de família. Saía pela manhã, almoçava no serviço, e voltava à noite trazendo o nosso jantar.

- Minha mãe, então, teve de dar os filhos para os irmãos mais velhos criar. Fui morar com a minha irmã mais velha. O ambiente de dificuldade transmitia um sentimento de injustiça e isso despertou em mim, desde cedo, o desejo de procurar fazer a minha parte em busca da cidadania.

- Já na escola comecei a fazer alguma coisa para não sofrer. Fui logo projetada à líder da turma, organizei festas e eventos. Apesar de ser magrinha e não ser nenhum padrão de beleza, passei a ser uma espécie de protetora dos colegas e isso me gratificava muito e me dava energia para cumprir o trabalho comunitário a que me propus realizar.

- Comecei a me cuidar desde cedo e tive a felicidade de me casar muito jovem com o melhor homem que conheci na vida, meu companheiro há 29 anos. Ele é 11 anos mais velho do que eu e talvez tenha sido essa a razão do equilíbrio e da solidez da nossa relação. Abaixo de Deus, é a criatura mais importante na minha vida.

- Tenho duas filhas, uma de 25 e outra de 28 anos, e quatro netos.

- Às minhas filhas passo até hoje o respeito às outras pessoas. Mas oriento no sentido de que o direito delas tem de ser respeitado, doa a quem doer. Meus netos Amanda (de sete anos), Davi (de cinco), José (de três) e Artur (de um ano e cinco meses) são a mais rica herança e doce da minha vida. Passo a eles o amor à natureza, às pessoas, aos animais. E que busquem o ideal deles, que procurem ter educação e cultura através de boa leitura e uma qualidade de vida que não tive. A gente sempre deseja o melhor às pessoas que amamos.

- Melhor não poderia ser. Somos muito felizes aqui em Rio das Pedras, fazemos parte desta comunidade e temos alegria em viver aqui. Mas isso não significa que eu deseje aos meus netos que tenham de viver eternamente aqui. É justo que procurem uma melhor qualidade de vida, mais conforto, porque este é o desejo de todos nós.

- Minha família não se resume em duas filhas e quatro netos. Mas a cada criança, a cada pessoa que passa pela minha vida para desenvolver algum tipo de trabalho social faz parte, de verdade, da minha vida. Agradeço a Deus por tudo e peço que me dê força e energia para continuar nessa militância. Sou grata a amigos e particularmente ao meu marido Tibúrcio e ao meu grande parceiro Sandro de Moura. Sem eles não conseguiria ter sucesso nesta empreitada.


Feijão em promoção! Vamos acabar com a fome como o Lula acabou...com a dele!

A cachaça “Nabunda” é engarrafada em Levanta a Saia, no município de Caceta Armada

Está vendo! Aqui temos camarão graúdo e lagosta fresca. Sabe por quê? Porque acredito na comunidade RIO, 17 DE JULHO DE 2013

FOTOS DE CLAUDIA GONZAGA / DIVULGAÇÃO

3

2

1

4

5

“Olha o troco, irmão! Vai com Deus!”, diz Seu Waldemar a um freguês ao qual acabara de vender um quilo de queijo coalho e meio de queijo manteiga vindos diretamente da Paraíba. Ele é um dos personagens que incorpora o espírito da feira nordestina que, há 30 anos, tornou-se o programa dominical favorito dos moradores da nossa comunidade. Ao lado desse pernambucano arretado, de 70 anos, todo prosa com seu inseparável chapéu preto, a mulher Ivone e a filha Gildete preparam num balcão à parte o café da manhã típico: tapioca frita na hora, vendida a R$ 2,50, e café quente, a um real o copo. As duas se viram como podem para dar conta de atender à imensa freguesia, que mistura o nosso pessoal em busca de suas tradições e gente fina de bairros nobres, à procura de novidades e das delícias tí¬picas do Nordeste. Mais adiante, outra curiosidade é a barraca do Pará, que se apresenta como o “Rei do Tempero”. E com razão. Ele ocupa o seu reinado desde quando a feira começou na Rua Nova até ser deslocada para Via Light e a Avenida Engenheiro Souza Filho por causa da expansão da comunidade, da própria feira – hoje com 140 barracas – e dos transtornos que esse crescimento causava no local original. Justiça se faça a “Pará, o rei do Tempero”. Ele pode cantar de galo no seu terreiro porque vende nada menos de 480 itens, todos “importados” do Nordeste, desde os mais variados tipos de ervas medicinais, pimenta de todos os gostos, temperos à vontade, manteiga de garrafa e até duas marcas de cachaça que fazem o maior sucesso. Uma, a “Marimbondo”, é conhecida e apreciada por todo cabra macho do sertão porque cada golada arde como uma ferroada do inseto que lhe empresta o nome. A outra, trás no rótulo o espírito irreverente do povo nordestino...é a “Nabunda”, que informa ter sido “engarrafada em Levanta a Saia, no município de Caceta Armada”. Tem barraca vendendo milho torrado e cozido a dois reais a unidade, tem o Gil das Carteiras oferecendo bolsas de grife, a barraca da Ana Fashion com uma coleção de roupas femininas para adultos e crianças, onde a freguesia pode encontrar camisa da Jornada Mundial da Juventude. Perto dela, a super-barraca do Wanderley, que oferece toda variedade de frutas frescas. Simpático e sorridente, enquanto falava com a nossa reportagem e posava para fotos, o pessoal da barraca do pastel, ao lado, tirava um sarro dele: - Aí Wanderléia! Vai aparecer na Globo? – brincavam, fazendo uma mistura do nome dele com o da musa da Velha Guarda, a cantora Wanderléia. A turma de pasteleiros era das mais ani-

A R I E AF

A N I T S E D R O N I U Q A É 7 6

11

8

SÃO 140 BARRACAS QUE TRAZEM O SABOR E OS TEMPEROS DO SERTÃO PARA A NOSSA COMUNIDADE madas. Toda vez que alguém dava uma caixinha, eles agradeciam aos berros, contagiando os barraqueiros vizinhos, que aderiam ao coro da “Olha a caixinha! Obrigado!”. Animado também era o pregoeiro da barraca de legumes e cereais, que gritava toda hora: - Feijão em promoção! Vamos acabar com a fome como o Lula acabou...com a dele! Marrento mesmo é o Cesar, que administra a barraca de peixe Monteiro & Barcelos há 17 anos. Ao exibir a variedade de frutos do mar que traz de Niterói, Itaipu e da Ceasa, “vende o seu peixe”: - Está vendo! Aqui temos camarão graúdo e lagosta fresca. Sabe por quê? Porque acredi-

9

10

to na comunidade – gaba-se o peixeiro, que não mora em Rio das Pedras, mas afirma que adora o local e tem excelente relação com a freguesia. Outro feirante muito popular é o Marquinho, de 52 anos, que consegue a proeza de vender frango a uma comunidade nordestina, nem tanto afeita a esse alimento. Ele disse que começou a trabalhar com dez anos de idade, como carregador, e brinca: - Estou nesse negócio “a long time” (expressão inglesa que, em português, significa: há muito tempo). O programa termina na barraca da Doninha, de 49 anos, que há quatro está presente no fim da feira com a sua tenda vendendo a

1 - Wanderley, da barraca de frutas 2 - Ana Fashion 3 - Barraca dos pasteis e caldo de cana 4 - Marquinhos, do frango 5 - A cachaça "Nabunda" 6 - Crianças brincam no pula-pula 7 - Milho cozido e torrado a R$ 2,00 8 - Waldemar e os queijos do Nordeste 9 - Pamonha caseira 10 - Ivone faz tapioca 11 - Gil das carteiras

mais autêntica iguaria nordestina: carne de sol com aipim e manteiga de garrafa. A dez reais. Uma delícia. Ela perde a conta da quantidade que vende, não só para os visitantes que sentam nas cadeiras ao redor para saborear o prato típico bebendo uma cervejinha, como também não para de atender moradores que vão comprar umas “quentinhas” para o almoço de domingo com a família. Quem quiser levar criança pode ir às compras tranquilo porque ao lado da barraca da Doninha há equipamentos para distraí-las como tobogã, pula-pula e balões coloridos. É uma festa! O parquinho de diversões funciona no meio da rua mesmo e a garotada adora se esbaldar nas brincadeiras.

FOTOS DE FABIO COSTA

Doninha prepara a carne de sol com aipim e manteiga de garrafa na feira que tem tiras de sandálias “Made in Nordeste”, lagosta e camarão graúdo e outras iguarias típicas, como miúdos e cabeça de porco e o tradicional feijão de corda


A VOZ DE RIO DAS PEDRAS - N º 3