Page 1

jo達o paulo baltazar O NOSSO PRESIDENTE


ESTA É UMA PUBLICAÇÃO DA INTEIRA RESPONSABILIDADE DA CANDIDATURA DE JOÃO PAULO BALTAZAR À CÂMARA MUNICIPAL DE VALONGO

02

JOÃO PAULO BALTAZAR


Há pouco mais de um ano assumi a responsabilidade de ser presidente da Câmara Municipal do Concelho onde nasci, cresci, constitui família e vivo. Ao longo deste ano tive a oportunidade de introduzir mudanças significativas na forma de gerir a Câmara e de nos relacionarmos com as pessoas, associações e empresas. Hoje temos uma Câmara credível, com boas contas, mais moderna e mais operacional. O trabalho realizado mostra a nossa capacidade e o caminho que queremos percorrer. É com base nestes pressupostos que decidi candidatar-me a presidente da Câmara. Candidato-me para continuar o que iniciamos há um ano. Candidato-me com vontade de fazer mais e melhor, contribuindo para o desenvolvimento humano do nosso concelho. Candidato-me para continuar a construção de um Concelho com qualidade de vida e onde seja bom viver. Candidato-me com espirito de serviço e de dedicação a cada pessoa, a cada freguesia, a cada instituição. Quero dizer a cada pessoa do meu Concelho que podem contar comigo, assim como eu conto com cada um de vós!

www.avitoriadetodos.pt www.facebook.com/avitoriadetodos joaopaulobaltazar@avitoriadetodos.pt


04

joão paulo baltazar UM PRESIDENTE DE TODOS QUE APOSTA NO TRABALHO E EM MÉTODOS DE GESTÃO RIGOROSOS

JOÃO PAULO BALTAZAR INTERROMPEU A SUA ATIVIDADE NO RAMO EMPRESARIAL PARA SE DEDICAR DE CORPO E ALMA AO CONCELHO QUE O VIU NASCER E CRESCER E ONDE VIVE DESDE SEMPRE. É PRESIDENTE DESDE JUNHO DE 2012. NUM ANO DE MANDATO COMO PRESIDENTE TEM TRABALHO FEITO. MUDOU A FORMA DE GOVERNAR A CÂMARA MUNICIPAL, UTILIZANDO PRINCÍPIOS, MÉTODOS E AÇÕES DE RIGOR, DE PROXIMIDADE ÀS PESSOAS, ÀS ASSOCIAÇÕES E EMPRESAS. RESOLVEU PROBLEMAS QUE SE ARRASTAVAM HÁ MUITO TEMPO. TOMOU MEDIDAS CORAJOSAS. CONSEGUIU DEVOLVER A CREDIBILIDADE À CÂMARA MUNICIPAL QUE MUITOS CONSIDERAVAM FALIDA E QUE HOJE JÁ TEM BOAS CONTAS.


O que destaca deste primeiro ano como Presidente da Câmara? O balanço é extremamente positivo. Foi um tempo de trabalho intenso com os colaboradores da Câmara, reorganizando os serviços, criando o Gabinete de Atendimento ao Munícipe, sempre com o objetivo de garantir mais rigor e um melhor e mais eficiente funcionamento para melhor servir as pessoas. A adesão ao Programa de Apoio à Economia Local permitiu assegurar o equilíbrio financeiro da Câmara, injetar na economia do Concelho cerca de 18 mi-

lhões de euros e encarar o futuro com tranquilidade e segurança. Na prática, o que mudou? Somos olhados de uma forma diferente, muito mais positiva e em vários aspetos a Câmara de Valongo passou a ser considerada exemplar. Passamos a ter um orçamento adequado à realidade, deixou de ser “empolado” artificialmente. Hoje temos uma estrutura de gestão mais leve, com menos chefias, mas mais operacional e eficaz. A Câmara pagava, em média, a 300 dias, agora pagamos a 90 e pretendo que breve-

mente passe para 30. Mudamos a relação com as associações do Concelho de quem estamos mais próximos e com quem estabelecemos uma relação de confiança. Pagamos os subsídios a tempo e horas. Os apoios baseiam-se em regras transparentes e conhecidas. Há um espírito de entreajuda e cooperação mútua em que ganha a Câmara, as associações e sobretudo as pessoas do nosso Concelho. Lembro ainda a relação que estabelecemos com as Cooperações dos Bombeiros. Neste momento, temos as contas em dia com


06

colaboração do Pingo Doce de Valongo, as refeições no período de incêndios para as equipas de intervenção permanente que estão nos quartéis de bombeiros de Valongo e Ermesinde. No próximo mandato que rumo financeiro seguirá a Câmara? Teremos estabilidade financeira. Temos um plano rigoroso de ajustamento financeiro em marcha para termos tudo em ordem e nos adequarmos às nossas receitas. Neste momento, fizemos toda a contenção pelo lado da despesa. Os desafios no próximo ano passarão por conseguirmos aumentar as receitas através da atração de investimento. Valongo tem de apostar na marca territorial e posicionar-se como um nome dos que primeiro vêm à cabeça do empresário que pretenda investir no norte do país.

as associações humanitárias de Valongo e Ermesinde. Diariamente, ouvimos inúmeras notícias sobre corporações em enormes dificuldades financeiras, ordenados em atraso e dívidas à Segurança Social e, felizmente, as de Valongo e Ermesinde estão em dia

por mérito, necessariamente das direções das associações humanitárias, mas também porque a Câmara Municipal, como parceiro fundamental, cumpre aquilo que promete. Ainda no âmbito desta cooperação, nos últimos três anos temos disponibilizado, com a

De que forma pretende concretizar essa ideia? Estamos a colaborar com diversas instituições, com a CCDRN, com o AICEP, IAPMEI que são normalmente as portas de entrada dos investimentos. Estamos a fazer uma profunda remodelação na tabela de taxas do urbanismo de forma a criar atratividade ao empreendedorismo. Elaboramos


um Plano de Citymarketing e estamos a desenvolver uma política de comunicação. A imagem de um concelho com um investimento sólido ao nível da educação, com excelentes infraestruturas e equipamentos de saúde é fundamental. Atraímos pessoas e no meio delas atraímos também investidores, porque eles querem estar onde têm mão-de-obra qualificada. As acessibilidades do concelho fecham tudo isto. Boas acessibilidades, boas infraestruturas escolares, bons equipamentos de saúde... Estamos a falar de vetores que são essenciais nas escolhas que as pessoas fazem. Temos excelentes condições de atratividade. É isso que temos de potenciar e publicitar. Os investimentos estão feitos. Temos os espaços, os corredores ecológicos, equipamentos desportivos, culturais, excelentes escolas... Para além dessa aposta, Educação e Ação Social são uma bandeira a manter? Vamos tentar reforçar no ensino básico alguns dos apoios, nomeadamente ao nível dos livros e de material

FRUTO DE UMA GESTÃO RIGOROSA, EM DOIS ANOS CONSEGUIMOS REDUZIR A DÍVIDA DA AUTARQUIA EM MAIS DE NOVE MILHÕES DE EUROS

JOÃO PAULO BALTAZAR FREQUENTOU O ENSINO PRIMÁRIO E PREPARATÓRIO EM VALONGO, TENDO CONCLUÍDO O ENSINO SECUNDÁRIO EM ERMESINDE.

escolar. Estamos a avaliar porque não pode ser feito de maneira inconsciente. Tem de ser feito com rigor para manter a relação clara com quem quer que nos relacionemos. Paralelamente, lutamos todos os dias para exigir junto do Governo a melhoria das condições dos equipamentos do ensino secundário e EB 2/3 porque, de facto, são a pecha no nosso concelho. O que exigimos é aquilo com que o ministro da Educação se comprometeu numa reu-


08

nião que teve, promovida por nós, com todos os agrupamentos. Tenho esperança de que ainda este ano vamos ter obras com alguma dimensão. Na ação social é preciso continuar o que fazemos com responsabilidade e rigor. Continuaremos a acudir aos mais necessitados. No nosso Concelho queremos que nestes tempos de grande dificuldade todos tenham o indispensável para viver com dignidade. Que balanço faz do Gabinete de Atendimento ao Munícipe? Pretende abrir este Gabinete noutros locais do Concelho? Este Gabinete tem funcionado muito bem. Permite que de forma fácil e rápida os munícipes sejam atendidos sobre todos os assuntos da Câmara. Alargamos os horários de atendimento para facilitar a vida às pessoas. Já temos planeado, para breve, a abertura de um Gabinete semelhante em Ermesinde e antes do final do ano noutra freguesia.

O objetivo é que exista em cada uma das freguesias um local de atendimento avançado da câmara. Desse modo estaremos mais próximo dos munícipes e será fácil de resolver os problemas, evitando que se perca tempo e dinheiro. Que assunto gostaria de ter resolvido e não vai conseguir neste mandato? Sem dúvida, o Plano Diretor Municipal. Está pronto sobre o ponto de vista técnico, mas falta o debate público que deve ser profundo e tranquilo. O clima eleitoral não é adequado para esse debate. Está pronto, mas será debatido publicamente no próximo mandato, para ser aprovado e entrar em funcionamento modelando o nosso desenvolvimento. Qual foi a questão que lhe deu mais satisfação ter resolvido? É difícil a resposta. Sempre que resolvemos um problema às pessoas ou às associações sinto uma grande satisfação. Pelo grau de dificuldade, o processo que me deu mais satisfação foi

a resolução do problema financeiro porque é estrutural. Não queria que os munícipes de Valongo, onde me incluo orgulhosamente, fossem identificados como alguém que deve. Ter retirado este peso negativo da esfera de cada um dos munícipes e dos próprios fun-

JOÃO PAULO BALTAZAR COM OS PAIS, JOÃO BALTAZAR E CLARA RODRIGUES


investimento forte na educação. Os nossos três eixos são: emprego, educação e apoio social. É isso que continuaremos, de forma absolutamente coerente, a prosseguir. Que mensagem final gostaria de enviar aos munícipes? Dizer que sei bem das dificuldades que vivemos. Dizer que compreendo a desilusão que muitos sentem com a política em geral e com este Governo em particular. Lembrar e garantir que sou e serei uma pessoa que estará ao lado de cada um e que tudo farei para não desiludir o nosso concelho. Pedir para que não penalizem quem dá o melhor de si pelo Concelho, por causa das políticas nacionais. Eu conto com todos. Podem contar comigo! cionários da câmara é muito satisfatório. A resolução deste problema foi de extrema importância uma vez que não mexemos no bolso dos munícipes. Ou seja, não aumentamos impostos. Numa altura em que o IMI aumentou significativamente em praticamente todo o país, nós conseguimos mantê-lo inalterado e com uma das mais baixas taxas do país. O que podem esperar os valonguenses no próximo

mandato do presidente João Paulo Baltazar? Em primeiro lugar podem continuar a confiar. Confiar que o dinheiro, que é deles, é bem gerido. Há aqui uma questão que tem de ser bem clara: gerimos o património coletivo das pessoas do município. E para além disso continuaremos a apostar nas pessoas, com uma tónica muito forte de criação de emprego no concelho e manter uma proximidade muito grande em termos de apoio social e


10

DESPORTO

Jovens do conc merecem o melh

Tendo por base o diálogo e o respeito pelas partes envolvidas, o presidente da autarquia, João Paulo Baltazar, conseguiu, em poucos meses, resolver alguns problemas que duravam há muitos anos. Referimo-nos concretamente aos casos relacionados com os campos de jogos do Clube Desportivo de Sobrado, do

Sporting Clube de Campo e do Ermesinde Sport Clube. Os interlocutores encontraram no presidente da Câmara Municipal a confiança necessária para prosseguir e encontrar a solução procurada por todas as partes. No caso de Sobrado, a situação arrastava-se pelos tribunais

e o diálogo tornava-se já numa missão impossível. Retirada a carga emotiva foi possível promover uma reconciliação e passar a propriedade do terreno para o domínio público. A recuperação de confiança foi também o segredo para resolver o eterno problema do Sporting Clube de Campo. Em 2001


Homenagem aos nossos campeões

celho hor

houve um acordo entre os proprietários e o clube que, entretanto, não foi cumprido. Volvidos anos de tentativas e promessas de solução, João Paulo Baltazar conseguiu a assinatura de um protocolo entre a Câmara Municipal, os herdeiros e o Sporting Clube de Campo que garante o fecho do dossiê sa-

tisfazendo as duas partes. Finalmente, o caso da propriedade do Estádio dos Sonhos, em Ermesinde, está prestes a ser resolvido. O Estádio dos Sonhos passará a Estádio Municipal, permitindo que os jovens de Ermesinde possam desenvolver a prática desportiva com a dignidade que merecem.

A Câmara Municipal homenageou, no final do ano passado, cerca de 40 atletas/instituições que na época 2011/2012 se destacaram nas mais diversas modalidades desportivas. Para além deste reconhecimento público, o presidente da Câmara Municipal assinou os Contratos-Programa de Desenvolvimento Desportivo com 16 coletividades do concelho de Valongo que promovem a formação desportiva, num investimento total que ronda os 145 mil euros e o apoio a 2200 atletas. Um investimento para o futuro desportivo do concelho. Também no Desporto as pessoas estão em primeiro! Fruto da inegável aposta na formação desportiva, seja pela autarquia ou pelos clubes/associações, as conquistas individuais e coletivas sucedem-se e o reconhecimento público impõe-se. Assim, está já prevista uma nova cerimónia de homenagem que terá lugar em setembro próximo e que voltará a envolver muitos atletas e instituições do concelho de Valongo.


1/13

6/03/13

12

RECORTES

Público Edição Digital - Edição Público Porto - 17 Jan 2013 - Page #12

Jornal de Noticias e-paper - Jornal de Notícias - 28 Fev 2013 - Page #16


DE IMPRENSA

08/04/13

24/05/13

Jornal de Noticias e-paper - Jornal de Notícias - 28 Mar 2013 - Page #19

Jornal de Noticias e-paper - Jornal de Notícias - 24 Mai 2013 - Page #18

04/06/13

Público Edição Digital - Edição Público Porto - 31 Mai 2013 - Page #20


14

EDUCAÇÃO

Apostar num futuro melhor


A inauguração do Centro Escolar de Mirante de Sonhos, em Ermesinde, foi o culminar de um forte investimento da Câmara Municipal de Valongo na construção e requalificação do parque escolar de todo o concelho. O investimento na Educação permitiu, por exemplo, proporcionar a todas as crianças a chamada escola a tempo inteiro, ou seja, sem desdo-

bramento de horários. Criados os equipamentos, é fundamental continuar a investir no apoio às nossas crianças. Nesse sentido, o objetivo do presidente da Câmara, João Paulo Baltazar, é reforçar o apoio ao nível dos livros escolares e material junto dos alunos do primeiro ciclo do ensino básico.

Apesar de não ser uma competência da autarquia mas sim do Governo, a Câmara Municipal de Valongo tem lutado de todas as formas possíveis para conseguir que as escolas básicas 2,3 e secundárias do concelho sejam alvo de uma intervenção que permita fazer face aos graves problemas que afetam algumas delas.


16

CRIAÇÃO DE EMPREGO EM VALONGO

A criação de emprego no concelho para os munícipes de Valongo é uma das prioridades estabelecidas por João Paulo Baltazar. É um caminho que está, e continuará, a ser prosseguido com passos seguros e com resultados positivos. Depois da instalação de novas empresas na Zona Industrial de Campo e a criação de novos postos de trabalho, foi assinado recentemente o protocolo de cooperação com a empresa holandesa EDC Internacional que permitirá a criação, a curto prazo, de 100 novos postos

DO SONHO À REALIDADE de trabalho. Trata-se de um investimento que ronda os 10 milhões de euros, a concretizar até Julho de 2015, e que deverá criar, no total, até 800 postos de trabalho. O edifício Faria Sampaio, construído há oito anos e ainda sem utilização, será a sede da empresa que escolheu o concelho de Valongo para alicerçar o seu projeto de internacionalização. A excelente rede de acessibilidades existente que confere a Valongo características de atratividade competitiva únicas, aliado à existência de um edifício

com as dimensões procuradas pelo investidor, foram dois dos fatores que se revelaram favoráveis ao acordo alcançado. O presidente da Câmara Municipal de Valongo, João Paulo Baltazar, não deixou fugir a oportunidade para os concelhos vzinhos e disponibilizou esta oferta à procura expressa pela EDC Internacional. Atualmente, João Paulo Baltazar tem em mãos dossiês que em breve poderão significar a criação de mais emprego no concelho. As oportunidades não serão desperdiçadas.


0.

0.

36

%

Por proposta do presidente João Paulo Baltazar, o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) fixou-se em 0,36%, valor muito inferior ao dos municípios vizinhos. Assim, os munícipes do nosso concelho pagam um IMI dos mais baixos do País e o segundo mais baixo da Área Metropolitana do Porto. Esta é mais uma forma de apoiar as pessoas e a economia local.

48

%

V. N. GAIA

VALONGO

PÓVOA DO VARZIM

% 30 0.

0.

40

%

PORTO

MATOSINHOS

% 40 0.

0.

40

%

MAIA

GONDOMAR

% 40

VALOR DA TAXA DE IMI APLICADA EM 2013

PAREDES

Saneamento das mais

LOUSADA

Água, Lixo e

PENAFIEL

Taxas de

VALONGO

PAÇOS DE FERREIRA

FONTE: JORNAL DE NOTÍCIAS

baixas do

9€ ,5 25

0€ ,1 24

7€ ,4 21

2€ ,2 33

,7

A Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos produziu um relatório onde se mostra que valor médio pago pelos habitantes do Distrito do Porto de taxas de água, lixo e saneamento é de 28,73€ mês. Contudo, esta média no Concelho de Valongo é de 21,47€.

3€

Distrito

28

0.

IMI em Valongo

PREÇO MÉDIO MENSAL ÁGUA + SANEAMENTO + LIXO (PARA UM CONSUMO 10M3/mês) FONTE: JORNAL VERDADEIRO OLHAR


18

VALONGO TERRA DE TRADIÇÕES

Bugiada a Património Mundial A proteção das Bugiadas e Moriscadas é um desígnio que João Paulo Baltazar tem perseguido desde que assumiu a pasta da Cultura. Ciente da unicidade da festa do S. João de Sobrado e da importância de mostrar ao Mundo uma das grandes criações do Homem, o presidente da Câmara Municipal de Valongo de tudo tem feito para preservar a festa e potenciar o seu reconhecimento patrimonial e internacional. Depois de ter sido aprovado por unanimidade a sua proposta de classificar a Bugiada como Património Imaterial de Interesse Municipal, seguiram-se os esforços para candidatar a festa a Património Cultural Imaterial da Unesco. Pelo caminho ficou também o registo da marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, em nome da Casa do Bugio, e a integração na Rede da Máscara Ibérica. João Paulo Baltazar pretende ainda, e depois de

concluídas as obras da Casa das Artes de Sobrado, transformar o atual Centro Cultural num museu vivo das Bugiadas e Mouriscadas. A festa deste ano foi especial pois assinalou o arranque do processo de candidatura à lista representativa do Património Cultural Imaterial da Unesco. Firmado o compromisso de apoio pela Câmara Municipal de Valongo, Junta de Freguesia, Casa do Bugio, e Turismo do Porto e Norte, com a presença do secretário de Estado da Cultura, será agora realizado um filme institucional e escolhidas algumas fotos que farão parte do dossiê de candidatura. Segue-se um processo complexo para qual é fundamental o contributo da comunidade, até pela transmissão de testemunhos que demonstrem a vivacidade de “um dos mais notáveis rituais que sobrevivem na Europa moderna”.

Tal como no final da festa de S. João de Sobrado os bugios, já na posse da imagem milagreira de S. João, gritam “Ela é nossa!”, também os sobradenses e todos os valonguenses poderão em breve gritar orgulhosamente ao Mundo: “Ela [festa] é nossa!!”.


www.candidaturadabugiadaemouriscada.com

NA IGREJA OU EM COLETIVIDADES DESPORTIVAS E/OU CULTURAIS, JOÃO PAULO BALTAZAR TEVE SEMPRE UM PAPEL ATIVO NO CRESCIMENTO DO “SEU” CONCELHO.


20

CULTURA

A CULTURA QUE SE FAZ EM VALONGO

A Câmara tem estabelecido protocolos culturais para promover iniciativas de qualidade que passam pela dança, teatro, música, folclore, magia, entre outros. As associações concelhias têm vindo a assumir um papel cada vez mais preponderante nas programações culturais anuais, assumindo-se como um dos principais parceiros do Município, organizando eventos de qualidade e cada vez mais abrangentes, permitindo a definição de uma planifica-

ção cultural diversificada. A Mostra de Teatro Amador é um magnífico exemplo da parceria estabelecida. A Câmara dispõe de uma agenda cultural diversificada e constante ao longo de todo o ano que vai além dos espetáculos produzidos pelas associações concelhias. “Os escritores visitam a Biblioteca” é uma iniciativa que tem trazido a Valongo uma série de excelentes autores. Por cá já passaram escritores como Marcelo Revelo de Sousa, Mário Cláu-

dio, José Carlos Moutinho, Lídia Jorge, Richard Zimler e Vasco Graça Moura, entre muitos outros. Da agenda cultural fazem ainda parte iniciativas como o Entrelousas, que une a tradição da ardósia à cultura. Depois do sucesso de ano passado o Entrelousas regressa a campo entre os dias 9 e 11 de agosto. Num ambiente natural único, atividades como teatro, música, folclore e espetáculos multimédia, farão companhia à mostra gastronómica e as artesãos que trabalharão a ardósia ao vivo. Aproveitando as inúmeras marcas que caracterizam o concelho de Valongo, a a Câmara Municipal de Valongo, por proposta de João Paulo Baltazar, promoveu recentemente a primeira edição da Feira do Pão e do Biscoito. Foram cinco dias de grande atividade em que foi possível perceber um pouco o porquê


da regueifa e dos biscoitos de Valongo serem produtos reconhecidos como imagens de marca do concelho. E porque o verão é propício às mais diversas manifestações culturais, destaque ainda para a Festa do Emigrante, em Sobrado, o Enfesta - Animação de Rua, em Alfena, a Semana das Coletividades, em Campo, o Festival da Francesinha, em Valongo, e a Expoval, em Ermesinde.


22

AÇÃO SOCIAL

Câmara Apoia os que Mais Precisam O apoio social é uma das prioridades do Executivo liderado por João Paulo Baltazar. No terreno está, há quatro anos, o Programa de Emergência Alimentar que fornece refeições diárias a famílias carenciadas. Foi também criada a primeira Loja Social do concelho, num modelo que apoia os agregados sinalizados pelos serviços técnicos da Ação Social. O presidente da Câmara Municipal decidiu dar um passo à frente e criar uma plataforma social para o concelho que fará não só a gestão de informação, mas a gestão de meios da rede concelhia

de apoio social. A partilha de meios é o grande objetivo, diminuindo o risco de dar a quem não precisa ou de vários contemplarem o mesmo. Para isso vai ser criada uma Loja Social na freguesia de Valongo que envolve entidades como a Igreja, a Junta de Freguesia, a Câmara Municipal e todas as instituições particulares de solidariedade social (IPSS). Nesta Loja Social serão disponibilizados bens alimentares, vestuário, mobiliário e eletrodomésticos. O projeto-piloto será alargado posteriormente a todas as freguesias. A aposta no apoio social passa também por mudanças no modelo de fornecimento de refeições no âmbito do Programa de Emergência Alimentar, mas também nas escolas

do 1º ciclo. Terminado o contrato de fornecimento de refeições por uma empresa privada, a autarquia decidiu envolver as IPSS’s na confeção e elaboração dessas refeições. Um novo modelo que permite a criação de emprego, direta e indiretamente, no concelho. Mais qualidade e zero desperdício é o objetivo.

JOÃO PAULO BALTAZAR FOI ATLETA FEDERADO DE HÓQUEI EM PATINS NA ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE VALONGO.


Programa de ação sénior Há três anos foi criado o Programa de Ação Sénior, uma iniciativa que tem dinamizado um vasto conjunto de atividades (físicas, culturais e recreativas) junto da população sénior do concelho e que tem permitido combater um grave problema que afeta esta população: a solidão.


INFOMAIL

AS PESSOAS DE ALFENA, CAMPO, ERMESINDE, SOBRADO E VALONGO SABEM QUE PODEM CONTAR COMIGO. JUNTOS VAMOS CONSEGUIR!

JOテグ PAULO BALTAZAR

A Vitória de Todos - João Paulo Baltazar  

Revista : - Biografia - 1 ano de mandato

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you