Page 24

ECONOMIA ECONOMY

DÓLAR CONTRA A RAPA

T

io Isaque: Alô? Fabinho? Um dia desses escutei que não foi o Real que ganhou do Dólar, mas o Dólar que perdeu de todas as moedas. Faz algum sentido? Eu: É verdade, sim, que para entender como evolui a taxa de câmbio Real-Dólar é útil entender quais os movimentos que se relacionam com o mundo como um todo, além dos movimentos que se dão exclusivamente em função de virtudes ou problemas brasileiros. Nesse primeiro trimestre, quatro fatores mundiais fizeram o Dólar perder de todas as moedas do mundo. Tio Isaque: Você vai me enrolar ou vai me dizer quais são esses fatores? Eu: Primeiro, a política monetária nos Estados Unidos. Ao contrário do que se pensava no começo do ano, o Banco Central americano decidiu postergar a elevação da taxa de juros. Quando eles sobem os juros, fica mais atrativo ter riqueza alocada ao Dólar, que se remunera nesses juros. Como eles adiaram a subida de juros, caiu a demanda por Dólar. Segundo, a política monetária na Europa. Ao contrário do que se pensava, o Banco Central europeu decidiu não reduzir ainda mais a taxa de juros. O Banco Central está optando por outros tipos de política monetária para estimular a economia. Com os juros europeus não tão baixos, o Euro não fica tão ruim assim para se alocar a riqueza. Com isso, o fluxo de recursos que ia ser direcionado para o Dólar deixou de ocorrer. Terceiro, a China. Havia muito investidor internacional que temia que a economia da China ia colapsar esse ano e, prevendo uma crise mundial, queria que seus recursos ficassem num porto seguro. O Dólar continua cumprindo esse papel de ser um dos lugares mais seguros para ter sua poupança. Como os dados recentemente divulgados sobre a economia da China indicam que tudo está normal, esse medo de crise recrudesceu. Com isso, a fuga para o Dólar perdeu importância. Quarto, o petróleo. Quando essa e outras commodities ficam mais baratas, um dos países mais beneficiados são os EUA. A queda do preço do petróleo, que vinha fortalecendo o Dólar nos últimos dois anos, parou de ocorrer. Tio Isaque: Você está enrolando. Eu não quero saber do passado. Eu: Na minha opinião, três dos fatores não vão se alterar. Juros europeus, economia da China e petróleo vão continuar atuando contra o Dólar, mas acredito que o mercado já incorporou esses fatores aos preços. Já o primeiro fator, a política monetária americana, vai mudar. No segundo semestre, a inflação nos EUA fará o Banco Central acelerar a elevação dos juros, o que vai fortalecer o Dólar com relação a todas as moedas do mundo. Tio Isaque: Então é para eu vender Real e comprar Dólar, certo? Eu: Isso depende também do que o senhor acha que vai acontecer com o Brasil.

24 · MAI.16

AVIANCA EM REVISTA

quatro fatores mundiais fizeram o Dólar perder de todas as moedas do mundo

Fabio Kanczuk é engenheiro pelo ITA, PhD em Economia pela UCLA com pós-doutorado em Harvard, além de professor titular do departamento de Economia da USP

kanczuk@gmail.com

UNCLE ISAAC: Hello? Fabinho? I heard the other day that the Real hadn’t gained value against the Dollar, but that the Dollar has lost value against all currencies. Does that make sense? Me: Yes, yes, to understand how the Real-Dollar exchange rate has evolved, it’s useful to understand movement as it relates to the world as a whole, beyond movement that’s exclusively due to Brazilian virtues or problems. In this first quarter, four global factors caused the Dollar to lose value against all world currencies. Uncle Isaac: Are you going to beat around the bush or tell me what these factors are? Me: The first factor is the monetary policy of the United States. Contrary to what was expected at the beginning of the year, the U.S. Federal Reserve decided to postpone raising the interest rate. When they raise the interest rate, it attracts investments in dollars, which accrue that interest. Because they postponed increasing interest rates, the demand for the Dollar dropped. The second factor: European monetary policy. Contrary to what was expected, the European Central Bank decided not to further reduce the interest rate. The Central Bank has opted for other types of monetary policy to stimulate the economy. With the European interest rate being a bit higher, the Euro is not such a bad choice for investments. Thus, the flow of resources that would be directed to the Dollar ceased. The third factor is China. There were many international investors who feared that China’s economy would collapse this year and, predicting a global crisis, wanted their resources to remain in a safe place. The Dollar continues to fulfill this role as being one of the safest places to put your savings. Since recently released data on China’s economy indicate that everything is normal, this fear of crisis intensified. Thus, the flight to the Dollar lost importance. And the fourth factor is oil. When this and other commodities are cheaper, one of the countries most benefitting is the United States. The fall in oil prices, which had been strengthening the Dollar during the past two years, has stopped. Uncle Isaac: You're stalling. I don’t want to hear about the past. Me: In my opinion, three of the factors will not change. European interest rates, China’s economy, and oil will continue to act against the Dollar, but I believe the market has already incorporated these factors in its prices. Soon the first factor, U.S. monetary policy, will change. In the second quarter, inflation in the U.S. will make the Federal Reserve raise interest rates, which will strengthen the Dollar in relation to all world currencies. Uncle Isaac: So I should sell my Reals and buy Dollars, right? Me: It also depends on what you think will happen in Brazil.

Fabio Kanczuk has an engineering degree from ITA, a PhD in Economics from UCLA with a post-doc degree from Harvard, as well as being a senior professor in the Economics department at USP AVIANCA.COM.BR

ILUSTRAÇÃO: SHUTTERSTOCK

The Dollar Versus the Teetotum

#70 - Avianca Em Revista  

A semana de moda mais importante acontecia em Paris quando a blogueira recifense Camila Coutinho nos encontrou às margens do Rio Sena para f...

#70 - Avianca Em Revista  

A semana de moda mais importante acontecia em Paris quando a blogueira recifense Camila Coutinho nos encontrou às margens do Rio Sena para f...