Page 1

casa

TUDO EM

UM SÓ LUGAR Arquitetura: reduzindo custos e aumentando o seu bem-estar

ESTILOS DE DECORAÇÃO

FABULIST

Clássico, Rústico, Moderno e Contemporâneo. Qual é o seu?

Selecionamos o que não pode faltar na sua lista de desejos


EXPEDIENTE A equipe por trás e à frente de tudo isto SAIBA QUEM SÃO OS PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM PARA AJUDAR VOCÊ A VIVER MELHOR

U

ma obra, seja construção ou reforma, resulta da soma de esforços de muitas mãos, várias ideias, diversas aptidões. Requer inspiração e transpiração. Nesta edição, apresentamos um breve perfil de quem se dedica com profissionalismo – e paixão! – para que você possa usufruir do espaço com o qual tanto sonhou.

MAYCON DOUGLAS COSTA - Formado em Arquitetura e Urbanismo pela PUC Minas, foi indicado pela instituição ao prêmio Ópera Prima em 2012.

CASA MODELO

JULIANO DA COSTA LIMA Engenheiro civil formado pela Faculdade de Engenharia de Passos (UEMG) desde 2002, atua na construção civil, projetos e execuções de obras residenciais e comerciais.

FRANCINE SILVÉRIO DE OLIVEIRA – Formada em Design de Interiores pelo Centro Universitário Barão de Mauá Ribeirão Preto (SP), possui capacitação em Planejamento de Áreas Verdes e Jardins pela mesma instituição.


A

revista Casa Modelo está de volta e, nesta terceira edição, totalmente repaginada e recheada de novidades! Consolidada, com novos parceiros, ela conta com uma equipe de profissionais dedicados a trazer orientações e conteúdo exclusivo para você! Nesta edição, escolhemos como tema a Arquitetura. Com matérias exclusivas, trazemos os mais recentes trabalhos produzidos pela empresa E&E Design neste seguimento, além de dicas sobre Design de Interiores e Decoração, que andam de mãos dadas com qualquer projeto arquitetônico. A revista traz ainda um guia de empresas, prestadores de serviços e lojas especializadas que vão ajudar você a viver ainda melhor! Aproveite as sugestões, descubra curiosidades e faça desta publicação uma aliada na hora de construir ou reformar, pois o próximo sonho a ser realizado pode ser o seu. Bem-vindo à Casa Modelo 3. Enjoy! Jouir ! Desfrute! E até a próxima... Eder Martins & Edivan Lopes diretores criativos da E&E Design

casa

EDITORIAL

AV. DA MODA - PASSOS/MG

Expediente: Direção e Criação: Eder Martins e Edivan Lopes

Consultoria de Marketing: Vinícius Fiacadori

Diagramação: filipe andrade -

Agência PPDesigner AnÚncios : RENAN MORAIS Edição: Lívia Ferreira Fotos: Wesley Leno - Humberto Saller Thales Mion - Acervo Impressão: Gráfica São Sebastião Textos: Francine Silvério e Maycon Costa

Notas: A autoria da E&E Design nos projetos mostrados nas fotos da matéria “O poder da arquitetura de interiores” se refere à arquitetura de interiores e/ou design de interiores. O conteúdo e as opniões expressos nos anúncios são de inteira responsabilidade dos anunciantes.

CASA MODELO


M

uito se discute em relação aos estilos arquitetônicos, que são inúmeros. Um agrupamento de construções e elementos com características semelhantes já é suficiente para ser rotulado como “isso” ou “aquilo”. Porém, esta mera classificação cultural acaba tendo um grande efeito positivo de ordenação e perdura até hoje. Apesar da polêmica que o assunto gera, é quase necessário que cada obra se enquadre em um estilo pois, do contrário, fica órfã e perde o valor. Existem estilos de ser de cada pessoa que são externados por meio das vestes, dos objetos e – porque não? – da sua casa. Dentre muitos estilos arquitetônicos, vamos considerar alguns grupos. ARQUITETURA ANTIGA PRÉ-CLÁSSICA As pirâmides do Egito, as ruínas dos templos babilônicos e persas são alguns exemplos. ARQUITETURA CLÁSSICA Templos gregos e romanos, com a presença das colunas dóricas, jônicas e coríntias ou toscanas e compostas, os frontões, os arcos e as abóbodas. ARQUITETURA MEDIEVAL OU PÓS-CLÁSSICA As basílicas bizantinas, as igrejas góticas, o King’s College Chapel (Cambridge). ARQUITETURA PRÉ-MODERNA Vai desde o excesso de ornamentos e cores do barroco e do rococó às releituras dos estilos fortes como, por exemplo, neoclássico e neogótico. No Brasil podemos


destacar também a arquitetura colonial dos casarões e das casas de engenho, que tem forte influência até hoje em construções com aspectos mais rústicos. ARQUITETURA MODERNA Tem início no art nouveau, com as lindas coberturas das entradas dos metrôs de Paris, até a limpeza do ornamento, o uso de plantas livres, grandes aberturas horizontais e as lajes planas. ARQUITETURA CONTEMPORÂNEA OU PÓS-MODERNA Mais do que construções, quebrou paradigmas formais e conceituais, em contraponto à arquitetura universal moderna e, acima de tudo, na aplicação dos materiais e das novas tecnologias. Pode-se dizer que hoje, mesmo com o aflorado ecletismo e a versatilidade dos estilos, alguns acabam por se destacar e influenciar as atuais construções. A exuberância, o conforto, a beleza e a elegância da arquitetura clássica têm grande aceitação. A praticidade, a funcionalidade, a sofisticação sóbria e o caráter discreto da arquitetura moderna acabam sendo uma opção bem aceita pelos clientes. A intimidade, o aconchego e o desprendimento da arquitetura colonial rústica são destaque em certas edificações.

Apesar da polêmica que o assunto gera, é quase necessário que cada obra se enquadre em um estilo pois, do contrário, fica órfã e perde o valor

E por fim a tecnologia, a ousadia e o dinamismo da arquitetura contemporânea têm conquistado adeptos também.


ARQUITETURA

Tudo em um só lugar A importância de uma equipe integrada na elaboração da reforma ou construção

Um projeto bem feito, que minimize falhas, requer profissionais de várias vertentes e que trabalhem em sintonia

CASA MODELO

A

era da informação, a oferta abundante de bens de consumo e produtos e a facilidade de se comunicar imprimiu à vida cotidiana a necessidade de estar cada vez mais conectado. Isto se traduz, inclusive, na hora de contratar um serviço como reforma ou construção: as pessoas estão em busca de projetos coerentes, que conversem uns com os outros – uma reprodução do que acontece no dia a dia, em que cada minuto é precioso e precisa ser bem aproveitado. Muitos clientes, ao procurar um profissional e encomendar um serviço de reforma ou construção, mesmo antes de a obra terminar, já estão preocupados com a cor da cortina da casa. Se o imóvel for comercial, as preocupações vão além: é comum os empresários buscarem, no momento da contratação do serviço, alguém que tome conta da reforma ou construção, ela-

bore, desenhe e planeje os móveis, que decore e assuma a tarefa de mobiliar sua loja de maneira rápida e eficiente. E mais: que crie uma identidade visual, um design gráfico comercial, pois é notório que uma obra bem feita e com um belo aspecto visual é o maior cartão de visita do empreendimento e impulsiona as vendas. Um projeto bem feito, que minimize falhas, requer profissionais de várias vertentes e que trabalhem em sintonia. Um arquiteto que elabora o projeto de sua edificação e/ou reforma e mantém contato com o design de interiores, designer gráfico e decorador tem mais chances de pautar seu projeto, desenvolvendo as demais etapas com coerência. Por sua vez, o designer de interiores trabalha os móveis planejados de forma a garantir o máximo de funcionalidade e praticidade, que serão essenciais no dia


a dia de uma casa – e mais fundamentais ainda no caso de uma loja, onde a disposição dos móveis pode garantir conforto e estimular o consumo. Isto reflete também sobre o trabalho do designer gráfico: coma definição de uma linguagem para seguir, ele pode destacar pontos fortes e impulsionar até mesmo as campanhas publicitárias. A ideia “tudo em um só lugar” não está presente apenas em empresas de projeto, mas em todo empreendimento. A empresa de confecção Kímika acatou esta proposta, encomendando um projeto “com tudo junto” para um edifício completo. O objetivo foi centralizar e harmonizar, em um único edifício, o atacado, o varejo e o marketing. Dentro deste conceito, o projeto da edificação, as divisões espaciais e a plástica da fachada foram feitas para contemplar a loja, a revenda, a propaganda e a moda, sem abrir mão do estilo que é a marca registrada da Kímika. Uma parceria entre empresa e escritório, profissionais e cliente, arquitetura e moda.


ARQUITETURA

DE DR. FRANKENSTEIN A CIRURGIÃO PLÁSTICO - O PAPEL DO ARQUITETO Uma casa produzida em série pode se tornar uma obra única, com a cara do dono e sem o aspecto de remendo

I

felizmente, quando se comenta sobre habitação popular, o que vem à cabeça é o estereótipo de casas pequenas, umas ao lado das outras, de telhado duas águas – uma moradia que deixa a desejar.

Diferentes tipos de materiais em uma construção pequena são o principal causador do efeito Frankenstein

CASA MODELO

Inúmeros arquitetos criticam este tipo de “produção em série”. Muitas vezes os projetos são feitos à distância, desconsiderando o perfil do morador e desprezando as aspirações dele para a edificação que será o seu lar. O lado positivo desse sistema é, além de proporcionar um teto para muitas pessoas, permitir que essas habitações sofram modificações e/ou personalizações posteriormente, deixando cada vez mais a casa ao agrado do morador. Porém, na maioria das vezes, estas modificações são feitas sem acompanhamento de um profissional e o resultado acaba tendo um aspecto Frankenstein. A casa fica com os chamados “puxadinhos” aqui e ali, deixando nítido que o imóvel foi reformando por partes. Muitas vezes começa-se utilizando um revestimento no piso. Mas tarde, quando o morador decide fazer um “upgrade” no imóvel, não tem mais o mesmo piso disponível e acaba utilizando outro. Di-

ferentes tipos de materiais em uma construção pequena são o principal causador do efeito Frankenstein. Com a ajuda de um profissional habilitado, você consegue dar um ar personalizado à sua casa sem que ela fique com cara de “remendada”. Arquitetos, por exemplo, têm a capacidade de elaborar um projeto que, mesmo feito por partes, terá um aspecto uniforme ao final de toda a obra - sem contar a qualidade ambiental e o conforto. As dores de cabeça para o cliente também diminuem muito: com um projeto em mãos, ou até mesmo durante a sua elaboração, é possível se antecipar e identificar interferências que a reforma irá acarretar. Assim, pode-se buscar solução antes mesmo que elas ocorram, economizando tempo e dinheiro. Em casos mais extremos, a casa popular pode ser transformada por completo, utilizando-se a sua configuração espacial e seu embrião, porém repaginando a fachada, acrescentando garagem e área de lazer. Desta forma a casa fica confortável, funcional, personalizada, de modo a atender seus desejos e, acima de tudo, muito bonita, longe do estereótipo de habitação produzida em série.


ARQUITETURA

PROJETO ARQUITETÔNICO: INVESTIMENTO EM ALTA O planejamento evita o “faz e desmancha” e diminui o gasto de tempo, material e dinheiro

É

natural que construir ou reformar traga o receio de que será necessário desembolsar altos valores. Tempos atrás, a busca por um projeto remetia a dois atributos: uma ideia bonita e seu baixo preço para se tornar realidade. Porém, com a busca por qualidade de vida, as pessoas procuram cada vez mais projetos bem feitos, que agreguem não somente beleza, mas também funcionalidade, praticidade, facilidade de execução, prazos e propostas mais econômicas para a construção e/ou reforma. O determinante não é mais o preço do projeto, mas da obra como um todo. Por exemplo: um projeto que custou R$ 1.000,00 e que gerou gasto de R$ 100.000,00 na obra sai mais caro que um projeto em que foram cobrados R$ 3.000,00 e investidos R$ 90.000,00 na construção. Um bom projeto com o preço justo é um ótimo investimento, pois leva em conta fatores como viabilidade técnica e financeira em todas as etapas da construção, minimizando o “faz e desmancha” e, como consequência, diminuindo o gasto de tempo, material e dinheiro. A simples troca do material de um telhado, considerando detalhes para se

manter o conforto térmico, acaba por pagar o projeto com a economia gerada. O uso de laje, madeiramento, telhas de cimento e mão de obra especializada para execução do telhado acaba saindo mais caro que o sistema de laje, madeiramento reduzido, telhas de fibrocimento e platibanda, aumentando o pé direito dos ambientes para garantir o mesmo conforto térmico que o outro telhado garantiria. Outra característica de um bom projeto é a capacidade de identificar o estilo de cada cliente e transpor essa personalidade para a edificação de maneira coerente, oferecendo beleza e plástica, mais por meio da criatividade que do luxo apenas. Um bom exemplo é um projeto desenvolvido para uma família totalmente contemporânea, atualizada e adaptada ao estilo de vida fragmentado e dinâmico do mundo de hoje. Em um projeto criativo, foi possível transpor este estilo de vida para a residência. A fachada, por exemplo, teve a concepção do muro tradicional desconstruída. A idéia de solidez, de uniformidade, foi substituída pelo dinamismo e a plástica informal, pela descontinuidade e pelos vazios - isso tudo sem perder a segurança e a função de vedação.Enfim, um bom projeto é o melhor custo benefício para a realização de seu sonho.

O determinante não é mais o preço do projeto, mas da obra como um todo

CASA MODELO


ARQUITETURA

3D REVOLUCIONÁRIO Software ajuda a evitar os desperdícios na obra, atingindo até 5% de economia

D

esde o Renascimento, o desenho bidimensional foi escolhido como maior ferramenta de projeto e representações. Hoje em dia ele continua sendo o maior contribuinte para as representações, porém, o projeto ganhou mais uma dimensão, garantindo uma mudança na forma de interagir e produzir.

A criação de um banco de dados da obra é, sem dúvida, o maior atributo da modelagem 3D, que oferece inúmeras perspectivas de visualizações do projeto

CASA MODELO

A substituição de tradicionais softwares na plataforma CAD (Computer Aided Design) está a pleno vapor. Pode-se dizer que os profissionais que demorarem a migrar para os projetos 3D e até mesmo para programas que trabalham na plataforma BIM (Building Information Modeling) estarão desatualizados. Isto é tão importante que muitos chegam a comparar essa mudança como a troca da máquina de escrever pelo computador. No sistema CAD o usuário representa e projeta em 2D e agrega informações ao seu projeto por meio de linhas de chamada. A visualização do projeto fica um pouco limitada por parte de quem projeta e mais ainda para o cliente. Embora a modelagem 3D ofereça inúmeras perspectivas de visualizações do projeto, a criação de um banco de dados da obra é, sem dúvida, o seu maior atributo. A partir deste banco de dados

é possível extrair quantitativos, listagem de insumos, sem contar as interferências que se consegue antever, evitando desperdícios na obra e atingindo até 5% de economia. Assim, a modelagem 3D não pode ser usada apenas como mera forma de apresentação, pois a riqueza de recursos desta plataforma vai muito além da estética e da visualização. O cliente fica frustrado ao constatar que a obra não corresponde ao que havia sido projetado. Se bem usada, a modelagem 3D evita estas decepções. Por fim, uma dica aos arquitetos e demais profissionais da construção: invistam nessa nova tecnologia. E clientes: exijam cada vez mais projetos melhores.


ARQUITETURA

A BELEZA DA PAISAGEM O entorno de uma obra pode ser determinante para o início de um projeto arquitetônico

P

rojetos arquitetônicos têm de ser únicos e exclusivos para cada cliente e, acima de tudo, para cada lugar.Por isso, muito se critica a venda de projetos pela internet. Além dos preços extremamente baixos e da concorrência desleal, esses projetos comprados na rede estão muito distante das reais necessidades do local e do cliente. Fora estas necessidades, os bons projetos levam em conta inúmeras condicionantes do lugar, que podem ser legais, físico-espaciais e paisagísticas. Desta última pode-se tirar um excelente proveito - muitas vezes o ponto de partida dos projetos arquitetônicos provém do entorno. Na configuração espacial procura-se voltar todas as áreas mais nobres para a fachada com a vista mais privilegiada. A paisagem inspira transformações consideráveis, que leva casa de pecadores a se tornarem mansões do lazer. O lago de Furnas, conhecido como “Mar de Minas”, foi uma excelente inspiração para projetos de edificações em seu entorno. Um exemplo concreto desta experiência foi a reforma de um rancho à beira do lago de Furnas que tinha configuração espacial comum a edificações urbanas: parte social à frente do terreno, voltada para

a entrada e, na parte privada, os quartos ao fundo. Ocorre que o rancho tinha a vista justamente para o lago. Após a reforma e ampliação, esta edificação passou a ter os quartos voltados para a entrada, na frente do terreno, e toda a área social e de lazer, até então inexistente, foi voltada para a paisagem do lago de Furnas. Grandes aberturas foram criadas nos cômodos, de forma que estes também ficassem voltados para o lago. A planta livre uniu três ambientes da nova construção por meio da arquitetura moderna.

O lago de Furnas, conhecido como “Mar de Minas”, foi uma excelente inspiração para projetos de edificações em seu entorno

CASA MODELO


ARQUITETURA

ÊXODO RURAL Da interação entre a elite das metrópoles e os colonos surgiu o famoso estilo colonial de decorar

N

Para atender aos anseios dos nobres, as construções tiveram de ser adaptadas às condições disponíveis na colônia

CASA MODELO

a época das expansões marítimas, os países exploradores, em sua maioria europeus, possuíam varias colônias. Estas não eram tão desenvolvidas quanto as cidades do império e tinham seus habitantes nativos. Da mistura entre a colônia e o império surgiu um estilo peculiar, o colonial. Pode-se dizer que este estilo teve início com a chegada dos representantes das metrópoles, imigrantes da elite social e até mesmo da elite local que queriam trazer a sofisticação e o conforto das cidades do império para suas casas na colônia. Para atender aos anseios dos nobres, as construções em especial tiveram de ser adaptadas aos materiais disponíveis no local, à mão de obra não especializada, ao uso da terra nas obras, à redução dos ornamentos e à diferença de acabamentos - em certos casos, tendo aspecto puramente rústico, o que acarretou um ar mais aconchegante e desprendido, muito visto em casas-grandes e casas de engenho na época. Este aconchego perdura até hoje, juntamente com o charme e a sofisticação rústica, tornando o estilo bem aceito. Uma construção inspirada no rústico

apresenta também alguns elementos que contribuem ainda mais para sua beleza e bem-estar: grandes cômodos, janelões que agregam conforto térmico, o uso abundante da madeira, que oferece absorção acústica, as paredes mais espessas, contribuindo no conforto, tanto acústico quanto térmico, e a robustez dessas edificações. Por estes e outros fatores o Sindicato Rural de Passos (Sinrural), no projeto de sua nova sede, aceitou a proposta de trazer esse ar da “roça” para cidade.


INTERIORES

O PODER DA ARQUITETURA DE INTERIORES Ela transforma, otimiza, personaliza os ambientes

F

alar de arquitetura de interiores sem antes falar de arquitetura é praticamente impossível, pois os arquitetos levam sempre em consideração as dinâmicas espaciais dos espaços projetados. No projeto da edificação, os ambientes são dimensionados de acordo com os usos e necessidades de cada cliente. A arquitetura de interiores, de um modo geral, se resume ao aproveitamento máximo dos espaços internos, tendo como objetivos a beleza e a harmonia entre os elementos, conforto e funcionalidade para os usuários. Em alguns casos podem ocorrer até mudanças físicas na configuração espacial projetada inicialmente, seja para melhoria do ambiente interno ou mesmo uma adequação ao projeto de interiores proposto. Em geral, um projeto de interiores engloba a escolha do mobiliário adequado para cada ambiente com a possibilidade de um desenho exclusivo de acordo com a necessidade do cliente, estudo de cores para destacar paredes, ampliar pequenos espaços, alegrar ambientes infantis.

1

A iluminação e paginação de forros são capazes de criar cenários e configurar os ambientes com a quantidade certa de luz para cada atividade desenvolvida. A escolha de revestimentos é sempre uma tarefa complicada para o cliente, pois existe no mercado uma variedade muito grande desses produtos. O arquiteto tira proveito desta variedade e de inúmeras combinações, tornando cada espaço único. Os banheiros e as cozinhas são um bom exemplo para ilustrar o poder que a arquitetura de interiores tem sobre os ambientes.

1- PEQUENO NOTÁVEL Mesmo em um cômodo pequeno, a arquitetura de interiores também pode jogar a favor: o uso de papel de parede 3D deu maior profundidade ao ambiente e a instalação do lavatório na parte externa conferiu maior espaço para o lavabo. Alguns detalhes, como a torneira de teto, a cuba de piso e o vaso suspenso chamam mais atenção que o espaço limitado. Uma dica: se você pretende utilizar a torneira de teto, o vaso suspenso ou ambos, comunique seu arquiteto antes da preparação do projeto, pois o sistema hidrossanitário tem de ser um pouco diferente.

Aproveitamento máximo dos espaços internos, tendo como objetivos a beleza e a harmonia entre os elementos, conforto e funcionalidade para os usuários. Esta é a essência da arquitetura de interiores

CASA MODELO


2

2 3 2- BANHEIRO INTEGRADO Um ambiente amplo que acaba sendo uma extensão do quarto, este banheiro oferece uma vista privilegiada. A hora do banho é o momento mais íntimo que podemos ter com nós mesmos. Com um cenário deste, os momentos de introspecção ficam melhores ainda. O aproveitamento das pastilhas e a criatividade de produzir o desenho no local deu a esse ambiente um toque realmente personalizado, num misto de luxo e conforto. As placas de pastilhas permitem a você soltar a imaginação e fazer um ambiente com a sua cara.

3- BANHEIRO OU SPA? Futurista, este banheiro compete em beleza com muitas salas e piscinas. Neste ambiente a opção pela tecnologia e conforto foi determinante. Tudo foi pensando para fazer do ato de se banhar um momento sublime. A cabine de banho tem inúmeros jatos para garantir uma experiência revigorante. A banheira, além de jatos de hidromassagem, tem sistema de sonorização e cromoterapia, fazendo com que seu banho seja tão bom quanto uma visita a um spa. Mesmo o assento sanitário não tem aspecto de “vaso”: um design diferenciado faz com que ele se pareça mais com uma banqueta. Com tanto conforto e tecnologia, não poderia faltar uma televisão – é possível que o morador queira passar mais tempo no banheiro que na sala de TV.


4- COZINHA HI TECH Ambientes tecnológicos estão cada dia sendo mais aceitos e desejados. Esta cozinha, por exemplo, tem aspecto sóbrio e elegante. A cor preta nas bancadas e no armário, as pastilhas que rementem ao inox dos eletrodomésticos e os acabamentos da cozinha são elementos que se destacam em meio ao piso e teto branco. O ambiente foi “inundado” por luz devido à grande abertura em vidro, proporcionando uma bela vista da cidade. A tecnologia também está presente no acionamento das persianas que controlam a iluminação desse ambiente. Todo o controle de iluminação e climatização é automatizado: o conforto na palma da mão, por meio de um controle remoto. Um olhar mais atento vai identificar uma churrasqueira na cozinha deste apartamento. Isso mesmo: uma churrasqueira! É possível instalá-la em um apartamento, desde que o arquiteto seja avisado antes, já que é necessário fazer um “shaft” - poço que leva a fumaça da churrasqueira para a cobertura do prédio.

5- COZINHA ACONCHEGANTE Passando da tecnologia das cozinhas contemporâneas para o tradicionalismo das rústicas, este ambiente invoca conforto e aconchego. A bancada central faz com que o preparo da comida seja quase um espetáculo de se assistir. Grandes aberturas integram a cozinha à área externa e conjugada com a sala de estar. Não há como negar: um ambiente aconchegante, que lembra o colo da mãe ou o carinho da avó. A grande responsável por isso é a madeira. Sempre que desejar dar um ar de bem-estar para seu ambiente, utilize este material. Além do conforto acústico e térmico muito bom, possui um aspecto muito bonito.

6- TRADICIONAL E INOVADORA E quem disse que uma cozinha não pode unir o rústico e o contemporâneo? A mistura de madeira e inox, vidro e fibras naturais torna o ambiente bem equilibrado, utilizando o melhor dos dois estilos, garantindo o mix perfeito entre aconchego e tecnologia.

4

6

5


ESTILO

Qual é o estilo que combina com VOCÊ? DICA:

Na decoração você pode optar por um estilo ou mesclar vários, dando à sua casa a sua cara. Na dúvida sobre qual estilo escolher? Misture! Ouse! E peça a orientação de um profissional habilitado

CASA MODELO

Q

ual peça você não deixaria de fora da decoração de sua casa? Uma cadeira Luís XV, uma Poltrona Mole, uma Le Corbusier ou uma Poltrona Egg? Cores, materiais e formas são fundamentais na hora de se fazer esta escolha. Estabelecer o estilo com que você mais se identifica é o pontapé inicial para decorar. Mas é preciso levar em conta também as necessidades e o perfil de quem vive naquele espaço para que o resultado seja um ambiente bonito e agradável de ver e viver. Há vários estilos de decoração. Dentre eles destacaremos os mais usados – clássico, rústico, moderno e contemporâneo.


Cada um em um estilo, seja nas roupas, acessórios ou carros. E por que não na decoração? Veja uma seleção do que não pode faltar na sua lista de desejos:


CLÁSSICO

O

que é clássico não sai de moda! Na decoração não é diferente. De origem greco-romana, esse estilo prima pela imponência, grandiosidade, simetria, requinte e riqueza de detalhes.

A elegância é a essência neste tipo de decoração. • As cores são fortes e sóbrias, como o bordô, marrom, preto, verde-esmeralda e azul-marinho. Mas também podem ser mescladas com tons neutros, como o castanho, bege e branco. • O mármore e a madeira são materiais muito utilizados nos móveis e pisos. Metais como ouro e bronze estão nos detalhes, molduras de espelhos e quadros, puxadores e peças decorativas. Os tecidos têm sempre muitos detalhes e charme. Veludo, chenille, cetim, seda, tule, voil, acolchoados lisos ou texturizados e com motivos florais, adamascados e riscas. • Os móveis são imponentes. Em sua maioria, feitos em madeira com tons médios e escuros, apresentam linhas torneadas e trabalhadas.

• Cortinas longas, com tecidos pesados, como o veludo e brocado, ou leves e esvoaçantes como a seda. Lisas ou com riscas, elas são bem ornamentadas, com camadas e acabamentos. • Os tapetes têm papel importante na decoração clássica. Com padrões clássicos, estampados ou orientais, todos eles compõem o ambiente com elegância. • Os lustres, pendentes de cristal, candelabros, arandelas e abajures vêm garantir o aconchego e elegância na iluminação clássica. • Almofadas, mantas, tapeçaria, quadros e espelhos com molduras trabalhadas, livros, obras de arte, esculturas e bustos, vasos, objetos antigos, cristais, porcelanas e pratarias são algumas dentre as várias opções de peças decorativas. Arranjos são muito usados, sempre com flores exuberantes em vasos trabalhados. • Cheios de charme, os papéis de parede estão sempre presentes. A pintura também tem seu destaque. As paredes podem apresentar duas cores diferentes, mesclada com molduras.


FABULIST CLÁSSICO


RÚSTICO

M

uitos associam o estilo rústico ao que é do campo. Mas ele não se restringe somente a este aspecto. O correto é associar o rústico a peças mais simples e naturais, cheias de textura e que remetam ao conforto. Neste estilo, também percebe-se o reaproveitamento de peças funcionais na decoração.

Os pontos fortes da decoração rústica são o aconchego e o aspecto natural. • As cores mais usadas, em geral, são as de tons claros, crus, pastéis e terrosos. As pitadas mais fortes de cor se dão pelos demais materiais rústicos, como madeira e tecidos. • Os materiais são naturais, com bastante textura, como a madeira de demolição, pedra, tijolo, ferro, cerâmica, ladrilho hidráulico, bambu, fibras, palha, algodão, couro, entre outros. Tecidos como algodão e chita esbanjam cores e estampas, sejam florais, listradas, motivos animais ou o famoso patchwork. • Os móveis surgem em madeira ou ferro. Há também os que são feitos com materiais e objetos que tinham outra finalidade, como por exemplo, mesas e bancos produzidos a partir de rodas de carro de boi, latões e troncos de árvore.

Quanto mais gasto pelo tempo, mais história o móvel tem, tornando-se, assim, mais característico. • As cortinas são simples e leves, em tecidos naturais e tons claros. • Seja em algodão, couro ou esteiras de fibra, os tapetes dão toque rústico ao ambiente. • As peças antigas, com marcas do tempo, têm destaque na decoração rústica. Também são usados quadros, livros, artesanatos, almofadas, vasos, louças e cerâmicas. Um diferencial neste estilo é deixar os objetos e utensílios do cotidiano à mostra, fazendo com que eles passem a ter, também, função decorativa. Panelas de ferro, cuias, cestos e peneiras, latas e jarras são alguns exemplos. Flores também são uma ótima opção para decorar. Arranjos naturais, flores do campo e muito verde tornam o ambiente mais agradável aos olhos. • A iluminação natural é bem valorizada. Também são usados candelabros, velas, arandelas e pendentes em ferro, vidro e madeira. • Para entrar no clima da decoração rústica, há ainda outros elementos, como assoalho e forro de madeira, vigas e tijolos aparentes, madeiras com marcas do tempo e paredes revestidas de cerâmica ou madeira, pintadas em tons claros ou em seu estado natural, como pedra ou tijolo.


FABULIST RÚSTICO


MODERNO

O

s estilos moderno e contemporâneo podem ser confundidos, pois os dois se baseiam nas tendências que surgiram a partir da segunda metade do século XX até a atualidade. Mas eles têm suas diferenças. Quem nunca ouviu falar do famoso “clean”? Uma decoração funcional, composta por poucas e boas peças, geralmente de design assinado. Esse é o estilo moderno de decoração. Uso de linhas retas, formas geométricas e base neutra dão o toque de modernidade ao ambiente.

Praticidade é a palavra-chave deste estilo.

• Apresenta paleta de cores com tons neutros, como o preto, branco, cinza, azul-acinzentado e fendi. • Materiais como a fibra de vidro, vidro, metal cromado, alumínio, ferro pintado e madeira laqueada estão entre os mais usados. Tecidos com texturas lisas, em cores e estampas sóbrias, com tons sobre tons. • Móveis sofisticados, com linhas retas e elegantes. São largos, baixos e de toque liso. Muitas vezes são utilizados para configurar diferentes ambientes em um único espaço integrado.

• As cortinas são leves e também seguem um padrão neutro. Estão em praticamente todos os cômodos da casa, tirando certo ar de frieza que o estilo moderno pode trazer. • Os tapetes podem ser felpudos com cores neutras ou de pelagem baixa com estampas geométricas. Ambos deixam qualquer ambiente mais aconchegante. • Iluminação artificial em alta. Recortes no gesso embutem iluminação e se tornam funcionais. Spots direcionados criam pontos focais e dão destaque a peças decorativas. Pendentes, luminárias de mesa e piso são mais que elementos de iluminação. São também decorativos. • As peças decorativas não aparecem em exagero e ficam expostas em pontos estratégicos. Espelhos, quadros com molduras lisas e retas, livros, caixas decorativas, estatuetas em metal, vasos e garrafas em vidro são muito usados. As plantas são grandes e vistosas, com pedriscos e cascas de madeira. Os vasos são mais lisos, em cerâmica tradicional, cimento ou cachepôs em madeira laqueada. • Paredes e tetos, em geral, são pintados com cores sóbrias. Já os papéis de parede são sofisticados.


FABULIST MODERNO


CONTEMPORÂNEO

O

estilo contemporâneo segue as tendências do que é atual, com toque ousado. É prático e funcional como o estilo moderno, mas apresenta linhas mais dinâmicas que ele. Inova em formas e materiais, utiliza muita cor, textura e tecnologia. Na busca por um ambiente mais pessoal, é comum haver certa mistura de estilos, uso de materiais naturais com design inovador e releitura de peças antigas com materiais atuais.

Inovação é o ponto focal da decoração contemporânea.

• O uso das cores é característico em ambientes contemporâneos. Preto e branco são muito usados, mas também é comum o uso de tons intensos, como o amarelo, laranja, vermelho, roxo e turquesa. • Materiais tecnológicos, acrílico, aço escovado, aço inox, cobre e cimento queimado estão entre os mais usados. Tecidos com cores e estampas étnicas, geométricas e animal print dão charme ao ambiente. • Móveis têm linhas ousadas. Na busca pela inovação, eles apresentam mistura de estilos e materiais, por vezes, fazendo uma releitura de peças de outras épocas.

• São usadas cortinas leves e painéis solares com acionamento automático. • Os tapetes têm cores e estampas e ganham destaque no ambiente quando apresentam formas diferentes. • Inova na iluminação com o alto uso do led e da tecnologia. Funcional e decorativa, a iluminação cria cenas diferentes em um mesmo ambiente com a ajuda de dimerizadores. Pendentes e luminárias com visual dinâmico e materiais inovadores fazem o diferencial. • Os objetos decorativos são fundamentais. Peças lúdicas, objetos em metal e acrílico, espelhos, telas abstratas e fotografias compõem o ambiente. Fazer um mix de textura, padrões e cores é muito usual. Peças que aliam tecnologia e design são essenciais, seja na funcionalidade ou na decoração. Plantas nada convencionais em lugares inusitados são muito bem-vindas em um ambiente contemporâneo. Os vasos para plantas são de vidro, cerâmicas vitrificadas ou cachepôs espelhados. • É comum apresentar paredes em cores neutras ou até mesmo pontuar algumas delas com cores fortes e acabamentos diferenciados, como cimento queimado. Para compor um ambiente são usados também papéis de parede e adesivos.


FABULIST CONTEMPORÂNEO


GUIA

Confira nas próximas páginas uma seleção de empresas com padrão de excelência para tornar a sua vida ainda melhor.


grafica


Casa Modelo - 3ª Edição  

Revista de Arquitetura criada pela Empresa E&E Design. Diagramação feita pela Agência Ppdesigner.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you