Page 13

Governo disponibiliza 300 vagas em JP para Projovem Trabalhador Página 14

13

A UNIÃO

João Pessoa, Paraíba - QUINTA-FEIRA, 18 de outubro de 2012

NO CASTELO BRANCO

Dnit estuda contenção de barreira Opções de interferência ainda estão em fase de estudo no órgão José Alves

zavieira2@gmail.com

A solução para evitar que haja mais desabamentos em uma das barreiras da BR-230, localizada no bairro do Castelo Branco, próximo a alça que liga a BR à avenida Beira Rio, continua em estudo. Segundo o supervisor do Dnit em Santa Rita, Rainer Branco, no quilômetro em que houve o deslizamento da barreira, durante as chuvas do mês de junho, deverá ser feita a construção de um muro ou de um revestimento de proteção, mas as opções ainda estão em fase de estudo, para em seguida serem objetos de licitação. “Uma solução para aquela barreira só no próximo ano através do Projeto de Adequação de Capacidade da BR-230”, disse o supervisor do Dnit. O deslizamento da barreira do Castelo Branco sobre a BR-230 aconteceu no dia 28 de junho deste ano, e na ocasião acabou soterrando três motos e um veículo, mas os envolvidos conseguiram sobreviver com ferimentos leves. O trânsito no local ficou interditado por alguns momentos enquanto a Polícia Rodoviária Federal providenciava a limpeza da rodovia. De imediato o Dnit colocou lonas na área do deslize para evitar mais desabamentos durante as chuvas, mas uma solução definitiva para o local continua em estudo pelos engenheiros do órgão. Ainda segundo Rainer Branco, o que provocou o deslizamento no local foram às construções irregulares de ‘sem-tetos’ no topo da barreira. “Todas as construções no topo da barreira (cerca de 10 residências), comprometeram a drenagem local e nós já acionamos a Defesa Civil e o Ministério Público, solicitando uma intervenção na

Foto: Evandro Pereira

área, mas ainda não obtivemos resposta”, informou Branco. Ele disse também que ainda não há uma previsão para a realização dos serviços na área, mas no local, os problemas poderão ser sanados no próximo ano através do Projeto de Adequação de Capacidade da Rodovia que compreende o trecho entre o Porto de Cabedelo até o viaduto de Oitizeiro.

Depoimentos A dona de casa Maria do Socorro Freitas, que reside no topo da barreira exatamente onde ocorreu o deslizamento, disse que mora com o marido e dois filhos e que todos têm medo de acidentes quando ocorrem chuvas fortes em João Pessoa, mas também disse que só sai do local se a prefeitura indenizar a família com uma nova moradia. Já o pedreiro Francisco de Assis, acredita que não foram as construções irregulares que prejudicaram a barreira. Para ele a solução seria o plantio de vegetação na área para segurar a terra. Assis também tem a mesma opinião de sua vizinha, só abandona sua casa se a prefeitura da capital lançar alguma proposta de novas moradias para as pessoas que residem naquela localidade.

Os problemas na barreira deverão ser sanados no próximo ano através do Projeto de Adequação de Capacidade da BR-230

Entre as opções em estudo para evitar o deslizamento da barreira está a construção de um muro ou um revestimento de proteção

ALIADO FORTE

Disque Denúncia melhora desempenho da polícia no combate à violência e às drogas O Disque Denúncias (197) das Polícias Civil e Militar da Paraíba continua sendo um forte aliado no combate à violência e principalmente ao tráfico de drogas no Estado. No período de janeiro a setembro deste ano, o número de apreensão de maconha dobrou em relação ao mesmo período do ano passado. Anteontem, mais uma vez, por causa de uma denúncia anônima, a Polícia Militar apreendeu um adolescente de 15 anos, que estava vendendo crack no bairro São José e recapturou o foragido da Justiça, suspeito de cometer vários homicídios em João Pessoa, Glaudson de Sousa Araújo, 20 anos, também conhecido como “Mercadinho”. A apreensão do garoto aconteceu por volta das 23h30, e de acordo com informações do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop), o jovem

estava com 38 pedras de crack, prontas para venda e consumo. A ação teve a participação de oito policiais da unidade da Polícia Solidária do Bairro. De acordo com os números do Disque Denúncia, este ano já foram apreendidos 404.94 quilos de maconha. O dobro do mesmo período do ano passado quando foram apreendidos 204.32 quilos. O total de maconha apreendida dobrou em relação ao mesmo período de 2011. Um dos destaques foi a Operação Liberdade, que apreendeu mais de 100 quilos do entorpecente na capital no mês de agosto deste ano. Já o número de apreensão de cocaína, até agora, foi maior no ano passado. Este ano foram apreendidos 979 gramas e no ano passado 5.793,86 gramas. A maior apreensão de crack na Paraíba também se

deu no ano passado quando foram apreendidos 107,65 quilos da droga. Este ano, até o mês de setembro foram apreendidos 92,3 quilos. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança, em 2011, a polícia fez um intenso trabalho de repressão ao tráfico de entorpecentes, em especial ao crack, e obteve apreensões históricas, a exemplo da apreensão de 21 quilos de crack feita por policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Capital no dia 27 de junho de 2011, um recorde que foi superado meses depois durante a Operação Narcóticos, com a apreensão de 35 quilos de crack, considerada a maior da história das polícias estaduais.

Serviço O Disque Denúncias (197) superou a marca das três mil

denúncias este ano e a quantidade já é maior do que o total obtido durante todo o ano de 2011, quando foram computados 3.040 registros. Só este ano, o serviço contribuiu para a polícia prender em flagrante 120 pessoas, apreender 44 armas de fogo de diversos calibres, 35 quilos de drogas (maconha e crack), 245 máquinas caça-níqueis, além de veículos, motocicletas e aproximadamente R$16 mil, provenientes do tráfico de drogas. A ligação para o 197 é gratuita e pode ser feita de celular ou telefone convencional, de qualquer lugar do Estado. O serviço funciona 24 horas e o denunciante não precisa se identificar. Pelo e-mail gintel. denuncia@ssp.pb.gov.br, o cidadão ainda pode enviar documentos, imagens e vídeos que complementem a denúncia feita por telefone. (JA)

acervo digitalizado

A União faz mapeamento de coleções antigas do jornal FOTO: Arquivo

Cleane Costa cleanec@gmail.com

Trabalho de digitalização do acervo do jornal terá início após o mapeamento

A União Superintendência de Imprensa e Editora está fazendo um mapeamento das coleções mais antigas do jornal em bibliotecas e arquivos de instituições, entidades e prefeituras. O objetivo é identificar exemplares e coleções que o jornal não possui, a fim de que todo acervo seja digitalizado e, assim, possa vir a ser pesquisado com mais facilidade e sem danos ao material em papel. Para fazer a digitalização do acervo de A União, o governador Ricardo Coutinho, em visita à sede do jornal, no mês de agosto, garantiu a liberação de R$ 30 mil. O trabalho possibilitará que coleções como a da década de 30 – bastante pesquisada – não venha a “desaparecer” por causa de um mau manuseio.

Nesta semana, servidores do Setor de Arquivo visitaram a Biblioteca Pública do município de Esperança, onde constataram a existência de exemplares antigos que a empresa não possui. Outras instituições e órgãos como Polícia Militar, Espaço Cultural e Fundação Joaquim Nabuco também serão visitadas. O trabalho vem sendo realizado pelos arquivistas Aparecida Rodrigues, Luzia Antônia de Lima e José Ramos e pela graduanda do curso de História, Isabelle Almeida. Quando todos os locais que possuem coleções do jornal A União forem mapeados, será iniciado o trabalho de digitalização de todo acervo. Os arquivistas apelam, inclusive, para que as instituições detentoras de arquivo do jornal apoiem o trabalho, se identificando e agendando a visita dos servidores envolvidos no projeto.

Jornal A União  

Edição 18.10.2012